56   pão temporal
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

56 pão temporal

on

  • 640 views

 

Statistics

Views

Total Views
640
Views on SlideShare
638
Embed Views
2

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
0

1 Embed 2

http://remanescentedelaodiceia4.blogspot.com.br 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

56   pão temporal 56 pão temporal Document Transcript

  • 1| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l PÃO TEMPORAL Todo estudante deve acalentar estrita integridade. Todainteligência deve volver-se com reverente atenção para a reveladaPalavra de Deus. Será concedido luz e graça aos que assim obedecema Deus. Eles verão maravilhas na lei divina. Grandes verdades quenão foram ouvidas e contempladas desde o dia de Pentecosteresplandecerão da Palavra de Deus em sua pureza original. Aosque realmente amam a Deus, o Espírito Santo revelará verdadesque desapareceram da mente, e também lhes revelará verdadesinteiramente novas. Os que comem a carne e bebem o sangue doFilho de Deus extrairão dos livros de Daniel e do Apocalipse verdadesinspiradas pelo Espírito Santo. Porão em ação forças que não podemser reprimidas. Serão abertos os lábios das crianças para proclamar osmistérios que têm estado ocultos à mente dos homens. "Mas Deusescolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; eDeus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes." ICor. 1:27. (FEC, 437) Como um povo temos de preparar o caminho do Senhor. Cadapartícula da capacidade que Deus nos concedeu deve ser posta emuso para preparar as pessoas de acordo com a vontade de Deus,segundo Seu molde espiritual, a fim de que permaneçam firmesneste grande dia da preparação de Deus, e para que sejamsuscitadas estas solenes perguntas nos corações amantes do mundo:"Que é a eternidade para nós? Como subsistirá o meu caso no juízoinvestigativo? Qual será minha sorte e meu destino?" (FEC, 311) Fazei de Deus vossa inteira dependência. Procedendo de mododiferente, é tempo, então, de vos deter. Estacai justamente onde estaise mudai a ordem das coisas. ... Sinceramente, de alma faminta,clamai a Deus. Lutai com os instrumentos celestiais atéalcançardes a vitória. Ponde vosso ser inteiro nas mãos do Senhor -alma, corpo e espírito - e resolvei ser Seu amorável, consagradoinstrumento, movido por Sua vontade, controlado por Sua mente,
  • Apostila– Pão Temporal |2imbuído de Seu Espírito; ... então vereis claro as coisas celestiais.Filhos e Filhas de Deus (Meditações Matinais, 1956), pág. 105. Sempre que o Senhor tem uma obra a ser feita, Ele chama, nãosomente os oficiais dirigentes, mas todos os obreiros. Ele estáatualmente pedindo jovens de ambos os sexos, que sejam fortes eativos na mente e no corpo. Deseja que tragam para o conflito contraos principados, potestades e exércitos espirituais da maldade noslugares celestiais as forças sadias de seu cérebro e de seu corpo.Mas eles precisam receber o necessário preparo. Estão-seesforçando por ter entrada na obra alguns jovens, que não têm para elanenhuma aptidão. Não compreendem que precisam ser ensinadosantes de poderem ensinar. Apontam para homens que, com poucopreparo, têm trabalhado com certo êxito. Mas, se esses foram bem-sucedidos, foi porque puseram na obra alma e coração. E quão maiseficientes haviam de ser seus esforços, se eles tivessem recebidoprimeiramente o devido preparo! (CPPE, 538) O SENHOR É O ESPÍRITO 2 Cor 3:6; Jer 31:31-34; II Cor 3:16; II Tes 1:10; Atos 5:3,4. 2 Cor 3: 17, 18; Isa 61: 1 , 2;Gal 4: 6 , 7; João 8 31 , 32. Gal 2: 20; Rom 8: 9-10; Deus se faz presente por meio de seu Espírito Nuvem: agregado de vapores mais ou menos espessos,suspenso na atmosfera. Porei nas nuvens o meu arco Gen 9: 13; acoluna de nuvem Ex 13: 21; 14: 24; Nee 9: 19; Moisés entrando pelo omeio da nuvem subiu Ex 24: 18; na nuvem cobriu a tenda Ex 40: 34; . Otabernáculo Num 9: 15; o levantar da cidade uma grande nuvem defumo Jz 20: 38; uma nuvem pequena como a palma de uma mão I Reis18: 44; o Senhor habitaria em uma nuvem espessa II Cr 6: 1; adivinhavapela nuvem II Cr 33: 6; A tua benignidade chega até aos céus Sl 36: 5;68: 4; As nuvens chovem justiça Isa 45: 8; vinha com as nuvens do céuDan 7: 13; uma nuvem luminosa os envolveu Mat 17: 5; Filho do homemvindo sobre as nuvens do céu Mat 24: 30; 26: 64; Apoc 1: 7; 14: 14;
  • 3| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l batizando na nuvem I Cor 10: 2; seremos arrebatados entre nuvens ITes 4: 17; as duas testemunhas subiram ao céu na nuvem Apoc 11: 12. Nuvem: “então, subiras, como tempestade, far-te-ás comonuvem que cobre a terra, tu, e todas as tuas tropas, e muitos povoscontigo”. Ez 38: 9. SHEKNAR: Este termo (de raiz hb.shkn “habitar”) usado pelos ostargumitas e rabis, e adotado pelos os cristãos refere-se a Gloria visívelde Deus “habitando no meio de seu povo. Usa-se este vocábulo paradesignar a presença radiante de Deus, como vista na coluna de fogo, nomonte Sinai, no propiciatório entre os querubins, no tabernáculo, notemplo. A palavra sheknar não se encontra na Bíblia, mas há alusõesem tais passagens como Isa 60: 2; Mat 17: 5; João 1: 14; ROM 9: 4; verGloria, Nuvem e Teofonia. Atos 7: 55, 56; Luc 1: 15; Mat 16: 19; 3: 16; 8:20; mar 16: 19; Atos 5: 3, 4. Deus já mais foi visto João 1:18; 5:37. O Espírito Santo, porém, é mais do que uma simplespersonalidade. Ele é uma pessoa divina. É chamado Deus (Atos 5:3 e4), a “terceira pessoa da Divindade”. Possui atributos divinos:onipotência (S. Lucas 1:35); onipresença (Salmo 139:7-10); vida eterna(Heb. 9:14). Estes atributos que pertencem somente a Deus, sãotambém atributos do Espírito. Ele é maior do que os anjos porque, comorepresentantes de Cristo, dirige todos os anjos na Terra, na luta contraas legiões das trevas. A vinda do Espírito Santo foi o dom do Pai mediante o Filho (S.João 14:16). No termo grego, a suplica de Cristo ao Pai é um pedido dealguém num perfeito nível de igualdade com Ele. Todavia, Ele não rogoupelo Espírito Santo na transcendente oração registrada a seguir, nocapítulo 17. por quê? Porque Sua paixão não se havia cumprido ainda. O Espírito veio para vindicar o caráter do ministério de Cristo eSua concluída missão sacrifical. (S. João 14:23-26.) Baseava-se na obraterminada do Calvário. Foi o Cristo glorificado que pediu, recebeu eenviou o Espírito Santo para os expectantes discípulos.Êxodo 13:22 22 Nunca tirou de diante do povo a coluna de nuvem, de dia, nem a coluna de fogo, de noite.
  • Apostila– Pão Temporal |4Êxodo 33:9 9 E sucedia que, entrando Moisés na tenda, descia a coluna de nuvem, e punha-se à porta da tenda; e o SENHOR falava com Moisés.Números 12:5 5 Então o SENHOR desceu na coluna de nuvem, e se pôs à porta da tenda; depois chamou a Arão e a Miriã e ambos saíram.Neemias 9:12 12 E guiaste-os de dia por uma coluna de nuvem, e de noite por uma coluna de fogo, para lhes iluminar o caminho por onde haviam de ir. Durante todos os dias de nossa vida devemos nutrir profundagratidão pelo fato de haver o Senhor deixado escritas estas palavras:"Porque assim diz o Alto e o Sublime, que habita na eternidade ecujo nome é Santo: Em um alto e santo lugar habito e também como contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dosabatidos e para vivificar o coração dos contritos." Isa. 57:15. Areconciliação de Deus com o homem e do homem com Deus é segurase forem cumpridas certas condições. Diz o Senhor: "Os sacrifícios paraDeus são o espírito quebrantado; um coração quebrantado e contritonão desprezarás, ó Deus." Sal. 51:17. Em outro lugar Ele diz: "Pertoestá o Senhor dos que têm o coração quebrantado e salva os contritosde espírito." Sal. 34:18. "Ainda que o Senhor é excelso, atenta para ohumilde; mas ao soberbo, conhece-o de longe." Sal. 138:6. "Assim dizo Senhor: O Céu é o Meu trono, e a Terra, o escabelo dos Meuspés. Que casa Me edificaríeis vós? E que lugar seria o do Meudescanso? Porque a Minha mão fez todas estas coisas, e todas estascoisas foram feitas, diz o Senhor; mas eis para quem olharei: para opobre e abatido de espírito e que treme diante da Minha palavra." Isa.66:1 e 2. "O Espírito do Senhor Jeová está sobre Mim, porque o SenhorMe ungiu para pregar boas novas aos mansos; enviou-Me a restauraros contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos e a aberturade prisão aos presos; a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia davingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes; a ordenar acercados tristes de Sião que se lhes dê ornamento por cinza, óleo de gozopor tristeza, veste de louvor por espírito angustiado; a fim de que se
  • 5| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l chamem árvores de justiça, plantação do Senhor, para que Ele sejaglorificado." Isa. 61:1-3. O salmista escreve: "Sara os quebrantados decoração e liga-lhes as feridas." Sal. 147:3. Embora seja o Restauradorda humanidade caída, Ele "conta o número das estrelas, chamando-asa todas pelos seus nomes. Grande é o nosso Senhor e de grandepoder; o Seu entendimento é infinito. O Senhor eleva os humildes eabate os ímpios até à terra. Cantai ao Senhor em ação de graças; cantailouvores ao nosso Deus sobre a harpa. ... O Senhor agrada-Se dos queO temem e dos que esperam na Sua misericórdia. Louva, ó Jerusalém,ao Senhor; louva, ó Sião, ao teu Deus." Sal. 147:4-12. (FEC, 371) A obra que o Salvador devia fazer na Terra fora amplamenteesboçada: "E repousará sobre Ele o Espírito do Senhor, o espírito desabedoria e de inteligência, o espírito de conselho e de fortaleza, oespírito de conhecimento e de temor do Senhor. E deleitar-se-á notemor do Senhor." Isa. 11:2 e 3. Aquele que assim fora ungido devia"pregar boas novas aos mansos: ... restaurar os contritos decoração, ... proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisãoaos presos; ... apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia davingança de nosso Deus; ... consolar todos os tristes; ... ordenaracerca dos tristes de Sião que se lhes dê ornamento por cinza, óleode gozo por tristeza, vestido de louvor por espírito angustiado; a fim deque se chamem árvores de justiça, plantação do Senhor, para que Eleseja glorificado." Isa. 61:1-3. (AA, 224)DEUS É ESPÍRITO João 4:23 23 Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porI Coríntios 14:2 2 Porque o que fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.I Coríntios 15:45 45 Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante.
