NELSON SANTOS
ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO A. SOGRAIN        A1. História        A2. Performance        A3. Equipamentos        A4. Gestão ...
A. SOGRAINA1. HistóriaA2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da QualidadeA5. Projecto de Ampliação        Pertence à S...
A. SOGRAINA1. História                     Linha de Descarga de Navios: 1000 t/h  Carregamento de um vagão (25t): 15minA...
A. SOGRAINA1. História                     Área: 2 250 m^2A2. Performance                                                ...
A. SOGRAINA1. História                    Certificados pelo cumprimento dos requisitos das normas:A2. PerformanceA3. Equip...
A. SOGRAINA1. História                    Alterações/Optimizações principaisA2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da Q...
A. SOGRAINA1. História                    Resultados práticosA2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da Qualidade       ...
A. SOGRAINA1. História                        Logística no mundoA2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da QualidadeA5. ...
Logística no mundoA. SOGRAINA1. História                              Processos-chave considerados para o sucesso de imple...
A. SOGRAINA1. História                   Logística em PortugalA2. PerformanceA3. Equipamentos                Aposta Portu...
A. SOGRAINA1. História                    Actividade SograinA2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da Qualidade        ...
A. SOGRAINA1. História                    Sograin - Análise SWOTA2. Performance                                           ...
A. SOGRAINA1. História                    Sograin – Potencial Agente de Controlo da Cadeia Logística e/ou Potencial Expans...
A. SOGRAINA1. História                    Proposta Estratégica e Operacional de acordo com os conceitos patentes no SCM eA...
A. SOGRAINA1. História                      Fase 1: Optimização da estrutura e dos processosA2. PerformanceA3. Equipamento...
A. SOGRAINA1. História                      Fase 2: Ampliação do “hinterland”A2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da ...
A. SOGRAINA1. História                    Construção de Silos nas instalações dos clientesA2. PerformanceA3. EquipamentosA...
A. SOGRAINA1. História                   Construção de um entreposto na plataforma Logística de Salamanca – ZALDEZAA2. Per...
A. SOGRAINA1. História                    Construção de um entreposto na plataforma Logística de Salamanca – ZALDEZAA2. Pe...
A. SOGRAINA1. História                      Construção de um entreposto na plataforma Logística de Salamanca – ZALDEZAA2. ...
Conclusão                O Sograin tem argumentos para assumir um importante papel no             crescimento e na eficiên...
VÍDEO (sketch publicitário) – Exemplo de Eficiência Logística16 de Fevereiro de 2012                        Projecto E-80 ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

E-80, CORREDOR MULTIMODAL PARA A EUROPA – Apresentação da SOGRAIN

1,157 views
1,026 views

Published on

Ficheiro powerpoint de apresentação da Sograin. Conferência«E-80, Corredor Multimodal para a Europa», organizada pelo Porto de Aveiro, 16 de Fevereiro de 2012, Centro Cultural da Gafanha da Nazaré.
Iniciativa integrada no projecto “Intermodality E-80”.

Reportagem fotográfica em http://arquivodoportodeaveiro.org/UserFiles/E80_16022012/ .
Mais detalhes sobre a conferência em http://portosdeportugal.pt/sartigo/index.php?x=7549 .

Visite-nos em www.portodeaveiro.pt, www.youtube.com/portodeaveiro , http://arquivodoportodeaveiro.org.

Published in: Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,157
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
18
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

