Your SlideShare is downloading. ×
0
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Planejamento
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Planejamento

7,685

Published on

1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
7,685
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
49
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. PLANEJAMENTO DO PROGRAMA SEGUNDO TEMPO: A INTENÇÃO É COMPARTILHAR CONHECIMENTOS, SABERES E MUDAR O JOGOAmauri Aparecido Bássoli de Oliveira/ UEM – Equipe GestoraEvando Carlos Moreira/ UFMT – Equipe Colaboradora 8Horácio Accioly Júnior/ UERN – Equipe Colaboradora 19Marcello Pereira Nunes/ UFES – Equipe Colaboradora 10Por: Alvaro Rego Millen Neto – Equipe Colaboradora 25
  • 2. Introdução- Fantasmas da Educação Física gerados a partir da necessidade de superação do modelo pautado na seleção de talentos e na formação de atletas;- Associação do modelo de Educação Física a ser superado com o tecnicismo educacional;- Receio frente às prescrições e planejamentos;- Mal-entendidos:- 1) Prescrições e planejamentos desconsideram, invariavelmente, as características próprias dos diferentes contextos;- 2)Prescrições e planejamentos são realizados, única e necessariamente, de cima para baixo.
  • 3. Planejamento em diferentes “territórios”- Planejar é decidir entre os diversos caminhos possíveis de modo a racionalizar a obtenção de objetivos e metas;- Planejar pressupõe mudanças e tais mudanças devem estar pautadas nos objetivos estabelecidos (no caso do PST são esperadas, por exemplo, mudanças nos valores humanos, sociais, culturais e éticos por meio do esporte educacional);- Todo processo educacional pressupõe desafios, e o planejamento controla a superação desses desafios;- O ato de planejar (de criar metas) também estimula a rotina;
  • 4. Planejamento em diferentes “territórios”- O planejamento deve partir de experiências concretas de cada “território”;- Os planejamentos devem ser transformados em um registro, em um documento;- Isso credita importância à produção de documentos específicos de cada núcleo do PST, mas não torna desnecessário que ações organizacionais de maior amplitude sejam desenvolvidas – daí a estrutura hierárquica do PST compreender diferentes níveis de planejamentos e prescrições;- A ação de planejar não deve ser algo exclusivamente administrativo, burocrático, mas algo que comprometa o desenvolvimento do aluno.
  • 5. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO PROGRAMA SEGUNDO TEMPO OBJETIVOS E FINALIDADES DO PROGRAMA SEGUNDO TEMPO (Responsabilidade do Ministério do Esporte/ Secretaria Nacional de Esporte Educacional) PROJETO BÁSICO DO CONVÊNIO (Responsabilidade de Gestores de Estados, Municípios, Associações, Ongs) PROJETO PEDAGÓGICO DO CONVÊNIO (Responsabilidade de Gestores e Coordenadores Gerais) PROJETO PEDAGÓGICO DO NÚCLEO (Responsabilidade de Coordenadores gerais e de núcleo, monitores e a comunidade e familiares ) PLANEJAMENTO SEMANAL/ MENSAL DO NÚCLEO (Responsabilidade de Coordenador de núcleo e monitores)
  • 6. ETAPAS DO PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DO PROGRAMA SEGUNDO TEMPO Identificação Geral do NúcleoConsiderar o Projeto Elaboração daPedagógico Fundamentação Teóricado Convênio Elaboração do Diagnóstico Elaboração dos Objetivos Seleção e Organização dos Indicativos para o Conteúdos processo de Seleção de recursos reelaboração do Práticas, Metodologias e planejamento Procedimentos no Planejamento das Aulas Avaliação
  • 7. IDENTIFICAÇÃO GERAL DO NÚCLEO
  • 8. ELABORAÇÃO DA FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Esses pressupostos estão de acordo com os objetivos e finalidades do PST?
  • 9. ELABORAÇÃO DA FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA- Importância da leitura do capítulo de fundamentação teórica do PST – a calibragem do olhar realizada ontem pelo Prof. Antonio Jorge Soares.
