Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras

3,402 views
3,174 views

Published on

Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras

Published in: Education
2 Comments
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
3,402
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
19
Actions
Shares
0
Downloads
74
Comments
2
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Formaçao transversal IEFP - Competências empreendedoras

  1. 1. 27-05-2014 1 27-05-2014 1 Formação Transversal Competências empreendedoras DIA 1 Formador: Paulo Machado Fernandes 27-05-2014 2 Ação 14511 Competências empreendedoras (15h) DIA 1
  2. 2. 27-05-2014 2 27-05-2014 3 APRESENTAÇÕES E EXPECTATIVAS 27-05-2014 4 Exemplos de apresentação Sugestões de temas a abordar: • O que é para ti mais difícil de fazer? • Qual a qualidade que mais apreciam nos outros? • Qual a viagem que gostariam de realizar? • O que é que lhe “dá volta à cabeça”? • Como é que reagem quando estão zangados(as)? • O que esperam desta ação de formação?
  3. 3. 27-05-2014 3 27-05-2014 5 QUE NOME VAMOS DAR AO NOSSO GRUPO? 27-05-2014 6 VAMOS DIZER SÓ COMO NOS SENTIMOS Exemplos: •Espantosos •Míticos. •Fantásticos •Magníficos •Mudar de Vida •Motivados •Maiores •Grande moral •Já almoçava •Brutal •Em grande…
  4. 4. 27-05-2014 4 27-05-2014 7 O NOSSO GRUPO CHAMA-SE As 3 palavras juntas que todos concordaram É para todo o sempre enquanto juntos, …. XXXXX 27-05-2014 8 PLANEAMENTO DO MÓDULO DA FORMAÇÃO
  5. 5. 27-05-2014 5 27-05-2014 9 27-05-2014 10 PROGRAMA DA FORMAÇÃO
  6. 6. 27-05-2014 6 27-05-2014 11 PROGRAMA DA FORMAÇÃO 27-05-2014 12 PROGRAMA DA FORMAÇÃO
  7. 7. 27-05-2014 7 27-05-2014 13 OBJECTIVOS DA FORMAÇÃO 27-05-2014 14 OBJETIVOS GERAIS •Explicar o conceito de empreendedorismo. •Identificar as vantagens e os riscos de ser empreendedor. •Identificar o perfil do empreendedor. •Reconhecer a ideia de negócio. •Definir as fases de um projeto. •Identificar e descrever as diversas oportunidades de inserção no mercado e respetivos apoios, em particular as Medidas Ativas de Emprego.
  8. 8. 27-05-2014 8 27-05-2014 15 OBJECTIVOS ESPECÍFICOS 27-05-2014 16 OBJECTIVOS ESPECÍFICOS No fim da formação os formandos deverão ser capazes de: •Descrever através do desenho de uma ideia de negócio e a potencial viabilização do mesmo, de forma a testar o espírito empreendedor do formando no desenvolvimento do itinerário de empreendedorismo. •Entregar como resultante deste trabalho, desejavelmente, em suporte digital, por e-mail, um elemento de diagnóstico para confirmar a adequação do perfil e potencial do candidato como empreendedor.
  9. 9. 27-05-2014 9 27-05-2014 17 COMPETÊNCIAS 27-05-2014 18 COMPETÊNCIAS GERAIS O trabalho desenvolvido junto dos formandos pretende desenvolver competências. O século XXI está em mutação em todas as suas vertentes, devido à emergência do meio digital, que está modificar desde o comportamento do consumidor, aos meios disponíveis para chegar ao mercado. O impacto da Economia é por de mais evidente no mercado, pelo que urge preparar recursos humanos em diversas áreas com novas competências que serão a breve trecho imprescindíveis.
  10. 10. 27-05-2014 10 27-05-2014 19 COMPETÊNCIAS GERAIS Podemos mesmo dizer que o recurso que não dominar minimamente os novos instrumentos disponibilizados pela internet, será, a breve trecho, obsoleto e sua empregabilidade impossível. Igualmente as metodologias de ensino a utilizar serão ativas, com recurso a estudos de casos, exercícios práticos e dinâmicas de grupo baseadas nas realidades académicas e e/ou profissionais dos formandos. 27-05-2014 20 BIBLIOGRAFIA BASE (OPCIONAL)
  11. 11. 27-05-2014 11 27-05-2014 21 … e ainda e-book`s disponíveis para serem enviados para o e-mail. 27-05-2014 22 VAI COMEÇAR FINALMENTE A NOSSA AÇÃO DE FORMAÇÃO
  12. 12. 27-05-2014 12 27-05-2014 23 27-05-2014 24 Comportamento do consumidor através das gerações ..FilmesMarketing DigitalComportamento de consumo das gerações.mp4
  13. 13. 27-05-2014 13 27-05-2014 25 27-05-2014 26
  14. 14. 27-05-2014 14 27-05-2014 27 27-05-2014 28
  15. 15. 27-05-2014 15 27-05-2014 29 27-05-2014 30
  16. 16. 27-05-2014 16 27-05-2014 31 27-05-2014 32
  17. 17. 27-05-2014 17 27-05-2014 33 27-05-2014 34 MERO EXEMPLO NOVO CV
  18. 18. 27-05-2014 18 27-05-2014 35 QUAL É A VOSSA PERCEPÇÃO SOBRE O ESTADO ACTUAL DAS EMPRESAS? TROCA DE IMPRESSÕES. Há factos que não podemos mudar e há outros, que só dependem de nós. 27-05-2014 36 Intervalo 10 minutos
  19. 19. 27-05-2014 19 27-05-2014 37 PELOS VISTOS AS EMPRESAS E O MUNDO 27-05-2014 38 QUAL FOI A ÚLTIMA VEZ, QUE FEZ UMA COISA PELA PRIMEIRA VEZ? Seth Godín
  20. 20. 27-05-2014 20 27-05-2014 39 EMPREGABILIDADE NA NOVA ECONOMIA “A VIDA É DIFICIL” ..FilmesMarketing DigitalFernando Neves de Almeida - Employability in the New Economy_ Crisis or Opportunity_.mp4 27-05-2014 40 Sabia que, de acordo com os últimos estudos, mais de 98% das empresas mundiais de RH usam o Linkedin para recrutar e dessas 67% fazem-no unicamente nesta rede profissional?
  21. 21. 27-05-2014 21 27-05-2014 41 O QUE É REALMENTE IMPORTANTE NO MKT PESSOAL ? 27-05-2014 42 CONSIDERAÇÕES
  22. 22. 27-05-2014 22 27-05-2014 43 O QUE É MARKETING? Pois bem, simplificando Marketing é … … a função que gere a relação (receção e envio de informação) entre o meio envolvente (stakeholders) e a empresa ou a pessoa. 27-05-2014 44 Então se é a função, não é o departamento de marketing ou departamento comercial! Ou seja, a empresa pode viver sem um departamento de Marketing ou comercial, mas não pode viver sem a função de marketing. Esta função quer dizer, que a responsabilidade não é exclusiva de uma pessoa ou grupo de pessoas, mas sim de todos os colaboradores da empresa em que na sua definição de funções deveria incluir estas suas responsabilidades na empresa. O QUE É MARKETING?
  23. 23. 27-05-2014 23 27-05-2014 45 MARKETING PARA QUÊ? O Marketing é muito mais importante, do que aquilo que parece. Com o Marketing pretende-se olhar para o meio-envolvente, com o objetivo de verificar o que está hoje a "mudar". O Marketing faz aumentar os benefícios que os produtos geram no cliente, reduzindo-lhe custos e tendo em conta os seus comportamentos sociais. 27-05-2014 46 MARKETING PARA QUÊ? Por isso, o produto é o meio de satisfação de uma necessidade, podendo ser um bem, serviço ou ideia. Curiosidade, … exemplos de benefícios que os produtos geram. Black&Decker Nike Livros Livros Técnicos Licenciatura/formação Furos na Parede. Bem-estar e melhor andar. Lazer e ocupação de tempos livres. Meio de transmissão de conhecimento. Potenciar a carreira.
  24. 24. 27-05-2014 24 27-05-2014 47 INTRODUÇÃO À EMPRESA 27-05-2014 48 O QUE É UMA EMPRESA?
  25. 25. 27-05-2014 25 27-05-2014 49 EMPRESA Quem fizer de hoje a seis meses o mesmo que faz hoje, é porque não fez nada, nem acrescentou valor! O QUE É UMA EMPRESA? 27-05-2014 50 EMPRESA Realidade é só uma, mas a perceção dos clientes é uma por cada um! O QUE É UMA EMPRESA?
