Idade média igreja e cultura

15,985 views

Published on

A Igreja na Idade Média/ Heresias/ Tribunais de Inquisição/ Cultura Medieval

0 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
15,985
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
294
Actions
Shares
0
Downloads
641
Comments
0
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Idade média igreja e cultura

  1. 1. IDADE MÉDIA OCIDENTAL Profª. – Fatima Ap. de Freitas A IGREJA MEDIEVAL
  2. 2. SUMÁRIO • Igreja Medieval • Cultura da Idade Média
  3. 3. A IGREJA MEDIEVAL • Na Idade Média, a Igreja Católica dominava o cenário religioso. • Detentora do poder espiritual, a Igreja influenciava o modo de pensar, a psicologia e as formas de comportamento na Idade Média. • A igreja também tinha grande poder econômico, pois possuía terras em grande quantidade e até mesmo servos trabalhando. • Os monges viviam em mosteiros e eram responsáveis pela proteção espiritual da sociedade. • Passavam grande parte do tempo rezando e copiando livros e a bíblia, eram os monges copistas.
  4. 4. A ORGANIZAÇÃO DO CLERO CLERO REGULAR • Era formado pelos sacerdotes (monges ou freiras) que viviam isolados nos mosteiros ou conventos, obedecendo a uma regra de vida estabelecida por sua ordem religiosa. • Entre as mais importantes podemos citar a dos Beneditinos, dos Franciscanos, Dominicanos e Carmelitas. • Dedicavam seu tempo à vida religiosa e à realização de atividades agrícolas, pastoris, artesanais e trabalhos intelectuais. CLERO SECULAR • Era formado por sacerdotes que viviam fora dos mosteiros. • Para controlá-lo, foi criada uma hierarquia de cargos e funções que ia do pároco ao papa e que até hoje é a mesma. Vejamos:  Papa: cargo mais alto da hierarquia, considerado o bispo de Roma, sucessor de São Pedro.  Arcebispo: responsável pela província eclesiásticas (agrupamento de dioceses).  Bispo: responsável pela diocese (várias paróquias).  Pároco: padre responsável pela paróquia.
  5. 5. DIVISÃO DO CLERO CLERO SECULAR AÇÃO EM SOCIEDADE CLERO REGULAR COMUNIDADE ISOLADAS - MOSTEIROS
  6. 6. QUESTÃO DAS INVESTIDURAS • Problema entre o papa e os imperadores sobre a questão da nomeação de sacerdotes para cargos eclesiásticos, que remonta de meados do séc. X quando o imperador Oto I, do Sacro Império Romano Germânico, passou a intervir nos assuntos religiosos. • Ele fundou bispados e abadias, nomeou seus titulares em troca da proteção que concedia à Igreja controlava as ações do papa. • As investiduras do imperador visavam a interesses pessoais e do reino dando margem à corrupção entre os membros do clero, pois os bispos e padres colocavam seu compromisso com o rei acima da fidelidade ao papa. • Em 1073, o papa Gregório VII, instituiu o celibato e a proibição da investidura de sacerdotes a cargos eclesiásticos pelo imperador.
  7. 7. • Em reação, o imperador do Sacro Império aliou-se a 26 bispos alemães proibidos pelo papa de exercer funções religiosas, rompeu com o papa e o imperador foi excomungado, desenvolvendo um conflito aberto. • A questão só foi resolvida em 1122 com a Concordata de Worms, onde o papa faria a investidura espiritual dos bispos e ao imperador cabia o poder temporal (juramento de fidelidade ao bispo ao imperador)
  8. 8. HERESIAS E INQUISIÇÃO • Doutrinas contrárias às ensinadas pela Igreja Católica. Principais heresias: Albigenses: acreditavam num deus do bem e do mal, Cristo era visto como libertador das almas humanas. Patarinos e Valdenses: questionava a validade dos sacramentos ministrados por sacerdotes pecadores. Bogomilismo: acreditavam que a Igreja romana estava corrompida pela riqueza e o verdadeiro cristianismo existia apenas na pobreza e na vida simples; combatiam o culto à virgem Maria, aos santos e às imagens que havia nas igrejas. Tribunal da Inquisição Tribunal eclesiástico criado em 1231 pelo papa Gregório IX, como meio de descobrir e julgar os hereges, e com penas que variavam do confisco dos bens, excomunhão e morte na fogueira.
  9. 9. Educação • A educação era para poucos, pois só os filhos dos nobres estudavam e a Igreja Católica influenciava diversos aspectos da transmissão da cultura. • No final do século XII, começaram a surgir as primeiras universidades, eram corporações, quase sempre ligadas à Igreja que reuniam mestres e estudantes para o estudo de determinadas áreas do conhecimento. • Uma universidade completa tinha faculdades nas áreas de Teologia (filosofia), artes (ciências e letras), direito e medicina. • Principais universidades: Salerno, Paris, Oxford, Cambridge, Montpellier, Salamanca, Nápoles, Roma e Coimbra.
