Capitulo 8 - Festival de Planos

107
-1

Published on

8º Capitulo da obra escolhas para uma vida.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
107
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Capitulo 8 - Festival de Planos

  1. 1. Capítulo 8 Festival de Planos... Dia 15 de agosto de 2012, exatamente um mês de toda aquela perseguição para encontrar Eren. Marco estava indo para a escola junto com o amigo. No decorrer desse mês que passou o garoto não descansara nada, pois Sarah armava planos para ele e Jéssica todos os dias. Os planos eram os mais diversificados possíveis e iam desde uma simples volta com o cachorro até limpar a casa da garota do telhado ao fundo da piscina. Mas, existia alguma coisa ainda que não deixava Marco conformado com o que acontecia. Sarah, que geralmente ficava junto nos planos em que bolava, começou a não participar e ficou somente bolando-os. Pelo menos nas armações da garota, Marco não correra mais risco de vida, mas também os planos não eram tão efetivos quando Sarah não estava por perto. Ou seja, na maioria deles. Enquanto Marco e Eren caminhavam para a escola, Eren comentou: -Hoje temos treino! Não se esqueça, Marco! -Sim, não vou esquecer! – Respondeu Marco. -Temos que treinar, pois daqui duas semanas começa o campeonato entre escolas e temos que ganhar este ano! Para fazer valer a pena nosso último ano no ensino médio! – Disse Eren, animado. -Fique tranquilo! Nós temos time para isso! – Respondeu Marco, confiante. Enfim, os dois amigos foram para a escola. Passaram a primeira parte da manhã e foram para o intervalo. Como de costume sentaram sob a sombra daquela imensa arvore do pátio e começaram a conversar. -Gente! Semana que vem é o festival de música aqui da escola e eu vou participar! Por favor, torçam por mim! -Iremos torcer Jéssica! Tenho certeza de que você irá ganhar! – Disse Eren, apoiando a amiga. -E-Eu também acho que você irá ganhar! Por que você é mui – Marco foi interrompido por Sarah. -Jéssica! Por que você não forma uma dupla com o Marco e tocam juntos no festival? Suas chances de ganhar aumentam ainda mais!
  2. 2. -O QUE? – Gritou Marco. -Sim, Sim! O Marco foi quem te ensinou a tocar violão, certo? Então ele é bom o bastante para te acompanhar e te ajudar! Estou errada? – Disse Sarah, com um sorriso confiante. -Ótima idéia, Sarah! Marco você topa apresentar-se comigo no festival semana que vem? – Disse Jéssica, se virando para Marco. -E-Eu... Eu topo! – Disse Marco com o rosto vermelho. -Isso aí, Marco! Momento de conquistar corações, garanhão! – Disse Eren, abraçando o amigo e dando risadas. -Cale a boca, Eren! – Respondeu Marco envergonhado. -Opa! Alguém disse Festival de Música! – Gritou Samanta entrando no grupo, separando Marco de Eren e abraçando este. -Samanta... Quem te chamou aqui? – Disse Sarah começando a ficar com raiva. -Nossa, Sarah, você está muito tensa! Relaxe um pouco! – Disse Samanta dando risada. -É que eu e o Marco vamos tocar juntos no festival de música semana que vem... – Disse Jéssica. -Juntos? E a Sarah não achou ruim? – Perguntou Samanta olhando ironicamente para Sarah. -O que? A Sarah achar ruim? Foi ela que deu a idéia. – Disse Marco não entendendo a fala de Samanta. -Foi ela quem deu a idéia? Bem... Tanto faz... Eu só sei que adoro música e pensei que vocês iriam querer que eu cantasse junto, já que tenho uma ótima voz e – Nesse instante, Sarah voou em cima de Samanta, mas Marco e Eren a seguraram. Enfim, foi um recreio normal como qualquer outro. Sarah brigando com Samanta e colocando Marco em mais um de seus planos. Após o término das aulas, Marco não foi para casa almoçar, devido o treino que teria à tarde. Almoçou com Eren no refeitório e ficaram conversando até o horário do treinamento de futebol. Era exatamente 14 horas e os dois garotos foram para o treino. Trocaram-se e começaram a jogar. Marco como sempre jogava na frente, e Eren no gol. Após uma hora de jogo, Marco fora substituído para descansar, e assim que sentou no banco, viu Sarah do outro lado do campo, encostada na cerca do lado de fora olhando o jogo. Marco pensou que ela estaria observando Eren, mas fora surpreendido quando a garota olhou para ele no banco e acenou com a mão chamando-o para perto. O garoto levantou-se sem jeito e foi em direção a garota que estava do outro lado da cerca.
