ESPECIAL PORTO DE AVEIRO – 31.01.2006

2,626 views

Published on

Especial sobre o Porto de Aveiro, publicado pelo “Diário de Aveiro” a 31 de Janeiro de 2006.

Visite-nos em www.portodeaveiro.pt, www.youtube.com/portodeaveiro , http://www.portodeaveiro.pt/portofolio/, http://www.portodeaveiro.pt/navegantes2005/ , e http://www.portodeaveiro.pt/natal/

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,626
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
107
Actions
Shares
0
Downloads
31
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

ESPECIAL PORTO DE AVEIRO – 31.01.2006

  1. 1. José Luís Cacho, em entrevista 30 milhões de euros de investimento Obra de 15 milhões de euros Porto anseia Ferpinta Porto conclui por ligação amplia via de cintura ferroviária Páginas 4 e 5 fábrica Páginas 12 e 13 portuária Página 14
  2. 2. Opinião (*) José Agostinho Ribau Esteves ÍLHAVO – Município Portuário Município de Ílhavo acolhe relevância nacional, que tem Tradição” e o bacalhau como a possui, numa relação íntima e tração e o investimento do Go- possa ter como consequência a O na sua área geográfica a mais importante e a maior (cerca de 90%) parte da área de assumido e continuará a assu- mir uma importância crescente no Município de Ílhavo, na Re- sua carga de referência, recebe com naturalidade a estrutura portuária, e é parte integrante e viva entre, história e cultura, natureza e actividade económica dinâmica, gastronomia e Vida de verno, com a utilização de Fun- dos Comunitários, e o apoio das populações locais e da Câmara materialização de mais obras e em especial de mais e melhor desenvolvimento para o Porto operação do Porto de Aveiro, gião e no País. importante da “Rota do Peixe da Gente. Municipal de Ílhavo, tem permiti- de Aveiro, para o Município, infraestrutura de estatuto e de A terra que tem “O Mar por Ria e do Mar” que o Concelho O dinamismo da sua Adminis- do ao nosso Porto de Aveiro, para a Região e o País. São um crescimento considerável disso exemplo: nos últimos anos, com a con- - a ligação ferroviária do Porto cretização de um relevante con- de Aveiro à Linha do Norte; junto de obras. - a 3ª fase da Via de Cintura O Porto de Aveiro tem uma Portuária; relevante actividade na área - a qualificação do Jardim comercial (sólidos e líquidos), na Oudinot; área química e na pesca (longín- - o Plano de Pormenor da qua, costeira e artesanal), faltan- Envolvente Norte/Poente à do a concretização do investi- Gafanha da Nazaré. mento na área da náutica de recreio, que tem na Marina da A Câmara Municipal de Ílhavo Crescimento e desenvolvi- mento equilibrado e sustentável é a aposta que vamos continuar a assumir e a concretizar. Barra o seu investimento de tem definido no plano estratégi- referência. Este velho e impor- co de desenvolvimento do tante objectivo, que é também Município, o crescimento do sec- um projecto âncora para o tor terciário com um contributo desenvolvimento turístico de da actividade portuária. Este toda a região da Ria de Aveiro, crescimento assumirá uma recebe todo o empenho da relação equilibrada com o Câmara Municipal de Ílhavo desenvolvimento industrial e para a sua concretização, partil- urbano do Município e muito em hando o trabalho da Administra- especial da cidade da Gafanha ção do Porto. da Nazaré, garantindo a quali- O Município de Ílhavo acolhe dade de vida da população e com gosto e gestão solidária, o dos operadores portuários. Porto de Aveiro, materializando Crescimento e desenvolvi- uma gestão partilhada nas mento equilibrado e sustentável zonas de interface entre a área é a aposta que vamos continuar urbana e a área portuária, com a assumir e a concretizar. vários projectos geridos em parceria, e aos quais vamos (*) Presidente da Câmara continuar a dedicar trabalho que Municipal de Ílhavo Ficha Técnica: Director: Adriano Callé Lucas Director-Adjunto Executivo: Ivan Silva Textos: Ana Sofia Pinheiro e Rui Cunha Fotografias: APA e Eduardo Pina Grafismo e paginação: Isabel Antunes Telefone: 234 000 031 e Fax: 234 000 032 Coordenação da publicidade: Ivo Almeida Telefone: 234 000 030 e Fax: 234 000 033 Propriedade de: Diaveiro - Empresa do Diário de Aveiro Composto e impresso na FIG - Fotocomposição e Indústrias Gráficas, SA 2 TERÇA-FEIRA, 31 de Janeiro de 2006
  3. 3. Defende José Luís Cacho, presidente do Co Ligação ferroviária é um proj Como definiria o porto de para o porto, mas houve outras. Aveiro? Há um ano à frente dos destinos da Administração do porto Procurámos criar uma dinâmica O porto de Aveiro, como porto que aproximasse e trouxesse em- comercial, é um porto novo, mas já de Aveiro, José Luís Cacho faz um balanço positivo. Para presas para desenvolver todo este tem alguma história. O grande de- senvolvimento do porto de Aveiro breve a APA espera concretizar o final do projecto dos potencial da logística para a insta- lação de empresas que temos. Pro- aconteceu com a abertura da Barra, que foi estabilizada com a cons- acessos viários ao porto bem como iniciar um projecto curei dinamizar, com promoções, com seminários – e estamos a ter trução dos molhes, tendo o molhe Norte sido concluído em de Abril maior, a ligação ferroviária ao porto, uma obra que considera retorno dessa campanha que fize- mos. Há empresas importantes do de 1808. A partir daí, deu-se o grande desenvolvimento do porto estratégica para o crescimento do porto de Aveiro sector agro-alimentar, dos produ- tos químicos, dos minerais e dos de Aveiro, nomeadamente com a A minha estratégia é que se con- por cento ao ano e com a entrada do a esta área geográfica onde esta- dinárias, olhando só para os resul- combustíveis que estão a querer pesca longínqua, do bacalhau. Nos cluam as acessibilidades ao porto, em funcionamento destes novos mos inseridos, onde há um forte tados operacionais. Vamos con- vir instalar-se na área portuária. meados da década de 60, construiu- nomeadamente as acessibilidades cais (granéis sólidos e líquidos), ter- dinamismo e isso também faz com seguir aproximar-nos dos resulta- se o Terminal Sul, que marcou o ferroviárias e que se consiga fazer emos um crescimento muito maior. que o porto cresça. dos positivos e pensamos que no É um factor de competitivi- início da actividade comercial do o fecho da via de cintura portuária. Eu acredito