Discursiva para Auditor Fiscal do Trabalho

14,145 views
13,922 views

Published on

Aula demonstrativa do curso Discursiva para Auditor Fiscal do Trabalho. Confira todo o catálogo do Ponto dos Concursos: http://www.pontodosconcursos.com.br

Published in: Education
1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
14,145
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
495
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Discursiva para Auditor Fiscal do Trabalho

  1. 1. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror Aula demonstrativa Prezados candidatos, 99 Em parte este curso se assemelha ao projeto “Discursiva para Auditor 99 99 Fiscal da Receita” que lançamos aqui no Ponto dos Concursos. Por ter sido a 99 Esaf a banca de ambos os concursos – tanto para o fiscal do trabalho quanto 99 e9 para o fiscal da receita – seguiremos os moldes do curso que fizemos om recentemente para a Receita. Naturalmente, há diferença nas aulas em alguns N 99 pontos: na propositura de temas específicos para fiscal do trabalho e na 99 99 apresentação de mais exemplos comentados, originários de concursos 99 recentes, organizados pela Esaf. 99 e9 Antes de continuar, vou me apresentar rapidinho para os que ainda não me conhecem, e em seguida, explico o motivo de começar este preparatório om N 99 mais cedo. 99 99 Bom, meu nome é Júnia Andrade, tenho experiência de mais de dez anos 99 na preparação para concursos públicos, sempre lecionando português e 99 e9 redação. O início de minha atuação no Ponto dos Concursos ocorreu em 2008, om e de lá para cá trabalhei com inúmeros projetos que visavam à preparação dos N 9 99 candidatos para os exames discursivos que solicitavam tanto temas de 99 conhecimentos gerais quanto temas de conhecimentos específicos. Estive à 9 99 frente de projetos importantes como as discursivas para a Receita Federal em 99 e9 2009; para os concursos do TCU; do AFT; da Susep; da CVM. Em 2012, om trabalhei com discursivas para os Fiscos Municipais; do Senado Federal etc. E N 99 sou autora do livro Redação para Concursos, pela Editora Ferreira. 9 99 Como vocês veem, no nosso cabeçalho estou atuando em parceira com 99 99 um dos importantes nomes do ensino de língua portuguesa para concursos: o 9 e9 professor Décio Terror. O professor em questão é autor projetos aqui no PontoomN que versam sobre o ensino de conhecimentos gramaticais para os mais diversos concursos. Por termos desenvolvido um bom trabalho no concurso da CGU e do Mdic, considerei proveitoso e estratégico para o concurso convidá-lo para integrar outros trabalhos, inclusive este do AFTE. Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 1O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  2. 2. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror A importância de se ter dois professores de português e redação se deve ao fato de a composição avaliativa proposta pela Esaf ter justamente uma divisão que requer essa parceria. Em sua avaliação, a Esaf propõe que parte das notas seja atribuída ao desenvolvimento do conteúdo e da estrutura e a 99 99 outra parte considere quesitos linguísticos pertinentes ao uso do idioma. 99 Ao professor Décio caberá a análise do uso do idioma. Sendo assim, 99 99 antes de proceder à análise desses usos, ele apresentará a vocês uma aula e9 contendo a identificação das falhas gramaticais mais comuns nas provas do om N fisco, conterá a abordagem de regras importantes que fazem parte do plano 99 99 morfológico e sintático que servem como ferramentas para a composição de 99 textos dissertativos. 99 99 A mim, professora Júnia, caberá a abordagem, bem como a avaliação, e9 om dos elementos pertinentes à construção da estrutura textual. Assim, em minha N aula abordarei aspectos macroestruturais: como compor uma introdução, como 99 99 desenvolver o texto, como dar sequência lógica às ideias, fundamentá-las, etc. 99 Como mencionei há algumas linhas, optamos por começar este curso 99 99 antes mesmo da primeira fase das provas objetivas para Fiscal do Trabalho. e9 om Alguns candidatos compreendem o porquê desse adiantamento e até preferem N que isso ocorra, porque conhecem bem como a Esaf propõe sua segunda fase. 9 99 Mas há quem esteja começando e naturalmente não entenda por que antecipar 9 99 a preparação para a discursiva ainda no momento em que o foco dos estudos 99 99 deveria recair sobre a objetiva. e9 om A história desse procedimento é interessante e é válido acompanhá-la. N Primeiramente, vou lembrar o que ocorreu em 2009/2010 nas 99 9 provas para Auditor da Receita e do Trabalho. 