Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Guia de orientação nte
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Guia de orientação nte

  • 3,374 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
3,374
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
96
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado de Educação Secretaria Adjunta de Ensino Diretoria de Educação para Diversidade, Inclusão e Cidadania Coordenação de Tecnologia Aplicada à Educação Núcleo de Tecnologia Educacional Prof. Washington L. B. Lopes GUIA DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA DO NTE PROF. WASHINGTON LUIS AOS PROFESSORES DA SALA DE INFORMÁTICA EDUCATIVA Belém - Pará 2010
  • 2. Ana Júlia Carepa Governadora do Estado do Pará Socorro Coelho Secretária de Educação Ney Cristina de Oliveira Secretária Adjunta de Ensino Wilson Barroso Diretoria de Educação para Diversidade, Inclusão e Cidadania Francinei Monteiro Coordenador Estadual do PROINFO Marcelo Carvalho Coordenador do Núcleo de Tecnologia Educacional Alberto Gomes Anilza Brasil Dilson Aires Franz Pereira Jamille Galvão Joaquim Jares Juscelino Hernandez Maria do Carmo Acácio Rosistela Oliveira Professores Formadores/Multiplicadores Anilza Brasil Jamille Galvão Marcelo Carvalho Maria do Carmo Acácio de Souza Responsável pela produção deste material
  • 3. NUCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL – NTE – BELÉM -PA 1- QUEM SOMOS Aqui em Belém, o uso de computadores na Educação começou com o antigo Proninfe, há 21 anos (em 1988), quando se criou o Departamento de Informática Educativa-DIED e a E.E. Centro de Informática da Educação-CIED. O Proninfe virou o Programa Nacional de Informática Educativa-Proinfo (MEC/SEED), que em 1997 realizou, em caráter nacional, sua 1ª especialização em Informática Educativa. No ano seguinte esses especialistas fundaram, por todo Brasil, os Núcleos de Tecnologia Educacional-NTE1. Assim, aqui em Belém, foi fundado o NTE da SEDUC.. Este NTE localizado atualmente a Almirante Barroso, entre a Escola Albanízia e o Tribunal de Justiça do Estado do Pará conta com nove (09) formadores/multiplicadores e um coordenador. Somos uma equipe preocupada em proporcionar apoio pedagógico aos professores de sala de aula e de sala de informática, para saberem usar as novas tecnologias da informação e comunicação de forma autônoma e independente, possibilitando a incorporação das novas tecnologias à experiência profissional de cada um, visando a transformação de sua prática pedagógica Dessa forma, nos cursos promovidos por este NTE, pretende-se levar os educadores participantes da formação à discussão sobre o uso e implementação da tecnologia na sala de aula em diferentes graus, desde o uso de ferramentas tecnológicas como o computador, a internet e, mais amplamente, as tecnologias da informação e da comunicação, até – principalmente – o uso de metodologias educacionais, entendidas como tecnologias da educação. Acreditamos que essas tecnologias podem levar à aprendizagem e, por conseguinte, à melhoria dos resultados escolares. Por isso, oferecemos uma estrutura de apoio permanente através de um sistema de formação continuada de professores no uso das novas tecnologias da informação, visando o máximo de qualidade e eficiência. 2. NOSSOS OBJETIVOS E COMPETÊNCIAS: • Sensibilização e motivação das escolas para incorporação da tecnologia de informação e comunicação; • Apoio ao processo de planejamento educacional apoiado pelas TIC nas escolas contempladas pelo PROGRAMA NACIONAL DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO — PROINFO.. • Capacitação dos professores e das equipes administrativas das escolas. • Assessoria pedagógica para o uso da tecnologia no processo de ensino-aprendizagem, acompanhamento e avaliação local de informatização das escolas. 3. NOSSAS FUNÇÕES: 3.1 Pedagógicas • Planejar e Coordenar Cursos Presenciais e a Distância, promovendo a formação pedagógica permanente para os professores, agentes administrativos e funcionários das escolas na área das TIC; • Formar e orientar Grupos de Estudos, oportunizando espaço de pesquisa; • Coordenar a implementação de programas, projetos e cursos; • Organizar Oficinas Temáticas; • Promover interfaces e parcerias; • Assessorar e orientar o trabalho pedagógico, bem como, buscar alternativas para a solução dos problemas surgidos relacionado com as TIC. 3.2 Técnicas 1 Dados extraídos do blog http://esteblogminharua.blogspot.com/2009/02/memorial-da-informática-educativa- em.html.
