Capitulo 5 - Patriotas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Capitulo 5 - Patriotas

on

  • 267 views

5º Capitulo do livro Escolhas para uma vida.

5º Capitulo do livro Escolhas para uma vida.

Statistics

Views

Total Views
267
Views on SlideShare
267
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Capitulo 5 - Patriotas Capitulo 5 - Patriotas Document Transcript

  • Capitulo 5 Patriotas... Exatamente 17 de junho de 2012, em um domingo ensolarado e às 14 horas, Marco e Eren estavam indo juntos para o treino de futebol, pois no próximo semestre o campeonato entre escolas começaria finalmente. Marco, enquanto conversava com o amigo sobre os vestibulares de meio de ano, sentiu alguma coisa estranha, como se estivessem sendo seguidos. E, ao olhar para trás, viu um vulto. -Eren, você viu aquilo? – Disse Marco, parando de andar e olhando para trás. -O que, Marco? – Disse Eren, virando para o colega e sem entender direito o que estava acontecendo. -Não sei direito o que eu vi, mas parecia que alguém estava seguindo a gente. -Ora Marco, relaxe! Você está muito tenso ainda por tudo aquilo que aconteceu. – Disse Eren, dando um sorriso para o amigo – E vamos logo, senão iremos atrasar. -É, você deve estar certo. Tenho que relaxar um pouco. – Respondeu Marco, dando risadas. Então, os colegas foram para o campo da escola, onde começaram a treinar. Entretanto, no meio do treino, Marco estava jogando quando olhou para a calçada longe do campo, em que esta era separada por uma grade e alguns arbustos. Até que notou a presença de uma pessoa no meio desses. Não conseguia enxergar direito, mas parecia uma garota. Seria Sarah? Não, pois ela e Jéssica saíram juntas hoje à tarde, refletia o garoto. Ficou olhando fixamente para o local; a pessoa que estava escondida não se movia. Marco tentou forçar ao máximo sua vista para reconhecer, mas na hora que estava começando focar a imagem de como seria aquela pessoa, tomou uma bolada em sua cabeça e foi ao chão. -Acorda, Marco! Você está jogando, cara! – Gritou Eren, que estava no gol. Todos os outros jogadores deram risadas e concordaram com o puxão de orelha dado por Eren. Marco se levantou do gramado e pediu para sair, pois o sol estava muito quente, deixandoo zonzo e sem foco. Desculpa muito bem elaborada essa. Ao sair, tomou uma garrafa d’água e voltou a olhar aquela pessoa escondida nos arbustos. É agora que vou descobrir quem ela é, pensava o rapaz quando se levantou e deu a volta no campo, se aproximando dos arbustos. Chegando cada vez mais próximo do local de esconderijo daquela misteriosa pessoa, andava
  • cada vez mais cauteloso para não chamar a atenção. Até que chegou próximo o bastante e viu que era uma garota de cabelos castanhos e longos, aparentava ter 17 anos, corpo de uma modelo, morena, olhos pretos, parecia ser de classe alta, e estava admirando alguém dentro do campo. -Hey moça, você está perdida? – Perguntou Marco. Nesse momento, a garota se virou para Marco e, levantando-se como uma gata, deu um grito de susto. Mais rápida que um raio, deu um murro no rosto do pobre rapaz, que foi ao chão. Logo em seguida, a garota correu para longe. -Mas, que droga... – Murmurava Marco, passando a mão no rosto roxo – Acho que tenho alguma coisa que chama a atenção das garotas para vir me bater... Só pode! Todos os colegas que estavam jogando bola escutaram o grito e foram ver o que estava acontecendo, porém, do outro lado da cerca. Marco foi zoado o resto do treino por ter apanhado de outra garota. Após o treino, todos foram embora. Marco, como de costume foi para a casa de Sarah fazer o jantar logo depois que tomou um banho em sua casa. -Então, você apanhou de outra garota... – Dizia Sarah, deitada no sofá olhando para o teto. -Dá para parar de ficar repetindo isso... Eu já te disse que sim! – Dizia Marco, revoltado na cozinha. -É que não tem como acreditar que você apanhou, de novo, de uma garota! É hilário! – Disse Sarah, começando a dar gargalhadas. -Hey! Pare de rir! Só é engraçado porque não é com você que aconteceu! -Marco... Acho que você tem certo imã de atrair garotas boas de briga... -Bem... Pelo menos, então não sou o único que pensa desse jeito. Enfim, o jantar foi servido e, enquanto os dois se satisfaziam com os alimentos, Marco comentou: -A garota que me bateu hoje parecia diferente... Acho que não era dessa cidade... -Por que você acha isso? – Perguntou Sarah. -Sinceramente, não sei... Alguma coisa me pareceu familiar nela... Ela tinha uma pele morena... Ela também estava olhando alguma coisa ou alguém que estava no campo treinando. -Nossa, que coisa esquisita... Ficar perseguindo alguém em treinos... -O QUE? – Gritou Marco – Olha quem fala! A garota que tomou uma bolada na cara porque estava espionando o cara que ela gosta com um binóculo! -NÃO! EU JÁ DISSE QUE EU ESTAVA PASSANDO DO LOCAL E A BOLA ME ACERTOU, SEU IDIOTA! – Gritou Sarah.