99 99 Tais concursos foram praticamente os primeiros concursos em que a Esaf 9 99 trabalhou com discursivas. Quando os editais foram publicados, os esforços se e9om voltaram para o estudo das disciplinas da prova objetiva, nada mais natural.N Porém, terminada a primeira fase de cada um daqueles concursos, adensamos aos poucos os trabalhos para as discursivas, visto que muitos candidatos ainda esperavam o resultado da classificação. Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 2O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  3. 3. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror Até aí tudo bem! Mas a surpresa veio exatamente com esse resultado. Quando saiu a lista de classificados para a segunda fase da Receita Federal, saiu também a monstruosa data da prova. Ela ocorreria exatos nove dias depois da publicação do resultado da primeira fase. Com o concurso do AFTE, 99 99 aconteceu algo parecido. 99 Imaginem a situação dos candidatos: a maioria daquelas pessoas 99 99 classificadas teve que treinar redações para seis áreas de conhecimento e9 diferentes, e teve de fazer isso uma semana antes da prova. Eram seis áreas, om N porque a prova de auditor fiscal trazia exatamente com esta composição: dois 99 99 conjuntos de exercícios discursivos, cada qual contendo três tipos de exercícios 99 diferentes a serem desenvolvidos. 99 99 Não esqueço o sofrimento que foi tanto para os alunos (candidatos a e9 om auditores) à época quanto para nós professores da maioria dos preparatórios, N envolvidos naquele trabalho. A aventura da Esaf custou-nos cansaço, estresse, 99 99 noites e madrugadas de trabalho intenso. Nossos alunos estavam praticamente 99 estafados, diante do curto espaço de tempo que tinham para produzir o 99 99 resultado que poderia mudar a vida deles. O Ponto até foi feliz nas aprovações e9 om à época, não obstante o sufoco dos trabalhos, pois boa parte de nossos alunos N foram guerreiros e conseguiram a vitória almejada. 9 99 No concurso para AFTE e no concurso da Susep, que ocorreria alguns 9 99 meses depois, o aperto para o preparo das discursivas refletiu-se pesadamente 99 99 nas provas. No AFTE, por exemplo, mesmo diante de temas não tão e9 om complicados assim, o cansaço dos alunos foi notório. Comparando as provas N feitas pela manhã com as provas discursivas feitas à tarde, a gente pôde ver 99 9 com clareza que as provas da tarde ilustraram a pressão dos dias que 99 99 antecederam os estudos: as notas eram muito baixas, se comparadas com as 9 99 da manhã. E isso foi geral. e9om Mas, como já podem notar, dessa vez a gente não quer passar porN aquele aperto novamente. É certo que em 2012 a Esaf até propôs para a Receita Federal um calendário para a execução da prova discursiva – cerca de 1 mês após a prova objetiva. Tudo bem! Boa tentativa da Esaf, mas um problema aparece: e os que dependem realmente de um resultado para Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 3O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  4. 4. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror investir em cursos e outras formas de preparo? Estes, infelizmente, terão seu tempo reduzidíssimo, porque a contagem de 1 mês ocorre entre as provas, não entre o resultado da primeira prova e a prova discursiva. Sendo assim, o sofrimento dos que se preparam “em cima da hora” continua praticamente 99 99 similar ao que ocorreu em 2010. 99 E ainda há outro problema: além do desgaste emocional, há o desgaste 99 99 físico, próprio do dia da prova. e9 Imaginem vocês, correndo contra o tempo, para elaborar um texto cujo om N tema contém uma infinidade de detalhes. Não que o tema seja difícil. Você 99 99 serão testemunhas disto: os temas da Esaf são fáceis até. Mas o problema são 99 os excessos: há muito detalhe no tema e, com o tempo contado, a falta de 99 99 disciplina e de treino faz com que os candidatos, mesmo os mais versados e9 om sobre o assunto proposto, escorreguem na hora de produzir o texto final. N Isso aconteceu no concurso de 2010 – Analista-tributário. Mas no 99 99 concurso da Susep, se já sabem do caso ou se pesquisarem sobre ele, notarão 99 que muitas pessoas foram infelizes para tratar de um tema, relativamente, 99 99 fácil: controle administrativo. e9 om A Esaf lança a maldade: facilidade temática + excesso de pedidos N temáticos. 