nisso e todos os estudos próximo ano já voltaremos a ter dade estar localizado num porto. porto de Aveiro. O Terminal Sul No fundo, que este pacote de que foram feitos apontam nesse Que balanço faz do primeiro resultados positivos. Há uma série de empresas que teve um crescimento muito grande investimentos que estavam previs- sentido. É com profunda satisfação ano de mandato? estão a aproximar-se de nós e isso na década de 70, até mais ou menos tos ser concluídos em 2006 seja Aproximar aos anos de ouro… é um bocado fruto do nosso tra- finais da década de 80. Com base possível concluir, com todos os Os anos de ouro de há quatro balho, de como nos dirigimos nos estudos que foram feitos na atrasos que teve, em 2009, porque ou cinco anos atrás, nestes próxi- para trazer essas empresas, porque altura construiu-se a primeira fase isso é um elemento determinante «O porto de Aveiro – mos dois anos, não vai ser fácil de o transporte marítimo para algu- do Terminal Norte, com 650 me- no desenvolvimento do porto. Um atingir, mas pensamos que dentro mas empresas, as quais movimen- tros de cais, que ficaram esgotados na sua capacidade comercial, tendo porto para ser competitivo, hoje em dia, e para podermos alargar a com as características que de três anos, as coisas vão melho- rar significativamente no porto de tam produtos através dos portos, pode ser um factor de competitivi- surgido a necessidade de elaborar um plano de expansão do porto. nossa área de influência, ultrapas- sando a fronteira e estendendo a tem hoje –, tem apetência Aveiro e vamos poder voltar a ter bons resultados operacionais. dade estar situado numa área por- tuária, porque pode reduzir os cus- Esse plano de expansão foi iniciado nossa área de influência à região de tos de importação ou exportação em 2000, tendo neste momento en- trado em curso algumas obras, Madrid, de Valladolid, de Castilha e Léon. Esse é o meu desejo e o para empresas industriais» Quais foram, quanto a si, os pontos mais importantes que dos seus produtos e nós procu- ramos atingir esse mercado das como as acessibilidades e a draga- nosso principal objectivo estra- destaca do ano passado? empresas. O porto de Aveiro – gem. Nós prevemos que em Se- tégico, alargar a área de influência que vejo que hoje, passados quatro Um balanço positivo, na per- A decisão do Governo de avan- com as características que tem tembro deste ano entre em funcio- do porto de Aveiro. anos, que os estudos feitos na altura spectiva em que partimos de um çar rapidamente com os projectos hoje –, tem apetência para empre- namento os novos cais, nomeada- são possíveis de concretizar e vejo patamar muito negativo, em ter- de construção ligação ferroviária sas industriais. Penso que estamos mente o terminal dos granéis líqui- Ficaria satisfeito? que até fomos um bocado conser- mos de resultados. Vamos con- ao porto de Aveiro. Há o compro- a prestar um bom serviço quer à dos e o terminal dos granéis sóli- Com isso ficaria satisfeito. É evi- vadores na avaliação que fizemos e seguir aproximar-nos do zero e misso do Governo de lançar o região quer ao país. Isto também dos. Portanto, pode-se dizer que o dente que o porto tem vindo a o porto tem, realmente, um po- dos resultados positivos, não con- concurso público no início deste para dizer que todo o plano, de há porto de Aveiro é um porto novo, crescer numa média de cinco a seis tencial muito grande, também devi- siderando as receitas extraor- ano. Essa decisão foi importante seis anos, de desenvolvimento bem ordenado e que foi crescendo estratégico do porto de Aveiro, mediante um plano de ordenamen- mais uma vez se prova que faz to com uma dinâmica própria mui- sentido e as empresas vêem que to forte. Pensamos que sensivel- estar numa área portuária é um mente dentro de quatro a cinco factor de competitividade. anos, será possível duplicar as car- gas que movimentamos hoje no Que projectos tem o porto de porto de Aveiro. Aveiro para breve? A ligação ferroviária é um deles… Factores que têm impactos A ligação ferroviária não muito fortes na economia da depende de nós, mas da REFER. região. Já houve a decisão política de o É evidente que as empresas que projecto avançar e da parte am- se servem do porto de Aveiro, biental o processo está resolvido. com um porto mais competitivo, com menores custos de movimen- É uma obra importante para tação, com melhor rentabilidade, o futuro do porto… permitem ter sinergias, podem ter É um projecto estratégico, um factor de competitividade. primeiro porque tem um impacto Nós estamos justamente cá para económico na movimentação do servir essas empresas. tipo de cargas que movimentamos no porto de Aveiro, já que esses Qual é a estratégia para este custos podem ser reduzidos signi- mandato? ficativamente e vai permitir trans- 4 TERÇA-FEIRA, 31 de Janeiro de 2006
  4. 4. nselho de Administração do porto de Aveiro ecto estratégico para o porto ferir muita carga para a ferrovia, Recentemente, o Governo tirar toda a terra para poder tornar ramos que todas as normas am- que terá custos económicos, am- anunciou que iria avançar com operacionais estes cais. bientais sejam cumpridas. É evi- bientais e de segurança, que pode a modernização de três portos: dente que, com a actividade que incrementar que as empresas usem Lisboa, Sines e Leixões. Para além destes projectos, temos, surgem sempre questões o porto de Aveiro para movimen- Isso faz parte de um pacote de que outros se revelam impor- sensíveis e nós procuramos tar as suas cargas. Por outro lado, um projecto comunitário, o tantes para o porto de Aveiro? resolvê-las numa óptica correcta vai permitir trazer novas cargas ao PCOM, que se destina à melhoria Neste momento, há uma questão de gestão ambiental como porto porto de Aveiro e vai-nos permitir dos procedimentos portuários, muito importante, que passa pela certificado ambientalmente. alargar a área de influência do para tornar os portos menos buro- dinamização da comunidade por- porto, porque quanto maior for a cráticos. Esse é um dos problemas tuária, que é um órgão que não tem A segurança é outra vertente distância, mais competitivo se dos portos, quando comparados tido muita actividade nos últimos importante. torna o transporte ferroviário, ou com outro tipo de transportes, é anos e do qual fazem