  • 4. • Orientar e assessorar as escolas com relação a manutenção dos equipamentos e da sala de Informática; • Assessorar os profissionais de educação quanto ao uso das máquinas e periféricos implementados na escola. 4. ASSESSORIA PEDAGÓGICA DO NTE A assessoria pedagógica é presencial e, dependendo da situação, personalizada. Realizada através de palestras, mini-cursos presenciais, cursos presenciasis e a distância, oficinas para que o professor da sala de informática seja acompanhado por uma proposta de formação continuada . Além disso, serão realizadas reuniões com os professores e a equipe técnico-pedagógica para discussão, reflexão, troca de experiências e avaliação. dos planos ou projetos de trabalho. Esta proposta de assessoramento, proporciona ao professor aperfeiçoamento contínuo, durante todo o desenvolvimento do projeto de implantação de Novas Tecnologias Educacionais na escola. Auxilia o professor na elaboração de projetos no uso das Novas Tecnologias Educacionais; acompanha a aplicação dos projetos desenvolvidos pelo corpo docente. 5. CURSOS OFERTADOS PELO NTE •Introdução a Educação Digital (40h) •Tecnologia na Educação: Ensinando e Apredendo com as TIC (100h) •Elaboração de Projetos •Construção de objetos de aprendizagem utilizando o software Jclic •Cidadania digital para a comunidade •Aluno Integrado 6-MINI-CURSOS ??????????? 7- CRITÉRIOS PARA OS PROFESSORES ATUAREM NAS SALAS DE INFORMÁTICA • Deverão ter habilitação em curso superior, especialização em Informática Educativa e/ ou cursos oferecidos pelo MEC e NTE (180h) . • Disponibilidade de tempo para estar integralmente 20h e ou 40h na escola, correspondente ao seu turno. Apresentar um Plano de Ação para uso do Laboratório de Informática. • Perfil condizente com a função que irá exercer. 8- . ATRIBUIÇÕES DOS PROFESSORES RESPONSÁVEIS PELAS SALAS DE
  • 5. INFORMATICA DAS ESCOLAS. Os coordenadores das salas de Informática, são os professores responsáveis pelos ambientes informatizados nas escolas e pela inclusão das TIC na Educação, com as seguintes funções: • Assessoramento pedagógico, integrado com a Supervisão Pedagógica, orientando e planejando juntamente com professores das turmas ou disciplinas, projetos pedagógicos a serem desenvolvidos na sala de informática. • Disponibilidade para constante formação e estudo, o que deve ser incentivado e garantido pela escola; • Orientar alunos e professores na utilização e na conservação da sala de informática; • Agendar o uso da SI, mediante planejamento prévio da proposta de trabalho junto ao professor; •Publicar em murais da escola a aquisição de novos programas, bem como, os horários de ocupação da SI, com uma síntese descritiva dos trabalhos agendados; • Promover formação dos colegas, com o objetivo de desenvolver habilidades no uso do sistema operacional; • Estimular os professores a freqüentar as formações promovidas; • Responsabilizar-se pelo acervo e conservação dos equipamentos da sala de Informática; • Organizar e manter atualizado um acervo com sites de pesquisa, organizando-os por área do conhecimento; • Estudar, pesquisar novas formas de agregar, ao uso dos computadores, outras mídias e equipamentos de que a escola pode dispor: TV, vídeo, DVD, rádio, CD, som, microfone, retroprojetor, máquina fotográfica, filmadora e outros • Construir com a comunidade escolar as normas de uso e convivência na SI, buscando parcerias com as instituições que promovam cursos de informática, para serem ministrados em horário alternativo. • Participar da construção e constante reelaboração do Projeto Político Pedagógico, principalmente no que se refere às tecnologias da informação e comunicação. •É responsabilidade do professor(a) lotado na sala de informática permitir os alunos(as) quando estes precisarem pesquisar, digitar trabalhos ou conhecerem algum software disponível no ambiente, quando não houver aula agendada pelos docentes da Escola. 