• Like
Preenchimento Quadros III, IV,V,VI DA NR4
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Preenchimento Quadros III, IV,V,VI DA NR4

  • 12,524 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
12,524
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2

Actions

Shares
Downloads
133
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. LEGISLAÇÃO Manual prático Como calcular e preencher os mapas dos anexos III, IV V e VI da NR-4 , C omo fez em anos anteriores, dros estatísticos da CIPA os dados mensais 3 acidentes sem afastamento. Proteção publica de forma atu- atualizados e acumulados de acidentes do 1 acidente com 13 dias perdidos. alizada, nessa edição, os cri- trabalho, doenças ocupacionais e agentes de 1 acidente com 17 dias perdidos. térios e as regras para preen- insalubridade, preenchendo conforme nor- 15 empregados (média aritmética anual). chimento correto dos quadros ma NB-18 da ABNT, no mínino os quesitos 30.248,62 HHT (Horas-Homen Traba- anexos da NR-4 relacionados descritos nos modelos dos mapas constan- lhadas) aos acidentes, doenças pro- tes nos quadros III, IV, V e VI, anexos da Oficinafissionais e insalubridade. As empresas pú- NR-4, Serviços Especializados em Enge- Total anual de 11 acidentes.blicas e privadas que admitam em seus nharia de Segurança e Medicina do Traba- 7 acidentes sem afastamento.quadros funcionários regidos pela CLT têm lho, da Portaria nº 3.214, de 08/06/78. 1 acidente com 10 dias perdidos.até o dia 31 de janeiro para encaminharem a A empresa encaminha os mapas conten- 1 acidente com 18 dias perdidos.documentação às Delegacias Regionais do do a avaliação anual nos quadros III, IV, V 1 acidente com 44 dias perdidos.Trabalho dos seus respectivos Estados. e VI ao MTb (Ministério do Trabalho), 1 acidente com 60 dias perdidos. 1. Embasamento em 300 dias úteis de através da DRT (Delegacia Regional do 1 caso de doença ocupacional causada portrabalho anual, tornando-o universal para os Trabalho), até 31 de janeiro de cada ano, poeiras (pneumoconiose).cálculos de todo e qualquer ano. Também conforme detemina o subitem 4.12 alínea 150 empregados (média aritmética anual).para o caso dos estabelecimentos que não “i” da NR-4. O SESMT é integrado por 302.486,25 HHT(Horas-Homem Traba-registrem engenheiro de Segurança do Trabalho, mé- lhadas). rnensalmente os dados em quadros esta- dico do Trabalho, técnico de Segurança do Total do Estabelecimentotísticos da CIPA. Trabalho, enfermeiro do Trabalho e auxiliar Utilizar o somatório dos setores escritório 2. Terceirização - As empresas prestado- de Enfermagem do Trabalho, conforme Qua- e oficina e efetuar os cálculos.ras de serviços no sistema de terceirizaçäo, dro I e II da NR-4. 10 acidentes sem afastamento.no local fisico das instalações de sua contra- Conforme o grau de risco da atividade 6 acidentes com afastamento.tante, fazem a avaliação anual de um dos principal e o número de empregados, as 15 + 150 = 165 empregados (média arit-dois modos. empresas privadas e públicas devem manter mética anual). 2.1. Quando por força do contrato ou os serviços especializados (SESMT) com a 332.734,87HHT (Horas-Homem Traba-possuir inscrição no Ministério da Fazenda finalidade de proteger a integridade do tra- lhadas).