Povos e Identidades

11,511 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
11,511
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
261
Actions
Shares
0
Downloads
357
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Povos e Identidades

  1. 1. POVOS E IDENTIDADES
  2. 2. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DESTE CAPÍTULO Competência 3 Compreender e analisar a organização do território mundial e as novas territorialidades do espaço geográfico, enfocando as formas visíveis e concretas do espaço atual e do tempo histórico em um contexto político econômico. <ul><li>HABILIDADE 2: Reconhecer as várias formas de organização de espaço geográfico político e econômico com base na evolução das sociedades. </li></ul>
  3. 3. POVOS E IDENTIDADES
  4. 4. AS IDENTIDADES DOS POVOS <ul><li>SOMOS ETNICAMENTE E CULTURALMENTE DIFERENTES. </li></ul><ul><li>VOLTE NAS IMAGENS ANTERIORES, E IDENTIFIQUEM O QUE VISUALIZARAM... </li></ul><ul><li>O QUE DIFERENCIAM AS PESSOAS NO MUNDO? </li></ul>
  5. 5. CONCLUSÕES... <ul><li>HÁ POVOS DIFERENTES.. NAÇÕES DIFERENTES... </li></ul><ul><li>ESTADOS DIFERENTES... </li></ul><ul><li>POVOS OCUPAM ESPAÇOS GEOGRÁFICOS DIFERERENTES... </li></ul><ul><li>HÁ POVOS QUE DESEJAM SEU ESTADO NACIONAL... </li></ul><ul><li>HÁ NAÇÕES SEM ESTADO... </li></ul>
  6. 6. CONCEITOS BÁSICOS POPULAÇÃO - É O CONJUNTO DE HABITANTES DE UM ESTADO EM DETERMINADO MOMENTO - sentido quantitativo POVO - É O CONJUNTO DE CIDADÃOS DO ESTADO (NASCIDOS OU NATURALIZADOS ) - condiz com o conceito de Nação
  7. 7. CONCEITOS BÁSICOS <ul><li>NAÇÃO - CONJUNTO DE PESSOAS QUE POSSUEM AS MESMAS TRADIÇÕES HISTÓRICAS E CULTURAIS, ESTANDO LIGADAS PELOS MESMOS IDEAIS. </li></ul><ul><li>TERRITÓRIO - É O ESPAÇO GEOGRÁFICO NO QUAL O ESTADO EXERCE SUA SOBERANIA. </li></ul>
  8. 8. CONCEITOS BÁSICOS <ul><li>ESTADO </li></ul><ul><li>“ O Estado é uma associação que, atuando através da lei promulgada por um governo investido para esse fim, de poder coercitivo, mantém, dentro de uma comunidade territorialmente delimitada, as condições universais da ordem social”. (R M Mac Iver) </li></ul>
  9. 9. CONCEITOS BÁSICOS <ul><li>SÃO REQUISITOS BÁSICOS PARA A EXISTÊNCIA DE UM </li></ul>ESTADO POPULAÇÃO TERRITÓRIO GOVERNO SOBERANO
  10. 10. AS NAÇÕES E POVOS E OS CONFLITOS <ul><li>UMA MARCA NO MUNDO ATUAL, SÃO OS CONFLITOS PELAS NACIONALIDADES OU PELAS IDENTIDADES... </li></ul><ul><li>DEVIDO ÀS DIFERENÇAS, OU A PARTIR DAS DIFERENÇAS... </li></ul><ul><li>MUITOS POVOS FORAM INCORPORADOS A ESTADOS ONDE SUAS IDENTIDADES NÃO ERAM ACEITAS... </li></ul><ul><li>ETNIAS SÃO DISTRIBUÍDAS POR TERRITÓRIOS NACIONAIS QUE NÃO LHES PERTENCEM. </li></ul><ul><li>A LUTA DESTES POVOS PARA MANTER SUAS IDENTIDADES, GERAM CONFLITOS... </li></ul><ul><li>NO MUNDO HÁ VÁRIOS CONFLITOS CAUSADOS PELAS DIVERSIDADES NACIONAIS... </li></ul>
  11. 11. O POVO BASCO
  12. 12. LOCALIZAÇÃO E IDENTIDADES...
