• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
GOVERNANÇA DE TI: uma pesquisa quantitativa com empresas brasileiras
 

GOVERNANÇA DE TI: uma pesquisa quantitativa com empresas brasileiras

on

  • 1,697 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,697
Views on SlideShare
1,697
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
59
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    GOVERNANÇA DE TI: uma pesquisa quantitativa com empresas brasileiras GOVERNANÇA DE TI: uma pesquisa quantitativa com empresas brasileiras Presentation Transcript

    • Prof. Paulo Henrique S. Bermejo, Dr. Prof. André Luiz Zambalde, Dr. Adriano Olímpio Tonelli, MSc. Pamela A. Santos LabGTI – Laboratório de Governança Tecnologia e Inovação Universidade Federal de Lavras – UFLA – Brasil www.labgti.ufla.br Agosto de 2013 GOVERNANÇA DE TI: uma pesquisa quantitativa com empresas brasileiras
    • 2 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Contextualização • Motivações • Objetivos da pesquisa • Metodologia da pesquisa • Fase 1 - Levantamento de práticas de gestão e governança de TI • Fase 2 – Aplicação do questionário • Fase 3 – Resultados • Fase 3.1 – Análise descritiva • Fase 3.2 – Análise fatorial • Comparação entre fatores • Fase 3.3 – Análise de cluster • Análise dos grupos • Considerações finais • Agradecimentos • Referências Sumário
    • 3 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • A alta competitividade no mundo empresarial levou a tecnologia da informação (TI) para uma posição de destaque nas empresas • Este destaque tem sido motivado pela dependência das áreas do negócio pela TI. Por exemplo, hoje em dia muitas áreas das empresas não conseguem executar com eficiência e efetividade suas atividades sem utilizar recursos de tecnologia da informação • Junto a isto, aumentam-se as expectativas e cobranças para melhor contribuição e desempenho da TI frente aos desafios do negócio Contextualização
    • 4 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Diante destes desafios, a governança de tecnologia da informação (GTI) tem exercido um papel fundamental. Isto pode ser observado pela própria definição da GTI • A GTI pode se definida como um conjunto de medidas sob responsabilidade da alta direção visando entrega de valor ao negócio. Isto é, assegurar que as ações da TI contribuam significativamente para atender aos anseios da organização • Para isto, ela contempla ações para garantir o alinhamento da TI com os objetivos de negócio (definidos pela alta direção), gerenciar e reduzir riscos, oferecer transparência e conformidade com marcos regulatórios (isto é, leis e regulamentações que as organizações estão submissas), além de medir e gerenciar o desempenho Contextualização
    • 5 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Apesar do tema governança de TI estar em evidência nos últimos tempos, tem-se pouco conhecimento sobre o desenvolvimento da governança de TI e a sua relação com a obtenção de melhor desempenho do negócio • Alguns trabalhos específicos têm sido feitos neste sentido, por ex: as pesquisas feitas por Peter Weill e Jeanne Ross do MIT (2004) e pela ISACA (2012) • Weill e Ross observaram a partir de uma amostra de grandes empresas que a governança de TI quando melhor desenvolvida permite o negócio obter desempenho superior. Considerando a importância de TI para empresas de outros portes, esta relação da GTI com o desempenho do negócio é desconhecida • Ainda, observa-se que o desenvolvimento das práticas de TI nas organizações encontra-se em estágios iniciais (ISACA, 2012) Contextualização
    • 6 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Diante deste contexto, observa-se que: – Há pouca compreensão sobre a relação entre governança de TI e desempenho organizacional, sobretudo em um cenário mais amplo, que inclusive contemple empresas de pequeno e médio porte – Mais especificamente, há carência de estudos que apontem diretamente o uso de práticas de governança de TI com a melhoria de desempenho organizacional Motivações
    • 7 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Considerando estas motivações, foi definido o seguinte problema para este projeto de pesquisa: – Qual a relação do uso de práticas de governança de TI com o desempenho organizacional? • Para abordá-lo, foi definido para este projeto de pesquisa o seguinte objetivo: – Avaliar o perfil de organizações em relação ao uso de práticas de governança de TI a a sua contribuição para o negócio Objetivos da pesquisa
