• Like

Loading…

Flash Player 9 (or above) is needed to view presentations.
We have detected that you do not have it on your computer. To install it, go here.

Mato grosso do sul

  • 16,699 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
16,699
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
11

Actions

Shares
Downloads
275
Comments
0
Likes
7

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1.  
  • 2. Trecho do rio da Prata em Jardim O Mato Grosso do Sul é um estado da região Centro-Oeste do Brasil e é o 6º estado do Brasil em área, com 358.158 km² É uma das 27 unidades federativas do Brasil e sua capital é Campo Grande O Aqüífero Guarani compõe parte do subsolo do estado, sendo o Mato Grosso do Sul detentor da maior porcentagem do Aqüífero dentro do território brasileiro. É conhecido por suas belezas naturais.
  • 3. O estado constituía a parte meridional do estado do Mato Grosso, do qual foi desmembrado por lei complementar de 11 de outubro de 1977 e instalado em 1 de janeiro de 1979, porém a história e a colonização da região, onde hoje está a unidade federativa, é bastante antiga remontando ao período colonial antes do Tratado de Madri, em 1750, quando passou a integrar a coroa portuguesa. Aquidauana - Museu do Pantanal Durante o século XVII, foram instaladas duas reduções jesuíticas, Santo Inácio de Caaguaçu e Santa Maria da Fe do Taré, entre os índios Guarani na região, então conhecida como Itatim. Uma parte do antigo estado estava localizado dentro da Amazônia legal, cuja área, que antes ia até o paralelo 16, estendeu-se mais para o sul, a fim de beneficiar com seus incentivos fiscais a nova unidade da federação.
  • 4.  
  • 5. Etnias de Mato Grosso do Sul A população de Mato Grosso do Sul tem crescido a altos níveis desde a década de 1870, quando o estado passou a ser efetivamente povoado. Entre a década de 1940 e o ano de 2008, a população aumentou quase dez vezes, ao passo em que a população do Brasil, no mesmo período, aumentou pouco mais que quatro vezes. Isso, no entanto, não se dá devido a uma alta taxa de natalidade no estado, mas à grande quantidade de migrantes de outros estados ou imigrantes em Mato Grosso do Sul. Cor/Raça % (IBGE/2007) Brancos 51,1 Pretos 5,3 Pardos 41,8 Amarelos ou indígenas 1,7
  • 6. As correntes migratórias para o Mato Grosso do Sul As migrações de contingentes oriundos dos estados de Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo e imigrações de países como Alemanha, Espanha, Itália, Japão, Paraguai, Portugal, Síria e Líbano foram fundamentais para o povoamento de Mato Grosso do Sul e marcaram a fisionomia da região. O grande número de descendentes de ameríndios e de imigrantes paraguaios, que em sua maioria têm como ancestrais os índios guaranis, são dois fatores que contribuem para a alta porcentagem dos chamados "pardos" na população do estado de Mato Grosso do Sul. O estado é, o segundo do Brasil em número de habitantes ameríndios, de várias etnias, entre elas, Atikum, Guarany [Kaiwá e Nhandéwa], Guató, Kadiwéu, Kamba, Kinikinawa, Ofaié, Terena, Xiquitano (FUNAI, 2008). A ascendência afro-brasileira desse grupo étnico não é tão numerosa quanto a indígena.
  • 7. A população indígena do estado totaliza em 2008 53.900 pessoas, segundo o IBGE. Apesar disso, o sul mato-grossense serviu de refúgio para vários negros fugidos durante o período da escravidão e referências a esta região estão presentes em canções folclóricas, como as utilizadas em práticas de capoeira. A canção Paranauê (Paranauê, Paranauê, Paraná…), por exemplo, alude à liberdade que os escravos encontrariam para além do Rio Paraná, no atual território de Mato Grosso do Sul, onde não seriam caçados por feitores ou bandeirantes. Há, no entanto, uma interpretação desta canção como fazendo referência ao estado do Paraná, o que é uma leitura errônea uma vez que o estado do Paraná somente foi criado em 1853, sendo a canção muito mais antiga – a capoeira em si data de antes de 1770. Portanto, o Paraná da letra é o Rio Paraná, e não o estado, que recebeu seu nome devido ao rio. Outra prova disso é o fato de que o estado de Mato Grosso do Sul também possui uma das maiores quantidades de comunidades quilombolas no Brasil. Esta era a área mais povoada do antigo estado do Mato Grosso, com uma densidade demográfica bastante alta no planalto da bacia do rio Paraná, onde ocorrem solos de terra roxa com topografia regular. Campo Grande - Praça das Araras
  • 8.  
  • 9.  
