47. a obrar do pastor
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

47. a obrar do pastor

on

  • 870 views

 

Statistics

Views

Total Views
870
Slideshare-icon Views on SlideShare
867
Embed Views
3

Actions

Likes
0
Downloads
25
Comments
0

1 Embed 3

http://remanescentedelaodiceia4.blogspot.com.br 3

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    47. a obrar do pastor 47. a obrar do pastor Document Transcript

    • 1| Apostila–A Obra do Pastor A OBRA DO PASTOR Quantos obreiros úteis e honrados na causa de Deus têmrecebido preparo entre os humildes deveres das mais modestasposições da vida! Moisés foi candidato ao governo do Egito, mas Deusnão o pôde tirar da corte do rei para fazer a obra que lhe era designada.Somente depois de ele haver sido por quarenta anos um fiel pastor, foienviado como libertador de seu povo. Gideão foi tirado da eira, para sero instrumento nas mãos de Deus, para livrar os exércitos de Israel.Eliseu foi convidado a deixar o arado, e atender ao mandado do Senhor.Amós era agricultor, lavrador do solo, quando Deus lhe deu umamensagem a proclamar. (MM, Cuidado de Deus, 339) O pastor que é um coobreiro de Cristo terá um profundo senso dasantidade de sua obra, e das labutas e sacrifícios requeridos paraexecutá-la com êxito. Ele não planeja seu próprio bem-estar ouconveniência. Esquece-se de si mesmo. Na busca da ovelha perdidanão percebe que está cansado, com frio ou com fome. Tem apenasum objetivo em vista - a salvação do perdido. (AA, 362) Necessitamos de missionários que o sejam no verdadeiro sentidoda palavra; que ponham de lado considerações egoístas e permitamque a causa de Deus venha em primeiro lugar; e que, trabalhando comsimplicidade para a Sua glória, estarão prontos a qualquer momentopara irem aonde Ele lhes ordene trabalhar em qualquer mister a fim deespalhar o conhecimento da verdade. Homens cujas esposas amem etemam a Deus e que possam ajudá-los na obra são necessários nocampo missionário. Muitos que têm famílias saem a trabalhar, masnão se entregam inteiramente ao trabalho. Sua mente está dividida.Esposa e filhos afastam-nos do trabalho e não raro conservam-nosfora do campo em que poderiam entrar, não fosse o pensarem queprecisam estar perto do lar. Review and Herald, 8 de dezembro de1885. (Lar Adiventista, 166) Cada aspecto da mensagem do terceiro anjo deve serproclamado em todas as partes do mundo. Esta é uma obra muitomaior do que muitos imaginam. Nossos empreendimentos
    • A p o s t i l a – A O b r a d o P a s t o r |2missionários são o grande objeto a requerer nossa atenção nãodividida neste tempo. "Ide por todo o mundo e pregai o evangelho atoda criatura." Mar. 16:15. ... (MM, Olhando para o Alto, 271) O espírito do verdadeiro pastor é de inteiro esquecimento de simesmo. Ele perde de vista o eu para que possa fazer as obras deDeus. Pela pregação da Palavra e pelo ministério pessoal nos lares dopovo, toma conhecimento de suas necessidades, tristeza e provas; e,cooperando com Aquele que leva o maior fardo, participa das afliçõesdeles, conforta-os em seus dissabores, farta-lhes a alma faminta esalva-lhes o coração para Deus. Nesta obra é o ministro assistido pelosanjos do Céu, sendo ele próprio instruído e iluminado na verdade que otorna sábio para a salvação. (AA, 527) Deve o pastor misturar-se livremente com aqueles por quemtrabalha a fim de familiarizar-se com eles e saber como adaptar seusensinos às necessidades deles. Havendo pregado um sermão, a obrado pastor apenas começou. Há um trabalho pessoal para ele fazer.Deverá visitar o povo em seus lares, falando e orando com eles comfervor e humildade. Há famílias que jamais serão alcançadas pelas asverdades da Palavra de Deus a menos que os mordomos de Sua graçaentrem em seus lares e lhes indiquem o mais alto caminho. (AA, 363) As energias do pastor são todas necessárias para o seu altochamado. Suas melhores faculdades pertencem a Deus. Nãodeve ele envolver-se em especulações, ou em qualquer outronegocio que o desvie de sua grande obra. "Ninguém que milita",escreveu Paulo, "se embaraça com negócios desta vida, a fim deagradar aquele que o alistou para a guerra." II Tim. 2:4. Assim deu oapóstolo ênfase à necessidade do pastor se consagrar semreservas ao serviço do Mestre. O pastor que está integralmenteconsagrado a Deus recusa empenhar-se em negócios quepoderiam impedi-lo de se dar inteiramente ao sagrado mister.Não procura riquezas ou honra terrestres; seu único propósito é falara outros a respeito do Salvador que Se deu a Si mesmo para levaraos seres humanos as riquezas da vida eterna. Seu supremo desejonão é acumular tesouros neste mundo, mas chamar a atenção dosindiferentes e desleais para as realidades eternas. Ele pode serconvidado a empenhar-se em empresas que prometam grandeslucros mundanos, mas a tais tentações ele responde: "Que
