• Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
198
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
1
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 27/01/2014 AULA 4 – EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO. Tema: Escola Burocrática (1940). Prof. Angelo Peres Era Industrial Trata-se de Teoria que busca a racionalidade e a igualdade no tratamento dos funcionários. Queria, também, que os ambientes profissionais fossem impessoais. ESCOLA BUROCRÁTICA (1909). MAX WEBER (1864 – 1920). No limite, Max Weber considerava que toda sociedade (ou empresa) deveria basear-se em leis. Estas leis, na opinião do autor, seriam para o seu próprio bem. Ou seja, a BUROCRACIA deveria ser visualizada como uma manifestação natural de um processo geral de racionalização das atividades. Ela acreditava que as empresas deveriam racionalizar suas atividades e direcionar as pessoas para o aumento da produtividade. Para Max Weber as pessoas, em geral, aceitam com naturalidade que existam pessoas privilegiadas. E que estas pessoas são as representantes naturais da autoridade proporcionadas pelas leis. As leis existem para que estas pessoas possam ter a responsabilidade de fazer com que os demais serem humanos cumpram as leis. 1
  • 2. 27/01/2014 Para ele o tipo ideal de burocracia (das empresas) têm 3 características ESPECÍFICAS E COMPLEMENTARES: FORMALIDADE IMPESSOALIDADE PROFISSIONALISMO IMPESSOALIDADE NÍVEIS DE AUTORIDADE DECISÓRIA BUROCRATA OPERACIONAL A burocracia é algo formal. Baseado em normas e leis, nas quais sustentam as decisões. A formalidade requer a impessoalidade. PROFISSIONALISMO A burocracia é impessoal. Os cargos são mais importantes que as pessoas. Uma vez (as pessoas) nos cargos estas são obrigadas a cumprir as leis. EXECUTIVO FORMALIDADE A burocracia é algo com forte abordagem profissional; e que funciona a partir de leis e do cumprimento das mesmas. ATIVIDADES E HIERARQUIA Vs. COMPETÊNCIA E CONHECIMENTO TOMADA DE DECISÃO IMPLEMENTAÇÃO DA DECISÃO TRABALHOS OPERACIONAIS Atividades são as responsabilidades e a autoridade dos profissionais que ocupam os cargos nas empresas. A competência está ligada as exigências do cargo respeitando as regras que determinam o desempenho do cargo. Hierarquia está correlacionada com os cargos (de acordo com o poder e a remuneração). 2
  • 3. 27/01/2014 A TEORIA BUROCRÁTICA coloca em debate alguns aspectos de elevada importância, tais como: formalização dos procedimentos, descrição dos cargos, políticas, regulamentos, etc. Ainda, a especialização das atividades (concentração de especialidades e conhecimentos); a padronização das atividades; a centralização do poder. A TEORIA BUROCRÁTICA É de ordem mecanicista e é considerada ideal para as situações mais estáveis das empresas. A BUROCRACIA de Max Weber propôs a ideia do exercício do controle com base no conhecimento. Ou seja, ao invés de comandar em virtude do favoritismo pessoal (ou por conexões pessoais), as pessoas em uma burocracia liderariam em razão da sua autoridade racional/legal; em outras palavras, pelo seu conhecimento, sua especialização ou experiência. A BUROCRACIA consiste em não proteger a autoridade, mas cumprir as metas de uma organização de modo o mais eficiente possível. CONTRATAÇÃO BASEADA NA QUALIFICAÇÃO. PROMOÇÃO BASEADA NO MÉRITO. CADEIA DE COMANDO. DIVISÃO DO TRABALHO. OS SETE ELEMENTOS QUE CARACTERIZAM AS BUROCRACIAS. APLICAÇÃO DE REGRAS E PROCEDIMENTOS. REGISTRO POR ESCRITO. OS PROPRIETÁRIOS NÃO DIRIGEM A EMPRESA. 3