  • 10. Pantanal, o maior ecossistema do estado. Na planície do Pantanal, no oeste do estado, durante o período de cheias do Rio Paraguai a região vira a maior região alagadiça do planeta, lá se combinam vegetações de todo o Brasil, até mesmo da Caatinga e da Floresta Amazônica, e é um dos biomas com maior abundância de biodiversidade do Brasil, embora seja considerada pouco rica em número de espécies. Vegetação Os cerrados recobrem a maior parte do estado, mas também destaca-se a Floresta Estacional Semidecidual.
  • 11. Serra de Maracaju Relevo O arcabouço geológico do Mato Grosso do Sul é formado por três unidades geotectônicas distintas: a plataforma amazônica, o cinturão metamórfico Paraguai-Araguaia e a bacia sedimentar do Paraná. Sobre essas unidades, visualizam-se dois conjuntos estruturais. O primeiro, mais antigo, com dobras e falhas, está localizado em terrenos pré-cambrianos, e o segundo, em terrenos fanerozóicos, na bacia sedimentar do Paraná. Não ocorrem grandes altitudes nas duas principais formações montanhosas, as serras da Bodoquena e de Maracaju, que formam os divisores de águas das bacias do Paraguai e do Paraná. As altitudes médias do estado ficam entre 200 e 600 metros.
  • 12. O planalto da bacia do Paraná ocupa toda a porção leste do estado. Constitui uma projeção do planalto Meridional, grande unidade de relevo que domina a região sul do país. Apresenta extensas superfícies planas, com 400 a mil metros de altitude. Já a baixada do rio Paraguai, domina a região oeste, com rupturas de declives ou relevos residuais, representados por escarpas e morrarias. Estendendo-se por uma vasta área de noroeste do estado, a baixada do rio Paraguai é parte da grande depressão que separa, no centro do continente, o planalto Brasileiro, a leste, da Cordilheira dos Andes, a oeste. Sua maior porção é formada por uma planície aluvial sujeita a inundações periódicas, a planície do Pantanal, cujas altitudes oscilam entre 100 e 200m. Em meio à planície do Pantanal ocorrem alguns maciços isolados, como o de Urucum, com 1.160m de altitude, próximo à cidade de Corumbá. Serra da Bodoquena
  • 13.  
  • 14. Campo Grande, antes do desmembramento, já era considerada a maior cidade do estado de Mato Grosso. Após a divisão, continua sendo a maior cidade de Mato Grosso do Sul. Capital sul-mato-grossense, se localiza entre o planalto da Serra de Maracaju e o Rio Aquidauana, em uma região de planalto, onde é possível ver os limites da linha do horizonte ao fundo de qualquer paisagem. Foi fundada há mais de 100 anos por colonizadores mineiros, que vieram aproveitar os campos de pastagens nativas e as águas cristalinas da região dos cerrados. A cidade foi planejada em meio a uma vasta área verde, com ruas e avenidas largas. Campo Grande Campo Grande, reduto histórico de divisionistas entre o sul e o norte.
  • 15. Relativamente arborizada e com diversos jardins por entre as suas vias, apresenta, ainda nos dias de hoje, forte relação com a cultura indígena e suas raízes históricas. Por causa da cor de sua terra (roxa ou vermelha), recebeu a alcunha de Cidade Morena. População: 755.107 habitantes; PIB (IBGE-2006) de R$ 7.839.567.000; área total de 8.118,4 km² e 154,4548 km² de área urbana): Tem posição estratégica, sendo passagem quase obrigatória para o Paraguai, Bolívia e o turismo no Pantanal e Bonito. A cidade é conhecida pelo seu planejamento, museus, centros culturais, parques, bibliotecas, entre outros.
  • 16.  
  • 17. Campo Grande - Reserva Indígena Urbana Marçal de Souza.
  • 18. Campo Grande - Região central Turismo urbano Campo Grande: - Centro de passagem ao Pantanal, uma região bonita com abundância de animais selvagens e paisagens maravilhosas.
  • 19. Dourados - Portal do MERCOSUL - Cidade Modelo Com uma população de 189.762 habitantes, é a segunda cidade do Estado de Mato Grosso do Sul; uma metrópole sendo servida por linhas regulares de transporte aéreo e rodoviário aos principais centros do país, possuindo também um notável desenvolvimento comercial e de serviços.