parte as É cada vez mais importante. seja, torna o porto mais perto de que uma carga para ser movimen- empresas que operam no porto, os São custos acrescidos para os por- quem está mais longe e isso é um tada num porto tem uma série de agentes, os clientes finais do porto, tos, mas é importante e fundamen- factor importante e é determinante procedimentos complicados, por- as entidades oficiais, as câmaras, a tal e para o porto de Aveiro, até podermos avançar para Espanha. que tem uma série de interve- Universidade de Aveiro. Este órgão atendendo à tipologia dos produtos nientes e entidades, desde alfânde- devia ser o motor de desenvolvi- que são aqui movimentados, cada Será uma vantagem competi- ga, capitania, etc. há uma série de mento do porto e da implemen- vez mais é importante a segurança. tiva do porto de Aveiro, relati- burocracias nos portos e isso é um tação das políticas comerciais e de vamente a outros portos, factor de não competitividade. dinamização e servir quase de Porque é que decidiram come- nomeadamente Leixões. Esse projecto teve em vista criar «lobby» em defesa do porto. E morar o Dia do Porto de Aveiro? Quanto ao porto de Leixões, procedimentos dentro dos portos nesta fase importante em que o Acho que é importante existir considero que somos comple- que permitam aligeirar todos esses porto está, a comunidade portuária um dia do porto, em que o porto mentares. A tendência dos portos procedimentos, por forma a tornar pode ser um motor de desenvolvi- possa abrir as suas portas a toda a é cada vez se especializarem mais, o transporte marítimo mais com- mento do porto. Nesse sentido, comunidade, em criar uma pro- ou seja, o porto de Leixões cada petitivo. Esse projecto foi iniciado queremos dinamizar esse órgão, ximidade do porto com as empre- vez mais tende a especializar-se em Lisboa, Leixões e Sines. O juntamente com as entidades que sas, com a população. Um porto em cargas contentorizadas e o porto de Aveiro, juntamente com esteve na vanguarda no avanço tec- dades, realmente, é difícil. De qual- dele fazem parte. tem impactos positivos, mas tam- porto de Aveiro em cargas não os outros portos, também teve nológico, porque foi um porto pio- quer forma, há uma grande von- bém os tem negativos. Nós temos contentorizadas. Estou a falar de uma candidatura comunitária, o neiro na criação de um centro de tade nossa e das entidades locais do Vão realizar acções nesse consciência disso e instituir um granéis, sólidos ou líquidos, e projecto PIPE, que é um projecto despacho de navios, na década de que se fizer nesses três portos se sentido? Dia do porto é um dia em que carga geral, como as madeiras, quase complementar ao PCOM, 90. Já era um procedimento muito estenda rapidamente a Aveiro. Vai haver uma assembleia-geral todas as pessoas sintam o porto aglomerados ou a pasta de papel, porque este foi integrado no PIPE, avançado na altura a nível por- da comunidade portuária e vamos como seu e vivam o porto. e há uma especialização quase ou seja, o PIPE teve o objectivo tuário e foi uma complicação con- A avançar está também a tentar criar uma estratégia, um natural, uma complementaridade de alargar aos outros portos. Esse seguir que as entidades portuárias dragagem de inertes. plano que contribua para o cresci- O que têm previsto acontecer cada vez maior entre os portos de projecto vai avançar mais rapida- aderirem a esse sistema. Depois, Sim, esta dragagem vai pôr em mento do porto. nesse dia? Aveiro e Leixões. mente nesses três portos e com o com o Aveiro Digital, tem havido o funcionamento os cais que foram Temos algumas actividades PIPE avançará também nos outros melhoramento de uma série de concluídos há cerca de ano e meio, O ambiente é uma outra pre- mais ou menos pensadas e deli- Qual é a previsão de investi- portos, nomeadamente em Aveiro. procedimentos e uma certa mo- o cais dos granéis sólidos e o novo ocupação que está sempre pre- neadas, mas ainda é cedo para mento para a ligação fer- dernização tecnológica dentro do terminal dos granéis líquidos. Os sente na gestão do porto. avançar. Estamos a pensar numa roviária? Mas o porto de Aveiro já porto. Nesse aspecto, posso dizer terminais foram construídos em O porto de Aveiro está certifi- série de iniciativas interessantes, Este é um projecto da REFER e tinha avançado nesse campo que somos mais avançados que seco, agora estamos a dragar, para cado ambientalmente. Tem, por- nomeadamente a organização de o valor do investimento são cerca por conta própria… qualquer outro dos portos. A nível depois encher de água para que os tanto, uma série de procedimentos um colóquio para fazer o debate de 70 milhões de euros. Aveiro sempre foi um porto que de procedimentos com outras enti- navios lá possam chegar. Vamos a nível ambiental, pelo que procu- sobre o nosso plano estratégico. TERÇA-FEIRA, 31 de Janeiro de 2006 5
  5. 5. Terminal Norte Terminal Ro-Ro Dispõe de um cais acostável de 900 metros de comprimento, fun- dos à cota de –12,00 m (Z.H.) e 328 000 m2 de terraplenos. A área Porto de Aveiro com 200 anos de história Este terminal consta de um cais com 450 metros de comprimen- to, fundos à cota de – 12, 00 m (Z.H.), 138 000 m2 de terraplenos de armazenagem a coberto é constituída por oito armazéns, sendo O porto de Aveiro, situado na zona centro do país encontra-se inserido devidamente infraestruturados, com áreas definidas para parquea- dois deles para recepção e armazenagem de cimento a granel, numa laguna interior, denominada Ria de Aveiro. A abertura deste porto acon- mento e (des) embarque. dispondo de uma unidade de ensacamento. Este terminal encontra- teceu com a abertura oficial da Barra a 3 de Abril de 1808. se vocacionado para a movimentação de carga geral e granéis sóli- Considerada a maior infraestrutura de movimentação de carga geral con- dos tendo como principais mercadorias movimentadas o cimento, vencional do Centro e Norte de Portugal, a partir de Aveiro é possível a ligação Porto de Pesca do Largo cereais, pasta de papel, perfilados metálicos, aglomerados de a múltiplos destinos e mercados. Para além de escalas pontuais, sem periodi- Este terminal consta de uma regularização marginal na extensão madeira, clínquer, argilas. Dispõe ainda, de um cais de serviços, cidade pré-estabelecida, o porto