Platelmintos (Power Point)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Platelmintos (Power Point)

on

  • 48,942 views

 

Statistics

Views

Total Views
48,942
Views on SlideShare
39,711
Embed Views
9,231

Actions

Likes
11
Downloads
1,519
Comments
1

18 Embeds 9,231

http://biologiaprofvasco.blogspot.com.br 4896
http://cris-colegioblaununes-marly.blogspot.com.br 2437
http://biologiaprofvasco.blogspot.com 782
http://www.biologiaprofvasco.blogspot.com.br 421
http://infofranciscozilli.blogspot.com.br 377
http://www.slideshare.net 94
http://cris-colegioblaununes-marly.blogspot.com 89
http://biologiaprofvasco.blogspot.pt 71
http://www.biologiaprofvasco.blogspot.com 29
http://cris-colegioblaununes-marly.blogspot.pt 15
https://www.blogger.com 4
http://www.infofranciscozilli.blogspot.com.br 4
http://biologiaprofvasco.blogspot.com.ar 3
http://www.google.com.br 3
http://cris-colegioblaununes-marly.blogspot.jp 2
http://webcache.googleusercontent.com 2
http://biologiaprofvasco.blogspot.com.es 1
http://cris-colegioblaununes-mar 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as OpenOffice

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Platelmintos (Power Point) Platelmintos (Power Point) Presentation Transcript