  3. 3. -Você esta assistindo o Eren de uma maneira muito chamativa desta vez. Está com medo de tomar outra bolada pra utilizar o binóculo? – Disse Marco dando risadas e recostando na grade. -Sua sorte é que você está do outro lado, porque você estaria morto se não tivesse essa cerca nos separando. – Disse Sarah, rangendo os dentes. -É só uma brincadeira. Relaxe! Então... Por que você me chamou? Você não está aqui só para ver o Eren jogar? – Perguntou Marco. -Na verdade eu queria mesmo falar com você... – Disse Sarah com o rosto um pouco corado – Mas então eu já aproveitei e dei uma espiada no Eren! – Terminou sua fala nervosa. -Falar comigo? Sobre o que? – Perguntou o rapaz. -Sobre o festival que você irá tocar com a Jéssica. Termine o treino e vamos para minha casa. Quero que você me ajude a montar uma lasanha... -Você ainda não conseguiu se acertar com a cozinha pelo visto, não é? Tudo bem, após o treino me espere, que aí nós vamos para sua ca – Marco foi interrompido por Sarah. -Eu vou esperar aqui... – Disse Sarah, convicta. -O que? – Marco assustou-se com a firmeza da resposta da garota – Vo-Você não tem vergonha de ficar assistindo um treino do Eren? -N-Não mais... Acho que estou me acostumando com a vergonha... – Disse Sarah, sem olhar para Marco. Marco não entedia as atitudes da amiga, mas aceitou e pediu para que a garota esperasse, porque o treino estava próximo do fim. Após o termino do jogo, Marco tomou um banho no vestiário e encontrou Sarah do outro lado. Os dois foram juntos para casa, enquanto Eren ficou com os amigos do time para tomarem um refrigerante. Na casa de Sarah, Marco estava na cozinha preparando o forno para colocar a lasanha que ambos montaram. A garota saiu do quarto e veio em direção do garoto dizendo: -Marco... Vou ser direta. – Disse a garota, parando na frente do amigo. -T-Tá! Por que todo esse drama. – Disse o garoto olhando para a amiga. -Que drama? Ah! Tanto faz! – Disse Sarah balançando a cabeça – A Jéssica está nervosa para a apresentação e ela está querendo que todos os dias, até que termine o festival, passar as tardes na sua casa, para que vocês treinem e para que você a motive cada dia mais. Ela está com vergonha de te pedir, então eu falei que passaria o recado para você e – Foi interrompida por Marco. -Tudo bem... Eu topo... – Disse Marco sorrindo para a amiga. -O que? – Perguntou Sarah.
  4. 4. -Eu tenho que aceitar. Você está se esforçando demais para nos ajudar, e também, ela e eu devemos mesmo treinar. Tudo depende de treino. Obrigado pelo recado. – Disse Marco, sorrindo e se voltando para o forno. -Não me agradeça, idiota... Eu só estou fazendo isso por que formamos um contrato, lembra? Não preciso de agradecimentos... – Disse a garota, envergonhada ao ouvir as palavras do amigo. -É sério mesmo que você ainda vê tudo isso como um contrato? – Disse Marco colocando a lasanha no forno. – Achei que já estávamos nos ajudando por que somos amigos e conhecemos um ao outro. -Eu não disse isso! Seu idiota! Eu quis dizer que... – Parou e começo a pensar no que dizer, mas nada vinha a sua cabeça – Ah! Deixa pra lá! Você é muito complexo! Somente faça a lasanha e vá embora assim que possível! Não quero que a Jéssica pense besteira! – Sarah, ao terminar de falar, saiu dando passos firmes e se jogou no sofá da sala. Desde quando a Jéssica iria pensar besteira? Desde o começo do ano eu faço a janta aqui e saio tarde, porque ela está preocupada agora? Pensava Marco. Enfim, os amigos jantaram juntos e Sarah expulsou o rapaz alguns minutos após terminarem, se utilizando da desculpa de que Jéssica