Your SlideShare is downloading. ×
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Revista Adventista Especial - Missao Global
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Revista Adventista Especial - Missao Global

5,925

Published on

Edição especial da RA sobre Missão Global

Edição especial da RA sobre Missão Global

Published in: Spiritual, Business, Technology
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
5,925
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
82
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Edição Especial -Missão Global Plantando Esperança3 Tempo de maiores conquistasHá muita terra para ser conquistada 6 Desafios mundiais Os grandes desafios de Missão Global 34 Plantio de igrejas É possivel começar uma igreja sem campanhas evangelísticas
  • 2. Editorial Edison Choque Visão de Deus para a Edição Especia Órgão Geral da Igreja América do Sul Dedicado à Procla entr Neuber Oliveira “Aqui está a paciên guardam os manda D EDISON CHOQUE esde a chegada dos primeiros colonos a terras sul-americanas, em 1531, até é diretor de E Missão Global a chegada do evangelho adventista, em 1890, algumas luzes foram acesas da Divisão M em meio a uma densa escuridão. Manuel Lacunza (1731 – 1801), monge Sul-Americana jesuíta que nasceu no Chile, cria na vinda do Messias em glória e majestade. C Ted Wilson, E Posteriormente, por esse motivo, foi desterrado e finalmente morto. Marlon Lopes, Gar Gonçalves , Maurício Everon Donato, Sidnei José Vega, Cristhian Á Francisco Ramos Mejía (1731 – 1828) Colportagem os primeiros contatos com ventista, em espanhol, publicou um su- Felix Santamaria, He Suellen Timm, C foi um nobre cidadão argentino que de- a população. A primeira Igreja Adventista plemento completo mostrando os mu- dicou sua vida a difusão da Bíblia entre do Sétimo Dia em terras brasileiras foi es- nicípios sem presença adventista em Arte Vict os aborígenes. Ele foi observador dos dez tabelecida na região de Gaspar, em Santa países de fala castelhana da Divisão Im mandamentos e considerado o primeiro Catarina, em 1895. A partir daí Deus foi Sul-Americana. herege argentino. Mejía foi confinado em levantando a luz da esperança nos outros O propósito destas publicações foi sua casa e, por não poder praticar e pre- países sul-americanos. criar consciência no sentido de avan- gar sobre uma religião expansiva e dinâ- Depois de quase 100 anos de história, çar com maior força e de forma bem mica, morreu de tristeza. no dia 1º de dezembro de 1990, aconte- direcionada. Algo maior, porém, estava reservado ceu o batismo de número “um milhão” na Segundo o relatório estatístico oficial para a América do Sul: abraçar e procla- América do Sul. da secretaria da DSA, no segundo tri- mar a esperança de um mundo melhor. Neste mesmo ano, a Assembleia da mestre de 2010, a igreja já contava com CASA PUBLIC Editora dos A A visão de Deus da proclamação do Associação Geral incorporou oficial- 2.033.742 membros, e isto tudo apenas evangelho a todo mundo foi claramente mente o projeto Missão Global, com o 19 anos após ter alcançado o primeiro Rodovia Es expressa em Apocalipse 14:6: Proclamar propósito de proclamar de forma siste- milhão. Caixa Postal 34; CE Fone (15) 3205 o Evangelho eterno a cada nação, tribo, mática e decidida o evangelho eterno a Segundo o relatório mundial apre- língua e povo. No início da história de todas as pessoas do mundo. sentado em agosto de 2008, na reunião nossa Igreja nossos pioneiros tinham A partir desta orientação da adminis- mundial de Missão Global, na Tailândia, uma ideia limitada dessa visão, como po- tração mundial da Igreja, muitas divisões em 1988 havia no mundo 882 habitantes D demos acompanhar no seguinte quadro: tentaram fazer um levantamento de in- por um adventista. Vinte anos depois, em Jos Dir formações para saber a real si- 2008, o número caiu para 407 habitantes Edson Missão limitada aos adventistas (mileritas) 1844 – 1852 tuação do avanço da presença para cada adventista. R R Missão limitada à América do Norte 1852 – 1874 adventista no mundo. Em no- No território da DSA, em 1989 havia Gere Missão limitada aos países cristãos 1874 – 1901 vembro de 1994, por iniciativa 255 habitantes por um adventista, em R RA/mês’10 Ger do conselho evangelístico da 2009 a proporção caiu para 155. Nesta Joã Missão a todo mundo em geral 1901 – 1950 Divisão Sul-Americana, foram revista pretendemos criar consciência da Che Ed Sistematização da Missão 1950 – 1989 publicados dois volumes de necessidade de completar a missão que Missão Global – Planejamento estratégico 1990 – 705 páginas, intitulados Mis- outros começaram. são Global 2000. Na época, o Cremos que a visão de Deus para a Todos os direitos reserv ou parcial, por qualque Com a chegada de Jorge H. Riffel, no pastor Roberto Cesar de Azevedo foi o América do Sul se cumprirá ainda em escrita do autor e da Ed ????? início de 1890, ao pequeno porto de Dia- coordenador do projeto que se tornou o nossa geração. mante, na Argentina, deu-se o primeiro embrião de todas as demais iniciativas re- Com uma visão renovada da igreja passo para a proclamação da mensagem lacionadas com o avanço da igreja. mundial, uma igreja reavivada levará adventista na América do Sul. Em outubro de 1995, a Revista Ad- avante um movimento cada vez maiorDesigner Finalmente, quatro anos depois, em ventista, em português, publicou um su- no que se refere ao plantio de igrejas. 1894, foi estabelecida a primeira igreja plemento completo com o título “1995 O desafio para 2011 é estabelecer aEditor Texto Adventista em solo sul-americano, perto – 2000 Missão Global”, sob a coordena- presença adventista em 2.000 novos lu- de Crespo, na província de Entre Rios, ção do pastor Henrique Berg. No texto gares no território da América do Sul, e Argentina, com 36 membros. Em maio constavam os municípios do Brasil que no qüinqüênio, alcançar 9.000 lugaresC.Qualidade de 1893 chegou o primeiro missionário tinham pouca ou nenhuma presença sem a presença adventista. adventista ao Brasil, Alberto B. Stauffer, adventista.Depto. Arte que introduziu formalmente através da Em janeiro de 1996 a Revista Ad- 2 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 3. oque Mensagem do Presidente Erton Köhler Edição Especial de Missão Global 2010 Órgão Geral da Igreja Adventista do Sétimo Dia no Brasil. Dedicado à Proclamação da “Fé que uma vez foi entregue aos santos”. Tempo de maiores Neuber Oliveira Neuber Oliveira conquistas “Aqui está a paciência dos santos: Aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé de Jesus.” Apoc. 14:12. HOQUE ERTON KÖHLER é presidente Editoresretor de Edison Choque da Divisão Sul-Americanao Global Felipe Lemos Divisão Márcia Ebinger ericana Estamos vivendo um momento especial na Em Atos 2, quando a igreja cristã primitiva recebeu Colaboradores história de nossa igreja. Um tempo de grandes, o Espírito Santo no dia de Pentecoste, a mensagem Ted Wilson, Erton Köhler, Magdiel Pérez, Marlon Lopes, Gary Krause, Laércio Mazaro, Cirilo ousadas e desafiadoras conquistas. Deus está foi pregada em línguas diferentes e estranhas para Gonçalves , Maurício Lima, Gelson Arley, Gilmar Zahn, abrindo portas, a igreja está sendo receptiva e eles. Esse foi o processo divino para alcançar aque- Everon Donato, Sidnei Mendes, Horacio Rizzo, Raul Perez, José Vega, Cristhian Álvarez, Luiz Martinez, Walter Davila, nossos líderes estão dispostos a avançar. Esse é les que haviam vindo de outras regiões a Jerusa-um su- Felix Santamaria, Heriberto Peter, Alessandro Simões, o cenário ideal para que o Espírito Santo rea- lém e o primeiro passo para chegar a novos terri- Suellen Timm, Caroline Ferraz, Heron Santana.os mu- lize grandes coisas em nosso meio, levando-nos tórios. Afinal, não fazia muito tempo que Jesus ossta em Arte e Diagramação Victor Diego Trivelato a maiores conquistas no cumprimento da mis- havia desafiado: “Ide, portanto, fazei discípulos deDivisão são e no preparo de um povo para o encontro todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e Imagem da Capa Jocard com o Senhor. do Filho, e do Espírito Santo” (Mat. 28:19). Estavações foi Neste tempo, quando a igreja está marchando claro um “Ide” geográfico, conquistando cada re-e avan- unida, quebrando paradigmas e impactando a gião do mundo. Nenhum lugar deveria ficar dema bem comunidade, precisamos enfrentar nossos de- fora. Hoje está em nossas mãos a oportunidade safios de Missão Global. Ainda temos milhares de cumprir estas palavras, de maneira completa.o oficial de cidades, bairros, grupos étnicos e linguísticos Para que isso aconteça, precisamos:ndo tri- onde não estabelecemos a presença adventista. - Comprometer cada distrito e instituição ava com CASA PUBLICADORA BRASILEIRA Precisamos avançar mais rápido e de maneira adotar uma cidade, bairro ou grupo étnico e plan- Editora dos Adventistas do Sétimo Dia apenas mais forte para superar esses desafios. Possivel- tar ali uma nova igreja.rimeiro Rodovia Estadual SP 127 – km 106 mente, conquistar esses lugares seja mais difícil - Desafiar famílias e membros a mudarem-se Caixa Postal 34; CEP 18270-970 – Tatuí, São Paulo do que continuar nas áreas onde temos crescido para regiões sem presença adventista e estabelecer Fone (15) 3205-8800 – Fax (15) 3205-8900al apre- bem, mas precisamos uma nova congregação.reunião encarar essa realidade se Neste tempo, quando a igreja está - Avançar com a pre- ilândia, quisermos ver a mensa- marchando unida e quebrando sença da igreja nos bair-bitantes gem de esperança alcan- ros das grandes cidades, çando “a todo o mundo, paradigmas, precisamos enfrentar onde ainda não estamos Diretor Geralpois, em José Carlos de Limabitantes Diretor Financeiro Edson Erthal de Medeiros em testemunho a to- nossos desafios de Missão Global. estabelecidos. Redator-Chefe das as nações...”(Mateus - Realizar um impacto Rubens S. Lessa 9 havia Gerente de Produção 24:14). Precisamos seguir o exemplo do apóstolo com o livro missionário em cada região que serásta, em Reisner Martins Paulo e “pregar o evangelho, não onde Cristo já conquistada. Gerente de Vendas . Nesta João Vicente Pereyra fora anunciado” (Romanos 15:20). - Desenvolver projetos amplos e maduros paraência da Chefe de Expedição Eduardo G. da Luz Em 2011, estamos começando um movi- a plantação de novas igrejas, envolvendo pequenossão que mento para que nos próximos cinco anos sejam grupos, evangelismo público, discipulado, treina- alcançados todos os municípios sem presença ad- mento de liderança e a compra de uma proprie- para a Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ventista no território da Divisão Sul-Americana. dade para o estabelecimento da nova igreja. ou parcial, por qualquer meio, sem prévia autorizaçãonda em escrita do autor e da Editora. Para que isso aconteça, queremos que esta edição Aí está o desafio. O que vamos fazer? Quanto especial da Revista Adventista seja como uma se- tempo vamos esperar? O poder do céu está a nossaa igreja mente em seu coração. É o primeiro passo para disposição para atender o clamor das milhares de levará conquistas maiores. Você vai conhecer alguns cidades sul-americanas que ainda não têm o evan-z maior de nossos desafios, a história de homens e mu- gelho do reino sendo pregado em seu território.ejas. lheres que se colocaram nas mãos de Deus e de- Esse é o tempo de nos unirmos para avan-elecer a cidiram ir a um lugar sem a presença adventista çar, plantar esperança e alcançar maio-ovos lu- e também orientações importantes para avan- res conquistas. Aquelas que foram profetiza- o Sul, e çar na conquista de novos lugares para o Senhor. das para nossos dias através da ação do Espírito lugares É tempo de sonhar, planejar, ousar e clamar Santo. Deus e a igreja estão contando com você. pelo poder do Espírito Santo para que as barrei- Afinal, ainda há muita terra para ser conquis- ras sejam vencidas e cada lugar seja conquistado. tada (Josué 15:1). Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 3
