Trabalhos acadêmicos, o que são? como faze-los?

23,296 views
22,909 views

Published on

Published in: Education
1 Comment
14 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
23,296
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
14
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trabalhos acadêmicos, o que são? como faze-los?

  1. 1. TRABALHOS ACADÊMICOS
  2. 2. <ul><li>São considerados trabalhos acadêmicos as teses, dissertações e trabalhos de graduação (ABNT NBR 14724:2005). </li></ul><ul><li>Tese </li></ul><ul><li>Documento que representa o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico de tema único e bem delimitado. Deve ser elaborado com base em investigação original, constituindo-se em real contribuição para a especialidade em questão. É feito sob a coordenação de um orientador (doutor) e visa a obtenção do título de doutor ou similar. </li></ul>
  3. 3. <ul><li> Dissertação </li></ul><ul><li>Documento que representa o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico retrospectivo, de tema único e bem delimitado, com o objetivo de reunir, analisar e interpretar informações. Deve evidenciar o conhecimento de literatura existente sobre o assunto e a capacidade de sistematização do candidato. É feito sob a coordenação de um orientador (doutor), visando a obtenção do título de mestre. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Trabalho de graduação – similares (TCC – trabalho de conclusão de curso, TGI – trabalho de graduação interdisciplinar e outros) </li></ul><ul><li>Documento que representa o resultado de estudo, devendo expressar conhecimento do assunto escolhido, que deve ser obrigatoriamente emanado da disciplina, módulo, estudo independente, curso, programa e outros ministrados. Deve ser feito sob a coordenação de um orientador. </li></ul>
  5. 5. Estrutura do trabalho acadêmico Lista de referências (obrigatório) Apêndice (opcional) Anexo (opcional) Glossário (opcional) Lista de referências (obrigatório) Apêndice (opcional) Anexo (opcional) Glossário (opcional) PÓS-TEXTUAIS Introdução Método Resultados Discussão Conclusão Introdução Desenvolvimento Conclusão TEXTUAIS Capa (obrigatório) Folha de rosto (obrigatório) Errata (opcional) Folha de aprovação (obrigatório) Dedicatória (opcional) Agradecimentos (opcional) Epígrafe (opcional) Resumo na língua vernácula (obrigatório) Resumo em língua estrangeira (obrigatório) Sumário (obrigatório) Lista de figuras (opcional) Lista de tabelas (opcional) Lista de abreviaturas e siglas (opcional) Lista de símbolos (opcional) Capa (obrigatório) Folha de rosto (obrigatório) Errata (opcional) Folha de aprovação (obrigatório) Dedicatória (opcional) Agradecimentos (opcional) Epígrafe (opcional) Resumo na língua vernácula (obrigatório) Resumo em língua estrangeira (obrigatório) Lista de figuras (opcional) Lista de tabelas (opcional) Lista de abreviaturas e siglas (opcional) Lista de símbolos (opcional) Sumário (obrigatório) PRÉ-TEXTUAIS ELEMENTOS (trabalho de campo) ELEMENTOS (trabalho teórico) ESTRUTURA
  6. 6. Partes de um relato fruto de pesquisa bibliográfica (teórica) INTRODUÇÃO DESENVOLVIMENTO CONCLUSÃO Partes de um relato fruto de pesquisa de campo (descritiva ou experimental) INTRODUÇÃO MÉTODO RESULTADOS DISCUSSÃO CONCLUSÃO ELEMENTOS TEXTUAIS
  7. 7. Pesquisa Bibliográfica (teórica) INTRODUÇÃO A introdução levanta a questão a ser estudada, mostrando o que já foi escrito a respeito do tema, assinalando a relevância e o(s) objetivo (s) do trabalho. Deve versar única e exclusivamente sobre a temática intrínseca do trabalho (SEVERINO, 2002). Portanto, nesta parte do trabalho levanta-se os antecedentes da problemática que se deseja trabalhar, quais autores já trataram deste tema, mostra-se tanto as controvérsias entre os autores, quanto as questões similares e atuais sobre o assunto (BASTOS, PAIXÃO, FERNANDES, DELUIZ, 1995).
