Loading…

Flash Player 9 (or above) is needed to view presentations.
We have detected that you do not have it on your computer. To install it, go here.

Like this presentation? Why not share!

Concordância verbal

on

  • 1,911 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,911
Views on SlideShare
1,911
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
64
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Concordância verbal Concordância verbal Presentation Transcript

    • CONCORDÂNCIA VERBAL Prof. Marquinhos
    • SUJEITO SIMPLES
      • Regras Gerais:
      • O Verbo concorda com o sujeito em número e pessoa :
      • A vida não é feita só de coisas boas.
      • 3ª. Pessoa 3ª. pessoa
      • Vocês já leram O Alienista de Machado de Assis?
      • 3ª. Pessoa 3ª. pessoa
    • Sujeito Composto:
      • Faz-se a concordância com a pessoa de MENOR número:
      • O dentista e eu só ficamos esperando você.
      • 3ª.pessoa 1ª.pessoa 1ª.pessoa (nós)
      • Tu e meus vizinhos já ficastes sem receber água?
      • 2ª.pessoa 3ª.pessoa 2ª.pessoa (vós)
      • mas:
      • Tu e meus vizinhos já ficaram sem receber água?
      • 2ª.pessoa 3ª.pessoa 3ª.pessoa (vocês)
      • Regras especiais:
      • Sujeito simples – verbo no plural
      • O verbo irá para o plural nos seguintes casos:
      • Quando o sujeito for representado por nomes próprios no plural, precedidos de artigo.
      • Os Kennedys ficaram famosos na década de 60.
      • Os Estados Unidos nunca viram uma explosão de consumo como a que aconteceu na semana passada.
      • Se os nomes próprios aparecerem sempre no plural e não estiverem precedidos de artigo, o verbo permanecerá no singular.
      • Campinas é uma cidade encantadora. Atenas exala história.
      • Se os nomes próprios exercerem a função de sujeito composto, o verbo irá naturalmente para o plural, mesmo que o sujeito não venha precedido de artigo.
      • Campinas e Caracas são cidades da América Latina
    • b) Quando o sujeito estiver representado por pronomes interrogativos ou indefinidos no plural, seguido de de nós ou de vós , deve-se empregar o verbo na terceira pessoa do plural ou concordar com nós ou vós . Quais de vós teriam a coragem de perguntar? Alguns de nós serão chamados a depor. Muitos de nós preferimos espanhol a inglês. Alguns de nós seremos chamados a depor. Mas, se o pronome interrogativo ou indefinido estiver no singular, o verbo ficará sempre no singular. Jamais nenhum de nós esquecerá aquele tosto de beleza infinita. Qual de vós apoiará essa atitude? pronome interrogativo plural pronome indefinido singular pronome interrogativo singular
    • c) Quando os núcleos do sujeito de uma oração estiverem ligados pela proposição com . “ E atravessaram a serra, o noivo com a noiva dele.” (Mário de Andrade) Emprega-se, mais raramente, o verbo no singular, caso se queira dar relevo ao sujeito e transformar a expressão iniciada por com em adjunto adverbial de companhia. A mulher, com seus filhos, corria para alcançar o ônibus. A menina, com toda sua família , está tirando fotos. adj. adv. de companhia adj. adv. de companhia
    • d) Quando o sujeito representado pela expressão um dos que . Ela foi uma das pessoas que conseguiram o prêmio. Carlos revelou-se um dos concertistas que mais se aplicaram nos ensaios. Observação: Quando se quer dar destaque para o indivíduo, dentro do grupo abrangido pela expressão um dos que , o verbo fica no singular: Ela foi uma das pessoas que conseguiram o prêmio. O gerente é um daqueles espertalhões que sempre procura explorar os empregados. Carlos revelou-se um dos concertistas que mais se aplicou nos estudos. Com a expressão um dos que o verbo deve ser sempre empregado no plural. Se tiver dúvidas, veja a reescritura: Dos que mais recebem Bravo! , ele é um. (República – anúncio da revista Bravo! - adaptado)