  13. 13. ASPECTOS DESTE POVO.. <ul><li>LOCALIZAÇÃO : O povo basco é considerado um grupo étnico que se localiza no norte da Espanha e no sudeste da França. A região onde eles habitam é denominada País Basco, ele é composto por quatro divisões regionais na Espanha e três na França. </li></ul><ul><li>HISTÓRIA : O povo basco teria ocupado a região da Península Ibérica por volta de 2000 a.C. tendo resistido durante séculos a invasões e à dominação por outros reinos, inclusive os romanos. Sua cultura resistiu ao tempo e às conquistas, se tornando, a língua basca, a língua mais antiga falada atualmente na EUROPA, mesmo tendo surgido como língua escrita apenas no século XVI o que, apenas contribuiu para fortalecer o espírito nacionalista do povo basco. </li></ul>
  14. 14. MAIS ASPECTOS DESTE POVO... <ul><li>CARACTERÍSTICAS: A principal característica da questão basca é que os bascos lutam para manter sua identidade como povo, sua língua, cultura e modo de vida. Ao invés de serem incorporados e suplantados por outra cultura, como a maioria dos povos que habitaram a Península Ibérica e a Europa. </li></ul><ul><li>A QUESTÃO BASCA: A questão basca, ou questão dos bascos, é um conflito territorial e étnico surgido no final do século XV e início do XVI com a unificação da Espanha em um só reino e a anexação da porção sul da região à Espanha e da porção norte da região à França. </li></ul><ul><li>O ETA: Outro ponto interessante é o apoio que a luta armada do grupo guerrilheiro ETA (Euzkadi Ta Askatana, que em vasconço significa “Pátria Basca e Liberdade”) tem da população basca. Ou, pelo menos tinha. </li></ul><ul><li>O ETA surgiu em 1959 como um movimento socialista fundado através da união de diversos grupos políticos que atuavam na região. Desde a Guerra Civil Espanhola (1936-39) e do bombardeio à cidade de Guernica pelos nazistas alemães como represália ao apoio do povo basco aos republicanos, então aliados dos anarquistas e socialistas e, a proibição do vasconço em todo o território basco pelo general Franco, o sentimento nacionalista basco foi se tornando cada vez mais forte. Estes fatos, também contribuíram para que o ETA decidisse pela luta armada e tivessem o apoio da população. </li></ul>
  15. 15. O ETA E SUAS MARCAS...
  16. 16. CONTINUANDO A HISTÓRIA... <ul><li>Mas , com o final da ditadura de Franco em 1975 e os direitos cedidos pela Constituição de 1978 que defende o respeito pela diversidade cultural e lingüística, e de um estatuto especial assegurando à Catalunha, à Galiza e ao País Basco o direito de utilizar suas próprias línguas e ainda outros direitos que lhes confere certa autonomia, a guerrilha do grupo ETA começa a perder força ante a população basca. Desta forma, em março de 2006 o ETA declara uma trégua que durou apenas 14 meses. O ETA já decretou várias tréguas desde 1981, mas, apenas oito delas foram de fato efetivadas. </li></ul><ul><li>Atualmente o Partido Nacionalista Basco (PNV) tenta um acordo com o governo espanhol para a realização até o final de 2008, em caráter consultivo e, até 2010 de forma definitiva, de dois plebiscitos onde o povo basco decidirá sobre o tipo de governo a ser adotado e sobre a relação política entre o País Basco e a Espanha. No entanto, o primeiro – ministro espanhol, José Luis Zapatero, rejeita o plano Ibarretxe, como é chamado o plano lançado pelo PNV. Até lá as expectativas apontam que o ETA deverá decretar mais um cessa fogo como próximo ao plebiscito como manifestação de apoio ao PNV. </li></ul>
  17. 17. O POVO CURDO
  18. 18. ASPECTOS DESTE POVO <ul><li>LOCALIZAÇÃO: O povo curdo é um grupo étnico que se julga nativo de uma região do Oriente Médio chamada de Curdistão, que abrange parte dos territórios do Irã, Iraque, Síria e Turquia. </li></ul><ul><li>Sua “pátria”, que chamam de Curdistão, não têm limites oficiais, mas se estende desde as montanhas Zagros no Irã até a parte do Iraque, Síria e Turquia Oriental. É uma região montanhosa de 500.000 km² onde se encontram 100% do petróleo turco e sírio, e 74% dos curdos do Iraque (Kirkuk-Mosul) e a metade do iraniano (região de Kermanach). Ao norte se encontra o Monte Ararat (onde desceu a arca de Noé), e os rios Tigre e Eufrates banham a região. </li></ul><ul><li>HISTÓRIA: A história deste povo remonta ao séc. VII a.C., ao tempo dos medos, mas os primeiros principados curdos só se formarem no Séc. X.Os curdos nunca tiveram um Estado independente, mas até 1639 desfrutaram de relativa autonomia. Neste ano o Curdistão foi repartido entre os impérios persa (Irã) e otomano (Turquia).A partir daí, sucessivas mutilações no território curdo se deram em função dos arranjos internacionais. </li></ul>
