26. gênesis dois sete
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

26. gênesis dois sete

on

  • 514 views

 

Statistics

Views

Total Views
514
Views on SlideShare
508
Embed Views
6

Actions

Likes
1
Downloads
2
Comments
1

2 Embeds 6

http://remanescentedelaodiceia3.blogspot.com.br 5
http://remanescentedelaodiceia3.blogspot.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Jogando.net/MU *028*

    Boa tarde amigos,

    Venham conhecer nossos Servidores de Mu
    Online Season 6 http://www.jogando.net/mu/
    >>muitos kits novos;
    >> Nossos GMs online em todos os servers
    Fazem eventos todos os dias:
    Fazemos sua Diversão com qualidade,há mais de 5 anos
    Servers ON 24 horas por dia
    Vários Server esperando por você.Venha se divertir de verdade.
    >>>CURTA nossa Fan page no Facebook e concorra a prêmios.
    SORTEIO de 2 pacotes de 100 JCASHs mais 15 dias VIP Premium
    >>>Conheçam também Animes Cloud -> http://www.animescloud.com, mais de 20.000 videos online,feito exclusivo para sua diversão.
    Site http://www.jogando.net/mu/ Benvindos ao nosso servidor.
    Wartemix Divulgadora Oficial !
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

26. gênesis dois sete 26. gênesis dois sete Document Transcript

  • 1| Apostila –Gênesis 2:7 GÊNESIS 2: 7 Deus disse: das trevas resplandeça a luz. ; II Cor 4: 6; Gen 1: 3, 5; Heb 11: 3;Fez que "das trevas resplandecesse a luz". II Cor. 4:6; Heb 11:3.Quando "a Terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face doabismo; e o Espírito de Deus Se movia sobre a face das águas. E disseDeus: Haja luz. E houve luz". Gên. 1:2 e 3. Também na noite das trevasespirituais a Palavra de Deus diz: "Haja luz." A Seu povo, diz Ele:"Levanta-te, resplandece, porque já vem a tua luz, e a glória do Senhorvai nascendo sobre ti." Isa. 60:1. (PJ, 415)Aquele que ordenou que a luz resplandecesse no meio das trevas,lança luz na mente de toda pessoa que O contemple devidamente,amando-O supremamente e manifestando inabalável fé nEle. Sua luzbrilha nas recâmaras da mente e no templo da alma. Seu coração estárepleto da luz do conhecimento da glória que brilha na face de JesusCristo. E com essa luz vem discernimento espiritual. .(MM, Cuidado deDeus, 267)Deus é luz; e nas palavras: "Eu sou a luz do mundo", Cristo declarouSua unidade com Deus e Sua relação para com toda a família humana.Fora Ele que, no princípio, fizera com que "das trevas resplandecesse aluz." II Cor. 4:6. Ele é a luz do Sol, e da Lua, e das estrelas. Era Ele a luzespiritual que, em símbolo e tipo e profecia, brilhara sobre Israel. Masnão somente para a nação judaica fora dada essa luz. Como os raiossolares penetram até aos mais afastados recantos da Terra, assim a luzdo Sol da Justiça resplandece sobre toda alma. (DTN, 464) (I João 1: 5;Sl 43: 3)Então houve um Mestre enviado por Deus - Aquele mesmo que era oCaminho, a Verdade e a Vida. Jesus expôs a pura e preciosa verdadedo Céu a fim de que brilhasse entre as trevas e escuridão moral da
  • A p o s t il a – G ê ne s is 2 : 7 |2Terra. Deus dissera: "Haja luz espiritual", e a luz da glória de Deus foirevelada na face de Jesus Cristo. (FEC, 239)Aquele que ordenou que a luz resplandecesse no meio das trevas,lança luz na mente de toda pessoa que O contemple devidamente,amando-O supremamente e manifestando inabalável fé nEle. Sua luzbrilha nas recâmaras da mente e no templo da alma. Seu coração estárepleto da luz do conhecimento da glória que brilha na face de JesusCristo. E com essa luz vem discernimento espiritual. ... (MM, Este DiaCom Deus, 133) “Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, équem resplandeceu em nossos corações, para iluminação doconhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo.” II Cor. 4:1-6.São apresentados aqui dois partidos, e é revelado que não pode haverunião entre eles. (FEC 477)Seus amigos, que são totalmente contrários às coisas espirituais, nãosão refinados, enobrecidos e elevados pela prática da verdade. Nãoestão sob o ensino de Cristo, e sim sob a bandeira negra do príncipedas trevas. Associar-se com os que não temem nem amam a Deus - amenos que seja com o propósito de conquistá-los para Jesus - será umempecilho à sua espiritualidade. Se não puder elevá-los, a influênciadeles a afetará, corrompendo e contaminando sua fé. É correto que ostrate amavelmente, mas não tanto que a faça amar e preferir acompanhia deles. Porque se escolher a atmosfera que envolve-lhes aalma, abandonará a companhia de Jesus. (Carta J. Namorados, 25)Há no mundo duas espécies de educadores. Uma delas compõe-se dosque Deus torna condutos de luz; a outra, daqueles que Satanásemprega como agentes seus, sábios em fazer o mal. Uma espéciecontempla o caráter de Deus e progride no conhecimento de Jesus.Esses entregam-se inteiramente às coisas que trazem iluminação esabedoria celestiais para elevação da alma. Toda aptidão de suanatureza é submetida a Deus; mesmo seus pensamentos são levadoscativos a Cristo. A outra espécie acha-se em coligação com o príncipedas trevas, o qual está sempre alerta a uma oportunidade de ensinar a
  • 3| Apostila –Gênesis 2:7outros a ciência do mal, e que, caso lhe seja concedido lugar, não tardaem abrir caminho ao coração e à mente. (CPPE, 25)Quando o jovem se converte, não o deixeis ocioso; dai-lhe algumacoisa para fazer na vinha do Mestre. Empregai-o de acordo com suacapacidade; pois o Senhor deu a cada um a sua obra. Cooperemoscom o Senhor em toda linha, pondo em operação todos osexpedientes para que se desenvolvam as faculdades dos que seacham ligados à escola. Os habitantes da Terra estão-se alistandosob a bandeira dos dois dirigentes do mundo. Cristo, o Príncipeda vida, e Satanás, príncipe das trevas, estão atraindo ao seuserviço tanto jovens como adultos. (CSES, 82) MORADASInstrumentos satânicos tomavam posse dos homens. O corpohumano, feito para habitação de Deus, tornou-se morada dedemônios. Os sentidos, os nervos e órgãos dos homens erammanejados por influências sobrenaturais na condescendência com asmais vis concupiscências. O próprio cunho dos demônios se achavaimpresso na fisionomia dos homens. O semblante humano refletia aexpressão das legiões do mal de que os próprios homens estavampossuídos. (CBV, 142)Sempre foi a luz um símbolo da presença divina. Assim como a luzfísica é essencial para a vida física, assim a luz divina é necessária seos seres racionais têm que ter vida moral e espiritual. "Deus é luz" (1João 1: 5), e para aqueles em cujo coração se está levando a cabo àspressas a obra de voltar a criar a semelhança divina, ele vem outra vezhoje em dia ordenando que fujam as sombras de pecado, incerteza edesânimo ao dizer: "Seja a luz".Intérpretes, e contendas, ciúmes e preconceitos dividiam os professosfilhos de Deus. Então houve um Mestre enviado por Deus - Aquelemesmo que era o Caminho, a Verdade e a Vida. Jesus expôs a pura epreciosa verdade do Céu a fim de que brilhasse entre as trevas e
  • A p o s t il a – G ê ne s is 2 : 7 |4escuridão moral da Terra. Deus dissera: "Haja luz espiritual", e a luz daglória de Deus foi revelada na face de Jesus Cristo. (FEC, 239)Mas, no momento de seu triunfo aparente, foi o imperador afligido com aderrota. Viu a presa arrancada ao seu poder, sendo, por fim, obrigado aconceder tolerância às doutrinas cuja destruição fora o anelo de suavida. Pusera em risco o reino, seus tesouros e a própria vida, no intuitode esmagar a heresia. Via agora os exércitos assolados pelas batalhas,os tesouros exauridos, seus muitos reinos ameaçados de revolta,enquanto, por toda parte, a fé que em vão se esforçara por suprimir,estava a estender-se. Carlos V estivera a batalhar contra o Poderonipotente. Deus dissera: "Haja luz", mas o imperador havia procuradoperpetuar as trevas. Falhara o seu propósito; e, prematuramenteenvelhecido e consumido pela longa luta, abdicou o trono e sepultou-seem um claustro. (GC, 211)O criar Deus o mundo, e as trevas cobrirem a face do abismo, disse:"Haja luz. E houve luz. E viu Deus que era boa a luz." Gên. 1:3 e 4.Fecharemos nossas casas, delas excluindo a luz a que Deus chamouboa? The Health Reformer, abril de 1871.Jesus de Nazaré declarou-Se a Luz do mundo. Que pensais vósdele? Que posição ocupa Ele entre os mestres religiosos do mundo?Centenas, isto é, milhares de homens têm sido reconhecidos comograndes pensadores, homens que especularam, que publicaram suasteorias, e encantaram o espírito de muitos com suas realizaçõesintelectuais e morais. Esses chamados grandes homens que legaramao mundo as produções de uma vida de reflexões, têm sidoclassificados como os mais sábios que o mundo conheceu. Esseshomens, porém, não se podem comparar com Cristo. Houve umarevelação antes que as produções do homem fossem trazidas à luz.Seu conhecimento finito não é senão o resultado da contemplação dascoisas assombrosas que têm fulgurado em nosso mundo, contidas nosensinos de Cristo, o Mestre maior entre todos os mestres. Sejam quaisforem as grandes idéias que o homem haja elaborado, vieram por meiode Cristo. Toda preciosa gema de pensamento, todo lampejo deintelecto, é revelado pela Luz do mundo. Nenhum ser humano, por