(CGC) no local da prestação do serviço, balhador no local de trabalho, conforme OBS: HHT=HERdeve fazer a avaliação anual específica da- Quadro II da NR-4. Recomenda-se que os HER (Horas de Exposição ao Risco) Nor-quele posto de trabalho. quadros III, IV, V e VI tenham o cabeçalho ma NB-18 da ABNT. 2.2. Havendo um único CGC para todos com o logotipo e identificação da empresa Nota: computar inclusive horas extrasos postos de trabalho no local físico das com a razão social e endereço completo. trabalhadas.instalações de suas diversas contratantes, a Importante: caso o estabelecimento nãoavaliação anual será uma para todos os PROBLEMA TÍPICO - Roteiro demonstrati- registre mensalmente os dados em quadrospostos de trabalho, devendo para tanto, na vo dos cálculos e do preenchimento dos estatísticos da CIPA, obter o total anual dascoluna referente aos setores, ser colocado quadros III, IV, V e VI da NR-4 com um Horas-Homem Trabalhadas, do seguintecada posto de trabalho de cada contratante. problema típico. Em uma empresa com dois modo: Compete aos profissionais integrantes setores, escritório e oficina, calcular e pre- HHT=165 x 7,333 (*) x 300 (**) x 11/dos Serviços Especializados em Engenharia encher os anexos. O estabelecimento tem 12(***) = 332.734,87.de Segurança e Medicina do Trabalho jornada de 7,333 horas por dia de trabalho (*) 7,333= 44 horas semanais(SESMT), registrar mensalmente em qua- registrada durante o ano (utilizar acidentes 6 dias da semana somente ocorridos no estabelecimento, ex- (**) 300 dias úteis trabalhados.Jair Lauriberto Roveri cluindo-se os acidentes de trajeto). OBS: de ano para ano oscila de 300 a 309Engenheiro de Segurança e Higiene do Escritório dias úteis trabalhados. Caso desejar maisTrabalho e Industrial Mecânico Total anual de 5 acidentes. precisão é necessário calcular os dias úteis Quadro III Acidentes com Vítima Data do Mapa: _____/_____/_____ Responsável: Ass.: Setores Nº Nº absoluto c/ Nº absoluto c/ Nº absoluto Índice relativo/ Dias/ Taxa de Óbitos Índice de absoluto afastamento afastamento sem total de homem freqüência(3) avaliação de >= 15 dias > 15 dias afastamento empregados(1) perdidos gravidade(4) Escritório 5 1 1 3 33,33 30 66,11 0 15 Oficina 11 1 3 7 7,33 132 13,22 0 33 TOTAL DO ESTA- BELECIMENTOI (165) 16 2 4 10 9,69 162 18,03 0 2748 REVISTA PROTEÇÃO l JANEIRO DE 1999
  • 2. do ano. OBS: Acidente sem afastamento é a perda parcial ou total permanente para o trabalho (***) 11/12 representa um mês de gozo de parcial da jornada de trabalho. (ver quadro da IAIABC- International As-férias de cada empregado. sociation of Industrial Accident Board and ÍNDICE RELATIVO/TOTAL DE EMPREGADOS Comission e consta na NR-5, CIPA, da Preenchimento do quadro III - Divisão do número absoluto de acidentes Portaria nº 3.214/78, Quadro 1-A e NB-18 pelo número da média aritmética do ano de da ABNT. Setores - Relacionar todos os setores do empregados e multiplicado por 100.registro mensal do quadro estatístico da Fórmula: TAXA DE FREQÜÊNCIA - Número de aci-CIPA, e entre parênteses colocar o número Número absoluto dentes com afastamento vezes um milhão eda média aritmética do ano dos empregados de acidentes dividido pelo total das Horas-Homem Tra-de cada setor e o total de estabelecimento. IR/TE = X 100 balhadas do ano. Estabelecido pela Interna-Exemplo: escritório (15), oficina (150) e Número de tional Association of Industrial Accidenttotal do estabelecimento (165). empregados Board and Comission (IAIABC), e consta OBS: A soma dos setores deve ser igual Exemplo: na Portaria nº 3.214, de 08/06/78.ao total do estabelecimento. Escritório 