9 99 No recente concurso do Mdic, a Esaf usou a mesma estratégia e, 9 99 naturalmente, como ela vem dando certo para se estabelecer um bom 99 99 processo seletivo, a proposta textual deverá seguir a mesma filosofia. e9 om Como disse, podem ficar tranquilos quanto ao conteúdo temático. N Realmente, com o conhecimento geral bem estudado para a prova objetiva, 99 9 não há complicações temáticas na prova discursiva. E, quando falo isso, não 99 99 estou falando por mim, mas, sim, pelos inúmeros depoimentos que recebemos 9 99 num pós-prova da Esaf e estes são sempre similares ao seguinte: fiz prova, o e9om tema não foi difícil, mas me atrapalhei ao estruturar um texto claro para tantasN informações. Para melhorar essa informação sobre escolhas temáticas, explico que ora os temas são conceitos ora descrições de procedimentos. É natural, por Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 4O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  5. 5. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror outro lado, que quem não teve um contato mais íntimo com as disciplinas, objetos dos temas, por certo não fique tão à vontade para dissertar sobre elas. Então, o sucesso do trabalho de vocês na discursiva dependerá dos seguintes fatores: 99 99 99 • Informação precisa sobre o exame discursivo: quando se conhece 99 99 um pouco mais sobre a filosofia dos textos discursivos, concebe-se e9 melhor a sua estrutura. Infelizmente, nos concursos há quem om N confeccione textos, a partir da concepção tradicional do que é texto, 99 99 como se a filosofia escolar do que aprendemos sobre texto fosse aplicada 99 a qualquer contexto de processamento do discurso. Como vocês irão 99 99 redigir para um “entrevistador” que é a Administração Pública, o texto de e9 om vocês deve assimilar esta outra filosofia, que é seguir uma estrutura e N uma linguagem que transpareça os preceitos requeridos por este 99 99 “entrevistador”. 99 • Conhecimento prévio dos conteúdos a serem desenvolvidos: muita 99 99 gente imagina que, numa segunda fase do concurso, o examinador irá e9 om propor temas que aprofundem assuntos previstos. Com esse N pensamento, em vez de priorizar conceitos iniciais, os candidatos 9 99 pensam a mão para assuntos mais “evoluídos” dentro do rol de 9 99 possibilidades temáticas. Há erro nesse procedimento. Como já 99 99 mencionei, a tendência da discursiva é abordar temas basilares, ou seja, e9 om elementos conceituais e processos puramente descritivos – lá do início N da disciplina mesmo... O que é importante é avançar no estudo desses 99 9 conceitos, indo, por exemplo, além da lei, abordando aspectos 99 99 doutrinários, se for o caso. 9 99 • Conhecimento do processo de avaliação tradicional da banca: isso e9om faz parte do processo “conhecer o leitor”. Há uma visão muito românticaN sobre as bancas examinadoras. Confundem-se estas com as bancas elaboradoras das questões. Cada banca examinadora tem sua forma de ler o texto. Assim, não podemos concebê-la como homogênea. O que quero dizer é que é fato aquele pensamento de que existe certo grau de Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 5O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  6. 6. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror subjetividade nas avaliações. Mas há como racionalizar o texto para que essa subjetividade seja em parte afastada e uma avaliação justa e racional predomine sobre a avaliação do texto. Para tal, será preciso aproximar a composição textual da programação de leitura do 99 99 examinador. Há pessoas que não têm amadurecimento de estratégia 99 discursiva e que, por isso, tendem a construir textos evasivos, apesar de 99 99 corretos em relação a respostas certas. Para ser clara, trata-se daquele e9 texto em que a gente, ao lê-lo, não consegue fixar a atenção em seu om N conteúdo. Aqui no curso, o processo de ajudá-los a estruturar a 99 99 composição textual caberá a mim, Júnia Andrade. 