A massagem chinesa manual de massagem terapêutica

  • 14,963 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Gente que maravilhosos quero mais e muito bom parabens
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Gostaria de poder fazer o dowload....
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • boa noite, poderia realizar o download? obrigado
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • poderia habilitar o download?
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Olá, poderia ceder para nós.
    att,
    Betoka
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
14,963
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
7
Likes
43

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. CIP-Brasil. Catalogação-na-fonte Sindicato Nacional dos Editores de Livros, RJ. A massagem chinesa: manual de massagem terapêutica M369 /compilado no Hospital da Escola de Medicina Anhui de 7 a ed.Pequim; tradução de Antonio Vespasiano Ramos. - T ed. - Rio deJaneiro: Record: Nova Era, 2001. Tradução de: Chinese massage therapy Inclui apêndices ISBN 85-01-02438-4 1. Massagens. I. Escola de Medicina Anhui de Pequim. Hospital. CDD-615.82294-1477 CDU-615.82Título original inglês CHINESEMASSAGE THERAPYCopyright © 1983 by Cloudburst Press Ltd.Direitos de publicação exclusiva em língua portuguesa no Brasiladquiridos pelaDISTRIBUIDORA RECORD DE SERVIÇOS DE IMPRENSA S.A.Rua Argentina 171 -Rio de Janeiro, RJ-20921-380-Tel.: 2585-2000 quese reserva a propriedade literária desta traduçãoImpresso no BrasilISBN 85-01-02438^PEDIDOS PELO REEMBOLSO POSTAL Caixa Postal 23.052 Rio deJaneiro, RJ - 20922-970
  • 2. SUMÁRIO Introdução_______________________________CAPÍTULO I _________________________________ PRINCÍPIOS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEM 11 ______________________ CAPÍTULO II ____________________ TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEM 8Seção 1: Técnicas Comumente Usadas 16 1. Método da Pressão 16 2. Método da Fricção 18 3. Método do Empurrão 22 4. Método da Apreensão 26 5. Método do Rolamento 28 6. Método do Afundamento 28 7. Método do Repuxamento 31 8. Método do Amassamento 32 9. Método da Vibração 33 10. Método do Arrastamento 34 11. Método do Aquecimento 36 12. Método da Fricção e Rolamento 37 13. Método do Pinçamento 38 14. Método do Beliscamento 39 15. Método do Piparote 40 16. Método da Batida 40 17. Método do Tapinha 42 18. Método do Martelamento 43 19. Método da Extensão 44 20. Método da Flexão 46 21. Método da Rotação 48 22. Método do Sacudimento 52 23. Método do Estiramento 53 24. Método da Pisada 59
  • 3. Seção 2: Prática das Técnicas de Massagem 60 1. Treinamento Físico 60 2. Prática das Técnicas 63____________________ CAPÍTULO III _______________________ ACUPONTOS COMUMENTE USADOS NO TRATAMENTO PELA MASSAGEM 671. Acupontos Para Adultos 672. Acupontos Para Crianças 76____________________ CAPÍTULO IV_________________________ COMO USAR O TRATAMENTO PELA MASSAGEM 79Seção 1: Prática 80 1. Quantidade de Massagem 80 2. Grau de Força Usada na Massagem 80 3. Trate Cada Caso Individualmente 81 4. Considerações Importantes 82Seção 2: Meios Usados em MassagemSeção 3: Tratamento Pela Massagem em Conjunto com Outros Tratamentos 1. Tratamento Pela Massagem e Exercício Médico (Ioga Taoísta) 86 2. Fomentações de Ervas Chinesas 87 3. Massagem em Tratamento de Fraturas 4. Outros TratamentosSeção 4: Aplicações e Contra-Indicações da Massagem 88 1. Aplicações 88 2. Contra-Indicações 89________________________ CAPÍTULO V ________________________ APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM 901. Protrusão de Disco Intervertebral Lombar (Hérnia de Disco) 902. Espondilite Reumatóide 1083. Tensão Lombar 1164. Outras Dores Lombares Crónicas 1205. Entorses 1246. Contusão 1337. Laceração de Músculo 136
  • 4. 8. Fraturas dos Membros 1399. Deficiência do Menisco do Joelho 14410. Amolecimento de Rótula 14711. Pé Chato e Tensão do Pé 15012. Periartrite do Ombro 15313. Tenossinovite 15714. Torcicolo (Pescoço Torto) 16015. Mastite Aguda 16216. Tromboangiíte Obliterante 16617. Obstrução Intestinal Paralítica Pós-Operatória 16818. Paraplegia 17019. Paralisia Parcial 17420. Lesão de Feixe Nervoso Periférico 17721. Paralisia Infantil 18022. Contratura 18523. Úlcera de Decúbito (Escara) 18724. Dor de Cabeça 18925. Hipertensão 19226. Úlcera Péptica 19627. Gastroptose 20028. Gastrenterite Aguda 20429. Indigestão Infantil 20630. Desnutrição Infantil 21131. Pneumonia Infantil 214___________________________ APÊNDICES __________________________1. Automassagem Para Fortalecer o Corpo e Prevenir Doenças 2182. Massagem Para os Olhos 2213. Métodos de Massagem 2224. Tabela de Pesos e Medidas 2265. Tabela de Acupontos 227
  • 5. INTRODUÇÃO Foi um privilégio para mim ter trabalhado neste livro, traduzido do originalchinês. Minha tarefa consistiu em verificar a precisão da terminologia empregada,especialmente no sentido de adaptá-la ao uso médico mais corrente, partindo de termosum tanto arcaicos, apreendidos no processo de tradução direta. Eu o fiz sem alterar osconceitos e as indicações de tratamento dos autores chineses originais. Revi também aterminologia empregada nas partes referentes à acupuntura e, particularmente, fizalgumas descrições de pontos de localização um pouco mais fáceis de compreender.Nesta área em especial, contudo, o aprendizado direto sob supervisão é a única maneirarealmente eficaz para se aprender a localização dos pontos. Esta parte do texto ficaentão como um guia para outros estudos. Sinto que o trabalho clínico no tratamento pela massagem exercitado na Chinanão tem similar no mundo. O trabalho extremamente eficiente nesta modalidade seexerce após mais de três milénios de experiência da medicina tradicional chinesa notratamento de doenças internas do corpo mediante manipulação, pressão, fricção eaquecimento, ou picando com agulhas áreas superficiais do corpo. Este livro, portanto, traz para o leitor do Ocidente uma perspectiva introdutóriasobre métodos e indicações do tratamento chinês pela massagem. A base integral do texto diz respeito ao tratamento de uma variedade depatologias, das mais insignificantes até as mais graves. 9
  • 6. INTRODUÇÃO Assim sendo, constituem sua primeira clientela a profissional de saúde:massagistas, fisioterapeutas, quiropráticos, enfermeiros e médicos. Na verdade, muitasdas doenças descritas exigem basicamente investigação e supervisão médica, ealgumas, hospitalização realmente; nesse caso, a massagem é um dos muitostratamentos usados. Há ainda, contudo, maior clientela para o livro. O público em geral tem buscadoultimamente acesso à informação na área da saúde, outrora adstrita aos profissionais.Assim, estão incluídas também informações sobre os efeitos do tratamento, sobre asdrogas, as alternativas não-cirúrgicas, a nutrição, os métodos de medicina preventiva etoda uma gama de áreas pertinentes à manutenção da saúde e à melhoria do próprioestado geral. Como a massagem se aplica muito bem como um método geral para relaxamentoe promoção de completo bem-estar, o leigo interessado e responsável deverá encontrarneste livro bastante informação útil sobre métodos gerais de massagem. As seções maisdedicadas à clínica, inclusive, vão lhe permitir uma conscientização das possibilidadesterapêuticas dos métodos de massagem chineses, o que estimulará sua procura pelospráticos que deles possuam algum conhecimento. Espero que tanto meus colegas da medicina ocidental quanto o leitor leigointeressado encontrem neste livro uma útil contribuição à sua bagagem deconhecimentos. Ronald Puhky, MD; Bacharel em Acupuntura, Colégio de Medicina Tradicional, U.K.; Diplomado, Colégio de Medicina Tradicional Chinesa, Pequim. Pequim, República Popular da China, Abril, 8, 1982.10
  • 7. CAPÍTULO I PRINCÍPIOS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMO tratamento pela massagem desenvolveu-se gradativamente entre os trabalhadores daChina mediante longo processo de prática, vivência e luta com a doença. É simples ede uso fácil e sua particular eficiência no tratamento de certas doenças comunsconseguiu grande aceitação entre os trabalhadores. Como a massagem cura a doença? Considera-se em geral que o tratamento pelamassagem tem a capacidade de regular a função nervosa, de aumentar a resistênciacorporal à doença, de depurar os tecidos, melhorar a circulação sanguínea e tornar asarticulações mais flexíveis. 1. Regulação da função nervosa0 sistema nervoso liga todas as partes do corpo, influenciando a função de cada setor ede cada órgão. A função nervosa alterada ou o aumento do estímulo ou inibiçãonervosa pode causar mau funcionamento de certos órgãos, dando em resultado adoença. Há um princípio que regula a génese das doenças: "Se yin1 predomina sobreyang2, aparece uma doença yang; se yang predomina sobre yin, aparece uma doençayin" O uso das técnicas de tratamento pela massagem tem1 Yin: o princípio negativo associado à contração.2 Yang: o princípio positivo associado ao relaxamento. 11
  • 8. PRINCÍPIOS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMefeito reflexo sobre as funções nervosas, fazendo com que os processos estimulantes einibidores do sistema nervoso atinjam um relativo equilíbrio (isto é, trazendo o yin e oyang a um relativo equilíbrio). E este, por sua vez, produz um efeito medicinal. Porexemplo: na presença de uma dor de cabeça ou dor de dente, a massagem aplicadasobre um acuponto3 correspondente (assim como o ponto hegu*) faz a dor cessarimediatamente. Isso ocorre porque a massagem cria um novo ponto de estímulo,diminuindo ou descartando a sensação de dor no ponto original. Este fenómeno échamado de "método de deslocamento da dor". Em pacientes com hipertensão queexibem sintomas como tonturas e cefaléia (considerada como causada por yang emexcesso no fígado), a massagem provoca queda temporária da pressão arterial, porquehá uma dilatação dos vasos sanguíneos periféricos mediante ação reflexa nervosa. Estetipo de processo regulador é chamado "supressão do yang do fígado". Quando, também, por exemplo, há um resfriado comum ou gripe contraídadevido a vento ou frio, os poros da pele são bloqueados, de modo que o suor não podepassar. Consequentemente, a temperatura do corpo se eleva, produzindo cansaço geral,além de dor de cabeça e mal-estar. Após a aplicação de massagem, o corpo inteiroreage com perspiração e os sintomas desaparecem subitamente. Este fenómeno échamado de "alívio da superfície do corpo". No caso de retenção aguda de urina, a aplicação de massagem no baixo-ventre esobre um ponto correspondente de acupuntura (como o ponto qihai5) estimula acontração da bexiga e a emissão de urina. Em anos recentes têm surgido algumas provas experimentais que dão apoio ànoção de que a massagem produz os resultados descritos. Por exemplo, a massagemaplicada ao pescoço e às regiões superior e inferior das costas aumentou o fluxo desangue para os órgãos internos, como se verifica na correspondente seção de gânglios.Temos procedido a algumas investigações experimentais sobre os efeitos da massagemna atividade gástrica. Elas mostraram que a massagem aplicada nos acupontoschamados weishu6, pishu7 e zusanli8 realmente fortaleceu a atividade gástrica. Quandoa atividade gástrica já está fortalecida, a aplicação desse método conduz, inversamente,à inibição da atividade gástrica. Isso demonstra a ação reguladora da massagem, queproduz3 Acuponto: um entre grande número de pontos específicos do corpo nos quais a massagem ou a acupuntura é aplicada para produzir efeitos sistémicos específicos.4 Hegu: acuponto localizado no dorso da mão e entre os ossos do polegar e do indicador. Veja Diagrama 59, pág. 70.5 Qihai: acuponto logo abaixo do umbigo. Veja Diagrama 58, pág. 70.6 Weishu: acuponto nas costas, ao lado da extremidade inferior da apófise espinhosa de 12 a vértebra. Veja Diagrama 59, pág. 72.7 Pishu: acuponto nas costas, ao lado da extremidade inferior da apófise espinhosa da 11 a vértebra. Veja Diagrama 59, pág. 72.8 Zusanli: acuponto na borda externa da tíbia, logo abaixo do joelho. Veja Diagrama 60, pág. 75.12
  • 9. Princípios do Tratamento Pela Massagemdiferentes efeitos quando aplicada à função gástrica em fases diferentes. Temosaplicado o prognóstico dessas observações experimentais na nossa clínica, obtendonovas confirmações. Quando o método foi aplicado no pós-operatório de um pacienteque sofria de obstrução intestinal, o peristaltismo intestinal voltou ao normal. O usodeste método também arrefeceu o peristaltismo intestinal e fez cessar a dor numpaciente acometido de espasmo intestinal. 2. Fortalecimento da resistência orgânica à doençaO tratamento pela massagem pode melhorar o estado físico geral e aumentar aresistência do organismo, proporcionando a prevenção e a cura da doença. O princípiobásico do tratamento é "apoiar o bom e descartar o mau". No caso de um paciente comespondilite reumatóide, por exemplo, o tratamento pela massagem não somente tornamais flexível a coluna enrijecida e diminui a dor, como ainda faz com que a aparênciageral passe do cinza para o róseo, estimula o apetite, o peso aumentando à medida queo estado geral melhora. Num paciente com gastroptose, o tratamento pela massagemnão apenas melhora a função gastrointestinal, eliminando uma série de sintomas dotrato gastrointestinal, como também eleva o integral tono muscular do corpo a um nívelmais alto. Consequentemente, melhora a situação geral, sendo o efeito do tratamentooriginal aumentado e consolidado. Em certos casos de pneumonia infantil, também,não obstante um longo tratamento com antibióticos, persistiam estertores na áreapulmonar e todo o organismo estava fraco. Após o tratamento por massagem, osestertores desapareceram e o estado geral também melhorou gradativamente. Issoilustra como o tratamento pela massagem mobiliza as defesas internas do organismocontra a doença. Baseados no fato de que após o tratamento pela massagem a pele da área seapresenta avermelhada, fizemos observações experimentais sobre a temperatura da peleantes e depois da massagem. Os resultados mostraram que a temperatura da pele seelevava tanto no local da massagem quanto em áreas distantes do ponto central de suaaplicação. Isso significa que a massagem pode acelerar o metabolismo e provocardilatação dos vasos periféricos, aumentar a circulação sanguínea e reforçar a resistênciacontra a invasão por parte de agentes nocivos. Além disso, foram feitas observaçõesquanto aos efeitos da massagem sobre a contagem de hemácias e de glóbulos brancos,sobre a capacidade dos leucócitos em destruir bactérias e sobre as taxas decomplementos no soro. Os resultados demonstraram que após a aplicação de massagemtodos esses índices se mostravam acima dos níveis originais. Isso mostra como amassagem pode ajudar o organismo a se proteger contra a doença. 11
  • 10. PRINCÍPIOS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEM3. Esvaziamento sanguíneo dos tecidos e aumento da circulação sanguínea, maior flexibilidade das articulaçõesOs efeitos diretos da massagem são percebidos com facilidade externamente notratamento de doenças localizadas. Por exemplo, para estiramento de membros,escoriações e dor local por hematoma, a massagem pode retirar rapidamente o sanguedos tecidos e melhorar a circulação do sangue, substituindo as células sanguíneasextravasadas por outras, removendo completamente a acumulação localizada de sangueextravasado e fazendo com que a dor da inchação cesse. Na observação clínica,verificamos que a redução da inchação significa, com efeito, a cessação da dor. Talconstatação corrobora o princípio: "Onde o sangue não flui, há dor; onde o sangue flui,não há dor". Em todos os tipos de paralisia resultante de atrofia muscular, a massagem podeacelerar o restabelecimento do tono muscular normal e fortalecer os músculos. Isso éconhecido como: "Desinibição do sistema energético e fortalecimento de músculos eossos." Também em casos de enrijecimento articular devido a várias causas, amassagem pode aumentar diretamente o grau de atividade das articulações enrijecidas.No caso de rigidez articular causada por espondilite reumatóide, nossas observaçõesclínicas mostram que a articulação não se erijece de modo irreversível, como seacreditava erroneamente no passado. De fato, a articulação fica como que"enferrujada", e portanto alguns métodos passivos de manipulação usados namassagem vai aos poucos amaciando-a. Temos estudado também um número relativamente grande de casos de protrusãode disco intervertebral lombar (hérnia de disco). Verificamos que a força mecânicaaplicada durante a massagem recolocou a área protrusa no seu local normal. Baseadosnestes resultados melhoramos os métodos usados na massagem e aumentamos aeficácia do tratamento. O que foi dito até aqui representa uma introdução aos princípios básicos dotratamento pela massagem. Assim como a matéria evolui, também o faz oconhecimento humano. Mediante a prática, o nosso conhecimento se desenvolve eaumenta continuamente, tornando a massagem um método seguramente mais eficientena prevenção e na cura das doenças. Além disso, devemos salientar que o bom resultado do tratamento pela massagemserá grandemente melhorado por um positivo relacionamento entre o profissional e opaciente. No tratamento pela massagem, é necessário haver estreita coordenação entreambos. Isso é particularmente verdadeiro para certas doenças em que o paciente deveser submetido a um prolongado programa de automassagem e exercícios comoacompanhamento do tratamento profissional.14
  • 11. Princípios do Tratamento Pela MassagemIsso consolida e melhora o efeito terapêutico da massagem. No curso do tratamento,portanto, é importante manter integralmente presente a subjetiva motivação de ambos,o prático e o paciente, e estabelecer confiança no tratamento e no processo de cura.. 15
  • 12. CAPITULO II TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEM Seção 1: Técnicas Comumente UsadasNa literatura médica chinesa existem abundantes informações sobre as técnicas demassagem. Os massagistas de todas as partes da China conjugaram sua experiênciaclínica e nos aspectos primário e secundário dessas técnicas, cada qual possuindo seupróprio modo particular de fazer as coisas. A seguir, apresentamos uma introdução àsnossas técnicas mais comumente usadas. 1. Método da PressãoO método da pressão é uma forma de massagem que utiliza a palma da mão ou osdedos para fazer pressão sobre certa parte do corpo. Há várias maneiras de se aplicar apressão; com uma das mãos, com as duas mãos, com a base da palma etc. Quando seusa o método da pressão, deve-se executá-lo gradativamente, do modo mais suave atéo mais forte, fazendo com que o paciente sinta uma pressão concreta mas não dor. Nofinal do método de pressão, não é desejável que esta se interrompa subitamente. Emvez disso, deve ser reduzida suavemente. O método da pressão pode ser aplicado demodo contínuo durante espaço de tempo relativamente longo, ou intermitentemente,em séries fixas. Depois da16
  • 13. Método da Pressãoaplicação do método de pressão, devem ser adicionadas outras técnicas emcombinação. Os efeitos do método da pressão podem ser superficiais, na flor da pele,ou profundos, como nos ossos e órgãos internos. A força da pressão aplicada pode serajustada segundo a necessidade. O método da pressão é dividido em três diferentes formas: pressão com a palma,pressão com o dedo e pressão com o cotovelo:a) Pressão com a Palma: O método da pressão com a palma consiste no uso da palmada mão para aplicar numa área afetada do corpo. Estão incluídas a pressão com apalma de uma das mãos, com as palmas das duas mãos e com as duas palmas opostas.A pressão com a palma é em geral aplicada onde há extensa área de dor, como nolumbago ou dor abdominal. (Veja Diagrama 1.) Se toda a cabeça dói, então aplica-se apressão com as duas palmas opostas. (Veja Diagrama 1.) Ao fazer pressão sobre oabdome, a mão que pressiona deve acompanhar a subida e a descida da respiração dopaciente. Assim fazendo, previne-se o seu desconforto. Algumas vezes, o práticoprimeiro esfrega suas palmas, até que elas fiquem bastante quentes, e depois fazpressão sobre a área dolorida. Tem-se considerado que isso é eficaz.
  • 14. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEM DIAGRAMA 2 DIAGRAMA 3b) Método da Pressão com o Polegar: Quando se aplica o método da pressão com opolegar, a pressão é feita com o polegar num acuponto meridional (situado nummeridiano do sistema energético do corpo) ou no local da dor. Durante a pressão, deve-se aplicar força adequada, tentando-se evitar dor tanto quanto possível. No método dapressão com o polegar, pode-se usar um só polegar ou os dois, em posição oposta. Paraa dor na testa, por exemplo, os dois polegares em posição oposta são pressionados nosacupontos taiyang1 das têmporas. (Veja Diagrama 3.)c) Método da Pressão com o Cotovelo: A pressão é aplicada num acuponto ou no localda dor. É aplicada adequadamente na parte inferior das costas, nas nádegas ou emcertos acupontos como o huautiao2. (Veja Diagrama 4). 2. Método da FricçãoO método da fricção usa os dedos ou a palma. Há métodos de uso com uma só mão ecom as duas. Consiste na fricção da superfície da pele com um movimento circular. Aforça é aplicada somente para atingir a pele e os tecidos subcutâneos. A força dafricção deve ir de suave a forte, e a frequência do movimento de fricção depende doque exigir a afecção; ela deve situar-se entre 30-40 e 200 vezes por minuto.1 Taiyang: acuponto localizado na depressão de largura aproximada do dedo para fora de um ponto entre a comissura externa do olho e a ponta da sobrancelha.2 Huautiao: acuponto na nádega, entre o ponto mais elevado do trocanter e o buraco sacro. Veja Diagrama 59, pág. 72.18
  • 15. DIAGRAMA 4 O método de fricção é frequentemente utilizado no início da massagem ouexecutado logo após o método da pressão. As técnicas de fricção em geral incluemmétodos com o polegar, a palma e a base da palma.a) Método da Fricção com o Polegar. Consiste em friccionar o polegar numadeterminada área do corpo ou num acuponto. Pode-se fazer com um polegar ou com osdois ao mesmo tempo. Quando os dois são usados, há que se cuidar para que a sua açãoseja coordenada, a pressão exercida pelos dois devendo ser idêntica. Devemos certificar-nos de aue os polegares atuem uniformemente na pele. Mantenha os outros quatro dedosda mão ligeiramente afastados, com as falanges ligeiramente curvadas, de modo que,durante a fricção, os dedos não toquem a pele. Faça a fricção com movimento circular,movendo principalmente a partir do punho. Este método é geralmente usado para dores de cabeça ou vista curta, friccionando-se a cabeça e a face, a parte posterior do pescoço e os acupontos 19
  • 16. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEM fengchi3 de cada lado da base do crânio. (Veja Diagrama 5.) Nas costas e no ventre, a fricção circular com dois polegares também pode ser usada. (Veja Diagrama 6.)3 Fengchi: acupontos localizados na base do crânio, entre a mastóide e o trapézio de cada lado. Veja Diagrama 59, pág. 72.
  • 17. Método da Fricçãob) Método da Fricção com a Palma: O método é executado com a palma da mãoaplicada sobre o corpo. Em geral, usa-se apenas uma das mãos. Friccionelentamente no sentido dos ponteiros do relógio, mantendo pressão uniforme.(Diagrama 7). A fricção coma palma é geralmente indicada para asáreas mais extensas do corpo, sendousada principalmente no peito, no abdo-me e nas costas. Quando ocorreindigestão em crianças, e o peito e ascostelas ficam salientes, fricciona-se aárea da segunda costela. Quando acriança sente dor devido a excesso decomida, pode ser friccionada a áreaabdominal. Para a dor lombar, pode-sefriccionar a região inferior das costas.c) Método da Fricção com a Base daPalma: Friccione com alguma força,usandoas eminências musculares existentes de cada lado da base da palma. Conserve osdedos e o polegar levantados,afastados da superfície da pele, comtodas asarticulações digitais ligeiramentecurvadas. Mova para a esquerda e paraa direita a partir do punho(Diagrama 8). As duas mãospodem ser usadas alternada-mente. Mova para diante omesmo tempo que move daesquerda para a direita, emfrequência de 100 a 200 vezespor minuto. A fricção com abase da palma é boa para aregião inferior das costas, co-mo no caso de dores nas cos-tas ou gripe. Quando estãopresentes, a região lombo-sacra é massageada para cimae para baixo. Esta técnicaproduz uma sensação de ca-lor, fazendo com que o pa-ciente se sinta confortado erelaxado. 21
  • 18. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEM 3. Método do EmpurrãoNeste método, os dedos ou o polegar ou a palma da mão são usados para deslocar apele para diante e para trás, ou da esquerda para a direita. A profundidade que amassagem alcança vai depender do grau da força empregada. Pode ser superficial,alcançando os tecidos subcutâneos e os músculos, ou profunda, alcançando os ossos eórgãos internos. Durante a massagem, a força aplicada deve ser gradualmenteaumentada de branda até intensa. O grau de força aplicada é determinado pela naturezada doença e as características individuais do paciente. Especialmente às pessoas queestão recebendo seu primeiro tratamento por massagem, deve-se fazer frequentesperguntas sobre como estão se sentindo, observando-se as suas reações, para que sepossam fazer os ajustamentos próprios. A frequência é em geral de 50-150 vezes porminuto, começando-se lentamente e aumentando-se aos poucos a velocidade.a) Método do Empurrão com a Polpa do Polegar: Este método é também chamado"método pelo empurrão em espiral". O polegar é usado para alisar a superfície da pele,movendo-se para diante numa só direção. Durante o movimento para diante, o polegardeve exercer pressão. Mas quando o movimento é para trás, o polegar deve ficarligeiramente curvado, sua parte dorsal sendo levada ao longo da pele até o ponto departida. No movimento para diante, os dedos devem estar ligeiramente curvados. Navolta, devem ficar estendidos. Não aplique força com os dedos; use-os apenas paraajudar a manter a posição. (Veja Diagrama 9.) Repita várias vezes, aumentando avelocidade. A habilidade nesta técnica deve ser alcançada com longa prática, de modo que osdedos e o polegar ganhem força suficiente e as articulações dos dedos, do polegar e dopunho se tornem mais flexíveis. A força da massagem, então, pode ser variada àvontade. O movimento executado pela parte palmar do polegar pode ser feito com umadas mãos ou com as duas, alternada ou simultaneamente. Quando os dois polegares sãousados simultaneamente, o movimento é feito para a esquerda e para a direita, partindode um acuponto meridional. Essa técnica é também chamada "método do empurrãodivergente". O método do empurrão com o polegar tem larga aplicação. Pode ser aplicado nacabeça, no dorso ou nos ombros. Em geral, é muito frequentemente usado na cabeça enas regiões do dorso, como mostra o Diagrama 10. Quando há dor na fronte, o métododo empurrão divergente pode ser aplicado nos acupontos yintangf e zuanzhu5 dassobrancelhas.4 Yintang: acuponto situado entre as sobrancelhas. Veja Diagrama 58, pág. 70.5 Zuanzhu: acuponto localizado na extremidade mediana da sobrancelha. Veja Diagrama 59, pág. 72.22
  • 19. Método do EmpurrãoO método é também aplicado no ombro no acuponto dazhufi. Há um outro tipo deempurrão divergente chamado método de "divisão muscular". Ele utiliza uma forçaprofunda o bastante para alcançar a camada muscular. A técnica do empurrão tem sidoconsiderada como altamente eficaz para dores nas costas e na região lombar.b) Método do Empurrão com o Lado do Polegar: Também chamado "método doempurrão shaoshang1", sua técnica se assemelha à do polegar comum. A únicadiferença entre elas é que, quando o empurrão é feito para fora, a força é aplicada coma superfície lateral do polegar (i.e. acuponto shaoshang). Esse método de massagem éfrequentemente usado na linha pitu8 no polegar e na6 Dazhui: acuponto entre a apófise espinhosa da 7a vértebra cervical e da 1* vértebra dorsal. Veja Diagrama 59, pág. 72.7 Shaoshang: acuponto situado na parte externa do polegar, no canto inferior da unha.8 Pitu: linha que passa ao longo da base do polegar. Veja Diagrama 61 (pág. 77) e pág. 78. 23
  • 20. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMlinha sanguan9 do antebraço, e também na cabeça e nos membros (quando estão emestado de paralisia).c) Método do Empurrão com a Ponta do Polegar. Esse tipo de manipulação énormalmente empregado num acuponto ou na linha principal da dor. Durante oempurrão, é usada a ponta do polegar. Ela movimenta tão pequena quantidade detecido, que parece estar presa ao acuponto. O punho é dobrado e pende para baixo. Asjuntas do polegar se dobram e se distendem com rapidez. É aplicada força suficiente,com o punho e o polegar, para alcançar a intimidade dos tecidos. Via de regra, esse método é praticado com uma das mãos ou com as duasalternadamente. As duas mãos podem ser usadas simultaneamente, como mostra oDiagrama 11. Deve ser aplicada força bastante para atingir a energia vital subjacente. A liberação da energia vital10 é o principal requisito para o restabelecimento dasaúde de um corpo carente e doente. Escolha os acupontos ou locais dolorosos a seremmassageados, estabeleça com precisão suas localizações e proceda então ao empurrãocom a ponta do polegar, um a um, numa ordem9 Sanguan: linha que passa ao longo da borda radial do antebraço. Veja pág. 77, Diagrama 61.10 Energia vital: Qi (tchi), a energia que dá a vida, e que, na crença da medicina tradicional chinesa, flui através do corpo num sistema igual aos sistemas circulatório e nervoso. A perturbação do fluxo causa doença, sanada por acupuntura ou massagem de acupontos. A maioria dos acupontos está localizada em meridianos do sistema de energia vital.24
  • 21. Método do Empurrãodefinida. A ponta do polegar se move rapidamente, fazendo ao mesmo tempo ummovimento rotatório. Esse método é, portanto, também chamado "método daamarração". Esse tipo de técnica é largamente empregado na clínica, com considerávelsucesso na liberação da energia vital.d) Método do Empurrão com a Polpa da Palma: Movimento com a mão espalmadasobre a superfície da pele. A manipulação é geralmente executada partindo daextremidade mais distante de um membro para o tronco. Quando aplicada no peito ouventre, deve acompanhar a elevação e o abaixamento da respiração. Em geral, essemétodo é dividido em dois tipos: empurrão com a expiração e empurrão para causarexpiração. A primeira somente se inicia quando o paciente começa a expirar. No finalda expiração, a mão é imediatamente retirada e o empurrão não prossegue antes daexpiração 25
  • 22. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMseguinte. Isso é executado novamente em sequência repetida. No empurrão paraprovocar expiração, a respiração do paciente acompanha o movimento. O empurrãoforçado produz expiração, enquanto a sua cessação produz inspiração. Essa últimatécnica é ótima para melhorar a função do sistema respiratório, sendo, portanto,aplicável ao paciente afetado de insuficiência respiratória.e) Método do Empurrão com a Base da Palma: Manipule com força a pele, usando aseminências musculares existentes de cada lado na base da mão. No curso domovimento para diante, essas eminências são usadas para apertar a área cada vez mais,gradualmente. (Veja Diagrama 12.) O empurrão em geral vai da extremidade maisdistante de um membro para o tronco, retornando à posição original após o final daação, para começar novamente. Esse tipo de massagem é usualmente praticado nos membros, e compreendeempurrão lento e empurrão uniforme, dependendo da quantidade de força eda,velocidade empregadas. Quando se utiliza o empurrão lento, a velocidade é menor eemprega-se menos força. No empurrão uniforme, a velocidade é maior, assim como aforça: após cada empurrão, a mão é logo retirada do membro e trazida para o ponto departida, recomeçando-se novo empurrão. Esse procedimento é repetido várias vezes. Ométodo do empurrão uniforme pode efetivamente alcançar os músculos, aumentando-lhes o estímulo. 4. Método da ApreensãoO método da apreensão é um tipo de massagem que consiste no emprego dos dedospara agarrar e levantar o músculo. É usualmente combinado com a massagem de acuponto. A apreensão elevantamento são movimentos feitos com relativa rapidez. A aplicação da apreensão 2a 3 vezes é em geral suficiente. O grau de força aplicada na apreensão deve provocarno paciente uma sensação de dolorimento e inchação durante a massagem e, depois,uma sensação de relaxamento indolor. Se o paciente sente dor após a apreensão, é sinalde que foi empregada força em demasia. O método da apreensão é dividido em três diferentes modos: a apreensão comtrês dedos, a apreensão com cinco dedos e a apreensão com sacudimento.a) Método da Apreensão com Três Dedos: A apreensão com o polegar, o indicador e odedo médio é suficiente para pequenas áreas, como o ponto26
  • 23. Método da Apreensãojianjing11 no ombro (Veja Diagrama 13) e o ponto weizhong12 na parte posterior dojoelho e na parte posterior do pescoçob) Método da Apreensão com Cinco Dedos: Esse tipo de apreensão usa o polegar e osquatro outros dedos, sendo adequado para grandes áreas musculares, tais como a parteanterior da coxa (músculo quadríceps femoral) e a parte posterior da panturrilha(músculo gastrocnêmico).c) Método de Apreensão com Sacudimento: Depois da apreensão com os dedos, dêuma sacudidela, permitindo aos dedos agarrar o músculo para relaxar. Isso é adequadona massagem da região abdominal.Nota: Método do estalo muscular: Trata-se de um tipo especial de massagem. É igualao método da apreensão, embora a manipulação seja bem mais forte e o grau deestímulo maior. E usado para músculos como o bíceps e o tríceps do braço, os tendõesexternos dos músculos posteriores da coxa. Com o polegar, o indicador e o médio,agarre o músculo pelo septo intermuscular na sua parte mais espessa, ou perto dotendão, e desloque-o para um lado. Distendendo-o até certo ponto, deixe-o em seguidaescapulir de entre os dedos como se vergasse um arco e disparasse uma flecha. Ouviráentão um ruído mais ou menos forte, e o11 Jianjing: acuponto situado no ponto mais alto do ombro. Veja Diagrama 59 (pág. 72) e pág. 74.12 Weihong: acuponto situado na parte posterior do joelho. Veja Diagrama 60 (pág. 75) e pág. 76. 27
  • 24. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMpaciente sentirá uma forte sensação de dor e inchação, logo convertida em levesensação de relaxamento. O método só pode ser usado num músculo 1-2 vezes. Deve ser seguido de algumoutro método de massagem, para aliviar o forte estímulo e produzir relaxamento. Este método é indicado para lesões dos tecidos moles e para doenças reumáticas,especialmente para tensão muscular, dores musculares reumáticas etc. 5. Método do RolamentoO método do rolamento é uma forma de massagem em que a parte dorsal de uma dasmãos rola sobre o corpo. Pode ser executado com uma só mão, ou com as duasalternada ou simultaneamente. Com punho frouxo, use a eminência hipotenar e a partesuperior da 5a articulação do metacarpo para entrar em contato com a área a sermassageada. Faça pressão com certa força, enquanto faz vigoroso movimento para trás.Nesse momento, de modo rápido, os dedos devem estar ligeiramente afastados, paraaumentar a força do movimento. Os pontos de força devem estar todos nas articulaçõesmetacarpianas do dorso da mão. Neste método, são feitos muitos movimentos derolamento para frente e para trás, a aplicação de força devendo ser uniforme e rítmica.A mão que rola deve parecer estar presa ao corpo do paciente, não devendo afastar-senem bater no corpo do paciente. Durante o rolamento, a ação deve mover-se aos poucos para diante, como estámostrado no Diagrama 14. Este método é apropriado para áreas maiores, como ascostas, quadris, pernas, ombros etc. Como a força empregada atinge grandeprofundidade, sua melhor aplicação é nos pontos onde o músculo e os tecidos molessão espessos. Embora este método possa ser empregado isoladamente, em geral é usadoem combinação com outras técnicas. Por exemplo, bem no início da massagem podemser usados os métodos da fricção e do amassamento, seguindo-se o método dorolamento. Nota: Rolamento com Cilindro. Para diminuir a perda da energia física doterapeuta, pode ser usado um cilindro de madeira de rolamento. É apropriado para áreasextensas, como as costas, as coxas etc. 6. Método do AfundamentoEste método de massagem consiste no aprofundamento de um ou mais dedos em certaparte do corpo ou num ponto meridiano. É também chamado de "método28
  • 25. Método do Afundamento Nota: Rolamento com Ci-lindro. Para diminuir a perda daenergia física do terapeuta, podeser usado um cilindro de madeirade rolamento. É apropriado paraáreas extensas, como as costas, ascoxas etc. DIAGRAMA 14do dedo-agulha". No tratamento por massagem, é inigualável, sendo uma das técnicasmais comumente usadas. A aplicação do método do afundamento exige que o práticotenha aparadas as unhas dos dedos da mão. O afundamento deve ser bastante forte,para causar no paciente sensação de inchação dolorosa. O método compreende afundamento com um dedo, com o dedo curvado e com odedo cortante.a) Método do Afundamento com um Dedo: A ponta do polegar ou do dedo médio éusada para fazer pressão no corpo do paciente. Ao se usar o dedo médio, ele deve serestendido e mantido apertado entre o polegar e o indicador. A ponta do dedo afundanum acuponto, escolhido, muito frequentemente, na zona da cabeça ou do pescoço,como o ponto fengchi13 na parte posterior do13 Fengchi: acupontos localizados na base do crânio, atrás das orelhas. Veja pág. 71 e Diagramas 57 e 59. 29
  • 26. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMpescoço. (Veja Diagrama 15.) Ao se usar o polegar, a articulação interfalangiana deveser meio curvada, assim como os outros dedos, para aumentar a força do afundamento.A ponta do polegar se aprofunda num ponto escolhido. Esse método é frequentementeempregado nos membros, em acupontos como heguu> neiguan15 e zusanli16. Emcrianças, a massagem por afundamento é aplicada no ponto neilaogong17, yiwofeng]g enos pontos hengwen™ maior e menor. Qualquer que seja o tipo aplicado do afundamento com um dedo, a força deve serexercida gradualmente, fazendo com que a ponta do dedo se aprofunde sem empregode força súbita. Depois que o afundamento digital alcança a energia vital, isto é,quando pode ser sentido um fluxo de energia, deve-se continuar pressionando durante1/ 2 a 1 minuto. Pode ser aplicada vibração ao mesmo tempo, para aumentar oestímulo. Em seguida, deve-se relaxar a pressão aos poucos e usar o método doamassamento, para suavizar a reação resultante do estímulo.b) Método do Afundamento com o Dedo Curvado: Em primeiro lugar, curva-se o dedomédio. Depois, a falange é usada para fazer pressão no corpo. (Veja Diagrama 16.)Neste processo, o polegar deve pressionar a última falange do dedo médio. O indicadore o dedo mínimo são também curvados, sendo o médio firmemente pressionado nolocal, como mostra o Diagrama 16. A força empregada neste método é muito grande, ea profundidade alcançada bem razoável. É adequado para regiões em que o músculo érelativamente espesso. Quando o método do dedo único não consegue reação, égeralmente considerado eficiente em acupontos como, por exemplo, o huantiao20, ogeshu2], o ganshu22, o pishu23 e o weischu24.c) Método do Dedo Cortante: Use a extremidade do polegar para empurrar a peleligeiramente e de modo hábil no sentido longitudinal, numa compacta série14 Hegu: acuponto situado no dorso da mão, entre os ossos do polegar e do indicador. Veja pág. 69 e Diagramas 57 e 59.15 Neiguan: acuponto situado na parte inferior do antebraço, acima do punho. Veja pág. 69 e Diagramas 57 e 5816 Zusanli: acuponto situado na parte externa da crista da tíbia, abaixo do joelho. Veja pág. 74 eDiagrama 60.17 Neilaogong: acuponto situado no meio da palma da mão. Veja pág. 76 e Diagrama 61.18 Yiwofeng: acuponto situado no dorso do punho. Veja pág. 77 e Diagrama 61.19 Grande hengwen e Pequeno hengwen: acupontos situados na prega do punho (grande) e nas pregas nas bases dos dedos (pequeno). Veja pág. 76 e Diagrama 61.20 Huantiao: acuponto situado nas nádegas. Veja pág. 74 e Diagrama 59.21 Geshu: acuponto situado no dorso, ao lado da extremidade inferior da apófise espinhosa da 7* dorsal. Veja pág. 73 e Diagrama 59.22 Ganshu: perto da 9* dorsal. Veja pág. 73 e Diagrama 59.23 Pishu: perto da 11* dorsal. Veja pág. 73 e Diagrama 59.24 Weishu: perto da 12* dorsal. Veja pág. 73 e Diagrama 59.30
  • 27. Método do Repuxamento DIAGRAMA 15 DIAGRAMA 16de movimentos. (Veja Diagrama 17.) Via de regra, este método só é usado quando ostecidos estão edemaciados. Como a inchação é empurrada adiante do dedo, omovimento deve ser no sentido do coração. Quando uma articulação torcida mostra-seedemaciada, este método pode com frequência fazer a inchação desaparecerimediatamente. O grau de força a empregar deve ser pequeno, e a frequência dosmovimentos, lenta. Nos pontos dolorosos de pressão, especialmente, procure evitar oaumento da dor no local lesado. 7. Método do RepuxamentoO método do repuxamento é um tipo de massagem que usa a mão para repuxar osmúsculos, sendo também chamado "método do puxão". É em geral aplicado com umadas mãos, usando-se o lado do polegar e as pontas do indicador e do médio paraapreender o músculo na sua porção tendinosa e repuxá-lo com a adequada quantidadede força. (Veja Diagrama 18.) Nas extremidades longa e curta do bíceps, por exemplo,ou no músculo da borda interna da omoplata, esse método de massagem é aplicado 1-3vezes, com uma intensidade que, tanto quanto o paciente possa suportar, provocasensação de inchação dolorosa. Isso vai provocar real efeito de relaxamento da tensãomuscular ou liberação de 31
  • 28. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEM DIAGRAMA 18aderências. Há também outro tipo de método do repuxamento do sistema energético,bem semelhante a este. 8. Método do AmassamentoO método do amassamento é um tipo de massagem que consiste em se fazer ummovimento de amassamento da pele com os dedos ou a palma das mãos. A palma e osdedos nunca deixam o contato com a pele, e permite-se que o tecido subcutâneo daárea deslize junto com eles. Normalmente, este método é aplicado com uma das mãos.A força empregada é relativamente pequena, atingindo apenas o tecido subcutâneo.Sua aplicação provoca liberação do estímulo produzido por manipulação mais forte ealívio da dor. Este método compreende amassamento com o polegar e com a palma dasmãos.32
  • 29. Método da Vibraçãoa) Método do Amassamento com o Polegar. A superfície palmar do polegar épressionada com força contra a pele e movida circularmente, como num ato deamassar. Este método é adequado para áreas restritas e para acupontos. É usado emcoordenação com o método do afundamento com um dedo, para aliviar a dolorosareação de inchação que provoca. A força empregada deve aumentar de branda atéintensa, e depois diminuir de intensa até branda novamente.b) Método de Amassamento com a Palma da Mão: Com a base da palma da mão ou apalma inteira, fazendo pressão direta contra a pele, amasse com movimento rotatório,no sentido dos ponteiros do relógio ou no contrário. Ele é adequado para áreasmaiores, como a região abdominal (Veja Diagrama 19) ou o dorso. No curso doamassamento, embora a palma da mão não mude de posição, o espaço do movimentode deslizamento do tecido subcutâneo é tornado mais e mais amplo. A força aplicadatambém é gradualmente mais e mais forte. A frequência do amassamento com a palmada mão é em geral lenta, cerca de 50-60 vezes por minuto. 9. Método da VibraçãoEste método usa a ponta de um dedo ou a palma da mão para aplicar vibração a umaparte do corpo ou a um acuponto. Nele, o braço do prático, especialmente os músculosdo antebraço e da mão, deve exercer intensa força estática, que se torna concentrada naponta do dedo ou na palma da mão, fazendo com que a área massageada vibre. Éimportante que a frequência da vibração seja alta e 33
  • 30. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMque a força empregada seja grande. Na maioria das vezes, é empregada uma só mão,mas as duas também podem ser usadas simultaneamente. Este método compreendetécnicas de vibração com o dedo e com a palma da mão.a) Método da Vibração com o Dedo: A vibração é aplicada com o polegar ou o dedomédio ao tecido da área a ser massageada. A postura da mão é semelhante àempregada no método do afundamento com um dedo. Este método costuma ser usadoapós o afundamento com um dedo e é empregado para aumentar estimulação após areação dolorosa de inchação provocada pelo método do afundamento. Continue avibração durante cerca de 1/2 -1 minuto. O método da vibração digital é tambémaplicado em acupontos como o hegu25 (Veja Diagrama 20), o neiguan26 e o zusanli21. Eigualmente usado em acuponto da região abdominal, mas aqui ele deve sempreacompanhar a expansão e o retraimento da respiração. Aplique a pressão na expiraçãoe suspenda-a na inspiração. b) Método da Vibração com a Palma: A vibração é aplicada com a superfície plana da palma pressionada contra a pele. Este método é apropriado para áreas maiores, como as coxas, parte inferior do dorso etc. Ele pode provocar relaxamento muscular e alívio da dor. DIAGRAMA 20 Nota: Método de Vibração Elétrica: Como é necessário aplicar prolongadamenteforça estática, a vibração requer do terapeuta grande esforço físico. Para diminuir estacarga, em vez da mão pode ser usado um aparelho elétrico de vibração. 10. Método do ArrastamentoO método do arrastamento consiste em se fazer pressão sobre a pele com os dedos,movendo-os depois para um lado, com firmeza. Em geral, é aplicado com os doispolegares, simultaneamente. A característica especial deste método é o25 Hegu: acuponto situado no dorso da mão, entre o polegar e o indicador. Veja pág. 69 e Diagramas 57e 59.26 Neiguan: acuponto situado na parte interna do antebraço, cerca de cinco centímetros acima do meio da linha do punho. Veja pág. 69 e Diagramas 57 e 58.27 Zusanli: acuponto logo abaixo do joelho. Veja pág. 74 e Diagrama 60.34
  • 31. Método do Arrastamentoemprego de pressão uniforme e sustentada, além de um movimento gradual lento. Para dor de cabeça, este método de massagem pode ser combinado com outros.Fazendo pressão, os polegares são afastados um do outro, partindo do yintang28,acuponto situado entre as sobrancelhas, em direção dos taiyang19 nas noras. (VejaDiagrama 21.) Depois eles são pressionados ao longo de ambos os lados da cabeça,para trás, até os fengchi30, acupontos situados de cada lado da base do crânio, ou até osacupontos tingong** adiante das orelhas. Repita duas ou três vezes. Geralmente opaciente sente que a cabeça e os olhos ficam mais leves e mais límpidos do que antes.Este método pode também ser usado para reduzir inchação.Método da Retificação Muscular: Essa técnica de massagem é semelhante ao métododo arrastamento. A única diferença entre eles é que o método da retificação muscular éexecutado com mais força, para atingir omúsculo. Pode-se usar um polegar ou os dois(ou o polegar e o indicador, ou o polegar e odedo médio). Mediante uniforme e contínuapressão, siga a direção do músculo de cimapara baixo ou diagonalmente de cima parabaixo. A força exercida pelos dedos deve serfirme, com os movimentos lentos, nãodevendo ser relaxada durante a aplicação. Ummúsculo tenso pode ser relaxadocompletamente pressionando-se várias vezesos dedos, seguindo para baixo as fibrasmusculares28 Yintang: Veja pág. 67 e Diagrama 58.29 Taiyang: Veja pág. 67 e Diagrama 57.30 Fengchi: Veja pág. 71 e Diagramas 58 e 59.31 Tinggong: Veja pág. 69 e Diagrama 57. 35