5/15 x 100 = 33,33, oficina 11/ Fórmula: Nota: Os números entre parênteses de l50 x 100 = 7,33 e total do estabelecimento Nº de acidenlescada setor e do total do estabelecimnento, 16/165 x 100 = 9,69. com afastamentoserá utilizado nos cálculos da 6ª coluna TF = x 106 (*)deste anexo. DIAS/HOMEM PERDIDOS - É o total anual HHT das horas efetivamente não trabalhadas pelos Onde NÚMERO ABSOLUTO - Números dos aci- empregados acidentados e dividido pela jor- HHT= Horas-Homem Trabalhadasdentes com e sem afastamento (excluídos os nada normal diária de trabalho da empresa. 106 = constante da fórmulade trajeto). Exemplo: escritório 5, oficina 11 Fórmula: 106 = 1.000.000e total do estabelecimento 16. Total anual das horas não trabalha- Exemplo: das dos empregados acidentados Escritório NÚMERO ABSOLUTO COM AFASTAMENTO D/HP= TF = 2/30.248,62 x 106= 66,11.< 15 DIAS - Número dos acidentes menor ou Número de horas da jornada diária Oficina TF = 4/302.486,25 x 106 = 13,22.igual a 15 dias de afastamento. Exemplo: de trabalho na empresa Total do estabelecimento TF = 6/escritório 1, oficina 1 e tutal do estabeleci- Exemplo: 332.734,87 x 106 = 18,03.mento 2. Escritório (13+17) x 7,333 (*)/7,333 (*) = 30, oficina (10+18+44+60) x 7,333 (*)/ ÓBITOS - Número de mortes decorrentes NÚMERO ABSOLUTO COM AFASTAMENTO > 7,333(*)=132 e total do estabelecimento de acidentes.15 DIAS - Número de acidentes maior do (13+17+10+18+44+60) x 7,333 (*)/7,333 Exemplo: Escritório 0, oficina 0 e total doque 15 dias de afastamento. Exemplo: escritó- (*) =162. estabelecimento 0.rio 1, oficina 3 e total do estabelecimento 4. 44 horas semanais OBS: Acidente com afastamento é no (*) 7,333 = ÍNDICE DE AVALIAÇÃO DA GRAVIDADE -mínimo a ausência por uma jornada de tra- 6 dias da semana Divisão do valor já calculado da coluna debalho. OBS: Dias perdidos é o número de dias Dias/Homens Perdidos (2) e dividido pelo que o empregado acidentado fica afastado número de acidentes com afastamento. NÚMERO ABSOLUTO SEM AFASTAMENTO - no mês em que ocorreu o acidente. Dias Fórmula:Número de acidentes que retornam ao servi- transportados é o número de dias que o Dias/Homens Perdidos (2)ço no mesmo dia ou no dia seguinte ao acidentado fica afastado no mês ou meses IAG=afastamento. Exemplo: escritório 3, oficina subseqüentes ao que ocorreu o acidente. Número de acidentes com7 e total do estabelecimento 10. Dias debitados é a redução da capacidade afastamento REVISTA P ROTEÇÃO l JANEIRO DE 1999 49
  • 3. LEGISLAÇÃO Exemplo: Escritório 30/2 = 15 NÚMERO DE EMPREGADOS TRANSFERIDOS Número de trabalhadores expostos - Nú- Oficina 132/4 = 33 PARA OUTRO SETOR- Número de emprega- mero de empregados do setor (média arit- Total do Estabelecimento 162/6 = 27 dos transferidos para outros setores, por mética do ano). motivo de saúde e medida preventiva. Exemplo:150. OBS: Efetuar o mesmo Preenchimento do quadro IV Exemplo: 0 procedimento no setor com mais de um caso e nos demais setores com casos de doença TIPO DE DOENÇA - Especificar o tipo de NÚMERO DE TRABALHADORES DEFINITIVA- ocupacional, relacionado à insalubridade.denominação da doença ocupacional ocor- MENTE INCAPACITADOS- Número de empre-rida no setor ou setores. Exemplo: Oficina, gados incapacitados para o trabalho e apo- Preenchimento do quadro VIPneumoconiose. sentados por invalidez causada pela doença. Exemplo: 0 SETOR - Local onde ocorreram os aciden- NÚMERO ABSOLUTO DE CASOS - Número OBS: Efetuar o mesmo procedimento no tes com e sem afastamento.de empregados acometidos pela doença setor ou setores com mais de um caso de Exemplo: escritório e oficina.ocupacional. Exemplo: 1 (setor oficina) doença ocupacional. NÚMERO DE ACIDENTES - Número de SETORES DE ATIVIDADES DOS PORTADORES Nota: Preencher no caso de doença ocu- acidentes com e sem afastamento.