  • -Não sei por quê, mas você e aquela garota se parecem muito no ponto de perseguição amorosa. Se esse for o caso, lógico! -Bem... Ela bateu em você, não foi? Então ela tem moral comigo, desde que ela não esteja olhando o Eren. – Disse Sarah, dando risadas. -Ah, Sarah pare de ficar lembrando que apanhei de novo hoje... – Disse Marco, abaixando a cabeça e suspirando fundo. Por fim, os dois terminaram de jantar e arrumaram todo o lugar. Marco foi embora mais cedo do que de costume, pois no dia seguinte era plena segunda-feira, ou seja, dia de aula. Chegou à sua casa e fez toda sua trajetória até chegar a sua cama e desmaiar após um dia cansativo como aquele. No dia seguinte, Marco e os colegas já estavam na escola. Sarah ainda continuava a zombar do pobre garoto por ter levado outra surra e de uma estranha, até que começou a aula. O professor, ao entrar na sala, começou a aula de um jeito diferente. -Bem pessoal, hoje tenho uma notícia para vocês. – Enquanto dizia essas palavras, fez um gesto com a mão para a porta que estava aberta, como se estivesse mandando alguém entrar. De repente, entrou na sala a mesma garota que havia batido em Marco no dia anterior. -Esta é Samanta Oliveira da Silva, garota inteligente. Veio para os Estados Unidos com os pais que agora estão gerenciando uma empresa multinacional com sede no País. Estão morando em um bairro de classe alta aqui da nossa cidade. Marco nem sequer respirava, pois não acreditava no que estava acontecendo. -Marco! – Gritou o professor – Ela também é brasileira! Nesse momento, tudo começou a fazer sentido na cabeça de Marco. Por isso o jeito dela me era familiar; A sua cor de pele... Pensava o rapaz. Neste momento, Lance, que estava na carteira de trás, cutucou Marco e disse: -Marco, pelo visto a beleza do seu país só ficou para as garotas, não é? – Disse Lance, dando risadas. -Hey, Lance! Por que você não vai se – foi interrompido com a fala do professor. -Pode se sentar ao lado do Eren, senhorita Samanta. Ele é um ótimo rapaz, tenho certeza que te auxiliará em qualquer duvida. A garota, então, se moveu até a carteira que estava do lado de Eren e se sentou. Logo quando a garota acabou de se sentar, Marco notou um olhar carnívoro de Sarah que estava fixo na nova aluna, afinal, esta sentara perto de seu amado. -Isso não vai dar certo... – Murmurou Marco, preocupado. -O que você disse, Marco? – Perguntou Eren.
  • -Na-Nada! – Respondeu assustado o garoto. Isso vai dar morte, pensava desesperado Marco. Enfim, a aula continuou tranqüilamente até o horário de pausa para lanchar. No intervalo, como de costume, os quatro colegas ficaram sob a sombra da arvore que estavam acostumados a conversar. -Então, foi aquela a garota que te bateu? – Perguntou Eren. -Sim... Foi ela mesma... – Respondeu Marco. -Nossa Marco, as garotas do Brasil são todas tão lindas daquele jeito e com corpos de modelos? – Perguntava Jéssica. -Bem... Existem mulheres de todos os tipos, entende... Lá no meu país, é uma variedade de raças, estilos, então é difícil definir somente por ver uma pessoa. Mas, posso te garantir que tem sim muitas mulheres bonitas... – Disse Marco, envergonhado. -E você, Sarah... O que achou da nova aluna? – Perguntou Eren. Sarah continuava de cabeça baixa e parecia tremer de nervosismo. -Sarah, você está bem? – Perguntou Jéssica. -EU A ODIEI! – Gritou Sarah, furiosa. Todos se assustaram com a fúria que a garota emanava. -P-Por que amiga? – Perguntou Jéssica, assustada. -POR QUE... – Parou e pensou antes de responder, até que se decidiu – PORQUE ELA BATEU NO MARCO! SÓ EU POSSO FAZER ISSO! -Mas que desculpinha mais fajuta... Você está irritada porque ela está sentada ao lado do Eren... – Resmungou Marco, dando risadas cínicas e tirando sarro de Sarah. -O QUE VOCÊ DISSE, MARCO?! – A furiosa menina se virou para o jovem rapaz. -NADA! EU NÃO DISSE NADA! DESCULPE! Nesse momento, Samanta, a aluna nova, apareceu no grupo dizendo timidamente. -O-Olá! Todos se espantaram com o surgimento repentino da garota. -Olá, amiga! Tudo bom? Sou Jéssica, muito prazer. – Disse Jéssica, cumprimentando a tímida garota. -Eu sou Eren! Você já me conheceu hoje na sala. Mas, mesmo assim, muito prazer! -Bem... Eu sou Marco, o garo – foi interrompido pela menina. -Desculpe-me! -O que? – Disse espantado o rapaz. -Desculpe-me por ter batido em você ontem... – Dizia Samanta, de cabeça baixa – Eu assustei, e por eu ser estrangeira, fiquei com medo...