  • 4. Estatísticas Felipe Lemos ONDE ESTAMOS PA Neuber Oliveira Quando um recém-converso conhece a Igreja Adventista do Sétimo Dia FELIPE LEMOS é jornalista e avança com estudos bíblicos, logo é conscientizado de uma máxima da Divisão Sul-Americana importante: os adventistas fazem parte de um movimento mundial. Paíse do S Recentemente, o teólogo George Knight lançou um livro cha- rádio e Internet. Conforme o pastor Almir Marroni, di- mado “A visão apocalíptica e a neutralização do adventismo” retor de Publicações da Divisão, há anos existe a entrega Os adv em que esclarece que a relevância da Igreja está em manter seu de livros e folhetos por parte dos adventistas sul-ame- mensag foco nas doutrinas distintivas associadas à necessidade de co- ricanos. Em 1998, foi o caso do livro “O Terceiro Milê- demon munhão constante com Jesus Cristo. Ou seja, está bem claro nio” (Alejandro Bullón), em 2000 de “O Grande Con- pela O que os adventistas possuem uma mensagem distintiva para os flito” (Ellen White) e, em 2001, “Vida de Jesus” (versão como i tempos atuais. condensada – Ellen White) quando foi contabilizada a Uma mensagem relevante para ser difundida a todo o mundo, entrega de 800 mil exemplares. A partir de 2005, come- inclusive a todos os grupos étnico-culturais possíveis. É, em çaram a surgir projetos de maior abrangência e organi- suma, para isso que foi levantado o movimento que, desde 1863, zados para entrega dos livros missionários. Em 2006, 1 1. Afeg tornou-se oficialmente a Igreja Adventista do Sétimo Dia, hoje milhão de cópias do livro “O Grande Conflito” foram 2. Ilha presente em 203 dos 232 países e regiões reconhecidos pela entregues, em 2007 três milhões e 200 mil exemplares 3. And Organização das Nações Unidas. Mundialmente, os adventis- do livro “Os dez mandamentos” (Loron Wade), no ano 4. Butã tas marcam boa presença em termos de abrangência territorial, de 2008 dois milhões de cópias da publicação “Espe- 5. Bru mas numericamente apresentam pouca expressão. Segundo da- rança para Viver” (adaptação de Caminho a Cristo, de 6. Com dos de 2008, são quase 6,7 bilhões de habitantes no planeta e Ellen White) e, em 2009, foram seis milhões de exempla- 7. Falk um contingente de quase 16 milhões de adventistas. Para re- res do livro Sinais de Esperança (de Alejandro Bullón). 8. Gibr 9. Gue presentar 1% da população mundial, os adventistas precisariam A Rede Novo Tempo de Comunicação também tem 10. Sant somar ao menos 60 milhões, ou importante parcela na mis- 11. Ilha quase quatro vezes o total. Histo- ricamente esta proporção, no en- Cada cristão precisa “ser testemunha são global. Desde 1996, a Rede, tanto em TV quanto 12. Jerse tanto, melhorou. até os confins da terra.” em rádio, ampliou sua atua- 13. Rep 14. Liec América do Sul – Apesar de ção. Hoje a TV Novo Tempo 15. Rep manterem bom crescimento em todo mundo, os adventistas na está em mais de 330 cidades brasileiras, sendo trans- 16. Mau América do Sul (especificamente os oito países que compõem mitida em canal aberto. 104 operadoras a cabo, cente- 17. May a Divisão Sul-Americana – DSA) têm suas “janelas 10/40” tam- nas de parabólicas recebendo com exclusividade os ca- 18. Môn bém. “Um dos desafios é o aumento das cidades com presença nais da Novo Tempo de rádio e televisão em português 19. Mar adventista, onde hoje não existe congregação. Outra meta é au- e espanhol e na SKY cobre todo o território brasileiro 20. Terr mentar a representatividade adventista em grandes e seculariza- com mais de 1 milhão e 700 mil assinantes. O sinal da 21. São RA/mês’10 das cidades com mais de 1 milhão de habitantes”, explica o pas- Novo Tempo está nas três Américas, parte da Europa 22. São tor Edison Choque, diretor de Missão Global da DSA. e África. Em rádio, a Novo Tempo está em 70 emisso- 23. Ará Quando o assunto é número de cidades com presença adven- ras em toda a América do Sul, sendo, 24 no Chile, 16 no 24. Som tista, em dez anos houve uma sensível melhora. No ano de 1988, Peru, 12 na Bolívia, 11 na Argentina, quatro no Equa- 25. Sval dos 7.095 municípios dos oitos países da DSA (Brasil, Argentina, dor, duas no Uruguai, uma no Paraguai e 17 no Brasil. 26. Rep Uruguai, Paraguai, Chile, Bolívia, Peru e Equador), 4.167 não ti- Com isso, mais 175 milhões de pessoas são impactadas 27. Toq ????? nham qualquer congregação adventista (igreja ou grupo). Isso pela Voz da Esperança. A nova área de web também 28. Saar significava que estas cidades ainda não alcançadas pela mensa- tem números expressivos. Através da Internet, a Rede 29. Iêm gem adventista equivaliam a 58% do total. Em 2009, o número Novo Tempo de Comunicação espalha seu conteúdo de municípios na região aumentou para 9.199 e 3.594 continu- para todo o mundo alcançando a marca de 12 milhões 146º RDesigner avam sem presença adventista, outros 5.414 possuem presença de acessos por ano em seus sites. adventista e 191 estão com presença iniciada. O segredo para O futuro é promissor e as metas já foram delineadas. DefiEditor Texto isso está em se seguir o ensinamento de Cristo de que cada cris- Pastor Edison Choque explica que quatro desafios podem mundo tão precisa “ser testemunha até os confins da terra”. ser elencados: a necessidade de completar os municípios tidade Comunicação - Já para promover efetivo crescimento adven- sem presença adventista, diminuir a média de habitantes vista quC.Qualidade tista em grandes e estratégicas cidades sul-americanas, a tarefa por adventistas nas grandes cidades, estabelecer presença assunto vai além e conta com ações como megadistribuições de livros adventista nas Ilhas Malvinas (Falkland Islands) e fortale- ficado eDepto. Arte missionários e uso intenso dos meios de comunicação como TV, cer o trabalho com os grupos étnicos. à ausên 4 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 5. emos Estatísticas PANORAMA GLOBAL Neuber Oliveira rnalista ericana Países e regiões do mundo que mostram onde o trabalho Adventista do Sétimo Dia não está estabelecido atualmente.roni, di- entrega Os adventistas se sentem desafiados por Deus a pregar uma alcançada pelos adventistas são as Ilhas Malvinas (Falklandul-ame- mensagem distintiva a todas as nações. E as estatísticas Islands), território conhecido por disputas acirradas o Milê- demonstram que ainda há 29 países e regiões, reconhecidos historicamente entre argentinos e ingleses. Na tabela abaixo, éde Con- pela ONU, em que os adventistas não marcaram presença possível ver o diagnóstico atual da atuação mundial adventista (versão como igreja. Na América do Sul, a única região ainda não e dos desafios para o futuro: lizada a , come- organi- Países e Regiões Continente Divisão População 2006, 1 1. Afeganistão Ásia Euro-Africana 32.738.000 PRINCIPAIS NÚMEROS ” foram 2. Ilhas Aland Europa Transeuropeia 27.000mplares 3. Andorra Europa Euro-Africana 85.000 Países e regiões do mundo no ano 4. Butão Ásia Sul-Asiática 671.000 reconhecidos pelas “Espe- 5. Brunei Darussalam Ásia Asiática do Pacífico Sul 379.000 Nações Unidas: 232. isto, de 6. Comores África Sul-Africana e do Oceano Índico 73.000 7. Falkland Islands (Ilhas Malvinas) América do Sul Sul-Americana 3.000 Países e regiões do mundo nosxempla- 8. Gibraltar Europa Euro-Africana 29.000 quais o trabalho Adventista estáBullón). estabelecido: 203. 9. Guernsey (Channel Islands) Europa Transeuropeia 62.000 ém tem 10. Santa Sé Europa Euro-Africana 1.000na mis- Países e regiões do mundo nos 11. Ilha de Man Europa Transeuropeia 82.000 quais o trabalho Adventista não1996, a 12. Jersey (Channel Islands) Europa Transeuropeia 90.000 está estabelecido: 29. quanto 13. Republica Popular Democrática da Coréia Ásia Asiática do Pacífico Norte 23.479.000ua atua- 14. Liechtenstein ou Listenstaine Europa Euro-Africana 36.000 Estimativa da população Tempo mundial em 30 de Junho de 15. República das Maldivas Ásia Sul-Asiática 310.000o trans- 2008: 6.705.479.000. 16. Mauritânia África Africana Centro-Ocidental 3.204.000 , cente- 17. Mayotte África Sul-Africana e do Oceano Índico 187.000 e os ca- 18. Mônaco Europa Euro-Africana 34.000 Estimativa da população dosrtuguês países e regiões do mundo nos 19. Marrocos África Euro-Africana 31.177.000 quais o trabalho Adventista está asileiro 20. Território Palestino Ocupado Ásia 4.154.000 estabelecido: 6.528.227.000.sinal da 21. São Pedro e Miquelão América do Norte Norte-Americana 6.000 Europa 22. São Marinho ou San Marino Europa Euro-Africana 31.000 Estimativa da população dosemisso- 23. Arábia Saudita Ásia Trans-Europeia 28.147.000 países e regiões do mundo nos e, 16 no 24. Somália África Africana Centro-Oriental 8.956.000 quais o trabalho Adventista nãoo Equa- 25. Svalbard ou Esvalbarda Europa Transeuropeia 3.000 está estabelecido: 177.252.000.o Brasil. 26. República Árabe da Síria Ásia Transeuropeia 19.933.000 actadas 27. Toquelau ou Tokelau Oceania Pacífico Sul 1.000ambém 28. Saara Ocidental África Euro-Africana 497.000 a Rede 29. Iêmen Ásia Transeuropeia 22.198.000 nteúdomilhões 146º Relatório Estatístico Anual - 2008 Associação Geral dos Adventistas do 7º Dia.neadas. Definições: Oficialmente, o que é um “país ou região do belas de acompanhamento da Missão Global constam da pu- podem mundo”? Especificamente para este relatório, significa uma en- blicação Population and Vital Statistics Report “Statistical Pa-nicípios tidade política reconhecida pelas Nações Unidas. Tendo em pers,” série A, vol. LXI, n º 1, dados disponíveis a partir de 1 debitantes vista que a Igreja Adventista do Sétimo Dia não se envolve em janeiro de 2009, com exceção de Taiwan, que não está cadas-resença assuntos políticos, o leitor poderia não atribuir nenhum signi- trado na publicação das Nações Unidas. Os números referen-fortale- ficado especial à presença de determinados nomes na lista, ou tes à população foram fornecidos pelo Population Reference à ausência de outros. Os países e as regiões indicadas nas ta- Bureau, Washington, DC. Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 5
  • 6. Entrevista Gary Krause Desafios O mundiais de n Missão Global É C oordenar a área de Missão centros de recursos desenvolvem gens Global na Associação Geral métodos, abordagens e ferramen- frio n da Igreja Adventista do Sé- tas para ajudar a igreja mundial a O po timo Dia é literalmente uma testemunhar efetiva e apropriada- sil, qu tarefa planetária. Na verdade, Missão mente para pessoas de outras tra- sul-am Global é um desafio de todos os depar- dições religiosas. língu tamentos. Mas quem tem a responsa- O departamento, ainda, ajuda conti bilidade de organizar esta estratégia a planejar e financiar novas inicia- Gary Krause é diretor de Missão genas mundial é o pastor Gary Krause, que tivas para alcançar novas áreas e Adventista da Associação Geral nos o concedeu esta entrevista exclusiva so- grupos de pessoas tais como: um são S bre o trabalho. projeto de 10 anos para os povos Outro ponto é o secularismo e o M Cortesia do Autor REVISTA ADVENTISTA: Como en- indígenas da Ásia Central com apenas pós-modernismo. Em todas as regi- dade tender a importância da Missão Glo- 600 adventistas indígenas, The Hope ões do mundo, de São Paulo à cidade do Su bal para a Igreja Adventista do Sé- (A Esperança) para Bangkok, Tailân- de Nova Iorque, Buenos Aires a Sidney, quan timo Dia e qual foi a contribuição e dia, iniciativa de plantio de igrejas, milhões e milhões de pessoas vivem O alcance desse trabalho? Butão, Nepal, Laos, Vietnã, Oriente agora suas vidas sem referência a Je- simi) PR. GARY KRAUSE: Já se passaram Médio, Ásia Meridional, Ásia Seten- sus ou à Bíblia. As pessoas ricas e abas- ou Q 20 anos desde que a Missão Global foi trional, África Centro-Ocidental e tadas, que sentem como se não tives- indíg votada pela igreja mundial na Assem- Euro-África. Mas ainda restam enor- sem necessidade, talvez sejam o nosso dez m bleia da Associação Geral de Indianá- mes desafios. campo de missão mais desafiador. pos ét polis, em 1990. Esta nova iniciativa — Colôm focando em começar novos grupos de Fale um pouco destes desafios Pr. E o que esperar quanto ao futuro? Ande crentes em áreas não penetradas — Krause? 1. Arrecadar mais ofertas missioná- jas qu mudou o perfil da igreja. Louvamos a Atualmente, a Igreja Adventista do rias que ajudarão a apoiar o trabalho des c RA/mês’10 Deus pelo tremendo crescimento da Sétimo Dia enfrenta três desafios mis- missionário ao redor do mundo, lica, n Igreja Adventista durante os últimos sionários principais. Um deles são as 2. Subvencionar mais, muitos pio- na Bo 20 anos — de cinco milhões para quase áreas urbanas. A grande maioria das neiros e missionários de Missão 17 milhões. igrejas adventistas do sétimo dia está Global. Nos últimos cinco anos, o Depar- localizada em áreas rurais. As vastas 3. Encontrar mais oportunidades tamento da Missão Adventista tem áreas urbanas do mundo, onde a maio- para usar nossos jovens no trabalho ????? apoiado aproximadamente a 10 mil ria da população mundial vive agora, missionário em todo o mundo. pioneiros de Missão Global ao redor do estão virtualmente pouco alcançadas 4. Precisamos tornar a mensagem mundo, incluindo muitas regiões, con- pelos adventistas. adventista significativa e relevante tribuído com 22,4 milhões de dólares Outro desafio é a janela 10/40. Esta para as pessoas de diferentes cul-Designer para os projetos de plantio de igrejas região do mundo, que se estende do turas e formações e encontrar for- com um valor total de 68,3 milhões de noroeste da África, através da Ásia e no mas novas e criativas para alcançarEditor Texto dólares. Além disso, tem administrado Oriente Médio, é dominada por religi- a comunidade. Isso significa renovar cinco centros de estudos religiosos da ões não cristãs. Sessenta por cento da nosso compromisso com a missão da Missão Global para o Judaísmo, o Isla- população do mundo vive nessa área e Igreja Adventista do Sétimo Dia. OC.Qualidade mismo, o Budismo, o Hinduísmo, o se- a grande maioria nunca ouviu falar no site mundial de Missão Global é www. cularismo e o pós-modernismo. Esses nome de Jesus. adventistmission.org. CongDepto. Arte 6 Revista Adventista I MÊS • 2010