  • 10. ATIVIDADE 1De posse das Diretrizes e Fundamentos Pedagógicos doPrograma Segundo Tempo e a partir da sua realidade, redija,no Quadro 1 do texto, a fundamentação teórica doplanejamento pedagógico do seu núcleo.
  • 11. ELABORAÇÃO DO DIAGNÓSTICO
  • 12. ATIVIDADE 2É difícil elaborar um diagnóstico fora da localidade em que seinsere.Ao invés de elaborar um diagnóstico, elabore um questionárioe/ou entrevista que será encaminhado à comunidade.Preencha o Quadro 2 do texto, com perguntas quecontribuam para a realização de um bom diagnóstico desua localidade.
  • 13. Os objetivos devem especificar aprendizagens esperadas da CRIANÇA E DO ADOLESCENTEO Objetivo é uma ação (verbo), projetada peloprofessor para o ALUNO, articulada com umafilosofia educacional, concepção de sociedade eteoria do desenvolvimento e aprendizagem.
  • 14. ELABORAÇÃO DOS OBJETIVOS- Considerar os objetivos dos projetos maiores;- Os objetivos específicos devem expressar as ações efetivas e esperadas dos seus alunos;- Os objetivos devem ser operacionalizados – responder o que você espera que os alunos façam, como e quando e, se possível, quanto. Isso facilitará a avaliação (outra característica importante a ser pensada para se estipular os conteúdos);
  • 15. EXEMPLOS DE OBJETIVOSOBJETIVOS GERAIS- Predispor-se a participar das atividades em grupos, cooperando e interagindo com os colegas;- Vivenciar conteúdos como: jogos, lutas, expressão corporal e ginástica, dominando o conhecimento básico desses conteúdos;- Solucionar problemas e tomar decisões diante dos desafios propostos em aula, verificando a aproximação das questões com situações do cotidiano.
  • 16. EXEMPLOS DE OBJETIVOSOBJETIVOS ESPECÍFICOS- Demonstrar espírito de companheirismo e respeito ao próximo (na prática do futsal);- Identificar, de forma sistematizada, as capacidades físicas necessárias para a prática esportiva (na prática do atletismo);- Sistematizar as formas de movimento de determinada modalidade esportiva, empregando-as no pensamento tático e técnico (ginástica artística).
  • 17. ATIVIDADE 3Determine objetivos do planejamento do núcleo para atender:- finalidades do Programa Segundo Tempo;- proposta de trabalho e projeto pedagógico do seu convênio;- fundamentos pedagógicos do Programa Segundo Tempo;- desenvolvimento pleno de todas as crianças e adolescentes.Preencha o Quadro 3 do texto, remetendo-se à realidade de seunúcleo.
  • 18. SELEÇÃO E ORGANIZAÇÃO DOS CONTEÚDOSConjunto de conhecimentos e habilidades organizados e sistematizados pedagogicamente, com o objetivo de apropriação ativa pelo outro é o que chamamos CONTEÚDOS.
  • 19. SELEÇÃO E ORGANIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS- Os conteúdos a serem mediados são as manifestações da cultura corporal;- Dimensão dos conteúdos (relembrando o que foi tratado pelo Prof. Felipe hoje pela manhã):a) Saberes (dimensão conceitual);b) Saber-fazer (dimensão procedimental);c) Saber ser (dimensão atitudinal).
  • 20. ATIVIDADE 4Preencha o Quadro 4 do texto com os Conteúdos epossíveis Conhecimentos e Saberes que serãotematizados e desenvolvidos em seu núcleo.
  • 21. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS NO PLANEJAMENTO DAS AULAS- Procedimentos metodológicos são estratégias estabelecidas para o bom desenvolvimento das aulas e para a obtenção dos objetivos propostos.- Observa-se, com alguma frequência, aulas desenvolvidas com métodos que precisam ser superados (ex: filas enormes de alunos).
