Português para Anac e Ancine

2,806 views
2,712 views

Published on

Aula demonstrativa do curso Português para Anac e Ancine. Confira todo o catálogo do Ponto dos Concursos: http://www.pontodosconcursos.com.br

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,806
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
238
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Português para Anac e Ancine

  1. 1. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Apresentação do Professor Caro Aluno, Sou o professor Albert Iglésia. É com imensa satisfação que me 9 99 aproximo de você. Neste primeiro contato, gostaria de falar um pouco sobre 99 99 minha formação e minha experiência no ensino de Língua Portuguesa para 9 99 concursos. e9 om Sou graduado em Letras (Português/Literatura) pela Universidade N de Brasília (UnB) e possuo especialização em Língua Portuguesa pelo 99 99 Departamento de Ensino e Pesquisa do Exército Brasileiro em parceria com a 99 Universidade Castelo Branco. 99 99 Há onze anos ministro aulas voltadas para concursos públicos. e9 om Iniciei minhas atividades docentes no Rio de Janeiro – meu estado de origem. N Desde 2004 moro em Brasília, onde dou aulas de gramática, compreensão e 99 99 interpretação de texto e redação oficial. Possuo experiência com diversas 99 bancas examinadoras. Entre elas, destaco aqui as principais: Cespe, FCC, Esaf, 99 99 FGV e Cesgranrio. Já participei da preparação de diversos alunos para os mais e9 om importantes concursos nacionais e regionais (Senado Federal, Câmara dos N Deputados, MDIC, TCU, MPU, Tribunais, Petrobras, BNDES, Receita Federal, 9 99 PF, Bacen, Banco do Brasil, CEF, CGU, Abin, PCDF, TCDF, TJDFT etc.) 9 99 Além de ensinar nos cursinhos preparatórios, também atuo como 99 99 instrutor da Esaf (já tendo lecionado aulas de gramática e redação oficial para e9 om auditores e analistas da Receita Federal) e de outras instituições N profissionalizantes. Por quase seis anos estive cedido à Casa Civil da 99 99 Presidência da República, onde atuei no setor de capacitação de servidores e 9 99 ministrei cursos de atualização gramatical e redação oficial. 9 99 Sempre que precisar, faça contato comigo, meu e-mail é: e9 om albert@pontodosconcursos.com.br. Nessa etapa da sua vida, quero me colocarN ao seu lado para ajudá-lo a conquistar a tão sonhada vaga. Para você refletir: “O pessimista vê dificuldade em cada oportunidade; o otimista vê oportunidade em cada dificuldade” (Winston Churchill). Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 1 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  2. 2. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Apresentação do Curso Agora que você já me conhece melhor, que tal falarmos sobre o curso? 9 99 Este é um curso de teoria e exercícios ideal para quem vai 99 prestar os concursos da Anac e da Ancine. Está dividido em oito aulas 9 99 (incluindo esta, a aula 0 ou demonstrativa). Nele, tomo como base o 99 e9 conteúdo programático que o Cespe vem adotando nas provas que om elabora, sem perder de vista os respectivos editais que foram N 99 publicados nos últimos concursos desses dois órgãos: 99 99 Ancine 2006 99 99 1 Compreensão Textual. 2 Ortografia. 3 Semântica. 4 Morfologia. 5 e9 Sintaxe. 6 Pontuação. om N 99 Anac 2009 99 99 1 Compreensão e interpretação de textos. 2 Tipologia textual. 3 99 Ortografia oficial. 4 Acentuação gráfica. 5 Emprego das classes de 99 e9 palavras. 6 Emprego do sinal indicativo de crase. 7 Sintaxe da oração e om do período. 8 Pontuação. 9 Concordância nominal e verbal. 10 N 9 99 Regência nominal e verbal. 