Your SlideShare is downloading. ×
0
RBJA, Fortaleza
26-28 de Março de 2009
Situação e desafios
no Corredor de Carajás:
- contexto
- impacto direto e indireto da Vale
- o que a Vale não faz

       ...
O que está acontecendo
 ao longo dos trilhos?
Vítimas do desmatamento


    Eldorado de Carajás
As veias abertas da América Latina (1)
As veias abertas da América Latina (2)
Em questão esse modelo predominante
de quot;desenvolvimento”:
devastador, predatorio e
pouco ou nada aberto à participação
Além do impacto direto e indireto da Vale...
                    o que a Vale não faz?
 Compensações ambientais
 Indenizações
 Licenciamento ambiental
  não fragmentado para
  duplicação dos trilhos e do po...
Foco: a VALE

Ponto de partida: o corredor de Carajás (nosso chão)

Em questão: o inteiro complexo minero-metalurgico
(sid...
Coordenação:

 Missionários Combonianos do Brasil Nordeste
 Fórum Carajás
 Sociedade Maranhense dos Direitos Humanos
 ...
Apoio:

Rede Brasileira de Justiça Ambiental, GT de Combate ao
Racismo Ambiental, GT Articulação Siderurgia, Instituto de
...
Alianças internacionais:

- Cajamarca (Peru);
- Rio Colorado (Argentina);
- Coquimbo (Chile);
- Kanaks (Nova Caledonia);
-...
Objetivo...
O Controle Popular da Empresa

 (entendendo por isso o fortalecimento de
mecanismos jurídicos, políticos e de pressão
popu...
Instrumentos para alcançar o objetivo:
1. Conscientização e articulação popular
(trabalho de base):
seminários, troca de visitas entre lideranças,
material popul...
3. Denúncia e divulgação à mídia
   nacional e internacional:
FSM, dossiê Vale unificado (com rede nacional de
parceiros),...
5. Articulação de rede em nível nacional:
encontros entre grupos e entidades em conflito com
Vale, troca de material e vis...
7. Articulação de rede
   em nível internacional:
visibilidade dos conflitos com a Vale no Brasil,
divulgação de outros co...
• Apoio à rede nacional de atingidos pela Vale
  (também rumo abril 2010)
• Visita da secretaria à região de Carajás
• Int...
www.justicanostrilhos.org
Justica nos Trilhos para RBJA
Justica nos Trilhos para RBJA
Justica nos Trilhos para RBJA
Justica nos Trilhos para RBJA
Justica nos Trilhos para RBJA
Justica nos Trilhos para RBJA
Justica nos Trilhos para RBJA
Justica nos Trilhos para RBJA
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Justica nos Trilhos para RBJA

404

Published on

Documento de Justica nos Trilhos para RBJA.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
404
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Justica nos Trilhos para RBJA"