  • Apostila– Pão Temporal |6Colossenses 2:5 5 Porque, ainda que esteja ausente quanto ao corpo, contudo, em espírito estou convosco, regozijando-me e vendo a vossa ordem e a firmeza da vossa fé em Cristo GLÓRIA. Na Bíblia se usa em duas formas principais, porém algodiferente, ainda que ambas se baseam no significado original do gregoclássico: opinião, noção, reputação. Geralmente se usa para significar“honra, fama, reconhecimento” (João 5:44; 7:18;), neste sentido seopõem à desonra (I Cor 11:14,15; 15: 43; II Cor 6:8), e por ele se busca(João 5:44; 7:18; I Tes 2:6), se lhe recebe (João 5: 41, 44), se lhe dá(Luc 17:18; João 9:24), se atribuem a Deus (Luc 2:14; Apoc 1:6). Se for o sentido que Paulo dá aqui, então “á glória de Deus”significa o honrar, louvar, ou aprovar o que Deus reparte, e da qualestão destituídos os homens. Como Paulo está tratando nestapassagem com a forma em que o homem é visto diante de Deus e serefere no versículo seguinte á justificação – o único meio pelo o qual ohomem pode recuperar a aprovação de Deus – no sentido de “glória”que poderia ser apropriado neste contexto. Por outro lado, “glória” também se usa GLÓRIA. Na Bíblia se usaem duas formas principais, porém algo diferente, ainda que ambas sebaseam no significado original do grego clássico: opinião, noção,reputação. Geralmente se usa para significar “honra, fama,reconhecimento” (João 5:44; 7:18;), neste sentido se opõem à desonra(I Cor 11:14,15; 15:43; II Cor 6:8), e por ele se busca (João 5:44; 7:18; ITes 2:6), se lhe recebe (João 5:41, 44), se lhe dá (Luc 17:18; João9:24), se atribuem a Deus (Luc 2:14; Apoc 1:6). Á medida que está glória de Deus é revelada em Cristo, refuge doEvangelho e penetra no coração e na mente dos crentes e o transformaem luz no Senhor (Efesios 5:8). Desta maneira nós todos, olhando como rosto descoberto, como por um espelho a glória do Senhor, somostransformados de glória em glória a mesma imagem (II Cor 3: 18). Aesperança e a aspiração do cristianismo é a de participar mais é maisplenamente da glória de Deus (Rom 5: 2; I Tes 2: 12; II Tes 2:14). Se aglória de Deus é entendida melhor no ultimo sentido. Está destituído daglória de Deus seria não ter alcançado a perfeição de Deus, e terperdido sua imagem é estar destituído de sua semelhança. Estas duas
  • 7| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l interpretações quem sabe não se exclui, entre si e quando dentro desteversículo. Deus pode atuar tão poderosamente quando os homens seentregam ao controle de Seu Espírito. A promessa do Espírito Santo não é limitada a algum século ouraça. Cristo declarou que a divina influência do Espírito deveria estarcom Seus seguidores até o fim. Desde o dia do Pentecoste até aopresente, o Confortador tem sido enviado a todos os que se rendeminteiramente ao Senhor e a Seu serviço. A todos os que aceitam aCristo como um Salvador pessoal, o Espírito Santo vem comoconsolador, santificador, guia e testemunha. Quanto maisintimamente os crentes andam com Deus, tanto mais clara epoderosamente testificam do amor do Redentor e da Sua graçasalvadora. Os homens e mulheres que através dos longos séculos deperseguição e prova desfrutaram, em larga escala, a presença doEspírito em sua vida, permaneceram como sinais e maravilhas nomundo. Revelaram, diante dos anjos e dos homens, o transformadorpoder do amor que redime. (AA, 49)UNGIDO, Cristo, Messias Gênesis 31:13 13 Eu sou o Deus de Betel, onde tens ungido uma coluna, onde me fizeste um voto; levanta-te agora, sai-te desta terra e torna-te à terra da tua parentela.Êxodo 29:29 29 E as vestes sagradas, que são de Arão, serão de seus filhos depois dele, para serem ungidos com elas para serem consagrados com elas.Levítico 4:3 3 Se o sacerdote ungido pecar para escândalo do povo, oferecerá ao SENHOR, pelo seu pecado, que cometeu, um novilho sem defeito, por expiação do pecado.
  • Apostila– Pão Temporal |8Levítico 4:5 5 Então o sacerdote ungido tomará do sangue do novilho, e o trará à tenda da congregação;Levítico 4:16 16 Então o sacerdote ungido trará do sangue do novilho à tenda da congregação,Levítico 6:20 20 Esta é a oferta de Arão e de seus filhos, a qual oferecerão ao SENHOR no dia em que ele for ungido; a décima parte de um efa de flor de farinha pela oferta de alimentos contínua; a metade dela pela manhã, e a outra metade à tarde.Salmos 28:8 8 O SENHOR é a força do seu povo; também é a força salvadora do seu ungido.Salmos 84:9 9 Olha, ó Deus, escudo nosso, e contempla o rosto do teu ungido.Salmos 89:38 38 Mas tu rejeitaste e aborreceste; tu te indignaste contra o teu ungido.Salmos 89:51 51 Com o qual, SENHOR, os teus inimigos têm difamado, com o qual têm difamado as pisadas do teu ungido.Salmos 92:10 10 Porém tu exaltarás o meu poder, como o do boi selvagem. Serei ungido com óleo fresco.Salmos 105:15 15 Não toqueis os meus ungidos, e não maltrateis os meus profetas.Salmos 132:10 10 Por amor de Davi, teu servo, não faças virar o rosto do teu ungido.
  • 9| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l Salmos 132:17 17 Ali farei brotar a força de Davi; preparei uma lâmpada para o meu ungido.Isaías 45:1 1 ASSIM diz o SENHOR ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela mão direita, para abater as nações diante de sua face, e descingir os lombos dos reis, para abrir diante dele as portas, e as portas não se fecharão.Lamentações 4:20 20 O fôlego das nossas narinas, o ungido do SENHOR, foi preso nas suas covas; dele dizíamos: Debaixo da sua sombra viveremos entre os gentios.Ezequiel 28:14 14 Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas.Habacuque 3:13 13 Tu saíste para salvação do teu povo, para salvação do teu ungido; tu feriste a cabeça da casa do ímpio, descobrindo o alicerce até ao pescoço. ( Selá. )Zacarias 4:14 14 Então ele disse: Estes são os dois ungidos, que estão diante do Senhor de toda a terra.João 11:2 2 E Maria era aquela que tinha ungido o Senhor com ungüento, e lhe tinha enxugado os pés com os seus cabelos, cujo irmão Lázaro estava enfermo.
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 10VÉU No mundo natural, Deus colocou nas mãos dos filhos dos homensa chave para abrir a tesouraria de Sua Palavra. O invisível é ilustradopelo visível. A sabedoria divina, a eterna verdade e a graça infinita sãocompreendidas pelas coisas que se vêem. (Rom 1:20; Heb. 11:3;CPPE, 187) Mas Jesus e toda a hoste celestial olhavam com amor esimpatia para os provados e fiéis, embora decepcionados. Pudessedescerrar-se o véu que separava o mundo visível do invisível, eter-se-iam visto anjos aproximando-se daquelas almasconstantes, escudando-as dos dardos de Satanás. O GrandeConflito, págs. 355-374. Assim como os traços da fisionomia são reproduzidos comprecisão infalível sobre a polida chapa fotográfica, assim o caráter éfielmente delineado nos livros do Céu. Todavia, quão pouca solicitude éexperimentada com referência àquele registro que deve ser posto sob oolhar dos seres celestiais! Se se pudesse correr o véu que separa omundo visível do invisível, e os filhos dos homens contemplassemum anjo registrando toda palavra e ação, que eles deverãonovamente encontrar no juízo, quantas palavras que diariamentese proferem ficariam sem ser faladas, e quantas ações sem serpraticadas! (C.S.Santuário, 116) Amava os dons divinos mais que o próprio Doador. Cristooferecera ao jovem a convivência com Ele. "Segue-Me", disse. Mas oSalvador não era tanto para ele como seu próprio nome entre oshomens, ou os bens que possuía. Renunciar ao tesouro terrestre, queera visível, pelo celestial, que não podia ver, era arriscardemasiado. Recusou o oferecimento da vida eterna, e foi embora, ehaveria o mundo, daí em diante, de receber sempre o seu culto.Milhares estão passando por essa prova, pesando Cristo contra omundo; e muitos são os que escolhem o mundo. Como o jovempríncipe, retiram-se do Salvador, dizendo em seu coração: Não queroque esse homem seja meu guia. (DTN, 520) Como os moradores do Éden aprendiam nas páginas danatureza, como Moisés discernia os traços da escrita de Deus nasplanícies e montanhas da Arábia, e o menino Jesus nas colinas de
  • 11| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l Nazaré, assim poderão os filhos de hoje aprender acerca dEle. Oinvisível acha-se ilustrado pelo visível. Sobre todas as coisas na Terra,desde a árvore mais altaneira da floresta até ao líquen que se apega aorochedo, desde o oceano ilimitado até a mais tênue concha na praia,poderão eles contemplar a imagem e inscrição de Deus. (ED, 100) A história do início do pecado; da fatal falsidade em sua açãosinuosa; da verdade que, não se desviando das suas próprias linhasretas, se defrontou com o erro e o venceu; sim, tudo isto será manifesto.O véu que se interpõe entre o mundo visível e o invisível, seráremovido e reveladas coisas maravilhosas. (ED, 304) Que Cristo houvesse de manifestar-Se a eles, sendo poréminvisível ao mundo, era um mistério para os discípulos. Não podiamcompreender as palavras de Cristo em seu sentido espiritual.Estavam pensando na manifestação exterior e visível. Nãoconseguiam compreender o fato de que poderiam ter a presença deCristo com eles, sem que Ele fosse visto pelo mundo. Não entendiamo significado de uma manifestação espiritual. (MM, Este Dia ComDeus, 140) Ele ordenou que Suas obras sejam apresentadas ao mundo demodo distinto, santo e sagrado. O reino de Deus não vem com visívelaparência, mas por meio da suavidade da inspiração de SuaPalavra, e por meio da operação de Seu Espírito, na alma. Sua obra,em muitos lugares do mundo, estaria agora muito mais adiantada se ohomem não se houvesse interposto entre o povo e Deus, a fim derealizar um trabalho que não foi designado por Deus. Carta 93, 1900.(MM, Este Dia Com deus, 191) A relação do mundo visível com o invisível, o ministériodos anjos de Deus, a operação dos espíritos maus, acham-seclaramente revelados nas Escrituras, e inseparavelmenteentretecidos com a história humana. Há uma tendência crescentepara a incredulidade na existência dos espíritos maus, enquanto ossantos anjos que "ministram a favor daqueles que hão de herdar asalvação" (Heb. 1:14), são por muitos considerados como espíritosdos mortos. As Escrituras, porém, não somente ensinam a existênciados anjos, tanto bons como maus, mas apresentam prova
