Radioatividade

3,450 views
3,255 views

Published on

apresentação de slides sobre a história da radioatividade e suas aplicações

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,450
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
191
Actions
Shares
0
Downloads
99
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Radioatividade

  1. 1. RADIOATIVIDADE E A QUÍMICA DO CARBONO - 14 <br />Bruna Fernanda<br />Débora Antonio<br />José Luiz<br />NaiáSanches<br />Érica Amorim<br />Willian Ayala<br />Maria Bruna<br />Thamires Kelly<br />EQUIPE PIBID – QUÍMICA<br />UEMS- Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul<br />
  2. 2. A descoberta da radioatividade<br />Raio X<br /> Em 1895, o cientista WilhelmRoentgen, ao estudar descargas elétricas em gases sob baixa pressão, descobriu um tipo de raio capaz de tornar fluorescente oufosforescentecertas substâncias. Devido a sua natureza desconhecida, esses foram batizados de raios X.<br />
  3. 3. Como produz o Raio X<br />
  4. 4. A descoberta da radioatividade<br />Além dos inúmeros benefícios para a área médica, os raios X foram incorporados ao cotidiano popular em diversas aplicações.<br />
  5. 5. A descoberta da radioatividade<br />Roentgen não patenteou as aplicações dos raios – X.<br />Roentgen recebeu o primeiro Prêmio Nobel de Física 1901.<br />A partir da descoberta do Raio X, outros cientistas passaram a estudar esse fenômeno. <br />
  6. 6. A descoberta da radioatividade<br /><ul><li>Henri Becquerel descobriu a radioatividade, descoberta essa que foi amplamente estudada pelo casal Pierre e Marie Curie.
  7. 7. Juntamente com Henri Becquerel o </li></ul> casal Curie recebeu o Prêmio Nobel de Física.<br />Casal Curie<br />
  8. 8. A Radioatividade é um fenômeno natural<br /> Átomos, denominados instáveis ou radioativos, decompõem-se espontaneamente.<br /> Essa decomposição decorre da relação entre o número de nêutrons e prótons presentes no núcleo do átomo e leva a formação de átomos menores ou partículas subatômicas além de liberar grande quantidade de energia.<br />
  9. 9. Emissões radioativas<br />Ernest Rutherford: partículas Alfa(α), Beta(β)e raios Gama(γ)<br />
  10. 10. Aplicações da Radioatividade<br />Para muitos, a radioatividade apresentava propriedades terapêuticas.<br />A ingestão de soluções radioativas era prescrita por médicos para o rejuvenescimento, a cura do câncer de estômago e até o tratamento de doenças mentais.<br />
  11. 11. Fissão Nuclear<br /> Na década de 30, Otto Hahn, Fritz Strassmann e Lise Meitner, estudando a produção de elementos mais pesados que o urânio, realizaram experimentos de bombardeio com nêutrons. Obtiveram elementos de massa menor em um processo denominado fissão nuclear.<br />
  12. 12.
  13. 13. Reator nuclear<br />
  14. 14. Projeto Manhattan<br /><ul><li>Surgiu nos Estados Unidos e tinha por objetivo a construção e o desenvolvimento de armas nucleares.
  15. 15. Em 1942 iniciou-se a "Era Atômica", com o primeiro reator nuclear.
  16. 16. Já em 1945, foi realizado o primeiro teste com uma bomba atômica.
  17. 17. Ainda em 1945, um avião americano atacou as cidades de Hiroshima e Nagasaki, no Japão.</li></li></ul><li>Acidentes Nucleares<br /><ul><li>Em 1986, em Chernobyl, o descontrole da reação provocou um incêndio e a consequente liberação de material radioativo.
  18. 18. Em 1987, ocorreu o acidente radiológico de Goiânia (GO). Dois catadores de lixo encontraram uma capsula contendo o isótopo césio-137 abandonada em um hospital desativado.</li></li></ul><li>Efeito da radiação<br />