  • 5| Apostila –Gênesis 2:7mais erudito, por mais dotado de talentos, tem prioridade ao divinoMestre. ... (MM, Para Conhecê-lo, 97)Gen 2: 7. “Então, formou ao Senhor o homem do pó da Terra e lhesoprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou ser almavivente” “pó da Terra” no hebraico, ‘APHAR’, pó tem três significados. − O primeiro é barro, torrão de terra, cinzas. Aqui Deus estava mostrando que aproveitou as cinzas do que sobrara da criação anterior. − O segundo significado é ‘superabundância’ que aparece em outro texto com este sentido (Gen 13: 16). Deus estava querendo mostra qual a sua intenção para esta criação. − O terceiro significado é “povos”. Aqui Deus estava mostrando que nesta dimensão de matéria Ele usou uma forma que já existia antes. Terra em hebraico é ‘ADAMAH’ que significa solo fértil.O original hebraico desse verbo era em geral usado em referencia áobra do oleiro (Isa 45: 9; Jer 18: 6), que molda vasos a partir do barro(Jô 33: 6) fazer (Gen 1: 26), criar (Gen 1: 27), e formar são usados emreferencia á criação do homem e dos animais por Deus (Gen 2: 19; 1:21, 25), fôlego de vida. Homens e animais têm igualmente em si ofôlego de vida (ver Gen 1: 30; Jó 33: 4;), o homem se tornou um servivente. A expressão hebraica traduzida aqui por “ser vivente” étraduzida por “seres vivos”. Em (Gen 1: 20. 24). As palavras de Gen 2:7, portanto fazem supor que as pessoas, pelo menos fisicamente, têmafinidade com os animais. A grande diferença é que o homem é feito a“imagem” de Deus, na qualidade de servo deste, quanto que as outrascriaturas, na condição de mordomo delas divinamente nomeado (Sl 8: 5-8). (Heb, 1: 5) Sl 2: 7; II Sam 7: 14; I Cr. 17: 13 (Heb. 1: 6) Deut 32: 43(Heb 1: 7) Sl 104: 4 (Heb 1: 9) Sl 45: 6, 7 (Heb 1: 10, 11) Sl 102: 25 – 27(Heb 1: 13) Sl 110: 1. Juízes 13, e Dan 9: 21 Para clarear mais (Heb 1:5; Dan 9: 25. (Juiz 13: 18; Apoc 11: 15) Gên, 2: 9; Ez 31: 8; Sl 80: 8-10; Gen 2: 8-9; 3: 22, 24; Prov. 3: 8; 11: 30; Gen 2: 9; Prov 10: 11; Apoc 2: 7; Ez, 47: 12;
  • A p o s t il a – G ê ne s is 2 : 7 |6 A árvore da Vida – significa a árvore e a concessão da vida, sem mortepara os que comessem de seus frutos, (Apoc 3: 22) nós (Gen 1: 26)façamos, nossa [...] nossa, Deus fala como Rei-Criador, anunciando aosmembros de sua corte celeste sua obra suprema (Gen 3: 22; 11: 7; Isa6: 8; I Reis 22: 19-23; Jô 15: 8; Jer 23: 18), imagem (...) semelhança.Nenhuma distinção dever ser feita entre “imagem” e “semelhança”;sinônimos tanto no AT (Gen 5: 1; 9: 6); como o homem é feito a imagemde Deus, todo ser humano é digno de honra e de respeito, não deve serassassinado (Gen 9: 6) nem amaldiçoado (Tia 3: 9) “Imagem”, incluicaracterísticas, como justiça, santidade (Ef 4: 23 - 24), conhecimento (Cl3: 10). Os crentes devem ser conforme a imagem de Cristo (Rom 8: 29),um dia serão semelhantes a Ele (I João 3: 2). Domínio. O homem é oapogeu da atividade criadora de Deus, e Deus o tem coroado de “Gloriae honra”, fazendo-o dominar sobre a criação (Sl 8: 5-8), como o homemfoi criado a “imagem” do Rei-divino, foi-lhe outorgado uma soberania(realeza) delegada. Quanto a realeza do homem redimido (Heb 2: 5-18;3: 1 - ; I Cor 13: 12; II Cor 3: 18; Tiag 1: 23) na versão Kig James. (PP.67) (GC, 671, 647/648; 674/675) A CRISTO VIRÁ O PRIMEIRO DOMINIONão somente o homem mas também a Terra tinha pelo pecado vindosob o poder do maligno, e deveria ser restaurada pelo plano daredenção. Ao ser criado, foi Adão posto no domínio da Terra. Mas,cedendo à tentação, foi levado sob o poder de Satanás. "Porque dequem alguém é vencido, do tal faz-se também servo." II Ped. 2:19.Quando o homem se tornou cativo de Satanás, o domínio que exercerapassou para o seu vencedor. Assim Satanás se tornou o "deus desteséculo". II Cor. 4:4. Ele usurpou aquele domínio sobre a Terra, queoriginalmente fora dado a Adão. Cristo, porém, pagando pelo Seusacrifício a pena do pecado, não somente remiria o homem masrestabeleceria o domínio que ele perdera. Tudo que foi perdido peloprimeiro Adão será restaurado pelo segundo. Diz o profeta: "E a Ti, óTorre do rebanho, monte da filha de Sião, a Ti virá; sim, a Ti virá oprimeiro domínio." Miq. 4:8. E o apóstolo Paulo aponta para a"redenção da possessão de Deus". Efés. 1:14. Deus criou a Terra paraser a morada de seres santos, felizes. O Senhor "formou a Terra, e afez; Ele a estabeleceu, não a criou vazia, mas a formou para que fosse
  • 7| Apostila –Gênesis 2:7habitada". Isa. 45:18. Aquele propósito se cumprirá, quando, renovadapelo poder de Deus, e libertada do pecado e tristeza, se tornar a eternahabitação dos remidos. "Os justos herdarão a Terra, e habitarão nelapara sempre." Sal. 37:29. "E ali nunca mais haverá maldição contraalguém; e nela estará o trono de Deus e do Cordeiro, e os Seus servosO servirão." Apoc. 22:3. (PP, 67)Ao serem os resgatados recebidos na cidade de Deus, ecoa nos aresum exultante clamor de adoração. Os dois Adões estão prestes aencontrar-se. O Filho de Deus Se acha em pé, com os braçosestendidos para receber o pai de nossa raça - o ser que Ele criou e quepecou contra o seu Criador, e por cujo pecado os sinais da crucifixãoaparecem no corpo do Salvador. Ao divisar Adão os sinais dos cruéiscravos, ele não cai ao peito de seu Senhor, mas lança-se emhumilhação a Seus pés, exclamando: "Digno é o Cordeiro, que foimorto." Apoc. 5:12. Com ternura o Salvador o levanta, convidando-o acontemplar de novo o lar edênico do qual, havia tanto, fora exilado.Depois de sua expulsão do Éden, a vida de Adão na Terra foi cheia detristeza. Cada folha a murchar, cada vítima do sacrifício, cada manchana bela face da natureza, cada mácula na pureza do homem, era umanova lembrança de seu pecado. Terrível foi a aflição do remorso, aocontemplar a iniqüidade que era dominante, e, em resposta às suasadvertências, deparar com a acusação que lhe faziam como causa dopecado. Com paciente humildade, suportou durante quase mil anos apena da transgressão. Sinceramente se arrependeu de seu pecado,confiando nos méritos do Salvador prometido, e morreu na esperançade uma ressurreição. O Filho de Deus redimiu a falta e a queda dohomem; e agora, pela obra da expiação, Adão é reintegrado em seuprimeiro domínio.Em arrebatamento de alegria, contempla as árvores que já foram o seudeleite - as mesmas árvores cujo fruto ele próprio colhera nos dias desua inocência e alegria. Vê as videiras que sua própria mão tratara, asmesmas flores que com tanto prazer cuidara. Seu espírito apreende arealidade daquela cena; ele compreende que isso é na verdade o Édenrestaurado, mais lindo agora do que quando fora dele banido. OSalvador o leva à árvore da vida, apanha o fruto glorioso e manda-ocomer. Olha em redor de si e contempla uma multidão de sua família
  • A p o s t il a – G ê ne s is 2 : 7 |8resgatada, no Paraíso de Deus. Lança então sua brilhante coroa aospés de Jesus e, caindo a Seu peito, abraça o Redentor. Dedilha aharpa de ouro, e pelas abóbadas do céu ecoa o cântico triunfante:Digno, digno, "digno é o Cordeiro" (Apoc. 5:12) "que foi morto e reviveu!"Apoc. 2:8. A família de Adão associa-se ao cântico e lança as suascoroas aos pés do Salvador, inclinando-se perante Ele em adoração.(GC. 647/648)"Vi um novo céu, e uma nova Terra. Porque já o primeiro céu e aprimeira Terra passaram." Apoc. 21:1. O fogo que consome os ímpios,purifica a Terra. Todo vestígio de maldição é removido. Nenhum infernoa arder eternamente conservará perante os resgatados as terríveisconseqüências do pecado.Apenas uma lembrança permanece: nosso Redentor sempre levará ossinais de Sua crucifixão. Em Sua fronte ferida, em Seu lado, em Suasmãos e pés, estão os únicos vestígios da obra cruel que o pecadoefetuou. Diz o profeta, contemplando Cristo em Sua glória: "Raiosbrilhantes saíam da Sua mão, e ali estava o esconderijo da Suaforça." Hab. 3:4. Suas mãos, Seu lado ferido donde fluiu a correntecarmesim, que reconciliou o homem com Deus - ali está a glória doSalvador, ali está "o esconderijo da Sua força". "Poderoso para salvar"mediante o sacrifício da redenção, foi Ele, portanto, forte para executarjustiça sobre aqueles que desprezaram a misericórdia de Deus. E ossinais de Sua humilhação são a Sua mais elevada honra; através daeternidade os ferimentos do Calvário Lhe proclamarão o louvor edeclararão o poder."E a ti, ó torre do rebanho, monte da filha de Sião, a ti virá; sim, a tivirá o primeiro domínio." Miq. 4:8. Chegado é o tempo, para o qualsantos homens têm olhado com anseio desde que a espada inflamadavedou o Éden ao primeiro par - tempo "para a redenção da possessãode Deus". Efés. 1:14. A Terra, dada originariamente ao homem comoseu reino, traída por ele às mãos de Satanás, e tanto tempo retida pelopoderoso adversário, foi recuperada pelo grande plano da redenção.Tudo que se perdera pelo pecado foi restaurado. "Assim diz o Senhor ...que formou a Terra, e a fez; Ele a estabeleceu, não a criou vazia, mas aformou para que fosse habitada." Isa. 45:18. O propósito original deDeus na criação da Terra cumpre-se, ao fazer-se ela a eterna morada
  • 9| Apostila –Gênesis 2:7dos remidos. "Os justos herdarão a Terra e habitarão nela para sempre."Sal. 37:29. (GC, 674/675; Isa 40: 5)(Gen 3: 22; Apoc 2: 7; 22: 2, 14). Árvore do conhecimento do Bem e doMau. Significa conhecimento do bem e do mau e a concessão desseconhecimento, acaba levando a morte dos que comem de seu fruto(Gen 2: 17; 3: 3). O conhecimento do bem e do mau; refere-se aoconhecimento moral, ou ao discernimento ético (Deut 1: 29-30; Isa 7: 15-16).Adão e Eva tinham vida e discernimento moral, pois provinha das mãosde Deus. O acesso deles a árvore da vida demonstrou que a árvore davida era o desejo e a intenção de Deus para eles. Ao comer da árvoredo conhecimento do bem e do mau, Adão e Eva buscavam uma fontehumana de discernimento, para ser moralmente independentes deDeus. Ez 31: 8, o aspecto do orgulho é introduzido (Ez 31: 10; 28:13),Tu estavas no Éden, assim como Adão e Eva ( Gen 2: 15) ( Gen 3:22, 24); (Gen 3: 24). Querubins (Ex, 25: 18). No NT. Os Querubins eramatendentes simbólicos, que marcavam o lugar de “entronização doSenhor em Seu Reino Terrestre (I Sam 4: 4; II Sam 6: 2; II Reis 19: 15;Sl 99: 1;). A arca era mencionada para simbolizar o trono doSenhor. Do Grande Rei que se dignou habitar entre o povo.(Ex 26: 1,31; 36: 35;I Reis 6: 23, 27; 6: 6; II Cr 3: 10- 13). Querubins tambémsignifica uma câmera de realeza.(Prov 3: 8; 4: 20-23; Apoc 2: 7; Ez 47: 12;), todo mês produzirão frutos(Ez 34: 27; 36: 30-31;) CSS, 210; DTN, 592; João 15: 2.A resposta foi: "Por que perguntas assim pelo Meu nome, visto que émaravilhoso?" Juí. 13:18. Percebendo o caráter divino do hóspede,Manoá "tomou um cabrito e uma oferta de manjares e os ofereceu sobreuma penha ao Senhor; e agiu o Anjo maravilhosamente, vendo-o Manoáe sua mulher". Juí. 13:19. Fogo proveio da rocha e consumiu o sacrifício,e enquanto a chama subia em direção ao Céu, "o Anjo do Senhor subiuna chama do altar; o que vendo Manoá e sua mulher, caíram em terrasobre seu rosto". Juí. 13:20. Já não existiam mais dúvidas quanto ànatureza do visitante. Sabiam que seus olhos haviam contemplado o