9. SUGESTÕES PARA ORGANIZAR PEDAGOGICAMENTE O ESPAÇO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA 9.1. Valorizando o espaço: O laboratório de informática não precisa ter necessariamente só computador: pode ser uma midiateca, com livros, revistas, periódicos, televisão, vídeo, possibilitando que os alunos se dividam e trabalhem simultaneamente em agrupamentos diversos. Por exemplo, enquanto um grupo está no computador, outro pode consultar textos em livros, discutir a organização e finalização de um trabalho, selecionar gravuras, fotos etc. Para isso, é importante prever uma mesa a mais (no centro da sala, por exemplo), onde os alunos possam desenvolver essas atividades paralelas. 9.2. Agrupando os alunos por habilidades: Se o professor quiser aproveitar as habilidades dos alunos por meio dos computadores, pode agrupá-los em duplas, de tal forma que cada aluno possa aprender com a habilidade e a competência do outro. Esse aprendizado pode se dar sob o ponto de vista da tecnologia ou da leitura e escrita, por exemplo. Pode ocorrer que as habilidades dos alunos sejam diferenciadas, ou seja, alguns tenham mais
  • 6. facilidade na escrita, outros no tratamento das fotos, na formatação das páginas e assim por diante. Nesse caso, o professor pode reunir os alunos pelas habilidades para dar maior qualidade aos resultados. Outro agrupamento possível é o professor colocar alguns alunos com trabalhos independentes, enquanto atende em particular outro grupo que necessita, por exemplo, de recuperação na aprendizagem. Há ainda alunos que necessitam de um atendimento individual. Nesse caso, cabe ao professor organizar sua turma com atividades autônomas para atender a essa necessidade. 9.3. Organização do horário de atendimento dos alunos: Entendemos que três alunos por computador é um número excessivo quando se quer que todos utilizem a máquina, especialmente quando o tempo da aula no laboratório se restringe a uma hora/aula. Algumas escolas organizam seu horário com aulas duplas para amenizar essa limitação. Procure organizar o horário de atendimento dos alunos de acordo com a realidade de sua escola, procurando parcerias com a coordenação pedagógica e com os professores de sala de aula. 9.4. Tipos de atividade Recomendamos que a utilização do computador esteja integrada a um projeto interdisciplinar. Desse modo, os alunos vão ao laboratório de informática com um objetivo – pesquisar na Internet, enviar e-mails, produzir páginas da Web, utilizar um jogo educativo, produzir um relatório ou fazer uma apresentação em PowerPoint –, que tem significado no contexto do desenvolvimento do projeto. Além disso, o projeto interdisciplinar trata dos conhecimentos de forma globalizada, não fragmentada, o que coincide com a linguagem da Internet, que também armazena as informações dessa maneira. 9.5- Livro de Registro ou comunicação entre os profesores da sala de informática: Recomendamos que seja mantido na sala de informática um livro de registro de atendimento por turno na sala de informática, para que haja uma comunicabilidade entre os professores lotados nos 3 turnos da escola e assim, uma saiba o que está acontecendo no turno do outro, quem já abriu atendimento para suporte técnico e outras situações que ocorrem no cotidiano e que são importantes para o bom andamento das atividades da sala de informática. É fundamental que os projetos desenvolvidos em cada turno sejam sociliazados para os outros turnos, para garantir uma integração entre eles. 9.6- O projeto na sala de informática Antes de partir para elaborar um projeto é necessário que o professor leve em consideração as seguintes condições que afetam positivamente a probabilidade de sucesso do projeto: definição do problema, a clareza com que se define a solução do problema e deve representar um desafio para a equipe envolvida, pois assim é maior a probalidade de que venha a ter sucesso, considere que os alunos são fundamentais para a execução do projeto, estimule-os a participar e contextualizar a sua realidade utilizando os recursos tecnológicos disponíveis na escola.