  • -Hey... Tudo bem... Vamos dizer que já estou acostumado com isso. – Disse Marco, dando um sorriso – E eu sei como você se sente, pois sou brasileiro como você e também já fui novato. -Que bom que você não guardou rancor - Disse a garota, sorrindo – Me diga uma coisa: Você é brasileiro, certo? Então, por que seu sobrenome é tão diferente do meu? -Bem... Acho que é porque meu pai é norte-americano, então o sobrenome dele ficou na família. -Nossa, que legal! – Disse a garota, toda animada – Deve ser legal ter um pai ameri – Foi interrompida por Sarah. -Me chamo Sarah! Muito prazer! – Dizia firme e olhava nos olhos de Samanta – É melhor você não vir assim achando que pode simplesmente se desculpar por esmurrar meu ami – Neste momento, Samanta ignorou totalmente Sarah, que se virou para Eren e começou a falar. -Eren, como você é o mais incrível daqui e da nossa sala, por favor, tem como amanhã às 18 horas você me mostrar a escola e os bairros aqui por perto? – Disse a garota, se aproximando de Eren. -O-O que? A-Amanhã? Por que amanhã e não hoje? – Disse Eren, ficando envergonhado com a aproximação repentina da garota e suas falas. -Porque tenho que ajudar a arrumar as coisas em casa ainda, mas amanhã já estarei todinha livre para você... -Es-Espera... Mas, por que às 18 horas? -Porque tenho compromissos com meus pais... – Neste momento, se afastou rapidamente de Eren e abaixou a cabeça – Mas, se você não quiser me ajudar e vir comigo n-não tem problema... -NÃO! – Gritou Eren – Quer dizer... Eu ajudo. Amanhã então, às 17 horas, está bom para você? -SIM! ESTÁ ÓTIMO! – Pulou e abraçou Eren. -Tu-Tudo bem então... – Disse Eren todo vermelho, parecendo um morango. -Bem... Vou para a sala agora, pois logo irá tocar o sinal, não é? Até mais, Eren e pessoal! – Disse a garota que saiu toda alegre em direção ao interior da escola. -Bem animada ela, não? – Disse Jéssica, sorrindo. -É... Bem animada. – Respondeu Eren, dando um suspiro e começando a sumir a vermelhidão em sua face. Neste momento, Marco olhou para Sarah que estava de rosto baixo e tremia como se estivesse com frio.