  • 20. Fundada em 1935, Dourados teve desenvolvimento lento até a segunda década do século XX, por causa das deficiências de meios de transporte e vias de comunicação, principalmente com Campo Grande. A partir dos anos 1950, com a abertura de rodovias, acelerou-se seu desenvolvimento, especialmente a partir dos anos 1970. A partir dos anos 1950, com a abertura de rodovias, acelerou-se seu desenvolvimento, especialmente a partir dos anos 1970. Nos anos 1990, além do crescimento da agropecuária, o desenvolvimento comercial e de serviços na zona urbana foi decisivo para que Dourados se consolidasse como pólo regional, de serviços e agropecuário para uma região com quase 1 milhão de pessoas, incluindo parte do Paraguai, o que lhe confere o merecido título de Portal do Mercosul. PIB de R$ 1.930.401.000; área total de 4.096,9 km² e 40,6800 km² de área urbana, é conhecida por ser um importante centro comercial, industrial e agropecuário do estado Referência no ensino superior. possui a sede de duas Universidades públicas (UEMS e UFGD) além de duas privadas (UNIGRAN e ANHANGUERA).; Dourados
  • 21. Corumbá – Pórtico de entrada É a segunda cidade mais importante do estado em termos econômicos (depois da capital), a primeira em cultura e a terceira em população, depois de Campo Grande e Dourados. (população de 99.467 habitantes; PIB de R$ 1.973.945.000; área total de 65.165,8 km² e 21,5777 km² de área urbana): Com isso existe uma rede urbana de cerca de 150 000 pessoas, sendo atendida por dois aeroportos: Corumbá e Puerto Suárez. Constitui o mais importante porto do estado de Mato Grosso do Sul e um dos mais importantes portos fluviais do Brasil e do mundo. Foi o principal exportador em 2008. Com isso, o município ultrapassou Dourados em PIB, ficando em segundo lugar no estado, logo atrás da capital.
  • 22. Corumbá Rio Paraguai Situada na margem esquerda do rio Paraguai e também na fronteira entre o Brasil, o Paraguai e a Bolívia, Corumbá é considerada o primeiro pólo de desenvolvimento da região, e por abrigar 60% do território pantaneiro, recebeu o apelido Capital do Pantanal, além de ser a principal e mais importante zona urbana da região alagada. Faz divisa com Ladário e mais três cidades do lado boliviano (Puerto Suarez, Puerto Quijarro e Puerto Aguirre), que são procuradas por seu artesanato em cerâmica, couro, lã, prata e tapeçaria, além de eletrônicos e eletrodomésticos. Corumbá Conhecida como cidade branca pela cor clara de sua terra, pois está assentada sobre uma formação de calcário, que dá a cor clara as terras locais.
  • 23. Importante centro cultural e de eventos, possui vários centros culturais e de exposições, museus e bibliotecas, além de sediar o Festival América do Sul, maior evento multicultural do continente.
  • 24. Corumbá - Rio Paraguai no município Corumbá : O Rio Paraguai, passa na altura da cidade de Corumbá Passeios: - Cruzar o território boliviano e á bordo do trem da morte até Santa Cruz. - Em pleno Pantanal, além de ser centro de apoio dentro da região, a cidade oferece vôos panorâmicos sobre a região e safáris fotográficos;
  • 25. Três Lagoas – “Cidade das Águas” Seu nome origina-se das três lagoas que existem na região. Com uma população de 89.493 habitantes, é a quarta cidade mais populosa e importante desse estado e do 25º município mais dinâmico do Brasil. Fundada em 1915, sua colonização iniciou-se na década de 1880 por Luís Correia Neves Filho, Antônio Trajano dos Santos e Protásio Garcia Leal. Trata-se de um centro regional e tem todas as amenidades necessárias em um centro urbano,além de fornecer a seus cidadãos boa qualidade de vida.
  • 26. Três Lagoas tem recebido bilhões de dólares em investimentos e é esperado que até 2011 se torne a segunda cidade, em termos econômicos e políticos, de Mato Grosso do Sul ( PIB de R$ 1.167.816.000). Também foi apontada pela Revista Exame como um dos mais promissores pólos de desenvolvimento do Brasil. Possui uma área total de 10.235,8 km² e 18,4870 km² de área urbana: situada a extremo leste de MS, é conhecida e apresenta, grande potencial turístico.pelo turismo no rio Paraná e hidrelétrica de Jupiá, dentro de poucos anos poderá ser o maior centro industrial de MS.
  • 27. Situada em um entroncamento das malhas viária, fluvial e ferroviária do Brasil, possui acesso privilegiado às regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul do país e a países da América do Sul. Devido a isto, à disposição de energia, água, matéria-prima e mão-de-obra, a cidade no momento passa por uma fase de transição econômica e rápida industrialização.
  • 28.  
  • 29. Entre várias opções, pode-se fazer compras no Paraguai. Ponta Porã "Princesinha dos Ervais"-"Capital Brasileira do Tereré“ Ponta Porã é a capital brasileira do tereré e capital regional da erva-mate, tanto que o símbolo da cidade é uma cuia de chimarrão e outra de tereré. Possui uma área total de 5.359,3 km² e 13,7151 km² de área urbana, situada no cone-sul do estado, também atrai muitos visitantes por ser centro de livre Comércio. Faz divisa internacional com Pedro Juan Caballero, capital do departamento (estado) de Amambay, no Paraguai.
