Pwp consc linguística1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Pwp consc linguística1

on

  • 1,088 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,088
Views on SlideShare
807
Embed Views
281

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
0

6 Embeds 281

http://formarentrepalavras.blogspot.pt 242
http://formarentrepalavras.blogspot.com.br 34
http://formarentrepalavras.blogspot.com 2
http://formarentrepalavras.blogspot.de 1
http://www.formarentrepalavras.blogspot.pt 1
http://eb1pereira.blogspot.pt 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Pwp consc linguística1 Pwp consc linguística1 Presentation Transcript

  • O CONHECIMENTO DALÍNGUADESENVOLVER A CONSCIÊNCIA LINGUÍSTICA 1
  • CEL 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 2 de8
  • O conhecimento explícito da língua envolve os seguintes planos: Fonológico (DT B1) – conteúdos relacionados com os fonemas da língua e a forma como os alunos os processam mentalmente. Morfológico (DT B2) – questões relacionadas com a forma das palavras, isto, como elas se constituem e modificam. Classes de palavras (DT B3) – Inicialmente estavam sempre ligadas à análise morfológica, agora surgem separadas pela relevância que têm para a sintaxe. Sintático (DT B4) – conteúdos relacionados com a organização da frase e com as funções dos seus elementos. Lexical e semântico (DT B5. B6) – questões relativos ao significado das palavras e das relações que se estabelecem entre elas. Discursivo e textual (DT C) – questões relativas à construção do texto e com a adequação desses textos aos contextos de produção e apresentação. Representação gráfica e ortográfica (DT E) – questões relacionadas com as marcas gráficas e ortográficas da escrita. Apesar de aparecer em último lugar no PPEB é dos 12 20 primeiros a ser trabalhado em contexto de sala de aula. id e a M PAULA SALVADOR 3 de 8 3
  •  Método científico e treino analítico Perspetiva do ensino da gramática que proporciona às crianças oportunidades para adquirirem, exercitarem e desenvolverem um “olhar de cientista” Por outras palavras, o laboratório gramatical inicia as crianças na forma de interrogar a realidade (neste caso, a língua e os seus usos) e sobre ela refletir, o que caracteriza o pensamento científico. 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 4 de8 4
  • Etapas do laboratório gramatical: Levar as crianças a: P: formular uma pergunta/problema O: observar os dados ou/a situação-problema H: formular hipóteses T: testar as hipóteses V: validar as hipóteses E: propor atividades que exercitem o conhecimento A: avaliar o conhecimento alcançado 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 5 de8 5
  • Duarte, I., O conhecimento da língua: desenvolver a consciência linguística, p. 59-65 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 6 de8 6
  • As crianças, no final do 1ºciclo, devem ter trabalhado e aprendido os seguintes conteúdos gramaticais ao nível dos diferentes planos:1. Plano fonológico (DT B1) A classificação dos sons distintivos da língua em vogais, consoantes e semivogais e a distinção entre sons orais e nasais A identificação de ditongos orais e nasais A distinção entre sílabas tónicas e átonas Acento: a classificação das palavras quanto à posição da sílaba tónica 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 7 de8 7
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 8 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 9 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 10 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 11 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 12 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 13 de8
  • Quanto ao ponto de articulação: Quanto ao modo de articulação 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 14 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 15 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 16 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 17 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 18 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 19 de8
  • Problemas com a noção de fronteira de palavra: Exemplos: Osmeninosgostamdeouvirhistóriassobreanimais.Aofalarmosdeconsciênciafonológicareferimo-nosàcapacidadedeexplicitamenteidentificaremanipulaasunidadesdooral. 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 20 de 8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 21 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 22 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 23 de8
  • 2. Plano morfológico e classe das palavras (DT B2 B3) o A distinção entre palavras variáveis e invariáveis; a flexão nominal em número e género e os respetivos paradigmas flexionais regulares; a flexão em pessoa dos pronomes; a flexão verbal em número e pessoa, tempo-modo-aspeto e os respetivos paradigmas flexionais regulares de 1.ª, 2.ª e 3.ª conjugação. A distinção entre palavras simples e complexas, radical e afixos, prefixos e sufixos 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 24 de8 24
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 25 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 26 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 27 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 28 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 29 de8