  1. 1. RBJA, Fortaleza 26-28 de Março de 2009
  2. 2. Situação e desafios no Corredor de Carajás: - contexto - impacto direto e indireto da Vale - o que a Vale não faz O que é Justiça nos Trilhos: - articulação de grupos e movimentos - objetivo - instrumentos para alcançar o objetivo - relações com RBJA
  3. 3. O que está acontecendo ao longo dos trilhos?
  4. 4. Vítimas do desmatamento Eldorado de Carajás
  5. 5. As veias abertas da América Latina (1)
  6. 6. As veias abertas da América Latina (2)
  7. 7. Em questão esse modelo predominante de quot;desenvolvimento”: devastador, predatorio e pouco ou nada aberto à participação
  8. 8. Além do impacto direto e indireto da Vale... o que a Vale não faz?
  9. 9.  Compensações ambientais  Indenizações  Licenciamento ambiental não fragmentado para duplicação dos trilhos e do porto  Pagamento multas  Pagam. Dívida com União 1,8bi R$ (CFEM – royalties)  Repartição dos lucros
  10. 10. Foco: a VALE Ponto de partida: o corredor de Carajás (nosso chão) Em questão: o inteiro complexo minero-metalurgico (siderúrgicas, carvoarias, eucaliptos etc.)
  11. 11. Coordenação:  Missionários Combonianos do Brasil Nordeste  Fórum Carajás  Sociedade Maranhense dos Direitos Humanos  Caritas regional Maranhão  Fórum Reage São Luís  Sindicato dos Ferroviários de Pará, Maranhão e Tocantins  CUT Maranhão
  12. 12. Apoio: Rede Brasileira de Justiça Ambiental, GT de Combate ao Racismo Ambiental, GT Articulação Siderurgia, Instituto de Políticas Alternativas para o Cone Sul, ECOA, Movimento pelas Serras e àguas de Minas, FAOR (Fórum Amazônia Oriental), Comitê Dorothy Belém, Fórum Social Maranhense, Associação Juízes para a Democracia, Dioceses de Imperatriz e Viana, Cáritas Regional Pará, Núcleo de Assessoria Jurídica Popular São Luís, CPT Marabá, MAB Marabá, CEPASP Marabá, Sociedade Paraense de Direitos Humanos.
  13. 13. Alianças internacionais: - Cajamarca (Peru); - Rio Colorado (Argentina); - Coquimbo (Chile); - Kanaks (Nova Caledonia); - Karonsi'e Dongi (Indonésia); - Liga de Justica Ambiental (Moçambique); - United Steel Workers (Canadá); - Ativistas de NewFoundland (Canada); - Mining Watch (Canada); - Centro Nuovo Modello di Sviluppo (Itália); - OCMAL; - Mines and Communities.
  14. 14. Objetivo...
  15. 15. O Controle Popular da Empresa (entendendo por isso o fortalecimento de mecanismos jurídicos, políticos e de pressão popular para que as ações da multinacional sejam pautadas pelos direitos econômicos, sociais, culturais e ambientais do povo)
  16. 16. Instrumentos para alcançar o objetivo:
  17. 17. 1. Conscientização e articulação popular (trabalho de base): seminários, troca de visitas entre lideranças, material popular, cartilha dos direitos ao longo dos trilhos 2. Estudo e documentação: pesquisa sócio-econômica nas comunidades ao longo dos trilhos
  18. 18. 3. Denúncia e divulgação à mídia nacional e internacional: FSM, dossiê Vale unificado (com rede nacional de parceiros), missão da Plataforma DHESCA, blog e site, artigos para jornais nacionais e estrangeiros, Tribunal Popular “Terra, meio ambiente e direitos humanos”, encontro dos atingidos (abril 2010), etc. 4. Acompanhamento de alguns casos concretos ao longo do corredor de Carajás para conseguir indenizações e compensações ambientais (parceria com MPE e MPF) *
  19. 19. 5. Articulação de rede em nível nacional: encontros entre grupos e entidades em conflito com Vale, troca de material e visitas, formação integrada, apoio às ações de cada entidade, etc. 6. Proposta de lei para a reconstituição de um Fundo de Desenvolvimento a partir de uma cota fixa dos lucros da Vale (e de outras mineradoras). O Fundo seria administrado por um Conselho de gestão paritário e descentralizado nas regiões em que Vale opera (plano de longo prazo e de 'engenharia política')
  20. 20. 7. Articulação de rede em nível internacional: visibilidade dos conflitos com a Vale no Brasil, divulgação de outros conflitos ainda mais escondidos, troca de experiências e visitas, apoio às recíprocas lutas, formação de lideranças de outros países através de projetos de parcerias com órgãos financiadores, observatório permanente sobre Vale ('Vale-watch') e comparação da atuação de Vale nos diferentes Países em que opera*
  21. 21. • Apoio à rede nacional de atingidos pela Vale (também rumo abril 2010) • Visita da secretaria à região de Carajás • Intercambio técnico (instrumentos e métodos de pesquisa e denúncia) • ...
  22. 22. www.justicanostrilhos.org
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×