E-80, CORREDOR MULTIMODAL PARA A EUROPA – Apresentação da SOGRAIN

  1. 1. NELSON SANTOS
  2. 2. ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO A. SOGRAIN A1. História A2. Performance A3. Equipamentos A4. Gestão da Qualidade A5. Projecto de Ampliação B. SOGRAIN – SCM B1. Logística B2. Actividade Sograin B3. Factores Potenciais B3. Propostas Estratégicas16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 2
  3. 3. A. SOGRAINA1. HistóriaA2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da QualidadeA5. Projecto de Ampliação  Pertence à Socarpor Aveiro SA, Sub-holding Tertir do Grupo Mota-EngilB. SOGRAIN - SCMB1. LogísticaB2. Actividade SograinB3. Factores potenciaisB4. Propostas estratégicas  Necessidade de um Terminal Agro-Alimentar no Porto de Aveiro  Obra: Abril de 2007 a 30 de Julho de 2008  Exploração: 31 de Julho de 2008 (primeiro navio – SWAMI)  Obra de Ampliação: Março de 2011 a 30 de Novembro de 2011  Considerado um “State of the Art” dos Terminais Agro-Alimentares 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 3
  4. 4. A. SOGRAINA1. História  Linha de Descarga de Navios: 1000 t/h  Carregamento de um vagão (25t): 15minA2. PerformanceA3. Equipamentos  Linha de Expedição Rodoviária: 500 t/h  Comboio (400t, 16 vagões): 4h (ritmo real)A4. Gestão da QualidadeA5. Projecto de AmpliaçãoB. SOGRAIN - SCM  Linha de Expedição Ferroviária: 500 t/h  Descarga de um camião: 2minB1. LogísticaB2. Actividade Sograin  Turnover: 500t/h  Tempo média de espera de um camião, apósB3. Factores potenciais obra de ampliação: 10minB4. Propostas estratégicas  Linha Intake Pit (tegão): 500 t/h  Movimento (8h-17h): 7 000t na descarga +  Limpeza final de silos: 80-100 t/h 6 000 t expedição (5 produtos) = 13 000t  Armazenagem: 60 000t (16 silos)  Buffer para expedição: 2 100 t (5 silos)  Capacidade da Tremonha: 300t  Velocidade da Tremonha: 10 m/min  Carregamento de um camião: 3min (T+C+B) 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 4
  5. 5. A. SOGRAINA1. História  Área: 2 250 m^2A2. Performance  Balanças de PesagemA3. Equipamentos 16 Silos de Armazenagem:A4. Gestão da Qualidade • 4 Básculas rodoviáriasA5. Projecto de AmpliaçãoB. SOGRAIN - SCM • 6 Silos de 5000t • 2 Básculas ferroviárias (2 vagões)B1. Logística • 6 Silos de 3200t • 3 automáticas (500t/h)B2. Actividade Sograin • 4 silos de 2700tB3. Factores potenciais  24 Filtros nas linhas de fluxoB4. Propostas estratégicas  5 Silos de Expedição (2 290t):  30 ventiladores de grande porte • 2 Silos de100t cada (rodoviária) • 2 Silos de 870t cada (rodoviária)  2 sistemas de crivagem de 500t/h •1 Silo de 350t (Ferroviária)  Magnetizador de 1000t/h  5 Pontos de Carga (ecológicos)  2 salas de controlo  Transportadores de Corrente: 20 unid, 830m  Oficina de Manutenção de 530m^2  Transportadores de Tela: 2 unid, 240m  Elevadores de Alcatruzes: 4 unid, 165m  Tremonha Ecológica de 200m^3 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 5
  6. 6. A. SOGRAINA1. História Certificados pelo cumprimento dos requisitos das normas:A2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da Qualidade  Gestão da Qualidade - ISO9001:2008A5. Projecto de AmpliaçãoB. SOGRAIN - SCMB1. Logística  Sistema de Gestão de Segurança Alimentar - ISO22000:2005 em todos os processos eB2. Actividade Sograin procedimentosB3. Factores potenciaisB4. Propostas estratégicas 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 6
  7. 7. A. SOGRAINA1. História Alterações/Optimizações principaisA2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da Qualidade  Dois novos Silos de (Des)carga (2x870t)A5. Projecto de AmpliaçãoB. SOGRAIN - SCMB1. Logística  Duas novas Pistas de Carga (500t/h)B2. Actividade SograinB3. Factores potenciais  Aumento da cobertura na zona de Carregamento de CamiõesB4. Propostas estratégicas  Nova Sala de Controlo  Optimização do Diagrama de Fluxo • Descarga directa para os novos silos • Possibilidade de carregar os dois pares de silos de descarga em simultâneo • A linha do Tegão passa a utilizar a linha de entrada • Carregamento contínuo dos Silos de Descarga (por par de silos) 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 7
  8. 8. A. SOGRAINA1. História Resultados práticosA2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da Qualidade  Possibilidade de Descarga DirectaA5. Projecto de Ampliação  Maior flexibilidade Logística OperacionalB. SOGRAIN - SCMB1. Logística  Carregamento de quatro produtos diferentes em simultâneoB2. Actividade SograinB3. Factores potenciais  Aumento da capacidade (t) de expedição rodoviária de 248%B4. Propostas estratégicas  Fluxo (real) de expedição aumentou 40%  Redução do tempo de espera de camiões de 83%  Aumento da quantidade movimentada/arranque dos equipamentos (Job) de 85%  Redução do consumo de energia/tonelada na expedição de 7,4%  Redução do consumo de energia/tonelada, utilizando a Descarga Directa de 74,3%  Redução do número e do tempo de limpeza (M-d-O) dos silos de 50% 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 8