  • -Sa-Sarah, você está bem? – Perguntou Marco para Sarah. Logo após fazer a pergunta, Sarah se virou e foi para a sala à passos firmes como se quisesse perfurar o chão a cada pisada. Alguma coisa está me cheirando mal, pensava Marco. Por incrível que pareça, as aulas após o intervalo foram tranqüilas. Sarah continuou de cabeça baixa até sair da escola e Samanta sumir de vista. No caminho de volta para casa, Sarah gritava, não com Marco que a acompanhava, mas sim de raiva pelo que vira no intervalo. -ESSA MENINA QUER MORRER! – Gritava olhando para o céu – COMO ELA CONSEGUE SER TÃO – Foi interrompida por Marco. -Hey Sarah, vai com calma, tá? Ela só está querendo ajuda... Apesar de que não precisava ter se jogado em cima do Eren daquele jeito... Mas, eu entendo a posição dela... -AGORA VOCÊ TAMBÉM ESTÁ DO LADO DELA? – Gritou Sarah e deu um soco no braço do amigo. -Hey! Eu não disse isso e para de me bater quando você grita de raiva... É capaz de eu chegar em casa sem um braço de tanto murro que estou levando. -POR QUE VOCÊ NÃO PEDE PARA A SUA “AMIGUINHA” BRASILEIRA VIR AQUI PARA SE JOGAR EM CIMA DE VOCÊ E CUIDAR DO SEU BRAÇO? – Deu outro murro. -Na hora que chegarmos à sua casa, eu irei preparar uma comida leve e um suco de maracujá para você relaxar. Tudo bem? -AH, QUE VONTADE QUE EU ESTOU DE MATÁ-LA! E assim foram o caminho inteiro; Sarah revoltada e Marco servindo de saco de pancadas. Ao chegarem à casa de Sarah, esta foi tomar um banho enquanto Marco preparava o jantar e o famoso suco calmante. Estava na cara que iria gerar confusão, mas não pensei que a garota se atiraria tanto em cima de Eren. A Samanta não sabe a briga que está arrumando, pensava o jovem rapaz. Enquanto jantavam, Sarah nem sequer olhava para Marco e nem mexia na comida, segurando o garfo com força. -Sa-Sarah... Eu sei que você está nervosa, mas se você quiser competir com ela você tem que estar bem alimentada. – Disse o garoto, preocupado – Afinal de contas, o seu corpo comparado ao corpo de modelo dela é... Bem... -O QUE TEM MEU CORPO, SEU IDIOTA? – Gritou Sarah, batendo as mãos na mesa e interrompendo o amigo. -Na-Nada! – Respondeu Marco, quase caindo da cadeira – Eu só estava dizendo que você precisa ficar forte para que seu corpo fique resistente igual ao de-dela!
  • -MEU CORPO NÃO É TÃO ESBELTO COMO O DELA, MAS ISSO NÃO IMPORTA. O EREN NÃO É TÃO TARADO QUANTO VOCÊ PARA SOMENTE FICAR REPARANDO NO CORPO DE UMA GAROTA! -Hey, Sarah! Não sou tarado. Sou só um garoto na flor da idade igual ao Eren... E realmente ela tem um corpo boni – Nesse momento, Sarah deu um soco em Marco que foi ao chão. -TARADO! – Gritou a menina que já estava quase sobre a mesa. Após a turbulenta janta, enquanto Marco lavava a louça, Sarah estava sentada no sofá emburrada com toda a discussão. -Hey, Sarah... Eu já pedi desculpas, não pedi? Então desmancha esse bico e pelo menos tire as coisas da mesa... – Disse Marco, suspirando fundo. -Não adianta se desculpar... Seu tarado... – Dizia a garota. -Aí meu Deus... Eu mereço isso? -JÁ SEI! – Gritou Sarah, dando um pulo do sofá e vindo em direção à Marco. -Já sabe o quê? Vai me desculpar? – Perguntou animado o garoto. -Já tenho um ótimo plano para amanhã e não, não vou te desculpar, seu tarado! -Bem... Valeu a tentativa... – Disse Marco, suspirando por não ter sido desculpado pela amiga – Então, eu sei que vou me arrepender de perguntar isso, mas qual é o plano? -Eren vai sair amanhã, às 17 horas, com Samanta para mostrá-la a escola e alguns locais aqui perto, certo? -Certo. – Respondeu Marco. -O plano é algo simples e prático. Será um sucesso! – Começou a dar risadas maléficas. -Estou começando a ficar com medo... Mas, o plano é? -Seguiremos os dois amanhã; o passeio inteiro! – Disse com um sorriso maligno no rosto. -O QUE? – Gritou Marco e soltou o que estava segurando na hora. -É isso mesmo que você entendeu... Vamos seguir os dois... Idiota... -Não, Não. Isso é violação de privacidade e além do mais eles iriam nos perceber... -É por isso que vamos disfarçados! -Di-Disfarçados? -Sim! – Disse a garota, toda alegre – Agora, vá embora porque já está tarde e não é nada bom verem que um tarado está saindo daqui de casa a uma hora dessas... -Eu não acredito que vamos fazer isso amanhã... – Disse Marco, abaixando a cabeça – E eu não sou um tarado!
