1|   Apostila–A Condição da Igreja I                     A CONDIÇÃO DA IGREJAO MUNDANISMO NA IGREJADos santos homens do pa...
A p o s t i l a– A C o n d i ção d a Ig r ej a I |2Simplicidade e singeleza devem assinalar as habitações e vestuário deto...
3|   Apostila–A Condição da Igreja Iprimeiros a buscar o prazer, a algazarra e a frivolidade. Sua influenciafora dos púlpi...
A p o s t i l a– A C o n d i ção d a Ig r ej a I |4condenados. Pecados graves e presunçosos têm habitado entre nós. Eno en...
5|   Apostila–A Condição da Igreja ICristo declara que existirá idêntica incredulidade no tocante á suasegunda vinda. Como...
A p o s t i l a– A C o n d i ção d a Ig r ej a I |6uns com os outros. Sois tristemente carentes em amor fraternal. Soisuma...
7|   Apostila–A Condição da Igreja Imesmos, vendo-as, que perto está já o verão. Assim também vos,quando virdes acontecer ...
A p o s t i l a– A C o n d i ção d a Ig r ej a I |8Há outra questão mais importante que deveria ocupar a atenção dasigreja...
9|   Apostila–A Condição da Igreja Ique os que possuem religião pura e incontaminada venham a incorrerem difamação.Os mini...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 10uma fascinante ilusão, a que toma posse do espírito dos homens,q...
11 |   Apostila–A Condição da Igreja Ibrevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, senão searrependereis ...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 12Deus pleiteou com eles para não provocar-Lhe a ira com a obra de...
13 |   Apostila–A Condição da Igreja IMuitos estavam entronizando ídolos no coração e praticando ainiqüidade, o que os sep...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 14objetivos. O professo povo de Deus é egoísta e preocupado consig...
15 |   Apostila–A Condição da Igreja Ipara eles. Não possui genuína fé. Homens e mulheres agirão de acordocom a fé que rea...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 16excelentes bênçãos gratuitamente oferecidas por Deus aos humilde...
17 |   Apostila–A Condição da Igreja Icrer na verdade serão finalmente salvos, não porque não possam sersalvos, mas porque...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 18Deus em pé com balanças, pesando os pensamentos de Seusprofessos...
19 |   Apostila–A Condição da Igreja IHá decidido testemunho a ser dado por todos os nossos ministros emtodas as nossas ig...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 20Minha atenção foi encaminhada para a providência de Deus. Entre ...
21 |   Apostila–A Condição da Igreja IO povo a quem Deus confiou as sagradas, solenes e probantesverdades para este tempo ...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 22diariamente guiados pelo Espírito de Deus, ou havemos de serdiri...
23 |   Apostila–A Condição da Igreja IO Senhor plantou Sua igreja como uma vinha em campo fértil. Com omais terno cuidado ...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 24espiritual que prevalece. Muitos levam uma vida cristã formal e ...
25 |   Apostila–A Condição da Igreja Ivestidos, sua mesa, do que nas almas de homens e mulheres quedevem encontrar face a ...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 26Se os dirigentes de nossas Associações não aceitarem agora amens...
27 |   Apostila–A Condição da Igreja Iconsciência. E sobre todos esses maus traços lançam o manto dareligião.” Foi-me most...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 28preeminência. Deve-se exercer a sabedoria de Cristo ao lidar com...
29 |   Apostila–A Condição da Igreja IHá estonteante apostasia no povo de Deus, aqueles a quem tem sidoconfiadas santas e ...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 30enviado. Não perceberão seus perversos caminhos para seremconver...
31 |   Apostila–A Condição da Igreja Iangústia, e será maior o seu castigo, porque vocês souberam Suavontade e a não fizer...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 32acumular seu tesouro na Céu. Via hipocrisia, trevas e morte por ...
33 |   Apostila–A Condição da Igreja Ibenção especial de Deus foi derramada; manifestar-se-á o que seráconsiderado como gr...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 34caminhos da humilde obediência; a maldição se se unirem a idólat...
35 |   Apostila–A Condição da Igreja IConjuro-te pois diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há dejulgar os vivos e...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 36transgressor, ouvindo-a, seja desculpável em deixar de discernir...
37 |   Apostila–A Condição da Igreja Irepreensão fiel: “Tu és este homem”? II Sam. 12:7. Não fosse tão raraessas palavras,...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 38do ajuste final de contas, Seus fiéis ministros achar-se-ão com ...
39 |   Apostila–A Condição da Igreja Iesperança. Pessoas que, constantemente assediadas pela tentação,estão combatendo um ...
A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 40firmados na Rocha eterna. Muitos que professam piedade vão sepre...
41 |   Apostila–A Condição da Igreja Idesfavorável do que os judeus, sobre quem Cristo pronunciou umamaldição.Vi que a inc...
39. a condição da igreja i
39. a condição da igreja i
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

39. a condição da igreja i

276

Published on

Published in: Spiritual
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
276
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

39. a condição da igreja i

  1. 1. 1| Apostila–A Condição da Igreja I A CONDIÇÃO DA IGREJAO MUNDANISMO NA IGREJADos santos homens do passado está escrito que Deus não Seenvergonhava de ser chamado de seu Deus (Heb. 11:16). A razãoapresenta é que em vez de cobiçar posses terrenas ou de buscar afelicidade em planos ou aspirações mundanos, eles depuseram tudo noaltar de Deus e abriram mão disso para a edificação do Seu reino.Viveram apenas para glória de Deus e declararam claramente que eramestrangeiros e peregrinos na Terra, procurando uma pátria melhor, acelestial! Sua conduta proclamava-lhes a fé. Deus podia confiar neles edeixar que o mundo recebesse deles o conhecimento de Sua vontade.Como, porém está o professo povo de Deus hoje mantendo a honra doSeu nome? Como pode o mundo perceber que eles são um povopeculiar? Que prova dão de sua cidadania no Céu? Suacondescendência própria e amor á comodidade falsifica o caráter deCristo. Ele não poderia distingui-los de nenhuma forma assinaladadiante do mundo sem endossar a falsa representação de Seu caráter.Pergunto á igreja de Batel Creek: que testemunho estão vocês dando aomundo? A medida que sua conduta me foi apresentada, chamou-meatenção as habitações recentemente erigidas por nosso povo nessacidade. Essas edificações são monumentos de sua incredulidade nasdoutrinas que professam defender. Estão elas pregando sermões maiseficazes do que muitos proferido do púlpito. Vi os mundanos apontandopara elas com motejos e zombaria, como uma negação de nossa fé.Essas construções proclamam que seus proprietários têm dito em seucoração: “Meu Senhor tarde vira” Luc. 12:45.Contemplei seu vestuário e ouvi a conversação de muitos queprofessam a verdade. Ambos eram opostos aos princípios da verdade.Vestes e conversa revelam o que é mais prezado por aqueles quedizem ser peregrinos e estrangeiros na Terra” Do mundo são; por isso,falam do mundo, e o mundo os ouve.” I João 4:5.
  2. 2. A p o s t i l a– A C o n d i ção d a Ig r ej a I |2Simplicidade e singeleza devem assinalar as habitações e vestuário detodos os que crêem nas solenes verdades para este tempo. Todos osrecursos desnecessariamente gastos em vestuário ou no adorno denossa casa são um desperdício do dinheiro do Senhor. É defraudar acausa de Deus para satisfazer ao orgulho. Nossas instituições estãocarregadas de débitos, e como podemos esperar que o Senhorresponda nossas orações por sua prosperidade, quando não estamosfazendo o que podemos para aliviá-las das complicações?Gostaria de dirigir-me a vocês como Cristo fez com Nicodemos:“Necessário vos é nascer de novo.” João 3: 7. Aqueles que têm a Cristonão sentem qualquer desejo de imitar o exibicionismo do mundo. Eleslevarão a todos os lugares o estandarte da cruz, testemunhando acercados elevados alvos e nobres temas, diversamente daqueles que estãoabsorvidos em interesses mundanos. Nosso vestuário, nossas casas,nossa conversação, devem testificar de nossa consagração a Deus.Que poder assistiria a todos que assim demonstrassem que deixaramtudo por Cristo. Deus não Se envergonharia de reconhecê-los comoSeus filhos. Ele abençoaria seu consagrado povo e o mundo descrentehaveria de temê-lo.Cristo anseia atuar poderosamente através de Seu Espírito para aconvicção e conversão de pecadores. Porém, de acordo com Seu divinoplano, a obra precisa ser realizada através dos instrumentos de Suaigreja. Os membros da igreja tanto se afastaram dEle, que ele não podecumprir Sua vontade através deles. Ele preferiu trabalhar com recursos,todavia, os recursos empregados precisam estar em harmonia com Seucaráter.Quem de Battle Creek é fiel e verdadeiro? Que venha para o lado doSenhor. Para estarmos em posição que Deus nos possa usar, teremosde possuir fé e experiência individuais. Somente os que confiamtotalmente em Deus estão seguros agora. Não devemos seguir qualquerexemplo humano ou nos firmamos em apoio humano. Muitos estãoconstantemente tomando posições erradas e fazendo mudançasequivocadas. Se confiarmos em sua guia, seremos desencaminhados.Muitos que professam ser porta-voz de Deus estão, por sua vida diária,negando a fé. Apresentam ao povo verdades importantes, mas quem seimpressiona com elas? Quem é convencido de pecado? Os ouvintessabem que aqueles que estão pregando hoje serão amanhã os
  3. 3. 3| Apostila–A Condição da Igreja Iprimeiros a buscar o prazer, a algazarra e a frivolidade. Sua influenciafora dos púlpitos acalma a consciência do impenitente e faz com que oministério seja desprezado. Eles estão cochilando no limiar do mundoeterno. O sangue das almas está em suas vestes.Como devem os fieis servos de Deus se ocupar? “Orando em todotempo com toda oração e súplica no Espírito”, orando individualmente,em família, na congregação, em todo lugar, “e vigiando nisso com todaperseverança”. Efés. 6:18. Eles sentem que as pessoas estão em perigoe, com fervente e humilde fé, suplicam as promessas de Deus em seufavor. O resgate pago por Cristo – a expiação sobre a cruz – estásempre diante deles. Esses terão as conversões como selos de seuministério.A reprovação do Senhor recai sobre Seu povo por seu orgulho eincredulidade. Ele não lhes dará as alegrias da salvação enquantoestiverem se afastando das instruções de Sua Palavra e Seu Espírito.Dará graça aqueles que O temem e andam na verdade, e subtrairáSuas bênçãos de todos aqueles que assimilaram o mundo. Misericórdiae verdade são prometidas aos humildes e penitentes, e juízos sãopronunciados contra os rebeldes.A igreja de Battle Creek poderia ter permanecido livre da idolatria, e suafidelidade teria sido um exemplo para outras igrejas. Mas ela está maisdisposta renunciar aos mandamentos de Deus do que á sua amizadecom mundo. Está ligada aos ídolos que escolheu, e porque aprosperidade temporal e o favor do mundo ímpio são seus, ela crê serrica para com Deus. Isso provará ser para muitos um engano letal. Seucaráter divino e poder espiritual apartaram-se dela.Aconselho que a igreja dê ouvidos á admoestação do Salvador:“Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeirasobras; quando não, brevemente a ti virei e tirarei do seu lugar o teucastiçal, se não te arrependeres”. Apoc.2:5.( 5 TI, pág. 188-191).UM APELOEncho-me de tristeza quando penso em nossa condição como um povo.O Senhor não nos cerrou o Céu, mas nosso próprio procedimento deconstante apostasia nos separou de Deus. O orgulho, a cobiça e o amordo mundo têm habitado no coração, sem temor de ser banidos ou
  4. 4. A p o s t i l a– A C o n d i ção d a Ig r ej a I |4condenados. Pecados graves e presunçosos têm habitado entre nós. Eno entanto, a opinião geral é que a igreja está florescendo, e que paz eprosperidade espiritual se encontram em todas as suas fronteiras. Aigreja deixou de seguir a Cristo, seu Guia, e está constantementeretrocedendo rumo do Egito. Todavia, poucos ficam alarmados ouatônitos com sua falta de poder espiritual. Dúvidas e mesmo descrençados testemunhos do Espírito de Deus estão levedando nossas igrejaspor toda parte. Satanás assim o deseja. Pastores que pregam o eu emlugar de Cristo, desejam que seja assim. Os testemunhos não são lidose apreciados. Deus tem falado a vocês. Luz tem sido derramada de suaPalavra e dos testemunhos, ambos têm sido desprezados edesobedecidos. O resultado aparece na falta de pureza, consagração efervente fé entre nós.Que cada um proponha estas questões em seu coração: “Como pudecair neste estado de fraqueza espiritual? Tenho atraído sobre mim odesagrado divino por causa de minhas ações que não correspondem áfé que professo? Não estarei, por ventura, buscando amizade eaplausos do mundo, antes que a presença de Cristo e um profundoconhecimento de Sua vontade? (5TI, pág. 217-218).A norma de santidade é hoje a mesma que nos dias dos apóstolos. Nemas promessas nem as reivindicações de Deus perderam coisa algumade sua força. Mas qual é o estado do professo povo do Senhor, emcomparação com a igreja primitiva? Onde está o Espírito e o poder deDeus que, naquele tempo, acompanhava a pregação do Evangelho?“Ai,” “como se escureceu o ouro! Como se mudou o ouro fino e bom!”Lam. 4:1. (5 TI, pág. 240)A igreja está em estado de Laodiceana. A presença de Deus não estáno meio dela. INL, 99 (1981) (E.F pág. 44).Para os que são indiferentes neste tempo, a advertência de Cristo é:“porque és morno, e não és frio e nem quente, vomitar –te –ei da minhaboca. Apoc. 3:16. A figura de vomitar da sua boca significa que não podeoferecer a Deus vossas orações ou expressões de amor. Não podeaprovar de forma alguma o vosso ensino de sua palavra ou o vossotrabalho espiritual. Não pode apresentar os vossos cultos religiosos como pedido de que vos seja concedida graça. (III TS pág. 15).