  • 7. Ministérios Especiais O avanço das minorias étnicas na Divisão Sul-Americana É grande a diversidade na Amé- trar material evangelístico nesta língua. o trabalho evangelístico. rica do Sul. São cores, línguas, Aproximadamente 60% das famí- O trabalho mais antigo com es- formas e retratos de um conti- lias do Paraguai falam o Guarani, lín- tas minorias étnicas começou em São nente famoso por suas paisa- gua oficial do país, ao lado do espanhol, Paulo, Brasil, por volta de 1959, com o gens que vão das praias às geleiras, do desde 1992. Existem aproximadamente objetivo de alcançar os japoneses. So- frio no sul ao calor causticante no norte. cinco milhões de pessoas que falam o mente 11 anos depois, em 1970, foi or- O português é a língua oficial do Bra- Guarani. Este idioma também é utili- ganizada a primeira igreja que recebeu sil, que possui quase 50% da população zado em alguns lugares de Argentina, o nome de Comunidade Nipo-Bra- sul-americana. O espanhol, porém, é a Bolívia e Brasil. Em 20% das igrejas ad- sileira. Em 1964 começou a evangeli- língua oficial da maioria dos países do ventistas no Paraguai os cultos são rea- zação junto aos coreanos, atualmente continente. Entre etnias e povos indí- lizados em Guarani. A nova União Pa- existem duas igrejas coreanas na capi-e Missão genas, existem aproximadamente 409 raguaia tem o desafio de fortalecer a tal paulistana e uma em Lima, capitalão Geral nos oito países que compõem a Divi- evangelização nessa língua. do Peru. Simultaneamente, entre 1997 são Sul-Americana. O Aimará é a terceira língua mais e 1999 surgiram as comunidades ju-oeo Mas, apesar da diversidade e quanti- falada na América do Sul, com 2,5 mi- daica e árabe. Hoje existe uma comu- Cortesia do Autor regi- dade de grupos que existem na América lhões de pessoas que a dominam na Bo- nidade Árabe Adventista, com mais deidade do Sul, três línguas predominam pela lívia, Peru, e uns poucos no Chile e Ar- 150 membros, e sete comunidades Ju-dney, quantidade de pessoas que as utilizam: gentina. Existem mais de 500 igrejas deu-Adventistas localizadas no Brasil, ivem O Quíchua (qhichwa simi ou runa Aimarás, situadas principalmente na Argentina, Chile e Uruguai. Também a Je- simi), também chamado de Quechua região sul do Peru e região central da no Chile foram estabelecidas 10 con-abas- ou Quéchua, é uma importante língua Bolívia. É a minoria étnica mais impac- gregações Cigano-adventistas.tives- indígena ainda hoje falada por cerca de tada pela mensagem adventista. Os surdos também são alvo danosso dez milhões de pessoas de diversos gru- Existem ainda outros grupos étnicos atenção da Igreja. Desde 1980 es- r. pos étnicos da Argentina, Bolívia, Chile, minoritários que se estabeleceram na tão sendo realizadas iniciativas para Colômbia, Equador e Peru ao longo dos América do Sul, entre os mais significa- evangelizar este grupo especial. Atu-uro? Andes. Hoje já existem mais de 450 igre- tivos estão os judeus, italianos, árabes, almente há mais de 50 igrejas adven- ioná- jas quechuas, principalmente em cida- alemães, espanhóis, coreanos, japone- tistas que trabalham com este minis-balho des como Puno, Ayacucho e Huacave- ses, ciganos, entre outros. Esses grupos tério, principalmente no Brasil e no lica, no Peru, e La Paz e Cochabamba, são caracterizados por sua forte ligação Chile, atingindo um número aproxi-s pio- na Bolívia. Também já se pode encon- às suas próprias culturas o que dificulta mado de 500 surdos. issãodadesbalhoagemvante cul-r for-ançarnovarão da ia. Owww. Congresso de jovens na MLT en Puno, Peru Batismo na comunidade árabe adventista em São Paulo Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 7
  • 8. União Central Brasileira Plantando igrejas, N° 1 Guayaramerin 2 Inapari transformando 3 4 Doctor Pedro P. Pena 5 vidas 6 Villa Hayes San Ygnacio 7 Realidades distintas exigem métodos diversificados cada igr para o plantio de novas igrejas. equipe ministr das. Ho M ovidos pelo lema “5 anos em 1”, a tudo constatou que as igrejas que tem até 50 mem- Associa Igreja Adventista no Estado de São bros são as responsáveis por 67% do crescimento Em Paulo tem se mobilizado para o pro- nos últimos anos, enquanto as igrejas com mais vidade jeto de Plantio de Igrejas. Os Campos de mil membros são responsáveis por apenas 13%. igrejas da União Central Brasileira desejam plantar 269 Também foi verificado que uma igreja estéril (que Santa, e igrejas em 2011 e cada distrito foi desafiado a esta- não plantou uma nova igreja) precisa de 17,8 mem- grado d belecer uma nova congregação. Segundo o pastor bros para levar uma pessoa ao batismo e cresceu Para fo Domingos José de Sousa, presidente da UCB, a in- apenas 8,64% nos últimos cinco anos. rão rea tenção é não só plantar igrejas, mas também forta- Ainda em 2010 os distritos pastorais vão escolher Integra lecer os grupos já existentes e que carecem de uma no seu território um novo local onde será plantada quenos ação revitalizadora. ou fortalecida uma igreja. Para somar a esse traba- comun Para organizar o trabalho foi realizada uma pes- lho, o departamento de evangelismo iniciou o pro- Os p quisa de Crescimento de Igrejas em São Paulo. O es- jeto de treinar evangelistas na igreja local para que cola Cr Colpor tas par de igrej sos de c de saúd tivo eva RA/mês’10 O es empen pacto E rios da Gru ????? São do BrasDesigner sui a po imigran Estabelecer novasEditor Texto canos, á igrejas na maior anos, ch metrópole da pos ap América do Sul, éC.Qualidade bem di o grande desafio Tend da UCBDepto. Arte são Glo 8 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 9. União Central Brasileira RESUMO DOS MUNICÍPIOS - 2010 UCB - UNIÃO CENTRAL BRASILEIRA ASSOCIAÇÕES OU QUANTIDADE DE MUNICÍPIOS COM MUNICÍPIOS PRESENÇA MUNICÍPIOS SEM N° MISSÕES MUNCÍPIOS PRESENÇA INICIADA PRESENÇA 1 AP 31 31 0 0 2 APaC 81 66 8 7 3 APL 7 7 0 0 4 APO 345 166 14 165 5 APS 22 21 0 1 6 APSO 101 67 4 30 7 APV 62 48 8 6 Total: 649 406 34 209 cada igreja possa ter um evangelista. As esperança à cidade equipes de evangelismo das sedes ad- de Itobi, município ministrativas também foram fortaleci- sem presença ad- das. Hoje temos um evangelista em cada ventista, localizado0 mem- Associação. a 120 quilômetrosimento Em 2011, cada mês terá uma ati- de Artur Nogueira,m mais vidade específica a ser executada nas onde fica a sede da as 13%. igrejas como treinamentos, Semana UCB.ril (que Santa, evangelismo, Evangelismo Inte- Em todo o Es-8 mem- grado de Colheita e Semana de Colheita. tado de São Paulo,cresceu Para fortalecer ainda as atividades, se- existem 209 municí- rão realizadas Ações de Evangelismo pios que não contam scolher Integrado com duplas missionárias, pe- com a presença ad- antada quenos grupos, classes bíblicas e ações ventista. O “Projetoe traba- comunitárias. Pioneiro” é uma dasu o pro- Os programas da Igreja como Es- formas para enfren-ara que cola Cristã de Férias, Missão Calebe e tar esse desafio. O Colportagem também traçaram me- projeto consiste em tas para apoiar e trabalhar no plantio convidar um mem- Projeto Nova Semente está alcançando os pós-modernos de igrejas. As mulheres realizarão cur- bro para mudar para sos de culinária, artesanato, programas um lugar onde não tem igreja, a fim de es- no centro nervoso de São Paulo, a uma de saúde e geração de renda com obje- tabelecer uma congregação com o apoio quadra da Avenida Paulista. tivo evangelístico. da igreja mais próxima. Outro grande desafio é entrar em O escritório da UCB também está Na capital paulistana, o evangelismo bairros populosos da capital. Com a im- empenhado no projeto. Desde o Im- conta com um projeto para atingir men- plantação do canal 56 de televisão, mi- pacto Esperança de 2010, os funcioná- tes pós-modernas chamado “Nova Se- lhões de pessoas terão acesso à mensa- rios da sede estão empenhados em levar mente”. O local das reuniões é localizado gem adventista. Grupos étnicos em São Paulo São Paulo é o estado mais populoso balho de evangelismo segmentado. São çaram a participar com os japoneses, atu- do Brasil e ao mesmo tempo é o que pos- basicamente grupos de japoneses, árabes, almente tm duas comunidades. sui a população mais diversificada. São judeus, coreanos e hispânicos. O mais an- Em 1997, surgiu a Comunidade ju- imigrantes italianos, portugueses, afri- tigo trabalho com minorias étnicas co- daica e, em 1999, a comunidade árabe, canos, árabes, alemães, espanhóis, core- meçou por volta de 1959 com o esforço ambas com forte liderança. E, por fim, anos, chineses e japoneses. Alguns gru- para alcançar os japoneses. Em 1970 foi surgiu a comunidade de hispânicos que, pos apresentam culturas e tradições formada a primeira igreja organizada dos segundo dados estatísticos, são mais de bem distintas. japoneses, hoje chamada Comunidade 700 mil representantes no estado de São Tendo em mente os desafios da Mis- Nipo-Brasileira. Paulo, estando a maioria na capital. são Global, existe, há muitos anos, o tra- Os coreanos que inicialmente come- Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 9
  • 10. União Este Brasileira tos pas çar do z membr Isso Terra da gregaçõ nova ig Sem continu Promessa Inapari Guayaramerin espiritu Send tório co Doctor Pedro P. Pena íba. Tra Villa Hayes na divi San Ygnacio da Igre Grandes capitais e municípios sem presença Dian raíba” e adventista são o grande desafio na UEB. a plant funcion res, dec P elo fato de nos unirmos como uma grande de Além família no objetivo maior de cumprir a essa cid missão, temos crescido. Eles A cada ano temos sido desafiados por Projeto belíssimas histórias bíblicas como a de Elias e Levant Neemias. “Todo lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo e Cons Para 2011, queremos buscar inspiração na histó- tenho dado”. As d ria de Josué. Um pioneiro e desbravador corajoso. Deus tem uma grande bênção para nós. Ele quer Hospit Ele deixa claro no primeiro capítulo de seu livro, nos dar centenas de municípios, vilas e bairros que plantar que Deus tinha uma bênção para o povo e para re- estão em nosso território, mas que ainda não são As o cebê-la eles precisariam exercitar a fé. nossos. As orientações continuam desafiadoras e ram ta As orientações eram desafiadoras: “Marchem”, precisamos acreditar que as promessas serão cum- cal, usa “Pisem na Água”, “Acreditem”, e todas estas atitu- pridas se tão somente “pisarmos na água”. res par des deveriam acontecer mesmo sem que vissem Nosso desafio para a UEB nos próximos dois Serã tudo, mesmo diante dos grandes obstáculos e até anos, 2011 e 2012, é que nesse período, cada dis- Institu das impossibilidades. trito pastoral plante uma igreja num local onde jas em O alvo era conquistar toda a terra. Esse era o não existe a presença adventista. Vam plano de Deus e isso está bem claro em Jos. 1:3 - Teremos no início de 2011 cerca de 266 distri- Eles sã parte e RA/mês’10 ?????Designer Encontro de Pioneiros deEditor Texto Missão G lobal, desafia a massiva plantação deC.Qualidade igrejas na UEBDepto. Arte 10 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 11. União Este Brasileira tos pastorais. Serão 266 novas igrejas. Vamos come- çar do zero e deixar a igreja estabelecida, repleta de membros e inaugurada. MUNICÍPIOS DA UEB COM MAIS DE Isso é possível? Um distrito com 4, 6 ou 8 con- 20 MIL HABITANTES gregações, unir suas forças e em 2 anos plantar uma NÚMERO DE MUNICÍPIO CAMPO ESTADO nova igreja? HABITANTES Sem dúvida isso é possível e a estratégia de Deus Abaeté AMC MG 23.258 continua sendo começar pelos sacerdotes e líderes Além Paraíba AMS MG 35.589 espirituais (Jos. 3:6, 8). Sendo assim, estudamos o mapa de nosso terri- Bambuí AMC MG 22.622 tório com oração e nos deparamos com Além Para- Barão de Cocais AMC MG 28.074 íba. Trata-se de uma cidade com 35.589 habitantes, na divisa dos estados de MG e RJ, sem a presença Espinosa AMC MG 32.461 da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Itabirito AMS MG 43.832 Diante da ordem “marche”, do local “Além Pa- raíba” e da promessa “todo lugar em que colocar Itapecerica AMC MG 21.204 a planta do seu pé, Eu vou lhe dar”, os obreiros e Minas Novas AML MG 31.738 funcionários do escritório da UEB e seus familia- res, decidiram colocar a planta do seu pé na cidade Monte Azul AMC MG 22.838 de Além Paraíba, e pelo poder de Deus, conquistar Novo Cruzeiro AML MG 31.574 essa cidade para Jesus. Pitangui AMC MG 26.038 Eles darão todos os passos necessários, incluindo: Projetos Sociais, Impacto Esperança, Evangelismo, Piumhi AMC MG 32.580 Levantamento de Recursos, Aquisição de Terreno Sacramento AMC MG 23.112é, vo-lo e Construção da Igreja. As duas Instituições da UEB: FADMINAS e Santo Antônio do Monte AMC MG 25.899Ele quer Hospital Adventista Silvestre, também decidiram São João da Ponte AMC MG 26.983 ros que plantar uma igreja num novo local.não são As oito Associações que compõem a UEB, toma- doras e ram também a decisão de conquistar um novo lo- o cum- cal, usando o pessoal do escritório e seus familia- UNIÃO ESTE BRASILEIRA Qtd % res para plantarem uma igreja. Total de Municípios 1037 100%os dois Serão: 266 Distritos Pastorais, 8 Associações, 2 da dis- Instituições e a UEB, num total de 277 novas igre- Com Presença Adventista 551 53%al onde jas em 2 anos. Com Presença Adventista Iniciada 37 4% Vamos orar e jejuar por esses 277 novos lugares. distri- Eles são “Terra da Promessa”. Vamos fazer a nossa Sem Presença Adventista 449 43% parte e reivindicar a bênção do Senhor. Casal de evangelistas pronto para o desafio Evangelistas da Associação Sul Espírito Santense, são treinados para o plantio de igrejas Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 11