  • Enfim, Marco saiu da casa de Sarah e foi em direção à dele. No caminho, vinha refletindo sobre o que ouvira de Sarah e em como iriam seguir Eren e Samanta no dia seguinte. Ao chegar em casa, Marco, como de costume, fez todo o longo caminho até chegar ao seu quarto. Enquanto estava deitado na sua cama e pensando em como fazer para não ser notado na “perseguição” que Sarah bolara, seu celular tocou. Marco atendeu, sem hesitar. -Alô? -Marco, é você? – A voz era de Eren. -Eren... Se você está ligando no meu celular... É lógico que sou eu... – Respondeu, ironicamente. -Muito engraçadinho da sua parte! – Respondeu ironicamente Eren. -Tudo bem então... O que você quer? – Perguntou Marco, começando a pegar no sono. -Marco... Eu... Eu estou nervoso para amanhã! Não sei como agir se ela se jogar para cima de mim de novo! -O que? – Disse Marco, ficando ligado novamente. -Cara... Nós estaremos sozinhos amanhã no entardecer... Só nós dois... E se ela se debruçar em mim novamente? O que eu faço? Nós vamos estar sozinhos! – Começou a se desesperar Eren. -Relaxa Eren... Vai por mim... Vocês não irão estar sozinhos amanhã. – Respondeu Marco, pensando no plano de Sarah. -RELAXAR? – Gritou Eren – Você fala que é para eu relaxar, mas foi você que não dormiu a noite só de saber que a Jéssica iria à sua casa aprender violão, não foi? -O que? – Perguntou surpreso Marco – Is-Isso não vem ao caso, Eren...E-Eu também gosto dela, você sabe. Então, isso ajudou a aumentar meu nervosismo, mas no seu caso não! -AH DROGA! Eu sei que eu não tenho sentimento nenhum por ela e não quero nada esse ano, mas ela é muito bonita! Marco... Somos adolescentes, cara! Você me entende, não? -É... Acho que sim – Nesse momento Marco, lembrou-se de Sarah lhe dando um soco, durante a janta, e soltou um grito. -Marco! Você está bem, cara? Que grito foi esse? – Perguntou assustado o amigo. -E-Eu estou bem! Fique tranqüilo! Agora, vou desligar! Boa noite! -Não Marco, espera! – Nesse momento, Marco desligou o celular. Ótimo. Até o Eren está em estado de choque com amanhã. Acho que vai ser até bom esse plano da Sarah - pensou Marco. Demorou mais alguns minutos até a adrenalina da conversa que tivera com Eren abaixar e pegar no sono.
  • No outro dia, já na sala de aula, Eren parecia inquieto, como se algo estivesse o importunando. Sarah trocava olhares destruidores com Samanta. Jéssica estava tentando prestar atenção à aula, mas se via alguma mosca se movimentar já ficava dispersa. Marco somente apreciava a cena de todos os colegas e dava algumas risadas. No intervalo, os amigos novamente reuniram-se sob a sombra daquela imensa árvore no pátio da escola. Enquanto todos conversavam, Samanta passou perto da roda de amigos e piscou para Eren, como se estivesse relembrando sobre o que combinaram à tarde. Sarah quis sair atrás da garota que havia flertado com Eren, mas Marco, com seu juízo, segurou a amiga e a impediu que saísse causando mais confusão. Enfim, chegou o tão esperado horário. Exatamente às 17 horas da tarde, Eren estava esperando Samanta frente à escola, enquanto Marco e Sarah estavam escondidos virando a esquina. -Esses são os nossos disfarces. – Disse Sarah, mostrando um casaco, óculos escuros e um chapéu para Marco. -Espera... Vou ter que vestir isso mesmo? – Perguntou assustado Marco. -Lógico Marco! Esse disfarce é o melhor, porque cobre nosso corpo inteiro com o casaco, nossos olhos com os óculos e nossos rostos com o chapéu. -Mas, Sarah... Está calor! Eu irei morrer cozido aí dentro! -Pare de ser moça e coloque logo essa roupa! – Disse Sarah, enfiando o amigo no casaco e lhe pondo o chapéu e os óculos. Após terem colocado seus disfarces, deram uma espiada e viram Samanta chegando junto à Eren, que deu uma risada sem graça e adentrou a escola. Logo em seguida, Sarah e Marco entraram atrás do amigo. Eren e Samanta percorreram toda a escola juntos, pareciam um verdadeiro casal e isso era o que irritava Sarah cada vez mais. Se não fosse Marco a segura-la por algumas vezes, Sarah teria partido para cima de Samanta sem pestanejar um minuto sequer. O pseudo-casal de namorados saiu da escola e foram dar uma volta pelo bairro em volta e, conseqüentemente, os perseguidores também. Eram exatamente 19 horas da noite, quando o “casal” parou de caminhar e ficaram parados um frente ao outro. Um silêncio parecia pairar no ar. Sarah, vendo aquela cena, começou a ficar totalmente furiosa. E Marco nem sequer se movia, pois admirava sem acreditar no que via. Até que, em determinado momento, Samanta começou a se aproximar lentamente de Eren que não se moveu de nervosismo. Sarah, vendo a situação, arrancou uma sacola cheia de alimentos de dentro do casaco e deu nas mãos de Marco.