    • 3| Apostila–A Obra do Pastoraproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma?"Mar. 8:36. (AA, 366) O serviço de Deus exige o ser todo - coração, mente, alma eforças. Devemos entregar-nos sem reservas a Deus, para quepossamos ostentar a imagem do que é celestial, em lugar daimagem do que é terreno. Deve haver um despertar dassensibilidades, para que a mente tenha plena consciência da obra aser feita em favor de todas as classes, elevadas e humildes, de ricose pobres, cultos e ignorantes. Devemos revelar a ternurademonstrada pelo grande Pastor ao reunir Seus cordeirinhos nosbraços e guardar cuidadosamente o rebanho de danos, conduzindo-opor veredas seguras. Os seguidores de Cristo devem mostrar a Suaternura e simpatia, devendo revelar também a intensidade de Seudesejo de compartilhar as verdades que significam vida eterna paraquem as recebe. Carta 97, 1902 (Manuscript Releases, vol. 12, págs.213 e 214). (MM, CT, 46) Oh, quantos que se acham absortos nas pequeninas coisas davida não poderiam realizar um excelente trabalho com abnegação eespírito de sacrifício! São cegos, e não conseguem ver ao longe.Fazem um mundo de um átomo, e um átomo de um mundo. Tornaram-se ribeiros rasos, porque não partilham com outros a Água da Vida.Manuscrito 173, 1898. (MM, Refletindo a Cristo, 193) As experiências do apóstolo Paulo e suas instruções referentes àsantidade da obra do pastor, são uma fonte de auxílio e inspiração aosque se empenham no ministério evangélico. O coração de Paulo ardiaem amor pelos pecadores, e ele punha todas as suas energias na obrade salvar almas. Jamais houve obreiro mais perseverante e abnegado.As bênçãos que recebeu, avaliou-as como outros tantos privilégiosa serem usados para abençoar a outros. Ele não perdia oportunidadede falar do Salvador ou de ajudar aos que estavam em lutas. Ia de lugarem lugar, pregando o evangelho de Cristo e estabelecendo igrejas.Onde quer que pudesse encontrar audiência, procurava desfazer o male tornar os pés de homens e mulheres ao caminho da justiça. (AA, 367) Cristo fez menção a Pedro de uma única condição de serviço- "Amas-Me?" João 21:17. Esta é a qualificação essencial. Mesmoque Pedro possuísse todas as outras, sem o amor de Cristo ele nãoseria um fiel pastor do rebanho de Deus. Conhecimento,
    • A p o s t i l a – A O b r a d o P a s t o r |4benevolência, eloqüência, zelo - tudo isto é essencial para um bomtrabalho; mas sem o amor de Cristo no coração, a obra do ministrocristão é um fracasso. (AA, 515) O amor de Cristo não é um sentimento volúvel, mas um princípiovivo, o qual se manifesta como um poder permanente no coração. Seo caráter e a conduta do pastor são um exemplo da verdade queadvoga, o Senhor porá em sua obra o selo de Sua aprovação. Opastor e o rebanho serão um, unidos pela comum esperança emCristo. (AA, 527) A educação que Moisés recebera no Egito foi-lhe de grandeauxílio sob muitos pontos de vista; mas a preparação mais valiosapara o trabalho de sua vida foi a que recebeu quando empregadocomo pastor. Moisés tinha por natureza um espírito impetuoso. NoEgito, como bem-sucedido chefe militar e favorito do rei e da nação,estava acostumado a receber louvor e adulação. Tinha atraído o povopara si. Esperava realizar por suas próprias forças a obra da libertaçãode Israel. Muito diferentes eram as lições que, como representante deDeus, devia receber. Conduzindo seus rebanhos pelas montanhasselvagens e pelos verdes pastos dos vales, aprendeu a fé, a mansidão,a paciência, humildade e abnegação. Aprendeu a cuidar dos fracos,tratar dos doentes, procurar os transviados, suportar os turbulentos,vigiar os cordeiros e alimentar os velhos e débeis. Nessa obra, Moisés era atraído para mais perto do Bom Pastor.Tornava-se intimamente unido ao Santo de Israel. Não projetou maisfazer uma