  9. 9. A. SOGRAINA1. História Logística no mundoA2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da QualidadeA5. Projecto de AmpliaçãoB. SOGRAIN - SCM  Gestão da Cadeia de Logística (SCM) - processo de carácter estratégico, centrado noB1. Logística planeamento, implementação e controlo de fluxos eficientes de materiais ou produtos, deB2. Actividade Sograin serviços e informação, desde o seu ponto de origem até ao ponto de consumo, por forma aB3. Factores potenciais satisfazer as necessidades dos actores do sistema logístico integrado.B4. Propostas estratégicas Objectivo História - Evolução dos Conceitos de Logística ao longo do tempo Fases Fase 1 Fase 2 Fase 3 Fase 4 Fase 5 Fase 6 Enfoque no Armazéns e Supply Chain Qualidade Total em Planeamento Actuação Distribuição Física Logística Integrada Transportes Management Logística Estratégico em Logística Foco Operacional Tático Gerencial Tático Estratégico Mercado Consumidor Integração Total 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 9
  10. 10. Logística no mundoA. SOGRAINA1. História Processos-chave considerados para o sucesso de implementação do SCM:A2. PerformanceA3. Equipamentos  Relacionamento com os clientesA4. Gestão da QualidadeA5. Projecto de Ampliação  Serviço logístico aos clientesB. SOGRAIN - SCM  Gestão da procuraB1. LogísticaB2. Actividade Sograin  Fornecimento de EncomendasB3. Factores potenciaisB4. Propostas estratégicas  Gestão do Fluxo de Serviços  Compras/Fornecimento:  Desenvolvimento de novos serviços Principais tendências no SCM  Planeamento integrado da cadeia – utilização de ERP’s e Principais vantagens na implementação do conceito SCM especialização de RH’s  Redução dos custos de operação de cada player;  Centralizar vs Descentralizar – reduzir custos versus rapidez e  Aumento da produtividade de cada player; flexibilidade  Informação partilhada – gera eficiência e oportunidades de  Partilha de riscos e ganhos – parceiro vs cliente e fornecedor. negócio; Concretizar ligações privilegiadas com todos os intervenientes  Subcontratação de actividades não core – identificar parceiro apto 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 10
  11. 11. A. SOGRAINA1. História Logística em PortugalA2. PerformanceA3. Equipamentos  Aposta Portuguesa no SCM através do programa intitulado “Portugal Logístico”, projectoA4. Gestão da Qualidade que origina a Rede Nacional de Plataformas Logísticas (RNPL – Dec. Lei 152/2008 de 05/08).A5. Projecto de AmpliaçãoB. LOGÍSTICA INTEGRADAB1. Logística  Visão – transformar Portugal numa plataforma atlântica para os movimentos internacionais noB2. Actividade Sograin mercado ibérico e europeu.B3. Factores potenciaisB4. Propostas estratégicas  A RNPL é constituída por 12 Plataformas, agrupadas em quatro categorias distintas: 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 11
  12. 12. A. SOGRAINA1. História Actividade SograinA2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da Qualidade  Empresa de serviços – Descarga de navio, Armazenagem, Carregamento de camiões e vagõesA5. Projecto de Ampliação  Actividade transversal à cadeia de valor. Relação com todos os playersB. SOGRAIN - SCMB1. Logística  Pouca influência por parte do Sograin na organização e planeamento das operações integradasB2. Actividade SograinB3. Factores potenciais • Dificuldade de prever as operações e movimentos dos clientes/distribuidores/recebedoresB4. Propostas estratégicas Gera • Custos (internos) de operação elevados • Tempos de espera dos camiões altos • Menor quantidade movimentada 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 12