- Setor onde houve a ocorrência da doença pacional adquirida pelo exercício da ativi- Exemplo: escritório 5, oficina 11 e totalocupacional. dade trabalho. do estabeleciniento 16. (*) Codificar no verso o número e nomedos portadores por setor. IMPORTANTE: Caso não exista registro PERDA MATERIAL AVALIADA - Custo total Exemplo: setor oficina. de doença ocupacional colocar horizontal- do somatório anual em milhares de reais mente no quadro o texto Não houve registro (moeda que existir na época) da perda mate- NÚMERO RELATIVO DE CASOS (%) TOTAL de ocorrência de casos de doença ocupa- rial dos danos a máquinas, equipamentos,DE EMPREGADOS - Número absoluto de casos cional. instalações e dos materiais produtivos evezes 100 e dividido pelo número da média não-produtivos, inclusive dos EPIs, EPCs earitmética do ano dos empregados do setor. Preenchimento do quadro V o uso de materiais e equipamentos de comba- te a incêndio decorrentes dos acidentes com Fórmula: SETOR - Local onde existe o agente insalu- e sem afastamento do trabalho. OBS: A per- A x 100 bre. da material de cada setor deve ser atualizada NCR ( %/TE) = Exemplo: Oficina. monetariamente em 31 de dezembro e a B soma dos setores colocada no total do estabe- Onde: AGENTES IDENTIFICADOS - Agentes cau- lecimento. A = Número absoluto de casos de doenças sadores da insalubridade. Nota: Excluir as despesas com os aciden-ocupacionais. Exemplo: poeiras. tados. B = Número de empregados (média arit- Exemplo: escritório 0, ofìcina 7 e total domética do ano) de cada setor. INTENSIDADE OU CONCENTRAÇÃO - Grau estabelecimento 7. 100 = Constante da fórmula. de insalubridade, que é a quantificação da intensidade da concentração do agente iden- ACIDENTES SEM VÍTIMA/ACIDENTES COM Exemplo: setor oficina. tificado. Exemplo: Grau Médio. VÍTIMA- É a fração ordinária com o número OBS: Grau de insalubridade está classifi- de acidentes sem afastamento sobre o nú- NÚMERO DE ÓBITOS - Número de mortes cado está classificado em mínimo, médio e mero de acidentes com afastamento.ocasionada pela doença ocupacional. máximo. Consultar NR-15 Atividades e Ope- Exemplo: escritório 3/2, oficina 7/4 e Exemplo: Oficina 0 rações Insalubres, da Portaria nº 3.214/78. total do estabelecimento 10/6. Quadro IV Doenças Profissionais Data do Mapa: _____/_____/_____ Responsável: Ass.: Tipo de doença Nº absoluto Setores de Nº relativo dos Nº de Nº trabalhadores Nº trabalhadores de casos atividade dos casos (% total óbitos transferidos p/ definitivamente portadores empregados) outro setor incapacitados Pneumoconiase 1 Oficina 0,66% 0 0 0 Quadro V Insalubridade Data do Mapa: _____/_____/_____ Responsável: Ass.: SETORES AGENTES IDENTIFICADOS INTENSIDADE OU CONCENTRAÇÃO Nº DE TRABALHADORES EXPOSTOS Oficina Poeiras Grau Médio 150 Quadro VI Acidentes sem Vítima Data do Mapa: _____/_____/_____ Responsável: Ass.: SETORES Nº DE PERDA MATERIAL ACID. S/VÍTIMA OBSERVAÇÕES (*) ACIDENTES AVALIADA (R$ 1.000,00) ACID. C/VÍTIMA Escritório 5 zero 3/2 oficina 11 7 7/4 TOTAL DO ESTABELECIMENTO 16 7 10/650 REVISTA PROTEÇÃO l JANEIRO DE 1999