grande obra. Procurava fielmente cumprir, como sob o olharde Deus, a obra a ele confiada. Via a presença de Deus em tudo que orodeava. A natureza inteira lhe falava do Ser invisível. Reconhecia-Ocomo Deus pessoal, e meditando sobre Seu caráter compenetrava-se mais e mais do sentimento de Sua presença. Encontrava refúgionos braços eternos. Após essa experiência, Moisés ouviu a ordem do Céu paratrocar o cajado de pastor pela vara da autoridade; deixar orebanho de ovelhas e encarregar-se da condução de Israel. Odivino mandato encontrou-o desconfiado de si próprio, tardo nafala, e tímido. Estava estupefato pelo sentimento da suainaptidão para ser o porta-voz de Deus. Mas aceitou essa obradepondo inteira confiança no Senhor. A grandeza dessa missão pôs
    • 5| Apostila–A Obra do Pastorem exercício as mais altas faculdades de seu espírito. Deusabençoou a sua pronta obediência, e Moisés tornou-se eloqüente,esperançoso e de espírito equilibrado, preparado para a maior obrajamais confiada aos homens. Dele foi escrito: "E nunca mais selevantou em Israel profeta algum como Moisés, a quem o Senhorconhecera face a face." Deut. 34:10. (CBV, 474 e 475) As energias do pastor são todas necessárias para o seu altochamado. Suas melhores faculdades pertencem a Deus. Não deve eleenvolver-se em especulações, ou em qualquer outro negócio que odesvie de sua grande obra. "Ninguém que milita", escreveu Paulo,"se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar aqueleque o alistou para a guerra." II Tim. 2:4. Assim deu o apóstoloênfase à necessidade do pastor se consagrar sem reservas aoserviço do Mestre. O pastor que está integralmente consagrado aDeus recusa empenhar-se em negócios que poderiam impedi-lo dese dar inteiramente ao sagrado mister. Não procura riquezas ouhonra terrestres; seu único propósito é falar a outros a respeito doSalvador que Se deu a Si mesmo para levar aos seres humanos asriquezas da vida eterna. Seu supremo desejo não é acumular tesourosneste mundo, mas chamar a atenção dos indiferentes e desleais para asrealidades eternas. Ele pode ser convidado a empenhar-se emempresas que prometam grandes lucros mundanos, mas a taistentações ele responde: "Que aproveitaria ao homem ganhar todo omundo e perder a sua alma?" Mar. 8:36. (AA, 365 e 366) Mesmo que Pedro possuísse todas as outras, sem o amor de Cristoele não seria um fiel pastor do rebanho de Deus. Conhecimento,benevolência, eloqüência, zelo - tudo isto é essencial para um bomtrabalho; mas sem o amor de Cristo no coração, a obra do ministrocristão é um fracasso. (AA, 515) "Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vai. Estessão os que dentre os homens foram comprados como primícias paraDeus e para o Cordeiro." Apoc. 14:4. A visão do profeta representa-oscomo estando sobre o monte de Sião, cingidos para santo serviço,vestidos de linho branco, que representa a justiça dos santos. Mastodos os que seguirem o Cordeiro no Céu, precisarão primeiro tê-Lo seguido na Terra, não contrariados ou por capricho, mas em
    • A p o s t i l a – A O b r a d o P a s t o r |6confiante, amorável e voluntária obediência, como o rebanhosegue o pastor. (AA, 591) Tenhamos esperança e ânimo. O desânimo no serviço deDeus é pecaminoso e desarrazoado. Deus conhece as nossasnecessidades. À onipotência de Rei dos reis, nosso fiel Deusune a amabilidade e solicitude de Bom Pastor. Seu poder éabsoluto e constitui a garantia do seguro cumprimento de Suaspromessas para todos os que nEle confiam. Há meios para removertoda a dificuldade, a fim de que os que O servem e respeitam asprovidências que Ele emprega possam receber auxílio. Seu amorsobrepuja qualquer outro amor, na proporção em que os céus sãomais altos do que a Terra. Vela sobre Seus filhos com um amor queé incomensurável e eterno. (CBV, 481 e 482) O serviço de Deus exige o ser todo - coração, mente, alma eforças. Devemos entregar-nos sem reservas a Deus, para quepossamos ostentar a imagem do que é celestial, em lugar daimagem do que é terreno. Deve haver um despertar dassensibilidades, para que a mente tenha plena consciência da obra aser feita em favor de todas as classes, elevadas e humildes, de ricose pobres, cultos e ignorantes. Devemos revelar a ternurademonstrada pelo grande Pastor ao reunir Seus cordeirinhos nosbraços e guardar cuidadosamente o rebanho de