oferece algumas linhas de navegação com de 1950 m, à qual estão aduçadas 18 ponte-cais com fundos à cota com 250 metros, destinado às embarcações de apoio. carácter regular. de – 6,00 (Z.H.). Com um tráfego anual de cerca de três milhões de toneladas, Aveiro é um Este sector serve fundamentalmente os armadores de pesca do porto multifuncional, desempenhando um papel primordial no serviço de diver- largo e as indústrias de processamento de pescado. Terminal Sul sos sectores da indústria nacional e internacional, tais como a cerâmica, A exploração comercial da operação neste terminal encontra-se química, vitivinícola, metalúrgica, madeira e derivados, agro-alimentar, cons- concessionada em regime de serviço público, à empresa Socarpor – Porto de Pesca Costeira trução e recentemente sectores produtores de energia alternativa. Sociedade de Cargas Portuárias (Aveiro), S.A.. Trata-se da insta- A fim de movimentar os diversos tipos de mercadorias, Aveiro dispõe de dois Este sector dispõe de um conjunto de infra-estruturas quer ter- lação portuária mais próxima da cidade de Aveiro. Dispõe de um terminais vocacionados para a carga geral e granéis sólidos, um terminal dedica- restres, quer marítimas que permitem a descarga de pescado, efec- cais acostável com 400 metros de comprimento, fundos à cota de do à movimentação de granéis líquidos, e ainda dois terminais preparados para tuado por embarcações de pequeno porte que se dedicam à faina ao –7,00 m (Z.H.) e cerca de 47 000 m2 de terraplenos. A área de a movimentação de pescado. Todos estes sectores estão ligados entre si por longo da costa portuguesa, assim como à armazenagem e comer- armazenagem a coberto é constituída por um telheiro e três uma via rodoviária de cintura portuária, com perfil de via rápida, que dá acesso cialização desse mesmo pescado. armazéns, sendo dois deles para recepção e armazenagem de cimen- ao IP5 (via rápida Aveiro – Vilar Formoso), e por sua vez à A1 (auto-estrada A lota e a fábrica de gelo encontram-se concessionadas à empre- to a granel. Este terminal movimenta sobretudo cimento, pescado, Lisboa-Porto), dotando assim o porto de excelentes acessos rodoviários. sa Docapesca, Portos e Lotas, S.A.. cereais, sal, caulino, argilas, perfilados metálicos e pasta de papel. O porto de Aveiro reúne, ainda, óptimas condições naturais para ser utiliza- do no short sea shipping (transporte marítimo de curta distância), traduzindo-se Terminal Granéis Líquidos numa alternativa promotora da intermodalidade dos diferentes meios de trans- Porto de Abrigo para a Pequena Pesca Terminal especializado, destina-se exclusivamente ao tráfego de porte, permitindo a redução de tempos de deslocação de carga, o decréscimo Situado junto ao porto de Pesca Costeira, consta de uma pro- granéis líquidos. Constituído por três pontes-cais, com fundos à de custos de transporte e a redução de emissões de gases poluentes. tecção marginal envolvente, à qual estão ligados dois passadiços cota de –7,00m (Z.H.), as instalações desta zona portuária encon- Aveiro é um porto que se encontra em fase de franco crescimento, estando flutuantes, com capacidade para o estacionamento de 136 embar- tram-se a ser exploradas por diversas entidades privadas, que se prevista a duplicação de capacidade de recepção de navios em 2009, o que cações. dedicam à movimentação e armazenagem de cloreto de vinilo, lhe permitirá consolidar-se como um centro vital para as várias actividades Das infra-estruturas terrestres consta um edifício de apoio e 72 combustíveis, anilinas, MDI, metanol e vinho. industriais e comerciais da sua área de influência. armazéns de aprestos. 6 TERÇA-FEIRA, 31 de Janeiro de 2006
  6. 6. APA considera 2005 um ano positivo emissão, pelo Governo, desenvolver esta linha de actua- A de Declaração de Im- pacte Ambiental favo- ável ao projecto da liga- ção ferroviária ao Porto de Aveiro - Plataforma Multimodal 2005 foi um ano bastante positivo para o Porto de Aveiro assinala o Conselho de Administração da APA de Coesão da União Europeia, sendo o restante obtido através lhadores da APA; os passos dados na melhoria da política que o Porto de Aveiro registou um crescimento de 5 por cento tacar, mas os pontos elencados são um sinal claro do dinamismo ção que entramos em 2006. Temos, pela frente, desafios ali- ciantes a que meteremos ombros, para bem da empresa, da região e do País», concluiu o presidente de Cacia é considerada por José do PIDDAC (Plano de In- ambiental da empresa, são outros no tráfego de mercadorias. do Porto de Aveiro. É com o do Conselho de Administração Luís Cacho como «uma etapa vestimentos da Administração pontos a destacar, num ano em «Muito mais haveria a des- firme propósito de consolidar e da APA. fundamental para a concretização Central) e dos meios próprios de um projecto que a APA e a da APA. região de Aveiro acalentam há 2005 que fica marcado, tam- muitos anos». bém, pela conclusão da primeira Se os planos forem cumpridos, fase do Plano Estratégico do a ligação ferroviária pode estar a Porto de Aveiro. funcionar em 2008 e, a partir «A elaboração de um Plano dessa data, começarem a sentir-se Estratégico, quando se aproxima os efeitos do alargamento da área a conclusão do Plano de Ex- de influência do Porto de Aveiro pansão do Porto de Aveiro, de- até Espanha, nomeadamente a senhado para o período 2000/ Madrid, Burgos e Valladolid – 2006, surgiu da necessidade de sublinha o presidente do Con- definição das prioridades em ter- selho de Administração do Porto mos de objectivos estratégicos e de Aveiro. valores de actuação deste porto, Rui Paiva, vogal do Conselho assim com das suas linhas de de Administração, destaca a desenvolvimento sustentável, por adjudicação da empreitada de forma a optimizar os seus pontos dragagem de 5,8 milhões de me- fortes», sublinha Luís Marques, tros cúbicos de inertes nas bacias vogal do C.A. da APA. de navegação para tornar opera- A entrada em funcionamento, cionais os dois novos terminais, o via web, do novo software de terminal de granéis sólidos e o de Gestão Portuária (GESPOR); o granéis líquidos. lançamento do novo portal da Um investimento de 14 mi- APA (disponível em www.por- lhões de euros que permitirá, todeaveiro.pt), a par da publi- ainda, o acesso de navios maio- cação de outros sites, como res. O financiamento é assegura- Portofolio e Clip; uma aposta do em 50 por cento pelo Fundo firme na formação dos traba- TERÇA-FEIRA, 31 de Janeiro de 2006 7