  5. 5. 5| Apostila–A Condição da Igreja ICristo declara que existirá idêntica incredulidade no tocante á suasegunda vinda. Como os contemporâneos de Noé não o reconheceram,“Até que veio o dilúvio e os levou a todos, assim será também”, naspalavras de nosso Salvador, “A vinda do Filho do Homem”. S. Mat.24:39. Quando o professo povo de Deus se estiver unindo com omundo, vivendo como vivem os do mundo, e com eles gozando deprazeres proibidos; quando o luxo do mundo se tornar o luxo da igreja;quando os sinos para casamentos estiverem a tocar, e todos olharempara o futuro esperando muitos anos de prosperidade temporal,subitamente então, como dos céus fulgura o relâmpago, virá o fim desuas resplendentes visões e esperanças ilusórias. (GC, pág. 338/339).O mundo não pode ser introduzido na igreja e com ela casar-se,formando um laço de união. Por esse meio tornar-se-á a igrejaverdadeiramente corrupta, e, como foi declarado em Apocalipse: coitode toda ave imunda e aborrecível (TM, pág. 265).Muitos que se chamam cristãos são meros moralistas humanos.Recusaram a dádiva que, somente, podia habilitá-los para honrar aCristo com representá-Lo ao mundo. A obra do Espírito Santo lhes éestranha. Não são praticantes da Palavra. Os princípios celestes quedistinguem os que são um com Cristo dos que se unem ao mundo,tornaram-se quase indistintos. Os professos seguidores de Cristo nãosão mais um povo separado e peculiar. A linha de demarcação éimperceptível. O povo está-se subordinando ao mundo, às suaspráticas, costumes e egoísmos. A igreja passou para o mundo,transgredindo a lei, quando o mundo devia passar para a igreja naobediência da mesma. Diariamente a igreja se está convertendo aomundo. (PJ, 315-316)Todos estes esperam ser salvos pela morte de Cristo, ao passo querecusam viver Sua vida de abnegação. Exaltam as riquezas da livregraça, e procuram cobrir-se com a aparência de justiça, esperandoassim ocultar os defeitos de caráter, mas seus esforços serão vãos nodia de Deus. (PJ, 316)A igreja de Battle Creek penetrou um espírito que não tem parte emCristo. Não é o zelo pela verdade, nem o amor pela vontade de Deuscomo revelada em Sua Palavra. É um espírito de justiça própria. Ele vosleva a exaltar o eu acima de Jesus e a considerar vossas própriasopiniões e idéias como mais importantes do que a união com Cristo e de
  6. 6. A p o s t i l a– A C o n d i ção d a Ig r ej a I |6uns com os outros. Sois tristemente carentes em amor fraternal. Soisuma igreja apostatada. Conhecer a verdade, professar união com Cristo,e todavia não produzir fruto, não viver no exercício de constante fé - istoendurece o coração na desobediência e na confiança própria. Nossocrescimento na graça, nossa felicidade, nossa utilidade, tudo dependede nossa união com Cristo e o grau de fé que nEle exercemos. Aquiestá a fonte de nosso poder no mundo. (CSE, 78)Bom seria á igreja e ao mundo se os princípios que atuavam naquelasalmas inabaláveis revivessem no coração do professo povo de Deus.Há alarmante indiferença em relação ás doutrinas que são as colunasda fé cristã. Ganha terreno a opinião de que, em última análise, não sãode importância vital. Esta degenerescência está fortalecendo as mãosdos agentes de Satanás, de modo que falsas teorias e enganos fatais,que os fieis dos séculos passados expunham e combatiam com riscosda própria vida, são hoje considerados com favor por milhares quepretendem ser seguidores de Cristo. (GC, pág. 46).Este é o resultado certo de não apreciar nem aproveitar a luz eprivilégios que Deus confere. A menos que a igreja siga o caminho quelhe abre a Providência, aceitando todo raio de luz, cumprindo todo deverque lhes seja revelado, a religião totalmente degenerará em formalismo,e desaparecerá o espírito da piedade vital. Estas verdades têm sidorepetidas vezes ilustradas na história da igreja. Deus requer de Seupovo obras de fé e obediência correspondentes ás bênçãos e privilégiosconferidos. A obediência exige sacrifício e implica uma cruz; e este é omotivo porque tantos dentre os professos seguidores de Cristo serecusam a receber a luz do Céu e, como aconteceu com os judeus deoutrora, não conhecem o tempo de Sua visitação. (S. Lucas 19:44) porcausa de seu orgulho e incredulidade, o Senhor os passa por alto, erevela Sua vontade aos que, á semelhança dos pastores de Belém edos magos do Oriente, têm prestado atenção a toda luz que receberam.(GC pág. 316).Cristo ordenara a Seu povo que atendessem aos sinais de Seu adventoe se regozijassem ao contemplar os indícios de Seu vindouro Rei.“Quando estas coisas começarem a acontecer”, disse Ele, “Olhai paracima e levantai as vossas cabeças, por que a vossa redenção estápróxima”. Ele indicou a seus seguidores as árvores a brotarem naprimavera, e disse: “Quando já tem rebentado, vos sabeis por vós
  7. 7. 7| Apostila–A Condição da Igreja Imesmos, vendo-as, que perto está já o verão. Assim também vos,quando virdes acontecer estas coisas, sabei que o Reino de Deus estáperto”. S. Lucas 21:28,30 e 31.Mas como o espírito de humildade e devoção na igreja cedera lugar aoorgulho e formalismo, esfriaram o amor a Cristo é a fé em Sua vinda.Absorto nas coisas mundanas e na busca de prazeres, o povo professode Deus estava cego ás instruções do Salvador relativas aos sinais deSeu aparecimento. A doutrina do segundo advento tinha sidonegligenciada; os textos que ela se referem foram obscurecidos porinterpretações errôneas, a ponto de ficarem em grande parteesquecidos e ignorados. Especialmente foi este o caso nas igrejas daAmérica. A liberdade e conforto desfrutados por todas as classes dasociedade; o ambicioso desejo de haveres e luxo, de onde vem oabsorvente empenho de adquirir dinheiro; ansiosa procura depopularidade e poderio, que pareciam estar ao alcance de todos,levavam os homens a centralizar seus interesses e esperanças nascoisas desta vida, afastando ao futuro longínquo dia solene em quepassaria a presente ordem de coisas.Quando o Salvador indicou a Seus seguidores os sinais de sua volta,predisse o estado de apostasia que havia de existir precisamente antesde Seu segundo advento. Haveria, como nos dias de Noé, a atividade ea agitação das ocupações mundanas e da procura de prazeres –comprar, vender, plantar, edificar, casar, dar-se em casamento – comouvido de Deus e na vida futura. Para os que viverem nesse tempo, aadvertência de Cristo é:”Olhai por voz, não aconteça que os vossoscorações se carreguem de glutonarias, de embriaguez, e dos cuidadosda vida, e venha sobre voz de improviso aquele dia.” “Vigiai, pois, emtodo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todasestas coisas que hão de acontecer e de estar em pé diante do Filho dohomem.” S. Lucas 21:24 e 36.A condição da igreja neste tempo é indicada nas palavras do Salvador,em Apocalipse: “Tens nome de que vives, e estás morto.” E aos que serecusam despertar de seu descuidos e sentimentos de segurança, édirigido este aviso solene: “Se não vigiares, virei a ti como um ladrão, enão saberás a que hora sobre ti virei.” Apoc. 3:1 e 3. (GC pág.308/309/310).
  8. 8. A p o s t i l a– A C o n d i ção d a Ig r ej a I |8Há outra questão mais importante que deveria ocupar a atenção dasigrejas de hoje. O apóstolo Paulo declara que “todos os que piamentequerem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições”. II Tim 3:12. Porque é, pois, que a perseguição, em grande parte, parece adormentada?A única razão é que a igreja se conformou com a norma do mundo, e,portanto não suscita oposição. A religião que em nosso tempo prevalecenão é do caráter puro e santo que assinalou a fé cristã nos dias deCristo e Seus apóstolos. E unicamente por causa do espírito detransigência com o pecado, por serem as grandes verdades da Palavrade Deus tão indiferentemente consideradas, por haver tão poucaspiedades vitais na igreja, que o cristianismo, é aparentemente tãopopular no mundo. Haja um reavivamento da fé e poder da igrejaprimitiva, e o espírito de opressão reviverá, reacendendo-se as fogueirasda perseguição. (GC pág. 48).UNIÃO DA IGREJA COM O MUNDOA igreja não é hoje o povo separado e peculiar que foi quando os fogosda perseguição estiveram acesos contra ela. Como o ouro se tornoufusco! Como se transformou o ouro finíssimo! Vi que se a igreja tivessesempre conservado seu caráter peculiar e santo, o poder do EspíritoSanto que fora comunicado aos discípulos ainda estaria com ela. Osdoentes seriam curados, os demônios seriam repreendidos e expulsos eela seria poderosa e um terror para seus inimigos.Vi uma grande multidão professando o nome de Cristo, mas Deus nãoos reconhecia como Seus. Não tinha prazer neles. Satanás pareceuassumir um caráter religioso, e estava muito desejoso de que o povojulgasse serem eles cristãos. Estava mesmo ansioso para queacreditasse em Jesus, Sua crucificação e Sua ressurreição. Satanás eseus anjos criam perfeitamente em tudo isso, e tremiam. Se, porém,esta fé não instiga a boas obras, e não leva aos que a professam aimitar a vida abnegada de Cristo, Satanás não se inquieta; poismeramente tomam o nome de cristãos, enquanto seus corações aindasão carnais, e ele os pode empregar em seu serviço mesmo melhor doque se não fizessem profissão alguma. Escondendo sua deformidadesob o nome de cristãos, passam a vida com suas naturezas nãosantificadas e suas más paixões sem serem subjugadas. Isto dá ocasiãopara o incrédulo vituperar a Cristo pelas imperfeições deles, e faz com
  9. 9. 9| Apostila–A Condição da Igreja Ique os que possuem religião pura e incontaminada venham a incorrerem difamação.Os ministros pregam coisas agradáveis para convirem a esses queprofessam a religião de um modo carnal. Não ousam pregar a Jesus eas verdades incisivas da Bíblia; pois, se assim fizessem, esses quecarnalmente são professos da religião. Não permaneceriam na igreja.Mas, sendo que muitos deles são ricos, deverão ser conservados,embora não estejam mais em condições de ali se achar do que Satanáse seus anjos. Isto é exatamente como Satanás desejava. Faz-se comque a religião de Jesus pareça popular e honrada aos do mundo.Declara-se ao povo que aqueles que professam a religião serão maishonrados pelo mundo. Tais ensinos diferem mui grandemente dos deCristo. Sua doutrina e o mundo não podiam estar em paz. Aqueles queO seguiam tinham de renunciar o mundo. Estas coisas agradáveisoriginaram-se com Satanás e seus anjos. Eles formularam plano, ecristãos de nome o levaram a efeito. Ensinavam-se fábulas aprazíveis ecom facilidade eram recebidas; e hipócritas e declarados pecadoresuniram-se com a igreja. Se a verdade tivesse sido pregada em suapureza, logo teria excluído essa classe. Não havia porém, diferençaentre os professos seguidores de Cristo e o mundo. Vi que se a falsacobertura tivesse sido retirada dos membros da igreja, seriam reveladastais iniqüidades, vilezas e corrupção, que o mais tímido filho de Deusnão teria hesitado em chamar a esses professos cristãos pelo seuverdadeiro nome, filhos de seu pai, o diabo; pois suas obras oatestavam. (P.E pág. 227-228).Cristo diz o seguinte daqueles que se ufanam de sua luz mas não andamnela: “Por isso Eu vos digo que haverá menos rigor para Tiro e Sidom, nodia do Juízo, do que para vós outros. E tu, Cafarnaum [Adventista dosétimo dia que tiveste grande luz], que te ergues até aos Céus[ comreferência a privilégios], serás abatidas até aos infernos; por que se emSodoma tivessem sido feitos os prodígios que em ti se operaram, teriaela permanecido até hoje.” – RH, 1 de Agosto de 1893. (EF 43/44).O professor celeste indagou: “Que engano maior poderá seduzir oespírito do que a pretensão de que estais construindo sobre ofundamento reto e de que Deus aceita vossas obras, quando narealidade estais efetuando muitas coisas de acordo com princípiosmundanos, e estais pecando contra Jeová? Oh! É um grande engano,
