• Like
Republica velha
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Republica velha

  • 10,256 views
Published

 

Published in Education , Travel , Business
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
10,256
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4

Actions

Shares
Downloads
205
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. República Velha 1889 a 1930
  • 2. República de Espada (1889-1894)• Período em que os militares assumiram o poder econsolidaram a Republica
  • 3. República Oligárquica República dos FazendeirosGoverno voltado para os interesses das aristocracias rurais. (Incentivo a agroexportação)
  • 4. Política Café com Leite Os presidentes eram indicados e eleitos porinfluência das oligarquias paulistas e mineiras.
  • 5. CORONELISMOO coronel – grandeproprietário de terra,possuía poder einfluência sobre umavila, município e atémesmo uma regiãono interior do país.Controlava os votosdos moradores desua região.
  • 6. O voto imposto pelos “coronéis” contra a vontade do eleitor ficou conhecido como “voto de cabresto”.Charge de Claudius. Brasil Vivo 2, de Marcus Vinício, Chico Alencar e Claudius Ceccon. Editora Vozes, 1996).
  • 7. Além do voto de cabresto, vários mecanismos fraudulentos (todos do conhecimento das autoridades oficiais) eram utilizados nas eleições. Exemplos maiscomuns: fornecimentos de títulos a menores de 21 anose a analfabetos; permissão para um eleitor votar váriasvezes; adulteração de atas e urnas eleitorais; contagem de votos de defuntos e muitas outras artimanhas.
  • 8. Os governadoreseram eleitos egovernavamcontando com afidelidade doscoronéis
  • 9. Os presidentes daRepública pressionavamos governadores paraque suas ordens fossemcumpridas nos estados
  • 10. Belle Époque • Época de ouro do charme, da beleza e da inovação. O final do século XIX foi marcado pela euforia das elites européias com relação às novas tecnologias, à civilização ao progresso.
  • 11. A BELLE ÉPOQUE BRASILEIRA• Logo após a Proclamação da República, o Brasil também passou por um processo de modernização e crença no progresso.• A idéia era copiar o modo de viver dos franceses e ingleses.• Rio de Janeiro, a Capital Federal, deveria ser modernizada.
  • 12. Reurbanização da cidade do Rio de Janeiro• Rodrigues Alves (1902-1906), investiu-se em melhoramentos urbanos e na construção de portos, do Teatro Municipal, da Biblioteca Nacional, Confeitarias e livrarias importantes. Deu plenos poderes ao prefeito Francisco Pereira Passos para a remodelação, embelezamento e saneamento da cidade do Rio de Janeiro.
  • 13. Pereira Passos ocupou aPrefeitura do Rio de Janeiro,durante o período de 1902 a 1906. Urbanizou a cidade, em especial o seucentro que passou a ser quase unicamente comercial
  • 14. Aplicou a política do “Bota-Abaixo”...
  • 15. ...que em nome da saúde destruiu os cortiços da cidade...
  • 16. Avenida Central - 1º de dezembro de 1905Em 7 de setembro de 1904comemorou-se o final das demolições para a abertura da Avenida Central. Na sua inauguração, em 15 de novembro de 1905, existiam trinta prédios prontos, cerca de oitenta em construção e raros lotes ainda à venda. À esquerda, na esquina daRua São José, o prédio depropriedade da Irmandade do S.S. da Candelária, vizinho do primeiro edifício concluído, sede de Antonio Jannuzzi, Irmão e Cia.
  • 17. Alargamento da Rua da Carioca – 31 de janeiro de 1906 O alargamento da Rua da Carioca, testemunhadopela fotografia de AugustoMalta, mostra o verdadeiro canteiro de obras em que foi transformado o centro urbano do Rio de Janeirono início do século XX. Os velhos sobradões, a maioria usada como cortiços que abrigavam dezenas de famílias, ou antigos armazéns, foramdemolidos para dar lugar a largas avenidas quetornaram a região um pólo comercial, banindo os antigos moradores.
  • 18. Morro do Castelo "Embora fosse um sítio histórico, o morro havia se transformado em local deresidência de inúmeras famíliaspobres, que se beneficiavam dos aluguéis baratos das antigas construções ali existentes. Situava-se, entretanto, na áreade maior valorização do solo dacidade, a dois passos da Avenida Rio Branco. Daí porque era preciso eliminá-lo, não apenas em nome da higiene e estética, mas também da reprodução do capital". Maurício Abreu
  • 19. Av. Centrale o Morrodo Castelo(depois demolido)
  • 20. Foram usados todos osrecursos disponíveis para o desmonte do Morro do castelo, até seu completo arrasamento: desde a picareta, o martelo, a marreta, até os processoshidráulicos, tudo foi válidopara a rápida conquista de uma grande esplanada..