  26. 26. 27-05-2014 26 27-05-2014 51 EMPRESA HOJE há excesso de tecnologia e pouco contacto humano nas empresas? O QUE É UMA EMPRESA? 27-05-2014 52 EMPRESA INOVAÇÕES DE RUTURA- Estimular e criar a necessidade! O QUE É UMA EMPRESA?
  27. 27. 27-05-2014 27 27-05-2014 53 EMPRESA MUDANÇA – É importante explicar às pessoas, que elas amanhã não vão fazer o que fazem hoje! O QUE É UMA EMPRESA? 27-05-2014 54 EMPRESA MUDANÇA – não quer dizer que é necessário estar a fazer sempre algo de “revolucionário”! O QUE É UMA EMPRESA?
  28. 28. 27-05-2014 28 27-05-2014 55 EMPRESA SERVIÇO – Sempre que se fornece um serviço, é certo que estamos a fornecer uma experiência única! O QUE É UMA EMPRESA? 27-05-2014 56 Momento de transformação em que vivemos … A “crise” favorece as empresas boas, quer sejam grandes ou pequenas, mas a tecnologia não resolve todos os problemas. O QUE É UMA EMPRESA?
  29. 29. 27-05-2014 29 27-05-2014 57 EMPRESA CONCLUSÃO – Uma empresa sozinha, não é capaz de criar Valor! …. E Valor, só é criado com o uso/utilização do produto pelo cliente final/último da cadeia. Hoje B2B, B2C, … futuro A2A (actor to actor) … cross-selling para um conjunto de “tarefas” que cada um tem de fazer, ou seja componentes que são comprados a fornecedores que são “parceiros”. O QUE É UMA EMPRESA? 27-05-2014 58 FICHA DE ATIVIDADE Lvf.15369@gmail.com pw: lvf13569
  30. 30. 27-05-2014 30 27-05-2014 59 FICHA DE ATIVIDADE 27-05-2014 60 TENDÊNCIAS
  31. 31. 27-05-2014 31 27-05-2014 61 MERCADO TENDÊNCIAS – Processo de mudança, probabilidade, previsão, que produto é que vamos precisar? e que serviço é que vamos necessitar? TENDÊNCIAS 27-05-2014 62 MERCADO TENDÊNCIAS – Os consumidores / clientes cada vez mais qualitativos, em vez de quantitativos. TENDÊNCIAS
  32. 32. 27-05-2014 32 27-05-2014 63 MERCADO TENDÊNCIAS – Da cultura nacional para a cultura global e mudança dos padrões de consumo! TENDÊNCIAS 27-05-2014 64 As 3 tendências para comportamentos sociais: 1º Centralização na pessoa - futura Web 3.0. 2º Uso do produto versus posse. 3º Ética e responsabilidade social. TENDÊNCIAS
  33. 33. 27-05-2014 33 27-05-2014 65 Estamos no mundo do bem estar: •Aumento das exigências do cliente. •Ambiente. •Alimentação nutritiva e saudável. •Vegetarianos. •Ginásio. •Astrologia. •Corrente das coisas naturais (ex: biológico). TENDÊNCIAS 27-05-2014 66 Questões em que as empresas necessitam de estar atentas: •Fazer recolha de informação. •Melhorar constantemente a oferta. •Flexibilidade. •Comunidades. •Cadeia de valor virtual. •Participação dos clientes na criação do produto. •Começa-se a ter problemas com o frente-a-frente. TENDÊNCIAS
  34. 34. 27-05-2014 34 27-05-2014 67 27-05-2014 68 INFORMAÇÃO DE HOJE Redes sociais são cada vez mais uma ferramenta das empresas portuguesas Os dados do INE mostram que 60% das empresas com 10 e mais funcionários têm uma página oficial na Internet. Quanto às famílias, mais de 60% tem computador e acesso à Internet. http://www.sabado.pt/Ultima-hora/Dinheiro/Redes-sociais-sao-cada-vez-mais-uma-ferramenta-das.aspx?c=comment http://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_main
  35. 35. 27-05-2014 35 27-05-2014 69 INFORMAÇÃO DE HOJE Cada vez mais PME utilizam o computador com ligação à Internet e as redes sociais como ferramenta de trabalho. Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), relativos ao inquérito à utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação realizado em 2013 junto das empresas, mostram que 98,2% das empresas com 10 e mais funcionários utilizam o computador. Segundo o gabinete de estatísticas português, este valor reflecte um “elevado grau de utilização ao nível das empresas de pequena, média e grande dimensão, sendo em particular abrangente à totalidade das empresas com 50 ou mais pessoas ao serviço”. A somar a isto, cerca de 60% das empresas com 10 e mais funcionários dispõe de uma página oficial na Internet. 27-05-2014 70 INFORMAÇÃO DE HOJE Quanto à utilização das redes sociais, em 2013, 35,5% das empresas com 10 ou mais funcionários utilizam estes meios para se ligarem aos clientes, fornecedores e parceiros de negócios. Segundo o INE “a dimensão da empresa é um factor importante para esta utilização, que é referida por 33,8% das pequenas empresas, 43,7% das médias empresas e 51,1% das empresas com mais de 250 pessoas ao serviço”. Os números mostram ainda que é predominante a utilização das redes sociais – 93,9% - por empresas que usam aplicações baseadas na Internet.
  36. 36. 27-05-2014 36 27-05-2014 71 INFORMAÇÃO DE HOJE O inquérito do INE mostra ainda que mais de 56,4% das empresas com 10 ou mais funcionários trabalham com facturas electrónicas e 92,1% utilizam a Internet para o preenchimento e envio formulários administrativos, ou seja, contacto com entidades públicas. Mais de 65% das famílias portuguesas tem computador em casa Os dados do INE relativos ao inquérito à utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias, 66,7% dos agregados familiares têm computador em casa e 62,3% têm acesso à Internet. 27-05-2014 72 INFORMAÇÃO DE HOJE Segundo o INE “estes resultados indicam que se mantém a tendência crescente no acesso das famílias a estas tecnologias, bem como o abrandamento do crescimento anual. Se entre 2009 e 2013 se verificou um aumento de quase 11 pontos percentuais (p.p.) no acesso a computador e de 14 p.p. no acesso à Internet, mais de metade destes acréscimos ocorreu nos dois primeiros anos, registando valores da ordem de 1 p.p. no ano corrente”.