11 Significação das palavras 9 99 99 Como estratégia de estudo, o conteúdo das nossas aulas está 99 e9 assim dividido: om N Aula 0 – Ortografia oficial e acentuação gráfica 99 99 Significação contextual de palavras 9 99 Aula 1 – Emprego das classes de palavras 9 99 Aula 2 – Regência e crase e9 Aula 3 – Sintaxe dos termos da oração omN Aula 4 – Sintaxe do período (relação de coord. e subord.) Aula 5 – Pontuação Aula 6 – Sintaxe de concordância Aula 7 – Texto: tipologia, compreensão e interpretação Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 2 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  3. 3. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Utilizarei questões de provas elaboradas anteriormente pelo Cespe/UnB para direcionar os nossos estudos. Reproduzirei os textos e os itens (será respeitada a grafia original dos enunciados) que tratam do assunto 9 99 abordado em cada aula. 99 99 Como a instituição tem o costume de usar um mesmo texto para, a 9 99 partir dele, apresentar várias assertivas, é possível que eu repita o mesmo e9 texto (ou fragmento dele) na explicação do conteúdo de outras aulas. om N Portanto, não estranhe se isso acontecer. O procedimento é puramente 99 didático. Dessa forma, pretendo aproximar você daquilo que vem sendo 99 99 exigido pelo Cespe acerca de determinado assunto da Língua Portuguesa em 99 99 concursos públicos. e9 om N Apresentação da Matéria 99 99 A partir de agora, começo a ministrar o primeiro conteúdo deste 99 curso, que corresponde à aula 0 (ou demonstrativa). 99 99 Acredito que você obterá uma noção de como as explicações serão e9 om transmitidas, do grau de complexidade das aulas e da linguagem que usarei N em nossos próximos encontros. 9 99 Espero que aproveite cada explicação e cada exemplo da melhor 9 99 forma possível. Interaja comigo nos fóruns. A sua participação é fundamental 99 99 para o bom rendimento do curso. No mais, vamos ao que interessa! e9 om N Ortografia 99 99 No Brasil, quem dita as normas para a correta escrita das palavras 9 99 é a Academia Brasileira de Letras (ABL). Em seu Vocabulário ortográfico da 9 99 e9 língua portuguesa (VOLP), a instituição mantém registrada a forma oficial de om escrever as palavras.N Apesar da vigência do novo Acordo Ortográfico, as regras antigas e as atuais estarão em vigor até 31 de dezembro 2012. Por quê? Porque o então presidente Lula, por meio do Decreto nº 6.583, de 26 de setembro de 2008, Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 3 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  4. 4. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA além de ter promulgado o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa – que foi assinado em Lisboa, em 16 de dezembro de 1990 –, também estabeleceu um período de transição: “de 1º de janeiro de 2009 a 31 de dezembro de 2012, 9 99 durante o qual coexistirão a norma ortográfica atualmente em vigor e a nova 99 99 norma estabelecida”. 9 99 Você e eu sabemos que é humanamente impossível decorar a e9 grafia de todas as palavras da nossa Língua. Só para você ter uma ideia da om N dificuldade que é isso, saiba que a nova edição do VOLP, lançada oficialmente 99 pela ABL em 19 de março de 2009, tem 976 páginas, 381 mil verbetes e 99 99 outras coisas mais. Você se atreve a decorar tudo isso?! 99 99 Entretanto podemos sistematizar a grafia de certas palavras, em e9 decorrência, por exemplo, da sua origem, do seu radical. É isso que você verá om N aqui. A experiência nos permite dizer que esse processo é muito útil no 99 momento de resolver uma questão de concurso. Não estou dizendo que tudo 99 99 se resumirá ao que será demonstrado nestas poucas linhas. O que você 99 99 precisa entender é que a prática de leitura de livros, jornais, revistas e e9 dicionários deve ser somada à minha explicação. om N Comecemos pelo EMPREGO DE ALGUMAS LETRAS. Sempre que for 9 99 preciso, trarei para nossa aula as mudanças das novas regras ortográficas 9 99 99 • Usa-se, normalmente, a letra X: 99 e9 QUANDO EXEMPLO CUIDADO om 1 – depois de ditongos ameixa, frouxo, peixe Recauchutar N 99 encher, encharcar, 9 99 enchova, enchumaçar e 99 2 – depois da sílaba EN enxame, enxergar 9 derivados dessas 99 e9 palavras om 3 – depois da sílaba ME, mecha (substantivo) =N mexa (verbo), mexerico quando “fechada” pronúncia “aberta” Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 4 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  5. 5. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA • Usa-se, normalmente, a letra G: QUANDO EXEMPLO CUIDADO 1 – nos sufixos AGEM, viagem (substantivo), pajem, lajem, 9 99 IGEM e UGEM vertigem, ferrugem lambujem 99 99 2 – nos sufixos AGIO, pedágio, colégio, 9 99 EGIO, IGIO, OGIO e prestígio, relógio, e9 UGIO refúgio om N 3 – nas palavras margem/margear, monge/monja, eu dirijo 99 99 derivadas daquelas que homenagem/homenagear (flexão do verbo dirigir). 99 possuem G no radical Imaginem se 99 99 (você perceberá que mantivéssemos a letra e9 esse princípio vale “g” nas palavras om N também para o emprego derivadas... 99 99 de outras letras) 99 99 99 • Usa-se, normalmente, a letra J: e9 om QUANDO EXEMPLO N 1 – nas palavras de origem indígena, pajé, jiboia, jeca, jenipapo, jirau, jiló, 9 99 africana e árabe cafajeste, jerico, jequitibá 9 99 2 – nas flexões dos verbos que viajar (verbo) – que eles viajem; 99 99 possuem J no radical bocejar – eu bocejei e9 om 3 – nas palavras derivadas daquelas gorja – gorjeta; lisonja – lisonjeado N que possuem J no radical 99 99 jeito, hoje, majestade, injetar, objeto, 9 4 – nas palavras de origem latina 99 ultraje 9 99 e9 om • Usa-se, normalmente, a letra Ç:N QUANDO EXEMPLO 1 – nas palavras derivadas daquelas exceto – exceção, setor – seção, cantar que possuem T no radical – canção Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 5 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  6. 6. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA 2 – nas palavras de origem indígena, miçanga, paçoca, muriçoca, árabe e africana muçulmano, açougue, açoite babaçu, Paraguaçu, Nova Iguaçu, 9 3 – nos sufixos AÇU e AÇO 99 golaço, poetaço, atrevidaço 99 99 4 – depois de ditongo compleição, feição, beiço 9 99 e9 • Usa-se, normalmente, a letra S: om N QUANDO EXEMPLO 99 99 1 – nos substantivos que designam chinês, japonês, baronesa, duquesa, 99 origem, título honorífico e feminino sacerdotisa, poetisa 99 99 2 – Nos sufixos ASE, ESE, ISI e OSE fase, ascese, eletrólise, apoteose e9 om 3 – nos sufixos OSO e OSA formoso, formosa, gostoso, gostosa N iludir – ilusão, defender – defesa; 99 4 – nas palavras derivadas daquelas 99 divertir – diversão, inverter – inversão; 99 que possuem D, RT ou RG no seu imergir – imersão, submergir – 99 radical 99 submersão e9 om 5 – no prefixo TRANS e nos seus transatlântico, trasladar (ou N derivados transladar) 9 99 6 – após os ditongos maisena, Sousa, coisa 9 99 99 7 – nas formas verbais derivadas dos quis, quisera, pusera, compusera 99 verbos QUERER e PÔR e9 om N • Usa-se, normalmente, SS: 99 99 QUANDO EXEMPLO CUIDADO 9 99 suceder – sucessão, 9 99 1 – nas palavras regredir – regressão, e9 derivadas daquelas que om comprimir –N possuem as expressões compressão, demitir – CED, GRED, PRIM, MIT, demissão, intrometer – MET e CUT no radical intromissão, discutir – Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 6 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  7. 7. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA discussão 2 – prefixo terminado pre + sentir = pressentir em vogal + palavra (repare que o “s” foi 9 99 começada por S duplicado”) 99 9 99 99 • Usa-se, normalmente, a letra Z: e9 QUANDO EXEMPLO CUIDADO om N 1 – nas terminações EZ 99 99 e EZA, formando insensato – insensatez, 99 substantivos nu – nudez; claro – 99 99 abstratos derivados de clareza, belo – beleza e9 om adjetivos N a) se a palavra possuir 99 99 S em sua parte final, o 99 infinitivo verbal também 99 99 levará S: análise – e9 om analisar, paralisia – N paralisar; 9 99 2 – nas terminações sintonia – sintonizar, b) Hipnose – hipnotizar; 9 99 IZAR, formando real – realizar, visual – Síntese – sintetizar; 99 99 infinitivos verbais visualizar Batismo – batizar; e9 om Catequese – catequizar; N Ênfase – enfatizar. 