  • 12. União Centro-Oeste Brasileira N° Mun. Centro-Oeste Inapari Guayaramerin 1 2 integrado para Doctor Pedro P. Pena 3 4 5 plantar 500 novas igrejas 6 Villa Hayes San Ygnacio 7 8 9 10 Inúmeros projetos unem a Igreja no desafio de alcançar novos lugares. N a região Centro-Oeste Brasileira, o ral, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e To- trabalho de Missão Global acontece cantins. Juntas, 4 associações e 1 missão entendem No E através de projetos específicos com a que o segredo do êxito está em uma ação integrada um M fundamentação espiritual. A União das forças vitais da igreja. rança” Centro-Oeste Brasileira (UCOB) adotou o projeto No Distrito Federal o projeto “Sem Fronteiras” jas até o chamado “Família por Famílias”, com o lema: “Pre- visa plantar e fortalecer o adventismo em pelo me- tivo é q parando uma Geração com Esperança”. A ideia é nos 20 municípios e 80 bairros do Planalto Central. o comp que esta iniciativa seja a base espiritual para a atu- Através de parcerias com funcionários e obreiros de igreja se ação em todo o território ainda não alcançado pela escritórios e algumas igrejas, várias cidades já foram Em mensagem adventista. O objetivo é que famílias ad- alcançadas em 2010. “Chego ventistas orem e visitem famílias não adventistas. Em Goiás, o projeto “Pioneiros da Esperança” tende p Com a base bem mais concreta, fica mais fácil quer construir 100 novas igrejas em bairros e mu- quenos sonhar com metas ousadas. A UCOB se propõe a nicípios sem presença adventista até 2015. As fa- tabelec estabelecer de forma sólida a presença adventista mílias do Estado também são motivadas a adotar No m em 500 novos lugares nos próximos 5 anos. Essa uma cidade e se tornar um pioneiro da esperança cantins região é composta pelos Estados do: Distrito Fede- no município. mete re evange 60 mun e 20 ba RA/mês’10 Na á portage geração sionária cliente e forças c ????? Assim, lheita em A ju atravésDesigner julho, j lar paraEditor Texto tantes d jovens dades lC.Qualidade lares de batismoDepto. Arte Líderes planejam ações para o plantio de novas igrejas no Centro-Oeste fruto de 12 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 13. União Centro-Oeste Brasileira N° ASSOCIAÇÃO DISTRITO MUNICÍPIOS SIGLA U.F POPULAÇÃO Mun. OU MISSÃO RESPONSÁVEL Municípios Sem Presença 217.689     RESUMO 1 Cavalcante GO 10.398 APLAC Campos Belos Quantidade de 2 Firminópolis GO 10.732 ABC Edéia Municípios: 635 3 Paranã TO 10.824 MTo Dianópolis 4 Paraúna GO 11.319 ABC Bairro Santo Agostinho Municípios com 5 Tapurah MT 11.517 AMT Sorriso presença: 430 6 Goiatins TO 12.068 MTo Araguaína Norte 7 Uruana GO 14.115 ABC Ceres Municípios sem presença: 250 8 Campinápolis MT 14.301 AMT Barra do Garças 9 Crixás GO 15.005 ABC Santa Terezinha 10 Aragarças GO 17.883 ABC Iporáares. Municípios sem presença Adventista com população superior a 10.000 habitantesul e To- endem No Estado do Pantanal, o projeto “Por Outra ferramenta importante é o lhamos especificamente com os índiostegrada um Mato Grosso Verde de Espe- “Impacto” em grandes cidades. No pró- Karajás. Atualmente o projeto “Mis- rança” quer estabelecer 120 novas igre- ximo quinquênio cada capital de Estado são Karajá” reúne a cada ano profissio- teiras” jas até o final de 2016. Já em 2011, o obje- da região será sede de uma grande ação nais voluntários de várias áreas paraelo me- tivo é que cada distrito pastoral assuma evangelística. Em 2011 – Palmas; 2012 dar atendimento médico, psicológico,Central. o compromisso de “plantar” uma nova – Cuiabá; 2013 – Campo Grande; 2014 além de reformar igrejas, oferecer ma-eiros de igreja seguindo as etapas propostas. – Brasília; e 2015 – Goiânia. Em cada nutenção em computadores, e recrea-á foram Em Mato Grosso do Sul, o projeto impacto a distribuição de livros missio- ção com crianças e adultos. Já inicia- “Chegou a Hora de Avançar” pre- nários supera recordes. mos o contato com outras tribos. Em rança” tende plantar 100 novas igrejas em Pe- Mato Grosso, o projeto “Parecis” é fruto s e mu- quenos Grupos até 2015. Além disso, es- Ministério Nativo de uma parceria da associação local As fa- tabelecer 10 novos distritos pastorais. Foi criado em dezembro de 2009 com o Núcleo de Missões do Centro- adotar No mais novo Estado brasileiro, To- com o objetivo de expandir a prega- -Universitário Adventista de São Pauloperança cantins, o projeto “Impacto 10” pro- ção do evangelho a outras tribos in- (UNASP C-2). mete revolucionar a forma de se fazer dígenas. Durante muitos anos traba- evangelismo. A estratégia: evangelizar 60 municípios sem presença adventista e 20 bairros no período de sete anos. Na área de Publicações o projeto “Col- portagem ao Extremo” visa preparar uma geração de colportores com paixão mis- sionária. O colportor nota o interesse do cliente em relação a Palavra de Deus, e une forças com a igreja local para evangelizar. Assim, pode ser realizada uma farta co- lheita em diferentes regiões do território. A juventude também faz a diferença através da Missão Calebe. Nas férias de julho, jovens saem do conforto do seu lar para evangelizar nos cantos mais dis- tantes do Centro-Oeste. Em 2010, 1.232 jovens estiveram em pelo menos 50 ci- dades levando a mensagem de Cristo a lares desesperançados. Pelo menos 250 batismos já foram contabilizados comoro-Oeste fruto dessa ação. O trabalho com índios é um dos projetos da UCOB Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 13
  • 14. União Nordeste Brasileira Terra de N° 1 Inapari Guayaramerin 2 Esperança 3 4 Doctor Pedro P. Pena 5 Villa Hayes 6 San Ygnacio 7 8 Nordeste apresenta os primeiros resultados 9 da campanha Terra de Esperança. Carmó E m novembro do ano passado, comprometeu a alcançar esses muni- de 12 m quando foi lançada a campanha cípios em seis anos. Para isso, decidiu ríodo d Terra de Esperança, o Nordeste envolver toda a Igreja na campanha. A amizad estava diante do maior desafio forma como isso está ocorrendo é es- que passará a morar na cidade com o 20 pess de Missão Global da Igreja Adventista sencialmente colaborativa. A Igreja foi propósito de pregar o Evangelho para sejo de no Brasil. De cerca de 1,5 mil municí- dividida em 104 grupos mantenedores, os moradores. zado at pios nordestinos, havia 650 que nunca sendo que cada grupo ficou responsável Em seis anos, todas essas cidades te- remos f ouviram falar no adventismo. Um ter- por pelo menos quatro municípios. Os rão a presença de um evangelista que disse G ritório inexplorado onde mais de 6 mi- grupos são formados pelas mulheres, jo- se mudará para o local com a família, O r lhões de pessoas sequer tinham um vens, empresários, escolas, colportores, com o propósito de evangelizar os mo- chave p templo adventista ou escutado sobre a desbravadores, líderes de departamen- radores. Nesse período, as cidades de- tiane c filosofia desse movimento religioso. Um tos, como Escola Sabatina, ADRA, Pu- verão ter pelo menos uma congregação tes em dilema que aponta para os desafios de blicações, Mordomia Cristã e todos os ministrando regularmente o Evange- Logo q evangelização dessas cidades, marcadas demais. Cada grupo escolhe a liderança, lho. “É uma campanha que leva toda a festa ce pela dificuldade de acesso, transporte, define meios de captação de recursos igreja a assumir um compromisso pela comunicação, cultura e outros fatores para comprar terrenos e também para evangelização”, disse o pastor Geovani que complicam a aproximação. definir o plano de ação, que pode ser, Queiroz, presidente da Igreja Adven- A campanha Terra de Esperança se por exemplo, sustentar um evangelista tista para o Nordeste e coordenador da campanha. Novo templo na ilha de Fernando de Noronha A dedicação de uma família para ir RA/mês’10 ao encontro dessas cidades, apoiada pe- los grupos mantenedores, é um plano de inspiração bíblica e profética. Abraão foi convidado por Deus para sair de sua terra em busca de uma terra de espe- rança (Gn 12:1). Hoje os novos pionei- ????? ros fazem movimento semelhante nessa diáspora nordestina. No primeiro tri- mestre do ano, cerca de 100 evangelis- tas voluntários receberam treinamentoDesigner e orientação para uma das decisões mais importantes que já tomaram: deixar aEditor Texto casa, família e trabalho para migrarem para cidades sem presença adventista. Alguns mudaram logo cedo, como oC.Qualidade casal Geraldino Fernandes da Silva, 48 anos, e Janice Pereira Nascimento Silva, Igreja deDepto. Arte 43. Eles saíram de Salvador, BA, para pela cam 14 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 15. União Nordeste Brasileira RESUMO DOS MUNICÍPIOS - 2010 UNEB - UNIÃO NORDESTE BRASILEIRA ASSOCIAÇÕES OU QUANTIDADE DE MUNICÍPIOS COM MUNICÍPIOS PRESENÇA MUNICÍPIOS SEM N° MISSÕES MUNCÍPIOS PRESENÇA INICIADA PRESENÇA 1 AB 23 22 0 1 2 ABAC 196 159 0 37 3 ABS 68 66 0 2 4 APE 55 50 0 5 5 MBS 130 101 0 29 6 MCN 408 218 0 190 7 MN 390 155 0 235 8 MPEC 130 107 0 23 9 MSA 177 107 1 69 Total: 1.577 985 1 591 Carmópolis, SE, uma cidade com mais o primeiro contato, Patrício criou uma Martins Leite, 30, iniciaram uma Escola de 12 mil habitantes. Depois de um pe- rede de amigos, e com ela iniciou um Cristã de Férias dias depois de chega- ríodo de adaptação, conseguiram criar pequeno grupo em sua casa. Hoje já rem na cidade. A estratégia de conquis- amizades no local e já têm um grupo de existem três pessoas batizadas e uma tar o coração dos pais a partir de um com o 20 pessoas estudando a Bíblia. “Esse de- considerável influência da ação social bom programa oferecido às crianças deuho para sejo de servir a Deus está sendo reali- adventista na cidade, com a realização certo, e hoje eles contam com apoio para zado através desse programa, e nós que- de passeatas e palestras em nome da iniciarem uma classe bíblica.ades te- remos falar sobre Jesus cada vez mais”, campanha Quebrando o Silêncio, que Histórias como essa explicam os pri- sta que disse Geraldino Silva. combate o abuso e a violência na família. meiros resultados da campanha Terra amília, O relacionamento também foi a Em Jijoca de Jericoacoara, CE, um de Esperança. Dados do Ministério de os mo- chave para que o casal Patrício e Cris- balneário com mais de 16 mil habitan- Missão Global do escritório adminis- des de- tiane conquistassem corações e men- tes – eleito em 1987 pelo The Washing- trativo da Igreja Adventista para o Nor- egação tes em Montadas, interior da Paraíba. ton Post como uma das dez praias mais deste apontam que, até junho deste ano, vange- Logo que chegaram, organizaram uma bonitas do mundo –, o casal pernambu- 59 municípios foram alcançados, com a toda a festa celebrando o Dia das Mães. Com cano João Batista Leite, 38 anos, e Ester implantação de uma congregação. Até o so pela momento, 94 pioneiros treinados já exe-Geovani cutaram o êxodo para uma cidade sem Adven- presença adventista. Mais de 600 pes- ador da soas já foram batizadas. No estado da Paraíba, 40 terrenos para ir já foram adquiridos, com oito igrejas ada pe- já construídas, em fase de acabamento.m plano Existem 16 pioneiros atuando no estado, Abraão com apoio especialmente do escritórior de sua da Missão Nordeste, com sede em Na- e espe- tal, RN, responsável pela aquisição de pionei- três terrenos. e nessa A Igreja sonha com um envolvimento iro tri- ainda maior este ano. A expectativa éangelis- alcançar mil evangelistas, formar 100 eamento batizar cerca de 7 mil pessoas entre ou- es mais tubro e novembro. “Deus abençoou pro- eixar a fundamente o início da campanha, e te- grarem mos de avançar ainda mais para que o ntista. Nordeste se consolide como a Terra de como o Esperança”, observou o pastor Everon ilva, 48 Donato, líder de Missão Global para esta o Silva, região do país. Igreja de Santa Luz, PI, oficialmente a primeira igreja construídaA, para pela campanha Terra de Esperança Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 15
  • 16. União Sul Brasileira Templos de Esperança Inapari Guayaramerin Doctor Pedro P. Pena Villa Hayes San Ygnacio 800 novas congregações até 2015 tendo como base os Pequenos Grupos. C om o desafio “Templos de Esperança – 800 Novas Congregações até 2015”, a Igreja, no Sul do Brasil se mobiliza para estabelecer 560 congregações em novos bairros e 240 em municípios sem presença de ad- ventistas. Com um crescimento médio anual de 57 CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO congregações nos últimos doze anos, disponibili- Ano Congregação rece dade dos assentos nas igrejas comprometidos em 2.50 82%, 398 municípios com apenas uma congregação, 2010 105 A 228 com mais de duas, 642 municípios com mais de 2011 112 éop 500 habitantes por membro e 57 não evangelizados 2012 136 sem com mais de 10 mil habitantes, a União espera re- 2013 141 can alizar em seis anos o que foi feito em doze. Desta desa forma a cada 2,7 dias será plantada uma nova con- 2014 144 dad gregação, disponibilizados 100 mil assentos para 2015 162 gre, ria, do I Total Município dos Município RA/mês’10 Campos/Estados % % igre Municípios com presença sem presença res d AC 293 128 43,68 165 56,32 (Mu Santa Catarina 293 128 43,68 165 56,32 Cris ACP 85 67 78,82 18 21,18 são O ANP 236 171 72,45 65 27,55 ????? reai ASP 76 56 73,68 20 26,32 Cris Paraná 397 294 74,06 103 25,94 Cam ASR 66 54 81,82 12 18,18 refaDesigner cad ACSR 174 62 35,63 112 64,37 con MOSR 236 88 37,28 148 62,72 PadEditor Texto Rio Grande do Sul 476 204 42,85 272 57,15 berá Total 1.166 626 53,69 540 46,31 no sC.Qualidade çõe de aDepto. Arte 16 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 17. União Sul Brasileira Mil líderes de Pequenos Grupos da USB reafirmam os PGs como base para plantio de igrejas.ÃO receber novos amigos e assim passar de 1.700 para última etapa o custo será dividido entre a União, a 2.500 congregações. Associação/Missão e a nova Igreja. Cada projeto A integração dos departamentos e ministérios será acompanhado, avaliado e autorizado pela ad- é o ponto de partida para alcançar 534 municípios ministração do campo local mediante a Análise de sem presença adventista e bairros de cidades já al- Fator de Risco no Plantio de Igreja. cançadas, mas que registram alto índice de fator Homens e mulheres estão sendo desafiados a se desafio. Como exemplos podem ser citadas as ci- estabelecer em alguma cidade sem presença adven- dades de Curitiba, São José dos Pinhais, Porto Ale- tista para ali formar um Pequeno Grupo e plan- gre, Pelotas, Rio Grande, Caxias do Sul, Santa Ma- tar uma congregação. O chamado também é para ria, Joinville, Criciúma, Blumenau, Londrina e Foz aqueles que desejam se tornar patrocinadores da do Iguaçu. Projetos estratégicos foram estabeleci- ideia. Uma das ferramentas utilizadas para aber- dos e que servirão de apoio aos planos de plantio de tura do caminho e quebra de barreiras será a ins- igreja em cada distrito pastoral tais como: Semeado- talação de antenas para a captação do sinal da TV res da Esperança (Pequenos Grupos), Projeto MEL Novo Tempo.32 (Mulheres Evangelistas Levando Luz), ECF (Escola Com 6.500 Pequenos Grupos a União Sul avança32 Cristã de Férias), Missão Calebe, Pioneiros de Mis- com o projeto “Semeadores da Esperança”. A essên-18 são Global e Evangelistas voluntários. cia do projeto é a formação de novas congregações O custo estimado do projeto é de 180 milhões de tendo como base os Pequenos Grupos. Em 2008 na55 reais o que mobilizou o Ministério da Mordomia região noroeste do Rio Grande do Sul, na cidade de32 Cristã, Tesouraria, Membros, Instituições, União, Panambi, um Pequeno Grupo foi estabelecido em94 Campos, Educação e Publicações em uma força ta- um bairro distante da igreja central e ali semeou a18 refa para o levantamento de fundos que serão apli- verdade. Com o núcleo base formado veio uma sé- cados em aluguel de salões, compra de terreno e rie de Evangelismo no período da Semana Santa e37 construção da nova igreja de acordo com o Projeto como resultado foi organizada uma congregação72 Padrão. No primeiro ano a nova congregação rece- que já levou mais de trinta pessoas a Jesus, adqui-15 berá subvenção de 100% para pagamento de aluguel, riu sua sede própria e é frequentada por 60 pessoas31 no segundo ano 50% e no terceiro ano após avalia- distribuídas em cinco Pequenos Grupos. ções, a compra do terreno e a construção da igreja de acordo com o Projeto Padrão, sendo que nesta Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 17