  10. 10. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 10uma fascinante ilusão, a que toma posse do espírito dos homens,quando, tendo uma vez conhecido a verdade, confundem a forma dapiedade com o espírito e a eficiência da mesma; quando supõem serricos, e estar enriquecidos, e de nada terem falta, enquanto na realidadeestão faltos de tudo! (III TS, pág. 253).Deus não mudou em relação a Seus servos fiéis que guardamimaculadas as suas vestes. Mas muitos estão a clamar: “Paz esegurança!”, enquanto está prestes a sobrevir-lhes repentinadestruição. A menos que haja arrependimento completo, a menosque os homens se humilhem o coração, confessando os pecados erecebendo a verdade tal qual é em Jesus, jamais entrarão no Céu.Quando a purificação se realizar em nossas fileiras, não ficaremospor mais tempo ociosos, jactando-nos de ser ricos e enriquecidos ede nada ter falta. (III TS pág. 253/254).Quem pode sinceramente dizer: “Nosso ouro é provado no fogo: nossasvestes estão incontaminada do mundo”? Eu vi nosso Instrutorapontando para as vestes da chamada justiça. Tirando-as, pôs adescoberta a corrupção que estava por debaixo. Disse-me Ele, então:“Não vê como eles pretensiosamente encobriam seu depravamento ecorrupção do caráter? ‘Como se fez prostituta a cidade fiel!’ A casa deMeu Pai é feita casa de venda, um lugar de onde partiram a presença eglória divinas! Por este motivo é que há fraqueza, e falta de força.”A menos que se arrependa e converta a igreja que agora está a levedar-se com sua apostasia, comerá do fruto de seus próprios atos, até que seaborreça a si mesma. Quando resistir ao mal e escolher o bem, quandobuscar a Deus com toda a humildade e alcançar sua alta vocação emCristo, permanecendo na plataforma da verdade eterna, e pela fé lançarmão dos dons que para ela se acham preparados, então será curada.Aparecerá então na simplicidade e pureza que Deus lhe deu, separadade embaraços terrenos, mostrando que a verdade com efeito a libertou.Então seus membros serão na verdade os escolhidos de Deus, os Seusrepresentantes. (III TS, pág. 254).Os olhos do Senhor se dirigiam para o povo com um misto de tristezae desprazer, e eram pronunciadas as palavras: “Tenho porém contrati que deixaste a tua primeira caridade. Lembra-te, pois, dondecaíste, e arrepende-te e pratica as primeiras obras; quando não,
  11. 11. 11 | Apostila–A Condição da Igreja Ibrevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, senão searrependereis (TM pág. 461).Então haverá a mais severa crítica de toda posição assumida em defesada verdade. Na manifestação desse poder que ilumina a Terra com aglória de Deus, eles só verão alguma coisa que, em sua cegueiraconsideram perigosa, alguma coisa que despertará os seus receios, ese disporão a resistir-lhe. A mensagem do terceiro anjo não serácompreendida, e a luz que iluminará a Terra com sua glória seráchamada de falsa luz pelos que se recusam andar em sua glóriaprogressiva. – RH 27 de maio de 1890. (EF, pág. 180/181).O espírito predominante em nosso tempo é de infidelidade e apostasia –espírito de professada iluminação por causa do conhecimento daverdade, mas na realidade da mais cega presunção. Teorias humanossão exaltadas, e postas onde deviam estar Deus e Sua Lei. Satanástenta homens e mulheres a desobedecerem, com a promessa de quena desobediência encontrarão liberdade e independência que ostornarão deuses. Há um visível espírito de oposição á clara Palavra deDeus, de idolátrica exaltação da sabedoria humana sobre a revelaçãodivina. Os homens tem permitido que suas mentes se tornem tãoentenebrecidas e confusas pela conformidade aos costumes einfluencias mundanos, que parecem haver perdido todo o poder dediscriminação entre a luz e as trevas, a verdade e o erro. Tão longe têm-se afastado do caminho do direito a ponto de sustentarem as opiniõesde uns poucos filósofos, assim chamados, como mais dignas de créditodo que as verdades da Bíblia. As instâncias e promessas da Palavra deDeus, suas ameaças contra a desobediência e a idolatria – tudo parecenão ter poder para tocar-lhe o coração. Uma fé como a que operou emPaulo, Pedro e João, eles a consideram como coisa do passado,misticismo, e indigna de inteligência dos modernos pensadores.(PR,pág. 178).O Senhor deu a Jeremias uma mensagem de reprovação para a seupovo, acusando pela contínua rejeição do conselho de Deus: “E vosenviei todos os Meus servos, os profetas, madrugando, e enviando, edizendo: convertei-vos, agora, cada um do seu mau caminho, e fazeiboas as vossas ações, e não sigais a outros deuses para servi-los; eassim ficareis na terra que vos dei a vós e vossos pais.”Jeremias 35:15.
  12. 12. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 12Deus pleiteou com eles para não provocar-Lhe a ira com a obra de suasmãos, e com o seu coração, “mas não inclinastes os ouvidos”. Jeremias35:15. Jeremias então predisse o cativeiro dos judeus, como suapunição pôr não darem ouvidos á Palavra do Senhor. Os caldeusdeveriam ser usados como o instrumento pelo qual Deus castigaria oSeu povo desobediente. A punição deles devia ser proporcional á suainteligência e ás advertências que haviam desprezado.Em nossos dias Ele não instituiu qualquer plano para preservar a purezade Seu povo. Como no passado, apela aos errantes que professam oSeu nome para se arrependerem e se volverem de seus mauscaminhos.Nos dias de Samuel, Israel, julgou que a presença da arca contendo osmandamentos de Deus lhes daria vitória sobre os filisteus,arrependessem-se eles ou não de suas obras iníquas. Exatamenteassim , no tempo de Jeremias, os judeus criam que a estritaobservância dos serviços divinamente designados do Templo ospreservaria da justa punição por seus maus cominhos.O mesmo perigo existe hoje entre o povo que professa ser depositárioda lei de Deus. São demasiados prontos em lisonjear-se com opensamento de que a consideração que têm pelos mandamentos ospreservará do poder da justiça divina. Não aceitam a reprovação do male acusam os servos de Deus de serem por demais zelosos em afastardo acampamento o pecado. Um Deus que aborrece o pecado concita osque professam guardar Sua lei a afastar-se de toda iniqüidade. Anegligência em arrepender-se e obedecer á Sua palavra, trará tão sériasconseqüências para o povo de Deus como fez o mesmo pecado emrelação ao Israel antigo. Há um limite para além do qual Ele nãoretardará por mais tempo os Seus juízos. A desolação de Jerusalémpermanece como uma solene advertência perante os olhos do modernoIsrael, de que as reprovações dadas através de Seus instrumentoescolhidos não podem ser desconsideradas impunemente. (IIII TI Pág.164/165/166/167).Dois de outubro de 1868. Foi-me mostrado o estado do professo povode Deus. Muitos deles estava em grande escuridão, contudo pareciaminsensíveis á sua verdadeira condição. A sensibilidade de um grandenúmero com relação ás coisas espirituais e eternas parece entorpecida,enquanto que sua mente estava desperta para os interesses mundanos.
  13. 13. 13 | Apostila–A Condição da Igreja IMuitos estavam entronizando ídolos no coração e praticando ainiqüidade, o que os separava de Deus e fazia com que se tornassemagentes das trevas. Vi que poucos permaneciam na luz, possuindodiscernimento e espiritualidade para descobri essas pedras de tropeço eremove-las do caminho. Homens que estão em posições de muitaresponsabilidade no centro da obra estão dormindo. Satanás paralisou-os para que não discernissem seus planos e enganos, enquanto estáativo em seduzir, enganar e destruir.Alguns que ocupam a posição de vigias para advertir do perigo o povode Deus, abandonaram sua guarda e descansam á vontade. Sãosentinelas infiéis. Permanecem inativos enquanto o astuto inimigopenetra a fortaleza e trabalha com sucesso ao lado deles para demolir oque Deus mandou edificar. Eles vêem que Satanás está enganando osdesprevenidos e inexperientes, todavia se mantêm silentes, como senão tivessem especial interesse, como se essas coisas não lhesdissessem respeito. Não percebem nenhum perigo em particular; nãovêem motivo para dar alarme. Para eles tudo parece estar indo bem enão vêem necessidade de fazer soar através das trombetas as fieisnotas de advertência, que lhes são transmitidas pelos clarostestemunhos, para mostrar ao povo sua transgressão e a casa de Israelos seus pecados. Essas reprovações e advertências perturbam aquietude dessas sonolentas sentinelas, amante da comodidade, e nãose agradam disso. Dizem em seu coração, senão em palavras:”Tudoisso é desnecessário. É muito severo, muito cruel. Esses homens estãodesnecessariamente perturbados e agitados, e parecem indispostos anos permitir descanso e tranqüilidade. Demais é já; pois que toda acongregação é santa, todos eles são santos. Num. 16:3. Eles nãoquerem que tenhamos qualquer conforto, paz ou felicidade. Unicamentetrabalho ativo, labuta e incessante vigilância a esses desarrazoados einsatisfeitos vigilantes. Por que não profetizam coisas aprazíveis eproclamam paz, paz? Então tudo correrá tranquilamente.”Esses são os verdadeiros sentimentos de muitos dentre nosso povo.Satanás exulta ao ter sucesso em controlar a mente de tantos professoscristãos. Ele os enganou, paralisou suas sensibilidades e implantou suainfernal bandeira exatamente no meio deles. Tão enganados estão quenão o reconhecem. O povo não erigiu imagens de escultura, todavia,seu pecado não é menor á vista de Deus. Eles adoram Mamom e osganhos mundanos. Alguns sacrificarão a consciência para alcançar seus
  14. 14. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 14objetivos. O professo povo de Deus é egoísta e preocupado consigomesmo. Eles amam as coisas deste mundo, compactuam com as obrasdas trevas e têm prazer na injustiça. Não amam a Deus nem a seupróximo. São idólatras e piores, muito piores á vista de Deus, do que ospagãos adoradores de imagens, que não conhecem melhor caminho.Requer-se dos seguidores de Cristo que se separem do mundo e nãotoquem em nada impuro, e têm a promessa de serem filhos e filhas doAltíssimo, membros da família real. Mas se as condições não sãoatendidas, não alcançarão, não podem alcançar o cumprimento dapromessa. A mera profissão de cristianismo nada é á vista de Deus;mas a obediência humilde, voluntária, verdadeira a todos Seus reclamosdesignam os filhos de Sua adoção, receptores de Sua graça,participante de Sua grandiosa salvação. Eles serão peculiares, um“espetáculo ao mundo, aos anjos e aos homens”, I Cor. 4:9. Seu caráterespecial e santo será perceptível e os separará distintamente do mundo,de suas afeições e concupiscências.Vi que poucos dentre nós atendem a essa descrição. Seu amor a Deusé “de palavra”, não “por obra e em verdade”, I João 3:18. Sua conduta eobras testificam que não são filhos da luz, mas das trevas. Suas açõesnão são feitas em Deus, mas em egoísmo e em injustiça. Sua graçarenovadora é-lhes estranha ao coração. Não experimentaram o podertransformador que os conduz a andar como Cristo andou. Aqueles quesão ramos vivos da Videira celestial participarão de Sua seiva enutrição. Não serão ramos estéreis e secos, mas exibirão vida e vigor,florescerão e darão frutos para a glória de Deus. Serão cuidadosos emafastar-se de toda a iniqüidade, “aperfeiçoando a santificação no temorde Deus”. II Cor. 7:1.Como o antigo Israel, a igreja tem desonrado a seu Deus por distanciar-se da luz, negligenciar seus deveres e abusar de seu alto e exaltadoprivilégio de ser peculiar e santa no caráter. Seus membros violaram opacto de viver para Deus e para Ele somente. Uniram-se com osegoístas e amantes do mundo. Orgulho, amor aos prazeres e ao pecadotêm sido abrigados, e Cristo se afastou. Seu Espírito tem sido extinguidona igreja. Satanás trabalha lado a lado com os professos cristãos, noentanto, são eles destituídos tão completamente de discernimentoespiritual que não o percebem. Não assumem a responsabilidades daobra. As solenes verdades que professam crer não são uma realidade