  • A p o s t i l a – G ê n e s i s 2 : 7 | 10Santíssimo que, encobrindo Sua glória na coluna de fogo, houvera sidoo Guia e Ajudador de Israel no deserto. (Verdade S. anjos, 116)E, estando em agonia, orava mais intensamente. E aconteceu que oSeu suor se tornou como gotas de sangue caindo sobre a terra." "Então,Lhe apareceu um anjo do Céu que O confortava." Luc. 22:44 e 43. Oconflito se encerrou; Jesus consente em honrar Seu Pai fazendo-Lhe avontade e suportando Sua maldição, a conseqüência da transgressãoda humanidade. Foi obediente até à morte, e morte de cruz. Aqui se vêo que estava envolvido na desobediência de Adão e o que aobediência do Filho de Deus significa para nós. ... (MM, CT, 24; Mat4: 11; Mar 1: 13)Como representante de Deus, Cristo apareceu em carne humana.Embora em forma de homem, era Filho de Deus, e ao mundo foidada uma oportunidade de ver como trataria a Deus. DeclarouCristo: "Quem Me vê a Mim vê o Pai." João 14:9. Quando, porém, viersegunda vez, a divindade não se achará mais encoberta. Virá comoAlguém igual a Deus, como Seu Filho amado, Príncipe do Céu e daTerra. É também Redentor do Seu povo, Doador da vida. A glória doPai e a do Filho, ver-se-á então, são uma e a mesma coisa. Suadeclaração de ser Um com o Pai achar-se-á então comprovada. Suaglória é a do Filho, e é também a de Deus. Então será Ele glorificadona presença de Seus anciãos. (Isa. 24:23.) Carta 90, 1898. (MM, NosLugares Celestiais, 357) (Isa 13: 10;Apoc 22: 5; Isa 2: 2; Heb 12: 22; Isa28: 5; 45: 25; 60: 19, 20; Zac 2: 5; Apoc 21: 23)Para avaliar plenamente o valor da salvação, é preciso compreender oque ela custa. Em conseqüência das idéias limitadas acerca dossofrimentos de Cristo, muitos estimam em pouco a grande obra deexpiação. O glorioso plano da redenção humana foi produzido medianteo infinito amor de Deus o Pai. Neste plano divino vê-se a maismaravilhosa manifestação de amor de Deus para com a raça caída. Umamor tal como o que se revela no dom do amado Filho de Deus, causoupasmo aos santos anjos. "Deus amou o mundo de tal maneira que deuo Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça,mas tenha a vida eterna." João 3:16. Este Salvador era o resplendor
  • 11 | Apostila –Gênesis 2:7da glória de Seu Pai, e a expressa imagem de Sua pessoa. Possuíamajestade divina, perfeição e excelência. Era igual a Deus. "Foi doagrado do Pai que toda a plenitude nEle habitasse." Col. 1:19. ...(MM, Maravilhosa Graça. 158) (Rom 5: 8; Ef. 2: 4, 5; I João 4: 9, 10; Isa9: 6; Rom 8: 2, 32; Gen 22: 12; João 1: 18, 15, 36; 6: 29, 40; 11: 25, 26)Para Paulo, a cruz era o único objeto de supremo interesse. Desde quefora detido em sua carreira de perseguição contra os seguidores docrucificado Nazareno, jamais cessara de se gloriar na cruz. Nessetempo fora-lhe dada uma revelação do infinito amor de Deus, comorevelado na morte de Cristo; e maravilhosa transformação tinha-seoperado em sua vida, pondo em harmonia com o Céu todos os seusplanos e propósitos. Desde esse momento tornara-se um novo homemem Cristo. Ele sabia por experiência pessoal que quando um pecadoruma vez contempla o amor do Pai, como se vê no sacrifício de SeuFilho, e se rende à divina influência, tem lugar uma mudança decoração, e desde então Cristo é tudo em todos. (MM, Exaltai-o, 247)O Filho de Deus veio do Céu para revelar o Pai. "Deus nunca foi vistopor alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, Este O fezconhecer." João 1:18. "Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; eninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho O quiserrevelar." Mat. 11:27. Quando um dos discípulos fez o pedido: "Senhor,mostra-nos o Pai", Jesus respondeu: "Estou há tanto tempo convosco, enão Me tendes conhecido, Filipe? Quem Me vê a Mim vê o Pai; e comodizes tu: Mostra-nos o Pai?" João 14:8 e 9. (C.C, 11). Baseado nestes parágrafos poderia dizer que era o Pai que estava atuando? Sim.Os que não quiseram que Ele reinasse sobre eles, vê-Lo-ão rodeado doexército dos remidos, cada um dos quais apresenta o dístico: "OSenhor, Justiça Nossa. ..." Jer. 23:6. Naquele dia os remidosrefletirão a glória do Pai e do Filho. Os anjos do Céu, tocando suasharpas de ouro, darão as boas vindas ao Rei, e aos que são os troféusde Sua vitória - os que foram lavados e embranquecidos no sangue do
  • A p o s t i l a – G ê n e s i s 2 : 7 | 12Cordeiro. Ressoará um canto de triunfo, enchendo todo o Céu. Cristovenceu. Entra nas cortes celestes acompanhado daqueles que redimiu,as testemunhas de que Sua missão de sofrimento e sacrifício não foi emvão. Review and Herald, 24 de novembro de 1904. (MM, Filhos e Filhasde Deus, 362)A Igreja, revestida da justiça de Cristo, é Sua depositária, na qual asriquezas de Sua misericórdia, amor e graça, se hão de por fim revelarplenamente. A declaração que fez em Sua oração intercessora, de queo amor do Pai é tão grande para conosco como para consigo mesmo,na qualidade de Filho unigênito, e que estaremos com Ele onde estiver,e que seremos um com Cristo e o Pai, é uma maravilha para o exércitocelestial, e constitui sua grande alegria. O dom de Seu Espírito Santo,rico, pleno e abundante, deve ser para Sua Igreja semelhante a umaprotetora muralha de fogo, contra que não prevalecerão ospoderes do inferno. Na imaculada pureza e perfeição de Seu povo,Cristo vê a recompensa de todos os Seus sofrimentos, humilhação eamor, e como suplemento de Sua glória - sendo Ele o grande centro deque irradia toda glória. "Bem-aventurados aqueles que são chamados àceia das bodas do Cordeiro." Apoc. 19:9. (Testemunhos Para Ministros,págs. 15-19)João Batista surgiu no espírito e poder de Elias para preparar ocaminho do Senhor e converter as pessoas à prudência dos justos.Era ele um representante daqueles que estariam vivendo nos últimosdias, aos quais Deus confiara sagradas verdades para seremapresentadas perante o povo, a fim de preparar o caminho para osegundo aparecimento de Cristo. João era um reformador. O anjoGabriel, enviado do Céu, instruiu os pais de João sobre a reforma desaúde. Disse-lhes ele que o menino não deveria beber vinho, nembebida forte, e que ele seria cheio do Espírito Santo desde onascimento. Mal 4: 5 (CSS, 72)Revelação de Jesus Cristo, que Deus Lhe deu para mostrar aos Seusservos as coisas que em breve devem acontecer e que Ele, enviandopor intermédio do Seu anjo, notificou ao Seu servo João. Apoc. 1:1.
  • 13 | Apostila –Gênesis 2:7Necessitamos da ajuda divina para manter nossas lâmpadas ardendo.Mas Jesus morreu para prover tal ajuda. Ele estende o convite: "Quehomens se apoderem da Minha força e façam paz comigo; sim, quefaçam paz comigo." Isa. 27:5. Apegai-vos ao braço do Poder Infinito;então vereis que Ele é precioso à vossa vida, e todo o Céu estará àsvossas ordens. "Se, porém, andarmos na luz, como Ele está na luz" (IJoão 1:7), teremos a companhia dos santos anjos. Foi dito a Josué:"Assim diz o Senhor dos Exércitos: Se andares nos Meus caminhos eobservares os Meus preceitos, ... te darei livre acesso entre estes queaqui se encontram." Zac. 3:7. E quem são "estes que aqui seencontram"? São anjos de Deus. Josué precisaria ter uma confiançaviva em Deus cada dia; então os anjos andariam com ele, e o poder deDeus estaria sobre ele em todas as suas atividades. (MM, Cuidado deDeus, 331)Ressuscitando a Cristo dentre os mortos, o Pai glorificou Seu Filhoperante a guarda romana, perante o exército satânico e perante oUniverso celestial. Um anjo poderoso, usando um traje de guerreiro,desceu, dissipando as trevas de seu trajeto, e, rompendo o selo romano,removeu a pedra do sepulcro como se fosse um seixo, desfazendo nummomento a obra efetuada pelo inimigo. Ouviu-se a voz de Deus,chamando a Cristo para fora de Sua prisão. Os guardas romanosviram anjos celestiais prostrando-se reverentemente diante dAquele aquem haviam crucificado, e Ele proclamou acima do sepulcro aberto, deJosé: "Eu sou a ressurreição e a vida." João 11:25. Podemos acharsurpreendente que os soldados caíssem por terra como mortos? (MM,Exaltai-o, 103)Aqui deu o Senhor a Seu povo uma prova inconfundível de que fora opoderoso Anjo, e não Moisés, que havia operado tão maravilhosalibertação em favor deles, tirando-os da servidão egípcia, que estavaseguindo adiante deles em todas as suas jornadas, e de quem Eledissera: "Eis que Eu envio um Anjo diante de ti, para que te guardeneste caminho, e te leve ao lugar que te tenho aparelhado. Guarda-tediante dEle, e ouve a Sua voz, e não O provoques à ira: porque nãoperdoará a vossa rebelião; porque o Meu nome está nEle." Êxo.23:20-23. (HR, 166) (Jer 15: 16; Isa 43: 7; Jer 14: 9)