  • 30. Ponta Porã "Princesinha dos Ervais"-"Capital Brasileira do Tereré“ A população do município é de 75.941 habitantes. A cidade que foi capital do extinto Território Federal do mesmo nome (1943-1946) está situada ao sudoeste do Estado e possui clima temperado com temperatura de 30°. A cidade possui uma boa rede hoteleira, tanto do lado brasileiro como do paraguaio. A economia do município está voltada para a agricultura e pecuária A lavoura é uma das pujantes do território nacional produzindo, principalmente, soja, trigo e milho(PIB de R$ 504.810.000).
  • 31. Ponta Porã É um município brasileiro, embora alguns tenham considerado que já tenha sido território do Paraguai, fronteiriço, do estado de Mato Grosso do Sul. Está distante 350 quilômetros da cidade de Campo Grande, capital do Estado. Ligada por meio de Rodovia Federal, que também dá acesso aos Estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso.
  • 32.  
  • 33.  
  • 34.  
  • 35. Pesqueiro no Rio Aquidauana
  • 36.  
  • 37.  
  • 38.  
  • 39.  
  • 40. Crepúsculo em Naviraí
  • 41. Sidrolândia Sidrolândia começou com a implantação de fazendas de gado. Mas o povoado só se formou com a chegada em 1926 de Sidrônio Antunes de Andrade, que demarcou a Fazenda São Bento em lotes que batizou de Sidrolândia. Com uma população de 41.261 habitantes; PIB de R$ 389.972.000; área total de 5.300,9 km² e 4,2061 km² de área urbana): está situada próximo a Campo Grande, sendo um importante centro agropecuário. Sidrolândia encontra-se nos campos da Vacaria do Planalto da Serra de Maracajú, seu solo é levemente ondulado e constituído de terras rochas, resultado da decomposição de rochas vulcânicas.
  • 42. Paranaíba É o portal do nordeste de Mato Grosso do Sul e famosa pela ponte metálica. O território foi primitivamente povoado pelos índios Caiapós, tornando-se conhecido das primeiras bandeiras paulistas, que vinham para o sertão capturar escravos índios, no início do ano de 1700 e permanecendo sob a liderança do bandeirante Antônio Pires de Campos, o célebre “Pai Pirá”, entre os anos de 1739 e 1755. Paranaíba localiza-se estrategicamente numa região de integração das economias do Brasil: Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Goiás, situação que começa a ser explorada mais intensivamente com a construção do gasoduto e o fortalecimento das relações comerciais dentro do Mercosul.
  • 43. Paranaíba Se situa também no entroncamento de três macro-eixos de desenvolvimento econômico estadual (ao lado do eixo aquaviário o rio Paraná; eixo da Ferronorte e eixo do Gasoduto Bolívia-Brasil). Conta com uma população de 40.259 habitantes; PIB de R$ 341.250.000; área total de 5.423,6 km² e 7,7400 km² de área urbana.
  • 44. Amambaí, com 34.986 habitantes; encontra-se a uma altitude de 480 metros, possui clima temperado com média de 22°C e está a uma altitude de 550 m acima do nível do mar, com excelente bacia hidrográfica e solo fértil. Possui uma área de 4212,34 km² e 7,2900 km² de área urbana, está localizado na região sul do Estado de Mato Grosso do Sul, numa região de relevo levemente ondulado, predominando os Campos de Vacaria e Mata de Dourados. Situada a poucos quilômetros da fronteira com o Paraguai, a 90 km de Ponta Porã e 50 km de Coronel Sapucaia (fronteira com o Paraguay), o município está localizado numa região de relevo levemente ondulado, predominando os “Campos de Vacaria“ e “Mata de Dourados“. A agricultura e a pecuária são mais desenvolvidas, sendo a maior fonte econômica (PIB de R$ 256.580.000). Amambaí
  • 45. Coxim "Capital do Peixe" e "Terra do Pé de Cedro". Município situado na borda setentrional da Bacia do Alto Paraguai. É um centro econômico e turístico regional, sendo nacionalmente conhecida como "Capital do Peixe" e "Terra do Pé de Cedro", principal e mais importante cidade do norte de Mato Grosso do Sul. Recebe também a denominação popular de "Portal Monçoeiro do Pantanal". Antigo domínio dos índios Caiapós, é muito procurada pelos que praticam canoagem nas corredeiras do rio Taquari ou que pretendem ver o espetáculo da piracema, de novembro a janeiro. Abriga diversos ícones paisagísticos, como as cachoeiras Salto, Palmeiras e os Rios Taquari e Coxim.