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 12inquestionável de que não são os espíritos desencarnados doshomens falecidos. (GC, 511) Os puros de coração vivem como na visível presença de Deusdurante o tempo que Ele lhes concede neste mundo. E também Overão face a face no estado futuro, imortal, assim como fazia Adãoquando andava e falava com Deus no Éden. "Agora, vemos porespelho em enigma; mas, então, veremos face a face." I Cor. 13:12.(Maior Discurso com Deus, 25) E não somos como Moisés, que punha um véu sobre a suaface, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fimdaquilo que era transitório. Mas os seus sentidos foram endurecidos.Porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição doAntigo Testamento, o qual [véu] foi por Cristo abolido; e atéhoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coraçãodeles. Mas, quando se converterem ao Senhor, então o véu setirará." II Cor. 3:12-18. (I ME, 239) Mas eis que a Terra treme e vacila; pois o próprio Senhor Seaproxima. Com ruído rompe-se de alto a baixo o véu interior do templo,rasgado por mão invisível, expondo aos olhares da multidão um lugardantes pleno da presença divina. Ali habitara o shekinah. Ali manifestaraDeus Sua glória sobre o propiciatório. Ninguém, senão o sumosacerdote, jamais erguera o véu que separava esse compartimentodo resto do templo. Nele penetrava uma vez por ano, para fazerexpiação pelos pecados do povo. Mas eis que esse véu é rasgado emdois. O santíssimo do santuário terrestre não mais é um lugar sagrado.(DTN, 757) Quando Cristo bradou na cruz: "Está consumado", o véu dotemplo rasgou-se em duas partes. Este véu significava a nação judaica.Era feito do mais caro material, de púrpura e ouro, e era de grandesdimensões. No momento em que Cristo exalou o último suspiro, haviatestemunhas no templo que contemplaram o rasgar daquela peça fortee resistente, de alto a baixo por mãos invisíveis. Esse ato significavapara o universo celeste e para o mundo corrompido pelo pecado,que se abriu à raça caída um novo e vivo caminho, que todas asofertas sacrificais terminaram na única e grande oferta do Filho de
  • 13| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l Deus. SDA Bible Commentary, vol. 5, pág. 1.109. (MM, Fé Pela a QualEu Vivo, 201) As portas da convenção foram abertas de par em par a umabanda de música, seguida dos membros da corporação municipal, queentraram em solene procissão, cantando um hino de louvor à liberdadee escoltando, como o objeto de seu futuro culto, uma mulhercoberta com um véu, a quem denominavam a deusa da Razão.Levada à tribuna, tirou-se-lhe o véu com grande pompa, e foicolocada à direita do presidente, sendo por todos reconhecidacomo dançarina de ópera. ... A essa pessoa, como mais apropriadarepresentante da razão a que adoravam, a Convenção Nacional daFrança prestou homenagem pública. (GC, 275) Os israelitas estavam a jornadear pelo deserto, e o tabernáculo foiconstruído de maneira que pudesse ser levado de um lugar para outro;não obstante, sua estrutura era de grande magnificência. As paredeseram feitas de tábuas em sentido vertical, ricamente chapeadas de ouroe colocadas em encaixes de prata, enquanto o teto se compunha deuma série de cortinas, ou coberturas, sendo as de fora de peles, e as dointerior, de linho fino, belamente trabalhado com figuras de querubins.Além do pátio exterior, onde estava o altar das ofertas queimadas,consistia o tabernáculo, propriamente dito, em doiscompartimentos, chamados o lugar santo e o lugar santíssimo,separados por uma rica e bela cortina, ou véu; um véu idênticocerrava a entrada ao primeiro compartimento. (GC, 412) A obscuridade que cobria como um véu o sistema judaico, era-lhes como o véu que cobria a glória da face de Moisés. Esta glória erareflexo da luz que Cristo veio trazer ao mundo, para benefício dohomem. (I ME, 231) O homem não pode, mediante pesquisas, achar a Deus.Ninguém, com mão presunçosa, busque erguer o véu que Lhe oculta aglória. "Insondáveis são os Seus juízos, e quão inescrutáveis, os Seuscaminhos!" Rom. 11:33. É uma prova de Sua misericórdia o ser oculto oSeu poder; pois erguer o véu que oculta a divina presença é morte.Nenhuma mente humana pode penetrar no retiro em que oPoderoso habita e opera. Unicamente aquilo que Ele acha por bemrevelar podemos dEle compreender. A razão precisa reconhecer uma
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 14autoridade superior a ela. O coração e o intelecto precisam dobrar-sediante do grande Eu Sou. (CBV, 438) Antigamente os crentes eram salvos pelo mesmo Salvador deagora, mas Ele era um Deus velado. Eles viam a misericórdia de Deusem figuras. ... O sacrifício de Cristo é o glorioso cumprimento de todo osistema judaico. ... Quando, como oferta sem pecado, Cristo pendeu acabeça e morreu; quando pela invisível e todo-poderosa mão o véu dotemplo rompeu-se em dois, um novo e vivo caminho foi aberto. Todospodem agora aproximar-se de Deus pelos méritos de Cristo. Éporque o véu foi rasgado que os homens podem aproximar-se deDeus. Não precisam depender de sacerdote ou de cerimonial desacrifícios. Antigamente os crentes eram salvos pelo mesmo Salvadorde agora, mas Ele era um Deus velado. Eles viam a misericórdia deDeus em figuras. ... O sacrifício de Cristo é o glorioso cumprimento detodo o sistema judaico. ... Quando, como oferta sem pecado, Cristopendeu a cabeça e morreu; quando pela invisível e todo-poderosa mãoo véu do templo rompeu-se em dois, um novo e vivo caminho foi aberto.Todos podem agora aproximar-se de Deus pelos méritos de Cristo. Éporque o véu foi rasgado que os homens podem aproximar-se de Deus.Não precisam depender de sacerdote ou de cerimonial de sacrifícios. A todos é dada a liberdade de ir diretamente a Deus por meiode um Salvador pessoal. SDA Bible Commentary, vol. 7, pág. 932.(MM, Maravilhosa Graça, 153) Muitos, no mundo cristão, têm também um véu ante os olhos e ocoração. Não vêem a terminação do que era transitório. Não vêem quefoi tão-somente a lei cerimonial que foi abolida, quando Cristo morreu.Pretendem que a lei moral tenha sido pregada à cruz. Pesado é o véuque lhes obscurece o entendimento. O coração de muitos está emguerra contra Deus. Não se submetem a Sua lei. Unicamente àmedida que cheguem à harmonia com a regra de Seu governo, podeCristo ser-lhes de qualquer valia. Podem falar de Cristo como seuSalvador; Ele, porém, afinal lhes dirá: Não vos conheço. (I ME, 239) Com a Palavra de Deus nas mãos, todo ser humano, qualquerque seja sua sorte na vida, pode ter a companhia que preferir. Nas suaspáginas pode entreter conversa com o que há de mais nobre e melhordo ser humano, e ouvir a voz do Eterno, ao falar Ele com os homens. Ao
  • 15| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l estudar e meditar os temas, para os quais "os anjos desejam bematentar" (I Pedro 1:12), pode ter a companhia destes. Pode seguir ospassos do Mestre celestial, e ouvir as Suas palavras, como quando Eleensinava nas montanhas, nas planícies e no mar. Pode neste mundohabitar em atmosfera celestial, comunicando aos tristes e tentados daTerra pensamentos de esperança e santidade, vindo ele próprio a ficarem uma associação mais e mais íntima com o Ser invisível,semelhantemente àquele da antigüidade que andou com Deus,aproximando-se mais e mais do limiar do mundo eterno, e isto atéque se abram os portais e ele ali entre. Não se achará ali comoestranho. As vozes que o saudarem são as daqueles seres santos que,invisíveis, foram na Terra seus companheiros, vozes que ele aquiaprendeu a distinguir e amar. Aquele que pela Palavra de Deus viveuem associação com o Céu, encontrar-se-á à vontade na companhia dosentes celestiais. (Educação, págs. 125-127.) "Verão o Seu rosto, e na sua testa estará o Seu nome." Apoc.22:4. Ali, quando for removido o véu que obscurece a nossa visão,e nossos olhos contemplarem aquele mundo de beleza de que oraapanhamos lampejos pelo microscópio; quando olharmos às glóriasdos céus hoje esquadrinhadas de longe pelo telescópio; quando,removida a mácula do pecado, a Terra toda aparecer "na beleza doSenhor nosso Deus" - que campo se abrirá ao nosso estudo! Ali oestudante da ciência poderá ler os relatórios da criação, sem divisarcoisa alguma que recorde a lei do mal. Poderá escutar a melodia dasvozes da natureza, e não perceberá nenhuma nota de lamento outristezas. Poderá enxergar em todas as coisas criadas uma escrita;contemplará no vasto Universo, escrito em grandes letras, o nome deDeus; e nem na Terra, nem no mar ou no céu permanecerá um indícioque seja do mal. Ali se viverá a vida edênica - vida do jardim e do campo."Edificarão casas e as habitarão; plantarão vinhas e comerão o seufruto. Não edificarão para que outros habitem, (ED, 303 / 304) Então se revelará diante dele o decurso do grande conflito queteve sua origem antes que começasse o tempo e terminará apenasquando este cessar. A história do início do pecado; da fatal falsidade em
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 16sua ação sinuosa; da verdade que, não se desviando das suas própriaslinhas retas, se defrontou com o erro e o venceu; sim, tudo isto serámanifesto. O véu que se interpõe entre o mundo visível e o invisível,será removido e reveladas coisas maravilhosas. (ED, 304) Sob a influência desta celestial iluminação, as passagens daEscritura que Cristo tinha explanado aos discípulos apresentavam-seperante eles com o brilho da verdade perfeita. O véu que os impediade ver o fim do que fora abolido estava agora removido, e elescompreendiam com perfeita clareza o objetivo da missão de Cristoe a natureza de Seu reino. Puderam falar com poder a respeito doSalvador; e ao desdobrarem perante seus ouvintes o plano da salvação,muitos ficavam convictos e vencidos. (AA, 44) Anjos estão observando e esperando, e atestarão o fato de quenão sois do mundo. Jesus encontrou-vos assentados aos Seus pés,para aprender dEle, o Caminho, a Verdade, e a Vida. Doravante,submetendo vossa vontade à vontade de Cristo, sois atraídos parauma região em que a cruz é o objeto central. O mundo se desvanecediante de vós. A glória que resplandece do limiar do Céu é ainfluência mais atraente. As riquezas da graça de Cristo vos mantêmfirmes em obediência voluntária. ... (MM, Exaltai-o, 253) Poderia Ele levar o ser humano ao limiar do Céu, e através daporta aberta mostrar-nos sua glória interior inundando o santuáriocelestial e resplandecendo através de seus portais; temos, porém, decontemplá-la pela fé, não com os olhos naturais. Ele não Seesquece de que somos Seus instrumentos humanos, destinados a fazeras obras de Deus num mundo todo destruído e corrompido pelamaldição. É neste mundo, envolto em trevas morais como numamortalha, em que as trevas cobrem a Terra e densa escuridão os povos,que devemos andar na luz do Céu. Carta 30, 1893. (MM, Nos LugaresCelestiais, 366) Os, que na verdade amam a Deus desejarão de tal modo usaros talentos que Deus lhes confiou, que possam ser uma bênção aosoutros. E afinal os portais do Céu se abrirão completamente paralhes dar entrada, e dos lábios do Rei da Glória alcançará os seusouvidos, qual música suavíssima, a bênção: "Vinde, benditos de MeuPai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a