99 • Amadurecimento da estrutura textual: com um bom conhecimento 99 99 do processo avaliativo, será possível criar estratégias discursivas e9 om convincentes, coerentes e claras. Aqui no Ponto, neste projeto, esta N tarefa, por sinal, é um contínuo do processo anterior. Será um estudo do 99 99 “terreno do inimigo” para que criemos a melhor “estratégia de guerra”. 99 Aquela mais objetiva, mais simples, para que os alunos não fiquem com 99 99 “meio milhão” de informações para serem empregadas no dia prova. e9 om • Segurança gramatical: como “uso do idioma” consome metade da N nota atribuída a cada redação nas provas da Esaf, será de importância 9 99 fundamental o auxílio do professor Décio. Caberá a ele expor as falhas 999 gramaticais mais comuns encontradas nas provas discursivas e propor 99 99 soluções objetivas e claras para corrigi-las. Também será trabalho do e9 om professor avaliar o uso correto das estruturas da linguagem nas redações N dos nossos alunos. 99 9 • Preparo físico: não somos especialistas no assunto, mas nós sabemos 99 99 bem o que ocorreu numa segunda fase do concurso: seis redações 9 99 produzidas num só dia esgotam qualquer escritor. Sendo assim, e9om aconselho conversarem com fisioterapeutas, educadores físicos,N massoterapeutas etc, principalmente se chegarem mesmo à segunda fase. Como professora, porém, posso recomendar que façam uso mais constante da caneta na hora de escrever. É bom a gente abandonar um pouco o teclado. No dia prova, precisaremos dos músculos das costas e Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 6O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  7. 7. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror dos braços para reproduzirmos nossas ideias. A certeza de estar bem fisicamente poderá ser um colaborador importante para que a cabeça de vocês esteja bem na semana que antecede a prova. Resumindo, vamos começar mais cedo porque com uma concepção clara 99 99 do dever a ser cumprido na segunda fase do concurso, vocês enfrentarão 99 menos pressões entre o intervalo de uma prova e outra. Já saberão quais os 99 99 mecanismos mais eficientes para se produzir um bom texto e, numa real e9 aprovação para a fase discursiva, estarão apenas lapidando conhecimentos, ao om N passo que outros terão de ainda aprender os procedimentos corretos para 99 99 elaborar as redações. 99 99 99 Como a Esaf tem cobrado o desenvolvimento das discursivas? e9 om Fiz essa pergunta retórica, exatamente para atualizar os conhecimentos N de vocês no que diz respeito aos trabalhos de correção feitos pela Esaf em 99 99 2012. 99 Mas, para responder essa questão de forma mais útil, digamos assim, 99 99 vou somar os quesitos avaliativos clássicos da Esaf com os aspectos atuais. e9 om A primeira avaliação, nomeada “capacidade de desenvolvimento”, N consiste na averiguação do cumprimento dos seguintes itens: 9 99 9 99 Capacidade de argumentação 99 99 Avaliação tradicional: diz respeito ao modo como o candidato busca meios de e9 om garantir a veracidade do seu conhecimento teórico. A capacidade de N argumentação abrange o compromisso do candidato em mostrar a origem ou 999 sustentação do conhecimento exposto. Nas provas, este sempre foi um dos 99 99 critérios que mais reprovou em todos os exames discursivos da Esaf. 9 99 Hoje: a competência argumentativa requer hoje aprofundamento teórico, que e9om possa, por exemplo, não só amparar um aspecto legal na Constituição, masN também em dispositivos infraconstitucionais, em orientações de tribunais e em doutrina. Quando mais rica e variada for a argumentação, melhores são as chances do candidato. Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 7O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  8. 8. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror Sequência lógica do pensamento Tradição: a banca avalia se o texto é pertinente ao tema, por meio da sequência de ideias ou de eventos que vão acontecendo ao longo da redação. No texto, o aluno deverá demonstrar organização lógica de suas ideias para 99 99 que a redação não perca o fluxo temático. Nos editais atuais (2012), o valor 99 desse quesito subiu bastante. 99 99 Hoje: a Esaf tem investido em pedidos temáticos com múltiplas exigências. e9 om Então, é preciso estar atento a tudo, para não deixar nenhuma dessas N exigências para trás. Sendo assim, o ideal é grifar os pedidos no tema. Não há 99 99 problema nenhum em se grifarem elementos no enunciado da questão. 