  • 7. 9.7- Roteiro para elaboração do projeto 1- IDENTIFICAÇÃO Nome do Coordenador Nome da Escola: Local (cidade/estado) Série: Número de alunos: Professores envolvidos: -2. Problemática a ser estudada / Definição do Tema O que instiga / mobiliza a fazer o estudo? São situações que partem de um desafio, de uma situação-problema e que sempre têm como um de seus objetivos um produto final. Na maioria dos casos, os projetos envolvem mais de uma área de conhecimento sendo, portanto, interdisciplinares. 3. Justificativa Por que? É o porquê as razões, a relevância da realização do projeto. Destacam-se também neste item acontecimentos relacionados com o tema e a importância do projeto para a comunidade escolar. 4. Objetivo (s) O que vamos fazer? Para quê?A resposta a essa pergunta esclarece os objetivos do projeto que se pretende realizar. Devem ser redigidos de forma clara, pois eles vão direcionar todo o trabalho. Importantíssimo não perder de vista os objetivos do projeto para que se estabeleça com precisão a metodologia a coleta de dados etc.Os objetivos podem ser:Gerais, quando definem aonde se quer chegar no decorrer do seu trabalho; e Específicos quando expressam a decomposição do geral; o que se pretende atingir com a sua realização, também conhecido como objetivos operacionais. 5. Conteúdos Quais Conceitos? (por ex: Língua portuguesa: diferentes tipo de gêneros textuais) 6. Disciplinas envolvidas 7. Metodologia / Procedimentos / Cronograma Como o projeto será desenvolvido? (Descrição de como será desenvolvido) Representam as alternativas selecionadas para intervir nos problemas diagnosticados; descrevendo detalhadamente a forma de execução de cada ação, de forma que não fiquem dúvidas sobre a execução desse projeto.Ex:- formação de professores;atendimento a alunos;- desenvolvimento de projetos por área de conhecimento. No detalhamento das ações deve-se relacionar os elementos característicos explicitando a natureza de cada ação: objetivos, clientela, procedimentos, forma de atendimento, técnicas, recursos a serem utilizados, periodicidade, etc...O cronograma é um instrumento que permite/serve para dimensionar o tempo que será disponibilizado para a realização das diferentes ações/ atividades e deve listar quando e por quanto tempo levará cada ação descrita na metodologia.
  • 8. 8. Recursos a serem utilizados (tecnológicos ou não) Você lista todos os recursos utilizados desde a elaboração até conclusão do projeto( celular, computador, câmera digita, filmadora, data-show, televisão, cartazes, banner, CD,DVD,etc...) 9. Registro do processo Utilize os recursos multimídias para o registro de seu trabalho, faça pequenos relatórios, poste no BLOG da escola, da turma ou do projeto. 10. Avaliação e Resultados esperados Estabelecimento de um processo contínuo de avaliação, onde você torna claro tanto os criterios que utilizará para verificar se alcançou os objetivos listados, como os instrumentos que possibilitem verificar os resultados alcançados no final de X período; pontos problemáticos detectados; decisões tomadas para resolução dos problemas.Uma sugestão de pergunta para se fazer neste ítem é «quais são os resultados que espero com a execução do projeto na escola em relação aos alunos, professores, funcionários, pais e/ou responsáveis?» 11. Divulgação / Socialização do Projeto realizado Poster, Painel, Blog, Evento..... A socialização dos resultados é parte fundamental de um projeto e é de suma importância para os membros que participaram da pesquisa. É a construção da integração entre os pesquisadores e a comunidade. 