  • 46. Coxim – Rio Taquari Coxim "Capital do Peixe" e "Terra do Pé de Cedro". Representa o 17º PIB do estado, estimado em cerca de R$ 300 milhões em 2006 (segundo o IBGE), e possui um dos maiores rebanhos de bovinos do estado. Contemplada por considerável número de hotéis, ranchos e pousadas, é um dos principais pontos de pesca do país. Sua população é de 33.408 pessoas [IBGE 2006]; abrigada numa área total de 6.430,7 km² e 7,0558 km² de área urbana. Vem se tornando um pólo universitário, sendo que nos últimos anos foram estabelecidas na cidade as Universidades Federal e Estadual de Mato Grosso do Sul. Limita-se com Rio Verde de Mato Grosso, São Gabriel do Oeste, Camapuã, Alcinópolis, Pedro Gomes e Sonora. Possui clima sub-úmido, com excedente de água no verão e falta dela no inverno. As temperaturas variam, em média, de 16°C à 45°C. Sua economia baseia-se na agropecuária extensiva, agricultura familiar e turismo.
  • 47. Maracaju "Capital da lingüiça" Seu nome na língua Tupi-Guarani significa "Papagaio Verde da Cabeça Amarela" População de 32.492 habitantes; área total de 5.312,9 km² e 5,5195 km² de área urbana Situado no centro-sul de MS na região de Vacaria, no planalto da serra de Maracaju. A única cidade no estado com seu perímetro urbano totalmente asfaltado. Formado depois do afastamento dos jesuítas espanhóis que tiveram as suas reduções desmanteladas por ação dos bandeirantes paulistas a principiar por Antônio Raposo Tavares, nos arbores do século XVI. Comemora-se dia 11 de junho o aniversário do município. Possui um dos maiores PIB’s do estado ( R$ 494.433.000) .
  • 48.  
  • 49. Rio Brilhante O município tem sua história ligada à República Paraguaia. Seu primeiro morador foi o mineiro Antônio Gonçalves Barbosa, que chegou em 1835, nesta região denominada "Campos de Vacaria". Em 1900 Francisco Cardoso ergueu um cruzeiro, marcando assim o nascimento de uma comunidade, que recebeu o nome de ENTRE-RIOS por estar situada entre dois rios: VACARIA e BRILHANTE . Em 26 de setembro de 1929, aconteceu a elevação de Entre-Rios a município, iniciando sua independência político-administrativa, data em que é comemorado o seu aniversário. Mais tarde em 1943, teve seu nome mudado para CAIUÁS, em consideração a tribo indígena primitiva da região. A nova e a última alteração em seu nome deu-se em 30 de setembro de 1948, passando a denominar-se RIO BRILHANTE, em homenagem ao rio que irriga suas áreas e faz limite do lado sul.
  • 50. População de 27.903 habitantes; PIB de R$ 408.443.000; área total de 3.998,1 km² e 4,4070 km² de área urbana, fica entre Campo Grande e Dourados. Clima Tropical, apresentando claramente duas estações: o inverno seco e o verão úmido, chuvoso e bastante quente. Média Anual de 20,0 graus centígrados.
  • 51. A pastagem plantada corresponde a mais de 80% da cobertura vegetal do município. O restante é formado pela Savana (cerrado), floresta Estacional, várzeas e lavouras. Possuí um distrito denominado Prudêncio Thomaz, e tem fácil acesso às duas maiores cidades do Estado: Campo Grande e Dourados. Seu crescimento tomou impulso na década de 70 com a explosão da agricultura, e da chegada dos primeiros imigrantes vindos das regiões Sul, Sudeste e Nordeste. O município de Rio Brilhante é formado de migrantes, que se juntaram aos mato-grossenses, dando uma miscigenação de raças e culturas. Para lá foram os paulistas, nordestinos e sulistas formando uma cultura ímpar.
  • 52. Os costumes folclóricos são comemorados, e a maioria com sentido religioso. A mais tradicional de todas, é a Festa do Divino Espírito Santo, que é comemorada em dois finais de semana, com a participação ativa da população. Fácil escoamento da produção com estradas vicinais de boa qualidade, sendo servida por duas Rodovias Federais: BR 163, BR 267, que nos liga aos grandes centros ou aos portos, como é o caso do Porto Murtinho no Rio Paraguai. Com isso está num ponto estratégico, para o Mercosul, estando na rota dos países signatários do Conesul.
  • 53. Principais pontos turísticos: Além dos lugares já citados: Campo Grande, Dourados, Corumbá, Ponta Porã, Coxim e outros, o estado oferece uma gama variada de roteiros ecológicos, históricos, culturais, rurais... Importante: Saúde : É necessário vacinar-se ou adotar medidas de prevenção contra determinadas doenças: dengue, febre amarela etc. O sistema público de saúde é de qualidade regular.. Segurança : É feito através das polícias. Há o policiamento de fronteira chamado DOF (Departamento de Operações de Fronteira). Fale: O idioma do estado é mesmo de todo o Brasil, ou seja, o português. No caso de MS há uma influência etnolinguística proveniente do Paraguai e Bolívia. Os guias turísticos falam espanhol e inglês principalmente.