99 99 (Lembre-se da sigla de 9 99 um famoso banco, só 9 99 que com E no final: e9 om HSBCE).N 3 – como consoante de pé + udo = pezudo; guri ligação + ada = gurizada Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 7 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  8. 8. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA • Usa-se, normalmente, a letra H: QUANDO EXEMPLO CUIDADO 1 – nas palavras ligadas 9 99 por hífen em que o anti-higiênico, pré- 99 desarmonia, lobisomem 99 segundo elemento histórico, super-homem 9 99 começa com H e9 as palavras derivadas om 2 – na palavra Bahia N não possuem H: baiano 99 99 99 • Verbos terminados em EAR e IAR: 99 99 1 – são irregulares os e9 om verbos terminados em passear: passeio, N EAR; eles recebem a 99 passeias, passeia, 99 letra I nas formas passeamos, passeais, 99 rizotônicas (eu, tu, ele, 99 passeiam 99 eles – a sílaba tônica e9 om integra o radical) N Mediar, Ansiar, 9 99 Remediar, Incendiar, 9 99 Odiar (MARIO): apesar 99 99 premiar: premio, de terminarem em IAR, e9 2 – são regulares os om premias, premia, são irregulares e verbos terminados em N premiamos, premiais, recebem a letra E nas 99 IAR 99 premiam formas rizotônicas (eu, 9 99 tu, ele, eles): odeio, 9 99 odeias, odeia, odiamos, e9 om odiais, odeiamN • As letras K, W e Y (conforme o novo Acordo Ortográfico) Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 8 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  9. 9. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA O alfabeto passa a ter 26 letras. Foram reintroduzidas as letras k, w e y. aA jJ sS 9 99 bB kK tT 99 99 cC lL uU 9 99 dD mM vV e9 om eE nN wW N fF oO xX 99 99 gG pP yY 99 99 hH qQ zZ 99 iI rR e9 om N A essa altura você deve estar se perguntando: “Por que as letras 99 99 k, w e y voltaram ao alfabeto?”, “Quais as consequências práticas?”, “Alguma 99 palavra será grafada de forma diferente?”, “Como deverão ser usadas?”, “Elas 99 99 são vogais ou consoantes?”, “Como é a pronúncia do w?”. e9 As letras k (cá ou capa) – letra oriunda do alfabeto fenício (kaph), om N adotada pelos gregos (kapa) e depois pelos romanos (capa) –, w (dábliu) – 9 99 letra usada nas línguas inglesa, em que soa como o “u”, e alemã, em que é 9 99 pronunciada como “v” – e y (ípsilon) – letra com som de “i” –, que na verdade 99 99 não tinham desaparecido da maioria dos dicionários da nossa língua, são e9 om usadas em várias situações. Por exemplo: N a) na escrita de símbolos de unidades de medida: km 99 99 (quilômetro), kg (quilograma), W (watt); 9 9 99 b) na escrita de palavras e nomes estrangeiros (e seus 99 e9 derivados): show, playboy, playground, windsurf, kung fu, yin, yang, om William, kaiser, Kafka, kafkiano.N Bem, e o que acontece agora que elas estão oficialmente introduzidas no nosso alfabeto? Haverá mudanças na grafia de alguma palavra? Deveremos escrever “kilômetro” em vez de “quilômetro”? Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 9 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  10. 10. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Na prática, nada muda na grafia das palavras, pois a reintrodução das letras K, W e Y em nosso alfabeto NÃO AUMENTA SEU USO. Essas três letrinhas continuam sendo usadas em NOMES PRÓPRIOS ORIUNDOS DE 9 99 LÍNGUAS ESTRANGEIRAS, como nos exemplos abaixo: 99 99 Byron; Darwin; Franklin; Taylor; Wagner; Wilson; Kardec; 9 99 e9 Também continuam sendo usadas nas PALAVRAS DERIVADAS DE om NOMES PRÓPRIOS ESTRANGEIROS. Veja alguns exemplos: N 99 byroniano (relativo a Lord Byron, poeta inglês, autor da obra Don 99 99 Juan); 99 kantismo (doutrina filosófica de Immanuel Kant, filósofo alemão); 99 e9 kardecismo (doutrina espírita do pensador francês Allan Kardec); om kardecista (relativo ao kardecismo, seguidor dessa doutrina); N 99 kuwaitiano (indivíduo natural do Kuwait); 99 99 As letras K, W e Y também são usadas em SIGLAS, SÍMBOLOS E 99 99 PALAVRAS INTERNACIONALMENTE ADOTADAS como: e9 om TWA (Trans World Airlines); N KLM (Koninklijke Luchtvaart Maatschappij, em português: 9 9 99 Companhia Real de Aviação); 99 99 kw (quilowatt); 99 watt; e9 om yd (jarda, do inglês yard); N 99 K (Potássio); 99 W (Tungstênio); 9 99 Y (Ítrio); 9 99 Kr (Criptônio); e9 om W - oeste (West);N SW - sudoeste (southwest); NW - noroeste (northwest). Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 10 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  11. 11. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Você aí já se perguntou se ESSAS LETRAS SERÃO CLASSIFICADAS COMO VOGAL OU CONSOANTE?!?! Certo, vejamos como elas poderão se comportar. 9 99 As novas letras do alfabeto deverão ser classificadas em vogais ou 99 99 consoantes, DE ACORDO COM A FORMA COMO SÃO PRONUNCIADAS nas 9 99 palavras em que aparecem. e9 om O K será sempre CONSOANTE, pois sempre é pronunciado como N o C antes das vogais A, O e U e como o dígrafo QU antes de E 99 99 e I. 99 99 Já o Y será VOGAL ou SEMIVOGAL, pois normalmente é 99 e9 pronunciado como se fosse um I. om A letra W pode assumir o papel de VOGAL (ou SEMIVOGAL) ou N 99 CONSOANTE. Nas palavras de origem inglesa, por ser 99 99 normalmente pronunciado como U, o W será vogal ou 99 semivogal: 99 e9 om Wallace; waffle; show; Wilson; windows; watt (uote). N Nas palavras de origem alemã, o W normalmente é pronunciado 9 9 99 como um V, e, assim, será uma CONSOANTE: 99 99 Walter; Wagner. 99 e9 Passemos agora ao EMPREGO DE ALGUMAS EXPRESSÕES que, om N certamente, já deixaram muita gente com dúvida na hora de optar por uma ou 99 outra forma. Selecionei para esta aula apenas alguns vocábulos que, volta e 9 99 99 meia, surgem em diversos textos. Vejamos quais são. 9 99 e9 • MAL x MAU omN a) Ela se houve mal na prova. (advérbio de modo, contrário de bem, refere-se a um verbo) Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 11 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  12. 12. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA b) Mal entrou, os portões foram fechados. (conjunção subordinativa adverbial, equivale-se a assim que, quando, indica circunstância de tempo) c) Apesar do mau tempo, foi à praia. (adjetivo, refere-se a um substantivo, 9 99 contrário de bom) 99 9 99 ATENÇÃO! Quero que você perceba que o vocábulo MAL não possui a mesma 99 e9 classificação gramatical nas alternativas “a)” e “b)”. Isso é importante porque om a banca examinadora pode sugerir o contrário. O Cespe/UnB, por exemplo, N 99 pode selecionar duas frases de um texto em que esses vocábulos aparecem, 99 destacá-los e formular a seguinte assertiva: “Nas linhas X e Y, os vocábulos 99 99 em destaque possuem a mesma classificação gramatical”. Muito cuidado antes 99 e9 de responder. Como vimos anteriormente, isso nem sempre será verdade. om Quero que note ainda as diferentes classificações dos vocábulos que surgirão N 99 nos próximos exemplos. 99 99 99 • POR QUE x POR QUÊ 99 e9 a) Por que você não veio? (advérbio interrogativo de causa, usado no início om N da oração, equivale-se a por qual motivo, o “que” é átono) 9 99 b) Quero saber por que você não veio. (a única diferença é que a frase 9 99 99 interrogativa é indireta) 99 e9 c) Você não veio por quê? (agora a expressão aparece no final da frase, e om o “que” é tônico) N 99 d) Quero saber o motivo por que você não veio. (preposição + pronome 9 99 relativo, usado no início da oração, equivale-se a pelo qual) 9 99 99 ATENÇÃO! Note a colocação no final da frase ou no final de oração, e9 om antes de pausa, com sentido de motivo, razão pela qual, sendo tônico.N Ex.: O cantor estava inquieto, sem saber por quê. (Sem saber por quê, o cantor estava inquieto. Advertido pelo presidente da Mesa, o deputado quis saber por quê. Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 12 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  13. 13. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA Ninguém lhe dava atenção. Por quê? • PORQUE x PORQUÊ 9 99 99 a) Não vim porque estava cansado. (conjunção subordinativa adverbial, 99 indica circunstância de causa) 9 99 e9 b) Fique quieto, porque você está incomodando. (conjunção coordenativa om explicativa) N 99 c) Quero saber o porquê da sua falta. (vem precedido de artigo, é 99 99 substantivo, equivale-se a motivo, razão, causa) 99 99 ATENÇÃO! Sempre que estiver diante de uma pergunta (direta ou indireta), e9 use a expressão separada. om N 99 99 • SENÃO x SE NÃO 99 99 a) Estudem, senão ficarão reprovados. (pode ser substituído por ou, indica 99 e9 alternância de ideias que se excluem mutuamente) om N b) Não fazia coisa alguma, senão criticar. (equivale-se a mas sim, 9 99 porém,) 9 99 c) Essa pessoa só tem um senão. (significa defeito, mácula, mancha; é 99 99 substantivo) e9 om d) Se não houver dedicação, ficarão reprovados. (“Se” = conjunção N 99 subordinativa adverbial condicional; “não” = advérbio de negação) 9 99 9 99 ATENÇÃO! É muito útil perceber que a expressão será separada apenas 99 e9 quando introduzir uma oração subordinada adverbial condicional. omN • ACERCA DE x A CERCA DE x HÁ CERCA DE a) Hoje falaremos acerca dos pronomes. (locução prepositiva – “dos” = de + os –, equivale-se a sobre, a respeito de) Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 13 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  14. 14. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA b) Os primeiros colonizadores surgiram há cerca de quinhentos anos. (refere-se a acontecimento passado) c) Estamos a cerca de quatro meses da prova. (equivale-se a 9 99 aproximadamente) 99 9 99 99 e9 • AFIM x A FIM DE om a) Temos ideias afins. (adjetivo, refere-se a um substantivo, varia em N 99 número para com ele concordar) 99 99 b) Estudou muito, a fim de tirar o primeiro lugar. (locução prepositiva, 99 99 denota finalidade, objetivo, intenção) e9 om N • DEMAIS x DE MAIS 99 99 a) Estudei demais. (advérbio de intensidade, liga-se a um verbo, 99 99 equivale-se a muito, bastante, demasiadamente, em excesso) 99 e9 b) Eu estudo muito; os demais, pouco. (pronome indefinido, equivale-se a om outros, restantes, vem precedido de artigo) N 9 99 c) Surgiram candidatos de mais. (locução que se contrapõe a de menos) 9 99 99 ATENÇÃO! Com relação a de menos, a professora Maria Tereza de Queiroz 99 e9 Piacentini ensina que nem sempre tal expressão tem como oposto de mais. om De menos pode se referir a substantivo ("gente de menos") e verbo ("saber N 99 de menos"), segundo a autora do livro Português para redação (edição 99 esgotada). Moral da história: junto a substantivo, use de mais e de menos; 9 9 99 junto a verbo, use demais e pode usar de menos também. 99 e9 om • ONDE x DONDE x AONDEN a) Onde você está? (usa-se onde com verbo estático que pede a preposição em, na língua portuguesa não existe a suposta contração nonde, indicada por em + onde) Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 14 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  15. 15. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA b) Donde você vem? (usa-se com verbo de movimento que peça, em razão sua regência, a preposição de, caso do verbo “vem”: “Donde” = de + onde) 9 99 c) Aonde você vai? (usa-se com verbo de movimento que exige, também 99 99 por causa de sua regência, a preposição a, caso da forma verbal “vai”: 9 99 “Aonde” = a + onde) e9 om N 99 • MAS x MAIS 99 99 a) Ela estudou muito, mas não foi aprovada. (conjunção coordenativa 99 99 adversativa, conecta orações que guardam entre si ideias opostas) e9 b) om Ela era a aluna mais simpática da turma. (advérbio de intensidade, N refere-se a adjetivo, outro advérbio ou verbo) 99 99 99 99 c) Menos ódio e mais amor. (pronome indefinido adjetivo, refere-se a 99 substantivo) e9 om N • HÁ x A 9 9 99 99 a) Ele chegou da Europa há dois anos. (refere-se a acontecimento passado) 99 99 b) Ela voltará daqui a um ano. (refere-se a acontecimento futuro) e9 om N • DE ENCONTRO A x AO ENCONTRO DE 99 99 a) O ônibus foi de encontro ao carro, causando a morte de duas pessoas. 