  7. 7. A partir de 2006 passará a comemorar-se o Dia do Porto de Aveiro efeméride que será assinalada a 3 de Abril. Perspectivas para 2006 Ligação ferroviária marcará este ano ara a administração do A institucionalização do Dia do P porto de Aveiro, o ano de 2006 ficará, logo no início do ano, marcado pela abertura dos concursos da ligação ferroviária ao Porto de Segundo a administração portuária, o ano de 2006 ficará, desde logo, marcado pela abertura dos concursos para construção da ligação ferroviária ao porto de Aveiro Porto de Aveiro, com início já em 2006, tem também em linha de vista as comemorações dos 200 anos da abertura da Barra, em 2008, sendo intenção da adminis- Aveiro - Plataforma Multimodal de maior calado possam escalar o No plano de actividades para Aveiro, do Porto de Leixões e de Abril, atendendo ao facto da aber- tração portuária envolver a Co- de Cacia. A previsão inicial se- Porto de Aveiro. 2006, a APA não esquece a con- Castilla/León, criando linhas re- tura oficial da Barra se ter verifi- munidade Portuária e a sociedade ria de que estes concursos gan- A APA vai iniciar, entretanto, tinuação no apoio às diligências gulares de transporte de mer- cado a 3 de Abril de 1808. em geral nestas comemorações. hassem forma logo em Janeiro, a infraestruturação das áreas lo- tendentes à implantação do Porto cadorias entre as duas regiões, mas como tal não sucedeu, as gísticas anexas ao Terminal de Seco de Salamanca, e do Centro potenciando dessa forma o trans- expectativas passam para Fevereiro. Granéis Sólidos (TGS) e ao Ter- minal de Granéis Líquidos Integrado de Mercadorias desta cidade espanhola. porte marítimo», defende a APA. Por decisão do Conselho de Socarpor quer consolidar No segundo semestre de 2006 ficará concluída a dragagem das (TGL), considerando a APA este como um passo decisivo para a Estas duas estruturas consti- tuir-se-ão como «a mola impul- Administração da APA, a partir de 2006 passará a comemorar-se o posição dominante bacias de navegação dos novos fixação de indústrias na área sob sionadora da cooperação entre Dia do Porto de Aveiro. A efe- Dentro da dinâmica empresarial já demonstrada ao longo destes cais, que permitirão que navios a jurisdição da APA. operadores logísticos do Porto de méride será assinalada a 3 de 22 anos de existência, a Socarpor pretende consolidar de forma sustentada a posição que hoje detém como «a maior empresa de estiva do Porto de Aveiro». Para tal, de acordo com informação prestadas por Ferreira Jorge, director-geral da empresa, a Socarpor prepara novos investimentos para este ano, que, para já, prefere manter «em segredo». De relevar é o facto de a Socarpor ter batido um novo recorde de cargas em 2005, com um crescimento de 6,4 por cento face a 2004. A Socarpor (Aveiro) iniciou a sua actividade no Porto de Aveiro a 1 de Maio de 1984, no seguimento de algumas reformas no quadro legal que regulamentava a actividade portuária, que con- sagrou a figura jurídica de «Operador Portuário», mais tarde desi- gnado de «Empresa de Estiva», como uma actividade empresarial especializada. Considerando o porto de Aveiro detentor de «enormes potenciali- dades físicas de crescimento», e que por isso mesmo «tem a obri- gação de ultrapassar a actual atitude meramente reactiva face ao mercado», o director-geral da Socarpor defende que se torna indis- pensável procurar o equilíbrio do lado da procura «face ao actual sobredimensionamento da oferta». Para tal, o porto deve, no entender do responsável, desempe- nhar «a sua função fundamental de interface entre terra e o mar, para a qual é indispensável a existência de boas acessibilidades marítimas e terrestres, nomeadamente ferroviárias». Esta ligação, integrada num sistema multi-modal, poderá servir, explicou, «o seu “hinterland” económico não apenas da zona centro do país, mas também do centro da Espanha e até ao do centro da Europa, contribuindo para uma maior afirmação e competitividade quer a nível regional quer nacional». 8 TERÇA-FEIRA, 31 de Janeiro de 2006
  8. 8. Para este ano Vougamar com perspectivas positivas A Vougamar foi fundada há 32 anos e detém, Plano gere resíduos actualmente, duas empresas, a Vougamar – Operadores Portuários, Lda e a Vougamar – Trânsitos e Navegação, Lda. «O ano passado correu consideravelmente bem face à actual situação do país», afirmou ao oi aprovado, pelo Instituto Por- Portuária dos resíduos que têm a Diário de Aveiro Miguel Pinto, director financeiro F tuário e dos Transportes Marí- timos (IPTM), o Plano de Re- cepção e Gestão de Resíduos do Porto de Aveiro (PRGR). Este Pla- no, que entrou em vigor a 1 de Outu- Está em vigor, desde Outubro passado, o Plano de Recepção e Gestão de Resíduos do bordo e dos que pretendem entregar no Porto de Aveiro, através do novo módulo MARPOL, disponível no GESPOR WEB (vulgo Centro de Despachos de Navios - CDN). da empresa, avançando que o terceiro trimestre de 2005 foi «prejudicial para todas as empresas», um facto que considera «natural» dado o quadro económico da altura. Para 2006 as perspectivas são positivas, até bro de 2005, inclui, entre outros, o Regulamento de Gestão de Resíduos e Porto de Aveiro (PRGR) A permanente consulta ao PRGR está garantida através do site, poden- porque a Vougamar «tem vindo a desenvolver uma estratégia de crescimento em termos de o Regulamento de Tarifas Específico quando-se às necessidades e melho- ção marítima e incremento da recolha do quaisquer sugestões ou comen- internacionalização». Embora considere que «o para a Recolha de Resíduos. rando a eficiência do processo de selectiva, com vista ao correcto enca- tários ser remetidas à APA, através futuro a Deus pertence», o crescimento da activi- A implementação deste plano tem recolha, de modo a não originar atra- minhamento dos resíduos e promo- do endereço geral@portodeaveiro.pt. dade económica da Vougamar, que depende ne- como principal objectivo reduzir as sos aos navios. ção da reciclagem», refere a adminis- Será ainda disponibilizada aos uti- cessariamente dos agentes económicos, será descargas de resíduos no mar, pelo Deste modo, o Porto de Aveiro de- tração portuária em comunicado. lizadores do Porto de Aveiro informa- possível, dadas as estimativas com o plano de incentivo a uma maior utilização dos seja «contribuir para a melhoria am- Os navios passam, a partir de ção resumida das normas aplicáveis à investimento do próprio Estado, prevendo-se um meios portuários de recepção, ade- biental, através da redução da polui- agora, a poder notificar a Autoridade gestão de resíduos de navios. incremento da actividade este ano. TERÇA-FEIRA, 31 de Janeiro de 2006 9
