1|   Apostila–Estudo Independente                     ESTUDO INDEPENDENTE    Alguns têm apresentado a idéia de que, ao apr...
A p o s t i l a – E s t u d o I n d e p e n d e n t e |2indicada, devendo contar com o respeito, amor e animação dos outro...
3|   Apostila–Estudo Independente     Deus pôs na igreja, como Seus auxiliares indicados, homens detalentos diferentes par...
A p o s t i l a – E s t u d o I n d e p e n d e n t e |4espírito de pretensão chegar a dominar em nosso meio, não haveráha...
5|   Apostila–Estudo Independente    Deus podia ter dado a Cornélio toda a instrução de que elenecessitava por intermédio ...
A p o s t i l a – E s t u d o I n d e p e n d e n t e |6igrejas. A exortação solene de Farel veio-lhe, porém, como um cham...
7|   Apostila–Estudo Independentemostrar bondade e consideração aos que necessitam de terna simpatia,aos que necessitam de...
A p o s t i l a – E s t u d o I n d e p e n d e n t e |8conceito demasiado elevado de si mesmo pode ser bem-sucedidona obr...
9|   Apostila–Estudo Independentedo inimigo. Ou ajuntamos com Cristo, ou espalhamos. A verdadeiraconversão é uma mudança r...
A p o s t i l a – E s t u d o I n d e p e n d e n t e | 10    Só podemos amar nosso próximo como a nós mesmos se amarmosa ...
11 |   Apostila–Estudo Independentea instrução dada em Coríntios e Efésios no tocante a nossa relação unscom os outros com...
A p o s t i l a – E s t u d o I n d e p e n d e n t e | 12como o Senhor, nosso Deus, todas as vezes que O chamamos? Eque g...
41. estudo independente
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

41. estudo independente

480

Published on

Published in: Spiritual
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
480
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

41. estudo independente

  1. 1. 1| Apostila–Estudo Independente ESTUDO INDEPENDENTE Alguns têm apresentado a idéia de que, ao aproximarmo-nos do fimdo tempo, cada filho de Deus agirá independentemente de qualquerorganização religiosa. Mas fui instruída pelo Senhor de que nesta obranão há isso de cada qual ser independente. As estrelas do céu estãotodas sujeitas a leis, cada uma influenciando a outra para fazer avontade de Deus prestando obediência comum á lei que lhes dirige aação. E, para que a obra do Senhor possa avançar sadia e solidamente,Seu povo deve unir-se. (TS, III, 406). Deus pôs na igreja, como Seus auxiliares indicados, homensde talentos diferentes para que, mediante a sabedoria de muitos,seja feita a vontade do Espírito. Os homens que agem deconformidade com seus próprios fortes traços de caráter,recusando aliar-se a outros que têm tido mais longa experiência naobra de Deus, ficarão cegos pela confiança própria, incapazes dediscernir entre o falso e o verdadeiro. Não é seguro escolher taispessoas para líderes na igreja; pois seguirão seu próprio juízo e planos,sem consideração pelo juízo de seus irmãos. É fácil para o inimigo agirpor intermédio dos que, necessitando eles próprios de conselho a cadapasso, se encarregam do cuidado das almas em sua própria força, semter aprendido a mansidão de Cristo. (AA, 279) Os servos de Deus devem trabalhar unidos, fundindo-se embondade e cortesia mútuas, preferindo-se "em honra uns aosoutros". Rom. 12:10. Não deve haver indelicado criticismo, nem odesejo de fragmentar a obra de outros; não deve haver partesseparadas. Cada pessoa a quem o Senhor confiou uma mensagemtem sua obra específica. Cada um tem sua própria individualidade, quenão deve diluir-se na de outro. Não obstante, cada um deve trabalharem harmonia com seus irmãos. Em seu trabalho, os obreiros de Deusdevem ser essencialmente uma unidade. Ninguém deve colocar-secomo padrão, falando desconsideradamente a respeito de seuscompanheiros, ou tratando-os como se eles fossem inferiores. Sob ocuidado de Deus, cada um deve desincumbir-se da tarefa que lhe foi