  • A p o s t i l a – G ê n e s i s 2 : 7 | 14O anjo do Senhor apareceu à esposa de Manoá, informando-a deque teria um filho; e em vista disso deu-lhe as importantes orientações:"Agora, pois, guarda-te de que bebas vinho ou bebida forte, nem comascoisa imunda." Juí. 13:4.Deus tinha uma obra importante para o prometido filho de Manoárealizar, e foi para garantir-lhe as habilitações necessárias para essaobra, que os hábitos tanto da mãe como do filho deviam ser tãocuidadosamente regulados. "Nem vinho, nem bebida forte beberá" (Juí.13:14), foi a instrução do anjo para a esposa de Manoá, "nem coisaimunda comerá; tudo quanto lhe tenho ordenado guardará." Juí. 13:14.Pelos hábitos da mãe o filho será afetado, para o bem ou para o mal.Deve ela mesma ser controlada pelo princípio, e praticar a temperança erenúncia, se quiser buscar o bem-estar do filho. Christian Temperanceand Bible Hygiene, págs. 37 e 38. (CSRA, 218) Juízes 13: Todo.É ouvida pelo povo de Deus uma voz clara e melodiosa, dizendo: "Olhaipara cima"; e, levantando os olhos para o céu, contemplam o arco dapromessa. As nuvens negras, ameaçadoras, que cobriam o firmamentose fendem e, como Estêvão, olham fixamente para o céu, e vêem aglória de Deus, e o Filho do homem sentado sobre o Seu trono.Divisam em Sua forma divina os sinais de Sua humilhação; e de Seuslábios ouvem o pedido, apresentado ante Seu Pai e os santos anjos:"Aqueles que Me deste quero que, onde Eu estiver, também elesestejam comigo." João 17:24. Novamente se ouve uma voz, melodiosae triunfante, dizendo: "Eles vêm! eles vêm! santos, inocentes eincontaminados. Guardaram a palavra da Minha paciência; andarãoentre os anjos"; e os pálidos, trêmulos lábios dos que mantiveram firmea fé, proferem um brado de vitória. (MM, Fé Pela a Qual eu Vivo, 347)A igreja de Deus na Terra se une com a do Céu. Os crentes na Terra eos seres celestiais que não pecaram constituem uma só igreja. Cada sercelestial toma interesse nos santos que na Terra se reúnem para adorara Deus. Os testemunhos dos crentes são ouvidos por eles na cortecelestial. O louvor e ações de graças dos adoradores na Terra, repetidosem seus cânticos divinos, repercutem no Céu seu louvor e alegriaporque Cristo não morreu em vão pelos os caídos filhos de Adão. E,enquanto os anjos participam diretamente do manancial divino, ossantos da Terra abeberam-se de correntes de águas puras que
  • 15 | Apostila –Gênesis 2:7fluem do trono de Deus. Oxalá todos pudesse compreender quãoperto estão a Terra e o Céu! Sem que os filhos de Deus na Terra opercebam, anjos de luz se constituem os seus companheiros. Umatestemunha silenciosa atenta para cada pessoa, procurando atraí-La para Cristo. E a menos que o homem, para sua ruína eterna,resista ao Espírito Santo, enquanto houver esperança, será guardadopor seres celestiais. Devemos lembrar sempre que, em assembléia decrentes na Terra, anjos de Deus estão escutando os hinos, orações.Devemos lembrar que nossos louvores são completados pelos coros deanjos celestiais. (TI, 6. pág. 366/367)Nos campos em que o jovem Davi guardara seus rebanhos, havia aindapastores vigiando durante a noite. Nas horas caladas, conversavamentre si acerca do prometido Salvador, e oravam pela vinda do Rei aotrono de Davi. "E eis que um anjo do Senhor veio sobre eles, e aglória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas degrande alegria, que será para todo o povo, pois, na cidade de Davi, vosnasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor." Luc. 2:9-11. (DTN, 47)De igual maneira, recebeu José aviso de fugir para o Egito com Maria ea criança. E o anjo disse: "E demora-te lá até que eu te diga: porqueHerodes há de procurar o Menino para O matar." Mat. 2:13. Joséobedeceu sem demora, pondo-se de viagem à noite, para maiorsegurança. (DTN, 64)"Eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento", disseJoão, "mas Aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu;cujas alparcas não sou digno de levar; Ele vos batizará com o EspíritoSanto e com fogo". Mat. 3:11. O profeta Isaías declarara que o Senhorpurificaria o Seu povo de suas iniqüidades "com o espírito de justiça, ecom o espírito de ardor" Isa. 4:4. As palavras do Senhor a Israel,eram: "E porei contra ti a Minha mão, e purificarei inteiramente as tuasescórias; e tirar-te-ei toda a impureza." Isa. 1:25. Para o pecado, ondequer que se encontre, "nosso Deus é um fogo consumidor". Heb. 12:29.O Espírito de Deus consumirá pecado em todos quantos sesubmeterem a Seu poder. Se os homens, porém, se apegarem ao
  • A p o s t i l a – G ê n e s i s 2 : 7 | 16pecado, ficarão com ele identificados. Então a glória de Deus, quedestrói o pecado, tem que destruí-los. Depois de sua noite de lutacom o anjo, Jacó exclamou: "Tenho visto a Deus face a face e a minhaalma foi salva". Gên. 32:30. (DTN, 107) (Isa 3: 24; Cat 3: 11; Sl 51: 2; Isa1: 31; 30: 30; Zac 13: 9; Mat 3: 11; Luc 3: 17; Isa 1: 15; 28: 6)Fora a mesma presença da santidade divina que fizera o profetaDaniel cair como morto perante o anjo do Senhor. Disse ele:"Transmudou-se em mim a minha formosura em desmaio, e não retiveforça alguma." Dan. 10:8. Assim quando Isaías viu a glória do Senhor,exclamou: "Ai de mim, que vou perecendo! porque eu sou um homemde lábios impuros, e habito no meio de um povo de impuros lábios; e osmeus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos!" Isa. 6:5. Ahumanidade com sua fraqueza e pecado, fora posta em contraste com aperfeição da divindade, e ele se sentiu inteiramente deficiente e falto desantidade. Assim tem sido com todos quantos alcançaram uma visão dagrandeza e majestade de Deus. (DTN, 246) (Dan 10: 8; Gen 32: 24; Jô4: 14; Dan 8: 27; Jô 4: 15; Hab 3: 16)Tomara a forma humana, a fim de não atemorizar essas discípulas deJesus. Todavia, brilhava-lhe ainda em torno a glória celestial, e asmulheres temeram. Voltaram-se para fugir, mas as palavras do anjo lhesdetiveram os passos. "Não tenhais medo", disse ele; "pois eu sei quebuscais a Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui, porque járessuscitou, como havia dito. Vinde, vede o lugar em que o Senhor jazia.Ide pois, imediatamente, e dizei aos Seus discípulos que já ressuscitoudos mortos." Mat. 28:5-7. De novo olharam elas para o sepulcro, etornaram a ouvir as maravilhosas novas. Outro anjo, em forma humana,ali está, e diz: "Por que buscais o vivente entre os mortos? Não estáaqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos como vos falou, estando ainda naGaliléia, dizendo: Convém que o Filho do homem seja entregue namãos de homens pecadores, e seja crucificado, e ao terceiro diaressuscite." Luc. 24:5-7. (DTN, 789)Diz o salmista: "Lâmpada para os meus pés é a Tua palavra e, luz paraos meus caminhos." Sal. 119:105. O óleo é símbolo do EspíritoSanto. Assim é representado o Espírito na profecia de Zacarias.
  • 17 | Apostila –Gênesis 2:7"Tornou o anjo que falava comigo", diz ele, "e me despertou, como a umhomem que é despertado do seu sono, e me disse: Que vês? E eudisse: Olho, e eis um castiçal todo de ouro, e um vaso de azeite nocimo, com as suas sete lâmpadas; e cada lâmpada posta no cimotinha sete canudos. E, por cima dele, duas oliveiras, uma à direita dovaso de azeite, e outra à sua esquerda. E falei e disse ao anjo quefalava comigo, dizendo: Senhor meu, que é isto? E respondeu e mefalou, dizendo: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel, dizendo: Nãopor força, nem por violência, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor dosExércitos. E, falando-lhe outra vez, disse: Que são aqueles doisraminhos de oliveira que estão junto aos dois tubos de ouro, que vertemde souro?.. Então Ele disse: Estes são os dois filos do óleo, que estãodiante do Senhor de toda a Terra. Zac 4: 1 – 14.Das duas oliveiras o dourado óleo era vazado pelos os tubos de ouronas taças do castiçal, e daí nas lâmpadas de ouro que alumiavam osantuário. Assim, dos santos que estão na presença de Deus, SeuEspírito é comunicado a instrumentalidades humanas que sãoconsagradas para o seu serviço. A missão dos dois ungidos écomunicar ao povo de Deus aquela graça celestial que, somente, podefazer de sua palavra uma lâmpada para os pés, e uma luz para ocaminho. “Não por força nem por violência, mas pelo Meu Espírito, diz oSenhor dos Exércitos.” Zac 4: 6. (PJ, 407/408)Ananias mal podia crer nas palavras do anjo mensageiro, pois aodiosa perseguição de Saulo aos santos em Jerusalém tinha seespalhado por perto e longe. Atreveu-se a argumentar, dizendo:"Senhor, a muitos ouvi acerca deste homem, quantos males temfeito aos Teus santos em Jerusalém; e aqui tem poder dosprincipais dos sacerdotes para prender a todos os que invocam oTeu nome." Atos 9:13 e 14. Mas a ordem para Ananias foi imperativa:"Vai, porque este é para Mim um vaso escolhido, para levar o Meunome diante dos gentios, e dos reis e dos filhos de Israel." Atos 9:15.(HR, 272) (Atos 13: 2; Rom 1: 1; Gal 1: 15; I Tim 1: 12; Rom 11: 13; 15:15, 16; Gal 1: 16; 2: 7, 8; Atos 25: 22, 23; 26: 1)Antes de sua conversão, Paulo era acérrimo perseguidor dosseguidores de Cristo. Mas, à porta de Damasco, uma voz lhe falou,sua alma foi iluminada por uma luz celeste, e na revelação que aí
  • A p o s t i l a – G ê n e s i s 2 : 7 | 18lhe foi dada do Crucificado, viu alguma coisa que lhe mudou o inteirocurso da vida. Daí em diante colocava acima de tudo o amor ao Senhorda glória, a quem havia tão incansavelmente perseguido na pessoa deSeus santos. Fora-lhe confiado o tornar conhecido "o mistério quedesde tempos eternos esteve oculto". Rom. 16:25. "Este é para Mimum vaso escolhido", declarou o Anjo que apareceu a Ananias, "paralevar o Meu nome diante dos gentios, e dos reis, e dos filhos de Israel."Atos 9:15. (Obreiro Evangélico, 58) Dan 8: 15, 16.No lugar de Cristo, Ananias toca seus olhos para recebesse avisão; em lugar de Cristo impõe-lhe as mãos, ora em nome deCristo, e Saulo recebe o Espírito Santo. Tudo é feito em nome e naautoridade de Cristo. Cristo é a fonte. A igreja é o canal decomunicação. Aqueles que se gabam de independência pessoalprecisam ser trazidos a uma relação mais intima com Cristo medianteligação com Sua igreja sobre a Terra. (III TI. 433)Quando, em meio ao seu erro cego e cego preconceito, Saulo recebeuuma revelação de Cristo, a quem estava perseguindo, foi ele colocadoem comunicação direta com a igreja, a qual é a luz do mundo. Nestecaso, Ananias representa Cristo, como representa também osministros de Cristo sobre a Terra, os quais são indicados para agirem Seu lugar. No lugar de Cristo, Ananias toca os olhos de Saulo paraque este possa receber a vista. Em lugar de Cristo, coloca suas mãossobre ele, e enquanto ora em nome de Cristo, Saulo recebe o EspíritoSanto. Tudo é feito no nome e pela autoridade de Cristo. Cristo é afonte; a igreja, o canal de comunicação. (Atos dos Apóstolos, pág. 122.)Foi enviado um anjo a Ananias, instruindo-o a ir a determinada casaonde se achava Saulo em oração para que lhe fosse mostrado o quedevia fazer. Desaparecera o orgulho de Saulo. Pouco antes, eleconfiava em si mesmo, julgando achar-se empenhado em boa obra,pela qual deveria ser recompensado; agora, porém, tudo mudou. Estácurvado e humilhado até ao pó, envergonhado e penitente, rogandofervoroso o perdão. O Senhor disse a Ananias: "Eis que ele estáorando." Atos 9:11. O anjo informou ao servo de Deus que haviarevelado a Saulo em visão que um homem chamado Ananias entraria e