  9. 9. A página web é o culminar de um outro projecto, desenvolvido no âmbito do Programa Aveiro Digital, o Projecto SIPA. Porto de Aveiro com nova página web nova página na Internet da optimização do circuito docu- A do porto de Aveiro, orça- da em 30 mil euros, ben- eficiou de um co-finan- ciamento de 50 por cento, aprovado no âmbito do Programa A Administração do Porto de Aveiro (APA) colocou online um novo portal, disponível em www.portodeaveiro.pt «Infomarés», «Estratégia», «Am- biente», «Segurança», «Legisla- tos de Gestão de Resíduos ou o Manual de Procedimentos de marcação online de visitas ao Porto de Aveiro, a visualização, com a Resolução do Conselho de Ministros n.º 97/99. mental do processo interno de compras e do controlo de gestão, que passará a efectuar-se em suporte electrónico. Outro aspecto essencial deste Aveiro Digital. ção e Regulamentos» são algu- Segurança. 24 horas por dia, da actividade A página web é o culminar de projecto residiu na webização do A comunidade portuária, rep- mas das secções do novo espaço Dados actualizados da Esta- portuária através de webcams, um outro projecto, desenvolvido seu sistema interno, ou seja, a resentada pelos seus agentes, da APA na Internet. tística Portuária, Relatórios uma lista de perguntas frequentes no âmbito do Programa Aveiro disponibilização via internet da operadores e demais entidades Através da visita ao portal, os Estatísticos, Relatórios de (FAQ’s) e um glossário, con- Digital, o Projecto SIPA. Tendo informação a fornecedores e aos passa, a partir de agora, a poder cibernautas poderão ainda con- Contas, Tráfego em 2005, são stituem outros motivos de inter- como objectivo primordial a mod- clientes do porto, a toda a Comu- consultar online as respectivas sultar uma vasta gama de infor- também disponibilizados neste esse do novo espaço do Porto de ernização do back-office da APA, nidade Portuária. Nesta segunda contas-correntes. mações: notícias, dados gerais da portal que surge agora com um Aveiro na Internet. S.A., aquele projecto visa imprim- fase reformulou-se o site do Outra das novidades reside na APA, S.A, Organograma, Mis- grafismo renovado. O novo Portal do Porto de ir um maior nível de eficiência e Porto de Aveiro, que passa a con- disponibilização de uma versão são, Historial, Investimentos, Po- A «Foto do Dia», o registo Aveiro respeita as normas de eficácia ao funcionamento dos templar as normas de acessibili- do portal em língua inglesa. lítica Ambiental, Manual de para recepção semanal da news- acessibilidade para cidadãos com serviços internos da Administra- dade facilitadoras do acesso elec- «Serviços», «Simuladores», Gestão Ambiental, Regulamen- letter da APA, a possibilidade de necessidades especiais, de acordo ção do Porto de Aveiro, para além trónico à informação relevante. 10 TERÇA-FEIRA, 31 de Janeiro de 2006
  10. 10. Plano de Emergência Interno O Porto de Aveiro dispõe de um Plano de Emergência Interno Portmar regista ano positivo (PEI), assistido por computador, que apresenta uma estrutura organi- A Portmar – Agência de Navegação, Lda, que foi fundada há 20 anos, com escritórios em Lisboa, Porto, Aveiro, Sines, Setúbal e Funchal, zativa dos meios humanos e materiais, e procedimentos a seguir, face regista 2005 como um ano positivo em termos económicos. a situações de emergência, por forma a garantir a satisfação das Quanto ao futuro, a empresa está reticente ao que o porto de Aveiro, por exemplo, poderá vir a beneficiar com o investimento da construção exigências legais em vigor, no âmbito da Segurança Portuária, e dar da ligação ferroviária, isto porque «o tipo de cargas usadas com o transporte ferroviário são as contentorizadas e essa não é um tipo de carga resposta às preocupações relativas à segurança das populações, quer a movimentada no porto de Aveiro», sublinha José Moura, da Portmar. O responsável destaca ainda que previamente à instalação deste tipo de nível de bens materiais quer do meio ambiente. infra-estruturas no porto de Aveiro, este deveria ser dotado de todo um conjunto de logística para lidar com a contentorização, algo que «não está a ser feito». José Moura defende, contudo, que se trata de um «projecto importante e que é uma mais valia para o porto de Aveiro». A situação económica do país é outro factor que a Portmar reconhece como um problema, já que face aos impostos que em Portugal são cobrados, «os portos portugueses, incluindo o de Aveiro, têm perdido para os espanhóis», nomeadamente no que à descarga de pescado diz respeito. Torre de Segurança A torre de Segurança instala- da no edifíco-sede da APA está dotada de moderno equipamen- to de controlo e vigilância, incluindo um radar portuário e uma estação fixa de GPS dife- rencial de alta precisão, adequa- do para trabalhos de topo- hidrografia com margem de erro inferior a 20 mm, e uma estação meteorológica para apoio ao sistema RISCAV (Sistema integrado para auxílio à tomada de decisão em caso de acidente grave). De igual mo- do, no âmbito da segurança, o Porto de Aveiro em colaboração com outras entidades, oferece um serviço de vigilância permanente e integrado. Meios de Salvação No Forte da Barra existe um posto de Socorros a Náufragos, equi- pado com um barco salva-vidas a motor e material de salvamento. Fernando Domingues denota continuidade Na linha do que têm sido os últimos anos, o grupo Fernando Domingues, que engloba as empresas Stave, Aveirport, Euroline e Fernando Domingues, registou um crescimento no ano passado na ordem dos dois por cento. Destacando-se por ser um grupo de empresas «dinâmicas que existem para prestarem aos operadores económicos da região um serviço global, compreendendo a área aduaneira, a operação por- tuária, bem como os transportes marítimos e terrestres», o grupo tem