Mielite transversa

  • 373 views
Uploaded on

Mielite tranversa

Mielite tranversa

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
373
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
8
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Neurofisiologia 2012/2013 Mielite Transversa Neurologia Docente: Diana Tavares Ana Pinho nº10110178 Prune Mazer nº10110195
  • 2. Diagnóstico História Clinica + Exame Físico + Exame Neurológico Os sintomas neurológicos sugerem ao médico um amplo leque de doenças possíveis. Para ir afastando as possibilidades, o médico pode fazer vários exames: • Punção lombar (extração de líquido cefalorraquidiano para a sua avaliação). • Os exames de imagem são realizados para excluir a presença de fatores que levam à compressão da medula espinhal e sintomatologia semelhante.
  • 3. Diagnóstico Diferencial • • • • • • • • • • Tumores Traumas Lesões agudas por compressão (metástases e abcessos) Hérnias discais Abcessos LES Infeção por HIV Deficiência da vitamina B12 Enfarte da medula espinal Estenose
  • 4. Tratamento
  • 5. Incidência • • • • • Esta doença pode aparecer em qualquer idade. O maior número de casos de Mielite Transversa parece estar entre 10 a 19 anos e após 40 anos de idade. Pessoas de ambos os sexos parecem ser diagnosticadas igualmente. Estima-se que esta doença rara afecte por ano 1 a 4 indivíduos entre cada 1 milhão. Não há predisposição familiar e nem sexual.
  • 6. Prognóstico • A recuperação pode ser ausente, parcial ou completa e geralmente inicia-se entre um a três meses. Uma recuperação significante é improvável se nenhuma melhora ocorrer por três meses. • • • 1/3 Recuperação boa/completa 1/3 Recuperação moderada/parcial 1/3 Não recuperam após o período inicial Após a recuperação, em muitos pacientes persiste a debilidade motora e o entorpecimento. Quando o tratamento é estabelecido precocemente, os pacientes podem recuperar-se completamente.