• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Biomas do mundo e do brasil
 

Biomas do mundo e do brasil

on

  • 32,784 views

Áreas de ocorrência e as características dos principais Biomas mundiais e do Brasil

Áreas de ocorrência e as características dos principais Biomas mundiais e do Brasil

Statistics

Views

Total Views
32,784
Views on SlideShare
32,766
Embed Views
18

Actions

Likes
2
Downloads
500
Comments
1

4 Embeds 18

http://sucupira-geo.blogspot.com 10
http://www.sucupira-geo.blogspot.com 3
https://twitter.com 3
http://www.slashdocs.com 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

11 of 1 previous next

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Congratulatins!!!!!!! Parabéns
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Biomas do mundo e do brasil Biomas do mundo e do brasil Presentation Transcript

    • BIOMAS DO MUNDO E DO BRASIL UM MOSAICO DE PAISAGEM
    • Biogeografia
      • Estuda a distribuição de espécies vegetais e animais(fitogeográfico e zoogeográfico);
      • Classificação:
      • Quanto ao grau de Umidade:
      • Higrófitas - adaptam-se aos ambientes úmidos;
      • Hidrófitas - Quando vivem dentro d’água;
      • Mesófilas - adaptam-se aos ambientes com regularidade de chuvas;
      • Tropófitas - adaptam-se aos ambientes alternadamente úmidos e secos;
    • Halófita - adaptam-se aos ambientes salgados. Xerófitas - adaptam-se aos climas áridos e semi-áridos; Quanto às Folhas: Caducifólias- quando todas as folhas caem numa estação; Perenifólias - sempre verde, nunca perde todas as suas folhas. Quanto à Forma:   Latifoliadas - folhas largas e verdes; Aciculifoliadas - folhas em forma de ponta. Quanto à Formação: Arbórea- árvores de grande porte; Arbustiva- árvores de pequeno e médio porte; Herbácea- vegetação de campos, gramíneas. Quanto à variedades das espécies: Homogênea- predomínio de poucas espécies; Heterogênea- várias espécies numa mesma região.
    • Principais Biomas Os biomas diferem quanto à fisionomia, estrutura, e fatores ambientais relacionados ao clima, como temperatura, quantidade e distribuição das chuvas, solo e altitude.
    • Tundra (Tunturia)
      • Situada entre 55º e 70º de latitude norte;
      • Veg. dominada por (musgos e líquenes);
      • O solo coberto de neve na maior parte do ano.
      • O seu limite norte é calota polar e ao sul são as florestas de conífera;
      • Regiões: norte do Canadá, Lapônia, Islândia e litoral da groelândia.
    •  
    •  
    • Floresta temperada decídua ou caducifólia
      • Abrange o oeste e centro da Europa, leste da Ásia (Coréia, Japão, e partes da China) e o leste dos EUA;
      • Suas árvores perdem as folhas (outono/inverno). O inverno é bastante rigoroso e a água congela no solo;
      • Veg. arbórea e variadas
      • O solo destas florestas é muito rico em nutrientes
    •  
    •  
    • Bioma Desértico
      • Climas quentes e secos;
      • grandes variações de temperatura;
      • Arbustos caducifólios, cactos e suculentas;
      • Os processos de erosão eólica são intensos;
      • As terras baixas podem ser planícies cobertas com sal.
    •  
    •  
    • Taiga (Floresta boreal)
      • Floresta de conífera;
      • Situa-se entre os 50 e 60 graus de latitude Norte na América do Norte, Europa e Ásia;
      • O clima é sub-ártico com duas estações: Inverno e Verão;
      • O solo é fino, pobre em nutrientes e cobre-se de folhas caídas tornando-se ácido
    •  
    •  
    • REGIÃO DE CERRADO
    • CERRADO
      • É a segunda maior formação vegetal brasileira;
      • Abrange dez estados do Brasil do centro-oeste,
      • do norte, nordeste e sudeste;
      • Restam apenas 20% desta cobertura vegetal, ti-
      • pica do clima tropical;