    • 8 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Para tratar esta questão e objetivo de pesquisa foi realizado pelo Laboratório de Governança, Tecnologia e Inovação da UFLA (LabGTI), sob coordenação do Prof. Paulo Henrique Bermejo, um projeto de pesquisa no período de 2011 a 2013 • Este projeto foi organizado em 3 fases, a saber: – Fase 1 – Levantamento de práticas de gestão e governança de TI na literatura – Fase 2 – Aplicação do questionário – Fase 3 – Análise estatística de dados Metodologia da pesquisa
    • 9 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Para realizar este levantamento foram utilizadas coleções de artigos científicos e livros • A partir de análises nestes materiais, foram identificados conceitos e práticas da gestão e governança de TI nas organizações • Após identificados, estes conceitos e práticas foram representados em um questionário para perceber a maturidade de uso e desempenho das organizações a serem entrevistadas • Com isto, este questionário abordou conceitos e práticas relacionados a estruturas de decisão, processos, mecanismos de relacionamento, desempenho da TI e do negócio Fase 1 – Levantamento de práticas de gestão e governança de TI
    • 10 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Coleta de dados ocorreu nos meses de junho e julho de 2012 • Foram selecionados 7000 profissionais atuantes na TI ou áreas relacionadas nas organizações públicas e privadas • Esta amostra foi selecionada a partir de uma base de dados do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e de redes sociais • Perfil do público entrevistado: profissionais da área de TI ou gestores de outras áreas do negócio Fase 2 – Aplicação do questionário
    • 11 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras Resultados: • Dos 7000 selecionados, 1992 participantes responderam ao questionário • Entretanto, foram consideradas 652 respostas, devido estas estarem completas, isto é, com todos os itens do questionário respondidos • As restantes que não estavam completas foram descartadas para assegurar qualidade estatística dos dados Fase 2 – Aplicação do questionário
    • 12 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Os dados obtidos com a aplicação do questionário foram analisados em 3 etapas: 1. Análise descritiva: caracterização demográfica das empresas entrevistadas 2. Análise fatorial: agrupamento das práticas do questionário por similaridade de uso pelas empresas. Este agrupamento resultou em um conjunto de fatores 3. Análise de cluster: agrupamento e classificação das empresas a partir dos fatores (conjunto de práticas identificados na etapa anterior) Fase 3 – Análise dos resultados
    • 13 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras 72% (470) 22% (143) 6% (39) Propriedade de capital das empresas entrevistadas Privada Pública Mista Fase 3.1 Análise descritiva
    • 14 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras 54% (350) 46% (302) As organizações produzem bens ou serviços de TI? Sim Não
    • 15 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras 19% (126) 8% (50) 3% (16) 55% (357) 13% (84) 2% (13) Localização das organizações ou das unidades Centro-Oeste Nordeste Norte Sudeste Sul Exterior
    • 16 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras Menos que 5 5-19 20-49 50-249 250-499 500 ou mais 4,6% (30) 10% (65) 6,7% (44) 20,6 % (134) 8% (52) 48,6% (317) Número de funcionários das organizações
    • 17 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras 81% (509) 19% (116) Perfil dos respondentes: exerce função de gestor? Gestores Atuam em outras funções relacionadas
    • 18 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras 86% (555) 14% (88) Perfil dos respondentes: área de atuação Atuam na área de TI Atuam em outras áreas da empresa
    • 19 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • As práticas e conceitos identificados na literatura e representados no questionário foram agrupados de acordo com a similaridade das respostas dos entrevistados • Foram criados 6 grupos de práticas e conceitos relacionados, denominados neste trabalho como fatores Fase 3.2 Análise fatorial: agrupamento de práticas