  19. 19. CONTINUAÇÃO DA HISTÓRIA... <ul><li>Após a 1ª. Guerra Mundial (1914-1918), com o desmembramento do Imperio Otomano, uma parte do Curdistão foi integrada no Iraque e a outra continuou na Turquia. A partir de 1924 o regime turco proíbe a língua, a cultura e as instituições curdas, tendo em vista o seu aniquilamento. Durante a 2a Guerra Mundial (1939-1945), os curdos que estavam sob o domínio do Irã empreendem uma luta armada pela sua independência, a qual conduziu à efémera República de Mahabad (1946). A repressão não se fez esperar onde quer que se encontrassem. O número de curdos exterminados ou deslocados das suas aldeias não pára de aumentar. </li></ul><ul><li>Os curdos vivem hoje como uma etnia minoritária entre a maioria árabe do Oriente Médio, mas suas raízes na região são muito mais remotas – eles descendem de tribos indo-européias que chegaram à antiga Mesopotâmia na pré-história da civilização. Converteram-se ao Islã, na fase da expansão maometana, mas mantiveram a identidade própria. </li></ul><ul><li>PKK: O Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), grupo clandestino formado por militantes armados, iniciou uma luta armada na Turquia há 23 anos. Criado em 1978, o PKK reivindica a criação de um Estado curdo independente no sudeste da Anatólia, a península onde fica a porção asiática da Turquia. A luta do PKK em favor da independência da região curda na Turquia se transformou em exigências por autonomia no seio de um sistema federal, por uma anistia para os rebeldes que garanta sua participação na vida política e pela libertação de seu líder, Abdullah Ocalan, preso em uma ilha do noroeste do país. O PKK é considerado uma organização terrorista por Ancara, pelos Estados Unidos e pela União Européia. </li></ul>
  20. 20. O PKK E SUAS AÇÕES...
  21. 21. CONCLUSÃO... <ul><li>Atualmente , a maioria dos curdos é oficialmente muçulmana, pertencendo à escola Shafi’i do Islamismo sumita. Práticas místicas e participações em ordens sufistas estão também disseminadas entre os curdos. Há também uma minoria curda que é xiita. Os alevitas são outra minoria religiosa entre os curdos, encontrados, principalmente, na Turquia. Diz-se que os curdos “abraçaram o Islã suavemente”, o que significa que sua fé tende a não ser tão assertiva quanto em outras áreas. Uma conseqüência disso, por exemplo, são as grandes liberdades que gozam as mulheres curdas, elas não cobrem seus rostos, seus hijab são menos restritivos, e elas não se vestem com vestidos pretos como o xador iraniano ou a abaya árabe. </li></ul><ul><li>CURIOSIDADES : O Curdistão é uma das regiões mais estratégicas do planeta, tendo servido como rota de invasão e imigração entre a Ásia e a Europa por milhares de anos. Ao longo dos séculos, os curdos mesclaram-se com povos vizinhos e invasores, disso resultando um panorama genético que abrange desde gente de cabelo pixaim e pele morena até loiros de olhos azuis. O vínculo que une essas pessoas é “acima de tudo, um sentimento”, explica uma arqueóloga curda, “derivado do modo de vida tradicional nos vales montanhosos e nas planícies adjacentes onde os curdos sempre viveram”. </li></ul>
  22. 22. ORIENTE MÉDIO CONFLITOS ÁRABES x ISRAELENSES e QUESTÃO PALESTINA
  23. 23. PALESTINA
  24. 24. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>1 - IMPORTÂNCIA DA REGIÃO: </li></ul><ul><li>Maiores reservas de petróleo do mundo. </li></ul><ul><li>Origem das primeiras grandes civilizações. </li></ul><ul><li>Berço das três maiores religiões monoteístas do mundo: judaísmo, cristianismo e islamismo. </li></ul>
  25. 25. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO
  26. 26. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>Característica do conflito: </li></ul><ul><ul><li>A PARÊNCIA : diferença étnica - religiosa – disputa pela terra santa - Jerusalém: cidade s agrada para judeus, cristãos e muçulmanos; </li></ul></ul><ul><ul><li>E SSÊNCIA : questão espacial (“luta pela terra”) – questão de localização estratégica, recursos hídricos e Petróleo ; </li></ul></ul><ul><ul><li>ISRAEL tem apoio das potências capitalistas: EUA e INGLATERRA desde sua formação </li></ul></ul>
  27. 27. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>2 - O SIONISMO: </li></ul><ul><li>Movimento nacionalista judaico. </li></ul><ul><li>Theodor Herzl (1897) </li></ul><ul><li>Criação do Estado para os judeus. </li></ul><ul><li>Situação dos judeus: </li></ul><ul><ul><li>Dispersos desde a tomada da Palestina pelos romanos em 70 d.C. </li></ul></ul><ul><ul><li>Sem direitos civis plenos </li></ul></ul><ul><ul><li>Sujeitos a constantes perseguições. </li></ul></ul><ul><li>Sionistas de esquerda compram terras na Palestina e instalam primeiros Kibutzim (comunidades agrícolas onde a propriedade da terra é coletiva). </li></ul>
  28. 28. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>3 - CENÁRIO PÓS - 1ª GUERRA: </li></ul><ul><li>Declaração de Balfour (1917): apoio inglês à </li></ul><ul><li>construção de um Estado judeu na palestina. </li></ul><ul><li>Fortalecimento do sionismo. </li></ul><ul><li>Ampliação da política migratória e estabeleci- </li></ul><ul><li>mento de novos Kibutzim </li></ul>
  29. 29. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>INICIAM-SE OS CONFLITOS </li></ul><ul><li>JUDEUS  ALEGAM DIREITOS HISTÓRICOS SOBRE A PALESTINA </li></ul><ul><li>PALESTINOS  ALEGAM DIREITOS ADQUIRIDOS, POIS NUNCA SAÍRAM DA PALESTINA </li></ul>
  30. 30. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>4 - A CRIAÇÃO DE ISRAEL (1948): </li></ul><ul><li>Massacres nazistas para com os judeus (comoção internacional). </li></ul><ul><li>Enfraquecimento das antigas potências colonialistas européias (França e Inglaterra). </li></ul><ul><li>Apoio das novas potências à criação de Israel (posição estratégica). </li></ul><ul><li>1947: ONU partilha a Palestina com o projeto de criação de um Estado Árabe e um Estado Judeu. </li></ul><ul><li>Comunidade árabe recusa a partilha. </li></ul><ul><li>14/5/1948: David Ben Gurion proclama a criação do Estado de Israel. A área de Jerusalém seria internacionalizada. </li></ul>
  31. 31. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>ESTADO JUDEU (ISRAEL)  56,7% DA ÁREAS </li></ul><ul><li>ESTADO PALESTINO  42,6% DA ÁREA </li></ul><ul><li>JERUSALÉM  ÁREA INTERNACIONAL SOB ADMINISTRAÇÃO DA ONU </li></ul>
  32. 32. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO
  33. 33. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>5 - A GUERRA DE INDEPENDÊNCIA (1948): </li></ul><ul><li>Após a criação do Estado de Israel: </li></ul><ul><ul><li>EGT + SIR + LIB + IRQ + JOR (Liga árabe) X ISR </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>desunião das tropas árabes . </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>apoio dos EUA e da URSS - embargo econômico aos árabes. </li></ul></ul></ul>BEN GURION: Proclamação de Independência Soldados israelenses na Guerra de Independência
  34. 34. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO
  35. 35. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>Conseqüências: </li></ul><ul><ul><li>ISR anexou grande parte dos territórios destinados ao Estado Palestino. </li></ul></ul><ul><ul><li>EGT encampou a Faixa de Gaza; </li></ul></ul><ul><ul><li>Transjordânia (atual Jordânia) anexou Cisjordânia e parte de Jerusalém. </li></ul></ul><ul><ul><li>Palestinos sem país, dispersos sob a administração do Egito e Trasjordânia. </li></ul></ul>
  36. 37. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>6 - A GUERRA DO SUEZ (1956): </li></ul><ul><li>Lideranças nacionalistas árabes chegam ao poder. </li></ul><ul><li>Gamal Abdel Nasser (EGT) - principal. </li></ul><ul><li>Reformas de Nasser: </li></ul><ul><ul><li>Nacionalização de empresas e serviço bancário. </li></ul></ul><ul><ul><li>Facilidades para o acesso a terra. </li></ul></ul><ul><ul><li>Proposta de construção da represa de Assuã, </li></ul></ul><ul><ul><li>Nacionalização do Canal de Suez (administrado por uma coligação franco-britânica). </li></ul></ul>