  10. 10. ESTILOS ARQUITETÔNICOS ROMÂNICO • Floresceu entre os séculos XI e XIII. • Traços simples, grossos pilares, tetos e arcos em abóboda, janelas estreitas e muros reforçados. • Principais obras: Igreja de São Miguel (Lucca), e a catedral de Notre Dame (Poitiers- França)
  11. 11. ESTILO GÓTICO • Desenvolveu-se entre os séculos XII e XVI. • Predominou na França, Inglaterra e Alemanha. • Distingue-se do românico por sua leveza, elegância e traços verticais. • Janelas ornamentadas com vitrais coloridos, permitindo boa iluminação interior, paredes finas e altas com angulosas abóbodas apoiadas em longos pilares. • Destaque: Catedrais de Chatres, Reims e Paris.
  12. 12. PINTURA • Foi dominado por temas religiosos, concentrando-se na representação humanizada de santos e divindades. • A pintura dos murais, vitrais e miniaturas adquiriu grande importância. • Pintores do período: Giotto e Cimabue MÚSICA  Na música sacra, destacou-se o papa Gregário Magno (540- 640), que introduziu o canto gregoriano, caracterizado por uma melodia simples e suave cantada em uníssono por várias vozes.  Outro nome de destaque foi o do monge beneditino Guido d Arezzo (990-1050), que batizou as sete notas musicais, aproveitando, para isso, as sílabas iniciais dos versos de um hino a São João Batista.
  13. 13. MÚSICA POPULAR • Na música popular, destacaram-se as canções dos trovadores e menestréis, inspiradas em temas românticos ou nos feitos heróicos dos cavaleiros. • Surgida na França por volta do século XI, a canção trovadoresca espalhou-se pelos reinos europeus (atuais Inglaterra, Alemanha, Portugal, Espanha e Itália, entre outros). • Trovador - nome que se dava aos compositores e poetas românticos que criavam obras de caráter popular. • Menestrel-cantor ambulante que acompanhava o trovado LITERATURA • A poesia medieval procurou enaltecer os valores e as virtudes do cavaleiro: justiça, amor, prudência e cortesia. • Na poesia épica, exaltava-se a ação corajosa dos cavaleiros em prol da cristandade. • Na poesia lírica, exaltava-se o amor cortês dos cavaleiros em relação às suas damas. • Entre os grandes nomes da literatura medieval destaca-se Dante Alighieri (1265-1321), autor de “A divina comédia.”
  14. 14. CIÊNCIA • Na Idade Média, a ciência e a filosofia ainda estavam muito ligadas. Diversas obras, traduzidas do árabe e do grego, influenciaram os estudos da matemática, da astronomia, da biologia e da medicina. • Houve também o aperfeiçoamento da arte da navegação, com a utilização da bússola, de mapas, do astrolábio e outros instrumentos. • Um dos grandes nomes da ciência medieval foi o do monge franciscano Roger Bacon(1214- 1294), que introduziu a observação da natureza e a experimentação como métodos básicos do conhecimento científico. • Conhecido como "Doutor Admirável", Bacon desenvolveu estudos em diversos campos do saber (geografia, filosofia, física). FILOSOFIA • Na filosofia, destacaram-se os pensadores Santo Agostinho (século IV) e Santo Tomás de Aquino (século XIII), que tinham como interesse principal harmonizar a fé cristã com a razão. • Santo Agostinho foi o representante de uma corrente filosófica chamada patrística. • Santo Tomás de Aquino reconstruiu, dentro da ótica cristã, boa parte das teorias de Aristóteles.
  15. 15. Cultura popular • O cristianismo fundamentou uma série de elementos culturais que marcaram as sociedades européias da Idade Média: os costumes, as normas éticas, a produção literária, o ideal das figuras heróicas, a criação artística (música, pintura, escultura, arquitetura etc.) • Além da cultura oficial, promovida, em grande parte, pelas autoridades da Igreja e pelos governos feudais, havia também muitas criações populares. • Enquanto a cultura oficial era austera e consagrava a divisão social dominante, a cultura popular era impregnada de humor. • A cultura popular manifestava-se por meio dos festejos carnavalescos, das encenações teatrais burlescas (cômica, satírica), dos gracejos dos "bufões" e "bobos", das paródias que recriavam trechos da Bíblia (evangelhos, salmos etc.), das orações e hinos religiosos, das lendas clássicas. • Nessas atividades, as pessoas representavam seu mundo e promoviam o riso, divertindo o público e criticando os costumes.
  16. 16. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • História Geral – Raimundo Campos • História e Vida Integrada – Nelson Piletti e Claudino Piletti. • História Global – Gilberto Cotrim. • Nova história Integrada – João Paulo Mesquita e Luiz Estevam • SUGESTÕES DE FILMES: • As Bruxas de Salem. • O Nome da Rosa.

×