  8. 8. Pesquisa Bibliográfica (teórica) DESENVOLVIMENTO O desenvolvimento constitui o núcleo do trabalho. Asti-Vera (1983, p.168) diz que “... desenvolvimento é, em essência, a fundamentação lógica do trabalho, cuja finalidade é expor , analisar e demonstrar ”. Dependendo da natureza do trabalho poderão aparecer as subdivisões dos tópicos do trabalho (itens, seções, capítulos, etc.); estes deverão dar a idéia exata do conteúdo que intitulam.
  9. 9. Pesquisa Bibliográfica (teórica) CONCLUSÃO Segundo Bastos et al .(1995, p.13), esta parte do trabalho representa o momento final, quando é apresentado o resumo da argumentação e são relacionadas as diversas idéias desenvolvidas ao longo do trabalho, em um processo de síntese dos principais resultados, com os comentários e as contribuições trazidas pelo autor.
  10. 10. Pesquisa de campo (descritiva ou experimental) INTRODUÇÃO Deve conter a definição dos termos ; o problema da pesquisa; o referencial teórico de base e o levantamento bibliográfico sobre o tema pesquisado; a relevância científica e social; a justificativa do trabalho; a formulação das hipóteses (se houver) e os objetivos da pesquisa. A introdução não deve repetir ou parafrasear o resumo, nem dar detalhes sobre o experimento, o método ou os resultados, nem antecipar as conclusões e as recomendações.
  11. 11. Pesquisa de campo (descritiva ou experimental) <ul><li>MÉTODO </li></ul><ul><ul><li>Sujeitos : sua caracterização quanto a todos aqueles fatores que parecem relevantes serem controlados ou conhecidos na pesquisa. Ex.: sexo, idade, renda, escolaridade, profissão, etc. Como e onde serão recrutados. No caso de se utilizar uma amostra, informar o método de seleção da amostra utilizada (amostragem), e qual população (tamanho, características). </li></ul></ul><ul><ul><li>Ambiente: dados referentes ao ambiente físico e/ou social em que os dados serão coletados. Introduzir figuras se necessário. </li></ul></ul><ul><ul><li>Instrumento : informação minuciosa sobre os aparelhos, equipamentos, instrumentos, questionários, testes ou técnicas que permitirão a coleta de dados. Introduzir figuras se necessário . </li></ul></ul><ul><ul><li>Procedimento: descrição dos métodos e técnicas utilizadas para se tentar responder as perguntas da pesquisa, seus objetivos (e hipóteses). Esclarecer o delineamento (grupos, sujeito único, experimental, fatorial, funcional?), controle de variáveis (do sujeito, do experimentador, do ambiente, das instruções) e fases do procedimento. </li></ul></ul><ul><ul><li>Tratamento dos dados (previsão de análise dos dados): Esclarecer como os dados coletados são tratados com vistas a responder aos objetivos propostos. Como será o tratamento estatístico ou qualitativo dos dados. </li></ul></ul>Quem? Onde? O quê? Como?
  12. 12. Pesquisa de campo (descritiva ou experimental) RESULTADOS O relato dos resultados tem o propósito de oferecer evidências que esclareçam as perguntas (problema) ou hipóteses formuladas na introdução. Trata-se da apresentação dos dados coletados devidamente analisados (tratados segundo a previsão de análise exposta no método). Inserir quadros, gráficos ou tabelas se necessário.
  13. 13. Pesquisa de campo (descritiva ou experimental) DISCUSSÃO Discute os resultados obtidos à luz da teoria (referencial teórico ou conceitual) que é o levantamento bibliográfico arrolado na introdução. “Faz-se uma análise qualitativa a respeito do assunto explorando idéias, conceitos e resultados encontrados, de forma a salientar e explicitar os resultados de forma crítica e reflexiva” (CERSAR, CHIPPARI, MARQUES, BONFIM, 2003, p. 25).
