Histologia vegetal

8,136 views

Published on

1 Comment
16 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
8,136
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
167
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
16
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Histologia vegetal

  1. 1. TECIDOS EMBRIONÁRIOS – MERISTEMAS TECIDOS PERMANTENTES Histologia Vegetal
  2. 2. Meristemas <ul><li>São os tecidos responsáveis pelo crescimento do vegetal. </li></ul><ul><li>Meristema Primário (crescimento longitudinal/comprimento) </li></ul><ul><li>Meristema Secundário (crescimento em espessura – Gimnospermas + Angiospermas dicotiledôneas e algumas monocotiledôneas) </li></ul>
  3. 3. Meristema Primário <ul><li>crescimento longitudinal </li></ul><ul><li>Derivam do embrião </li></ul><ul><li>Subapical: ponta da raiz, logo acima da coifa. </li></ul><ul><li>Apical: ápice do caule e nas gemas laterais. </li></ul><ul><li>Protoderme – epiderme e seus anexos </li></ul><ul><li>Procâmbio – tecidos do cilindro central </li></ul><ul><li>Meristema fundamental - parênquima, colênquima e esclerênquima </li></ul><ul><li>Caliptrogênio – forma a coifa. </li></ul>
  4. 4. Meristema secundário <ul><li>Crescimento em lateral/espessura </li></ul><ul><li>Desdiferenciação dos tecidos adultos </li></ul><ul><li>Originam os tecidos adultos secundários das plantas </li></ul><ul><li>Felogênio: região da casca – forma o súber e a feloderme. </li></ul><ul><li>Câmbio: forma os novos tecidos de condução da planta – xilema e floema secundários. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>PARÊNQUIMAS </li></ul><ul><li>REVESTIMENTO </li></ul><ul><li>SUSTENTAÇÃO </li></ul>Tecidos adultos ou Permanentes
  6. 6. Parênquimas <ul><li>Tecido com células vivas, com pouco citoplasma e vacúolo grande e parede celular fina. </li></ul><ul><li>Várias funções: </li></ul><ul><li>Preenchimento </li></ul><ul><li>Clorofiliano </li></ul><ul><li>Reserva </li></ul><ul><li>Aquífero </li></ul><ul><li>Aerífero </li></ul>
  7. 7. Parênquima de Preenchimento <ul><li>Ocupa espaços deixados por outros tecidos. </li></ul><ul><li>Córtex – externo </li></ul><ul><li>Medula - interno </li></ul>
  8. 8. Parênquima clorofiliano <ul><li>Também chamado de assimilador ou clorênquima </li></ul><ul><li>Folhas e caules jovens </li></ul><ul><li>Células ricas em cloroplastos </li></ul><ul><li>Paliçádico – fotossíntese </li></ul><ul><li>Lacunoso – fotossíntese e circulação de ar. </li></ul>
  9. 9. Parênquima de reserva <ul><li>Armazenagem de substâncias nutritivas </li></ul><ul><li>Geralmente em raízes, sementes, caules e frutos. </li></ul><ul><li>Proteínas – grãos de aleurona, </li></ul><ul><li>Carboidratos – amido </li></ul><ul><li>Lipídios - óleos </li></ul>
  10. 10. Parênquima Aquífero <ul><li>Células com grandes vacúolos armazenadores de água. </li></ul><ul><li>Ex. Cactos e barrigudas </li></ul>
  11. 11. Parênquima aerífero - Aerênquima <ul><li>Espaços entre células onde o ar fica acumulado permitindo a flutuação da planta. </li></ul><ul><li>Folhas e caules de plantas aquáticas. </li></ul>
  12. 12. Tecidos de revestimento - Tegumentários <ul><li>Tecidos protetores </li></ul><ul><li>Pequena permeabilidade ao ar e à água </li></ul><ul><li>Epiderme e súber </li></ul><ul><li>Epiderme: </li></ul><ul><li>Uniestratificada e aclorofilada; </li></ul><ul><li>Cutícula – cutina ou cera – economia de água </li></ul>
  13. 13. Anexos da Epiderme <ul><li>Tricomas: papilas, pelos e escamas. </li></ul><ul><li>Estômatos: poros reguladores das trocas gasosas e transpiração. </li></ul><ul><li>Acúleos: Função de defesa. </li></ul>
  14. 14. Epiderme - Estômato <ul><li>Células guarda: clorofiladas </li></ul><ul><li>Células anexas ou companheiras: laterais à células guarda </li></ul><ul><li>Célula túrgida: estômato aberto </li></ul><ul><li>Célula murcha: estômato fechado </li></ul>
  15. 15. Epiderme - Estômato <ul><li>Com luz – fotossíntese -  [glicose] – água entra na célula por osmose – abre o estômato </li></ul><ul><li>Sem luz - fotossíntese -  [glicose] – água sai da célula por osmose – fecha o estômato </li></ul>
  16. 16. Tecido de Revestimento - Súber <ul><li>Formado a partir do felogênio </li></ul><ul><li>Células mortas pela deposição de suberina (lipídio) </li></ul><ul><li>Lenticela: trocas gasosas. </li></ul>
  17. 17. Tecidos de Sustentação <ul><li>Atuam na sustentação mecânica da planta, como um esqueleto. </li></ul><ul><li>Colênquima </li></ul><ul><li>Esclerênquima </li></ul>
  18. 18. Tecidos de Sustentação - Colênquima <ul><li>As células do colênquima são vivas, alongadas, de forma poliédrica em corte transversal; </li></ul><ul><li>Dão maior flexibilidade aos pecíolos das folhas, pedúnculos das flores e a caules herbáceos. </li></ul><ul><li>São comparáveis ao tecido cartilaginosos dos animais. </li></ul>
  19. 19. Tecidos de Sustentação - Esclerênquima <ul><li>Células mortas por deposição de lignina; </li></ul><ul><li>Encontrada nas partes mais velhas do vegetal – resistência a pouca flexibilidade. </li></ul><ul><li>Equivale ao tecido ósseo dos animais. </li></ul>
  20. 20. XILEMA FLOEMA Tecidos de Condução de Seiva
  21. 21. Tipos <ul><li>Xilema ou lenho – seiva bruta (água e sais minerais) </li></ul><ul><li>Floema ou líber – seiva elaborada (água e carboidratos, resultantes da fotossíntese) </li></ul>
  22. 22. Xilema ou lenho <ul><li>Constituição: </li></ul><ul><li>Elementos traqueais (células mortas com reforço de celulose e lignina); </li></ul><ul><li>*Elementos de vaso </li></ul><ul><li>*Traqueídes </li></ul><ul><li>Parênquima lenhoso; </li></ul><ul><li>Fibras do esclerênquima. </li></ul>
  23. 23. Floema ou líber <ul><li>Constituição: </li></ul><ul><li>Vasos liberianos </li></ul><ul><li>*células crivadas (vivas, mas sem núcleo e com poucas organelas) – ligadas à elas há as células companheiras (metabolismo dos vasos liberianos) </li></ul><ul><li>Parênquima liberiano - armazenar reservas </li></ul><ul><li>Fibras do esclênquima </li></ul>
  24. 24. Feixes condutores
  25. 25. Cintamento ou anel de Malpighi

×