  • 32. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEM 11. Método do AquecimentoO método do aquecimento é um tipo de massagem que executa fricção da pele usandoos dedos ou a palma da mão. A força empregada neste método deve depender dareação da pele do paciente. Não é desejável exercer força demasiado intensa. Oobjetivo é apenas atingir a pele e o tecido subcutâneo. A frequência dos movimentos é.em geral, de mais de 100 vezes por minuto. É praticado apenas com uma das mãos epode ser dividido em dois tipos: método do aquecimento com o dedo e método doaquecimento com a borda da palma.a) Método do Aquecimento com o Dedo: Consiste em friccionar a pele com os dedos.É particularmente útil para membros paralíticos. Quando o método do dedo é utilizadonum dedo ou artelho paralítico, o prático mantém o membro firmemente no local comsua mão esquerda, ajusta seus três dedos centrais da mão direita em torno do dedo ouartelho e esfrega para trás e para a frente. Desse modo, os três lados do dedo podem serfriccionados simultaneamente, como está mostrado no Diagrama 22.b) Método do Aquecimento com a Borda da Palma: A borda externa da palma da mãoé usada para aquecer a pele. O método costuma ser aplicado em cada lado do dorso, emcasos de resfriado comum, dor reumática e perturbaçõesgastrintestinais. O paciente adota uma posição sentada, enquanto o prático fica em pédiante dele. Essa massagem pode ser aplicada diretamente na pele ou por cima daroupa. Friccione para cima e para baixo ao longo das partes laterais do dorso, medianterápido movimento de serra, continuando assim até que a pele do paciente fiquevermelha. (Veja Diagrama 23.)DIAGRAMA 2236
  • 33. Método da Fricção e RolamentoDIAGRAMA 23 12. Método da Fricção e RolamentoEste método é uma forma de massagem em que o membro afetado dopaciente é presoentre duas mãos e esfregado com um movimento giratório. E indicado apenas para osmembros. A ação desta massagem pode alcançar o tecido subcutâneo, o músculo e atéos ossos. Durante o curso da massagem, aumente a velocidade de lenta até rápida edepois a inverta. O método é dividido em fricção e rolamento com a palma, e fricção erolamento com a borda da palma:a) Método de Rolamento com a Palma: As palmas das mãos esquerda e direita sãoaplicadas de cada lado do membro afetado, que é esfregado com movimentos para tráse para a frente. No caso da fricção do membro superior, o paciente deve ficar sentado eo seu braço pender naturalmente, como mostra o Diagrama 24. Se ficar sentado defrente para o prático, o paciente pode descansar o braço no seu ombro. No caso da fricção de um membro inferior, faça o paciente ficar numa posiçãomeio sentada e dobrar o joelho. Se o paciente está deitado na cama, deve descansar aperna no ombro do prático. No caso do braço, a fricção e rolamento são feitos para tráse para a frente do ombro até o cotovelo e do 37
  • 34. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMDIAGRAMA 24cotovelo até o ombro. No caso do membro inferior, o movimento é feito do joelho paraa bacia e desta para o joelho.b) Método de Fricção e Rolamento com a Borda da Palma: Aplique a fricção erolamento com as bordas externas das palmas de cada lado do membro a sermassageado. As atitudes corporais do paciente e do terapeuta são idênticas às adotadasno método da fricção e rolamento com a palma. A ação desse tipo de massagem podealcançar zonas mais profundas do músculo, e o paciente sentirá uma sensação dedolorimento e inchação. 13. Método do PinçamentoO método do pinçamento é um tipo de massagem que utiliza os dedos para espremer epinçar músculos e ligamentos. Agarre o tecido com o polegar em cima e o resto dosdedos embaixo, depois gire o polegar e os dedos para diante, seguindo o contorno domúsculo. As mãos podem ser usadas alternada ou simultaneamente. O método édividido em pinçamento com três dedos e pinçamento com cinco dedos.38
  • 35. Método do Beliscamentoa) Método do Pinçamento com Três Dedos: São usados os dedos polegar, indicador emédio. Pince o músculo entre o polegar e os outros dedos, depois use o punho paraapreender e espremer para diante ao mesmo tempo. Este método é indicado para áreasmenores, tais como dedos, palma da mão e antebraço. (Veja Diagrama 25.) Em áreasrelativamente limitadas, para que a massagem seja eficaz, as pontas dos dedos devemser usadas para penetrar profundamente no músculo.DIAGRAMA 25b) Método de Pinçamento com Cinco Dedos: Este processo é executado com todos oscinco dedos. É igual ao método dos três dedos e se aplica melhor a áreas maiores,como a coxa, a perna, o ombro etc. Nota: Método do Pinçamento Espinhal: Este método é usado frequentemente emcrianças. Com os polegares e os indicadores das duas mãos, pince a pele e o tecidosubcutâneo de cada lado da coluna vertebral. Solte a pele e o tecido subcutâneo àmedida que se movimenta para cima, alternando as mãos. Dirija o movimento dasnádegas para os ombros e pescoço. (Veja Diagrama 79.) 14. Método do BeliscamentoO método do beliscamento, também chamado "método da torção", é um tipo demassagem que utiliza o polegar e o indicador para agarrar a pele e o tecido subcutâneo,liberando-a rapidamente em seguida. No curso dessa manobra, a 39
  • 36. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMmão que prende o tecido beliscado gira ligeiramente para trás, puxando os tecidos paraum lado antes de liberá-los rapidamente. (Veja Diagrama 26.) Neste momentocostuma-se ouvir um ruído. Continue beliscando a pele na mesma direção até apareceruma vermelhidão. Nos casos graves, a pele pode ser beliscada até que apareçammarcas vermelhas. O beliscamento com uma das mãos é adequado para o dorso, o pescoço e áreasabdominais. Este método é disseminado entre o povo chinês e tem sido transmitido degeração a geração. O resfriado comum, a dor de cabeça e os distúrbios gastrintestinais,todos respondem bem a ele. Pode ser usado também em algumas doenças de crianças,tais como resfriado comum e febre, indigestão etc. Quando este método é usado emcrianças, em geral são utilizadas as duasmãos, o polegar e o indicador sendomantidos ligados como pinças. Depois depinçada e torcida, a pele é imediatamenteliberada sem complicações. Destamaneira, as duas mãos beliscam e liberamalternadamente até que a pele comece aficar vermelha. 15. Método do PiparoteNeste método usa-se um dedo para bater contra o corpo. O dedo indicador dobra-sesobre o polegar ou o dedo médio e depois golpeia o corpo com força. A força dosgolpes, semelhantes a molas, vai de branda a intensa, mas nunca a um grau que possacausar dor. Pode ser aplicado adequadamente em qualquer articulação, batendo-se notecido em torno dela. (Veja Diagrama 27.) Tem aplicação no tratamento de dores nasarticulações. 16. Método da BatidaEste método é uma forma de massagem que consiste em bater nos tecidos com aspontas dos dedos. Deve ser aplicada força com o pulso e as pontas dos dedos. A batidadeve ser precisa, forte e elástica, ao mesmo tempo devendo ser mantido40
  • 37. Método da BatidaDIAGRAMA 27ritmo consciente. A batida dá origem a uma força oscilante que pode atingir o osso. Ométodo é dividido em: batida com o dedo médio e batida com os cinco dedos.a) Método da Batida com o Dedo Médio: Neste método, o dedo médio é meio dobradoe o pulso relaxado. A batida então prossegue com um movimento de extensão do dedo.É adequado para ser usado em torno do courocabeludo.b) Método da Batida com os Cinco Dedos: Os cincodedos são unidos, as suas pontas são arrumadas nomesmo nível e o pulso é relaxado. Para dar a batida,os dedos são repetidamente dobrados e estendidos.Eles golpeiam a carne assim como o frango bica osgrãos. Por isso é também chamado de "método dabicada". Adequado para utilização em toda a fronte.(Veja Diagrama 28.) DIAGRAMA 28 41
  • 38. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEM 17. Método do TapinhaO método usa os dedos ou a palma da mão para dar tapinhas no corpo. Pode serexecutado com uma das mãos ou com as duas. O movimento deve ser hábil e elástico.É necessário que o pulso esteja excepcionalmente frouxo. Quando são usadas as duasmãos, seus movimentos devem ser coordenados. O método é classificado em tapinhacom o dedo, com o dorso dos dedos e com a palma da mão.a) Método do Tapinha com o Dedo: Neste método, o polegar e os outros dedossão largamente apartados. Os dedos ficam ligeiramente curvados e as superfíciespalmares dos dedos são usadas para bater levemente no corpo do paciente (vejaDiagrama 29). E indicado para aplicação nas costas e no peito, e costuma serutilizado para massagem em crianças.b) Método do Tapinha com o Dorso dos Dedos: Aqui os dedos ficamligeiramente apartados e as suas articulações levemente dobradas. O indicador,o médio, o anular e o mínimo são utilizados para bater vigorosamente no corpo,como mostra o Diagrama 30. O método é adequado para os membros e podetambém ser usado no peito e nas costas.c) Método do Tapinha com aPalma: Aqui o centro dapalma tem que ser levantado,flexionando-se as arti-culações metacarpianas ejuntando-se os dedos, criandouma concavidade na palma,com a qual o corpo égolpeado. Este método éapropriado para as costas. DIAGRAMA 2942
  • 39. Método do MartelamentoDIAGRAMA 30 18. Método do MartelamentoEste tipo de massagem usa o punho para martelar o corpo. A força empregada é maiorque a usada no método do tapinha e atinge profundamente os músculos, articulações eos ossos. Neste método, a força principal provém do pulso. São necessáriascoordenação e habilidade. A força empregada deve ser aumentada aos poucos e, aomesmo tempo, os socos devem ser elásticos. A velocidade vai num crescendo de lentaa rápida ou alterna entre períodos de golpes lentos e rápidos. Em geral, as duas mãossão usadas simultaneamente. Este método é dividido em: martelamento com o punhopara baixo, martelamento com o punho para cima e martelamento com a borda dapalma.a) Martelamento com o Punho Para Baixo: Aqui as duas mãos ficam com punhosfrouxamente fechados. As articulações dos dedos são niveladas e usadas para exerceruma força de martelo no corpo. Este método é adequado para áreas onde há músculocarnudo e espesso, como na coxa.b) Martelamento com o Punho Para Cima: Aqui as duas mãos ficam com os punhosfechados e os dedos ligeiramente apartados. O polegar fica dobrado e coberto pelosoutros dedos ou preso entre o indicador e o médio. O punho é girado com o polegarpara cima e o corpo é martelado com a parte carnosa do punho existente na bordaexterna da palma. (Veja Diagrama 31.) Este método é apropriado para as áreas dasarticulações. 43
  • 40. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMc) Martelamento com a Borda da Palma: Aqui os dedos das duas mãos são distendidos eapartados. A massagem é aplicada com a borda externa da mão, como está mostrado noDiagrama 32. O método é apropriado para áreas carnudas, musculares, como na coxa ouno dorso. Nota: Para evitar cansaço do terapeuta e tornar a massagem mais confortável para opaciente, o método do martelamento pode ser executado com um martelete feito de umpedaço de esponja de borracha amarrada a um cabo de bambu. Use dois desses martelos,um em cada mão. 19. Método da ExtensãoEste método é um tipo de massagem que ajuda uma articulação que funciona mal areadquirir sua extensibilidade normal. Esta técnica pode ser classificada como uma formade manipulação passiva. Neste método, deve ser verificada com cuidado, primeiramente,a extensão até onde a articulação afetada pode atingir. Depois, lentamente, de modouniforme, aplica-se força contínua para se executar a extensão apropriada. Em geral, issonão provoca dor no paciente. Nunca se deve aplicar força subitamente ou extensãoviolenta. Antes de cada tratamento, verificar com cuidado, se possível, a maior extensãoa ser alcançada na articulação doente. O curso de extensão é aos poucos aumentado. Paraa manipulação, o prático e o paciente devem posicionar-se com propriedade e44
  • 41. Método da Extensãosegurança. As técnicas mais frequentemente usadas são os métodos da extensão doombro e da extensão do cotovelo.a) Método da Extensão do Ombro: Neste método, o paciente adota posição sentada,enquanto o prático fica em posição meio agachada com as pernas afastadas, como naposição de cavaleiro32. O braço afetado repousa na parte posterior do pescoço doprático, e o cotovelo no seu ombro. As mãos deste cercam o ombro do paciente. (VejaDiagrama 33.) O prático então ergue-se lentamente, fazendo com que o ombro dopaciente gire para fora e para diante até a extensão adequada. Mantém-se uma alturafixa durante 2-3 minutos antes de se deixar voltar para trás o ombro do paciente.Depois de curta pausa, repete-se a extensão. A altura do segundo estiramento deve serligeiramente aumentada, mas não forçada. O processo deve ser repetido 3-5 vezes.b) Método da Extensão do Cotovelo: O paciente senta-se em frente ao prático. Esteampara o cotovelo do braço afetado com uma das mãos, a mão do paciente se apoiandodebaixo da axila do prático. A outra mão do prático é colocada em cima do ombroafetado. (Veja Diagrama 34.) Depois, enquanto empurra o ombro, ele levanta ocotovelo do paciente, distendendo a articulação. O grau de--------32 Posição de cavaleiro: pernas afastadas e ligeiro agachamento, como se para montar num cavalo. 49
  • 42. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMDIAGRAMA 34força aplicada e a amplitude da extensão dependerão do caso individual, mas deve serevitada uma força violenta. 20. Método da FlexãoÉ uma forma de massagem que ajuda a articulação com mobilidade reduzida a seflexionar. Pode ser classificada como forma de manipulação passiva. Neste método, aforça deve ser aplicada com habilidade e controle. Em geral, é aplicado nos membrosinferiores, como na panturrilha e nos quadris.a) Método da Flexão da Panturrilha: Aqui o paciente deita-se de bruços e o práticofica de pé ao lado do membro afetado. O prático segura a panturrilha com uma dasmãos, enquanto a outra segura a planta do pé do paciente. Depois, a articulação dojoelho é curvada devagar. (Veja Diagrama 33.) Os movimentos começam lentamentee, depois, aos poucos, tornam-se mais rápidos. O limite da flexão deve corresponder aograu do movimento possível para a articulação.b) Método da Flexão do Quadril: Aqui o paciente deita-se de costas e o prático ficade pé ao lado do membro afetado. Uma das mãos segura o joelho e a outra a46
  • 43. Método da Flexãoplanta do pé, com todo o quadril, joelho e tornozelo sendo curvados ao mesmo tempo.O prático exerce então força para baixo, a fim de ajudar a flexão, e o paciente tambémprocura curvar ativamente o membro. A coxa deve ser trazida o mais perto possível docorpo. (Veja Diagrama 36.) A amplitude da flexão deve corresponder ao grau demovimento possível para aarticulação.c) Método da Flexão dosQuadris: Neste método, opaciente deita-se de costas e oprático segura-lhe as solas dosdois pés com uma das mãos,com a outra segurando-lhe ojoelho. O prático curva osjoelhos e os quadris até certoponto e, depois, elástica eritmicamente, empurra para afrente. A extensão 49
  • 44. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMa atingir pela flexão dos quadris podeser aumentada aos poucos, trazendo-se as coxas para perto da paredeabdominal. Em seguida, a mão quesegura os pés é desviada para asnádegas e todo o corpo é curvado.(Diagrama 37.) Deve-se tomarcuidado em prosseguir gradualmentee na correta sequência, de acordocom a mobilidade potencial dopaciente. À medida que os quadrissão mais curvados, o grau de forçaaplicada deve aumentargradualmente. Esta manipulação nãosomente promove mobilidade dasarticulações dos quadris, comomelhora a capacidade da colunavertebral em curvar-se para diante.Por causa disso, o método éadequado para alguns casos de dorescrónicas das costas e de rigidezartrítica. Além disso, pode ser escolhido para aplicação em casos de hérnia de discointervertebral, nos quais pode promover a volta do disco herniado à sua posição normal. 21. Método da RotaçãoE uma forma de massagem que consiste na rotação de uma articulação. Pode serclassificado como manipulação passiva. Costuma ser utilizado para prevenir e tratarperturbações funcionais do movimento rotatório das articulações. É aplicado emarticulações de todos os tamanhos, desde as dos dedos até as das áreas lombares e dosquadris. Antes de aplicar esse processo é necessário estarmos familiarizados com aamplitude do movimento fisiológico de cada articulação e observarmos com detalhe ograu de mobilidade da articulação resultante da doença. A direção da rotação é em geralno sentido dos ponteiros do relógio, e a velocidade deve ser mais lenta do que rápida. Oprocesso de48
  • 45. Método da Rotaçãorotação de pequenas articulações das mãos etc. é relativamente simples. Mas quando setrata de grandes articulações, o paciente deve ser colocado em posição específica. O método é dividido em rotação do pescoço, rotação do ombro, rotação do quadrile rotação lombar.a) Método da Rotação do Pescoço: O pacientefica sentado e o terapeuta de pé, por trás dele. Oterapeuta coloca uma das mãos no queixo dopaciente e a outra no topo da cabeça, girando-lhe lentamente o pescoço de um lado paraoutro. Quando os músculos estão relaxados e opescoço é girado totalmente para um lado, oterapeuta aproveita-se da tendência do pescoçoem voltar na direção oposta e lhe aplica umsúbito e forçado giro nesta direção, com aamplitude, entretanto, não maior que 90 graus.(Veja Diagrama 38.) Este método só deve seraplicado uma vez em cada sessão e não deve serrepetido. Depois da torção do pescoço, opaciente sente em geral que ele fica maisflexível e indolor. Este método é sempre utiliza-do no torcicolo (pescoço rígido).b) Método da Rotação do Ombro, tipo 1: Opaciente fica sentado. O prático fica firmementede pé ao lado dele, com as pernas apartadas na posição de arqueiro33. Elesegura a palma da mão do paciente com uma das mãos e o pulso com a outra. Emprimeiro lugar, o braço do paciente é esticado, depois girado. No curso da rotação, asmãos do prático devem alternar-se na apreensão do pulso, nunca o deixando livre.(Veja Diagrama 39.)Método da Rotação do Ombro, tipo 2: O paciente senta-se com o cotovelo do braçoafetado curvado. O prático usa seu próprio antebraço e sua mão para33 Posição de arqueiro: pernas apartadas, uma na frente, outra atrás, como se fosse para atirar com arco e flecha. 49
  • 46. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMDIAGRAMA 39apoiar e sustentar o antebraço afetado, enquanto a outra mão faz pressão no ombro dopaciente. Roda então o ombro no sentido dos ponteiros do relógio e ao contrário. Método da Rotação do Ombro, tipo 3: O paciente fica sentado, com o braço afetado relaxado e mantido afastado para um lado. O prático segura a mão do lado afetado com sua própria mão do mesmo lado (isto é, sua mão direita para a mão direita do paciente e vice-versa). Gira então o braço no sentido dos ponteiros do relógio e ao contrário. (Veja Diagrama 40.) A rotação deve ser ágil e vigorosa, como na fiação do algodão. DIAGRAMA 40
  • 47. Método da Rotaçãoc) Método da Rotação do Quadril: O paciente fica deitado de costas, com o terapeutade pé a seu lado. Com uma das mãos, o terapeuta sustenta o joelho do paciente, e coma outra segura a panturrilha a um terço da distância que vai do tornozelo ao joelho. Oquadril e o joelho são meio curvados e depois a articulação do quadril é girada nosentido dos ponteiros do relógio e ao contrário. (Diagrama 41.)d) Método da Rotação Lombar: Na rotação lombar, o terapeuta deve ficar firmementede pé, alterando seu centro de gravidade para acompanhar a direção da rotação. Eledeve ser também bastante forte. Caso contrário, a amplitude da rotação que aplica nãoserá muito grande, ou ele poderá perder equilíbrio e cair.Método da Rotação Lombar, tipo 1:0 paciente fica sentado e o terapeuta, de pé ao seulado, com as pernas apartadas, ou à sua frente, com as pernas a cavaleiro. Uma dasmãos é passada debaixo da axila do paciente e segura o ombro do outro lado; a outrapassa cruzando em frente do abdome para segurar o lado mais afastado da cintura.Depois, pede-se ao paciente que relaxe todo o corpo, e a espinha é girada. (VejaDiagrama 42.)Método da Rotação Lombar, tipo 2: Pede-se ao paciente que fique de pé, de frentepara uma barra horizontal ou para as costas de uma cadeira fixa. 51
  • 48. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMEle segura a barra com as duas mãos ecurva o corpo ligeiramente para a frente.O terapeuta fica de pé atrás dele, pernasa cavaleiro, e com firmeza segura-lhe acintura com ambas as mãos. Pede aopaciente que relaxe todo o corpo e, como eixo vertical do corpo do pacientecomo centro de rotação, gira-lhe acoluna vertebral.DIAGRAMA 42 22. Método do SacudimentoÉ um tipo de massagem que consiste em sacudir os membros, e pode ser classificadocomo manipulação passiva. É aplicado somente nos membros superiores e inferiores.O prático segura a extremidade do membro do paciente e o sacode delicadamente,como uma corda, fazendo-a levantar e cair em ondas. O método é classificado em doistipos: sacudimento de membro superior e sacudimento de membro inferior.a) Método do Sacudimento de Membro Superior, tipo 1: O paciente tem que ficarsentado, com o prático de pé ao lado dele. Com as duas mãos o prático sustenta osdedos do lado afetado e puxa com força o membro, movendo-o em forma desacudidela. A amplitude da sacudidela é crescente, de modo que as ondulações sãotransmitidas até o ombro. O movimento é executado 3-5 vezes.Método do Sacudimento de Membro Superior, tipo 2: O paciente fica sentado ou de pé,com o terapeuta de pé a seu lado. O ombro do paciente é seguro com firmeza com umadas mãos, e a mão do lado afetado é segura com a outra. O membro afetado é entãotracionado para fora firmemente e sacudido para cima e para baixo ou para a esquerdae direita. (Veja Diagrama 43.)52
  • 49. Método do Estiramentob) Método do Sacudimento deMembro Inferior: O pacientedeita-se de lado e o terapeuta ricade pé atrás de seus pés. Oterapeuta segura os artelhos e aparte posterior do pé da pernaafetada com as duas mãos, levantaa perna e sacode-a. Isso é repetido3-5 vezes.DIAGRAMA 43 23. Método do EstiramentoÉ um tipo de massagem que distende as articulações. É uma forma especial demanipulação passiva. O movimento de puxar deve ser hábil e forte. Ele funciona comodistensor de músculos contraídos e ajuda a levar a articulação para sua posição normal.Pode ser dividido nas seguintes formas:a) Método do Estiramento Lombar, tipo 1: O paciente fica deitado de lado, o flancoafetado para cima, e o prático fica de pé atrás de suas costas. O polegar de uma dasmãos é usado para fazer pressão sobre a parte dolorosa do lombo, enquanto o outroantebraço sustenta a panturrilha da perna afetada, com a mão segurando o joelho.Depois de flexionar algumas vezes a coxa para cima, em direção ao abdome, puxe aperna para trás com firmeza e destreza. Ao mesmo tempo, o polegar que empurra naárea dolorosa exerce uma pequena pressão extra. (Veja Diagrama 44.) Esse processo érepetido 5-6 vezes. O método é 53
  • 50. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMMétodo do Estiramento Lombar, tipo 2: O prático e o paciente ficam de costas umpara o outro. O prático usa seus cotovelos para enganchar os braços do paciente elevanta-o de modo que as suas nádegas fiquem um pouco abaixo das do paciente.Depois pede ao paciente que relaxe o corpo todo. Em seguida dobra e estica seusjoelhos repetidamente, e com força move o paciente com sua nádegas, esticando-lheassim a coluna vertebral. (Veja Diagrama 45.) Para terminar, o prático pode balançar ocorpo do paciente de um lado para outro várias vezes.54
  • 51. DIAGRAMA 45Método do Estiramento Lombar, tipo 3: Aquio paciente deita-se de bruços. Em primeirolugar, o prático utiliza os métodos deamassamento e de fricção, para relaxar osmúsculos da área lombar. Depois ele colocaseus antebraços embaixo dos joelhos dopaciente e levanta-lhe a metade inferior docorpo, de modo que apenas o peito toque oleito. Ele coloca sua outra mão sobre a regiãolombar inferior do paciente, fazendo pressão eafrouxando várias vezes, de modo rítmico eelástico. Quando os músculos do pacienteficam bem relaxados, o prático subitamenteusa seu antebraço para fazer grande pressão naárea lombar do paciente. Ao mesmo tempo, oantebraço que sustenta os joelhos é levantadocom força, fazendo com que a área lombar dopaciente seja distendida para trás. (VejaDiagrama 46.) Depois que as pernas dopaciente são deitadas, a área lombar sofrenovamente curta massagem pelo método doamassamento. DIAGRAMA 46 55
  • 52. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMMétodo do Estiramento Lombar, tipo 4: Aqui o paciente deita-se de lado, com o flancoafetado para cima. O prático segura o tornozelo da perna afetada e puxa a perna paratrás. Ao mesmo tempo, levanta a perna e coloca a sola do pé firmemente contra aregião sacra do paciente, simultaneamente puxando com as mãos e empurrando com opé. Em primeiro lugar, empurra levemente várias vezes até sentir que a área lombar dopaciente fica relativamente relaxada. Depois executa os movimentos de empurrar epuxar com força súbita e intensa, fazendo com que a região lombar do paciente sedistenda para trás. (Veja Diagrama 47.) Desde que seja empregada efetiva quantidadede força, tal ação é em geral suficiente.b) Método do Estiramento do Membro Superior: O paciente senta-se num banco baixoe o terapeuta fica de pé à sua frente, um pouco na direção do lado afetado.DIAGRAMA 4756
  • 53. Método do EstiramentoO braço doente é mantido com o dorso da mão em direção ao terapeuta, que lhe seguraos dedos em dois grupos com suas mãos. Ele gira o braço em círculo para cima, parabaixo e em redor, várias vezes. Quando os músculos do membro doente parecem estarrelaxados e o membro pode ser movido livremente, o terapeuta subitamente e comforça levanta-o. (Veja Diagrama 48.) Este método tem se mostrado eficaz notratamento de pacientes que se queixam de dores no membro superior ou no ombro,mas nos quais o movimento das articulações não esteja por demais limitado. Em geral,é usado após a aplicação de outros métodos de massagem, mas apenas uma ou duasvezes por sessão.c) Método do Estiramento do Membro Inferior: Este método é também chamado demovimentação da perna. O paciente fica deitado de costas. O prático apoia a 57
  • 54. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMpanturrilha da perna afetada com o braço e a mão, fazendo pressão no joelho com a outramão. Em primeiro lugar, o quadril e o joelho são dobrados, usando-se pequena força paraabaixar a coxa. Logo que a coxa chegue perto da área abdominal, o membro afetado épuxado com força e destreza, para ficar esticado. Neste ponto, com o quadril meio curvado eo joelho totalmente distendido, pede-se ao paciente que mova sua perna para cima e paradiante. (Veja Diagrama 49.) O grau de flexão do quadril deve corresponder à altura até ondeo paciente pode levantar a perna esticada, e a amplitude da elevação deve aumentargradualmente. O movimento é feito 10-20 vezes durante cada sessão.58
  • 55. Método da Pisada 24. Método da PisadaÉ uma forma de massagem que consiste em se pisar o corpo do paciente.Costuma ser aplicado à área lombar. O paciente fica de bruços num leito de massagemrelativamente curto. A área do peito e as coxas ficam acolchoadas com travesseiros decerca de 30 centímetros de altura, de modo que a região lombar repouse no espaçointermediário vazio. O prático pendura-se firmemente numa barra fixada acima doleito do paciente, depois pisa na área lombo-sacra com um pé, primeiro aplicandoligeira pressão várias vezes e em seguida gradualmente aumentando a força.Ritmicamente, ele alterna a pisada na espinha com o relaxamento da pressão,levantando e abaixando, como o varal dealguém que carrega pesadas cargas em cadaombro. (Veja Diagrama 50.) Pede-se aopaciente que conserve a boca aberta e respirecom ritmo. A força da pisada aumenta atéalcançar um nível eficaz. A pisada é repetidacerca de 20 vezes; pisada, repouso, pisada...Podem ser executadas três a quatro séries depisadas 59
  • 56. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEM Seção 2: Prática das Técnicas de MassagemO tratamento pela massagem técnica bem executada exige articulações ágeis eflexíveis, além de dedos fortes. Os movimentos do terapeuta devem ser regulares,destros e delicados, e precisam ser mantidos durante longos períodos de tempo.Somente nessas condições pode ser alcançado bom efeito terapêutico.Consequentemente, é necessário que o terapeuta se submeta a contínuo treinamento,desenvolva sua força e pratique as técnicas de massagem para melhor servir às pessoas.Basicamente, o treinamento é dividido em duas partes: treinamento físico geral eprática e técnica digitais. 1. Treinamento FísicoO tratamento pela massagem exige grande força física e especialmente reservas deforças. Ao mesmo tempo, o prático deve ser capaz de manter posições definidasdurante longo período de tempo, como ficar de pé com as pernas apartadas em posiçãode cavaleiro ou em posição de arqueiro. (Veja Diagrama 53.) Tudo isso exige que oprático faça regularmente bom programa de exercícios. O que apresentamos a seguirrefere-se a vários exercícios com o objetivo de desenvolver a força dos membros e daárea lombar.Exercício 1: Fique de pé com as pernas afastadas na largura dos ombros. Mantenhapostura erecta, com a cabeça ligeiramente curvada e os olhos fixados diretamente paraa frente. Pressione a língua contra o palato e respire pelo nariz. A seguir, levanteigualmente as duas mãos com as palmas para baixo. Após profunda inspiração, aspalmas são unidas e mantidas à frente do peito, virando-se aos poucos as pontas dosdedos das mãos juntas para o peito, os cotovelos sendo levados até a altura dos ombros.Ao mesmo tempo, dobre ligeiramente os joelhos, ficando meio sentado, em posição decavaleiro, com o ponto de gravidade do corpo centrado. Continue a respirar fundo enormalmente. Esta posição deve ser mantida 1-3 minutos ou até mais tempo, sendoeste gradualmente aumentado com a prática. (Veja Diagrama 51.)Exercício 2: Após completar o primeiro exercício, volte à posição normal e descanseum momento, passando depois ao Exercício 2. Dê meio passo para a frente com o pédireito e dobre ligeiramente o joelho esquerdo, numa posição meio de cócoras. A pontado pé direito toca o chão, e o calcanhar é levantado, colocando-se o peso do corpo naperna esquerda. Ao mesmo tempo, a mão60
  • 57. Treinamento Físico DIAGRAMA 51 DIAGRAMA 52esquerda é transformada em punho frouxamente fechado, sua parte central para fora,sendo colocada atrás das costas. Os cinco dedos da mão direita são esticados emantidos juntos; o pulso é totalmente dobrado e girado para dentro até onde forpossível. O cotovelo forma um ângulo de 90 graus, e o antebraço é esticado paradiante, à altura do ombro. Fixe os olhos na sua mão direita, componha a sua postura,respire fundo. Mantenha essa posição por 1-3 minutos. Alterne as posições das mãos epés direitos e esquerdos. (Veja Diagrama 52.) Nas sessões seguintes, aumentegradualmente o período de tempo em que a posição deve ser mantida. 61
  • 58. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEM Exercício 3: Após completar o Exercício 2, relaxe e mova-se livremente, começando depois o Exercício 3. Coloque o pé direito adiante, em posição de arqueiro, com os artelhos apontando para a frente. Os calcanhares devem pousar no chão, plantados firmemente, e o corpo deve ficar ereto, o peso centrado. Fecha-se o punho direito, e o pulso é dobrado e girado para dentro o máximo possível. O cotovelo é dobrado, formando um ângulo obtuso, e o braço é colocado à altura do ombro. Depois, a mão esquerda é fechada, formando um punho com o pulso curvado. O cotovelo é ligeiramente curvado, e o braço é esticado para fora, atrás das costas. A cabeça gira um pouco para a direita, com os olhos voltados para a mão direita. Puxe firmemente com a mão direita, como fazem os vaqueiros com o laço passado na vaca. Depois respire fundo. EssaDIAGRAMA 53 62
  • 59. Prática das Técnicaspostura deve ser mantida durante certo tempo. O processo é alternado, à direita e àesquerda, e o período de tempo aumenta gradualmente com habilidade.Exercício 4: Depois de completar o Exercício 3, repouse um pouco e então faça oExercício 4. Afaste as pernas na largura dos ombros e depois agache-se até que osjoelhos fiquem curvados cerca de 90 graus. Descanse as mãos nas pernas, acima dosjoelhos, com os polegares do lado de fora dos joelhos, de modo que os braços formemuma espécie de círculo. Mantenha o peito ereto e conserve o peso do corpo centrado.Depois, com os olhos fixados, diretamente para a frente, faça um exercício derespiração profunda. Essa atitude deve ser conservada o maior período de tempopossível; quanto mais longo, melhor. (Veja Diagrama 54.) Depois de completar estes quatro exercícios, faça alguns movimentos pararelaxar. 2. Prática das TécnicasA terapia pela massagem é aplicada principalmente com as mãos. Estas, portanto,devem ser treinadas para serem fortes e delicadas, destras, bem coordenadas eincansáveis. Os exercícios das mãos são feitos em dois tempos. O primeiro consiste empraticar num saco de areia. Depois de bem treinado com o saco de areia, pratique entãono corpo humano (duas pessoas podem praticar entre si). O saco pode ser costuradocom linho ou algodão, sendo incluído com areia lavada. As especificações para o sacode areia são: 30 centímetros de comprimento, 30 centímetros de largura, 5 centímetrosde altura. As técnicas de massagem mais comumente usadas e os aspectos maisimportantes da prática são apresentados a seguir:a) Método do Empurrão com o Polegar: É dividido em três tipos: com a polpa dopolegar, com o lado do polegar, com a ponta do polegar. Os principais aspectos,contudo, são idênticos. Ao praticar o método do empurrão, a posição de pé é normal,mas também pode ser usada uma posição sentada. Concentre sua mente; deixe osombros caírem e os cotovelos penderem; flexione o cotovelo; dobre o punho e deixe amão pender. Esta é mantida parcialmente fechada, sem que os dedos ultrapassem ocentro da palma. O polegar é esticado e descansa na falanginha do indicador, cobrindoo "olho" do punho34. Agora, com a ponta do polegar contra o saco de areia, gire opulso e mova o polegar para trás e para a34 Olho do punho: o indicador é a extremidade do punho; o espaço formado pela curva do dedo parece-se com um olho. 63
  • 60. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMfrente ritmicamente, de modo que ele seja empurrado para a frente e depois trazidopara trás. (Veja Diagrama 55). Empurra-se com cerca de dois terços da força. Quandoempurrar para a frente, não deixe o polegar saltar, e quando voltar, não deixe a falangedobrada tocar o saco de areia. O polegar deve ser empurrado para diante numa linhareta, e não oblíqua. O pulso deve estar inteiramente relaxado. A frequência doempurrão é mantida em 120-160 vezes por minuto. Quando a técnica é perfeitamenteexecutada, o polegar parece estar preso à superfície do saco de areia, satisfazendo aexigência: "Firme, porém não rígido; leve, porém não flutuante." O melhor éaperfeiçoar o uso das duas mãos, de modo que uma possa alternar com a outra.DIAGRAMA 55b) Método do Rolamento: Adote posição de pé, deixe os ombros caírem e os cotovelospenderem. Um cotovelo é curvado, e o pulso relaxado; a mão, fecha-se em punhofrouxo, com o centro da palma voltado para cima. O polegar e os outros dedos são umtanto dobrados, mas sem rigidez; o indicador e o médio são distendidos livremente.Com a parte dorsal do dedo mínimo, juntamente com a eminência hipotênar contra osaco de areia, faça um movimento de rolamento para trás com o pulso. Repita esseexercício várias vezes. (Veja Diagrama 56.) Tome cuidado para não provocarmovimentos de salto ou de raspagem, para evitar lesão da pele. As duas mãos podemser treinadas para rolarem uniformemente com força de alcance profundo e ritmocontínuo, de modo que possam alternar-se.c) Método da Vibração com o Dedo: É aplicado com o dedo médio ou com o polegar,geralmente com a mão direita. Na prática de vibração com o dedo64
  • 61. Prática das TécnicasDIAGRAMA 56médio, o polegar e o indicador são usados para prender aquele dedo, cuja ponta écolocada contra o saco de areia. Na vibração, do polegar, a parte externa da suaextremidade entra em contato com o saco de areia. O pulso é dobrado ligeiramentepara a palma. Os músculos da mão e do antebraço exercem uma força estática e tensa,para produzir o movimento de vibração. É possível que, no início, não sejamos capazesde produzir vibração alguma, ou de sustentá-la por tempo algum. Mas depois dealguma prática, será produzida vibração. Esta deve ser pequena e uniforme, com aforça vindo da ponta do dedo. Deve-se manter a vibração por mais de um minuto.d) Método do Pinçamento: Costumam-se usar o polegar, o indicador e o médio, e emgeral uma das mãos. Pode ser praticado ao longo da borda do saco de areia. O polegar,o indicador e o médio pinçam a borda do saco de areia com força relativamente grande.Ao mesmo tempo, o polegar se move no sentido dos ponteiros do relógio, com ummovimento de rolamento, fricção e pinçamento. O indicador e o médio fazemmovimento semelhante na direção oposta. No curso deste movimento de rolamento,fricção e pinçamento, os dedos devem mover-se gradualmente para a frente. Estatécnica exige coordenação, uniformidade, sensibilidade e controle da força empregadapelas pontas dos dedos, devendo-se mantê-la durante mais de 10 minutos por vez. 65
  • 62. TÉCNICAS DO TRATAMENTO PELA MASSAGEMe) Método do Mandamento e do Tapinha: Aqui as duas mãos são usadassimultaneamente. Quer as partes palmares dos dedos sejam usadas para golpear ou opunho utilizado para socar, os principais aspectos da prática são os mesmos. Asuperfície da mão que é usada para dar tapinhas ou marteladas deve fazer semprecontato pleno. No caso dos tapinhas, os dedos são ligeiramente curvados e separados.Nos dois métodos, a maior parte dos movimentos deve provir do pulso sendobalançado para cima e para baixo. Deve-se treinar o pulso até o ponto em que ele semova uniforme e destramente, mas com força. Ele deve subir e cair de modocoordenado, com ritmo uniforme. Deve-se ser capaz de alterar a frequência domovimento e sustentá-la durante mais de 10 minutos por vez. O treinamento costuma ser aborrecido, sobretudo no princípio, quando estamosprovavelmente sujeitos a sofrer dolorimentos, inchações e cansaço. Por isso, nossaatitude deve ser séria, devemos ser perseverantes e não esmorecer. Além do mais,como essa prática é também uma forma de exercício físico, deve ser executada deacordo com as regras gerais deste. Os seguintes pontos são expostos para referência:i) A prática é mais bem realizada de manhã cedo, após o levantar, e numa áreaaberta ou jardim.ii) Durante a prática, use roupas folgadas e um cinto frouxo. Não use roupasmuito apertadas nem muito pesadas.iii) Não comece a prática quando estiver com o estômago muito cheio oudemasiado faminto. Geralmente a prática não deve ser feita antes de uma hora emeia após a refeição.iv) Antes da prática para alguns exercícios preparatórios: mova as mãos e os pés,e faça algumas inspirações profundas. Antes de treinar técnicas digitais, todas asarticulações dos dedos devem ser um pouco dobradas.v) Depois da sessão prática, faça alguns movimentos menos ativos e respiraçãoprofunda. Se suou, enxugue-se imediatamente e vista toda a roupa.vi) Durante a prática, deve concentrar sua mente para desenvolver o bom hábitode devotar toda a sua atenção à execução do tratamento. Desse modo, as sessõespráticas alcançarão mais efeito e valor, e você terá menos probabilidade de semachucar.vii) Na prática das técnicas, esteja atento à limpeza e evite raspões earranhaduras. Se a pele reagir, a prática deve ser suspensa.66
  • 63. CAPÍTULO III ACUPONTOS COMUMENTE USADOS NO TRATAMENTO PELA MASSAGEM Acupontos Para AdultosBaihui: (acuponto no vaso meridiano principal) localizado na linha mediana do topodo crânio, onde cruza com uma linha traçada que une as pontas das orelhas.Yintang: (acuponto irregular não localizado num meridiano) entre as extremidadesinternas das sobrancelhas, no ponto mais saliente do osso frontal.Taiyang: (acuponto irregular não localizado num meridiano) na depressão situadacerca de metade da largura de um dedo para fora de um ponto entre o canto externo doolho e a ponta da sobrancelha.Jingming: (maior yang do pé, meridiano vesical) localizado na depressão 1 fen1 dentroe acima do canto interno do olho.Zuanzhu: (maior yang do pé, meridiano vesical) na depressão localizada naextremidade interna da sobrancelha, 1 cun da linha mediana.Sibai: (brilhante yang do pé, meridiano gástrico) na depressão logo acima do buracoinfra-orbital, 3 fen abaixo da borda inferior da órbita óssea.1 1 Fen: 1/10 de cun, que é uma unidade de medida igual ao comprimento interno da segunda seçào do próprio dedo médio do paciente. O cun é medido entre as extremidades das linhas formadas quando o dedo é curvado 67
  • 64. ACUPONTOS COMUMENTE USADOS NO TRATAMENTO PELA MASSAGEM Acupontos Comumente Usados: Vista Lateral 1 Taiyang 7. Shaohai 13. Baihui 19. Shousanli 2 Zuanzhu 8. Neiguan 14. Tinggong 20. Yangxi 3 Jingming 9. Lieque 15. Tinghui 21. Hegu 4 Sibai 10. Taiyan 16. Fengchi 22. Yifeng 5 . Renzhong 11. Dalimg 17.Jianyu 23. Yingxiang 6. Chize 12. Shenmen 18. Quchi 68
  • 65. Acupontos Para AdultosTinggong: (maior yang da mão, meridiano do intestino delgado) numa depressãoadiante do trágus da orelha. Procure o ponto quando a boca estiver aberta.Tinghui: (menor yang do pé, meridiano da vesícula biliar) numa depressão adiante dosulco intertrágico. Procure o ponto quando a boca estiver aberta.Yifeng: (menor yang da mão, triplo meridiano mais quente) numa depressão atrás dolobo da orelha adiante do ponto da mastóide.Yingxiang: (brilhante yang da mão, meridiano do intestino grosso) na depressão dosulco da asa do nariz, logo acima da borda da narina.Baizkong: (meridiano do vaso principal) ponto situado a meia distância no sulco entrea base do nariz e o lábio superior.Jianyu: (brilhante yang da mão, meridiano do intestino grosso) depressão entre aborda externa do acrômio e o grande trocanter do úmero. Procure o ponto quando obraço estiver em abdução.Chize: (maior yang da mão, meridiano pulmonar) ponto na depressão na linha deflexão do cotovelo, fora do tendão do bíceps. Procure o ponto com o cotovelo meiocurvado.Quchi: (brilhante yang da mão, meridiano do intestino grosso) entre a extremidadeexterna do sulco do cotovelo, quando este está curvado em ângulo reto, e aprotuberância externa do úmero.Shaohai: (menor yin da mão, meridiano cardíaco) junto da extremidade interna dosulco do cotovelo, quando está ligeiramente curvado: cerca de metade da distânciaentre a protuberância interna do cotovelo e o tendão do bíceps.Shousanli: (brilhante yang da mão, meridiano do intestino grosso) ponto cerca de 2cun abaixo da prega do cotovelo no lado radial, entre o músculo longo radial extensor eo músculo curto radial extensor do corpo.Neiguan: (absoluto yin da mão, meridiano pericárdico) numa depressão 2 cun acimada prega na parte frontal do pulso, entre os dois tendões (o do longo palmar e o doradial flexor do carpo).Waiguan: (menor yang da mão, triplo meridiano mais quente) ponto 2 cun acima daprega cutânea no dorso do pulso, diretamente no lado oposto do neiguan.Lieque: (maior yang da mão, meridiano pulmonar) na face anterior do antebraço, 1,5cun acima da prega do pulso, logo para fora da artéria radial.Hegu: brilhante yang da mão, meridiano do intestino grosso) na depressão entre o Io eo 2o metacarpianos, perto do ângulo formado no local onde eles se encontram.Yangxi: (brilhante yang da mão, meridiano do intestino grosso) na "tabaqueira 69
  • 66. ACUPONTOS COMUMENTE USADOS NO TRATAMENTO PELA MASSAGEM Acupontos Comumente Usados: Vista Anterior1. Yintang 7. Quepen 13. Lieque 19. Xiawan2. Zuanzhu 8. Zhongfu 14. Taiyuan 20. Shenque3. Jingming 9. Rugen 15. Daling 21. Tianshu4. Síbai 10. Chize 16. Shenmen 22. Qihai5. Yingxiang 11. Shaohai 17. Shangwan 23. Guanyuan6. Renzhong 12. Neiguan 18. Zhongwan 24. Qichong70
  • 67. Acupontos Para Adultosanatómica" formada por dois tendões quando o polegar é distendido, na parte externado pulso.Yangchi: (menor yang da mão, triplo meridiano mais querite) numa depressão nodorso do pulso, abaixo da base do 4o metacarpiano.Yanggu: (maior yang da mão, meridiano do intestino delgado) numa depressão dolado interno do pulso, no côncavo entre a extremidade do cúbito e ossos do carpo.Shenmem: (menor yin da mão, meridiano de coração) numa depressão entre o ossopisiforme e o cúbito no lado mediano da prega da parte anterior do pulso.Daling: (absoluto yin da mão, meridiano pericárdico) numa depressão no meio daprega da face anterior do pulso (entre os tendões do longo palmar e o radial flexor docarpo).Taiyuan: (maior yang da mão, meridiano pulmonar) numa depressão no lado externoda artéria radial, na extremidade externa da prega na face anterior do pulso.Dezxuan: (acupontos irregulares não situados em meridiano) nas pontas de cada umdos 10 dedos, 1 fen da unha.Quepen: (brilhante yang do pé, meridiano gástrico) depressão acima da clavícula,diretamente acima da papila mamária.Zhongfu: (maior yang da mão, meridiano pulmonar) ao nível da segunda costela,cerca de 1 cun abaixo da depressão que fica abaixo da clavícula, e medianamente emrelação à apófise coracóide.Rugem: (brilhante yang do pé, meridiano gástrico) 1,6 cun abaixo da papila mamária,no 5° espaço intercostal.Shangwan: (meridiano do vaso da concepção) 5 cun acima do umbigo. (Essa distânciade depressão, na extermidade interior do esterno até o umbigo, é de 8 cun.)Zhongwan: (meridiano do vaso da concepção) 4 cun acima do umbigo.Xiawan: (meridiano do vaso da concepção) 2 cun acima do umbigo.Shenque: (meridiano do. vaso da concepção) o próprio umbigo.Qihai: (meridiano do vaso da concepção) 1,5 cun abaixo do umbigo. (A distância doumbigo até o osso pubiano é de 5 cun.)Guanyuan: (meridiano do vaso da concepção) 3 cun abaixo do umbigo.Tianshu: (brilhante yang do pé, meridiano gástrico) pontos 2 cun de cada lado doumbigo.Qichong: (brilhante yang do pé, meridiano gástrico) pontos 2 cun de cada lado daparte superior do osso púbico.Fengchi: (menor yang do pé, meridiano da vesícula biliar) pontos de cada lado doacuponto fengfu, na borda inferior do occipital, na depressão que 71
  • 68. ACUPONTOS COMUMENTE USADOS NO TRATAMENTO PELA MASSAGEM Acupontos Comumente Usados: Vista Posterior1. Fengfu 9. Feishu 17. Pishu 25. Yanggu2. Fengchi 10. Tianzong 18. Weishu 26. Huantiao3. Yifeng 11. Gaohuang 19. Shenshu 27. Chengfu4. Yamen 12. Jianzhen 20. Dachangshu 28. Mingmen5. Jianjing 13. Xinshu 21. Waiguan 29. Yangguan6. Dazhui 14. Geshu 22. Yangxi 30. Shangliao7. Fengmen 15. Ganshu 23. Yangchi 31. Ciliao8. Jianliao 16. Danshu 24. Hegu 32. Zhongliao 33. Xialiao72
  • 69. Acupontos Para Adultosfica entre os locais onde o trapézio e o esternocleidomastoidiano têm suas origens.Fengfu: (meridiano do vaso principal) no exato centro do espaço entre o occipital e a Iavértebra cervical.Yamen: (meridiano do vaso principal) 5 fen abaixo do acuponto fengfu.Dazhui: (meridiano do vaso principal) na depressão abaixo da apófise espinhosa da 7avértebra cervical.Fengmen: (maior yang do pé, meridiano vesical) pontos bilaterais 2,0 cun de cada ladodo espaço entre a 2a e 3a vértebras dorsais.Feishu: (maior yang do pé, meridiano vesical) no dorso, 2 cun para fora da linhamediana, à altura da depressão entre as apófises espinhosas da 3a e 4a vértebras.Xinshu: (maior yang do pé, meridiano vesical) no dorso, 2 cun para fora da linhamediana, à altura da depressão entre as apófises espinhosas da 5a e 6a vértebras dorsais.Geshu: (maior yang do pé, meridiano vesical) no dorso, 2 cun para fora da linhamediana, à altura da depressão entre as apófises espinhosas da 7a e 8a vértebras dorsais.Ganshu: (maior yang do pé, meridiano vesical) no dorso, 2 cun para fora da linhamediana, à altura da depressão entre as apófises espinhosas da 9a a 10a vértebrasdorsais.Danshu: (maior yang do pé, meridiano vesical) no dorso, 2 cun para fora da linhamediana, à altura das apófises espinhosas da 10a e 11a vértebras dorsais.Pishu: (maior yang do pé, meridiano vesical) no dorso, 2 cun para fora da linhamediana, à altura da depressão entre as apófises espinhosas da 11a e 12a vértebrasdorsais.Weishu: (maior yang do pé, meridiano vesical) no dorso, 2 cun para fora da linhamediana, à altura da depressão entre as apófises espinhosas da 12a vértebra dorsal e Ialombar.Shenshu: (maior yang do pé, meridiano vesical) no dorso 2 1/2 cun para fora da linhamediana, ao nível da depressão entre a 2a e 3a vértebras lombares.Dachangshu: (maior yang do pé, meridiano vesical) 2,5 cun para fora da linhamediana, ao nível da depressão entre a 4a e 5a vértebras lombares. Shangliao, ciliao,zhongliao, xialiao (maior yang do pé, meridiano vesical).Shangliao: situado no primeiro buraco sacro posterior, mais ou menos na metade entrea espinha ilíaca póstero-superior e a linha mediana.Ciliao: no segundo buraco posterior; zhongliao, no terceiro; e xialiao, no quarto. Àesquerda e à direita, no conjunto, existe um total de oito acupontos liao.