    • Sujeito simples – verbo no singular O verbo deverá ser empregado no singular nos seguintes casos. a) Quando o sujeito estiver representado por um substantivo coletivo. A multidão aplaudiu de pé o maestro. O pessoal chegou mais cedo para a festa. b) Quando o sujeito estiver representado por pronome de tratamento. “ Se Vossa Senhoria tem algum filho, peço-lhe amor por dele.” (Machado de Assis) Vossa Excelência agiu com moderação. Espero que Sua Reverendíssima possa receber-me agora. c) Quando o sujeito estiver representado pela expressão um ou outro . “ Respondi-lhe que um ou outro lhe ficava bem.” (Machado de Assis) Sempre tem um ou outro que chega atrasado. d) Quando o sujeito for representado pela expressão mais de um . Mais de um já me avisou do acidente ocorrido na estrada. Certamente, mais de um aluno de nossa escola passará no vestibuar.
    • No entanto, se a expressão mais de um indicar reciprocidade, o verbo irá para o plural. Mais de um automóvel se chocaram . Mais de um dos visitantes se entreolharam com espanto. Se a expressão aparecer mais de uma vez o verbo também irá para o plural. Mais de um arquiteto, mais de um engenheiro deverão comparecer à reunião na construtora. e) Quando o sujeito estiver representado por expressões partitivas: a maioria , a maior parte , o menor número , pequena quantidade etc. A maior parte das pessoas toma café rapidamente de manhã. A maioria dos trabalhadores recebe o salário no último dia útil do mês. Caso se queira destacar a idéia de conjunto, o verbo pode também ir para a terceira pessoa do plural. “ A maioria dos acidentes são devidos à imprudência dos motoristas.” (Folha de S. Paulo) Grande parte dos alunos receberam a notícia do feriado com alegria.
    • Sujeito composto – verbo no singular O verbo permanece no singular nos seguintes casos em que o sujeito é composto : a) Quando o sujeito estiver representado por uma sequência de palavras resumidas por pronomes indefinidos no singular: tudo , nada , ninguém etc. Dinheiro, fama, viagens, nada mais me importa . “ Plumas, flores, colares, xales, tudo que enfeita a vida está aqui.” (Cecília Meireles) b) Quando os núcleos do sujeito designarem seres semelhantes com palavras sinônimas ou quase sinônimas. “ Tanto trabalho, tanto agonia custa um menino.” (Rachel de Queirós) palavras semelhantes Um conselho, uma palavra amiga era suficiente para acalmá-lo. palavras semelhantes
    • Casos especiais de concordância verbal 1. Quando o sujeito for o pronome quem , o verbo irá para a terceira pessoa do singular, concordando com o pronome, ou com o antecedente. Sou eu quem fala agora. 3ª pes. sing. Sou eu quem falo agora. antecedente de quem c) Quando os núcleos forem representados por verbos no infinitivo, usados de forma genérica e indeterminada. Amar e sofrer é próprio do ser humano. Brincar e folgar era só o que ele gostava de fazer. Observação: Se as formas nominais no infinitivo vierem precedidas de artigo e estiverem determinadas, o verbo irá para o plural: O amar e o sofrer são próprios do ser humano. O brincar e o folgar eram só o que ele gostava de fazer.
    • Somos nós quem deverá tomar as providências. Somos nós quem deveremos tomar as providências. antecedente de quem Quando o sujeito for o pronome que , o verbo concordará com seu antecedente Foste vós que o elegestes ? antecedente de quem Foram os bandeirantes que tiveram a glória de alargar as fronteiras do Brasil. 2. Quando o sujeito for expresso por número percentual ou fracionário, o verbo concordará com o número. Pesquisa revela que 50% dos vestibulandos pretendem seguir Medicina Apenas 1% das ferramentas se perdeu . Quase um terço do pescado se estragou .
    • Observação: É comum, entretanto, encontrarem-se, na imprensa, exemplos de frases com o verbo concordando com a expressão que acompanha o numeral: “ Oitenta por centro do dinheiro gasto na educação em Estados do Nordeste é consumido antes de chegar às salas de aula.” (Revista Veja) 3. Quando o sujeito composto expressar gradação de idéias, o verbo poderá ir tanto para o plural quanto para o singular, indiferentemente. Um olhar, um gesto, uma palavra bastava ( bastavam ) para ela ser feliz. Uma raiva incontida, um ódio duro, um furor irreprimível dominou -o ( dominaram -no). 4. O verbo parecer , quando seguido de infinitivo, admite duas possibilidades de concordância com o sujeito no plural ou composto. a) Flexiona-se o verbo parecer : As nuvens pareciam chorar. O amanhecer e o anoitecer no campo parecem quadros que acabaram de ser pintados. b) Flexiona-se o infinitivo e o verbo parecer fica no singular: As nuvens parecia chorarem. “ O amanhecer e o anoitecer parece deixarem -me intacta.” (Cecília Meireles)