ao serviço dos seus clientes um conjunto de empresas espe- cializadas. Entre elas está a Stave, que foi fundada em 1973, tendo iniciado a sua actividade como empresa transitária prestando «um serviço global», dos quais se destaca os transportes terrestres, marítimos, a operação portuária e os desalfandegamento das mercadorias. Em 1983 surge a Aveiport, que foi estabelecida para «uma me- lhor prestação de um serviço especializado relacionado com a carga e descarga de navios das mercadorias movimentadas no porto de Aveiro». Mais tarde, em 1988, surge a Euroline, que foi igualmente consti- tuída para desenvolver «um melhor e mais completo serviço rela- cionado com os transportes marítimo de e para Aveiro, prestando assim aos seus clientes um mais eficiente e personalizado serviço», refere a empresa. A este grupo de empresas acresce a Fernando Domingues, despachante oficial, que iniciou a sua actividade em 1966, pre- stando simultaneamente com os serviços aduaneiros da Stave como sócio-gerente e todos os serviços mencionados e relaciona- dos com a importação e exportação de mercadorias e serviço ine- rentes a esta actividade. TERÇA-FEIRA, 31 de Janeiro de 2006 11
  11. 11. Num investimento de mais de 30 milhões de euros Ferpinta amplia fábrica d No seguimento do percurso estar social. No que toca à mis- internacional da Ferpinta, há A Ferpinta, com sede em Vale de Cambra, prepara-se para são, procuramo-nos enquadrar na novos mercados que pretendam explorar? este ano aumentar a sua capacidade e gama de tubos de aço cadeia de valor e aumentar a qualidade do serviço e servir as O nosso passado evidencia uma leitura atenta à envolvente e às es- em dobro. O investimento será superior aos 30 milhões de empresas que estão a jusante da nossa actividade da melhor for- tratégias de antecipação de mu- dança na estrutura económica euros e, tal como adiantou ao Diário de Aveiro, Nuno ma que nos é possível. mundial e ao fenómeno dos nos- sos dias, a globalização. Neste en- Ribeiro Pires, administrador da empresa, permitirá Que projectos tem a Ferpin- ta para breve? quadramento, nós estamos atentos a oportunidades. É sempre prema- responder às necessidades do mercado nesta gama Temos um investimento muito importante que está a ser materia- turo falarmos delas quando ainda de produtos, sendo a terceira empresa na Península Ibérica lizado na área das actuais insta- não estão concretizadas. Não gos- lações da Ferpinta e que se desti- tamos de o fazer e pessoalmente com esta capacidade instalada na a um aumento da nossa gama acho que é um erro táctico, pelo de produção, uma vez que com que o melhor é, primeiro, materia- Hoje está toda a gente com nós, o aspecto mão-de-obra bara- deslocalização ou «outsourcing» porque o grupo é constituído por este investimento vamos duplicar lizarmos essas estratégias. uma atenção, naturalmente, nos ta não é uma questão relevante, para mercados asiáticos ou Índia 23 empresas. a nossa dimensão de gama. Ou mercados do Leste e no passado porque o peso da mão-de-obra no não se equaciona, o que não sig- seja, nós hoje em termos de diâ- Para além dos PALOP’s, há houve uma atenção muito dirigi- nosso produto não tem um sig- nifica que não possamos ter inte- Dispersas por vários sectores metro máximo dos tubos são seis outros mercados emergentes e da para a América do Sul, no- nificado muito importante. Daí resse em estar presentes nesses de actividade. polegadas e com este investimen- interessantes… meadamente para o Brasil. Para que mesmo a nossa eventual mercados para abastecer o Sim, mas em que os produtos to vamos aumentar para uma di- próprio mercado. siderúrgicos são a nossa principal mensão de 12 polegadas. Vamos actividade, porque na área do tu- passar de uma espessura de 4,5 A produção de tubos é, neste rismo, estamos ainda a dar os pri- milímetros para 12 milímetros. E momento, o maior produto da meiros passos e o negócio ainda com este investimento vamos Ferpinta. está a arrancar. procurar responder às novas A produção de tubos é efectiva- necessidades do mercado. mente o nosso principal produto. Qual é a visão/missão estra- Nós somos o líder no mercado tégica do grupo? Como assim? nacional e somos um dos princi- O «slogan» corporativo da Hoje os edifícios constroem-se pais «players» em termos ibéricos. Ferpinta é «Sonhamos o futuro» muito à base de aço tubolar, quan- e com isto queremos dizer que do o que era mais convencional Quanto é que produzem por estamos permanentemente dis- no passado era o ferro maciço. ano? poníveis para continuar a crescer Para que se perceba, são todas as Nós fazemos cerca de 250 mil e para procurar interpretar correc- estruturas de aço que foram usa- toneladas por ano, o que equivale tamente a envolvente. Há aqui das, por exemplo, na construção a um volume de negócios bas- uma vontade e capacidade em- dos novos estádios de futebol e da tante importante e estamos a falar preendedora por parte do fun- construção de novos aeroportos, apenas da Ferpinta, como uni- dador para continuar a investir assim como a Expo e a gare do dade industrial autónoma. No permanentemente. Ele tem uma Oriente. Toda a nova construção, que diz respeito ao grupo, a di- visão de criar valor, de criar ri- quer em Portugal, quer em todo o mensão é muito mais relevante, queza e de criar, no fim, bem- mundo, é uma construção muito 12 TERÇA-FEIRA, 31 de Janeiro de 2006