  2. 2. A p o s t i l a – E s t u d o I n d e p e n d e n t e |2indicada, devendo contar com o respeito, amor e animação dos outrosobreiros. Unidos devem eles conduzir a obra rumo a sua terminação. Estes princípios são muito frisados na primeira carta de Paulo àigreja de Corinto. O apóstolo refere-se aos "ministros de Cristo", como"despenseiros dos mistérios de Deus"; e com respeito a sua obra,declara: "Requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel.Todavia, a mim mui pouco se me dá de ser julgado por vós, ou poralgum juízo humano; nem eu tão pouco a mim mesmo me julgo. Porqueem nada me sinto culpado; mas nem por isso me considero justificado,pois quem me julga é o Senhor. Portanto nada julgueis antes do tempo,até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultasdas trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada umreceberá de Deus o louvor. I Cor. 4:1-5. (AA, 275-276). Muitos têm a idéia de que são responsáveis somente a Cristo pelaluz e experiência que possuem, independente de Seus reconhecidosseguidores na Terra. Jesus é o Amigo dos pecadores, e Seu coração seconfrange por seu infortúnio. Ele possui todo o poder, tanto no Céucomo na Terra; mas respeita os meios por Ele ordenados para oesclarecimento e salvação dos homens; dirige os pecadores para aigreja por Ele feita instrumento de luz para o mundo. (AA, 124) Deus fez de Sua igreja na Terra um conduto de luz, e, porintermédio dela comunica Seus desígnios e Sua vontade. Ele não dá aum de Seus servos uma experiência independente da experiência daprópria igreja, ou a ela contrária. Nem dá a um homem umconhecimento de Sua vontade para toda a igreja, enquanto esta - corpode Cristo - é deixada em trevas. Em Sua providência, Ele coloca Seusservos em íntima relação com a igreja, a fim de que tenham menosconfiança em si mesmos, e mais em outros a quem Ele estáguiando para levarem avante Sua obra. (AA, 163). Nos dias dos apóstolos havia algumas almas mal orientadasque diziam crer em Cristo, mas recusavam demonstrar respeitoaos Seus representantes. Declaravam que não seguiam mestreshumanos, mas eram diretamente instruídas por Cristo, sem a ajuda dosministros do evangelho. Eram de espírito independente e indispostospara se submeterem à orientação da igreja. Tais criaturas estavam emgrave perigo de serem enganadas.
  3. 3. 3| Apostila–Estudo Independente Deus pôs na igreja, como Seus auxiliares indicados, homens detalentos diferentes para que, mediante a sabedoria de muitos, sejafeita a vontade do Espírito. Os homens que agem de conformidadecom seus próprios fortes traços de caráter, recusando aliar-se aoutros que têm tido mais longa experiência na obra de Deus, ficarãocegos pela confiança própria, incapazes de discernir entre o falso e overdadeiro. (AA, 278-279) Os que são inclinados a considerar como supremo seu critérioindividual, acham-se em grave perigo. É o estudado esforço deSatanás separar a esses dos que são condutos de luz, e por cujointermédio Deus tem operado para edificar e estender Sua obra naTerra. Negligenciar ou desprezar aqueles que Deus designou para arcarcom as responsabilidades da administração ligadas ao progresso daverdade, é rejeitar o meio ordenado por Ele para auxílio, animação efortalecimento de Seu povo. Passar qualquer obreiro na causa doSenhor por alto a esses, e pensar que a luz não