  • 18. União Norte Brasileira Plantando Inapari Guayaramerin Esperança Doctor Pedro P. Pena Villa Hayes San Ygnacio Norte do Brasil avança com projeto de plantio de igrejas. A penas oito cidades do Maranhão ainda desafiam a capacidade da União Norte Brasileira (UNB) de contribuir com a ex- tensão da mensagem e obra adventistas. A UNB administra os estados de Pará, Amapá e Maranhão e a relação membro por habitante atual- sionárias. Agregada a essas estratégias, virá a ajuda mente é de 1 membro para 76 habitantes. Segundo dos jovens. A juventude já está engajada no Projeto o pastor Geison Florêncio, líder de Missão Global, Calebe, que estimula o trabalho evangelístico du- para alcançar essas cidades e avançar também com rante o período de férias. Em 2010 quatro mil “Ca- a presença da igreja em povoados e bairros não al- lebes” levaram a Cristo 3.781 pessoas, em seu perí- cançados, um projeto intitulado “Plantando Espe- odo de descanso das aulas. rança” será o norteador das ações da igreja neste tra- A força está, também, em uma combinação bem balho. O lançamento desse projeto acontecerá no sucedida e que envolve o evangelismo público e os primeiro final de semana de fevereiro na FAAMA, pequenos grupos. Em 2009, a União apoiou a Mis- no I Simpósio de Plantio de Igrejas, e contará com a são do Sul do Maranhão e os administradores e presença de pastores, líderes e plantadores de igreja líderes de departamentos adotaram cidades sem Um que receberão capacitação para desenvolver proje- congregação adventista e fizeram conferências nesta re tos de plantio de igrejas através de quatro estratégias evangelísticas. Em 2009, cinco novas cidades rece- ventist diferentes: 1.Pequenos Grupos, 2.Duplas Missioná- beram a bandeira adventista fincada. “O objetivo milhão rias, 3.Evangelistas Voluntários e 4.Famílias Mis- é, até o final de 2011, alcançar as cidades que res- lém), n tam. As duplas missionárias dos pequenos grupos, dade d RA/mês’10 ajudam com pesquisas e estudos bíblicos. Quando campo, acaba o programa, uma igreja sede de distrito(igreja- os direi -mãe) fica responsável por cuidar desta nova congre- aberto gação. Em abril de 2009, foram cinco projetos que TV No resultaram na penetração em cinco novas igrejas transm com o batismo de aproximadamente 400 pessoas”, essa ser ????? comenta o Pr. Geison. o cresc Um dos diferenciais do trabalho, apontado pelo Os p líder de Missão Global da região, é o fato de a igreja- dos os -mãe, ou seja, aquela que já existia na região, man- lizaçãoDesigner ter-se em constante apoio às congregações-filhas cidades durante ao menos um ano. “Esse trabalho de con- gia impEditor Texto servação feito pelas igrejas ocasionou uma sensível campo diminuição na apostasia”, comenta. Gost Segundo o relatório da UNB, entre os municípios jeto VidC.Qualidade com mais de 10 mil habitantes, o município de Bar- ventista reirinhas, na AMa, é o mais evangelizado, com 12 çar pósDepto. Arte Calebes em missão habitantes por um adventista. igreja q 18 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 19. a ajudaProjeto ico du-mil “Ca-eu perí- ão bem ico e os Nova igreja é construída em Fernando Falcão no Maranhão, município com 8.105 habitantesu a Mis- dores e es sem Um grande desafio que se apresenta tadas para conquistar, além desses, fun- ciativas do SALT – FAAMA com sede rências nesta região é aumentar a presença ad- cionários, médicos, pacientes e familia- em Benevides – PA para formar pasto-es rece- ventista nas cidades com mais de um res, e já conta com mais de 100 pessoas res vindos de tribos indígenas prepa-objetivo milhão de habitantes (São Luís e Be- participando. rando-os para trabalhar com esses po-que res- lém), nos próximos cinco anos. Na ci- O evangelismo transcultural tam- vos. Atualmente dois jovens indígenas grupos, dade de São Luís a administração do bém é uma preocupação da UNB. Na estão cursando teologia na FAAMA.Quando campo, com o apoio da UNB, adquiriu Amazônia existem cerca de 600 tribos Nosso sonho para 2011 é plantar 170 no-o(igreja- os direitos de transmissão de um canal indígenas, sendo a maioria resistente a vas congregações e, até 2014 nossa meta congre- aberto de televisão para retransmitir a presença de missionários de outras cul- é de 700 novas igrejas. tos que TV Novo Tempo e também produzir e turas, por isto a UNB tem apoiado as ini- igrejas transmitir programas locais, sem dúvida essoas”, essa será uma ferramenta poderosa para o crescimento da igreja naquela região. RESUMO DOS MUNICÍPIOS - 2010do pelo Os projetos Impacto, envolvendo to- UNIÃO NORTE BRASILEIRAa igreja- dos os pastores do campo local na rea-o, man- lização de séries de evangelismo nessas N° ASSOCIAÇÕES QUANTIDADE MUNICÍPIOS COM MUNICÍPIOS SEM OU MISSÕES DE MUNCÍPIOS PRESENÇA ADVENTISTA PRESENÇA ADVENTISTA s-filhas cidades, também tem sido uma estraté-  de con- gia importante desenvolvida nos cinco 1 ABA 90 90 0sensível campos da UNB. 2 AMa 90 90 0 Gostaríamos ainda de destacar o pro- 3 ASPa 42 42 0 4 MOPA 30 30 0nicípios jeto Vida desenvolvido no Hospital Ad- 5 MSMa 129 121 8de Bar- ventista de Belém, voltado para alcan-com 12 çar pós-modernos. Ali surgiu uma nova Total: 381 373 8 igreja que vem desenvolvendo ações vol- Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 19
  • 20. União Noroeste Brasileira Amazônia da Esperança Inapari Guayaramerin Doctor Pedro P. Pena Villa Hayes San Ygnacio Todo o território coberto pela glória de Deus. C om o lema “Plante uma semente de esperança e Deus fará brotar um novo templo” a UNoB avança na conquista de 4 municípios, 111 vilas, 137 vilarejos e 39 bairros, todos eles sem a presença adventista. A União Noroeste Brasileira é a mais nova União cações foram as primeiras cunhas seguidoras para Brasileira da DSA. Seu território compreende os Es- o surgimento das primeiras famílias batizadas, e das tados do Amazonas, Roraima, Acre e Rondônia, ou primeiras igrejas. seja, 25% do território brasileiro. Hoje nossa história é bem diferente, somamos O empreendedorismo é facilmente notado nesta uma população adventista de 120 mil membros, região e isso se deve ao forte exemplo e conceito de abrigados em 1.165 congregações, compondo 124 pioneirismo que se fixou com o surgimento das pri- distritos pastorais que são assistidos por 4 sedes ad- C meiras igrejas adventistas na região, por volta de 1930. ministrativas regionais, um hospital e a sede admi- a lid As lanchas missionárias e o ministério das publi- nistrativa da UNoB. a um adv tóri nos não tem que nos RA/mês’10 O çõe do q ????? A Adra inaugurou a N° lancha Luzeiro 1 26, símbolo de 2Designer esperança, para 3 dar atendimento às necessidades 4Editor Texto de saúde das comunidadesC.Qualidade ribeirinhas do Baixo RioDepto. Arte Manacapuru 20 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 21. União Noroeste Brasileira novo Manaus é umaos e 39 das 13 cidades com mais de um milhão de habitantes no Brasil e que as para tem a maioras, e das média de adventistasmamos por habitantembros, do 124 des ad- Com o slogan “Em cada distrito uma nova igreja” O pastor Gilmar Zahn, líder da UNoB, fala sobree admi- a liderança da igreja na América do Sul nos estimula o método para alcançar este objetivo: “Confecciona- a um sonho ainda maior: o de ter a presença da igreja remos cofres Novo Templo de Esperança e lançare- adventista em todos os bairros e vilas de nosso terri- mos o desafio para os membros das igrejas, funcio- tório. Começamos a pesquisar sobre o tamanho do nários e obreiros das instituições de saúde e ensino; nosso desafio e descobrimos que ele é grande, mas lançaremos também para alunos de nossa rede edu- não é maior que um “Golias” que, embora grande e cacional. Com 121 mil membros, esperamos que pelo temível, foi derrubado por um pequeno “Davi”. O menos 60 mil contribuam com R$ 10,00. Fazendo os que queremos dizer é: sempre teremos “gigantes” co- cálculos, teremos 600 mil reais que, divididos pelos nosco, mas para cada gigante existe um “Davi”. 139 projetos, resultará em mais ou menos 4.300 re- O desafio para 2011 é abrir 139 novas congrega- ais por projeto”, conclui. ções, e temos certeza de que este desafio não é maior do que a nossa fé. RESUMO - VILAS, VILAREJOS E BAIRROS SEM PRESENÇA ADVENTISTA ASSOCIAÇÕES N° MUNiCÍPIOS VILAS VILAREJOS BAIRROS OU MISSÕES 1 AAMAR 84 58 17 2 AAMO 1 0 37 1 3 ACEAM 1 19 40 14 4 ASUR 2 8 2 7 Total: 4 111 137 39 Tabela contendo municípios, vilas, vilarejos e bairros sem presença adventista Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 21
  • 22. União Argentina Pri C Plantando um bre con Inapari Guayaramerin exp Esperança Doctor Pedro P. Pena Villa Hayes San Ygnacio Prio ços I gram Na Argentina, 312 novas congregações no quinquênio. C om o lema: “Plantando Esperança”, a União Argentina quer duplicar a quan- tidade de grupos já existentes. Hoje, na União Argentina, existem 510 igrejas e novas igrejas em 2011, um verdadeiro desafio de fé. 310 grupos. E o projeto tem a pretensão de plantar A ideia do projeto é envolver os 156 distritos pas- 312 novos grupos nos próximos cinco anos. Na úl- torais, as associações e missões, as instituições mé- tima reunião de planejamento realizada na cidade dicas e educativas e para isso se darão as seguintes de Córdoba, os líderes se propuseram a plantar 155 prioridades: RA/mês’10 ????? N° 1Designer Novo templo na 2 cidade de Esquina, 3Editor Texto em Corrientes, 4 cidade com 30.000 5 habitantes e nãoC.Qualidade tinha presença adventistaDepto. Arte 22 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 23. União Argentina Prioridade 1 Prioridade 3 Conscientização. Será colocado à disposição Fixar desafios. Os pastores distritais serão de- um DVD de aulas em vídeo com treinamento so- safiados a plantar duas novas congregações nos bre plantação de igrejas, alem da realização de en- próximos cinco anos, três vezes mais do que se contros e simpósios para conscientização sobre a fazia até aqui. experiência dos pioneiros. Prioridade 2 Prioridade 4 Informação precisa. Será realizado um pro- Recursos humanos e econômicos. A igreja grama especial que marcará cada passo dos avan- intensificará esta prioridade colocando o máximo ços nas metas propostas. de recursos para a plantação de novas igrejas. o de fé.tos pas-ões mé-guintes Evangelismo em Caballitos, bairro nobre de Buenos Aires da origem a uma nova igreja. RESUMO DE MUNICIPIOS - 2010 UA – UNIÃO ARGENTINA ASSOCIAÇÃO QUANTIDADE DE MUNICÍPIOS COM MUNICÍPIOS COM MUNICÍPIOS N° OU MISSÃO MUNICÍPIOS PRESENÇA PRESENÇA INICIADA SEM PRESENÇA 1 AAC 130 73 28 29 2 AAN 85 71 0 14 3 AAS 95 59 1 35 4 ABO 114 79 0 35 5 MANO 100 35 0 65 Total: 524 317 29 178 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 23
  • 24. União Chilena Plantando N° 1 Esperança 2 Inapari Guayaramerin 3 4 Doctor Pedro P. Pena 5 Villa Hayes 6 San Ygnacio Grandes cidades, municípios sem presença adventista e as Ilhas Malvinas são os grandes desafios do quinquênio na União Chilena. E m 1988, o Chile contava com 344 muni- de igrejas em 154 novos pontos e a estratégia con- cípios, 153 tinham a presença adventista siste em inspirar e treinar pastores, líderes e pio- e 181 não. Segundo dados de 2009, há 345 neiros de Missão Global para que, juntamente com municípios em todo Chile, sendo 261 com toda a igreja, estabeleçam uma nova congregação. presença e 84 sem presença da Igreja Adventista. Existem duas grandes cidades no Chile com mais Em 2011, o desafio é iniciar o plantio intencional de um milhão de habitantes: Santiago e Valparaíso. N° DISTRITO MUNICÍPIOS PROVÍNCIA DEPARTAMENTO POPULAÇÃO CAMPO Mun. RESPONSÁVEL Total - Municipios Sem Presença-Filtro 355.591   1 El Quisco San Antonio  Região V 10.058 MChP San Antonio 2 San Nicolás Malleco Região da Araucanía 10.349 ASCh   3 Chanco Cauquenes Região VII 10.676 MCCh Cauquenes 4 Puerto Octay Osorno  Região X 10.875 MACh Osorno Central 5 Lonquimay Concepción Região de Bío - Bío 10.876 ASCh   6 Peralillo Colchagua Região VI 10.983 MCCh Santa Cruz 7 María Pinto Melipilla Região Metropolitana 10.989 AMCh - RA/mês’10 8 Calle larga Los Andes  Região V 11.042 MChP   9 Curepto Talca Região VII 12.204 MCCh Talca Central 10 Chonchi Chiloé  Região X 13.357 MACh Chiloé 11 Santa Juana Cautín Região da Araucanía 13.507 ASCh   12 Dalcahue Chiloé  Região X 13.644 MACh Chliloé No 13 Olivar Cachapoal Região VI 13.924 MCCh Rancagua Oriente con ????? 14 Rio Claro Talca Região VII 14.334 MCCh Talca Oriente bros 15 Romeral Curico Região VII 14.344 MCCh Curico Centro tes p 16 Malloa Cachapoal Região VI 14.530 MCCh Rancagua Oriente E 17 Olmue Quillota  Região V 14.986 MChP   1.08Designer um Tabela de 18 Frutillar Llanquihue  Região X 16.495 MACh   Od Municípios 19 Maullín Llanquihue  Região X 16.553 MACh   porEditor Texto sem presença 20 Coltauco Cachapoal Região VI 18.319 MCCh Rancagua Norte O Adventista 21 Sagrada Familia Curico Região VII 19.776 MCCh Molina nas com população 22 Colbún Linares Região VII 19.890 MCCh LinaresC.Qualidade Uni superior a 10.000 23 Retito Linares Região VII 20.869 MCCh Linares rica habitantes 24 Calbuco Llanquihue  Região X 33.011 MACh Puerto Montt SurDepto. Arte quê 24 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 25. União Chilena RESUMO DOS MUNICÍPIOS - 2010 UCH - UNIÃO CHILENA ASSOCIAÇÃO OU QUANTIDADE DE MUNICÍPIOS COM MUNICÍPIOS COM MUNICÍPIOS SEM N° MISSÃO MUNICÍPIOS PRESENÇA PRESENÇA INICIADA PRESENÇA 1 AMCH 51 48 0 3 2 ASCH 86 70 0 16 3 MACH 63 35 0 28 4 MCCH 63 43 2 18 5 MCHP 53 40 0 13 6 MNCH 29 23 0 6 Total: 345 259 2 84gia con-s e pio-nte comegação. m maisparaíso.TOÁVEL Primeiros adventistas na Ilharal de Páscoa situada a 3700 km de distância da costa oestel do Chile No final de 2009, a região metropolitana de Santiagoiente contava com 6.111.185 habitantes e 32.839 mem-e bros, o que resulta em uma média de 186 habitan-o tes por adventista.iente Em Valparaíso, no mesmo período, eram 1.080.000 habitantes e 1.732 membros, o que dá uma média de 623 habitantes por um adventista. O desafio será aumentar o número de adventistas por habitante. rte Outro desafio é a evangelização das Ilhas Malvi- Trabalho nas (Falkland Islands) que estão sob os cuidados da com ciganos União Chilena. Juntamente com a Divisão Sul-Ame- já conta ricana, a ideia é trabalhar para que, ainda este quin- com dezt Sur quênio, haja um grupo organizado nesse lugar. congregações Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 25