  15. 15. 15 | Apostila–A Condição da Igreja Ipara eles. Não possui genuína fé. Homens e mulheres agirão de acordocom a fé que realmente possuem. Por seus frutos serão conhecidos.Não por sua religião, mas pelos os frutos que produzem mostrarão ocaráter da árvore. Muitos têm um registro manchado no Céu. O anjorelator escreveu fielmente suas ações. Todo ato egoísta, toda palavrainconveniente, todo dever não cumprido e todo pecado secreto, comtoda hipocrisia dissimulada, são fielmente anotados no livro de registromantido pelo anjo relator.Muitos que professam ser servos de Cristo não fazem parte dos Seus.Enganam a si mesmos para a própria perdição. Enquanto professam serseguidores de Jesus, não estão vivendo em obediência á Sua vontade.“Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lheobedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para amorte, ou da obediência para a justiça?” Rom. 6:16. Muitos conquantoprofessando serem servos de Cristo, estão obedecendo a outro mestre,trabalhando diariamente contra o mestre a quem declaram servir.“Nenhum servo pode servir a dois senhores, porque ou há de aborrecera um e amar ao outro ou se há de chegar a um e desprezar ao outro.Não podeis servir a Deus e a Mamom”. Lucas 16:13.Interesses terrenos e egoístas envolvem coração, mente e forças dosprofessos seguidores de Cristo. Para todos os propósitos e efeitos, elessão servos de Mamom. Não experimentaram a crucificação para omundo com seus desejos e concupiscências. Poucos dentre muitos quealegam ser seguidores de Cristo podem falar na mesma linguagem queo apostolo: “Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz denosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado paramim e eu, para o mundo.”Gal. 6:14. “Estou crucificado com Cristo; e vivona carne vivo-a na fé de Filho de Deus, o qual me amou e Se entregou aSi mesmo por mim.”Gal. 2:20. Se a obediência voluntária e o verdadeiroamor caracterizarem a vida do povo de Deus, sua luz brilhará com santoesplendor diante do mundo. (II TI, pág. 439/440/441/442/443)Mas o Senhor é desonrado e Sua causa envergonhada quando seupovo está escravizado ao mundo. Estão em amizade com o mundo esão inimigos de Deus. Sua única esperança de salvação é separar-sedo mundo e zelosamente manter seu caráter distinto, santo e peculiar.Oh, por que o povo de Deus não cumpre as condições estabelecidasem Sua Palavra? Se fizesse isso, não falharia em compreender as
  16. 16. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 16excelentes bênçãos gratuitamente oferecidas por Deus aos humildes eobedientes.Fiquei pasmada ao observar a terrível escuridão em que se achavammuitos dos membros de nossas igrejas. A falta da verdadeira piedadeera tal que se tornaram agentes de trevas e morte, em lugar deinstrumentos de luz ao mundo. Muitos professavam amar a Deus, masO negaram pela as suas obras. Não O amaram, não O serviram, nemLhe obedeceram. Seus interesses egoístas eram prioritários. Em umgrande número deles parecia haver uma alarmante falta de princípios.Foram abalados por influências não consagradas e pareciam nãopossuir raízes em si mesmos. Perguntei o que essas coisassignificavam. Por que havia tal carência de espiritualidade e tão poucospossuíam uma experiência viva em coisas espirituais? Foram-mereferidas as palavras do profeta: “Filho do homem, estes homenslevantaram os seus ídolos no seu coração e o tropeço de sua maldadepuseram diante da sua face; devo eu de alguma maneira ser interrogadopor eles? Portanto, fala com eles e dize-lhes: Assim diz o Senhor Jeová:Qualquer homem da casa de Israel que levantar os seus ídolos no seucoração e puser o tropeço de sua maldade diante de sua face, e vier aoprofeta, Eu, o Senhor, vindo ele, lhe responderei conforme a multidãodos seus ídolos; para que possa apanhar a casa de Israel no seucoração, porquanto todos se apartaram de Mim para seguirem os seusídolos.” Eze. 14:3-5O povo de Deus me foi apresentado como em estado de apostasia. Nãotêm os olhos fitos na glória de Deus. O importante é a própria glória.Buscam exaltar a si mesmos e ainda se proclamam cristãos. Santidadede coração e pureza de vida eram os grandes temas dos ensinos deCristo. No Sermão do Monte, depois de especificar o que devia ou nãoser feito para se obter as bênçãos, Ele disse: “Sede vós, pois, perfeitos,como é perfeito o vosso Pai, que está nos Céus.” Mat. 5:48 (II TI, pág.443/444/445).Busquei, no temor de Deus, colocar diante de Seu povo esse perigo eseus pecados, e esforcei-me, ao máximo de minhas débeis forças, paradespertá-los. Declarei coisas alarmantes que, houvessem eles crido,lhes causariam aflição e espanto, e os conduziriam ao arrependimentozeloso de seus pecados e iniqüidades. Expus-lhes que, pelo que me foimostrado, somente um pequeno número daqueles que agora professam
  17. 17. 17 | Apostila–A Condição da Igreja Icrer na verdade serão finalmente salvos, não porque não possam sersalvos, mas porque não querem ser salvos pelo modo apontado porDeus. O caminho indicado por nosso divino Senhor é muito estreito esua porta muito apertada para admiti-los, enquanto apegados ao mundoou abrigando o egoísmo ou pecados de qualquer espécie. Não háespaço para essas coisas, contudo não há senão poucos queconsentirão em separar-se delas para que possam passar pela portaestreita e entrar pelo o caminho apertado.As palavras de Cristo são claras: “Porfiai por entrar pela portaestreita, porque Eu vos digo que muitos procurarão entrar e nãopoderão.”Lucas 13:24. Nem todos os professos são cristãos decoração. (II TI, pág. 445/446).Caso alguém não seja purificado pela obediência á verdade, e vença oegoísmo, o orgulho e as más paixões, os anjos de Deus têm arecomendação: “Estão entregues á seus ídolos; deixem-nos” (Oséias4:17), e eles passarão adiante á sua obra deixando esses com seuspecaminosos traços não subjugados, ao comando dos anjos maus. Osque satisfazem em todos os pontos e resistem a toda prova, e vencem,seja qual for o preço, atenderam ao conselho da TestemunhaVerdadeira, e receberão a chuva serôdia, estando assim aptos para atransladação. (I TI pág. 187).O espírito de Deus não será para sempre ofendido. Retirar-Se-á, casoseja ofendido por um pouco mais de tempo. Depois de ter sido feitotudo quanto Deus podia fazer para salvar os homens, caso elesmostrem por sua vida que menosprezaram a oferecida misericórdia deJesus, a morte será o quinhão deles e elevado o preço a ser pago. Seráuma terrível morte; pois terão de sofrer a angústia sentida por Cristo, nacruz, a fim de adquirir para eles a redenção que recusaram. Ecompreenderão ai o que perderam – a vida eterna, a herança imortal. Ogrande sacrifício feito para salvar vidas humanas, mostra-nos o valordelas. Uma vez perdida a preciosa vida, está perdida para sempre.Vi um anjo com a balança na mão, pesando os pensamentos einteresses do povo de Deus, especialmente dos jovens. Num pratoestavam os pensamentos e interesses que tendiam para o Céu; nooutro achavam-se os que se inclinavam para a Terra. E nessa balançaera lançada toda leitura de romances, pensamento acerca do vestuárioe exibição, vaidade, orgulho, etc. Oh! Que momento solene! Os anjos de
  18. 18. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 18Deus em pé com balanças, pesando os pensamentos de Seusprofessos filhos – aqueles que pretendem estar mortos para o mundo evivos para Deus! O prato cheio dos pensamentos da Terra, vaidade eorgulho, desceu rapidamente, e não obstante peso após peso rolou doprato. O que continha os pensamentos e interesses do que se voltavampara o Céu subiu ligeiro enquanto o outro descia, Oh! Quão leve estavaele! Posso relatar isso pelo que vi, mas nunca poderei dar a impressãosolene e vivida gravada em minha mente, ao ver o anjo com a balançapesando os pensamentos e interesses do povo de Deus. Disse o anjo:“podem esses entrar no Céu? Não, não, nunca. Diga-lhes que aesperança que agora possuem é vão, e a menos que se arrependamdepressa e obtenham a salvação, hão de perecer” (I TI pág. 124/125).Aqueles que podem passar por alto todas as provas que Deus lhes temdado, e mudar a bênção em maldição, devem tremer pela segurança desua alma. Seu castiçal será removido do lugar a menos que searrependam. O Senhor têm sido insultado. A bandeira da verdade, daprimeira, da segunda e terceira mensagens angélicas, foi deixadaarrastar no pó. Se os atalaias são deixados a desencaminhar o povodessa maneira, Deus tornará algumas almas responsáveis pela falta deagudo discernimento para descobrir que espécie de provisões foramdadas a Seu rebanho.Têm ocorrido apostasias e o Senhor têm permitido que questões dessanatureza se desenvolvessem no passado afim de mostrar quãofacilmente Seu povo será desviado se confiarem nas palavras dehomens em vez de examinarem por si mesmos as Escrituras, comofizeram os nobres bereanos, para ver se essas coisas são assim. E oSenhor têm permitido coisas dessa espécie ocorrerem para que sejamdadas advertências de que elas terão lugar.A rebelião e a apostasia encontram-se no próprio ar que respiramos.Seremos afetados por elas, a menos que, pela fé, façamos nossa almadesamparada segurar-se em Cristo. Se os homens são tão facilmentetransviados agora, como subsistirão eles quando Satanás personificar aCristo, e operar milagres? Quem ficará inabalado então por suasdeturpações – professar ser Cristo quando é apenas Satanásassumindo a pessoa de Cristo, e operando aparentemente as obras dopróprio Cristo?
  19. 19. 19 | Apostila–A Condição da Igreja IHá decidido testemunho a ser dado por todos os nossos ministros emtodas as nossas igrejas. Deus tem permitido ocorrerem apostasias afimde mostrar quão pouco se pode confiar no homem. Devemos olharsempre a Deus, sua palavra não é Sim e Não, mas Sim e Amém. –Manuscrito não dado 148. (II ME 394/395).Foi-me mostrado que vivemos em meio dos perigos dos últimos dias.Por abundar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará. A palavra “muitos”refere-se aos professos seguidores de Cristo. Eles são afetados pelainiqüidade dominante, e se afastam de Deus; não é, porém, necessárioque eles assim sejam afetados. A causa desse declínio é eles não semanterem limpos da iniqüidade. O fato de seu amor para com Deusestar esfriando por abundar a iniqüidade, mostra que eles são em certosentido participantes dessa iniqüidade, do contrário ela não lhes afetariao amor para com Deus, e seu zelo e fervor em Sua causa.Foi-me mostrado terrível quadro da condição do mundo. A iniqüidadealastra-se por toda parte. A licenciosidade é o pecado especial desteséculo. Jamais ergueu o vício a cabeça disforme com tal ousadiacomo o faz agora. O povo parece estar entorpecido, e os amantes davirtude e da verdadeira piedade acham-se quase desanimados porsua ousadia, força e predominância. A abundante iniqüidade não selimita apenas aos incrédulos e zombadores. Quem dera que assimfosse! Mas não é. Muitos homens e mulheres que professam areligião de Cristo, são culpados. Mesmo alguns que professam estaresperando Seu aparecimento não estão mais preparados para esseacontecimento do que o próprio Satanás. Não se estão purificandode toda poluição. Têm por tanto tempo servido a sua concupiscênciaque lhe é natural pensar impuramente e ter corruptas imaginações. Étão impossível fazer com que sua mente demore nas coisas puras esantas, como seria desviar o curso do Niágara, e fazer com que suaságuas jorrassem para cima. (I TS pág. 256).Minha alma se tem curvado em angústia, ao ser mostrada a débilcondição do professo povo de Deus. A iniqüidade é abundante e o amorde muitos esfria. (I TS. pág. 257).O morto, frio cumprimento do dever não nos faz cristãos. Cumpre-nossair do estado de mornidão e experimentar conversão real ouperderemos o Céu.
