A BAD e os arquivos audiovisuais
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

A BAD e os arquivos audiovisuais

on

  • 1,627 views

Apresentação no Centro Nacional de Cultura em Abril de 2011

Apresentação no Centro Nacional de Cultura em Abril de 2011

Statistics

Views

Total Views
1,627
Views on SlideShare
1,626
Embed Views
1

Actions

Likes
1
Downloads
13
Comments
0

1 Embed 1

http://www.slashdocs.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

A BAD e os arquivos audiovisuais A BAD e os arquivos audiovisuais Presentation Transcript

  • Jornal Falado – “Memórias audiovisuais” CNC (com BAD e Duvídeo) A BAD e os arquivos audiovisuais Pedro Penteado - APBAD ppenteado@netcabo.pt Lisboa, 13 de Abril de 2011
  • BAD: áreas de intervenção
  • BAD: dados complementares• Associação Portuguesa de Bibliotecários Arquivistas e Documentalistas• Data de criação: 1973• Várias tipologias de associados • Inclui “associados colectivos” – entidades que detenham património documental e/ou contribuam com a sua acção para a preservação, o desenvolvimento e a divulgação desse património, bem como para a promoção das Ciências da Informação e Documentação.• Biblioteca especializada• Publicações: “Notícia BAD”, “Cadernos BAD”, actas de congressos, etc.• Ligações internacionais • Membro da IFLA, ICA/CIA, EBLIDA e IASL • Relações privilegiadas com as congéneres ABF, CILIP, FEBAB, ANABAD e FESABID
  • Secções - BAD
  • A BAD e os arquivos audiovisuais – I• ACTIVIDADES • CONTEXTO • 1991 – Port. 111/91 determina que RTP deve• 1992, Dezembro - Seminário “Audiovisuais Portugal conservar em arquivo e nas melhores 1993” (1.º ponto de situação) condições de utilização os registos • Tema 1 - Quem são as entidades que possuem classificados como de interesse público património audiovisual • Tema 2 – Formas de tratamento documental • 1992 - Início da TV privada - Portugal • Tema 3 – Pessoal especializado disponível • Com a presença do Vice-Presidente do Comité de arquivos audiovisuais do CIA e representantes da FIAT• 1993 – BAD pede rápida revisão do diploma que exclui do seu âmbito de aplicação os arquivos • 1993, Janeiro – DL 16/93 - Regime Geral de audiovisuais Arquivos (RGA)• 1993, Fevereiro – Início da revitalização do GT de audiovisuais – objectivos: • 1994, Maio, 11 – DL 14/94, Ratifica RGA, • Revisão do RGA considerando que integram património • Levantamento das necessidades de formação arquivístico protegido os arquivos públicos e (apoio FIAT e RTP) • Repertório de serviços de informação classificados. incluindo o património especializados fotográfico, fílmico e videográfico, • Publicação de terminologia e bibliografia da área fonográfico, informático e outros • 1995 - Criação do ANIM
  • A BAD e os arquivos audiovisuais – II• ACTIVIDADES BAD • CONTEXTO • 1996 – J. Sequeira (coord.) – “Guia dos• 1996 – Conferência “Produção arquivos audiovisuais em Portugal” (ed. RTP) audiovisual. As tecnologias do fim do século” (Eng. Carlos Alberto Henriques, RTP)• 1997 – Seminário “Audiovisuais • 1997 - FIAT – “Recommended standards and 97” – Política do audiovisual procedures for selection and preservation of (apoio à produção, funções do television programme material” Estado na preservação da memória – ex. ANIM)• 1998 – Seminário sobre informação e documentação • 1998 - “Uma filosofia para os arquivos audiovisual audiovisuais”, de Ray Edmondson e • Descrição/catalogação e membros de AVAPIN – PGI/Unesco Conservação/restauro
  • A BAD e os arquivos audiovisuais – III• ACTIVIDADES BAD • CONTEXTO• 2000 – Seminário “Arquivos audiovisuais: uma filosofia?” • 2000 – Conselho Superior de Arquivos • Apresentação da tradução do documento agenda a problemática dos arquivos “Uma filosofia para os arquivos audiovisuais” audiovisuais • Normas de descrição (ICA e AMIA)• 2000/2001 – GT- BAD – Arquivos audiovisuais • Tradução de “Recomendações para a protecção e • 2001 – Lei 107/2001 – art.º 84 – Património preservação de imagens em movimento” - UNESCO • Difusão do documento “Uma filosofia para os arquivístico audiovisual - digno de interesse arquivos audiovisuais” cultural, de produção nacional ou conservado • Visitas de estudo (arquivos RTP, SIC, TVI, ANIM, ANF, …) em instituições públicas • Formação • 2001 – EBU/UER – “Preservation and reuse• 2001 – “Cadernos BAD” sobre os arquivos of film material for television” audiovisuais (publica Terminologia, Bibliografia e Recomendações para a protecção e preservação de imagens em movimento – UNESCO (1980))
