Your SlideShare is downloading. ×
0
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Unidade 2  2
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Unidade 2 2

933

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
933
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 8º Encontro 17/06/2013 2 horas
  • 2. LEITUR A DELEIT E
  • 3. Unidade 2
  • 4. OBJETIVOS DA UNIDADE 2  Aprofundar os conhecimentos sobre a concepção de alfabetização na perspectiva do letramento;  Conhecer os recursos didáticos distribuídos pelo Ministério da Educação (livros didáticos e obras complementares aprovados no PNLD; livros do PNBE e PNBE Especial; jogos didáticos distribuídos pelo MEC) e planejar situações didáticas em que tais materiais sejam usados;  planejar o ensino na alfabetização, analisando e criando propostas de organização de rotinas da alfabetização na perspectiva do letramento;  Criar um ambiente alfabetizador, que favoreça a aprendizagem das crianças;  Compreender a importância da literatura nos anos iniciais do Ensino Fundamental e planejar situações de uso de obras literárias em sala de aula.
  • 5. Leitura do texto  Planejamento no ciclo de alfabetização: Objetivos e estratégias para o ensino relativo ao componente curricular – LÍNGUA PORTUGUESA.  Observar no texto as relações sobre o sistema de escrita e produção textual, leitura e linguagem oral.
  • 6. GRUPO 1: * A importância do planejamento para o ensino dos eixos do componente curricular Língua Portuguesa está inserida na perspectiva de que esta é uma atividade que antecede a um ato intencional (Leal 2010).Tendo esta perspectiva dentro do planejamento, como lidar com as atividades de improvisação no dia a dia? Como você flexibiliza o seu planejamento?
  • 7. GRUPO 2 No eixo da análise linguística, é preciso considerar as atividades voltadas para o que queremos ensinar sobre o sistema de escrita alfabética ( como se organiza esse sistema), levando em conta os conhecimentos que foram construídos pelos estudantes e como eles se apropriam desses conhecimentos. Pensado nisto, como adequar atividades que consideram o alfabetizar letrando integrado aos conceitos de consciência fonológica? Como isto aparece na sua prática?
  • 8. GRUPO 3: No eixo da leitura entende-se que a criança adquiri habilidade de ler para aprender a fazer algo, aprender assuntos do seu interesse, informar-se sobre algum tema e ler por prazer. Sendo assim, a leitura é um item essencial para a apropriação do SEA. Como ocorre a avaliação desse eixo na sua prática pedagógica, envolvendo a compreensão, inferência e a própria fluência?
  • 9. GRUPO 4: Para os autores, ao adentrar no mundo da produção de texto, a criança opera-se com a língua de um modo diferenciado, fazendo-a objeto de atenção e manipulação. O contexto de produção, tal como propõem vários autores, determina não apenas o que dizemos sobre o mundo, mas o que escolhemos para dizer. Como ocorrem as articulações das produções textuais de seus alunos? Como é realizada a relação entre interlocutor e receptor? De qual forma o gênero aparece nessas situações?
  • 10. GRUPO 5: As autoras Leal, Brandão e Lima, quando se referem à oralidade, a classificam em quatro categorias: valorização dos textos de tradição oral, oralização do texto escrito, relações entre fala e escrita (reflexões sobre a variação linguística e interseção entre a fala escrita em diferentes espaços sociais) e a produção e compreensão de gêneros orais. Também colocam que a prevalência nos livros didáticos é de propostas informais sobre o uso da oralidade, não há planejamento, realização e avaliação de uso de gêneros formais. Partindo dessa análise, como propor atividades em sala de aula que valorizem a oralidade de uma forma ampla e atinja todas as categorias? Dê exemplos de como essa prática pode ser introduzida na sua realidade.
  • 11. DIMENSÕES DE UM PLANEJAMENTO
  • 12. Compartilhando(pág. 27): Direitos de aprendizagem em História no ciclo de alfabetização  A escola é obrigatória, tem papel relevante na formação do aluno e no seu modo de agir na sociedade. Dentre outros direitos, a compreensão do ambiente natural e social é necessária. Alguns direitos de aprendizagem podem servir como pontos de partida para o debate acerca do ensino de História nos anos iniciais do Ensino Fundamental. A disciplina História: esse componente curricular é contemplado na perspectiva dos direitos de aprendizagem considerando: fatos, sujeitos e tempo histórico.
  • 13. Como podemos articular o ensino da História aos demais conhecimentos relevantes no ciclo inicial de aprendizagem, em especial, aos conhecimentos sobre a língua? Que materiais e estratégias de ensino podem ser pensadas para potencializar o ensino da História, considerando as necessidades das crianças? A LITERATURA INFANTIL ABRE POSSIBILIDADES PARA O DIÁLOGO ENTRE AS ÁREAS DO CONHECIMENTO.
  • 14. DIREITOS DE HISTÓRIA DIREITOS GERAIS  Permeiam toda a ação pedagógica. DIREITOS ESPECÍFICOS Relacionados aos conceitos fundamentais da disciplina e subdivididos em fatos históricos, sujeitos históricos e tempo histórico.
  • 15. CONCEITOS FUNDAMENTAIS DA DISCIPLINA NOS ANOS INICIAIS  FATO HISTÓRICO: práticas/eventos passados, que causaram implicações na vida das sociedades e grupos de convívio (familiares, étnico-culturais, profissionais, escolares, vizinhança, religiosos, recreativos, artísticos, esportivos, políticos etc.) ou dos sujeitos históricos.  SUJEITO HISTÓRICO: indivíduos ou grupos de convívio que, ao longo do tempo, promovem e realizam (individual ou coletivamente) as ações sociais produtoras de fatos históricos.  TEMPO HISTÓRICO: maneira como indivíduos, grupos e as sociedades sequenciam e ordenam as experiências diariamente vivenciadas por seus membros, com base nas quais organizam suas memórias e projetam suas ações, tanto de forma individual quanto coletiva.  Atenção aos quadros dos direitos de aprendizagem em História.
  • 16. REFLETIR SOBRE AS ATIVIDADES 1- Nas atividades em questão, é possível trabalhar a leitura, compreensão, produção e oralidade? 2- Com as crianças que ainda não consolidaram o SEA, como é possível trabalhar? 3- Quais alternativas com este trabalho?
  • 17. - GRUPO 1: “Os adultos trabalham” - p. 45 e 46 - GRUPO 2: “ Entrevista” - p. 47 - GRUPO 3: “O trabalho em outras épocas” - p. 49 - GRUPO 4: “O que você vai ser quando crescer?”- p. 55 GRUPO 5: “O nascimento?” - p. 60 e 61 - GRUPO 6: “Festas populares” - p. 69
  • 18.  Socialização das atividades elaboradas nos grupos para serem aplicadas em sua sala de aula.  Entregar roteiro para avaliação da atividade realizada.
  • 19. 24/06 Trazer sua rotina semanal para análise em sala. TAREFA PARA SALA  Aplicar a atividade planejada na sua sala de aula. ENTREGAR DIA 24/06 POR ESCRITO OS APONTAMENTOS DE COMO FOI REALIZADA A ATIVIDADE FOLHA DE AVALIAÇÃO DE AULA. (roteiro de avaliação).
  • 20. TAREFA PARA CASA  Para dia 24/06  Leitura do texto “O professor como mediador das leituras literárias. Literatura: ensino fundamental”.

×