danos, conduzindo-opor veredas seguras. Os seguidores de Cristo devem mostrar a Suaternura e simpatia, devendo revelar também a intensidade de Seudesejo de compartilhar as verdades que significam vida eterna paraquem as recebe. Carta 97, 1902 (Manuscript Releases, vol. 12, págs.213 e 214). (MM, CT, 46) Quando for possível, vão o pastor e a esposa juntos. Amulher pode muitas vezes trabalhar ao lado do esposo,efetuando um nobre serviço. Ela pode visitar os lares do povo eajudar às senhoras nessas famílias por uma maneira que não épossível ao marido. ... (Evangelismo, 491) Mantende-vos sempre na pista de almas. Usai tato e habilidadequando em visita às famílias. Orai com elas e por elas. Levai-lhes averdade com grande ternura e amor, e certamente virão compensações.Caso o pastor e sua esposa se possam empenhar juntos nessaobra, devem fazê-lo. Carta 18, 1898. (Evangelismo, 437)
    • 7| Apostila–A Obra do Pastor A esposa de um pastor poder ser a mais bem-sucedidaajudadora e uma grande bênção a seu marido ou um estorvo emsua obra. Depende muito da esposa se seu marido subirá dia a dia emsua esfera de utilidade ou se descerá ao nível vulgar. Carta 1, 1877. (LarAdventista, 355) Vi que a esposa do pastor deve ajudar o marido em seuslabores, e ser exata e cuidadosa quanto à influência que exerce;pois é observada, e espera-se mais dela do que das outras. Seuvestuário deve ser um exemplo. Sua vida e conversação tambémdevem ser exemplares, exalando um cheiro de vida e não demorte. Vi que deve assumir atitude humilde, mansa, e todaviaexaltada, não se dando a conversações que não tendam a dirigir amente para o Céu. A grande questão deve ser: "Como posso salvarminha própria alma, e ser instrumento para salvar a outros?" Vi queneste assunto, não é aceitável a Deus uma obra de coração dividido.Ele quer todo o coração e o interesse todo; do contrário, nada. Ainfluência da esposa, ou fala decidida, inequivocamente em favor daverdade, ou contra ela. Ou ela ajunta com Jesus, ou espalha. Aesposa não santificada é a maior maldição que um pastor possa ter.(Testemunhos Seletos, vol. 1, págs. 37 e 38.) Pais, dai vossos filhos ao Senhor e lembrai-lhes sempre quepertencem a Ele, que são os cordeiros do rebanho de Cristo, vigiadospelo Verdadeiro Pastor. Ana dedicou Samuel ao Senhor; e dele sediz: "E crescia Samuel, e o Senhor era com ele, e nenhuma de todasas Suas palavras [as palavras do Senhor por intermédio de Samuel]deixou cair em terra." I Sam. 3:19. No caso deste profeta e Juiz deIsrael, são apresentadas as possibilidades postas diante do filhocujos pais cooperam com Deus, efetuando a obra que lhes édesignada. (CPPE, 143) Deus, em Seus sábios planos, fez depender o avanço de Sua causados esforços pessoais de Seu povo, e de suas ofertas voluntárias.Aceitando a cooperação do homem no grande plano da redenção, sobreele colocou uma assinalada honra. Não pode o pastor pregar, a nãoser que seja enviado. A tarefa de disseminar a luz não repousasobre o pastor apenas. Cada pessoa, uma vez havendo-se tornadomembro da igreja, obriga-se a ser um representante de Cristo, vivendo averdade que professa. Os seguidores de Cristo devem levar avante a
    • A p o s t i l a – A O b r a d o P a s t o r |8obra que Ele deixou para eles quando ascendeu ao Céu. Testimonies,vol. 4, pág. 464. Mas o Senhor disse a Samuel: "Não atentes para a sua aparência,nem para a altura da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque oSenhor não vê como vê o homem. Pois o homem vê o que está diantedos olhos, porém o Senhor olha para o coração." I Sam. 16:7. Nenhumdos de nobre aparência, dentre os filhos de Jessé, foi aceito peloSenhor; mas quando Davi, o filho mais novo, um simples pastor deovelhas, foi chamado do campo e passou diante de Samuel, o Senhordisse: "Levanta-te e unge-o, porque este mesmo é." I Sam. 16:12.Quem pode decidir qual de uma família se demonstrará eficiente naobra de Deus? A todos os jovens deve ser permitido receber asbênçãos e privilégios da educação em nossas escolas, e poderão serinspirados a tornar-se coobreiros de Deus. (CSE, 183) É parte da obra do pastor ensinar os que aceitam a verdademediante seus esforços, a trazerem os dízimos ao tesouro, comotestemunho de que reconhecem sua dependência de Deus. Os recém-conversos devem ser plenamente esclarecidos com relação ao seudever