• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Private Content
Suprimento de Bens e Serviços para a Petrobras - Rio Oil & Gas 2012
 

Suprimento de Bens e Serviços para a Petrobras - Rio Oil & Gas 2012

on

  • 3,776 views

Apresentação do gerente de Gestão de Relacionamento da área de Materiais, Ronaldo Martins, na Rio Oil & Gas (Setembro de 2012) ...

Apresentação do gerente de Gestão de Relacionamento da área de Materiais, Ronaldo Martins, na Rio Oil & Gas (Setembro de 2012)
- Plano de Negócios
- Política de Conteúdo Local
- Pré-sal – Visão geral
- Bens e Serviços Críticos
- Cadastro de Fornecedores

Statistics

Views

Total Views
3,776
Views on SlideShare
1,966
Embed Views
1,810

Actions

Likes
0
Downloads
92
Comments
0

3 Embeds 1,810

http://www.investidorpetrobras.com.br 1705
http://investidorpetrobras.com.br 104
http://10.2.24.50 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Suprimento de Bens e Serviços para a Petrobras - Rio Oil & Gas 2012 Suprimento de Bens e Serviços para a Petrobras - Rio Oil & Gas 2012 Presentation Transcript

    • SUPRIMENTO DE BENSE SERVIÇOS PARA APETROBRAS
    • AVISOEstas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsõesrefletem apenas expectativas dos administradores da Companhia sobre condições futurasda economia, além do setor de atuação, do desempenho e dos resultados financeiros daCompanhia, dentre outros. Os termos “antecipa", "acredita", "espera", "prevê", "pretende","planeja", "projeta", "objetiva", "deverá", bem como outros termos similares, visam aidentificar tais previsões, as quais, evidentemente, envolvem riscos e incertezas previstosou não pela Companhia e, consequentemente, não são garantias de resultados futuros daCompanhia. Portanto, os resultados futuros das operações da Companhia podem diferirdas atuais expectativas, e o leitor não deve se basear exclusivamente nas informaçõesaqui contidas. A Companhia não se obriga a atualizar as apresentações e previsões àluz de novas informações ou de seus desdobramentos futuros. Os valoresinformados para 2011 em diante são estimativas ou metas.
    • SUMÁRIOPlano de NegóciosPolítica de Conteúdo LocalPré-sal – Visão geralBens e Serviços CríticosCadastro de Fornecedores
    • PLANO DE NEGÓCIOS
    • INVESTIMENTOS NO PERÍODO 2012-2016 TOTAL EM IMPLANTAÇÃO EM AVALIAÇÃO Projetos dos demais US$ 236,5 bilhões Todos os projetos de E&P no Brasil e segmentos atualmente em Fase I, II e III. 980 projetos os projetos dos demais segmentos que se encontram em Fase IV* US$ 27,8 bilhões Dos investimentos, 4,5% são no US$ 208,7 bilhões 147 projetos exterior. Desses, 90% são em E&P 833 projetos 17% (**) (US$ 4,6 Bi) 60,0% 27,7% 65,8% 24,8% 0% (US$ 141,8 Bi) (US$ 65,5 Bi) (US$ 137,2 Bi) US$ 51,7 Bi (US$ 0,1 Bi) 7% (US$ 1,9 Bi) 3,7% 50% (US$ 7,8 Bi) 5% (US$ 13,9 Bi) 5,8% 1,8% (US$ 1,3 Bi) (US$ 13,8 Bi) (US$ 3,7 Bi) 21% 2,1% (US$ 6,0 Bi) (US$ 5,0 Bi) 1,7% (US$ 3,5 Bi) 1,5% (US$ 3,6 Bi) 0,9% (US$ 1,9 Bi) 1,6% 1,3% (US$ 3,8 Bi) 1,4% ** E&P no exterior (US$ 3,0 Bi) (US$ 3,0 Bi)* Inclui as verbas já comprometidas dos projetos emavaliação. E&P RTC G&E Petroquímica Distribuição Biocombustíveis Corporativo
    • PROGRAMAS ESTRUTURANTES DE APOIO AO PNG 2012-2016 PLANO DE NEGÓCIOS E GESTÃO 2012-2016 PROCOP PROEF PROMINP Programa de Programa de PETROBRAS Otimização de Aumento da Programa de Custos Eficiência Gestão de Operacionais Operacional Conteúdo Local da Bacia de Campos Gestão Integrada do Portfólio da Companhia - Segurança e Meio Ambiente -