  • 17| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l fundação do mundo." Mat. 25:34. Assim os remidos receberão asboas-vindas às mansões que Jesus lhes está preparando. Lá seuscompanheiros não serão os vis da Terra, mas sim os que, mediante oauxílio divino formaram caráter perfeito. Cada tendência pecaminosa,toda imperfeição, foi removida pelo sangue de Cristo; e é-lhescomunicada a excelência e resplendor de Sua glória, excedente emmuito ao brilho do Sol em seu esplendor meridiano. E resplandeceatravés deles a beleza moral, a perfeição de Seu caráter, o que é devalor muito superior ao esplendor externo. São irrepreensíveis ante ogrande trono branco, e participam da dignidade e privilégios dosanjos. (Nos Lugares Celestiais, 367) "Nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor, Deustodo-poderoso, e o Cordeiro." Apoc. 21:22. O povo de Deus tem oprivilégio de entreter franca comunhão com o Pai e o Filho. "Agora,vemos por espelho em enigma." I Cor. 13:12. Contemplamos aimagem de Deus refletida como que em espelho, nas obras danatureza e em Seu trato com os homens; mas então Oconheceremos face a face, sem um véu obscurecedor de permeio.Estaremos em Sua presença, e contemplaremos a glória de Seu rosto.(O Grande Conflito, págs. 676 e 677.) "Agora, vemos como em espelho, obscuramente." I Cor. 13:12.Contemplamos a imagem de Deus refletida como que em espelho, nasobras da Natureza e em Seu trato com os homens; mas então Oconheceremos face a face, sem um véu obscurecedor de permeio.Estaremos em Sua presença, e contemplaremos a glória de Seu rosto. Ali os remidos conhecerão como são conhecidos. O amor esimpatias que o próprio Deus plantou na alma, encontrarão ali o maisverdadeiro e suave exercício. A comunhão pura com os seressantos, a vida social harmoniosa com os bem-aventurados anjos ecom os fiéis de todos os tempos, que lavaram suas vestes e asbranquearam no sangue do Cordeiro, os sagrados laços quereúnem "toda a família nos Céus e na Terra" (Efés. 3:15) - tudo istoconcorre para constituir a felicidade dos remidos. Ali, mentes imortais contemplarão, com deleite que jamais sefatigará, as maravilhas do poder criador, os mistérios do amor que
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 18redime. Ali não haverá nenhum adversário cruel, enganador, para nostentar ao esquecimento de Deus. ... Todos os tesouros do Universo estarão abertos ao estudo dosremidos de Deus. Livres da mortalidade, alçarão vôo incansável para osmundos distantes - mundos que fremiram de tristeza ante o espetáculoda desgraça humana, e ressoaram com cânticos de alegria ao ouvir asnovas de uma alma resgatada. Com visão desanuviada olham para aglória da criação, achando-se sóis, estrelas e sistemas planetários,todos na sua indicada ordem, a circular em redor do trono daDivindade. Em todas as coisas, desde a mínima até à maior, estáescrito o nome do Criador, e em todas se manifestam as riquezas deSeu poder. E ao transcorrerem os anos da eternidade, trarão mais e maisabundantes e gloriosas revelações de Deus e de Cristo Assim como oconhecimento é progressivo, também o amor, a reverência e a felicidadeaumentarão. Quanto mais aprendem os homens acerca de Deus, maisLhe admiram o caráter. Ao revelar-lhes Jesus as riquezas da redenção eos estupendos feitos do grande conflito com Satanás, a alma dosresgatados fremirá com mais fervorosa devoção, e com maisarrebatadora alegria dedilharão as harpas de ouro; e milhares demilhares, e milhões de milhões de vozes se unem para avolumar opotente coro de louvor. O Grande Conflito, págs. 676-678.Mateus 4:4 4 Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.Deut 8:3; João 4:34. Os pães da proposição eram conservados sempre perante oSenhor como uma oferta perpétua. Assim, era isto uma parte dosacrifício cotidiano. Era chamado o pão da proposição, ou "pão dapresença", porque estava sempre diante da face do Senhor. Êxo. 25:30.Era um reconhecimento de que o homem depende de Deus, tanto parao pão temporal como o espiritual, e de que este é recebido apenaspela mediação de Cristo. Deus alimentara Israel no deserto com pão doCéu e ainda dependiam eles de Sua generosidade tanto para o pão
  • 19| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l temporal como para as bênçãos espirituais. Tanto o maná como opão da proposição apontavam para Cristo, o pão vivo, que sempre estána presença de Deus por nós. Ele mesmo disse: "Eu sou o pão vivo quedesceu do Céu." João 6:48-51. O incenso era posto sobre os pães.Quando o pão era retirado cada sábado, para ser substituído por outro,fresco, o incenso era queimado sobre o altar, em memória, peranteDeus. (C. em Santuário, 35) Os pães da proposição eram conservados sempre perante oSenhor como uma oferta perpétua. Assim, era isto uma parte dosacrifício cotidiano. Era chamado o pão da proposição, ou "pão dapresença", porque estava sempre diante da face do Senhor. Êxo.25:30. Era um reconhecimento de que o homem depende de Deus,tanto para o pão temporal como o espiritual, e de que este é recebidoapenas pela mediação de Cristo. Deus alimentara Israel no deserto compão do Céu e ainda dependiam eles de Sua generosidade tanto para opão temporal como para as bênçãos espirituais. Tanto o maná como opão da proposição apontavam para Cristo, o pão vivo, que sempreestá na presença de Deus por nós. Ele mesmo disse: "Eu sou o pãovivo que desceu do Céu." João 6:48-51. O incenso era posto sobre ospães. Quando o pão era retirado cada sábado, para ser substituído poroutro, fresco, o incenso era queimado sobre o altar, em memória,perante Deus. A parte mais importante do ministério diário era a ofertaefetuada em prol do indivíduo. O pecador arrependido trazia a sua ofertaà porta do tabernáculo e, colocando a mão sobre a cabeça da vítima,confessava seus pecados, transferindo-os assim, figuradamente, de sipara o sacrifício inocente. Pela sua própria mão era então morto oanimal, e o sangue era levado pelo sacerdote ao lugar santo easpergido diante do véu, atrás do qual estava a arca que continha a leique o pecador transgredira. Por esta cerimônia, mediante o sangue, opecado era figuradamente transferido para o santuário. (C. emSantuário, 35) Depois de alimentada a multidão, havia ainda abundância decomida. Mas Aquele que dispunha de todos os recursos do infinitopoder, disse: "Recolhei os pedaços que sobejaram para que nada seperca." Essas palavras significam mais do que pôr o pão noscestos. A lição era dupla. Coisa alguma se deve perder. Nãodevemos deixar escapar nenhuma vantagem temporal. Não devemosnegligenciar nada que possa beneficiar um ser humano. Reúna-se tudo
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 20que diminua a necessidade dos famintos da Terra. E o mesmo cuidadodeve presidir às coisas espirituais. Ao serem recolhidos os cestos defragmentos, o povo pensou em seus queridos em casa. Queriam queparticipassem do pão que Cristo abençoara. O conteúdo dos cestos foidistribuído entre a ansiosa turba, sendo levado em todas as direções aoredor. Assim os que se tinham achado no banquete deviam levar aoutros o pão que desce do Céu, para satisfazer a fome da alma.Cumpria-lhes repetir o que haviam aprendido das maravilhosas coisasde Deus. Coisa alguma se devia perder. Nenhuma palavra que diziarespeito a sua salvação eterna devia cair inútil. (DTN 368) Cristo, por intermédio do profeta, mandou que: "Repartas oteu pão com o faminto", e fartes "a alma aflita"; "vendo o nu ocubras", e "recolhas em casa os pobres desterrados". Isa. 58:7-10.Ordenou-nos: "Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a todacriatura." Mat. 16:15. Quantas vezes, porém, nosso coração sucumbe efalha-nos a fé, ao vermos quão grande é a necessidade, quão limitadosos meios em nossas mãos! Como André, ao olhar aos cinco pães decevada e os dois peixinhos, exclamamos: "Que é isso para tantos?"João 6:9. Hesitamos freqüentemente, não dispostos a dar tudo o quetemos, temendo gastar e ser gastos por outros. Mas Jesus nos manda:"Dai-lhes vós de comer." Mat. 14:16. Sua ordem é uma promessa; e emseu apoio está o mesmo poder que alimentou a multidão junto ao mar. No ato de Cristo, de suprir as necessidades temporais deuma faminta massa de povo, está envolvida profunda liçãoespiritual para todos os Seus obreiros. Cristo recebeu do Pai;passou-o aos discípulos; eles o entregaram à multidão; e o povo unsaos outros. Assim todos quantos se acham ligados a Cristo devemreceber dEle o Pão da vida, o alimento celestial, e passá-lo aoutros. (DTN, 369) "Na verdade, na verdade vos digo: Moisés não vos deu o pãodo Céu; mas Meu Pai vos dá o verdadeiro pão do Céu." O doador domaná ali estava entre eles. Fora o próprio Cristo que conduzira oshebreus através do deserto, e os alimentara diariamente com o pão doCéu. Esse alimento era uma figura do verdadeiro pão do Céu. OEspírito insuflador de vida, brotando da infinita plenitude de Deus,eis o verdadeiro maná. Jesus disse: "O pão de Deus é aquele quedesce do Céu e dá vida ao mundo." Pensando ainda que era à
  • 21| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l comida temporal que Jesus Se referia, alguns dos ouvintesexclamaram: "Senhor, dá-nos sempre desse pão." Jesus falou entãoabertamente: "Eu sou o pão da vida." A figura empregada por Cristo era familiar aos judeus. Moisés, porinspiração do Espírito Santo, dissera: "O homem não viverá só de pão,mas ... de tudo o que sai da boca do Senhor." E o profeta Jeremiasescrevera: "Achando-se as Tuas palavras, logo as comi, e a Tua palavrafoi para mim o gozo do meu coração." Deut. 8:3; Jer. 15:16. Os própriosrabinos costumavam dizer que o comer do pão, em seu sentidoespiritual, era o estudo da lei e a prática das boas obras; e dizia-semuitas vezes que, na vinda do Messias, todo o Israel seria alimentado.O ensino dos profetas tornava clara a profunda lição espiritual nomilagre dos pães. Essa lição estava Cristo procurando patentear aosSeus ouvintes na sinagoga. Houvessem entendido as Escrituras, eteriam compreendido Suas palavras quando disse: "Eu sou o pão davida” Apenas na véspera a grande multidão, faminta e cansada, sealimentara do pão por Ele dado. Como daquele pão tinham recebidoforça física e refrigério, assim poderiam receber de Cristo vigorespiritual para a vida eterna. "Aquele que vem a Mim não terá fome, equem crê em Mim nunca terá sede." Mas acrescentou: "Vós Me vistes, econtudo não credes." (DTN, 386) Aquele que alimentara milhares com uns poucos peixes e pães decevada, poderia, naquela solene advertência, referir-Se meramente àcomida temporal. (DTN, 408) Os pães da proposição eram conservados sempre perante oSenhor como uma oferta perpétua. Assim, era isto uma parte dosacrifício cotidiano. Era chamado o pão da proposição, ou "pão dapresença", porque estava sempre diante da face do Senhor. Êxo.25:30. Era um reconhecimento de que o homem depende de Deus,tanto para o pão temporal como o espiritual, e de que este é recebidoapenas pela mediação de Cristo. Deus alimentara Israel no deserto compão do Céu e ainda dependiam eles de Sua generosidade tanto para opão temporal como para as bênçãos espirituais. Tanto o maná como opão da proposição apontavam para Cristo, o pão vivo, que sempreestá na presença de Deus por nós. Ele mesmo disse: "Eu sou opão vivo que desceu do Céu." João 6:48-51. O incenso era posto sobreos pães. Quando o pão era retirado cada sábado, para ser substituído