  • 26. União Peruana do Norte AS N° O Esperança 111 Inapari Guayaramerin 1 2 3 4 Doctor Pedro P. Pena Villa Hayes Avançando na conquista. San Ygnacio PROJ O plano, naquela região, é que cada dis- Proj trito missionário, cada instituição O pr (UPeU, Imprenta Unión, Produtos domia, Unión, SEHS, colégios), cada equipe de desafia colportagem e cada equipe dos escritórios de campo presen e união plantem uma igreja em um ano. quistan O território da União Peruana do Norte é com- posto por 746 distritos políticos, deste total 320 não PROJE contam com a presença adventista. É importante pequenos grupos, incrementa o número de pes- entender que quanto maior a quantidade de igre- soas que devolvem o dízimo, de inscrições em clu- O pr jas, maior a possibilidade de captar novos discípulos bes de desbravadores, entre outros. As igrejas jovens teve de que se preparem para discipular também a outros. são mais efetivas no alcance de novos conversos. E, “Passa p O nascimento de uma nova igreja permite a for- com tudo isto em mente, a meta da UPeN é plan- Este mação de novos líderes e a organização de novos tar 232 igrejas em 2011, em todo o seu território. Peruan e os ca sociais e de m são Glo RA/mês’10 ?????Designer Líderes daEditor Texto UPN no lançamentoC.Qualidade do projeto: Esperança 111Depto. Arte 26 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 27. União Peruana do Norte RESUMO DOS MUNICÍPIOS - 2010 UPN - UNIÃO PERUANA DO NORTE BAIRROS SEM ASSOCIAÇÃO QUANTIDADE MUNICIPIOS MUNICÍPIOS MUNICÍPIOS N° PRESENÇA OU MISSÃO DE MUNICÍPIOS COM PRESENÇA PRESENÇA INICIADA SEM PRESENÇA ADVENTISTA 1 ANOP 138 89 1 48 129 2 APCN 262 100 0 162 150 3 MNO 146 106 0 40 50 4 MPN 200 130 0 70 100 Total: 746 425 1 320 429 PROJETOS DE APOIO Projeto “Missão Calebe” O projeto “Missão Calebe” é um programa de Missão Global e evangelismo integrado (MIPES, Mor- domia, Publicações, Ministério da Mulher, JA, Educação e evangelismo) que incentiva o voluntariado e desafia os jovens da Igreja a dedicarem parte de suas férias para fazer evangelismo em lugares onde não há presença adventista, fortalecendo as igrejas, congregações e pequenos grupos do território visitado, con- quistando novas pessoas para o reino de Deus. PROJETO MACEDÔNIA PROJETO “A TERRA ONDE NASCI”de pes-em clu- O projeto Macedônia é inspirado na visão que Paulo Este projeto incentiva os obreiros e membros des jovens teve de um homem macedônio que, rogando, lhe disse: igreja que residem fora de sua terra natal a voltarem rsos. E, “Passa para a Macedônia e ajuda-nos” (Atos 16:9). a seus lugares de origem para colaborar com o esta- é plan- Este projeto é um esforço conjunto entre a União belecimento de novas igrejas e/ou no fortalecimentotório. Peruana do Norte, a Universidade Peruana União das existentes. e os campos. Consiste em uma série de atividades sociais, evangelísticas e de capacitação doutrinal e de missiologia, com ênfase nos projetos de Mis- são Global. Projeto Missão Calebe contribui na evangelização de novos lugares na UPN Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 27
  • 28. União Peruana do Sul Levando Inapari Guayaramerin N° 1 Esperança 2 3 Doctor Pedro P. Pena 4 Villa Hayes 5 San Ygnacio 6 10 mil luzes de esperança em lugares zero. U ma das fortalezas que tem a União Peru- ana do Sul, são os 790 grupos em forma- ção, que a curto prazo se converteram em grupos oficialmente organizados. A cultura da Igreja no território da UPS é formar pe- Para 2011 a meta é organizar 210 novos grupos, quenos núcleos conhecidos como filiais que se des- principalmente por iniciativa dos 180 pastores que prendem da Escola Sabatina de uma igreja, para le- cuidam de um distrito pastoral. Também participa- var a igreja onde estão os membros que, por razões rão deste mutirão de plantio de igrejas, as institui- de distância, doença etc. não conseguem chegar ções médicas (3), ADRA (1), Novo Tempo (1), a as- ao templo. sociação educativa (12) e o SELS (6). No total, 210 “Sem dúvida um cuidado especial sobre estes novos grupos serão organizados em 2011. grupos proveria um crescimento acelerado de no- Por outro lado na UPS existem ainda 523 mu- vas igrejas”, menciona o pastor Felix Santamaría, lí- nicípios sem a presença adventista, isso equivale a der de MG da UPS. mais de 50% de municípios que não contam com A ideia do projeto é impactar 10 mil lugares zero a presença adventista, como mostra o quadro exi- nos próximos 5 anos. bido nesta matéria. RA/mês’10 ????? T çar prinDesigner Juventude C se envolve con na Missão queEditor Texto Global através Púb de projetosC.Qualidade como “Missão Açõ Calebe” •Depto. Arte 28 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 29. União Peruana do Sul RESUMO DE MUNICÍPIOS - 2010 UPS - UNIÃO PERUANA DO SUL MUNICÍPIOS ASSOCIAÇÃO OU QUANTIDADE DE MUNICÍPIOS COM MUNICÍPIOS SEM N° COM PRESENÇA MISSÃO MUNICÍPIOS PRESENÇA PRESENÇA INICIADA 1 APCS 126 64 0 62 2 MOP 84 58 0 26 3 MAC 352 81 23 248 4 MPS 129 70 0 59 5 MLT 109 90 0 19 6 MSOP 187 78 0 109 Total: 987 441 23 523grupos,res querticipa-nstitui-1), a as-tal, 21023 mu-uivale a m comdro exi- Calebes evangelizando a cidade de porto Zungaro no departamento de Huanuco, local sem a presença adventista. Também se encontra entre as prioridades alcan- de Missão Global e plante uma nova congregação çar os mais de 450 bairros sem presença adventista por ano. principalmente nas grandes cidades. • Que cada Missão ou Associação estabeleça um Consideraremos como principais estratégias de fundo especial para apoiar o plantio de igrejas. conquista os projetos: Missão Calebe Máster, Pe- • Ativar as comissões de Missão Global em cada quenos Grupos, Projeto Pioneiro e Evangelismo nível da igreja. Público. • Evangelismo considerando as necessidades da população. Ações a serem tomadas: • Que se identifique em cada igreja um respon- • Que cada distrito pastoral possa criar um fundo sável pelo projeto de plantio de igrejas. Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 29
  • 30. União Boliviana N° Mun. “Kantutas” 1 2 3 de Esperança Inapari Guayaramerin 4 5 6 Doctor Pedro P. Pena 7 Villa Hayes 8 9 San Ygnacio Até os confins da Bolívia. 10 11 A 12 inspiração para o projeto da União Boliviana vem da flor nacional do país, que tem 3 cores: 13 14 vermelho, verde e amarelo. O vermelho, que simboliza o sangue redentor de Jesus; o verde, 15 símbolo da esperança; e o amarelo, que lembra o ouro da coroa de vitória. Em resumo, a 16 essência do projeto é sacrifício, esperança e vitória. Esta é a proposta da União Boliviana ao 17 18 enfrentar os grandes desafios de Missão Global. 19 20 21 Em 2011, a UB pretende estabelecer a presença adventista em 74 “Sei que a tarefa não será fácil, porque estaremos 22 novos lugares. O projeto “Kantutas de Esperança” tem as seguintes tomando o espaço que ocupa o inimigo, mas pela 23 estratégias: graça de Deus seremos vencedores”, explica o líder 24 1. Cada distrito pastoral plantando uma nova congregação por ano. de Missão Global da União Boliviana, pastor Raúl 25 2. A Escola Sabatina promoverá a realização de Escolas Sabatinas Perez, que enxerga o futuro com otimismo. 26 Filiais, como antecipação de uma nova igreja. 27 3. Os Pequenos Grupos trabalharão intensamente para se estabe- 28 lecerem como uma nova igreja. 29 No final de 2009, a Bolívia contava com 9.862.900 habitantes e 30 77.892 membros, o que resultava em uma média de 127 habitantes 31 por adventista. Na atualidade, na Bolívia, a cada 51 minutos e 47 se- 32 gundos, uma pessoa é batizada. 33 D os atuais 337 municípios existentes no país, ainda não há pre- 34 sença adventista em 180 deles. RA/mês’10 35 36 37 38 39 40 ????? 41 42 43 44Designer 45 46 47Editor Texto 48 49C.Qualidade 50 Evangelismo via satélite contribui para o estabelecimento de novas igrejas Novas igrejas fortalecem a expansão na BolíviaDepto. Arte 30 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 31. União Boliviana N° MUNICÍPIOS PROVÍNCIA DEPARTAMENTO POPULAÇÃO CAMPO Mun. Municípios Sem Presença 1.314.877   RESUMO 1 Salinas de Garcí Mendoza Ladislao Cabrera ORURO 12.734 MBC 2 Okinawa Uno Warnes Santa Cruz 12.971 MOB Quantidade de 3 Toro Toro Charcas POTOSI 13.063 MBC Municípios: 337 4 Totora Carrasco CBBA 13.289 MBC Villa Vaca Guzmán Municípios com 5 Luis Calvo CHUQUISACA 13.406 MBC (Muyupampa) presença: 98 6 Azurduy Juana Azurduy de Padilla CHUQUISACA 13.597 MBC 7 Uriondo Avilez Tarija 13.716 MOB Municípios com 8 Santiago de Huari Sebastián Pagador ORURO 13.882 MBC presença iniciada: 59 9 Villa Serrano Belisario Boeto CHUQUISACA 14.069 MBC 10 Padilla Tomina CHUQUISACA 14.179 MBC 11 San Benito Punata CBBA 14.383 MBC Municípios sem 12 Buena Vista Ichilo Santa Cruz 14.764 MOB presença: 180 cores: 13 Arque Arque CBBA 14.962 MBC 14 Pocona Carrasco CBBA 14.985 MBC verde, 15 Tiahuanacu Ingavi La Paz 15.019 MBOumo, a 16 Rurrenabaque Gral. José Ballivián Beni 15.203 MBOana ao 17 Tacobamba Cornelio Saavedra POTOSI 15.357 MBC 18 Tomave Antonio Quijarro POTOSI 15.472 MBC 19 Tacopaya Arque CBBA 15.656 MBC 20 Moco Moco Eliodoro Camacho La Paz 16.147 MBO 21 Vacas Arani CBBA 16.204 MBCaremos 22 Jesús de Machaca Ingavi La Paz 16.713 MBOas pela 23 Santa Rosa de Sara Sara Santa Cruz 16.743 MOB o líder 24 Soracachi Cercado ORURO 16.757 MBCor Raúl 25 Copacabana Manco Kapac La Paz 17.023 MBO 26 Chayanta Rafael Bustillo POTOSI 17.104 MBC 27 Gral. Saavedra O.Santiesteban Santa Cruz 18.456 MOB 28 Pojo Carrasco CBBA 19.626 MBC 29 Tarvita Juana Azurduy de Padilla CHUQUISACA 19.743 MBC 30 Padcaya Arce Tarija 21.424 MOB 31 Batallas Los Andes La Paz 22.109 MBO 32 Colquiri Inquisivi La Paz 22.309 MBO 33 Tarabuco Yamparáez CHUQUISACA 22.687 MBC 34 San Lorenzo Méndez Tarija 23.776 MOB 35 Villa de Sacaca Alonso de Ibáñez POTOSI 24.263 MBC 36 Ocurí Chayanta POTOSI 24.767 MBC 37 Revelo Chayanta POTOSI 25.311 MBC 38 Pocoata Chayanta POTOSI 25.495 MBC 39 Charagua Cordillera Santa Cruz 27.171 MOB 40 Incahuasi Nor Cinti CHUQUISACA 29.382 MBC 41 Tinguipaya Tomás Frías POTOSI 31.942 MBC 42 Monteagudo Hernando Siles CHUQUISACA 31.981 MBC 43 Pucarani Los Andes La Paz 33.238 MBO 44 tapacarí Tapacarí CBBA 34.863 MBC Municípios 45 Mizque Mizque CBBA 35.308 MBC sem presença 46 S Pedro de Buena Vista Charcas POTOSI 36.389 MBC Adventista 47 San Borja Gral. José Ballivián Beni 38.224 MBO com população 48 Colquechaca Chayanta POTOSI 41.967 MBC superior 49 La Guardia Andrés Ibáñez Santa Cruz 43.996 MOB a 10.000 50 Morochata Ayopaya CBBA 44.443 MBC habitantesa Bolívia Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 31
