Gestão e Espiritualidade
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Gestão e Espiritualidade

on

  • 960 views

www.conage.com.br

www.conage.com.br

Statistics

Views

Total Views
960
Views on SlideShare
945
Embed Views
15

Actions

Likes
0
Downloads
24
Comments
0

2 Embeds 15

http://www.conage.com.br 13
http://conage.com.br 2

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Gestão e Espiritualidade Presentation Transcript

  • 1. Gestão e Espiritualidade CONAGE - 2008 Ir. Afonso Murad. [email_address] afonsomurad.blogspot.com
  • 2. GESTÃO
    • Competência para coordenar processos e liderar pessoas, em vista de resultados, a fim de realizar com eficácia a missão (e o negócio) de uma Instituição ou grupo organizado.
    • Dois componentes básicos:
    • Liderança
    • Gerenciamento
  • 3. Liderança e Gerenciamento
    • LIDERAR:
    • Animar as pessoas e aumentar seu envolvimento.
    • Dar direção e suscitar a cooperação.
    • Acompanhar o desempenho de seu time.
    • Estabelecer visão de futuro e traçar estratégias.
    • Valorizar os dons das pessoas.
    • Ser presença.
    • Preparar novas lideranças.
    • GERENCIAR:
    • Planejar e executar as rotinas necessárias.
    • Elaborar, acompanhar e avaliar o orçamento.
    • Definir a sistemática dos processos.
    • Exercer o controle.
    • Resolver problemas diariamente.
  • 4. GESTÃO PASTORAL
    • Competência para:
    • Coordenar processos de Evangelização e
    • liderar pessoas,
    • em vista de resultados (qualitativos e quantitativos.
    • Elementos básicos:
    • Pastoreio
    • Liderança
    • Gerenciamento
  • 5. Pilares da gestão (Peter Drucker)
    • Capacitar pessoas para atuar em conjunto, efetivando forças e reduzindo fraquezas.
    • Integrar a cultura local (jeito de ser, conviver e elaborar significados).
    • Comprometer-se com metas comuns.
    • Criar e utilizar indicadores de desempenho.
    • Desenvolver valores compartilhados.
    • Aprender a fazer e desenvolver o conhecimento.
    • Ancorar-se na comunicação e na responsabilidade.
    • Buscar resultados múltiplos.
  • 6. Empecilhos à gestão
    • Amadorismo (realizar ações de forma caseira, movido por impulso).
    • Ausência de visão de futuro e estratégias
    • Pouca relação com a sociedade em mudança.
    • Baixa ênfase em resultados.
    • Simulação de atitudes desejáveis.
    • Concentração de poder e infantilização.
    • Desequilíbrio centralização x descentralização
    • Fixação em patrimônio material e investimentos desproporcionais.
    • Ausência de gestão de pessoas.
    • Baixa visibilidade institucional (imagem)
    • Descontinuidade na gestão.
    • Lentidão para realizar mudanças.
  • 7.
    • Cultivo da relação com o sagrado, que dá consolo, esperança e sentido para a a existência.
    • Jeito de viver o seguimento de Jesus.
    • Vivência da fé que motiva as ações e alimenta nossas convicções.
    • A espiritualidade se expressa em ritos e devoções, mas não se reduz a isso.
    ESPIRITUALIDADE
  • 8. A tensão gestão X espiritualidade
    • São duas realidades muito diferentes, com lógicas, linguagens e perspectivas próprias.
    • Na instituição, há conflito de interesses e perspectivas.
  • 9. A tensão produtiva
    • Instituição cristã sem gestão, fracassa. Sem espiritualidade, se esvazia.
    • Oportunidade: uma nova síntese entre interioridade e eficácia, valores e resultados, bondade e profissionalismo, contemplação e ação .
  • 10. Cultivo da Espiritualidade na Gestão Construir a unidade interior Postura no trato com as pessoas Caminho espiritual Instituição espiritualizada
  • 11. SUPERAR O ATIVISMO E O DESCENTRAMENTO
  • 12. Critérios de organizações espiritualizadas
    • Clima e qualidade das relações.
    • Gestão participativa: empoderamento.
    • Valorização dos colaboradores e voluntários (gestão de pessoas)
    • Inclusividade: étnica, cultural, pessoas com deficiência.
    • Processos explícitos de cultivo da espiritualidade.
    • Relações honestas com cliente e fornecedores.
    • Compromisso com a sustentabilidade ecológica (gestão ambiental).
    • Responsabilidade social (política da promoção social).
    • Ser um sinal profético de nova sociedade.
  • 13. Por que Gestão e Espiritualidade?
    • Para recuperar a unidade perdida entre interioridade e atividade.
    • Para sermos mais felizes.
    • Para que nossa missão tenha raízes profundas.
    • Para sobreviver e ter sucesso, sem se inebriar com ele.
    • Para recriar o carisma em novo contexto histórico.
  • 14. Créditos
    • Texto, criação e fotos: Ir. Afonso Murad.
    • Desenhos: Max Gonçalves,
    • Crianças da educação infantil.
    • É permitido a reprodução e utilização deste material, desde que citado o autor .
    Livro: Gestão e Espiritualidade (Paulinas) .