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 22por outro, fresco, o incenso era queimado sobre o altar, em memória,perante Deus. (PP, 354) Se nada no mundo fizesse oposição a nossos propósitos, apaciência, a tolerância, a mansidão e a longanimidade não teriamsido chamadas à ação. Quanto mais são essas graças exercidas, maisaumentam e se fortalecem. Quanto mais distribuímos nosso pãotemporal com os famintos, quanto mais vezes vestimos os nus,visitamos os a realidade das bênçãos de Deus. enfermos, aliviamosos órfãos e as viúvas em sua aflição, mais decididamente sentimosManuscrito 64, 1894. (BS, 306) Vossas paixões sensuais devem ser impedidas, não animadas ouestimuladas. A congestão do sangue no cérebro está fortalecendo osinstintos animais e enfraquecendo as faculdades espirituais. ... O que necessitais é menos alimento temporal e maisalimento espiritual, mais do pão da vida. Quanto mais simples vossoregime, melhor será para vós. Carta 142, 1900. (CSRA, 102) Ao serem as pessoas, em nossos restaurantes, supridas doalimento temporal, não devem os obreiros esquecer-se de que elespróprios, e aqueles a quem servem, necessitam ser constantementealimentados com o pão do Céu. Devem eles estar constantemente àespera de oportunidades para falarem da verdade aos que não aconhecem. (CSS, 483) Temos outra vida, vida que não é mantida pela comidatemporal. "Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavraque sai da boca de Deus." Mat. 4:4. "Se não comerdes a carne doFilho do homem, e não beberdes o Seu sangue, não tereis vida em vósmesmos." João 6:53. Jesus disse: "Quem come a Minha carne e bebe oMeu sangue tem a vida eterna." João 6:54. Nosso corpo é constituídodaquilo que comemos e bebemos. E como na dispensação natural,assim na espiritual; é aquilo em que nossa mente demora que sustentaa natureza espiritual. Disse nosso Salvador: "O espírito é o que vivifica,a carne para nada aproveita; as palavras que Eu vos disse são espírito evida." João 6:63. A vida espiritual precisa ser mantida pelacomunhão com Cristo por meio de Sua Palavra. A mente precisadeter-se nela, o coração dela encher-se. A Palavra de Deusentesourada no coração e santamente nutrida e obedecida, por
  • 23| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l meio do poder da graça de Cristo pode tornar o homem justo, ejusto conservá-lo; mas toda influência humana, toda invenção terrenaé destituída de poder para comunicar força e sabedoria ao homem. Nãopode refrear a paixão, ou corrigir a deformidade do caráter. Amenos que a verdade de Deus reja o coração, a consciência édeformada. Nessas sociedades mundanas todavia a mente édesviada da Palavra de Deus. Os homens não são levados a torná-laseu estudo e o guia da vida. (II ME, 125) As palavras: "O pão nosso de cada dia dá-nos hoje" (Mat. 6:11),não se referem apenas ao alimento temporal, mas ao sustentoespiritual que traz vida eterna ao recebedor. Quando cremos erecebemos a Palavra de Cristo, comemos Sua carne e bebemos Seusangue. ... Como por comer o alimento temporal se fortalece oorganismo físico, assim, por tomarmos a carne e o sangue do Filhode Deus, a natureza espiritual é fortalecida. A Palavra de Deus éespírito e vida a todos quantos dela se apoderam. Aquele que partilhada carne e do sangue de Cristo é participante da natureza divina... Umacorrente vital, vivificante, flui de seu Salvador para ele. Manuscrito 48,1895. Ninguém pode comer esta carne e beber este sangue por outro.Cada um precisa ir a Cristo com a fome de sua própria alma, cada umprecisa ter as próprias convicções, sentir as necessidades da própriaalma, e aprender de Cristo por si mesmo. Manuscrito 29, 1896. Satisfeito com o Pão da Vida, não podemos ter fome de atraçõesmundanas, mundanas excitações e grandezas. Nossa experiênciareligiosa será da mesma ordem que a do alimento de que nos nutrimos.Manuscrito 50, 1895. A comida que ingerimos numa refeição não nos satisfaz parasempre. Precisamos participar cada dia do alimento. Assim devemoscomer diariamente a Palavra de Deus, para que a vida da alma sejarenovada. Nos que se nutrem constantemente da Palavra, Cristo éformado, a esperança da glória. A negligência de ler e estudar a Bíbliatraz carência espiritual. ...
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 24 Cristo é nossa vida. A pessoa em quem Ele habita satisfará asreivindicações de Seus princípios, em inteira devoção e consagração aDeus. O contato pessoal de Cristo com a alma edifica, suprindo-lhe asfreqüentes necessidades. Ele é feito para nós sabedoria e justiça esantificação e redenção. É nossa suficiência. ... Ele é o sangue vital da alma. Se habita conosco, podemos dizer:"Vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim". Gál. 2 :20. Manuscrito 60,1901. (MM, Nossa Alta Vocação, 207) Vagas suposições com respeito a Cristo não são suficientes.Precisamos ter Cristo no interior. Precisamos comer de SuaPalavra. Ele é o Pão da Vida. A Palavra revelada é nossa fotografia deCristo. O mundo só pode ser expulso da alma se Cristo preenchê-la. Talcomo a vida do corpo é produzida pelo alimento temporal consumido, avida da alma é produzida pelo alimento espiritual ingerido. Aquele que deseja ter vida espiritual e vigor deve comer da carnee beber do sangue do Filho de Deus. Cristo declara: "Eu sou o pão daVida; o que vem a Mim jamais terá fome; e o que crê em Mim jamaisterá sede. Pois a Minha carne é verdadeira comida, e o Meu sangue éverdadeira bebida. Quem comer a Minha carne e beber o Meu sanguepermanece em Mim, e Eu, nele. Assim como o Pai, que vive, Me enviou,e igualmente Eu vivo pelo Pai, também quem de Mim se alimenta porMim viverá." João 6:35, 55-57. Oh, que os obreiros em toda linha do serviço de Deus comam dasfolhas da árvore da vida que são para a cura das nações! (MM, OlhandoPara o Alto, 252) As exibições mundanas, conquanto imponentes, são de nenhumvalor aos olhos de Deus. Acima do que é visível e temporal, aprecia Eleo invisível e eterno. O primeiro só tem valor na medida em queexprime o segundo. As mais belas produções de arte não possuembeleza que se possa comparar à beleza de caráter, que é o fruto daoperação do Espírito Santo na alma. (CBV, 37)CARNE II Vimos pelos textos citados que, quando o Filho do homem vier, osmortos serão ressuscitados incorruptíveis, e os vivos serão
  • 25| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l transformados. Por esta grande mudança ficam preparados parareceberem o reino; pois Paulo diz: "Que carne e sangue não podemherdar o reino de Deus, nem a corrupção herda a incorrupção." ICor. 15:50. O homem, em seu estado presente, é mortal, corruptível; oreino de Deus, porém, será incorruptível, permanecendo para sempre.Portanto, o homem, em sua condição atual, não pode entrar no reino deDeus. Mas, em vindo Jesus, confere a imortalidade a Seu povo; e entãoos chama para possuírem o reino de que até ali têm sido apenasherdeiros. (Cristo em Seu Santuário, 52)MAS JESUS VEM PRIMEIRO EM ESPÍRITO. Fizeram-se novas. II Cor. 5:17. A velha natureza, nascida do sangue e da vontade da carne, nãopode herdar o reino de Deus. Os velhos caminhos, as tendênciashereditárias, os hábitos antigos precisam ser abandonados; pois a graçanão é herdada. O novo nascimento consiste em ter novos intuitos, novosgostos, novas tendências. Os que, pelo Espírito Santo, são geradospara uma nova vida, tornaram-se participantes da natureza divina,e em todos os seus hábitos e práticas evidenciarão sua relaçãocom Cristo. Quando homens que alegam ser cristãos retêm todos osseus defeitos naturais de caráter e disposição, em que a sua posiçãodifere da dos mundanos? Eles não apreciam a verdade como elementosantificador e refinador. Não nasceram de novo. ... (MM, Maranata, OSenhor Logo Vem, 232) Não por ostentação exterior, não pelo patrocínio domundo, será estabelecido o reino de Cristo, mas pelaimplantação da natureza dEle na humanidade mediante a obrado Espírito Santo. "A todos quantos O receberam deu-lhes o poderde serem feitos filhos de Deus: aos que crêem no Seu nome, osquais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem davontade do varão, mas de Deus." João 1:12 e 13. Eis o único podercapaz de realizar o reerguimento da humanidade. E o instrumentohumano para execução dessa obra é o ensino e pregação da Palavrade Deus. Manuscrito 42, 1905. (Evag, 531) A vida cristã é uma batalha e uma marcha. Mas a vitória a serganha não é obtida por força humana. O campo de luta é o domínio do
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 26coração. A batalha que temos a ferir - a maior de quantas já foramtravadas pelo homem - é a entrega do próprio eu à vontade deDeus, a sujeição do coração à soberania do amor. A velha natureza,nascida do sangue e da vontade da carne, não pode herdar o reino deDeus. As tendências hereditárias, os hábitos antigos, devem serrenunciados. (Maior Discurso de Cristo, 141) João diz: "A luz" - Cristo - "resplandece nas trevas", isto é, nomundo, "e as trevas não prevaleceram contra ela. ... Mas, a todosquantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus,a saber, aos que crêem no Seu nome; os quais não nasceram dosangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, masde Deus." João 1:5-13. A razão por que o mundo incrédulo não é salvoé que eles não escolhem ser iluminados. A velha natureza, nascida dosangue e da vontade da carne, não pode herdar o reino de Deus. Osvelhos costumes, as tendências hereditárias, os antigos hábitos,precisam ser abandonados; pois a graça não é herdada. O novonascimento consiste em ter novos motivos, novos gostos, novastendências. Os que são gerados para uma nova vida pelo Espírito Santotornaram-se participantes da natureza divina, e em todos os seushábitos e práticas eles evidenciam sua relação com Cristo. Quandohomens que professam ser cristãos retêm todos os seus defeitosnaturais de caráter e disposição, em que sua posição difere da dosmundanos? Eles não apreciam a verdade como santificadora, comorefinadora. (MM, R P, 53) Seu olhar profético abrange a experiência de Seus servos atravésde todos os séculos, até que Ele venha pela segunda vez. Mostra aSeus seguidores o conflito que hão de encontrar; revela o caráter eplano da batalha. Desenrola perante eles os perigos que terão deenfrentar, a abnegação que lhes será necessária. Deseja que calculemo custo, a fim de não serem tomados de surpresa pelo inimigo. Sua lutanão tem de ser travada contra a carne e o sangue, mas contra osprincipados, contra as potestades, contra os príncipes das trevasdeste século, "contra as hostes espirituais da maldade, noslugares celestiais". Efés. 6:12. Têm de contender contra forçassobrenaturais, mas é-lhes assegurado sobrenatural auxílio. Todosos espíritos celestes se acham nesse exército. E mais que anjos estão