  • 19 | Apostila –Gênesis 2:7poria sobre ele a mão, a fim de que tornasse a ver. Mal pode Ananiascrer nas palavras do anjo; e repete o que ouvira acerca da cruelperseguição que Saulo fazia aos santos em Jerusalém. Imperativa,porém, é a ordem dada a Ananias: "Vai, porque este é para mim umvaso escolhido, para levar o Meu nome diante dos gentios, e dosreis e dos filhos de Israel." Atos 9:15. (I TS, 393; Mat 17: 5; Ex. 3: 2;Atos 7: 30 – 35; 33: 26; Sl 45: 4; Isa 19: 1; Sl 68: 4; Sl 104: 4; Sl 148: 8;Heb 1: 7 ; II Reis 2: 11; Jó 38: 22, 23; Isa 30: 30)Os próprios homens a quem Paulo se estava propondo destruir, deviamser seus instrutores na própria religião que ele desprezara e perseguira.Três dias passou Paulo sem alimentar-se e sem ver, preparando-separa se aproximar dos homens a quem, em seu zelo cego, propusera-sea matar. Aí põe Cristo a Paulo em contato com Seus representantesna Terra. O Senhor dá a Ananias uma visão em que lhe manda ir adeterminada casa em Damasco e perguntar por Saulo de Tarso; "poiseis que ele está orando". Atos 9:11. (Idem, 392)Obediente à orientação do anjo, Ananias saiu em busca do homemque ainda recentemente havia respirado ameaças contra todos os quecriam no nome de Jesus; e colocando as mãos sobre a cabeça dopenitente sofredor, disse: "Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que teapareceu no caminho por onde vinhas, me enviou, para que tornes a vere sejas cheio do Espírito Santo.devia ser ministro dos gentios "para lhes abrires os olhos", disse, "e dastrevas os converteres à luz e do poder de Satanás a Deus, a fim de querecebam a remissão dos pecados e sorte entre os santificados pela féem Mim". Atos 26:18. O anjo que apareceu a Ananias dissera dePaulo: "Este é para Mim um vaso escolhido para levar o Meu nomediante dos gentios, e dos reis, e dos filhos de Israel." Atos 9:15. E opróprio Paulo, posteriormente em sua experiência cristã, quando oravano templo de Jerusalém, foi visitado por um anjo do Céu que lheordenou: "Vai, porque hei de enviar-te aos gentios de longe." Atos 22:21.(Atos dos Apóstolos, pág. 159)
  • A p o s t i l a – G ê n e s i s 2 : 7 | 20 Orar Pela Chuva Serôdia"Pedi ao Senhor chuva no tempo da chuva serôdia; o Senhor que faz osrelâmpagos, lhes dará chuveiro de água." Zac. 10:1. "E fará descer achuva, a temporã e a serôdia." Joel 2:23. No Oriente a chuva temporãcai no tempo da semeadura. Ela é necessária, para que a sementepossa germinar. Sob a influência de fertilizantes aguaceiros, brota otenro rebento. Caindo perto do fim da estação, a chuva serôdiaamadurece o grão, e o prepara para a foice. O Senhor utiliza esseselementos da natureza para representar a obra do Espírito Santo.Como o orvalho e a chuva são dados primeiro para fazer com que asemente germine, e então para amadurecer a colheita, assim é dado oEspírito Santo para levar avante, de um estágio para outro, oprocesso de crescimento espiritual. O amadurecimento do grãorepresenta a terminação do trabalho da graça de Deus na alma. Pelopoder do Espírito Santo deve a imagem moral de Deus ser aperfeiçoadano caráter. Devemos ser completamente transformados à semelhançade Cristo. Deve haver "primeiro, a erva, depois, a espiga, e, por último,o grão cheio na espiga". Mar. 4:28. Deve haver um desenvolvimentoconstante das virtudes cristãs, um avanço constante na experiênciacristã. Isso devemos nós buscar com intenso desejo, para quepossamos adornar a doutrina de Cristo, o nosso Salvador.Muitos têm em grande medida deixado de receber a chuva temporã.Não têm obtido todos os benefícios que Deus assim para eles temprovido. Esperam que as falhas sejam supridas pela chuva serôdia.Quando a maior abundância da graça estiver para ser outorgada,esperam poder abrir o coração para recebê-la. Estão cometendo umerro terrível. O trabalho que Deus começou no coração humanomediante Sua luz e conhecimento, deve estar continuamenteavançando. Cada indivíduo deve estar cônscio de sua próprianecessidade. Deve o coração ser esvaziado de toda a mancha,purificado para habitação do Espírito. Foi pela confissão e peloabandono do pecado, por meio de fervorosa oração e da entregapessoal a Deus, que os discípulos se prepararam para o derramamentodo Espírito Santo no dia de Pentecoste. O mesmo trabalho, apenasem grau mais elevado, deve ser feito agora. Então o agente humanosó teve de pedir a bênção e esperar que o Senhor aperfeiçoasse a obraa seu respeito. Foi Deus que começou a obra, e Ele terminará Sua obra,
  • 21 | Apostila –Gênesis 2:7tornando o homem perfeito em Jesus Cristo. Mas não se devenegligenciar a graça representada pela chuva temporã. Só os queestiverem vivendo de acordo com a luz que têm recebido poderãoreceber maior luz. A não ser que nos estejamos desenvolvendodiariamente na exemplificação das ativas virtudes cristãs, nãoreconheceremos as manifestações do Espírito Santo na chuva serôdia.Pode ser que ela esteja sendo derramada nos corações ao nossoredor, mas nós não a discerniremos nem a receberemos.Em nenhum ponto de nossa experiência podemos nós dispensar aassistência daquilo que nos habilita a fazer justamente o começo. Asbênçãos recebidas sob a chuva temporã, são-nos necessárias até aofim. No entanto só isso não nos basta. Embora acariciemos as bênçãosda primeira chuva, não devemos, do outro lado, perder de vista o fato deque sem a chuva serôdia, para encher a espiga e amadurecer o grão, acolheita não estará pronta para a ceifa, e o trabalho do semeador terásido em vão. Necessita-se da graça divina no começo, da graçadivina em cada passo de avanço; só a graça divina pode completara obra. Não há lugar para nós descansarmos em descuidada atitude.Nunca devemos esquecer as advertências de Cristo: "Vigiai em oração."I Ped. 4:7. "Vigiai, pois, em todo o tempo, orando." Luc. 21:36. A ligaçãoa cada momento com o Agente divino é essencial ao nossoprogresso. Podemos ter tido uma medida do Espírito de Deus, mastanto pela oração como pela fé devemos buscar continuamente mais doEspírito. Nunca dá resultado cessarmos os nossos esforços. Se nãoprogredirmos, se não nos colocarmos na atitude em que tantopossamos receber a chuva temporã como a serôdia, perderemos nossaalma e a responsabilidade jazerá à nossa porta. "Pedi ao Senhor chuvano tempo da chuva serôdia." Zac. 10:1. Não fiqueis satisfeitos,pensando que no decorrer normal da estação a chuva cairá. Pedi-a. Ocrescimento e a perfeição da semente não repousa sobre olavrador. Só Deus pode amadurecer a colheita. Mas se exige acooperação do homem. A obra de Deus por nós exige a ação denossa mente, o exercício de nossa fé. Devemos buscar-Lhe osfavores de todo o coração, se queremos alcançar os chuveiros da graça.Devemos aproveitar toda a oportunidade de nos colocarmos noconduto da bênção. Cristo disse: "Onde estiverem dois ou trêsreunidos em Meu nome, aí estou Eu no meio deles." Mat. 18:20. Asconvocações da igreja, como nas reuniões campais, as assembléias daigreja local, e todas as ocasiões em que há trabalho pessoal em favor
  • A p o s t i l a – G ê n e s i s 2 : 7 | 22das almas, são oportunidades determinadas por Deus para dar tanto achuva temporã como a serôdia.Mas ninguém pense que ao freqüentar essas reuniões, já fez o seudever. A mera freqüência a todas as reuniões que se realizam não traráem si mesma uma bênção à alma. Não é lei imutável que todos os queassistam a reuniões gerais ou a reuniões locais recebam grandesrecursos do Céu. Podem as circunstâncias parecer favoráveis a umabundante derramamento dos chuveiros da graça. Mas Deus mesmodeve ordenar que caia a chuva. Não devemos portanto ser remissosnas súplicas. Não devemos confiar na atuação comum da providência.Devemos orar para que Deus descerre a fonte da água da vida. E nósmesmos devemos receber água viva. Oremos, pois, com coraçãocontrito e com maior fervor, para que agora, no tempo da chuva serôdia,os chuveiros da graça sejam derramados sobre nós.Em todas as reuniões em que estivermos presentes, nossas oraçõesdevem ser feitas no sentido de que, agora mesmo, Deus conceda fervore ânimo a nosso coração. Ao irmos ao Senhor em busca do EspíritoSanto, Este produzirá em nós mansidão e humildade, bem comoconsciente confiança de que Deus nos concederá a aperfeiçoadorachuva serôdia. Se com fé orarmos pela bênção, recebê-la-emosconforme Deus nos prometeu.A contínua concessão do Espírito Santo à igreja é representada peloprofeta Zacarias por meio de outro símbolo, que contém uma admirávellição de encorajamento para nós. Diz o profeta: "E tornou o anjo quefalava comigo, e me despertou, como a um homem que é despertado deseu sono, e me disse: Que vês? E eu disse: Olho, e eis um castiçaltodo de ouro, e um vaso de azeite no cimo, com as suas setelâmpadas; e cada lâmpada posta no cimo tinha sete canudos. E,por cima dele, duas oliveiras, uma à direita do vaso de azeite, eoutra à sua esquerda. E falei e disse ao anjo que falava comigo,dizendo: Senhor meu, que é isto? E respondeu e me falou, dizendo:Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel, dizendo: Não por força,nem por violência, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor dosExércitos. E, falando-lhe outra vez, disse: Que são aqueles doisraminhos de oliveira que estão junto aos dois tubos de ouro e quevertem de si ouro? Então Ele disse: Estes são os dois ungidos, queestão diante do Senhor de toda a Terra." Zac. 4:1-4, 6, 12 e 14.