  13. 13. A. SOGRAINA1. História Sograin - Análise SWOTA2. Performance PONTOS FORTES PONTOS FRACOSA3. EquipamentosA4. Gestão da Qualidade 1. Existência de infra-estruturas recentes e 1. Dificuldade em planear operações comA5. Projecto de Ampliação modernas. antecedência.B. SOGRAIN - SCM 2. Localização do Sograin na convergência de 2. Baixo poder de negociação relativamente aB1. Logística rotas transatlânticas. parceiros dominantesB2. Actividade Sograin 3. Ligações ferroviárias e terrestres directas, 3. Impossibilidade de receber navios superiores aB3. Factores potenciais possibilitando a ligação dos portos nacionais 12 000t de capacidade (advém do atraso dasB4. Propostas estratégicas aos “portos secos” de Espanha. obras de dragagem) 4. Sistema de distribuição/entrega mais eficiente 4. Inflexibilidade horária e elevados custos da que os dos concorrentes mão-de-obra Portuária face às necessidades (Logística/Capilaridade). das cadeias logísticas. 5. Credibilidade relevante junto dos clientes. 5. Movimento Sograin - taxa variável elevada aplicada pela APA OPORTUNIDADES AMEAÇAS 1. Mercado relativamente pouco organizado, 1. Atraso das obras de dragagem na barra. motivando a definição de estratégias para a conquista de cotas de mercado. 2. Estabelecimento de parcerias para servir 2. Crescente competitividade do sector portuário pontos de consumo na zona Castela e León. europeu, nomeadamente o espanhol. 3. Mercado potencial muito atractivo – Programa 3. Atraso nas concretizações das ligações ao Portugal Logístico – novas redes. centro da Europa. 4. Aumento do preço do cereal – utilização de outros Portos Conclui-se que o Sograin tem um grande potencial de oportunidade de crescimento na cadeia logística! 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 13
  14. 14. A. SOGRAINA1. História Sograin – Potencial Agente de Controlo da Cadeia Logística e/ou Potencial Expansão doA2. Performance actual serviçoA3. EquipamentosA4. Gestão da QualidadeA5. Projecto de Ampliação  Infra-Estrutura modernaB. SOGRAIN - SCMB1. Logística  Boa performance (altos ritmos no movimento de cereal)B2. Actividade Sograin  Procedimentos internos excelentes, baseados nos conceitos da Gestão da QualidadeB3. Factores potenciaisB4. Propostas estratégicas ISO9001 e Sistema de Gestão de Segurança Alimentar  Software de Gestão e Monitorização dos processos: total rastreabilidade do produto desde do navio até à entrega ao cliente  Software de Gestão Operacional de movimentação e pesagem de viaturas  Automatização de processos de carga e descarga  A informação necessária aos diversos “players” do negócio está potencialmente disponível  Opera num mercado atractivo, motivando estratégias de expansão de serviço (ampliação do “hinterland” do terminal) 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 14
  15. 15. A. SOGRAINA1. História Proposta Estratégica e Operacional de acordo com os conceitos patentes no SCM eA2. Performance projecto E-80A3. EquipamentosA4. Gestão da QualidadeA5. Projecto de AmpliaçãoB. SOGRAIN - SCMB1. LogísticaB2. Actividade Sograin  Fase 1: Optimização da estrutura e dos processosB3. Factores potenciaisB4. Propostas estratégicas • Flexibilidade e capacidade das operações; • Planeamento das operações  Fase 2: Ampliação do “hinterland” Esta solução passa por procurar potenciais clientes e parceiros, por exemplo na zona de Salamanca, e propor-lhes a entrega de cereal, de modo a incrementar a procura do porto de Aveiro e a potenciação do Sograin 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 15
  16. 16. A. SOGRAINA1. História Fase 1: Optimização da estrutura e dos processosA2. PerformanceA3. Equipamentos  Garantir de capacidade de resposta das operações planeadas e imprevistas;A4. Gestão da QualidadeA5. Projecto de Ampliação • Operacionalização do posto de carga de vagões (concluído)B. SOGRAIN - SCM • Dois novos silos de (Des)carga (concluído)B1. LogísticaB2. Actividade Sograin • Optimização do Diagrama de Fluxo Sograin (concluído)B3. Factores potenciaisB4. Propostas estratégicas  Introdução de sistemas de informação para integração dos vários “players” do negócio • Criação de uma plataforma informática (ERP), integradora de dados, com postos periféricos nos clientes/distribuidores/recebedores/transportadoras em que todos os “players” possam aceder para receber e “alimentar” este sistema com informação.  Desenvolvimento de parcerias • Passagem de um relacionamento tradicional cliente/fornecedor para um de parceria • Planeamento integrado das operações • Incentivos especiais (“pricing” realizado numa perspectiva de partilha de ganhos) • Entrega do cereal no destino, pretendido pelo cliente - focam-se no seu negócio, não se preocupando com a logística de transporte • A escolha de parceiros “chave” para a partilha de riscos e resultados no negócio 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 16