  • 27| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l nas fileiras. O Espírito Santo, o representante do Capitão do exército doSenhor, desce para dirigir a batalha. Muitas podem ser nossasfraquezas, pecados e erros graves; mas a graça de Deus é para todosquantos a buscam em contrição. O poder da Onipotência acha-seempenhado em favor dos que confiam em Deus. (DTN, 352) Cristo disse: "Se não comerdes a carne do Filho do homem, e nãobeberdes o Seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. Quem come aMinha carne e bebe o Meu sangue tem a vida eterna; e Eu oressuscitarei no último dia. Porque a Minha carne verdadeiramente écomida, e o Meu sangue verdadeiramente é bebida. Quem come aMinha carne e bebe o Meu sangue permanece em Mim e Eu nele.Como o Pai, que vive, Me enviou, e Eu vivo pelo Pai, assim, quem deMim se alimenta, também viverá por Mim." João 6:53-57. Quantosdentre os que são obreiros da Palavra e da doutrina se alimentam dacarne de Cristo e bebem o Seu sangue? Quantos podem compreendereste mistério? O Salvador mesmo o explicou: "O espírito é o quevivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que Eu vos dissesão espírito e vida." João 6:63. A Palavra de Deus precisa serentretecida no caráter vivo dos que nela crêem. A única fé verdadeira éa do que recebe e assimila a verdade, até que se torne parte do seu sere a força motriz de sua vida e atos. Jesus é chamado o Verbo de Deus.Aceitou a lei de Seu Pai, cumpriu os Seus princípios em Sua vida,manifestou o Seu espírito e revelou Sua virtude beneficente sobre ocoração. Disse João: "E o Verbo Se fez carne, e habitou entre nós, evimos a Sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça ede verdade." João 1:14. Os seguidores de Cristo precisam comungarem Sua experiência. Devem assimilar a Palavra de Deus. Têm de sertransformados na Sua semelhança e, pela virtude de Cristo, refletir osatributos divinos. Importa-lhes comer a carne e beber o sangue do Filhode Deus, ou não terão vida em si mesmos. O espírito e a obra de Cristotêm de tornar-se o espírito e a obra de Seus discípulos. O Salvador respondeu-lhes: "Isto vos escandaliza? Que seria,pois, se vísseis subir o Filho do homem para onde primeiro estava? Oespírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que Euvos disse são Espírito e vida." A vida de Cristo, que dá vida ao mundo, acha-se em Sua palavra.Era por Sua palavra que Cristo curava a moléstia e expulsava osdemônios; por Sua palavra acalmava o mar, e ressuscitava os
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 28mortos; e o povo dava testemunho de que Sua palavra tinha poder.Ele falava apalavra de Deus, como o fizera por intermédio de todos osprofetas e instruidores do Antigo Testamento. Toda a Bíblia é umamanifestação de Cristo, e o Salvador desejava fixar a fé de Seusseguidores na palavra. Quando Sua presença visível fosse retirada, apalavra devia ser sua fonte de poder. Como seu Mestre, deviam viver"de toda a palavra que sai da boca de Deus". Mat. 4:4. Como a vidafísica se mantém pela comida, assim é a espiritual mantida pela Palavrade Deus. E toda alma deve receber, por si própria, vida da Palavra deDeus. Como temos de comer por nós mesmos a fim de recebernutrição, assim devemos receber a palavra por nós mesmos. Não ahaveremos de obter simplesmente por meio de outra pessoa. Cumpre-nos estudar cuidadosamente a Bíblia, pedindo a Deus o auxílio doEspírito Santo, para que possamos compreender a Palavra. Devemostomar um versículo, e concentrar a mente na tarefa de averiguar opensamento nele posto por Deus para nós. Convém demorar-se sobreesse pensamento até que nos apoderemos dele, e saibamos "o que dizo Senhor". (DTN. 390 É a Palavra de Deus que é essencial para o nossocrescimento espiritual. "O Espírito é o que vivifica, a carne paranada aproveita; as palavras que Eu vos disse, são espírito e vida."João 6:63. Os que praticam as palavras de Cristo introduzirão o Céu emsua vida. (MM, Exaltai-o, 129)Gênesis 2:21 21 Então o SENHOR Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar;Gênesis 2:23 23 E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada.Gênesis 6:12 12 E viu Deus a terra, e eis que estava corrompida; porque toda a carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra.
  • 29| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l Gênesis 6:13 13 Então disse Deus a Noé: O fim de toda a carne é vindo perante a minha face; porque a terra está cheia de violência; e eis que os desfarei com a terra.Gênesis 17:13 13 Com efeito será circuncidado o nascido em tua casa, e o comprado por teu dinheiro; e estará a minha aliança na vossa carne por aliança perpétua.Gênesis 17:25 25 E Ismael, seu filho, era da idade de treze anos, quando lhe foi circuncidada a carne do seu prepúcio.Êxodo 30:32 32 Não se ungirá com ele a carne do homem, nem fareis outro de semelhante composição; santo é, e será santo para vós.Jó 7:5 5 A minha carne se tem vestido de vermes e de torrões de pó; a minha pele está gretada, e se fez abominável.Jó 10:11 11 De pele e carne me vestiste, e de ossos e nervos me teceste.Salmos 63:1 1 Ó DEUS, tu és o meu Deus, de madrugada te buscarei; a minha alma tem sede de ti; a minha carne te deseja muito em uma terra seca e cansada, onde não há água;Salmos 73:26 26 A minha carne e o meu coração desfalecem; mas Deus é a fortaleza do meu coração, e a minha porção para sempre. .
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 30Salmos 78:27 27 E choveu sobre eles carne como pó, e aves de asas como a areia do mar.Eclesiastes 11:10 10 Afasta, pois, a ira do teu coração, e remove da tua carne o mal, porque a adolescência e a juventude são vaidade.Isaías 17:4 4 E naquele dia será diminuída a glória de Jacó, e a gordura da sua carne ficará emagrecida.Isaías 40:5 5 E a glória do SENHOR se manifestará, e toda a carne juntamente a verá, pois a boca do SENHOR o disse.Isaías 40:6 6 Uma voz diz: Clama; e alguém disse: Que hei de clamar? Toda a carne é erva e toda a sua beleza como a flor do campo.Isaías 66:17 17 Os que se santificam, e se purificam, nos jardins uns após outros; os que comem carne de porco, e a abominação, e o rato, juntamente serão consumidos, diz o SENHOR.Lamentações 3:4 4 Fez envelhecer a minha carne e a minha pele, quebrou os meus ossos.Ezequiel 11:7 7 Portanto, assim diz o Senhor DEUS: Vossos mortos, que deitastes no meio dela, esses são a carne e ela é o caldeirão; a vós, porém, vos tirarei do meio dela.
  • 31| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l Ezequiel 11:19 19 E lhes darei um só coração, e um espírito novo porei dentro deles; e tirarei da sua carne o coração de pedra, e lhes darei um coração de carne;Ezequiel 20:48 48 E verá toda a carne que eu, o SENHOR, o acendi; não se apagará.Ezequiel 21:5 5 E saberá toda a carne que eu, o SENHOR, tirei a minha espada da bainha; nunca mais voltará a ela.Ezequiel 36:26 26 E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne.Ezequiel 37:6 6 E porei nervos sobre vós e farei crescer carne sobre vós, e sobre vós estenderei pele, e porei em vós o espírito, e vivereis, e sabereis que eu sou o SENHOR.Miquéias 3:3 3 E que comeis a carne do meu povo, e lhes arrancais a pele, e lhes esmiuçais os ossos, e os repartis como para a panela e como carne dentro do caldeirão.Sofonias 1:17 17 E angustiarei os homens, que andarão como cegos, porque pecaram contra o SENHOR; e o seu sangue se derramará como pó, e a sua carne será como esterco.Ageu 2:12 12 Se alguém leva carne santa na orla das suas vestes, e com ela tocar no pão, ou no guisado, ou no vinho, ou no azeite, ou em outro qualquer mantimento, porventura ficará isto santificado? E os sacerdotes responderam: Não.
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 32Zacarias 11:9 9 E eu disse: Não vos apascentarei mais; o que morrer, morra; e o que for destruído, seja destruído; e as que restarem comam cada uma a carne da outra.Zacarias 11:16 16 Porque, eis que suscitarei um pastor na terra, que não cuidará das que estão perecendo, não buscará a pequena, e não curará a ferida, nem apascentará a sã; mas comerá a carne da gorda, e lhe despedaçará as unhas.Zacarias 14:12 12 E esta será a praga com que o SENHOR ferirá a todos os povos que guerrearam contra Jerusalém: a sua carne apodrecerá, estando eles em pé, e lhes apodrecerão os olhos nas suas órbitas, e a língua lhes apodrecerá na sua boca.Mateus 16:17 17 E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.Mateus 24:22 22 E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias.Mateus 26:41 41 Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca.Marcos 13:20 20 E, se o Senhor não abreviasse aqueles dias, nenhuma carne se salvaria; mas, por causa dos eleitos que escolheu, abreviou aqueles dias.Marcos 14:38
  • 33| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l 38 Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.Lucas 3:6 6 E toda a carne verá a salvação de Deus.Lucas 24:39 39 Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho.João 3:6 6 O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.João 6:52 52 Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo: Como nos pode dar este a sua carne a comer?João 6:53 53 Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos.João 6:54 54 Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.João 6:55 55 Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida.João 6:56 56 Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 34João 6:63 63 O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida.Atos 2:31 31 Nesta previsão, disse da ressurreição de Cristo, que a sua alma não foi deixada no inferno, nem a sua carne viu a corrupção.Atos 15:29 29 Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da prostituição, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá.Romanos 3:20 20 Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado.Romanos 7:25 25 Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado.Romanos 8:3 3 Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne;Romanos 8:5 5 Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito.Romanos 8:6 6 Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz.