  37. 37. 27-05-2014 37 27-05-2014 73 INFORMAÇÃO DE HOJE Quanto às pessoas com idades compreendidas entre os 16 e os 74 anos, 64% utilizam o computador, 62% navegam na Internet e 14,8% fazem compras online. Contudo, neste último ponto o INE sublinha que as compras online são efectuadas sobretudo entre pessoas com idades compreendidas entre os 25 e os 34 anos 27-05-2014 74
  38. 38. 27-05-2014 38 TENDÊNCIAS 2013 https://www.facebook.com/#!/wot.pt/photos 27-05-2014 75 27-05-2014 76 ENTÃO VAMOS LÁ “DESMONTAR” AS TENDÊNCIAS
  39. 39. 27-05-2014 39 Com base em opiniões de vários especialistas em redes sociais e pela HubSpot, a WOT vai mostrar-vos quais as principais tendências de marketing nos Social Media para 2013. Podem seguir estas pistas em todas as nossas plataformas sociais. Tendências para o Social Media em 2013 #1: ..."Campanhas em fade out (desdobrar), marketing em tempo real na moda." Em 2013 vamos assistir a uma maior percentagem de marketeers a tirarem vantagem do poder das comunicações em tempo real para fazer crescer os seus negócios. Os consumidores estarão mais ligados às marcas através dos seus sites, comunicam com elas através de redes sociais como o Facebook e Twitter, e apenas seguem as notícias que lhes interessam. O sucesso das empresas será tanto maior quanto o poder de engagement que se conseguir com o consumidor final. Por David Meerman Scott, Best-selling. 27-05-2014 77 Tendências para o Social Media em 2013 #2 "O Inbound Marketing (é o marketing focado em gerar tráfego de visitantes que procuram assuntos relacionados) fará crescer as empresas." Em 2012, o departamento de marketing será transversal a toda a empresa. O gabinete responsável pelas vendas, recursos humanos, serviço de apoio a clientes, desenvolvimento e equipas executivas passarão a estar com mais atenção ao online para promover as suas marcas, produtos e serviços. Como resultado desta profunda transformação, todos os colaboradores de uma empresa terão participação ativa no marketing. Por Brian Halligan, CEO da HubSpot 27-05-2014 78
  40. 40. 27-05-2014 40 Tendências para o Social Media em 2013 #3 "Conheça os seus clientes." Um novo tipo de marketing, mais inteligente, tentará perceber os consumidores para além da sua informação demográfica. Os sistemas de CRM (próximo módulo) conseguirão obter informação mais consistente no que aos hábitos de consumo diz respeito. Neste sentido, a análise ao consumo será uma das ferramentas mais poderosas ao alcance dos marketeers. Por David Raab, analista na Gleanster 27-05-2014 79 Tendências para o Social Media em 2013 #4 "O marketing será o mais responsável pelo aumento das receitas." Um estudo recente da Fournaise Marketing Group indica que 73% dos executivos não "acreditam" no poder do marketing. Em 2013 esta situação mudará uma vez que os marketeers terão um papel determinante no aumento das receitas das empresas onde colaboram. Além de continuarem a utilizar as habituais ferramentas para medir o tráfego e aumentar o número de "leads", começarão a otimizar processos que terão grande impacto nas vendas. Para tal, os atuais KPIs (Key Performance Indicators) irão mudar obrigatoriamente (Processos vs. objetivos vs. planeamento). Por Greg Alexander, CEO, Sales Benchmark Index (SBI)Gosto · · Partilhar 27-05-2014 80
  41. 41. 27-05-2014 41 Tendências para o Social Media em 2013 #5 " O Social Media integrado." Em 2013, os marketeers vão começar a utilizar os dados recolhidos nas redes sociais como parte da sua estratégia de marketing. A sincronização entre a atividade dos utilizadores no Social Media com as suas bases de dados internas permitirão um maior conhecimento do comportamento do consumidor, de forma a melhorar a segmentação de mensagens. Da mesma forma, também os conteúdos serão mais personalizados, indo ao encontro dos interesses de cada utilizador. Por Kipp Bodnar, author of The B2B Social Media Book 27-05-2014 81 Tendências para o Social Media em 2013 #6 "Apostar no móvel ou ficar para trás?" Em 2012, a venda de smartphones foi superior à dos PCs. Claramente, a área da mobilidade é um setor onde os marketeers também deverão apostar na definição da sua estratégia no ano de 2013. Não só os sites, mas as aplicações deverão ser otimizadas para funcionarem bem neste tipo de dispositivos, como também se deverão começar a verificar campanhas idealizadas especificamente para estas plataformas móveis. 27-05-2014 82
  42. 42. 27-05-2014 42 Tendências para o Social Media em 2013 #7 "Search Engine Otimization (SEO - é um conjunto de técnicas que têm como principal objetivo tornar os sites mais amigáveis para os sites de busca- Ex: aprenda a melhorar o posicionamento de seu site no Google) terão mais impacto com os conteúdos sociais." Nos últimos 15 anos, os marketeers tratavam o SEO, o Social Media e os conteúdos de forma separada, em canais distintos e segmentados. Só nos últimos 24 meses assistimos a uma grande sobreposição entre a pesquisa e o social, bastante impulsionado pelas inovações dos motores de busca e pelas correlações de partilha social nas várias plataformas. Em 2013 espera-se que os marketeers desenvolvam as suas estratégias não como canais distintos, mas como elementos otimizáveis em um todo. Por Rand Fishkin CEO, SEOmoz 27-05-2014 83 Tendências para o Social Media em 2013 #8 "As empresas vão preocupar-se mais em encontrar talentos no Inbound Marketing." Os atuais marketeers são bons em criatividade, mas em 2013 terão de ser mais experientes na criação de conteúdos e na condução de análises de otimização e gestão de dados. Com o aumento da importância dos conteúdos e dos dados, as empresas vão contratar mais profissionais de marketing no próximo ano. De acordo com as tendências medidas pela SimplyHired, desde outubro de 2011 o número de empregos em "Inbound Marketing" aumentou 52% e os de "conteúdos de marketing" cerca de 26%. 27-05-2014 84
  43. 43. 27-05-2014 43 Tendências para o Social Media em 2013 #9 "A importância da informação irá aumentar substancialmente: quanto mais dados melhor." A Gartner prevê gastar-se 232 mil milhões de dólares em IT até ao ano de 2016, mas até agora o investimento em informação tem apenas servido engenheiros e não marketeers. Em 2013 vamos assistir a um aumento de start-ups dedicadas à gestão de informação em massa, mais acessível para quem está ligado às vendas, ao desenvolvimento de negócio e aos profissionais de marketing. 27-05-2014 85 Tendências para o Social Media em 2013 #10 "A importância dos conteúdos - inteligentes - como nova ferramenta de marketing." A primeira vez que a Amazon começou a recomendar livros através do seu mecanismo baseado nas anteriores visitas online dos utilizadores, a ideia com que se ficou foi de que um site não pode reconhecer apenas um visitante, mas também deve discernir os seus interesses e alterar a sua experiência "on site". Desde então, os conteúdos dinâmicos tornaram-se mais comuns, embora não totalmente difundidos no espaço de marketing. Em 2013, vamos começar a ouvir mais sobre a adaptabilidade de conteúdos "inteligentes". Torna-se cada vez mais importante, em toda a estratégia de marketing, personalizar mensagens para o público certo, na hora certa. 27-05-2014 86
  44. 44. 27-05-2014 44 Tendências para o Social Media em 2013 #11 "Teremos um marketing mais humano." Vamos começar a ver as organizações a tornarem-se mais "humanas" através das interações sociais e dos conteúdos fornecidos nos Social Media. As empresas vão continuar a desenvolver personalidades através da divulgação de dados e informações que a si dizem respeito, mantendo a confiança entre elas e os consumidores. Serão criadas estruturas externas unificadas de forma a que todos os departamentos comuniquem da mesma forma e no mesmo sentido, o humano. Por Nick Johnson, Founder da Useful Social Media 27-05-2014 87 Tendências para o Social Media em 2013 #12 "O e-mail não morreu." O ano de 2013 vai ter campanhas de e-mail mais segmentadas, destinadas apenas a destinatários cujo conteúdo seja mais relevante. A capacidade de exportar listas de e- mail segmentadas e a personalização dos seus conteúdos vai ajudar a maximizar o efeito final de cada e-mail, resultando em mais leads qualificados. Por John Bonini, Content Marketing Manager na IMPACT Branding & Design 27-05-2014 88
  45. 45. 27-05-2014 45 Tendências para o Social Media em 2013 #13 "O Inbound vai tornar-se prioritário... e não a automatização." Em 2013, os CMOs (Chief Marketing Officer) e os executivos seniores irão alocar mais recursos na criação de um motor de Inbound mais forte, capaz de gerar mais interesse, tráfego, leads e conversações, suportando desta forma os hábitos de pesquisa de uma nova geração. Os marketeers vão começar a procurar melhores soluções de Inbound Marketing, ao detrimento da tradicional automatização de marketing. 27-05-2014 89 Tendências para o Social Media em 2013 #14 "A tecnologia de marketing evoluirá." Em 2013 vamos ver duas grandes mudanças no cenário tecnológico: 1 - um maior investimento em soluções de marketing para gestão de redes sociais, medição e atribuição de ROI (retorno do investimento) e software integrado e unificado com grande destaque para as bases de dados; 2 - melhorias na forma de utilização de cada plataforma, nomeadamente em dispositivos móveis. Os serviços LBS (Location Based Services), Sistemas Baseados em Localização, que vem ganhando cada vez mais força no mundo e que mostraram sua cara na rede social Foursquare, serão de extrema importância nesta área. http://www.youtube.com/watch?v=Rp2SfOvKUGQ 27-05-2014 90