lhe deve vir por nenhumoutro instrumento, mas diretamente de Deus, é assumir uma atitude emque está sujeito a ser iludido pelo inimigo, e vencido. Em Sua sabedoria,o Senhor tem designado que, mediante a íntima relação mantida portodos os crentes, cristão esteja unido a cristão, igreja a igreja. Assimestará o instrumento humano habilitado a cooperar com o divino. Todo oagente estará subordinado ao Espírito Santo, e todos os crentes unidosnum esforço organizado e bem dirigido para dar ao mundo as alegresnovas da graça de Deus. (AA, 164). Um exército ficaria desmoralizado se não aprendesse a obedeceràs ordens do capitão. Cada soldado deve agir de comum acordo. Aunião é a força; sem união, os esforços são inexpressivos. Sejam quaisforem as excelentes qualidades que os soldados possam ter, nãopoderão ser soldados confiáveis, fidedignos, se reivindicam odireito de atuar independentemente de seus companheiros. A açãoindependente não pode manter-se no serviço de Cristo. (CT, 353) Deus tem uma obra especial para os homens experimentadosfazerem. Terão eles que proteger a causa de Deus. Têm que cuidar deque a obra de Deus não seja confiada a homens que creiam ter oprivilégio de proceder segundo o seu juízo independente, para pregar oque bem lhes aprouver, não ficando responsáveis perante ninguémpelas instruções que ministram nem pelo trabalho que realizam. Se este
  4. 4. A p o s t i l a – E s t u d o I n d e p e n d e n t e |4espírito de pretensão chegar a dominar em nosso meio, não haveráharmonia de ação, nem unidade de espírito, nem segurança para aobra, nem haverá crescimento salutar na causa. Haverá falsos mestres,maus obreiros que, insinuando o erro, afastarão da verdade as almas.Cristo orou para que Seus seguidores fossem um, como Ele era umcom o Pai. Os que desejam ver atendida esta oração, devem tratar dedesviar a mais leve tendência de desunião, e buscar manter entre osirmãos o espírito de união e amor. Review and Herald, 29 de maio de1888. (Evangelismo, 212 e 213). Ninguém deve achar que sua opinião é infalível, que suasidéias estão acima de toda crítica e que pode adotar umprocedimento independente, sem levar em conta as opiniões deoutros com quem está unido no trabalho. Quando pensamos quesabemos tudo que vale a pena saber, encontramo-nos numa posiçãoem que Deus não pode usar-nos. A mensagem do terceiro anjo não éuma mensagem restrita. Ela é mundial; e, na medida do possível,devemos estar unidos na maneira de apresentá-la ao mundo. (MM,Exaltai-o, 310) Perigosa é a época em que vivemos, para qualquer homem quetenha talentos que possam ser de valor na obra de Deus; pois Satanásestá continuamente forçando suas tentações sobre tal pessoa,procurando sempre enchê-la de orgulho e ambição; e quando Deus aquer usar, dá-se muitas vezes que ela se torna independente epresunçosa, e sente-se capaz de manter-se sozinha. ...(MM, Filhos eFilhas de Deus, 345). É de suma importância que os jovens compreendam que opovo de Cristo deve ser unido; pois esta unidade prende oshomens a Deus pelos áureos laços do amor, e impõe a cada um aobrigação de trabalhar pelos semelhantes. O Capitão de nossasalvação morreu pela humanidade para que os homens pudessem estarunidos com Ele e uns com os outros. Como membros da famíliahumana, somos partes individuais de um grande todo. Ninguém podetornar-se independente dos outros. Não deve haver disputaspartidárias na família de Deus, pois o bem-estar de cada um é afelicidade de todos. Não deve ser construída nenhuma paredeseparatória entre o homem e seu próximo. Cristo, como o grande centro,precisa unir á todos em um só. (FEC, 479).