    • CURVA DE PRODUÇÃO BRASIL PÓS-SAL, PRÉ-SAL E CESSÃOONEROSA Curva de Produção Brasil | Produção de Óleo e LGN Franco 4 Espadarte III Lula Alto Lula Ext. Sul Sul de Guará Florim Piloto Norte Pq. Lula Maromba Iara Horst Júpiter Sapinhoá Baleias (P-58) Central Carcará Bonito 4.200 (Cid. São Lula Sul NE Tupi Roncador IV Entorno de Iara Baleia Azul Paulo) Piloto Carimbé Sul Pq. Baleias (P-62) Franco 1 (Cid. Lula NE (Cid. Aruanã Franco 5 Paraty) Sapinhoá Carioca 1 Anchieta) Iara NW Espadarte I Norte (Cid. Iracema Lula Norte Papa-Terra Ilhabela) Norte Franco 3 Baúna e (P-61 e P-63) Franco 2 Piracaba Roncador III Iracema Sul 2.500 2.022 (Cid. Itajaí) (P-55) (Cid. Mangaratiba) 19 até 2016 UEPs 38 até 2020 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2011 | 2.022 mbpd 2016 | 2.500 mbpd 2020 | 4.200 mbpd 5% 1% Pós-sal 12% Pré-sal (concessão) 30% 19% Cessão Onerosa 42% Novas descobertas* 95% 69% 28% * Inclui novas oportunidades em blocos onde já existem descobertas
    • BRASIL: Liderança em novas descobertas em águas profundasPETROBRAS: Índice de Substituição de Reservas maior que 100% pelo 20º ano consecutivo • Nos últimos 5 anos, mais de 50% das novas Novas Descobertas 2005-2010 descobertas ao redor do mundo foram em águas 34 bilhões bbl profundas. O Brasil é responsável por 63% Águas Profundas dessas descobertas. 19% Outras Descobertas 49% • Projeções indicam que desenvolvendo as reservas 32% recém descobertas, o Brasil, até 2030, vai liderar o Brazil crescimento do suprimento entre os países fora da OPEP (PFC Energy). Petrobras: Reservas Comprovadas no Brasil (bilhões de boe) +3% 15.28 15.71 • Reserva/Produção 19,2 anos 13.23 • Reservas Incorporadas em 2011 +164% Total: 1,24 bilhões boe 9.65 7.53 5.96 Pré-Sal: 1 bilhão boe 1991 1995 2005 2010 2011 2000
    • EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO PERÍODO 2012-2016 US$ 131,6 bilhões* 19% (US$ 25,4 Bi) 12% Desenvolvimento 69% (US$ 16,3 Bi) da Produção (US$ 89,9 Bi) Exploração Infraestrutura e Suporte * Não inclui investimentos em E&P da Área Internacional
    • PLANO DE NEGÓCIOS - 2012-2016
    • Pré-Sal: Visão Geral
    • O que é o Pré-sal? Localizado em área remota, até 300 km offshoreProfundidade Corcovado Profundidade datotal: de 5.000 água podea 7.000 metros exceder a 2.000 metros Grande Reserva de Petróleo Camada de Sal com Carbonático Camada Pós-Sal mais de 2.000 de Foco até 2006 Camada de Pré-Sal espessura Nova barreira exploratória
    • WHAT IS PRE-Área do Pré-Sal SALT?
    • PRÉ-SAL: DESAFIOS TECNOLÓGICOS Perfuração e Acabamento (Completação) Construção de poços de alta angulação, direcionados para a região do pré-sal Integridade do poço Taxa de penetração na formação de carbonato microbial Novas ligas para reduzir os custos de materiais do poço
    • O que é Pré-Sal? PRÉ-SAL – DESAFIOS TECNOLÓGICOS Reservas Caracterização da reserva Aumento de Recuperação de Óleo (EOR) Interação rocha- fluido
    • O que é Pré-Sal? PRÉ-SAL – DESAFIOS TECNOLÓGICOSEquipamentos Submarinos Risers flexíveis para lâmina de água de 2.200 m Garantia de escoamento Controle de sedimentos
    • O que é Pré-Sal? PRÉ-SAL – DESAFIOS TECNOLÓGICOSUnidades de ProduçãoFlutuantes Ancoragem a 2.200 m delâmina de água Interação com o sistemade riser Processamento de CO2
    • CONTEÚDO LOCAL
    • CONTEÚDO LOCALPolítica de Conteúdo Local da Petrobras Política de Conteúdo Local da Petrobras Os projetos e contratos da Petrobras devem contemplar os desafios do Plano Estratégico e Gestão e maximizar o Conteúdo Local em bases competitivas e sustentáveis, contribuindo para o desenvolvimento dos mercados onde a Petrobras opera, orientado pela ética e inovação contínua.