  20. 20. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 20Minha atenção foi encaminhada para a providência de Deus. Entre Seupovo, e foi-me mostrado que toda prova feita pelo processo derefinamento e purificação sobre os professos cristãos demonstra quealguns são escória. Nem sempre aparece o fino ouro. Em toda crisereligiosa alguns caem sob a tentação. O peneiramento de Deus sacodefora multidões, como folhas secas. A prosperidade multiplica a massados que professam. A adversidade expurga-os da Igreja. Como umaclasse, não tem o espírito firme em Deus. Saem de nós, porque não sãode nós; pois quando surge tribulação ou perseguição por causa dapalavra, muitos se escandalizam.Estão iludidos consigo mesmo. Na calma, que firmeza manifestam! Quecorajosos navegantes são! Mas quando as furiosas tempestades daprova e tentação sobrevêm, ai! Sua alma naufraga. Os homens podemter excelentes dons, boa aptidões, qualidades esplêndidas; um defeito,porém, um pecado secreto nutrido, demonstrar-se-á para o caráter oque a prancha carcomida pelo verme é para o navio – completodesastre e ruína. (I TS pág. 478-479).Foi-me mostrado que a maior causa de o povo de Deus se achar agoranesse estado de cegueira espiritual, é o não receberem a correção.Muitos têm desprezados as reprovações e advertências que lhes foramfeitas. A Testemunha Verdadeira condena o estado morno do povo deDeus, o qual dá a Satanás grande poder sobre eles, neste tempo deespera e vigilância. Os egoístas, os orgulhosos, e os amantes dopecado são sempre assaltados por dúvidas. Satanás tem a habilidadede sugerir dúvidas e suscitar objeções aos incisivos testemunhosenviados por Deus, e muitos julgam ser uma virtude, um sinal deinteligência de sua parte, ser incrédulos, questionar e sofismar. Os quedesejam duvidar terão suficiente margem para isto. Deus não Se propõea remover toda ocasião para incredulidade. Ele dá provas que devemser cuidadosamente investigadas com espírito humilde e dócil, todosdevem decidir em favor do peso da evidência.A fé e o amor são áureos tesouros, elementos de que há grandecarência entre o povo de Deus. Foi-me mostrado que a incredulidadenos testemunhos de advertência, animação e reprovação, estáafugentando a luz do povo de Deus. A incredulidade fecha-lhes osolhos, de modo que se acham ignorantes de sua verdadeiracondição. (I TS pág. 329/330).
  21. 21. 21 | Apostila–A Condição da Igreja IO povo a quem Deus confiou as sagradas, solenes e probantesverdades para este tempo está dormindo em seu posto. Por seuprocedimento, de: “Tenho a verdade”, “rico sou e estou enriquecido, ede nada tenho falta”, ao passo que a testemunha verdadeira o adverte:“Não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu.”Apoc. 3:17.Com que fidelidade retratam essas palavras a presente condição daigreja! “Não sabes que és desgraçado, e miserável, e pobre e cego, enu.” Pelos os servos do Senhor são transmitidas mensagens deadvertências ditadas pelo Espírito Santo, e descobertos defeitos decaráter aos que se têm desviada; eles, entretanto, dizem: “Isto não seaplica ao meu caso. Recuso a mensagem que me transmitis. Estoufazendo o melhor que posso. Creio na verdade.”Aquele mau servo que em seu coração diz: “Meu Senhor tarde virá” (S.Mat. 24:28), professa estar esperando a Cristo. É um “servo” que sóaparentemente se dedica ao serviço de Deus, enquanto no coração seentregou a Satanás. Diferente dos escarnecedores, não negaabertamente a verdade, mas pela conduta revela o desejo que sente deque a vinda do Senhor se dilate. O orgulho torna-o descuidoso dosinteresses eternos. Adota as máximas do mundo e se conforma ás suaspráticas e costumes. O egoísmo, o orgulho e as ambições mundanasnele predominam. Temendo que seus irmãos lhe levem algumavantagem, deprecia-lhes os esforços e impugna-lhes as razões. Destemodo espanca seus conservos. Á proporção que se vai alienando dopovo de Deus, uni-se mais aos ímpios. É achado comendo e bebendo“com os temulentos” – associando-se com o mundo cujo espíritocompartilha. Deste modo é embalada numa segurança carnal, e vencidopela negligência, indiferença e ociosidade.A causa propriamente dita do mal foi a negligencia da vigilância e daoração secreta, a que sucedeu naturalmente a negligência de outrosdeveres religiosos, sendo assim aparelhado o caminho para todos ospecados subseqüentes. Cada cristão é assediado pelas seduções domundo, pelas solicitações da natureza carnal e por tentações diretasde Satanás. Ninguém está livre dessas coisas. Não importa qualtenha sido a nossa experiência, não importa quão elevada a nossaposição, precisamos vigiar e orar continuamente. Temos de ser
  22. 22. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 22diariamente guiados pelo Espírito de Deus, ou havemos de serdirigido por Satanás. (II TS pág, 14/15).Se alguns dos que professa crer na verdade presente, pudessemcompreender sua verdadeira condição, haviam de desesperar damisericórdia divina. Têm estado exercendo toda a sua influência contraa verdade, a voz de admoestação e o povo de Deus. Estiveram a fazerdeste modo a obra de Satanás. Muitos se tornaram de tal modoenvaidecidos em virtude de seus enganos, que jamais se poderãoreabilitar. Semelhante estado de apostasia não pode prevalecer semacarretar a ruína de muitas almas.A igreja tem recebido advertências umas após outras. Os deveres quetem e os perigos que corre o povo de Deus foram claramente expostos.Entretanto, o elemento mundano está nela agindo fortemente.Costumes, práticas e modas que tendem a desviar a alma de Deus háanos que têm estado lançando raízes, a despeito das advertências eexortações do Espírito divino, e, afinal, seus caminhos se tornaram retosaos seus próprios olhos, e a voz do Espírito mal é ouvida. Ninguémpode prever até onde se embrenhará no pecado quando uma vez setiver rendido ao poder do grande enganador. Satanás penetrou emJudas Iscariotes e induziu-o a trair seu Senhor. Induziu Ananias e Safiraa mentir ao Espírito Santo. Os que não estiverem inteiramenteconsagrados a Deus, podem ser levados a fazer a obra de Satanás, aopasso que se jactam de estar fazendo a obra de Cristo.A igreja se compõe de homens e mulheres imperfeitos e cheios defraquezas que requerem a prática constante de caridade econtemplação. Mas já há muito que reina uma atmosfera demornidão espiritual. Penetrou na igreja um espírito mundano, seguidopor frieza recíproca, acusações mútuas, maldades, contendas einiqüidade. (II TS pág. 15/16/17).A norma de santidade é hoje a mesma que nos dias dos apóstolos. Nemas promessas nem as reivindicações de Deus perderam coisa algumade sua força. Mas qual é o estado do professo povo do Senhor, emcomparação com a igreja primitiva? Onde o Espírito e poder de Deus,que naquele tempo acompanhava a pregação do Evangelho? Ai, “comose escureceu o ouro! Como se mudou o ouro fino e bom!” Lam. 4:1.
  23. 23. 23 | Apostila–A Condição da Igreja IO Senhor plantou Sua igreja como uma vinha em campo fértil. Com omais terno cuidado Ele a cultivou, para que produzisse frutos de justiça.Sua linguagem é: “Que mais se poderia fazer á Minha vinha, que Eu lhenão tenha feito?” Mas essa vinha, plantada por Deus, inclinou-se para aterra e prendeu suas gavinhas em volta de suportes humanos. Seusramos se estendem por toda a parte, mas produz frutos de uma videiradegenerada. O Senhor da vinha declara: “Esperando Eu que desseuvas. Veio a produzir uvas bravas.” Isa. 5:4.O Senhor concedeu grandes bênçãos a Sua igreja. A justiça exige queela devolva esses talentos com juros. Como aumentaram os tesourosda verdade confiados a sua guarda, aumentaram também suasobrigações. Mas em vez de desenvolverem esses dons e avançar rumoda perfeição, ela volveu atrás daquilo que alcançara em sua experiênciaanterior. A mudança em seu estado espiritual processou-segradualmente, e quase imperceptivelmente. Ao começar a buscar olouvo r e amizade do mundo, sua fé diminuiu, seu zelo enlanguesceu,sua fervorosa devoção cedeu lugar á formalidade morta. Cada passorumo do mundo, foi um passo para mais longe de Deus. Á medida que oorgulho e ambição mundana foram acariciados, afastou-se o espírito deCristo e insinuaram-se a emulação, dissensão e luta, para desviar eenfraquecer a igreja. (II TS pág. 81/82).Muitos que possuem um conhecimento inteligente da verdade, e sãocapazes de defende-la mediante argumentos, nada fazem em prol doerguimento do reino de Cristo. Encontramo-los de quando em quando;mas não dão um testemunho vivo da experiência pessoal na vidacristã; não relatam novas vitórias alcançadas na santa milícia. Em vezdisso, nota-se a mesma velha rotina, as mesmas expressões naoração e na exortação. Suas orações não têm aspectos novos; nãoexprimem maior inteligência nas coisas de Deus, nem fé maisfervorosa e viva. Essas pessoas não são plantas vivas no jardim doSenhor, a produzir novos rebentos e nova folhagem, e a gratafragrância de uma vida santa. Não são cristãos em crescimento. Têmpontos de vista e planos limitados, e não há para eles expansão doespírito, nem valiosos acréscimos aos tesouros do crescimento cristão.Suas faculdades não foram exercitadas nessa direção. Nãoaprenderam a olhar aos homens e ás coisas como Deus as vê, emmuitos casos a simpatia não santificada tem prejudicado almas eestorvado grandemente a causa de Deus. É terrível a estagnação
  24. 24. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 24espiritual que prevalece. Muitos levam uma vida cristã formal e alegamque seus pecados foram perdoados, quando são destituídos de todoreal conhecimento de Cristo, tal como o pecador. (II TS pág. 97).Muitos poucos dos que receberam a luz, no entanto, estão fazendo aobra confiada a suas mãos. Poucos são os homens de incondicionalfidelidade, que não consideram a comodidade, as conveniências ou aprópria vida, que abrem seu caminho para onde quer que possam acharuma porta por onde forcem a luz da verdade e reivindiquem a santa leide Deus. Mas os pecados que controlam o mundo têm penetrado nasigrejas e no coração daqueles que professam ser o povo peculiar deDeus. Muitos do que receberam a luz exercem sua influência no sentidode aquietar os temores dos professos mundanos e formais.Há amantes do mundo mesmo entre os que professam estaraguardando o Senhor. Há ambição de riquezas e de honras. Cristodescreve esta classe quando declara que o dia de Deus virá como umlaço sobre todos os que habitam na Terra. Este mundo é seu lar. Fazemdo adquirir riquezas sua ocupação. Constroem custosas habitações emobíliam-nas com tudo quanto é bom; comprazem-se no vestuário e nasatisfação do apetite. As coisas do mundo são seu ídolos. Estas coisasse interpõem entre a alma e Cristo, e as solenes e assombrosasrealidades que se estão adensando sobre nós não são vistas senãomuito palidamente e muito fracamente avaliadas. A mesmadesobediência e o mesmo fracasso observados na igreja judaica, têmcaracterizado em maior grau o povo que recebeu esta grande luz doCéu nas últimas mensagens de advertência. Deixaremos que a históriade Israel se repita em nossa experiência? Havemos nós de, ásemelhança deles, esbanjar nossas oportunidades e privilégios até queDeus permita nos sobrevirem opressão e perseguição? Será a obra quepodia ser efetuada em paz e relativa prosperidade deixada por fazer atéque precise ser realizada em dias de trevas, sob a pressão das provas eda perseguição?Terrível é a quantidade de culpa que pesa sobre a igreja. Por que nãoestão os que possuem a luz desenvolvendo diligentes esforços paralevá-la a outros? Vêem que o fim está perto. Vêem multidõestransgredindo diariamente a lei de Deus; e sabem que essas almas nãopodem salvar-se em transgressão. Têm todavia mais interesse em seucomércio, suas plantações, suas casas, suas mercadorias, seus
  25. 25. 25 | Apostila–A Condição da Igreja Ivestidos, sua mesa, do que nas almas de homens e mulheres quedevem encontrar face a face no juízo. O povo que pretende obedecer áverdade acha-se adormecido. Não poderiam estar tão a cômodo comoestão, caso estivessem despertos. O amor da verdade está seextinguindo em seu coração. Seu exemplo não é de molde a convencero mundo de que eles possuem uma verdade mais avançada quequalquer outro povo da Terra. No próprio tempo em que deviam serfortes em Deus, tendo diariamente uma viva experiência acham-sefracos, hesitantes, descansando nos pregadores como seu ponto deapoio, quando deviam estar ministrando a outros com a mente, a alma,a voz, a pena, o tempo e o dinheiro. (II TS pág.157/158)Nossas igrejas não estão recebendo a espécie de preparo que as leve aandar em toda a humildade de espírito, despojando-se de todo o orgulhode ostentação externa, e esforçando-se pela posse do adorno interior. Aeficiência da igreja é justamente o que o zelo, a pureza, abnegação einteligente labor dos ministros a tornem. (II TS pág. 226/227).Quando o povo de Deus está á vontade, satisfeito com a luz que jápossui, podemos esta certos de que Ele os não favorecerá. É Suavontade que lhes marchem sempre avante, recebendo sempre avultadae crescente luz que para eles brilha. A atitude atual da igreja não agradaa Deus. Têm se introduzido uma confiança em si mesmos que os têmlevado a não sentir nenhuma necessidade de mais verdade e maior luz.Vivemos numa época em que Satanás opera á direita e á esquerda, emnossa frente e por trás de nós; e toda via, como um povo, estamosdormindo. Deus deseja que se faça ouvir uma voz despertando Seupovo para ação. (II TS pág. 313).Os males que se têm insinuado gradualmente entre nós, têmimperceptivelmente desviado indivíduos e igrejas da reverência devida aDeus, excluindo o poder que Ele lhes deseja dar. (II TS pág. 315).Se nosso povo continuar na atitude indiferente na qual têm estado, Deusnão poderá derramar sobre eles o Seu Espírito. Não estão preparadospara cooperar com Ele. Não estão despertos para com a situação e nãoreconhecem o perigo que ameaçam. Devem sentir agora, qual nuncadantes, sua necessidade de vigilância e ação coordenada.