  5. 5. 5| Apostila–Estudo Independente Deus podia ter dado a Cornélio toda a instrução de que elenecessitava por intermédio do anjo, mas este não era Seu plano.Seu propósito era colocar Cornélio em conexão com os que haviamestado a receber conhecimento do alto e cujo trabalho era comunicaresse conhecimento aos que buscavam luz. É assim que Deus lidasempre com Seu povo. (Este Dia Com Deus 340) Aquele que mais profundamente estudar os mistérios danatureza, mais plenamente se compenetrará de sua própriaignorância e fraqueza. Compreenderá que existem profundidades ealturas que não poderá atingir, segredos que não poderá penetrar, evastos campos de verdades jazendo diante de si, não penetrados.Dispor-se-á a dizer com Newton: "Pareço-me com a criança na praia,procurando seixos e conchas, enquanto o grande oceano da verdadejaz por descobrir diante de mim." (ED, 133) Que pequenos grupos se reúnam para estudar as Escrituras.Não perdereis coisa alguma com isso, antes tirareis grandeproveito. Anjos de Deus estarão em vossa reunião, e, alimentando-voscom o Pão da Vida, desenvolvereis nervos e músculos espirituais.Estareis, por assim dizer, alimentando-vos com as folhas da árvore davida. Unicamente dessa maneira conseguireis manter vossa integridade.A fidelidade a Jesus Cristo assegurará um preciosíssimo galardão.Esforce-se toda alma por obter a vida eterna, reconhecendo a Cristo empalavra e espírito. Ele comprometeu-Se a reconhecer a vós e a mim, demodo festivo, cordial e jubiloso, diante de Seu Pai celestial. Não vale apena esforçar-se neste sentido? Vede o que podeis fazer pessoalmentepara ser fiéis aos princípios e manter a probidade em todos os aspectosde vossa vida; e contemplareis Sua glória. Carta 2, 1900. (MM, Este DiaCom Deus, 9) Farel confiava em que houvesse encontrado em Calvino a pessoaque o pudesse assistir naquela obra. Em nome de Deus conjurousolenemente o jovem evangelista a que ficasse e ali trabalhasse.Calvino recuou, alarmado. Tímido e amante da paz, arreceava-se docontato com o espírito ousado, independente e mesmo violentodaquele filho de Genebra. Sua debilidade de saúde juntamente comseus hábitos de estudo, levaram-no a procurar o retiro. Crendo que pelapena melhor poderia servir a causa da reforma, desejou encontrar umsilencioso retiro para o estudo, e ali, pela imprensa, instruir e edificar as
  6. 6. A p o s t i l a – E s t u d o I n d e p e n d e n t e |6igrejas. A exortação solene de Farel veio-lhe, porém, como um chamadodo Céu, e não ousou recusar-se. Parecia-lhe, disse ele, "que a mão deDeus estivesse estendida do Céu, tomando-o e fixando-oirrevogavelmente no lugar que ele estava tão o impaciente por deixar". -História da Reforma no Tempo de Calvino, DAubigné. (GC, 233 e 234) É egoísmo os homens que julgam ter algum trabalho a fazer peloMestre, desejarem fazer sozinhos o seu trabalho, e recusarem ligar-seàqueles que para eles seriam um auxílio, só por temerem não obter todoo crédito de fazer o bom trabalho que eles se gabam que farão. Temisso grandemente embaraçado a obra de Deus. Que um irmão lancemão de outro. Uni um Pedro a um João. Anime cada um a seuirmão a ficar a seu lado, fazendo trabalho zeloso, interessado,como coobreiros na grande obra. Podem dois ou três orar juntos,cantar juntos os louvores a Deus e crescer até a estatura completa decoobreiros de Deus. Deve ser alimentada a perfeita harmonia. Devemtodos servir ao Senhor como criancinhas, sentindo que são ramos domesmo tronco original. (TM, O, Evang. 