Namoro Noivado Sexo Casamento

10,672 views

Published on

Published in: News & Politics
2 Comments
11 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
10,672
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
12
Actions
Shares
0
Downloads
761
Comments
2
Likes
11
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Namoro Noivado Sexo Casamento

  1. 1. Dilemas da Adolescência & Juventude Namoro | Noivado | Sexo | Casamento
  2. 2. Os desafios das gerações • Cada geração estimula a geração anterior a refletir. • É próprio do jovem inquirir, questionar, querer ir além... • Mas a sabedoria não está do lado crítico, mas na habilidade de ambos os lados aprenderem.
  3. 3. Paul Claudel “A juventude não foi feita para o prazer, mas para os desafios”. • A base do questionamento atual é o prazer, não o desafio de contribuir para o surgimento de uma geração mais sábia e mais equilibrada...
  4. 4. Todas as gerações cometem erros • O erro de privilegiar o prazer ao invés da evolução e do progresso. • O erro de tentar simplificar demais (paz, amor, sexo e rock’n roll). • O erro do egoísmo e do desprezo. • O erro de avaliação da vida.
  5. 5. Idéias e conceitos • Nascem do questionamento imponderado; • Da ausência de diálogo com a geração passada (a comunicação científica e o diálogo com o passado). • Do silêncio das gerações...
  6. 6. Posicionamentos • Jovens recorrem a conclusões pes- soais sobre tudo e tendem a comunicar-se com os da sua idade. • Pais, recolhem-se amedrontados, não gostando do que sua geração foi capaz de gerar e escondem-se na crítica e na própria incapacidade.
  7. 7. Um banho de SABEDORIA • Lavar pais e filhos, jovens e adultos, da arrogância, do medo e do silêncio. • Que seja capaz de desobstruir os nossos ouvidos para aprender que o alvo da vida não é o PRAZER PESSOAL.
  8. 8. ESTIMULAÇÃO MENTAL • 33% das meninas perdem a virgindade até os 15 anos de idade. 2000 2000 1980 1980 11% 33% 33% 47% MENINAS MENINOS Fonte: Ministério da Saúde
  9. 9. Estimulação MENTAL • “Os pais precisam dedicar mais tempo para entender os filhos” (Salete Spengler, conselheira tutelar) • “Uma vida sexual saudável abaixo dos 14 anos é muito difícil” (Ginicologista Gerson Lopes) • O assunto precisa ser abordado.
  10. 10. O que pensam os jovens? • “Não acho que minha primeira vez foi precoce. Me sentia preparada.” Carol Romero, perdeu sua virgindade aos 14 anos. – Baseado em quê ? – Amigos, mídia, nos seus desejos. – Esta é uma base sábia e confiável? • O que falar de Nadjia (V 13 | G 14)?
  11. 11. Fatos a serem ressaltados • Comunicação familiar inexistente. • Cada um preocupado com o seu próprio mundo. • Internet (msn; orkut; sites pornôs) • Omissão da igreja. • Falta de sentido (proj. de vida).
  12. 12. Namoro, a porta de entrada • Despertamento para o sexo oposto é natural. • Namorar é entrar no plano da troca de estímulos físicos e afetivos. • Cerceamento moral não impede as estimulações provocadas por um simples beijo ou abraço.
  13. 13. Como nos posicionar biblicamente?
  14. 14. Como nos posicionar biblicamente? • Qual a idade certa para começar a namorar? • De que maneira este namoro deve começar? • “Ficar” é aceitável? • Com quem? • Quais os limites?
  15. 15. 1 CORÍNTIOS 6:13b, 20 “Porém o corpo não é para a impureza, mas, para o Senhor, e o Senhor, para o corpo”. “Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo”.
  16. 16. Quando começar? • Relacionamentos devem estar integrados a um PROJETO DE VIDA.
  17. 17. Quando começar? • Relacionamentos devem estar integrados a um PROJETO DE VIDA. • O prelúdio da vida adulta.
  18. 18. Quando começar? • Relacionamentos devem estar integrados a um PROJETO DE VIDA. • O prelúdio da vida adulta. • As responsabilidades e desafios da vida adulta.
  19. 19. Quando começar? • Relacionamentos devem estar integrados a um PROJETO DE VIDA. • O prelúdio da vida adulta. • As responsabilidades e desafios da vida adulta. • Doenças sócio-emocionais (geração canguru, sind. Peter Pan).
  20. 20. Quando começar? • Relacionamentos devem estar integrados a um PROJETO DE VIDA. • O prelúdio da vida adulta. • As responsabilidades e desafios da vida adulta. • Doenças sócio-emocionais (geração canguru, sind. Peter Pan). • Adultos merecem tratamento de adulto.
  21. 21. Quando começar? • Relacionamentos devem estar integrados a um PROJETO DE VIDA. • O prelúdio da vida adulta. • As responsabilidades e desafios da vida adulta. • Doenças sócio-emocionais (geração canguru, sind. Peter Pan). • Adultos merecem tratamento de adulto. • Independência
  22. 22. Quando começar? Quando um projeto de vida for concebido e as responsabilidades da fase adulta não forem aterrorizantes (profissão, independência dos pais e família).
  23. 23. Quando começar? • Crianças estão longe da fase adulta. • “Eu não sou criança!!!” • Adolescência é apenas um período de transição. O desenvolvimento físico não acompanha o emocional. • Você já sabe glorificar a Deus com o seu corpo?
  24. 24. Com quem? • Com alguém do sexo oposto. • Com alguém que se propõe navegar sob a influência dos mesmos ventos. • Com alguém que não queira apenas passar o tempo. • Com alguém consciente das respon- sabilidades da vida adulta.
  25. 25. ...mas ele não é cristão... • “Jugo desigual” não é apenas no campo da fé.
  26. 26. ...mas ele não é cristão... • “Jugo desigual” não é apenas no campo da fé. • A experiência revela que quando a relação sai do período da paixão e exige que se entre no plano da maturidade, esses relacionamentos não permanecem.
  27. 27. ...mas ele não é cristão... • “Jugo desigual” não é apenas no campo da fé. • A experiência revela que quando a relação sai do período da paixão e exige que se entre no plano da maturidade, esses relacionamentos não permanecem. • Ele/ela é membro de uma igreja “diferente”.
  28. 28. ...mas ele não é cristão... • “Jugo desigual” não é apenas no campo da fé. • A experiência revela que quando a relação sai do período da paixão e exige que se entre no plano da maturidade, esses relacionamentos não permanecem. • Ele/ela é membro de uma igreja “diferente”. • Ele é um cristão não fervoroso.
  29. 29. ...mas ele não é cristão... • “Jugo desigual” não é apenas no campo da fé. • A experiência revela que quando a relação sai do período da paixão e exige que se entre no plano da maturidade, esses relacionamentos não permanecem. • Ele/ela é membro de uma igreja “diferente”. • Ele é um cristão não fervoroso. • Eu vou influenciá-lo/a.
  30. 30. Ao começar • Os pais devem saber sempre. • O “orkut” não é uma boa maneira de se dar a conhecer o fato. • Um compromisso deve ser firmado: o da amizade. • Clareza de intenções. • Limites bem expostos.
  31. 31. Quais os limites? • Os declarados na Palavra de Deus. • Sexo, só após o casamento. • Apalpadelas em áreas erógenas (seios, nádegas...) jamais. • Abraços frontais e/ou anteriores devem ser evitados. • Contatos físicos mínimos.

×