• Save
Mer - Modelo Entidade Relacionamento
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Mer - Modelo Entidade Relacionamento

on

  • 7,894 views

Apresentação no Powerpoint sobre Modelo Entidade Relacionamento

Apresentação no Powerpoint sobre Modelo Entidade Relacionamento

Statistics

Views

Total Views
7,894
Views on SlideShare
7,894
Embed Views
0

Actions

Likes
6
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Mer - Modelo Entidade Relacionamento Presentation Transcript

  • 1. Tecnologias e Linguagens de Banco de Dados I
  • 2. Porque guardar/armazenar informação? Para manter a informação, “fato” guardado (memória) em um meio que pode ser visto e mantido por diversas pessoas.
  • 3. Por que utilizar banco de dados? Para organizar as informações que desejamos guardar (armazenar) mais rápida; Coletar informações; Facilitar o acesso aos dados armazenados; Retornar as informações armazenadas com agilidade; Gerenciar grandes volumes de informações; As empresas utilizam as informações para tomada de decisão;
  • 4. História do armazenamento de dados na humanidade. A utilização do livro de registro de nascimento em um cartório é uma das formas de guardar informações.
  • 5. Diferenças entre: Dado e Informação  Dado (representação da informação): fato do mundo real que está registrado e possui um significado implícito no contexto de um domínio de aplicação.  Exemplos: Rua Maranhão, 06/06/1959.  Informação (significado do dado): fato útil que pode ser extraído direta ou indiretamente a partir dos dados.  Exemplos: endereço da escola e fundação da escola.
  • 6. Banco de Dados no nosso dia!  As informações dos clientes das concessionárias de luz e de água;  Os catálogos (revistas) de venda direta;  Google.  O cadastro de uma locadora de veículos.
  • 7. Conceitos
  • 8. Banco de dados  Coleção de dados inter-relacionados, representando informações sobre um domínio específico. [KS94] Exemplos: Lista telefônica, controle de acervo de uma biblioteca, sistema de controle dos recursos humanos de uma empresa
  • 9. Banco de dados Relacional  São conjuntos de dados, relacionados entre si, que implementam as características do modelo de entidade e relacionamento1. 1 Fonte: Piva, Gustavo Dibbern: Informática, análise e gerenciamento de dados, Manual de Informática – Centro Paula Souza, v.3
  • 10. Sistema Gerenciador de Base de Dados (SGBD)  É o conjunto de programas de computador (softwares) responsáveis pelo gerenciamento de uma base de dados. O principal objetivo é retirar da aplicação cliente a responsabilidade de gerenciar o acesso, manipulação e organização dos dados. O SGBD disponibiliza uma interface para que os seus clientes possam incluir, alterar ou consultar dados. Em bancos de dados relacionais a interface é constituída pelas APIs ou drivers do SGBD, que executam comandos na linguagem SQL.  Exemplos: Oracle, DB2, Sybase, Informix, Ingres, Paradox, Postgre, MySQL, SQL Server, Access, Firebird, Interbase...  Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/SGBD
  • 11. Acesso ao banco de dados utilizando um SGBD. BDSGBD DADOS dados e/ou mensagens operações Usuários e sistemas aplicativos Sistema Gerenciador de Base de Dados (SGBD)
  • 12. ABSTRAÇÃO DE DADOS  O SGBD deve fornecer ao usuário uma “representação conceitual” dos dados, sem fornecer muitos detalhes de como as informações são armazenadas.
  • 13. VISÃO 1 VISÃO 2 VISÃO 3 NÍVEL CONCEITUAL NÍVEL FÍSICO ABSTRAÇÃO DE DADOS Quais dados são armazenados e quais os relacionamentos Como os dados são armazenados
  • 14. “Escreva uma vez, execute em qualquer lugar” Modelagem de dados
  • 15. Modelar Banco de dados  Um modelo de banco de dados: É uma descrição dos tipos de informações que estão armazenadas em um banco de dados.  Os modelos podem ser: Modelo Conceitual, Modelo Lógico e Modelo Físico.
  • 16.  Um “modelo de dados” é uma abstração de dados que é utilizada para fornecer esta representação conceitual utilizando conceitos lógicos como objetos, suas propriedades e seus relacionamentos.
  • 17. Catálogo de Dados  A estrutura detalhada e a organização de cada arquivo são descritas no catálogo
  • 18. MODELOS DE BANCO DE DADOS
  • 19.  Modelo Conceitual: Representa as regras de negócio sem limitações tecnológicas ou de implementação por isto é a etapa mais adequada para o envolvimento do usuário que não precisa ter conhecimentos técnicos.  Neste modelo temos :  Visão Geral do negócio;  Facilitação do entendimento entre usuários e desenvolvedores;  Possui somente as entidades e atributos principais;  Pode conter relacionamentos n para m.
  • 20.  Modelo Lógico: Leva em conta limites impostos por algum tipo de tecnologia de banco de dados. (banco de dados hierárquico , banco de dados relacional ,etc.).  Suas características são:  Deriva do modelo conceitual e via a representação do negócio;  Possui entidades associativas em lugar de relacionamentos n:m;  Define as chaves primárias das entidades;  Normalização até a 3a. forma normal;  Adequação ao padrão de nomenclatura;  Entidades e atributos documentados.