  • FILO PLATELMINTOS PROFESSOR VASCO
  • CARACTERÍSTICAS GERAIS
    • Corpo achatado dorso-ventralmente, São animais alongado, com aspecto de fita.
    • Vida livre ou parasitas.
    • Triblásticos
    • Acelomados
    • Protostômios
    • Apresentam sistema digestório incompleto, não possuem ânus. Exceto os pertencentes à classe Cestoda que não possuem sistema digestòrio.
    • Alimentam-se de pequenos animais ( as planárias) ou de alimentos já digeridos (parasitas).
    • Não possuem órgãos para respirar e para circulação, esses processos são feitos de célula a célula.
    • O sistema nervoso apresenta dois cordões nervosos longitudinal unidos a um par de gânglios cerebrais.
    • Possuem simetria bilateral.
  • EXEMPLOS DE PLATELMINTOS PLANÁRIA Schistosoma mansoni Taenia solium
  • CLASSIFICAÇÃO Os platelmintos são divididos em 3 classes: TURBELLARIA TREMATODA CESTODA
  • CLASSE TURBELLARIA
    • Representada pelas Planárias, animal de vida livre.
    • Apresentam simetria bilateral.
    • Na região anterior encontra-se um par de ocelos que são estruturas sensíveis à luz ( fotoperceptoras ), não formam imagens, apenas percebem a luminosidade do ambiente.
    • O alimento é ingerido pela boca, situada na superfície ventral do
    • corpo. Da boca passa para à cavidade digestória, composta de
    • faringe e intestino. Não possuem ânus, os restos alimentares são eliminados pela boca.
  • ANATOMIA DA PLANÁRIA
  • REPRODUÇÃO EM TURBELÁRIOS As planárias podem se reproduzir assexuadamente e sexuadamente Reprodução Assexuada : Por regeneração (= fissão) Reprodução Sexuada : Contato dos poros genitais ocorrendo fecundação cruzada. Por serem hermafroditas, as planárias trocam espermatozóides. Os zigotos formaram novas planárias. O desenvolvimento é direto, ou seja, não há formação de larva
  • REGENERAÇÃO Cada parte seccionada de uma planária, dará origem a um novo indivíduo
  • FECUNDAÇÃO CRUZADA Através do contato entre os poros genitais, ocorre a trocas de gametas entre duas planárias
  • CLASSE TREMATODA
    • Representada pelo Schistosoma mansoni ,
    • Possui cerca de 1 cm
    • Causa uma verminose chamada de esquistossomose ou barriga d’água.
    • Alojam-se dentro dos vasos sangüíneos do fígado ou do baço e se nutrem de sangue.
    • Provocam um derramamento de líquidos no abdome do hospedeiro, levando ao inchaço da região abdominal ( “barriga d`água” ).
    • Macho se diferencia da fêmea por apresentar em sua região ventral, o canal ginecóforo, onde a fêmea se aloja durante a reprodução.
    • Tanto macho quanto fêmea, possuem ventosas para fixação no organismo do hospedeiro.
  • CICLO EVOLUTIVO DO Schistosoma mansoni
    • A fêmea do esquistossomo vive alojada no sulco do corpo do macho ( canal ginecóforo ) e deposita seus ovos no intestino da pessoa doente (hospedeiro definitivo).
    • Os ovos são eliminados com as fezes do hospedeiro e, ao cair na água, liberam larvas chamadas Miracídios .
    • Essas larvas penetram no corpo do caramujo do gênero Biomphalaria (hospedeiro intermediário) e nele se reproduzem assexuadamente, gerando larvas chamadas Cercárias .
    • A cercária deixa o corpo do caramujo e nada até penetrar na pele de um ser humano. Ao penetrar na pele a cercária pode causar irritação.
  •  
  •  
  • Barriga d`água Caramujo Biomphalaria
  • PROFILAXIA
    • Tratamento de doentes;
    • Melhoria das condições sócio-econômicas;
    • Utilização de redes de esgoto ou fossas sanitárias;
    • Educação sanitária (higiene);
    • Combate ao caramujo (moluscocidas ou controle biológico);
    • Evitar contato com lagoas contaminadas.
  • CLASSE CESTODA
    • Representado pelas solitárias existem duas espécies que parasitam o intestino humano:
    • Taenia solium (transmitida pela carne do porco)
    • Taenia saginata (transmitida pela carne do boi).
    • A doença causada pelas tênias chama-se teníase.
    • Porco e boi são hospedeiros intermediários, enquanto que o ser humano é o hospedeiro definitivo.
    • Essa doença causa prejuízo a saúde por que a solitária nutre-se de parte do alimento ingerido e digerido pelo hospedeiro.
    • As tênias não possuem sistema digestório.
    • Podem atingir até mais de 10 metros de comprimento.
    • Existe também o Echinococcus granulosus , conhecida como a tênia do cão. Tal verme leva à formação de uma espécie de tumoração denominada cisto hidático que caracteriza a doença Hidatidose .
  • ESTRUTURA CORPORAL DA TÊNIA
    • O corpo das tênias está adaptado para a vida parasitária.
    • Na região anterior, denominada escólex, existem estruturas que auxiliam a fixação do parasita no intestino humano.
    • No caso da Taenia solium , há ganchos e ventosas e, no caso
    • da Taenia saginata , há somente ventosas.
    • A região posterior do corpo é bastante alongada e formada por estruturas chamadas Proglótides , local onde existe estruturas reprodutoras masculina e feminina
    • São hermafroditas.
    • A fecundação ocorre dentro das proglótides, fenômeno chamado
    • Autofecundação.
  •  
  •  
  • CICLO REPRODUTIVO DAS TÊNIAS
    • Cada proglótide produz gametas masculino e femininos que se fecundam, formando muitos ovos.
    • As proglótides cheias de ovos se destacam do corpo da tênia e são eliminados com as fezes da pessoa infectada (hospedeiro definitivo).
    • Os ovos podem contaminar a água ou os alimentos e, se forem ingeridos por bovinos e suínos (hospedeiros intermediários), irão se alojar na carne desses animais, formando larvas chamadas cistercercos .
    • Ao comer carne mal cozida de animais infectados, o ser humano ingere cistecercos, que em seu intestino darão origem a tênias adultas , causando a doença: TENÍASE
    • OBS: A ingestão de ovos origina a doença
    • conhecida por CISTECERCOSE .
  • CICLO EVOLUTIVO DA TAENIA SOLIUM
  • CICLO DA TAENIA SAGINATA
  • SINTOMAS DA TENÍASE
    • Dor abdominal, dor de cabeça;
    • Diarréia, flatulência, aumento ou perda do apetite;
    • Fraqueza e palidez.
                • PROFILAXIA
    • Tratamento de doentes;
    • Higiene;
    • Saneamento básico;
    • Inspeção de carnes em abatedouros;
    • Consumo de carnes suínas ou bovinas e seus derivados bem cozidos.
  • CISTICERCOSE
    • Causador – cisticerco ( larva da tênia do porco).
    • Homem atua como hospedeiro intermediário.
    • Contaminação – ingestão de ovos de Taenia solium.
    • O cisticerco pode alojar-se nos olhos, músculos, pele ou cérebro, podendo ser fatal.
    • Profilaxia – higiene e saneamento básico.
  •  
  •  
  •