pensaria bobeiras sobre eles ao ver Marco saindo da casa de Sarah muito tarde. Enfim, Marco foi embora para sua casa se preparar, pois no dia seguinte já se começavam as preparações e ensaios com Jéssica para o festival. No outro dia, tudo correu normalmente no período da manhã. No intervalo, Jéssica agradeceu Marco por lhe ajudar a ensaiar e tocar junto com ela. No período da tarde, exatamente às 15 horas, Jéssica apareceu na casa do rapaz e lá começaram a ensaiar. -Fique tranquila que hoje prometo não dormir, apesar de que todas as outras aulas que dei para você após o infortúnio não cai mais na armadilha do sono. – Disse Marco dando risada e tirando o violão da capa. -Eu estou tranquila. Sei que você não vai mais. Você não teve culpa. Eu já te disse isso várias vezes depois do que aconteceu. – Disse Jéssica, sorrindo envergonhada. -Ótimo! – Respondeu Marco, sorrindo – Então... O que você irá tocar na apresentação? -Então... A música chama “Somente Amigos”... Fui eu quem escreveu... – Disse a garota um pouco envergonhada. -So-Somente a-amigos? – Perguntou Marco, começando a ficar vermelho de vergonha. – Ela trata do que? -Então... É sobre dois amigos que se apaixonam um pelo outro e – Foi interrompida por Marco.
  5. 5. -Me deixa ver a cifra dela para começarmos a ensaiar! – Disse Marco, que levantou correndo para pegar a letra e começar logo o ensaio. Marco, quando pegou a letra, percebeu que a essa falava mesmo de dois amigos que eram próximos, e por coincidência do destino, começaram a gostar um do outro, mas nenhum dos dois dava um passo adianta para se declarar, pois ambos pensavam que poderiam estar se confundindo nos sentimentos e para não perder o outro não se manifestavam. Antes de acabar de ler a letra, Jéssica chamou Marco para tocarem primeiro para ver quais as adaptações. A música, com duração de três minutos foi tocada pelos dois. A melodia juntou com a letra e formaram um som que impregnava nos ouvidos e era gravada facilmente. Não parecia que aquela menina era a mesma garota daquele primeiro dia de aula que tiveram no começo do ano. Marco sentira um orgulho dentro de si, não porque gostava de Jéssica, mas por ver que conseguiu ensinar a garota que agora estava se saindo melhor que ele. Após algumas horas de ensaio, Jéssica foi embora, pois nos próximos dias, ensaiariam sempre. Era exatamente 21 horas quando o celular de Marco tocou. Era Sarah. -Fala... – Disse Marco atendendo ao telefone. -I-Isso é jeito de atender ao telefone, seu inútil? – Respondeu Sarah. -Oras, sempre que eu ligava você atendia deste jeito. Agora, eu não posso? – Respondeu Marco, indignado. -E-Eu nunca atendi desse jeito! – Disse Sarah. -Tudo bem, tudo bem... O que foi que aconteceu, filha? – Perguntou Marco. -Eu só liguei para saber como foi o ensaio hoje. Conseguiu alguma coisa? -Não... – Respondeu Marco suspirando. Sarah não respondeu nada. Ficou um silêncio. -Sarah? Você está aí? Alô! -Eu estou! – Respondeu a garota com uma voz diferente, menos tensa do que quando ligou – Eu só parei de falar devido à raiva imensa que eu estou por você ser tão incompetente! Te arrumo um esquema desses e você nem se quer fala algo para ela? -Hey, garota revoltada, fique tranqüila. Tenho muitos ensaios ainda pela frente. – Disse Marco, dando risadas. -Ga-Garota revoltada? Você está louco? Está falando isso só porque está longe, não é? Amanhã eu te pego, seu idiota! -Tudo bem... Amanhã nos acertamos... Mas, pode ficar tranquila. Espero também fazer alguma coisa de útil até o festival. Sarah voltou a ficar quieta, mas logo após alguns segundos, respondeu.