  46. 46. 27-05-2014 46 Tendências para o Social Media em 2013 #15 "O conteúdo é o Rei, quer queiramos ou não." Criar mais e mais conteúdos estará entre as prioridades para as equipas de marketing em 2013. Além do aumento na alocação de orçamento para a criação de conteúdos, vamos encontrar serviços de curadoria e cada vez mais empresas fornecedoras dos mesmos, de forma a ajudarem os marketeers a difundirem a mensagem mais eficientemente. 27-05-2014 91 Tendências para o Social Media em 2013 #16 "Os conteúdos partilhados na Internet vão gerar novos conteúdos." Tudo o que colocamos nas plataformas sociais poderá ser utilizado para gerar novos conteúdos, nomeadamente para empresas. Além disso, poderá ainda proporcionar novas ideias para planos de marketing. O desenvolvimento de novas estratégias, onde os conteúdos partilhados são o núcleo central, aproximará ainda mais os fãs/seguidores das marcas que, cada vez mais, se tornarão importantes no meio das comunidades sociais. 27-05-2014 92
  47. 47. 27-05-2014 47 Tendências para o Social Media em 2013 #17 " O marketing e o mercado dos jogos vão convergir." É expectável que as estratégias de marketing e o mercado dos jogos estejam em sintonia no próximo ano. E não nos referimos apenas a "product placement“ (Marketing indireto ou publicidade indireta) em jogos online como o Farmville, por exemplo. O marketing será mais interativo na forma como é apresentado e "consumido". Através do entretenimento e ...de prémios haverá um aumento de conteúdos que apelem a este tipo de interação. Desta forma, as estratégias de marketing terão mais influência para agradar do que para serem evitáveis. Em 2013, até pequenas e médias empresas perceberão e utilizarão este tipo de novos conceitos. Por Dan Zarrella, Social Media Scientist 27-05-2014 93 Tendências para o Social Media em 2013 #18 "Uma imagem vale mais do que mil palavras." Com todas as atenções viradas para os conteúdos como o Santo Graal do marketing, não quer dizer que os conteúdos escritos sejam a única fórmula de trabalho. Plataformas sociais como o Pinterest e Instagram provaram que os conteúdos visuais valem mais do que mil palavras ou, no caso do Instagram, mil milhões de dólares. Infográficos, fotografias, vídeos e outros meios multimédia irão aumentar exponencialmente nos próximos anos. 27-05-2014 94
  48. 48. 27-05-2014 48 Tendências para o Social Media em 2013 #19 "O contexto é o novo melhor amigo dos conteúdos.“ Para executar estratégias de marketing mais eficientes em 2013, os marketeers terão de ir mais além do que apenas criar conteúdos de forma a gerar experiências personalizadas para os seus públicos. O contexto em que se inserem será igualmente importante e deverá andar de mãos dadas: é necessário perceber o que é que os consumidores fazem, o que dizem, os sites que visitam e os produtos que compram. Tudo para que se consigam estreitar relações mais próximas e consequentemente, obter melhores resultados. 27-05-2014 95 Tendências para o Social Media em 2013 #20 "Outbound Marketing perde tração (marketing tradicional - o foco das empresas é encontrar consumidores. Para isso, usam técnicas pouco direcionadas tais como em: anúncios nos mass media, cold telemarketing, direct mail, email spam, etc.)." O marketing de massas, se tiver sorte, tem uma taxa de resposta de 2%. Já o Inbound Marketing permite produzir taxas de conversão 10 vezes mais elevadas, ou mais. Mais do que nunca, os orçamentos em marketing externo serão transferidos para o Inbound Marketing, sendo que um terço dos CMOs afirma que mais de metade do seu budget já foi utilizado para campanhas de marketing online no ano de 2012. No Inbound a estratégia é diferente. Começa logo pelo objetivo que reside no facto de fazer com que as marcas sejam encontradas pelos clientes e não ao contrário. Ao invés de utilizar publicidade interruptiva, as empresas que praticam inbound marketing, apostam em técnicas que contextualizam o conteúdo, tais como: SEO, blogs com textos relevantes, Social Media, SEA… ou seja, disponibilizam várias formas de contacto para as pessoas encontrarem a empresa. 27-05-2014 96
  49. 49. 27-05-2014 49 27-05-2014 97 Em suma, em vez de anda disparar a mensagem repetidamente para uma multidão, o inbound marketing atrai clientes altamente qualificados para a empresa através de conteúdo contextualizado. 27-05-2014 98 … o futuro será Digital?
  50. 50. 27-05-2014 50 27-05-2014 99 Muito obrigado pela vossa cooperação! Sê a mudança que queres ver no mundo 27-05-2014 100 Formação Transversal Competências empreendedoras DIA 2 Formador: Paulo Machado Fernandes
  51. 51. 27-05-2014 51 27-05-2014 101 TENDÊNCIAS … e ainda, quiça! 27-05-2014 102 EMPRESÁRIO
  52. 52. 27-05-2014 52 27-05-2014 103 MARKETING PARA QUÊ? Por isso, o produto é o meio de satisfação de uma necessidade, podendo ser um bem, serviço ou ideia. Curiosidade, … exemplos de benefícios que os produtos geram. Black&Decker Nike Livros Livros Técnicos Licenciatura/formação Furos na Parede. Bem-estar e melhor andar. Lazer e ocupação de tempos livres. Meio de transmissão de conhecimento. Potenciar a carreira. 27-05-2014 104 TENDÊNCIAS
  53. 53. 27-05-2014 53 27-05-2014 105 As 3 tendências para comportamentos sociais: 1º Centralização na pessoa - futura Web 3.0. 2º Uso do produto versus posse. 3º Ética e responsabilidade social. TENDÊNCIAS 27-05-2014 106 Estamos no mundo do bem estar: •Aumento das exigências do cliente. •Ambiente. •Alimentação nutritiva e saudável. •Vegetarianos. •Ginásio. •Astrologia. •Corrente das coisas naturais (ex: biológico). TENDÊNCIAS
  54. 54. 27-05-2014 54 107 EXERCICIO DO MÓDULO PRESSUPOSTOS UTILIZANDO A INOVAÇÃO 108 EXERCICIO DO MÓDULO PRESSUPOSTOS UTILIZANDO A INOVAÇÃO 1. Definir o Grupo de trabalho com o máximo de 4 elementos. 2. Decidir qual o produto / negócio que vamos trabalhar. 3. O negócio vai ser físico e/ou com comércio eletrónico. 4. Qual vai o ser o nome da empresa? Atenção, temos que validar primeiro se tem o domínio disponível em (.pt) e (.com). 5. Cross Selling com quem (Parceiros complementares) 6. Definir a missão, visão, valores, objetivos da empresa, etc. 7. Logotipo para estacionário e comunicação institucional. 8. Pesquisar tendências sobre o negócio, produtos concorrentes, substitutos. 9. Pesquisar informações / variáveis externas que podem condicionar o negócio. 10.Análise SWOT – Matriz (Pontos fortes vs. fracos e Oportunidades vs. ameaças) e os Fatores Chave de Sucesso/Compra.
  55. 55. 27-05-2014 55 11.Segmentação + Posicionamento ( Definir hipóteses do porquê é que os clientes nos compram a nós e à concorrência.) 12.Entrevistas (pesquisa qualitativa) e ou Questionário/Inquérito pesquisa. Quantitativa). 13.Estratégia da empresa e do produto/serviço resultante do relatório. 14.Marketing Mix. (4 P`s). 15. Projeto de Responsabilidade Social, associado ao projeto. 16.Matriz da página + Conteúdos back-office da página web + Loja de comércio eletrónico. Informação detalhada para a empresa de tecnologia que desenvolve a página. 17.Página web com associação às redes sociais. 18.Requisitos p/ otimização da página e avaliação satisfação de clientes. 19.Planeamento Tático/Operacional + Objetivos 20.Controlo e acompanhamento dos objetivos. 109 CONT. 27-05-2014 110 ASPETOS A TER EM CONTA Revolução na empresa com acesso a ferramentas de produtividade. Mas como fazer, se as empresas proíbem todos os acessos ao bloqueá-las. e-BUSINESS
  56. 56. 27-05-2014 56 27-05-2014 111 Momento de transformação em que vivemos … 27-05-2014 112 POR ISSO HÁ QUE TOMAR A INICIATIVA..
  57. 57. 27-05-2014 57 27-05-2014 113 SETH GODIN – Tomar a iniciativa. Afinal de contas, a nossa sociedade adora festejar o fracasso. (Já os triunfos não são festejados. Festejar uma vitória é um ato de jactância (exagero). Mas o regozijo (Manifestação de contentamento) pelo fracasso dos outros – isso está bem. 27-05-2014 114 Tomar a iniciativa. A primeira regra para fazer um trabalho realmente importante … Trabalhar com regularidade. A arte é difícil, empreender é difícil, escrever é difícil … fazer a diferença é difícil!
  58. 58. 27-05-2014 58 27-05-2014 115 Tomar a iniciativa. Não temos alternativa senão ir além da qualidade e procurar o que é excecional, coerente e novo. Como já percebeu, o que é excecional exige iniciativa. 27-05-2014 116 Tomar a iniciativa. … a melhor maneira de singrar num mundo em constante mutação passa pela mudança, e essa só ocorre quando existe alguém disposto a explorar novas ideias para ver como resultam.
  59. 59. 27-05-2014 59 27-05-2014 117 Tomar a iniciativa. A iniciativa é uma coisa rara. Por isso tem tanto valor. 27-05-2014 118 Tomar a iniciativa. Se não houver projeto, não há empresa. Navegar à vista não é opção, pois os projetos não duram para sempre. As pessoas são as mesmas, a atitude persiste, mas os projetos têm de ser renovados.