  • 54. Dicas: Como Chegar - Circule: De avião : Os aeroportos que recebem vôos diários regulares são os de Campo Grande, Dourados e Corumbá, Ponta Porã e Bonito. De trem : Há uma linha de trem na Bolívia conhecida como Trem da Morte, ligando a cidade de Santa Cruz de la Sierra à cidade fronteiriça de Quijarro. Um pouco mais adiante, em território brasileiro, mais especificamente na cidade de Corumbá, havia uma ligação por trem até São Paulo, suspensa há anos. Projetos recentes buscam restabelecer a conexão entre Corumbá e Campo Grande por meio de uma linha de trem turística, percorrendo boa parte do Pantanal Sul. De ônibus : As linhas de ônibus para o resto de país são regulares e de boa qualidade. No site da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) é possível consultar as linhas, horários e preços entre duas localidades. De carro : As principais rodovias são a BR-262, BR-163, BR-267 e BR-060. A maior parte das estradas está em estado regular. Compre: Artesanato – Tereré Durma : Os meios de hospedagem mais comuns são: Albergues, Pousadas, Hotéis ,Motéis. Aprenda : Danças: chamamé, cururu, siriri Cultura regional em geral: culinária, literatura, artes plásticas e influências da Bolívia e Paraguai, em função de ficar na fronteira desses países.. Festivais: Há vários eventos conhecidos nacionalmente. Os principais são: - Moto Road - Janeiro, em Campo Grande - Festival América do Sul - Maio, em Corumbá Feriados: Além dos feriados nacionais e internacionais, há o feriado estadual de 11 de outubro, data da criação do estado. Respeite : A natureza. Não adquira animais silvestres sem permissão do IBAMA. Dirigindo nas cidades, respeite a preferência dos pedestres ao atravessarem as ruas nas faixas de segurança.
  • 55. Comidas Típicas de Mato Grosso do Sul A culinária é semelhante ao de Mato Grosso, até porque o estado era um só e aos poucos tanto na cultura, costumes e as comidas típicas de cada lado vão sendo definidos: Piranha preparada em caldo www.madeiraviagensculturais.blogspot.com
    • - Piranha preparada em caldo – considerado afrodisíaca, - Pintado ,
    • Pacu (preparados tipo ensopado e também assados) - Carne de capivara na caçarola - Carne de Jacaré, - Polenta – não é típica da região mas vem sendo comum - Sopa paraguaia, - Arroz boliviano, - Caribeu, - Chipa, - Furrundu, - Puchero, - Quibebe de mamão, - Saltenha, - Pirão, - Farofas: de banana e de carne
  • 56.
    • Como bebida típica o tereré (semelhante ao chimarrão, porém frio), tomado nos encontros entre amigos e familiares, sendo também considerado o estado-símbolo dessa bebida e maior produtor de erva-mate da região Centro-Oeste do Brasil.
    • O uso desta bebida, derivada da erva-mate
    • (Ilex paraguariensis),
    • nativa do Planalto Meridional do Brasil,
    • é de origem pré-colombiana.
    Principais bebidas típicas: Caldo de piranha - Licor de pequi - Sorvete de bocaiúva - Tereré
  • 57. Comércio fronteiriço: Para quem busca a opção de compra pelo livre comércio, há as opções das cidades que fazem fronteira com zonas francas como Ponta Porã, Corumbá, Bela Vista e Porto Murtinho. Corumbá - Receita Federal na divisa com Bolivia
  • 58. Serra da Bodoquena: Onde se localiza Bonito, uma cidade pequena que possui solo calcário é responsável pela cristalinidade dos rios. Região conhecida pelas grutas, cachoeiras e corredeiras.
  • 59. Bonito - MS
  • 60.  
  • 61. Por do sol no Pantanal Possui atrativos naturais e culturais que podem ser vistos ao participar de passeios turísticos. Os cenários são distintos e com belezas peculiares, sendo rico em flora, fauna e exuberância da natureza. A dedicação de seus habitantes o tornaram uma das mais produtivas áreas agrícolas e seus visitantes devem provar sua comida típica.
  • 62.
    • Complexo do Pantanal:
    • É a mais extensa área úmida contínua do Planeta e um santuário ecológico que abriga a maior diversidade mundial de fauna e flora. Nele vivem aproximadamente 650 espécies de aves (cabeças-secas, garças e jaburus, o martim-pescador, os biguás, o pato-do-mato, o colhereiro, o jaçanã, o anu-branco, o pica-pau, entre outras), 240 espécies de peixes (piranha, o pintado, o pacu, o curimbatá e o dourado), 50 de répteis, 80 de mamíferos, além de uma imensa diversidade na flora que abriga pastagens nativas, plantas apícolas, comestíveis, taníferas e medicinais.