  6. 6. -Acho bom mesmo. Até mais! – Disse Sarah, desligando o telefone. -A Sarah está agindo de forma diferente esses tempos. Desde as férias ela vem mudando. Acho que ela deve estar sempre naqueles dias, só pode. É a única resposta mais plausível no momento... – Resmungou Marco para si. Após todo o ocorrido, Marco pegou suas coisas e foi para o quarto dormir para se preparar para os próximos dias e criar coragem de se aproximar ainda mais de Jéssica. Marco ensaiou com Jéssica todas as tardes até o festival, mas sem nenhuma efetividade. O rapaz parecia sentir que quando Sarah não estava por perto ele não sabia o que fazer além de a vergonha o consumir por inteiro só de pensar em fazer algo. Toda noite Sarah o ligava para saber o que tinha acontecido, mas sempre dava bronca em Marco. Na véspera do evento, todos os amigos estavam reunidos novamente sob a sombra da árvore do pátio conversando. -É amanhã, gente! Vocês irão ver eu e o Marco amanhã, não? – Perguntou Jéssica animada. -Estarei lá! Pode ter certeza! Estou louco pra ver o Marco lá em cima com você! – Disse Eren, olhando ironicamente para Marco. -Eren... Você não vale nada mesmo... – Disse Marco, dando um sorriso amarelo. -Eu também estou ansiosa para ver vocês tocando juntos lá! Deve ter ficado lindo! – Disse Samanta. -Sim! Ficou muito legal, Samanta! Você irá gostar! – Respondeu Jéssica, dando saltos de alegria. -E você, Sarah, irá também? – Perguntou Samanta, olhando de uma forma diferente para Sarah. -É verdade... Você não disse nada, Sarah. Você irá? – Perguntou Eren. -E-Eu não poderei ir... Tenho compromisso... - Disse Sarah, envergonhada. -Que compromisso! Eu posso saber? – Perguntou Samanta. - Não é da sua conta! Eu tenho compromisso e pronto! – Respondeu Sarah, revoltada. Neste instante, soou o sinal para voltarem à sala, e assim fizeram. Após o termino das aulas, foram para suas casas. Até que exatamente às 15 horas, Jéssica apareceu novamente na casa de Marco para o último ensaio. -Sinceramente... Eu não entendi por quê a Sarah não irá amanhã nos ver... –
  7. 7. Disse Jéssica, pensativa. -É, isto é estranho... Ela não te falou que compromisso ela tinha? – Perguntou Marco. -Não. E o pior de tudo, é que é a primeira vez que a Sarah não vai estar comigo em lugares como aquele... Ela sempre me acompanhava desde pequena... -Eu tenho certeza de que ela tem um bom motivo para não ir. Eu conheço a Sarah e tenho certeza que é muito importante o compromisso para ela não ir, embora algo me diga aqui dentro – Marco colocou a mão no peito – que ela irá aparecer lá, mesmo após o compromisso. -Espero, Marco... Bem... Vamos ensaiar, porque amanhã será o dia! – Disse a garota, alegre. -Sim! Vamos, Jéssica! – Respondeu Marco, animado. Neste dia ficaram ensaiando até tarde, pois a ansiedade estava consumindo ambos. Assim que Jéssica foi embora, Marco foi tomar banho para depois deitar-se na cama e dormir. Porém, antes mesmo de pegar no sono, o garoto tentava entender se era verdade ou não o compromisso que Sarah falara. Sarah não irá mesmo amanhã? Por que ela mentiria? Por que eu estou me preocupando tanto assim? No meio destes e de outros pensamentos, Marco pegou no sono e apagou. Enfim, no tão esperado dia do festival, Marco se levantou mais cedo, devido à ansiedade, e fez tudo o que era de costume. Foi para a escola e, no horário do intervalo, lá estava novamente junto com o grupo conversando sobre o festival que iria acontecer à noite. -Então, estão preparados para hoje à noite? – Perguntou Eren. -Logicamente! Apesar de eu estar nervosa. – Respondeu Jéssica. -Relaxe, Jéssica! Nós treinamos e você está ótima. – Disse Marco, meio que envergonhado. -Tenho certeza de que a música deve ter ficado muito fofa com vocês tocando! – Disse Samanta. -Gente, por favor, parem de ficar nos elogiando! Parece que o quanto mais escuto, mais nervosa fico! – Respondeu Jéssica. -E você Sarah, não vai mesmo? – Perguntou Marco, olhando para a amiga. -Não... – Respondeu Sarah. -Por favor, Sarah, apareça lá depois do seu compromisso! – Pediu Jéssica. -Va-Vamos ver... – Respondeu Sarah, sem jeito após ver a amiga pedir para que
