• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Estética Aplicada ao Design - Aula 4
 

Estética Aplicada ao Design - Aula 4

on

  • 3,767 views

 

Statistics

Views

Total Views
3,767
Views on SlideShare
3,663
Embed Views
104

Actions

Likes
0
Downloads
157
Comments
0

2 Embeds 104

http://3steticanode5ign0901.wordpress.com 95
http://www.slideshare.net 9

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Estética Aplicada ao Design - Aula 4 Estética Aplicada ao Design - Aula 4 Presentation Transcript

    • IDADE MODERNA José Pirauá
    • DIVERSIDADE • Atualmente a estética envolve várias correntes, tendo cada uma delas suas próprias teorias
    • QUAL É A ESSÊNCIA DA ARTE?
    • ESTÉTICA FILOSÓFICA • Procura: - Encontrar essências, princípios e regras - Analisar de modo objetivo a experiência e a criação artística - Diferenciar o gosto individual da relatividade do juízo estético
    • ESSÊNCIA • Algo imutável que fundamenta a existência das obras de arte • Oito categorias da Beleza segundo Aristóteles - Harmônicas: Gracioso, Belo, Sublime e Trágico - Desarmônicas: Risível, Feio, Horrível e Cômico
    • PRINCÍPIOS E REGRAS • Não se tratam de regras diretamente aplicáveis à criação • Esses princípios visam julgar as escolas artísticas - A arte faz sempre violência à natureza
    • FECHNER (1801-1887) Pioneiro da psicologia, inspirou várias correntes da estética
    • ESTÉTICA EMPIRISTA • Beleza é tudo aquilo que dá prazer • Busca-se através da estatística o gosto normal • As conclusões sobre a beleza devem vir de experimentos (retângulo áureo) - Usa-se a indução e não a dedução
    • PROPORÇÃO ÁUREA • (A+B)/A = A/B - Aproximadamente 1,618 • Vínculo com a natureza do crescimento: conchas, corpo humano • Há um impulso natural da psicologia humana: janelas, livros, portas
    • CADA PESSOA TEM UM GOSTO PARTICULAR?
    • ESTÉTICA PSICANALÍTICA • Se a beleza é uma construção do sujeito, deve basear-se na Psicologia - A beleza é um experiência psíquica • O artista projeta seus sentimentos na obra - Há uma identificação com o objeto • O sentimento estético é uma projeção
    • ENDOPATIA • Graças à simpatia dois seres se fundem num só • O retângulo áureo dá prazer porque nos faz sentir que somos retângulos
    • A COLETIVIDADE É MAIS IMPORTANTE QUE O INDIVÍDUO?
    • ESTÉTICA SOCIOLÓGICA • A arte é resultado da raça, do clima e dos produtos culturais anteriores • A arte de uma sociedade pode até ser prevista através da sociologia • Beleza é o normal, o gosto médio
    • A ARTE GREGA É SUPERIOR À BIZANTINA?
    • ESCALA DE VALORES • Os estetas sociológicos tentam ordenar uma escala de valores • A arte do belo é superior à arte do feio - Saúde é sinônimo de superioridade • Atenas é superior a Florença que é superior a Veneza que é superior a Paris
    • ALGO FEIO PODE VIR A SER BELO?
    • APROVAÇÃO SOCIAL • Beleza só existe depois da aprovação social • Se a maioria muda de opinião algo feio pode se tornar belo • O ideal se torna normal pelo sentimento coletivo
    • ESTÉTICA FENOMENOLÓGICA • A aparência do objeto provoca um fenômeno • Estuda os fatos estéticos e busca a essência da beleza - Meio-termo entre a estética filosófica e a empirista - Usa o método intuitivo
    • PÓS-MODERNIDADE • Simulacros - Preferimos a imagem ao objeto • Niilismo - As coisas não tem sentido ou finalidade, todos os porquês são ficções • Ecletismo - Desconstruímos as verdades universais
    • CRÍTICA À ESTÉTICA • Não é um campo de pesquisa - Fútil, anacrônica e inadequada tem métodos antiquados - Ignora as vanguardas e a cultura de massa • Ninguém precisa dela - Não contribui à produção ou à fruição
    • EXERCÍCIO • Crie um frasco de perfume cuja forma possa, de algum modo, adaptar-se a vários gostos diferentes