  37. 38. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>ING + FRA + ISR invadem a península do Sinai e o Egito. </li></ul><ul><li>EUA e URSS, exigem a sua retirada das tropas invasoras. </li></ul><ul><li>Conseqüências: </li></ul><ul><ul><li>Derrota militar de Nasser; </li></ul></ul><ul><ul><li>Vitória política de Nasser (ING + FRA + ISR retiraram-se do país, o Canal de Suez passa definitivamente para o controle do Egito, com a condição deste permitir a livre navegação tanto no canal quanto no Mar Vermelho) </li></ul></ul><ul><ul><li>Nasser transforma-se na maior liderança do mundo Árabe. </li></ul></ul>
  38. 39. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>7 - A GUERRA DOS SEIS DIAS (1967): </li></ul><ul><li>1967: Nasser interdita o Golfo de Akaba aos navios israelenses. </li></ul><ul><li>Israel ataca de surpresa e antecipadamente seus principais inimigos (Síria, Jordânia e Egito). </li></ul><ul><li>Força aérea israelense ataca a aviação egípcia ainda no chão. </li></ul><ul><li>Vitória fulminante de Israel. </li></ul>
  39. 40. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO
  40. 41. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>Conseqüências: </li></ul><ul><ul><li>ISR ocupa Faixa de Gaza, Península do Sinai (EGT), Cisjordânia (JOR) e as Colinas de Golã (SIR) - origem dos atuais problemas territoriais com os palestinos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Enfraquecimento de lideranças árabes </li></ul></ul><ul><ul><li>Prestígio político e militar para Israel. </li></ul></ul>
  41. 42. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO OS TERRITÓRIOS OCUPADOS EM 67: COLINAS DE GOLAN FAIXA DE GAZA PENÍNSULA DE SINAI CISJORDÂNIA
  42. 43. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>A GUERRA DOS SEIS DIAS EM IMAGENS: </li></ul>Avanço terrestre Prisioneiro egípcio Aviação israelense
  43. 44. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>PÓS – GUERRA DOS SEIS DIAS: AUMENTO DO SIONISMO (ISRAEL INCENTIVA A CRIAÇÃO DE ASSENTAMENTOS JUDAICOS NA FAIXA DE GAZA E NA CISJORDÂNIA </li></ul>
  44. 45. RESULTADO DO 2º CONFLITO <ul><li>Israel em apenas seis dias conquista: </li></ul><ul><li>Toda Faixa de Gaza (antes sob domínio egípcio) </li></ul><ul><li>Toda Península do Sinai (Território do Egito) </li></ul><ul><li>Toda a Cisjordânia (antes sob domínio da Jordânia) </li></ul><ul><li>Colinas de Golan (Território da Síria) </li></ul><ul><li>Toda cidade de Jerusalém </li></ul>
  45. 46. IMPORTÂNCIA DE CADA ÁREA CONQUISTADA NA GUERRA DOS SEIS DIAS <ul><li>Faixa de Gaza e Cisjordânia  Controle total sob a Palestina (sionismo) </li></ul><ul><li>Península do Sinai  Segurança Nacional (Proteção de suas fronteiras com o Egito) </li></ul><ul><li>Colinas de Golan  Área de Nascentes (Recursos Hídricos) </li></ul>
  46. 47. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>Nesta região vivem praticamente 1.800.000 palestinos contra 180.000 israelenses , que por si só é um incentivo aos conflitos. </li></ul>
  47. 48. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>OLP (Organização pela Libertação da Palestina), criada em 1964 se desvincula da interferência de outros países árabes passando a agir de forma autônoma a partir de 1969. </li></ul>Yasser Arafat
  48. 49. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>9 - A GUERRA DO YOM KIPPUR (1973): </li></ul><ul><li>Yom Kippur = Dia do Perdão em Israel (mais importante feriado religioso do país). </li></ul><ul><li>EGT + SIR atacam Israel. </li></ul><ul><li>Inicialmente vitória árabe. </li></ul><ul><li>Israel consegue expulsar os invasores com muitas baixas. </li></ul><ul><li>Este conflito foi mediado pelos EUA e ONU (1º Acordo de Camp David – 1979) </li></ul>Prisioneiros egípcios na Guerra do Yom Kippur
  49. 50. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>1975 – Israel expulsa militantes da OLP da Cisjordânia e da Faixa de Gaza </li></ul><ul><li>Novo QG da OLP: </li></ul><ul><li>Beirute - Líbano </li></ul>
  50. 51. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>Conseqüências: </li></ul><ul><ul><li>OPEP utiliza petróleo como arma política, quadruplicando o preço do barril, provocando uma crise mundial inédita ( Crise do Petróleo ). </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>OBJ: pressionar a comunidade internacional para que Israel devolvesse os territórios ocupados em 1967; </li></ul></ul></ul>