9 99 (indica posição contrária, colisão, confronto) 9 99 e9 A proposta da diretoria foi de encontro aos anseios dos funcionários. om b) O filho foi ao encontro do pai, abraçando-o. (sugere posição favorável,N concordância) Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 15 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  16. 16. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA • À TOA (o novo Acordo retirou o hífen, a diferença se dará pelo contexto) a) Ele era uma pessoa à toa. (locução adjetiva invariável; refere-se a um 9 99 substantivo; significa desprezível, sem valor, insignificante) 99 99 b) Ele andava à toa na rua. (locução adverbial; indica maneira, modo, sem 9 99 e9 rumo certo, a esmo, sem fazer nada) om N 99 • DIA A DIA (o novo Acordo aboliu o hífen, a diferença se dará pelo 99 contexto) 99 99 a) O dia a dia do operário brasileiro é desgastante. (substantivo, precedido 99 e9 por artigo, equivale-se a cotidiano) om N b) Os preços das mercadorias aumentam dia a dia. (locução adverbial de 99 99 tempo, equivale-se a diariamente) 99 99 99 • TAMPOUCO x TÃO POUCO e9 om a) Não realizou a tarefa, tampouco apresentou qualquer justificativa. N (advérbio de negação, equivale-se a também não) 9 9 99 99 b) Tenho tão pouco entusiasmo pelo trabalho. (tão = advérbio de 99 intensidade; pouco = pronome indefinido adjetivo, alude a um substantivo) 99 e9 c) Estudamos tão pouco. (tão = advérbio de intensidade, refere-se a outro om N advérbio: pouco = advérbio de intensidade, refere-se ao verbo) 99 99 A respeito do EMPREGO DO HÍFEN, várias mudanças foram 9 99 introduzidas pelo novo Acordo Ortográfico. Resumirei aqui os casos 9 99 e9 importantes. om Prefixos Usa-se hífen Não se usa hífenN Agro, ante, anti, arqui, auto, Quando a palavra a) Em todos os demais contra, extra, infra, intra, seguinte começa com h casos: autorretrato, macro, mega, micro, maxi, ou com vogal igual à autossustentável, Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 16 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  17. 17. Nome99999999999 PORTUGUÊS PARA ANAC E ANCINE – TEORIA E EXERCÍCIOS PROFESSOR ALBERT IGLÉSIA mini, semi, sobre, supra, última do prefixo: auto- autoanálise, tele, ultra... -hipnose, auto- autocontrole, -observação, anti-herói, antirracista, antissocial, 9 99 anti-imperalista, micro- antivírus, minidicionário, 99 99 -ondas, mini-hotel minissaia, minirreforma, 9 99 ultrassom... (perceba e9 que as letras R e S om N são duplicadas). 99 b) Quando se usam os 99 99 prefixos des- e in-, 99 99 caem o h e o hífen: e9 desumano, inabitável, om N desonra, inábil. 99 99 c) Também com os 99 prefixos co- e re- caem 99 99 o h e o hífen: coordenar, e9 coerdeiro, coabitar, om N reabilitar, reeditar, 9 99 reeleição. 9 99 Quando a palavra 99 Em todos os demais 99 seguinte começa com h e9 Hiper, inter, super casos: hiperinflação, ou com r: super-homem, om supersônico N inter-regional 99 99 Quando a palavra 9 99 seguinte começa com b, Em todos os demais 9 99 Sub, sob, ob, ab h ou r: sub-base, sub- casos: subsecretário, e9 om -reino, sub-humano (ou subeditorN subumano) Vice, ex, sem, além, aquém, Sempre: vice-rei, vice-presidente, além-mar, recém, pós, pré, pró além-túmulo, aquém-mar, ex-aluno, ex-diretor, Prof. Albert Iglésia www.pontodosconcursos.com.br 17 O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.

×