  • 4. 27/01/2014 No limite, a TB quer o tratamento justo no lugar do favoritismo, a meta de eficiência substituindo a meta de vantagem pessoal; e as regras e os procedimentos lógicos no lugar das tradições e (ou) na tomada de decisão arbitrária. Nas burocracias, supõe-se que os gestores influenciem o comportamento dos funcionários remunerando ou punindo esses colaboradores por cumprirem ou não as políticas, normas e os procedimentos organizacionais. No limite, a TB quer o tratamento justo no lugar do favoritismo, a meta de eficiência substituindo a meta de vantagem pessoal; e as regras e os procedimentos lógicos no lugar das tradições e (ou) na tomada de decisão arbitrária. A Teoria proposta do Weber acredita na existência de um mesmo problema no mundo corporativo: a informação e a competência. Ou seja, neste mundo novo na história das sociedades a informação e a competência são igualmente importantes e imprescindíveis. Para este sociólogo alemão, para que haja autoridade, não basta que um chefe tenha um certo número de sanções à sua disposição; é preciso sim que este sistema de sanções seja aceito pelos subordinados. 4
  • 5. 27/01/2014 AS TRÊS RAZÕES INTERNAS QUE JUSTIFICAM A DOMINAÇÃO... OU OS FUNDAMENTOS DA LEFITIMIDADE. AUTORIDADE DO ETERNO ONTEM. É A AUTORIDADE VINDA DO PODER TRADICIONAL QUE O PATRIARCA EXERCIA OUTRORA. AUTORIDADE DA LEGALIDADE. É A AUTORIDADE AUFERIDA ATRAVÉS DE UM STATUS LEGAL; OU EM UMA COMPETÊNCIA FUNDADA SOBRE REGRAS ESTABELECIDAS RACIONALMENTE. É O PODER EXERCIDO PELOS SERVIDORES DO ESTADO, ETC. AUTORIDADE DO ETERNO ONTEM. CARISMA PESSOAL. AUTORIDADE DA LEGALIDADE. CARISMA PESSOAL. ESTE É O PODER DO PROFETA, DO CHEFE GUERREIRO, DO GRANDE DEMAGOGO, E, TAMBÉM, DO CHEFE DE UM PARTIDO POLÍTICO. Assim, pode-se afirmar que existe dois tipos de autoridade (de legitimidade). A legitimidade tradicional e a racional. 5
  • 6. 27/01/2014 A legitimidade racional repousa sobre regras fixadas a partir de leis. Existe, também, a s leis das empresas (leis internas) que são igualmente de legitimidade. A legitimidade do tipo carismático repousa na crença de qualidades excepcionais de um indivíduo. Seja ele um santo, um profeta, ou um militar que demonstrou heroísmo e suas capacidades únicas no campo de batalha. Ao contrário da legitimidade tradicional... A autoridade é pessoal. A autoridade é dirigida as pessoas e esta é fundada na obediência. A legitimidade tradicional repousa na crença imemorial das tradições. Assim, de certa forma, é sagrada em si mesma. A legitimidade racional não é devida a um indivíduo ou a um grupo de pessoas. Ela sé devida à lei ou ao regulamento. Neste ângulo, o funcionário só deve lealdade apenas as regras e não ao indivíduo. Na legitimidade carismática a obediência também é pessoal. Nos seus dons particulares. Ela repousa a partir de uma convicção individual. Este tipo de autoridade é frágil pois não tem fundamento nem nas leis (tipo racional) nem na tradição (tipo tradicional). 6
  • 7. 27/01/2014 Na legitimidade tradicional... Mesmos este sendo um mau chefe este é sustentado pela tradição. Assim, segundo Weber, o melhor tipo de autoridade(legitimidade) na era industrial* é a legitimidade do tipo racional legal. * Sociedade industrial em vias de desenvolvimento econômico acelerado. Para o autor em seu livro Economia e Sociedade, o princípio da lealdade entre o chefe e seus subordinados, tendo um contexto de legitimidade tradicional, só levaria a organização a uma relação onde não haveria importância da competência, bem como as relações de trabalho seriam personalizadas. Por conta disto, o modelo econômico da era industrial (das sociedades industriais em vias de desenvolvimento) requerem estabilidade nas regras, bem