Historia social do classicismo

6,795 views
6,474 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
6,795
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
32
Actions
Shares
0
Downloads
48
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Historia social do classicismo

  1. 1. Hist ó ria Social do Classicismo Renascimento Fim da Idade M é dia e a transição para a Idade Moderna
  2. 2. No final do s é culo XV <ul><li>Europeus chegaram ao Oriente pelo mar. </li></ul><ul><li>Comprova-se que a terra era redonda. </li></ul><ul><li>O mar não possuía abismos nem monstros. </li></ul><ul><li>Cidades cresciam com rapidez. </li></ul><ul><li>O com é r cio expandia-se. </li></ul><ul><li>O protestantismo dividia a igreja. </li></ul><ul><li>A ciência questionava a igreja. </li></ul><ul><li>A ciência era ameaçada pela inquisição. </li></ul>
  3. 3. A linguagem do Classicismo renascentista <ul><li>o individualismo </li></ul><ul><li>o racionalíssimo </li></ul><ul><li>a ambição ilimitada </li></ul>
  4. 4. A razão abstrata em rigor das matemáticas regem o sistema de controle: <ul><li>do tempo </li></ul><ul><li>do espaço </li></ul><ul><li>do trabalho </li></ul><ul><li>da natureza </li></ul>
  5. 5. O amor desce ao inferno <ul><li>A Divina Com é dia de Dante Alighieri (1307-1321). </li></ul><ul><ul><li>Aborda o tema da vida pós-morte </li></ul></ul><ul><ul><li>Exalta do amor a Deus . </li></ul></ul><ul><ul><li>Descreve a vida terrena: da moral . vacilante e fraquezas humanas . </li></ul></ul><ul><ul><li>Critica os maus religiosos . </li></ul></ul><ul><ul><li>Celebra o amor profano por Beatriz . </li></ul></ul>
  6. 6. Petrarca: o mestre da poesia lírica <ul><li>Humanista, erudito, diplomata </li></ul><ul><li>Interessado por filosofia greco-romana </li></ul><ul><li>Fundador do platonismo amoroso </li></ul><ul><li>Cultivador dos estados melancólicos da alma e da natureza como companheiro e confidente do eu lírico frustrado amorosamente </li></ul>
  7. 7. Amor platônico moderno <ul><li>é toda a relação afetuosa em que se abstrai o elemento sexual, idealizada, por elementos heterossexuais de gêneros diferentes - como num caso de amizade pura, entre homem e mulher. </li></ul>
  8. 8. O amor ideal de Platão <ul><li>O filosofo grego da Antigüidade concebera o Amor como algo essencialmente puro e desprovido de paixões, ao passo em que estas são essencialmente cegas, materiais, efêmeras e falsas. </li></ul><ul><li>O Amor, no ideal platônico, não se fundamenta num interesse (mesmo o sexual), mas na virtude . </li></ul>
  9. 9. Linguagem do Classicismo Renascentista
  10. 10. Formas clássicas <ul><li>Écloga: poema dialogado pastoril </li></ul><ul><li>Elegia: poema de fundo melancólico </li></ul><ul><li>Ode: poema de exalta ção a determinada pessoa </li></ul><ul><li>Epístola: carta em verso </li></ul><ul><li>Epitalâmio: poema de congratulação a noivos recém-casados. </li></ul><ul><li>Epopéia: longo poema narrativo que exalta as ações de um herói, verdadeiro ou lendário, representativo da formação e do passado de um povo </li></ul>