de devolver ao Senhor o que Lhe pertence. O mandamento dedevolver o dízimo é tão claro, que não há sombra de desculpa paradesatendê-lo. Aquele que negligencia dar instruções a esse respeito,deixa por fazer uma parte importantíssima de sua obra. (CSM, 105) A vida de Cristo e Seu ministério em favor dos aflitos estãoinseparavelmente ligados. De acordo com a luz que me foi dada, sei quedeve existir ainda uma íntima relação entre a obra médico-missionária eo ministério evangélico. Estão eles ligados um ao outro; como uma obra,em sagrada união, e jamais devem ser divorciados. Devem os princípiosdo Céu ser adotados e seguidos por aqueles que professam andar naspegadas do Salvador. Por Seu exemplo mostrou-nos Ele que a obramédico-missionária não deve ocupar o lugar da pregação doevangelho, mas deve estar a ela ligada. Cristo deu uma perfeitaimagem da verdadeira piedade combinando a obra do médico coma do pastor, ministrando às necessidades tanto do corpo como daalma, curando as enfermidades físicas, e então proferindo palavras quetraziam paz ao atribulado coração ... (CSS, 528) Sanciona o Senhor os esforços do consagrado obreiro, o verdadeiropastor. Pode ele dispor de pouco tempo para pregar sermões; pode, não
    • 9| Apostila–A Obra do Pastorobstante, viver sermões que serão muito mais poderosos. A verdadeexpressa em obra vivas, altruístas, é o mais poderoso argumentoem favor do cristianismo. Aliviar os doentes, auxiliar os sofredores, étrabalhar segundo os métodos de Cristo, e demonstra poderosíssimasverdades do evangelho que representam a missão e a obra de Cristosobre a Terra. O conhecimento da arte de aliviar o sofrimento dahumanidade é o abrir-se, sem número, de portas nas quais a verdadepode encontrar um abrigo no coração, e almas serem salvas para a vida- vida eterna. Mesmo as almas mais endurecidas e aparentementeencerradas pelo pecado, podem ser acercadas dessa maneira, ecompreender alguma coisa do mistério da piedade e se tornarem tãoencantadas que não descansarão enquanto não obtiverem oconhecimento de Jesus Cristo e de Sua graça salvadora. ... (CSS, 537) O Senhor vos guiará com certeza, se vos esforçardes parafazer a Sua vontade, mesmo que esta interfira com algum dosvossos desejos e planos. Ao andardes e trabalhardes segundo oconselho de Deus, abrir-se-ão perante vós as portas da oportunidadepara unirdes a obra do pastor à do médico. (CSS, 547) Os evangelistas médico-missionários estarão habilitados a fazeruma excelente obra como pioneiros. A obra do pastor deve unir-seinteiramente com a do evangelista médico-missionário. O médicocristão deve considerar sua obra como sendo tão exaltada como a doministério. Repousa sobre ele uma dupla responsabilidade; poisnele se reúnem tanto as qualidades do médico, como as doministro evangélico. Sua obra é sublime, sagrada e muitonecessária. (CSS, 550) Essas coisas não são questão de pequena importância. De vemosdar-lhes atenção, se queremos dar aos vários ramos da obra vigorsaudável e o devido tom. O caráter e a eficiência da obra dependemgrandemente das condições físicas dos obreiros. Muitas reuniões decomissões e outras, realizadas para fins de conselho, têm tomado infelizdireção, devido ao estado dispéptico dos que nelas tomavam parte. Emuito sermão tem recebido um tom sombrio em virtude de má digestãodo pastor. (CSS, 565) Aparecerão obstáculos para o avanço da obra do Senhor,mas não temais. À onipotência do Rei dos reis, nosso Deusmantenedor do concerto une a bondade e cuidado de um terno
    • A p o s t i l a – A O b r a d o P a s t o r | 10pastor. Nada pode permanecer em Seu caminho. Seu poder éabsoluto e é a garantia de cumprimento seguro de Suas promessas aSeu povo. Ele pode remover todos os obstáculos ao avanço de Suaobra. Tem meios para a remoção de toda dificuldade para queaqueles que O servem e respeitam os meios que Ele emprega sejamlivrados. Sua bondade e amor são infinitos, e Sua aliança éinalterável. ... (MM, Cuidado de Deus, 310) Cristo aplicou essas profecias a Si mesmo, e mostrou ocontraste entre Seu caráter e o dos guias de Israel. Os fariseusacabavam de expulsar uma ovelha do redil, por haver ousado testificardo poder de Cristo. Excluíram uma alma a quem o verdadeiro Pastorestava atraindo para Si. Nisto se mostraram ignorantes da obra a elesconfiada, e indignos do legado que