  60. 60. 27-05-2014 60 27-05-2014 119 Tomar a iniciativa. Todos têm medo de se aventurar demasiado, de ir mais longe, de se erguer e criar coisas novas. 27-05-2014 120 Tomar a iniciativa. A curiosidade não é alérgica ao fracasso. A curiosidade é capaz de nos indicar o caminho da criatividade, de dar novas ideias ao mundo, de as analisar, aperfeiçoar e de repetir o processo vezes sem conta.
  61. 61. 27-05-2014 61 27-05-2014 121 Tomar a iniciativa. Qual a diferença entre ter uma grande ideia, ser imaginativo e desenrascado … e começar alguma coisa? Começar significa que tem de acabar. Se não apresentar resultados, você falhou. A iniciativa não é iniciativa, se não for consequente. Começar sem acabar é gabarolice. 27-05-2014 122 Tomar a iniciativa. Não é a dormir que se alcança a grandeza. Assim não se consegue otimizar o caminho para um crescimento surpreendente, nem alcançar objetivos impecáveis.
  62. 62. 27-05-2014 62 27-05-2014 123 Tomar a iniciativa. As pessoas conseguiram bons empregos porque deram nas vistas. 27-05-2014 124 Posto isto, é só tomar a iniciativa. Não tem nada a perder …. AVANCE. O nosso lugar no mundo é definido pelo modo como instigamos, provocamos e por aquilo que aprendemos com os acontecimentos de que somos causadores. Num mundo repleto de mudança, é isso que conta - a sua capacidade para criar e aprender com a mudança.
  63. 63. 27-05-2014 63 27-05-2014 125 27-05-2014 126 TRABALHO COM TEMAS À ESCOLHA: 18/12/2013
  64. 64. 27-05-2014 64 27-05-2014 127 27-05-2014 128 1. Conceito de empreendedorismo – múltiplos contextos e perfis de intervenção
  65. 65. 27-05-2014 65 27-05-2014 129 CONCEITO CONCEITO DE EMPREENDEDORISMO 27-05-2014 130 CONCEITO CONCEITO DE EMPREENDEDORISMO
  66. 66. 27-05-2014 66 27-05-2014 131 CONCEITO CONCEITO DE EMPREENDEDORISMO 27-05-2014 132 CONCEITO DE EMPREENDEDORISMO
  67. 67. 27-05-2014 67 27-05-2014 133 CONCEITO DE EMPREENDEDORISMO 27-05-2014 134 CONCEITO DE EMPREENDEDORISMO
  68. 68. 27-05-2014 68 27-05-2014 135 CONCEITO DE EMPREENDEDORISMO 27-05-2014 136 CONCEITO DE EMPREENDEDORISMO
  69. 69. 27-05-2014 69 27-05-2014 137 VANTAGENS DE SER EMPREENDEDOR 27-05-2014 138 VANTAGENS DE SER EMPREENDEDOR Quais as vantagens do empreendedorismo? Contribui para a criação de emprego Funciona como um meio de integração de desempregados e desfavorecidos no meio laboral Pode contribuir para reforçar a coesão económica e social das regiões menos desenvolvidas Constitui um caminho para a inovação É crucial para a competitividade Oferece aos consumidores mais possibilidades de escolha e preços mais baixos.
  70. 70. 27-05-2014 70 27-05-2014 139 VANTAGENS DE SER EMPREENDEDOR 27-05-2014 140 VANTAGENS DE SER EMPREENDEDOR
  71. 71. 27-05-2014 71 27-05-2014 141 VANTAGENS DE SER EMPREENDEDOR 27-05-2014 142 VANTAGENS DE SER EMPREENDEDOR
  72. 72. 27-05-2014 72 27-05-2014 143 VANTAGENS DE SER EMPREENDEDOR 27-05-2014 144 VANTAGENS DE SER EMPREENDEDOR
  73. 73. 27-05-2014 73 27-05-2014 145 VANTAGENS DE SER EMPREENDEDOR 27-05-2014 146 VANTAGENS DE SER EMPREENDEDOR
  74. 74. 27-05-2014 74 27-05-2014 147 2. Perfil do empreendedor 27-05-2014 148 − Características pessoais e técnicas − Iniciativa própria, autonomia e autoaprendizagem − Assertividade, capacidade de comunicação e relacionamento pessoal − Liderança e responsabilidade Perfil do empreendedor
  75. 75. 27-05-2014 75 27-05-2014 149 - Persistência e determinação − Ambição, autoconfiança e auto-motivação − Trabalho em equipa, capacidade de trabalho e resiliência Perfil do empreendedor 27-05-2014 150 − Criatividade e inovação − Capacidade de correr riscos − Investimento na aprendizagem ao longo da vida Perfil do empreendedor
  76. 76. 27-05-2014 76 27-05-2014 151 CARACTERISTÍCAS E COMPETÊNCIAS CHAVE DO PERFIL DO EMPREENDEDOR 27-05-2014 152 CARACTERISTÍCAS E COMPETÊNCIAS CHAVE DO PERFIL DO EMPREENDEDOR A quem se aplica o empreendedorismo? O empreendedorismo aplica-se a qualquer indivíduo com vontade de trabalhar, inovar e acima de tudo com vontade de aprender de modo a possuírem capacidades adequadas para transformar as suas ambições em projetos de sucesso. Ser empreendedor implica ser ativo, arrojado, imaginativo, autónomo, responsável, capaz de assumir riscos e aprender com os erros e fracassos não se deixando abater.
  77. 77. 27-05-2014 77 27-05-2014 153 CARACTERISTÍCAS E COMPETÊNCIAS CHAVE DO PERFIL DO EMPREENDEDOR Quais as características de um empreendedor? Ambição Auto motivação e entusiasmo Capacidade de trabalho em equipa Criatividade Decisão e responsabilidade Determinação Eficiência Energia Flexibilidade Iniciativa Liderança Otimismo Persistência Sem medo do fracasso e da rejeição 27-05-2014 154 CARACTERISTÍCAS E COMPETÊNCIAS CHAVE DO PERFIL DO EMPREENDEDOR Os 10 mandamentos do Empreendedor de Sucesso Agir sempre sabendo que o dinheiro não faz o empreendedor. Normalmente o criador de uma empresa é alguém que não tem grande capacidade financeira, mas tem outros recursos como a determinação, a persistência e a criatividade que o levam a triunfar. Saber que a sua riqueza resulta da persistência, atividade e tempo, estando consciente de que existe uma diferença entre persistência e teimosia. O empreendedor teimoso responde aos problemas sempre da mesma maneira enquanto o empreendedor persistente não desiste de encontrar novas alternativas para controlar o problema.
  78. 78. 27-05-2014 78 27-05-2014 155 CARACTERISTÍCAS E COMPETÊNCIAS CHAVE DO PERFIL DO EMPREENDEDOR Os 10 mandamentos do Empreendedor de Sucesso Ter visão suficiente para identificar os clientes e as suas necessidades procurando saber se existe um mercado suficientemente grande para gerar lucros, permitir crescimento e diversificação. Reduzir os investimentos iniciais ao indispensável e não gastar recursos em equipamentos supérfluos. Diminuir os custos fixos, eventualmente optando por ter na fase inicial da sua empresa funcionários a tempo parcial e gerindo os recursos humanos em função do crescimento da empresa. 27-05-2014 156 CARACTERISTÍCAS E COMPETÊNCIAS CHAVE DO PERFIL DO EMPREENDEDOR Os 10 mandamentos do Empreendedor de Sucesso Preparar as negociações críticas com fornecedores e investidores, sem nunca se afastar dos pilares em que sustentou a sua ideia de negócio. Saber negociar bem o valor das quotas. Estabelecer as alianças fundamentais para o negócio, abrindo mão de exclusivismos que podem deitar por terra a expansão da empresa. Não queira centrar tudo em si. Olhar para o cliente como se fosse o patrão. Elaborar um bom Plano de Negócio com realismo.
  79. 79. 27-05-2014 79 27-05-2014 157 CARACTERÍSTICAS GERAIS 27-05-2014 158 Características dos bons empreendedores CARACTERÍSTICAS GERAIS Paixão A diferença entre teimosia e paixão pode ser ténue e deve ser analisada com cuidado. Um empreendedor apaixonado é aquele que, apesar de saber muito sobre o negócio, está disponível para escutar conselhos sobre posicionamento e estratégia, discuti-los e conversar sobre eles. Já o teimoso é aquele que não ouve nem aceita opiniões, quer entenda muito ou pouco do negócio. Este não é, seguramente, o tipo de empreendedor que os investidores procuram para aplicar o seu dinheiro.