  • 70. ACUPONTOS COMUMENTE USADOS NO TRATAMENTO PELA MASSAGEMMingmen: (meridiano do vaso principal) na depressão abaixo da apófise espinhosa da 2avértebra lombar.Yangguan: (meridiano do vaso principal) na depressão abaixo da apófise espinhosa da 4avértebra lombar.Jianjing: (menor yang do pé, meridiano da vesícula biliar) na depressão exatamente entre osacupontos dazhui e jianyu (veja antes) na borda anterior do trapézio.Jianliao: (menor yang da mão, triplo meridiano mais quente) numa depressão atrás e abaixodo acrômio, cerca de 1 cun atrás do acuponto jianyu (veja antes).Jianzhen: (maior yang da mão, meridiano do intestino delgado) numa depressão na faceposterior do ombro, logo acima da prega da axila.Tianzong: (maior yang da mão, meridiano do intestino delgado) numa depressão abaixo doponto central da espinha da omoplata.Gaohuang: (maior yang do pé, meridiano da vesícula biliar) no dorso 4 cun para fora da linhamediana, à altura da depressão entre as apófises espinhosas da 4a e 5a vértebras dorsais.Huantiao: (menor yang do pé, meridiano da vesícula biliar) localizado no quadril atrás dogrande trocanter, numa depressão formada no músculo quando as nádegas estão contraídas.Chengfu: (maior yang do pé, meridiano vesical) na fase posterior das coxas, no meio da pregaabaixo das nádegas. Xuehai: (maior yin do pé, meridiano do baço) na face mediana anterior dacoxa, 3 cun acima da prega do joelho, na maior saliência do músculo vasto mediano.Xiyan: (pontos irregulares não localizados em meridiano) nas depressões de cada lado doligamento abaixo da rótula; conhecidos como xiyan internos e externos. Localize com o joelhocurvado.Zusanli: (brilhante yang do pé, meridiano gástrico) localizado na parte anterior da perna, 3 cunabaixo da rótula, exatamente 1 cun para fora da borda da tíbia.Yanglingquan: (menor yang do pé, meridiano da vesícula biliar) numa depressão no lado daperna, abaixo da cabeça do perónio, entre os dois músculos.Juegu: (menor yang do pé, meridiano da vesícula biliar) 3 cun acima do maléolo externo, entreo perónio e a tíbia.Kunlun: (maior yang do pé, meridiano vesical) numa depressão entre o ponto mais alto domaléolo interno e o tendão de Aquiles.Pucan: (maior yang do pé, meridiano vesical) 2 cun exatamente abaixo do acuponto kunlun, naface externa do calcâneo.Yinlingquan: (maior yin do pé, meridiano do baço) numa depressão abaixo do74
  • 71. Acupontos Para Adultos Acupontos Comumente Usados: Membros Inferiores1. Xuehai 9. Yanglingquan2. Neixiyan (xiyan interno) 10. Zusanli3. Yinlingquan 11. Weizhong4. Sanyinjiao 12. Chengjin5. Jiexi 13. Chengshan6. Chongyang 14. Yongquan7. Taichong 15. Pucan8. Waixiyian (xiyan externo) 16. Juegu 17. Kunlun 75
  • 72. ACUPONTOS COMUMENTE USADOS NO TRATAMENTO PELA MASSAGEMbordo inferior do côndilo mediano da tíbia, ao nível da tuberosida-de tibial.Sanyinjiao: (maior yin do pé, meridiano do baço) 3 cun acima da parte superior do maléolo mediano, numa depressão atrás da tíbia.Jiexi: (brilhante yang do pé, meridiano gástrico) localizado na parte superior do peito do pé, no centro da prega anterior do tornozelo, entre os dois tendões. O ponto é localizado com o joelho ligeiramente curvado.Taixi: (menor yin do pé, meridiano renal) numa depressão entre o tendão de Aquiles e a parte superior do maléolo interno, do lado oposto ao kunlun.Taichong: (yin absoluto do pé, meridiano hepático) localizado no topo do pé, no ângulo entre o Io e 2o ossos do metatarso.Chongyang: (brilhante yang do pé, meridiano gástrico) na parte mais alta do peito do pé, na junção articular do 2o e 3o ossos do tarso com o 2o e 3o metatarsianos, na borda mediana no músculo longo extensor dos dedos.Weizhong: (maior yang do pé, mediano vesical) ponto localizado no meio da prega da parte posterior do joelho, quando o joelho está ligeiramente curvado.Chengshan: (maior yang do pé, meridiano vesical) ponto na face posterior da perna, no meio do músculo gastrocnêmico, 7 cun abaixo da prega, na parte posterior do joelho.Yongquan: (menor yin do pé, meridiano renal) numa depressão entre o 1/3 anterior e os 2/3 posteriores da sola do pé, quando os artelhos estão curvados. 2. Acupontos Para Crianças Na massagem pediátrica, além dos meridianos e acupontos usados para adultos, existem alguns acupontos especiais, dos quais os mais comumente usados são estes: Cinco zhijie: pontos nas articulações proximais interfalangianas no dorso da mão. O 5o fica na articulação interfalangiana do polegar. Quatro hengwen: os quatro pontos no lado palmar das articulações interfalangianas proximais. Grande hengwen: na base da palma da mão, na prega do pulso. Pequeno hengwen: pontos nas quatro pregas onde os dedos encontram a palma. Neilaogong: ponto no meio da palma. Dois shanmen: nas depressões de cada lado do 3o metacarpiano no dorso da mão. 76
  • 73. Acupontos Para CriançasEsrenshangma: numa depressão no dorso da mão, entre o 4o e 5o metacarpianos.Fanmen: na parte superior da eminência tênar, na base do polegar.Yiwofeng: ponto no meio da prega do dorso do pulso.Waijianshi: ponto na face posterior do antebraço, acima do ponto waiguan e entre ocúbito e o rádio.DIAGRAMA 61Localização de Meridianos Comumente Usados Como Acupontos Para Crianças.1. Liufu 8. Fanmen2. Neilaogong 9. Pequeno hengwen (Xiaohengwen).3. Quatro hengwen (Sihengwen) 10. Waijianshi4. Tianheshui 11. Yiwofeng5. Sanguan 12. Dois shanmen (Ershanmen)6. Grande hengwen (Dahengwen) 13. Errenshangma7. Pitu 14. Cinco zhijie (Wuzhjie) 77
  • 74. Acupontos Comumente Usados no Tratamento Pela MassagemTianheshui: linha ao longo do meio da face anterior do antebraço, indo do pulso para a prega docotovelo.Liufu: linha ao longo da parte interna da face anterior do antebraço, indo da prega do cotovelopara o pulso.Sanguan: linha ao longo da parte externa da face anterior do antebraço, indo do pulso para o pontoquchi na extremidade externa da prega do cotovelo (veja antes).Pitu: linha na base do polegar, indo de um ponto na eminência tênar para um ponto na prega dopulso.Dujiao: pontos de cada lado do umbigo.Guiwei: na ponta do cóccix 78
  • 75. CAPÍTULO IV COMO USAR O TRATAMENTO PELA MASSAGEMO tratamento pela massagem é diferente de qualquer outra forma de terapêutica,porque o prático tem que despender considerável força física para exercê-la, e osucesso do tratamento varia na razão direta da quantidade de força empregada. Issoquer dizer que, no curso do tratamento, se não despendermos força física suficiente namassagem, não atingiremos o padrão exigido para um tratamento eficaz. Em virtudedisso, o terapeuta deve trabalhar duro e não temer cansaço ou dor. Devemos fazertodos os esforços para melhorar a nossa técnica. Isso vai requerer treinamento muitopenoso. Na prática, devemos avaliar permanentemente toda a nossa experiênciapassada, para explorar novos terrenos e criar novos métodos. Desse modo, o tratamentopela massagem continuará se desenvolvendo, chegando a um nível mais alto. É necessário falar com o paciente sobre o tratamento pela massagem, fazê-losaber que durante o curso do tratamento pode surgir certo desconforto ou dor, e que àsvezes poderá ser necessário grande número de sessões antes de se conseguir algumefeito. Os pacientes devem ser encorajados a não temer dificuldades e a ter confiançaem que podem vencer suas doenças. Particularmente os portadores de doençascrónicas, obstinadas, devem ser encorajados a combatê-las com força de vontade 79
  • 76. COMO USAR O TRATAMENTO PELA MASSAGEM Seção 1: Prática 1. Quantidade de MassagemÉ importante que não se dê nem muita nem pouca massagem. Geralmente, aquantidade de massagem vai depender do número de massagens diárias, do temporequerido para cada uma, da intensidade e do número de repetições de cada tipo demanipulação e da observação de reações locais. O número de massagens é determinadopelas exigências das diferentes doenças. Em geral, a massagem é aplicada uma vez pordia. Mas, para algumas doenças, é mais adequada a massagem em dias alternados oucom intervalos de dois dias. Algumas doenças podem ser tratadas duas vezes por dia. Aduração de cada massagem também é variável. Por exemplo, no caso de torção de umaarticulação, bastam a massagem local e a acupuntura na articulação. Em geral, 15minutos são suficientes. Há algumas doenças internas, contudo, para as quais amassagem é aplicada na cabeça, nas costas, nos membros e até no corpo todo.Normalmente isso requer 30 minutos, mais ou menos. Em geral, a situação é essa, maso tratamento deve se basear em cada caso individualmente. Na massagem de crianças, o número de vezes de cada massagem repetida duranteuma sessão é em geral determinado pela necessidade para cada local. Diferentesregiões da China desenvolveram diferentes programas de tratamento. Em algumasprovíncias, a massagem é aplicada várias dezenas de vezes, em outras, várias centenas,e em outras ainda até 2-3.000 vezes. Normalmente nós próprios massageamos um local2-300 vezes, o que leva cerca de 15-25 minutos ao todo. Em crianças, a quantidade demassagem é também determinada pela quantidade de avermelhamento da pele. Este éum critério relativamente fácil de estimar. Em adultos, no caso de algumas técnicas, aquantidade de tempo exigida é também determinada pelo número de repetições. (Vejadetalhes fornecidos nas seções de tratamento para cada doença.) 2. Grau de Força Usado na MassagemO grau de força usado na massagem está diretamente relacionado com a quantidade demassagem. O resultado do tratamento é grandemente afetado conforme o grau de forçaseja adequado ou não.a) Sequência adequada e progresso gradual: Tanto em cada sessão de massagem comono curso total do tratamento, a massagem deve ser branda no início, tornando-se maisintensa gradualmente. A quantidade de força deve ser80
  • 77. Trate Cada Caso Individualmenteaumentada, mas não de modo tão abrupto que se torne insuportável para o paciente.b) Quando o método do afundamento é aplicado num acuponto: Este método devealcançar um ponto onde a energia vital (gi) aparece, produzindo uma reação dolorosa eedematosa como uma alfinetada ou, algumas vezes, como uma sensação de ferimentodoloroso e de dormência por bala. O grau dessas sensações é determinado pelaintensidade do afundamento, e esta deve ficar sob hábil controle. Os métodos davibração e do amassamento podem ser usados em coordenação com o método doafundamento, para intensificar ou diminuir essas sensações.c) Durante massagem na cabeça e nas costas: Aqui não se deve provocar dor alguma,nem a pele deve ser comprometida. Antes, a massagem deve dar ao paciente umasensação de aquecimento e fazê-lo sentir-se relaxado e confortável.d) Quando a massagem é aplicada em paciente ferido: Neste caso, tanto quantopossível, a dor na área do ferimento deve aumentar muito pouco. Quando vários tiposde manipulação passiva são usados, a extensão do movimento passivo e a quantidadede força a ser usada para distender um membro devem ser estimadas no início, sendo aquantidade de força gradualmente aumentada até o máximo possível.e) A força da manipulação: Terá definida relação com a quantidade de tempo a seraplicada. Quando se aplica muita força, a massagem deve ser aplicada poucas vezespor sessão; quando se emprega pouca força, deve ser aplicada mais vezes. 3. Trate Cada Caso IndividualmenteCada paciente tem suas características próprias. Há as óbvias diferenças de sexo, idadee constituição física. Mas há também acentuadas diferenças entre diferentes doenças ediferentes fases da mesma doença. Por isso, ao se aplicarem as várias manipulações detratamento pela massagem, a quantidade de força e a duração do tempo devem serajustadas ao paciente individualmente. Alguns pacientes são relativamente sensíveis, emesmo no caso de manipulação branda podem sentir forte reação. Nesse caso, aquantidade de massagem e grau de força devem ser reduzidos. Contrariamente, há comfrequência pequena reação em pacientes com forte constituição, quando o grau deforça deve então ser aumentado. Em resumo, cada caso deve ser consideradoindividualmente. No 81
  • 78. COMO USAR O TRATAMENTO PELA MASSAGEMcaso de paciente iniciante, especialmente, a quantidade de massagem e o grau de forçausada devem ser primeiro testados, sendo observadas suas reações. Depois,gradualmente, pode ser estabelecido um esquema adequado. 4. Considerações Importantesa) Receba o paciente calorosamente e diagnostique-lhe a doença com detalhes.b) Antes de começar, coloque-o em posição adequada, sentado, por exemplo, oudeitado, ou com o membro doente levantado, ou de modo que os músculos fiquemrelaxados e a massagem seja facilitada.c) O terapeuta deve estar sempre atento à sua própria posição, de modo que ela ajude aproduzir a força correta e também a poupar-lhe a própria energia. Em geral, o terapeutapode ficar de pé ao lado, atrás, ou de frente para o paciente. A posição sentada emgeral determina a posição sentada face a face. Na posição de pé, as posições dearqueiro ou de cavaleiro são algumas vezes usadas.d) Enquanto está fazendo a massagem, o prático tem que lhe devotar toda a suaatenção, ajustando convenientemente sua respiração e processando o tratamento comtoda a dedicação. Dessa maneira, o objetivo do tratamento pode ser alcançado,prevenindo-se qualquer lesão.e) As mãos do terapeuta devem ser mantidas aquecidas e limpas, e as unhas devem seraparadas com frequência.f) Nas sessões de massagem em que não há necessidade de diagnóstico preciso antesdo tratamento, deve-se notar ainda qualquer circunstância que contra-indique amassagem. O progresso da doença deve também ser observado, as reações do pacienteanotadas e dada uma explicação.g) Durante a massagem, prossiga com segurança de ponto a ponto na sequênciaapropriada, indo dos pontos distantes para o centro do corpo. Use com habilidade asvárias técnicas, aplicando-as com apropriados graus de força e em quantidadesadequadas.h) Se o paciente estiver empanturrado ou muito faminto, não é aconselhávelfazer a massagem. Em geral, é melhor não proceder à massagem durante operíodo de 1/2 hora antes até 1 1/2 hora após a refeição. Seção 2: Meios Usados em MassagemDurante a massagem, o terapeuta frequentemente coloca algum líquido ou pó nas mãospara reduzir a fricção e aumentar a lubrificação, ou para ganhar o benefício adicionalde uma medicação. Esses líquidos ou pós são chamados82
  • 79. Meios Usados em Massagem"meios" para uso em massagem. Há numerosos tipos de meios, incluindo iquidos,tinturas, óleos e pós. Os meios mais comuns são estes:1 Suco de gengibre fresco: Soque gengibre fresco até ele ficar com consistênciapastosa e coloque-o num recipiente. Mergulhe os dedos no suco extraído do gengibre,usando-o como meio de massagem. Este é um dos meios mais frequentemente usadose quase sempre empregado em massagens em crianças. Como as crianças possuempele macia e delicada, e como o suco de gengibre é muito escorregadio, não é provávelque a pele seja escoriada durante a massagem. Ao mesmo tempo, o suco de gengibreproduz um irradiante aquecimento e ajuda a expelir prejudiciais influências externas.12) Agua fria: Se não houver suco de gengibre à disposição, substitua-o por água limpa,fria, da torneira. Especialmente quando a criança tem febre, a água fria costuma serusada como meio.3) Água-de-cheiro: Mergulhe pedaços de madeira em água e use o líquido resultantecomo um meio. Aguas-de-cheiro são muito escorregadias e, portanto, igualmenteapropriadas para massagens em crianças.4) Clara de ovo: Faça um pequeno furo na casca do ovo, extraia a clara e use-a comoum meio. A clara do ovo pode também ser misturada com farinha, para fazer uma bolade massa. O prático segura a bola na mão e aplica os métodos de fricção/rolamento, defricção e de rolamento no peito, ventre e costas da criança. Esse meio éfrequentemente usado no tratamento popular para gripe em criança, "acúmulo dealimentos"2 e outras doenças.5) Pó de songhua: Transforme songhua em pó fino. Use esse pó como um meio,mergulhando nele os dedos ou aplicando-o diretamente com um pompom no local demassagem. Ele age absorvendo a umidade e aumentando a lubrificação. Em resumo,quando a pele perspira facilmente, o uso desse pó é especialmente adequado.6) Pó de talco: em geral, o pó de talco é usado medicinalmente, sobretudo pelo seuefeito lubrificante.1 Refere-se a um conceito da medicina chinesa em que doenças podem ser causadas por certos fatores externos, os mais importantes dos quais são o calor, o frio, o vento, a umidade e o aquecimento.2 "Acúmulo de alimentos": doença descrita pela medicina chinesa, em que o paciente come demasiadamente e alimentos indigestos se formam dentro dele. 83
  • 80. COMO USAR O TRATAMENTO PELA MASSAGEM7) Solução forte3: È usada principalmente em adultos. Atua como revigorante dosangue e para afastar as doenças resultantes do vento, do frio e da umidadePode também abaixar a temperatura do paciente com febre.8) Solução medicinal para uso externo: Mergulhe várias ervas medicinaischinesas em solução forte. Depois de poucos dias, podemos usar o líquidoresultante como um meio. As ervas medicinais chinesas geralmente pertencemtodas ao grupo das drogas usadas para agilizar a energia vital e revigorar osangue. Seguem várias prescrições frequentemente usadas.4 (Veja Apêndice deTabela de Pesos.)(i) Ruxiang Boswellia glabra (frankincense) 1qian Moyao Commiphora myrrha Engler (mirra) 1qian Shenshanqi Rhus verniciflua Stokes 1qian Honghua tibetano Carthamus tinctorius (açafroa) 1 qian (Honghua se-tchuanês pode ser usado em substituição) Meibingpian Dryobalanops camphora Coleb (borneol) 2 fen Guangmuxiang Saussurea lappa Clarke (raiz) 3 fen Zhangnao Cânfora 2 qian Xuejie Daemonorops draco Blume ("sangue-de-dragão") 3 qianAs ervas citadas são mergulhadas em dois recipientes contendo solução forte duranteduas semanas. A mistura é adequada para lesões agudas e crónicas.(ii) Honghua Carthamus tinctorius L. (açafroa) Chuanwu Aconitum carmichaeli Debx. (raiz preparada) Caowu Aconitum chinense Pext. (raiz) Guiwei Angelica sinensis (pontas da raiz) Taoren Prunus pérsica (caroço de pêssego) Gancao (fresco) Raiz de alcaçuz Jiang (fresco) Raiz de gengibre Mahuang Ephedra vulgaris Duanzirantong Cobre nativo Maqianzi Strychnos nux vomica L. (amêndoa) Guizhi Cinnamomum cássia Blume (talos) Ruxiang Boswellia glabra (frankincense) Moyao Commiphora myrrha Engler (mirra)3 Solução forte: refere-se ao gaoliang, brandy, uísque, vinho de arroz grau A etc. As soluções chinesas contêm, em geral, 65% de álcool.4 Ervas medicinais chinesas podem ser encontradas em cidades com grande população chinesa, em lojas de ervas medicinais e algumas mercearias chinesas.
  • 81. Meios Usados em MassagemMergulhe 1 liang de cada uma das 13 ervas acima em três recipientes de solução fortedurante duas semanas. A mistura é apropriada para traumatismos em geral, sendoespecialmente eficaz no tratamento de lesões agudas e crónicas dos ossos e cartilagens.(iii) Mahuang (fresco) Ephedra vulgaris 7 qian Sangzhi Morus alba L. (ramos de amoreira) 3 qian Fangfeng Saposhnikovia divaricata (raiz) 2 qian Wushaoshe Zaocys dhumnades (cobra) 4 qian Tianchong Bicho-da-seda seco 1 qian Honghua Carthamus tinctorius L. (açafroa) 5 qian Chuanwu (fresco)Aconitum carmichaeli Debx (raiz) 3 qian Baizhi Angelica anómala (raiz) 2 qian Qianghuo Notopterygium incisum Ting. (raiz) 1 qian Duhuo Angelica pubescens Maxim, (raiz) 1 qian Baixianpi Dictamnus dasycarpus (casca de raiz) 2 qian Xixiancao Siegesbeckia orientalis var. pubescens (folhas) 3 qianOs 12 tipos de ervas referidas, mergulhados em três recipientes de solução de Gaoliang(sorgo) durante duas semanas, são adequados para poliomielite e pneumonia emcrianças.(iv) cebola verde fresca e gengibre em partes iguais, mergulhados em álcool a95% durante duas semanas, são apropriados para crianças com resfriadocomum.9) Yushushenvou (óleo de cajepute): Este é um medicamento sintético chinêsque age como resolvente e analgésico. Costuma ser usado como meio emmassagem de feridas.10) Óleo de sésamo: Possui o principal efeito de aumentar a lubrificação. É comfrequência usado como meio nos métodos de "raspagem" e de "torção" na medicinapopular chinesa.11) Chuandaoyou ("óleo de condução"): Este é um meio pela primeira vez usado emXanghai. É composto de óleo de cajepute (veja 9 antes), glicerina, terebintina, álcool éagua destilada. Pode reduzir a inchação, fazer cessar e afastar os efeitos do vento e dofrio. 85
  • 82. COMO USAR O TRATAMENTO PELA MASSAGEM12) Óleo de cinamomo: O cinamomo tem fragrância e produz aquecimento. Éusado como meio em doenças de carência causadas pelo frio.13) Zhanjindan,5 "pó para estiramento de músculo", também chamado"remédio para amassamento": Moa as seguintes sete ervas, para transformá-lasem pó, e acondicione-as em garrafa lacrada para uso posterior. O Zhanjindanatua como resolvente e analgésico, sendo muito usado como meio paramassagem em casos de lesão.Ruxiang Boswellia glabra (frankincense) 2 qianMoyao Commiphora myrrha Engler (mirra) 2 qianHonghua tibetano Carthamus tinctorius L. (açafroa) 1 qianShexiang Almíscar 5 fenBingpian Dryobalanops camphora (borneol) 5 fenZhangnao Cânfora 5 fenXuejie Daemonorops draco Blume ("sangue-de-dragão")5 qian Seção 3: Tratamento Pela Massagem em Conjunto com Outros TratamentosClinicamente, faz-se uma escolha, de acordo com a natureza da doença, sobre qual dosvários métodos de tratamento deve ser principal ou secundário. O tratamento pelamassagem costuma ser o método principal de tratamento para certas doenças, tais comohérnia de disco intervertebral lombar ou espondilite reumatóide. Em algumas outrasdoenças, como escaras de decúbito, a massagem é usada como medida acessória, emcoordenação com outros métodos de tratamento. Vários métodos de tratamento são frequentemente recomendados para uso emconjunto com a massagem: 1. Tratamento Pela Massagem e Exercício Médico (Ioga Taoísta)O exercício médico é uma forma de treino de ginástica terapêutica. Na China deantigamente, era chamada de "Ioga Taoísta" e frequentemente associada à massagem.Pode-se ver que a massagem e a Ioga Taoísta eram outrora5 "Dan" tem muitos sentidos diferentes. Aqui ele se refere a um pó de ervas secas, trituradas e misturadas nas quantidades especificadas. A palavra pode também referir-se a pílula, pastilha", vermelhão, alquimia ou panaceia.86
  • 83. Fomentações de Ervas Chinesasintimamente associadas. A massagem e os exercícios de ioga são usados para tratarcertas doenças. Enquanto a primeira é um método passivo, a última é um método queenvolve movimento ativo. Esses dois métodos, quando combinados, podem dar aopaciente melhor recuperação. Portanto, durante o curso das massagens é tambémimportante instruir o paciente sobre os exercícios médicos. Considerado a longo prazo,o exercício médico é mais importante do que a massagem, porque pode desenvolvertotalmente a capacidade do paciente em combater com êxito a sua doença. Pode teracentuado efeito na vitória sobre a doença, na consolidação do efeito terapêutico e narecuperação e desenvolvimento da capacidade de trabalho. (Para detalhes dos métodosde exercício médico, veja as seções de tratamento de doenças específicas.) 2. Fomentações de Ervas ChinesasNo final de cada sessão de massagem, em casos de lesão ou doença reumática,costumam ser usadas compressas quentes e úmidas de ervas chinesas para aumentar oefeito do tratamento. As prescrições refletem as exigências de diferentes doenças. Emgeral, são usadas drogas para restabelecer os tecidos e ativar a circulação do sangue.Orientação sobre compressas de ervas: Embrulhe as ervas num pacote de gaze,coloque-as numa panela e adicione água limpa. Depois mergulhe duas toalhasdobradas, em duas espessuras (ou seis a oito camadas de gaze ou linho costuradas,para fazer uma almofada retangular). A quantidade de água deve ser suficiente paraembeber as toalhas. Logo que a água começar a fever, tire uma toalha. Esprema-a parasecar, dobre-a no tamanho desejado e, enquanto ainda está quente, espalhe-a sobre aárea afetada. Tome cuidado para que ela não esteja demasiado quente, para evitar quequeime a pele. Um a dois minutos depois, tire a outra toalha, esprema-a para secar emude a primeira. Continue fazendo isso 10 ou mais vezes em sucessão. Depoisprovidencie para que a pele fique enxuta e a área afetada continue aquecida, ecertifique-se de que o paciente não está sujeito ao vento ou frio. Quando ascircunstâncias permitirem, podem ser espalhadas sobre a área 4-6 camadas de toalha,enrolando-se a parte de fora com um oleado de pano e cobrindo-a com cobertor dealgodão. Desse modo, o calor não se dissipa facilmente. Isso permite mudar as toalhasa intervalos de 7-10 minutos, sendo suficientes 2-3 mudas. Nota: Prescrição defomentação de ervas medicinais chinesas: Qianghuo Notopterygium incisum Ting. (raiz) Duhuo Angelica pubescens Maxim, (raiz) 87
  • 84. COMO USAR O TRATAMENTO PELA MASSAGEM Ruxiang (fresco) Boswellia glabra (frankincense) Moyao (fresco) Commiphora myrrha Engler (mirra) Chuanwu (fresco) Aconitum carmichaeli Debx. (raiz) Caowu (fresco) Aconitum chinense Pext. (raiz) Shenjincao Lycopodium cernuum 1. Guizhi Cinnamomum cássia Blume (talos) Mugua Chaenomeles lagenaria Koidz. (fruta) Lulutong Liquidambar formosana Shichangpu Acorus gramineus Soland. (raiz) Dibiechong Larrada aurulenta (besouro) Honghua Carthamus tinctorius L. (açafroa)Use 3 qian de cada um dos 13 ingredientes acima citados. 3. Massagem em Tratamento de FraturasÉ um tratamento que combina a redução de fraturas com a massagem. Em primeirolugar, procede-se à manipulação, para trazer a fratura a uma posição correta. Depois,durante todo o curso do tratamento, são feitas massagens frequentes e realinhamento.Este procedimento estático/dinâmico é a principal característica do pensamento médicochinês tradicional sobre o tratamento de fraturas. (Para mais considerações, veja a seção"Fraturas dos Membros", pág. 131.) 4. Outros TratamentosA fisioterapia, a acupuntura e os medicamentos à base de erva administradoshipodermicamente costumam ser aplicados em conjunto com o tratamento pelamassagem. Seção 4: Aplicações e Contra-Indicações da Massagem 1. AplicaçõesAs aplicações do tratamento pela massagem visam um extenso objetivo. Pode ser usadopara numerosas doenças nos campos da medicina interna, cirúrgica, pediátrica etraumatológica. Geralmente a massagem é adequada para doenças88
  • 85. Contra-Indicaçõescrónicas e funcionais. Contudo, pode também ter bom efeito terapêutico em certasdoenças agudas, como o resfriado comum, as entorses agudas etc. As afecçõestraumáticas nas quais costuma ser usado incluem a entorse aguda, as contusões, tensãocrónica, a hérnia de disco intervertebral lombar e fraturas dos membros. As doençasinternas nas quais é muito usada incluem o resfriado comum, a gastrenterite aguda,úlcera, gastroptose, paralisia e artrite reumatóide. As doenças pediátricas em que amassagem é muito frequentemente usada são as infecções agudas do trato pulmonarsuperior, as perturbações digestivas, as perturbações crónicas da nutrição e apoliomielite. 2. Contra-IndicaçõesEmbora haja muitas indicações para a massagem, há também definidas contra-indicações para o seu emprego. Com base nos conhecimentos obtidos na prática, aquiestão algumas citações relativas às contra-indicações:1) Doenças infecciosas agudas, como difteria, febre tifóide etc.2) Vários tipos de doenças da pele. Se as áreas da doença da pele são excluídas, a massagem ainda pode ser feita nas áreas sadias.3) Vários tipos de tumor, particularmente na área de um tumor maligno.4) Psicose.5) Na presença de abcessos e piemia.6) Fases de evolução da tuberculose pulmonar, tuberculose vertebral e tuberculose múltipla etc.7) No caso de acidente hemorrágico durante aplicação da massagem.8) Paciente em estado crítico.9) A massagem é geralmente contra-indicada em mulheres grávidas.10) A massagem não é aconselhável quando o paciente está extremamente cansado ou intoxicado. 89
  • 86. CAPÍTULO V APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM 1. Protrusão de Disco Intervertebral Lombar (Hérnia de Disco)Protrusão de disco intervertebral lombar é também conhecida como ruptura de anelfibroso intervertebral lombar. Em geral, é devida a uma lesão que faz com que o tecidodo núcleo pulposo do disco intervertebral entre dois corpos de vértebra se releve efique deslocado. Isso dá origem a dor lombar num lado do corpo e na perna. A doençaé comum entre trabalhadores braçais. O tratamento pela massagem é incomparável nasua eficiência. Etiologia e PatologiaHá geralmente uma história de óbvio traumatismo, tal como de súbita dor lombar ao selevantar ou carregar uma carga pesada. A coluna vertebral humana possui grandeelasticidade e firmeza, que servem para abrandar quaisquer forças externas. Contudo,quando estas forças são demasiado grandes, superiores às que o anel fibroso em tornodo disco intervertebral pode absorver, ele se rompe e a estrutura do núcleo se releva oué deslocada, causando essa afecção. Por outro lado, em alguns casos não há óbviahistória de traumatismo, tendo havido alterações regressivas anteriores no tecido dodisco intervertebral e, devido à sua fraca estrutura, doença da coluna ou idadeavançada. Nessas condições, somente90
  • 87. Protrusão de Disco Intervertebral Lombaruma pequena força externa ou até uma súbita contração muscular não coordenada poderesultar neste mal. Por exemplo, tivemos um caso em que o problema foi atribuído aum ataque da região lombar pelo frio. SintomasOs principais sintomas dessa afecção são em geral dor lombar, que se irradia para osmembros inferiores, perturbação da sensibilidade nos membros inferiores, dificuldadede marcha e alteração de postura.a) Dor lombar: Esta queixa poucas vezes ocorre sem haver dor. Frequentemente, noseu início, há uma dor aguda e forte na região lombar, tão intensa que ninguém ousatentar fazer qualquer movimento com essa região. No curso do processo patogênico, ador que se instalou na área lombar aos poucos cede, mas a dor nas pernas se agrava. Ador na região lombar frequentemente tende a se situar num lado. O sentar ou o andartende a agravá-la, e o repouso no leito a alivia.b) Dor irradiada para as pernas: A dor se irradia para a perna do mesmo lado. Issoporque o disco herniado comprime as raízes nervosas vizinhas no canal raquidiano. Namaioria das vezes, isso ocorre no 4o e 5o discos intervertebrais lombares. A dor podeirradiar-se ao longo do curso do nervo ciático até a parte posterior do joelho, a faceexterna da panturrilha, ou a sola do pé, atingindo principalmente a área da panturrilha.Em alguns poucos casos, o terceiro disco intervertebral lombar é deslocado para fora, ea dor no membro superior se irradia ao longo do nervo femoral desde a face ântero-externa da coxa até a área do joelho. A dor pode ser persistente e violenta. No início dadoença, a dor é insuportável e o paciente não pode sentar-se ou deitar-seconfortavelmente. Somente quando o corpo é colocado em posição melhor, a dor podeser um pouco reduzida. Toda vez que a coxa é levantada, a cintura dobrada ou opaciente espirra ou tosse, o sintoma pode agravar-se.c) Perturbação da sensibilidade nos membros inferiores: Varia de acordo com o localde grande protrusão. Quando é do 4o disco intervertebral lombar, há uma diminuiçãoda sensibilidade cutânea na parte externa da panturrilha do paciente. Quando é do 5odisco intervertebral lombar, a sola do pé e especialmente o grande artelho sofrem umadiminuição da sensibilidade cutânea. Além disso, o paciente pode apresentar umasensação de dormência e formigamento doloroso no membro afetado; a temperatura daperna no lado afetado apresenta-se anormal e o grau de perspiração nas duas pernasnão é igual. 91
  • 88. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMd) Dificuldade de marcha e alteração de postura: Há diferentes graus de dificuldade demarcha de acordo com a posição da hérnia, as ligações com as raízes nervosascomprimidas e a fase de evolução da doença. Em geral, o paciente não ousa sustentar-se em virtude da dor na perna afetada, e ao mesmo tempo, como não dá um passointeiro, observam-se vários graus de claudicação. Em casos graves, o paciente é incapazde se levantar da cama e mantém dobrada a perna afetada, sem ousar esticá-la e deixá-la deitada. Torna-se extremamente inconveniente ter que se virar na cama. A pessoa afetada em geral também apresenta alteração de sua postura. Comfrequência, a espinha lombar curva-se para o lado afetado e, em alguns poucos casos,para o lado são. A nádega do lado doente se releva para trás, e a parte superior do corpose inclina um pouco para diante. DiagnósticoPode ser feito um diagnóstico preliminar na base da história e dos sintomas. Mas eledeve ser ainda confirmado pelos seguintes sinais:a) Ponto de pressão dolorosa nos músculos paravertebrais: No lado do espaçointervertebral para o qual o disco está herniado, não longe da linha mediana da colunavertebral, há em geral um ponto doloroso fixo. Sua localização pode ser determinadafazendo-se pressão repetidamente; isso vai ajudar a localizar a protrusão. Quando hádor à pressão do local na área, em geral ela se irradia para a nádega e o membro inferiordo mesmo lado. A presença de dor à pressão é em geral facilmente comprovada,embora algumas vezes seja necessário pressionar fundo com o polegar para provocá-la.Em poucos casos não há ponto óbvio fixo de dor nos músculos paravertebrais, masapenas uma zona sensível. Quando essa área é martelada com o punho, a dor se irradiapara o membro inferior do mesmo lado.b) Teste do levantamento da perna esticada: O paciente deita-se de costas, com asduas pernas estendidas. Quando sua perna afetada é levantada cerca de 40 graus oumenos da cama, ele sente imediatamente uma dor repuxante irradiada na região lombare na face posterior e externa da coxa. Isso significa que o teste é positivo. A dor éresultado da tensão nas raízes nervosas comprimidas. Assim, o grau de positividade doteste vai depender do número de raízes nervosas que estão sendo comprimidas pelahérnia e do grau de inflamação das raízes nervosas comprimidas. Nos casos leves, aperna esticada pode ser levantada mais alto; nos casos graves, aparecerá imediatamenteuma dor quando a perna for apenas ligeiramente elevada no nível da cama. Algunspacientes chegam a não poder92
  • 89. Protrusão de Disco Intervertebral Lombaresticar a perna doente. Em outros casos, ainda, a elevação da perna sã pode produzirdor no lado afetado, na zona lombar e na perna. Isso é chamado de "dor cruzada". Apresença deste fenómeno ajuda extremamente no diagnóstico da doença.c) Teste da flexão do pescoço: Aqui o paciente deita-se de costas, com as pernasestendidas. O médico usa as mãos para apoiar a cabeça do paciente, primeiro curvandoligeiramente o pescoço para diante e depois, subitamente, repetindo a prática comalguma força. Se o paciente se queixar de dor na região lombar e na perna do ladodoente, a prova pode ser considerada positiva. A causa da dor é a pressão exercida pelaárea herniada na parte superior das raízes nervosas. Quando o pescoço é curvado, acoluna é puxada para cima, dando em resultado uma reação dolorosa nas raízesnervosas comprimidas. Esse exame é também bastante útil no diagnóstico.d) Reflexos do joelho e do tendão de Aquiles: Aparecem com frequênciaanormalidades nos reflexos do joelho ou do tendão de Aquiles no lado afetado,dependendo do local da protrusão. Nos casos de hérnia do 4o e 5o discosintervertebrais, costumam ocorrer enfraquecimento ou desaparecimento do reflexo dotendão de Aquiles. Em alguns poucos casos, o reflexo se torna hiperativo.e) Teste da flexão posterior do grande artelho: Aqui o paciente fica deitado de costas,com as duas pernas esticadas, retas, curvando o grande artelho para trás. O terapeutapressiona o grande artelho para baixo, na direção oposta, observando se há algumadiferença na quantidade de força com que os dois artelhos são curvados para trás. Asraízes nervosas comprimidas pela área protrusa costumam provocar uma diminuiçãoda força dos músculos extensores do membro inferior, especialmente da panturrilha.Por isso, o grande artelho do lado afetado está sempre mais fraco que o do lado são ouaté incapaz de curvar para trás. Este fenómeno é frequentemente mais aparente quandoé o 5o disco intervertebral lombar que está herniado. Em geral, esta diminuição daforça muscular aparece logo que a doença se instala.f) Atrofia muscular: Com frequência, esta doença produz atrofia muscular na coxa ena perna. Muitas vezes, isso é claramente visível no grupo muscular na parte anteriorda perna, e em geral se manifesta em casos em que a doença tem relativamente longaevolução. A palpação é usada para se determinar o volume e a tensão do corpo domúsculo. O grau de atrofia muscular também pode ser determinado medindo-se acircunferência da perna. 93
  • 90. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMg) Exame radiológico: Bate-se uma chapa da coluna lombo-sacra, de modo que outrasalterações patológicas dos ossos da coluna lombar e da área sacro-ilíaca possam sereliminadas no diagnóstico. Por este método, podemos também encontrar resultadossecundários da hérnia de disco, como curvatura lateral da coluna vertebral,desaparecimento do arco fisiológico de lordose, estreitamento do espaço intervertebrale alterações patológicas na face posterior das articulações. Contudo, esses fenómenossó ocorrem em geral depois que a doença se prolonga. O exame pode, portanto, sèrusado como auxiliar diagnóstico. TratamentoEm primeiro lugar, o diagnóstico deve estar correio, a fase da doença claramentedistinta, e as limitações da motilidade lombar etc. determinadas. Com base em todosesses fatores, pode ser alcançado efeito terapêutico satisfatório mediante escolha entreas técnicas terapêuticas apropriadas.a) Massagem: Baseados em nossa própria experiência prática, sentimos que, nadecisão sobre que técnica de massagem empregar, devemos distinguir as seguintessituações de tratamento geral-1. Manipulação leve: Nos casos leves, considera-se que a pequena massagem produzbons resultados. Nos casos muitos graves, como a massagem forte causaria grande dor,pode-se usar primeiramente a massagem leve. A sequência desse tipo de manipulaçãoé a seguinte*(i) Preparação: Primeiro, o paciente deita-se de bruços. O peito e a regiãoabdominal são apoiados por um travesseiro. Nos casos muito graves, em que opaciente não pode deitar-se de bruços, colocam-se mais travesseiros debaixo dopeito e do ventre. O paciente coloca suas mãos ao lado do corpo e relaxa.(ii) Relaxamento muscular: Com o polegar ou a base da palma de uma ou dasduas mãos, o prático massageia com movimento circular para cima e para baixoao longo de cada lado da espinha lombar e as nádegas indo de cima para baixo ede baixo para cima. A força é aumentada gradualmente, sendo o processorepetido 3-4 vezes. A intervalos, os métodos de pressionar ou de amassar com opolegar podem ser aplicados em acupontos como o mingmen, shenshu, oito liao,huantiao, weizhong e chegshan. Finalmente é aplicado o método do rolamento,indo para baixo ao longo da região lombar e perna do lado afetado. Com essesmétodos, leva-se cerca de 10 minutos para relaxar os músculos.(iii) Estiramento: Diga ao paciente para virar-se de lado, com o flanco afetado94
  • 91. Protrusão de Disco Intervertebral Lombarpara cima. O prático fica de pé atrás do paciente e aplica o método do estiramentolombar, tipo 1. (Veja Diagrama 44, pág. 54.) O paciente relaxa ativamente seusmúsculos e o terapeuta dobra com força o quadril e o joelho para diante. Aos poucos,aumenta a extensão da flexão do quadril, levando-o para a frente com um movimentorítmico e elástico. Isso deve ser feito de modo que o paciente não sinta dor intensa. Àmedida que o grau de flexão do quadril é aumentado, as vértebras lombares inferioressofrem o efeito da força de flexão. Depois, cada vez que o quadril for dobrado paradiante 4-5 vezes, a mão que sustenta a perna doente traciona-a para trás com ummovimento forte e dentro de oscilação. Nesse meio tempo, a outra mão, que está sefirmando contra a região lombar, pressiona para diante com uma força apropriada. Oritmo dessa pressão deve ser coordenado com o da extensão da perna para trás. O graude força deve ser acomodado ao nível de tolerância do paciente. Portanto, quando lhedistender o dorso, note com cuidado o seu potencial de mobilidade e observe aexpressão facial do paciente. O movimento deve ser executado ritmicamente, comdestreza e com força, mas a violência deve ser evitada. O processo todo pode serrepetido 2-3 vezes.(iv) Movimentação da perna (estiramento de membro inferior): Em seguida, peça aopaciente que se deite de costas para "mover a perna", método do estiramento demembro inferior. (Veja Diagrama 49, pág. 58.) Para isso, peça ao paciente queacompanhe a força exercida pelo terapeuta e que relaxe os músculos tanto quantopossível. O ângulo formado pela perna e pela superfície da cama deve a princípio sermenor do que o ângulo alcançado no teste da elevação da perna esticada. Mas duranteo procedimento, observe com cuidado até que ponto a perna afetada pode ser levantadae, gradualmente, levante-a mais e mais alto. Algumas vezes, as duas pernas precisarãode "movimentação". Execute-a cerca de 20 vezes em cada lado.b) Extensão forte do dorso: É apropriada para o caso do paciente que está em fasecrónica há vários meses ou anos; quando os sintomas dolorosos já melhoraram;quando, embora a dor ainda seja intensa, a forte constituição do paciente permite umamanipulação mais pesada; quando a área lombar do paciente é mole e flexível; quandotodas as técnicas descritas anteriormente foram usadas sem resultado óbvio; ou quandoo paciente com graves sintomas teve a sua dor aliviada após a aplicação dasmencionadas técnicas de massagem. A forte extensão para trás da área lombar éadequada em todas essas circunstâncias.(i) O paciente fica deitado de bruços. Aplique o método do amassamento e dorolamento às áreas lombar e da perna, fazendo com que os músculos relaxem, como foidescrito antes. 95
  • 92. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM(ii) O método do estiramento lombar, tipo 3, é executado. (Veja Diagrama 46,pág. 55.) Algumas vezes, durante a forte distensão para trás, pode-se ouvir umestalo na área lombar do paciente. Quando isso ocorre, é provável um resultadomelhor.(iii) Aplique o método do estiramento lombar, tipo 4. (Veja Diagrama 47, pág.56.) Nesta ação, a tração da perna deve ser coordenada com o pé empurradocontra a região lombar. Com este súbito movimento, às vezes, pode-se ouvir umestalo nas juntas da região lombar. Quando isso ocorre, há probabilidade de umresultado melhor. Após essa manipulação, o paciente fica deitado de bruços e amassagem é aplicada na parte inferior do dorso por meio dos métodos doamassamento e rolamento.(iv) Em seguida, o paciente deita-se de costas, e o membro inferior é esticadocomo foi previamente descrito.(v) Em alguns casos, pode-se adicionar o método de inclinação estendida paratrás. Aqui o paciente fica deitado de bruços. O terapeuta fica de pé ao lado doflanco são do paciente e segura o tornozelo do lado afetado com uma das mãos,sustentando a área lombo-sacra com a outra mão. A perna afetada é forçadamente tracionada para trás e em direção do terapeuta. Asoutras partes essenciais desta técnica são como as do subitem anterior.c) Pisada: Este método pode ser aplicado quando a doença já dura longo tempo, mesesou anos; quando o paciente tem compleição pesada ou sua área lombar é relativamentesólida e forte; quando os métodos descritos atrás não alcançam um grau satisfatório deflexão da espinha lombar; ou quando, depois das tentativas de métodos anteriores,embora tenha havido melhoras, a doença do paciente permanece em estado nãosatisfatório. Em todas essas circunstâncias, o método da pisada é adequado. (VejaDiagrama 50, pág. 59.)Antes de aplicar o método da pisada, é importante primeiro afastar as apreensões dopaciente sobre este método e criar uma situação em que o terapeuta e o paciente possamtrabalhar em cooperação. Peça ao paciente que acompanhe o subir e descer domovimento de pisada com a sua respiração, e que respire com a boca bem aberta. Aforça da pisada deve, de acordo com o grau de mobilidade da espinha lombar dopaciente, ser gradualmente aumentada até o ponto que o paciente possa ser capaz desuportar. Um turno de pisadas, indo da mais leve à mais forte, em geral requer cerca de20-50. Nas últimas pisadas do turno, a intensidade deve ser tão grande quanto a que opaciente seja capaz de suportar. Enquanto aplica o método, o prático deve observar comcuidado a96
  • 93. Protrusão de Disco Intervertebral Lombar Aplicação das técnicas(i) Ao se executar o método do estiramento lombar, é necessário primeiro venficar se ador é causada pela flexão da área lombar para diante ou pela sua distensão para trás. Emcasos graves, a dor em geral é causada pela distensão para trás. No processo demanipulação, a curvatura para diante deve ser executada em primeiro lugar. A força eextensão dessa flexão para diante deve ser bastante grande, para produzir efeito na colunavertebral. Gradualmente, com um movimento de oscilação, tracione a perna esticada.Depois, aos poucos, tracione-a para trás. Finalmente, aplique força à espinha, fazendocom que a coluna vertebral se distenda para trás elasticamente. Em uns poucos casos, aflexão da área lombar para diante é dolorosa. Nesses, a extensão para trás dos quadrispode ser feita primeiro, e a flexão para diante depois. A extensão e a força damanipulação devem ser como descrito.(ii) Depois de vários tratamentos, quando o terapeuta verifica que a ação de distender paratrás já ajudou o paciente, a extensão e a força da distensão para trás devem sergradualmente aumentadas. Ao mesmo tempo, a perna pode ser "movimentada" para trás.Neste método, o paciente fica deitado de bruços, enquanto o terapeuta usa das mãos paraaplicar o método do rolamento à região lombar no lado doente; com o outro braço, elesustenta o joelho e a perna do mesmo lado. Enquanto uma das mãos faz pressão enquantorola, a outra move a perna para trás. O ritmo dessa operação deve ser coordenado entre asduas mãos. A extensão na qual a perna é movida para trás deve ser gradualmenteaumentada.iii) Depois de vários tratamentos, quando o terapeuta verifica que o movimentode flexão anterior já ajudou o paciente, a extensão e a força da flexão paradiante devem ser gradualmente aumentadas. Nesse meio tempo, o método daflexão dos quadris pode ser aplicado. (Veja Diagrama 37, pág. 48.)iv) Tente sempre agir tão precocemente quanto possível no curso da doença! Noscasos em fase inicial, a extensão e a força dos movimentos devem seraumentadas tão cedo quanto possível. Em alguns casos, o método da torçãolombar pode ser adicionado: o paciente fica deitado de lado, com o flancodoente para cima. A área lombar é acolchoada com um travesseiro espesso. Depé atrás do paciente, o prático sustenta a área do ombro do paciente com umadas mãos, a outra segurando a crista do ilíaco. Depois, ele torce a área lombarpara trás e para a frente 4-5 vezes. 97
  • 94. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMintensidade que o paciente pode suportar, procedendo gradualmente de leve a forte efazendo uso ritmicamente, delicadamente e com firmeza. Nenhum movimento violentodeve ser praticado em qualquer momento. Cada tratamento inclui de dois a três turnos,e durante cada um deles tente alcançar tanto quanto possível a força suficiente. Entrecada turno, faça vários minutos de repouso. O método da pisada não deve serexecutado todos os dias. Deve haver intervalo de 1-2 dias de repouso antes deprosseguir o tratamento. No final de uma aplicação do método, pede-se ao paciente que vire de costas. Aseguir, o método do estiramento de membro inferior é repetido, como foi descritoacima. Se apenas o método da pisada fosse aplicado a alguns pacientes em que o discointervertebral da 5a lombar está herniado, não haveria efeito terapêutico positivo. Se atração é aplicada primeiro, sendo depois acompanhada do método da pisada, haveráefeito muito melhor. Isso exige a ajuda de dois assistentes: um puxa o paciente pelasaxilas, usando as mãos ou um cinto largo; o outro puxa-lhe as pernas na direção oposta.Depois a pisada é aplicada.d) Outros tratamentos: Além da massagem, quando as condições permitem, afisioterapia, as fomentaçoes herbárias chinesas e as cataplasmas medicinais podem serusadas. O exercício médico é muito útil para aumentar e consolidar o efeito terapêuticoe para prevenir a recidiva. Levando em consideração a doença do paciente, ele deve serusado logo que possível. Antes de aplicar o método da pisada, pode ser administrado apacientes mais sensíveis um anódino por via oral ou hipodermicamente.(i) Prescrição de ervas chinesas para cataplasmas medicamentosas: As 10 seguinteservas chinesas são todas transformadas por esmagamento em pó, cozinhadas comvinagre e misturadas, fazendo pasta, sendo depois aplicadas externamente na partedolorosa da área lombar, ainda quentes:Caowu (fresco) Aconitum chineses Pext. (raiz)Ruxiang (fresco) Boswellia glabra (frankincense)Moyao (fresco) Commiphora myrrha Engler (mirra)Xuejie Daemonorops draco Blume ("sangue-de-dragão")Jixingzi Impatiens balsamiha L. (sementes)Dibiechong Larrada aurulenta (besouro)Shangrougui Cinamomum cássia Blume.Qianghuo Notopterygium, incisum Ting. (raiz)Duhuo Angelica pubescens Maxim, (raiz)Chuanwu (fresco) Aconitum carmichaeli Debx. (raiz)A quantidade de cada uma das 10 ervas citadas é 1 liang.98
  • 95. Protrusão de Disco Intervertebral Lombar Resultado TerapêuticoO diagnóstico deve ser preciso, para curar essa doença pela massagem, e a corretamanipulação deve ser escolhida de acordo com as várias fases e situações da doença. Ataxa de êxito é bem alta. Em alguns casos, em que o paciente está doente há poucosdias, vários tratamentos somente são necessários antes do restabelecimento da saúde.Nos casos em que a doença se instalou há mais tempo, o tempo exigido para otratamento é também mais longo. Primeiramente, em geral o paciente sentirá umasensação de alívio na área da perna. Depois, com o teste da elevação da perna, aospoucos ele melhora. Em alguns casos, as nádegas permanecem doloridas e podeaparecer inchação na área da panturrilha depois de marcha excessiva. Nossasinvestigações durante o acompanhamento indicam que esses problemas podem emgeral desaparecer espontaneamente num período de dois a três meses, seguindo-seresolutamente um programa de exercício médico. A massagem também pode seraplicada quando há recidiva dos sintomas ou quando há sintomas residuais apóstratamento cirúrgico; nesses casos, ela tende a reduzir os sintomas ou fazê-los cessarcompletamente. Durante o tratamento por massagem, deve-se dar especial atenção apacientes que sofrem de hipertensão. Quando a pressão arterial tende a se elevaranormalmente, a massagem deve ser suspensa. O uso que fazemos da massagem para tratar essa doença é constantementemelhorado em nosso programa. Quando começamos, os resultados eram os comuns.Entre fevereiro de 1959 e janeiro de 1962, tratamos 131 pacientes. Destes, 51 (38,9 porcento) restabeleceram-se completamente; 28 (21,4 por cento), apresentaram óbviasmelhoras; 45 (34,4 por cento) melhoraram um pouco; 7 (5,3 por cento) nãoapresentaram melhoras. O resultado terapêutico elevou-se depois que a experiência clínica com perto de1.000 casos permitiu-nos melhorar nossas técnicas de massagem. Foram inventadosnovos métodos e o grau de força usada nas massagens aumentou. Entre abril de 1967 ejaneiro de 1969, tratamos 344 casos. Destes, 267 (77,6 por cento) recuperaram-setotalmente; 29 (8,4 por cento) apresentaram óbvias melhoras; 35 (10,2 por cento)apresentaram alguma melhora; 13 (3,8 por cento) não apresentaram melhoras. Entre abril de 1969 e março de 1971, oferecemos serviços médicos e de saúde afazendeiros na área rural. Uma equipe médica verificou que 49 dos 53 pacientestratados recuperaram-se completamente. Dois apresentaram óbvias melhoras, umapresentou alguma melhora e num outro o tratamento não teve efeito algum. O efeito terapêutico da massagem no tratamento dessa doença é afetado pelasseguintes circunstâncias: 99