  • -O que? Para que serve essa sacola de alimen – Foi interrompida sua fala, porque Sarah o empurrou com uma força sobre humana para cima do casal que estava quase se beijando. Marco trombou nos dois e os levou ao chão. -Marco! – Gritou Eren, sentado – O que você está fazendo aqui? -Eu... Eu... – Nesse momento, olhou a sacola em sua mão – Eu estava voltando para casa com esses alimentos para minha avó quando tropecei e cai, infelizmente. – Terminou, dando um sorriso amarelo. -Nossa... Mas você não tem um supermercado perto de sua casa? Por que veio tão longe? – Perguntou Eren, se levantando e ajudando a levantar Samanta. -É que... É que o supermercado perto de casa estava fechado hoje... Acho que o dono foi para uma festa. – Marco não olhava para Eren. Simplesmente ficava olhando ao redor. -Bem... Por hoje, eu acho que é isso – Disse Eren, se virando para Samanta e apontando para a casa a qual eles estavam em frente – Está é sua casa, não é? -S-Sim... – Respondeu a garota, de cabeça baixa. -Ah! Marco, amanhã à noite eu irei mostrar o shopping para ela. O que você acha de chamar o pessoal para ir junto com a gente? – Disse Eren, dando um sorriso. -Bem... Acho que seria legal. – Respondeu Marco. -Ótimo! Então amanhã iremos ao shopping! – Disse Eren, todo animado. Samanta, nesse momento, olhava com um olhar perfurante para Marco, como se estivesse dizendo para parar de atrapalhar. Marco deu um sorriso sem graça, olhou para onde estava escondido antes de ser empurrado, mas Sarah já não estava mais lá. Despediu-se, junto com Eren, de Samanta e assim os dois foram embora. -MUITO OBRIGADO, DE NOVO, MARCO! – Disse Eren, agradecendo o amigo. -Eren... Você já me agradeceu o caminho inteiro. Já chega, não é? -É o mínimo que posso fazer depois de você me tirar de uma enrascada como aquela... Parecia até que você estava esperando a hora certa de aparecer... -É... Até parecia... – Disse Marco, lembrando-se do empurrão que levara de Sarah. -Ela queria que eu fosse com ela para dentro da casa... Se a gente se beijasse não aconteceria nada de bom... Meu futuro poderia estar arruinado se não fosse você. -Mas, se é tão cilada assim, por que você irá levá-la ao shopping amanhã? – Perguntou Marco. -É porque ela que deu a idéia antes de você aparecer, e eu não consegui dizer que não... – Disse Eren, suspirando – Por isso, chamei você e o pessoal... -Pode ficar tranqüilo que amanhã nós todos estaremos juntos...
  • -MUITO OBRIGADO, MARCO! -Está bom... Agora, já chega! Marco e Eren se despediram na esquina em que se encontravam para ir à escola, indo assim cada um para sua casa. Enfim em casa, Marco jantou, escovou os dentes e já se deitou a fim de se preparar para o próximo dia que, com certeza, traria muitas confusões no shopping. De repente, seu celular tocou. Era Sarah. -Você já tinha planejado tudo, não é? – Marco atendeu, dizendo. -Ló-Lógico, seu idiota. Eu já esperava que aquela – foi interrompida por Marco. -Sarah! Modos, por favor. -Hey, eu não iria falar nada de mais... Só iria falar que eu já esperava que aquela BELA GAROTA fosse se atirar novamente em cima do Eren. Então, a única saída que achei foi utilizar você, que só ficava admirando a cena... -E por que você não me falou nada? – Perguntou Marco. -Porque o tempo era curto e você não iria ser adepto à idéia... – Respondeu Sarah -Tudo bem, então... O que importa é que amanhã temos outra missão. – Disse Marco, sério. -Outra missão? – Perguntou Sarah, assustada. -Sim... Amanhã, nós todos acompanharemos Eren e Samanta em um passeio no shopping... -É SÉRIO? VOCÊ É LOUCO? SEM ME PERGUN – Foi interrompida por Marco. -Você também não me perguntou nada se eu gostaria ou não de ser lançado contra o casal, não é? Então pode ficar quietinha... Agora, boa noite e até amanhã. -O que? Como você foi grosso! E não desliga o celular – Nesse momento, Marco desligou o celular. Marco, mesmo após ter desligado o aparelho, não dormiu tão rápido, pois ficara pensando nas atitudes que