329) Os que levam o jugo de Cristo avançarão juntos. Cultivarãosimpatia e clemência, e, com santa emulação, procurarão mostraraos outros a terna simpatia e amor de que eles mesmos sentem tãogrande necessidade. Quem é fraco e inexperiente, embora seja débil,pode ser fortalecido pelos mais esperançosos e pelos de experiênciaamadurecida. Conquanto seja o menor de todos, ele é uma pedra quedeve brilhar no edifício. É um membro vital do corpo organizado, unido aCristo, a cabeça viva, e, por Seu intermédio, identificado com todas asexcelências do caráter de Cristo, de modo que o Salvador não Seenvergonhe de lhe chamar irmão. ... Uma igreja, separada e distinta domundo, é, na opinião do Céu, o que há de mais valioso em toda a Terra.A Igreja deve ser o que Deus tencionava que ela fosse, umrepresentante da família de Deus em outro mundo. (MensagensEscolhidas, vol. 3, págs. 15-17.) Nesta parábola o dever de um homem para com o seu próximoficou estabelecido para sempre. Devemos cuidar de todo caso desofrimento e considerar-nos a nós mesmos como instrumentos de Deuspara aliviar os necessitados até o máximo de nossas possibilidades.Devemos ser coobreiros de Deus. Alguns há que manifestam grandeafeição por seus parentes, amigos e favoritos, e no entanto deixam de
  7. 7. 7| Apostila–Estudo Independentemostrar bondade e consideração aos que necessitam de terna simpatia,aos que necessitam de bondade e amor. Com fervor de coraçãoperguntemo-nos a nós mesmos Quem é o meu próximo? Nossopróximo não são meramente nossos associados e amigosespeciais; não simplesmente os que pertencem a nossa igreja, ouque pensam como nós mesmos. Nosso próximo é toda a famíliahumana. Devemos fazer bem a todos os homens, e especialmenteaos domésticos da fé. (BS, 45/46).Qualquer Pessoa Necessitada é Nosso Próximo Qualquer ser humano que necessite de nossa simpatia e de nossospréstimos é nosso próximo. Os sofredores e desvalidos de toda classesão nosso próximo; e quando suas necessidades são trazidas ao nossoconhecimento, é nosso dever aliviá-los tanto quanto nos seja possível.(Testimonies, vol. 4, págs. 226 e 227.) Os que se empenham nesta obra precisam estar sempre sob odomínio do Espírito de Deus. Não deve haver exaltação do eu. Queé que tem qualquer de nós que não tenha recebido de Cristo?Precisamos amar-nos como irmãos, e revelar nosso amorajudando-nos mutuamente. Precisamos ser misericordiosos ecorteses. Precisamos unir-nos puxando as cordas. Unicamente os quevivem a oração de Cristo, executando-a na vida prática, suportarão aprova que há de vir sobre todo o mundo. Os que a si se exaltam,colocam-se sob o poder de Satanás, preparando-se para receberseus enganos. A palavra do Senhor a Seu povo é que levantemos anorma mais e mais alto. Se obedecermos a Sua voz, Ele trabalharáconosco e nossos esforços serão coroados de êxito. Em nossa obrareceberemos ricas bênçãos do alto, e ajuntaremos tesouros junto aotrono de Deus. (Colp. Evang, 12) Estamos aprendendo a renunciar a nossos próprios desejos?Ou o próprio eu ainda é consultado de tal modo que no trabalhocom nossos irmãos consideremos nosso critério como o melhorde todos? Deus nos livre de permitirmos que a supremacia do próprioeu retenha de nós as bênçãos que Deus concede aos mansos ehumildes. Os que realmente glorificam a Deus esconderão o próprio euem Cristo, alegrando-se quando Deus pode ser glorificado pelosesforços dos que se acham ligados a eles. Ninguém que tenha um