  26. 26. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 26Se os dirigentes de nossas Associações não aceitarem agora amensagem que Deus lhes envia, e não cerrarem fileiras para ação, asigrejas sofrerão grande perda. (II TS pág. 316/317).Os que tiveram oportunidades para ouvir e aceitar a verdade, e seuniram a igreja adventista do Sétimo Dia, considerando-se o povo deDeus que guarda os mandamentos, mas não possui vitalidade econsagração a Deus do que as igrejas nominais, serão atingidos pelaspragas de Deus tão verdadeiramente como as igrejas que se opõem ásua lei. (EF pág. 149).Foi me mostrado que, se o povo de Deus não fizer esforços, de suaparte, mas esperar apenas que sobre eles venha ao refrigério, paradeles remover os defeitos e corrigir os erros; se nisso confiarem paraserem purificados da imundície da carne e do espírito, e preparadospara tomar parte no alto clamor do terceiro anjo, serão achados em falta.O refrigério ou poder de Deus só atingirá os que se houverem para elepreparado, fazendo o trabalho que Deus ordena, isto é, purificando-sede toda a impureza da carne e do espírito, aperfeiçoando-se emsantidade, no temor de Deus. (III TS pág. 214).Disse o anjo: “Nada menos que a completa armadura da justiça podehabilitar o homem a vencer os poderes das trevas e conservar a vitóriasobre eles. Satanás tomou plena posse das igrejas como um corpo.Consideram-se os dizeres e as obras de homens em vez de claras,cortantes verdades da Palavra de Deus. O espírito e a amizade domundo são inimizade com Deus. Quando a verdade em suasimplicidade e força, como é em Jesus, é levada a dar frutos contra oespírito do mundo, desperta para logo o espírito de perseguição. Grandenúmero de pessoas que professam ser cristãos não conhecem a Deus.O coração natural não foi mudado, e a mente carnal conserva ainimizade contra Deus. São servos fieis de Satanás embora hajaassumido outro nome.”Vi que, havendo Jesus deixado o lugar santo e entrado para dentro dosegundo véu, as igrejas têm-se tornado esconderijo de toda espécie deave imunda e detestável. Vi nas igrejas grande iniqüidade e vileza;contudo, os seus membros professam ser cristãos. Sua profissão, suasorações e exortações constituem uma abominação aos olhos de Deus.Disse o anjo; “Deus não Se agradará de suas assembléias. Egoísmo,embuste e engano são por eles praticados sem reprovações da
  27. 27. 27 | Apostila–A Condição da Igreja Iconsciência. E sobre todos esses maus traços lançam o manto dareligião.” Foi-me mostrado o orgulho das igrejas nominais. Deus nãoestá em seus pensamentos; sua mente carnal demora-se neles mesmo;decoram os seus pobres corpos mortais, e olham então para si mesmocom satisfação e prazer. Jesus e os anjos olham para eles com ira.Disse o anjo: “Seus pecados e orgulho alcançaram o Céu. Sua porçãoestá preparada. Justiça e juízo têm dormido por muito tempo, masdespertarão logo. Minha é a vingança, e Eu darei a retribuição, diz oSenhor.” As terríveis ameaças do terceiro anjo deverão tornar-serealidade, e todos os ímpios beberão da ira de Deus. Uma inumerávelhoste de anjos maus estão se espalhando por toda a Terra e enchendoas igrejas. Esses agentes de Satanás olham para as corporaçõesreligiosas com exultação, pois o manto da religião cobre o maior crime einiqüidade. (PE pág. 273/274/275).Tão frigida é a atmosfera da igreja, de tal espécie é seu espírito, quehomens e mulheres não podem manter ou suportar o exemplo depiedade primitiva e oriunda do Céu. O calor de seu primeiro amorestá gelado, e a menos que sejam regados pelo batismo do EspíritoSanto, seu castiçal será removido de seu lugar, a não ser que searrependam e pratique as primeiras obras. As primeiras obras daigreja foram vistas quando os crentes procuraram os amigos,parentes e conhecidos e com coração transbordando de amorcontaram a história do que Jesus era para eles, e do que eles erampara Jesus. Oh, se o Senhor despertasse os que estão em posiçõesde responsabilidade para que não empreendessem o trabalhoconfiando em sua própria capacidade! A obra que sai de suas mãosnão terá o molde e a inscrição de Cristo. (TM pág.167/168).O egoísmo mancha tudo que os obreiros não consagrados fazem. Têmeles necessidade de orar sempre, mas não o fazem. Precisam vigiar emoração. Têm necessidade de sentir a santidade da obra; mas nãosentem. Lidam com as coisas sagradas como com as coisas comuns.As coisas espirituais se discernem espiritualmente, e enquanto nãobeberem da água da vida, e Cristo não for neles como que uma fonte deágua, saltando para a vida eterna, a ninguém refrigerarão, a ninguémabençoarão; e a não ser que se arrependam, seu castiçal será removidode seu lugar. Há necessidade de constante paciência, de invencívelcaridade, de fé onipotente na obra de salvar almas. O eu não deve ter a
  28. 28. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 28preeminência. Deve-se exercer a sabedoria de Cristo ao lidar commentes humanas. (TM pág. 168).O poder das trevas já colocou seu molde e inscrição sobre a obraque devia permanecer pura, não corrompida pelas astutas ciladas dodiabo. (TM pág. 277).Não acho sossego de espírito. Cena após cena é-me apresentada emsímbolos, e não tenho sossego enquanto não comece a escrever aquestão. No centro da obra, estão as questões sendo amoldadas de talmaneira que todas as instituições estão seguido o mesmo rumo. E aprópria Associação Geral se está corrompendo com sentimentos eprincípios errôneos. Na elaboração dos planos, manifestam-se osmesmos princípios que têm dominado as coisas em Battle Creek porbom espaço de tempo. (TM pág.359).Os santos princípios dados por Deus são apresentados como sendofogo sagrado, mas o fogo comum é usado em lugar do sagrado.Planos contrários á verdade e á justiça são introduzidos de maneirasutil, sob a alegação de que isto deve ser feito, “para o avanço dacausa de Deus”. (TM pág. 359/360).Todo o corpo está doente devido ao desgoverno e á falta de cálculo. Opovo a quem Deus confiou os interesses eterno, os depositários daverdade plena de resultados eternos, perderam o rumo. Cometeu Deusum equívoco? São os que estão no coração obra vasos escolhidos quepossam receber o óleo dourado que os mensageiros celestes,representados por duas oliveiras, esvaziam nos canudos de ouro paraabastecer as lâmpadas? (TM pág. 397).Mas muitos – não alguns, muitos –têm perdido o seu zelo econsagração espirituais, e se têm desviado da luz que se vemconstantemente tornando mais brilhante, e têm recusado andar naverdade porque o seu poder santificador sobre a alma não era o quedesejavam. Poderiam ter sido renovados na santidade, e ter alcançadoa elevada norma exigida pela a Palavra de Deus; mas sobre eles recaiuma condenação. Muitos ministros e muitas pessoas estão nas trevas.Perderam de vista o Guia, a luz do mundo; e sua culpa é proporcional ágraça e verdade reveladas ao seu entendimento, que têm sidoabundante e poderosas. (TM pág. 449/450).
  29. 29. 29 | Apostila–A Condição da Igreja IHá estonteante apostasia no povo de Deus, aqueles a quem tem sidoconfiadas santas e sagradas verdades. Sua fé, seu serviço, suas obras,devem ser comparados com o que poderiam ter sido se seu rumo fossecontinuamente para frente e para cima, segundo a graça e a santaverdade que lhes foram dadas. (TM pág. 450).Que maior engano pode iludir o espírito humano do que aquele em queos indivíduos se gabam de terem a verdade, de estarem num únicofundamento seguro, e de que Deus lhes aceita as obras porque estãoativamente empenhados em algum trabalho na causa de Deus, quandocontra Ele estão pecando por andarem de maneira contrária á expressavontade divina? Trabalham mecanicamente, como máquinas; mas lhesfalta o preparo do coração, a santificação do caráter. As coisas sagradase santas são rebaixadas ao nível das coisas comuns, e a vulgaridade, obarateamento, estão se insinuando em nossas igrejas. O serviço estádegenerando em pouco mais do que uma forma. (TM pág.451).Qual é nosso estado neste terrível e solene tempo? Ai, que orgulhoprevalece na igreja, que hipocrisia, que engano, que amor ao vestuário,á frivolidade e ao divertimento, que desejo de supremacia! Todos essespecados têm obscurecido a mente, de modo que as coisas eternas nãotêm sido discernidas. (I ME pág. 125).Deus apresenta contra pastores e o povo a séria acusação defraqueza espiritual, dizendo: “Eu sei as tuas obras, que nem és frionem quente: oxalá foras frio ou quente! Assim por que és morno, enão és frio nem quente, vomitar-te-ei da Minha boca. Como dizes:Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabesque és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;aconselho-te que de Mim compres ouro provado no fogo, para que teenriqueças; e vestidos brancos, para que te vistas e não apareça avergonha da tua nudez, e que unjas os teus olhos com colírio, paraque vejas.” Apoc. 3:15-18 (I ME pág. 127/128).O Deus que conhece a condição espiritual de quem quer que sejadeclara: Eles têm acalentado o mal e se separado de Mim. Desviaram-se todos. Ninguém está isento de culpa. Eles Me abandonaram, a Fontede águas vivas, e cavaram para si cisternas rotas que não retêm aságuas. Muitos corromperam seus caminhos diante de Mim. Inveja, ódio,ciúmes, ruis suspeitas, rivalidades, contendas e amarguras são os frutosque têm produzido. Eles não atenderão ao testemunho que lhes tenho
  30. 30. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 30enviado. Não perceberão seus perversos caminhos para seremconvertidos e curados. (5 TI, pág.63).Se a mais dedicada vigilância não for manifesta no grande coração daobra para proteger os interesses da causa, a igreja se tornará tãocorrupta quanto as igrejas de outras denominações.Homens que estão familiarizados com a forma em que Deus conduziu oSeu povo no passado, em vez de indagar sobre os antigos cominhos edefenderem nossa posição como povo peculiar, têm unido mãos com omundo. O aspecto mais alarmante no caso é que as vozes deadvertências não têm sido ouvidas em protestos, apelos e advertências.Os lhos do povo de Deus parecem estar cegados, enquanto a igrejarapidamente se afasta para o conduto de mundanismo. (5 TI pág. 513).Temos uma grande verdade; mas pela descuidada indiferença, averdade tem perdido sua força sobre nós. Satanás tem entradocom suas especiosas tentações, e tem afastado de seu Guia osprofessos seguidores de Cristo, classificando-os com as virgensloucas. (TM pág.130).A vida cristã é uma guerra. O apóstolo Paulo fala de uma luta contra osprincipados e potestades enquanto porfiava no bom combate da fé.Novamente ele declara: “Ainda não resististes até ao sangue,combatendo contra o pecado.” Heb. 12:4 Ah, não! Hoje o pecado éacariciado e desculpado. A afiada espada do Espírito, a Palavra deDeus, não cortou até a alma. Mudou, porventura, a religião? A inimizadede Satanás por Deus diminuiu? A vida religiosa antes apresentavadificuldades e demandava abnegação. Tudo é fácil agora. E por queisso? O professo povo de Deus comprometeu-se com os poderes dastrevas. (5TI pág. 222).Ao ver o terrível fato de se achar o povo de Deus em conformidadecom o mundo, não havendo distinção, exceto no nome entre muitosdos professos discípulos do manso e humilde Jesus, e os incrédulos,profunda foi a angústia de meu coração. Vi que Jesus era ferido eexposto a uma franca vergonha. Disse o anjo, ao ver, com tristeza, oprofesso povo de Deus amando o mundo, participando de seuespírito e seguindo-lhe as modas: desliguem-se! Desliguem-se! Paraque Ele não lhes dê sua parte com os hipócritas e os incrédulos dolado de fora da cidade. Sua profissão de fé só lhes causará maior