  • 32. União Equatoriana Projeto 14:6 Inapari Guayaramerin Municípios de Esperança Doctor Pedro P. Pena Villa Hayes San Ygnacio 90 municípios são o desafio da Igreja no Equador. Encontro a União O Equador está determinado a mudar sua “pregar” o “evangelho eterno” “…a todos os habitantes ITSAE realidade quanto ao tema de Missão Glo- da terra, a toda nação, tribo, língua e povo”. E “Muni- tro de lí bal. O projeto 14:6 “Municípios de Espe- cípios de Esperança” recorda o propósito de levar es- 146 pes rança” é a principal estratégia para que perança através da plantação de igrejas em todos os juntos e este panorama seja modificado. 14:6 é a citação de municípios que não possuem presença adventista. Assi Apocalipse que indica que a IASD foi levantada para Como uma mostra do trabalho realizado este ano, na selv evangé çam a v Igreja E por sua cia de E com o o havia m através a data d a mens Om quinqu RA/mês’10 não po çou os s • Plan pres • Obte ????? ado • Esco Coor • FortDesigner • Plan • TreiEditor Texto past Nova • ReaC.Qualidade congregação tran em Piñas • AlcaDepto. Arte plur 32 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 33. União Equatoriana Encontro de líderes, pastores e pioneiros de Missão Global desafia a igreja no Equador a União Equatoriana realizou, entre os dias 19 a 22 de março de 2010, nobitantes ITSAE (Instituto Tecnológico Adventista do Equador), o primeiro encon-“Muni- tro de líderes e pioneiros de Missão Global de toda a União. Um grupo deevar es- 146 pessoas, entre pastores, anciãos e pioneiros modernos, se reuniu paraodos os juntos enfrentarem os grandes desafios de Missão Global.ntista. Assim também a Missão Equatoriana do Norte, planejou alcançar,ste ano, na selva equatoriana, uma comunidade indígena “shuar”, de tendência evangélica. O resultado foi o batismo de 103 indígenas que hoje abra- çam a verdade. Como demonstração disto, o grupo mudou de nome, de Igreja Evangélica para Igreja Adventista. A Missão Equatoriana do Sul, por sua vez, alcançou com o evangelho o município de Piñas, na provín- cia de El Oro. Em muitas ocasiões outras tentativas haviam sido feitas com o objetivo de evangelizar a região, porém, pela força do catolicismo Igreja evangélica troca o nome havia muita resistência. No entanto, o trabalho, que começou em abril, através da participação de estudantes de teología, abriu as portas, e, até Entre algumas das estratégias que permitirão al- a data de hoje, já foram batizadas mais de 40 pessoas que hoje abraçam cançar estes objetivos estão a participação conjunta de a mensagem adventista. todas as forças missionárias da União, com uma par- O maior desafio que a União Equatoriana tem pela frente, durante o ticipação destacada dos pastores distritais, estudan- quinquenio que vai de 2011-2015, é alcançar os 90 municípios que ainda tes de Teologia do ITSAE, os quais desde 2008 vem não possuem presença adventista. Para alcançar esta meta, a União tra- se envolvendo com a plantação de Igrejas; e os jovens çou os seguintes objetivos: do projeto Missão Calebe, os quais estão dispostos a ir até os lugares distantes para impactar cidades e po- • Plantar 24 igrejas por ano nos municípios do Equador que não possuem vos com o evangelho. presença adventista. A conservação das novas igrejas será realizada por • Obter terrenos nos novos municípios aonde possam levantar casas de meio de irmãos voluntários, que trabalharão como adoração. pioneiros de Missão Global; e também teremos a pre- • Escolher, em cada igreja ou congregação local um ancião/diretor como sença do Ministério de Publicações que, por meio de Coordenador de Missão Global. colportores, susterá as igrejas plantadas. • Fortalecer igrejas em todos os municípios onde a obra é fraca. “Estamos frente a um desafio sem precedentes. Se administradores, pastores e membros de igreja • Plantar uma igreja em cada distrito missionário. nos unirmos sob a direção do Espírito Santo, e en- • Treinar membros de igreja que desejam especializar-se em alcançar tregarmos tempo, forças, recursos, avançando com pastores evangélicos, testemunhas de Jeová e mórmons. a mesma visão, este será o quinquênio em que ve- • Realizar estudos que permitam conhecer como trabalhar por grupos remos estabelecer a obra adventista em cada muni- transculturais como os judeus e/ou os chineses. cípio do Equador onde ainda não brilha a verdade” • Alcançar crentes nas diferentes nacionalidades indígenas que integram a – afirma o Pr. Cristhian Alvarez Zaldúa, líder de plurinacionalidade indígena. Missão Global da UE. Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 33
  • 34. União Paraguaia Plantando U Esperança d Inapari Guayaramerin Doctor Pedro P. Pena Villa Hayes San Ygnacio Alcançando novas frentes para Cristo. Pla E O m Assunção, capital do Paraguai, temos 11 lugares de culto. Esta cidade conta com 70 bairros e uma população de 637.249 ha- bitantes. O desafio é grande. Assunção e Grande Assunção (municípios que rodeiam a ca- con pital) têm uma população estimada em quase 3 de s milhões de habitantes, temos H 7 distritos pastorais; alguns RESUMO DE MUNICÍPIOS - 2010 mei muito pequenos. O projeto UP – UNIÃO PARAGUAIA tam consiste em desafiar a cada Associação Quantidade de Municípios com Municípios com Municípios sem 16 d pastor distrital a plantar uma N° ou Missão Municípios Presença presença iniciada presença por nova congregação por ano, 1 UP 238 111 1 126 a 96 tendo como ênfase a evan- tant Total: 238 111 1 126 gelização da capital. D Apesar dos desafios, a ad- con ministração da Igreja na região e os líderes de Mis- damento no município de San Pablo, junto à popu- ela. são Global estão entusiasmados e confiantes na lação rural do departamento de San Pedro, onde aum graça de Deus que os ajudará a conquistar novos trabalha o pioneiro Máximo Chamorro; e já foi inau lugares e pessoas para Cristo. dado início a um grupo em Villeta, departamento 101. São 238 municípios no país, dos quais 126 sem Central, onde trabalha o pioneiro Julio Bogarín. çan presença adventista. Estamos em processo de an- Atualmente o Paraguai conta com uma popula- nam ção de 6.451.122, e 14.232 As d adventistas, o que resulta, laçã em média, 453 habitan- P RA/mês’10 tes por adventista. Exis- bal tem, também, pelo me- 1 nos 23 etnias diferentes dad no Paraguai e a igreja está bita presente em oito delas atualmente. ????? O alvo da nova União Paraguaia, para 2011, é o 1 de plantar 18 novas con- 2 gregações em lugares 3Designer onde não existe presença 4 adventista. 5Editor Texto 6 7C.Qualidade Irmãos da igreja de Azotei, 8 que estão evangelizando umaDepto. Arte comunidade indígena. 9 34 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 35. União Uruguaia Uruguai, terra de esperança Inapari Guayaramerin Doctor Pedro P. Pena Villa Hayes San Ygnacio Plantando igrejas – rompendo paradigmas. O Uruguai é uma terra de encantos natu- rais e culturais que conta com 19 depar- tamentos e uma população de 3,4 mi- lhões. Em sua capital, Montevidéo, se concentra mais de 60% dos habitantes do país. 94% de sua população é urbana. Hoje, 114 anos depois do estabelecimento da pri- 2. Baixar a proporção do número de habitantes meira Igreja Adventista em Nueva Helvecia, depar- por adventista em departamentos onde este número tamento de Colonia, contamos com 7.343 membros, está muito elevado. ios sem 16 distritos pastorais e 75 lugares de culto. A pro- Apesar de contar com a presença adventista nos 19ença porção de adventistas por habitantes varia de 2346 departamentos do país, temos 30 localidades entre 5 6 a 96, sendo que a média está na faixa de 460 habi- mil e 10 mil habitantes onde não temos presença ad- tantes por adventista. ventista. Para 2011 fixamos a meta de estabelecer 10 6 Durante o ano de 2010 organizamos uma nova novas igrejas em lugares não conquistados. congregação e adquirimos uma propriedade paraà popu- ela. Foram criados dois novos distritos pastorais eo, onde aumentamos o número de pastores. Também foi e já foi inaugurada, na cidade de Montevidéo, a rádio FMamento 101.3 com uma potência de 100 kilowatts, alcan- garín. çando um raio de 65 km; também está em funcio- Membrospopula- namento a repetidora 97.5, na cidade de Maldonado. resolvem 14.232 As duas rádios, juntas, chegam a cobrir uma popu- estabelecer uma resulta, lação estimada em 2,1 milhões. nova igreja em abitan- Podemos resumir nosso desafio em Missão Glo- Cerro Pelado,a. Exis- bal da seguinte forma: Maldonado, lo me- 1. Marcar uma maior presença da Igreja na ci- bairroerentes dade de Montevidéo, cuja média supera os 700 ha- com 6.812 eja está bitantes por adventista. habitanteso delas DEPARTAMENTO CIDADE/BAIRRO HABITANTES ADVENTISTAS MÉDIA DISTRITO União011, é o 1 CANELONES Paso Carrasco 16.811 0 16.811 Solymaras con- 2 COLONIA Carmelo 16.996 3 5.665 Mercedeslugares 3 DURAZNO Sarandí del Yi 7.679 0 7.679 Mercedesresença 4 FLORIDA Sarandí Grande 6.816 0 6.816 IAU 5 MALDONADO Cerro Pelado 6.812 0 6.812 Maldonado 6 MALDONADO Pan de Azúcar 7.451 0 7.451 Maldonado Cidades com 7 MONTEVIDEO La Teja 92.694 5 18.538 El Pradozotei, maiores 8 ROCHA Chuy 10.779 10 1.078 Maldonado desafios nado uma 9 TREINTA Y TRES Ejido de Treinta y Tres 6.033 0 6.033 Melo união uruguaia Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 35
  • 36. MISSÃO GLOBAL Emilio Abdala vas con tempo em cad partes Estratégias de plantio Igre planos que se recém- de igrejas missio manter vos terr cultiva ser este Em proclam Quando Jesus ordenou aos discípulos a comissão de Mateus 28:19-20, a igreja jas. Em primitiva obedeceu plantando novas congregações para cumprir a tarefa de fazer preciso discípulos, batizar e ensinar, iniciando assim, um processo de multiplicação de mais e tes par mais igrejas . Um estudo em Atos revela como o estabelecimento de novas igrejas afetou Apó os cristãos primitivos (At 8:1,4). Eles realizavam o evangelismo de massa (8:5-6, 12) que se estendia dos limites de Jerusalém para novos lugares (8:25) e alcançava um número cada Estr vez maior de gentios (10:44-48). Uma tes que A você es través deste movimento leigo, igrejas O apóstolo Paulo usou os termos edificar e plantar nar o m eram multiplicadas em todas as partes quando ele se referiu à equipe que trabalhou na ci- gundo, (9:3; 16:5). Mais tarde, um grupo de cris- dade de Corinto (1 Co 3:5-11). Em seu zelo evange- a desco tãos de Jerusalém anunciou o evangelho e plantou uma igreja em Antioquia (11:20-21). Este foi lístico, Paulo planejava o desenvolvimento de novas parte n o momento mais importante na história do plantio congregações em “novas fronteiras” (2 Co 10:13-16). namen de igrejas. Sob a liderança do Espírito Santo, Antio- Seu objetivo era o estabelecimento de igrejas em cada como v quia se tornou uma grande agência missionária para grande cidade da Ásia Menor e, também, na Europa. vra? A m o mundo (13:3). Por outro lado, a igreja em Jerusa- Em tudo isso, obviamente, ele era sensível à direção cultivo lém se tornou cada vez mais focalizada em si mes- do Espírito Santo (At 16:7-13). todo de ma, perdendo a visão missionária e desaparecendo A Igreja Adventista do Sétimo Dia recebeu muitos os novo junto com os judaizantes. conselhos sobre o estabelecimento de novas congre- nirá? Ex Paulo refletia o espírito de Antioquia, quando gações. Através de seu ministério, Ellen White acon- mais tarde escreveu aos membros de Roma que a sua selhou a igreja a desenvolver uma estratégia de plan- Selecio filosofia de ministério era pregar o evangelho onde tio de igrejas que estabeleceria o adventismo em cada Para Cristo era desconhecido, não edificar sobre funda- cidade e vila. Uma de suas declarações mais veemen- igreja o mento alheio (Rm 15:20-21). Essa era a razão que o tes foi: “Sobre todos os que creem, Deus colocou a res- veria se “havia impedido” de visitar a comunidade de crentes ponsabilidade de fundar igrejas.” Plantar igrejas não é são bás em Roma (v.22), “mas agora, não tendo já campo de uma opção para os Adventistas do Sétimo Dia. Veja o uma igr atividades” ali, ele os visitaria em seu caminho para seu repetido conselho: direção uma nova área a ser desbravada: Espanha (V 23-24). “Novas igrejas precisam ser estabelecidas, no- agora e ponívei a uma n Thinkstockphotos36 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010
  • 37. vas congregações organizadas. Neste Ellen White para a expansão da Igreja c. Elas eram apoiadas por igrejas mães tempo deveria haver representantes Adventista do Setimo Dia, uma per- localizadas entre 2 a 10 km da nova em cada cidade e nas mais remotas gunta se torna evidente: Quais as ca- igreja. Proximidade promove o cresci- partes da terra. racterísticas de um projeto de plantio mento e a “competição” não é problemao Igrejas devem ser organizadas e de igrejas bem sucedido? Os pesquisa- para a igreja mãe ou a filha. planos formulados para o trabalho dores adventistas, Dudley e Gruesbeck, d. A igreja mãe tinha entre 100 e 200 que se realizará pelos membros das identificaram alguns ingredientes ne- membros. recém-organizadas igrejas. Esta obra cessários para se abrir uma nova igreja. e. O projeto de plantio incluía um missionária do evangelho precisa Estudando as igrejas recém plantadas programa balanceado de evangelismo. manter-se atingindo e anexando no- que estavam crescendo, eles descobri- Havia uma mistura de pequenos gru- vos territórios, ampliando as porções ram que: pos, projetos sociais, estudos bíblicos e cultivadas da vinha. O círculo deve a. Elas estavam localizadas na grande evangelismo público numa nova área. ser estendido até que rodeie o mundo. área metropolitana com população mí- f. O evangelista ou pioneiro tinha um Em cada cidade onde a verdade é nima de 50.000 habitantes ou nos subúr- estilo de liderança democrático. proclamada, devem-se levantar igre- bios de uma grande cidade. g. Eles alugaram um local de adora- jas. Em algumas cidades grandes é b. Um estudo demográfico da comu- ção por três ou cinco anos após o iní- preciso que haja igrejas em diferen- nidade foi realizado para determinar o cio da nova congregação antes de cons- tes partes da cidade”. tipo de atividades que usariam para truir o edifício. Após esta breve descrição da visão de atender as necessidades da comunidade. Estratégia Sugestiva de Plantio de Igrejas Uma estratégia deveria incluir pelo menos seis ingredien- mais imediata, há auditórios, salões, escolas ou outras insta- tes que respondem a seis questões básicas. Primeiro, que área lações? Existe um núcleo de crentes, especialmente maduros, você está tentando alcançar? A resposta consiste em selecio- morando na área? Eles estão desejosos de iniciar uma nova plantar nar o melhor local disponível para plantar uma nova igreja. Se- igreja e já possuem interessados? Ao investigar a área, você des- u na ci- gundo, que pessoas você deseja alcançar? A resposta envolve cobriu se há uma igreja mãe, em uma distância máxima de 3-5evange- a descoberta do perfil do público alvo. Terceiro, quem tomará km, disposta a apoiar o projeto com orações e recursos? Nem e novas parte no projeto? A resposta deve considerar a seleção e trei- toda comunidade é apropriada para iniciar uma igreja. Em mi-0:13-16). namento de uma equipe de evangelistas pioneiros. Quarto, nha experiência, tem sido mais difícil trabalhar em bairros ha-em cada como você vai preparar a comunidade para receber a Pala- bitados por uma população longamente estabelecida que estejaEuropa. vra? A melhor resposta é prover uma abordagem holística de afiliada a igrejas tradicionais. Por outro lado, bairros de renda direção cultivo baseado no método de Cristo. Quinto, qual será o mé- muito baixa raramente terão o potencial financeiro para tor- todo de colheita a ser usado e o processo de discipulado para nar a igreja auto-sustentada. Deve-se também evitar áreas in- muitos os novos membros? E, finalmente, onde a nova igreja se reu- dustriais, estádios e cemitérios. Geralmente existe ali poucocongre- nirá? Exploremos um pouco mais essas perguntas: tráfego e poucas casas para serem alcançadas. e acon-de plan- Selecionar a área Faça um estudo demográfico m cada Para se selecionar um bom lugar para iniciar uma nova O segundo ingrediente é definir o grupo populacional a sereemen- igreja ou para discernir dentre várias comunidades qual de- alcançado. Há muita informação estatística disponível no siteou a res- veria ser a primeira a ser penetrada, as seguintes perguntas do IBGE e em secretarias da prefeitura local. Quando estudaras não é são básicas: A população é grande o suficiente para suportar esse material demográfico, há pelo menos cinco coisas que oa. Veja o uma igreja? A área em consideração está crescendo? Em que plantador deve saber. Primeiro, descubra a composição so- direção a cidade está indo? Como a população está distribuída cioeconômica da comunidade, notando onde cada grupo re-as, no- agora e como será dentro de vinte anos? Existem terrenos dis- side. Qual a média de idade da população e seu estado civil? poníveis com boa localização e preços razoáveis? Para atender a uma necessidade Thinkstockphotos Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 37