  11. 11. No texto I, Dante está no inferno e encontra Virgílio, poeta que viveu na Roma antiga, entre 71 e a 19 a.C., e escreveu a epopéia Eneida. <ul><li>“ Então, tu é s Virgílio, aquela fonte </li></ul><ul><li>q ue expande de eloquência num largo rio?” </li></ul><ul><li>-- perguntei-lhe, baixando humilde a fonte. </li></ul><ul><li>Dos outros poetas honra e desafio </li></ul><ul><li>v alham-me o longo e s for ç o e o furido amor </li></ul><ul><li>que ao teu poema votei anos a fio. </li></ul><ul><li>Na verdade es meu mestre meu autor, </li></ul><ul><li>ao teu exemplo devo, deslumbrado, </li></ul><ul><li>o belo estilo que e meu só valor. </li></ul>a) O que Virgílio representa para Dante? b) identifique no texto a expressão que demonstra a preocupação de Dante em imitar os clássicos.
  12. 12. William Blake -- Inferno
  13. 13. Escan s ão >>> Medida Nova <ul><li>I - “En / tão, / tu / é s / Vir / gí / lio, a / que / la / fon / te” </li></ul><ul><li>1/ 2 / 3 / 4 / 5 / 6 / 7 / 8 / 9 / 10 </li></ul><ul><li>II – “Não / te / nho / paz / nem / pos / so / fa / zer / guer / ra;” </li></ul><ul><li>1 / 2 / 3 / 4 / 5 / 6 / 7 / 8 / 9 / 10 </li></ul><ul><li>III – “Tan / to / de / meu / es / ta / do / me a / cho in / cer / to,” </li></ul><ul><li>1 / 2 / 3 / 4 / 5 / 6 / 7 / 8 / 9 / 10 </li></ul><ul><li>VI – “ Trans / for / ma / -se o a / ma / dor / na / cou / sa a / ma / da ” </li></ul><ul><li>1 / 2 / 3 / 4 / 5 / 6 / 7 / 8 / 9 /10 </li></ul>
  14. 14. Típico Soneto Italiano: Tanto De Meu Estado Me Acho Incerto <ul><li>Quatorze versos: </li></ul><ul><li>>> </li></ul><ul><ul><li>Dois quartetos >> </li></ul></ul><ul><ul><li>>> </li></ul></ul><ul><ul><li>>> </li></ul></ul><ul><ul><li>Dois tercetos >> </li></ul></ul><ul><ul><li> >> </li></ul></ul>Tanto de meu estado me acho incerto, Que em vivo ardor tremendo estou de frio; Sem causa, juntamente choro e rio; O mundo todo abarco e nada aperto. É tudo quanto sinto um desconcerto; Da alma um fogo me sai, da vista um rio; Agora espero, agora desconfio, Agora desvario, agora acerto. Estando em terra, chego ao Céu voando; Numa hora acho mil anos, e é de jeito Que em mil anos não posso achar u~a hora. Se me pergunta alguém porque assim ando, Respondo que não sei; porém suspeito Que só porque vos vi, minha Senhora.
  15. 15. Pl á gio ou exercício poético? <ul><li>A noção do pl á gio ganhou mais for ç a somente a partir do Romantismo (seculo XIX) . </li></ul><ul><li>Os artistas começam a cultuar o próprio eu . </li></ul><ul><li>Passaram dar valor a noção de autoria e de originalidade de uma obra de arte. </li></ul><ul><li>Antes disso , era comum um poeta imitar o outro . </li></ul><ul><li>O imitador tomava o imitado como um mestre que ensinava e que deveria ser homenageado . </li></ul>
  16. 16. O Nascimento de Vênus (Botticelli)
  17. 17. Resnascimento <ul><li>Características gerais:  * Racionalidade  * Dignidade do Ser Humano  * Rigor Científico  * Ideal Humanista  * Reutilização das artes greco-romana   </li></ul><ul><li> </li></ul>
  18. 18. O Humanismo: o homem acima de tudo <ul><li>O homem era a mais importante criatura de Deus </li></ul><ul><li>Ser racional, inteligente , inventor perspicaz </li></ul><ul><li>O homem se torna dono de suas próprias vontades </li></ul>
  19. 19. Antropocentrismo: <ul><li>antropo = homem </li></ul><ul><li>centrismo = relacionado a centro </li></ul><ul><li>O homem no centro de tudo </li></ul>
  20. 20. Teocentrismo <ul><li>teo = Deus </li></ul><ul><li>centrismo = relacionado a centro </li></ul>

×