  • 23 | Apostila –Gênesis 2:7Das duas oliveiras, o óleo dourado era conduzido através de tubosde ouro, para o bojo do castiçal e daí para as lâmpadas de ouroque iluminavam o santuário. Da mesma sorte, dos santos quepermanecem na presença de Deus, Seu Espírito é transmitido aosinstrumentos humanos que se consagram ao Seu serviço. A missãodos dois ungidos é comunicar luz e poder ao povo de Deus. É parareceber bênção para nós que eles estão na presença de Deus.Como as oliveiras esvaziam-se nos tubos de ouro, assim procuramos mensageiros celestes comunicar tudo que de Deus receberam.Todo o tesouro celestial aguarda que o peçamos e recebamos; e, àmedida que recebemos a bênção, devemos naturalmente transmiti-la a outros. É assim que as lâmpadas sagradas são alimentadas, ea Igreja se torna portadora de luz no mundo.Esta é a obra que o Senhor deseja que cada alma esteja preparadapara fazer neste tempo, quando os quatro anjos seguram os quatroventos, para que não soprem até que os servos de Deus sejam seladosem suas testas. Não há tempo agora para agradar a si mesmo. Aslâmpadas da alma devem ser espevitadas. Devem ser supridascom o óleo da graça. Deve-se tomar toda a precaução para evitar todaa decadência espiritual, para que o grande dia do Senhor não nossurpreenda como um ladrão de noite. Cada testemunha em favor deDeus, deve agora trabalhar inteligentemente nos ramos indicados peloSenhor. Devemos obter diariamente uma viva e profunda experiência naobra de aperfeiçoar um caráter cristão. Devemos receber diariamente osanto óleo, para que o possamos transmitir aos outros. Todos os quequiserem podem ser faróis para este mundo. Em Jesus, devemos fazerdesaparecer o próprio eu. Devemos receber a Palavra de Deus nosconselhos e instruções, comunicando-a alegremente. Há, agora,necessidade de muita oração. Cristo ordena: "Orai sem cessar" (I Tess.5:17); isto é, conservai o espírito elevado a Deus, a fonte de todo opoder e eficiência.Podemos por muito tempo ter seguido no caminho estreito, mas não éseguro tomar isso como prova de que o seguiremos até ao fim. Se comDeus temos andado na comunhão do Espírito, é porque O procuramosdiariamente pela fé. Das duas oliveiras é-nos comunicado o óleo queverte pelo tubos de ouro. Mas os que não cultivam o espírito e o hábitode oração não podem esperar receber o áureo azeite da bondade,paciência, longanimidade, delicadeza e amor.
  • A p o s t i l a – G ê n e s i s 2 : 7 | 24Deve cada um conservar-se separado do mundo, que está cheio deiniqüidade. Não devemos andar com Deus por algum tempo e depoisseparar-nos de Sua companhia, e andar nas centelhas que nós mesmosacendemos. Deve haver firme continuação, perseverança nos atos defé. Devemos louvar a Deus; demonstrar Sua glória num caráter justo.Nenhum de nós alcançará a vitória sem que haja um esforçoperseverante e incansável, proporcional ao valor do objeto queprocuramos, a vida eterna.A dispensação em que vivemos deve ser, para os que pedem, adispensação do Espírito Santo. Pedi-Lhe a bênção. É tempo de sermosmais dedicados em nossa devoção. É-nos confiado o trabalho árduomas feliz e glorioso, de revelar Cristo aos que se acham em trevas.Somos chamados para proclamar as verdades especiais para estetempo. Para tudo isto, é essencial o derramamento do Espírito Santo.Devemos orar para esse fim. O Senhor espera que Lho peçamos. Aindanão empreendemos essa tarefa com todo o coração.Que posso dizer a meus irmãos em nome do Senhor? Que medida denossos esforços foi feita de acordo com a luz que ao Senhor aprouvedar? Não podemos depender da forma ou do maquinismo externo. Oque precisamos é da vivificadora influência do Espírito Santo de Deus."Não por força, nem por violência, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhordos Exércitos." Zac. 4:6. Orai sem cessar, e vigiai, trabalhando deconformidade com vossas orações. Ao orardes, crede, confiai em Deus.Estamos no tempo da chuva serôdia, tempo em que o Senhor daráliberalmente o Seu Espírito. Sede fervorosos em oração, e vigiai noEspírito. (TM, 506 – 512)Alguma passagens que revelam o ministério do Espírito Santo. (Neem 9:20; Luc 12: 12; João 14: 21; I COR 2: 11–13; Sl 143: 10; Ef. 3: 5; I João5: 6; Apoc 2: 7; Isa 63: 10; Ef. 4: 25–32; I Cor 12: 11; Atos 16: 6 e 7) Comentário de EGW do Capítulo 01 de ApocalipseAs palavras do anjo: "Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus",mostram que ocupa posição de elevada honra, nas cortes celestiais.Quando viera com uma mensagem para Daniel, dissera: "Ninguém há
  • 25 | Apostila –Gênesis 2:7que se esforce comigo contra aqueles, a não ser Miguel [Cristo], vossopríncipe." (Dan. 10:21). De Gabriel, diz o Salvador em Apocalipse: "PeloSeu anjo as enviou, e as notificou a João Seu servo." Apoc. 1:1. E aJoão o anjo declarou: "Eu sou conservo teu e de teus irmãos, osprofetas." Apoc. 22:9. Maravilhoso pensamento - que o anjo que ocupa,em honra, o lugar logo abaixo do Filho de Deus, é o escolhido pararevelar os desígnios de Deus a homens pecadores. (DTN, 99)Foi Gabriel, o anjo que ocupa a posição imediata ao Filho de Deus, queveio com a divina mensagem a Daniel. Foi Gabriel "Seu anjo", queCristo enviou a revelar o futuro ao amado João; e é proferida umabênção sobre os que lêem e ouvem as palavras da profecia, eobservam as coisas ali escritas. Apoc. 1:3. (DTN, 234)À medida que a oração de Daniel avança, o anjo Gabriel voarapidamente desde as cortes celestiais, para assegurar ao profetaque suas orações haviam sido ouvidas e atendidas. Este poderosoanjo fora comissionado para dar sabedoria e compreensão a Daniel -para abrir diante dele os mistérios de eras futuras. Assim, enquantobuscava sinceramente conhecer e compreender a verdade, Daniel foiposto em comunhão com o mensageiro delegado pelo Céu. Review andHerald, 8 de fevereiro de 1881. (VSA, 143)O poderoso anjo [de Apoc. 10], que instruiu João, era ninguém menosque Jesus Cristo. Colocando o pé direito sobre o mar e o esquerdosobre terra seca, mostrou a parte que está executando nas cenas finaisda grande controvérsia com Satanás. Esta posição denota Seu supremopoder e autoridade sobre toda a Terra. A controvérsia tem-se tornadomais intensa e mais determinada de tempos em tempos, e assimprosseguirá até as últimas cenas, quando a obra magistral dos poderesdas trevas atingirá o cume. Satanás, unido a homens maus, enganarátoda a Terra e as igrejas que não receberem o amor da verdade. Mas opoderoso Anjo requer atenção. Grita com grande voz. Demonstrará opoder e autoridade de Sua voz a todos os que se uniram a Satanás naoposição à verdade. SDA Bible Commentary, vol. 7, pág. 971.
  • A p o s t i l a – G ê n e s i s 2 : 7 | 261-2 (2 Ped. 2:1; I João 4:1). O depositário da revelação divina - [Se citaApoc. 1:1-2] Toda a Bíblia é uma revelação, pois toda revelação para oshomens vem através de Cristo e toda se centraliza nEle. Deus nos temfalado por seu Filho, a quem pertencemos por criação e pela redenção.Cristo veio a João, desolado na ilha de Patmos, para dar-lhe averdade para estes últimos dias, para mostrar o que deveacontecer próximo. Jesus Cristo é o grande depositário da revelaçãodivina. Por meio dEle temos um conhecimento do que devemos esperarnas senas finais desta terra. Deus deu esta revelação a Cristo eCristo comunicou a João.João o discípulo amado foi escolhido para receber esta revelação. Foi oúltimo sobrevivente dos primeiros discípulos escolhidos. Nadispensação do Novo Testamento recebeu está honra assim como oprofeta Daniel receberam esta mesma honra na dispensação do VelhoTestamento.A instrução que ia ser comunicada a João, era tão importante, queCristo veio do céu para dar a seu servo, e lhe disse que as enviasseas igrejas. Esta instrução deve ser o objeto de nosso estudo cuidadoso ecom oração, pois estamos vivendo em um tempo, quando os homensnão seguem os ensinamentos do Espírito Santo, introduzirão falsasteorias. Esses homens têm estado em posto de alto comando e temprojetos ambiciosos para cumprir. Procuram trabalhar de sua própriamaneira no desenrolar das profecias. Deus tem dado uma instruçãoespecial para que estejamos em guarda contra tais pessoas. Ordenou aJoão que escrevesse um livro que mostrasse os acontecimentos dassenas finais da história desta Terra. (MS, 129, 1905)3. O Apocalipse é um livro aberto — Muitos têm alimentado a idéia deque o livro do Apocalipse é um livro selado, e não quer dedicar tempopara estudar seus mistérios. Dizem que devem manter-se contemplandoas glórias da salvação e que os mistérios revelados a João na ilha dePatmos são digno de uma consideração menor do que as outras. PorémDeus não considera assim este livro...O livro do Apocalipse revela ao mundo o que tem sido, o que é e o quehá de vir; é para a nossa instrução, para quem tem chegado os fins dostempos. Devemos estudar com temor e reverência. Tenhamos oprivilégio de conhecer o que é para nós esta instrução.
  • 27 | Apostila –Gênesis 2:7O Senhor mesmo revelou á seu servo João os mistérios do livro deApocalipse, e seu propósito é que seja manifestado para o estudode todos. Neste livro se descreve senas que agora estão no passado ealgumas de interesses eternos que estão acontecendo ao redor de nós;outras de suas profecias não se cumpriram ainda plenamente, sim, sóno fim do tempo, quando tiver chegado o último grande conflito entre ospoderes das trevas e o Príncipe do Céu (RH 31-8-1897).8. Ver. EGW com. I Cor. 15:22,45.9. Companheiros de João em Patmos — João foi levado à ilha dePatmos, onde separado de seus companheiros de fé, seus inimigossupunham que morreria devido às penalidades e o abandono. Porém aliJoão ganhou amigos e conversos. Pensavam que por fim haviam postoa fiel testemunha a onde já não poderia molestar mais a Israel e osímpios governantes deste mundo.Porém todo universo celestial viu o resultado do conflito com o anciãodiscípulo e sua separação de seus companheiros de fé. Deus, Cristo eas hostes celestiais foram companheiros de João na ilha dePatmos. Deles recebeu instruções que repartiu com aqueles queestavam separados do mundo. Ali escreveu as revelações e visõesque recebeu de Deus para narrar às coisas que ocorreria no períodofinal da história da terra. Quando sua voz não pudesse mais testificar averdade, quando não pudesse testificar mais por aquele que amava eservia. As mensagens que lhe foi dada naquela ilha rochosa e Arida serevelaria como uma lâmpada que ilumina em lugar escuro (MS 129,1905).(I João 1:1-10.) Gloriosas verdades confiadas a João — A miúdo osmelhores homens, os que Deus usa para a glória de seu nome, não sãoreconhecidos pela a sabedoria humana; porém nem por um momentosão olvidados por Deus. Quando João estava desolado na ilha dePatmos houve muitos que pensaram que ele estava fora do serviço, eque era uma cana velha e débil, que cairia em qualquer momento.Porém o Senhor Lhe pareceu conveniente usá-lo naquela ilha solitáriaonde seu servo estava preso. O mundo e os fanáticos sacerdotes e os