  • A BAD e os arquivos audiovisuais – II • CONTEXTO• ACTIVIDADES BAD • 2002 – “Encontro sobre preservação digital:• 2002 – Publicação nos Cadernos BAD experiências e estratégias” (BN) de um “Manifesto para a preservação • 2003 – Lei 32/2003 – Registos de emissões digital” (inclui arquivos audiovisuais) RTP de interesse público devem ser conservados a longo prazo • Urgência de políticas e • 2004 – Lei 42/2004 – Ao Estado compete incentivos/vantagens para criadores promover a preservação do património de recursos digitais, entidades de cinematográfico e audiovisual nacional depósito e órgãos de coordenação • nacional • 2007 - … - Produção científica e universitária sobre as experiências de digitalização/preservação dos arquivos audiovisuais (ex. de Ana Franqueira e do ARQDISIC-2006) • 2007 – Em cooperação com Conselho Coordenador das Associações de Arquivos Audiovisuais (CCAAA) (que envolve IFLA, IASA, FIAT, FIAF, ICA ), a UNESCO declara o Dia Mundial do Património Audiovisual - 27 de Outubro
  • A BAD e a formação em arquivosaudiovisuais• “Indexação de conteúdos audiovisuais”;• “Arquivos de imagens em movimento“;• “Gestão e organização de arquivos audiovisuais”;• Anos: • … / 2002 / 2003 / 2005 / 2006 / 2008 / 2009 / 2010 / 2011• Formadores: • Ana Franqueira/SIC; • João Sequeira/RTP; • Orlando Gonçalves/RTP e Ângelo Santana
  • BAD: Ligações internacionais • Ex. ICA/CIAhttp://www.ica.org/5671/paag-resources/publications-for-archivists-managing-photograph-and-film-collections.html
  • A urgência da preservação digital dosarquivos audiovisuais• “Fundamental, porém, com estes arquivos é reconhecer a precaridade dos suportes físicos e dos equipamentos e tecnologia que rapidamente se tornam obsoletos. É-nos exigida uma actuação imediata com estes arquivos.• (…) Pode dizer-se que a Recomendação da UNESCO para a Proteção e Preservação de Imagens em Movimento resume as acções a empreender e deveria quase ser seguida à letra”. • Ana Franqueira – 2001 – BAD – “I Encontro nacional de arquivos empresariais”• Não é possível perder mais tempo !!!
  • Estratégias para a preservação digital• Recomendações UNESCO (selecção) • Investigação sobre suportes e preservação digital • Programas de preservação envolvendo produtores, distribuidores e entidades de protecção patrimonial • Organização de actividades de informação/sensibilização pública • Preservação do material em arquivos com condições adequadas • Estados membros devem prestar atenção às normas recomendadas pelos organismos internacionais para armazenamento e tratamento • “Catálogos” nacionais sobre arquivos de imagens em movimento • Estados membros devem encorajar as entidades detentoras privadas a salvaguardar o seu património • Intercâmbio de informação • Aposta na formação • Cooperação internacional • Etc.
  • Itens para um modelo – preservaçãodigital• 1. Necessidade imperiosa de estratégias de preservação digital correctas para salvaguardar o património dos arquivos audiovisuais• 2. Solução-chave: Digitalização com metodologias e técnicas adequadas (ex. Metainformação, organização da informação,…)• 3. Armazenamento e acesso digital no longo curso• 4. Promoção de (re)utilizações rentáveis, em múltiplas plataformas e redes, num contexto de crise económica do país e de necessidade de afirmação de identidade.
  • Perspectivas BAD sobre os arquivosaudiovisuais – I• 1. Estimular a reactivação do seu GT de arquivos audiovisuais (ou reunião dos seus associados da área) com vista a diagnosticar e debater situação actual e as estratégias adequadas, particularmente em torno da preservação;• 2. Com outros parceiros, colocar na agenda pública a importância da preservação (foco principal) e utilização do património arquivístico audiovisual, através de: • 1) evento especializado (para 27-10-2011); • 2) agendamento do tema no Conselho Nacional de Cultura – Secção de arquivos• 3. Delinear os temas a aprofundar: • Questões de política e legislação • Situação actual dos arquivos audiovisuais (em entidades públicas e priavadas de referência) • Normas, orientações técnicas e boas práticas• 4. Produtos e serviços a oferecer na área: • Formação • Documentos técnicos a traduzir e publicar.
  • Jornal Falado – “Memórias audiovisuais” CNC (com BAD e Duvídeo) A BAD e os arquivos audiovisuais Pedro Penteado ppenteado@netcabo.pt apbad@apbad.pt Lisboa, 13 de Abril de 2011