12. Referências Bibliográficas Sites, vídeos, livros...filmes 10. NOSSO NTE UTILIZA O SOFTWARE BOTO-SET CABANO: Boto é uma personalização do UBUNTU destinado ás Escolas da Rede Pública de Ensino, desenvolvido inicialmente a partir de uma customização feita pelo professor Luis Carlos Barbosa Cavalcante sobre o KURUMIM, uma distribuição Linux desenvolvida pela equipe do Guia do Hardware. Em 2006, foi criado um convênio com Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação da Universidade Federal do Pará-UFPA e a SEDUC que proporcionou o desenvolvimento da versão em live CD do sistema operacional Boto-Set Linux. O Boto-Set surgiu da necessidade de se ter um Linux voltado para a informática Educativa, que reunisse um conjunto de programas de livre distribuição, e que viabilizasse a realização de projetos educacionais e ações voltadas a inclusão digital e a criação de uma cultura de compartilhamento de informação e colaboração entre os sujeitos que constroem a comunidade escolar Seu objetivo fundamental é difundir os princípios filosóficos do movimento do software livre entre alunos, professores e a comunidade escolar e estimular a implementação de Projetos de Informática Educativa e Inclusão Digital nas Escolas, a partir da utilização de programas livres para computadores. O Boto-Set é uma personalização de livre distribuição Ubuntu baseada na idéia que o maior ganho que um ser humano pode obter não pode ser mensurado em valores financeiros, mas na satisfação de ajudar seu próximo, permitindo seu crescimento, estimulando sua formação cidadã e sua inclusão digital. A partir de janeiro de 2010 o BotoSet Linux recebeu uma atualização e passou para a versão
  • 9. CABANO. Essa atualização foi necessária para atender as configurações das novas máquinas enviadas pelo MEC para algumas escolas, que não aceitam a versão antiga, baseada no Ubuntu 6. Já no mês de março, este NTE - sempre na vanguarda da tecnologia - instalou em suas máquinas a nova versão Boto Set Cabano e já ministra seus cursos nesta plataforma. Para saber mais sobre o GNU Linux, acesse: http://br-linux.org/faq-linux/ Para saber mais sobre o Boto Set acesse: http://www.ufpa.br/set/ 11 . O PROGRAMA NAVEGAPARÁ2 O Governo do Estado do Pará estabeleceu a inovação como um de seus macro-objetivos para o desenvolvimento regional, definindo em seu Plano Plurianual (2008-2011) a área de Ciência, Tecnologia e Inovação como elemento estratégico de um novo modelo de desenvolvimento. Foi neste contexto que surgiu o o programa do Governo do Estado, NavegaPará. Este programa consiste na instalação de redes sem fio banda larga ou pequenas redes de fibra óptica, que baixarão no interior do Estado o sinal da rede da Eletronorte, viabilizando ações como telemedicina, tele-educação e segurança pública, além da interligação nos municípios atendidos, de todos os órgãos governamentais, criando assim as chamadas “cidades digitais”. Na área de educação, o Governo do Estado está implementando um conjunto de ações para consolidação de uma estrutura de telecomunicações que propicie o oferecimento de serviços de conectividade de alta velocidade no âmbito do Programa NAVEGAPARÁ.. Tais ações visam à oferta de serviços aderentes à promoção da democratização e universalização da educação de qualidade e com dignidade, valendo-se dos mais recentes avanços tecnológicos para suplantar as enormes distâncias e a dificuldade de acesso características de muitas regiões do território paraense. Dentre os benefícios diretos à população e aos profissionais de educação, podemos destacar: • Inclusão digital e social; • Educação a distância; • Formação a distância dos profissionais de educação; • Modernização da gestão educacional; • Vídeo-conferência. Desde o final de 2009 SEDUC já vem implementando as condições para o recebimento dos equipamentos que proverão esse acesso em 700 (setecentas) escolas, que estão tendo suas salas de informática reformadas, adequadas e até construídas para disponibilizar o acesso a internet a professores, gestores, alunos