como sua continuidade. No modelo racional (de legitimidade) as leis podem até mudar, mas não podem ferir os procedimentos bem estabelecidos (a legalidade, a estabilidade e a continuidade) e que respeitem (evitem a qualquer custo) as flutuações arbitrárias. Tal modelo (racional) é perfeito para o mundo moderno (da época) pois reúne a flexibilidade e a continuidade... Necessárias para dar uma moldura jurídica de legalidade a atividade econômica que repousa no cálculo do longo prazo. Uma conduta econômica racional é calculada, fria, impessoal. 7
  • 8. 27/01/2014 Na democracia, de viés weberiano, traduz-se em uma organização de permanente cooperação entre os membros de uma empresa, cada um exercendo sua função especializada. O burocrata exerce um ofício separado da vida familiar. Ou seja, ele exerce seu ofício que não tem nada a ver com os filhos, férias, etc. A BUROCRACIA É O EMPREGO MAIS TÍPICO DA DOMINAÇÃO LEGAL. A Competência é rigorosamente determinada pelas leis (ou regulamentos). De sorte que as funções têm que ser claramente definidas e distribuídas. A IMPESSOALIDADE É ESSENCIAL À NATUREZA DA BUROCRACIA. AS ORDENS SÃO ABSTRATAS DE UMA REGULAMENTAÇÃO ESTRITA. A BUROCRACIA GARANTE A TODOS OS TRABALHADORES UMA REMUNERAÇÃO FIXADA SEGUNDO REGRAS. A Dominação Legal baseia-se nos seguintes princípios... A proteção (legal) dos funcionários no exercício de suas funções. A hierarquia das funções. O recrutamento é feito por concurso, exames ou diplomas. O que exige dos funcionários uma formação especializada. 8
  • 9. 27/01/2014 A remuneração é hierarquizada em função da hierarquia interna da administração e da importância das responsabilidades. A autoridade tem o direito de controlar o trabalho dos subordinados. O critério de promoção dos funcionários é objetivo e transparente. Há uma separação completa entre a função e o ocupante da vaga. A BUROCRACIA dos tempos da sociedade industrial desenvolveu-se com a economia financeira moderna. Ou seja, os funcionários gozam de garantias estatutárias (do Estado) e tem uma remuneração fixada e regida por leis e critérios específicos. A CIÊNCIA SUBSTITUI A INTUIÇÃO E O ARBÍTRIO. A COMPETÊNCIA NO LUGAR DO CONHECIMENTO MAIS OU MENOS SECRETO DO MUNDO ARTESANAL. VANTAGENS DO MODELO DE ORGANIZAÇÃO RACIONAL A FORMULAÇÃO DE REGRAS FORMAIS PARA AS TAREFAS, FUNÇÕES E RESPONSABILIDADES. UM MODELO RACIONAL PERMITE QUE ESTE SEJA FACILMENTE IMPLANTADO EM OUTRAS FÁBRICAS. ASSIM, AS COMUNICAÇÕES FICAM FACILITADAS. A IMPESSOALIDADE ACARRETA O EMPOBRECIMENTO CONSIDERÁVEL DA REALIDADE HUMANA DO TRABALHO(CONFLITOS, VALORES, INDENTIDADES, ETC.). A ESPECIALIZAÇÃO COMO CAMISA DE FORÇA. OU SEJA, NUMA ROTINA INTERMINÁVEL E ABOMINÁVEL. CRÍTICAS AO MODELO DE ORGANIZAÇÃO RACIONAL O OPERÁRIO NÃO TEM COMO QUESTIONAR (OPINAR) SOBRE SUAS PRÓPRIAS CONDIÇÕES DE TRABALHO. A DIVISÃO EXTREMA ENTRE OPERADORES E PLANEJADORES, LEVANDO A IMPORTANTE PORCESSO DE ALIENAÇÃO E DEGRADAÇÃO DO INDIVÍDUO. 9
  • 10. 27/01/2014 O MODELO BUROCRATA (MODELO RACIONAL) DE VIÉS UNIFORMIZADO DO TRABALHO, NA VERDADE, NÃO LEVA EM CONSIDERAÇÃO AS CULTURAR SOCIAIS QUE SÃO IMPLANTADOS. É UMA MODELO DEMASIADAMENTE FECHADO. OU SEJA, A MICROSOCIEDADE EMPRESA NÃO PODE SER APARTADA DA GRANDE SOCIEDADE NACIONAL ONDE VIVEM OS HOMENS E AS EMPRESAS. Fonte: http://pt.slideshare.net/andrevatto/teoria-burocrtica-12521161 Fonte: http://pt.slideshare.net/andrevatto/teoria-burocrtica-12521161 Fonte: http://pt.slideshare.net/andrevatto/teoria-burocrtica-12521161 REFERÊNCIAS: CHIAVENATO, I. Introdução ‘a Teoria Geral da Administração. 6a. Ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000. 10