Samanta tomara com Eren. Não acredito que o povo brasileiro está decaindo de tal forma. Isso está errado, pensou o jovem rapaz até pegar no sono e dormir. No outro dia, já no horário de intervalo, Jéssica ficou incrivelmente alegre, pois afinal de contas, a coisa que ela mais gostava de fazer eram compras e o shopping era o local ideal para isso. Sarah ainda ficava trocando olhares mortais com Samanta. Eren sempre que conseguia agradecia Marco novamente pelo que acontecera no dia anterior. Assim foi o dia inteiro dos amigos até a chegada do esperado horário. Eram exatamente 20 horas da noite, e os 5 amigos estavam acabando de adentrar ao shopping. Eren estava suando frio, porque Samanta sempre se encostava a ele e olhava para
  • Sarah como se estivesse desafiando-a. Após alguns minutos no shopping, enquanto Eren e Samanta olhavam as vitrines e Jéssica, como na outra vez, foi ao banheiro, Marco e Sarah sentaram-se em um banco. -Eu vou matar ela! – Dizia Sarah, entre os dentes e apertando as mãos entre as pernas. -Agüente firme. Afinal de contas, ela não está fazendo nada ousado. -Ela fica abraçando ele e me olhando como se tirasse uma com a minha cara... -Eu já percebi isso... -Então, você quer que eu faça o que? Eu estou fica – Foi interrompida por Marco. -Eu também não estou gostando nada dessa atitude dela. Nesse momento, Sarah se virou para Marco e viu que o amigo estava sério, olhando para frente. -Marco... Por que você está tão – Foi interrompida por um grito de Samanta. -Hey, gente! Vamos jogar boliche? -Jogar boliche? – Perguntou Marco. -ÓTIMO! – gritou Sarah. -O que? – Perguntou Marco. -É um ótimo jeito de eu me exibir para o Eren e acabar com a raça dela... – Murmurou Sarah para Marco. -Então vamos, não é Marco? – Perguntou Eren, dando uma risada sem graça. Marco balançou a cabeça com um sinal de positivo, se levantou e foram jogar. Jéssica ficara olhando as lojas, enquanto os 4 amigos entraram para começar a diversão. Colocaram os sapatos apropriados e se dirigiram para a pista de boliche. -Eu já vou logo adiantando que sou muito boa nisso... – Murmurou Samanta para Sarah, que era a próxima a jogar. -Se você jogar a bola tão bem quanto você se atira para cima dos garotos, acho que você será invencível. – Murmurou Sarah, provocando Samanta. -Preste a atenção, menina revoltadinha. Sarah, nesse momento, ficou vermelha de raiva, mas não pode fazer nada porque Samanta foi em direção a pista e arremessou a bola fazendo um strike. Os garotos ficaram espantados com a precisão da garota. -Beijos, linda. - Disse Samanta, passando ao lado de Sarah que seria a próxima a jogar. Sarah tremia no lugar de tanta raiva que sentia. Enfim, pegou a bola e foi em direção a pista. Pegou distância e partiu correndo para arremessar, entretanto, correu tão rápido e com tanta fúria que não conseguiu parar antes da parte escorregadia. Quando pisou na área lisa,
  • tomou o tombo mais lindo de sua vida, caindo de costas e batendo a cabeça conta tanta força no chão que chegou a desmaiar. Alguns minutos depois, Sarah acordou e estava deitada em uma poltrona dentro do boliche. -O que aconteceu? – Perguntou a garota – Por que minha cabeça dói? -Você tomou um lindo tombo na pista e apagou de repente. Você quase me matou de sustou. – Disse Marco, suspirando aliviado -Onde está todo mundo? – Perguntou Sarah, olhando ao redor. -Foram embora, afinal de contas, temos aula amanhã. Você apagou por um tempo. -Eu não acredito que perdi para ela... – Disse Sarah, abaixando a cabeça. -Sarah... – Disse Marco, pondo a mão sobre a cabeça da menina – Você pode ter perdido no jogo... Mas tenho certeza que com o Eren, o caminho está melhor para você... Sarah não falava nada e continuava de cabeça baixa. -Agora, vamos! Eu te acompanho até a sua casa porque você pode – Foi interrompido por Sarah, que levantou rapidamente. -NÃO PRECISA! – Gritou a menina, ainda de cabeça baixa. -Mas, Sarah... -EU CONSIGO IR SOZINHA! Depois de terminar a fala, Sarah