  8. 8. aparecesse. De repente, o sinal soou e todos voltaram para a sala. Marco entrou olhando para Sarah, que não parecia muito contente com alguma coisa, pois seu olhar estava vago como se estivesse viajando em sua mente. Enfim, após o termino das aulas, todos foram para suas casas se preparar para o tão esperado festival. Marco, como bom neto que era, passou a tarde inteira no supermercado comprando coisas para a sua avó. Entretanto, no caminho de volta seu celular tocou e era Sarah. -Por que você não vai? – Atendeu Marco, dizendo. -Eu já disse que eu tenho um – foi interrompida pelo garoto. -Por que você não quer contar para mim ou para Jéssica o que você tá passando? Por que ficar mentindo e inventando compromissos? – Perguntou Marco. -O-O que? – Assustou Sarah – E-Eu não estou mentindo nem nada. -Então por que você está agindo tão estranhamente esses dias? Você sabia que a Jéssica também está preocupada com você? Sarah não respondeu nada. -Ela queria que você fosse... E... Eu também... Afinal de contas, você é nossa amiga... – Disse Marco. Após alguns segundos de silêncio, Sarah voltou a falar. -Eu já disse... Se der eu passo... Eu só liguei para que você dissesse para ela que estou desejando sorte para ela. Até mais, idiota. – Disse Sarah, séria, desligando o telefone. Marco parou e ficou olhando seu celular tentando entender o que estava acontecendo com a amiga. Pois, mesmo ela tendo falado que não estava mentindo, não conseguira convencer o rapaz totalmente. Enfim, após toda a conversa, Marco continuou andando e foi para sua casa. Exatamente às 20 horas, Marco chegou ao teatro onde seria feita a apresentação. O evento iria começar às 20:30 e já estava começando a chegar um grande número de pessoas. O rapaz, então, dirigiu-se à parte do fundo do local onde estavam entrando todos os músicos e lá encontrou Jéssica sentada em um cantinho muito nervosa. A garota estava muito linda com um vestido longo azul escuro e cabelo preso. Marco ficou impressionado ao vê-la, mas, para sua surpresa, lembrou-se de Sarah quando saíram para tomar milk-shake. Algo ainda o fazia achar que Jéssica estava mais bonita, mas não conseguia entender o porquê disso. Ao ver a garota nervosa, Marco se aproximou e ajoelhou perante a garota.
  9. 9. -Hey, Jéssica! Não precisa ficar tão nervosa. Você é talentosa. Tenho certeza que sua apresentação será perfeita! – Disse Marco, tentando acalmar a garota. -E-Eu não estou assim só pela apresentação... Estou assim por que é a primeira vez que Sarah não está em algum lugar para me apoiar... – Disse a garota com voz de choro. -Vocês são bem próximas mesmo, não é? – Disse Marco, sorrindo – Tenho certeza de que ela aparecerá. Mas, se não aparecer, você não estará sozinha lá em cima. – Terminou colocando as mãos no ombro da amiga. Jéssica levantou a cabeça e olhou para o amigo, sorrindo. Após as confortáveis palavras do amigo, a garota se levantou e o abraçou. Marco quase teve um infarto de tanta vergonha que sentira, mas conseguiu se controlar. Até que exatamente às 21 horas, os dois amigos foram chamados ao palco. Enquanto os dois arrumavam os instrumentos no palco, Sarah entrou no teatro tentando não ser notada e se sentou em uma cadeira bem ao fundo. Parecia estar lá contra sua vontade, mas algo a empurrou para lá. Jéssica e Marco, enfim, sentaram-se em suas cadeiras já posicionadas no centro do palco. Pegaram seus violões e, antes de começarem, Jéssica começou a falar: -B-Boa noite! Eu quero agradecer a todos por estarem aqui e espero que gostem da mu-música. Eu queria dedicá-la para uma amiga nossa que... Que infelizmente não pôde estar aqui hoje e que ela faz muita falta... – Disse a garota. Sarah ficou totalmente pálida ao escutar aquilo. Sentiu uma vontade enorme de ir embora, mas permaneceu no local para honrar as palavras da amiga. -Então, vamos lá... – Disse a garota, começando a tocar o