Trabalho grupo roxo (act 3)

485 views
397 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
485
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
32
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trabalho grupo roxo (act 3)

  1. 1. Media Digitais a O papel dos media digitais naMestrado em Comunicação Educacional Multimédia construção da Identidade Social dos Jovens Gender, Identity and Language Use in Teenage Blogs Docentes: Daniela Barros e Lúcia Amante Grupo Roxo: Daniela Santos Vanessa Tolle Telma Mendonça
  2. 2. Gender, Identity and Language Use in Teenage BlogsIntroduçãoIdentidade é um processo que se inicia na infância e termina com o culminar de umavida. O seu papel no desenvolvimento do adolescente é significativamente importante.A adolescência permite que o jovem aprenda a conhecer se e a definir conhecer-se definir-se de umaforma que não era possível durante a sua infância. Mais especificamente, acapacidade de reflectir sobre os seus próprios pensamentos e, portanto, sobre si pensamentosmesmo, acrescentando uma nova dimensão de auto descoberta, em particular de uma auto-descoberta,identidade sexual.Nos dias de hoje, de uma forma ou outra, as Novas Tecnologias encontram encontram-sepresentes na vida do ser humano. Estas têm o poder de influenciar muitas pessoas, deforma directa ou indirecta, e afectam dessa forma a identidade social das mesmas. Aconstrução dessa identidade, é vista como a tarefa mais importante da adolescência.As novas tecnologias vieram facilitar esta urgência de comunicar que faz parte de nóse que nos permite relacionar com os outros, disponibilizando nos ferramentas como a disponibilizando-nosInternet para nos aproximar uns dos outros.De entre a variedade de formas de comunicação na Internet, o Blogue surge comouma das mais utilizadas pelo carácter de diário pessoal que este assume, permitindoaos seus autores manter-se no anonimato e dando lhes a liberdade de expressão que se dando-lhesnão encontra no mundo real.Por estas razões e sendo um tema que nos suscita alguma curiosidade, escol escolhemos otexto, “Huffaker, D.; Calvert, S. (2008). Gender, Identity and Language Use in Teenage Huffaker,Blogs. In Journal of Computater Mediated Comunication, 10 (2), article 1” onde Computater-Mediatedfazemos a análide da influência dos blogues na construção da identidade social dosjovens pela linguagem utilizada e por géneros, sobre a qual, iremos de seguidadestacar alguns pontos, nomeadamente os que nos chamaram mais à atenção notexto. 2
  3. 3. Gender, Identity and Language Use in Teenage BlogsIdentidadeA definição da identidade, enquanto processo realizado ao longo da vida, ganhaparticular importância na adolescência, onde o jovem procura a definição daidentidade sexual, da forma de estar no mundo, dos gostos e preferências e daquantidade e do tipo de relações que se estabelecem com os outros, sobretudo comos pares. É neste contexto que a maioria dos jovens adolescentes faz uso dos sitessociais.Muitas vezes assinalamos a identidade pelas características interpessoais, tais comoauto-definição ou traços de personalidade, os papéis e as relações em diversasinteracções, e os seus valores pessoais ou crenças morais (Calvert, 2002).Identidade envolve também um sentido de continuidade da auto-imagem ao longo dotempo (Grotevant, 1998), uma continuidade que pode ser interrompida quando apuberdade cria uma modificação radical na sua aparência física. Com a maturaçãosexual, surgem mudanças nos papéis que se espera para assumir com os membrosdo sexo oposto, o adolescente cada vez mais deverá assumir uma identidade sexual,até chegar à idade madura (Erikson, 1993; Grotevant,1998).Assim, podemos perceber que a adolescência pode ser caracterizada como uma faseda vida onde o adolescente passa por transformações físicas, psíquicas e sociais,procurando sempre uma resposta para "quem sou eu?".A família aparece como primeira referência, portanto, o jovem com o sentido deprocurar, se auto-afirmar e encontrar o seu lugar tende a distanciar-se sobretudo dospais. Se a família tem estrutura, possivelmente será o porto seguro, mas casocontrário o jovem vai continuar a procurar os seus valores e crenças através dos seusamigos.Na sociedade contemporânea americana (EUA), muitos adolescentes gastam umaquantidade considerável de tempo nas interacções online (Subramanyam, Greenfield,Kraut & Gross, 2002). Os estudiosos têm explorado activamente como a identidade ea linguagem se manifestam nas interacções online.A pesquisa actual em comunicação mediada por computador (CMC) em ambientescomo salas de chat, newsgroups e MUDs revelou tendências interessantes na maneiracomo a identidade individual é apresentada, a linguagem é usada, e as interacçõesocorrem.(Calvert, 2002; Crystal, 2001; Greenfield & Subrahmanyam, 2003; Herring,2000; Turkle, 1995).Como exemplo podemos citar o caso de weblogs ou blogues. Os blogues são diáriospessoais constituídos por comentários cronológicos invertidos, escritos por indivíduose acessíveis ao público na web, e têm particularidades tecnológicas que asdiferenciam de outras formas de CMC (Herring et al, 2004a;. Huffaker, 2004b). 3
