Sustentabilidade em Pequena Escala

  • 241 views
Uploaded on

 

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
241
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Professor: Nilton AbranchesGrupo: Ivo Venerotti Guimarães, Lucas PassosTrindade, Marco André Levy de OliveiraMenezes, Pedro Figueiredo Lucas, PhelipeZaché Gonçalves e Vitor Santos da Costa
  • 2. Permacultura Planejar, atualizar e manter Pensar sociedade e natureza sistemas de escala humana como uma coisa só - ambientalmente importância da integração sustentáveis, socialmente entre paisagem e população justos e financeiramente e entender o espírito do viáveis lugar Integração Conhecimento compartilhado - a sabedoria Construir economias locais ancestral e também o conhecimento científico
  • 3. Perspectivas operacionais econceituais nos produtos dequalidade Conceitos – Chave para o entendimento das novas práticas de produção agrícola: inserção, confiança e lugar; estes 3 para promover a qualidade. Diferenças entre os EUA e a Europa na pesquisa acerca dos produtos de alta qualidade e nos significados econômicos e comerciais a eles atribuídos
  • 4. Diferenças: EUA x Europa EUA • Vêem esse sistema de produção como uma forma de protesto contra o „sistema‟ e as grandes corporações industriais, além de destacar sua capacidade de induzir mudanças políticas. Europa • Foco principalmente nas questões de segurança alimentar, reforma da política agrícola e desenvolvimento rural.
  • 5. Perspectivas operacionais econceituais nos produtos dequalidade Política Agrícola Comum (PAC). 1986: Entrada da Espanha na União Européia – aceitação das normas desta última, e adaptação de regulamentações já existentes no país. 1992: UE promove novos sistemas de promoção e proteção de seus produtos agrícolas. Estes seriam: Designação de Origem Protegida (DOP), Indicação Geográfica Protegida (IGP), e Especialidade Tradicional Garantida (ETG). Sistema de qualidade espanhol referente à agricultura ecológica focalizando a produção de alimentos de alta qualidade, em paralelo ao respeito ao meio ambiente, a preservação da fertilidade do solo, e a busca do desenvolvimento sustentável da agricultura e pecuária.
  • 6. A Política de Qualidade no PaísBasco
  • 7. A Política de Qualidade no PaísBasco Selo Basco de Alimento de Qualidade; Departamento de Agricultura e Conselho de Regulamentação: abrangem as funções de: analisar as solicitações para a integração de novos produtos ao selo.
  • 8. Modernização da Agricultura eas Novas Relações Urbano-Rurais Uso de máquinas; Produtos químicos; Aumento dos créditos financeiros; Áreas Consolidadas x Áreas de Novas Fronteiras “Hoje as regiões agrícolas(e não rurais) contém cidades; as regiões urbanas contém atividades rurais.” SANTOS(1993, p.69)
  • 9. Os Impactos da Modernizaçãono Espaço Rural Baixa adoção de novas tecnologias; Topografia como limitadora do uso de máquinas; Estrutura fundiária não adaptada ao processo.
  • 10. Enfraquecimento do SetorAgrícola Quais as táticas para enfrentamento desta problemática? Cultivos Visão Produtores Inovadores Empresarial Especializados
  • 11. A Caprinocultura em NovaFriburgo Participação de descendentes europeus: A Queijaria Escola Empresários Caprinocultores; O Estado.
  • 12. A Queijaria Escola Produção em Litros Produção em Litros 340000 260000 191916 143335 64480 44858 4902826200 324801988 1990 1992 1993 1994 1995 1996 1997 2000 Anos Fonte: Queijaria Escola de Nova Friburgo, 2003
  • 13. O Ressurgimento doArtesanato Recorte espacial: Tacaratu-PE; Problemática: Aumento da tecnologia agrícola excluiu trabalhadores; Solução: Busca por atividades alternativas para se manterem no campo; Destaque para o Artesanato.
  • 14. Ampliação do Artesanato Motivos: 1. Financia a produção agrícola de subsistência Tem evitado o êxodo 2. Cumpre rural um importante papel social
  • 15. A Produção e a expansão PRODUTOS DO ARTESANATOTipo de Produto Produtores n° ProdutosRede 26 96,3%Manta 17 63,0%Tapete 8 29,6%Bolsas 2 6,9%Costura de roupas 1 3,4%Total Artesãos 27 Fonte: Pesquisa direta, 1999.
  • 16. O Artesanato na sustentabilidadeda pequena produção Ampliador da renda familiar; Possibilitou o acesso a recursos tanto para o artesanato quanto para a produção agrícola; Comercialização: voltada para o consumidor direto;