  • A p o s t i l a – G ê n e s i s 2 : 7 | 28governantes se regozijavam de que por fim se havia livrado de seustestemunhos sempre novo. [Si cita I João 1:1-3]Todo este capítulo e de grande valor, de esperança, fé e certeza.Devido a este testemunho, tão assombroso para os que desejavamolvidar a Cristo e odiavam o Redentor crucificado, a quem haviamrejeitado, e por tanto queriam que estivesse fora do alcance de seusouvidos; para que suas palavras não fossem mais um testemunhocontra seu feito ímpio de crucificar o Senhor da glória. Porém nãopodiam pôr á João em nenhum lugar aonde não poderia encontra comSeu Senhor e Salvador Jesus Cristo. Os servos de Cristo que são leaise fieis quem sabe não sejam reconhecidos nem honrados pelos oshomens. Porém o Senhor os honra. Não serão olvidados por Deus. Oshonrará mediante a sua presença porque têm sido achados leais e fieis.Os que tem envelhecido na causa e obra de Deus tem uma experiênciade grande valor para a igreja. Deus honra a seus servos que temenvelhecido em seu serviço. As mais gloriosas verdades dos últimoscapítulos da história desta terra foram dadas ao ancião discípulo a quemJesus amava (MS 109, 1897).9-10 (Sal. 71:9; 92:14; Isa. 46:4). Últimos anos de João — Depois doenvelhecimento de João o servo do Senhor foi deportado para a ilha dePatmos. Mas nessa ilha solitária recebeu mais comunicação procedentedo céu que as havia recebido durante toda a sua existência (RH 26-7-1906).O ancião representante de Cristo foi deportado para que seutestemunho não fosse escutado mais, pois era um poder vivificante daparte da justiça; porém ainda que estivesse separado de seus irmãos,foi visitado por Cristo, a quem não havia visto desde sua ascensão(RH 16-5-1899).9-15. Plano de Deus para Séculos Futuros — A mão da perseguiçãocai pesadamente sobre o apóstolo; é deportado para a ilha de Patmos“por causa da Palavra de Deus e do testemunho de Jesus Cristo”, eescreve: “Eu estava em Espírito no dia do Senhor’. Foi cheio de gozoinexprimível porque o céu pareceu estar aberto diante dele. Uma
  • 29 | Apostila –Gênesis 2:7voz lhe falou com tons claros e distintos, e lhe disse:” Eu Sou o Alfa e oOmega, principio e o fim”. Deu meia volta e contemplou seu mestre,com quem havia caminhado e conversado na Judéia, e sobre cujo peitose havia recostado.Porém, oh! Como havia mudado a aparência do seu senhor! João ohavia visto vestido com um velho manto de púrpura com uma coroa deespinhos. Agora estava vestido com uma roupagem de brilho celestial ecingido com um cinto de ouro. João disse ao descrever sua aparência:Sua cabeça e seus cabelos eram brancos como a lã ou a neve; seusolhos como chama de fogo seus pés semelhantes ao bronze polido,refinado na fornalha e sua voz pareciam o barulho de muitas águas.A João foi revelado o plano de Deus para os séculos futuros. Asglórias do céu se abriram perante sua bela visão. Viu o trono de Deus eouviu as antífonas de gozo que ressoavam por todos os átrios celestiais.Quando lemos a descrição do que viu em sua visão, anelamos estarcom os redimidos na presença de Deus.Havia passado meio século que Jesus havia subido ao céu, paraapresentar sua igreja a Deus e para preparar mansões para os seusfieis. Todavia amava seu povo, pois veio ao seu ancião servo pararevelar os planos de Deus para o futuro. João foi deixado só comDeus e sua fé na ilha escabrosa e desolada. Aqui, entre as rochas e osrochedos, esteve em comunhão com seu benfeitor repassou sua vidapassada e perante o pensamento das bênçãos que havia recebido dasmãos de Deus, a paz encheu seu coração. Havia vivido a vida de umcristão e podia dizer com fé: “Minha alma estar bem”. Não assim oimperador que o havia deportado, pois ao olhar para traz só podia vercampos de batalhas e carnificinas, lugares desolados e vidas assoladose órfãos, como resultado de seu ambicioso desejo de preeminência (MS99, 1902).10. Cristo aparece no Sábado — O sábado que Deus instituiu no Édenera tão precioso para João na solitária ilha como quando estava comseus companheiros na cidade, no meio dos povos. As preciosaspromessas que Cristo havia dado a cerca desse dia eram repetidas porJoão, e as reclamava como suas. Para ele era um sinal de que Deus eraseu. O Salvador ressuscitado fez conhecer sua presença a João no diade sábado. [Si cita Apoc. 1:10-13,17-18]
  • A p o s t i l a – G ê n e s i s 2 : 7 | 30A perseguição sofrida por João se converteu em um meio de graça.Patmos resplandeceu com a glória do Salvador ressuscitado. João haviavisto a Cristo em forma humana, com os sinais dos cravos que sempreserão sua glória, nas mãos e nos pés.Agora se permitia contemplar de novo ao seu Senhor ressuscitado,revestido com toda glória que um ser humano podia contemplarsem perder a vida. Que sábado foi aquele para ele. Solitário, mássempre precioso a vista de Cristo, porém agora honrado mais quenunca! Nunca havia aprendido tanto de Jesus, nunca havia ouvidoverdades tão sublimes (YI, 5-4-1900).16-20. Ver. EGW com. cap 2: 1-5.18-20(João 1:1-3) O que existe por Si mesmo e é imutável — [Se citaApoc.1:18-20] Estas são afirmações imutáveis, solenes e significativas.Aquele que é a fonte de toda misericórdia e de todo perdão, de toda paze graça, Ele que existe por Si mesmo, o Eterno e imutável, foi quemvisitou seu servo desolado na ilha chamada Patmos (MS.81, 1900) COMENTÁRIO DE I Cor 15: 22, 4522, 45 (Rom 5: 12 – 19; ver EWG com João 1: 1 – 3, 14; Apoc 1: 8). Édado uma segunda prova ao pecador. – Cristo como representanteda raça caída, passou pelo o mesmo terreno que Adão tropeçou e caiu.Mediante uma vida perfeita de obediência a lei de Deus, Cristo redimiu ohomem do castigo da oprobiosa queda de Adão. O homem tem violadoa lei de Deus. O sangue de Cristo só terá valor para os que voltarem sualealdade para a lei de Deus, para os que obedecerem a lei que foiquebrada. Cristo nunca se porá ao lado do pecado. Como levou ocastigo da lei, dá ao pecador outra oportunidade, uma segunda prova.Abre um caminho pelo o qual o pecador pode ser restabelecido ao favorde Deus. Cristo leva os castigos das transgressões passadas dohomem, e repartindo a este sua justiça para fazer possível que aohomem guarde a Santa lei de Deus. (MS, 126, 1901)
  • 31 | Apostila –Gênesis 2:7(Apoc 1: 8; 22: 13) Isa 44: 6; 48: 12. O Alfa e o Ômega – Quando osestudantes da profecia se dedicar de coração a conhecer a verdade doapocalipse, darão conta de quanta importância tem esta busca. CristoJesus é o Alfa e Ômega, o Genesis do antigo Testamento e oApocalipse do Novo Testamento. Ambos se reúnem em Cristo. Adão eDeus são reconciliados pela a obediência do segundo Adão, quemcumpriu a obra de vencer as tentações de Satanás e de reparar overgonhoso fracasso e queda de Adão.Os dois Adões se encontrarão no paraíso e se abraçarão, quando que odragão, a besta e o falso profeta e todos que tem rejeitado asoportunidades e os privilégios que lhes foram dadas a um custo infinito enão voltaram sua lealdade, ficarão excluídos do paraíso. (MS, 33. 1897)I Cor. 15: 42-52 (I Cor. 13: 12). A personalidade preservada em umcorpo novo Nossa personalidade pessoal ficará conservada naressurreição, ainda que não seja as mesmas partículas de matéria nemas mesma sustância material que foi para a tumba. As maravilhosasobras de Deus são um mistério para o homem. O espírito, o caráter dohomem, volta a Deus, para ser preservado ali. Na ressurreição cadahomem terá seu próprio caráter. No seu devido tempo Deus chamará osmortos, dando-lhe de novo o alento de vida e ordenando os ossos secosque vivam. Sairá a mesma forma, porém estará livre de enfermidades ede todo defeito. Vivem outra vez com os mesmos traços individuais, demodo que os amigo se reconhecerão. Não há uma lei de Deus nanatureza que mostre que Deus devolvera as mesmas idênticaspartículas de matérias que compunha o corpo antes da morte. Deusdará aos justos mortos um corpo que será do agrado Dele.Paulo ilustra este tema com semente de cereal que é semeada aocampo. A semente plantada se destrói, porém surge uma novasemente. A sustância natural do grão que se destrói nunca surge comoantes, porém Deus lhe dá um corpo como Ele apraz. Um material muitomelhor comparado ao corpo humano, pois é uma nova criação, um novonascimento. Semeia um corpo natural e levanta um corpo espiritual (MS,76, 1900).
  • A p o s t i l a – G ê n e s i s 2 : 7 | 32 CAPÍTULO 19 COMENTARIO DE EWG.7 – 9 (Ef. 5: 23 – 25; ver EWG com cap 7: 9). Deus o esposo de suaigreja. – Deus é o esposo de sua igreja. A igreja é desposada, a esposado Cordeiro. Cada verdadeiro crente é uma parte do corpo de Cristo.Cristo considera a infidelidade demonstrada a Ele por seu povo, como ainfidelidade de uma esposa para com seu esposo. Devemos lembrarque somos membros do corpo de Cristo. (Carta, 39, 1902)A conduta apropriada da conduta da esposa de um rei. – A igreja é aesposa do Cordeiro. Deve conservar-se pura, santificada, santa. Nuncadeve comprazer-se em nenhuma necessidade, pois é a noiva de um rei;sem duvida não compreende seu excelsa posição. Se entendesse,internamente estaria cheia de toda gloria (Carta 177, 1901)(Cap 3: 4; 7: 14; 16: 15.) Vestimentas limpas. – A igreja é a noiva deCristo, e seus membros devem compartilhar o julgo com seu Guia. Deusnos admoesta para que não manchemos nossas vestimentas (Carta123 ½, 1898)11 – 16 ver EWG com cap 16: 13 – 16. GABRIELJoão Batista saiu no espírito e virtude de Elias, a fim de preparar ocaminho do Senhor, e fazer voltar o povo à sabedoria do justo. Era eleum representante dos que vivem nos últimos dias, a quem Deus temconfiado sagradas verdades para serem apresentadas perante o povo,a fim de ser preparado o caminho para a segunda vinda de Cristo. Joãoera um reformador. O anjo Gabriel, vindo do Céu, deu instruçõessobre reforma de saúde aos pais de João. Disse que ele não deviabeber vinho nem bebida forte, e que seria cheio do Espírito Santo desdeo seu nascimento. (CSRA, 71)