saiu rapidamente, empurrando Marco e indo embora. O rapaz entendeu o motivo de a amiga ter saído triste assim, pois, afinal de contas, na cabeça dela ela falhou em impressionar seu amor e perdeu para alguém que não dava valor a si próprio, o que é arrogante. Sarah, no caminho de casa, vinha chorando baixo. Não acreditava que se humilhara daquele jeito na frente de Eren. As chances já eram pequenas, mas, agora poderiam ter ficado nulas. Ao chegar próximo de sua casa, encontrou Samanta com um olhar de superioridade. -Você não se cansou, garotinha? – Perguntou Samanta. -O que você quer? – Perguntou Sarah, entre os dentes. -O Eren é meu... Você não vê que só está atrapalhando? Sarah não respondeu nada. -Você acha que vai conquistar ele com esse seu jeito? Com esse seu corpinho? Lógico que não! Sarah não parava de pensar em socar a cara daquela garota. Mas, antes mesmo de exteriorizar toda sua raiva, veio à sua mente a conversa que tivera com Marco uma vez em que o rapaz dizia “... a violência nem sempre é o melhor caminho para a solução dos conflitos”. Com
  • essa frase Sarah se acalmou, mas ainda assim, não sabia o que dizer, pois estava com a cabeça zonza e não conseguia encaixar os argumentos. -Eu me atiro para ele porque sei que posso! Meu corpo permite isso! Afinal de contas, eu sou bela, sou brasi – Nesse momento, um grito interrompeu sua fala. -NÃO TERMINE ESSA FRASE, SAMANTA! Sarah ergueu a cabeça e, ao virar as costas, viu Marco parado na esquina. Samanta ficou espantada. -Você... Você não tem vergonha na cara? – Disse Marco, vindo em direção às duas, frente à casa de Sarah. -Vergonha? – Perguntou Samanta, assustada. -Como você ousa manchar a imagem do nosso País natal agindo e falando desta maneira! -Mas o que... – Samanta não conseguia falar. -COMO VOCÊ TEM CORAGEM DE SE CHAMAR DE BRASILEIRA? Nesse momento, até Sarah se espantou ao ver o amigo sério daquele jeito. -Nosso País já não é bem visto no exterior por estereótipos e pessoas como você! Como você consegue agir assim? Você não liga para o que os outros irão pensar? Você, querendo ou não, está piorando ainda mais uma imagem que já não é boa! SEJA VERDADEIRA E HONRE SEU POVO! -Você tem razão... – Disse Samanta, de cabeça baixa – Não pensei que você se importava tanto com o seu País de origem... Pensei que você fosse mais um burguesinho que veio para o exterior para se livrar do povo do qual nascera... Marco continuava sério. -Mas, eu estava errada... Isso é bom... É bom termos pessoas que pensam desse jeito e querem melhorar a imagem de um País motivo de chacota... Você é mesmo diferente, Marco. Samanta começou a andar em direção à Sarah, como se estivesse indo embora. -Sorte sua por você ter encontrado ele antes... Sarah... – Murmurou Samanta, ao passar do lado de Sarah. -O-O que você disse? – Gritou Sarah. Samanta passou por Marco e, antes de virar a esquina, gritou: -Irei pensar nas minhas atitudes daqui em diante... – Ergueu o braço como se estivesse se despedindo – Mas não vou desistir do Eren tão fácil, Sarah! Dê o seu melhor! -CO-COMO? – Gritou Sarah – VOCÊ VAI VER! EU VOU CONSEGUIR! Depois da fala de Sarah, Samanta virou a esquina e foi embora.
  • -Agora, trate de descansar, porque amanhã temos aula. – Disse Marco, começando a ir embora. -Então, era por isso que você estava sério? Pelo jeito que ela estava agindo? – Perguntou Sarah. -Não só isso! – Gritou Marco, ficando cada vez mais longe – Ela estava te atrapalhando com o Eren, não é? O nosso acordo ainda continua de pé! Então, vou te ajudar no que for preciso! – Terminou, sorrindo para Sarah e virando o rosto. -Ce-Certo... – Murmurou Sarah, ficando vermelha. Enfim, Marco foi embora e Sarah entrou em sua casa. Após um dia pesado como este que viveram, um descanso era mais do que merecido. As férias estão chegando e, junto com elas, muito descanso e tranqüilidade para o grupo de amigos. Assim como também, o dobro de confusões e planos maléficos de Sarah e sua cobaia Marco surgirão.