  8. 8. A p o s t i l a – E s t u d o I n d e p e n d e n t e |8conceito demasiado elevado de si mesmo pode ser bem-sucedidona obra de Deus. Com o passar do tempo, seu sentimento desupremacia se avoluma, e logo ele começa a pensar que seria melhornão unir-se com seus irmãos no trabalho, preferindo labutar sozinho. ...(MM, Este Dia Com Deus, 123) Quando romper realmente sobre nós a tempestade da perseguição,as ovelhas verdadeiras ouvirão a voz do Pastor verdadeiro. Empregar-se-ão abnegados esforços para salvar os perdidos, e muitos dos que seextraviaram do redil voltarão a seguir o grande Pastor. O povo de Deusunir-se-á, apresentando frente unida ao inimigo. ... O amor deCristo, o amor de nossos irmãos, testificará ao mundo queestivemos com Jesus e dEle aprendemos. Então, a mensagem doterceiro anjo se avolumará num alto clamor, e a Terra inteira seráiluminada com a glória do Senhor. Testimonies, vol. 6, pág. 401. Eu te escrevo isto, prezado irmão, na esperança de auxiliar-te.Estás em inquieto estado mental, e tentado a realizar uma obra estranhaque Deus não te mandou fazer. Nenhum de nós deve lutar sozinho;devemos unir-nos a nossos irmãos, e avançar juntos, e Deus nosdará influência e domínio próprio. Devemos achegar-nos a Deus,para que Ele Se achegue a nós. (MS, 46) Os obreiros de Deus devem unir-se uns aos outros comamorável simpatia e confiança. Aquele que diz ou faz qualquercoisa que tenda a separar os membros da igreja de Cristo, estáanulando os desígnios de Deus. Disputas e dissensões na igreja, onutrir suspeitas e incredulidade, são desonrosos para Cristo. Deusdeseja que Seus servos cultivem afeição cristã uns pelos outros. Averdadeira religião liga os corações, não somente com Cristo, masuns aos outros, na mais terna união. Quando soubermos o quesignifica estar assim unidos com Cristo, e com nossos irmãos, umafragrante, benéfica influência acompanhará nossas obras aonde querque formos. (O, Evang, 484) Não devemos esperar que nossos irmãos, tão frágeis comonós mesmos, nos ajudem pelo caminho; pois nosso preciosoSalvador convidou-nos a juntar-nos a Ele, e unir nossa fraqueza aSua força, nossa ignorância a Sua sabedoria, nossa indignidade aSeus méritos. Nenhum de nós pode ocupar uma posição neutra; nossainfluência se exercerá pró ou contra. Somos agentes ativos de Cristo, ou
  9. 9. 9| Apostila–Estudo Independentedo inimigo. Ou ajuntamos com Cristo, ou espalhamos. A verdadeiraconversão é uma mudança radical. A própria inclinação da mente ou atendência do coração deve ser desviada, tornando-se a vida nova outravez em Cristo. (I TS, 444) Aqueles que trabalham para Deus devem pôr de lado toda críticaindelicada, e se unirem. Precisam estudar os ensinos do Senhor a esserespeito. Cristo deseja que Seus soldados permaneçam ombro a ombro,unidos na obra de combater as batalhas da cruz. Ele deseja que aunião entre aqueles que trabalham para Ele seja tão íntima como aunião entre Ele e Seu Pai. Aqueles que sentirem o poder santificadordo Espírito Santo atenderão às lições do divino Instrutor, e revelarão suasinceridade fazendo tudo que esteja em seu poder para trabalharharmoniosamente com seus irmãos. ... (MM, Olhando Para o Alto, 360) Empregará sua habilidade, fazendo tudo o que estiver ao seualcance para estar em união com o Irmão A ______? Escreva-lhecomo a um irmão. Destrua toda barreira e faça com que não hajadissensões entre os senhores. Amem-se como irmãos, sejamcompassivos, sejam corteses. Prescrevo-lhe o amor de Cristo a sertomado em grandes doses, e ele efetuará uma grande modificação,pois possui maravilhosas propriedades curativas. (MM, Este Dia ComDeus, 119) Insto com os que professam crer na verdade, que andem emunião com os irmãos. Não procureis dar ao mundo ocasião