  51. 52. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><ul><li>10- OPERAÇÃO DE PAZ NA GALILÉIA (1982): </li></ul></ul><ul><ul><li>Tropas israelenses invadem o sul do Líbano para garantir a segurança de Israel. </li></ul></ul><ul><ul><li>Líder da operação: Ariel Sharon (atual primeiro ministro de Israel). </li></ul></ul><ul><ul><li>Avanço de tropas até Beirute. </li></ul></ul><ul><ul><li>Grande parte das milícias palestinas retiram-se do Líbano às pressas, rumando para a Tunísia. </li></ul></ul><ul><ul><li>Sharon permitiu a entrada de milícias Líbano - cristãs (Falanges) nos campos de refugiados palestinos de Sabra e Chatila , promovendo um imenso massacre. </li></ul></ul>
  52. 53. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><ul><li>Opinião pública internacional posiciona-se contra Israel e o governo de Menachem Beguin cai. </li></ul></ul><ul><li>1983: tropas israelenses se retiram parcialmente do país, preservando apenas uma faixa de segurança, entregue ao Exército do Sul do Líbano (organização militar cristã autônoma). </li></ul><ul><li>Os conflitos no Líbano só diminuíram no final da década de 80 com a formação de um governo de maioria cristã pró-Síria. </li></ul>
  53. 54. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>OPERAÇÃO DE PAZ NA GALILÉIA: Massacre de Sabra e Chatila </li></ul>
  54. 55. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO
  55. 56. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO
  56. 57. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO
  57. 58. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>11 - OS ACORDOS DE CAMP DAVID (1979): </li></ul><ul><li>Primeiro acordo de paz firmado entre uma liderança árabe e Israel. </li></ul><ul><li>Anuar Sadat (Egito) e Menachem Begin (Israel) firmaram um acordo definitivo de paz. </li></ul><ul><li>Termos: o Egito reconhecia a soberania de Israel; Israel devolveria ao Egito a Península do Sinai. O acordo foi cumprido de ambas as partes. </li></ul>CARTER SADAT BEGIN
  58. 59. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>1981: Sadat é assassinado por extremistas muçulmanos contrários ao acordo. </li></ul><ul><li>1982: Israel retira suas últimas tropas do Sinai, que passa definitivamente ao Egito. </li></ul>Atentado terrorista mata o presidente egípcio Anuar Sadat.
  59. 60. 1982 – OPERAÇÃO PAZ NA GALILÉIA <ul><li>Israel invade o sul do Líbano (ocupação com objetivo de proteger o norte de Israel – Galiléia) </li></ul><ul><li>Tropas especiais de Israel avançam até a capital do Líbano (Beirute) para atacar e expulsar a OLP. </li></ul><ul><li>Nos arredores de Beirute dois assentamentos de palestinos Sabra e Chatila (sob controle de Israel) são atacados e massacrados por milícias Cristãs. Israel vê tudo, mas não protege os palestinos. </li></ul><ul><li>Obs. General Israelense responsável  ARIEL SHARON </li></ul>
  60. 61. ATAQUE A BEIRUTE
  61. 62. FUGA DA OLP
  62. 63. MASSACRE DE SABRA E CHATILA Atenção: Estudantes que não gostam de cenas fortes FECHEM OS OLHOS
  63. 67. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>12 - A INTIFADA (1987): </li></ul><ul><li>Movimento espontâneo dos palestinos que refletia sua falta de perspectiva quanto a resolução de seus problemas. </li></ul><ul><li>Protestos e apedrejamentos contra as tropas israelenses nos territórios ocupados. </li></ul><ul><li>Intifada (“sobressalto” em árabe): </li></ul><ul><ul><li>Apoio do Hamas (organização terrorista apoiada pelo Irã e pela Síria), e da OLP de Yasser Arafat (prestígio político junto aos palestinos). </li></ul></ul><ul><li>Conseqüência: opinião pública internacional favorável a causa palestina, revertendo a imagem de Israel como a nação oprimida. </li></ul>
  64. 72. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO PALESTINA HEZBOLLAH HAMAS JIHAD
  65. 73. HAMAS
  66. 74. HEZBOLLAH
  67. 75. JIHAD
  68. 77. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>13 - A QUASE PAZ DE 1993: </li></ul><ul><li>13 de setembro de 1993: </li></ul><ul><ul><li>judeus e palestinos assinam um acordo de paz. </li></ul></ul><ul><ul><li>Itzhak Rabin (ISR), e Yasser Arafat (OLP), selam um acordo de autonomia gradativa para as áreas de Gaza e Cisjordânia. </li></ul></ul>RABIN CLINTON ARAFAT Quase amigos...