  • 63. População: 24.838 hab.(IBGE 2009) Densidade 4,2 hab./km² Mesorregião :Pantanais Sul-Mato-Grossenses Microrregião: Aquidauana Municípios limítrofes: B odoquena, Aquidauana/Anastácio, Corumbá. Área 5.478,627 km² Altitude 125 m. Miranda - Município Clima: Na região de Miranda predomina o clima tropical. O período da seca dura de três meses a quatro meses, com precipitações que variam entre 1200 e 1700 mm anuais. As temperaturas médias ficam entre 20 e 24°C, e variam conforme as estações do ano, podendo atingir a mínima de 10°C e a máxima de 35°C no verão em média. Lugarejos: Estância Bodoquena, Coronel Juvêncio, Guaicuru e Porto Carrero; Áreas indígenas: Cachoeirinha, Lalima, Moreira e Passarinho; Assentamento Tupambae Bandeirante; Localidades: Agachi, Duque Estrada e Salobra. Distância de Campo Grande:200 km Localização :Pantanal de Miranda (MS) na margem esquerda do Rio Miranda - 232km de Campo Grande, 172km de Bonito, 196km de Corumbá e 32km de Miranda.
  • 64. Miranda – História História : Fundada em 1778 a partir da construção do Presídio Nossa Senhora do Carmo do Rio Mondego, reduto construído pelo governador-general Caetano Pinto de Miranda a mando do Capitão das Conquistas João Lemes do Prado e seu objetivo era defender a região contra possíveis ataques de bandoleiros (Castelhanos de Assunção). Seu nome inicial era Mondego, que depois formou-se o povoado, este mais seguro. Em 1835, o local passou a se chamar Nossa Senhora do Carmo de Miranda e sua comarca abrangeu todo o Planalto do Amambai. Em 1857, Francisco Rodrigues do Prado (irmão do fundador do presídio) consegue por meio de lei provincial transformar a localidade em vila com o nome de Miranda, sendo uma homenagem ao ex-governador que iniciou a construção do presídio. Em 1865 o local é destruído pelos paraguaios durante a Guerra do Paraguai. Com o progresso a cidade é reconstruída novamente. Dois fatores foram responsáveis pelo seu progresso: A inauguração das Estações Telegráficas A construção da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil
  • 65. Miranda- Hotel Fazenda São Francisco Turismo É famosa no Brasil pelo Pantanal e pelo trem da Estrada de Ferro da Novoeste (antiga Estrada de Ferro Noroeste do Brasil - N.O.B.). Em Miranda o visitante encontra o roteiro terrestre em direção a Corumbá pela estrada parque. Na cidade vale a pena conhecer o artesanato indígena de barro produzido pelos índios Kadiweu, que caminham pelas ruas vendendo seus produtos Onça pintada – Fazenda São Francisco – Miranda - MS Economia As suas principais atividades econômicas são a agropecuária, indústrias de cerâmica, turismo de pesca e ecoturismo. Empreendimentos agrícolas como plantio de arroz irrigado e pecuária extensiva repercutem nas águas do rio, além dos esgotos não tratados.
  • 66. Miranda – Pantanal – Pesca - O Rio Miranda Afluente da margem esquerda do Paraguai, é inserido na região do Pantanal. O rio é formado no encontro do Córrego Fundo com o Rio Roncador e tem extensão de aproximadamente 800 km. O principal afluente é o Rio Aquidauana.
  • 67. A bacia inclui dois grandes pólos turísticos, Bonito e o Pantanal, abrindo oportunidades para o turismo sustentável (contemplativo) e a pesca esportiva. A transparência das águas é de suma importância para o turismo em Bonito, cidade que recentemente completou a instalação de um sistema de tratamento de esgoto construído graças ao patrocínio do Programa Ambiental da Petrobras. Isso é um avanço significativo e necessário, devido ao grande número de visitantes que a cidade recebe, e serve de exemplo para outras cidades da região. A navegação no rio é complexo desde as nascentes até o Posto 21, acima de Miranda, quando, a partir desse ponto, entra na planície pantaneira, se tornando extremamente sinuoso em toda a extensão baixa do rio, até sua foz no Rio Paraguai.