  • 35| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l Romanos 8:7 7 Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser.Romanos 8:8 8 Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus.Romanos 8:12 12 De maneira que, irmãos, somos devedores, não à carne para viver segundo a carne.Romanos 9:8 8 Isto é, não são os filhos da carne que são filhos de Deus, mas os filhos da promessa são contados como descendência.Romanos 11:14 14 Para ver se de alguma maneira posso incitar à emulação os da minha carne e salvar alguns deles.Romanos 13:14 14 Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências.I Coríntios 1:29 29 Para que nenhuma carne se glorie perante ele.I Coríntios 15:39 [3] 39 Nem toda a carne é uma mesma carne, mas uma é a carne dos homens, e outra a carne dos animais, e outra a dos peixes e outra a das aves.I Coríntios 15:50 50 E agora digo isto, irmãos: que a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção.
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 36II Coríntios 3:3 3 Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração.II Coríntios 4:11 11 E assim nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se manifeste também na nossa carne mortal.II Coríntios 7:1 1 ORA, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo- nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus.Gálatas 1:16 16 Revelar seu Filho em mim, para que o pregasse entre os gentios, não consultei a carne nem o sangue, .Gálatas 4:29 29 Mas, como então aquele que era gerado segundo a carne perseguia o que o era segundo o Espírito, assim é também agora.Gálatas 5:17 17 Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis.Gálatas 5:19 19 Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia,Gálatas 5:24 24 E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências.
  • 37| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l Gálatas 6:8 8 Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna.Efésios 2:3 3 Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também.Efésios 2:11 11 Portanto, lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis gentios na carne, e chamados incircuncisão pelos que na carne se chamam circuncisão feita pela mão dos homens;Efésios 2:15 15 Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz,Efésios 6:12 12 Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.Filipenses 1:22 22 Mas, se o viver na carne me der fruto da minha obra, não sei então o que deva escolher.Colossenses 1:24 24 Regozijo-me agora no que padeço por vós, e na minha carne cumpro o resto das aflições de Cristo, pelo seu corpo, que é a igreja;
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 38Hebreus 2:14 14 E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo;I Pedro 1:24 24 Porque Toda a carne é como a erva, E toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor;II Pedro 2:10 10 Mas principalmente aqueles que segundo a carne andam em concupiscências de imundícia, e desprezam as autoridades; atrevidos, obstinados, não receando blasfemar das dignidades;I João 4:2 2 Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus;I João 4:3 3 E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo.Apocalipse 19:18 18 Para que comais a carne dos reis, e a carne dos tribunos, e a carne dos fortes, e a carne dos cavalos e dos que sobre eles se assentam; e a carne de todos os homens, livres e servos, pequenos e grandes. A dificuldade apresentada no vers. 35 podia resolver com ocrescimento de Um cereal, fenômeno com o qual todos estavamfamiliarizados, mas que ocasionava comentários nem criava problemasa ninguém. Quando um grão de trigo é colocado na terra, decompõe-see morre; mas este processo é essencial para a produção de uma nova
  • 39| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l planta. Se isto que ocorrer diariamente se aceita facilmente sem objetarnada, por que devia haver problema algum quanto a a ressurreição deum corpo novo procedente do que se chateou?GRÃO NU Quer dizer, uma sememte sem folhas nem caule; assim é o grãoquando se semeia. A planta que brota não é igual à semente que sesemeou. O corpo que sairá da tumba na ressurreição tampouco será omesmo que foi colocado em o sepulcro. É obvio, haverá semelhanças,mas também haverá diferenças. O novo corpo não está composto dasmesmas partículas de matéria que formavam o corpo antigo; entretanto,conservará-se a identidade pessoal do indivíduo (ver MaterialSuplementar do EGW, com. vers. 42-52).DEUS LHE DÁ O CORPO O incessante milagre da natureza que produz as muitíssimas ediversas classes de sementes tem sua origem em Deus, o Autor de todavida e tudo crescimento. Na semente não há nada que sem ajuda a façabrotar e produzir vida (ver 3JT 258-260). No corpo decomposto do morto tampouco há nada que de por siproduza a ressurreição. Mas Deus ordenou que haja ressurreição, eesse milagre só ocorre por seu poder. Na ressurreição cada um terá umcorpo que lhe seja adequado. Os justos terão corpos glorificados, e osímpios ressuscitarão com corpos que levem as marcas de suacondenação (ver CS 702-703, 720). Não . . . é a mesma carne. Carne é o corpo. A natureza revela que há várias classes decarne. Se Deus dispôs que haja tantas variedades de carnes e decorpos na terra, não deve ser surpreendente que na ressurreição dêdiferentes aulas de corpos aos homens.CELESTIALES. Gr. epouránios, "celeste", "que existe no céu". Os comentadoresestão divididos em sua interpretação desta palavra. Alguns acreditamque Paulo se refere ao sol, a lua e as estrelas, enquanto que outros aaplicam aos anjos. Ambas as aplicações são apropriadas como
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 40ilustrações do fato de que todos os corpos não têm a mesma forma eaparência. Entretanto, a referência no versículo seguinte ao sol, a lua eas estrelas parece apoiar a primeira interpretação. apresentam-se comoexemplos duas classes de corpos completamente diferentes: una dotodo fora da terra; a outra, dentro da terra. depois de que se adverte agrande diferencia entre estas duas classes de corpos, não devesse serdifícil compreender que haverá uma grande diferencia entre os corposterrestres, humanos, que agora possuímos e compreendemos, e os quepossuiremos na ressurreição, Glória dos celestiais. O esplendor, a beleza e a magnificência dos corpos celestes émuito diferente a dos corpos desta terra. Embora as aves, as flores, osárvores, os minerais e os homens têm sua própria beleza individual eseus atrativos, diferem das coisas do céu. Os homens não põem emtecido de julgamento a diferença entre a beleza das coisas celestiais e adas coisas terrestres, por que, pois, devesse haver alguma dúvidaquanto a reconhecer uma diferença entre o corpo de um homem,adaptado para a vida nesta terra, e o que se adaptará para a vidaeterna?OUTRA A GLÓRIA Os corpos celestes -o sol, a lua e as estrelas- têm diversos grausde esplendor e beleza. Há estrelas de magnitudes diferentes e até decores diferentes. No vers. Paulo mostrou que havia uma diferençaentre as diversas classes de corpos nos céus e na terra. Aqui afirmaalém que há diferenças entre os membros de uma mesma classe, ouseja, em os corpos celestes. Diferem não só dos da terra mas tambémentre si. Desse modo reforça seu argumento de que o corpo queressuscitará será diferente do corpo mortal. Deus estabeleceu taisvariedades na natureza, por isso não está limitado em seu poder paraproporcionar um corpo novo e diferente a seu Santos na ressurreição.SEMEIA‐SE EM CORRUPÇÃO Paulo volta para a comparação entre o reino vegetal e o homem(vers. 37-38). Fala dos corpos dos redimidos como de sementessemeadas na terra, sementes que produzirão uma colheita para o reinode Deus. O cemitério é chamado às vezes, acertadamente, "cemitério".A decomposição que silenciosamente prossegue ali sem ser vista, é opreâmbulo da gloriosa ressurreição quando terminar o cru inverno da
  • 41| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l história deste mundo e comece a eterna primavera com a vinda 805 deCristo (ver 1 Cor. 15: 52; 1 Tes. 4: 16).RESSUSCITARÁ Paulo afirma que a ressurreição dos justos com corposglorificados não só é possível, mas sim em realidade acontecerá. Esta éuma das mais reconfortantes verdades que se podem apresentar aosque nesta vida vão debilitando-se devido às enfermidades, que comtemor antecipam a tumba.INCORRUPCIÓN Os corpos ressuscitados dos crentes nunca mais estarãosubmetidos a enfermidades, decomposição nem morte.SEMEIA‐SE EM DESONRA Um cadáver é em certo sentido desonroso, pois devido a suarápida decomposição se torna desagradável e repugnante, e deve sersepultado.RESSUSCITARÁ EM GLÓRIA. Os Santos ressuscitados se caracterizarão por sua dignidade,beleza e perfeição. Seus corpos serão feitos semelhantes ao de Cristo (Fil. 3: 20-21;CS 703). Gr. asthéneia, "falta de força", "fragilidade", "enfermidade". Não serefere só à debilidade do corpo terrestre quando está vivo, mas tambéma seu completa impotência quando já é cadáver e a sua incapacidadepara resistir a corrupção. As débeis energias do corpo terrestre logoficam prostradas ante a enfermidade, e sua vitalidade desaparecerapidamente ante o arremesso de morte. Gr. dúnamis, "vigor", "energia", "poder". O poder de Deus semanifestará no milagre da ressurreição. O corpo ressuscitado nãoexperimentará nenhuma de as debilidades e falta de resistência queafligem ao corpo terrestre (ver ISA. 33: 24; 40: 31; Apoc. 7: 15-16; 22:5;).
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 42 "Natural" (BJ). Gr. psujikós, adjetivo derivado de psuj, quefreqüentemente se traduz como "alma". Psujikós significa pertence aesta vida atual; é uma palavra difícil de traduzir. A tradução "natural" daBJ contém algum matiz de pensamento que não se acha em psujikós,por exemplo, "natural" poderia significar "material", mas o contraste nãoé entre um corpo material e outro imaterial, embora este último é, pordefinição, uma contradição, pois os Santos ressuscitados terão corposreais. Paulo apresenta o contraste entre o corpo desta breve vidaterrestre e o corpo glorioso com o qual os redimidos serão ressuscitadospara viver eternamente no reino de glória de Deus (ver 1 Cor. 15: 50, 52;Fil. 3: 21; Col. 3: 4; 1 João 3: 2). O corpo "natural", psujikós, é o que estásubmetido às limitações desta existência temporária, como a dor, aenfermidade, a fadiga, a fome, a morte, etc. Esse corpo é colocado natumba ao morrer (ver Job 14: 1-2, 10-12; 21: 32-33); mas o corpoespiritual estará livre de tudo os sinais da maldição do pecado.HÁ CORPO ANIMAL. A evidência textual (cf. P. 10) estabelece o texto "se houver umcorpo natural"(BJ). A seguinte oração deve, pois, traduzir-se, "hátambém um corpoespiritual" (BJ). Não é muito claro o raciocínio doPablo. Parece apoiar-se em a premissa de que a existência do inferiorpressupõe a existência dosuperior. Ou possivelmente Pablo estáapoiando sua afirmação na observação que já há feito a respeito dacerteza da ressurreição. O corpo corrupto que se semeia sem dúvidasurgirá à vida como um corpo incorruptível, assim como uma sementejogada na terra produz sua planta correspondente.ASSIM TAMBÉM ESTÁ ESCRITO. A referência é ao Gén. 2: 7. Pablo parafraseia a passagemacrescentando as palavras "primeiro" e "Adão". Quer dizer, Cristo (ver com. ROM. 5: 14). Assim como oshomens receberam seu natureza terrestre do primeiro homem, Adão, damesma maneira os corpos com que ressuscitem dependerão de Cristo.O primeiro Adão é cabeça da imensa multidão que tem uma existênciatemporária; o segundo, de todos os que por meio da fé nele, em suasegunda vinda, receberão um corpo espiritual e entrarão na vida eterna(ver ROM. 5: 15-18; 1 Cor. 15: 51-54).