  • 33 | Apostila –Gênesis 2:7A indagação de pais e mães deve ser: "Que faremos com o filho quenos vai nascer?" Temos apresentado ao leitor o que Deus disse acercado procedimento da mãe antes do nascimento de seus filhos. Isto,porém, não é tudo. O anjo Gabriel foi enviado das cortes celestespara dar instruções quanto ao cuidado dos filhos ao nascerem, a fim deque os pais compreendessem plenamente seu dever. (CSRA, 225)Cerca do tempo do primeiro advento de Cristo o anjo Gabriel veio tercom Zacarias, com uma mensagem semelhante à que fora dada aManoá. Foi dito ao idoso sacerdote que sua esposa teria um filho, cujonome seria João. "E", disse o anjo, "terás prazer e alegria, e muitos sealegrarão no seu nascimento, porque será grande diante do Senhor, enão beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo."Luc. 1:14 e 15. Esse filho da promessa devia ser criado segundo hábitosestritamente temperantes. Uma importante obra de reforma ser-lhe-iaconfiada: preparar o caminho para Cristo. (Idem)Na crise suprema, quando coração e alma se rompiam sob o fardo dopecado [do mundo], Gabriel é enviado para fortalecê-Lo. E enquantoo anjo ampara Seu desfalecido corpo, Cristo apanha o amargo cálice econsente em beber-lhe o conteúdo. Diante do Sofredor surge o lamentode um mundo perdido, e dos lábios manchados de sangue brotam aspalavras: "Se a raça caída deve perecer, a menos que Eu beba estecálice, faça-se a Tua vontade, e não a Minha." ...(MM, CT, 266)Daniel identificou-se com os pecados de Israel, e confessou os pecadosdo povo como seus próprios. Orou: "Ó Senhor, ouve; ó Senhor, perdoa;ó Senhor, atende-nos e age; não Te retardes, por amor de Ti mesmo, óDeus meu; porque a Tua cidade e o Teu povo são chamados pelo Teunome." Dan. 9:19. Ainda assim, Gabriel, o mensageiro celestial,chamou-o três vezes de homem mui amado. ...(MM, CT, 333)À pergunta de Zacarias, disse o anjo: "Eu sou Gabriel, que assistodiante de Deus, e fui enviado a falar-te e dar-te estas alegres novas."Luc. 1:19. Quinhentos anos antes, Gabriel dera a conhecer a Daniel operíodo profético que se devia estender até à vinda de Cristo. Oconhecimento de que o fim desse período estava próximo, movera a
  • A p o s t i l a – G ê n e s i s 2 : 7 | 34Zacarias a orar pelo advento do Redentor. Agora, o próprio mensageiropor meio de quem a profecia fora dada, viera anunciar o seucumprimento. (DTN, 298)Talvez a irmã nunca venha a ser chamada a fazer um trabalho que aponha diante do público. Mas todo serviço que fazemos, e que énecessário ser feito, seja lavar louça, pôr a mesa, cuidar de um doente,cozinhar ou lavar, é de importância moral; e enquanto a irmã não puderlançar mão desses deveres satisfeita e feliz, não está apta para deveresmaiores e mais elevados. As humildes tarefas que estão diante de nós,devem ser executadas por alguém; os que as fazem devem sentirestarem realizando uma obra necessária e honrosa, e que em suamissão, por humilde que seja, estão fazendo a obra de Deus, tão certocomo o estava Gabriel quando enviado aos profetas. Todos, emsuas respectivas esferas, estão trabalhando por sua ordem. Asmulheres em seu lar, cumprindo os simples deveres da vida queprecisam ser atendidos, podem e devem manifestar fidelidade,obediência e amor tão sinceros como os anjos em sua esfera. Aconformidade com a vontade de Deus torna qualquer obra que preciseser feita uma tarefa honrosa. ...(MM, Exaltai-o, 269)Um desses profetas pretendia haver sido instruído pelo anjoGabriel. Um estudante que se lhe unira, abandonara seus estudosdeclarando que fora pelo próprio Deus dotado de sabedoria para exporSua Palavra. Outros que naturalmente eram propensos ao fanatismo, aeles se uniram. A ação destes entusiastas criou não pequenoexcitamento. A pregação de Lutero. (GC, 186)O Céu se curvou para ouvir a fervente súplica do profeta. Antes mesmoque ele tivesse terminado a sua súplica por perdão e restauração, opoderoso Gabriel apareceu-lhe outra vez, e chamou a sua atençãopara a visão que ele tivera antes da queda de Babilônia e da morte deBelsazar. E então o anjo esboçou-lhe em pormenores o período dassetenta semanas, que devia começar com "a ordem para restaurar epara edificar Jerusalém". Dan. 9:25. (PR, 556)
  • 35 | Apostila –Gênesis 2:7A oração de Daniel tinha sido proferida "no ano primeiro de Dario" (Dan.9:1), o rei medo cujo general, Ciro, tinha arrebatado de Babilônia o cetrodo governo universal. O reinado de Dario foi honrado por Deus. A ele foienviado o anjo Gabriel, "para o animar e fortalecer". Dan. 11:1. Apóssua morte, cerca de dois anosDurante três semanas Gabriel se empenhou em luta com os poderesdas trevas, procurando conter as influências em operação na mente deCiro; e antes que a contenda terminasse, o próprio Cristo veio em auxíliode Gabriel. "O príncipe do reino da Pérsia se pôs defronte de mim vintee um dias", Gabriel declara; "e eis que Miguel, um dos primeirospríncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia."Dan. 10:13. Tudo que o Céu podia fazer em favor do povo de Deus foifeito. A vitória foi finalmente ganha; as forças do inimigo foram contidastodos os dias de Ciro, e todos os dias de seu filho Cambises, que reinoucerca de sete anos e meio. (PR, 572)Gabriel apareceu ao profeta e assim se dirigiu a ele: "Daniel, homemmuito amado, está atento às palavras que te vou dizer". ... Que grandehonra é outorgada a Daniel pela Majestade do Céu! Conforta Seu servotremente e lhe assegura que sua oração foi ouvida no Céu. Em respostaàquela fervorosa petição, o anjo Gabriel foi enviado para influenciar ocoração do rei persa. O rei havia resistido às impressões do Espírito deDeus durante as três semanas em que Daniel estivera jejuando eorando, mas o Príncipe dos Céus, o Arcanjo Miguel, foi enviado paraconvencer o coração do obstinado rei, a fim de que tomasse algumadecisão para atender à oração de Daniel. (MM, Refletindo a Cristo, 82)Que grande honra é outorgada a Daniel pela Majestade do Céu!Conforta Seu servo tremente e lhe assegura que sua oração foiouvida no Céu. Em resposta àquela fervorosa petição, o anjoGabriel foi enviado para influenciar o coração do rei persa. O reihavia resistido às impressões do Espírito de Deus durante as trêssemanas em que Daniel estivera jejuando e orando, mas o Príncipedos Céus, o Arcanjo Miguel, foi enviado para convencer o coração doobstinado rei, a fim de que tomasse alguma decisão para atender àoração de Daniel. (Santificação, 51)
  • A p o s t i l a – G ê n e s i s 2 : 7 | 36À medida que a oração de Daniel avança, o anjo Gabriel voarapidamente desde as cortes celestiais, para assegurar ao profeta quesuas orações haviam sido ouvidas e atendidas. Este poderoso anjo foracomissionado para dar sabedoria e compreensão a Daniel - para abrirdiante dele os mistérios de eras futuras. Assim, enquanto buscavasinceramente conhecer e compreender a verdade, Daniel foi posto emcomunhão com o mensageiro delegado pelo Céu. Review and Herald, 8de fevereiro de 1881.Antes mesmo de encerrar sua súplica diante de Deus, [Daniel] recebeunovamente a visita de Gabriel, que veio para focalizar a atenção doprofeta na visão que ele tivera antes da queda de Babilônia e da mortede Belsazar. O anjo detalhou então o período das setenta semanas.Review and Herald, 21 de março de 1907.Os agentes celestiais necessitam lutar contra obstáculos antes de, aodevido tempo, poderem cumprir o propósito de Deus. O rei da Pérsiaestava sob o domínio do mais poderoso dentre os anjos maus.Recusava-se, conforme fizera Faraó, a obedecer à palavra do Senhor.Gabriel declarou que Satanás se lhe havia oposto durante vinte e umdias em suas acusações contra os judeus. Mas Miguel veio em seuauxílio e então permaneceu com os reis da Pérsia, mantendo sem açãoos poderes do mal e oferecendo bons conselhos, em lugar dos maus.SDA Bible Commentary, vol. 4, pág. 1.173.Na crise suprema, quando coração e alma se rompem sob o fardo dopecado, Gabriel é enviado para fortalecer o divino Sofredor, animando-Oa prosseguir no caminho manchado de sangue. Signs of the Times, 9 dedezembro de 1897.Na crise suprema, quando coração e alma se rompem sob o fardo dopecado, Gabriel é enviado para fortalecer o divino Sofredor, animando-O a prosseguir no caminho manchado de sangue. Signs of the Times, 9de dezembro de 1897.
  • 37 | Apostila –Gênesis 2:7Se [os jovens] receberem a Cristo e crerem nEle, serão conduzidos aíntima relação com Deus. Ele lhes dará o poder de serem filhos deDeus, de se associarem com os mais altos dignitários do reino do Céu,a unir-se com Gabriel, com os querubins e serafins, com anjos e oArcanjo. "E mostrou-me o rio puro da água da vida, claro como cristal,que procedia do trono de Deus e do Cordeiro. No meio da sua praça ede uma e outra banda do rio, está a árvore da vida, que produz dozefrutos, dando seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para asaúde das nações. E ali nunca mais haverá maldição contra alguém; enela estará o trono de Deus e do Cordeiro, e os Seus servos O servirão.E verão o Seu rosto, e na sua testa estará o Seu nome. (VSA, 285)Portanto, são os profetas que têm o "testemunho de Jesus"; e o anjoque apareceu a João é evidentemente o mensageiro especial que trazinstrução para todos os profetas - sem dúvida é o anjo Gabriel, queapareceu a Daniel. Dan. 8:16; 9:21. O mesmo anjo disse mais a João: "otestemunho de Jesus é o espírito de profecia". Apoc. 19:10. (VE, 285)