  17. 17. A. SOGRAINA1. História Fase 2: Ampliação do “hinterland”A2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da Qualidade  Construção de silos nas instalações dos clientesA5. Projecto de AmpliaçãoB. SOGRAIN - SCM  Alargar o “hinterland” do Sograin, com o apoio de parceiros (nomeadamente a empresas deB1. LogísticaB2. Actividade Sograin distribuição)B3. Factores potenciais  Construção de um Entreposto na Plataforma Logística de Salamanca – ZALDESAB4. Propostas estratégicas  Utilização do know-how, network e parceiros da Logz Atlantic Hub (Grupo Mota-Engil detém 30%)  Utilização das sinergias do grupo Mota-Engil • Takargo - Transportadora • Transitex – Logística de Transporte (mercadoria) • Engenharia e Construções – Construção civil e coordenação de projectos • Manvia – Manutenção industrial • Martifer – Construção metálica 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 17
  18. 18. A. SOGRAINA1. História Construção de Silos nas instalações dos clientesA2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da Qualidade  Construir silos (capital Socarpor) com capacidade adequada às necessidades dosA5. Projecto de AmpliaçãoB. SOGRAIN - SCM clientesB1. LogísticaB2. Actividade Sograin  Formalizar contratos de fidelização com os clientes, em função do investimento,B3. Factores potenciais quantidades anuais e período contratualB4. Propostas estratégicas  Identificar dois (máximo) parceiros para o transporte de cereal  Sinergias entre empresas do grupo Mota-Engil • Takargo – transporte de cereal • Transitex – Logística de transporte (mercadoria) • Manvia – Manutenção dos equipamentos  Vantagens • Planeamento das operações • Redução de custos operacionais • Rapidez de entrega • Redução do “pricing” e tendência de diminuir a médio prazo • Os clientes focam-se no seu core business • Esforço (custo) nulo na logística de transporte pelos clientes 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 18
  19. 19. A. SOGRAINA1. História Construção de um entreposto na plataforma Logística de Salamanca – ZALDEZAA2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da Qualidade  Entrada de cereal no Porto de AveiroA5. Projecto de AmpliaçãoB. LOGÍSTICA INTEGRADA  Transporte de cereal de Aveiro para Espanha por comboioB1. LogísticaB2. Actividade Sograin  Construção de um entreposto em Espanha para que o fluxo de comboios sejaB3. Factores potenciais maximizado e o tempo de paragem de descarga minimizadoB4. Propostas estratégicas  Descarga do cereal no entreposto  Carregamento de camiões para destinos próximos 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 19
  20. 20. A. SOGRAINA1. História Construção de um entreposto na plataforma Logística de Salamanca – ZALDEZAA2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da Qualidade  Projecto adequado às necessidadesA5. Projecto de AmpliaçãoB. LOGÍSTICA INTEGRADA  Custos optimizadosB1. LogísticaB2. Actividade Sograin  Equipa de 4 colaboradoresB3. Factores potenciais  600m^2 de áreaB4. Propostas estratégicas  1 600t de capacidade de (armazenagem)  Expedição para camião: 500t/h  Descarga de vagão: 400t/h 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 20
  21. 21. A. SOGRAINA1. História Construção de um entreposto na plataforma Logística de Salamanca – ZALDEZAA2. PerformanceA3. EquipamentosA4. Gestão da Qualidade  Análise económico-financeiraA5. Projecto de AmpliaçãoB. LOGÍSTICA INTEGRADAB1. Logística PRINCIPAIS INDICADORES / PRESSUPOSTOSB2. Actividade Sograin Investimento com Estrutura de Salamanca 2.521.422,55€B3. Factores potenciais Preço de Venda pela Movimentação para Salamanca por Ton 15,83€B4. Propostas estratégicas Custos Mensais do Entreposto de Salamanca após Optimização 25.653,95€ Custo de Transporte de Aveiro para Salamanca por Ton 9,50€ Movimentação de Cereal em Salamanca no ano 1 (Ton.) 40.000 Movimentação de Cereal em Salamanca no ano 2 (Ton.) 96.000 Movimentação de Cereal em Salamanca no ano 3 (Ton.) 150.000 Movimentação de Cereal em Salamanca - crescimento nos 3 anos seguintes 7,00% Movimentação de Cereal em Salamanca - crescimento após 7º ano 2,00% Grau de Endividamento - 90% do Investimento Total 2.269.280,30€ Capital Próprio - 10% do Investimento Total 252.142,26€ Perpetuidade (Calculado pelo Valor Actualizado dos CFs Futuros até final da Concessão) 6.629.421,31€ RESULTADOS OBTIDOS VALOR ACTUALIZADO LÍQUIDO - VAL DO PROJECTO 4.407.610,88€ TAXA INTERNA DE RENTABILIDADE - TIR AJUSTADA DO PROJECTO 18,12% PAYBACK PERIOD actual 8 16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 21
  22. 22. Conclusão O Sograin tem argumentos para assumir um importante papel no crescimento e na eficiência da Logística Integrada, quer pelos seus factores críticos de sucesso actuais, quer pelas mais-valias resultantes de uma visão estratégica para o futuro.16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 22
  23. 23. VÍDEO (sketch publicitário) – Exemplo de Eficiência Logística16 de Fevereiro de 2012 Projecto E-80 23

×