  • 96. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM Exercício Médico a) Movimentação dos quadris: O paciente deita-se de costas. Em primeiro lugar, ele estende vigorosamente sua perna direita e ao mesmo tempo gira o quadril para a direita. (Veja Diagrama 62.) Depois ele faz a mesma coisa com a perna esquerda. Os movimentos devem ser bem coordenados e enérgicos. Alterne as pernas 20-30 vezes. b) Coice da perna: O paciente deita-se de costas. Dobra o quadril e o joelho o máximo possível, com o peito do pé, do mesmo modo, para trás. Depois, move o calcanhar para cima forçadamente num ângulo de 45 graus. Após o movimento, conserva os músculos da coxa e da perna tensos. (Veja Diagrama 63.) A seguir, baixa a perna para sua posição original. Alterna as pernas 20-60 vezes. DIAGRAMA 62 DIAGRAMA 63 c) Levantamento do peito: De bruços na cama, o paciente se apoia nas mãos. Partindo da área da cabeça, aos poucos levanta e recua o peito até que a força do levantamento alcance a cintura. (Veja Diagrama 64.) Repete este movimento 5-10 vezes, repousando entre as refeições. d) Pulo do peixe: O paciente fica deitado de bruços, com as duas mãos atrás das costas. Levanta as pernas e a parte superior do corpo ao mesmo tempo,100
  • 97. DIAGRAMA 65 DIAGRAMA 66esticando-as para trás de modo que assumam posição curvada. Ele deve certificar-se deque os joelhos não dobram. (Veja Diagrama 65.) Esta posição é mantida assim o máximode tempo possível.e) Curvamento da cintura e extensão para trás: O paciente fica com os pés afastados nalargura dos ombros e voltados para dentro. Curva o corpo para a frente e para baixo até asmãos tocarem o chão. (Veja Diagrama 66.) Depois volta à posição ereta e se curva paratrás ao nível da cintura o máximo possível. (Veja Diagrama 67.) Repita 5-10 vezes. Aextensão dos movimentos deve aumentar à medida que o mal do paciente regride, mas eledeve prosseguir gradualmente. 101
  • 98. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM a) Fase na qual começou o tratamento: Em casos agudos, a poucos dias do início, vários tratamentos em geral trazem recuperação, sem sintomas residuais. Quando a doença já existe há meses ou anos, ainda pode ser curada, mas o número de tratamentos é correspondentemente maior. Neste caso, podem permanecer alguns sintomas residuais. Caso Wang —, sexo masculino, 22 anos, estudante de medicina. Apareceu-lhe subitamente, enquanto trabalhava, dor lombar baixa que se irradiava para a perna. Ele estava carregando um objeto pesado no curso do seu trabalho, quando sua área lombar girou para a esquerda e ele sentiu dor na parte inferior da região, irradiando-se para a panturrilha direita e maléolo externo do tornozelo. Ele não podia curvar as costas, e quando tossia a dor se agravava. Em sua história, ele referia dor lombar baixa, mas não dor irradiada. Ao exame, foi descoberto um ponto doloroso ao lado da 4a e 5a vértebras. Os músculos lombares estavam tensos. Um teste de elevação da perna esticada produziu dor lombar a 45 graus no lado direito e 60 no lado esquerdo. Havia uma área de dormência na face póstero-externa da panturrilha direita. O reflexo do tendão de Aquiles direito estava enfraquecido. Uma radiografia das vértebras lombares não revelou quaisquer sinais de anormalidade. Padrões de Ação Terapêutica Recuperação: Os sintomas do paciente desapareceram totalmente. Seus sinais físicos voltaram ao normal ou quase normal. As pernas podiam ser elevadas a 80 graus ou mais. O paciente podia reassumir o seu trabalho original. Melhora óbvia: Aqui os sintomas do paciente se reduziram obviamente, e somente alguns permaneceram. Em geral, as atividades diárias não eram afetadas. Seus sinais físicos melhoraram também claramente. O teste da elevação com a perna esticada alcançava aproximadamente 70 graus. O paciente ainda achava difícil participar de trabalho pesado e necessitava de ocupação de nível adequadamente reduzido. Melhora: Aqui os sintomas do paciente diminuíram. Não havia comprometimento de suas atividades diárias ou apenas pequenos inconvenientes. Seus sinais102
  • 99. Protrusão de Disco Intervertebral Lombarfísicos melhoraram e o teste da elevação da perna esticada alcançava menos de 70graus. O paciente não podia tomar parte em trabalho manual pesado.Sem efeito: Nenhuma alteração nos sintomas e sinais físicos. Foi feito o diagnóstico de hérnia de disco entre a 4a e 5a vértebras.Consequentemente, a massagem previamente descrita foi aplicada. Depois da primeirasessão de massagem, diminuiu imediatamente a dor lombar e aumentou a extensão damobilidade da área lombar. A perna direita podia ser levantada a 60 graus, e aesquerda a 70°. Depois da terceira sessão de massagem, a dor lombar tinhadesaparecido completamente. Depois da oitava sessão, todos os sintomasdesapareceram totalmente. As duas pernas podiam ser levantadas a 90 graus. Depoisde um período de três meses, foi feita uma visita ao doente. Verificou-se que eleparticipava de seus estudos normais e seu trabalho, sem qualquer sintoma restante. CasoYu —, sexo feminino, 23 anos, operária. Ela torceu a região lombar ao levantar umobjeto pesado. Isso resultou em dor na região lombar baixa, que se irradiava para aperna direita, causando-lhe sofrimento o dia inteiro. A tosse e a marcha causavam-lhedor. Ao exame, verificou-se que a área lombar estava achatada, sem curvatura lateralda espinha. Havia uma dor à compressão ao nível do 5o espaço intervertebral lombardo lado direito dos músculos paravertebrais. A perna esquerda podia ser levantada 90graus; a direita, 35. O teste de dobrar para trás o grande artelho provou que o ladodireito estava enfraquecido. Foi feito o diagnóstico de hérnia do 5o disco intervertebrallombar. Depois de duas sessões de massagens, os sintomas desapareceram. A pacientefoi aconselhada a guardar repouso no leito durante duas semanas, antes de recomeçar otrabalho. Numa visita de acompanhamento, verificamos que ela tinha voltado aotrabalho e não restavam mais sintomas.b) Extensão da alteração patológica: Chegamos a um ponto em que o tratamento desete de nossos casos não deu resultado. A cirurgia foi indicada em cinco deles.Durante a cirurgia, foram descobertas alterações patológicas, todas bem óbvias. Emquatro desses casos, havia grandes hérnias e a fibrose dos tecidos do discointervertebral herniado era bem grande. Num caso, aderências graves tinham seformado do lado de fora do canal espino-meningeano e ao lado da raiz nervosa. 103
  • 100. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMEm outro caso, ainda, embora estivesse melhorando, a paciente foi operada, porque asua vida cotidiana e seu trabalho ainda estavam afetados. Durante a operação,descobriu-se que havia uma hérnia bilateral e que haviam se estabelecido alteraçõespatológicas formando uma cicatriz anular que restringia a parte externa do canalespino-meningeano. Por esses exemplos, pode-se perceber que o grau de alteraçãopatológica influencia grandemente o resultado do tratamento.c) A propriedade das técnicas de massagem: Os mesmos métodos não podem serusados em todos os casos. Se isso acontece, haverá efeito direto no sucesso dotratamento. As histórias dos casos 3 e 4 servem de ilustração. CasoLú—, sexo masculino, 27 anos. Há um mês, depois de fazer abrupto movimento comas costas carregando um objeto pesado, subitamente sentiu dor na região lombar,irradiada para a perna esquerda. Quando curvava o corpo ou tossia, a dor seintensificava. Foi hospitalizado em maio. O exame constatou dor à pressão nosmúsculos paravertebrais do lado esquerdo da 4a e 5a vértebras lombares. A pernaesquerda podia ser levantada 30 graus; a direita, 60. O teste de flexão do grande artelhopara trás revelou que o lado esquerdo estava enfraquecido. No hospital, foramaplicadas as usuais técnicas de massagem. As vezes, os sintomas diminuíam, outrasvezes aumentavam. Após cerca de um mês de tratamento, não foi obtido resultadosatisfatório algum; aparentemente, não foi observado aumento na elevação com a pernaesticada. Em 20 de junho do mesmo ano, foi investigada a causa do fracasso dotratamento. Verificou-se que a principal dificuldade do paciente estava em se curvarpara diante. Em consequência, o uso do método do estiramento lombar foi alterado,aplicando-se então mais vezes a extensão para trás, adicionando a técnica doestiramento de membro inferior. Os sintomas desapareceram totalmente após 10 diasde tratamento. A elevação das pernas esticadas voltou ao normal. Foi também prescritoexercício médico para consolidar o tratamento. Depois de 10 dias, o paciente estavarecuperado e deixou o hospital. CasoWang —, sexo masculino, 29 anos. Duas semanas antes da sua hospitalização, forasubitamente acometido de dor baixa lombar, irradiada para a parte inferior da perna.Como tivesse feito longa caminhada através de montanhas e rios, estava exausto esofria de um ataque de dor lombar. Nos três últimos anos, havia104
  • 101. Protrusão de Disco Intervertebral Lombar : história de dor lombar intermitente. Esta ocorrência mais recente foi a mais - - e: a dorse irradiava para a parte posterior do joelho da perna esquerda, e «via uma sensação dedormência na parte externa da panturrilha. A marcha de renos de 100 metros causava-lheaumento da dor lombar e da perna, fazendo-o "fincar. Ao exame, descobriu-se uma áreade dor à pressão nos músculos : ira vertebrais no lado esquerdo da 4a e 5a vértebras. Aperna esquerda podia ser eáevada 30 graus. Os músculos da panturrilha esquerda estavamaté certo ponto r: -xos e moles. Uma chapa radiológica indicava a presença de hérnia deum disco intervertebral. Foi diagnosticada hérnia de disco intervertebral lombar. Depoisda aplicação das mencionadas massagens 3-4 vezes, a dor lombar desapareceu e aelevação da perna esticada também se aproximou do normal. Mas permaneceram dor einchação no ílio esquerdo e na nádega. Os métodos de estiramento lombar e de membroinferior não prosseguiram. Além do exercício médico, foi aplicado mais rolamento naregião lombar, nádega e área ilíaca. Depois de 20 dias, os sintomas tinham desaparecidototalmente e ele deixou o hospital.d) Outro tratamento: As circunstâncias permitindo, pode haver maior benefício quandose combinam outros tratamentos à massagem. E nos casos agudos, os resultadosterapêuticos são melhores quando é possível o repouso completo no feito durante otratamento. Os casos mais difíceis de tratar são aqueles em que o 5o disco intervertebralestá herniado. Nesses casos, deve-se tomar cuidado na escolha dos métodos apropriadosde tratamento. Finalmente, com base nos conhecimentos adquiridos em nossa clínica, aqui vãoalgumas ideias preliminares sobre os princípios obedecidos no tratamento dessa doençapela massagem:a) Ação redutora das técnicas de massagem: No tratamento dessa doença pela massagem,são usadas manipulações passivas, como o método do estiramento lombar. Isso porque aação cinética sobre a coluna espinhal faz com que os tecidos do disco intervertebralherniado voltem à sua posição original. Este pode ser um dos mais importantes princípiosno tratamento de hérnia de disco. O fato de que os sintomas foram grandemente aliviadosdepois de um tratamento nos casos de lesão aguda descritos antes ajuda a demonstrar esseponto. Outro exemplo é dado a seguir: Caso Shao —, sexo masculino, 25 anos. Por meio de exame e história médica, a doença foi diagnosticada como hérnia de disco intervertebral lombar. Foi feita 105
  • 102. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMlaminotomia, sendo a hérnia removida. Exposto o tecido do disco entre a 5a lombar e Iasacra, foi encontrado um nódulo redondo, elástico, herniado, de 1x0,5cm na parteexterna ântero-superior no primeiro nervo sacro. Foi aplicado então o método doestiramento lombar. Quando o quadril era curvado para diante, a distância entre a 5 aapófise lombar e a Ia sacra tornava-se maior; quando a perna era esticada para trás, esteespaço alcançava a ultrapassava o normal, transformando-se finalmente em estreitafenda. Depois de aplicar cinco vezes esse método de massagem, o nódulo herniadodesapareceu completamente. O exame da área.herniada mostrou que a sua elasticidadetinha também voltado ao normal. O exemplo descrito mostra que a manipulação passiva pode reconduzir o discointervertebral à sua condição original. Contudo, em alguns casos já crónicos énecessário tempo mais longo para se alcançar a redução. CasoZhang —, sexo feminino, 19 anos. Foi diagnosticada hérnia de disco entre a 5a lombare a Ia sacra antes da operação. A doença já contava com seis meses de evolução. Aterapêutica pela massagem foi tentada seis vezes no ambulatório, sem êxito. Então elafoi operada. Durante a operação, no meio da raiz do nervo, em direção ao seu ladointerno, foi encontrado um objeto protruso de consistência relativamente firme.Procedeu-se à sua extração. Quando o núcleo pulposo foi curetado, verifícou-se que oobjeto havia se degenerado em massa congelada sem fluidez. O seguinte exemplo ilustra o fato de que quando o núcleo pulposo já degenerou,provavelmente não será possível reduzir o disco protruso com uma aplicação demassagem. Se as alterações patológicas no disco são ainda mais graves, mesmo umlongo programa de massagem não fará com que ele volte ao normalb) Liberação de aderências: Aceita-se em geral que a massagem produz umafrouxamento de aderências locais aos tecidos perto da lesão, aliviando a inflamaçãodos nervos e liberando suas raízes. Mas a massagem também faz cessar a dor, melhoraa circulação, reduz a inchação e absorve o sangue extravasado. Em nossas observações clínicas, verificamos que em quase todos os casoscrónicos o resultado da massagem não se manifestava nos estágios iniciais dotratamento. Contudo, quando a massagem era mantida durante longo período detempo, o seu efeito terapêutico aumentava gradativamente. Considerando isso,concluímos que o método do estiramento de membro inferior produz a106
  • 103. Protrusão de Disco Intervertebral Lombarama liberação das raízes nervosas das aderências circunjacentes. Observamos tambémque, durante a operação no disco intervertebral, quando a prova da elevação da pernaesticada era executada, as raízes dos nervos nos espaços intervertebrais se moviam. Asaplicações do método do estiramento de membro inferior, em casos onde não há dor,davam em resultado o aumento da altura da elevação da perna esticada. Isso indica apossibilidade de que o estiramento do membro inferior gradativamente destrua asaderências das raízes nervosas. Em alguns casos, permaneciam sintomas após aoperação, que podiam com frequência ser tratados por massagem. Em certo número decasos, os sintomas pós-operatórios eram provavelmente causados por aderências pós-operatórias. Portanto, vemos que a massagem pode ser usada para tratar sintomas pós-operatórios. Isso ajuda a ilustrar o uso de massagem na liberação de aderências. CasoWu —, sexo masculino, 34 anos. Durante sete anos, queixara-se de dor na regiãolombar e perna direita, resultante de queda de cavalo. Em consequência, fora levado aohospital para exames médicos. Os estudos radiológicos do núcleo pulposoconfirmaram um prolapso entre o 4o e 5o discos intervertebrais lombares. Sua operaçãofoi no dia 15 de abril. Permaneceram sintomas pós-operatórios de dor irradiada naperna direita, e sensação de dormência no lado externo da panturrilha. A pernaesquerda foi levantada até 35 graus; a esquerda, até 50. Vinte dias após a operação, aincisão estava bem cicatrizada, mas os sintomas não mostraram qualquer sinal deredução. Foi logo iniciado tratamento pela massagem. Após a quarta sessão demassagens, as dores de que ele se queixava na perna e a sensação de dormênciadiminuíram. A elevação da perna direita aumentou para 60 graus e a da esquerda para80. Depois de 11 aplicações de massagem, desapareceram completamente a dor e adormência. A elevação da perna direita era de 80 graus e a da esquerda de 85.Contudo, a força dos músculos lombares era bem pequena. Interrompeu-se amassagem, o paciente sendo instruído sobre exercício médico. Foi-lhe aconselhadocontinuar os exercícios depois que deixasse o hospital.c) Outras funções: O amassamento e o rolamento locais podem aliviar a dor, relaxar atensão excessiva dos músculos e prevenir a tensão ou a atrofia muscular. O método darotação lombar tem efeito positivo sobre deformidades das vértebras lombares e ajudaa melhorar as forças compensadoras do corpo. O estiramento do membro inferior podetambém levar à eliminação da lesão patológica que deu origem à dor da perna afetada. 107
  • 104. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM 2. Espondilite ReumatóideA espondilite reumatóide é um tipo particularmente bem conhecido de alteraçãopatológica da coluna vertebral na artrite reumatóide. As alterações patológicas atacamtodos os tecidos formadores das articulações, dando em resultado rigidez e deformação.Os doutores da medicina tradicional chinesa consideram-na um tipo de paralisia e adividem em três formas diferentes: paralisia da marcha, paralisia dolorosa e paralisialocalizada. O vento, o frio e a umidade, os chamados três males externos, segundojulgam, atacam o corpo, dando origem à doença. A paralisia da marcha é causada pelovento, a paralisia dolorosa pelo frio, e a paralisia localizada pela umidade. EtiologiaA verdadeira causa da doença ainda não é completamente conhecida. Sabemos apenasque alguns fatores estão definitivamente relacionados com a sua ocorrência. Algunscasos irrompem após sintomas como os de resfriado comum, amigdalite ou sinusite. Oscorpos de alguns pacientes contêm focos infecciosos crónicos, como amigdalite oudentes cariados. Alguns casos são considerados ligados à infecção estreptocócica,porque a taxa de aglutininas de estreptococo hemolítico está alta no soro sanguíneo dopaciente. Algumas vezes, o traumatismo perto de uma articulação produz queda deresistência à infecção, permitindo que se instale a artrite reumatóide. Pessoas um tantotensas ou que se preocupam com frequência também são susceptíveis à doença. A vidae o trabalho em ambiente úmido, atacado pelo vento, pelo frio e pela umidade, tambémtêm definida relação com a doença. SintomasNa minoria dos casos, os sintomas de espondilite reumatóide irrompem de forma agudaapós um resfriado. Esses sintomas incluem febre e dores generalizadas pelo corpo.Muito importante é que toda a coluna vertebral ou parte dela fica dolorosa, hádificuldade em se virar e o pescoço, dolorido, não pode girar. Na maioria dos casos,contudo, a evolução é lenta e crónica. Há dolorimento na região vertebral, fixa emdeterminado local ou errante. Quando o tempo é variável, como o geralmente nublado echuvoso, a dor aumenta. Ela vem e vai, mas nunca cessa inteiramente. Gradativamente,desenvolve-se uma hipoativida-de da coluna vertebral. A espinha não se curva paradiante ou para trás e seus movimentos laterais também se tornam limitados. Por causadisso, há um óbvio108
  • 105. Espondilite Reumatóidedeclínio da capacidade de se vestir e calçar sapatos, de curvar a região lombar, deapanhar coisas do chão etc. Finalmente, leva a deformações da curvatura lombar ecorcunda, e o paciente não pode sentar-se por muito tempo carregar cargas pesadas oudeitar-se estendido. A atividade normal diária torna-se difícil, e a capacidade detrabalhar declina. Ao mesmo tempo, como as articulações entre as costelas e asvértebras são atacadas e seus movimentos dificultados, é afetada a capacidade derespirar. Na sua fase final, a doença é acompanhada de anemia, anorexia, tonturas,insónia e psicastenia — manifestações de fraqueza sistémica. Outra característica é quea doença ocorre frequentemente nos homens. DiagnósticoComo a doença é dificilmente diagnosticada em suas fases iniciais, costuma passardesapercebida. Ela é mais facilmente diagnosticada nas fases posteriores, com base nossintomas já mencionados. A contagem e classificação dos leucócitos e a avaliação dasedimentação do sangue ajudam a identificar a evolução da situação das alteraçõespatológicas. Para um diagnóstico preciso, a radiografia é o melhor método. Asexposições devem ser das partes anterior e lateral da coluna dolorosa. Algumas vezes, énecessário incluir os dois lados das articulações sacro-ilíacas e dos quadris. Podem serobservados nas radiografias os aspectos especiais da espondilite reumatóide. Em geral,são evidentes depósitos de cálcio nas pequenas articulações da coluna vertebral, assimcomo proliferação óssea nas bordas do corpo vertebral. Daí o espaço articular se tornarembaçado. Em casos típicos, a coluna vertebral adquire o aspecto da chamada "seçãoem bambu" ou de "queda-dágua". TratamentoEste é um tipo de doença crónica. No curso do tratamento, fale ao paciente claramentesobre a sua doença e sobre que resultados a aplicação de massagem pode alcançar. Aestreita cooperação entre o médico e o paciente é um importante fator para nosassegurarmos de que o tratamento seja eficaz. De fato, é o paciente gravementeenfermo que resolutamente executa seu próprio tratamento, por meio de massagem eexercício médico dirigido, e que pode melhorar e readquirir sua força de movimento.a) Massagem: (i) Normalmente é usada a posição de bruços, com o peito e o ventreacolchoados por travesseiros na altura adequada. Se as alterações 109
  • 106. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMpatológicas são principalmente localizadas na parte superior do dorso ou se as costas dopaciente são demasiado rígidas para lhe permitir deitar-se de bruços, então é usada aposição sentada.(ii) Primeiro execute o método do empurrão com a polpa do polegar de cadalado da coluna vertebral, e depois faça uma fricção circular do dorso com ospolegares ou aplique o método da fricção com a palma ou o método doafundamento na mesma área. Vá de cima para baixo e deste ponto para cima,para trás e para diante, durante mais ou menos 10 minutos.(iii) Aplique a massagem em pontos de acupuntura: Se as alterações patológicasestão principalmente situadas na parte superior do dorso ou na região dopescoço, use os pontos fengchi, fengfu, jianjing e dazhui. Se as alteraçõespatológicas estão principalmente localizadas na área lombar e na região doquadril, podem ser usados os pontos shensu, mingmen, oito liao e huantiao.Aplique os métodos do afundamento com o dedo, da vibração com o dedo e doempurrão com a ponta do polegar em todos os pontos mencionados. A massagem é aplicada principalmente para relaxar os músculos, aumentar acirculação do sangue e fortalecer a resistência do corpo.(iv) Com base no local da degeneração patológica, vários tipos de exercícios porrotação e estiramento são adotados. No tratamento dessa doença, estas são aschaves para restaurar a capacidade locomotora. Na execução dessas técnicas,deve haver destreza em numerosas diferentes posições. Para a rotação dopescoço ou rotação lombar, é recomendada a posição sentada; para a firmepressão na coluna vertebral, uma posição de bruços; para a rotação do quadril eestiramento dos membros inferiores, uma posição supina. Na execução dosvários tipos de movimento, coisa importante é gradativamente girar e tracionaras articulações anquilosadas. Em nossa experiência, verificamos que a anquilosearticular não é absoluta, mas lembra a situação em que as correntes que giramem torno do eixo da caçamba do poço, enferrujadas, ficam imobilizadas. Se seemprega a quantidade adequada de força à articulação "enferrujada", então estapode ser afrouxada gradualmente. Contudo, o afrouxamento de cada vez nãodeve ser demasiado grande. O uso de força na manipulação terapêutica deve seradequadamente ajustado. Deve-se usar força suficiente de cada vez, paraalcançar um pequeno afrouxamento, em grau suportável, para o paciente. Emcaso de uso de força demasiada, não somente o paciente pode não suportar ador, como podem ocorrer hemorragia e inchação articulares, até mesmo febrealta etc. Além disso, o progresso do tratamento pode ser afetado.110
  • 107. Espondilite Reumatóide(v) Diferentes aspectos da doença requerem tratamentos diferentes. Quando adegeneração patológica está em fase ativa e o paciente sente dor intensa, febre esedimentação alta do sangue, a massagem por tração e por fricção do dorso e amassagem dos acupontos podem ser a base do tratamento para fortalecer a constituiçãodo doente. Quando a degeneração da lesão mostra principalmente anquilose, sãoaplicados vários tipos de manipulação passiva para liberar as articulaçõesanquilosadas. Contudo, a doença do paciente é em geral composta, de modo que váriastécnicas devem ser habilmente combinadas. Alguns casos de anquilose estão emsituação muito crítica, perto da paralisia. Nesses casos, deve ser elaborado um plano demetas, a serem cumpridas uma de cada vez. Nos casos em que a maioria dasarticulações está anquilosada, deve ser resolvido primeiro o problema mais importante.Em geral, começa-se liberando a articulação coxal, restaurando a capacidade de andardo paciente. Depois, passa-se ao problema do restabelecimento das articulações dacoluna vertebral.b) Outro tratamento: Alguns hormônios, como a prednisona etc, tomados por via oral,podem ser usados no tratamento do paciente em fase ativa. Mas na fase crónica,fisioterapia com eletroterapia e hidroterapia podem ser combinadas com a massagem,ou ser usada a adequada indicação herbária chinesa. Se a doença se tornar mais gravedurante o inverno, e o paciente mostrar tendência a sentir frio, podem ser usadas asseguintes ervas:Shudi 3 liang Rehmannia glutinosa (raiz cozida)Shouwu 3 liang Polygonum multiflorum Thunb. (raiz)Congrong 3 liang Cistanche deserticolaFuzi 1 liang Aconitum carmichaeli Debx. (raiz)Xiangfu 3 liang Cyperus rotundus L. (rizoma)Yanhusuo 3 liang Corydalis yanhusuo (rizoma)Qinjiao 3 liang Gentiana macrophylla (raiz)Mugua 3 liang Chaenomeles lagenaria Koidz. (fruta)Danggui 3 Liang Angelica sinensis (raiz)Chenpi 2 liang Casca de laranja ou de tangerinaAs ervas são reduzidas a pó e transformadas conjuntamente em pequenas bolasenvoltas em açúcar. A dose é de 3 gian, duas vezes por dia. Para consolidar a eficiência da massagem e para promover o restabelecimento dafunção articular, devem ser iniciados precocemente, no curso do tratamento, osexercícios médicos. 111
  • 108. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM Resultado terapêuticoA massagem tem se mostrado satisfatória no tratamento dessa doença. A dor se agravaum pouco durante os primeiros dias do tratamento e depois começa a cedergradativamente. Passo a passo, a função articular e a respiratória podem ser melhoradasou restabelecidas. A dor cede no mesmo grau em que é restabelecido o movimentoarticular. Gradativamente, a atrofia muscular é reduzida e a força dos músculos érecuperada. O apetite e a saúde geral também melhoram aos poucos. O tratamentodessa doença pela massagem leva um tempo relativamente longo, cerca de três a seismeses. Mas mantendo-se o exercício médico por longo período de tempo, não somenteo resultado terapêutico é solidificado, como a função continua a melhorar. CasoZhou —, sexo masculino, 33 anos. Veio ao hospital para tratamento em fevereiro.Durante oito ou nove anos, tinha sofrido de dores no quadril e no joelho, e também naespinha. A dor ia e vinha, com o tempo chuvoso, e muito provavelmente aparecia naprimavera e no outono. Completou vários tratamentos, mas todos em vão.Ultimamente, as dores apareciam com frequência. O movimento da coluna vertebralestava obviamente limitado, e, ao andar, ele apresentava curvatura lombar e corcunda.Ao exame, com a espinha curvada para diante, as pontas dos seus dedos tocavamapenas os joelhos, e ele não conseguia se curvar o bastante para calçar os sapatos. Acapacidade vital do seu pulmão era apenas de 2.450 ml. As radiografias mostraram osaspectos específicos da espondilite reumatóide: a região toracolombar da colunavertebral já apresentava degeneração em "seção em bambu" e em "queda-dágua".Havia dor e inchação como reação às primeiras duas sessões de massagem, mas depoisa doença gradativamente cedeu. Depois de meio mês, ele se sentia melhor, a dor haviadiminuído e o movimento da espinha estava mais livre. Após três meses de massagens,as dores tinham desaparecido completamente. Somente em dias escuros e chuvosos,ocasionalmente, pequena dor aparecia. A mobilidade da coluna vertebral estavagrandemente aumentada. Quando ele se curvava para diante, as pontas dos seus dedoschegavam até 15 cm abaixo dos joelhos. Ele podia curvar suas vértebras lombares paraapanhar coisas no chão e calçar os sapatos. A capacidade vital de seus pulmõesalcançava 2.900 ml. As radiografias seguintes não mostraram mais sinais dedegeneração. Depois de seis meses de tratamento, as dores tinham desaparecidocompletamente e a coluna vertebral até se movia mais livremente. Portanto, otratamento foi interrompido. Um112
  • 109. Espondilite Reumatóideinterrogatório dois anos mais tarde mostrou que a sua doença permanecera estável eque não houvera outros surtos. CasoWang —, sexo masculino, 51 anos. Ele tinha tido uma dor no pescoço durante sete ouoito anos. O excesso de trabalho e o tempo nublado e úmido fizeram com que as doresse tornassem cruciantes. O pescoço tornou-se rígido; ele não podia mover a cabeça, equando o fazia a dor piorava. A dor era tão forte que lhe afetava o sono. Exame: atemperatura do corpo era normal; os músculos do pescoço eram tensos e dolorosos aotoque; a cabeça só girava cerca de 15 graus. As radiogragrafias mostraram que setratava de espondilite reumatóide: era a degeneração na 4a, 5a e 6a vértebras cervicais.Após a primeira sessão de massagens, ele subitamente sentiu-se aquecido econfortável, a dor cedeu consideravelmente e ele podia girar a cabeça de um lado parao outro. Depois de 10 sessões, a dor tinha desaparecido completamente e a mobilidadedo pescoço voltara ao normal. Uma pesquisa, três meses mais tarde, revelou que nãohouve recidiva dos sintomas. CasoXu —, sexo masculino, 40 anos. Veio para tratamento em outubro. Tivera dores naregião lombar, ombros e costas durante 10 anos. Nos últimos três anos, elas tinhampiorado. As vértebras lombares e os quadris se anquilosaram gradativamente, e eleperdera aos poucos a capacidade de andar, tendo que se apoiar em duas bengalas. Omovimento era extremamente difícil; ele estava quase paralítico. Exame: foi verificadoque seu estado geral de saúde ainda era bom. Havia óbvia anquilose nas vértebras daárea lombar e nas articulações dos quadris. Estas podiam dobrar 90 graus, mas nãopodiam se estender para trás. Elas faziam adução cerca de 5 graus e não faziamabdução. Havia evidente atrofia dos músculos dos membros inferiores. Em supinação,ele podia levantar um pouco as pernas esticadas, mas não contra resistência. (Asradiografias mostraram evidentes sinais de artrite reumatóide na coluna, na regiãolombar inferior, nas articulações sacro-ilíacas e nos quadris.) Nas primeiras poucasmassagens, a dor aumentou, mas depois de meio mês ela começou a ceder. Aintensidade da manipulação passiva foi gradualmente aumentada, a anquilose articularsendo aos poucos liberada. Embora tenha havido alguma reação dolorosa a cadatratamento, o paciente manteve obstinadamente seu programa 113
  • 110. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM Exercício Médico (i) Levantamento do peito: Como no tratamento de disco intervertebral lombar herniado. (Veja Diagrama 64, pág. 101.) (ii) Extensão de perna para trás: Em posição de pronação (deitado de bruços), estenda a perna esquerda para trás e para cima, o quanto mais alto melhor, esticando o joelho. (Veja Diagrama 68.) Abaixe as pernas depois de manter a posição mais alta durante meio minuto. Alterne as pernas, fazendo cada uma 20- 40 vezes o movimento. DIAGRAMA 69 (iii) Giro lombar: Fique de pé, com as pernas afastadas na distância da largura dos ombros, e os braços levantados igualmente dos dois lados. Gire o pescoço e a cintura para um lado o máximo possível. O movimento não pode ser rápido, mas deve-se fazer todo o esforço para girar o mais que se puder. (Veja Diagrama 69. Primeiro, gire para a esquerda, depois para a direita. Repita o processo 20-5C vezes114
  • 111. Espondilite Reumatóide(iv) Curvamento lombar: Fique de pé, com as pernas afastadas na distância dalargura dos ombros. Conservando as pernas esticadas, dobre a cintura paradiante, curvando-se gradativamente até que as mãos toquem o chão. (VejaDiagrama 66, pág. 101.) Depois, execute a extensão lombar para trás (VejaDiagrama 67, pág. 101.) Em seguida, faça curvamentos lombares para aesquerda e para a direita. (Veja Diagrama 70.) Peça ao paciente que dobre cadavez mais a cintura. Dobre 20-30 vezes em cada direção.(v) Exercício do saco de areia: Adequado para o paciente sem força nos músculosdas pernas. O paciente fica em supinação. Encha um saco de linho com cerca de20 catties] de areia. Comece com 7-8 catties. Prenda o saco no tornozelo dopaciente, fazendo-o esticar a perna e levantar o de areia. (Veja Diagrama 71.) Olevantamento deve ser repetido 10 vezes. Se o paciente pode levantar a pernamais de 16 vezes, então o peso não é suficiente, devendo-se acrescentar maisareia. Se ele puder levantar menos de seis vezes, o peso é demasiado grande,devendo-se reduzir a quantidade de areia. Alterne 60 movimentos em cadaperna. A medida que a função melhora, aumente gradativamente o peso do sacode areia. 115
  • 112. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMde exercício médico, participando ativamente no tratamento. Depois de cerca de sete aoito meses, a dor e a anquilose tinham desaparecido e ele pôde andar com facilidade.Finalmente, voltou ao trabalho. 3. Tensão LombarA tensão lombar é um tipo crónico de doença frequentemente observada emtrabalhadores braçais, especialmente aqueles envolvidos em trabalhos que exigemmovimento da área lombar ou que carregam pesadas cargas. Por exemplo, muitostrabalhadores em fundições sofrem desse problema. EtiologiaOs ligamentos e músculos em torno das vértebras lombares não se restabeleceramcompletamente ou são continuamente lesados; não há história de lesão aguda, mas aconstituição geral é relativamente fraca. Há também aqueles indivíduos que lidam comtrabalhos físicos pesados e que não podem compensar as anormalidades originalmenteexistentes na coluna vertebral. Todas essas situações podem dar em resultado essadoença. Contudo, há alguns pacientes com boa constituição, sem história de traumatismoagudo, e nos quais a doença se instala gradativamente, devido a longos períodos decurvamento excessivo da região lombar ou de carregamento de cargas pesadas nascostas. Isso é também chamado de "tensão ocupacional". SintomasA dor na região lombar inferior é o sintoma básico dessa doença. Acontece mais vezesno meio da coluna vertebral lombar inferior. Pode também frequentemente ocorrerdores de cada lado da espinha e na crista ilíaca. Algumas vezes, a dor é intensa; outrasbranda. Geralmente, a dor é pequena de manhã e intensa à tarde. Agrava-se com aposição sentada prolongada, com o cansaço excessivo ou como tempo úmido. Quandoos sintomas são intensos, o paciente tem dificuldade de fazer qualquer trabalho, e até osentar-se erecto ou o girar na cama pode ser difícil. São também afetados o sono e oapetite DiagnósticoPode ser feito um diagnóstico preliminar baseado na etiologia e nos sintomas. Deve serfeita cuidadosa palpação local para se detectar a presença de116
  • 113. Tensão Lombarmassa dura no músculo, para testar o grau da tensão muscular e verificar se existealgum ponto definido de dor à pressão, e para avaliar a intensidade dessa dor. Aomesmo tempo, deve-se tomar o cuidado de distinguir a dor lombar devida a outrascausas. Se a dor é causada por inflamação crónica da cavidade pelviana, a aplicação demassagens terá pouco resultado. A massagem é contra-indicada quando a dor é devidaà degeneração inflamatória, como a tuberculose vertebral etc. Se necessário, deve serfeita radiografia para auxiliar na eliminação de outras alterações patológicas comocausa da dor e para chegarmos a um diagnóstico definido Tratamentoa) Massagem: Métodos normais e sequência;(i) O paciente deita-se de bruços; suas mãos são colocadas de cada lado docorpo. Um ou mais travesseiros são colocados debaixo do ventre, e faz-se comque todos os músculos relaxem. Em primeiro lugar, aplica-se o método dafricção com a palma, partindo da área livre de dores do dorso e gradualmenteindo em direção à área da dor. As manipulações devem ser feitas com leveza,para não causar dor, antes tornando confortável a área massageada.(ii) Em seguida, é empregado o método do amassamento com a base da palmada mão ou o método do rolamento, com gradual aumento de intensidade, decada lado da espinha, indo para cima e para baixo várias vezes.(iii) Em terceiro lugar, com o polegar, aplica-se o método do amassamentoprofundo no principal local da dor. Ele pode ser combinado simultaneamentecom outros métodos, como o do afundamento com o dedo, vibração com o dedoe amassamento com o polegar. Usando todos esses métodos, a massagem podeser aplicada em acupontos como o shenshu, o mingmen e os oito liao (shangliao,zhongliao etc). É também usado o método do empurrão com a ponta dopolegar. Pode ser aplicada ainda massagem de acuponto nos locais de maisintensas dores à pressão(iv) Finalmente, na conclusão da massagem, são novamente aplicados osmétodos do amassamento e do rolamento. Ao mesmo tempo, os métodos darotação e flexão nos membros inferiores podem ser aplicados levemente.Métodos para aplicações específicas: (i) Quando a doença é causada por lesão crónicados ligamentos interespinhosos, frequentemente a dor é limitada a uma 117
  • 114. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMcerta apófise espinhosa ou espaço intervertebral exatamente no meio da coluna. A dorocorre com a flexão para diante ou a distensão para trás da espinha, e há um pontolocal fixo doloroso. Deve-se dar ênfase ao método do amassamento com o polegar e aométodo do empurrão com a ponta do polegar, que são aplicados na área dolorosaadjacente. A força do polegar deve gradualmente penetrar com profundidade na áreadolorosa e daí comprimir-se em direção à área circunjacente.(ii) Se a doença é devida a uma lesão crónica dos músculos lombares, a maiorintensidade da dor localiza-se na parte inferior dos músculos nas vértebras sacrasou nas inserções superiores dos músculos lombares. O retesamento muscular nosdois lados é frequentemente grande. Há dor quando a espinha é curvada paradiante e os lados do corpo são movimentados. Algumas vezes, podem serencontrados nos tecidos moles uma massa tumefata ou um caroço duro. Namassagem dos músculos, devem ser usados principalmente os métodos doamassamento e do rolamento. O método do amassamento com o polegar éempregado no local da dor ou na massa edemaciada. Numa fase posterior, podeser usado também o método do repuxamento do sistema energético. Os métodosdo amassamento e do rolamento devem ser combinados com a rotação c oestiramento dos membros inferiores.(iii) Quando não há história de lesão externa e a tensão dos músulos lombares édevida apenas à deformidade espinhal ou excesso de cansaço na região lombar, ese os músculos do paciente apresentam alterações patológicas associadas ainflamação dos faseias, haverá evidência de dor na região lombar, asssim comoretesameno muscular e dor à pressão em área relativamente grande. Amassagem deve ser branda. Na área local, são usados os métodos da fricção, doamassamento e do rolamento. É também importante a massagem de acuponto.Podem ser usados, além do jianyu, do mingmen e dos oito liao, acupontosdistantes nos membros inferiores, como o chengfu, o weizhong, o chengsham e otaixi.b) Outro tratamento: Além da massagem, podem ser usadas também a fisioterapia, aacupuntura e as fomentações com ervas. Quando a doença é devida à deformidadeespinhal ou fraqueza dos músculos lombares, devem também ser usados exercíciosmédicos. Podem ser indicados programas que corrijam a deformidade ou fortaleçam osmúsculos lombares. Ambos ajudarão a aumentar e consolidar os efeitos terapêuticos.118
  • 115. Tensão Lombar Resultado terapêuticoO resultado terapêutico da massagem na tensão lombar será grandemente aíetado peloprocesso patológico causador da dor lombar e pela duração da doença. Geralmente, otratamento pela massagem é eficaz nesta doença. (Para o tratamento pela massagem dedores lombares causadas por lesões ósseas ou deformidade da espinha, veja a seção sobreOutras Dores Lombares Crónicas, a seguir.) Isso se dá especialmente no caso da tensãoocupacional. São discutidas idiante medidas preventivas. CasoFang —, sexo masculino, 37 anos. O paciente tinha sofrido de dores lombares durantedois ou três anos. Não havia história de traumatismo, e a dor apareceu quando ele estavacansado. Exercício Médico Para Evitar a Dor Lombar (i) Aquecimento da região lombar: É feito em posição de pé ou na posição normal de trabalho. Com as bordas radiais de ambos os punhos (os "olhos" dos punhos), friccione para cima com força ao longo de ambos os lados da espinha. Faça isso 50-200 vezes, friccionando até que a região lombar fique quente. Quando se usa a posição normal de trabalho, pode-se lentamente passar para uma posição erecta de pé ao mesmo tempo. Uma vez erecto, continue até que o adequado aquecimento e o número de fricções sejam alcançados. (ii) Distensão da região lombar. Semelhante aos movimentos necessários para a distensão de "cintura cansada". Fique de pé, com as pernas afastadas na largura da distância dos ombros. Levante as duas mãos, ao mesmo tempo inspirando, distendendo o ventre, estendendo a cintura para trás o máximo possível e contraindo todos os músculos. Depois, abaixe as mãos até sua posição original, expire e relaxe. Repita várias vezes. (iii) Curvamento da cintura: Descrita nos exercícios médicos para a hérnia de disco intervertebral. (Veja Diagrama 66.) (iv) Fortalecimento da cintura: Fique na posição de arqueiro, com a perna direita um passo adiante, a mão direita apoiada na coxa direita e a esquerda apoiando o 119
  • 116. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM lado esquerdo da área lombar. Baixe o centro de gravidade do corpo, empurrando a área lombar com a mão esquerda e fazendo pressão sobre o joelho com a mão direita. Incline-se para trás, na cintura, olhando para cima, e vergue-se elasticamente para trás várias vezes, aumentando gradualmente a extensão do movimento. Mova as pernas e as mãos repetidamente. Alterne os movimentos 4-8 vezes. Abaixe o centro de gravidade do corpo, faça pressão sobre a região lombar com a mão esquerda, sobre o joelho com a mão direita e curve a parte superior do corpo para trás. Repita várias vezes de modo frouxo e rítmico, aumentando gradualmente o número de flexões da região lombar. Depois execute os mesmos movimentos com a perna esquerda adiante e a mão direita fazendo pressão na região lombar. Repita isso 4-8 vezes. Nos dois meses anteriores, os surtos de dor tinham sido mais intensos. A dor eraagravada pela demorada posição sentada ou de pé, e afetava o sono. A medicação oralnão era eficaz. Ao exame, havia um caroço duro, do tamanho de uma noz, e dor àpalpação dos músculos do lado esquerdo da região lombar. A radiografia da regiãolombar não mostrou alterações patológicas no osso. Foi feito o diagnóstico de tensãolombar. Depois de quatro sessões das massagens descritas, o paciente sentiu que sua dorestava melhorando. Após duas semanas de tratamento, a dor foi reduzida ao ponto denão mais afetar o sono. Ao cabo de 40 sessões de massagens, a dor tinhaessencialmente desaparecido e o caroço duro claramente amolecido. Os sintomas nãovoltaram. 4. Outras Dores Lombares CrónicasA dor lombar é um sintoma extremamente comum. Pode ser a manifestação de umagrande variedade de doenças. Além de hérnia de disco intervertebral, tensão lombar eespondilite reumatóide, mencionadas antes, há outras causas de dor lombar crónica,como fratura antiga e compressiva ou megalo-espondilite lombo-sacralizada ou sacro-lombarizada. A terapêutica pela massagem tem resultados favoráveis em todas elas.Como os métodos de massagem indicados são na maioria semelhantes, essas doençassão descritas conjuntamente a seguir. EtiologiaNa fratura compressiva da espinha, há em geral história de lesão aguda. Nas outrasdoenças, usualmente não há história evidente de traumatismo, mas lento120
  • 117. Outras Dores Lombares Crónicasdesenvolvimento da doença. As doenças são principalmente devidas a alterações nalinha de força vertebral que causam alterações regressivas de graus diversos na colunavertebral. Estas afetam a fisiologia normal, dando origem à dor lombar. SintomasO sintoma comum dessas várias doenças é a dor lombar crónica. Frequentemente, éuma dor persistente que ocasionalmente se torna cruciante. Geralmente, a dor se tornamais intensa devido a excesso de trabalho, ou em dias sombrios, chuvosos. Em geral,está localizada na região lombar, mas algumas se localizam nas costas e outras aindaaparecem num ou nos dois nervos ciáticos, levando a uma fraqueza nas pernas,dormência na panturrilha etc. A doença prolongada pode afetar as funções sistémicas,assim como a capacidade de trabalho. DiagnósticoUm diagnóstico preliminar é feito com base na história do paciente e nos sintomas.Durante o exame, com frequência podem ser descobertas anomalias externas da regiãolombar. Manifestações disso são que a seção lombar da coluna vertebral está plana euniforme e que o arco fisiológico anteriormente convexo diminuiu ou desapareceu.Alguns pacientes podem apresentar curvatura lateral da espinha. Um diagnóstico finalpode ser feito, e o local e grau das alterações patológicas podem ser conhecidos pormeio de exames radiológicos. Tratamentoa) Massagem: (i) O paciente está deitado de bruços. O peito e a região abdominal sãoapoiados em travesseiros. Aplique os métodos da fricção, amassamento e rolamentopara relaxar os músculos para vertebrais.(ii) São usados os métodos do empurrão com o polegar e do rolamento em massagensprofundas, concentrando-se nas áreas dolorosas. Os métodos do empurrão com opolegar, do afundamento com o dedo e da vibração com o dedo são aplicados nosacupontos correspondentes das áreas dolorosas e no local da dor 121
  • 118. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM( i i i ) Movimentação passiva da área lombar: Via de regra, usa-se a extensão forçadapara trás. Veja Diagrama 46, pág. 55.) Não há necessidade de grande força, mas aextensão deve ser repetida cerca de 10 a 20 vezes. Quando há sintomas de ciática,pode-se acrescentar o método da inclinação e extensão para trás. Este procedimento érepetido 5 ou 6 vezes, usando-se um pouco mais de força na última extensão.b) Outro tratamento: Outras fisioterapias podem ser usadas em conjunto com amassagem. O número de sessões de massagens não necessita ser muito grande — cercade 10 ou 15. Quando a dor diminuir ou desaparecer, encoraje o paciente a executar umlongo programa de exercícios médicos de pelo menos três a seis meses, para corrigir aforma da espinha e fortalecer os músculos paravertebrais. Resultado terapêuticoNo início do tratamento e da ginástica médica pode haver intensa dor lombar. Antes dotratamento, deve ser explicado ao paciente que isso é normal. Explique claramente aimportância do exercício médico durante longo tempo, para consolidar e aumentar oefeito terapêutico, e encoraje o paciente a adotar firme decisão de combater com afincoa doença CasoGao —, sexo masculino, 42 anos. Durante cinco ou seis anos sofreu de dor lombar.Embora não houvesse história de traumatismo, os sintomas gradualmente se tornarammais intensos. Nos últimos dois anos, estavam dado origem a ciática bilateral. No ladodireito foi mais grave. A perna direita estava dormente, dolorosa e fraca. O examemostrou que a coluna lombar estava plana e igual, e os músculos lombares obviamenteatrofiados. Havia dores à . pressão nos dois lados dos músculos espinhaisparavertebrais, especialmente na área lombar inferior. A elevação da perna direitaesticada provocava dor quando ela alcançava 50 graus. Os reflexos patelar e docalcanhar direito estavam mais fracos do que os do lado esquerdo. Foi observado, nosexames radiológicos, lombo-sacralização, e uma falsa articulação já havia se formadono lado direito. Nos últimos dois anos, foram tentados sem resultado muitostratamentos. Ele usava um cinturão de couro em torno da cintura e uma bengala.Depois de andar 250 metros, suas pernas ficavam dormentes e dolorosas, e ele nãopodia prosseguir. Esteve incapacitado para o trabalho há quase dois anos. Depois de122
  • 119. Outras Dores Lombares Crónicas Exercício Médico(i) Elevação do peito: Veja exercícios médicos para a hérnia de discointervertebral, pág. 100 e Diagrama 64, pág. 101.(ii) Extensão para trás das duas pernas: Deite-se de bruços, com as pernas unidasfirmemente e esticadas. Tente manter os joelhos esticados o máximo possível.Lentamente, eleve as duas pernas — quanto mais alto melhor — e conserve-asno ponto mais alto durante 30 segundos a 1 minuto. O músculo lombar vai ficarmuito tenso e muito forte. Quando essa posição não puder ser mais sustentada,abaixe lentamente as pernas e repouse por uns momentos. Repita um total de 5 a10 vezes. (Veja Diagrama 72).(iii) Pulo semelhante ao do peixe: Veja ginástica médica para hérnia de discointervertebral, pág. 100 e Diagrama 65, pág. 101.(iv) Estiramento lombar: O paciente fica em posição de pé, com as pernasafastadas na distância da largura dos ombros e as duas mãos apoiando a regiãolombar. Com um leve movimento de curvar, lance a cintura para diante e aplaneo ventre, repetindo 30 a 60 vezes e gradualmente aumentando o grau daextensão.(v) Suspensão lombar: Com as duas mãos, segure uma barra horizontal, como aparte superior da moldura de porta, e fique a uma altura que rjermitajios pésainda tocar no chão. (Veja Diagrama 73.) Pendendo, meiosuspenso, balance a região lombar frouxa e naturalmentepara diante e para trás, e de um lado para o outro. Aextensão do balanço pode ser gradualmente aumentada atéo ponto em que as vértebras lombares possam girar. Persistaaté que os braços não possam mais sustentar, repouse umpouco e depois repita várias vezes.