violão. Os dois começaram a tocar, mas para a surpresa de todos, Jéssica não conseguia cantar devido ao nervosismo que sentia por ter tantas pessoas a encarando daquele jeito e sem Sarah para lhe ajudar a dispersar, como aconteceu na escola quando ficava rodeada por garotos. Entretanto, antes de Jéssica desistir de tocar por não sair sua voz, Marco entrou cantando e fez um sinal para que o acompanhasse. Todos ficaram impressionados, não com a voz do rapaz que era boa, mas sim com a coragem que ele teve. Sarah ficou pasma também ao ouvir a voz do amigo, mas mais ainda pela coragem e apoio que dava para a amiga. Jéssica, então, se acalmou e conseguiu entrar cantando e arrasando a todos com sua linda e calma voz. Assim que a garota entrou com a música, todos já se levantaram e a aplaudiram de pé, pois era uma voz que nunca se tinham ouvido. Uma voz que trazia tranqüilidade para a alma, indescritível. Sarah não acreditava que amiga estava tão boa daquele jeito. Não acredito que aquele idiota a fez
  10. 10. ser tão boa assim, pensava Sarah sorrindo para si. Após o termino da música, todos os aplaudiram de pé novamente e, antes de sair do palco, Jéssica pegou o microfone e disse: -Devo tudo a esse cara aqui! – Disse a garota, levantando a mão do amigo. Jéssica pegou e o abraçou, agradecendo. Marco sentia que iria morrer, pois, apresentando-se para toda o público e sendo abraçado por Jéssica era muito para seu fraco coração, mas tudo acabou saindo bem. Sarah viu aquela cena e saiu logo em seguida com um sorriso no rosto. Os dois amigos foram para os fundos e comemoraram como se tivessem vencido algum campeonato. Logo em seguida, juntaram-se a platéia para acompanharem o resto do espetáculo que estava repleto de ótimos talentos. No final do evento, quando Marco e Jéssica estavam na porta indo embora, três ou quatro pessoas se juntaram em volta da garota se dizendo empresários e que adorariam gravar algumas músicas com a voz dela. A garota aceitou na mesma hora e marcou seus testes para o final do ano. No caminho de volta, vieram conversando os dois. -Você viu, Marco! Eu posso ser cantora se eu passar naqueles testes! – Dizia Jéssica, animada. -Você irá passar. Pode ter certeza! – Respondeu Marco, sorrindo para a garota. Jéssica, de repente, acalmou-se de toda aquela sua euforia e disse, desanimada: -Será que ela veio? -Algo me diz que ela apareceu... Alguma coisa aqui dentro me diz isso... Nem que tenha sido por um instante, mas ela apareceu... – Respondeu Marco, olhando para o céu. -Espero... Eu escrevi aquela musica para ela... – Disse Jéssica. -Espera... Você escreveu aquela musica com base nela e para ela? – Perguntou Marco, assustado. -Sim... Por que o susto? – Perguntou Jéssica, sem entender o espanto do amigo. -Na-Nada... – Disse Marco, pensativo. A música fala de amigos que gostavam um do outro, será que Jéssica sabe da paixão de Sarah pelo Eren? Será que ela sabe do nosso trato? Pensava Marco, desesperado. -Bem... É aqui que eu fico! – Disse Jéssica, despedindo-se de Marco. -É... Bem... Até amanhã, então. – Respondeu Marco. Assim que Marco virou as costas, Jéssica o puxou e lhe deu um beijo no rosto e,
  11. 11. indo embora, disse: -Obrigada por tudo hoje e não conte para Sarah sobre essa minha despedida! Marco ficou paralisado e não conseguia entender nada do que ali tinha acontecido. Após voltar em si, a primeira coisa que pensou foi a de por quê não contar para Sarah. Enfim, o garoto estava muito cansado para pensar em tantas coisas ao mesmo tempo e foi para sua casa. Lá chegou e foi tomar um banho. Deu um beijo de boa noite em sua avó e se deitou. Não contar para a Sarah... Era um pensamento que mesmo antes de dormir insistia em importunar Marco, que ainda estava inquieto em relação à Sarah. Mas, todas aquelas preocupações e respostas deveriam ficar para os próximos dias, pois o garoto estava muito cansado e acabou dormindo. Dormiu, mas dormiu decidido de uma vez por todas entender o que acontecia com Sarah e tentar ajudar a amiga.

×