      • O solo deficiente em nutrientes e rico em ferro e alumínio, abriga plantas de aparência seca.
      • Apresenta uma heterogeneidade de espécies de vegetais e um elevado grau de endemismo.
      • O cerrado é o sistema ambiental brasileiro que mais sofreu alteração com a ocupação humana;
      • De um modo geral, podemos distinguir dois estratos na vegetação dos Cerrados: o estrato lenhoso, constituído por árvores e arbustos, e o estrato herbáceo, formado por ervas e sub-
      • arbustos.
      • O relevo do Cerrado é em geral bastante plano ou suavemente ondulado, estendendo-se por imensos planaltos ou chapadões
    • CERRADO
    • CAATINGA
      • Ocupa quase 10% do território nacional, com 736.833 km², a Caatinga abrange os estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Sergipe, Alagoas, Bahia, Piauí e norte de Minas Gerais;
      • Caatinga surpreende com suas "ilhas de umidade" e solos férteis. São os brejos,
      • A caatinga é um revestimento vegetal fisionomicamente complexo, mas de reconhecida unidade ambiental, cujo traço comum é a semi-aridez.
    • MANDACARU
      • A irregularidade climática é um dos fatores que mais interferem na vida do sertanejo.
      • o solo pedregoso não consegue armazenar a água que cai e a temperatura elevada (médias entre 25 e 29°C) provoca intensa evaporação;
      • Cerca de 20 milhões de brasileiros vivem na região coberta pela Caatinga, em quase 800 mil km2 de área.
    • CAATINGA
    • FLORESTA AMAZÔNICA
      • Quente e úmido de alta pluviosidade;
      • Vegetação densa, heterogênea e latifoliada;
      • Grande biodiversidade Porém, apesar dessa riqueza, o ecossistema local é frágil.
      • O solo amazônico é bastante pobre ;
      • A hiléia amazônica (Alexander von Humboldt) possui espécies arbóreas contínua de copas, situadas a 50 metros do solo;
      • É megatérmica e autofágica ; A floresta vive do seu próprio material orgânico, em meio a um ambiente úmido, com chuvas abundantes (higrofila);
      • Contribuiu com 15% a 20% dos PIB dos estados do Pará, Mato Grosso e Rondônia.
    •  
    •  
    •  
    • MATA ATLÂNTICA
    •  
      • Originalmente percorria o litoral brasileiro, do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul, e ocupava uma área de 1,3 milhão K 2 ;
      • Ação antrópica: Agricultura (café, cana - de açúcar) e urbanização;
      • Atualmente, da segunda maior floresta brasileira, restam apenas cerca de 5% de sua extensão original;
      • Apesar de reduzida a poucos fragmentos, na sua maioria descontínuos, a biodiversidade de seu ecossistema é uma dos maiores do planeta.
      • Hoje a maioria da área litorânea que era coberta pela Mata Atlântica é ocupada por grandes cidades, pastos e agricultura. restam manchas da floresta na Serra do Mar e na Serra da Mantiqueira, no sudeste do Brasil.
      • Esse tipo de formação florestal recebe várias denominações: floresta latifoliada tropical úmida de encosta, mata pluvial tropical e mata atlântica;
      • Clima quente, formação arbórea condicionada ao relevo serrano e à umidade oceânica.
      • Apresenta um solo pobre, mas mantém uma floresta riquíssima em espécies, graças à rápida reciclagem da enorme quantidade de matéria orgânica que se acumula ao húmus.
    • MATA DE ARAUCÁRIAS
      • Encontra-se ao longo do Planalto meridional, nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina;
      • De modo geral pode-se dizer que seu apareci- mento se acha ligado ao clima (subtropical ), que é condicionado pelo relevo e pela latitude;
      • Constitui uma formação aberta, homogênea, que permite facilmente a extração de madeiras (chamadas mole), as Araucárias, constituem a nossa única floresta subtropical do Brasil.
    • PINHEIRO DO PARANÁ