  • 120. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMquatro tratamentos, sentiu que a dormência nas pernas começava a diminuir. No finalde oito tratamentos, as dores na região lombar e nas pernas tinham claramente cedido,de modo que ele podia andar sem bengala. Ele começou depois um programa deexercícios médicos e foi encorajado a retirar seu cinturão de couro. Depois de 30tratamentos, todos os sintomas estavam completamente eliminados. Os músculosestavam notavelmente fortalecidos e não apareciam reações à marcha em certadistância. Após outros 15 tratamentos, ele se recuperou e deixou o hospital. Foiencorajado a manter o seu programa de exercícios médicos para consolidar o efeitoterapêutico do tratamento. 5. EntorsesA massagem tem efeito benéfico em tecidos moles, e isso é especialmente evidente nasentorses. Há grande variedade de entorses, inclusive todas as perturbações agudas queresultam de um súbito deslocamento ou torção. Segue-se uma descrição de entorses detecidos moles, envolvendo particularmente o excessivo estiramento de um ligamentoou lesão consequente. Os locais mais comumente observados de entorses são descritosadiante. Entorse do TornozeloA entorse do tornozelo é vista com frequência. Em geral, quando se fala de entorse detornozelo, na verdade queremos nos referir a uma lesão do ligamento maleolar externo.Poucas vezes ela ocorre no maléolo interno. A lesão se dá em virtude de um excessivoestiramento da articulação do tornozelo, que subitamente curva para fora ou paradentro além do limite do movimento articular, causando assim lesão do ligamentomaleolar externo. As lesões associadas a diferentes graus de entorse podem serdivididas em hipertensão do ligamento, sua rotura parcial e rotura total EtiologiaEsse tipo de lesão ocorre muito frequentemente durante marcha em terreno irregular oupulando de um lugar alto. A lesão resulta de súbita curvatura para fora ou para dentrodo pé124
  • 121. Entorses Sintomas(i) Dores: Quando ocorre lesão, aparece dor subitamente na parte externa (ouinterna) do tornozelo, tornando-se mais intensa durante a marcha ou carregandocarga pesada.(ii) Inchação: Em virtude de hemorragia localizada e da efusão de líquidotissular, a lesão dá em resultado a formação de edema. A inchação, na maioriadas vezes, fica parcialmente confinada à parte ântero-inferior do tornozelo.(iii) Área de hematoma debaixo da pele (contusão): Sua causa é a roturalocalizada de pequenos vasos sanguíneos, acumulando-se o sangue debaixo dapele. Em casos mais graves de entorse, a mancha de hematoma e a cor púrpura-azulada da pele estão habitualmente presentes na parte ântero-inferior dotornozelo.(iv) Claudicação: Em geral, logo após a lesão, o indivíduo passa a claudicar. DiagnósticoO diagnóstico é mais fácil quando há história de traumatismo juntamente comsintomas localizados. O ponto doloroso deve ser examinado, para que se identifique oprincipal local da lesão e para se chegar a um diagnóstico correto. Se necessário, deveser feito um exame radiológico para excluir fraturas e luxações. TratamentoDe acordo com o objetivo de acelerar a remoção do hematoma, de gerar novo sangue efacilitar o fluxo da energia vital e do sangue, a massagem é mais bem aplicada na faseaguda da entorse.(a) Massagem: (i) Aplique uma ligeira massagem por empurrão ou por fricção emtorno da área torcida.(ii) Aplique pesada manipulação estimulante como o método do afundamento com odedo ou da vibração no acuponto juegu (espaço entre a tíbia e o perónio) do membroafetado e continue manipulando essa área durante um minuto. Este é o chamadométodo de remoção da dor. 125
  • 122. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM(iii) Os métodos do empurrão, da fricção e do amassamento são aplicados emtorno da área torcida, ao longo da direção da veia e dos linfáticos de retorno.(iv) Adote as técnicas de massagem do empurrão e da fricção leves eprogressivamente mais pesadas, movendo gradualmente da periferia para ocentro da área lesada. Quando há inchação e contusão localizada, use o polegarpara aplicar, alternadamente, os métodos do dedo cortante e do empurrão demodo leve e suave, e com denso padrão de golpes na área inchada onde o sanguese acumulou (área da contusão). Faça pressão para cima, partindo da seçãoinferior do tornozelo para o ligamento cruzado e continuando até a inchaçãodesaparecer.(v) Logo após, aplique os métodos do afundamento com o dedo e da vibraçãocom o dedo para massagear pontos na área da lesão, como o juegu, chengshan,kuenlun, taixi, jiexi, pushen (abaixo do maléolo externo cerca de 2 cun,diretamente abaixo da cavidade kunlun, depressão ao lado do calcâneo) e rangu(na depressão adiante do maléolo interno e abaixo do escafóide).N.B.: Quando o método do afundamento com o dedo é aplicado, parta da superfíciepara/ o mais profundo, até que a reação seja produzida, e depois acrescente o método davibração e siga da profundidade para a superfície. Aplique massagem uma vez por dia durante 10 a 15 minutos, até que todos ossintomas tenham desaparecido.b) Outro tratamento: Na fase aguda da torção, é necessário combinar a massagem coma aplicação externa de um preparado chinês à base de ervas para melhorar a circulaçãoda energia vital e do sangue. As seguintes diferentes ervas devem ser totalmente transformadas em pó fino.Misture uma quantidade adequada com água morna para fazer um pasta. Coloque-anuma gaze, espalhe esta gaze na área afetada e mantenha no local uma faixa. Cubra aparte que fica entre o peito do pé e a parte superior do tornozelo. Depois da massagem,use a mesma prescrição num emplastro aplicado na área afetada.Chuanwu 6 qian Aconitum carmichaeli Debx. (raiz)Caowu 6 qian Aconitum chinense Pext. (raiz)Baizhi 1 liang Angelica anómala (raiz)Xiaohuixiang 2 liang Foeniculum vulgare Mil. (erva-doce; fruto)Rougui 2 liang Cinnamomum cássia Blume (casca)Ruxiang 3 liang Boswellia glabra (frankincense)Moyao 3 liang Commiphora myrrha Engler (mirra)Xuejie 3 liang Daemonorops draco Blume ("sangue-de-dragão")126
  • 123. EntorsesQianghuo 3 liang Notopterygium incisum Ting. (raiz)Duhuo 3 liang Angelica pubescens Maxim, (raiz)Xiangfu 3 liang Cyperus rotundus L. (rizoma)Niuxi 3 liang Achyranthes bidentata BI. (raiz)Xuduan 3 liang Dipsacus japonicus Mig. (raiz)Chuanxiong 3 liang Ligusticum wallichii Franch (rizoma)Chishao 3 liang Paeonia lactiflora Pall. (raiz de peônia vermelha)Zirantong 3 liang Cobre nativoDanggui 5 liang Angelica sinensis (raiz)Zijingpi 5 liang Cereis chinensis Bge. (casca) CasoWang —, sexo masculino, 17 anos, estudante. Caiu descuidadamente durante exercíciode salto, curvando o pé para dentro e torcendo-o. Apareceu logo inchação na área dotornozelo direito. Quando andava, a dor se agravava; simultaneamente, desenvolveu-seuma sensação de dormência. No dia seguinte ele veio ao hospital para tratamento. Oexame revelou que a circunferência do tornozelo direito estava evidentemente inchadae que a inchação havia se espalhado ao peito do pé. Foi encontrada uma mancha dehematoma no maléolo interno. Notava-se claramente um ponto sensível na parteanterior do maléolo externo ou na inserção do ligamento talofíbular anterior. Eleandava claudicando. Foi-lhe administrada massagem com um pó medicinal contrainchação e analgésico. Depois da primeira massagem, a inchação tinha diminuídoclaramente e a dor cedera. Após três massagens e três administrações de ervasmedicinais chinesas, a inchação dolorosa e a mancha de hematoma tinhamdesaparecido totalmente. Quando andava, ele ainda experimentava uma pequena dor, olocal inchava. Depois de três outras massagens, todos os sintomas desapareceramtotalmente. Numa visita feita a ele, não se encontrou qualquer sintoma residual. Entorse lombarA entorse é observada frequentemente na região lombar. Pode ser causada por váriosdiferentes tipos de lesão:a) Quando a cintura se flexiona para diante até o ponto lombar em que a coluna lombarfica totalmente curvada, a contração muscular que protege os ligamentos não é maispossível. Desse modo, quando a parte superior do corpo sustenta na peso, osligamentos da região lombar ficam suscetíveis de serem lanados.
  • 124. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMb) Quando as pernas estão distendidas, isto é, quando a pelve está fixa e uma força detração excessiva é subitamente aplicada à região lombar, resulta uma lesão dosligamentos.c) Uma pancada na região lombar e súbita torção durante levantamento de objetopesado são fatores que podem produzir, diretamente, entorse lombar. Além da lesãodos ligamentos, é também provável a lesão dos músculos lombares. EtiologiaA entorse lombar pode ser provocada pelo trabalho com as costas curvadas, pela quedaao se fazer pesado trabalho físico e especialmente por torção súbita durantelevantamento de um objeto pesado do chão. SintomasHá dor num ou nos dois lados da região lombar que não pode curvar nem para frentenem para trás, nem girar para ?. esquerda ou para a direita. Em casos graves, o pacientenecessita de alguém que o apoie durante a marcha, e a dor piora quando ele inspiraprofundamente ou tosse. A inchação não é com frequência manifesta. Durante o exame,faça o doente deitar-se de bruços, com vários travesseiros debaixo do ventre. Depois,com pressão digital leve e cuidadosa, pode-se descobrir um ponto de pressão local nas4a ou 5a vértebras lombares ou no espaço entre a 5a vértebra e a Ia sacra. Algumasvezes, quando a área dolorosa é extensa, deve-se considerar a presença de lesãosimultânea do músculo. DiagnósticoO diagnóstico não é difícil quando há uma história de traumatismo ao curvamento dacoluna lombar e carregamento de pesada carga, em combinação com os sintomas esinais físicos mencionados antes. Deve-se, contudo, em primeiro lugar, descartar apresença de hérnia de disco intervertebral. Tratamentoa) Massagem: (i) A pessoa doente fica deitada de bruços. Primeiro, é aplicadolevemente o método da fricção ou do empurrão com o polegar na região lombar, pararelaxar os músculos lombares e reduzir a dor.128
  • 125. Entorses(ii) Aplique o método do rolamento nos dois lados da área lombar. A massagemdeve ser leve. Depois, o polegar, ou a palma da mão, e a borda da mão sãoempregados para o amassamento em torno da área da lesão e depois em direçãoao meio. Aplique lentamente amassamento leve e depois profundo para relaxaros músculos e ativar o sangue, espalhando o sangue acumulado e produzindo umnovo. Este procedimento é repetido várias vezes.(iii) Massagem de acuponto. Use as técnicas do amassamento e do afundamentonos locais na região lombar e nos acupontos shenshu, mingmen, shangliao,ciliao, huantiao, chengfu e weizhong.(iv) Faça pressão na coluna lombar e mova a pelve. Com a mão direita, oterapeuta faz ligeira pressão na região lombar e com a mão esquerda move olado direito da pelve para cima. Siga de cima para baixo, coordenando cadapressão da região lombar com o movimento da pelve.(v) Bata na região lombar com a palma da mão. Com a concavidade da palma,golpeie a região lombar 10 vezes ou mais.(vi) Com o paciente de pé, aplique os métodos do amassamento e do estiramentolombar na região lombar. Para informação mais detalhada sobre o método doestiramento lombar, veja pág. Faça massagem uma vez por dia durante 20-25minutos, até que desapareçam todos os sintomasb) Outro tratamento: Aplique fomentação de ervas medicinais chinesas na área afetadadurante 10 a 20 minutos depois de cada massagem. Podem ser empregadas tambémoutras fisioterapias. O método das pancadas com tijolo da medicina popular chinesa étambém eficaz no tratamento dessa doença (veja instruções adiante). CasoYang —, sexo feminino, 19 anos, professora. Quando executava um trabalho manual,levantou um pesado objeto e repentinamente torceu a coluna lombar Sentiu dorimediata na região lombar e não pôde curvar-se para diante nem retesar o corpo. Depoisde um período de repouso, melhorou um pouco a mobilidade da coluna lombar, mas ador persistiu nos dois lados da região lombar e então ela veio ao hospital paratratamento. Depois que a massagem já mencionada foi aplicada uma vez, a dorrepentinamente diminuiu e a mobilidade lombar melhorou consideravelmente. Depoisde quatro sessões de massagens, os 129
  • 126. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMsintomas desapareceram totalmente e ela se recuperou. Uma visita posterior deacompanhamento não revelou presença de sintoma residual. Método Popular Chinês da Pancada com Tijolo O paciente fica deitado de bruços e estica as duas pernas, mantendo os músculos tensos. Os pés ficam distendidos fora da extremidade da cama, e é colocado um travesseiro mole como acolchoado entre o peito do pé e a borda da cama. O médico, de pé ao lado esquerdo do paciente, usa sua mão esquerda para manter as partes inferiores das panturrilhas do paciente abaixadas e os calcanhares unidos. Com a mão direita, o médico pega um tijolo e bate nas partes inferiores dos calcanhares do paciente 3 a 5 vezes, com alguma força, tendo o cuidado de empregar a parte plana do tijolo e bater perpendicularmente. Além disso, ele deve certificar-se de que os joelhos do paciente estejam retos, para permitir que o impacto alcance a região lombar. Entorse dos ligamentos acessórios do joelhoO joelho é a grande articulação que dá ao corpo humano sua capacidade de carregarpesadas cargas. Sua estrutura é um tanto complicada. A estabilidade de articulaçãoreside inteiramente no suporte dos músculos circunjacentes e nos ligamentosacessórios nos dois lados, assim como nos ligamentos cruzados do interior daarticulação. A entorse do ligamento medial do joelho é muito comum. Devido à suarelativa força e à firmeza da faixa iliotibial que o protege, o ligamento lateral acessórionão é facilmente lesionado. A lesão em geral ocorre quando a panturrilharepentinamente se desloca ou gira para fora ou, permanecendo onde está, a coxarepentinamente se move e gira para dentro. Isso provoca lesão do ligamento medialacessório. O súbito movimento para dentro da panturrilha pode produzir lesão doligamento lateral acessório. EtiologiaNuma queda, a panturrilha entra em abdução e gira para fora ao tocar no chão. Cai-secom a panturrilha num buraco de lama. E dada uma pancada num lado do joelho. Tudoisso pode causar lesão do ligamento medial. Essa lesão pode130
  • 127. Entorsesacontecer facilmente durante atividades esportivas; por exemplo, quando um atleta caide mau jeito depois de chutar uma bola ou saltar um obstáculo. SintomasHá frequentemente súbita dor intensa no lado afetado do joelho ferido, e quando oligamento lateral acessório está lesionado costuma aparecer um espasmo muscularprotetor, fazendo com que o joelho permaneça curvado. Ao exame, há evidente dor àpressão na área ligamentar, levando a uma dor localizada no lado ferido. O mesmo tipode dor também pode aparecer quando pesada carga é colocada em cima do joelho. DiagnósticoSe não houver movimento anormal no joelho, a lesão é uma simples laceração parcialdo ligamento acessório medial ou lateral. Quando há movimento anormal, então oligamento está totalmente roto ou cortado. Quando a lesão é grave, a do ligamentoacessório medial ou lateral costuma estar combinada com as da cápsula articular, domenisco e do ligamento cruzado. Estas últimas devem ser cuidadosamentereconhecidas. TratamentoBons resultados são obtidos com o tratamento precoce por massagens de lacerações doligamento acessório medial ou lateral. Quando ele está totalmente rompido ou cortado,então não são obtidos bons resultados com as massagens. Os casos graves necessitamde imobilização e cirurgia.a) Massagem: (i) O paciente deita-se de costas. E colocado um travesseiro debaixo dojoelho da perna ferida. Primeiro, faça cessar a dor, aplicando a técnica do afundamentono ponto xuehai de massagem.(ii) Na parte superior da área edemaciada, aplique o método do empurrão com opolegar seguido imediatamente pelo método do amassamento, indo do pontodistai para o proximal.(iii) Aplique o método do dedo cortante na área sensível e inchada, indo doponto distai para o proximal, até a diminuição do edema. Depois, é aplicado ométodo do amassamento com a palma da mão no lado afetado. 131
  • 128. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM(iv) Os métodos de amassamento e afundamento são aplicados nos acupontosxiyan, yinligquan, yanglingquan, weizhong e heding.(v) Finalmente, os métodos de amassamento e pinçamento são aplicados nosmúsculos em redor do joelho. Faça massagem uma vez por dia, cerca de 15minutos de cada vez, até que todos os sintomas desapareçam.b) Outro tratamento: Imediatamente depois da massagem, envolva a área afetada comcataplasma de ervas chinesas. (Veja pág. 126.) Em geral, a medicação de ervaschinesas só precisa ser aplicada três vezes. Se necessário, pode ser acrescentada afisioterapia. CasoZhang —, sexo feminino, 59 anos, dona-de-casa. Ela se queixou de que no dia anterior,enquanto carregava um filho, virou para a direita descuidadosamente e torceu o joelhoesquerdo. Isso deu em resultado edema local, dor e dificuldade de andar. O repousonão aliviou os sintomas, de modo que ela veio ao hospital para tratamento. Ao exame,todo o joelho esquerdo estava inchado, especialmente do lado de fora, mostrando-sedoloroso à palpação. A marcha e o carregamento de carga pesada aumentavam a dor.Os métodos de massagem anteriormente descritos foram imediatamente empregados,com aplicação externa de cataplasma de ervas chinesas na área afetada. Depois de doistratamentos com massagens ela se recuperou. Numa visita posterior deacompanhamento, constatou-se que a sua capacidade de trabalho havia sidorestabelecida. Resultado terapêuticoNo tratamento das entorses a massagem tem bons resultados. Mas o grau de seu efeitoterapêutico é influenciado por vários fatores. Nossa experiência sugere os seguintespontos:a) Se o tratamento da entorse é aplicado imediatamente após a ocorrência detraumatismo, o efeito terapêutico é maior, sendo o tempo exigido para o tratamentomais curto. Quanto maior o tempo decorrido após o traumatismo, mais pobre será oefeito terapêutico e maior número de sessões de tratamento será necessário.132
  • 129. Contusãob) O resultado do tratamento está diretamente relacionado com a gravidade da lesão.Isso também é verdade no caso de entorse da região lombar. Os sintomas de algunspacientes desaparecem totalmente depois de uma sessão de massagem. Outrospacientes são massageados 10 vezes antes de alcançarem recuperação completa.Quando a entorse envolve parcial laceração do ligamento, então os resultados dotratamento com massagens são bons. Mas se o ligamento está totalmente lacerado oucortado, a estabilidade da articulação diminui, talvez até o ponto de deslocamentoparcial, e a massagem não será suficiente. Em geral, é necessária uma operaçãocirúrgica nesses casos.c) Durante o período de tratamento, deve ser obedecido o repouso adequado. Se opaciente não o faz, e pratica exercício físico ou carrega pesadas cargas, então arecuperação do ligamento será afetada.d) Uma entorse aguda não sarada facilmente volta a se traumatizar.e) O efeito terapêutico da massagem depende do grau de experiência adquirido peloprático. É também importante o curso ininterrupto de tratamentos. 6. ContusãoA contusão é uma lesão do tecido mole comumente observada. Ocorre nos membros etambém nos órgãos internos. Aqui lidamos principalmente com a contusão dosmembros. EtiologiaA contusão é principalmente um traumatismo dos tecidos moles (inclusos a pele, otecido subcutâneo, os músculos, os nervos, os vasos sanguíneos, os vasos linfáticosetc.) causado por um instrumento rombo. Na ocasião do traumatismo, podem ocorrerextravasamentos de linfa e de sangue, tumefação, dor e anomalias da sensibilidade. Otratamento dessa afecção pela massagem atua principalmente para dispersar o sangueacumulado e melhorar o fluxo da energia vital e do sangue. Ele pode ajudar naabsorção de exsudatos e na melhoria da nutrição local dos tecidos, sendo favoráveis,assim, ao restabelecimento do estado de saúde dos tecidos. 133
  • 130. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM SintomasA área contundida imediatamente se edemacia. Podem aparecer hemorragia e massa dehematoma debaixo da pele, e há sensação de dor ou dormência na área inchada. Ascontusões dos membros produzem diferentes graus de perturbação dos movimentos.Uma contusão grave, decorrente da rotura dos vasos sanguíneos e dos vasos linfáticos,pode produzir perturbação no retorno da linfa e do sangue. Pode, portanto, deixar umedema de longa duração no tecido e provocar até estagnação do seu exsudato,juntamente com aderência e contratura que tornam difícil a movimentação do membro. DiagnósticoÉ muito mais fácil diagnosticar com uma história de traumatismo e com sintomaslocais. Mas quando a contusão é grave, deve ser feito exame radiológico para se saberse houve lesão de osso e para evitar erro de diagnóstico e de tratamento. TratamentoNo tratamento da contusão pela massagem, os métodos variam com a fase em que elaé tratada.a) Contusão — fase aguda:(i) Se os sintomas agudos são extremamente evidentes, coloque o membro numaposição elevada confortável antes de proceder à massagem.(ii) Primeiro, tome um acuponto comumente usado perto do local do traumatis-mo e aplique os métodos do afundamento com o dedo e da vibração com o dedo,até que haja forte reação de dor e inchação (cerca de 1 minuto).(iii) Depois, também na área da lesão, aplique os métodos do empurrão, dafricção, do amassamento e do empurrão divergente durante cerca de 2 minutos,indo para cima e para baixo, para um lado e para outro, até que desapareça oacúmulo e melhore a circulação de sangue em torno do local do traumatismo.(iv) Em seguida, amasse bem levemente com o polegar ou com a palma da mão,durante cerca de 1 minuto, o local da lesão, procedendo com bastante leveza134
  • 131. Contusãopara não causar aumento da dor. Depois, faça massagem em torno da lesão (como noitem iii) durante 10-15 minutos. Finalmente, aplique medicação externa emcataplasmas com pequena pressão. Para uma prescrição adequada, veja em "Entorse doTornozelo", pág. 124.b) Contusão — fase posterior: Refere-se ao período de dois ou três dias após otraumatismo, quando a dor e a inchação começaram a diminuir; ou até a um períodomais adiante em que permanecem a inchação e o impedimento à mobilidade.(i) Primeiro, procure um acuponto comumente usado na vizinhança da árealesionada. Depois aplique os métodos do afundamento com o dedo e da vibraçãocom o dedo até que eles produzam uma forte reação de dor e sensação deinchação. Isso deve levar cerca de 1 minuto.(ii) Use os métodos do empurrão com o polegar ou com a palma para massagearem torno da área lesionada. Em geral, comece do ponto mais afastado e sigapara dentro. Por exemplo, num dedo da mão ou do pé comece pela ponta. Emáreas grandes, as duas mãos podem ser usadas. O método do empurrãodivergente pode ser usado para massagear os dois lados do local lesionado, quedepois deve ser comprimido e amassado levemente. Faça massagem em cima eem torno da lesão durante cerca de 10 minutos.(iii) Se a inchação ainda é grande, de modo que a pressão com um dedo deixemarca, pode ser aplicado, então, o método do dedo cortante, levemente e sob aforma de golpes frequentes. No centro da lesão ou onde a dor é evidente, omovimento deve ser suave e lento. Continue até haver alguma redução doedema.(iv) Se há aderências, contraturas e mobilidade prejudicada num membro,aplique manipulações passivas, tais como rotação, extensão ou flexão, paraajudar a restaurar a mobilidade. Proceda cuidadosamente, de modo a evitardemasiada extensão.(v) Nas fases finais da contusão, não há necessidade de se aplicar cataplasma.Mas pode ser usada uma fomentação com ervas chinesas, além de exercíciosmédicos e fisioterapia. Resultado terapêuticoNa fase aguda da contusão, a inchação e a dor podem ser reduzidas imediatamente pelamassagem. Geralmente, as contusões sem gravidade podem ser 135
  • 132. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMcuradas em cerca de uma semana (6-7 sessões de massagens). As contusões gravesduram mais tempo, mas aqui também a massagem pode encurtar grandemente oprocesso de recuperação. Ao mesmo tempo, ela pode evitar a contratura, oenrijecimento e a diminuição da função da articulação, assim como reduzir os sintomasrestantes da contusão. CasoHu —, sexo, femimno, 23 anos, estudante. No dia anterior, uma carruagem passara emcima do peito do seu pé esquerdo. A dor era tão grande que ela não podia andar. Aoexame, o peito do pé esquerdo estava grandemente inchado e havia evidente dor àpressão, embora não houvesse mancha de hematoma. As chapas radiográficasmostraram que não havia fratura, sendo diagnosticada uma contusão Os métodos demassagem descritos antes foram aplicados em combinação com a aplicação externa demedicação chinesa à base de ervas. Depois de quatro sessões de massagens e trêsaplicações de cataplasma com ervas, a inchação e a dor desapareceram completamentee ela foi curada. 7. Laceração de MúsculoAs lacerações musculares são também denominadas de músculos "torcidos" ou"rompidos", dependendo da gravidade da laceração. Em muitos casos, a fibra muscularé parcialmente rota, sendo rara a total seção do feixe muscular. EtiologiaA laceração muscular é em geral causada por uma aguda e incoordenada contusão domúsculo. Pode também ser o resultado de súbita tração passiva ou ativa. A afecção émuito comum entre os atletas e nas pessoas que executam trabalho pesado. Os tecidosmusculares que já sofreram alterações patológicas ou cuja função é relativamente fracasão particularmente suscetíveis. SintomasNa ocasião do traumatismo, o paciente costuma sentir uma sensação de rompimento.Depois, aparece dor de cãibra no grupo afetado de músculos. Forma-se uma tumefaçãono local, devido à hemorragia debaixo da pele. No dia136
  • 133. Laceração de Músculoseguinte, pequenos pontos de contusão na pele podem aparecer perto da lesão. Nosvários dias posteriores, a dor aguda no local e a dor da contração musculargradualmente diminuem. Os pontos de petéquias são também gradualmente absorvidos,mas a inchação do traumatismo se transforma gradualmente em tumoração, algumasvezes chamada de "nó" de sangue extravasado, e este não se desfaz com facilidade. Atumoração provoca a persistência da dor ao movimento e à pressão. DiagnósticoO diagnóstico não é difícil quando há uma história de traumatismo súbito e agudo, equando há sinais físicos locais. Para ter certeza de que um determinado músculo ougrupo de músculos foi lacerado, faça uma prova de contra-resistência, de acordo com olocal da dor à pressão e da inchação. O músculo lacerado dará uma reação positiva dedor de contra-resistência. No paciente em fase tardia, devemos examinar o músculo àprocura de tumor duro remanescente. Além disso, verifique cuidadosamente se hácomplicação de calcificação muscular. Isso ocorre com muita frequência no quadrícepsda coxa e nos músculos do cotovelo. Sempre que necessário, pode ser feito um exameradiológico. Tratamentoa) Massagem: Devem ser usadas diferentes manipulações em diferentes fases. Se alaceração muscular está acompanhada de calcificação muscular, o tratamento pelamassagem deve ser temporariamente retardado. Contudo, em fase mais tardia, quando aossificação já se estabilizou, a massagem pode ser usada com cautela.(i) Na ocasião do traumatismo, ou 24 horas depois, não use massagem forte eprofunda. Aplique o método da fricção de modo suave e lento, começando emredor e prosseguindo gradualmente para o centro da lesão. Não use tampo longodemais. Imediatamente após a massagem, deve ser aplicada externamentemedicação para traumatismo, enrolada sob pressão na área ferida (veja adiante).(ii) Depois de dois ou três dias, a hemorragia já devendo ter cessado, apareceminchação e pequenos pontos de contusão na pele. Aplica-se o método doempurrão com a polpa da palma acima e abaixo da área lesada, partindo do 137
  • 134. APUCAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM ponto distal para o proximal. Esse processo deve ser repetido cerca de 10 vezes. Depois empregam-se a base e a borda da palma para leve amassamento da área inchada, indo da periferia para o centro da lesão e vice-versa. Não use força bastante para provocar dor. Nas contusões superficiais em torno da lesão, aplique o método do dedo cortante. Após a massagem, aplique medicação para traumatismo (veja adiante) e enfaixe a ferida ou use uma medicação para reduzir a dor e a inchação. (Veja pág. 126.) (iii) Persistindo um nó de inchação duro e a dor à mobilização na fase tardia da lesão, e não sendo diagnosticada a complicação de calcificação muscular, pode ser aplicado localmente o método do amassamento profundo ou os métodos do empurrão com a polpa e com a ponta do polegar. Depois de terem sido aplicados os métodos do empurrão e do amassamento, acrescente manipulações passivas, como os métodos de rotação e estiramento. Faça a rotação e o amassamento ao mesmo tempo, com a quantidade de rotação ou estiramento não indo a ponto de causar dor. Conclua com o método do sacudimento. b) Outro tratamento: Na fase aguda de uma laceração muscular, deve-se aconselhar o repouso. É extremamente importante a aplicação externa de medicação sob pressão. Vários tipos de fisioterapia podem ser usados em combinação com exercícios médicos. Resultado terapêutico A massagem aplicada na laceração muscular em fase inicial deve ser suave. A massagem aplicada num caso em suas fases tardias tem o efeito de reduzir a inchação, eliminar as contusões superficiais, amolecer os tendões e ligamentos, fazer cessar a dor e restabelecer a mobilidade. Medicação Para Traumatismos As seguintes 10 ervas devem ser transformadas em pó fino e misturadas a um xarope, formando uma pasta para ser aplicada externamente na ferida. Huangbo 1 liang Phellodendron chinense Schneid. (casca) Xuejie 1 liang Daemonorops draco BI. ("sangue-de-dragão") Dahuang 2 liang Rheum officinale Baill (talo de raiz) Mutong 1 qian Akebia trifoliata (Thunb). Koidz (fruto) Yanhusuo 2 qian Corydalis yanhusuo (rizoma)138
  • 135. Fraturas dos MembrosQianghuo 5 qian Notopterygium incisum Ting. (raiz)Duhuo 5 qian Angelica pubescens Maxim, (raiz)Baizhi 5 qian Angelica anómala (raiz)Muxiang 5 qian Saussurea lappa ClarkeXixin 5 qian Asarum sieboldi Mig (raiz) CasoSha—, sexo feminino, 19 anos, universitária. Logo depois de praticar esporte, sentiusúbita dor na parte interna da coxa esquerda. Isso continuou por duas semanas. A dortornou-se mais aguda, perto da virilha, depois que ela participou de uma corrida. Aoexame, havia dor à pressão do músculo adutor da coxa esquerda e na inserção da áreapélvica. O músculo estava contraído. O teste de resistência do adutor foi positivo.Diagnosticou-se laceração do músculo adutor da coxa esquerda. Depois da aplicaçãoda massagem quatro vezes, desapareceram a cãibra, e a dor à mobilização e à pressãolocal. Foi-lhe aconselhado repouso durante uma semana antes de participar novamentede esportes. Visitando-a um mês depois, verificamos que ela tinha recuperadototalmente a sua capacidade atlética. 8. Fraturas dos MembrosNos livros médicos chineses sobre tratamento de ferimentos, são mencionados oitométodos de tratamento pela massagem para as fraturas: da palpação, da conexão, dacorreção, do levantamento, da pressão, da fricção, do empurrão e da apreensão. Osquatro primeiros dizem respeito à reposição do osso, e os outros quatro,principalmente, às massagens. Mas a colocação do osso é combinada com massagem,e, nesta, algumas vezes é necessária uma atenção cuidadosa em se repor o osso no seulugar. O objetivo do assentamento é recolocar o osso fraturado na sua devida posição.O objetivo da massagem é remover a inchação, espalhar o sangue extravasado, acelerara circulação do sangue, desfazer aderências e prevenir disfunção articular. Estas são asduas partes inseparáveis do conjunto de métodos para o tratamento de fraturas. Alémdisso, refletem a união do movimento e inércia nos métodos usados peia ataca médicachinesa para o tratamento de fraturas. 139
  • 136. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM A finalidade da redução é restaurar a função. Mas se, no tratamento, atentarmosapenas para a redução, então, embora a fratura possa ser corrigida por alinhamentoadequado, a função do membro pode ainda ficar dificultada, a finalidade do tratamentonão sendo alcançada. A massagem, portanto, deve ser usada durante todo o curso daredução da fratura. Durante o período em que a posição do osso fraturado necessita defrequente correção, é também aconselhável a massagem frequente. Já existem muitos livros sobre redução de fratura, de modo que não entraremosem muitos detalhes. As perturbações funcionais que derivam das fraturas e osproblemas de como usar a massagem em diversas modalidades de fraturas sãoapresentadas a seguir. EtiologiaDepois que o osso é fraturado, podem aparecer vários graus de perturbações funcionais.Os fatores mais importantes são descritos adiante. Analisamos estes fatores paracoincidir com as técnicas de massagens que são eficazes na prevenção de perturbaçõesfuncionais.a) Uma fratura que não pode ser reduzida ou que não é reduzida adequadamente podegerar malformações como ângulos, posição anormal e encurtamento, que afetam afunção do membro.b) Os músculos e ligamentos ligados ao osso fraturado perdem a sua tensão após afratura, produzindo espasmo, cicatrização e calcificação, além de afetar a função domembro.c) Há muita hemorragia e exsudação nos tecidos moles em torno de fratura fechada.Algumas fraturas devem ser reduzidas por operação cirúrgica, e muita hemorragia eexsudação também podem resultar da operação. O material hemorrágico e exsudadoforma depósitos de fribrina, ou o hematoma se torna fibrosado, dando origem aaderências e anquilose da área fraturada e das articulações circunjacentes, e disfunção.Todos esses efeitos são muito maiores na fratura aberta.d) Em virtude da longa imobilização do membro fraturado, a livre circulação dosangue no membro fica reduzida. Isso pode gerar deposição da fibrina. Ao mesmotempo, a longa imobilização pode gerar aderências na membrana sinovial daarticulação, além de atrofia e contratura dos músculos, dando em resultado a reduçãoda função.140
  • 137. e) Fraturas com lesão de nervos e vasos sanguíneos também podem originarperturbação da função. SintomasAssim como o local da fratura e a extensão da ferida, os sintomas manifestadosdiferem de caso a caso. Os principais sintomas que sucedem a fratura são dor, inchaçãolocal evidente, deformação e perturbação funcional. Nas fraturas abertas, há uma feridaaberta nos tecidos moles. Quando há lesão de nervos e vasos sanguíneos, fenómenoscomo hemorragia e paralisia provavelmente estão presentes. DiagnósticoCom base nos sintomas e sinais externos, use a mão para examinar meticulosamente alesão. Em geral, pode ser feito um diagnóstico preliminar quanto à presença ouausência de fratura ou luxação. Quando não há exame radiológico disponível, este é oprincipal método de diagnóstico. E necessário um exame radiológico para odiagnóstico definitivo de fratura e de fenómenos específicos associados a algumasdelas. No caso de perturbação funcional, é usado um instrumento para medir aextensão de movimento da articulação; a circunferência de um membro pode sermedida com uma fita de pano, para nos certificarmos do volume do edema e da atrofiamuscular. Ao mesmo tempo, a contração e o tono musculares podem ser aferidos comum medidor de força de apreensão ou com um medidor de tração2, para se avaliar aforça dos músculos. Tratamentoa) Massagem: Imediatamente após a lesão:(i) Após a fratura, é usada manipulação para colocar o osso fraturado na sua posiçãonormal, e imobilização com uma pequena tala. Quando a tala de imobilização éretirada para se mudar o cataplasma, pode-se aplicar massagem no local da fratura eem todo o membro ferido. Na massagem, o sentido tátil do prático contribui para aredução adequada do osso quebrado. Se necessário, pode ser feita nova redução. Eusada a tração para determinados tipos de2 "Medidor de tração" refere-se a polia. 143
  • 138. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMfratura. Após a tração, pode ser aplicada massagem no local da fratura e no membroferido. Quando não são exigidas redução e imobilização do osso fraturado, pode seraplicada massagem no osso e no membro ferido logo após a fratura. Após a reduçãocirúrgica de uma fratura ou em caso de fratura aberta, pode ser aplicada massagem naperiferia da incisão e em todo o membro ferido. Em pequeno número de casos, é usadoaparelho de gesso para imobilização, a massagem só podendo ser aplicada às partes domembro que permanecerem fora dele.(ii) A massagem nas fraturas de membros superiores é praticada em posiçãosentada, mas nas dos membros inferiores só a posição deitada pode ser usada.Para os membros que foram imobilizados ou estão sob tração, aplique amassagem com o paciente em qualquer posição confortável.(iii) Nesta fase, os métodos de massagem mais importantes são os do empurrão eda fricção com a palma, ou do amassamento e pinçamento leves. Em geral,pressiona-se partindo de mais distante extremidade do membro para o corpo.Leve massagem é aplicada na área da fratura, porém massagem mais pesadapode ser aplicada em áreas mais afastadas. Faça manipulações passivas, taiscomo extensão, flexão e rotação, nas articulações a certa distância do local dafratura. Na parte superior do membro fraturado, escolha alguns acupontoscomumente usados e aplique os métodos do afundamento com o dedo doempurrão com o polegar e da vibração com o dedo. Finalmente, são executadosde novo os métodos do empurrão e da fricção. Faça massagem por cerca de 15minutos de cada vez. Depois que a fratura foi sarada:(i) Devem ser aplicados nela e em todo o membro ferido os métodos doamassamento e do pinçamento. Faça a massagem com uma ou as duas mãos, sigado ponto distai para o proximal. O método de fricção e rolamento é usado paraos membros superiores, e o do rolamento para os membros inferiores. Algumasvezes, os métodos da vibração com a palma, do martelamento leve e do tapinhaleve podem ser usados, para que os efeitos da massagem penetrem profunda-mente nos músculos.(ii) Manipulações passivas como a extensão, a flexão, a rotação e o sacudimentodevem ser aplicadas em quantidade adequada. Durante a execução dessasmanipulações, deve-se prestar especial atenção para saber se é ou não possívelmovimento nas articulações do membro lesionado. As manipulações devem servigorosas mas hábeis, não rudes e violentas. No entanto, deve ser obtido algumprogresso na mobilidade do membro ferido.142
  • 139. Fraturas dos Membrosb) Outro tratamento: O tratamento com medicamentos contendo ervas chinesas podeser combinado com o outro tratamento de fratura óssea recente. Depois da cicatrizaçãoda fratura, além da massagem dever ser enfatizado o exercício médico. Diferentesprogramas de exercício devem ser planejados para diferentes locais de lesão ediferentes requisitos para a restauração da função alterada. Esses programas devemconsistir principalmente de exercícios que enfatizem o desenvolvimento da forçamuscular e a mobilidade articular. Os exercícios que envolvem o levantamento desacos de areia são muito eficazes no desenvolvimento da força muscular. (Veja pág.115.) Resultado terapêuticoA massagem é muito importante na prevenção e na cura de perturbações funcionaisapós a fratura. Em geral, quanto mais precocemente for aplicada, menos perturbadapermanecerá a função. Ainda quando a disfunção já tenha aparecido, o tratamento pelamassagem e pelo exercício médico deve ser feito. Se são escolhidas técnicasapropriadas, o paciente terá confiança para perseverar no programa de exercícios e, emgeral, a mobilidade pode ser restabelecida. Nos poucos casos em que as estruturasdeformadas não se mostrem suscetíveis de restauração ao seu estado original, aclaudicação pode ser reduzida ao mínimo se o paciente estiver determinado a praticarcom resolução o programa de exercício médico e, assim, desenvolver sua capacidadecompensatória latente. CasoFeng —, sexo feminino, 54 anos, camponesa. Fora acidentada duas horas antes, quandocaíra e usara o carpo da mão direita para se proteger da queda. O exame revelouevidente inchação do pulso, que se deformou, tomando a forma de um garfo. Ao examemanual, verificamos que havia uma fratura na extremidade do rádio, perto do pulso. Ofragmento distai havia se deslocado para trás em relação ao rádio. Foi diagnosticadafratura da extremidade distai do rádio (fratura de Colles). Por meio de tração aplicadapor duas pessoas, os métodos de correção e levantamento foram empregados parareconduzir os ossos fraturados à sua adequada posição. Aplicou-se uma cataplasma deJinhuang San 3. O dorso do antebraço e o lado da palma da mão foram imobilizadoscom uma pequena tala. Quando o curativo foi mudado no terceiro dia, ainda era evidente a inchação. Oexame revelou que o alinhamento dos ossos fraturados era bom e3 "Pó de Ouro", mistura de ervas chinesas para uso externo. 143
  • 140. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMque eles não haviam se deslocado. Após o massageamento da área fraturada e novaimobilização e enfaixamento, foi aplicada massagem diariamente na parte da mão nãocoberta pela tala e pediu-se à paciente que ela própria a exercitasse. No sétimo dia, ainchação já estava evidentemente reduzida. Foi interrompida a aplicação externa demedicamentos. O pulso foi simplesmente enfaixado e imobilizado numa pequena talaque era retirada uma vez por dia para massagem e manipulação passiva. Depois de três semanas, não havia dor local, a inchação tinha desaparecido quasecompletamente e inexistia perturbação da função do pulso e do antebraço. A tala foiremovida e todo o tratamento foi suspenso. Foi dito à paciente que continuasse oprograma de exercícios e massagem e que executasse trabalho leve, como, porexemplo, fiar algodão. CasoFan —, sexo masculino, 49 anos, operário. A fratura do terço superior do cúbito foraengessada por dois meses. Quando se consolidou, e o gesso foi retirado, havia alteraçãode função no cotovelo e no ombro, particularmente no cotovelo. Ele só se estendia 14graus e se curvava até 86 graus, do modo que o limite de sua mobilidade era de apenas54 graus. Os músculos do braço direito haviam-se atrofiado de tal maneira, que a suaforça de apreensão era igual a zero. Depois de 10 aplicações das massagens mencionadas anteriormente, emcombinação com exercício médico, a mobilidade do ombro voltou ao normal. Amobilidade do cotovelo foi também grandemente restabelecida: ele se estendia até 172graus e curvava até 50 graus, dando um limite de mobilidade de 122 graus. A força deapreensão dos músculos já tinha alcançado 15 quilos, o bastante para permitir vidanormal e trabalho. O tratamento foi interrompido, sendo dito ao paciente que persistissenum programa de exercício médico. 9. Deficiência do Menisco do JoelhoQuando forças externas às quais o joelho não pode adaptar-se, como a torção, oestiramento, a espremedura ou a pressão, lhe são impostas, a cartilagem do meniscopode romper-se. Dependendo da localização e da extensão da rotura, a fissura pode serlongitudinal ou transversa, situando-se tanto no meio do menisco do joelho, no ânguloanterior, como no ângulo posterior ou na borda. Ela pode ser grande e profunda ouapenas uma pequena rotura transversa. A direção da torção, o grau em que o joelho écurvado na ocasião do traumatismo e a quantidade de força exercida, tudo promovevariações na fissura que se forma.144
  • 141. Deficiência do Menisco do Joelho Sintoma(i) Dor e ruído no joelho: Depois que a articulação do joelho sofreu umtraumatismo, há frequentemente dor e ruído na articulação, em geral acompa-nhados de inchação. Esta diminui espontaneamente depois de curto tempo, masa dor e o ruído em geral permanecem. A dor é aguda e frequentemente aparecequando o joelho é estendido até certo ponto. O som é produzido ao mesmotempo, embora haja alguns pacientes que não o escutem. Em virtude do ruídoincomum e da dor no joelho, a vida normal e o trabalho costumam ser afetados.(ii) Sintomas de bloqueio de movimentos: O paciente quase sempre se queixa deque alguma coisa repentinamente fica presa na articulação do joelho, impedindoo movimento de curvar e estender, mas relata que após fricção e ligeiro balançodo joelho, a articulação se liberta. Quando o sintoma de bloqueio ocorre, opaciente recém-lesionado com frequência tem inchação do joelho. Nas lesõesantigas, o bloqueio da articulação geralmente já não se faz acompanhar deinchação. Algumas outras afecções apresentam sintomas semelhantes aos dobloqueio e devem ser diferenciadas. Casos com sintomas de bloqueio típico emgeral apresentam graves roturas.(iii) Astenia e atrofia da perna: Depois da lesão do joelho, há em geral adinamiana perna e atrofia dos músculos da coxa. DiagnósticoAs lesões da articulação do joelho são complicadas, e o diagnóstico é difícil. Além deapreciação da etiologia e dos sintomas, três outros tipos de exame devem ser feitos:(i) Dor à pressão: Procure uma dor fixa à pressão no lado lesionado do espaçointra-articular. A determinação do local da dor à pressão ajudará a diagnosticarse a lesão está adiante, no meio ou atrás da cartilagem.(ii) Faça o doente deitar-se de costas. Sustente o joelho afetado com uma dasmãos, e com a outra, o pé da perna afetada. Depois, gire a panturrilha paradentro e para fora, ao mesmo tempo curvando e estendendo o joelho. Gire parafora, para testar o menisco medial e para dentro, para testar o menisco lateral.Dor e ruído ou sensação de som na mão do examinador serão produzidos emdiferentes ângulos de extensão do joelho, dependendo do local da fissura. 145
  • 142. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM(iii) Se necessário, o diagnóstico pode ser mais acurado por meio de exame radiológico. Tratamentoa) Massagem: (i) O paciente deita-se de bruços. É aplicada massagem pelos métodos doamassamento e rolamento da panturrilha e na coxa do lado afetado, indo para cima epara baixo várias vezes.(ii) Em seguida, o paciente volta-se para a posição supina. É aplicada massagemnos músculos anteriores da coxa do lado afetado, pelos métodos do rolamento edo pinçamento indo para cima e para baixo várias vezes.(iii) Usando o método do empurrão com a polpa do polegar, faça massagemprimeiro no xiyan, "olho do joelho" de cada lado da rótula. Depois façamassagem ao longo dos dois lados do espaço articular, indo para trás até a fossapoplítea. Vá para trás e para a frente ao longo de cada lado várias vezes.(iv) Mergulhe os dedos em solução medicinal (veja pág. 84) e aplique osmétodos do amassamento e da fricção no ponto e em torno da dor à pressão,aumentando a força gradualmente. Quando a solução medicinal secar, mergulheos dedos novamente e repita cerca de 8-10 vezes no todo até aparecer sensa-ção de aquecimento na área.(v) Finalmente, podem ser aplicados na panturrilha e na coxa do lado afetado osmétodos do tapinha, amassamento e fricção leves. A noite, enfaixe o ladoafetado com preparação de ervas chinesas, para movimentar a energia vital erevivificar o sangue. (Veja pág. 126.) Resultados terapêuticosFrequentemente, a massagem não produz efeito em roturas graves do menisco ou nostecidos frouxos da articulação do joelho. Mas costuma ter efeito terapêutico satisfatórionas fissuras pequenas ou marginais. Geralmente, pode-se fazer desaparecer, com amassagem, sintomas subjetivos e até sinais físicos objetivos, e pode ser restabelecida aonormal a capacidade de trabalhar e de praticar atletismo. O curso do tratamento,contudo, é longo, em geral 1-3 meses.146
  • 143. Amolecimento de Rótula CasoLiu —, sexo masculino, 22 anos, jogador de futebol. Seu joelho direito já estavadolorido fazia dois meses. Num jogo de futebol, ele havia usado sua perna direitadurante uma disputa de bola, mas seu adversário repentinamente pisara no lado externode seu joelho direito, fazendo com que ele caísse para trás. Ele sentiu uma dor agudano joelho, que inchou imediatamente. Melhorou depois de uns poucos dias de repouso,mas permaneceram a dor e um ruído na parte interna do joelho quando ele se movia.Algumas vezes, o joelho ficava bloqueado, mas ele podia desprendê-lo movendo-o umpouco. Ao exame, havia dor à pressão debaixo da rótula, perto do ligamento medialacessório do joelho direito. Quando este girava para fora até cerca de 140 graus,apareciam dor e ruído. Foi clinicamente diagnosticada uma fissura anterior dafibrocartilagem semilunar interna do joelho direito. O curso total do tratamento com amassagem já mencionada e com a fomentação com medicação de ervas chinesas durou56 dias. Nessa ocasião, os sintomas subjetivos tinham desaparecido completamente, e oexame revelou ausência de dor e de ruído. Como o joelho estava completamentesarado, o tratamento foi interrompido. 10. Amolecimento de Rótula EtiologiaO amolecimento de rótula (patello-malacia) é também chamado de "tensão patelar".Na superfície articular do joelho, particularmente na superfície articular da rótula, quesofre de prolongado e excessivo movimento incorreto, instala-se a lesão de tensão. Éum tipo comum de lesão por prática de esportes. Considera-se em geral que a rótula tem a função de aumentar a força do músculoquadríceps da coxa. Mas quando o joelho é distendido até cerca de 150 graus, nãosomente está a força do complexo rótula-quadríceps no seu máximo, como a própriarótula está diante de uma força de compressão da superfície articular pelo fémur,também no seu máximo. Portanto, movimentos demasiado forçados, feitos em meiaposição de cócoras, ou repetidos, como levantar-se da posição de cócoras com umgrande peso, ou correr para trás, podem desenvolver uma série de alteraçõespatológicas degenerativas na cartilagem da superfície articular da rótula, que são acausa dessa doença. Além disso, em nossa clínica verificamos que outras lesões complexas em tornoda articulação do joelho ocorrem em pacientes com tensão patelar. Pode existir umarelação de causa e efeito entre essas lesões e o amolecimento da rótula. 147
  • 144. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM SintomasGeralmente, a evolução da doença é gradual. No princípio, o paciente se queixa dedesconforto no joelho ou uma sensação de fraqueza. Quando ela se torna mais grave, háuma dor rascante debaixo da rótula, que desaparece após algum tempo de mobilização.A dor se torna mais intensa depois de repouso, causando até claudicação. Quandoatinge uma fase grave, a marcha pode provocar dor, a subida e descida de escadapodem piorá-la e a posição de cócoras é impossível. DiagnósticoPode ser feito um diagnóstico preliminar com base na etiologia e nos sintomas, masdevem ser feitos mais três tipos de exames, como segue:(i) Teste da pressão da rótula: Faça o paciente estender o joelho em linha reta.Com a superfície da palma da mão, exerça pressão diretamente na rótula. Noscasos mais graves, pode aparecer imediata reação dolorosa. A quantidade deforça exigida e a intensidade da dor de reação servem para se determinar o graude reação positiva.(ii) Teste da pressão digital: Com o joelho estendido em linha rela, diga aopaciente que relaxe o músculo quadríceps da coxa. Depois, empurre com umadas mãos a rótula para dentro e para fora. Com as pontas dos dedos da outramão, faça pressão debaixo da rótula; isso costuma produzir reação dolorosa.Verifique se a dor se localiza no lado de dentro ou no lado de fora do joelho, edescreva o seu grau.(iii) Teste da fricção da rótula: Com a palma da mão, faça pressão contra a rótulae deslize-a com um movimento de fricção na direção da parte interna do joelho edepois na direção da parte externa. Não empregue força demasiada. Nessaocasião, o paciente sente sensação de dor rascante, e o examinador podetambém notar uma sensação de arranhadura na superfície da rótula. Podem serdescritos o local e a extensão da sensação de arranhadura. Tratamentoa) Massagem: (i) Usando a posição de bruços, é aplicada a massagem pelo método dorolamento ou do pinçamento na coxa e na panturrilha. Use força148