  4. 4. Gender, Identity and Language Use in Teenage BlogsOs Blogues permitem:1) facilidade de utilização, os utilizadores não precisam saber HTML ou outraslinguagens de programação web para publicar na Internet;2) maneiras de arquivar informações e conhecimentos;3) oportunidades para os outros comentarem ou opinarem cada post do blogue;4) links para outros blogues para formar comunidades online.Estas características são especialmente importantes para a construção da identidadeonline. Primeiro, a falta de conhecimentos técnicos necessários para criar ou manterblogues torna a aplicação mais acessível, independentemente do sexo e idade. Emseguida, a possibilidade de criar arquivos dos posts das suas impressões eexpressões anteriores permite uma sequência do discurso acessível para receberfeedback, assim, a construção de identidade pode ser um processo contínuo paraadolescentes, e ao qual podem recorrer.Finalmente, quando o software do blogue oferece maneiras de fornecer comentáriosou links para outros blogues, isso pode fomentar um sentimento de relacionamentoentre os grupos, outro aspecto importante para o adolescente em desenvolvimento.Os blogues constituem um novo meio de comunicação mediada por computador epode oferecer a introspecção na maneira em que os adolescentes se apresentamespecialmente em termos de auto-expressão e nas relações de grupos, os quaisinfluenciam na construção da identidade.A Internet permite aos adolescentes explorar facetas das suas personalidades que têmexpressão limitada na vida presencial (offline). A vida online estimula a auto expressãolivre, que, por sua vez, pode favorecer o desenvolvimento de uma nova identidadepessoal.Identidade sexual em adolescentesUma componente referente ao papel dos géneros, que é um marco importante nodesenvolvimento da adolescência, envolve a orientação sexual (Huston, 1983).Embora saibamos que os desafios de assumir uma identidade sexual madura ocorrepara todos os jovens, estes desafios são difíceis para aqueles que são gays, lésbicas,bissexuais ou transgêneros. Segundo Foucault, historicamente, as pessoas comorientações não heterosexuais sofreram discriminação, desprezo e até mesmopunição.Mesmo vivendo no século XXI, podemos perceber claramente a discriminação pelaqual os grupos citados acima passam.Muitos jovens enfrentam sentimentos eróticos e fantasias que podem não ser capazesde discutir com os seus familiares e colegas (Grotevant, 1998). 4
  5. 5. Gender, Identity and Language Use in Teenage BlogsAssim o mundo virtual é visto como espaço livre para que muitos expressem a suaorientação sexual podendo explorar a sua identidade sexual para além das regrasimpostas pela sociedade. Observando alguns blogues, percebemos que a linguagem éum dos principais meios através dos quais a identidade sexual pode ser expressa eexplorada.As discussões sobre as relações em blogues são igualmente divididas entre osbloggers do sexo masculino e feminino. A maior parte das discussões, gira em tornode namorados e namoradas. Quanto à discussão sobre a homosexualidade, édiscutida maioritariamente pelos homens, existindo apenas dois casos de mulheres.Vivemos num mundo onde há mudanças significativas e o processo de identificaçãopela qual o adolescente passa, faz-se de forma desafiadora, devido às diferenças dospadrões éticos e comportamentais da sociedade.Género dos BloggersA maioria das pesquisas sugerem que uma parcela significativa da população total dosblogues é ocupada por adolescentes, e a divisão entre os sexos é relativamenteestreita.Perseus Development Corporation, por exemplo, refere que 56% dos bloggers(autores de Blogues) são do sexo feminino e 44% são do sexo masculino (Henning,2003). Através de um estudo similar de 203 blogues seleccionados aleatoriamenteverificou-se que 54% têm autores do sexo masculino e 46% têm autores do sexofeminino. (Herring et al., 2004)Na utilização de emoticons, verificou-se que as raparigas utilizam mais acentosgráficos, incluindo os emoticons para expressar a emoção no seu discurso, do que osrapazes (Witmer & Katzman, 1997), que têm tendência a negar os seus sentimentos,incluindo tristeza (Ruble & Martin, 1998).As teorias sobre a linguagem do sexo feminino, sugerem