Your SlideShare is downloading. ×
Torres de separação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Torres de separação

16,312

Published on

É um trabalho que abrange como funcionam torres de separação por 3 tipos de operações,tais como absorção,adsorção e destilação,além de uma definição básica do conceito de cada uma delas.

É um trabalho que abrange como funcionam torres de separação por 3 tipos de operações,tais como absorção,adsorção e destilação,além de uma definição básica do conceito de cada uma delas.

Published in: Education
1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
16,312
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
386
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. TORRES DE SEPARAÇÃO POR ABSORÇÃO, ADSORÇÃO E DESTILAÇÃO.
    PietraFagundesAraújo
  • 2. Torres Absorção
  • 3. Absorção
    A absorção é uma transferência de massa de uma fase gasosa para uma fase líquida. Consiste na transferência de um componente (absorbato) presente em fase gasosa (gás de arraste) para um líquido (absorvente).
  • 4. Absorção
    Princípio
    Os gases efluentes passam através de lavadores que contém líquidos absorvedores que removem, tratam ou modificam poluentes.
  • 5. Absorção
  • 6. Absorção/Dessorção
    A operação inversa chama-se Dessorção (“Desorption” ), na qual um componente dissolvido num líquido passa para a fase gasosa. Embora a transferência de massa ocorra em direções opostas os princípios físicos associados tanto à Absorção como à Dessorção são os mesmos.
  • 7. Absorção/Dessorção
  • 8. Absorção
    Torres com Recheio
    Constituem-se de um cilindro preenchido com material de enchimento (suporte) sustentando tanto o topo quanto a base de modo a permitir a separação das fases
  • 9. Recheios
  • 10. Absorção
    Torres de Pratos
    Este tipo de absorvedor não apresenta suporte ou qualquer tipo de enchimento, mas furos distribuídos uniformemente nos pratos que o constituem
  • 11. Absorção
    • Torres Spray
    O gás contaminado flui para cima e as partículas chocam com gotas de líquido produzido por bocais apropriados localizados em todo o fluxo de fluido. 
  • 12. Torres Adsorção
  • 13. Adsorção
    Consiste em transportar um poluente na fase gasosa ou líquida ,para a superfície de um sólido poroso.
    Na "torre de adsorção" tem-se um processo de difusão com o transporte de poluente para a superfície de um material sólido (adsorvente).
  • 14. Adsorção
  • 15. Adsorventes
    O material adsorvente
    mais utilizado nas torres
    é o carvão ativado, por sua
    disponibilidade e custo .
    eficiente
    para remoção de
    compostos voláteis
    orgânicos, tais como
    hidrocarbonetos, solventes,
    gases tóxicos e odores
    orgânicos.
  • 16. Adsorventes
    Outrosadsorventes:
    Zeólitas;
    Alumina ativada;
    Sílica-Gel.
  • 17. Adsorvedores
    Tipos:
    LeitoÚnico
    Fixo ;
    Móvel .
    LeitoMúltiplo;
    Fixo;
    Móvel.
  • 18. Adsorvedores
    • Leito único e fixo de carvão ativado
    • 19. Neste caso, o ar entra sujo pelo topo e sai limpo pelo fundo.
  • Adsorvedores
    Adsorvedor de Leito Múltiplo
    e Fixo
    O gásentranametadedaaltura
    dacoluna,passapelosadsorventes
    Quepodem ser fixadosporpratos
    Suportes,eosvaporessaemporcima
    E baixodatorre.
  • 20. Adsorvedores
    Adsorvedor de leito móvel
    Neste caso, a corrente de
    ar contendo o poluente
    passa em fluxo horizontal
    através da coluna vertical
    adsorvedora.
  • 21. Adsorção
    Eficiência
    Extremamenteefetivosnaremoção de poluentesgasosos. Podendochegar a 100%.
  • 22. Torre de Destilação
  • 23. Destilação Flash
  • 24. Destilação Flash
    A água é aquecida e bombeada para um tanque a baixa pressão onde se vaporiza repentinamente. O vapor que se forma é condensado e retirado como água pura. O líquido não vaporizado segue para a unidade Flash seguinte
  • 25. DestilaçãoFracionada
  • 26. DestilaçãoFracionada
    Estágio de DestilaçãoFracionada com PratosPerfurados
  • 27. DestilaçãoFracionada
    Estágio coluna de destilação Fracionada com pratos borbulhadores.
  • 28.
  • 29. Torres de Recheio
  • 30. Destilação a vácuo
    Na destilação à vácuo a pressão de operação da torre de fracionamento é reduzida o que provoca uma diminuição do ponto de ebulição da mistura a ser destilada.
    Muito usada em substâncias com o ponto de ebulição muito elevado e que são difíceis de separar em pressão atmosférica.
  • 31. Destilação a Vácuo-Cru Reduzido (Resíduos)a partirdadestilaçãoatmosférica .
    -Este resíduo entra a mais ou menos 100mmHg;
    -Vapor entraporbaixo;
    -O diâmetro é maiorque a Torre de Destilaçãoatmosférica.
  • 32. Outrostipos de Destilação
    Destilação Extrativa;
    Azeotrópica.
  • 33. Referências bibliográficas
    CALDAS, Jorge Navaes; LACERDA, Antônio Ignácio de . Internos de torres: pratos & recheios. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2003. 466p. (Tecnologia brasileira) ISBN 8575110608
     
    DESTILAÇÃO Disponível em: http://vega.eq.uc.pt/siteJoomla/index.php?option=com_content&task=view&id=223&Itemid=413>. Acesso em: 13 jun. 2009.
    FOUST, Alan S. (Alan Shivers). Princípios das operações unitárias. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Dois, 1982. 670p.
     
    POMBEIRO, Armando J. Latourrette O. Técnicas e operações unitárias em química laboratorial. Lisboa: Fundação CalousteGulbenkian, 2003. 1069p.

×