  • 68. É um dos municípios que integram o complexo turístico do Parque Nacional da Serra da Bodoquena. Devido à diversidade de ecossistemas e ao elevado nível de concentração de calcário no solo da região oeste do município, que imprime aos rios acentuada transparência e limpidez, formando também cachoeiras e grutas de estalactites e estalagmites, de elevado valor cientifico. Além do pioneirismo no artesanato em osso, madeira e couro, conhecido e comercializado nacionalmente e internacionalmente. Fundada em 1946, seus primeiros moradores foram operários da construção da rodovia que ligaria o Brasil à fronteira com o Paraguai, a qual permitiu e ao município tornar-se uma cidade-pólo e ter uma posição geográfica privilegiada Jardim - Palco da Retirada da Laguna Ao chegar ao sul do Mato Grosso, José Francisco Lopes fundou, às margens do rio Miranda, uma fazenda de nome Jardim, onde se dedicou à pecuária. Com o início dos conflitos da Guerra do Paraguai, Lopes tornou-se peça fundamental aos soldados brasileiros por ser grande conhecedor da região, guiando os soldados até Bela Vista. Após a Batalha do Nhandipá, Carlos de Morais Camisão ordenou a retirada das tropas, futuramente conhecida como “A retirada da Laguna.” José Francisco Lopes, o guia Lopes, novamente guiou os soldados na retirada. Turismo histórico – Jardim -MS
  • 69. Jardim – MS, turismo ecológico e histórico O município de Jardim, antigo distrito de Bela Vista, pertence a micro-região Homogênea 341 (MRG), denominada Bodoquena e à Meso-região (MSR) a Sudeste do Estado. Área: 2.201,725 km² - Altitude 259 m - Clima subtropical úmido População 24.174 hab. – est. IBGE/2009 - Densidade 10,58 hab./km² Limites : Norte – Bonito e Guia Lopes da Laguna, Sul – Bela vista e Ponta Porã Leste – Ponta Porã e Guia Lopes da Laguna e Oeste – Caracol, Porto Murtinho e Bela Vista
  • 70. Turismo histórico Jardim Palco da Retirada da Laguna Jardim possui um grande potencial no segmento do Turismo Histórico-Cultural, pois detém vários monumentos relacionados à Retirada da Laguna, um dos episódios da Guerra do Paraguai. A história de Jardim está diretamente ligada à Guerra da Tríplice Aliança, palco do capítulo da Retirada da Laguna. A Fazenda Jardim: Na margem esquerda do rio Miranda, guia Lopes faleceu. Enterrado no meio do acampamento junto com coronéis e soldados mortos pela cólera morbo. Hoje esse local é chamado de Cemitério dos Heróis. Os soldados que restaram esperaram a correnteza do rio abaixar para acessar o pomar da fazenda Jardim, na margem direita do rio Miranda. Na ânsia da fome, comeram as laranjas do pomar da fazenda, recuperando as forças para terminar a retirada
  • 71.  
  • 72.  
  • 73.  
  • 74. Bela Vista Bela Vista - Monumento Ñandepá em Bela Vista Cenário da Guerra do Paraguai deve virar roteiro turístico e cultural em MS Hoje 24/11/2009 às 23:43:03anúncio 14/04/2009 - 17h22 Assessoria de Imprensa da Senadora Marisa Serrano http://www.belavistams.com.br/noticia.php?COD_EDITORIA=14&COD_NOTICIA=1640 A implantação da “Trilha da Retirada da Laguna” foi discutida esta semana, em Campo Grande (MS) por representantes de vários setores da sociedade sul-mato-grossense. A idéia é usar um dos cenários mais marcantes da Guerra do Paraguai para incentivar o desenvolvimento turístico e cultural da região. O roteiro da caminhada vai passar pelos municípios de Bela Vista, Guia Lopes da Laguna, Jardim, Miranda, Nioaque, Aquidauana e Anastácio. O estudo foi baseado no romance ‘A Retirada da Laguna”, de Alfredo d'Escragnolle Taunay. O encontro foi promovido pela Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS).
  • 75.  
  • 76. O turismo de pesca é a sua principal atividade econômica. O trecho do Rio Paraguai em Porto Murtinho é um dos mais piscosos do Brasil, sendo por isso a pesca, além da fauna e flora, é o principal atrativo da cidade. Dali partem vários barcos com pescadores e turistas. Porto Murtinho Sua população estimada em 2008 era de 15.333 habitantes. Possui uma área de 17782,9 km² Faz divisa com Corumbá, Miranda, Bonito, Jardim e Caracol . Possui clima tropical, variando em média entre 10 no inverno e 40 graus no verão.
  • 77. Ilha da Margarida: Zona de livre comércio localizada no lado paraguaio. Para chegar até lá é preciso atravessar o rio, pois não existe ponte que ligue as duas regiões. Porto Murtinho Castelinho (Rua Doutor Correia, 456 - Centro): Esse castelo foi construído por um comerciante da cidade, casado com uma européia, para convencer sua esposa a permanecer na cidade. Sua mulher queria que o comerciante construísse uma réplica dos castelos europeus para ela não sentir mais saudade da Europa. Possuía energia elétrica própria, água encanada e seus móveis eram importados daquele continente.
  • 78. Três Lagoas - Fogos na Lagoa Maior. Música: Pantanal – Versão tema da novela do mesmo nome: Fontes: - PNAD (dados obtidos por meio de pesquisa de auto-declaração). - Wikipédia - A enciclopédia livre http://pt.wikipedia.org/wiki/Mato_Grosso_do_Sul - Wikitravel http://wikitravel.org/pt/Mato_Grosso_do_Sul http://pt.wikipedia.org/wiki/Interior_de_Mato_Grosso_do_Sul
  • 79. Formatação: José Carlos Suman suman.josecarlos@gmail.com FIM