que as raparigas utilizam umestilo de linguagem que reflecte a desconfiança, timidez e baixa auto-confiança,indicando uma falta de compromisso ou de opinião forte (Eckert e McConnell-Ginet,2003).Num estudo realizado em grupos de discussão, verificou-se que as raparigas têm maistendência a auto-divulgar, evitar ou tentar reduzir a tensão (Savicki, 1996). Da mesmaforma, Herring (2000) conclui que as raparigas agradecem mais, pedem desculpas eficam chateadas quando existem comentários desagradáveis (Herring, 2000).Em contrapartida, grupos de discussão dominados pelo sexo masculino, tendem autilizar a linguagem impessoal (Savicki, 1996), onde os rapazes parecem menospreocupados com a educação e, por vezes transgridem as normas de conduta online(Herring, 2000). 5
  6. 6. Gender, Identity and Language Use in Teenage BlogsNuma análise de páginas pessoais, as raparigas são consideradas "amigáveis",enquanto os rapazes apresentam-se como "confiantes" (Arnold & Miller, 1999).A linguagem utilizada nos Blogues por adolescentesA comunicação faz parte de nós, desde que a Humanidade existe, é a materializaçãodos nossos pensamentos e sentimentos e é através dela que nos tornamos parteintegrante de uma sociedade. Até aos dias de hoje assistimos a uma evolução dosmeios de comunicação que nos foram aproximando até que a Internet e as novastecnologias surgiram e se tornaram numa poderosa ferramenta que nos tornou numaaldeia global.O Blogue é uma das formas de comunicação, que a Internet permite, para além deoutras, utilizado pelos adolescentes como um diário para publicar reflexões, histórias,ideias, preocupações, imagens, fotos pessoais, etc., ou seja, o mundo virtual torna-sena continuação do mundo real mas permite-lhes ter a liberdade de expressão que nãoencontram offline no seu dia-a-dia.No mundo virtual não existem os constrangimentos do mundo real, onde a expressãopessoal de cada um, é muitas vezes representada por máscaras sociais e está sujeitaàs exigências e condicionamentos da sociedade.Estes constrangimentos do mundoreal são maioritariamente físicos como: a própria imagem, sexo, raça ou até idade esão facilmente ultrapassáveis no mundo virtual pela reconstrução virtual do eu asvezes necessárias.É pelo Blogue, pela Internet, que os adolescentes, nesta fase de procura interior do“eu” e da construção da sua identidade sexual, tornam a sua luta diária contra osestereótipos e o preconceito numa luta virtual, sob o anonimato muitas das vezes, masprocurando libertar-se de qualquer tipo de domínio: da sociedade e dos próprios pais.Esta sua procura de identificação pessoal e de ligação/comunicação/interacção comos outros para compreender o seu lugar no mundo pode ser observada e estudadaatravés do discurso que os adolescentes mantêm nos seus Blogues. De acordo comas teorias sociais de interacção a linguagem é o meio pelo qual se pode explorar aforma como o indivíduo constrói o seu “eu” social.Pela forma como se expressam pela escrita obtemos uma narrativa do que se passano seu mundo interior e exterior mas para colmatar a falta das expressões faciais e osgestos que caracterizam a comunicação face a face são utilizados os emoticons(palavra derivada de emotion/emoção e icon/ícone) ou smileys. Ainda podem serutilizados pontos de interrogação, de exclamação e reticências em excesso com oobjectivo de dar à escrita a entonação própria da fala.A linguagem utilizada na Internet é muito mais fluída, informal, acessível e próxima docoloquial na forma escrita mostrando uma evolução no uso do discurso. Estalinguagem tem como objectivo facilitar a comunicação entre os jovens como se setratasse de uma língua universal que é comum a um grupo social ou “tribo”, grupos de 6
  7. 7. Gender, Identity and Language Use in Teenage Blogsadolescentes formados com base em interesses comuns. “…a linguagem adoptada nomundo virtual requer habilidades de escrita rápida para esta geração Net, o que criauma solução intermediária de comunicação, provocando muita preocupação aosestudiosos” (AMARAL, 2003, p. 31) .