      • A destruição dessas matas, sem deixar reservas em seu lugar, vem aumentando gradativamente a variação das precipitações na região Sul;
      • A exploração madeireira pelas indústrias de moveis e de papel celulose. são a responsável direta pela ameaça das espécies da Araucária e a Imbuia;
      • Araucaria angustifolia adapta-se facilmente às baixas temperaturas, ao relevo, ao solo basalto, do Planalto Arenito-basáltico ou meridional;
    • PANTANAL MATOGROSSENSE
      • Sua área é de 138.183 km² (64,64% em Mato Grosso do Sul e 35,36% ) em Mato Grosso Considerada uma planícies de sedimentação;
      • Data do período quartanário de era cenozóica;
      • O clima é quente e úmido, no verão, e frio e seco, no inverno. A maior parte dos solos do Pantanal são arenosos;
      • A vegetação do Pantanal não é homogênea e há um padrão diferente de flora de acordo com o solo e a altitude do relevo.
    •  
      • A pecuária é a principal atividade econômica do Pantanal;
      • Outra atividade é o ecoturismo, modalidade de turismo sustentável.
      • Entre os problemas ambientais do Pantanal são provocado pela pecuária ,o desmatamento para produção de carvão vegetal e mineração;
      • É uma vegetação de transição;
      • equilíbrio desse ecossistema depende do fluxo de entrada e saída de enchentes da bacia do rio
      • Paraguai ligado à pluviosidade regional.
    • MATA DOS COCAIS
      • Uma vegetação de transição entre a Floresta Amazônica úmida ao oeste, a caatinga seca à leste e o Cerrado semi-úmido ao sul.
      • As vegetações típicas da Mata dos Cocais são: babaçu (em maior quantidade), carnaúba, oiti-
      • cica, tucum e buriti;
      • São florestas secundárias, isto é, cresceram após o desmatamento das plantas originais;
      • A extrativismo é a principal atividade econô- na Mata dos Cocais.
    •  
    • VEGETAÇÃO LITORÂNEA
      • As planícies litorâneas são áreas formadas por sedimentos marinhos durante o quaternário;
      • O solo do manguezal caracteriza-se por ser úmido, salgado, lodoso, pobre em oxigênio e muito rico em nutrientes.
      • Tipos de mangue:
      • MangueVermelho, em solos lodosos, com raízes aéreas;
      • Mangue Branco, em terrenos mais altos, de solo mais firme, associado a formações arenosas.
      • A vegetação de restinga ocorre quase que exclusivamente nas planícies costeiras;
      • trata-se de uma vegetação edáfica;
      • A vegetação impede que a areia invada o manguezal;
      • Suporta altas temperaturas e salinidade;
      • As bromélias equilibra o sistema, por sua capacidade de reter água e nutrientes;
      • Próximo ao mar, sobre areia seca e encontramos vegetação rasteira (em dunas) e alguns arbusto arbustos.
    •  
    • Vegetação do Maranhão
      • Apresenta diversidade de tipos fitofisionômicos;
      • FATORES QUE CONTRIBUEM:
      • Reflete as características dos tipos de clima, das variações de temperatura, umidade e das condições pedológicas;
      • Do relevo plano e predominantemente baixo;
      • A diversidade das paisagens é atribuída, também, ao caráter transacional de seu território;
      • PRINCIPAIS TIPOS:
      • Floresta Equatorial;
      • Cerrado;
      • Matas de cocais (Babaçual);
      • Veg. Litorânea ( Mangue);
      • Veg. Litorânea (Dunas e res- tingas);
      • Vegetação de Campos;
      • Contato de Cerrado / Caatin-
      • tinga;
    • Floresta Amazônica
      • Amazônia Maranhense, localiza-se nas porções noroeste e oeste do território (34% do estado);
      • É uma Vegetação Ombrófila ( Densa e Aberta ), heterogênea, latifoliada, Higrófila e megatérmica;
      • Na porção noroeste, está adaptada a altas temperaturas e ao alto índice de precipitação ao longo de ano, é Ombrófila Densa;
      • Na porção oeste, numa faixa de transição entre a floresta amazônica e as regiões extra- amazônicas é Ombrófila Aberta;