  80. 80. 27-05-2014 80 27-05-2014 159 Características dos bons empreendedores CARACTERÍSTICAS GERAIS Planeamento A capacidade de planear o negócio e não se deixar surpreender pela realidade do mercado ou pelas alterações que estão sempre a acontecer é um fator crucial de sucesso. É necessário prever alguns cenários possíveis e tentar enquadrar a empresa em cada um deles, para não ser apanhado de surpresa por factos que deviam ter sido previstos. 27-05-2014 160 Características dos bons empreendedores CARACTERÍSTICAS GERAIS Execução. Mais importante do que possuir determinada tecnologia, produto ou serviço é a capacidade de executar o que está planeado. A execução como ação sequencial de um bom planeamento é a chave de sucesso de uma empresa, e é exatamente isso que a maioria dos investidores procura. Um bom empreendedor com uma ideia razoável é mais interessante que uma ótima ideia com um mau empreendedor.
  81. 81. 27-05-2014 81 27-05-2014 161 SE NÃO LHES ESTÁ A OCORRER IDEIAS … então vamos lá a um brainstorming, … 15 minutos para ideias, temas e/ou atividades significativas a desenvolver. 27-05-2014 162 3. Fatores que inibem o empreendedorismo
  82. 82. 27-05-2014 82 27-05-2014 163 − Pessimismo e desmotivação − Dificuldades na comunicação, no relacionamento interpessoal com colaboradores e fornecedores, e de empatia com os clientes − Dificuldade de planear e organizar o trabalho Fatores que inibem o empreendedorismo Desconhecido (In)sucesso Insegurança Emoção Incerteza Receio Suspense Terror Coragem Pânico Medo O maior obstáculo à antecipação, aceitação e gestão da mudança … é o medo. Medo de tentar Medo de falhar Medo de participar Medo de perder 27-05-2014 164
  83. 83. 27-05-2014 83 27-05-2014 165 APRENDIZAGEM AO LONGO DA VIDA 27-05-2014 166 FATORES QUE INIBEM O EMPREENDEDORISMO Aversão ao risco, baixa criatividade e pouca familiaridade com o processo de criação de novos negócios inibem o empreendedorismo .
  84. 84. 27-05-2014 84 27-05-2014 167 FATORES QUE INIBEM O EMPREENDEDORISMO O medo de perder uma oportunidade pode inibir e paralisar o empreendedor. 27-05-2014 168 FATORES QUE INIBEM O EMPREENDEDORISMO Poucos compreendem o tipo de assuntos com que um empreendedor é confrontado quando leva uma ideia para o mercado, como se criam planos e conceitos de negócios, quais as técnicas que ajudam a perceber o que o mercado necessita, ou mesmo como financiar legalmente um novo conceito de negócios.
  85. 85. 27-05-2014 85 27-05-2014 169 − Custos de contexto − Falta de informação relativa ao mercado de trabalho − Dificuldades de crédito Fatores que inibem o empreendedorismo 27-05-2014 170 − Dificuldades de gestão financeira e de articulação com entidades de crédito, como municípios e outras instituições públicas e privadas − Fatores que condicionam a produtividade e competitividade − Casos de insucesso - exemplos Fatores que inibem o empreendedorismo
  86. 86. 27-05-2014 86 27-05-2014 171 4. Ideia de negócio e projeto 27-05-2014 172 − Ideias de negócio e projeto- definição e características − Oportunidades de negócio − Recolha de informação - caracterização do mercado, fontes de financiamento, apoios e incentivos Ideia de negócio e projeto
  87. 87. 27-05-2014 87 27-05-2014 173 FONTES 27-05-2014 174 EMPREENDEDOR – Ideia de negócio e projeto
  88. 88. 27-05-2014 88 27-05-2014 175 DIAGNÓSTICO DE NECESSIDADES DO EMPREENDEDOR Há princípios para seleção dos projetos que irão ser transformados em empresas incubadas. Os projetos devem demonstrar viabilidade técnica e comercial, contendo um estudo prévio sobre as possibilidades de êxito do empreendimento, com definição das estratégias e formas de atuação que garantam o sucesso e o retorno dos produtos e serviços prestados. Por outro lado, precisam de estar em consonância com as condições locais existentes, atendendo às necessidades da população regional. Empresas poluentes, por exemplo, não devem ser aceites. 27-05-2014 176 Formas de identificação Mediante a pesquisa de necessidades não satisfeitas e da conceção de produtos e/ou serviços para as satisfazer a clientes dispostos a pagar; As ideias podem surgir das mais diversas fontes e contextos (e.g., experiências de trabalho anteriores, conversas com familiares e amigos, feiras, etc.).
  89. 89. 27-05-2014 89 27-05-2014 177 Formas de identificação Observação de deficiências - existem produtos/serviços passíveis de sofrer algumas alterações e melhorias (e.g, design de embalagens, serviço ao cliente, preço, espaços físicos...). Ou seja, pensar o que melhorar quando se constitui uma empresa semelhante às outras que já tem atividade iniciada; Observação de tendências - Analisar de perto o mercado e observar tendências locais, regionais, nacionais ou internacionais em alguma dimensão ambiental (e.g., padrões de consumo, alteração de gostos e preferências, entre outras). O empreendedor ao seguir estas tendências pode aproveitar oportunidades emergentes! 27-05-2014 178 Formas de identificação Derivação da ocupação atual - Muitos empreendedores deixam o seu emprego para iniciar a sua própria atividade. Nesse sentido, não é estranho que o potencial empreendedor identifique a ideia de negócio no seu emprego anterior (e.g., algo na serviço/produto da empresa passível de ser melhorado, recurso a meios/inovações que não estão a ser empregues, etc.). Procura de novas aplicações - A procura de novos usos para bens que já existem. Através da análise e monitorização dos produtos/serviços de empresas rivais o empreendedor pode detetar formas de melhorar e adequar os produtos e serviços já disponíveis no mercado, criando uma nova oferta para o mercado.
  90. 90. 27-05-2014 90 27-05-2014 179 Formas de identificação Hobbies - Através dos hobbies as pessoas podem identificar necessidades ainda não satisfeitas, ou seja, oportunidades de mercado. Por exemplo, várias empresas direcionadas para atividades desportivas surgiram das ideias de praticantes amadores que sentiram a falta de serviços e /ou produtos na sua prática desportiva. Imitação do sucesso de outro - São poucos os empreendedores que lançam empresas com ofertas verdadeiramente novas. Contudo, para ter sucesso é essencial que se analise de perto os motivos pelos quais a empresa-modelo está a ser bem sucedida e onde o empreendedor pode incluir alguma forma de diferenciação. 27-05-2014 180 Formas de identificação Canais de distribuição - fontes de novas ideias, uma vez que conhecem melhor o mercado (e.g., sugestões de produtos e serviços novos desejados pelo consumidor, de características preferidas (design, tamanho, etc.). A adaptação e resposta a regulamentações governamentais pode ser uma fonte de ideias de novos produtos (e.g., quando o governo emite uma nova legislação. novas empresas podem ser formadas para suprir com produtos/serviços as necessidades das organizações).
  91. 91. 27-05-2014 91 27-05-2014 181 Formas de identificação Os esforços do próprio empreendedor em Investigação e Desenvolvimento (I&D) são uma fonte de novas ideias 27-05-2014 182 5. Coerência do projeto pessoal / projeto empresarial
  92. 92. 27-05-2014 92 27-05-2014 183 − Análise de experiências de criação de negócio − Adequação do projeto à realidade do mercado − Definição sumária do projeto Coerência do projeto pessoal / projeto empresarial 27-05-2014 184 − Financiamentos, apoios e incentivos à criação de negócio − Validação da ideia de negócio − Contactos com entidades e recolha de informação no terreno − Endividamento Coerência do projeto pessoal / projeto empresarial
  93. 93. 27-05-2014 93 27-05-2014 185 − Gestão do orçamento familiar versus gestão do orçamento empresarial − Poupança e reservas de capital - formas de resposta ao imprevisto ou à necessidade de investimento − Casos de sucesso – exemplos Coerência do projeto pessoal / projeto empresarial 27-05-2014 186 Conceito básico de negócio
  94. 94. 27-05-2014 94 27-05-2014 187 Conceito de Negócio O termo negócio provém do latim “negotĭum”, que é um vocábulo formado por nec e otium (“aquilo que não é lazer”). Trata-se da ocupação, da atividade ou do trabalho que se realiza com fins lucrativos. Por exemplo: “O meu pai dedica-se ao negócio da construção civil”, “O Romeu passa a vida a correr, é um homem de negócios”.. 27-05-2014 188 Conceito de Negócio O desenvolvimento do conceito de negócio é um processo que exige tempo e pesquisa. Exige também que o empreendedor se mantenha de olhos abertos para o que o rodeia e para o mundo, que viaje, que troque experiências, que consulte pessoas, que mantenha redes de contacto pessoais ou virtuais. Não olhe apenas: veja. Visite lojas e observe o que e como as pessoas compram. Leia livros e revistas onde se possa inspirar sobre tendências futuras.