    • 20 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Os seguintes fatores foram definidos: 1. Desempenho do negócio: contempla elementos para medição da contribuição da governança de TI 2. Desempenho da TI: contempla elementos para medição da contribuição da governança de TI 3. Estruturas para governança de TI: conceitos e práticas sobre estrutura 4. Processos: conceitos e práticas relacionadas a processos 5. Mecanismos de relacionamento: relações com a TI, com o negócio 6. Conhecimentos sobre o negócio: envolvimento da alta direção e competências interdisciplinares • A seguir, mais detalhes sobre estes fatores Fase 3.2 Fatores resultantes
    • 21 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Fator 1: Desempenho organizacional • Contempla os itens empregados para avaliação do desempenho organizacional possibilitando inclusive comparações entre empresas a ser apresentado na análise seguinte (etapa 3). Este fator é formado pelos seguintes conceitos e práticas: Fase 3.2 Análise fatorial: agrupamento de práticas Desempenho organizacional Inovação constante em ações Aumento de lucro nos últimos anos, ou, aumento de valor agregado das ações prestadas aos cidadãos Bom nível de transparência na gestão e divulgação de despesas e resultados Bom nível de eficiência operacional nas atividades
    • 22 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Fator 2: Desempenho da TI • Contempla conceitos, práticas e resultados sobre a TI visando medir o seu desempenho. Ele é formado pelos seguintes itens: Fase 3.2 Análise fatorial: agrupamento de práticas Desempenho da TI Ações de TI apresentam uma boa relação custo/ benefício Ações de TI contribuem de forma eficaz para a flexibilidade nos negócios Ações de TI possui recursos otimizados para suportar e atender as atividades Ações de TI alinhadas aos objetivos e diretrizes da alta direção
    • 23 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Fator 3: Estruturas para Governança de TI • Contempla elementos importantes para estruturar a governança de TI nas organizações. Estes elementos são: Fase 3.2 Análise fatorial: agrupamento de práticas Estruturas para Governança de TI Comitê diretivo de arquitetura de TI Sistemas de comunicação institucional Comitê diretivo de projetos ou projetos de TI Comitê gestor de segurança da informação Comitê de auditoria ou de auditoria de TI no nível do conselho administrativo Envolvimento da alta administração com iniciativas da TI Setor específico ou comitê para a governança, ou, governança de TI
    • 24 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Fator 4: Processos – É composto por um conjunto de conceitos e práticas que vão desde a metodologias de suporte a execução das práticas, a planejamento, controle e medição de desempenho. Os itens que formam este fator são os seguintes: Fase 3.2 Análise fatorial: agrupamento de práticas Processos Aquisição e contratação de soluções de TI ou de terceiros Controle de orçamentos e investimentos ou investimentos de TI Medição de desempenho da TI ou institucional Gestão de portfólio de TI ou de projetos Acordos de nível de serviços, serviço entre TI e áreas da instituição Metodologia de gerenciamento de projetos Plano estratégico ou Plano diretor de TI Plano estratégico de tecnologia da informação ou Plano diretor de TI Framework para governança de TI Framework para governança organizacional e corporativa Gerenciamento de riscos de negócio relacionados à TI Iniciativas de treinamento e capacitação
    • 25 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Fator 5: Mecanismos de relacionamento • Esta dimensão agrega os itens empregados para avaliação dos mecanismos de relacionamento para a governança de TI. Compreendem práticas implementadas na organização para promover sinergia entre o pessoal de TI, alta direção e demais áreas organizacionais Fase 3.2 Análise fatorial: agrupamento de práticas Mecanismos de Relacionamento Rotação de funções entre colaboradores da TI Treinamento de equipes de TI em processos institucionais e de colaboradores em temas de TI