  12. 12. Defende Nuno Ribeiro Pires, administrador da Ferpinta Os portos são infra-estruturas fundamentais e tubos para as indústrias O porto de Aveiro é importante para a Ferpinta? O porto de Aveiro é importante, mas não é o único porto para nós. que eles façam aquelas contas muito simples. Se pago uma renda de x, se tenho um volume de tráfego de y, o custo unitário será dividir x por y. A Ferpinta usa também o porto de Leixões e usamo-lo obrigatoria- Isto é o que há de mais errado, porque sempre que se reduz o volume mente, porque permite receber navios com um calado superior ao aumenta-se o preço. E quanto mais se aumenta o preço, mais se irá porto de Aveiro e todos os navios que são procedentes, por exemplo, reduzir no futuro e mais dificuldades vamos criar às empresas. O preço do sudeste asiático ou da África do. Para o porto de Aveiro vão não deveria ser superior ao que existia à data da concessão. navios mais pequenos, que transportam mercadorias oriundas princi- palmente da Europa. Sabemos que o porto de Aveiro tem estado a O que seria, quanto a si, preciso? fazer uma dragagem por forma a poder receber navios de maior ca- Era preciso que houvesse uma visão estratégica por parte das lado, mas mesmo assim terá sempre limitações comparativamente autoridades, que olhassem para o porto como uma infra-estrutura abso- com o porto de Leixões. A importância do porto de Aveiro para nós é lutamente indispensável ao desenvolvimento industrial do país e que principalmente para receber navios fundamentalmente provenientes pudéssemos maximizar essas infra-estruturas pondo-as ao serviço até da Europa. das indústrias que se situam próximo da fronteira com Portugal, em Espanha, e relativamente às quais é muito mais perto receber mer- Ainda assim, são a quarta maior empresa… cadorias através do porto de Aveiro do que receber de um porto do Mesmo assim, somos a quarta maior empresa a movimentar carga próprio país. Estou-me a recordar, por exemplo, de Salamanca. no porto de Aveiro, não tendo em consideração as outras empresas do grupo que também recebem cargas através do porto de Aveiro. Se Aí entra a questão da ligação ferroviária ao porto de Aveiro. quiséssemos ser rigorosos para verificar a importância da Ferpinta A ligação ferroviária, dentro desta visão estratégica e de uma visão para o porto de Aveiro, teríamos de adicionar à tonelagem movimen- de desenvolvimento, o que se pretende é que o porto deve ser dotado tada pela Ferpinta à tonelagem movimentadas pelas outras empresas de todas as infra-estruturas necessárias a prestar um bom serviço, ter do grupo. Neste campo, faço uma observação: é necessário que as um custo que seja competitivo e depois ter esta inter-relação com as autoridades tenham uma leitura estratégica sobre o que são as infra- estradas e com o caminho-de-ferro. Este último é absolutamente sustentada em aço e em estruturas Quando é que ela estará estruturas nacionais. indispensável, primeiro que todos os portos, incluindo o porto de tubolares, porque são estruturas apta a laborar? Aveiro, tenham caminho-de-ferro, mas isso não é suficiente. que têm uma maior resistência e Só em finais de 2006, pelo que Está a referir-se?... um menor custo. iremos começar a funcionar no Muitas das vezes, julgo que por miopia das autoridades, não con- Como assim? seguem ter esta leitura estratégica. Olham para o porto de Aveiro – ou É preciso ver o país na sua globalidade. É preciso que quando se próximo ano. para qualquer outro – e vêem apenas o porto. Ao fazerem desta estão a fazer parques industriais, onde vão ser instaladas indústrias Com este investimento, man- forma, aquilo que procuram muitas vezes é encontrar no porto uma pesadas, que o caminho-de-ferro também lá vá. Não faz sentido que têm-se os mercados de actua- Qual é que é a dimensão da fonte de receita para o Estado e ao verem apenas desta forma míope se construa um parque industrial e que não se leve lá o caminho-de- ção actuais? fábrica nova? uma infra-estrutura tão importante quanto é um porto, estão a ter uma ferro. Mas coloca-se uma outra questão, que é como se resolve o Não. Os mercados vão ser São mais cerca de 50 mil me- visão não estratégica do que deve ser o desenvolvimento do país. problema de empresas que já existem, como é o caso da Ferpinta? alargados. Uma linha de produção tros quadrados. Qualquer porto é uma infra-estrutura extremamente relevante para o Resolvemos de uma forma que também é indispensável: é que haja com esta capacidade, com esta desenvolvimento do país. Portanto, não se pode olhar para o porto em determinadas estações, procurando numa leitura geoestratégica dimensão, em todo o mercado Os impactos são mais na apenas como uma fonte de receita. Porque dessa forma, o que se para a sua localização, onde se devem localizar parques para receber ibérico apenas há três empresas maquinaria… procura é maximizar a receita do porto à custa do atrofiamento do e para poder movimentar determinado tipo de mercadorias pesadas e com esta capacidade instalada, já a Vamos ter mais mão-de-obra, na- desenvolvimento industrial. E ao estarmos a atrofiar o desenvolvimen- onde se complemente com uma central de camionagem. Tem que contar com a Ferpinta. O que sig- turalmente, e equipamento com cus- to industrial do país estamos a atrofiar o próprio país. E depois haver todas estas condições, por forma a que estes locais sirvam nifica que, por país, haverá muito to elevadíssimo. Por isso é que não entramos num ciclo vicioso negativo. para várias empresas. poucas empresas com uma capaci- há outras empresas que tenham uma dade tão grande. Assim, o merca- linha de produção com essa capa- Como assim? Dê-me um exemplo. do de exportação da Ferpinta natu- cidade. Nós já adquirimos esse equi- Na medida em que um porto é caro e retira competitividade às Ovar tem uma concentração de produtos siderúrgicos importante. ralmente que se vai alargar. Vamos pamento, com tecnologia japonesa. empresas, ele vai ter menos movimento. Assim, vamos ter as empresas Tendo a Ferpinta aqui, a Oliva em S. João da Madeira e todas as estar presentes nos mercados de a definharem, vamos ter um porto com menos movimento, então, empresas em Ovar, Ovar deveria ser uma localização de um parque, exportação onde já estamos, mas Qual é o investimento para aumentam-se os preços. Porque, entretanto, o que tem sido esta visão, com todas estas condições, toda uma logística completa. É preciso ter vamos alargar esses mercados, até esta ampliação? no meu entender, míope de quem tem estado a fazer a concessão dos uma visão global e é algo que os nossos governantes não têm e não porque este tubo também permite Pese embora não esteja fina- portos a nível nacional, é esta: concessionámos o porto, a quem demos têm porque não têm um diálogo com as empresas, com os uti- chegarmos a um cliente que são os lizado, o investimento é superior a concessão tem de pagar uma renda, uma renda anual, de um deter- lizadores. Os empresários é que sabem quais as suas necessidades tubos para a captação de petróleo. a 30 milhões de euros. minado valor, e as entidades que estão no porto, é-lhes permitido e apontam rapidamente as soluções. TERÇA-FEIRA, 31 de Janeiro de 2006 13

×