¹A Netspeak, ou a linguagem utilizada na Internet, é constituída por formas linguísticastradicionais e outras formas linguísticas adaptadas, incluindo o calão e formaslinguísticas atípicas que são utilizadas às vezes na vida real.Toda a variedade destasformas linguísticas é fruto da criatividade e da irreverência dos seus utilizadores.Outros exemplos de variedade e diversificação da Netspeak são: os acrónimos (ex.: lol= laugh out loud/gargalhada), jogos ou variações de palavras (ex.: Cya = seeyou/vemo-nos por aí), imagens gráficas que representam emoções designadas poremoticons ou smileys, através de caracteres tipográficos (ex.: :-( = sad/triste) oupequenas imagens (ex.: ☺ = happy/feliz), ou ainda por imagens gráficas querepresentam uma pessoa real num contexto virtual, designados por avatares.Entre os emoticons mais usados estão o happy/feliz, sad/triste , angry/zangado, flirty/namoradeiro e tired/cansado. Estas imagens gráficas, não só estão relacionadas como conteúdo da mensagem como também ajudam a formar uma impressão dadisposição do autor ou da sua atitude, o que poderá facilitar a comunicação einteracção com os outros. Os emoticons também oferecem uma dinâmica e umcarácter divertido ao texto escrito e ao Blogue.Esta linguagem utilizada no contexto da comunicação mediada por computadortambém apresenta características idênticas à utilizada num contexto face a face, taiscomo: verbosidade, firmeza, assertividade, calúnia, delicadeza e indelicadeza.No entanto, existem diferenças entre a comunicação pelo computador, como porexemplo no Blogue, e a comunicação face a face que residem na forma como asmensagens aparecem fora de sequência (comentários assíncronos) os quais afectama coerência da comunicação. A situação oposta à forma de comunicar no Blogue é acomunicação pelo IM (Instant Messenger), o qual permite o contacto síncrono pormúltiplos utilizadores e uma sequência na conversa.Para análise da linguagem nos Blogues podemos estudar o discurso dos adolescentesatravés de várias variáveis, como o número de palavras utilizadas, incluindo adjectivose verbos e, a variedade e complexidade do total de palavras utilizadas. Outros factoresa ter em conta para análise e estudo do discurso dos adolescentes nos Blogues são: alinguagem que transmite assertividade (com determinação, inflexibilidade eautoridade) e actividade (movimento, dinâmica, etc.) e ainda a identificação depadrões de linguagem comuns (aceites por/para um determinado grupo).Em suma, a Netspeak, linguagem utilizada na Internet para comunicar, continua aevoluir e por esse motivo continua a ser um importante objecto de estudo eobservação através da forma como os seus utilizadores interagem e como se 7
  8. 8. Gender, Identity and Language Use in Teenage Blogsexpressam em ambientes onde a comunicação é mediada por computadores comopor exemplo em salas de conversa, blogues, etc.ConclusãoA evolução da escrita no contexto das Novas Tecnologias tem deixado pais eprofessores apreensivos por se tratar da formação de adolescentes que nesta faseestão a desenvolver e a construir a sua identidade e por esse motivo estão abertos atodo o tipo de influências positivas ou negativas.No entanto, a possibilidade de se poderem exprimir online através de uma linguagemespecífica e própria sem restrições e sem controlo por parte dos pais, é encaradacomo uma fuga à realidade do dia-a-dia e também tem de ser vista pelo lado positivo.A linguagem como ferramenta na comunicação mediada por computador, neste casopelo Blogue, permite aos adolescentes encontrar outros Bloggers que partilham osseus anseios, ideias, pensamentos e preocupações e também é desta forma quepodem encontrar a validação social que não encontram nas suas vidas offline.No mundo conturbado dos jovens, onde tudo se caracteriza pela forma inquietante einsegura, as Novas Tecnologias têm exercido uma influência marcante e progressiva,que já vem desde a infância .Por um lado, esta influência aparece de forma positiva, onde incluímos todos osprogramas didácticos, os concursos de cultura geral, os anúncios induzindo os jovensa fazerem a reciclagem, etc… A Internet e a televisão permitem também que os jovenstenham noção de que existem várias culturas, países, e que se informem sobre omundo.Por outro lado, temos a forma negativa, que abrange toda a publicidade excessiva,que chegam a manipular e a influenciar os jovens para o consumismo em demasia; osprogramas violentos, principalmente os que induzem os jovens a uma falsa realidadeviolenta do mundo.Concluindo, embora a comunicação mediada por computador também seja benéficana educação dos jovens, levando-os a conhecer e a interagir com o mundo e a saberque existe uma imensidão de coisas para além daquilo que eles conhecem, nemsempre os valores induzidos aos mesmos são os mais correctos.ReferênciasHuffaker, D.; Calvert, S. (2008). Gender, Identity and Language Use in Teenage Blogs. In Journal of Computater-Mediated Comunication, 10 (2), article 1¹Ribas, E., Ribas, A., Pinho D. S., Lahm, R. A. A influência da linguagem virtual na linguagem formal de adolescentes.Fonte: http://www.cinted.ufrgs.br/ciclo9/artigos/8dElisangela.pdfFaria, E., Zuquim, V., ‘Uma Análise Crítica Da Influência Da Linguagem Da Internet No Cotidiano Do Interlocutor”.Fonte: http://www.br-ie.org/pub/index.php/wie/article/view/834/820 8

×