    • 26 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Fator 6: Conhecimentos sobre o negócio – É associado aos conhecimentos de equipes de TI sobre o negócio. A efetividade da governança de TI está correlacionada com conhecimentos sobre o negócio e consequentemente entendimento dos objetivos da organização. O envolvimento de competências interdisciplinares pode contribuir para ampliar este entendimento Fase 3.2 Análise fatorial: agrupamento de práticas Conhecimento sobre o negócio Competências interdisciplinares Participação direta do gestor máximo da TI
    • 27 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Após a definição destes fatores, foi feita uma comparação geral entre eles para saber quais são os mais e os menos desenvolvidos. Esta avaliação obedeceu a escala utilizada no questionário que foi de 1 a 6, equivalendo respectivamente a menos desenvolvido (1), e mais desenvolvido (6) • Observe na figura do slide a seguir, com base na entrevista de 652 organizações: – Os fatores “desempenho organizacional, desempenho da TI e conhecimentos sobre o negócio” representam os resultados, conceitos e práticas mais bem realizados nas organizações, e – O fator “mecanismos de relacionamento” – apesar de representar práticas relatadas na literatura como benéficas para a governança de TI, tem sido pouco explorado Comparação entre os fatores
    • 28 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras 0 0,5 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 4,5 5 F1- Desempenho organizacional F2 - Desempenho da TI F3 - Estruturas para Governança de TI F4 - Processos F5 - Mecanismos de relacionamento F6 - Conhecimento sobre o negócio Uso dos fatores de governança de TI pelas empresas entrevistadas
    • 29 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras Fase 3.3 Análise de cluster: agrupamento e classificação das empresas RESULTADOS
    • 30 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Com os fatores definidos na etapa anterior, foi aplicada a técnica estatística de análise de cluster. O uso desta técnica resultou em 3 grupos de empresas • Estes grupos representam 3 perfis diferentes de empresas sobre o desenvolvimento da governança de TI e obtenção de seus resultados • Para a realização da classificação, foram considerados (i) o nível de uso das práticas representadas nos fatores, e o (ii) nível de obtenção de resultados para o negócio • A seguir é apresentado um gráfico que ilustra a quantidade (em percentual e em número) de empresas que formam cada grupo (cluster) Análise de cluster: classificação das empresas
    • 31 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras 34% (220) 36% (238) 30% (194) Classificação do perfil das empresas quanto ao desempenho da governança de TI Grupo 1: Desempenho superior Grupo 2: Baixo desempenho Grupo 3: Pior desempenho
    • 32 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras -1.5 -1 -0.5 0 0.5 1 1.5 F1- Desempenho organizacional F2 - Desempenho da TI F3 - Estruturas para Governança de TI F4 - Processos F5 - Mecanismos de relacionamento F6 - Conhecimento sobre o negócio Grupo 1 0.3655 0.3867 1.084 1.0254 1.1151 0.4214 Grupo 2 -0.0154 -0.0938 0.1197 0.068 -0.2276 -0.1632 Grupo 3 -0.3956 -0.3234 -1.3761 -1.2463 -0.9853 -0.2777 Média Visão detalhada do desempenho organizacional e de TI e do uso de práticas de governança de TI
    • 33 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras Grupo 1: 34% das empresas • Desempenho da TI e negócio: alto • Práticas com uso acima da média – estruturas para governança de TI – processos – mecanismos de relacionamento – conhecimento sobre o negócio Análise dos grupos
    • 34 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras Grupo 2: 36% das empresas • Desempenho da TI e negócio: regular • Práticas com uso superior a média – estruturas para governança de TI – processos • Práticas com abaixo da média – mecanismos de relacionamento – conhecimento sobre o negócio Análise dos grupos
    • 35 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras Grupo 3: 30% das empresas • Desempenho da TI e negócio: ruim • Práticas com uso abaixo da média – desempenho organizacional – desempenho da TI – estruturas para governança de TI – processos – mecanismos de relacionamento – conhecimento sobre o negócio Análise dos grupos