e a população que participa do Programa Escolas de Portas Abertas. Para saber como está a implantação do Navegapará em sua escola, na cidade de Belém, acesse o link http://www.navegapara.pa.gov.br/?q=node/266 O Programa NAVEGAPARÁ está sendo viabilizado pela parceria de ações entre os órgãos estaduais: a coordenação do programa está com a Secretaria de Ciência e Tecnologia - SEDECT e execução do programa com a Empresa de Processamento de Dados do Estado do Pará -PRODEPA, que conjugam esforços para o desenvolvimento de projetos de Tecnologia de Informação e Comunicação - TIC , visando a modernização do Sistema Estadual de Educação, bem como, a inclusão social e digital dos alunos, professores e comunidade em geral. A prioridade do governo do Estado é garantir e democratizar o acesso a rede mundial de computadores à professores e alunos promovendo a inclusão digital da comunidade escolar da rede pública de ensino e de seu entorno (professores, técnicos, estudantes, pais e/ou responsáveis etc.), buscando a construção de competências e habilidades no uso das ferramentas tecnológicas da informática e comunicação, tanto na área pedagógica quanto adminstrativa. 2 Texto adaptado do site do NAVEGAPARÁ: http://www.navegapara.pa.gov.br/
  • 10. Vantagens do NavegaPará: • A conexão/ano por escola é um procedimento tecnológico que irá contribuir com a qualidade do ensino e da aprendizagem de professores e alunos da rede pública de ensino do Estado, uma vez que, democratiza e favorece o acesso a informações e conhecimento adicionais a sala de aula, e alguns momento extensivos a comunidade. •Trata-se também de um procedimento didático-pedagógico-metodológico que amplia o acesso, melhora o desempenho acadêmico-científico disseminando e assegurando a informação a maioria da população. •Para cada unidade escolar beneficiada, será aplicado um valor específico estimado, o qual será distribuído por serviços e produtos destinados a prover o acesso as escolas de rede internet. 12 . PRIMEIROS SOCORROS NA SALA DE INFORMÁTICA: Uma das grandes dificuldades dos professores lotados nas salas de informática é a manutenção dos equipamentos. Para ajudá-los a providenciar os encaminhamentos corretos em algumas situações que são da sua alçada, elaboramos o seguinte quadro, adaptado do Guia de Orientação Pedagógica da CTAE. OBS.: No caso de chamar suporte técnico da SEDUC ou da empresa Positivo, exija sempre do técnico que comparecer a sua identificação funcional e, ao final do atendimento, solicite que deixe um laudo técnico no caso de não haver solução para o sua solicitação de atendimento. Situação Setor responsável Fone para contato A Conexão da internet deixou de funcionar Suporte de Técnico (91)32015106 Problema com a rede lógica (cabo de rede) Suporte de Técnico (91)32015106 Problema com a rede elétrica Rede Física (91) 32015037 Equipamento foi retirado da escola para Suporte de Técnico (91)32015106 manutenção e está demorando a retornar Minha escola recebeu computadores do Coordenação do Proinfo (91)321-05106 Proinfo que ainda não foram instalados (CTAE) Estou com dificuldades para executar o Coordenadores dos NTEs Veja a lista página 7 Projeto na Sala de informática Meu projeto é um sucesso e gostaria de Assessoria de (91) 3201-5008 publicá-lo na página da SEDUC Comunicação Gostaria que meus alunos fossem Coordenador do oficineiros ou bolsistas do Programa Programa na Escola de Escola de Portas Abertas Portas Abertas na Escola - A quem envio o relatório das atividades Núcleo de Tecnologia Veja a lista página 7 desenvolvidas na escola Educacional Gostaria de solicitar formação de O coordenador pode Veja a lista página 7 professores e alunos da escola em que realizar a capacitação ou trabalho. solicitá-la ao NTE Em hipótese alguma abra o equipamento ou tente consertá-lo.