  14. 14. Pesquisa de campo (descritiva ou experimental) CONCLUSÃO Nesta parte do trabalho o autor apresenta se as hipóteses foram aceitas ou rejeitadas. Relata o alcance dos resultados, limites, o poder de generalização, as eventuais lacunas técnicas ou teóricas encontradas. No caso de estudos exploratórios apresenta-se a formulação de hipóteses. Sugestões para novas pesquisas
  15. 15. <ul><li>A seguir serão apresentados alguns problemas comuns de ortografia freqüentemente encontrados em trabalhos acadêmicos. O objetivo é alertar os alunos para que estes problemas possam ser corrigidos e evitados futuramente. </li></ul>
  16. 16. Redundâncias <ul><li>“ A tela mostrada na Figura 26 mostra (...)” ; </li></ul><ul><li>“ O campo ‘tipo’ é um campo do tipo ComboBox (...)” ; </li></ul><ul><li>“ O objetivo consiste em controlar sistemas controlados (...)” ; </li></ul><ul><li>“ (...) recomeçar tudo novamente (...)” </li></ul>
  17. 17. Palavras estrangeiras em português <ul><li>observar entendimento sem prejuízo; </li></ul><ul><li>exemplos: </li></ul><ul><ul><li>sítio, em vez site; </li></ul></ul><ul><ul><li>navegador, em vez browser; </li></ul></ul><ul><ul><li>correio eletrônico, em vez e-mail; </li></ul></ul><ul><ul><li>marcação, em vez tag; </li></ul></ul><ul><ul><li>atalho ou vínculo, em vez link; </li></ul></ul><ul><ul><li>conectado, com conexão, com acesso imediato ou em linha, em vez de on-line; </li></ul></ul><ul><ul><li>não conectado, sem conexão, sem acesso imediato ou fora de linha, em vez de off-line; </li></ul></ul><ul><ul><li>núcleo, em vez de kernel. </li></ul></ul>
  18. 18. Concordância verbal <ul><li>Exemplos: </li></ul><ul><ul><li>“Foi projetad o uma ferramenta (...)”; </li></ul></ul><ul><ul><li>“(...) será apresentad o a estrutura (...)”; </li></ul></ul><ul><ul><li>“(...) ser á descrit o algumas chamadas de sistema (...)” </li></ul></ul>
  19. 19. Separação de sujeito e verbo <ul><li>Exemplos: </li></ul><ul><ul><li>“A UCP, é usada para (...)” ; </li></ul></ul><ul><ul><li>“Sistemas de tempo real, são (...)”; </li></ul></ul><ul><ul><li>“A placa-mãe, é (...)” ; </li></ul></ul>
  20. 20. A palavra etc. <ul><li>abreviatura da expressão latina et cetera, que significa “e outras coisas”; </li></ul><ul><li>ex.: “Impressoras, monitores, plotadores, etc. são exemplos de periféricos de saída.” ; </li></ul><ul><li>o ponto faz parte da abreviatura e não pode ser omitido; </li></ul>
  21. 21. A palavra etc. <ul><li>não se deve repetir a conjunção “e” antes de etc.; </li></ul><ul><li>não há necessidade de grifar (com negrito ou itálico) etc. no texto; </li></ul><ul><li>quando etc. estiver no final de um período terminado com ponto, não é necessário repetir o ponto (ou seja, não se deve usar “etc..” ). </li></ul>
  22. 22. As palavras software e hardware <ul><li>pode-se substituí-las (ex.: programa, máquina); </li></ul><ul><li>não devem ser usadas no plural (ex.: &quot;Os software adquiridos não são caros.&quot;); </li></ul>
  23. 23. O uso de o(s) mesmo(s) , a(s) mesma(s) <ul><li>Não se deve empregar o mesmo e suas variantes ( os mesmos , a mesma e as mesmas ) como substituto de um pronome; </li></ul><ul><li>ex.: em vez de “Uma outra vantagem para o eleitor seria (...), já que o mesmo só se deslocaria (...)” , deve-se usar “Uma outra vantagem para o eleitor seria (...), já que ele só se deslocaria (...)” ; </li></ul><ul><li>em vez de “Algoritmos criptográficos são (...). Deve-se tomar outras medidas de segurança para garantir o melhor funcionamento dos mesmos .”, deve-se usar “Algoritmos criptográficos são (...). Deve-se tomar outras medidas de segurança para garantir o seu melhor funcionamento.” ; </li></ul>
  24. 24. Pontuação <ul><li>não usar espaço antes da vírgula e deixar um espaço após a vírgula. Ex.: &quot;...papel, caneta..&quot; e não &quot;...papel , caneta...&quot; ou &quot;...papel ,caneta...&quot;; </li></ul><ul><li>não usar espaço antes do dois-pontos e deixar um espaço após o dois-pontos. Ex.: &quot;...papel: caneta.&quot; </li></ul><ul><li>não usar espaço antes do pontos-e-vírgula e deixar um espaço após o ponto-evírgula; </li></ul><ul><li>não usar espaço antes do ponto e deixar um espaço após o ponto. Ex.: &quot;...papel. Caneta...&quot;; </li></ul>