  • 17. Importância da Atividade A atividade podeImportância no circuito A sustentabilidade da representar um econômico da cidade pequena produção importante vetor para ade Tacaratu-PE apesar agrícola apóia-se no reconstrução do da informalidade artesanato espaço rural local
  • 18. Agricultura Biológica O que é? Baseia-se na interação dinâmica entre o solo, as plantas, os animais e os humanos, considerados como uma cadeia indissociável, em que cada elo afeta os restantes.
  • 19. Agricultura Biológica Agricultura Orgânica Agricultura Agricultura Agricultura Ecológica Biológica Rural Agricultura Sustentável
  • 20. Agricultura Biológica e suasPráticas Limites muito restritos ao uso de pesticidas e fertilizantes sintéticos, de antibióticos, aditivos alimentares e auxiliares tecnológicos, e outro tipo de produtos; Proibição absoluta do uso de organismos geneticamente modificados; Aproveitamento dos recursos locais, tais como o uso do estrume animal como fertilizante; Criação de animais em liberdade e ao ar livre, fornecendo-lhes alimentos produzidos segundo o modo de produção biológico.
  • 21. A Agricultura Biológica visa: Produzir alimentos e fibras de forma ambiental, social e economicamente sã e sustentável; Preservar a biodiversidade e os ecossistemas naturais; Permitir aos agricultores uma melhor valorização das suas produções e uma dignificação da sua profissão, bem como a possibilidade de permanecerem nas suas comunidades; Garantir aos consumidores a possibilidade de escolherem consumir alimentos de produção biológica, sem resíduos de pesticidas de síntese e, consequentemente, melhores para a
  • 22. A Agricultura Biológica e seusbenefícios Melhor valorização dos produtos agrícolas, haja vista que o mercado está crescendo muito; Proteção à saúde, haja vista que não há utilização de pesticidas e adubos químicos em abundância; Preserva o ambiente, uma vez que não polui o ar, a água e principalmente os solos; Menor uso de energias não renováveis; Produz alimentos com ótima qualidade.
  • 23. A Agricultura Biológica e seusobstáculos O valor agregado do Rede de distribuição e produto orgânico é comercialização pouco superior ao da desenvolvida; agricultura de mercado; Falta de associativismo, ou Falta de conhecimento seja, interação entre e pré-conceitos em sociedade e poder relação a essa cultura; público; Deficiente controle e Falta de formação e certificação dos qualificação necessária produtos, gerando por parte dos assim uma agricultores; desconfiança por parte do consumidor.
  • 24. Problemática Será a agricultura biológica e a qualidade de seus produtos é tão boa quanto se parece?
  • 25. A Permacultura na Amazônia Principais tipos de agricultura em áreas interfluviais na Amazônia: A agricultura de Agricultura de queimada queimada de pousio de pousio curto ou sem longo, praticada por pousio praticada por ameríndios camponeses;
  • 26. Agricultura Tradicional Indígenas e Ribeirinhos; Envolve pousios de um a 2 anos em terra de várzea e de quatro a 5 em terra firme. são solos de grande fertilidade. hoje em dia já tem ribeirinhos usando insumos modernos mas por serem químicos alteram na reprodução da flora e da fauna local.
  • 27. Agricultura em áreas interfluviaisao longo de estradas As estradas são construídas em terrenos firmes, áreas mais altas longe dos rios onde se encontram as melhores terras para agricultura; A degradação dos solos e da floresta nessas áreas interfluviais é consequencia da pratica da agricultura de pousio curto por pequenos agricultores; A ameaça pela agricultura intensiva no uso do solo, sem pousio, com áreas de campo aberto e sem floresta é bastante real à sustentabilidade ecológica; Anos 90: procuradas alternativas de sistemas agro-florestais; Juntos mantém níveis de produtividade ao mesmo tempo que protegem o solo.
  • 28. Sustentabilidade dapermacultura na Amazônia Experiência de Schwade: diversificou as culturas plantadas nos hectares abertos pelo proprietário anterior até atingir uma combinação de mais de 70 espécies de fruteiras nativas e tradicionais a Amazônia; São fonte de pólen para as abelhas melíferas principal produto comercial da propriedade. As frutas alimentam aves e peixes criados num tanque de drenagem.
  • 29. Referências Bibliográficas BICALHO, A. M. ; HOEFLE, S. W. (Org.). A Dimensão Regional e os Desafios à Sustentabilidade Rural. Rio de Janeiro: Laget-UFRJ/CSRS-UGI, 2003. v. 200. 548 p. MARAFON, G.J.; SANTOS,A.M.S.P; SANT‟ANNA,M.J.G.; Rio de Janeiro: Um Olhar Socioespacial. Rio de Janeiro: 2010. 392p.