  • 145. Amolecimento de Rótulabastante para trabalhar profundamente nos músculos. Aplique a massagem para cima epara baixo na perna várias vezes.(ii) O paciente fica deitado de costas. Os métodos referidos são aplicadosnovamente na coxa e na panturrilha, podendo ser usado o método do empurrãocom o polegar no grupo de músculos da panturrilha e da parte anterior da tíbia.(iii) Curve o joelho do paciente um pouco e sustente-o com um travesseiro.Aplique o empurrão com a ponta e a polpa do polegar nos dois lados do espaçoabaixo da rótula e na área do ligamento subpatelar. A seguir, use o método doempurrão em torno da periferia do joelho. Finalmente, faça mais pressão contraa sinóvia acima da rótula.(iv) Com as pontas dos cinco dedos, segure as bordas interna e externa da rótula.Faça todo o possível para evitar causar dor ao deslizar a rótula de um lado paraoutro. Depois, técnicas como a do afundamento com o dedo e a da vibraçãodigital são aplicadas a acupontos da área, como zusanli, xuehai, yinlingquan eyanglingquan.(v) Finalmente, aplique outra vez os métodos de amassamento e de fricção nacoxa e na panturrilha. A massagem completa da perna deve durar cerca de 15minutos.b) Outro tratamento. Para elevar o efeito terapêutico a um nível mais alto, a massagempode ser combinada com fomentações, fisioterapia etc. Durante o curso do tratamento,deve ser considerado o repouso parcial ou não, para se evitar o aparecimento deatrofias por falta de uso, e um adequado programa de exercícios médicos deve serprescrito. (Veja Diagrama 71, pág. 115.) A massagem nesta doença é apenas parte do tratamento completo; assim, o seuefeito terapêutico deve ser considerado como parte do resultado terapêutico como umtodo. Mas o paciente em geral relata que, após cada sessão de massagem, senteimediatamente relaxamento e conforto nos joelhos, coxa e panturrilha. CasoChou —, sexo masculino, 20 anos, lutador. Seu joelho direito tinha se tornadogradualmente mais doloroso nos últimos três meses. Quando ele se agachava, a doraumentava, e isso afetava o seu treinamento. Exame: os testes de pressão e fricção darótula eram ambos positivos. Num teste de pressão digital, descobriu-
  • 146. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMse dor à pressão abaixo das duas bordas da rótula. Foi diagnosticado amolecimento darótula do joelho direito. Os métodos de massagem anteriormente mencionados foramusados em combinação com fomentações de ervas medicinais chinesas. Depois de 10tratamentos, os sintomas dolorosos e os sinais físicos haviam desaparecidocompletamente, e ele se recuperou. 11. Pé Chato e Tensão no Pé EtiologiaEssa afecção ocorre principalmente em operários que ficam em pé muito tempo ou quetrabalham meio agachados, e em atletas, especialmente adolescentes. Pode assim serchamada de tensão ocupacional ou de atleta. Ela em geral se instala porque asestruturas tissulares da área ainda não se solidificaram, enquanto o peso do corpo sedesenvolve mais rapidamente e a carga colocada na panturrilha e no pé, trabalhando oupraticando esporte, excede a capacidade das estruturas em suportá-la. A tensão no pé é muito frequentemente acompanhada de queda secundária doarco do pé. Isso porque o peso do corpo é demasiado grande e os músculos eligamentos que mantêm o arco não podem suportar a carga. À medida que os músculosque mantêm o arco, como os músculos tibial anterior e tibial posterior e os peroneaislongo e curto, perdem o tono em virtude de demasiada exaustão, a força do pesocorporal é toda ela imposta aos ligamentos que apoiam o arco. Estes gradualmenteficam frouxos, e o resultado é que a arcada óssea do pé se torna incapaz de seconservar e o arco cede. Depois de longo período de tempo, isso conduz a uma tensãoe uma deformação que não são corrigidas com facilidade. SintomasNo início, pode haver apenas sintomas como fraqueza do pé afetado, cansaço fácil eincapacidade de andar muito tempo. Nas fases iniciais, há o sintoma dor, em geral nasola, mas algumas vezes observa-se dor espasmódica no músculo gastrocnêmico oudor irradiada em certo grupo de músculos. Ao exame, com frequência pode-seencontrar dor em certo grupo de músculos, e, ocasionalmente, dor de resistência.Geralmente, há excessiva tensão nos músculos e também tensão e dor à pressão nostecidos profundos e ligamentos da sola do pé, assim como pequena claudicação.150
  • 147. Pé Chato e Tensão no Pé Na fase final, aparece pequena tendência para o pé torto. Nessa ocasião, a dorusualmente diminui. Geralmente, o arco do pé aos poucos se torna mais plano,particularmente à medida que o osso escafóide gradualmente entra em colapso. Naárea mais densa do osso escafóide, aparece uma evidente dor à pressão, afetando otrabalho e o esporte. DiagnósticoNa fase inicial, o diagnóstico é mais fácil e pode se basear nos sintomas e no examelocal. Em fase mais adiantada, deve ser radiografada a área do pé. Além das alteraçõescaracterísticas do pé chato nos ossos, algumas vezes podem-se encontrar complicaçõescomo a periostite tensional ou dilaceração em certas inserções musculares. Ou aindapodem ser observados sintomas que aparecem com o colapso do arco, como a artritecausada pela tensão dos pequenos ossos dos pés. Tratamentoa) Massagem: (i) Em primeiro lugar, faça o doente deitar-se de bruços. O queixo deveficar apoiado num travesseiro, de modo que a perna descanse confortavelmente.Aplique o método do empurrar, com a polpa do polegar ou o método do rolamento daparte posterior do joelho para baixo; use o método do empurrão com o polegar noespaço poplíteo e nos dois lados do tendão de Aquiles e o método do rolamento domúsculo gastrocnêmico (ou panturrilha). Massageie para trás e para diante váriasvezes. Aplique os métodos do afundamento com o dedo e do amassamento com opolegar em acupontos como weizhong, chengshan, taixi e kunlun.(ii) Depois, faça o paciente deitar-se de costas. Aplique massagem, usando ométodo do empurrão ou rolamento com o polegar, indo para trás e para a frentevárias vezes no músculo extensor na parte anterior da tíbia até o peito do pé. Aomesmo tempo, aplique massagem em acupontos como zusanli, vanglingquan ejiexi.(iii) Com uma das mãos, segure com firmeza a base do pé do paciente e aplique ométodo do pinçamento no peito do pé. Comece pinçando uma área extensa edepois, longitudinalmente, entre cada um dos metatarsianos. Finalmente,aplique profundo pinçamento ao longo dos músculos flexor e extensor da 151
  • 148. APLICAÇÕES CLINICAS DA MASSAGEMpanturrilha e os feixes musculares dos peroneais longo e curto. Isso deve ser executadodurante cerca de 5-10 minutos.(iv) Faça com que o paciente balance o seu tornozelo ativa ou passivamente. Depoisaplique os métodos da fricção e rolamento, bem como o da vibração, na panturrilha,para concluir a massagem.b) Outro tratamento: Nas fases iniciais de tensão na panturrilha ou pé, podem-se usarfomentações ou embebimento do membro em líquidos à base de ervas medicinaischinesas para relaxar os músculos e melhorar a circulação do sangue. Em fase maistardia, se o arco do pé ainda não caiu, pode ser usada também uma palmilha corretivano sapato. Ao mesmo tempo, faça o paciente praticar exercícios médicos parafortalecer os músculos da panturrilha e do pé. No curso do tratamento, deve ser dadaatenção ao repouso da área afetada. Resultado terapêuticoNos casos iniciais, os sintomas diminuem acentuadamente após uma sessão demassagens e desaparecem completamente após várias sessões. Em fase mais tardia,depois que já tenha aparecido a tensão secundária do pé chato, os resultados são maisprecários e o curso do tratamento exigido é mais longo. Mas, em geral, sintomas comoa dor etc. podem ser descartados, a malformação reduzida e a capacidade atléticarestabelecida. CasoLiu —, sexo masculino, 20 anos, operário de fundição. Ele fora soldadodesmobilizado, que havia trabalhado numa fundição apenas dois meses. Comotrabalhava em posição agachada durante longos períodos de tempo, instalou-se umador nos músculos gastrocnêmios das duas panturrilhas. A dor agravou-se nos últimosdias. Ele não podia mais agachar-se, mostrava-se incapaz de ficar de pé durante longotempo e claudicava. Exame: havia tensão e dor à pressão nos músculos gastrocnêmiosdas duas pernas. Um pequeno encurvamento para trás do tornozelo provocava dorinsuportável. Foi feito o diagnóstico de tensão ocupacional do músculo gastrocnêmio. Após um tratamento por massagens, os sintomas dolorosos foram imediatamentealiviados, os músculos relaxados, e a dor à pressão diminuiu. O tornozelo podia sercurvado ativamente para trás cerca de 60 graus, e sua claudicação tinha evidentementediminuído. Após mais um tratamento por massagens no dia seguinte, os sintomasdesapareceram e o tratamento foi interrompido.152
  • 149. Periartrite do Ombro CasoZhou —, sexo masculino, 24 anos. O trabalho do paciente era principalmente externo eexigia longas caminhadas. Durante mais de um mês, devido a isso, ele sentiu dores nosdois pés, especialmente no esquerdo. A dor era expansiva e se estendia até apanturrilha, fazendo-o claudicar. Exame: os dois pés eram ligeiramente chatos e haviauma pequena inchação no peito do pé esquerdo. Havia pequena dor à pressão ao longodas bordas internas dos arcos dos dois pés, nos côndilos externos e nos tendões deAquiles. Após apenas três tratamentos pelos métodos de massagem antes descritos, ainchação desapareceu gradualmente e a dor desapareceu. Ele andava normalmenteoutra vez, e assim o tratamento foi interrompido. 12. Periartrite do OmbroA periartrite do ombro é também chamada "ombro congelado". É comum em pessoasde meia-idade e idosas, sendo por isso igualmente conhecida como "ombro dos 50anos". Habitualmente se instala num só lado. EtiologiaEssa doença consiste especialmente em alterações inflamatórias dos tecidos moles emtorno da articulação da espádua. A sua causa ainda não é completamente conhecida.Alguns casos podem estar relacionados com traumatismos ou tensões crónicas. Osdoutores da medicina chinesa acham que ela é causada pelo vento, pelo frio e pelaumidade que atacam um ombro vulnerável, devido à fraqueza da velhice, a deficiênciasdo sangue e da energia vital e à nutrição mal equilibrada. Hoje há quem a considereuma "doença do colágeno". SintomasSem qualquer razão aparente, surgem gradualmente dor, fraqueza e mobilidadebloqueada na região do ombro. No início da doença, a dor é o principal sintoma. Ela seespalha pela região do ombro e é particularmente sentida adiante. Algumas vezes ela seirradia para o antebraço. A elevação e a rotação do braço para fora aumentam a dor, demodo que o ombro afetado costuma ser mantido em posição fixa. Ao mesmo tempo,frequentemente o paciente se sente fraco e incapaz de continuar por mais tempo otrabalho de carregar alguma coisa no ombro. Em fase mais tardia, os sintomas dolorosos com frequência gradualmente sereduzem, mas aumenta o obstáculo à mobilização do ombro. São especialmente 153
  • 150. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMdificultadas a abdução e a rotação para fora; a adução e a flexão para diante ficamtambém, até certo ponto, impedidas. Portanto, não somente o trabalho produtivo éafetado, como os movimentos para escrever, comer, pentear os cabelos e vestir roupatornam-se também difíceis. Sempre que o tempo se torna úmido, os sintomas locais seintensificam. DiagnósticoO diagnóstico que se baseia na história e nos sintomas é fácil. Examine a aparênciaexterna do ombro. Geralmente há atrofia muscular na região. A periartrite deve serdiferenciada das lesões agudas, como fraturas e luxações. Ao mesmo tempo, verifiquena região do ombro alguma dor específica à pressão, observe o local de dor àmovimentação do antebraço e avalie a extensão do movimento do ombro. Essasobservações tornam possível aplicar o tratamento correto. Tratamentoa) Massagem: Método geral e sequência:(i) Coloque o paciente em posição sentada, com os ombros relaxados.Primeiramente, os métodos da fricção com o polegar e do empurrão com a polpado polegar são aplicados nas costas e na região escapular dos dois ombros.Depois, com a base da palma da mão, aplique os métodos do amassamento e dafricção ou o método do rolamento na região escápulo-dorsal do ombro afetado.Parta da massagem suave para a mais forte e da superficial para a profunda,durante cerca de 5-10 minutos, até que o local esteja confortável e aquecido, e osmúsculos relaxados e moles.(ii) Lentamente, e de modo hábil, aplique o método do pinçamento. Pode-secomeçar do ombro para a parte superior do braço, concentrando a massagem naparte anterior do ombro. Repita várias vezes. Combine isso com a massagem deacupontos como fengchi, jianjing, jianliao, jianyu, jianzhen e hegu, usando osmétodos do afundamento com o dedo, da vibração com o dedo ou do empurrãocom a ponta do polegar.(iii) Depois, os métodos da leve martelada ou dos leves tapinhas são aplicados naregião do ombro. Ao mesmo tempo, são também usados os métodos dosacudimento e da rotação. O grau do sacudimento e da rotação é tambémgradualmente aumentado.154
  • 151. Periartrite do Ombro(iv) Finalmente, amasse e esfregue o ombro, o pescoço, a parte superior das costas e obraço do lado afetado, e termine com uma fricção e rolamento do braço.Métodos para situações específicas:(i) Quando o caso está em suas fases iniciais, em que a dor é evidente e opaciente está fraco, devemos fazer mais uso dos métodos do empurrão erolamento, ou ainda aplicar óleo ou solução medicinal e usar o método doaquecimento por fricção. Faça menos uso dos métodos do sacudimento erotação. Se uma pequena rotação der origem imediatamente a dor intensa, nãouse, então, de modo algum, durante algum tempo, o método da rotação.(ii) Quando o caso está em fase adiantada, e o principal sintoma é o bloqueio damobilidade, sendo o estado geral do paciente relativamente bom, faça damobilização da articulação o tratamento principal. Execute movimentaçãopassiva do ombro com uma das mãos, aplicando com a outra os métodos doamassamento, da fricção e do rolamento na região do ombro, particularmenteem qualquer local específico de dor. (Veja Diagramas 74 e 75). Deve-se atentarpara alargar gradualmente a extensão do movimento. Quando o movimento doombro estiver razoavelmente restabelecido, o estiramento do membro deve sercombinado com as outras formas do tratamento. 155
  • 152. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM DIAGRAMA 76 DIAGRAMA 78 Exercício Médico (i) Elevação do ombro: Curve-se para diante na cintura, deixe os braços penderem e junte as mãos, entrelaçando os dedos. Balance os braços para diante, aumentando gradualmente a distância do balanço. Veja Diagrama 76. (ii) Abdução do ombro: Curve-se para diante e deixe os braços penderem. Afaste-os naturalmente para a esquerda e para a direita, aumentando a extensão do movimento. Veja Diagrama 77. (iii) Extensão do ombro para trás: De pé, com as pernas afastadas na largura dos ombros, entrelace as mãos atrás das costas, com as palmas para fora. Use a mão sadia para estirar a mão doente o mais para trás possível sem curvar o corpo para a frente. Veja Diagrama 78. (iv) Movimento circular dos ombros: Fique de pé, com as pernas afastadas na largura dos ombros e os braços esticados para cada lado. Mova os braços em círculo, primeiro para diante e depois para trás, aumentando gradualmente o tamanho dos círculos formados.156
  • 153. Tenossinovite(iii) Em casos de doença prolongada, particularmente quando a perturbação domovimento se mostra relativamente grave e não é evidente o restabelecimento damobilidade, podem também ser usados no ombro o método da extensão e da apreensão.Em alguns desses casos, a abdução, a flexão para diante e a rotação, assim como asposições giradas para diante e estendidas para trás, são particularmente difíceis. Nessescasos, o método do repuxamento do sistema energético pode com frequência ser eficaz,aplicado nos tendões dos músculos deltóide e bíceps.b) Outros tratamentos: A massagem pode ser o principal meio de tratamento dessadoença, mas os exercícios médicos, a fisioterapia e a administração interna de drogassão igualmente benéficos. Resultado terapêuticoA massagem é satisfatória no tratamento dessa afecção. Não somente faz cessar a dor,como restabelece e melhora a mobilidade do ombro e recupera a capacidade detrabalho. Contudo, o período exigido para o tratamento é relativamente longo,geralmente cerca de um mês. CasoWang —, sexo masculino, 49 anos, professor. Nos últimos oito meses, seu ombroesquerdo ficara gradualmente doloroso e com a mobilidade perturbada. Ele não tinhahistória de traumatismo. Exame: nenhuma alteração externa específica no ombroesquerdo. Pequena atrofia muscular na parte superior do braço. O ombro esquerdoatingia 40 graus na abdução. A dor tornava-se mais intensa quando o ombro girava parafora. A flexão para diante e a extensão para trás também estavam limitadas. Haviadores à pressão nas partes mediana e dianteira do ombro. Foi diagnosticada umaperiartrite. Depois de 39 tratamentos pelos métodos de massagem mencionados antes, emcombinação com exercícios médicos, a dor desapareceu gradualmente. A extensão domovimento do ombro foi restabelecida ao normal, com abdução de 90 graus. Ele pôdefazer seu trabalho normal e o tratamento foi interrompido. Visitando-o algum tempodepois, verifiquei que não havia recidiva da doença. 13. TenossinoviteÉ uma doença que se caracteriza por uma inflamação crónica traumática de uma bainhatendinosa. Costuma ser observada sob a forma de tenossinovite dos 157
  • 154. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMmúsculos curto extensor e longo abdutor do polegar. É também chamada de"tenossinovite constritiva". Aqui lidaremos apenas com a tenossinovite neste local,tomando-a como um exemplo. Ela é apresentada a seguir. O tratamento para outrastenossinovites, como a do pé, é igual. EtiologiaEssa doença é causada por prolongada abrasão. Portanto, atividades que exigemcontínua abdução do polegar, tais como lavar roupa, carregar crianças, atividadesatléticas, tendem a provocar tenossinovite. Além disso, os músculos curto extensor elongo abdutor passam no sulco do tendão, na área da apófise estilóide do rádio. Comoo fundo do sulco é irregular, os tendões dos dois músculos são apertados dentro de umabainha relativamente dura e estreita. Quando se movimentam, podem com facilidadeatritar-se um no outro, dando em resultado a tenossinovite. SintomasO paciente sente dor na base do polegar, do lado de fora da apófise estilóide do rádio, enoutros locais. Há também uma pequena inchação, e pode haver sensação deconstrição e dor à pressão. Quando o polegar é dobrado para formar um punhofechado, o pulso se inclina para o lado cubital e há sensação de dor intensa na apófiseestilóide do rádio. Quando a afecção é grave, o polegar se torna fixo em posiçãodistendida para fora. Isso porque a parede da bainha tendinosa se torna espessa econstringida. A palpação local poderá descobrir uma massa dura. DiagnósticoO diagnóstico é fácil e se baseia na etiologia e nos sintomas. Contudo, os casos devemser diferenciados quanto a estarem em fase inicial ou adiantada. Tratamentoa) Massagem: (i) O paciente assume posição sentada ou deita-se de costas. O antebraçoé apoiado por um travesseiro. Em primeiro lugar, aplica-se o método158
  • 155. Tenossinovitedo amassamento com a base da palma no dorso da mão e do antebraço. Depois,continua-se com o método do rolamento, indo para cima e para baixo várias vezes.(ii) Gire o antebraço e a mão para trás, de modo que o lado radial se volte paracima. Novamente o método do rolamento é aplicado, começando da área dopolegar e indo para cima, até a área do cotovelo. A princípio, pode ocorrer dorao se passar sobre a apófise estilóide do rádio, de modo que deve ser empregadaleve pressão. Depois de algum tempo, quando não há mais sensação de dor nessaregião, a força da massagem pode ser gradualmente aumentada. Em seguida, ométodo do pinçamento é aplicado na área do músculo extensor de todo oantebraço.(iii) O terapeuta segura a mão afetada com uma de suas mãos, fazendo firmepressão sobre o polegar doente. Com a outra mão, ele aplica o método dorolamento para cima e para baixo das bainhas tendinosas afetadas. Durante amassagem, mova a mão doente para trás e para frente, e de um lado para ooutro. Nessa ocasião, provavelmente o paciente sentirá alguma dor, de modoque a intensidade da força deve ser ajustada.b) Outros tratamentos. Pode-se usar fomentação ou banho com ervas chinesassimultaneamente com a massagem. Durante o período de tratamento, a parte afetadadeve ficar de repouso. Nos casos em fase inicial, se a massagem não aliviar ossintomas provocados pela constrição, deve ser adotado o tratamento cirúrgico. Resultado terapêuticoNos casos em fase inicial, os tratamentos pela massagem podem eliminar os sintomas.Nos casos avançados, o curso do tratamento geralmente é um tanto longo, mas aestenose pode ser gradualmente aliviada e podem ser eliminados os sintomas. CasoGe —, sexo masculino, 57 anos, pedreiro. A região radial de seu antebraço direitovinha doendo havia três dias. Como consequência, ele não podia nem pegar nemassentar tijolos. Exame: havia uma pequena inchação e evidente dor à pressão naapófise estilóide do rádio da mão direita. Ele não podia abrir ou fechar o polegar. A dorlocal tornava-se intensa quando o polegar era dobrado para o centro da palma da mão.Foi diagnosticada tenossinovite traumática do 159
  • 156. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMcurso extensor e do longo abdutor do polegar. Depois de sete aplicações dos métodosde massagem antes referidos para tenossinovite, a inchação local e a dor foramtotalmente eliminadas. Ele voltou ao trabalho usual e o tratamento cessou. 14. Torcicolo (Pescoço Torto)Na China, o torcicolo é chamado de "queda do travesseiro", "pescoço perdido" ou"travesseiro perdido". Esta afecção é notada ao acordar, quando se sente uma súbita dore a cabeça não pode ser girada livremente. O torcicolo também pode ocorrer emconsequência de traumatismo. Um caso leve pode durar uns poucos dias e desaparecerespontaneamente. Um caso grave pode durar muito tempo, a dor podendo se tornarcada vez mais intensa. Os efeitos terapêuticos da massagem no torcicolo são bons. EtiologiaO torcicolo ocorre quando se está extremamente cansado e se dorme exposto ao ventoencanado, o que dá origem a espasmos musculares ou miofascite; ou quando amembrana sinovial de uma das pequenas articulações das vértebras serviçais ficaembutida ou há uma luxação parcial. SintomasObserva-se dor intensa, que piora quando o pescoço é girado. Esses sintomas em geralaparecem repentinamente, ao se acordar de um sono normal. Esse é o típico torcicolo.Os sintomas podem também aparecer depois de um deslocamento ou torção dopescoço, ou em circunstâncias em que a cabeça é mantida em posição fixa e o corpo ésubitamente inclinado para diante. Contudo, a dor no pescoço pode ocorrerrepentinamente sem qualquer dessas histórias. Algumas vezes, há uma sensação derepuxamento do pescoço e os sintomas se instalam gradualmente, voltando comfrequência e se agravando especialmente quando o pescoço é exposto ao frio. DiagnósticoEssa afecção não é de difícil diagnóstico pela história da doença e pelos sintomastípicos. A rigidez do pescoço pode ser descoberta pelo exame local. Pode não160
  • 157. Torcicolo (Pescoço Torto)haver vermelhidão, nem inchação, mas há limitação dos movimentos de curvar,estender e girar a cabeça. Com frequência, há dor à pressão do lado posterior e inferiorda cabeça (correspondendo a partes dos músculos esternoclidomastoi-diano e trapézio).O torcicolo é em geral causado por espasmo muscular ou inflamação, mas casos emque há dor à pressão em pequena articulação de vértebras cervicais em geral sãoresultado de incrustação sinovial. Tratamentoa) Massagem: Métodos e sequência normais, (i) O paciente fica sentado, e o prático depé, atrás e ao lado. Primeiramente, o método do empurrão com a polpa do polegar éaplicado nos ombros e na parte superior do dorso, especialmente no lado afetado. Issovai fazer com que o paciente se sinta mais confortável e relaxado.(ii) Com o polegar e o indicador, continue aplicando as massagens poramassamento e apreensão aos grupos de músculos na parte posterior do pescoço,começando do. acuponto fengchi e baixando ao longo dos músculos e em tornodo acuponto jianjing do lado afetado, apreendendo o acuponto 2-3 vezes, atéque apareça a energia vital. Desse modo, amasse e apreenda repetidamente, atéalcançar o relaxamento do grupo de músculos da área do pescoço do paciente.(iii) Aplique o método da rotação do pescoço. (Veja Diagrama 38, pág. 49.)Cuide para evitar que haja dor. A extensão do movimento deve ser pequena.Enquanto gira o pescoço do paciente, peça-lhe que relaxe os músculos. Espereque eles estejam relaxados completamente e não haja mais resistência à rotação.Então gire o pescoço rapidamente. Finalmente, amasse e apreenda novamente ogrupo de músculos da parte posterior do pescoço 2-3 vezes. Procedimentos Especiais(i) Quando se suspeita de deslocamento parcial de articulação, não é aconselhável ométodo da rotação do pescoço. Depois de relaxamento da área do pescoço, obtido pelamassagem normal, pode ser usado o levantamento do pescoço: peça ao paciente que sesente no chão com as pernas cruzadas. O prático fica de pé atrás dele. Com as duasmãos, segura os dois lados da mandíbula do paciente e lentamente levanta-a. Depoiscurva-lhe a parte posterior da cabeça, rodando a face para cima. Quando se suspeita deincrustação da sinóvia, é muito adequado o uso do método da rotação do pescoço. 161
  • 158. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM(ii) Quando o paciente tem história evidente de traumatismo, e sua lesãoenvolveu grande força, não é aconselhável rodar o pescoço repentinamentequando aplicar o método da rotação. Espere 2-3 dias antes de usar essa parte damanipulação.(iii) Quando não há evidência de história de traumatismo mas os sintomas seagravam com a exposição ao vento e ao frio, é aconselhável aplicar mais asmassagens do empurrão e apreensão, apreender profundamente e amassar comforça.b) Outro Tratamento: Um torcicolo típico se recupera em duas ou três sessões demassagem. Em geral, não há necessidade de outro tratamento. Quando há história detraumatismo, um tempo mais longo da doença ou continuada exposição ao vento e aofrio, a massagem pode ser combinada com a aplicação de fisioterapia, loções de ervaschinesas e compressas quentes locais. CasoWu —, sexo masculino, 24 anos, operário. Certo dia, ao acordar, sentiu algumdolorimento na região do pescoço. Os sintomas ficaram piores no correr do dia, até queà tarde não mais havia movimento livre do pescoço. Tomou uma medicação oral, masnão houve sinal de melhora, de modo que veio ao hospital para se tratar. Exame: nãohavia vermelhidão ou inchação no pescoço, mas observou-se tensão nos músculos dopescoço. A pressão do pescoço causava dor, e esta aparecia com o movimento dopescoço em qualquer direção. Depois do tratamento pela massagem, a dorimediatamente diminuiu e o movimento normal foi restabelecido. Depois do segundotratamento, todos os sintomas desapareceram completamente. 15. Mastite AgudaA mastite aguda em geral ocorre depois do parto em mulheres que amamentam,especialmente no primeiro. Os doutores da medicina chinesa a chamam de "carbúnculomamário em expulsão". Se o problema não é tratado em tempo, pode-se formar umabscesso que não sara facilmente depois de rompido. EtiologiaA origem dessa afecção geralmente está ligada à estagnação do fluxo do leite. Esseacúmulo de leite pode ter lugar quando não é possível a amamentação162
  • 159. Mastite Agudaregular ou quando a papila está rachada e a infecção produz bloqueio. Os catabólitos doleite acumulado estimulam os canais galactóforos, dando origem a uma reaçãoinflamatória. Se o acúmulo não é sanado logo, a inflamação continua evoluindo e ofinal é o rompimento de um abscesso. SintomasUma dor expansiva é a única coisa sentida nas fases iniciais. Há uma inchação damama e uma tumoração oculta, onde a glândula mamária é bloqueada. A tumoraçãocresce gradualmente e se torna dura, seus limites se tornando mais precisos. A pele daregião se torna vermelha e os gânglios linfáticos na axila do mesmo lado da mamaafetada se intumescem grandemente. Finalmente, a tumoração se torna molenovamente e se transforma num abscesso. Alguns se rompem espontaneamente, dandosaída a pus. Depois do início, muitas pacientes apresentam calafrios e febre. DiagnósticoCom base no processo patogênico e na inflamação local da mama, é fácil fazer-se odiagnóstico. É até mais fácil quando há um abscesso. Contudo, se a mastite progridelentamente, deve-se tomar o cuidado de diferenciá-la de um tumor. TratamentoO tratamento pela massagem deve ser aplicado nas fases iniciais da evolução destadoença. Em geral, forma-se um abscesso 6-7 dias depois, de modo que é aconselhávelaplicar massagem antes que ele se forme, o mais precocemente possível.a) Massagem: (i) O paciente e o massagista sentam-se um de frente para o outro. Paralubrificar, esfregue a pele com um meio lubrificante como óleo ou pó de talco.Primeiramente, o terapeuta fricciona e amassa levamente em torno da tumoração damama. Começa a escorrer um pouco de líquido lácteo. Em seguida, aplique os métodosdo afundamento e amassamento nos acupontos rugen e zhongfu.(ii) Depois, apoiando a mama com os dedos das duas mãos, use os dois polegares,alternadamente para friccionar ao longo da tumoração, partindo da 163
  • 160. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMparte superior desta para a papila. Começa a esguichar líquido lácteo. Mas as aberturasdas glândulas mamárias do lado da massa tumoral estarão ainda parcialmentebloqueadas, e tudo que sairá delas será pequena quantidade de líquido amarelo.(iii) Com a mão esquerda, sustente firmemente a mama; com o polegar, o indicador e omédio da mão direita, esprema a massa tumoral em direção ao mamilo. Aplique ométodo anterior alternadamente com este. A força do pinçamento é aumentadagradualmente até o nível que o paciente possa suportar. Pelas aberturas das glândulasmamárias ocluídas, certa quantidade de líquido cremoso amarelo ou de aspectopurulento gradualmente começa a sair. Nessa ocasião, a massa tumoral vai se tornandomais mole ou se espalha. Se isso não acontecer, então, com paciência, continueespremendo e friccionando. Se o bloqueio foi parcialmente desfeito mas a paciente nãopode tolerar a dor, então descanse um pouco antes de reiniciar a massagem. Para aspacientes que se queixam de dor intensa, aplique um analgésico antes do tratamento.b) Outro tratamento: Pode-se manter suspensa a mama com um cinto largo e aplicarvárias vezes fomentações. Em certas ocasiões, pode-se usar uma bomba ou as mãospara esvaziar o líquido lácteo. A massagem pode ser combinada com a administraçãooral de remédios à base de ervas chinesas, para reduzir a inflamação e abrir os duetosmamários obstruídos. Se houver excesso de líquido e se renovar a estagnação váriasvezes, o leite deve ser retirado sempre que necessário. Geralmente, na medicinapopular chinesa, enrola-se sal de Gláuber ou massa de pão em um pedaço de linho, queé aplicado na mama afetada. Resultado terapêuticoNo tratamento da mastite aguda, quanto mais precocemente se inicia a massagem,melhor. Geralmente, se o fluxo é restabelecido numa sessão, a afecção será debeladalogo. Caso contrário, serão necessários novos tratamentos antes de se desfazer obloqueio e fazer desaparecer completamente a massa tumoral. Quando a doença jáexiste há longo tempo e o fluxo não pode ser restabelecido numa sessão, os resultadosdo tratamento pela massagem são precários. A massagem em geral não é aconselhávelquando se forma um abscesso e a inflamação se espalhou por área relativamentegrande. CasoHan —, sexo feminino, 34 anos, professora. Tendo dado à luz pela primeira vez, suamama direita inchara e ela sentira dor durante dois dias, acompanhada de164
  • 161. Mastite Agudafebre geral durante um dia, findo o qual chegou para se tratar. Ela disse que asamamentações eram irregulares, porque tinha que ir trabalhar, e que isso causara ainchação da mama. Nos últimos dois dias, ela observara uma massa tumoral e dor namama direita. No dia anterior, isso fora acompanhado de calafrios e febre. Exame:temperatura corporal, 38°C. Havia uma massa tumoral vermelha na parte superior damama do tamanho de um dólar de prata. Era dolorosa à palpação, e a pele em tornodela estava ligeiramente vermelha. A doença foi diagnosticada como mastite aguda,sendo prescrito o tratamento pela massagem. Depois de duas sessões, a tumoraçãodesapareceu e a cor da pele voltou ao normal, o fluxo de leite sendo restabelecido sembloqueio. Depois de uma terceira sessão, os sintomas desapareceram completamente eo tratamento terminou.Nota 1: Prescrições para reduzir inflamação e abrir os duetos mamários:a)Pugongying Taraxacum mongolicum Hand. — Mazz (dente-de-leão) 1 liang Jinyinhua Lonicera japonica Thunb (flor de madressilva) 1 liang Gualou (conjunto) Trichosanthes kirilowii Maxim. 5 gian Mutong Akebia trifoliata (Thunb.) Koidz. (fruto) 5 gianAs ervas mencionadas são cozidas em três panelas chinesas de água até que resteapenas uma panela de líquido. Este é tomado oralmenteb)Pugongying Taraxacum mongolicum Hand Mazz (dente-de-leão) 1 liangZihuadiding Viola japonica Lanasd 1 liangCozido em infusão e tomado oralmente.Nota 2: Método popular de massagem — Raspagem com pente de madeira: Use umpente de madeira, de preferência velho e macio. Mergulhe as costas do pente em óleode sésamo e use-o para raspar a massa tumoral da mama para baixo, na direção domamilo, aumentando gradualmente a força empregada. Nessa ocasião, flui líquidolácteo. Repita pacientemente, até que flua leite regularmente dos duetos mamáriosocluídos-Nota 3: Massagem popular — Método da pisada e puxão: Coloque a paciente emposição sentada e sente-se junto ao seu lado doente. Com o pé colocado contra a axilada paciente, segure os dedos dela com ambas as mãos. Simultaneamente, empurre aaxila e puxe a mão. Repita 3-4 vezes. Segure diferentes combinações 165
  • 162. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMde dedos cada vez. Por exemplo, no primeiro movimento de pisada e puxão, a mãodireita pode segurar o polegar e o indicador, enquanto a mão esquerda segura os outrostrês dedos; depois, no segundo movimento, a mão direita segura o polegar, o indicadore o médio, e a mão esquerda segura os outros dois dedos. Depois de uma série demovimentos, a paciente deve sentir uma sensação relaxante e confortável na região damama. 16. Tromboangiíte Obliterante EtiologiaAs causas dessa doença ainda não foram confirmadas, mas em geral se admite que elapossa estar ligada a fatores como o fumo, a bebida, o frio e fatores psicológicos.Devido a esses fatores, cria-se um desequilíbrio no sistema nervoso central que dá emresultado espasmo das artérias. O prolongado angioespasmo resulta em alteraçõespatológicas, como o espessamento da camada interna dos vasos sanguíneos, aformação de coágulos e até bloqueio completo. Ao mesmo tempo, aparececlinicamente um conjunto de sintomas correspondentes. SintomasEssa doença costuma ocorrer num dos membros inferiores. Nas fases iniciais, sãoobservados calafrios e dormência na panturrilha e no pé. Quando a doença é um poucomais grave, aparece o que é chamado de claudicação intermitente; a marcha, ainda queem pequena distância, causa dor e espasmos musculares na panturrilha, o que força opaciente a claudicar. Depois de curto repouso, a dor desaparece, mas a marcha maisprolongada faz com que apareça novamente. À medida que a doença alcança fasesmais adiantadas, o paciente sente evidente frieza no membro afetado e os dedos do pédoem constantemente. Isso frequentemente faz com que o paciente se sente, apertandoos joelhos para aliviar um pouco a dor. A dor frequentemente piora à noite, e quando aperna é levantada. A pele torna-se purpúrea e o paciente não pode absolutamenteandar. Se a doença continua a evoluir, aparecem úlceras e necrose na perna,especialmente nos dedos do pé. DiagnósticoO diagnóstico não é difícil, com base nos sintomas específicos e novos inquéritos sobreoutros fatores, como o fumo, a bebida, a exposição ao frio e fatores psicológicos. Émuito importante o diagnóstico precoce e também o tratamento.166
  • 163. Tromboangiíte Obliterante Tratamentoa) Massagem: (i) O paciente deita-se de bruços. Primeiramente, aplique o método doempurrão com a polpa do polegar nas regiões lombar e sacra, e faça massagem nosacupontos shenshu, mingmen e nos oito liao, usando principalmente o método doempurrão com a ponta do polegar. Depois, aplique o método do rolamento, começandona região glútea e indo para baixo na direção da perna afetada. Alterne esseprocedimento com o movimento para cima, partindo da panturrilha e usando o métododo empurrão com a polpa da palma. Alterne os dois métodos 3-4 vezes. Não façalongas massagens nem empregue força capaz de provocar dor.(ii) O paciente deita-se de costas. Aplique o método do empurrão com a polpada palma, indo para cima ao longo da panturrilha e da coxa. Depois desça,usando o método do rolamento. Alterne os dois métodos 3-4 vezes.(iii) A seguir, exerça pressão com os polegares de cada lado do acupontoqichong. Após cerca de 2-3 minutos, o paciente vai relatar que sente umasensação de dormência e inchação na perna. Neste ponto, retire repentinamenteos polegares. O paciente vai sentir uma corrente de calor estendendo-se parabaixo. E bastante fazer isso uma ou duas vezes. Se causar dor intensa, não o façade modo algum.(iv) Finalmente, faça vibração delicada na perna afetada durante 1-2 minutoscom a palma da mão ou um vibrador.a) Outro tratamento: A massagem é apenas parte de um eficaz tratamento combinadopara essa doença. São também importantes a administração de medicamentos e otratamento cirúrgico. Outras medidas, como a abstenção do fumo e da bebida, amanutenção do membro aquecido e a prática de exercícios médicos, não devemtambém ser negligenciadas. CasoLi —, sexo masculino, 32 anos, professor. Na porção inferior da panturrilha esquerda ena região dos dedos do pé esquerdo, três anos atrás, aparecia uma dor expansivaquando ele andava. Após a gradual evolução da doença, instalou-se uma claudicaçãointermitente. Recentemente, apareceu-lhe uma dor espasmódica no membro afetado,que se tornava mais intensa à noite. Ao mesmo tempo, ele sentia uma sensação dedormência fria. Exame: a pele da panturrilha e do pé da perna afetada era escura evermelha, e mais fria do que a da perna direita. A pulsação da artéria no peito do péesquerdo era fraca. A dor
  • 164. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMpermanecia inalterada quando a perna era levantada ou deixada pendida. Foidiagnosticada uma tromboangiite obliterante. Depois do uso dos métodos de massagemcitados e de exercícios médicos, a cada sessão a dor diminuía e a pele ficava irrigada.Daí em diante, com o acréscimo de aplicações clínicas de bloqueio dos gângliossimpáticos lombares e femorais, o tratamento continuou por um total de 44 dias. Nessaocasião, todos os sintomas tinham desaparecido completamente e o paciente teve alta. 17. Obstrução Intestinal Paralítica Pós-Operatória EtiologiaEssa afecção ocorre muito frequentemente após cirurgia abdominal. Ela se relacionacom a violenta agressão cirúrgica, inclusive a da anestesia. A perturbação funcionalgeral é causada por essa agressão, aparecendo temporariamente uma perturbação dafunção peristáltica. SintomasEla em geral se instala 1-3 dias depois da operação. Aos poucos, observa-se distensãoabdominal. Não há emissão de gases e nenhuma vontade de evacuação. A distensão doabdome se torna gradualmente tão acentuada, que a respiração pode ser afetada e aposição de decúbito se torna impossível. O paciente apresenta enfado e impaciência, e,nos casos graves, não dorme. Não tem apetite nem desejo de beber e aparecemvómitos. Durante o exame, pode ser observada distensão do abdome, e a sua percussãoproduz um som parecido com o do tambor. O ruído do peristaltismo é bastante fraco ouinexistente. DiagnósticoNão é difícil diagnosticar esta afecção pela etiologia e pelos sintomas. Mas otratamento pela massagem só pode ser aplicado depois que todas as contra-indicaçõesforem eliminadas. Tratamentoa) Massagem: (i) Faça com que o paciente se vire lentamente de lado. Aplique ométodo do empurrão com a polpa do polegar em ambos os lados da linha mediana daregião dorsal (desde o segmento inferior do tórax até o segmento168
  • 165. Obstrução Intestinal Paralítica Pós-Operatóriasuperior da região lombar) durante 5 minutos, para que o paciente se familiarize com oestímulo da massagem e se sinta confortável.(ii) Com o polegar, aplique o método do afundamento nos acupontos pishu eweishu, até que apareça a energia vital. A seguir aplique o método doamassamento com o polegar em cada acuponto durante cerca de 1 minuto, paramanter a força do estímulo. Nessa ocasião, o paciente frequentemente percebeum movimento peristáltico no abdome, ou uma imediata expulsão de gás.Quando não se verifica essa reação, os métodos do afundamento com o dedo edo amassamento podem ser aplicados acima e abaixo dos pontos pishu e weishu,ou um ponto sensível nas costas pode ser usado como um ponto ashi4.(iii) O paciente fica deitado de costas. Aplique o método da fricção com a palmano umbigo, fazendo os movimentos no sentido dos ponteiros do relógio. Nessaocasião, costuma haver uma sensação de peristaltismo, o paciente pode emitirgases e a distensão do abdome pode diminuir gradualmente. Se o efeito nãoaparecer, aplique então os métodos do afundamento com o dedo e da vibraçãocom o dedo nos acupontos tianshu e gihai, acompanhando a elevação e oabaixamento da respiração. Finalmente, conclua amassando e friccionandofirmemente o abdome com a mão espalmada.b) Outro tratamento: Além dos métodos de massagem descritos, outros tratamentossintomáticos devem ser aplicados ao mesmo tempo, tais como a descompressão porgastroentubação e introdução de um tubo no ânus objetivan-do a passagem de gases,para promover o restabelecimento da função peristál-tica Resultado terapêuticoGeralmente, a massagem produz efeito rápido sobre a afecção. Algumas vezes, todosos sintomas quase desaparecem completamente depois de uma sessão de massagem CasoDu —, sexo masculino, 40 anos. Consulta externa. O paciente sofria de apendicitecrónica. No terceiro dia pós-operatório, seu abdome estava enormemente distendido.Ele não podia beber, não emitia gases, não dava sinais de movimento intestinal, e aauscultação do abdome mostrava que os sons4 Todo ponto do corpo que não é acuponto, mas no qual é aplicada massagem de acuponto.Frequentemente, ela é feita perto do local de uma lesão. 169
  • 166. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMperistálticos tinham desaparecido. Foi clinicamente diagnosticado que se tratava deuma paralisia intestinal pós-operatória. Nenhum restabelecimento do peris-taltismo foiobtido com a gastroentubação, a introdução de um tubo no ânus e injeção deneostigmina. Foram adotados os métodos de massagem anteriormente descritos.Depois da massagem do acuponto pishu, do lado direito, pelos métodos doafundamento com o dedo e amassamento com o polegar, durante um minuto, opaciente, sentiu movimento peristáltico. Depois da massagem do acuponto pishu, dolado esquerdo, da mesma maneira, houve emissão de gases. No final da massagem, opaciente expeliu grande quantidade de gás e de repente sentiu-se relaxado e aliviado nasua região abdominal. No dia seguinte, ele foi reexaminado. A distensão do abdometinha desaparecido. Não foi administrado nenhum outro tratamento. 18. ParaplegiaParaplegia é um termo genérico para sintomas de paralisia na metade inferior do corpo.O tratamento pela massagem é um dos métodos relativamente eficazes no razoávelatendimento da paraplegia. EtiologiaA paraplegia pode ocorrer em grande número de afecções, tais como a fratura decoluna, espondilite tuberculosa concomitantemente com lesão de medula, mielite,mieloma etc. SintomasA paraplegia pode ocorrer subitamente ou gradualmente. A localização da paralisia,alta ou baixa, é normalmente determinada pelo ponto onde ocorreu as alteraçõespatológicas. Pode haver perturbações motoras e sensoriais no local da paralisia. Asperturbações motoras podem abranger a perda parcial ou total da capacidade motora;as sensoriais podem incluir retardamento da sensibilidade, anomalia sensorial e perdade sensibilidade superficial e profunda. Com base nos diferentes graus de perturbaçãomotoral e sensorial, é feita uma distinção clínica entre paralisia total e parcial. Alémdisso, a paraplegia pode também apresentar paralisia espástica ou paralisia flácida. Naparalisia espástica, os músculos do local paralisado estão espasmosados, a tensãomuscular aumenta, não se observa170
  • 167. Paraplegiaatrofia e há reflexos patológicos. Na paralisia flácida, os músculos no local daparalisia tornam-se frouxos, moles e astênicos, sua tensão diminui, há evidente atrofiamuscular e todos os reflexos estão fracos ou ausentes. DiagnósticoNão é difícil diagnosticar paraplegia, mas as causas da afecção são relativamentecomplexas e devem ser claramente identificadas. Somente a paraplegia resultante delesão ou inflamação pode ser tratada com êxito pela clínica, inclusive pela massagem.Na paraplegia resultante de outras causas, este tratamento tem resultados terapêuticosrelativamente precários. No tratamento da paraplegia causada por tumor, a massagemsó deve ser adotada depois do tratamento deste. Antes do tratamento pela massagem,deve ser feita distinção entre paralisia espástica e paralisia flácida, porque os tipos demassagem usados são um pouco diferentes. TratamentoEm primeiro lugar, o terapeuta e o paciente devem estar firmemente convictos de quepodem vencer a paraplegia. Depois, eles escolhem ativãmente os métodos damassagem a serem combinados com outras formas de tratamento clínico. A escolhados métodos se baseia na fase de desenvolvimento da paraplegia e nas suasmanifestações clínicas.a) Massagem: (i) Primeiramente, o paciente toma uma posição natural deitada. Osmembros repousam em posição adequada. Algumas vezes, os membros devem serexpostos, aplicando-se-lhes um meio lubrificante.(ii) No início da sessão de massagem, tome a precaução especial de fazer seusmovimentos firmes e uniformes, aumentando a pressão de suave até forte.Geralmente, os primeiros métodos usados são os da fricção circular, a doempurrão e da fricção. Aos poucos, mude esses métodos para o do amassamen-to, partindo da área distai para a proximal, durante 5-10 minutos.(iii) Em casos de paralisia espástica, certifique-se particularmente de que seusmovimentos sejam firmes e uniformes e que a massagem não seja demasiadoprofunda. Use a força gradualmente, de acordo com a progressiva adaptação do 171
  • 168. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMpaciente ao estímulo. A quantidade de força empregada deve ser dosada, para evitarcontrações espásticas.(iv) Em casos de paralisia flácida, a massagem pode ser mais pesada, alcançandoprofundamente os músculos. O pinçamento pode ser empregado usando-se trêsou cinco dedos, dependendo da região a ser massageada. Pince e amasse osmúsculos profundamente no local da paralisia. Em algumas áreas podem seraplicadas fortes manipulações, como o método do piparote, também podendoser usado o método da fricção e rolamento. Finalmente, podem ser usadas váriasformas dos métodos do martelamento e do tapinha.(v) Adote a massagem de acupontos. Baseado na posição alta ou baixa do localparalisado, escolha acupontos, como qichong, huantiao, Juliao, fengshi, zusanli,yanglingquan, xuehai, weizhong, chengshan, taixi, kunlun e jiexi. Em todos elespodem ser aplicados os métodos do afundamento com o dedo e da vibração como dedo, e especialmente o método do empurrão com a ponta do polegar, que émais usado no ponto zusanli.(vi) São muito importantes as massagens passivas no paciente com paralisiatotal. Antes do restabelecimento dos movimentos ativos, as manipulaçõespassivas, tais como a flexão e a extensão das articulações, podem ser usadas parapromover a criação nos órgãos motores das várias condições para o movimento.Geralmente, isso deve ser feito várias vezes diariamente. Ao mesmo tempo,deve-se fazer uso de métodos que estimulem o movimento, para provocar aocorrência e o restabelecimento do movimento ativo. Faça o paciente deitar-sede lado. Sustente-lhe a perna com um braço, curvando cada articulação omáximo possível. Peça-lhe que estenda a perna e, delicadamente, movimentecada articulação até a posição distendida, acompanhando a força exercida pelopaciente. O uso repetido desses métodos de estimulação do movimento podeajudar o paciente a recuperar o movimento ativo.(vii) No paciente com incontinência de fezes ou de urina, pode ser aplicada noabdome a massagem por fricção ou amassamento. Ao mesmo tempo, apliquemassagens nos acupontos guanyuan, qihai e tianshu no abdome ou nosacupontos dachangshu, xiaochangshu e oito liao nas costas. A massagem dosacupontos gradualmente irá promover o restabelecimento da função eliminada.b) Outro tratamento: Durante todo o curso do tratamento, a massagem deve sercombinada com vários novos tratamentos eficazes, que incluem drogas, acupun-tura einjeções de medicamentos à base de ervas. Quando o movimento ativo começa areaparecer, deve ser instituído um programa de exercícios médicos.172
  • 169. ParaplegiaEnquanto os músculos ainda não estão bastante fortes para vencer o peso do própriomembro, é melhor usar um peso em roldana para reduzi-lo, enquanto várias formas deexercício são executadas. Ao estabelecer um programa de exercícios, deve-se cuidarespecialmente para que o paciente assuma uma atitude positiva. Sob a orientação doterapeuta, ele deverá executar um árduo programa de treinamento, ao mesmo tempofazendo frequentemente exercícios de relaxamento ativo dos membros. Nos exercícios médicos, a posição corporal que o paciente adota deve ser alteradao mais rapidamente possível para a posição de pé e para a de marcha. Se o paciente ficadeitado, estimule frequentemente a sua planta do pé e aplique manipulações passivasque o animem a andar. Ele também pode praticar a postura de pé com o auxílio deaparelhos mecânicos. Por exemplo, use uma cama-prancha com uma extremidade fixano chão e a outra colocada mais alto. O paciente deita-se nela, com os pés colocadoscontra um apoio de madeira fixado transversalmente. A altura da extremidade maiselevada da cama-prancha é aumentada gradualmente até que o paciente fique quase emposição erecta. Quando ele puder ficar de pé, estará apto a aprender a andar apoiadopor outra pessoa, por uma bengala ou um banco alto. Quando as condições permitem,também pode ser usado um carrinho próprio para esse fim. Resultado terapêuticoNas fases iniciais da paralisia, a massagem pode elevar a resistência do organismo,prevenir úlceras de decúbito e estacionar alterações regressivas, tais como atrofia deum órgão motor ou anquilose articular, e tem a função de promover o reaparecimento edesenvolvimento do movimento ativo. Quando o paralítico já recuperou algummovimento ativo, a massagem pode ajudá-lo a ficar de pé e desenvolver-lhe acapacidade de andar mais cedo. CasoLiu —, sexo masculino, 50 anos. O paciente sentira primeiramente dormência efraqueza nos membros inferiores. Dois ou três dias depois, as duas pernas estavamtotalmente paralisadas e ele não podia andar. Depois de ficar acamado durante cerca deuma semana, ele veio ao Departamento de Neurologia de nosso hospital e foihospitalizado para tratamento. Foi diagnosticada uma mielite transversa.Imediatamente ele recebeu massagem. Naquela ocasião, seus membros inferiores nãopodiam ser movidos ativamente, toda sensação de dor 173