  • 22. ALGUMAS POSSIBILIDADES METODOLÓGICAS- EXPOSIÇÃO DO PROFESSOR (verbal, demonstração, ilustração e exemplificação);- MÉTODO DE TRABALHO INDEPENDENTE – três etapas (preparatória, assimilação de conteúdo e elaboração pessoal);- TRABALHO EM GRUPO
  • 23. ATIVIDADE 5A partir do exposto nesta temática, do texto 7 –“Procedimentos Metodológicos para o ProgramaSegundo Tempo” e das modalidades esportivas de seunúcleo, defina como estas podem ser exploradas damelhor forma para uma apropriação mais eficaz e eficientepor parte das crianças e adolescentes. Para tanto,preencha o Quadro 5 do texto.
  • 24. SELEÇÃO DE RECURSOS- O que temos?- O que precisamos?- O que podemos construir?
  • 25. SELEÇÃO DE RECURSOSOs recursos, assim como os procedimentos metodológicosprecisam:a) Tornar as atividades mais prazerosas;b) Permitir a participação ativa e constante dos alunos;c) Diversificar-se e alterar-se em função das características das atividades e das necessidades e interesses dos alunos;d) Favorecer a apropriação dos conhecimentos e dos valores que a vivência de cada conteúdo oferece.
  • 26. SUGESTÕES DE “NOVOS” RECURSOS- Programas de televisão;- Vídeos;- Internet;- Visitas e passeios dirigidos;- Filmes e peças teatrais;- Festivais e competições;- Leitura de jornais, revistas e textos;- Observação de fotografias.
  • 27. ATIVIDADE 6Preencha o Quadro 6 do texto, apresentando como cadaum dos recursos disponíveis em seu núcleo pode serutilizado na prática e sugira outros tantos que já utiliza ouimagina ser possível utilizar
  • 28. AVALIAÇÃOA avaliação é um processo contínuo; tem o objetivo desubsidiar e diagnosticar as decisões para proceder mudançasefetivas em nossas intervenções e ações pedagógicas.Nas visitas in loco coordenadores e monitores de núcleosafirmam que avaliam por observação; por participação; e nãotêm instrumentos específicos para avaliar.Importância da avaliação como diagnóstico para subsidiarfuturas tomadas de decisão no que tange à revisão ereformulação dos objetivos, conteúdos, métodos e recursos.
  • 29. ALGUNS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃOa) Fichas de acompanhamento individual;b) Ficha de acompanhamento de turma;c) Questionários e entrevistas com os alunos;d) Entrevistas e questionários com pais e/ou responsáveis, membros da comunidade, diretores e professores da escola, entre outros membros da comunidade escolar;e) Portifólios, anotações de observação e relatórios mensais;f) Fichas de observação com parâmetros estabelecidos;g) Fichas de pré-teste e pós-teste...
  • 30. EXEMPLO DE PLANILHA PARA AVALIAÇÃO DO ALUNO PELO PROFESSORNome do aluno: __________________________________________________Núcleo: ___________________________ Idade: __________ Grupo: _______ Aspectos a serem observados N PV AV MV SIdentifica e verbaliza sua ação motoraCompreende a razão do êxito/não-êxito de sua ação motoraReconhece a importância do conteúdo estudadoVerbaliza a antecipação de sua ação motoraCompreende as propostas sugeridas pelo professor/grupoContribui com outras possibilidades motoras para atendimento aos problemas propostosColabora na elaboração e reelaboração das regrasAceita as sugestões formuladasArgumenta e defende suas sugestões pessoaisRespeita seus colegas independentemente dos aspectos físicos, sociais, culturais ou de gêneroCompreende o conteúdo propostoEnfrenta desafios N – nunca / PV – poucas vezes / AV – algumas vezes / MV – muitas vezes / S - sempre