99 99 99 Alinhamento ao tema e9 om Tradição: constitui a forma como o candidato dá início à abordagem da N proposta do tema ou da questão. Na Esaf, é preciso empreender bastante 99 99 objetividade para começar um texto. É válido lembrar que a demora em se 99 99 tocar no ponto-chave da questão ou do tema poderá consumir pontos 99 importantes do desenvolvimento textual. Portanto, a lição nº 1: produzam um e9 om texto bem objetivo. Em segundo, produzam um texto justo, que contenha N ideias que caibam exatamente na proposta temática, sem excessos e sem 9 99 reducionismos. Hoje isso pesa substancialmente. 9 99 99 Hoje: muitas redações aprovadas pela Esaf nem sequer continham introdução 99 do assunto, ou seja, os redatores iam diretamente para o tema em si ou para e9 om os tópicos componentes do tema. Isso demonstra que a banca tem privilegiado N cada vez mais a objetividade. 99 9 99 99 Cobertura dos tópicos apresentados 9 99 Tradição: junto com o tema central, a banca costuma trazer subtópicos (ou e9om “Tópicos”) que deverão ser desenvolvidos ao longo do texto. Esses tópicos sãoN subtemas que compreenderão os parágrafos da redação em si. Devem ser todos abordados com muita clareza ao longo do desenvolvimento do texto. Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 8O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  9. 9. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror Hoje: como os examinadores têm exigido mais clareza na abordagem do tema e dos tópicos, o ideal é começar cada parágrafo do texto, em que se for desenvolver um assunto, a partir da abordagem do que consta nos tópicos. Se vocês leram com cuidado, perceberam que à explicação do conteúdo 99 99 correto subjaz um arranjo textual importante para que as informações 99 cheguem ao examinador de forma clara. Para tal, é muito importante que a 99 99 estratégia textual seja bem estudada, bem planejada. e9 Os quesitos que vocês viram correspondem à primeira parte da análise om N feita pelos examinadores. Tais quesitos praticamente ditam os procedimentos 99 99 corretos para a discursiva. 99 Bom, já falamos um pouco sobre os procedimentos avaliativos da Esaf. 99 99 Vamos agora para a programação das aulas. e9 om Nossa ideia aqui é não é correr com o curso de discursivas, fato N ressalvado apenas se houver uma publicação surpresa do edital do AFTE. 99 99 Nesse caso, lançaremos uma errata para adaptar o curso à realidade do novo 99 edital. Por enquanto, seguiremos o norte dado pelo edital do concurso anterior. 99 99 e9 om AGENDA DE AULAS E NORMAS PARA A PARTICIPAÇÃO NO CURSO N 9 99 AGENDA DAS AULAS 9 99 99 Parte teórica: em duas aulas condensaremos, de modo bem objetivo, mas 99 não menos esclarecedor, os aspectos mais importantes sobre a composição de e9 om estruturas macro e microtextuais. A terceira aula trará exemplos de textos N integrais analisados ora pelas bancas ora por nós, mas complementados em 99 9 qualquer dos casos com nossas explicações teóricas. Com isso, esperamos dar 99 99 informações pontuais para que, já nas primeiras correções, falhas comuns não 9 99 sejam encontradas nos textos. e9omN Aula Data Professor(a) Assunto 01 02/10/2012 Júnia Andrade Composição estrutural do texto discursivo para as provas do Esaf. 02 09/10/2012 Décio Terror Conhecimentos gramaticais aplicados Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 9O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  10. 10. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror ao texto. 03 16/10/2012 Júnia e Décio Exemplos comentados. 99 99 99 Parte prática: 99 99 Cada aluno poderá confeccionar até três simulados discursivos. e9 om Cada simulado conterá um conjunto de exercícios discursivos, descrito a N seguir: 99 99 a. Simulado 01 será composto de 99 • quatro questões (entre 15 a 30 linhas). Destas quatro, cada 99 99 aluno elegerá uma para compor o primeiro texto. e9 om b. Simulado 02 será composto de N • quatro questões (entre 15 a 30 linhas). Destas quatro, cada 99 99 aluno elegerá duas para desenvolvê-las. 99 Quatro temas (entre 40 a 60 linhas). Destes quatro, cada aluno 99 • 99 elegerá um para compor o conjunto do simulado 02. e9 om • Assim, no simulado 02, cada aluno desenvolverá três N discursivas (1 tema + 2 questões). 