de dizerque somos extremistas, que somos desunidos, que um ensina umacoisa e outro, outra. Evitai a dissensão. (Testemunhos Para Ministros,pág. 57) O homem é falível; mas a mensagem é infalível. Todos devemestar em harmonia com ela; é o centro de interesse, em que todosos corações devem estar unidos. Podemos enaltecer certos pontossem importância, e procurar mantê-los; mas não obteremos força porfazer isso. A mensagem deve preparar um povo que permaneça em péno último grande dia e esteja unido no Céu, lá no alto. Ninguém deveachar que não tem especial importância se está em união comseus irmãos, ou não; pois os que não aprendem a viver emharmonia neste mundo, nunca estarão unidos no Céu. .. (MM,Exaltai-o, 310)
  10. 10. A p o s t i l a – E s t u d o I n d e p e n d e n t e | 10 Só podemos amar nosso próximo como a nós mesmos se amarmosa Deus acima de todas as coisas. O amor a Deus dará frutos em amorao próximo. Muitos pensam que é impossível amar ao próximo como anós mesmos, mas este é o único fruto genuíno do cristianismo. Amar aoutros é revestir-se do Senhor Jesus Cristo; é andar e viver tendoem vista o mundo invisível. Devemos assim conservar-nos olhandopara Jesus, o Autor e Consumador de nossa fé. Review and Herald, 26de junho de 1894. (BS, 49) Muitas pessoas que não pertencem a nossa fé, estão anelando opróprio auxílio que os cristãos têm o dever de dar. Caso o povo de Deusmostrasse genuíno interesse em seu próximo, muitos seriamalcançados pelas verdades especiais para este tempo. Coisa algumadará, ou jamais poderá dar reputação à obra, como ajudar o povo indoao seu encontro onde se acham. Milhares de pessoas poderiam estarhoje regozijando na mensagem, se aqueles que professam amar aDeus e guardar Seus mandamentos, trabalhassem como Cristotrabalhava. (Testemunhos Seletos, vol. 2, págs. 516-518.) Portanto, assim como Ele está trabalhando para nós,trabalhemos tão diligente e interessadamente para promover aunião uns com os outros. Cristo orou para que fôssemos da mesmanatureza e unidade existentes entre Ele e o Pai. Procuremos, em tudoque fazemos, assegurar a confiança e o amor de um pelo outro, eassim atenderemos à oração de Cristo Jesus. ... Nem todas as vossassuposições e idéias de vossos irmãos são corretas. ... Abandonemosessas feias suposições e imaginações; mantenhamo-nos bem chegadosao lado de Cristo e pensemos no valioso encorajamento que Ele nosdeu, para que nós, por nossa vez, possamos dá-lo a outros. ... Que ainveja e a rivalidade sejam apagadas na torrente do amor procedente dafonte do amor de Deus. O clamor dos que estão prestes a perecerencontra rápida penetração no Seu ouvido. "Porque Ele acode aonecessitado que clama e também ao aflito e ao desvalido." Sal. 72:12.Manuscrito 129, 1901. ( MM, Exaltai-o, 322) O Senhor não habilitou nenhum de nós a levar o fardo da obrasozinho. Ele associou homens de mentalidade diferente, para quepossam aconselhar-se e ajudar-se mutuamente. Deste modo adeficiência na experiência e na capacidade de um é suprida pelaexperiência e capacidade de outro. Devemos todos estudar atentamente