  • 21.  Modelo Físico: Leva em consideração limites impostos pelo SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de dados) e pelos requisitos não funcionais dos programas que acessam os dados e pelo hardware disponivel.  Características:  Elaborado a partir do modelo lógico;  Pode variar segundo o SGBD;  Pode ter tabelas físicas (log , lider , etc.);  Pode ter colunas físicas (replicação).
  • 22. Mini-Mundo Análise e Coleta de Requisitos Requisitos do Banco de Dados Projeto Conceitual Esquema Conceitual (Alto Nível) Mapeamento do Modelo de Dados Esquema Conceitual (Modelo do SGBD) Projeto Físico Catálogo do BD
  • 23. MER MODELO ENTIDADE RELACIONAMENTO
  • 24. MODELO DE ENTIDADE E RELACIONAMENTO (MER)  Definição:  Consiste em mapear o mundo real do sistema em um modelo gráfico que irá representar o modelo e o relacionamento existente entre os dados. Propõe definições e regras para o projeto e a implementação de bancos de dados.
  • 25. Roteiro para elaborar o diagrama 1) Faça uma lista das entidades 2) Identifique os relacionamentos entre elas. 3) Estabeleça as cardinalidades. 4) Desenhe um retângulo para cada entidade 5) Ligue as entidades com suas subentidades 6) Ligue os retângulos com losangos representando os relacionamentos. 7) Indique as cardinalidades.
  • 26. ENTIDADE  Identifica o objeto de interesse do sistema e tem "vida" própria, ou seja, a representação abstrata de um objeto do mundo real sobre o qual desejamos guardar informações.  Sobre que coisas precisamos guardar informações?  Substantivo  Perguntas::há necessidade de guardar informações sobre cada objeto?  Há mais de um objeto deste tipo?  Existe uma chave capaz de identificar cada objeto unicamenta?  Exemplo: Clientes, Fornecedores, Alunos, Funcionários, Departamentos, etc.  Não são entidades: - Entidade com apenas 1 elemento; - Operações do sistema; - Saídas do sistema; - Pessoas que realizam trabalhos (usuários do sistema); - Cargos de direção
  • 27. Representação gráfica
  • 28. SUB ENTIDADES Subentidades-> subconjunto de um conjunto maior. Recebe os mesmos atributos da entidade principal. + os seus atributos . Tem a mesma chave primária. (especialização) Entidade -> subentidades Generalização: caminho inverso da especialização. Subentidades -> entidades.
  • 29. ENTIDADE FRACA  Entidade fraca: Quando a entidade precisa da chave primaria de outra entidade para tornar-se única. “Escreva uma vez, execute em qualquer lugar”
  • 30. INSTÂNCIA DE ENTIDADE  São os elementos da entidade. Exemplo: Cliente 10, Funcionário João, Aluno Pedro, etc.
  • 31. ATRIBUTO  Informações que desejamos guardar sobre a instância de entidade. Exemplo: Nome do aluno, Número da turma, Endereço do fornecedor, Sexo do funcionário, etc. Adjetivo (característica/qualidade)
  • 32. ATRIBUTO  ATRIBUTO SIMPLES: Representação Gráfica dataFinalou
  • 33.  ATRIBUTO CHAVE (Chave Primaria ou Primary Key – PK) Único ->Não pode existir dois registros com o mesmo valor. Universal Imutável ATRIBUTO
  • 34. CHAVE COMPOSTA  Atributo chave composto (Chave primária composta)
  • 35. DOMÍNIO DO ATRIBUTO  Universo de valores que um atributo pode armazenar. Exemplo:  Conjunto de valores do atributo Sexo do funcionário: M ou F;  Conjunto de valores do atributo Nome do aluno: 40 caracteres alfanumérico.  Conjunto de valores do atributo salário: inteiro maior que 5000
  • 36. RELACIONAMENTO  Representa a associação entre os elementos do conjunto de um entidade com outra entidade.  Exemplo:  O João está matriculado na disciplina de Banco de Dados  onde:  João - Elemento do conjunto de valores do atributo Nome do aluno da entidade Aluno;  Banco de Dados - Elemento do conjunto de valores do atributo Nome da disciplina da entidade Disciplina;  matriculado - Ligação existente entre um aluno e uma disciplina
  • 37. REPRESENTAÇÃO GRÁFICA: ENTIDADE
  • 38. SISTEMA DE BANCO DE DADOS SGBD Programas de Aplicação/Consulta Software para processar manipulação Software de Acesso aos Dados Meta Dados Dados Sistema de Banco de Dados
  • 39. SGBD programas de aplicação chamadas de rotina consultas esquema de banco de dados pré-compilador da linguagem de manipulação de dados processador de consultas compilador da linguagem de definição de dados código objeto dos programas de aplicação gerenciador do banco de dados gerenciador de arquivos arquivo de dados dicionário de dados Memória de Disco usuários simples programadores de aplicações usuários ocasionais DBA Usuários
  • 40. Bibliográfia  KS94 - Korth, H.F. e Silberschatz, A.; Sistemas de Bancos de Dados, Makron Books, 2a. edição revisada, 1994.  Heuser, Carlos Alberto. Projeto de banco de dados, 6. ed – Porto Alegre: Bookman, 2009.  http://www.acordapraweb.com/bancos-de-dados-como-funciona-o-google/ - Acesso em 24/10/2010