  • 31. EXEMPLO DE PLANILHA PARA A AUTO-AVALIAÇÃO DO ALUNO PARA UM DETERMINADO CONTEÚDO - VOLEIBOL Nome do aluno: ____________________________________________ Núcleo: ___________________ Idade: __________ Grupo: _________ Aspectos a serem observados N PV AV MV SSei aplicar as principais regras do jogoIdentifico as regras do jogoCumpro as regras do jogoUtilizo adequadamente a mancheteUtilizo oportunamente o passeAceito as decisões do árbitroAceito os erros dos meus colegasDesenvolvo o espírito de grupoColoco-me em condições de ajudar os colegasUtilizo adequadamente o espaço de jogoExecuto bem o saqueSou capaz de admitir os meus errosIntegro-me bem no grupoAceito o resultado do jogo N – nunca / PV – poucas vezes / AV – algumas vezes / MV – muitas vezes / S - sempre
  • 32. ROTEIRO DE ENTREVISTA/QUESTIONÁRIO PARA PAIS E/OU RESPONSÁVEIS1. Quais são as alterações nas relações familiares e escolares percebidas no comportamento de seu filho (a) a partir do momento que ele (a) se inseriu no Programa Segundo Tempo?2. Quais são as alterações nas relações escolares percebidas no comportamento de seu filho (a) a partir do momento que ele (a) se inseriu no Programa Segundo Tempo?3. Quais são os benefícios oferecidos ao desenvolvimento de seu filho (a) após sua participação no Programa Segundo Tempo?4. Quais são os benefícios que a comunidade pôde perceber após a implantação do Programa Segundo Tempo?5. Quais são os aspectos a serem melhorados para que o Programa Segundo Tempo possa avançar ainda mais no seu desenvolvimento?6. Como os profissionais que atuam no Programa Segundo Tempo se envolvem com as atividades do núcleo e da comunidade?7. O que você entende que seu filho (a) aprendeu nas atividades do Programa Segundo Tempo?8. Como os pais e/ou responsáveis podem contribuir para a melhoria no desenvolvimento das ações do Programa Segundo Tempo?
  • 33. REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DE UM MODELO DE FREQUÊNCIA DEATIVIDADES ESPECÍFICAS PARA O SADE – SISTEMA DE APRENDIZAGEM EDESENVOLVIMENTO ESPORTIVONome da turma: _____________________________________________________Idade: __________ Grupo: _________ Horário: __________ Faixa A B B A A Atividades Atividade de Integração etária CTB CC HT EF JDIC Circenses e Acompanhamento familiar(grupo) teatrais pedagógico Atividades esportivas 7e8 1 3 1 0 3 2 2 9 2 3 1 1 3 2 210 e 11 2 3 2 2 2 2 2 Até 3 1 reunião 1 encontro encontros ou palestra12 e 13 3 3 2 3 2 2 por semana 3 por por mês semana para todos13 e 14 3 2 3 3 2 2 315 e 16 3 1 3 3 1 2 3
  • 34. ATIVIDADE 7Elabore um instrumento de avaliação do impacto doPrograma Segundo Tempo para:- verificar a importância na vida dos beneficiados;- identificar o que os pais e/ou responsáveis pensam sobre oPrograma Segundo Tempo;- identificar como a comunidade percebe o Programa SegundoTempo em seu cotidiano.
  • 35. Por fim...
  • 36. - Trabalhar o esporte não é uma tarefa simples e nossaresponsabilidade com crianças e adolescentes expostos a riscossociais é ainda maior.- Não podemos aceitar a desculpa de que planejar é umatarefa burocrática e “chata”.- Toda e qualquer atividade humana – desde a escolha dacompra de um objeto de decoração até a escolha de umaprofissão – requer reflexão sobre as tomadas de decisão quesão possíveis.
  • 37. - Organizar e registrar o trabalho pedagógico pode sercomplexo e difícil para quem nunca fez, mas a partir domomento em que se domina as ferramentas e habilidadesnecessárias, essa tarefa otimizará e dará qualidade àsintervenções do professor;- Pressupomos que o sucesso de nossas ações estádiretamente relacionado ao quão organizadas e planejadaselas forem.
  • 38. OBRIGADO!

×