  95. 95. 27-05-2014 95 27-05-2014 189 Conceito de Negócio O que é então um bom conceito de negócio? Os critérios incluem a necessidade de ser: único, abrangente, internamente consistente, exequível e sustentável. http://www.janelanaweb.com/digitais/vtrigo5.html 27-05-2014 190 Conceito de Negócio Negócio também é o local em que se negoceia ou se comercializa: “Ontem, abriram um negócio de vestuário perto de minha casa”, “Na próxima semana, vou começar a trabalhar num negócio de telemóveis”, “No meu bairro, não há grandes negócios, daí ser bastante sossegado, até porque é uma zona essencialmente residencial”.
  96. 96. 27-05-2014 96 27-05-2014 191 Exemplo do conceito de Negócio IKEA Na IKEA, o nosso sonho é criar um dia-a-dia melhor para a maioria das pessoas. O nosso conceito de negócio apoia este sonho, oferecendo uma gama ampla de produtos para o lar, funcionais e com design, a preços tão baixos que a maioria das pessoas poderá comprá-los. 27-05-2014 192 Como resposta às necessidades da sociedade
  97. 97. 27-05-2014 97 27-05-2014 193 Como resposta … O mundo dos negócios implica, em sentido lato, várias noções relacionadas. Quando a atividade dos negócios se desenvolve de modo formal e com um certo volume, tende-se a criar empresas. Uma empresa é uma unidade económico-social, composta por elementos humanos, técnicos e materiais, cujo objetivo consiste em obter utilidades através da participação no mercado de bens e de serviços. 27-05-2014 194 Das oportunidades às ideias de negócio
  98. 98. 27-05-2014 98 27-05-2014 195 Oportunidades de negócio … "Oportunidade de negócio" é um espaço criado para auxiliar empresas que procuram parceiros comerciais, através da estreita colaboração e parceria com organismos ligados ao fomento do intercâmbio e das relações comerciais 27-05-2014 196 Estudo e análise de bancos/bolsas de ideias
  99. 99. 27-05-2014 99 27-05-2014 197 Bancos e Bolsas de ideias … Oportunidades para empresas: Informar Local – Bolsa de Oportunidades ICEP - Instituto das Empresas para os Mercados Externos IAPMEI - Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e ao Investimento Associação Industrial do Minho Oportunidades para indivíduos/empresas: Instituto de Informação em Franchising Oportunidades de Negócios Nacionais e Internacionais O EIC - Euro Info Centre do IAPMEI, é um serviço para ajudar as PME, no seu esforço de desenvolvimento, a aproveitarem as oportunidades criadas pela União Europeia. Permite estabelecer uma ligação e conhecer realidades do mercado, bem como Oportunidades criadas pela Europa e pelas empresas a nível internacional. A informação é semanal e apresentada por sector de atividade. Portal da Empresa 27-05-2014 198 O negócio, o mercado (nacional, europeu e internacional) e a concorrência
  100. 100. 27-05-2014 100 27-05-2014 199 FONTES Livros, revistas, jornais, documentos. Visitas a empresas e contatos com empresários. Associações do setor. Associações de pessoas Organizações de apoio ao empreendedorismo e PME`s Internet Congressos, eventos, workshops 27-05-2014 200 Fontes e relatórios: http://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_main http://pt.nielsen.com/site/index.shtml http://www.marktest.com/wap/a/grp/e~8.aspx http://www.gfk.pt/ http://www.erc.pt/pt/sondagens/empresas-de-sondagens-credenciadas-pela-erc
  101. 101. 27-05-2014 101 27-05-2014 201 Análise de uma ideia de negócio - potenciais clientes e mercado (target) 27-05-2014 202 Como aprender a avaliar uma ideia de negócio Uma das formas de começarmos a possuir competências para analisar negócios é realizando-o de forma frequente, ainda que de um modo informal e pouco científico. Deste modo não necessitaremos de recorrer a grandes análises com cálculos de VAL, TIR e Pay Back. Basta para tal que olhemos à nossa volta e pensemos em negócios que nos são próximos. Por exemplo a mercearia do bairro. Quanto pagará de renda? Qual o custo com o pessoal que lá trabalha? E que outros gastos como eletricidade, contabilista, terá? E qual foi o investimento que o empresário teve que fazer para poder arrancar com o negócio? E quanto venderá por mês? E qual a margem que terá? Quais são os custos e os proveitos associados a este negócio? Qual é a proposta de valor desta mercearia? É o horário alargado? É um leque de produtos que não conseguimos descobrir nas grandes superfícies? É a possibilidade de se efetuar o pagamento no final do mês? É o atendimento mais pessoal e mais individualizado? Estão reunidas as condições para que eu seja bem sucedido?
  102. 102. 27-05-2014 102 27-05-2014 203 Como aprender a avaliar uma ideia de negócio Se procurarmos responder a estas questões, realizando este exercício para uma série de atividades que nos são familiares podemos aos poucos começar a ganhar alguma experiência e sensibilidade para analisar uma ideia de negócio e a sua viabilidade. No entanto esta não é a única forma de desenvolvermos a nossa capacidade de análise. Porque não frequentar cursos nesta área? E porque não ler livros sobre avaliação de projetos de investimento e sobre avaliação de ideias de negócio? Podemos igualmente reunirmo-nos com amigos e pessoas próximas para poder trocar e absorver experiências. Todas estas iniciativas possibilitam-nos estar em melhores condições para analisarmos de forma crítica as ideias que nos surgem ou que nos são propostas. 27-05-2014 204 Como aprender a avaliar uma ideia de negócio Na análise de uma ideia de negócio as seguintes questões têm obrigatoriamente de ter uma resposta satisfatória: - Vamos satisfazer uma necessidade atualmente insatisfeita? - Em que é que nos diferenciamos da concorrência? - E porque não poderá a concorrência fazer o mesmo que nós propomos? Que vantagem é que possuímos? - Quem poderá comprar o nosso produto? - É fácil produzir o nosso produto a preços aceitáveis para o mercado? - Como alcançaremos o nosso cliente?
  103. 103. 27-05-2014 103 27-05-2014 205 Como aprender a avaliar uma ideia de negócio Outro aspeto fundamental na análise de uma ideia de negócio é falar com alguém amigo que nos possa dar a opinião. Este aspeto é tanto mais importante quanto a ideia tenha sido identificada por nós. A paixão por vezes impede-nos de ver as coisas como estas são. Partilhe a sua ideia com alguém que não esteja a viver diretamente essa paixão. Obtenha deste modo uma perspetiva mais imparcial. Obviamente, peça a opinião a pessoas que tenha em elevada consideração. Acima de tudo, ouça e tire as suas conclusões. Deixe a pessoa exprimir-se à vontade. 27-05-2014 206 Como aprender a avaliar uma ideia de negócio Se conseguir falar com potenciais clientes tanto melhor. Poderá inclusivamente fazer um levantamento das principais necessidades sentidas, que podem levá-lo a condicionar a forma de comercialização, o horário de abertura, o comércio pela Internet, a definição do preço, etc. Este questionário serve simultaneamente para validar a ideia e do mesmo modo para permitir afiná-la face às reais necessidades do mercado. É essencial termos um excelente conhecimento do mercado onde vamos entrar.
  104. 104. 27-05-2014 104 27-05-2014 207 Como aprender a avaliar uma ideia de negócio Deixe amadurecer a ideia. Passadas algumas semanas ainda continua a acreditar na sua ideia de negócio? O afastamento da ideia poderá ser muito positivo no sentido de diminuir a elevada carga de irracionalidade inerente à própria paixão de ter gerado uma ideia que nos parece magnífica. Assim, um afastamento temporário poderá fazer-nos desistir da ideia ou pelo contrário levar-nos a aumentar a nossa crença nesta. 27-05-2014 208 Como aprender a avaliar uma ideia de negócio Numa fase posterior poderá tentar obter aconselhamento sob a forma prática de implementar a ideia. Que canal de distribuição utilizar? Como definir a política de comunicação? Como estabelecer a logística inerente ao desenvolvimento da atividade? Qual a melhor estratégia comercial? Como motivar a força de vendas? Para este tipo de aconselhamentos, obviamente que sugerimos a consulta de profissionais das respetivas áreas.