  11. 11. 11 | Apostila–Estudo Independentea instrução dada em Coríntios e Efésios no tocante a nossa relação unscom os outros como membros do corpo de Cristo. .. (Este Dia ComDeus, 152) Somos muito gratos porque temos a segura palavra profética,de modo que nenhum de nós precisa ser enganado. Sabemos queno tempo presente há heresias e fábulas em nosso mundo, eprecisamos saber o que é a verdade. Compete-nos estudardiligentemente por nós mesmos, para que possamos obter esseconhecimento. Não podemos fazê-lo com a simples leitura dasEscrituras, mas precisamos comparar uma passagem com outra.Precisamos examinar as Escrituras por nós mesmos, para que nãosejamos desencaminhados; e embora muitos sejam desencaminhadosporque em nosso mundo há doutrinas de todo o tipo, existe uma sóverdade. Muitos poderão aproximar-se de vós e dizer-vos que têm averdade, mas é vosso privilégio examinar as Escrituras por vósmesmos. "À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo estapalavra, nunca verão a alva." Isa. 8:20. Precisamos conhecer asEscrituras por nós mesmos, para que possamos compreender averdadeira razão da esperança que há em nós. (MM, Exaltai-o, 115) Se a mente se aplicar à tarefa de estudar a Bíblia para obterinformação, ampliar-se-ão as faculdades do raciocínio. Submetida aoestudo das Escrituras, a mente se expande e torna-se mais bemequilibrada do que ocupando-se na obtenção de conhecimentos geraisdos livros que são usados e que não têm conexão com a Bíblia.Nenhum conhecimento é tão sólido, consistente, e de tão vasto alcance,como o que é obtido do estudo da Palavra de Deus. É a base de todoverdadeiro conhecimento. A Bíblia é como uma fonte. Quanto mais seolha para o seu interior, tanto mais profundo parece à vista. Asgrandiosas verdades da história sagrada possuem estupenda forçae beleza, e são tão vastas como a eternidade. Nenhuma ciência seiguala à que revela o caráter de Deus. Moisés foi educado em toda asabedoria dos egípcios, disse porém o seguinte: "Vedes aqui vos tenhoensinado estatutos e juízos, como me mandou o Senhor, meu Deus,para que assim façais no meio da terra a qual ides a herdar. Guardai-os,pois, e fazei-os, porque esta será a vossa sabedoria e o vossoentendimento perante os olhos dos povos que ouvirão todos estesestatutos e dirão: Só este grande povo é gente sábia e inteligente.Porque, que gente há tão grande, que tenha deuses tão chegados
  12. 12. A p o s t i l a – E s t u d o I n d e p e n d e n t e | 12como o Senhor, nosso Deus, todas as vezes que O chamamos? Eque gente há tão grande, que tenha estatutos e juízos tão justos comotoda esta lei que hoje dou perante vós? Tão-somente guarda-te a timesmo e guarda bem a tua alma, que te não esqueças daquelas coisasque os teus olhos têm visto, e se não apartem do teu coração todos osdias da tua vida, e as farás saber a teus filhos e aos filhos de teusfilhos." Deut. 4:5-9. (FEC, 393) Não precisa ninguém perder os áureos momentos de tempo, nabreve história de sua vida, buscando só pesar as imperfeições dosprofessos cristãos. Nenhum de nós tem tempo para isso fazer. Sesabemos qual a espécie de caráter que os cristãos devem formar, etodavia vemos em outros aquilo que é incoerente com esse caráter,tomemos a decisão de resistir firmes ao inimigo em suas tentações denos fazer agir de modo incoerente, e digamos: "Não farei com que CristoSe envergonhe de mim. Hei de estudar mais fervorosamente o caráterde Cristo, em quem não havia imperfeição, nem egoísmo, nem máculaou mancha do mal, que não viveu para Se agradar a Si mesmo e a Simesmo glorificar, mas sim para glorificar a Deus e salvar a humanidadecaída. Não copiarei as qualidades defeituosas desses cristãosincoerentes; os erros que eles praticaram não me levarão a sersemelhantes a eles. Volver-me-ei ao precioso Salvador a fim de queseja semelhante a Ele, seguindo a instrução da Palavra de Deus, quediz: Haja em vós o mesmo sentimento que houve também em CristoJesus." Filip. 2:5. Review and Herald, 8 de agosto de 1893. (MM, Paraconhecê-lo, 179)

×