  31. 31. 31 | Apostila–A Condição da Igreja Iangústia, e será maior o seu castigo, porque vocês souberam Suavontade e a não fizeram”. (I TI pág. 133)Tem-me sido perguntado porque é que há tão pouco poder nas igrejas,por que é que há tão pouca eficiência entre nossos professores. Aresposta é, que é devido a ser o pecado conhecido, acariciado de váriasmaneiras entre os professos seguidores de Cristo, e a se tornar aconsciência endurecida por longa violação. A resposta é que os homensnão andam com Deus, mas interrompem a companhia com Jesus, e,como resultado, vemos manifestos na igreja o egoísmo, a cobiça, oorgulho, a luta, a contenda, a dureza de coração, a licenciosidade epráticas más. Mesmo entre os que pregam a Sagrada Palavra de Deusencontra-se este mal estado de coisas; e a menos que haja completareforma entre os irreligiosos e não santificados melhor será que taishomens deixem o ministério e escolham alguma outra ocupação ondeseus pensamentos não regenerados não tragam desastre sobre o povode Deus. (TM pág. 162/163).Vemos aí que a igreja – o santuário do Senhor – foi a primeira a sentir ogolpe da ira de Deus. Os anciões, aqueles a quem Deus dera grandeluz, e que haviam ocupado do lugar de depositários dos interessesespirituais do povo, haviam traído o seu depósito. Colocaram-se noponto de vista de que não precisamos esperar milagres e asassinaladas manifestações do poder de Deus, como nos dias daantiguidade. Os tempos mudaram. Estas palavras fortaleceram-lhes aincredulidade, e dizem: O Senhor não fará nem bem nem mal. Édemasiado misericordioso para visitar seu povo em juízo. Assim, paz esegurança é o grito de homens que nunca mais erguerão sua voz comotrombeta para mostrar o povo de Deus suas transgressões, é a casa deJacó os seus pecados. Esses cães mudos, que não querem ladrar, sãoaqueles que sentirão a justa vingança de um Deus ofendido. Homens,virgens e crianças, todos perecerão juntos (II TS pág. 65/66).Acompanhando as profecias em seu curso, viu que os habitantes daTerra estavam vivendo nas cenas finais da história deste mundo; econtudo não sabiam. Olhou para as igrejas e viu que estavamcorrompidas; haviam tirado de Jesus as suas afeições, colocando-as nomundo; estavam a buscar honras mundanas, em vez daquela honra quevem de cima; apoderavam-se das riquezas mundanas, em vez de
  32. 32. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 32acumular seu tesouro na Céu. Via hipocrisia, trevas e morte por toda aparte. Seu espírito agitou-se dentro dele. (PE pág. 229).Anjos estavam a observar com o mais profundo interesse o resultado damensagem celestial, e, quando as igrejas dela se voltaram e arejeitaram com tristeza consultaram a Jesus. Ele desviou Seu rosto dasigrejas, e ordenou a Seus anjos que fielmente vigiassem aqueles que,preciosos á Sua vista, não rejeitaram o testemunho, pois outra luzdeveria ainda resplandecer sobre eles. (PE pág. 235).Só os que estiverem vivendo de acordo com a luz que têm recebidopoderão receber maior luz. A não ser que nós estejamos desenvolvendodiariamente na exemplificação das ativas virtudes cristãs, nãoreconheceremos as manifestações do Espírito Santo na chuva serôdia.Pode ser que ela esteja sendo derramada nos corações ao nosso redor,mas nós não a discerniremos nem a receberemos. (TM, pág. 507).Vi que Deus tem filhos honestos entre os adventistas nominais e asigrejas caídas, e antes que as pragas sejam derramadas, ministros epovo serão chamados a sair dessas igrejas e alegremente receberão averdade. Satanás sabe disto, e antes que o alto clamor da terceiramensagem Angélica seja ouvido, ele suscitará um excitamento nessascorporações religiosas, afim de que os que rejeitam a verdade pensemque Deus está com eles. Ele espera enganar os honestos e levá-los apensar que Deus ainda está trabalhando pelas igrejas. Mas a luzbrilhará, e todos os honestos deixarão as igrejas caídas, e tomarãoposição ao lado dos remanescentes. (PE pág. 261).Apesar do generalizado declínio da fé e da piedade, há verdadeirosseguidores de Cristo nessas igrejas. Antes de os juízos finais de Deuscaírem sobre a Terra, haverá, entre o povo do Senhor, tal avivamentoda primitiva piedade como não fora testemunhado desde os temposapostólicos. O Espírito e o poder de Deus serão derramados sobre Seusfilhos. Naquele tempo muitos se separarão das igrejas em que o amordeste mundo suplantou o amor de Deus e á Sua Palavra. Muitos, tantopastores como leigos aceitarão alegremente as grandes verdades queDeus providenciou fosse proclamadas no tempo presente, a fim depreparar um povo para a segunda vinda do Senhor. O inimigo dasalmas deseja estorvar essa obra; e antes que chegue o tempo para talmovimento, esforçar-se-á para impedi-la introduzindo uma contrafação.Nas igrejas que puder colocar sob seu poder sedutor, fará parecer que a
  33. 33. 33 | Apostila–A Condição da Igreja Ibenção especial de Deus foi derramada; manifestar-se-á o que seráconsiderado como grande interesse religioso. Multidões exultarão deque Deus esteja operando maravilhosamente por elas, quando a obra édo outro espírito. Sob o disfarce religioso, Satanás procura estender suainfluência sobre o mundo cristão.Em muitos dos avivamentos ocorridos durante o último meio século, temestado a operar, em maior ou menor grau, as mesmas influências quese manifestarão em movimentos mais extensos no futuro. Há umexcitamento emotivo, mistura do verdadeiro com o falso, muitoapropriado para transviar. Contudo, ninguém necessita ser enganado. Aluz da Palavra de Deus não é difícil determinar a natureza destesmovimentos. Onde quer que os homens negligenciem o testemunho daEscritura Sagrada, desviando-se das verdades claras que servem paraprovar a alma e que exigem a renuncia de si mesmo e a do mundo,podemos estar certos de que ali não é outorgada a bênção de Deus.(GC pág. 464/465).Ao concluir esta exposição, gostaria de dizer que estamos vivendo emtempos muitos solenes. Na última visão a mim dada, foi-me mostrado oalarmante fato de que apenas pequena porção dos que agora professaa verdade, serão santificados e salvos por ela. Muitos haverão de se pôracima da simplicidade da obra. Conformar-se-ão com o mundo,adotando ídolos e tornando-se espiritualmente mortos. Os humildes eabnegados seguidores de Jesus buscarão a perfeição, deixando paratrás os indiferentes e amantes do mundo.Foi-me apontado o antigo Israel. Apenas dois dos adultos, dentre ovasto exército que deixou o Egito, entraram em Canaã. Seus cadáveresficaram espalhados no deserto por causa de suas transgressões. OIsrael moderno está em maior perigo de esquecer-se de Deus e serlevado á idolatria do que o antigo povo de Deus. Adoram-se muitosídolos, mesmo entre os professos observadores do Sábado. Deusadvertiu Seu antigo povo a guarda-se da idolatria, pois se sedesviassem do Deus vivo, Sua maldição recairia sobre eles, enquantoque se O amassem “de todo o coração, e de toda a alma, e de todas asforças.” (Marcos 12:33), e ele abençoaria abundantemente o seu cesto esua amassadeira e removeria do meio deles toda a enfermidade.A bênção ou a maldição estão agora diante do povo de Deus – abênção se saírem do mundo, si se apartarem dele e andarem nos
  34. 34. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 34caminhos da humilde obediência; a maldição se se unirem a idólatrase desprezarem os altos reclamos do Céu. Os pecados e iniqüidadesdo rebelde Israel foram registrados e se apresentam diante de nóscomo advertência, mostrando-nos certamente cairemos como eles.“Ora, tudo isso lhes sobreveio como figuras, e estão escritas paraaviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos.” (I Cor.10:11; I TI pág. 608/609).Estamos longe de ser o povo que Deus quereria que fôssemos, porquenão elevamos a alma e não refinamos o caráter em harmonia com omaravilhoso desenvolvimento da verdade de Deus e Seus desígnios. “Ajustiça exalta as nações, mas o pecado é o opróbrio dos povos.” Prov.14:34. O pecado é um desorganizador. Onde quer que ele seja nutrido –no coração, na família, na igreja – há desordem, luta, discordância,inimizade, inveja, ciúmes, porque o inimigo do homem e de Deus tem odomínio da mente. Seja, porém, amada a verdade e introduzida noviver, da mesma maneira que defendida, e esse homem ou mulherodiará o pecado e será um vivo representante de Jesus Cristo perante omundo.O povo que pretende crer na verdade não será condenado por nãohaver possuído a luz, mas porque tiveram grande esclarecimentoe não levaram seu coração á prova da grande norma moral dejustiça. (II ME pág. 377).Por meio dos testemunhos o Senhor Se propõe advertir, repreender eaconselhar Seus filhos, e impressionar-lhes a mente com a importânciada verdade de Sua Palavra. Os testemunhos não estão destinados acomunicar nova luz; e sim a imprimir fortemente na mente as verdadesda inspiração que já foram reveladas. Os deveres do homem para comDeus e seu semelhante estão claramente discriminados na Palavra deDeus, mas poucos de vocês se têm submetido em obediência; maspelos testemunhos Deus tem facilitado a compreensão de importantesverdades já reveladas, e posto estas diante de Seu povo pelo meio queEle próprio escolheu, a fim de despertar e impressionar com elas a suamente, para que todos fiquem sem desculpas. (II TI pág.605).Uma coisa é certa os adventistas do sétimo dia que se colocam sob oestandarte de Satanás abandonarão primeiro sua fé nas advertências erepreensões contidas nos Testemunhos do Espírito de Deus. (III MEpág. 84).