  • 43| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l ESPÍRITO QUE VIVIFICA. Quer dizer, um ser que tem o poder de repartir vida. Adão chegoua ser "um ser vivente", mas Cristo é o que reparte vida. Jesus disse quetinha poder para ressuscitar aos mortos (ver Juan 5: 21, 26; 11: 25).Pôs nesse ação poder em relação com esta vida terrestre, transitiva,quando ressuscitou a alguns mortos (ver Luc. 7: 14-15; 8: 54-55). Estasdemonstrações de seu poder lhe vivifiquem podem ser aceitas comouma evidência de seu poder para ressuscitar aos mortos em seusegundo advento.O ESPIRITUAL NÃO É PRIMEIRO. Os corpos espirituais dos Santos, quando ressuscitarem, sãocontinuação de seus corpos naturais (ou "animais", RVR), pois o naturalvem primeiro. Os corpos espirituais não existem ainda, nem existirão atéo dia da ressurreição quando Deus dará a cada santo um corpo novo.TERRESTRE. Gr. joVkós, "de terra ou pó". Adão, o primeiro homem, queencabeça a raça humana, foi feito Por Deus do "poeira" (Gén. 2: 7).QUE É O SENHOR. A evidência textual (cf. P. 10) tende a confirmar a omissão destaspalavras. (Omitem-nas a BJ, BC e NC.) Esta omissão não altera, emessência, o significado da passagem, pois Jesus é o único quedescendeu do céu para converter-se em cabeça da humanidade. Este"segundo homem" já existia antes de relacionar-se intimamente com oshomens, mas se humilhou a si mesmo e ocultou sua divindade comhumanidade (ver Gál. 4: 4; DTG 32-33) quando veio a viver entre oshomens. Quer dizer, Adão. Todos os descendentes do Adão participam desua natureza queda; são frágeis, mortais, sujeitos como ele a corrupçãoe morte. Na ressurreição, os corpos dos Santos serão transformados, e osnovos corpos serão semelhantes "ao corpo da glória dela [de Cristo]"(Fil. 3: 20-21)..
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 44 Paulo volta a destacar o que apresentou nos vers. 35-49: que oscorpos dos ressuscitados serão diferentes dos atuais. O corpocorruptible do homem é inadequado para desfrutar de do perfeito reinode glória. antes da entrada do pecado na raça humana, o corpo dohomem estava adaptado às condições que reinavam em um mundoperfeito (ver Gén. 1: 31). Tudo o que Deus tinha criado era perfeito,portanto, os corpos do Adão e Eva também eram perfeitos -livres decorrupção- e adequados para seu ambiente perfeito. Quando o homempecou, sua natureza foi trocada. Pelo tanto, antes de que participe dabem-aventurança do Éden restaurado, seu corpo será trocado eadaptado para a perfeição do céu. Alguns acreditam que este textoensina que os corpos dos ressuscitados não estarão compostos decarne e sangue, mas uma conclusão tal não tem fundamento. A carne eo sangue é uma expressão figurada para referir-se a uma pessoa destaterra (ver Mat. 16: 17; Gál. 1: 16; F. 6: 12); pelo tão não deve reduzir-sea um significado literal. Paulo está simplesmente afirmando que o corpoatual do homem é inadequado para entrar no reino de Deus. Que oscorpos dos ressuscitados terão carne e sangue pode deduzir-serazoavelmente pelo fato de que nossos corpos serão semelhantes aocorpo glorioso de Cristo em sua ressurreição (Fil. 3: 20-21), que era de"carne" e "ossos" (Luc. 24: 39; ). É além razoável deduzir que os corposdos Santos ressuscitados não serão muito diferentes do corpo que teveAdão quando foi criado ao princípio (Gén. 2: 7). Se o homem nãohouvesse pecado, sem dúvida tivesse retido para sempre esse corpo. Dormir é uma figura de linguagem para referir-se à morte, vercom. João 11: 11. Pablo chama a atenção ao feito de que há algunsque não morrerão, a não ser que serão transformados de seu estadofísico imperfeito ao estado celestial perfeito. Esta mudança instantâneaos fará semelhantes aos Santos ressuscitados (CS 368-369; SR 411-412).TODOS SEREMOS TRANSFORMADOS. "Todos" inclui os que estejam vivos quando Jesus venha etambém aos que tenham morrido. Os corpos dos primeiros passarãoinstantaneamente da mortalidade à imortalidade; os dos segundos serãoressuscitados em estado imortal (cf. com. 2 Cor. 5: 1-4). Gr. em atóm, em um ponto de tempo indivisível. "Em um
  • 45| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l instante" (BJ, BC, NC). Atomos só aparece aqui no NT. Desta palavraderiva "átomo". A frase em um abrir e fechar de olhos indica também aextrema rapidez com que seefetuará a transformação nos corpos dosSantos que estejam vivos. Depois se indica o tempo quando se efetuará esta gloriosatransformação: será na segunda vinda de Cristo, pois será entãoquando soará a "trompetista de Deus" e os fiéis crentes que morreramserão ressuscitados com corpos inteiramente livres de todos os efeitosdo pecado (Couve. 3: 4; ver com.1 Tes. 4: 16). Quão cristãos estejamvivos e esperem ansiosamente a vinda de seu Senhor, experimentarãoentão uma transformação maravilhosa, e todo rastro de incorrupción eimperfeição será eliminado de seus corpos, que serão feitossemelhantes ao glorioso corpo de Cristo (ver Fil. 3: 20-21; 1 João 3: 2).Passarão pela maravilhosa experiência de ser levados da terra ao céusem morrer, como Elías, que foi um símbolo de todos os verdadeiroscrentes que estejam vivos quando Cristo volte (ver 2 Rei. 2: 11; PR169). É essencial que ocorra uma mudança nos corpos dos Santos; eisto acontecerá se são ressuscitados como corpos imortais eincorruptíveis (vers. 42), ou se são transformados sem ver a morte, poisnão podem entrar no céu como são agora (vers. 50). A entrevista é sem dúvida da ISA. 25: 8, embora não concordaexatamente nem com o texto hebreu nem com a LXX. Na segundavinda de Cristo, quando tiver lugar a assombrosa transformação domortal ao imortal, tanto nos justos mortos como nos que estejam vivos,então Satanás, o grande inimigo do homem, não perseguirá mais aosredimidos. O último pensamento que ocupou a mente dos Santosquando lhes sobreveio a morte foi a proximidade do sonho; sua últimasensação foi a dor da morte. Quando virem que Cristo há vindo e lhesconferiu o dom da imortalidade, sua primeira sensação será a de uminefável regozijo porque nunca mais sucumbirão ante o poder da morte(ver CS 606).. Alusão a Oseís. 13: 14 (ver o comentário respectivo). Nesteclamor alegre e vitorioso, tanto a morte como o sepulcro sãopersonificados, lhes dirige a palavra. Isto possivelmente o façam todosos Santos triunfantes, que serão liberados para sempre da ameaça dosofrimento e a separação que ocasiona a morte. O predomínio que
  • A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l | 46sempre manteve este inimigo sobre todos os homens da queda doAdão, será eliminado para sempre dos redimidos na segunda vinda deCristo. Este aguilhão se define como "pecado". A morte, como oescorpião, tem um aguilhão, um poder fatal que recebeu por meio dopecado, a causa da morte (ver ROM. 6: 23). Mas os redimidos nuncamais cometerão pecado, pelo tanto, não poderão sentir outra vez oaguilhão da morte (ver Nah. 1: 9; ISA.1: 9; Apoc. 21: 4). Este versículo apresenta o tema ou propósito de todos os livros daBíblia:mostrar que para que o homem recupere o favor de Deus e voltepara seu condição original de perfeição e liberdade de todos os efeitosdo pecado, foi necessário o prodigioso poder de Deus que atuamediante nosso Senhor Jesus Cristo (ver Ed 121-122; cf. ROM. 7: 25).Por este triunfo sobre o poder do adversário, redimido-los elogiarão eglorificarão a Deus durante toda eternidade (ver Apoc. 5: 11-13; 15: 3-4;19: 5-6).. Em vista da gloriosa verdade que foi revelada a respeito daressurreição,se precatória aos crentes a resistir cada esforço que possaser feito pelos instrumentos de Satanás para minar sua fé em Cristo. Aconselha-se aos crentes a que permaneçam firmes em sua fésem permitir que nada os perturbe. Esta exortação a manter umaestabilidade incomovível se reforça mediante a grandiosa verdade daressurreição tão habilmente apresentada pelo apóstolo neste capítulo.Tendo em conta uma segurança tão maravilhosa para o futuro, oscrentes não devem deixar-se influir pelas múltiplos tentações do diabo,já seja para agradar a carne ou apartar-se de os evidentes feitos doEvangelho devido à influência de filosofias mundanas. Não se devepermitir que nenhuma pessoa ou coisa remova ao crente do fundamentode sua fé e esperança.CRESCENDO. O grande incentivo para uma atividade contínua na causa daverdade, é apositiva segurança de que tais esforços não serão noSenhor. . . em vão, a não ser resultarão na salvação de almas e namagnificación da glória de Deus (ver Sal. 126: 6; Anexo 11: 6; ISA. 55:11; 1 Cor. 3: 8-9).
  • 47| A p o s t i l a – P ã o T e m p o r a l Gr. endúÇ, "vestir-se" como com uma roupa, etc. "Se revista" (BJ,BC, NC). Isto mostra claramente que se manterá a identidade individuale pessoal quando ocorra esta transformação do corpo. Cada um dosredimidos reterá seu próprio caráter individual (ver PVGM 267, 295-296;1JT 242; 2JT 70-71; Material Suplementar do EGW, com. 1 Cor. 15: 42-52).MORTAL. Quer dizer, submetido à morte. O dom da imortalidade serárecebido somente pelos que aceitem a salvação que Deus oferecemediante Jesus Cristo, e este dom será seu quando Jesus vinher outravez (ver João 3: 16; ROM. 2: 7; 6: 23; 2 Cor. 5: 4).