  69. 78. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>Grupos radicais de ambos os lados não aceitam o acordo. </li></ul><ul><li>Hamas patrocinava atentados terroristas em Israel. </li></ul>
  70. 79. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>4 de novembro de 1995: Itzhak Rabin é assassinado por estudante extremista judeu de 27 anos, Ygal Amir, contrário ao acordo. </li></ul><ul><li>Problemas entre Israel e os palestinos não conseguiram mais encontrar uma solução pacífica. </li></ul>
  71. 80. ACORDO DE OSLO (1993) <ul><li>Local  EUA </li></ul><ul><li>Intermediação  Diplomatas da Noruega </li></ul><ul><li>Partes  OLP (Yasser Arafat) e Israel (Ytizak Rabin) </li></ul><ul><li>Acordo  Autonomia para os Palestinos por 5 anos na Faixa de Gaza e na cidade de Jericó (Cisjordânia). Após 5 anos forma-se o Estado Independente da Palestina. </li></ul>
  72. 82. ACORDO DE OSLO II (1995) <ul><li>Local  EUA </li></ul><ul><li>Partes  ANP (Yasser Arafat) e Israel (Ytizak Rabin) </li></ul><ul><li>Acordo  Aumenta as áreas sob controle dos Palestinos: </li></ul><ul><ul><li>Seis cidades (Jenin, Naplouse, Tulkaren, Kalkiya, Rammallah e Belém; </li></ul></ul><ul><ul><li>Nablus controle parcial </li></ul></ul>1995 – Assassinato de Rabin - Responsável  Radical Judeu
  73. 84. 1995 – 1996 => Ondas de atentados terroristas em Israel
  74. 86. ELEIÇÕES EM ISRAEL VITÓRIA DO LIKUD (DIREITA) – 1996 1º Ministro => Binyamin Netaneahu FIM DAS NEGOCIAÇÕES
  75. 87. VITÓRIA DO PARTIDO TRABALHISTA (ESQUERDA) 1º Ministro => Ehud Barak RETOMADA DAS NEGOCIAÇÕES (Devolução do Sul do Líbano) NOVAS ELEIÇÕES EM 1999
  76. 88. LEVANTE DE JERUSALÉM OU NOVA INTIFADA - 2000 A crise começou no dia 28 de setembro, quando o político israelense Ariel Sharon visitou um local sagrado para os muçulmanos (Esplanada das Mesquitas). Os palestinos ficaram irados com a visita, e responderam com a destruição de um local sagrado judeu. Nas três semanas de conflito que se seguiram, mais de 100 pessoas foram mortas -a grande maioria palestinas.