  • 38. Existem mais solteiros, casados ou aposentados? Segundo, tadores da nova igreja não é intencional na prática do evange- Hobserve a tendência migratória da comunidade. Quem está lismo, a nova igreja perderá seu foco e zelo evangelístico. Duassaindo e quem está chegando? Terceiro, conheça as igrejas coisas são necessárias para realizar o evangelismo. A primeiraque estão na área em consideração. Que denominações es- é incluir uma estratégia individual de evangelismo. As pessoastão presentes? Qual a média de frequência e a composição do pequeno grupo (núcleo) precisam assumir uma responsa-social? Quarto, que tipo de problemas as pessoas encontram bilidade pessoal no intuito de alcançar as pessoas perdidas da Inesse local e, finalmente, quais a necessidades das pessoas? comunidade. Uma sugestão é incentivar os membros a colocar ma o nome de pessoas responsivas numa lista e orar diariamente lhoDesenvolva um núcleo por eles; cultivar relacionamentos; atender suas necessidades; e Mo Uma possível fonte de pessoas que se tornará o núcleo da aguardar momentos de receptividade para testemunhar. A se- rainova igreja é a igreja-mãe. O pastor deverá fazer um apelo às gunda é elaborar uma estratégia corporativa de evangelismo no a cidadefamílias voluntárias que moram na área selecionada para que primeiro ano. O método tradicional da Igreja Adventista de co- de 7.400se unam a um pequeno grupo ali. Deve-se ter o cuidado de lheita tem sido o evangelismo público. A tragédia é que muitas Bíblia dnão prejudicar a igreja-mãe tirando mais do que 15 por cento igrejas usam esse método como semeadura, cultivo e colheita, mesmode pessoas do total de membros da igreja, que não deve ter ao invés de usá-lo apenas como um instrumento de colheita. transaçmenos de cem. É importante ter no núcleo várias pessoas Por outro lado, outras têm descartado o evangelismo público mente pda mesma classe ou grupo que a igreja deseja alcançar, bem para usar metodologias das igrejas evangélicas que, na maioria mulhercomo interessados e ex-adventistas. Uma vez definido o nú- dos casos, não funcionam na Igreja Adventista. Porém, evan- até a cidcleo, o plantador deveria trabalhar diligentemente para es- gelismo é um processo e a colheita é parte desse processo. Se tos a pertabelecer senso de comunidade entre os membros desse pe- estes ingredientes não forem incluídos, haverá pouco sucesso. maior aqueno grupo, considerando-o um microcosmo da nova igreja. lida umAs igrejas que planejam crescer precisam enfatizar tanto as Providencie o prédio Antereuniões evangelísticas quanto os pequenos grupos. Igrejas Uma das fases mais críticas do plantio de igrejas é a aquisi- lato dosem os pequenos grupos não serão saudáveis porque terão di- ção de um terreno e a construção de uma casa de culto. O erro ventistaficuldades para assimilar os novos membros bem como para mais comum praticado por aqueles que estão à frente de proje- ões bracapacitar novos líderes. tos de Missão Global ou de implantação de igrejas é a tentativa uma m de construir a igreja antes do esforço em ganhar almas e edificar esta é uCultive o campo a igreja numericamente e espiritualmente. Ellen White sugere o tem nom Uma vez que o núcleo esteja se reunindo em pequenos gru- momento da construção: “Quando se desperta um interesse em Santospos, é importante treinar líderes para realizar as atividades de qualquer vila ou cidade, esse interesse deve ser atendido. O lugar sada cocultivo da área. Uma maneira de fazer isso é aplicar o método deve ser cabalmente trabalhado, até que se erga humilde casa dionorde Cristo no contexto urbano. Para ser mais específico, a mis- de culto como sinal, um monumento do sábado de Deus, uma de disssão de Cristo pode ser resumida em fazer amigos, realizar atos luz em meio da treva moral.” Para ela, “Ao iniciarmos a obra emde compaixão e partilhar as boas novas. Uma apresentação ho- um campo, e reunirmos um grupo, consagramos os membroslística da mensagem de Cristo necessita de planos, programasou ministérios que conectem com as pessoas na comunidade a Deus e, então, atraímo-los a unirem-se conosco em construir humilde casa de culto. Depois, quando a igreja está terminada Trabe atendam suas necessidades físicas, emocionais, sociais e es- e é consagrada ao Senhor, passamos adiante a outros campos. ” Umapirituais. Por exemplo, podem-se realizar programas de orien- Resumindo, uma igreja saudável é aquela que mobiliza cren- para-tetação sobre o estresse, recuperação dos traumas do divórcio, tes para a seara e multiplica igrejas no mundo. Como A. J. Gor- Francisenriquecimento matrimonial, ministério com os solteiros, edu- don disse: “A Igreja que não evangeliza fossiliza.” E James Engel, queriacação dos filhos e cursos de capacitação profissional. É possível em sua obra clássica “What’s Gone Wrong with the Harvest?” uma ruintegrar materiais bíblicos de uma maneira apropriada para li- reflete a mesma conclusão: “É um princípio demonstrado do gua. A fdar com as pessoas sem religião. Outra maneira é demonstrar crescimento da igreja que o cristianismo ganha numa sociedade afinal do caráter de Deus buscando maneiras de ajudar pessoas caren- somente na proporção em que as igrejas existentes são multi- que acotes e sofredoras na cidade através de projetos de compaixão. plicadas. A multiplicação de novas congregações de crentes é oEssas atividades despertarão a simpatia da comunidade para resultado natural e esperado de uma igreja saudável.”com a nova igreja, além de prover muitos contatos significati-vos para as atividades evangelísticas. Uma variedade de méto- EMILIO ABDALA é teólogo e evangelistados pode ser usada aqui, inclusive outras abordagens mais tra- da Associação Paulista Lestedicionais, tais como os estudos bíblicos e o uso da literatura. Referências 1. Ed Stetzer, Planting Missional Churches, p. 38Faça evangelismo 2. WHITE. Ellen G. Medicina e Salvacão. Tatuí, SP: CPB, 1991. p. 315 3. Testimonies. Mountain View, CA: Pacific Press Publishing Association, 1948. v. 6. p. 24. É possível começar uma igreja sem uma campanha evange- 4. Evangelismo. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 1978. p. 19.lística. De fato, é até mais fácil iniciar uma nova igreja atraindo 5. Medicina e Salvação. p. 309. 6. Dudley e Gruesbeck, Plant a Church, Reap a Harvest, p. 45.crentes de outras igrejas adventistas do que ganhando no- 7. Aubrey Malphurs, Planting Growing Churches, p.268.vos discípulos da comunidade. Porém, se a equipe de plan- 8. Ellen G. White, A Ciência do Bom Viver, p. 143 9. White, Evangelismo, p. 376. 10. Ibid., p.381.38 Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL •2010 ESPECIAL• 2010
  • 39. PIONEIROS MODERNOS Felipe Lemosevange- Hora da aula de missão! o. Duas rimeira pessoas sponsa- idas da I colocar magine a cena. Uma mãe, com três fi- é idealizadora do projeto da casa-escola comércio ficou para trás e o esposo as- amente lhos, anda mais de 200 quilômetros de missionária, iniciativa que começou a fa- sumiu integralmente a manutenção dodades; e Montes Claros, norte de Minas Ge- zer a diferença há quatro anos em Minas lar, enquanto Queila seguiu seu chamado. r. A se- rais (mais de 350 mil habitantes), até Gerais, mas deverá se espalhar por outras Plantio responsável - A casa-es- smo no a cidade de Mato Verde (com pouco mais regiões e países. cola missionária é um verdadeiro curso a de co- de 7.400 moradores) para pregar sobre a Tudo começou como geralmente sem- de imersão em missão evangelizadora. muitas Bíblia durante um período de tempo. Isso pre iniciam os empreendimentos evan- Em Mato Verde, quatro jovens e Queila olheita, mesmo. A viagem não é a passeio ou para gelísticos: a partir de uma necessidade trabalharam, movidos pela graça divina, olheita. transações comerciais. É motivada unica- própria, pessoal. Queila, com formação para que uma congregação com apro- público mente por motivos missionários. E essa em Economia, diz que era proprietária de ximadamente 20 membros estivesse de maioria mulher vai além. Ela não apenas se desloca uma loja de roupas e trabalhava com de- pé hoje depois de pelo menos dois anosm, evan- até a cidade, mas leva junto jovens dispos- coração. Adventista desde nascença, con- e meio. Em outra cidade, chamada Ma- esso. Se tos a permanecer na região por um período vivia bem com seu negócio e uma famí- monas (mais de 6.200 habitantes), ou-ucesso. maior até que se estabeleça de maneira só- lia bem ajustada. “Só que eu recebi uma tra “filial” desta escola diferente está em lida uma congregação adventista. proposta divina, poderia fazer mais”, lem- pleno funcionamento. Há dois jovens co- Antes de pensar que se trata de um re- bra. A proposta era a de se envolver forte- locando sua influência, capacidade inte- aquisi- lato do passado, quando os pioneiros ad- mente na missão de evangelizar. Mas não lectual, física e disposição para que mais O erro ventistas literalmente desbravaram regi- apenas se engajar nas frentes tradicional- uma igreja adventista se concretize por lá.e proje- ões brasileiras com o intuito de repartir mente adotadas pela Igreja Adventista, Ninguém pense que as dificuldadesentativa uma mensagem de salvação, saiba que contudo avançar além do que muitos po- são motivo de desânimo para ela, sua fa-edificar esta é uma história moderna. A mulher dem imaginar. O sonho de evangelizar mília ou os jovens voluntários. Pelo con- ugere o tem nome e se chama Queila Mendes dos além-fronteiras, saindo da sua própria trário, os planos são de estabelecer lite-esse em Santos Lima Barros, tem 34 anos, é ca- casa e até de sua própria cidade, tornou- ralmente uma sede de treinamentos para O lugar sada com o professor universitário Clau- -se realidade para Queila e sua famí- missionários em Montes Claros, uma es- de casa dionor Barros e uma vontade incontida lia. Nas suas palavras, “fui chamada por pécie de QG de Missão Global. Esta es-us, uma de disseminar a cultura da missão. Ela Deus para ser uma obreira moderna”. O cola só tem um caminho: o crescimento.obra emembros nstruirminada Trabalho com ciganos no Chile já estabeleceu várias igrejas mpos. ” Uma frase no muro “Cristo vem, pre- Jesus voltar?”. Desde então Francisco e história. “Eu me propus a ler a Bíblia in-za cren- para-te”, em 1977, chamou a atenção de outros ciganos chilenos começaram a teira por um ano”, diz. O trabalho com . J. Gor- Francisco Milanovic, um cigano que se preparar espiritualmente para este os ciganos se expandiu e tem grande s Engel, queria encontrar razão para viver em encontro com Jesus Cristo através de importância, se levarmos em conta quearvest?” uma rua da cidade chilena de Ranca- estudos bíblicos e muita música cristã, este grupo soma aproximadamente ado do gua. A frase chamou a atenção porque, algumas delas com o ritmo típico do oito mil pessoas.ciedade afinal de contas, como pensava ele, “o seu povo. Várias igrejas foram estabelecidas,o multi- que acontecerá com os ciganos quando Um pastor foi escolhido, tempos de vários portes diferentes, em diversas ntes é o depois, especialmente cidades como Antofagasta, Copiapo, para coordenar o tra- Serena, Villa Alemana, Santiago, Bayit, balho com os ciganos Rancagua, Rengo, Chillán, Los Angeles, no Chile. Juan Nicolich, Puerto Montt e Concepción. Hoje há que se uniu à Igreja Ad- quase 500 adventistas ciganos que fa- ventista do Sétimo Dia lam romani. Inclusive há uma versão do em 1981, disse que ha- Novo Testamento da Bíblia Sagrada na via um mito naquela língua romani, inclusive material com época, entre os ciganos, dramatização. Já existe projeto para se de que estudar a Bíblia traduzir o Antigo Testamento. poderia causar proble- Para mais informações sobre o tra- mas mentais. Nicolich balho adventista com os ciganos no Evangelismo com deu um ótimo exem- Chile podem ser acompanhados no ciganos em Los Ángeles, Chile plo para desfazer aquela site: www.gitanosparacristo.cl. Revista Adventista I EDIÇÃO ESPECIAL • 2010 39

×