lhes fora entregue como pastores dorebanho. Jesus lhes apresentou então o contraste entre eles e o bomPastor, e declarou-Se o verdadeiro guarda do rebanho de Deus. Antesdisso, entretanto, falou de Si mesmo sob outro símbolo. (DTN, 477) Os fariseus não entraram pela porta. Subiram ao aprisco por outromeio que não Cristo, e não estavam realizando a obra do verdadeiropastor. Os sacerdotes e principais, os escribas e fariseus,destruíam as pastagens vivas, e corrompiam as fontes da água davida. Fielmente descreve a palavra inspirada esses falsos pastores: "Afraca não fortalecestes, e a doente não curastes, e a quebrada nãoligastes, e a desgarrada não tornastes a trazer, ... mas dominastessobre elas com rigor e dureza." Ezeq. 34:4. (DTN, 478)SERVIÇO DIVIDIDO Aquele que deseja construir um caráter forte e simétrico, e quedeseja ser um cristão bem equilibrado, deve dar tudo a Cristo efazer tudo por Cristo; pois o Redentor não aceitará serviçodividido. Precisa aprender diariamente o significado da entrega do eu.Precisa estudar a Palavra de Deus, aprendendo seu significado eobedecendo a seus preceitos. Assim pode ele alcançar o padrão daexcelência cristã. Dia a dia Deus trabalha com ele, aperfeiçoando ocaráter que deve resistir no tempo da prova final. E dia a dia o crenteestá manifestando diante dos homens e dos anjos um experimentosublime, mostrando o que o evangelho pode fazer por caídos sereshumanos. (AA, 483)
    • 11 | Apostila–A Obra do Pastor É-nos ordenado crucificar a carne com suas afeições econcupiscências. Como o faremos? Devemos infligir sofrimento aocorpo? Não; mas dar morte à tentação do pecado. Os pensamentoscorruptos devem ser expulsos. Todo o pensamento deve serlevado cativo a Jesus Cristo. Toda propensão animal deve sersujeita às faculdades mais altas da alma. O amor de Deus devereinar supremo; Cristo deve ocupar um trono não dividido.Nosso corpo deve ser considerado como havendo sido comprado. Osmembros do corpo devem tornar-se instrumentos de justiça. (O LarAdventista, pág. 128) Qual relâmpago, trar-lhes-á Deus à memória, justo quando fornecessário, o conhecimento obtido mediante diligente exame daPalavra divina. Mas se negligenciarem encher a mente com as gemasda verdade, se não se familiarizarem com as palavras de Cristo, se, naprovação, nunca experimentaram o poder de Sua graça, não poderãoesperar que o Espírito Santo lhes faça lembrar Suas palavras.Diariamente devemos servir a Deus com afeições não divididas, e entãoconfiar nEle. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 105-107(CSES, 41) Despi-vos de toda manifestação de importância pessoal, poisnão vos pode ajudar em vosso trabalho; contudo eu vos imploroque tenhais o mais alto apreço por vosso próprio caráter, poisfostes comprados por preço infinito. Sede cuidadosos, dedicados àoração, compenetrados. Não imagineis poder misturar o santo e oprofano. Isto tem sido feito no passado de modo tão constante que odiscernimento espiritual dos professores ficou obscurecido, e eles nãologram discernir entre o que é sagrado e o que é comum. Eles têmutilizado o fogo comum e têm-no apreciado, exaltado e louvado, e oSenhor tem-Se afastado com desgosto. Professores, não seria melhorfazer plena consagração de vós mesmos a Deus? Arriscaríeis vossasalvação num serviço dividido? (CSE, 145) Deus não terá em Sua obra líderes que prestem um serviçodividido. Seus servos devem assumir a posição em que nãosancionem qualquer obra má. Seguir a Jesus requer de início umaconversão sincera e uma representação dessa conversão a cada dia.(MM, CT, 121)
    • A p o s t i l a – A O b r a d o P a s t o r | 12 O verdadeiro cristão é um servo de Cristo. Seu trabalho paraCristo deve ser meticulosamente bem feito. Nada deve afastar-lhe amente de seu trabalho. Outras questões podem receber a devidaatenção, mantendo-se ainda numa posição secundária, mas o serviçode Cristo requer o homem todo - o coração, o entendimento, a alma, aforça. Ele não aceitará um coração dividido. Espera que façamos o queestá ao nosso alcance. E nada que tenha sido efetuado fielmente paraEle é insignificante à Sua vista. ...