  105. 105. 27-05-2014 105 27-05-2014 209 Como aprender a avaliar uma ideia de negócio No final e antes de avançar para a implementação prática da sua ideia, deverá sempre elaborar o plano de negócios. Este documento, ao obrigar-nos a pensar num vasto conjunto de elementos, conduz-nos por um lado à sistematização de uma série de pensamentos que possuímos mas não estão interligados e por outro lado alerta-nos para uma variedade de questões decisivas para o sucesso do negócio. No Plano de Negócios teremos então a projecção dos nossos proveitos e custos e a análise de viabilidade do nosso negócio. 27-05-2014 210 Assim … … o empreendedor precisa de realizar uma análise genérica inicial da ideia para perceber se é minimamente segura e se existe, de facto, uma oportunidade: •O que é que está a gerar a oportunidade? •Durante quanto tempo é que as condições que criam a oportunidade se irão manter? •O mercado potencial tem uma dimensão interessante? •Qual é a necessidade real para o produto/serviço? •Quais são os clientes alvos? •Como é que se pode chegar aos clientes alvo? •Qual é a sensibilidade ao preço e quanto é que o produto/serviço vale para os clientes? •De onde parte a competição? Em que é que os concorrentes não estão a satisfazer as necessidades? •Qual é a reação possível antecipar da parte dos concorrentes diretos e indiretos? •A tecnologia a utilizar já está disponível? Os custos são conhecidos? •Os recursos necessários para criar a nova empresa estão disponíveis?
  106. 106. 27-05-2014 106 27-05-2014 211 Bases para estudo de pré-viabilidade. Análise da Envolvente Socio-económica Análise documental Estudos de casos práticos; Recurso e especialistas; Visitas a exposição e feiras; Recurso a leitura de imprensa especializada; Fomentar a criatividade. 27-05-2014 212 TRABALHO A DESENVOLVER
  107. 107. 27-05-2014 107 27-05-2014 213 21 e 28/03/2013 TRABALHO COM TEMAS À ESCOLHA: 27-05-2014 214 6. Fases de definição do projeto
  108. 108. 27-05-2014 108 27-05-2014 215 − Recolha de informação do mercado − Planeamento e organização do trabalho Fases de definição do projeto 27-05-2014 216 − Plano de ação e plano de negócio – definição e características − Procedimentos para a elaboração do plano de negócio Fases de definição do projeto
  109. 109. 27-05-2014 109 27-05-2014 217 Descrição de uma ideia de negócio 27-05-2014 218 Descrição de uma ideia de negócio As ideias surgem de muitos lados e fontes. De facto, as oportunidades de negócio estão à nossa volta à espera de um empreendedor capaz de as identificar e de as aproveitar. Numa primeira fase todas as ideias são vagas, contudo através de uma análise cuidada o empreendedor conseguirá dar forma à ideia e desenvolvê-la.
  110. 110. 27-05-2014 110 27-05-2014 219 Descrição de uma ideia de negócio A maioria das ideias de negócio direcionam-se a um, ou vários, de três aspetos: Novo mercado: Frequentemente ocorrem mudanças nos padrões e hábitos de consumo das pessoas que criam oportunidades de satisfazer melhor as necessidades das pessoas. Não implica o lançamento no mercado de um novo serviço ou produto, mas sim à inovação - a forma de dar resposta ao consumidor é que evoluiu. Nova tecnologia: Alguns novos negócios baseiam-se em novas tecnologias e técnicas aplicadas aos processos de produção e serviços. Novo benefício: A apresentação de novas formas de oferecer um produto ou de prestar um determinado serviço. 27-05-2014 220 Descrição de uma ideia de negócio As ideias surgem de muitos lados e fontes. De facto, as oportunidades de negócio estão à nossa volta à espera de um empreendedor capaz de as identificar e de as aproveitar. Numa primeira fase todas as ideias são vagas, contudo através de uma análise cuidada o empreendedor conseguirá dar forma à ideia e desenvolvê-la.
  111. 111. 27-05-2014 111 27-05-2014 221 Descrição de uma ideia de negócio O empreendedor precisa de procurar uma ideia de negócio que tenha em conta as alterações no mercado e na sociedade à sua volta. Todavia, para que uma ideia seja uma oportunidade é importante, antes de mais uma análise e conhecimento do mercado e, por acréscimo, das pessoas. Antes mesmo de começar a reunir os recursos humanos, financeiros ou sociais necessários ao estabelecimento do negócio. 27-05-2014 222 Descrição de uma ideia de negócio Mencione qual é o produto/serviço, a missão, o estado de desenvolvimento do projeto, o mercado potencial e o que considera serem os pontos fortes e fracos do projeto) http://investidor.pt/18-ideias-para-negocios-rentaveis-e-sustentaveis/
  112. 112. 27-05-2014 112 27-05-2014 223 DESENVOLVIMENTO E VALIDAÇÃO DA IDEIA DE NEGÓCIO 27-05-2014 224
  113. 113. 27-05-2014 113 27-05-2014 225 27-05-2014 226
  114. 114. 27-05-2014 114 27-05-2014 227 Contacto com entidades e recolha de informação no terreno 27-05-2014 228 Contactos com diferentes tipologias de entidades (municípios, entidades financiadoras, assessorias técnicas, parceiros, …)
  115. 115. 27-05-2014 115 27-05-2014 229 Documentos a recolher (faturas pró-forma; plantas de localização e de instalações, catálogos técnicos, material de promoção de empresas ou de negócios, etc…) 27-05-2014 230 FINANCIAMENTO, APOIOS E INCENTIVOS À CRIAÇÃO DE NEGÓCIOS
  116. 116. 27-05-2014 116 27-05-2014 231 EMPREENDEDORISMO HOJE EM DIA, SOB O PONTO DE VISTA DAS INCUBADORAS DE EMPRESAS 27-05-2014 232 EMPREENDEDORISMO HOJE EM DIA, SOB O PONTO DE VISTA DAS INCUBADORAS DE EMPRESAS
  117. 117. 27-05-2014 117 27-05-2014 233 EMPREENDEDORISMO HOJE EM DIA, SOB O PONTO DE VISTA DAS INCUBADORAS DE EMPRESAS 27-05-2014 234 EMPREENDEDORISMO HOJE EM DIA, SOB O PONTO DE VISTA DAS INCUBADORAS DE EMPRESAS
  118. 118. 27-05-2014 118 27-05-2014 235 EMPREENDEDORISMO HOJE EM DIA, SOB O PONTO DE VISTA DAS INCUBADORAS DE EMPRESAS 27-05-2014 236 EMPREENDEDORISMO HOJE EM DIA, SOB O PONTO DE VISTA DAS INCUBADORAS DE EMPRESAS
  119. 119. 27-05-2014 119 27-05-2014 237 EMPREENDEDORISMO HOJE EM DIA, SOB O PONTO DE VISTA DAS INCUBADORAS DE EMPRESAS 27-05-2014 238 EMPREENDEDORISMO HOJE EM DIA, SOB O PONTO DE VISTA DAS INCUBADORAS DE EMPRESAS
  120. 120. 27-05-2014 120 27-05-2014 239 EMPREENDEDORISMO HOJE EM DIA, SOB O PONTO DE VISTA DAS INCUBADORAS DE EMPRESAS 27-05-2014 240 EMPREENDEDORISMO HOJE EM DIA, SOB O PONTO DE VISTA DAS INCUBADORAS DE EMPRESAS
  121. 121. 27-05-2014 121 27-05-2014 241 27-05-2014 242
  122. 122. 27-05-2014 122 27-05-2014 243 TRABALHO COM TEMAS À ESCOLHA: 19/12/2013 27-05-2014 244 Muito obrigado pela vossa cooperação! Sê a mudança que queres ver no mundo
  123. 123. 27-05-2014 123 27-05-2014 245 27-05-2014 246 OPÇÃO B - TESTE FINAL: 19/12/2013
  124. 124. 27-05-2014 124 27-05-2014 247 27-05-2014 248 VERIFICAÇÃO E CONTROLO DO TRABALHO. EXERCICIO EM GRUPO
  125. 125. 27-05-2014 125 27-05-2014 249 SÍNTESE E REVISÃO DO MÒDULO

×