A avaliacao da aprendizagem como processo construtivo do aluno autor
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

A avaliacao da aprendizagem como processo construtivo do aluno autor

on

  • 1,517 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,517
Views on SlideShare
1,517
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
56
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    A avaliacao da aprendizagem como processo construtivo do aluno autor A avaliacao da aprendizagem como processo construtivo do aluno autor Presentation Transcript

    • PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS DIVISÃO DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS AVA NO CONTEXTO DA APRENDIZAGEM E AVALIAÇÃO ATIVIDADE 3.2 - MÓDULO - III Desenvolvimento de apresentação do texto clássico por meio do SlideShare “ A avaliacao da aprendizagem como processo construtivo do aluno autor” AUTORA: Lázara Lima de Oliveira
    • A avaliacao da aprendizagem como processo construtivo do aluno autor
    •  
    •  
    •  
    • A avaliacao da aprendizagem como processo construtivo do aluno autor O sistema educacional do Brasil na grande maioria usa a avaliação apenas de maneira classificatória. O estudante quando avaliado nesse método se encontra numa situação estática, definitivamente classificada como inferior, média ou superior.
      • É necessário perceber o real valor da avaliação o qual aparece no momento em que, o aluno toma conhecimento de seus avanços e dificuldades.
      Valorizar o todo .
      • Luckesi (1999) “cabe ao professor desafiá-lo a superar as dificuldades e continuar progredindo na construção dos conhecimentos”.
      • Se abrindo para receber do professor um norte, um incentivo, um posicionamento e não somente um resultado.
      Entendemos que, o momento de avaliação deveria ser uma parada ao longo do caminho, ou seja, um momento onde o aluno pudesse parar e respirar.
      • É necessária a mudança na aplicação da avaliação, passando a ser tratada como avaliação da aprendizagem e não avaliação da classificação.
    • O progresso do aluno só pode ser percebido quando comparado com ele mesmo, isto é, o professor poderá informá-lo: como estava? como está? e direcioná-lo no sentido que, ele perceba seu próprio nível de aprendizagem e se encontre nas ações aplicadas pelo professor com intenções de retomar ou avançar na sua particular aprendizagem.
    • E para alcançar tais objetivos Libâneo (1994) assegura que, “é necessário o uso de instrumentos e procedimentos de avaliação adequados”. Compreender que a utilização da avaliação como instrumento de aprendizagem é utilizar sua função principal, é contribuir para que o aluno aprenda se encontrando nas intervenções realizadas pelo professor e que o professor tenha a oportunidade de mediar, determinando o quanto e em que nível os objetivos foram alcançados.
    • Isso nos remete a busca por mudanças! ?
    • Segundo a afirmação de Perrenoud (1993), “mudar a avaliação significa provavelmente mudar a escola”, não de lugar, mas transformar a idéia da “avaliação do ensino” para a “avaliação da aprendizagem”, siguinifica mudar automaticamente o método da avaliação, é mudar os nossos próprios hábitos, é mexer em todo o nosso banco de dados, são ações que, irão gerar mudanças em série atingindo implacavelmente todos os celeiros educacionais desde o mais próximo do aluno como a família e a orientação pedagógica até os cientistas educacionais e ministério (MEC).
    • Certamente inúmeras problematizações irão ocorrer , angustias e inseguranças com o novo, mas que se fazem necessárias para alcançarmos os objetivos propostos.
    • Para o professor a avaliação deverá ser um componente de reflexão sobre os conhecimentos expostos pelo aluno e sobre a sua prática pedagógica.
    •  
    • E para o aluno deverá ser uma oportunidade de perceber o seu nível de aprendizagem e ou de reorganizar e expor seus conhecimentos e ainda como instrumento de reflexão sobre os próprios conhecimentos construídos bem como os procedimentos dessa aprendizagem.
    • os novos paradigmas da educação que contemplam o qualitativo.
    •  
    • “ Por traz da mão que pega o lápis, dos olhos que olham, dos ouvidos que escutam. Há uma criança que pensa”. Emilia Fereiro
    • Referências http://www.arealocal.com.br/blog/marketing-o-poder-do-posicionamento/ http://lubarrach.blogspot.com/2010/11/construtivismo-o-que-e.html http://anapaulapedagogiaufpa.blogspot.com/2010/10/avaliacao-da-aprendizagem.html http://brutoon.blogspot.com/2008/11/cartoon-xvi-os-tentculos-da-avaliao-dos.html http://professorempanico.blogspot.com/2010_11_01_archive.html http://www.moodle.ufba.br/mod/book/view.php?id=69197&chapterid=18999 http://www.toondoo.com./Search.toon?searchfield=aula%20coletiva&searchFrom=toon http://gabipedagoga.blogspot.com/ http://blogdarosangelaoliveira.blogspot.com/2010/08/avaliacao-de-desempenho.html http://rhproducao.wordpress.com/2010/03/21/como-se-auto-avaliar/ http://apaixonadosporletramento.blogspot.com/2009/09/frase.html http://blog.cancaonova.com/ead/tag/erros/ http://prazerdevivereaprender.blogspot.com/2010/08/qualidade-na-educacao.html http://ednatelles.blogspot.com/ http://www.vidamaislivre.com.br/noticias/noticia.php?id=1784&/aprovada.pec.que.impede.escolas.de.recusare.maiores.de.18.anos.com.deficiencia
    • LUCKESI. C.C. Avaliação da aprendizagem escolar. Editora, São Paulo, 1999. HADJI, C. Avaliação desmistificada. Porto Alegre: Artes Médicas, 2001. PERRENOUD, P. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens. Porto Alegre: Artmed, 1993. LIBÂNEO, J.C. Didática. 15. Ed. São Paulo: Cortez, 1999 Bibliografia