(MM, Este Dia Com Deus, 159) Os que são santificados pela verdade, são qual luzes ardentes eresplandecentes, iluminando a todos quantos se encontram na casa. Asboas obras revelar-se-ão em todo verdadeiro crente. O Senhor nãopode aceitar coisa alguma senão a perfeição de caráter, aintegridade para com Deus. Qualquer serviço com coração divididotestificará perante os seres celestes que deixastes de copiar oModelo. The Youths Instructor, 13 de outubro de 1892. (MM, Filhos eFilhas de Deus, 138) O Redentor não aceitará um serviço dividido. O obreiro deDeus precisa aprender diariamente o que significa a entrega de simesmo. Tem que estudar a Palavra de Deus, apreendendo-lhe osentido e obedecendo aos seus preceitos. Assim pode ele atingir anorma da excelência cristã. Dia a dia Deus com ele colabora,aperfeiçoando o caráter que deve subsistir no tempo da prova final. Edia a dia o crente está operando perante os homens e os anjos umasublime experiência, mostrando o que pode o evangelho fazer pelosdecaídos seres humanos. (Obreiros Evangélicos, pág. 113) O Senhor requer nossas afeições não divididas. Se os homensnão são sinceros, fracassarão no dia da prova e aflição e provação.Quando o inimigo dispõe suas forças em ordem de batalha contraeles, e a peleja parece ser renhida, na própria ocasião em que todoo vigor intelectual e capacidade, e todo o tato de sábia liderança,são necessários para repelir o inimigo, os que são irresolutosdirigirão suas armas contra seus próprios soldados; debilitam asmãos que deveriam ser fortes para o combate. Deus está provandotodos quantos têm conhecimento da verdade para ver se é possívelcontar com eles para travar as batalhas do Senhor quando fortementepremidos por principados e potestades, e pelos dominadores destemundo tenebroso e os maus espíritos nas regiões celestes. Tempos
    • 13 | Apostila–A Obra do Pastorperigosos acham-se diante de nós, e nossa única segurança está emexperimentar cada dia o poder convertedor de Deus - submetendo-nosinteiramente a Ele a fim de fazer Sua vontade e andar na luz de Suapresença. (I Ped. 2:9.) (MM, Este Dia Com Deus, 11) O Senhor requer nossas afeições não divididas. Se as pessoasnão forem convictas, falharão no dia do teste, da prova, datentação. Quando o inimigo contra elas dispuser suas forças, e abatalha parecer renhida, no momento exato em que necessitam de todaa força do intelecto e da capacidade, de todo o tato de um sábiocomando para repelir o inimigo, aqueles que estão divididos apontarãosuas armas contra os próprios soldados; enfraquecem as mãos quedeveriam ser fortes para a guerra. (MM, CT, 122) Deus pede serviço voluntário - um serviço inspirado pelo amorde Jesus no coração. Deus nunca Se satisfaz com um serviçofrouxo, egoísta. Requer todo o coração, afeições não divididas, einteira fé e confiança em Seu poder de salvar do pecado. ... (I ME, 108) O tempo é chegado em que toda pessoa deve permanecer de pé oucair segundo seus próprios méritos. Uns poucos atos religiosos, unspoucos bons impulsos podem ser apresentados à mente comoevidências de retidão, mas Deus requer o coração inteiro. Ele nãoaceitará afeições divididas. Todo o ser deve ser-Lhe entregue ou Elenão receberá a oferta. (MM, Olhando Para o Alto, 126) Em Seu encargo a Pedro, o Salvador primeiramente lhe ordenou:"Apascenta os Meus cordeiros", e depois: "Apascenta as Minhasovelhas." João 21:15 e 16. Dirigindo-Se ao apóstolo, Cristo diz a todosos Seus servos: "Apascenta os Meus cordeiros." João 21:15. QuandoJesus advertiu a Seus discípulos que não desprezassem ospequenos, dirigia-Se a todos os discípulos de todos os séculos.Seu próprio amor e cuidado em favor das crianças é um preciosoexemplo para os Seus seguidores. Se os professores da EscolaSabatina sentissem o amor que deveriam sentir por esses cordeiros dorebanho, muitos mais seriam ganhos para o redil de Cristo. Repita-se àscrianças em todas as ocasiões oportunas, a história do amor de Jesus.Deixe-se em cada sermão um lugar para benefício delas. O servo deCristo pode fazer desses pequeninos, amigos duradouros, e suaspalavras podem ser-lhes como maçãs de ouro em salvas de prata.Testimonies on Sabbath School Work, pág. 113. (CSES, 76)