  • 3. Plano lexical e semântico (DT B5 B6)O conceito de família de palavras; associações entre palavras a partir do som, dos constituintes morfológicos (radical e afixos) e do significadoPolissemia; papel da extensão semântica (independentemente da introdução do termo) no alargamento do léxico da línguaRelações semânticas entre palavras: hierárquicas e de parte-todo, independentemente da introdução dos termos que as designam; de semelhança (sinónimos) e oposição (antónimos). 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 30 de 8 30
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 31 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 32 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 33 de8
  • 4. Plano sintático (DT B4) As unidades estruturais da frase (grupo nominal, grupo verbal) Funções sintáticas: sujeito, predicado; complemento direto e compl. indireto; predicativo do sujeito; diferença entre complementos e modificadores Classes de palavras: nomes, verbos, adjetivos, preposições, pronomes, artigos definidos e indefinidos e outros determinantes e quantificadores, advérbios, conjunções coordenativas e subordinativas, nomes próprios, comuns e coletivos, verbos principais, copulativos e auxiliares ( independentemente da sua subclassificação) Processos de concordância: sujeito-verbo, sujeito-predicativo do sujeito; nome-determinante; nome-adjetivo Distinção entre frase simples e complexa; identificação dos processos de coordenação e de subordinação, identificação de frases relativas e completivas Sensibilização à ordem de palavras legítima numa frase e as ordens marcadas exigidas por certas construções ou motivadas pelo contexto discursivo 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 34 de 8 34
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 35 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 36 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 37 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 38 de8
  • 5. Plano discursivo e textual (DT C)Formas de tratamento, com especial destaque para as condições em que o tratamento por tu, você, explícito e implícito, nós e a gente é adequado;Tipos de atos ilocutórios (sem introdução do termo) e formas da sua realização linguística;Formas gráficas de representação do discurso próprio (ou de uma personagem) e do discurso de outrem (citado e relatado);Formas corteses de atenuar a força ilocutória (por exemplo, fazer pedidos em vez de dar ordens, usar fórmulas de delicadeza (se não se importa, se faz favor…). Formas de coesão textual, com especial incidência nas conexões entre períodos, na identificação de cadeias referenciais e no papel desempenhado pelos tempos verbais e pelos grupos preposicionais e adverbiais temporais; Aprendizagem dos sinais de pontuação e compreensão do papel que desempenham num texto. 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 39 de8 39
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 40 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 41 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 42 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 43 de8
  • 6. Plano da representação gráfica e ortográfica (DT E)Representação (orto)gráfica das unidades linguísticas: o alfabeto, os tipos de letra,as correspondências entre som e letra(s) consagradas na ortografia, os acentosgráficos, os diacríticos cedilha, til e hífen; os sinais de pontuação; a configuraçãográfica caraterística do parágrafo; as regras ortográficas, incluindo as regras deacentuação gráfica; as regras de translineação. 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 44 de 8
  • A escrita não é a transcrição isomórfica da oralidade. A caligrafia é a arte e o estudo da escrita à mão e serve o objetivo primordial da escrita: ser lida. 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 45 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 46 de8
  • complexidade das relações som-grafema– dá origem a que a maior parte dos sistemas ortográficos não apresenteuma correspondência de um para um entre os sons e os grafemas ou letrasque os representam. Este facto equivale a dizer que um som pode não serrepresentado sempre pelo mesmo grafema e um grafema pode nãorepresentar sempre o mesmo som. existência de uma forma ortográfica única – dá origem a que diferentes formas de pronunciar uma palavra sejam representadas, na escrita, pela mesma forma ortográfica. A representação escrita não consiste na representação diferenciada de cada uma das formas de uma palavra que são realizadas na oralidade. Ela assenta numa norma, que pode ser comum a diferentes pronúncias. 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 47 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 48 de8
  • “Escrever e brincar devem caminhar de mãos dadas, num eterno namoro… A escrita desde sempre esteve associada ao jogo, ao desenho lúdico… Escrever faz bem ao corpo, aos olhos e ao coração.” (Anónimo) Anagrama Caligrama Pictograma Acróstico Biopoema Wordle.net Tagxedo Harmónio L. Dadaísta Adivinhas Provérbios Slogans Pintura Escultura Poesia … 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 49 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 50 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 51 de8
  • 12 20 de ai M PAULA SALVADOR 52 de8