  • 170. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMhavia totalmente desaparecido da coxa para baixo e os músculos estavam fracos eatrofiados. O reflexo patelar tinha desaparecido e não havia reflexo patológico. Foiadotada, portanto, a massagem para paralisia flácida. Depois de uma semana detratamento, a movimentação ativa dos membros inferiores estava basicamenterestabelecida. Ele podia dobrar os joelhos e fazer uma ligeira elevação de pernaesticada. O tratamento continuou por uma semana, e depois da adição de exercíciosmédicos ativos, o movimento dos membros inferiores foi totalmente recuperado e elepôde sair da cama e ficar de pé. A mensuração da circunferência das pernas nãorevelou diminuição, mas um aumento, desde o início das massagens. Ele teve alta dohospital e convalesceu em casa. CasoFang —, sexo masculino, 25 anos, soldado. O paciente era portador de tuberculose da8a até a 10a vértebra dorsal, com paraplegia, e foi hospitalizado para tratamento.Exame: foi verificado que os membros inferiores estavam com hiperestesia. Não haviaatrofia evidente dos músculos. Os da coxa podiam ser contraídos ativamente empequeno grau. Não havia movimento algum desde as panturrilhas até os dedos dospés, mas em todo o membro inferior havia um tremor involuntário, assim comoreflexos patológicos. Foi feita, portanto, na Divisão de Ortopedia, uma operação delimpeza no foco de tuberculose. Cinco dias depois da primeira operação, foi iniciadamassagem para paralisia espástica. Esta tinha por fim ajudar a restauração de algummovimento dos membros inferiores paralíticos e fazer com que os joelhos pudessemdobrar e esticar totalmente. Depois de um mês e meio de massagem, foi feita umasegunda operação. Depois da operação, a massagem continuou. Ao mesmo tempo, foiprescrito ao paciente um programa de exercícios médicos para os membros inferiores.Depois de uma estada de mais de quatro meses ao todo no hospital, e mais de 100sessões de massagens, a função dos membros inferiores foi basicamente restabelecida.Quando ele pôde andar quase normalmente, teve alta. 19. Paralisia ParcialA paralisia parcial é também chamada hemiplegia. A palavra é um termo geral parasintomas de paralisia que ocorrem de um lado do corpo. Essa doença é muito comumna velhice. A massagem tem um efeito terapêutico positivo.174
  • 171. Paralisia Parcial EtiologiaDo ponto de vista clínico, a hemiplegia pode ocorrer concomitantemente com grandenúmero de doenças, como, por exemplo, traumatismo de cabeça, angiopatia cerebral,tumor intracraniano etc. Clinicamente, a hemiplegia resultante de hemorragia cerebralhipertensiva (acidente vascular cerebral) é mais comum. SintomasA hemiplegia usualmente aparece de modo repentino, a despeito de uma minoria decasos graduais. Há perturbações motoras e sensoriais de um lado do corpo do pacientee, com frequência, desvio da boca e do olho. A hemiplegia é em geral uma forma deparalisia espástica, mas nas suas fases iniciais pode haver um período durante o qualela se manifeste como paralisia flácida. O grau de perturbação motora e sensorialapresentado pode representar paralisia total ou parcial. DiagnósticoEm geral, pode ser feito um diagnóstico positivo com base nos sintomas, mas aetiologia da hemiplegia, incluindo a doença que lhe deu origem, deve ser determinada. TratamentoO tratamento pela massagem em geral começa depois que a hemiplegia foiclinicamente diagnosticada, quando os fatores patogênicos foram eliminados ou adoença está estabilizada e a mente do paciente se tornou mais clara. No curso dotratamento, deve-se cuidar especialmente de vencer a atitude passiva do doente e dereforçar a sua confiança no combate a sua doença.a) Massagem: (i) O paciente deita-se estendido. São aplicadas manipulações do tipofricção circular, empurrão e fricção nos membros do lado paralítico, indo do modomais suave para o mais forte e partindo da extremidade para a raiz do membro. Façamassagem uniformemente durante 5-10 minutos. Se ainda há pressão arterial alta, essetratamento pode ser combinado com a massagem sistémica e outros métodos usados notratamento da hipertensão. (Veja pág. 192.) 175
  • 172. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM(ii) Em geral, a hemiplegia é uma paralisia espástica, mas nas suas fases iniciaisela se manifesta como paralisia flácida e deve ser tratada como tal. Use osmétodos de massagem para paralisia flácida descritos na seção sobre tratamentoda paraplegia. (Veja pág. 170.)(iii) Massagem de acuponto: Para acupontos dos membros inferiores, veja aseção sobre tratamento de paraplegia. (Pág. 171.) Nos membros superiores, sãocomumente usados os acupontos quepen, jianliao, jianjing, quchi, chize,shaohai, daling, yangchi, yangxi, yanggu, shousanli e hegu, pelos métodos doafundamento com o dedo e vibração com o dedo. Pode-se dar ênfase à aplicaçãodo empurrão com a ponta do polegar nos acupontos shousanli e hegu.(iv) Antes do movimento ativo, os membros sadios do paciente podem serusados para exercícios auxiliados. A mão sadia pode puxar a mão afetada; o pésadio pode apoiar o pé doente. O terapeuta e a família do doente podem ajudá-lo a exercitar o membro afetado. Pode ser feito bastante uso do método deestimulação do movimento; o terapeuta ou um membro da família do pacientesustenta o membro afetado. O terapeuta diz ao paciente para mover o membroafetado, movimentando-o para ele ao mesmo tempo. O próprio paciente, demodo consciente, exerce força sobre o membro, gradativamente iniciandomovimento ativo. É descrito na seção sobre tratamento da paraplegia (veja pág.172.) um método de mobilização para os membros inferiores.(v) Se houver desvio de boca e de olho, pode ser usada a massagem por fricção eamassamento do lado paralisado da face. O método do empurrão com a pontado polegar pode também ser usado nos acupontos tayang, zuanzhu, jingming,yifeng, jiache e dicang.b) Outro tratamento: Métodos de tratamento tais como drogas, acupuntura emoxibustão etc. devem ser aplicados em conjunto. Depois que o paciente adquirealgum movimento ativo, devem ser iniciados o mais cedo possível os exercíciosmédicos. Geralmente, o movimento ativo no membro inferior estará restabelecidoantes daquele do membro superior. Portanto, a mudança deve ser feita tão logo sejapossível, para posturas mais ativas. O método da estimulação do movimento para osmembros superiores pode ser executado com o paciente na posição sentada ou de pé. Omembro superior do lado afetado pode ser movimentado na direção do ombro do ladosadio. A cabeça e o pescoço podem também ser voltados o mais cedo possível para olado são. Ao comando oral do terapeuta, a cabeça, o pescoço e o tronco são giradospara o lado afetado. Ao mesmo tempo, o terapeuta leva o braço afetado para o ladoafetado e conscientemente estende todo o membro superior, exercendo força nosentido176
  • 173. Lesão de Feixe Nervoso Periféricodos dedos. Esse procedimento é repetido certo número de vezes. Quando o membrosuperior readquire mobilidade, devem ser feitos movimentos coordenados o mais cedopossível. Por exemplo, faça que as duas mãos alternadamente apontem o nariz etoquem as orelhas, e faça com que alternadamente os dois membros superioresexecutem movimentos em diferentes direções. Ao mesmo tempo, faça com que opaciente execute movimentos práticos, tais como comer com pauzinhos chineses eescrever com caneta. Além disso, devem ser feitos com frequência exercícios derelaxamento dos músculos do membro afetado. Resultado terapêuticoA massagem tem efeito positivo no restabelecimento da mobilidade do pacientehemiplégico. Se nas fases adiantadas da doença ela é combinada com exercíciosmédicos, o resultado terapêutico é até melhor. CasoFang —, sexo masculino, 55 anos, operário. O paciente desmaiara subitamente, suamente ficando confusa. Mais tarde, apareceu paralisia parcial no seu lado esquerdo. Ummês depois, readquiriu clareza mental e era capaz de falar novamente. Mas não podiamover de modo algum os membros do lado esquerdo do corpo. Além da medicação,foram aplicadas massagens como descrito anteriormente, num total de 30. Foigradualmente restabelecido o movimento dos membros do lado esquerdo. Os músculosestavam bastante fortes para mover os membros, e ele podia andar apoiado em algumacoisa. Foi-lhe dito que continuasse com as massagens e os exercícios médicos, depoisdo que teve alta do hospital. 20. Lesão de Feixe Nervoso PeriféricoDepois de uma lesão de feixe nervoso periférico podem estar presentes nos membrosabaixo da lesão vários graus de paralisia. O tratamento pela massagem pode dar bonsresultados, como parte de um tratamento combinado. EtiologiaA lesão de feixe nervoso periférico costuma ser observada por ocasião de traumatismode tecidos moles (corte, punção, contusão por instrumento, rombo 177
  • 174. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMetc.) ou fraturas. Pode ser causada também por lesão acidental de tronco nervosodurante cirurgia ou exérese de neurofibroma etc. SintomasDepois da lesão, em geral aparecem imediatamente perturbações motoras e sensoriaisnas áreas correspondentes às controladas pelos nervos lesionados. A perturbação leveinclui apenas dormência, diminuição do tono muscular e da mobilidade. Naperturbação grave, a sensibilidade e as contrações ativas dos músculos são perdidas, ehá deformação e espasmo do membro afetado. A paralisia provocada por lesãoperineural é sempre do tipo flácido. O local da paralisia é claramente delimitado peloponto do tronco nervoso onde se deu a lesão. Temos, portanto, designações clínicas,tais como lesão neural do plexo braquial, lesão do nervo radial, do nervo cubital, donervo femural ou do nervo peroneal comum. DiagnósticoEssa doença é relativamente fácil de ser diagnosticada com base nos sintomas e nahistória de traumatismo. Mas a região verdadeiramente lesionada deve ser claramenteidentificada, de modo que possa ser adotada a massagem adequada. São tambémrelevantes as características da força muscular: na prática, 6 importante saber se hácontração muscular ativa e força de resistência muscular. TratamentoO tratamento cirúrgico é necessário em alguns casos, mas não em outros. Nos que nãonecessitam de cirurgia, a massagem pode ser aplicada o mais cedo possível.a) Massagem (i) Posição do corpo: Use a posição sentada para lesões do membrosuperior, e a deitada para as de membro inferior. Coloque o membro a ser massageadona posição apropriada. Exponha o máximo possível o local que necessita de massageme aplique um meio lubrificante.(ii) Primeiramente, aplique os métodos do amassamento e da fricção ao membro.Depois, gradualmente, aumente a quantidade de força empregada, tornando amassagem cada vez mais profunda. Em seguida, aplique os métodos178
  • 175. Lesão de Feixe Nervoso Periféricode pinçamento com três e cinco dedos, com foco principal no grupo muscularparalítico. O método do rolamento pode ser aplicado à coxa e outras partes do corpocujas áreas sejam relativamente grandes. Ao mesmo tempo que os métodos dorolamento e pinçamento estão sendo aplicados, várias espécies de manipulaçõespassivas podem ser executadas nas articulações do membro paralítico, especialmentemovimentos na direção oposta às contrações dos músculos antagónicos.(iii) Com base em diferentes locais de paralisia, escolha os acupontos correspon-dentes: por exemplo, para a paralisia do nervo cubital escolha quchi, chize,shousanli, waiguan e hegu, e aplique os métodos do afundamento com o dedo,da vibração com o dedo e do empurrão com a ponta do polegar. Deve seraplicada forte estimulação, mas somente por pouco tempo.(iv) Nos casos graves sem nenhuma contração muscular ativa, podem ser partedo tratamento os métodos de estímulo dos movimentos. Por exemplo, quando osmúsculos extensores do antebraço estão paralíticos, o terapeuta dobra ocotovelo, o pulso e os dedos do paciente o mais distante possível e depois pede-lhe que conscientemente estenda o braço todo, enquanto ele, terapeuta,movimenta o antebraço e os dedos para a posição estendida. Isso ajuda aestimular o reaparecimento do movimento ativo.(v) Finalmente, a sessão de massagem é concluída amassando-se e friccionando-se o membro paralisado uma ou duas vezes. O curso total da massagem não deveser demasiado longo, cerca de 15 minutos. Contudo, é melhor repeti-la 2-3 vezespor dia. Ensine à família do paciente como proceder ao aplicar esse método.b) Outro tratamento: Ao mesmo tempo, tratamentos como a acupuntura, remédios àbase de ervas chinesas, fisioterapia etc. podem ser adotados para aumentar o efeitoterapêutico. Exercícios médicos podem ser usados nos casos em que os músculos játêm movimentos ativos. O princípio do método de exercícios médicos deve ser aprática forçada de exercícios dos músculos do membro afetado em todas as direções,alternando com o membro sadio. O paciente é encorajado a exercer o máximo de forçapossível. Cada sessão de exercícios não deve ser demasiado longa, guardando-se orepouso adequado. Nos casos em que os músculos do paciente não são bastante fortes,pode ser usado um método que reduza o peso dos membros. Um método simplesconsiste em fazer com que o paciente se deite de lado, com o membro apoiado numasuperfície lisa e plana. Isso torna fácil o movimento ativo de flexão e extensão. Umpeso e uma polia podem também ser empregados para reduzir o peso do membroafetado ou este pode ser delicadamente sustentado por um prático, de 179
  • 176. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMmodo que o peso se reduza. Mais tarde, à medida que os músculos se tornam maisfortes, diminui gradualmente o peso na polia ou a quantidade de resistência oferecidapelo prático. Resultado terapêuticoA aplicação de massagem após lesão nervosa pode melhorar a circulação sanguínea,evitar a atrofia muscular e estimular o reaparecimento e desenvolvimento domovimento ativo. Certos casos exigem cirurgia, e nestes a massagem pós-operatóriacom frequência pode obter resultado satisfatório. CasoWang —, sexo masculino, 30 anos. O paciente fora hospitalizado para tratamento deneurofibroma na axila direita, tendo sido executadas uma neurectomia e umaanastomose de nervo. Sua articulação do joelho estava fixa em 90 graus depois daoperação. Duas semanas depois da cirurgia, a imobilidade começou a ceder, mas ojoelho ainda não podia ficar estendido reto. Uma paralisia flácida estava presente naperna. Foi aplicada massagem, em combinação com a quantidade apropriada de traçãopassiva e exercícios médicos. Depois de 40 dias de tratamento, a paralisia flácida tinhaobviamente regredido bastante. O joelho podia estender-se e o paciente conseguiaandar com bengala. Ele foi instruído para que continuasse com a massagem e osexercícios médicos depois de sua alta. 21. Paralisia InfantilA paralisia infantil é também chamada poliomielite. Os sinais específicos incluemsintomas gerais e surtos agudos de paralisia flácida. EtiologiaE uma doença infecciosa pediátrica devida a uma espécie particular de vírus filtrável. Ecomum em crianças entre um e seis anos de idade. As fezes e as secreçõesvasofaringeanas do paciente contêm grandes quantidades do vírus. Além disso, a salivaemitida pela boca e uma ferida cutânea podem também180
  • 177. Paralisia Infantilconduzir à infecção. Essa doença é, na maioria das vezes, observada no final do verão ecomeço do outono. SintomasAlém de um período de latência, o curso desta doença pode geralmente ser dividido emtrês fases:(i) Fase premonitória: Febre de 38-40°C, mal-estar geral, dor de cabeça e dor nafaringe, acompanhados de sintomas digestivos, como anorexia, dor abdominal,diarreia e vómitos. A febre diminui depois de 1-4 dias, e os sintomasdesaparecem totalmente. Neste período, não há sintomas no sistema nervoso.(ii) Fase pré-paralítica: 1-6 dias depois que a febre da fase premonitóriadesaparece, a febre volta. O corpo inteiro apresenta excitação, e dor é sentidaem todo o corpo ou nos membros. O paciente rejeita todo tipo de cuidadooferecido por outros. A sensação é hipertensiva. Os músculos da parte posteriordo pescoço estão espasmosados e tetânicos. Os vários reflexos tendinosospermanecem normais ou aumentados. A mente do paciente está em geral clara.(iii) Fase paralítica: Os sintomas mencionados antes persistem por 3-10 dias.Depois, a febre começa a subir. Durante o período da febre ou depois que eladiminui, aparece uma paralisia flácida que gradualmente se acentua. Comfrequência, o reflexo da parede abdominal é o primeiro a desaparecer; o reflexodo pescoço gradualmente enfraquece até o ponto de desaparecer. Geralmente, afebre cai depois de 5-10 dias e a paralisia não se acentua mais. Esta é encontradaem geral nos membros, particularmente nos inferiores. A paralisia da cabeça edo tronco é menos comum. Diagnóstico(i) Fase premonitória: Os leigos enfatizam a notícia de condições endémicasnuma comunidade. É muito difícil fazer um diagnóstico definitivo.(ii) Fase pré-paralítica: Se houver rigidez de nuca, deve ser logo praticada umapunção lombar, para se examinar o líquido céfalo-raquidiano e nos certificarmosde que não se trata de meningite.(iii) Fase paralítica: Deve-se observar especialmente se: a paralisia é flácida; suadistribuição é irregular e totalmente assimétrica; algumas vezes ela aparece num 181
  • 178. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMmúsculo ou num grupo de músculos; há uma história de febre antes da sua instalação;numa fase inicial, há claras alterações no líquido céfalo-raquidiano; algumas vezes,embora o número de glóbulos brancos esteja baixo, há evidente aumento da globulina. Tratamentoa) Massagem: A paralisia dos membros inferiores é usada como exemplo: (i) Deixe opaciente de costas. Durante a massagem, use como meio o vinho medicinal paraparalisia infantil. (Veja pág. 85.) Comece sustentando o calcanhar da criança com amão direita; com o polegar e o médio esquerdos, apreenda e torça os artelhos peloslados e pelas extremidades. Depois, com o polegar, exerça pressão ao longo dostendões da parte superior do pé. Repita isso em cada artelho. O processo é repetido 10vezes ou mais, cerca de dois minutos.(ii) Com o polegar espalmado, circunde o maléolo externo do tornozelo eaplique-lhe uma fricção circular durante cerca de 1 minuto. Faça o mesmo nomaléolo interno.(iii) Com a mão esquerda sustentando o calcanhar da criança e a mão direitaapreendendo firmemente as extremidades dos artelhos, aplique manipulaçãopassiva na articulação do tornozelo, dobrando-a e estendendo-a. Aplique forçana flexão e relaxe na extensão.(iv) Com o joelho do lado afetado curvado, amasse o acuponto xiyan durante 1-2minutos, usando os dois polegares. Depois, friccione em redor do tornozelo comas palmas das duas mãos.(v) Com o polegar, aplique o método do empurrão ao grupo de músculos adianteda tíbia, cerca de 30-50 vezes.(vi) Alternando as mãos direita e esquerda, aplique o método do empurrão aosgrupos musculares medianos e externos, e músculos anteriores, da coxa. Sehouver alguma abdução ou rotação externa da panturrilha, aplique fortemassagem por apreensão nos grupos de músculos da parte interna da coxa, cercade 3 minutos.(vii) Com a mão esquerda sustentando a panturrilha da criança, use a palma damão direita para aplicar o método do empurrão na perna toda. Durante a pressão, usemuita força; na volta, pouca. Faça isso cerca de 80-100 vezes182
  • 179. Paralisia Infantil(viii) Com o paciente deitado de bruços, use os polegares para aplicar o métododo amassamento com o dedo ao longo dos lados da coluna vertebral, comalguma força, indo para cima cerca de 10 vezes. Depois, use os dois polegarespara massagear para fora, partindo dos lados da espinha no método do empurrãodivergente, várias dezenas de vezes.(ix) O método de pinçamento espinhal é aplicado para cima ao longo dos doislados da coluna vertebral. Pince até que apareça uma ligeira vermelhidão. (VejaDiagrama 79.) Depois, faça afundamento com o dedo nos dois acupontoshuantiao nas áreas do grande trocanter durante 2-3 minutos. A força do estímulodeve ser grande.(x) Use o método do tapinha com as duas palmas, e bata durante cerca de 1 minuto,partindo da coluna vertebral em direção ao calcanhar. Depois, use as palmas paraempurrar ao longo das costas e da coxa. 183
  • 180. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM(xi) Com três dedos, pince a parte posterior da perna, indo para cima e parabaixo várias dezenas de vezes.(xii) Usando o polegar e o indicador, aplique o método da apreensão no tendãode Aquiles durante cerca de 1-2 minutos. Novamente, com o polegar, apliqueafundamento com o dedo em acupontos como chengshan, weizhong, zusanli eyinlingquan.(xiii) Finalizando, empurre delicadamente para cima e para baixo a parteposterior da coxa.b) Outro tratamento: Outros tratamentos, como acupuntura, fisioterapia e exercíciosmédicos, podem ser usados em combinação com a massagem. Resultado terapêuticoNa paralisia infantil, a massagem previne a atrofia muscular, promove orestabelecimento da mobilidade e possivelmente tem o poder de corrigir deformações.Os bons resultados terapêuticos são altos nos casos em fase inicial, o que não acontecenos casos em fase adiantada. Nestes, em que já são evidentes as deformaçõesresultantes da paralisia infantil, a massagem não produz efeito. A massagem podetambém ser usada antes e após a cirurgia para correção de deformações. CasoZhang —, sexo feminino, 15 meses. A criança acometida subitamente apresentou febrealta. Três dias depois, a febre cessou. Mas descobriu-se que ela não podia ficar apoiadana perna direita. Ela tinha medo de que algum adulto a esfregasse. Depois de meiomês, como não podia de todo mexer a perna direita, foi trazida ao hospital paratratamento. Após um exame na Divisão de Pediatria, foi diagnosticada paralisiainfantil, sendo aplicado tratamento pela massagem. Nessa ocasião, não haviamovimento ativo algum no membro inferior do lado afetado. Os músculos dapanturrilha e da coxa estavam totalmente flácidos e sem força. Depois de uma semanade tratamento, havia algum movimento nos músculos da coxa e um movimentoautomático de flexão e extensão do tornozelo, e ela podia ficar de pé sozinha durantealguns momentos. Depois de um mês de tratamento, ela já podia andar um pouco.Nessa ocasião, os músculos quadríceps e adutor da coxa, assim como o grupo muscularda panturrilha adiante da tíbia, estavam todos astênicos. Foi aplicado, portanto, umpinçamen-184
  • 181. Contraturato profundo aos músculos nessa região. Depois de 40 massagens, houve algumprogresso na força dos músculos da panturrilha e da coxa. A rotação externa da perna ea flexão plantar mostravam-se tão fortalecidas que ela podia andar sozinha cerca de 10passos. O tratamento foi interrompido, sendo sua família, no entanto, instruída paracontinuar lhe aplicando massagens e fazê-la praticar a marcha. 22. ContraturaA contratura é mais um sintoma do que uma doença. A contração permanente de umgrupo de músculos do corpo consequente a qualquer causa é chamada de "contratura".Há contratura devida à inflamação, diminuição de circulação sanguínea, paralisia,cicatriz etc; contratura em flexão do quadril e joelho, causada por abscesso na fossailíaca; osteoartrite supurada do quadril; contratura devida à falta de circulaçãosanguínea nos membros superiores ou subsequente a transfusão de sangue arterial;contratura do músculo antagónico na paralisia infantil; e contratura por cicatriz, apósqueimaduras. Sintomas e DiagnósticoA contratura é mais provável nos membros. Os músculos da parte contraída estãoextremamente tensos. Quando o membro é tracionado, há uma certa sensação deresistência e talvez dor, de modo que é impedida a mobilidade da articulação contraída.Mas a articulação não está anquilosada. No diagnóstico da contratura, a sua causa deveser identificada. TratamentoA massagem é usada somente como tratamento sintomático. A causa da contraturadeve ser encontrada e tratada ao mesmo tempo.a) Massagem: (i) Primeiramente, aplica-se à parte contraída o método de fricção com abase da palma ou da fricção com o polegar. Depois, os métodos de amassamento epinçamento, indo de leve até profundamente durante 3-5 minutos.(ii) Massageie acupontos nos membros superiores, usando os pontos jianyu, quchi,shaohai, hegu e neiguan. Nos membros inferiores, use os acupontos 185
  • 182. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMxuehai, weizhong, chengshan, chengjin (situado acima do chengshan, no meio domúsculo gastrocnêmio) e taixi. Comece nos acupontos da articulação mais próxima dacontratura, depois dirija-se aos mais afastados. Aplique os métodos do afundamentocom o dedo e do amassamento durante cerca de 1 minuto de cada vez, até que sejaliberada a energia vital.(iii) Tração. A força aplicada na tração para retesar os músculos contraídos deveser firme e contínua. Ela deve ser gradualmente aumentada, evitando-se,porém, a violência. Ao mesmo tempo que os músculos são tracionados, éaplicada massagem ao grupo de músculos contraídos e nos acupontos daarticulação mais próxima. Amasse e pince o grupo de músculos contraídos ouafunde os pontos na vizinhança da articulação e tracione-a, endireitando-a aomesmo tempo. O limite da extensão é aumentado diariamente, sem pressa.Quando o membro já se estendeu até certo ponto, mantenha-o aí durante 1-2minutos.(iv) Finalmente, massagens por amassamento, pinçamento, fricção e rolamento,e vibração no grupo de músculos da parte contraída durante 1-2 minutos.b) Outros tratamentos: Devem ser aplicados de acordo com a causa da contratura. Aacupuntura e a fisioterapia podem ajudar a eliminar os sintomas de contração. Resultado terapêuticoA eficácia da massagem no tratamento da contratura depende grandemente da suacausa e da extensão de tempo em que ela já existe. Geralmente, o resultado terapêuticose mostra mais satisfatório quando o tratamento é aplicado precocemente. CasoZhang —, sexo masculino, 23 anos, fazendeiro. Devido a uma tumoração e dor naregião inguinal da coxa direita, a mobilidade da articulação do quadril direito estavalimitada, acompanhada de febre no corpo todo. O paciente foi examinado noDepartamento de Cirurgia. O diagnóstico indicou que ele era portador de um abscessona fossa ilíaca direita. Ele foi hospitalizado e submetido a uma operação, sendo oabscesso aberto e drenado. A infecção foi controlada depois de cerca de um mês emeio. A incisão local drenava livremente, mas apareceu186
  • 183. Úlcera de Decúbitouma contratura na flexão do quadril e do joelho, com sua maior extensão em 160 graus.Foi aplicada massagem, combinada com exercícios médicos. Nas fases finais dotratamento, foi aplicada tração cutânea. Depois de oito sessões, a extensão dasarticulações do quadril e do joelho estava quase normal. CasoDu —, sexo feminino, 19 anos fazendeira. O terço superior do úmero esquerdo e oterço superior do fémur esquerdo apresentavam fratura exposta. Ela foi encaminhadaao hospital para tratamento de emergência, no curso do qual foi feita uma transfusão desangue na artéria radial direita. Sua mão direita e o grupo de músculos de seuantebraço apresentaram evidente contratura. Estavam obviamente prejudicadas asfunções de mobilidade ativa do pulso e outras articulações. Depois de sete sessões demassagem, a contratura havia regredido bastante e a mobilidade das articulações seaproximava do normal. 23. Úlcera de Decúbito (Escara)É um tipo de úlcera necrótica de tecido mole. Costuma ser observada em pacientescom constituição frágil presos ao leito. Uma vez constituída, cicatriza com extremalentidão. Úlceras de decúbito graves podem provocar septicemia e até morte. EtiologiaO paciente preso ao leito durante longos períodos de tempo, especialmente aquele quenão pode mudar de posição, contrairá úlceras de decúbito devido à má nutrição localquando o peso do corpo faz pressão na área da pele, no tecido subcutâneo e outrostecidos moles, acarretando má circulação sanguínea e precário suprimento desubstâncias nutritivas. SintomasNas fases iniciais, náo há em geral sintomas subjetivos. Quando o paciente sente mal-estar e aguda dor local, a úlcera geralmente já está formada. 187
  • 184. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM DiagnósticoA constituição do paciente é em geral fraca. As úlceras aparecem nos pontos de apoiodo corpo, como as espáduas, o sacro, o calcanhar e o cotovelo. Nas fases iniciais, a pelese apresenta escura e vermelha, sem brilho e sem elasticidade. Verifica-se uma pequenador quando a pele é pressionada. Nas fases avançadas, a pele sofre necrose dos tecidose forma-se úlcera. A sua superfície tem mau aspecto devido a uma mistura deexsudatos, e pode estar aberta até o osso. Algumas vezes, ela pode infiltrar os tecidossubcutâneos circunvizinhos, formando-se uma úlcera em forma de bolsa. Tratamentoa) Massagem: No tratamento pela massagem da úlcera de decúbito, diferentes afecçõesexigem a adoção de métodos diferentes de massagem, que são separadamente descritosa seguir:(i) Medidas preventivas: O paciente preso ao leito durante longo período detempo, especialmente o paralítico, deve receber massagem profilática o maiscedo possível. A massagem é concentrada nas áreas do corpo sob pressão, mastambém é aplicada no resto do corpo. Normalmente, é adotado o método dafricção circular com a base da palma, seguindo a direção do fluxo sanguíneo. Amanipulação vai da intensidade leve até a pesada. O efeito da massagemaumentará mergulhando-se a palma da mão em solução medicinal antes damanipulação.(ii) Massagem para úlceras de decúbito nas fases iniciais: Geralmente, pode-seusar o polegar ou a saliência carnosa da base do polegar para aplicar o método dafricção circular, friccionando-se do centro da úlcera para a sua periferia, demodo que seja dispersado o sangue acumulado na área. Isso, por sua vez,promove outro suprimento com sangue fresco e novo, transformando a pele deescura em vermelha. Neste ponto, embora ainda não se tenha formado úlcera, apele é precariamente suprida de nutrientes e se rompe com facilidade, de modoque a massagem deve ser suave e hábil. A massagem real e as manipulaçõespassivas dos membros devem também ser intensificadas.(iii) Massagem para úlceras em fases adiantadas: Desde que já esteja formaaauma úlcera neste ponto, o efeito da massagem é acelerar a sua cicatrização. Amassagem é aplicada principalmente em torno do perímetro da úlcera. Sãousados os métodos da fricção e do amassamento. Ao mesmo tempo, aplique os188
  • 185. Dor de Cabeçamétodos do amassamento, pinçamento, fricção e rolamento, e vibração nos membros,com vistas à melhoria da circulação sanguínea no corpo inteiro.b) Outros tratamentos: Os exercícios médicos têm grande valor na prevenção etratamento de úlceras de decúbito. É também muito importante insistir com o pacientepara que mude frequentemente a posição do corpo, mantenha a roupa de cama limpa eesticada, e reduza o máximo possível a pressão nos pontos de apoio do corpo CasoLi —, sexo masculino, 35 anos, camponês. Foi diagnosticado que o paciente eraportador de mielite com paraplegia. Como estivera confinado na cama durante temporelativamente longo, já existia em suas nádegas uma úlcera de decúbito. O centro daúlcera media dois centímetros de diâmetro. O fundo e a pele em torno da úlcera eramescuros e vermelhos. A pele não tinha elasticidade e doía um pouco à pressão. Foramaplicadas massagens na pele em torno da úlcera, bem como no resto do corpo,juntamente com exercícios médicos para paraplegia. Depois de um mês, se tanto, aúlcera gradualmente cicatrizou e o paciente começou a se recuperar da paraplegia,pedindo alta do hospital. O tratamento clínico continuou, sendo a família instruída nosentido de que continuasse as massagens e os exercícios médicos 24. Dor de CabeçaA dor de cabeça é apenas um sintoma, e pode ocorrer em grande número de doenças.Contudo, nem todos os tipos de dor de cabeça podem ser tratados com aplicação demassagens, dos quais são exemplos as dores de cabeça resultantes de doençascontagiosas, como a meningite cerebrospinal etc. Por consequência, em casos de dor decabeça, a massagem deve ser usada seletivãmente. EtiologiaA dor de cabeça está associada a numerosas doenças. Além de ocorrer em algumasdoenças contagiosas, juntamente com febre, ela pode ocorrer no resfriado comum, nagripe e em certas doenças oculares e nasais. O paciente com alta pressão arterialcostuma ter dor de cabeça. Há também certas dores de 189
  • 186. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMcabeça crónicas, recorrentes, funcionais, como a enxaqueca e a cefaléia de tensão oupsicossomática. SintomasA dor de cabeça que aparece no resfriado comum e na gripe tem provavelmente aforma de ataque agudo, trazendo como acompanhantes sintomas como febre e coriza.A dor de cabeça resultante de doenças oculares e nasais pode se manifestar sob aforma de queixas subjetivas ou sintomas objetivos nos olhos e nariz, localizando-secomumente na fronte. A enxaqueca e a cefaléia psicossomática se apresentam comoprocesso crónico ou recorrem repetidamente, de modo ora leve, ora intenso. A dor naenxaqueca ocorre num lado da cabeça e costuma ser acompanhada de tontura; apsicossomática ou cefaléia de tensão é sentida nas duas têmporas, na parte posterior dacabeça ou na parte posterior do pescoço. Na presença de dor de cabeça intensa, oapetite e o sono são afetados. DiagnósticoA dor de cabeça é apenas um sintoma. Para que nos beneficiemos do tratamento pelamassagem, é extremamente importante o correto diagnóstico de sua causa.Primeiramente, costuma ser necessário identificar doenças contagiosas agudas. Deveser medida a pressão arterial, para se determinar se há hipertensão. Se necessário, umespecialista pode fazer um exame ocular e nasal. TratamentoA massagem é bastante eficaz nas dores de cabeça funcionais, como a enxaqueca, acefaléia psicossomática etc. É também eficiente para reduzir cefaléia causada peloresfriado comum e a gripe. Também se pode obter alívio temporário da cefaléiaresultante de doenças dos olhos e do nariz.a) Massagem: (i) Em geral, o paciente é colocado em posição sentada. Não sendo istopossível, ele pode ficar deitado de costas. Fique de pé junto à cabeça do paciente,sendo esta enrolada numa toalha.(ii) Com a mão esquerda, mantenha a cabeça do paciente no lugar; com a direita,aplique o método do empurrão com a polpa do polegar na cabeça. Primeiramente,aplique empurrão leve na cabeça toda. Depois, empurre ao190
  • 187. Dor de Cabeçalongo da linha mediana, indo da linha de implantação dos cabelos na fronte para amesma linha atrás. Aplique empurrão extra no acuponto baihui; primeiro, suave, indoaté forte, depois o contrário. Na sequência, pode ser usado o método do empurrão como lado do polegar nos dois lados da cabeça, também começando adiante e indo para alinha de inserção dos cabelos atrás. Se o paciente se queixa de maior mal-estar emcerta parte da cabeça, empurre mais aí. Estes métodos do empurrão devem levar cercade 10 minutos.(iii) Com os dois polegares, aplique empurrão na fronte, indo dos acupontosyintang e zuanzhu entre as sobrancelhas para o taiyang nas têmporas. Ou useainda o método do arrastamento, afastando os dois polegares do yintang para ospontos taiyang. Nos pontos taiyang podem ser acrescidos os métodos doafundamento e de vibração. Depois disso, faça arrastamento em torno dos ladosda cabeça até os pontos fengchi atrás das orelhas. Para dores na fronte causadaspor algumas doenças oculares e nasais, até mais que essas massagens porempurrão pode ser aplicado.(iv) Com os dois polegares, friccione e amasse os dois acupontos fengchi.Depois, com o polegar e os dois primeiros dedos, aplique o pinçamento com trêsdedos, indo da parte posterior da cabeça para trás do pescoço. A seguir, use asduas mãos para pinçar os dois acupontos jianjing. Este processo deve serrepetido várias vezes.(v) Massageie acupontos nos membros, como os neiguan, hegu, zusanli esanyinjiao. Podem ser usados os métodos do afundamento com o dedo, vibraçãocom o dedo e empurrão com a ponta do polegar.b) Outros tratamentos: Nas dores de cabeça devidas ao resfriado comum, gripe,doenças oculares e nasais ou hipertensão, depois da identificação da causa sãoadministrados medicamentos apropriados e outros tratamentos. Resultado terapêuticoDepois da massagem, o paciente se sentirá relaxado e bem. Após uma ou váriassessões de massagem, a dor de cabeça diminui ou desaparece. CasoXu —, sexo masculino, 26 anos. Ele tinha tido dores de cabeça paroxísticas durantedois anos. No mês anterior, elas haviam voltado várias vezes. Os 191
  • 188. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMsintomas recidivantes eram piores do que antes. A cabeça inteira doía, sendo a dorespecialmente intensa na parte posterior. Quando a dor era forte, ele experimentavasensação de náusea, tontura, e até o sono era perturbado. O exame revelou pressãoarterial normal e não detectou problema específico algum nas regiões dos olhos e donariz. O diagnóstico foi de cefaléia psicossomática ou tensão. Depois de umamassagem usando os métodos anteriormente mencionados, a dor foi acentuadamentereduzida. Após a segunda massagem, a dor desapareu completamente e ele serecuperou. Numa visita a ele pouco tempo mais tarde, verificou-se que não houverarecidivas durante um mês. Automassagem(i) Amassamento das órbitas oculares: Com o polegar, o indicador e o médio dasduas mãos, pratique amassamento em torno das duas órbitas oculares nummovimento rotativo, primeiro para fora e depois para dentro, 7-8 vezes em cadauma.(ii) Amassamento dos acupontos taiyang: Com as pontas dos dois dedos médios,amasse os dois pontos taiyang com movimento de amassamento rotativo,primeiro no sentido dos ponteiros do relógio e depois ao contrário, 7-8 vezes emcada um.(iii) Arrastamento através da fronte: Com as pontas dos dois dedos médios,esfregue de um ponto entre as sobrancelhas até os acupontos taiyang nastêmporas e depois ao longo dos lados da cabeça até os acupontos fengchi na linhaposterior de inserção dos cabelos.(iv) Empurrão ao longo da cabeça: Com a borda ou base das palmas das mãos,pressione firmemente nos dois lados da cabeça e empurre da linha de inserçãoanterior dos cabelos para a linha posterior. Faça isso cerca de 30 vezes.(v) Pinçamento da parte posterior do pescoço: Com o polegar, o indicador e odedo médio da mão direita, pince desde a parte posterior da cabeça, para baixo,até a parte posterior do pescoço. Repita 5-6 vezes. 25. HipertensãoEssa doença crónica normalmente apresenta sintomas como uma sensação de aumentoda cabeça e tonturas. A medida da pressão arterial revela que a pressão192
  • 189. Hipertensãosistólica é sempre mantida acima de 140mm, e a pressão diastólica, acima de 90mm dacoluna de mercúrio. Nessa doença, é adequada a combinação de tratamentos com amassagem. Pode ser então alcançado acentuado efeito terapêutico. EtiologiaAs causas dessa doença são relativamente complexas. Ela pode ser classiricada comohipertensão secundária ou hipertensão essencial. A primeira se origina de doençasorgânicas, como as renais, do sistema endócrino e dos vasos cardíacos, constituindo,portanto, um sintoma específico dessas doenças. Na hipertensão essencial, em geralnão se pode encontrar causa específica alguma. Esse tipo de hipertensão pode serrelacionado com fatores psicológicos. Dos dois tipos, o mais comum é a hipertensãoprimária. Quando a doença progride até fases avançadas, pode causar degeneraçãopatológica estrutural (como nos vasos do coração, no cérebro ou rins), com gravesconsequências. O efeito da massagem é muito melhor nos casos em que não houvedegeneração estrutural orgânica. SintomasNas fases iniciais, pode não haver sintomas subjetivos, embora em geral haja sintomascomo dor de cabeça, vertigem, sensação de inchação na cabeça, tinidos nos ouvidos,insónia, vultuosidade da face, palpitação e irascibilidade. Nas fases avançadas, podehaver sensação de peso na cabeça e leveza nos pés, dormência ou inchação nos dedosda mão e dos pés, facilidade de se cansar, diminuição da visão, incapacidade deconcentração no trabalho, anorexia e emissão longa de urina clara. Nos casos graves, ahipertensão pode provocar sintomas de paraplegia causados por hemorragia cerebral,como a queda repentina, o coma, a perda da fala ou a paralisia parcial. DiagnósticoA hipertensão é diagnosticada principalmente pelos seus sintomas ou pela medida dapressão arterial. O pulso é em geral duro, rápido e impulsivo. Observa-se uma saburraamarelo-acinzentada na língua, e esta tem uma cor vermelha profunda. Algumas vezes,é necessário usar outros métodos, como as radiografias, o eletrocardiograma, o exameda retina do olho e o exame químico do sangue, para se determinar se há ou nãodegeneração estrutural orgânica. 193
  • 190. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM Tratamentoa) Massagem: (i) Peça ao paciente que fique sentado. Enrole a sua cabeça comuma toalha. Primeiramente, aplique empurrão com a polpa do polegar; depois,empurrão ao longo da fronte e ao longo dos dois lados da cabeça. Os métodos dapressão e da fricção com a palma também podem ser aplicados na cabeça. Oprocesso todo exige cerca de 10 minutos. Depois, aplique os métodos doafundamento com o dedo e da vibração com o dedo nos acupontos fengchi, e ométodo da apreensão nos acupontos jianjing.(ii) O empurrão com a polpa do polegar é usado nos dois lados das costas paracima e para baixo, cobrindo tanto quanto possível extensa área. Depois, opaciente muda para uma posição supina. Com a palma da mão, friccionelevemente e amasse em profundidade a área abdominal. Cerca de 10 minutos sãonecessários para massagear as costas e o ventre.(iii) Por fim, aplique empurrão e pinçamento leves nos dois membros inferiores,combinando isso com massagem de acuponto. Nos membros superiores, useacupontos como hegu, shenmen e shaohai, e nos membros inferiores pontoscomo weizhong, chengshan, xingjian, zusanli, sanyinjiao, fuliu e yongquan. Noscasos em que a dor de cabeça e a tontura são sintomas importantes, aplique oafundamento com o dedo e vibração com o dedo em pontos como xingjian,shenmen e shaohai. Nos casos com sintomas como insónia, fadiga, anemia e fraqueza, faça mais usodo método de amassamento com o polegar em acupontos tais como zusanli, sanyinkiao,shenmen e yongquan. Em casos com longa e clara micção, deve ser empregada maispressão em acupontos como shenshu e mingmen.b) Outros tratamentos: Na hipertensão secundária, o tratamento deve serconcentrado na causa subjacente. Na hipertensão essencial, a massagem deve sercombinada com medicamentos e fisioterapia, para reduzir a pressão arterial. Aomesmo tempo, o paciente deve adotar uma dieta branda, vida regular e hábitosde trabalho moderados. Podem também ser aprendidos exercícios médicos parahipertensão. Resultado terapêuticoA massagem para hipertensão pode temporariamente reduzir a pressão arterial. Depoisque o paciente foi massageado, a sua cabeça deve se mostrar relaxada e dando sensaçãode bem-estar. Em geral, os resultados a curto prazo são194
  • 191. Hipertensãosintomas satisfatórios, tornando-se incertos a longo prazo. No final do tratamento pormassagem, deve-se ensinar ao paciente automassagem e exercícios médicos que eledeverá praticar todos os dias. Isso irá contribuir para a consolidação final do efeitoterapêutico CasoXang —, sexo feminino, 49 anos. Ela apresentava uma história de 10 anos de dor decabeça, recentemente agravada e fazendo-se acompanhar de desmaios, insónia e , algumasvezes, dormência nos quatro membros. A medida da pressão arterial registrou 180/lOOmm Hg. O exame não revelou patologia específica alguma no coração e nos pulmões.O colesterol no sangue estava alto. A urina e o metabolismo basal se apresentavamnormais. Foi diagnosticada hipertensão, sendo adotado tratamento medicamentoso emcombinação com massagem. Depois de cada sessão de massagem, ela relatava diminuiçãoda dor de cabeça e leveza e bem-estar na cabeça. Depois de 45 sessões de massagens e detratamento medicamentoso, a pressão arterial caiu ao normal. A dor de cabeça, osdesmaios e a insónia tinham desaparecido claramente e ela teve alta do hospital. Automassagem e Exercício Médico(i) Pressione ao longo da cabeça: Com a borda ou com a base da palma das duasmãos, amasse ao longo dos dois lados da cabeça do acuponto taiyang para ofengchi. Depois, com os dois polegares, amasse profundamente o fengchi até queo paciente tenha uma sensação forte, dolorosa e de inchação.(ii) Amasse acupontos: Usando alternadamente os dois polegares, amasseacupontos como o hegu, zusanli e sanyinjiao até que eles se tornem dolorosos einchados. Depois, esfregue o acuponto yongquan de cada pé até que a sola decada um se torne quente.(iii) Amasse o abdome e esfregue a parte inferior do dorso: Usando as duaspalmas da mão alternadamente, faça um amassamento profundo do abdome,movimentando-se lentamente no sentido dos ponteiros do relógio. Depois, comas mãos fechadas em punho, faça pressão com a extremidade do polegar dos doispunhos (o "olho" do punho) contra a região inferior do dorso e esfregue paracima e para baixo até que a pele fique ligeiramente quente. 195
  • 192. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM(iv) Movimentação das mãos: Fique de pé com os pés afastados, na posição decavaleiro, o centro de gravidade do corpo ligeiramente abaixado. Levante asmãos à altura do peito. Primeiro, mova a mão esquerda: estique-a para aesquerda o máximo possível, acompanhando-a com os olhos e girando ao mesmotempo a cabeça e o tronco o mais distante possível para a esquerda. Em seguida,mova a mão direita: deixe a mão pender naturalmente com a palma voltada paradentro e os dedos ligeiramente curvados. Com total concentração e forçaconsciente, traga a mão direita lentamente, cruzando diante da face, e estique-apara a direita. Acompanhe-a com os olhos e gire ao mesmo tempo a cabeça e otronco inteiramente para a direita. Depois, mova a mão esquerda do mesmomodo como fez com a direita. Prossiga lentamente dessa maneira assegurando-sede concentrar e exercer força consciente.(v) Movimentação do corpo: Primeiramente, adote a posição de arqueiro, com opé esquerdo adiante. Depois, gire o tronco para a esquerda, levantando os doisbraços e juntando as mãos acima da cabeça. Acompanhe-as com os olhos,curvando a cabeça e a parte superior do corpo ligeiramente para trás. Depois,deixe os braços caírem, lenta e naturalmente, ainda observando as mãos. Mudeos pés, adotando a posição de arqueiro, com o pé direito adiante. Execute umasérie de movimentos iguais àqueles, mas girando o corpo para a direita em vez daesquerda. Na execução desses movimentos, concentre-se inteiramente e exerçaforça consciente. 26. Úlcera PépticaA úlcera é uma doença comum do sistema digestivo. Seu sintoma principal é a dorregular na região superior do abdome. O médico chinês tradicional chama-a de "dorintragástrica". EtiologiaA ocorrência dessa doença associa-se aos efeitos de fatores psicológicos e dietairregular. As alterações patológicas estão localizadas principalmente no estômago e noduodeno. SintomasA doença geralmente tem evolução crónica, surgindo de tempos em tempos e depoisdesaparecendo. Normalmente, aparece na primavera e no outono.196
  • 193. Úlcera Péptica(i) Dor na região superior do abdome: No período agudo da úlcera, com exceçãode uns poucos lados indolores, em geral há dor regular na região superior doventre. Alguns pacientes têm crises de dor apenas após a alimentação. Algunstêm crises quando estão com fome, e sua dor costuma ser aliviada com a ingestãode alimentos. Muito frequentemente, é uma dor como ardência, algumas vezessentida nas costas. Se não há perfuração, a dor é em geral suportável, embora,aparecendo à noite, possa afetar o sono.(ii) Defecção irregular: Muitos pacientes têm prisão de ventre e somenteevacuam cada 2-3 dias. Se há sangramento, as fezes se tornam escuras. No casode hemorragia maciça, ela se parece com alcatrão.(iii) Náuseas e vómitos: Em geral, não ocorrem vómitos; entretanto, se a úlcerafor acompanhada de estenose pilórica, o vómito pode aparecer, com osalimentos ingeridos de manhã sendo em geral expulsos à tarde.(iv) Hiperacidez e eructação: Esses sintomas são frequentemente observados,especialmente nas úlceras pépticas. Todos os casos de úlcera complicados comestenose do piloro apresentam esses sintomas, e algumas vezes o odor dos gasesexpelidos pela boca é considerado desagradável pelo paciente. Em pequena percentagem de casos, os pacientes sofrem de hemorragia gástrica eduodenal, e algumas úlceras perfuram, levando à peritonite aguda. A úlcera em faseadiantada pode formar cicatriz viciosa, com obstrução do piloro. DiagnósticoPode ser feito um diagnóstico preliminar com base na história e no típico sintoma dedor na parte superior do ventre. O exame radiológico ajuda na determinação dapresença e na história patogênica da úlcera. A análise do suco gástrico pode darinformações sobre o estado das secreções gástricas; o exame de fezes pode auxiliar naevidenciação de sangramento pela úlcera. Em pacientes que apresentam dor intensa, deve-se determinar se há perfuração ouperitonite. Nos que vomitam e eructam, deve-se diagnosticar se há ou não obstruçãopilórica. Além disso, a úlcera pode ser algumas vezes confundida com gastrite crónicaou colecistite crónica, devendo ser delas diferenciada com precisão. TratamentoNo tratamento de úlcera pela massagem, o seu efeito terapêutico será melhor se foremescolhidos casos não complicados, com base nos sintomas e no 197
  • 194. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMdiagnóstico descrito antes. Em casos de úlcera perfurada ou de obstrução pilórica, amassagem não é apropriada. Se o paciente apresenta hemorragia maciça, o práticodeve esperar até que cesse o sangramento para então aplicar a massagem.a) Massagem: (i) O paciente senta-se com as mãos pendendo e o corpo todo relaxadoou com as mãos nas costas de uma cadeira e os ombros ligeiramente voltados parafora.(ii) Aplique empurrão com a polpa do polegar ao longo dos dois lados da colunavertebral, indo de suave a forte, e massageie durante cerca de 10 minutos. Asmãos podem ser alternadas. Depois, aplique afundamento com o dedo ouafundamento com o dedo curvado nos acupontos pishu e weishu. Faça isto atéque apareça alguma reação, e depois mude para o método da vibração com odedo. Termine com leve amassamento local. Finalmente, todo o dorso émassageado pelo método de fricção circular e de fricção com a base da palma.Todo o processo leva cerca de 10 minutos.(iii) Depois, o doente deita-se de costas e o terapeuta massageia seu ventre,aplicando o método do afundamento com o polegar nos acupontos shengwan,zhongwan e xiawan, certo de empregar a intensidade exata de força. Não useesse método se há sangramento e extrema dor na região superior do abdome.Acompanhe a elevação e o abaixamento da respiração: gradualmente, levante opolegar com a inspiração, faça vibração lentamente e afunde o dedo com aexpiração. Faça isso cerca de 3-5 vezes. Se houver distensão por gases, aplique então os métodos do afundamento e davibração com um dedo, ambos com o polegar, nos acupontos tianshu, qihai equonyuan. Se as evacuações são irregulares, use a palma da mão para fazer uma fricçãocircular no abdome, indo do quadrante superior direito, em movimento circular, para oquadrante inferior esquerdo. Toda a massagem abdominal deve levar 3-5 minutos.(iv) Finalmente, faça massagem de acupontos situados a certa distância doabdome. Em geral, são escolhidos os acupontos hegu e zusanli nos dois lados docorpo, sendo aplicados os métodos do afundamento com o dedo e da vibraçãocom o dedo até que se produza uma reação de inchação dolorosa. Quando hádor intensa, podem ser usados também os acupontos neiguan e shenmen. Se asevacuações são irregulares, podem ser usados acupontos como o dachangshu.Devem ser feitos hábeis ajustamentos, acrescentando ou retirando acupontos deacordo com os sintomaa198