  77. 89. MESQUITA DE AL AQSA
  78. 91. A CRUEL FACE DA VIOLÊNCIA
  79. 92. 2000 – Novo 1º ministro em Israel  Ariel Sharon
  80. 93. <ul><li>Ações de Sharon: </li></ul><ul><li>Separação do território de Israel das áreas habitadas pelos palestinos  MURO DA VERGONHA </li></ul>
  81. 94. <ul><li>Invasão de cidades palestinas => repressão ao terrorismo – “Guerra Contra o Terror” </li></ul>
  82. 95. <ul><li>Retirada das colônias judaicas da Faixa de Gaza e da Cisjordânia </li></ul>
  83. 96. 2004 – Morre Yasser Arafat
  84. 97. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>14 - CRONOLOGIA RECENTE: </li></ul><ul><li>1996: </li></ul><ul><ul><li>Partido Likud (direita conservadora de Israel) vence eleições para o parlamento. O primeiro ministro passa a ser Benjamin Netanyahu . </li></ul></ul><ul><ul><li>Talibãs afegãos implantam regime fundamentalista no Afeganistão. </li></ul></ul>Mohamed Omar – líder talibã
  85. 98. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>1999: </li></ul><ul><ul><li>Morre o Rei Houssein , da Jordânia. </li></ul></ul><ul><ul><li>Partido Trabalhista (esquerda de Israel) vence eleições para o parlamento. O primeiro ministro passa a ser Ehud Barak. </li></ul></ul><ul><li>2000: </li></ul><ul><ul><li>General israelense Ariel Sharon (responsável pela campanha que provocou os massacres dos campos de refugiados palestinos de Sabra e Chatila no Líbano em 1982) visita a esplanada das mesquitas, em Jerusalém, Israel. </li></ul></ul><ul><ul><li>Início de uma segunda e violenta Intifada, em Israel. </li></ul></ul>REI HUSSEIN SHARON
  86. 99. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>2001: </li></ul><ul><ul><li>Atentados ao WTC e Pentágono , nos EUA, pelos quais são responsabilizados o regime Talibã do Afeganistão e o líder saudita supostamente lá refugiado Osama Bin Laden. </li></ul></ul><ul><ul><li>Operação “Liberdade Duradoura” como resposta aos atentados do WTC tem início no Afeganistão. </li></ul></ul>Atentado ao WTC
  87. 100. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><ul><li>Cai o regime Talibã no Afeganistão. </li></ul></ul><ul><ul><li>Partido Likud vence eleições para o parlamento. O primeiro ministro passa a ser Ariel Sharon. </li></ul></ul><ul><li>2002: </li></ul><ul><ul><li>George Bush cita como representantes do “Eixo do Mal” os seguintes países: Iraque, Irã, Líbia e Coréia do Norte. </li></ul></ul><ul><ul><li>ONU aprova resolução de apoio a criação do Estado Palestino. </li></ul></ul><ul><ul><li>Síria retira-se da região central do Líbano. </li></ul></ul>
  88. 101. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><ul><li>Israel começa a construção de muro para separar israelenses e palestinos na Cisjordânia. </li></ul></ul><ul><ul><li>Iniciam inspeções da ONU no Iraque para verificar a produção de armas químicas. </li></ul></ul><ul><li>2003: </li></ul><ul><ul><li>EUA invade o Iraque com auxílio da Inglaterra sem a aprovação do Conselho de Segurança da ONU. </li></ul></ul><ul><li>2004: </li></ul><ul><ul><li>Morre o líder palestino Yasser Arafat . </li></ul></ul>
  89. 102. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>2005: </li></ul><ul><ul><li>Síria retira-se do Líbano. </li></ul></ul><ul><ul><li>Israel desocupa colônias judaicas na Faixa de Gaza e inicia desocupação também na Cisjordânia. </li></ul></ul>
  90. 103. IDADE CONTEMPORÂNEA ORIENTE MÉDIO <ul><li>2008 – 60 anos de criação do </li></ul><ul><li>Estado de Israel </li></ul><ul><li>Após 60 anos da criação do Estado de Israel, comemorados nesta quarta-feira, as conseqüências desta conquista ainda dividem opiniões de moradores da região. Se para muitos israelenses ter seu próprio Estado significa reconhecimento, é nítida a impressão de exílio do palestinos, que ainda se sentem estrangeiros dentro de seu próprio território. </li></ul><ul><li>Palestinos fazem passeatas para marcar 60 anos de &quot;tragédia&quot; </li></ul>
  91. 104. ENTRAVES AO PROCESSO DE PAZ <ul><li>Destino de Jerusalém: </li></ul><ul><ul><li>Judeus consideram Jerusalém sua capital eterna e indivisível; </li></ul></ul><ul><ul><li>Palestinos querem a parte oriental de Jerusalém como a capital de um futuro Estado Palestino. </li></ul></ul><ul><li>Grupos radicais (árabes e judeus); </li></ul><ul><li>Refugiados Palestinos => Israel se recusa a aceitar o retorno de 3 milhões de palestinos refugiados; </li></ul><ul><li>Água => Palestinos querem uma divisão eqüitativa dos lençóis freáticos; Israel quer ter controle sobre 80% dos lençóis freáticos. </li></ul>

×