      • É uma vegetação que se a- limenta de sol, de água e de si mesma, num solo po-bre;
      • Sofre com as queimadas e desmatamentos devido a-
      • vanços das atividades: A- gropecuária, Mineração e
      • Madeireira na região da a-
      • mazônia legal;
      • O Maranhão é o 5º entre os estados da Amazônia legal que mais desmata.
    • Vegetação Cerrado
      • Cobre as porções centro-meridional, com manchas no leste e nordeste do território;
      • É típico de áreas com clima estacional (mais ou menos seis meses secos no ano) clima tropical;
      • É arbustiva, com troncos e galhos retorcidos, associados a uma vegetação herbácea;
      • Está adaptada ao Latossolos amarelo, que apresenta restrições química;
      • No sudeste maranhense os arbustos são de portes menores e mais distantes (Campos dos Cerradinhos).
      • No sul do Maranhão, do Piauí e do oeste baiano, onde domina um clima com período seco e um
      • chuvoso em uma topo- grafia plana, a agricul- tura mecanizada avan- ça, ao mesmo tempo em que os solos respon- dem à moderna tecno- logia empregada, tor- nando-se uma fronteira agrícola (pólo de grãos)
    • Matas de cocais
      • É paisagem característica do Maranhão;
      • Apresenta-se associado com os campos, ao norte, a leste com o cerrado e a oeste com a floresta amazônica;
      • Seu foco principal é na zona central dos vales dos rios Mearim, Grajaú, Itapecuru, Munim e
      • Pindaré;
      • Há um predomínio da palmácea de Babaçu no Maranhão e da Carnaúba no Piauí.
    • Matas de cocais
      • É de muita importância para diversos grupos econômicos extrativistas na transição entre Amazônia, o cerrado e a caatinga;
      • A expansão agricultura, da pecuária fez crescer o pro- cesso de desmatamento dos baçuais;
      • Foi aprovada , 1997, no mu nicípio de Lago do Junco, na região central do Maranhão, a Lei do Babaçu Livre;
    • Vegetação Litorânea: Mangue
      • Os mangues são ecossistemas presentes em todo o litoral brasileiro;
      • O Maranhão é o estado com maior concentração de mangue no país e uma das maiores do mundo;
      • São importantes para a cadeia alimentar da vida oceânica e fundamental para as populações que vivem da pesca;
      • A poluição de rios e mares em conjunto com a especulação imobiliária nas regiões litorâneas tem afetado as áreas de mangues
    • Mangue maranhense
      • Características principais:
      • Localiza-se no litoral desde a foz do Gurupi até a foz do Periá;
      • É uma vegetação arbustiva;
      • Localizam-se no encontro de rios e mares;
      • Raízes externas (aéreas);
      • Solo detrítico e pobre em oxigênio;
      • É halófita;
      • A biodiversidade faz destas áreas “ berçários” naturais.
    • Veg. Litorânea: Restinga e Dunas
      • Localiza-se no litoral ori-
      • dental maranhense;
      • A vegetação de praias e du- nas sofre o efeito contínuo dos ventos marinhos, pelo sol e as águas da maré alta.
      • São fisionomicamente dis- tintas, sob influência mari- nha e fluvio-marinha;
      • São edáficas (condicionada pelas condições do solo do que pelo clima);
    • Vegetação de Campos
      • Localiza-se próxima ao Golfão Maranhense;
      • É uma vegetação herbácia alagável pelos rios e lagos da Baixada maranhense;
      • Estende-se por 20 mil/k2 nos baixos cursos dos rios Mearim , Pindaré e médios
      • e baixos cursos dos rios Pericumã e Aurá;
      • A Baixada Maranhense foi transformada em APA pelo governo em1991.
    • Carrasco
      • Na porção Nordeste do
      • território Maranhense;
      • Carrascos, matas de transi- ção entre o cerrado e a caa- tinga;
      • É uma vegetação xerófila arbustiva densa alta, ainda pouco conhecida, no domí- nio semi-árido do nordeste do Brasil.