  • 195. Úlcera Pépticab) Outros tratamentos: Outras medidas terapêuticas devem ser combinadas com amassagem. Tratamentos suplementares, como o uso de medicamentos, repousoadequado, prevenção de tensão mental, regime dietético modificado, alimentaçãomenos abundante e mais frequente, tudo isso é importante. No período deconvalescença após o tratamento da úlcera, é benéfico ensinar ao paciente aautomassagem e exercício médico, ambos para serem mantidos a longo prazo. Resultado terapêuticoOs sintomas agudos de uma úlcera simples podem ser rapidamente aliviados oueliminados. Depois de várias sessões de massagem, geralmente o resultado desejadopode ser obtido. Após a cicatrização da úlcera, é importante tomar precaução contra asua recidiva. Durante os anos em que as crises de úlcera são comuns, podem-seprogramar 10-20 sessões de massagens para evitar a possibilidade de recidiva. Outrasmedidas, como a atenção para a dieta e a prática permanente de automassagem, sãoimportantes para se evitar a recidiva. CasoXu —, sexo masculino, 18 anos, universitário. Num mês, tinha vomitado sangue trêsvezes, de modo que foi hospitalizado. Durante três anos, o paciente sofrera de dor naregião superior do abdome e de vómitos ácidos. Tinha crises quando estava apático esob tensão emocional. A dor estava ligada à alimentação, em geral tornando-segradualmente mais intensa 2-3 horas após a ingestão de alimentos. Depois que ele seinternou no hospital, os vómitos de sangue cessaram. O exame de fezes reveloupresença de sangue oculto. Sua face era pálida e ligeiramente intumescida. O examedo suco gástrico revelou que estavam um pouco altas as taxas de ácidos ionizados eacidez total. As radiografias revelaram a presença de uma imagem côncava de 0,5cmna grande curvatura do estômago. O diagnóstico foi de úlcera gástrica. Após a internação, sua dieta foi regularizada, adotando-se logo o tratamento pelamassagem, como descrito antes. Depois de sete dias de massagem, ele relatou que ador tinha diminuído e o apetite tinha melhorado. Após um mês e meio de tratamento, ador desaparecera completamente. Ele comia e bebia como uma pessoa normal, e a corda face tinha voltado ao normal. Para consolidar o efeito terapêutico, o tratamento pelamassagem continuou por mais um mês e meio, ensinando-se o paciente a fazerautomassagem e praticar exercícios médicos. Durante este período de tempo, nãohouve recidiva dos 199
  • 196. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMsintomas. O exame radiológico revelou que a úlcera havia cicatrizado inteiramente. Opeso corporal tinha aumentado cerca de seis quilos. Foi-lhe dada alta. Um mês depois,numa visita de acompanhamento, verificamos que não tinha havido recidiva. 27. GastroptoseRefere-se ao deslocamento anormal do estômago para baixo. O grau dessedeslocamento varia grandemente. Costuma ser complicado com o deslocamento parabaixo de outras vísceras. EtiologiaUma pessoa com débil constituição física está sujeita a sofrer de prolapso do estômago(gastroptose). Além disso, pessoa obesa emagrecida por longa doença ou mulher comdemasiado número de partos são ambas sujeitas a essa doença, porque seus músculos eoutros tecidos de sustentação se tornam frouxos e fracos. SintomasO principal sintoma da gastroptose é o mal-estar na região gástrica. Toda vez que opaciente come, há sensação de tumefação, tensão ou pressão no estômago e,frequentemente, ruídos de água borbulhante, que desaparecem quando ele se deita.Quase sempre há eructações e gosto ruim na boca, assim como falta de apetite. Opaciente parece em geral estar mal nutrido, deprimido e se cansa facilmente. Nas fasesadiantadas, há também sintomas como tonturas e insónia. DiagnósticoA possibilidade da presença dessa afecção baseia-se na etiologia e nos sintomas,especialmente se se trata de paciente fraco ou alto e magro. O melhor é confirmar odiagnóstico por meio de exame radiológico e endoscopia com ingestão de bário. Tratamentoa) Massagem: Primeiramente, o paciente fica em posição sentada. Aplique o métododo empurrão com a polpa do polegar ao longo dos dois lados da coluna200
  • 197. Gastroptosevertebral. Ao mesmo tempo, aplique o afundamento com o dedo curvado nosacupontos pishu e weishu. Depois, aplique o método do aquecimento com a borda dapalma.(ii) Faça o paciente adotar uma posição deitada de costas. Primeiro, aplique naregião abdominal o método da fricção com a palma. Depois, com o lado dapalma, martele nos dois lados do músculo reto-abdominal com força suficientepara produzir reações de contração nos músculos abdominais. A frequência dosgolpes deve ser moderada — um cada 2-3 segundos. Depois disso, amasse efriccione novamente a região inferior do abdome. Quando há sintomas comodistensão abdominal, use o dedo indicador para aplicar massagem por afunda-mento nos acupontos qihai e tianshe. Se o apetite é pouco, aplique afundamentonos acupontos zusanli.(iii) Aplique o método da flexão do quadril a ambos alternadamente. Faça isso20-30 vezes de cada lado, flexionando o quadril com a inspiração do paciente eestendendo-o com a expiração. Depois, aplique empurrão com a polpa da mãono abdome, algumas vezes pressionando para acompanhar a expiração, outrasvezes para provocar expiração.(iv) Quando há tontura ou insónia, deve-se acrescentar massagem na cabeça,de acordo com os sintomas.b) Outros tratamentos: O melhor é fazer uso de exercícios médicos durante otratamento pela massagem. Outras coisas são também importantes, como cuidar danutrição, deitar-se após as refeições e evitar extrema fadiga. Resultado terapêuticoA massagem tem um efeito evidente nesta doença. Primeiramente, ela alivia o mal-estar no estômago, fazendo melhorar também, gradualmente, a saúde geral do corpo.Depois de um período de tratamento, vários graus de recuperação do prolapso doestômago podem ser observados pelas radiografias e endoscopia com ingestão de bário. CasoCheng —, sexo masculino, 25 anos. O paciente frequentemente se queixava de dor naregião superior do abdome. Durante cinco anos, sentia dilatação do 199
  • 198. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM Exercícios Médicos (i) Flexão dos joelhos e levantamento das nádegas: Em posição deitada de costas, dobre os joelhos e conserve a sola dos pés plantada na cama. Levante as nádegas, deixando apenas os pés e os ombros tocando a superfície da cama. (Veja Diagrama 80.) Depois, contraia o ânus e mantenha a posição durante cerca de 1 minuto. Relaxe e volte à posição original, repouse um pouco e repita, 4-6 vezes ao todo. DIAGRAMA 80 (ii) Sair da posição supina e sentar-se: Adote uma posição deitada de costas, os membros inferiores esticados e mantidos unidos. Os membros superiores estão unidos atrás da cabeça. Usando os músculos abdominais, eleve lentamente a parte superior do corpo até alcançar a posição sentada. Depois, lentamente, deite-se novamente. Repouse e repita 6-8 vezes ao todo. (iii) Permanência deitado de costas: Deite-se de costas, com os pés altos firmados contra uma parede, e mantenha as nádegas o mais perto possível da parede. A cintura deve ser firmemente sustentada pelas duas mãos. Somente os ombros devem tocar na superfície da cama, os pés ficando pousados contra a parede. (Veja Diagrama 81.) Mantenha essa posição durante cerca de 1 minuto, com respiração abdominal. Repouse e repita 4 vezes ao todo.estômago depois das refeições e sua doença tinha gradualmente piorado. Na última erecente crise, não tinha vontade alguma de comer. Pequena ingestão de alimento eraseguida de sensação de plenitude, dilatação e dor, e ele tinha eructações e sua respiraçãoera difícil. O paciente emagreceu, ficando finalmente comprovado pelas radiografias queele sofria de ptose gástrica. Além da massagem descrita antes, foi empregado o exercício médico para202
  • 199. Gastroptose.DIAGRAMA 81 (iv) Contração dos músculos abdominais e levantamento das duas pernas: Deite- se de costas, com as pernas esticadas e bem unidas. Usando os músculos abdominais, levante lentamente as duas pernas juntas e mantenha essa posição o maior tempo possível. (Veja Diagrama 82.) Baixe-as lentamente e repita 4-6 vezes ao todo. (v) Fricção e amassamento do abdome com as duas palmas: Deite-se de costas, as duas mãos espalmadas sobre o baixo-ventre. Esfregue e amasse todo o abdome no sentido dos ponteiros do relógio, partindo do baixo-ventre para cima pelo lado direito, cruzando a parte superior do ventre e descendo pelo lado esquerdo até o baixo-ventre novamente. Faça isso 10-20 vezes. 203
  • 200. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMprolapsos de estômago. Nos 2-3 primeiros dias, a dor na região superior do estômagotinha aumentado e ele relatava sensação de cansaço. Gradualmente, ele foimelhorando; após duas semanas de tratamento, a dor diminuíra e o apetite aumentara.Depois de 48 dias de tratamento, a dor e outros sintomas tinham desaparecidototalmente. 28. Gastrenterite Aguda EtiologiaPode haver várias causas da gastrenterite aguda. Lidaremos aqui com um tipo degastrenterite comum no verão e no outono, provocada pela imoderação: comer e beberdemasiadamente, abusar do álcool, ingerir alimentos poluídos ou demasiadogordurosos e condimentados, especialmente quando se está resfriado. A massagem éeficaz no tratamento da gastrenterite aguda causada por qualquer dessas coisas. Não éconveniente nos casos em que a gastrenterite aguda tenha sido causada por substânciasquímicas (tais como ácidos e bases fortes) ou seja complicação de doença infecciosa(como a febre tifóide ou a disenteria). SintomasA gravidade dos sintomas varia grandemente. Geralmente, há náuseas, vómitos,dilatação do estômago e sensação de pressão; algumas vezes, dor aguda, primeiro naregião superior do abdome e depois em toda a região abdominal; também diarreia efalta de apetite. Além disso, pode haver ligeira febre, tonturas, perspiração, fraquezanos membros, ressecamento da pele. Nos casos graves, pode haver desidratação, e alíngua pode se apresentar com um saburro amarelo-acinzentado. Os casos brandosduram apenas um ou dois dias, mas os mais graves podem durar uma ou duas semanas. DiagnósticoO diagnóstico é relativamente fácil e pode ser feito de acordo com a história e ossintomas. Contudo, se há sintomas como febre e presença de pus e sangue nas fezes, apossibilidade de disenteria etc. pode ser investigada, de modo que o tratamento dessadoença não seja retardado.204
  • 201. Gastrenterite Aguda Tratamentoa) Massagem: (i) O paciente deita-se de bruços ou senta-se na mesa, com o corpocurvado para a frente. Deve ser exposta a área a ser massageada. O meio demassagem pode ser à base de óleo ou de álcool.(ii) A massagem é praticada no meio das costas, para baixo, ou ao longo dosflancos. Primeiramente, aplique o empurrão com a polpa do polegar; depois,raspe com o lado do polegar. A força usada e o grau de frequência sãoaumentados gradualmente. Ou use ainda o método do aquecimento com a bordada palma. Nos casos leves, faça massagem até a pele ficar ligeiramente vermelha.Nos casos graves, é necessário massagear até a pele ficar mais evidentementevermelha. Os dedos devem ser mergulhados com frequência no meio adotado.(iii) O paciente muda para uma posição supina. Aplique o empurrão com a polpado polegar ao longo da linha mediana do abdome, acima do umbigo e nos doislados do umbigo, até que a pele fique vermelha. O método do beliscamentotambém pode ser aplicado no abdome ou na parte posterior do pescoço.(iv) Finalmente, na área da cabeça, use os polegares para aplicar o método doempurrão divergente, começando no acuponto yintang ou zuanzhu e repetindo-o 30-40 vezes. Finalize pressionando o ponto taiyang várias vezes.b) Outros tratamentos: Simultaneamente com a massagem pode ser usadotratamento com drogas. Podem também ser enfatizados o repouso no leito, aregulação da dieta e a manutenção do corpo aquecido. Resultado terapêuticoDepois de uma sessão de massagem, frequentemente pode-se observar a redução dadistensão abdominal, com a tontura diminuindo ou desaparecendo. Ao mesmo tempo,os sintomas gerais e os do trato gastrintestinal também são reduzidos. Essa doença emgeral exige apenas uma sessão de massagem. CasoZhao —, sexo masculino, 40 anos. O paciente sentia náuseas, vontade de vomitar edilatação do estômago. Houve cinco horas de dor abdominal aguda e um episódio deevacuação com aspecto de diarreia. Rastreando a história de sua 205
  • 202. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEMdoença, verificamos que ela teve início depois que ele comera grande quantidade decarne e pegara um resfriado ao assistir a um filme ao ar livre. O exame revelou que seuabdome era mole e que havia pequena dor na região superior. À auscultação, verificou-se que havia ligeiro aumento dos ruídos peristálticos. Foi feito o diagnóstico dagastrenterite aguda. Depois de aplicar uma vez os métodos de massagem mencionados,a distensão abdominal diminuiu e as náuseas e vontade de vomitar desapareceram. Eledormiu bem e estava totalmente recuperado no dia seguinte voltando, pois, ao trabalho. Medicina Popular: Raspagem das CostasUse uma moeda antiga de cobre ou uma colher de sopa de porcelana. Mergulhe emóleo de sésamo ou algum outro, e raspe para baixo nos dois lados das costas, desde opescoço e os ombros até a cintura. Raspe 4-5 feixes de cada lado das costas até a pelese tornar vermelha. Esse método é também chamado método de "raspagem da cólera". 29. Indigestão InfantilÉ uma doença comum nas crianças. Suas principais manifestações são as evacuaçõesperturbadas e o metabolismo obstruído. Pode ser classificada, de acordo com agravidade dos sintomas, em indigestão simples e indigestão tóxica EtiologiaO órgão digestivo na criança que mama está em estado de desenvolvimentoincompleto e sua tolerância é relativamente pequena. A criança necessita relativamentede mais alimentos do que o adulto, porque está em crescimento contínuo. O seu tratogastrintestinal, portanto, deve aplicar esforço maior, tendendo a se tornar exausto. Aolado disso, o sistema nervoso da criança está incompletamente desenvolvido e asfunções reguladoras dos nervos não estão bem estabelecidas, de modo que podeocorrer facilmente um desajustamento metabólico e da função orgânica. As causaspodem ser classificadas em três categorias:a) Dieta imprópria: Alimentação demasiada é uma das causas mais comuns deindigestão. Além disso, a alimentação irregular, a insuficiente e a inadequada206
  • 203. Indigestão Infantilcomposição dos alimentos são suficientes para causar perturbações funcionais do tratogastrintestinal, o que dá em resultado sintomas como diarreia e vómitos.b) Infecção: A infecção, por sua vez, pode ser dividida em dois tipos:(i) Infecção no trato digestivo: Bactérias entram juntamente com o alimento noseu trato digestivo. Esse tipo de infecção é mais comum nas crianças alimentadascom mamadeiras. Nessas infecções, a E. coli é bactéria mais comum.(ii) Infecção fora do trato digestivo: Nas infecções do ouvido, do trato urináriodo trato respiratório, bem como na gripe, as bactérias geram toxinas que seespalham por todo o corpo e causam perturbações da função digestiva.c) Clima e ambiente inadequados: A indigestão tende a ocorrer mais frequente-mente durante o verão. No tempo quente, o corpo excreta líquidos em demasia.Se eles não são repostos em tempo, a circulação sanguínea é afetada com efeitosadversos na excreção de resíduos. A absorção de toxinas produz perturbação dafunção digestiva. A criança é sedenta e suga quantidade excessiva de leite,colocando uma sobrecarga no seu trato digestivo que ele não pode suportar.Além disso, o poder de adaptação da criança é relativamente pequeno. Quandoa temperatura externa é demasiado alta, a temperatura do corpo se eleva,afetando a secreção de ácidos gástricos e permitindo que bactérias se reprodu-zam e se multipliquem facilmente. Ao mesmo tempo que sobe a temperatura docorpo e diminui a atividade enzimática, a função do trato gastrintestinal pode setornar anormal. Sintomasa) Indigestão simples: (i) Diarreia: Evacuações ocorrem com frequência, mais de10 vezes por dia. As fezes são finas e aquosas, de cor amarelo-esverdeada, demistura com certa quantidade de muco. Têm cheiro ácido e contêm pequenasmassas amarelo-esverdeadas. São massas saponáceas constituídas de combina-ção de sais, como os de cálcio e magnésio, com ácidos gordurosos. Frequente-mente se observa distensão abdominal.(ii) Vómitos e regurgitação de leite. A frequência varia.(iii) Falta relativa de apetite, agitação e irritabilidade, choro. Há um pequenosaburro na língua e o peso não aumenta, chegando mesmo a diminuir.b) Indigestão tóxica: As principais características são as perturbações funcionaise o aparecimento de sintomas tóxicos. 207
  • 204. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM(i) Vómitos frequentes depois de beber água ou de comer, ou mesmo vómitospersistentes com o estômago vazio.(ii) O número de evacuações aumenta, chegando a 15-20 por dia. A princípio, asfezes contêm grande quantidade de água, de mistura com muco, têm coramarelo-esverdeada e um cheiro desagradável. Posteriormente o mau cheirodiminui e as massas fecais desaparecem. O muco e as secreções do tratointestinal tornam-se os principais componentes das fezes.(iii) O apetite é pouco. O abdome está patentemente distendido. Ao mesmotempo, observa-se hiperatividade do peristaltismo intestinal. Nas fases adianta-das, ocorre paralisia intestinal.(iv) O peso corporal obviamente cai, devido à grande quantidade de águaperdida. A pele é seca e perde a sua elasticidade; as órbitas oculares tornam-seencovadas; a fontanela anterior é baixa; a urina é escassa e amarela. Nos casosgraves, podem estar presentes sintomas de acidose.(v) Sistema circulatório: A pressão arterial cai; os ruídos cardíacos não sãopuros; o pulso é rápido e fraco; a pele se mostra cinzenta; pode ser observadacianose em torno dos lábios; os membros esfriam.(vi) Sistema nervoso central: Primeiramente, a criança é irritável e agitada;depois, sua consciência se torna obnubilada; os olhos pouco se movem; ela éindiferente a seu ambiente; as mãos e pés com frequência apresentammovimentos involuntários, podendo até aparecer convulsões. Quando ossintomas tóxicos continuam a se desenvolver, a criança perde a consciência. Emgeral, torna-se debilitada e entra em coma. DiagnósticoO diagnóstico se baseia principalmente nos sintomas e na história da alimentação dacriança. É também necessário procurar um foco de infecção. Se possível, deve-se fazercultura de fezes. E da maior importância diferenciar esta doença da disenteria. Tratamentoa) Massagem: A criança doente é carregada pela mãe ou adota uma posição sentada.Suco de gengibre é preparado para ser usado como meio.208
  • 205. Indigestão Infantil(i) Com a mão esquerda sustentando a mão da criança, mergulhe o polegar direito nosuco de gengibre. Primeiro, empurre ao longo da linha pitu. (Veja Diagrama 83.) Depoisempurre para cima ao longo da linha sanguan. (Veja Diagrama 84.) Empurre até que apele se torne vermelha, provavelmente cerca de 200 vezes ou mais, alternando as mãos. DIAGRAMA 83 DIAGRAMA 84(ii) Empurre para baixo nos dois lados da coluna vertebral, desde a 7a cervical até asvértebras lombares, ou aplique o método do pinçamento espinhal. (Veja Diagrama 79,pág. 183.) Quando adiarreia é relativamente frequente,acrescente o método do empurrãocom o polegar e amasse o cóccix.(Veja Diagrama 85.)DIAGRAMA 85 209
  • 206. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM(iii) Com os polegares, aplique o método do empurrão divergente nos dois ladosda região costal. Depois, empurre nos dois lados do umbigo. Se a frequência dadiarreia aquosa é excessiva, amasse a região do umbigo com a palma da mão,depois de friccionar as mãos para aquecê-las. Ou então aplique o método daapreensão nos pontos dujiao no abdome. (Veja Diagrama 86.)(iv) Finalmente, aplique os métodos do afun-damento com o dedo e do empurrão com apolpa do polegar nos acupontos zusanli nasduas pernas.b) Outros tratamentos: Simultaneamente com amassagem, prossiga com o tratamento dietético ecom medicamentos. Se necessário, administrelíquidos suplementarmente.DIAGRAMA 86 Resultado terapêuticoA massagem é um tratamento muito bom para indigestão em crianças. Ela podegradualmente aliviar ou eliminar os sintomas, e encurta a evolução da doença. Osresultados são particularmente claros em casos de evacuações excessivamentefrequentes. CasoZhou —, sexo masculino, 5 meses. O paciente teve febre durante um dia, com cerca de10 evacuações. A diarreia se apresentava aquosa, sem pus ou sangue.210
  • 207. Desnutrição InfantilEle vomitava a cada refeição. Exame: o abdome estava distendido, os olhos fundos, apele seca, e havia uma desidratação de grau médio. Foi diagnosticada indigestãosimples, sendo aplicada massagem como descrito antes. No dia seguinte ao tratamento,as evacuações foram reduzidas para sete. No dia que se seguiu a este, houve apenasquatro, e a distensão abdominal tinha-desaparecido. No terceiro dia, a diarreia cessou.A alimentação normalizou-se e o paciente teve alta. 30. Desnutrição InfantilDoença que envolve desequilíbrio nutricional crónico. Suas características sãocrescimento insuficiente da altura e do peso, e regressão funcional geral, especialmentedas funções nervosas superiores. EtiologiaEssa doença é usualmente devida a alimentação deficiente, sendo muitofrequentemente observada nas crianças alimentadas por meio de mamadeira. Podetambém ser resultado de alimentação inadequada, usualmente de um prematuro. Adoença se manifesta também em crianças com indigestão crónica, e nas que consomemdemasiado durante moléstia de longa duração. Além dessas causas, a doença pode sercausada por deformações congénitas, como lábio leporino e fenda de palato, quetornam difícil a alimentação; por anomalias constitucionais; também por ambienteprecário, como a falta de luz solar ou de exercícios. SintomasOs principais aspectos dessa doença: a criança emagrece; o peso corporal não aumentaou até diminui; diminui ou desaparece a gordura subcutânea. Clinicamente, pode serclassificada em três graus, de acordo com a gravidade dos sintomas: Desnutrição de primeiro grau: Ainda há gordura armazenada por todo o corpo,mas a gordura subcutânea do abdome e do tronco se torna delgada. O crescimentomuscular é bastante pequeno. A cor da pele é normal ou pálida. O peso corporal é 10-20 por cento menor que o normal, mas a altura permanece inalterada. A temperatura docorpo é normal e o estado geral permanece bom.
  • 208. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM Desnutrição de segundo grau: O peso do corpo é 20-30 por cento menor que onormal, e a altura é 1-3 cm menor que o normal. As camadas subcutâneas de gordurano tronco, membros e quadris desaparecem, a pele perde a sua elasticidade e se tornapálida, frouxa, seca e enrugada; o cabelo cresce fino e seco; o rosto se torna fino; otono muscular é reduzido ou aumentado. As funções motoras se desenvolvemlentamente e a criança não pode ficar de pé ou andar. Desnutrição de terceiro grau: O peso do corpo é 40 ou 50 por cento menor que onormal, e a altura é também mais baixa do que o normal. A pele é seca, se apresentacinzenta ou algumas vezes púrpura-azulada, perde a sua elasticidade e forma delgadaspregas enrugadas. A gordura desaparece da face; os olhos se afundam e a fronte émarcada pelas rugas. As bochechas se encovam e as maçãs do rosto se tornamsalientes; o queixo se torna pontiagudo. As crianças se parecem com um velhinho ouvelhinha. Inúmeras rugas se formam na pele do tronco e membros; a carne se tornadelgada, o abdome se afunda ou se distende. Nos casos graves, a criança se desidrata ea fontanela afunda. A criança com distrofia de segundo ou terceiro grau pode ter anorexia. Suatolerância aos alimentos pode ser pequena, e existe possibilidade de constipação oudiarreia. A criança pode se tornar irritável e chorar facilmente, ter pouca energia e ficaragitada durante o sono. Os ruídos do coração podem ser surdos; o ritmo do coraçãolento; a temperatura do corpo, mais baixa do que o normal; pode aparecer também umavariedade de sintomas de deficiência vitamínica. Como sua resistência é baixa, ela ficasuscetível a perturbações como gripe, bronquite, pneumonia e dermatite; além deinfecções do trato respiratório superior, do ouvido interno e do trato urinário. DiagnósticoO diagnóstico pode ser feito com base nos sintomas mencionados. Mas em cada caso,a causa da patologia deve ser procurada, e infecções crónicas, como tuberculose,disenteria, doenças parasitárias, devem ser excluídas. Tratamentoa) Massagem: (i) Faça a mãe segurar a criança. Depois de mergulhar os polegares emsuco de gengibre, use-os para empurrar ao longo das linhas pitu e sanguan dos doisbraços, voltando ao longo da linha liufu. Empurre 100-200 vezes ao longo de cadalinha. Depois, amasse e empurre com os polegares nos acupontos zusanli das duaspernas.212
  • 209. Desnutrição Infantil(ii) Massageie outros pontos, de acordo com os vários sintomas do paciente. Se hádistensão abdominal, constipação ou intestino solto, empurre ao longo dos dois ladosda região umbilical e amasse o umbigo e o cóccix. Se há febre ligeira, aplique amassagem do empurrão nos pontos dahengwen nas mãos, amasse o neilaogong naspalmas e empurre no ponto tianheshui do cotovelo. Se há calafrios, tosse e febre, entãoempurre no ponto feishu e ao longo dos dois lados da coluna vertebral, aplicando amassagem por afundamento nos pontos ershanmen, errenshangma e yiwofeng nasmãos.b) Outros tratamentos: Além da massagem, é importante eliminar as causas da doença.São importantes a regulação da nutrição e a melhoria do método de alimentação, alémde uma maior exposição à luz solar e exercícios médicos. Resultado terapêuticoA massagem pode em geral aumentar rapidamente o apetite da criança doente eaumentar a resistência às doenças, promovendo um gradual retorno ao estado de saúde. CasoMa —, sexo masculino, um ano. Por falta de leite e por alimentação imprópria, opaciente tinha estado frequentemente doente desde o nascimento. Ele era magro echorava repetidamente. Nas duas semanas anteriores, sua doença havia se tornado maisgrave. Seu choro tornou-se mais fraco, seus olhos poucas vezes se abriam e osmembros estavam inchados. Em consequência disso, ele foi internado no hospital.Exame: o crescimento e a nutrição estavam bastante precários. Ele era pequeno e fraco,além de apresentar energia reduzida. Sua fontanela anterior ainda não estava fechada.Seu rosto era amarelado e ligeiramente pastoso, as maçãs avermelhadas e os lábiosvermelho-escuros. A língua não era úmida, tinha ligeiro saburro amarelo e era seca.Havia ulceração da córnea do olho esquerdo. A região abdominal estava distendida, eos membros inferiores ligeiramente inchados. Foi feito diagnóstico de desnutrição. Depois de transfusão de sangue, tratamento com medicamentos e dieta, suadoença regrediu um pouco. No 12° dia de hospitalização, foi iniciada massagem comodescrito anteriormente. Depois de 25 sessões, a situação geral era boa. O apetite tinhaobviamente aumentado. A temperatura do corpo se mostrava inalterada. A excreção emicção eram normais. Ele apresentava mais energia. A face e todo o corpo estavambem melhores do que antes do tratamento. O peso do corpo tinha aumentado. Nãohavia inchações nem desidratação. Basicamente, sua recuperação era total, de modoque o tratamento foi interrompido 213
  • 210. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM 31. Pneumonia InfantilA pneumonia é um termo geral para designar alterações patológicas inflamatórias nospulmões. De acordo com os aspectos clínicos e anatomopatológicos, ela é dividida empneumonia primária e pneumonia secundária, e em broncopneumonia e pneumonialombar. A massagem usada varia pouco com o tipo, de modo que vamos ilustrar com otipo mais frequentemente observado, que é o da broncopneumonia. EtiologiaEssa doença é causada por agentes patogênicos (como bactérias e vírus) que atacam ospulmões. São também importantes a saúde da criança e seu estado de nutrição. Ascrianças debilitadas por longa doença são mais suscetíveis à doença, sendo seussintomas e alterações patológicas mais graves. O médico chinês tradicional consideraque a doença é causada por lesão interna e suscetibilidade externa. Clinicamente, eledistingue casos envolvendo deficiência ou plenitude e frio ou calor. SintomasGeralmente, há súbito surto de febre, atingindo cerca de 40°C, acompanhado de tosse,respiração rápida etc. A tosse é em geral intensa, algumas vezes acompanhada devómitos. O sintoma de respiração rápida se instala subitamente e em geral há agitaçãonos músculos da mandíbula. Ao mesmo tempo, pode haver fenómenos como palidezfacial e lábios de cor púrpura-azulada. Ademais, devido às diferenças na gravidade dossintomas, pode haver sonolência, agitação, irritabilidade ou até perda da consciência.Em casos graves, há convulsões e coma. DiagnósticoNão há dificuldade em se fazer o diagnóstico pela etiologia e pelos sintomas. Aauscultação dos pulmões mostrará estertores secos e úmidos, e algumas vezes haveráruídos inspiratórios nos brônquios. A radiografia irá mostrar pontos de sombra planos eescuros de vários diâmetros. Tudo isso pode auxiliar na confirmação do diagnóstico ena discriminação das doenças específicas. O exame dos padrões da pele dos dedos dacriança pode também ser útil na escolha do214
  • 211. Pneumonia Infantiltratamento específico a ser adotado. Os padrões são usualmente púrpura ou púrpura-azulada, e esta cor vai além do ponto qiguan ou mingguan. Se os padrões são azuis e acor vai além do ponto mingguan, o prognóstico é habitualmente mau. TratamentoIndependentemente do tipo de pneumonia, não importando seja ela aguda ou crónica, amassagem pode ser aplicada como tratamento auxiliar.a) Massagem: Método geral e sequências: (i) Faça alguém pegar a criança doente oucoloque-a em posição deitada. Prepare um meio como suco de gengibre cru. Primeiro,empurre ao longo das linhas pitu e sanguan. Depois, aplique o empurrão divergentenas palmas das mãos e nos lados dorsais das duas mãos, e amasse o ponto neilaogong.(ii) Exponha o peito e as costas. Primeiro, aplique a massagem do empurrão nospontos fengchi, fengfu, dazhui e feishu nas costas. Depois, empurre nos pontosrupang, rugen e shanzhong.(iii) Em seguida, aplique massagem em acupontos distantes, como, por exemplo,empurrão e amassamento nos acupontos jiexi, yongquan e zusanli na parteinferior das pernas e nos pés.(iv) Finalize a massagem aplicando empurrão nos pontos yintang, taiyin etaiyang. O curso total da massagem deve levar 20 minutos mais ou menos.Métodos para situações específicas:(i) Se há febre alta, empurre também no ponto tianheshui.(ii) Se há febre sem sudorese, empurre novamente ao longo da linha sanguan eaplique a massagem por apreensão em jianging e neilaogong.(iii) Se há respiração rápida, agitação e hipoxia, então empurre nos acupontosfengchi, fengfu, fengmen, dazhui, feishu e rangu, e depois nos outros locais.(iv) Se se descobre, pela auscultação dos pulmões, grande quantidade deestertores, e se o paciente tem forte constituição e está doente há pouco tempo,então o empurrão pode ser concentrado em feishu e sanguan. Se o paciente tem 215
  • 212. APLICAÇÕES CLÍNICAS DA MASSAGEM constituição fraca e está doente há mais tempo, e se a pneumonia é secundária, então empurre mais ao longo de pitu e nas costas. (v) Quando há sintomas do trato digestivo, como diarreia, friccione o abdome e aplique a massagem do empurrão no cóccix. Quando há vómitos, empurre também o banmen. b) Outros tratamentos: No tratamento da pneumonia em crianças, a massagem é apenas uma das terapêuticas acessórias num tratamento associado. Clinicamente, o uso de antibióticos é ainda mais importante. Ao mesmo tempo, outros tipos de tratamento devem também ser usados. Resultado terapêutico Se a massagem é usada como parte de um tratamento amplo desta doença, o resultado terapêutico é frequentemente mais satisfatório e o curso da doença encurtado. Especialmente na pneumonia crónica, a massagem pode quase sempre provocar o desaparecimento mais precoce dos estertores e outros sintomas. Caso Zhang —, sexo feminino, um ano. A paciente foi hospitalizada porque fora acometida de febre alta dois dias, além de respiração rápida um dia inteiro. Ela estava agitada, com cor facial azulada, e sua respiração era difícil. Pela auscultação, verificou-se que os pulmões estavam cheios de estertores secos e úmidos. Os padrões cutâneos dos dedos eram azuis até além do ponto qiguan. Foi feito o diagnóstico clínico de broncopneumonia. Além dos antibióticos e tratamento por oxigénio, foi aplicada massagem. Depois de dois tratamentos, a respiração rápida foi desacelerada e os estertores pulmonares reduzidos. Após oito tratamentos, os estertores tinham desaparecido completamente. O peso corporal e o apetite voltaram ao normal e ela teve alta. Medicina Popular: Fricção das Costas com Gengibre Cru Exponha as costas da criança doente. Pegue um pedaço de gengibre cru. Descasque uma ponta e transforme-a numa superfície lisa e redonda. Mergulhe-a em água morna e esfregue-a para cima e para baixo nos dois lados das costas,216
  • 213. Pneumonia Infantilgeralmente começando das vértebras cervicais inferiores e descendo até a regiãolombar. Friccione mais no ponto dazhui e nos pontos sho na parte superior dascostas (tais como feishu, xinshu e geshu). Friccione até que a pele se torneligeiramente vermelha. 217
  • 214. APÊNDICE 1 AUTOMASSAGEM PARA FORTALECER O CORPO E PREVENIR DOENÇAS1. Batida nos dentes: Com os lábios levemente fechados, use as pontas dos dedos parabater ritmicamente contra os dentes inferiores e superiores, 30-40 vezes cada.2. Limpeza da boca: Com os lábios levemente fechados, use a língua para limpar comforça em torno do espaço entre os dentes e os lábios. Limpe para a esquerda e para adireita, 30 vezes em cada direção.3. Fricção das mãos: Esfregue as palmas das mãos uma na outra 30-40 vezes, comcrescente rapidez, até que elas se aqueçam.4. Fricção do rosto: Esfregue o rosto com as palmas das mãos aquecidas,primeiramente indo do lado esquerdo da face, cruzando a fronte, para o lado direito, 7-8 vezes.5. Amassamento dos olhos: Com os nós dos dedos indicador, médio e anular das duasmãos, amasse com movimento circular em torno das órbitas oculares, primeiramenteindo do canto interno para fora, e depois do canto externo para dentro, 7-8 vezes cada.6. Amassamento do taiyang: Com as pontas dos dedos médios das duas mãos, façapressão nos acupontos taiyang nas têmporas esquerda e direita, e amasse218
  • 215. Automassagemesse movimento circular primeiramente no sentido dos ponteiros do relógio e depois aocontrário, 7-8 vezes cada.7. Esfregamento da fronte: Com as pontas dos dedos médios das duas mãos, esfreguedesde o espaço entre as sobrancelhas até as partes laterais, alcançando gradualmente alinha de implantação dos cabelos.8. Pressão na cabeça: Com os lados ou as bases das palmas das duas mãos, faça pressãocontra os lados da cabeça e depois da linha de implantação dos cabelos adiante até aimplantação atrás, 30-40 vezes.9. Afundamento em baihui, fengfu e dazhui: Afunde e depois amasse em cada umdesses três acupontos, cerca de 1 minuto em cada ponto.10. Vibração nas orelhas: Com os dedos das duas mãos colocados na parteposterior da cabeça, cubra os canais auditivos com as palmas e faça um rápidomovimento rítmico de tambor, cerca de 30-40 vezes.11. Batida atrás das orelhas: Com os dedos das duas mãos aplicados contra a parteposterior da cabeça e as palmas cobrindo apertadamente os canais I auditivos, batacontra a parte posterior da cabeça com os indicadores e os médios para ouvir um"dong". Faça isso cerca de 20 vezes.12. Tapinha no peito: Espalhe os dedos das duas mãos e bata com eles no peito,fazendo inspiração e cada batida. Faça isso 7-8 vezes.13. Aquecimento das costelas: Use as bordas das mãos para aquecer os dois lados dacaixa torácica, rapidamente, 30-40 vezes.14. Amassamento do abdome: Faça pressão na região umbilical com a mão esquerda epressione sobre o dorso dessa mão com a direita. Depois, amasse em profundidade ecom força o abdome, no sentido dos ponteiros do relógio, 30-80 vezes.15. Aquecimento da região lombar: Com as duas mãos fechadas em punho, use aextremidade polegar dos punhos (o "olho" do punho) para fazer aquecimento para cimae para baixo, com rapidez e força, nos dois lados da região lombar, cerca de 30-40vezes.16. Martelamento da espinha e do sacro: Com as mãos em punho, martele ao longo dosdois lados da espinha, começando do ponto mais elevado que possa alcançar e descendoaté o cóccix. Faça isso 3-4 vezes. 219
  • 216. APÊNDICE 117. Fricção e rolamento das coxas: Sente-se com as pernas dobradas e aplique fricçãoe rolamento nas coxas com as palmas das mãos, 30-40 vezes.18. Pinçamento das panturrilhas: Sentando-se com as pernas dobradas, apliquemassagem por pinçamento no músculo gastrocnêmio da panturrilha, indo da parte maiselevada do músculo até o tendão de Aquiles. Faça primeiro na perna esquerda e depoisna direita.19. Aquecimento do yongquan: Com rapidez e força, aqueça os acupontos yongquandas solas dos pés com a borda externa da mão. Faça isso 30-40 vezes, até aquecer aparte central do pé. Primeiro no pé esquerdo.20. Exercício respiratório: Fique de pé, com as pernas afastadas, na distância dalargura dos ombros. Levante as mãos da região abdominal em direção à garganta,erguendo ao mesmo tempo a cabeça, curve-se para trás na altura da cintura e inspire.Depois, baixe as mãos novamente para o abdome, baixe a cabeça, curve-se para diantee expire. Enquanto expira, emita os sons ha-ho-hi-hu, com o h aspirado. Repita oexercício duas vezes.A automassagem não é usada apenas para fortalecer o corpo e prevenir doenças,podendo também ser útil no tratamento de doenças e na consolidação dos efeitos deoutros tratamentos. Os 20 métodos de massagem descritos tanto podem ser usados emgrupo como separadamente, de acordo com circunstâncias específicas. Quando usadospreventivamente, podem ser aplicados de manhã, após o despertar, ou à noite, logoantes de dormir. Quando usados durante a recuperação de uma doença, podem serescolhidos, apenas alguns deles, de acordo com a doença. Nas que afetam os membrosinferiores, a massagem das pernas é mais importante. E assim por diante.220
  • 217. APÊNDICE 2 MASSAGEM PARA OS OLHOS1. Amassamento das partes superiores das órbitas oculares: Com as polpas dospolegares, faça pressão contra as partes superiores e internas das órbitas, debaixo dassobrancelhas (no ponto tianying). Os dedos devem estar ligeiramente dobrados eaplicados contra a fronte. Amasse delicadamente no ponto tianying.2. Espremedura e pressão da base do nariz: Com o polegar e o indicador, esprema abase do nariz (no acuponto jingming). Primeiro, pressione para baixo e depois espremapara cima, alternando esses movimentos.3. Amassamento das bochechas: Com as polpas dos indicadores, faça pressão nocentro de cada bochecha (em torno do acuponto sibai). Enganche os polegares nadepressão debaixo das mandíbulas e feche os outros dedos. Amasse os centros dasbochechas com os indicadores.4. Raspagem das órbitas oculares: Dobre ligeiramente os indicadores e pressione olado do segundo nó contra o topo da órbita. Pressione os polegares contra os acupontostaiyang nas têmporas e feche os outros três dedos. Raspe para baixo, em torno dasórbitas, com os dedos indicadores, enquanto amassa com força os pontos taiyang comos polegares. Essas massagens devem ser aplicadas 20 vezes cada, pela manhã e ànoite. Elas também podem ser aplicadas após visualização de alguma coisa durantelongo tempo, por exemplo, após prolongada leitura.
  • 218. APÊNDICE 3 MÉTODOS DE MASSAGEM1. Método da pressão .......................................................... anfa Método da pressão com a palma....................................... jang fa Método da pressão com o dedo ........................................ ji anfa Método da pressão com as duas palmas opostas .............. shuangjiang duinanfa Método da pressão com os dois polegares opostos ......... shuangjiang duinanfa Método da pressão com o cotovelo .................................. jian anfa2. Método da fricção .......................................................... …mofa Método da fricção com o polegar .................................... .ji mofa Método da fricção com os dois polegares ........................ shuangshou muji Método da fricção circular com os dois polegares ........... shuangshou muji huimofa Método da fricção com a palma ....................................... jiang mofa Método da fricção com a base da palma .......................... jiangen mofa3. Método do empurrão ..................................................... ..tuifa Método do empurrão com a polpa do polegar ..................mujiping tuifa Método do empurrão em espiral ....................................... luouen tuifa Método do empurrão divergente ...................................... fentuifa Método do empurrão com o lado do polegar ................... mujice tuifa Método do empurrão shaoshang .....................................shaoshang tuifa Método do empurrão com a ponta do polegar .................. mu jian tuifa222
  • 219. Métodos de Massagem Método do empurrão com a polpa da palma ................... ….. jiangping tuifa Método do empurrão com a base da palma ......................….. jiangen tuifa4. Método da apreensão ............................................................. .nafa Método de apreensão com três dedos ........................................sanji nafa Método de apreensão com os cinco dedos ............................... .uji nafa Método de apreensão com sacudimento.................................... doudong nafa Método do estado muscular ...................................................... tanjin fa5. Método do rolamento ............................................................. .ganfa Método do rolamento com cilindro ........................................... ganjao ganfa6. Método do afundamento ........................................................ quiaf a Método do afundamento com um dedo .................................... danji quiafa Método do afundamento com o dedo curvado ......................... quinji quiafa Método do dedo cortante ......................................................... jiquié fa7. Método do repuxamento ........................................................ bofa Método do repuxamento do sistema energético....................... boluo fa8. Método do amassamento ........................................................ roufa Método do amassamento com o polegar ...................................ji roufa Método do amassamento com a palma .....................................jiang roufa Método do amassamento com a base da palma ........................ jiangen roufa9. Método da vibração.................................................................jienf a Método da vibração com o dedo............................................... jijienfa Método da vibração com a palma ............................................. jiangjienfa Método da vibração elétrica ..................................................... daianjienfa10. Método do arrastamento ........................................................ mafa Método da retificação muscular ............................................... lijinfa11. Método do aquecimento .......................................................... queifa Método do aquecimento com o dedo......................................... jiqueifa Método do aquecimento com a borda da palma ....................... jiance queifa12. Método da fricção e rolamento ............................................... cuofa Método da fricção e rolamento com a palma ........................... jiang cuofa Método da fricção e rolamento com a borda da palma ............ jiance cuofa 223
  • 220. APÊNDICE 313. Método do pinçamento................................................................ .nifa Método do pinçamento com três dedos ...................................... sanji nifa Método do pinçamento com cinco dedos.................................. .uji nifa Método do pinçamento espinhal ............................................... .niji fa14. Método do beliscamento.............................................................. tchefa Método da torção ...................................................................... ninfa15. Método do piparote .................................................................... tanfa16. Método da batida ........................................................................ caufa Método da batida com o dedo médio ......................................... jionji caufa Método da batida com os cinco dedos ....................................... uji caufa17. Método da tapinha .......................................................................peifa Método do tapinha com o dedo................................................. ji peifa Método do tapinha com o dorso dos dedos................................. jibi peifa Método do tapinha com a palma ................................................ jiang peifa18. Método do martelamento ............................................................ tchuifa Método do martelamento com o punho para baixo.................... noquan tchuifa Método do martelamento com o punho para cima ..................... jiquan tchuifa Método do martelamento com a borda da palma ....................... jiance tchuifa19. Método da extensão..................................................................... shenfa Método da extensão do ombro ................................................... shenjian fa Método da extensão do cotovelo ............................................... shenjou fa20. Método da flexão......................................................................... quinfa Método da flexão da panturrilha ................................................ quinxiaotui fa Método da flexão do quadril ...................................................... quinquan fa Método da flexão dos quadris ................................................... shuan gquinquan fa21. Método da rotação ..................................................................... yofa Método da rotação do pescoço ................................................. yojing fa Método da rotação do ombro ..................................................... yojian fa Método da rotação do quadril .................................................... yoquan fa Método da rotação lombar ......................................................... yoyo fa22. Método do sacudimento ............................................................. daufa Método do sacudimento do membro superior ........................... jiang fa Método do sacudimento do membro inferior............................ dauxiaji fa224
  • 221. Métodos de Massagem23. Método do estiramento .............................................................injenfa Método do estiramento lombar ................................................. .iao injenta Método do estiramento do membro superior ............................ .jianji injenfa Método do estiramento do membro inferior ..............................giaji injenfa Movimentação da perna .............................................................bantui24. Método da pisada .................................................................... quefa 225
  • 222. APÊNDICE 4 TABELA DE PESOS E MEDIDASPeso: 1 catty (jin) = 10 liang = 500 gramas = 1,1 libra 1 liang = 10 fen = 50 gramas = 1,3/4 onça 1 qian = 1/10 liangDistância: 1 li = 1/2 quilómetro = quilómetro = 1/3 milhaMedida aproximada de líquidos: 2 catties de água = 1 litro = 1,1 quarto = 1 quilograma226
  • 223. APÊNDICE 5 TABELA DE ACUPONTOS1 = Meridiano do coração; II = Meridiano do intestino delgado; III = Meridiano dabexiga; IV = Meridiano renal; V = Meridiano do pericárdio; VI =Três meridianos dehipertermia; VII = Meridiano da vesícula biliar; VIII = Meridiano hepático; IX =Meridiano pulmonar; X = Meridiano do intestino grosso; XI = Meridiano gástrico;XII = Meridiano esplénico.Nome chinês Tradução Ponto numéricoBaihui cem reuniões Vaso Governante 20Yintang salão de impressão Ponto extraTaiyang yang mais alto Ponto extraJingming brilho dos olhos III - 1Zuanzhu colheita de bambu III - 2Sibai quatro-branco XI - 2Tinggong palácio de escuta II - 19Tinghui reunião de audição VII - 2Yifeng quebra-vento VI - 17Yingxiang fragrância de boas-vindas X - 20Renzhong pessoa-meio Vaso Governante 26Jianyu ponto yu do ombro X - 15Chize pé do charco IX - 5Quchi tanque curvo X - 11Shaohai pequeno mar 1-3 227
  • 224. APÊNDICE 5Nome chinês Tradução Ponto numéricoShousanli mão três milhas X - 10Neiguan passo interno V-6Waiguan passo externo VI - 5Lieque passagem estreita IX - 7Hegu junção dos vales X-4Yangxi corrente yang X-5Yangchi tanque yang VI - 4Yanggu vale yang II - 5Shenmen porta dos espíritos 1-7Daling grande colina V- 7Taiyuan grande abismo IX - 9Ten xuan dez pontos xuanQuepen bacia quebrada XI - 12Zhongfu palácio do meio IX - 1Rugen raiz do seio XI - 18Shangwan cavidade superior do estômago VC (Vaso da Concepção) 13Zhongwan cavidade mediana do estômago VC-12Xiawan cavidade inferior do estômago VC-10Shenque deficiência espiritual VC-8Qihai mar de qi (energia) VC-6Guanyan origem dos passos VC-4Tianshu eixo do céu XI-25Qichong corrida do qi XI-30Fengchi tanque do vento VII-20Fengfu palácio do vento VG (Vaso Governante) 16Yamen porta da mudez VG-15Dazhui grande martelo VG-14Fengmen porta do vento III-12Feishu correspondência pulmonar III-13Xinshu correspondência cardíaca III-15Geshu correspondência diafragmática III-17Ganshu correspondência hepática III-18Danshu correspondência da vesícula biliar III-19Pishu correspondência esplénica III-20Weishu correspondência gástrica III-21Shenshu correspondência renal III-23Dachangshu correspondência do intestino grosso III-25228
  • 225. Tabela de AcupontosNome chinês Tradução Ponto numéricoShangliao ponto liao superior III-31Ciliao segundo ponto liao III-32Zhongliao ponto liao médioXialiao ponto liao inferiorMingmen porta da vida VG-4Yangguan passo yang VG-3Jianjing poço escapular VII-21Jianliao ponto liao do ombro VI-15Jianzhen ombro vertical II-9Tianzong ancestral celeste II-11Gaohuang riqueza para os órgãos vitais III-38Huantiao círculo pulador VII-30Chengfu apoio e segurador III-50Xuehai mar de sangue VII-10Xiyan olho do joelhoZusanli pé três milhas XI-36Yanglingquan fonte da colina yang VII-34Juegu separação do osso VII-39Kunlun montanhas kunlun III-60Pucan auxílio de empregados III-61Yinlingquan fonte da colina yin XII-9Sanyinjiao três cruzamentos yin XII-6Jiexi corrente liberada XI-41Taixi grande corrente IV-3Taichong corrida suprema VIII-3Chongyang corrida yang XI-42Weizhong meio de aceitação III-54Chengjin músculo de apoioChengshan montanha de apoio III-57Yongquan fonte borbulhante IV-1 229
  • 226. Seja um Leitor Preferencial Record e receba informações sobre nossos lançamentos. Escreva para RP Record Caixa Postal 23.052 Rio de Janeiro, RJ - CEP 20922-970 dando seu nome e endereço e tenha acesso a nossas ofertas especiais. Válido somente no Brasil. Ou visite a nossa home page: http://www.record.com.br/novaeraImpresso no Brasil pelo Sistema Cameron da Divisão Gráfica da DISTRIBUIDORA RECORD DE SERVIÇOS DE IMPRENSA S.A. Rua Argentina 171 - Rio de Janeiro, RJ - 20921-380 - Tel.: 2585-2000
  • 227. Esta obra foi digitalizada pelo grupo Digital Source para proporcionar, demaneira totalmente gratuita, o benefício de sua leitura àqueles que não podemcomprá-la ou àqueles que necessitam de meios eletrônicos para ler. Dessa forma, avenda deste e-book ou até mesmo a sua troca por qualquer contraprestação étotalmente condenável em qualquer circunstância. A generosidade e a humildade é amarca da distribuição, portanto distribua este livro livremente. Após sua leitura considere seriamente a possibilidade de adquirir o original,pois assim você estará incentivando o autor e a publicação de novas obras. Se gostou do trabalho e quer encontrar outros títulos nos visite emhttp://groups.google.com/group/expresso_literario/, o Expresso Literário é nossogrupo de compartilhamento de ebooks. Será um prazer recebê-los.