  35. 35. 35 | Apostila–A Condição da Igreja IConjuro-te pois diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há dejulgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no Seu reino, que pregues apalavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas,exortes, com toda a longanimidade e doutrina. II Tim. 4: 1 e 2.Nessas incisivas e fortes palavras, torna-se patente o dever do ministrode Cristo. Ele tem de pregar a “palavra”, não as opiniões e tradições doshomens, não fábulas aprazíveis ou histórias sensacionais, para mover aimaginação e excitar as emoções. Não deve exaltar-se, mas, como napresença de Deus, colocar-se perante o mundo a perecer, e pregar apalavra. Não deve haver nenhuma interpretação fantasiosa, o ministrodeve falar com sinceridade e profunda serenidade, como uma voz vindade Deus a expor as Sagradas Escrituras. Cumpre-lhe oferecer aosouvintes aquilo que é de maior interesse para seu bem presente eeterno.Irmãos meus que ministrais, ao vos achardes perante o povo, falai doque é essencial, o que instrui. Ensinai as grandes verdades práticas quedevem ser introduzidas na vida. Ensinai o poder salvador de Jesus, “emquem temos a redenção... a saber, a remissão dos pecados” Col. 1:14,esforçai-vos por fazer com que vossos ouvintes compreendam o poderda verdade.Os ministros de Deus devem apresentar a firme palavra da profeciacomo o fundamento de fé dos adventistas do sétimo dia. As profecias deDaniel e Apocalipse devem ser cuidadosamente estudadas e, emligação com elas, as palavras; “Eis o Cordeiro de Deus, que tira opecado do mundo. S. João 1:29. O capítulo vinte e quatro de S. Mateusé-me apresentado repetidamente como devendo ser exposto á atençãode todos. Vivemos atualmente no tempo em que as predições destecapítulo se estão cumprindo. Expliquem nossos ministros e mestresessas profecias aqueles que estão instruindo. Deixem fora de seusdiscursos assuntos de menor importância, e apresentem as verdadesque hão de decidir o destino das almas.O tempo em que vivemos pede vigilância contínua, e os ministros deDeus devem apresentar a luz sobre a questão do sábado. Devemadvertir os habitantes do mundo quanto a estar Cristo para vir em breve,com poder e grande glória. A derradeira mensagem de advertência aomundo tem de levar homens a ver a importância que o Senhor dá a Sualei. Tão claramente deve a mensagem ser apresentada, que nenhum
  36. 36. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 36transgressor, ouvindo-a, seja desculpável em deixar de discernir aimportância de obedecer aos mandamentos de Deus.Fui instruída a dizer: Reuni das Escrituras as provas de que Deussantificou o sétimo dia, e leiam-se essas provas perante a congregação,mostre-se aos que não têm ouvido a verdade, que todos quantos sedesviam de um claro “Assim diz o Senhor”, têm de sofrer os resultadosde seu procedimento. Em todos os séculos o sábado tem sido a provade lealdade a Deus. Entre Mim e os filhos de Israel será um sinal parasempre, declara o Senhor. Êxo 31:17.EXCESSIVA DIPLOMACIA NAS COISAS SAGRADASO evangelho sofre agora oposição de todos os lados. A confederaçãodo mal nunca esteve tão forte como atualmente. Os espíritos do mal seestão combinando com agentes humanos para combater osmandamentos de Deus. A tradição e a mentira são exaltados acima dasEscrituras; a razão e a ciência acima da revelação. O talento humanoacima dos ensinos do Espírito, formas e cerimônias acima do poder vitalda piedade. Pecados ofensivos têm separado o povo de Deus. Ainfidelidade se está rapidamente tornando moda. “Não queremos queEste reine sobre nós”, é a linguagem de milhares. Os ministros de Deusdevem erguer a voz como uma trombeta, e mostrar ao povo as suastransgressões. Os sermões suaves tão frequentemente pregados, nãofazem impressão duradoura. Os homens não são tocados até ao fundodo coração, porque as claras e penetrantes verdades da Palavra deDeus não lhes são ditas.Muitos dos que professam crer na verdade, diriam, caso exprimissemseus sentimentos reais: “Que necessidade há de se falar tãopositivamente?” Bem poderiam então perguntar: “Por que necessitavaJoão Batista de dizer aos fariseus: ‘Raça de víboras, quem vos ensinoua fugir da ira futura? S. Mat. 3:7. Que necessidade tinha ele de provocara ira de Herodias, dizendo a Herodes que lhe era ilícito viver com amulher de seu irmão? Perdeu a vida, por falar assim positivamente. Porque não poderia ter agido de maneira a não incorrer na cólera deHerodias?”Assim têm os homens raciocinado, até que a excessiva diplomaciatomou o lugar da fidelidade. Permite-se ao pecado passar semrepreensão. Quando se há de ouvir mais uma vez na igreja a voz da
  37. 37. 37 | Apostila–A Condição da Igreja Irepreensão fiel: “Tu és este homem”? II Sam. 12:7. Não fosse tão raraessas palavras, e veríamos mais do poder de Deus. Os mensageiros doSenhor não se devem queixar de que seu esforços sejam infrutíferos,enquanto não se arrependerem de seu amor pela aprovação, seudesejo de agradar aos homens, o qual os leva a suprimir a verdade, eclamar: Paz, quando Deus não falou paz.Oxalá todo ministro de Deus compreendesse a santidade de sua obra ede sua vocação. Como mensageiros divinamente indicados, osministros se acham em posição de terrível responsabilidade. Cumpre-lhes trabalhar, da parte de Cristo, como despenseiros dos mistérios doCéu, animando os obedientes e advertindo os desobedientes. A normamundana não deve influir em sua conduta. Eles não se devem apartarjamais da vereda em que Jesus lhes pediu que andassem. Cumpre-lhesavançar em fé, lembrando-se de que estão rodeados de uma nuvem detestemunhas. Não devem falar suas próprias palavras, mas as queAquele que é maior que os potentados da Terra lhes pediu quefalassem. Sua mensagem tem de ser: “Assim diz o Senhor.”Deus pede homens que, como Nata, Elias e João, apresentemdestemidamente Sua mensagem, a despeito das conseqüências; quefalem a verdade, embora isso importe no sacrifício de tudo quantopossuam.COMO SETAS AGUDASAs palavras de Cristo eram como setas agudas, que iam ao alvo, eferiam o coração de Seus ouvintes. Todas as vezes que Se dirigia aopovo, fosse grande ou pequeno Seu auditório, Suas palavras exerciamsobre alguém efeito salvador. Nenhuma mensagem que caísse de Seuslábios se perdia. Cada palavra que proferia revelava novaresponsabilidade aos que O ouviam. E hoje em dia, os ministros queestão anunciando em sinceridade a última mensagem de misericórdiaao mundo, dependendo de Deus quanto a forças, não precisam recearque seus esforços sejam vão. Embora olho algum possa ver o caminhoda seta da verdade, quem pode dizer que ela não atingiu o alvo, epenetrou no coração dos que a ouviram? Se bem que nenhum ouvidohumano haja percebido o grito da alma ferida, todavia a verdade abriusilenciosamente caminho para o coração. Deus falou á alma; e, no dia
  38. 38. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 38do ajuste final de contas, Seus fiéis ministros achar-se-ão com ostroféus da graça remidora, para dar honra a Cristo.Ninguém pode dizer o que se perde por tentar pregar sem a unção doEspírito Santo. Há em todas as congregações, pessoas que se achamhesitantes, quase decididas a se pôr inteiramente do lado de Deus.Estão-se tomando decisões; demasiadas vezes, porém, o ministro nãopossui o espírito e poder da mensagem, e não se faz nenhum apelodireto aos que estão oscilando na balança.Nesta época de trevas morais, é preciso alguma coisa mais do quesecas teorias para mover as almas. Os ministros devem manter ligaçãoviva com Deus. Devem pregar como quem crê naquilo que diz.Verdades vivas, caindo dos lábios do homem de Deus, farão com queos pecadores tremam, e os convictos exclamem: O Senhor é meu Deus;estou resolvido a colocar-me inteiramente do lado do Senhor.O mensageiro de Deus nunca deve deixar de esforçar-se por obter maisluz e poder. Ele deve lidar sempre, orar sempre, sempre esperar, porentre desânimos e trevas, decidido a adquirir um perfeito conhecimentodas Escrituras, e a não ficar atrás em dom algum. Enquanto houver umaalma a receber beneficio, ele deve avançar sempre com renovadacoragem a cada esforço. Enquanto for verdade que Jesus disse: “Não tedeixarei, nem te desampararei” (Heb. 13:5), e a coroa da justiça foroferecida ao vencedor, enquanto nosso Advogado interceder em favordo pecador, os ministros de Cristo devem trabalhar com esperançosa einfatigável energia, e perseverante fé.Os homens que assumem a responsabilidade de apresentar ao povo apalavra provinda da boca de Deus, tornam-se responsáveis pelainfluência que exercem em seus ouvintes. Se são verdadeiros homensde Deus, saberão que o objetivo de pregar não é entreter. Não émeramente fornecer informações, nem convencer o intelecto.A pregação da palavra deve apelar para a inteligência, e comunicarconhecimento, mas cumpre-lhe fazer mais que isso. A palavra doministro, para ser eficaz, tem de atingir o coração dos ouvintes. Nãodeve introduzir histórias divertidas na pregação. Cumpre-lhes esforçar-se por compreender a grande necessidade e anelo da alma. Ao achar-se perante sua congregação, lembre-se de que há entre os ouvintespessoas em luta com a dúvida, quase em desespero, quase sem
  39. 39. 39 | Apostila–A Condição da Igreja Iesperança. Pessoas que, constantemente assediadas pela tentação,estão combatendo um duro combate contra a adversário das almas.Peça ele ao Salvador que lhe dê palavras que sirvam para fortalecerassas almas para o conflito contra o mal. (Obreiros Evangélicos,pág.145-152)Há entre o povo de Deus grande necessidade de reforma. O atualestado da igreja nos leva á pergunta: É isto uma fiel representaçãodAquele que deu a vida por nós? São estes os seguidores de Cristo, eos irmãos dos que não reputaram sua vida por preciosa? Os queatingem á norma bíblica, á descrição feita pela Escritura dos seguidoresde Cristo, serão na verdade raros. Havendo abandonado a Deus, aFonte de águas vivas, cavaram para si mesmos cisternas, “cisternasrotas, que não retêm as águas”. Disse o anjo: “Falta de amor e de fé, eisos grandes pecados de que o povo de Deus se acha agora culpado.” Afalta de fé conduz á negligência, ao amor-próprio e do mundo. Os quese apartam de Deus e caem em tentação, condescendem com víciosgrosseiros; pois o coração carnal leva a grande impiedade. E esteestado de coisas se encontra entre muitos dentre o professo povo deDeus. Enquanto pela profissão O servem, estão em todos os intentos edesígnios corrompendo seus caminhos diante dEle. Muitos satisfazem oapetite e a paixão, não obstante a clara luz da verdade apontar o perigo,e erguer a voz de advertência: “Acautelai-vos, refreai-vos, renunciai.” “Osalário do pecado é a morte.” Rom. 6: 23.. Se bem que o exemplo dosque naufragaram na fé se erga como farol de advertindo os outros paranão prosseguirem na mesma direção, muitos ainda se precipitamloucamente para diante. Satanás domina-lhe o espírito, e parececontrolar-lhes o corpo.Oh! Quantos se lisonjeiam de bondade e justiça, quando a verdadeiraluz de Deus revela que toda a sua vida eles têm vivido unicamente parase agradarem a si mesmos! Toda a sua conduta é aborrecível a Deus.Quantos estão vivos sem a lei! Na espessa trava em que se encontram,olham-se complacentemente: revele-se-lhes, porém, a lei de Deus áconsciência, como aconteceu com Paulo, e verão estar vendidos sob opecado, e ter de morrer para a mente carnal. O próprio eu precisa sermorto.Quão tristes e terríveis os erros que muitos estão cometendo! Estãoedificando sobre a areia, mas lisonjeiam-se de que se acham bem
  40. 40. A p o s t i l a – A C o n d i ç ã o d a I g r e j a I | 40firmados na Rocha eterna. Muitos que professam piedade vão seprecipitando para a frente tão descuidosamente, e tão inconsideradospara com o perigo, como se não houvesse juízo futuro. Aguarda-osterrível retribuição, e todavia são dominados pelo impulso e a paixãogrosseira; e todavia são dominados pelo impulso e a paixão grosseira;estão enchendo um negro registro de vida para o juízo. Ergo a voz emadvertência a todo aquele que profere o nome de Cristo, para que seaparte de toda iniqüidade. Purificai a alma pela obediência da verdade.Purificai-vos de toda a imundície da carne e do espírito, aperfeiçoando asantidade no temor de Deus. Vós, a quem isto se aplica, sabeis o quequero dizer. Mesmo vós, que corrompestes vossos caminhos diante doSenhor, partilhando da iniqüidade que abundantemente existe, eenegrecestes a alma no pecado, Jesus vos convida ainda desviardes devossa direção, a lançar mão de Sua força, e nEle encontrar aquele paz,aquele poder e graça que vós farão mais que vencedores em Seunome.As corrupções deste século degenerado têm manchado muitas almasque, professamente, estão servindo a Deus. Mesmo agora, no entanto,ainda não é demasiado tarde para se endireitarem os erros, para osangue de um Salvador crucificado e ressurgido fazer expiação por vós,caso vos arrependais e sintais a necessidade que tendes de perdão.Precisamos agora vigiar e orar como nunca dantes, para que nãocaiamos sob o poder da tentação e deixemos o exemplo de uma vidaque seja um lamentável destroço. Como um povo, precisamos não nostornar descuidosos e olhar o pecado em indiferença. Importa que oacampamento seja expurgado. Todos quantos proferem o nome deCristo, necessitam vigiar e orar, e guardar as entradas da alma; poisSatanás está em atividade para corromper e destruir, uma vez que lheseja dada a mínima vantagem. (I TS, pág.401-402)Foi-me mostrado que o espírito do mundo está levedando rapidamentea igreja. Vocês estão seguindo o mesmo caminho que o antigo Israel.Há a mesma rebeldia ao seu santo chamado como povo peculiar deDeus. Os irmãos estão tendo associação com as infrutuosas obras dastrevas. Sua concordância com os descrentes têm provocado odesprazer divino. Vocês não sabem das coisas que dizem respeito ásua paz e as estão rapidamente ocultando de seus olhos. Suanegligencia em seguir a luz os colocará numa posição mais
  41. 41. 41 | Apostila–A Condição da Igreja Idesfavorável do que os judeus, sobre quem Cristo pronunciou umamaldição.Vi que a incredulidade com relação aos testemunhos tem aumentado ámedida que o povo apostata de Deus. Isso ocorre em nossas fileiras eem todo o campo. Mas poucos sabem o que nossas igrejas estão paraexperimentar. Foi-me mostrado que presentemente estamos sobtolerância divina; porém, ninguém sabe até quando. Ninguém sabe quãogrande é a misericórdia que tem sido exercida sobre nós. Poucos sãofervorosamente consagrados a Deus. Há apenas uns poucos que, comoas estrelas numa noite tempestuosa, brilham aqui e acolá entre asnuvens. (TI pág. 76)

×