    • 36 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Este estudo identificou e analisou diferentes perfis de empresas brasileiras em relação ao desenvolvimento da governança de TI e obtenção de resultados pelo negócio • Através das análises estatísticas realizadas pode-se perceber que o uso mais intenso de práticas de governança de TI está correlacionado com a obtenção de melhor desempenho no negócio, isto é, estatisticamente, governança de TI e melhor desempenho organizacional caminham juntas • Esta realidade pôde ser observada em organizações brasileiras de diferentes portes Considerações finais
    • 37 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Observa-se que para ter um desempenho superior não basta ter desenvolvidos apenas os fatores “F3 estruturas para a governança de TI” e “F4 Processos”. Este fato pôde ser comprovado pelas características do Grupo 2 • Analisando-se distintamente os grupos 1 (desempenho superior) e 2 (desempenho regular), percebe-se que mecanismos de relacionamento e conhecimentos sobre o negócio distinguiram positivamente o grupo 1 do grupo 2 Considerações finais
    • 38 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • A partir disso, observa-se que os fatores mecanismos de relacionamento e conhecimentos sobre o negócio são fatores decisivos para proporcionar melhor desempenho organizacional e da TI. Isto pôde ser percebido a partir do grupo 1, que possui desempenho superior, ao contrário dos grupos 2 e 3 Considerações finais
    • 39 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Conforme foi observado nos resultados do grupo 3, uma governança de TI pouco efetiva nas organizações pode resultar da falta de comunicação e sinergia para permear um funcionamento adequado dos processos e estruturas Considerações finais
    • 40 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Nesse sentido, os mecanismos de relacionamento podem ser um dos primeiros passos para se desenvolver uma governança de TI adequada nas empresas, já que podem ser mais simples de serem implementados Considerações finais
    • 41 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Portanto, para aprimorar o desempenho da TI e do negócio, recomenda-se a iniciação em esforços para desenvolver e aprimorar os mecanismos de relacionamento entre a TI e o negócio • Por outro lado, as estruturas para governança de TI são a abordagem natural para gerar comprometimento, fator fundamental para o sucesso da governança Considerações finais
    • 42 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Os resultados desta pesquisa, embora sejam obtidos a partir de uma amostra significativa de organizações brasileiras, podem estar sujeitos a influências regionais e culturais e com isto sofrer diferenças • Com isto, como trabalhos futuros desta pesquisa, recomenda-se a realização desta investigação em outros países para comparações e constatação sobre a influência de fatores regionais na governança Trabalhos futuros e limitações da pesquisa
    • 43 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • A equipe do Laboratório de Governança, Tecnologia e Inovação – LabGTI da UFLA agradece a todos os respondentes desta pesquisa, bem como as instituições abaixo relacionadas pelo apoio imprescindível para realização desta pesquisa: Agradecimentos
    • LabGTI – Laboratório de Governança Tecnologia e Inovação Universidade Federal de Lavras – UFLA – Brasil www.labgti.ufla.br Novas análises sobre estes resultados encontram-se em andamento para publicação em revistas especializadas e poderão ser disponibilizadas futuramente por estes meios de publicação PARA CITAR ESTA APRESENTAÇÃO, UTILIZE A SEGUINTE REFERÊNCIA: BERMEJO, P. H. S., ZAMBALDE, A. L.; TONELLI, A. O.; SANTOS, P. A. Governança de TI: uma pesquisa quantitativa com empresas brasileiras. Relatório de projeto de Pesquisa. Laboratório de Governança, Tecnologia e Inovação – LabGTI/UFLA: Lavras, 2013. GOVERNANÇA DE TI: uma pesquisa quantitativa com empresas brasileiras
    • 45 Governança de TI: gestão e práticas em empresas brasileiras • Weill, P. and J. W. Ross (2004). Governança de tecnologia da informação: Como as empresas com melhor desempenho administram os direitos decisórios de TI na busca por resultados superiores. São Paulo, M. Books do Brasil • Brasil (2010). Levantamento de governança de TI de 2010, Tribunal de Contas da União • ISACA (2012). COBIT 5: A Business Framework for The Governance and Management of Enterprise IT. Rolling Meadows, IL, Information Systems Audit and Control Association Referências utilizadas nesta apresentação