  19. 19. Aplicações da radioatividade<br /><ul><li>A energia nuclear encontra-se presente em nosso cotidiano, o maior exemplo é o aumento na quantidade de energia elétrica gerada a partir de reatores nucleares.
  20. 20. Na medicina, é bastante utilizada em exames e no tratamento de doenças. Ex: radiografia, tomografia, radioterapia e quimioterapia.
  21. 21. Em química, técnicas que visam a determinação de radioisótopos com segurança no laboratório.</li></li></ul><li>CARBONO-14<br /><ul><li>Em 1998, o chamado “Sudário de Turim”, supostamente o santo sudário, foi analisado através da técnica do isótopo com número de massa 14 do carbono (carbono-14, radioativo).
  22. 22. Os resultados mostraram que o linho utilizado na confecção do sudário cresceu entre os anos 1260 e 1390. </li></li></ul><li>A técnica de datação através docarbono-14<br /><ul><li>Em certos casos, a idade de um dado material pode ser determinada com base na taxa de decaimento de um isótopo radioativo.
  23. 23. A técnica do radiocarbono é hoje largamente utilizada em Arqueologia e Antropologia para a determinação da idade aproximada dos mais diversos artefatos.</li></li></ul><li>A técnica de datação através docarbono-14<br /><ul><li>A técnica de datação através da medida do decaimento radioativo do carbono-14 foi desenvolvida por Willard Frank Libby (1908-1980), em1946, o que lhe valeu o Prêmio Nobel de Química de 1960.
  24. 24. A maior parte do carbono presente na Terra é composta de uma mistura de dois isótopos estáveis: 98,9% de carbono-12 e 1,1% de carbono-13. </li></li></ul><li>Cálculo para encontrar a massa do carbono<br />Média pondera = (Ma. Pa) + (Mb. Pb)<br /> 100<br />Onde:<br />Ma = Massa atômica de A. <br />Mb = Massa atômica de B. <br />Pa = Porcentagem de A.<br />Pb =Porcentagem de B.<br />Média pondera = (12 .98,9) + (13.1,1) = 12,011<br /> 100<br />
  25. 25. O carbono-14 na biosfera<br /><ul><li>Através da fotossíntese, as plantas absorvem o carbono-14 presente na atmosfera (CO2), convertendo-o em compostos orgânicos, incorporando-o assim a tecidos vivos.
  26. 26. À medida que a planta cresce, mais aumenta a quantidade de carbono-14 por ela incorporada, até que se estabeleça um equilíbrio, com a quantidade de C-14 na planta tornando-se igual à presente na atmosfera, cerca de 14 dpm g-1.</li></li></ul><li>O carbono-14 na biosfera<br /><ul><li>Contudo, uma vez que a planta tenha morrido, não ocorrerá mais a incorporação de carbono-14 aos seus tecidos e sua quantidade diminuirá progressivamente, até tornar-se praticamente nula. </li></ul>Através das plantas, o carbono-14 termina sendo incorporado pelos animais vegetarianos e, através destes, pelos carnívoros, terminando assim por ser assimilado por seres vivos de todos os níveis tróficos.<br />
  27. 27. O ciclo do carbono - 14<br /> O tempo de meia-vida do carbono-14 é de “apenas” 5730 anos. <br /> Há uma renovação constante da quantidade de carbono-14 em nosso planeta, de acordo com a reação:<br />14N + 1n -> 14C + 1H<br />
  28. 28. Referências Bibliográficas<br />http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc16/v16_A03.pdf<br />http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc02/historia.pdf<br />http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc19/a08.pdf<br />http://web.ccead.puc- rio.br/condigital/video/a%20quimica%20do%20fazer/radiacoes/carbono14/video%20para%20web/video.html<br />
  29. 29. Referências Bibliográficas<br />http://web.ccead.puc-rio.br/condigital/mvsl/Sala%20de%20Leitura/conteudos/SL_radiacoes_riscos_e_beneficios.pdf<br />http://web.ccead.puc-rio.br/condigital/mvsl/linha%20tempo/Marie_Curie/pdf_LT/LT_marie_curie.pdf<br />

×