  25. 25. Pontuação <ul><li>em trechos colocados entre parênteses, não usar espaços nem depois do parêntese inicial nem antes do parêntese final. Ex.: “ texto (texto)&quot;; </li></ul><ul><li>em trechos colocados entre aspas, não usar espaços nem depois da aspa inicial nem antes da aspa final; </li></ul><ul><li>evitar o uso de dois espaços consecutivos entre duas palavras ao longo do texto: isto pode prejudicar o alinhamento e a justificação dos parágrafos. </li></ul>
  26. 26. <ul><li>Acerca de / A cerca de / Cerca de / Há cerca de ... </li></ul><ul><ul><li>Acerca de : sobre, a respeito de </li></ul></ul><ul><ul><li>A cerca de: aproximadamente, mais ou menos </li></ul></ul><ul><ul><li>Cerca de = a cerca de </li></ul></ul><ul><ul><li>Há cerca de: existe aproximadamente </li></ul></ul>
  27. 27. <ul><li>Ambos / Ambos os </li></ul><ul><ul><li>Ambos : quando não está acompanhado de substantivo </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ex: “Pedro e Paulo são irmãos. Ambos são escoteiros.” </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Ambos os : quando estiver seguido do substantivo a que se refere </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ex: “Ambos os livros são de excelente qualidade!” </li></ul></ul></ul>
  28. 28. <ul><li>Anexo: </li></ul><ul><ul><li>Quando refere-se a um substantivo ele é um adjetivo, devendo concordar com o substantivo. </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ex : Mandei as fotos anexas. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Se estiver antecedido de em, torna-se locução adverbial e, portanto, invariável. </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ex : Mandei as fotos em anexo. </li></ul></ul></ul>
  29. 29. O adjetivo anexo <ul><li>“ As listagens seguem anexas.” e não “As listagens seguem anexo.” ; </li></ul><ul><li>“ Anexa ao final do trabalho está a listagem que mostra (...)” e não “Anexo ao final do trabalho está a listagem que mostra (...)” ; </li></ul><ul><li>em vez de “As listagens estão em anexo.” deve- se usar simplesmente “As listagens estão anexas.” . </li></ul>
  30. 30. <ul><li>Por que / Por quê / Porquê / Porque </li></ul><ul><ul><li>Por que: qual/quais ou por que motivo </li></ul></ul><ul><ul><li>Por quê: fim da frase </li></ul></ul><ul><ul><li>Porquê: substantivo </li></ul></ul><ul><ul><li>Porque: outras situações </li></ul></ul>
  31. 31. <ul><li>Este / esse / aquele </li></ul><ul><ul><li>Este, esta e isto indicam a proximidade de alguém ou de alguma coisa em relação à primeira pessoa, a que fala </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ex : “ Esta taça fica aqui&quot; </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Esse, essa e isso são usados para indicar a proximidade de alguma coisa da segunda pessoa, a com quem se fala </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ex : &quot; Esse carro é importado?” </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Aquele, aquela e aquilo expressam distanciamento, no espaço e no tempo, de alguma coisa em relação à primeira e à segunda pessoas conjuntamente, portanto, indicam proximidade da terceira pessoa, de quem se fala. </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ex: &quot; Aquela menina é minha prima&quot; </li></ul></ul></ul>
  32. 32. <ul><li>Seção / Secção / Sessão / Cessão </li></ul><ul><ul><li>Secção ou seção : divisão, repartição. </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ex1 : as seções do documento </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ex2 : o órgão foi seccionado </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Sessão: reunião de pessoas. </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ex: sessão de cinema </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Cessão : ceder </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ex : foi realizada a cessão das terras </li></ul></ul></ul>

×