9 99 9 99 c. Simulado 03 será composto de 99 99 • diversos temas e questões. Desta diversidade, cada aluno e9 om escolherá 2 questões e 2 temas para compor o simulado N final, que, de fato, é o simulado da prova da Esaf. 99 9 Ao final do curso, o aluno terá confeccionado o seguinte conjunto de 99 99 textos: 9 99 • Cinco redações de até 30 linhas. e9om • Três redações de até 60 linhas.N Ao todo, serão oito textos, ou seja, um curso extensivo o bastante para dar suporte a quem quer se preparar com antecedência para as provas. Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 10O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  11. 11. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror As propostas das questões ou dos temas versarão sobre Direito do Trabalho, Direito Administrativo, Direito Constitucional, Segurança e Saúde no Trabalho. As correções das redações simularão aspectos das correções da Esaf. 99 99 Mas, sofrerão intervenções dos professores participantes. Tais 99 intervenções servem para apresentar sugestões, chamar a atenção do 99 99 aluno para situações de risco e recomendar reescritas de parágrafos ou e9 de textos. om N Como o Ponto dispõe de um fórum para que os alunos expressem suas 99 99 dúvidas ou pontos de vista, cada professor do projeto retirará dúvidas 99 que lhes forem enviadas nominalmente pelo fórum. Lembramos que o 99 99 fórum é único meio de contato entre os alunos e os professores; assim, e9 om recomenda-se que o aluno faça perguntas direcionadas ao nome do N professor que deseja arguir. Mas, eventualmente, estes, por questões de 99 99 didatismo, poderão responder quaisquer dúvidas que julgarem ser 99 pertinentes ao seu contexto de atuação. 99 99 e9 om Aula Data Simulados Questões Temas N 04 23/10/2012 Simulado 01 Uma X 9 99 05 06/11/2012 Simulado 02 Duas Um 9 99 06 20/11/2012 Simulado 03 Duas Dois 99 99 e9 om N 99 9 NORMAS PARA PARTICIPAR DO CURSO 99 99 9 99 1. O curso é destinado especialmente para a preparação para a prova e9om discursiva para o concurso para AUDITOR FISCAL TRABALHO.N 2. O curso atenderá o máximo de 100 inscritos. 3. Todos os exercícios enviados ao curso serão corrigidos conforme o processo de exame seguido atualmente pela Escola Fazendária (Esaf). Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 11O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  12. 12. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror 4. Cada aluno poderá enviar o máximo de oito textos, em conformidade com a agenda de envios. 5. As discursivas serão enviadas ao curso, digitadas em word. 6. Redações manuscritas só serão enviadas ao curso, para avaliação da 99 99 apresentação do texto, caso aluno queira fazê-lo. Mas isso não dispensa 99 o uso de texto digitado, de acordo com o previsto no item 5 destas 99 99 normas. e9 7. Todas as discursivas deverão conter em cabeçalho da própria discursiva om N o nome completo do aluno, o CPF de inscrição no Ponto dos Concursos e 99 99 o número do tema escolhido para o desenvolvimento da discursiva. A 99 falta dessas informações acarretará a não correção do texto, em tempo 99 99 hábil. e9 om 8. O envio das discursivas será feito pela plataforma de envio de redações N do Ponto dos Concursos. 99 99 9. A cada aula com simulados haverá um calendário para envio e devolução 99 dos textos. 99 99 10. Observamos que pode haver atraso, principalmente, na primeira e9 om correção, em virtude da heterogeneidade dos textos. Mas todos serão N corrigidos indistinta e cuidadosamente. 9 99 11. Por fim, informamos que neste curso não haverá cursos completos 9 99 de língua portuguesa ou de conhecimentos específicos, nos moldes dos 99 99 cursos preparatórios comuns para cada disciplina. O que haverá são e9 om conhecimentos dessas áreas para serem aplicados pontualmente no N trabalho com as discursivas. Portanto, os questionamentos do fórum 99 9 deverão limitar-se ao contexto das discursivas. 99 99 9 99 Lidas as normas do curso, vamos conhecer a natureza de alguns temas e9om propostos pela Esaf em suas provas discursivas.N AS PROPOSTAS DA BANCA Tema 01: Esaf/ISS RJ - 2010 Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 12O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  13. 13. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror 99 99 99 99 99 e9 Se vocês têm alguma intimidade com Direito Tributário, por exemplo, om N não teriam dificuldades em elaborar um texto sobre o assunto em tela. À 99 época deste concurso, os candidatos que escreveram para mim relataram que 99 99 o problema estava na organização textual de tantas informações. Sem um 99 99 norte certo, muita gente não sabia se abordava tudo sobre as “hipóteses” e9 pedidas ou se as abordava parcialmente. Apareceram, então, redações com om N divisão estranha, períodos mal formulados, falta de consistência 99 argumentativa, ou seja, dificuldades visíveis para o examinador quanto à 99 99 exposição clara e organizada das ideias. 99 99 e9 Tema 02 – Esaf/AFT/2010 om N 9 99 9 99 99 99 e9 om N 99 9 99 99 9 99 e9omN Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 13O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  14. 14. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror Este foi um dos temas da prova para auditor-fiscal do Trabalho. Terceirização é assunto que os AFTs geralmente dominam bem. Mas, também recebi relatos de dificuldade de organização. As pessoas não sabiam, por exemplo, se vinculavam as respostas para tantos itens ao texto-base. Não 99 99 sabiam se deveriam resumir este texto ou seguir diretamente ao assunto. O 99 procedimento nesse caso pode ser qualquer um, mas seria bom se o candidato 99 99 soubesse coordenar teoria e caso fictício, já que está diante de um estudo de e9 caso. Não saber desenvolver isso pode significar a perda de pontos essenciais, om N por exemplo, em coerência e coesão. 99 99 Vamos a mais um tema: 99 99 99 Tema 03 – Esaf/ Auditor-fiscal da Receita Federal/2009 e9 om N 99 99 99 99 99 e9 om N 9 99 9 99 99 99 e9 Este tema, por exemplo, foi interessante. Ele pede uma composição bem om simplória: era para o candidato apenas reformular o texto acima, corrigindo N 99 conceitos. Ora, o assunto é basilar no estudo de Administração Pública. Mas 9 99 estou para dizer que candidatos que obtiveram notas excelentes em outras 99 99 provas chegaram a ter a redação anulada por causa desta questão. Esta 9 e9 proposta caiu no jogo de provas da tarde, ou seja, momento em que o pessoalom já estava muito cansado e, por essa razão, qualquer manobra diferenciada daN proposta temática poderia significar a perda concurso. E, sem exageros, significou isso mesmo para, pelo menos, umas cinco pessoas que chegaram a se comunicar comigo no pós-prova. Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 14O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  15. 15. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror Bom, isso era para mostrar que os conteúdos não são lá aquele “bicho de sete cabeças”. Para finalizar o bate-papo de hoje, vamos a algumas questões que são comuns para quem está ingressando neste processo. 99 99 99 AS DISCURSIVAS NA ÁREA FISCAL 99 99 e9 om Para dar a todos a devida dimensão do que realmente irão enfrentar neste N exame discursivo para a Esaf, transformaremos a teoria em um jogo de 99 99 perguntas e respostas. Neste jogo, as tradicionais questões serão mescladas 99 ao que há de novo em termos de correções de redações em concursos feitos 99 99 pelo Esaf e por demais bancas atuantes na área de seleção para as e9 om fiscalizações estaduais e municipais. N 99 99 1. É aceitável confeccionar letra de forma em conjunto com letra 99 99 cursiva? 99 Por enquanto, sem problemas. O que se exige é letra legível e confecção e9 om clara da grafia entre a maiúscula e a minúscula. Por exemplo, é bom estender N o tamanho da letra maiúscula, para não deixar dúvida quanto ao emprego 9 99 correto. É certo que nos editais da Esaf é comum haver o pedido para o 9 99 99 desenvolvimento do texto com letra cursiva. Porém, à época dos pedidos, 99 muitos candidatos entraram em contato com a Esaf que lhes garantiu não e9 om haver problemas se o texto fosse desenvolvido com letra de fôrma. Realmente, N várias redações foram aceitas com tal grafia. 99 9 Por outro lado, como professores, sempre recomendamos ao aluno 99 99 obediência ao que consta no edital ou nas erratas que a banca publicar. 9 99 2. Numa redação de trinta linhas, o que seria a atitude correta? e9om Escrever menos ou mais linhas?N Como as pessoas têm melhorado substancialmente seus textos, é melhor tentar completar as trinta linhas. Logicamente, vocês devem fazer isso com um bom texto. Todavia, o candidato deve fazer esse aproveitamento, sem que se perca a objetividade que deve circundar a proposta. Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 15O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  16. 16. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror 3. O que são “temas” e o que são “questões”? No concurso da Receita bem como no concurso para Fiscal do Trabalho, a Esaf usou essas nomenclaturas para distinguir dois exercícios. Um seria a elaboração de textos que ocupavam entre quinta a trinta linhas. Essa era a 99 99 “QUESTÃO”. Já o “TEMA” consistia na elaboração de textos mais extensos, com 99 cerca de cinquenta linhas. 99 99 Foram oferecidos dois blocos de provas: cada um deles continha duas e9 questões e um tema. Naturalmente eram feitos em turnos diferentes – manhã om N e tarde. Aqui no curso queremos que simulem o mesmo processo empregado 99 99 pela Esaf. 99 4. O que fazer em caso de erro de palavras, quando se está com a 99 99 redação praticamente pronta? e9 om Se visto a tempo, basta dar um risco sobre a palavra e, em seguida, N escrever a forma correta ao lado. Se vista depois de já ter passado a forma 99 99 definitiva da redação, infelizmente haverá risco de ganhar um F – forma. Há 99 examinadores que deixam passar em branco os sobrescritos de correção e há 99 99 examinadores que, não! e9 om 5. Como redigir números na redação? N Em linhas gerais, é simples: números grafados por uma só palavra são 9 99 redigidos em forma extensiva; os números grafados por mais de uma palavra 9 99 são escritos na forma de algarismos. Exemplo: cinquenta/ 27. 99 99 6. O que é texto em prosa? e9 om Escrever em forma de prosa é aproveitar a folha de redação normalmente, N sem exibir forma poética ou forma de enumeração por incisos. 99 9 7. Pode-se usar sigla numa prova? 99 99 Sim, mas de forma correta e em casos estritamente necessários. O exagero 9 99 no uso de siglas fere a clareza textual. Muita gente cometeu essa falha no e9om último concurso.N 8. Introdução e conclusão devem ser elaboradas nas discursivas atuais? Tudo dependerá da extensão de assuntos do tema. A Esaf costuma cobrar um sem número de aspectos no tema. A impressão que se tem é a de que o Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 16O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.
  17. 17. Nome99999999999 DISCURSIVA PARA AUDITOR FISCAL DO TRABALHO Professores: Júnia Andrade e Décio Terror conteúdo não caberá nas linhas propostas. Assim, o aluno precisa ser objetivo e dar prioridade total ao tema, mesmo em detrimento das partes extremas do texto (introdução e conclusão). 9. E título? A Esaf aceita títulos nas provas? 99 99 Ao contrário do que normalmente se divulga por aí, podemos, sim, 99 empregar títulos em textos. Tenho exemplos inúmeros de redações corrigidas 99 99 pela Esaf e algumas delas trazem títulos. Mas o que a gente deve fazer é e9 sempre ler com atenção os editais. Eles desmistificam qualquer processo. Nos om N editais da Fundação Universa, por exemplo, o emprego de título no texto é 99 99 proibido. Na Esaf é opcional. Como é mais um trabalho que o candidato terá – 99 pensar no título -, recomendamos, então, não empregá-lo. 99 99 e9 om 10. Elaborar resumo é uma boa? N O tempo é curto, o braço dói, mas é imprescindível que o aluno, pelo menos 99 99 esquematize sua redação. Sem um planejamento, o texto apresentará falhas 99 que podem ir de um F (fôrma) a um Sdc (falta de clareza). Esses códigos, 99 99 sinceramente, esperamos que vocês não os conheçam no dia da avaliação. São e9 om marcos de decréscimos pontuais da Esaf. N Bom, pessoal, espero que, com as respostas a essas perguntas que, 9 99 constantemente, me são direcionadas, e com tudo o que explanamos aqui, eu 9 99 possa ter esclarecido pontos importantes para a preparação de vocês com 99 99 vistas ao enfrentamento dessa fase do concurso. e9 om N Grande abraço a todos! E esperamos vocês para dar início à 99 9 preparação para a fase discursiva! 99 99 Júnia Andrade e Décio Terror. 9 99 e9omN Prof. Júnia Andrade www.pontodosconcursos.com.br 17O conteúdo deste curso é de uso exclusivo de Nome99999999999, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia,divulgação e distribuição, sujeitando-se os infratores à responsabilização civil e criminal.

×