    • A p o s t i l a – A O b r a d o P a s t o r | 14 Sendo divinamente iluminados, trabalhareis como Cristotrabalhou, pois, por vosso intermédio, Sua luz poderá brilhar sobreo caminho de todo transgressor impenitente com quem vosassociais. Sois realmente um mestre nos caminhos de Deus? Sefordes professor convertido, sereis capaz de conquistar, nãoafastar, atrair, não repelir as pessoas por quem Cristo morreu.Tendo cuidado das ovelhas e cordeiros do rebanho de Cristo, haveis deguardá-los. Se se desviarem, não haveis de deixá-los perecer, massaireis a procurar e salvar o que se tiver perdido. Todo o Céu seprontificará a ajudar-vos nessa boa obra. Os anjos vos auxiliarão emvossos esforços por encontrar a chave que abrirá o coração do maisincorrigível e indisciplinado. Recebereis graça e força especiais por meiode Cristo, que de Sua incomensurável plenitude vos pode suprirabundantemente. Sereis então qualificados para cooperar com Deus eser um com Cristo em vosso esforço para salvar os perdidos, e oresultado de vosso trabalho de amor será visto não só agora, masatravés de toda a eternidade. Testimonies on Sabbath School Work,págs. 80-82. (CSES, 176) Ao conduzir o pastor seu rebanho pedregosas colinas acima,através de florestas e barrancos abruptos, a relvosos recantos àmargem da corrente; ao vigiá-lo sobre as montanhas através da noitesilenciosa, protegendo-o contra os ladrões, cuidando ternamente daenferma e da fraca, sua vida se chega a identificar com a das ovelhas.Um forte e terno apego o liga aos objetos de seu cuidado. Por grandeque seja o rebanho, o pastor conhece cada ovelha. Cada uma temseu nome, e a ele atende, ao chamado do pastor. (DTN, 479) Estudai a vida e o caráter de Cristo e procurai seguir o Seuexemplo. A vida não consagrada de alguns dos que afirmam crerna mensagem do terceiro anjo tem resultado em impelir algumasdas pobres ovelhas para o deserto; e quem é que tem manifestadoo cuidado de um pastor pelos perdidos e errantes? Não é tempo deser cristãos na prática bem como na profissão? Que benignidade,que compaixão, que terna simpatia tem Jesus manifestado paracom a humanidade sofredora! O coração que bate em uníssono como Seu grande coração de amor infinito dará simpatia a toda pessoanecessitada e tornará evidente que tem o espírito de Cristo. ... Todapessoa que sofre faz juz à simpatia de outros, e os que estão imbuídosdo amor de Cristo e repletos de Sua piedade, ternura e compaixão
    • 15 | Apostila–A Obra do Pastoratenderão a todo apelo a sua simpatia. ... Toda pessoa que procuraretroceder de suas vagueações e voltar para Deus precisa da ajuda dosque têm um coração terno e compassivo, de amor semelhante ao deCristo. Review and Herald, 16 de outubro de 1894. (MM, Exaltai-o, 207) O grande Pastor tem subpastores, aos quais delega o cuidado dasovelhas e cordeiros. A primeira obra que Cristo confiou a Pedro, aorestabelecê-lo no ministério, foi o apascentar os cordeiros. (João 21:15)Era esta uma obra em que Pedro tivera pouca experiência. Exigiriagrande cuidado e ternura, muita paciência e perseverança. Essaobra o convidava a ministrar às crianças e jovens, e aos novos na fé, aensinar aos ignorantes, a abrir-lhes as Escrituras, e a educá-los para autilidade no serviço de Cristo. Até então, Pedro não fora apto para isso,ou mesmo para compreender sua importância. (Exaltai-o, 224) Diz Cristo: "O bom pastor dá a vida pelas ovelhas. Mas omercenário, e o que não é pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir olobo, e deixa as ovelhas, e foge; e o lobo as arrebata e dispersa. Ora omercenário foge, porque é mercenário, e não tem cuidado das ovelhas.Eu sou o bom Pastor e conheço as Minhas ovelhas, e das Minhas souconhecido." João 10:11-14. (PP, 191) Moisés fora estudante. Era bem versado em toda a cultura dosegípcios, mas não era essa a única habilitação de que precisavapara preparar-se para a sua obra. Devia ele, na providência de Deus,aprender a ser paciente, a refrear suas paixões. Numa escola derenúncia e obstáculos devia obter uma educação que lhe seria de sumaimportância. Essas provas o preparariam para exercer um paternalcuidado sobre todos os que careciam de seu auxílio. Nenhumconhecimento, estudo algum, nenhuma eloqüência poderia sersubstituto dessa experiência em provas, para uma pessoa que teria devigiar pelas pessoas como as que delas têm de dar contas. Fazendo aobra de um humilde pastor, esquecido de si mesmo e interessadono rebanho entregue aos seus cuidados, devia ele tornar-sehabilitado para a mais exaltada obra já confiada a mortais - a de serpastor das ovelhas das pastagens do Senhor. (Vidas Que Falam, 84) QUE DEUS OS ABENÇOE, E TENHA MISERICÓRDIA DE NÓS.