Cap. 5 - O leste europeu
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Cap. 5 - O leste europeu

on

  • 11,302 views

 

Statistics

Views

Total Views
11,302
Views on SlideShare
11,302
Embed Views
0

Actions

Likes
4
Downloads
198
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Cap. 5 - O leste europeu Cap. 5 - O leste europeu Presentation Transcript

    • O LesteEuropeuProf.º Acácio Martins
    • Características gerais• É a parte menos desenvolvida da Europa;• Começa a ser formada na Primeira Guerra Mundial, se consolidando na Segunda Guerra Mundial, com a dominação soviética:• Até o séc. XX: Império Austro-Húngaro;• Primeira Guerra Mundial: desmembramento  Áustria (Ocidental), Hungria, Tchecolosváquia, Iugoslávia (Oriental);• Derrota alemã e do Império Russo  Polônia e repúblicas bálticas (Letônia, Lituânia e Estônia);
    • Características gerais• Segunda Guerra Mundial: Rússia  URSS integração das repúblicas bálticas e mais 12 repúblicas;• Guerra Fria: Europa Ocidental capitalista e Europa Oriental socialista  cortina de ferro;• Exército Vermelho Soviético  impunha o regime socialista de partido único que durou até 1989 (Alemanha Oriental, Leste Europeu e URSS);
    • Características gerais• 1989 a 1991: crise no Socialismo  integração da Alemanha, divisão da Tchecoslováquia (República Tcheca e Eslováquia), desintegração da Iugoslávia (Croácia, Bósnia e Herzegovina, Eslovênia, Macedônia, Sérvia e Montenegro);• Hoje: democracia liberal e capitalista, tendo algumas influências da Rússia.
    • Reação à dominação soviética• A população europeia sempre foi contra a inserção do socialismo na Europa Oriental, tentando vários vezes impedir a expansão e o fortalecimento desta doutrina.• Os países que mais demonstraram uma resistência à dominação soviética foram a Hungria, a Tchecoslováquia e a Polônia.
    • Hungria• Imre Nagy - Revolução Húngara (1956)  democratização do regime comunista, sendo derrotado pelas tropas stalinistas;• Após a Revolução: priorização da produção de bens de consumo, maior autonomia para as empresas estatais e liberdade dos camponeses para comercializar suas safras;• 1989: Pluripartidarismo Democracia  República da Hungria.
    • Tchecoslováquia• Primavera de Praga (1968)  forte movimento de democratização  interrompido violentamente pelos tanques do Pacto de Varsóvia;• Carta 77 (1977): os intelectuais protestavam contra a repressão e exigiam mais respeito aos direitos humanos  mais uma vez interrompido de maneira violenta;• 1987-1989: Revolução de Veludo  os membros da Carta 77 tomam o poder do Partido Comunista, iniciando um processo de democratização;• 1993: Negociação pacífica  divisão do território  República Tcheca e Eslováquia.
    • Polônia• 1970: Primeiro país a iniciar as transformações econômicas e políticas;• Solidariedade: sindicato católico apoiado pelo Papa João Paulo II e pelos operários  Ameaçadores para o Socialismo  Os soviéticos instauram a lei marcial, colocando o sindicato na ilegalidade;• Fim da década de 1980: Mudanças na URSS (Glasnost e Perestroika);• 1988: O sindicato emergiu e liderou inúmeras greves, obrigando o governo comunista a ceder;
    • Polônia• 1989: O Solidariedade teve a ilegalidade revogada e foram estabelecidas novas regras políticas e as eleições;• O Partido Comunista perde suas forças e torna-se inexpressivo;• 1990: Lech Walesa vence a primeira eleição presidencial, fazendo com que a Polônia se torne um país capitalista, solicitando, quatro anos depois, a adesão à UE.• 2004: A Polônia entra na UE e desde então está entre as economias que mais se desenvolve na Europa, mesmo com um alto índice de desemprego.
    • Transição econômica no Leste Europeu• Após a 2ª Guerra Mundial: Planejamento Estatal – priorizando a indústrias de base (siderúrgica, metalúrgica e construção naval);• 1990: O modelo estatal se torna defasado com o surgimento de novas tecnologias e um novo modelo industrial para suprir a abertura de mercados, corte de subsídios (auxílio) às empresas estatais, liberação dos preços e o surto de inflação (aumento dos preços e desvalorização da moeda).• Consequências: falência de muitas empresas, queda da produção e dos níveis de empregos.
    • Transição econômica no Leste Europeu• Sujeição a qualquer tipo de trabalho e migração• Queda da produção econômica  aumento da dívida externa, desemprego, desnutrição, consumo de drogas e álcool, alta inflação e pobreza.• Hoje: problemas sociais e econômicos  1/3 da população esta na linha de pobreza.
    • Transição econômica no Leste Europeu• Hungria, Rep. Tcheca e Polônia: altos níveis de industrialização e elevado IDH  aumento dos investimentos estrangeiros, fechamento ou privatização de empresas estatais tecnologicamente atrasadas e racionalização de gastos.• Apesar dos investimentos da Alemanha e dos fortes laços comerciais com os países da União Europeia, ainda há concentração de renda, desigualdades sociais e em alguns casos aumento do desemprego e da pobreza.
    • Fluxos migratórios do Leste Europeu• Causas: principalmente a transição econômica e em alguns casos as guerras civis.• Mudança do sistema econômico  defasagem tecnológica, fechamento das indústrias e queda da produção agrícola  crise, crescimento da economia informal e surgimento de quadrilhas, além da marginalização de boa parte dos habitantes.• Principal destino: Alemanha.
    • Conflitos étnicos• Apesar das diferenças entre os povos, culturas e religiões, as diferentes etnias tinham que ser controladas e mantidas relativamente unidas por quem estava no poder, pois as divisões poderiam causar enfraquecimento político e perda de privilégios aos dominadores.