    • CONTEÚDO LOCALRequisitos Legais E&P Abast G&E Exploração e Não existe Não existe Desenvolvimento: exigência de exigência de comprovações Conteúdo Local. Conteúdo para ANP para Operadora Local. novos contratos de declara meta e Operadora concessão, partilha comprova índice declara meta e e cessão onerosa realizado comprova índice realizado Gastos de operação não são sujeitos aos requisitos legais de Conteúdo Local da ANP
    • Dimensionamento & Programa de Monitoramento de Conteúdo LocalMotivação: Alta eficiência, manutenção e serviços de pós-venda,acesso aos fornecedores, otimização dos custos de logística eredução do tempo de entrega no transporte.Objetivo: Maximizar o uso de equipamentos nacionais e a Bottlenecks identification andcapacidade da indústria de serviços para atender as demandas industrydo PNG 2012 – 2016, com cronograma emobilization alinhados com custosas melhores práticas de mercado.Plano de Ação Planejamento do Conteúdo Monitoramento do Dimensionamento doI Local Mínimo do PNG II Conteúdo Local III Conteúdo Local 2012 - 2016 • Informação da Capacidade da • Implementação dos Indicadores de • Preparação do Relatório de Execução de Indústria Conteúdo Local Conteúdo Local por Projeto (previsto x • Identificação dos Bens e Seviços • Monitoramento do Conteúdo Local executado) Importados nos Projetos • Atualização de banco de dados para • Identificação dos ítens para •Ações para ocasional recuperação de projetos futuros nacionalização desvio de cronograma e custos
    • REFINO e G&E – MATRIZ DE DECISÃO Conteúdo Local – Projetos de Refino – Média Global Fonte: ONIP 99% 100 ÍTEM X 85% 80 É possível 68% comprar no 60 52% Brasil? A demanda nacional é 44%SIM NÃO suficiente para justificar 40 adição de capacidade? (incremento ou nova 20 planta) SIM NÃO Individualmente,0 Global Bens Equipamento Materiais Serviços componentes de (Eq+Mat) ítens podem Fonte: ONIP melhorar o conteúdo local? SIM NÃOUsar indústria Desenvolver fornecedores de partes Importar local
    • Como mensurar o Conteúdo Local? Fórmula de Conteúdo Local% CL = 1- Porção Importada X100 Preço total do sistema sem impostos
    • PROMINPHISTÓRICO - 2003 O PROMINP - Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural, coordenado pelo Ministério de Minas e Energia, foi instituído pelo Governo Federal através do Decreto nº 4.925, do dia 19 de dezembro de 2003, com o objetivo de maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases competitivas e sustentáveis, na implantação de projetos de petróleo e gás natural no Brasil e no exterior.
    • DEMANDAS RELEVANTES DE EQUIPAMENTOSPARA O PERÍODO 2012 E 2017
    • EQUIPAMENTOS E MATERIAIS COM DEMANDA PARA 2012-2017 Unit 2012 2013 2014 2015 2016 2017 Total Pumps un 899 1.737 942 381 96 331 4.386 Compressors un 174 54 51 23 40 45 387 Cranes un 23 25 24 8 7 6 93 Structure Steel (Ships Hull) t 205.100 45.600 31.750 29.600 70.900 70.900 453.850 Structure Steel (Plataforms Hull) t 140.000 364.000 224.000 112.000 140.000 112.000 1.092.000 Structure Steel (Rigs Hull) t 0 120.000 120.000 120.000 120.000 80.000 560.000 Flares un 11 12 8 6 4 5 46 Power Generators (13,8 kV) un 32 189 14 20 27 17 299 Power Generators (0,48 kV) un 158 0 0 0 0 0 158 Tanks un 253 180 68 55 39 89 684 Processing Towers un 101 119 53 0 5 17 295 Reactors un 114 71 0 0 4 0 189 Wet Christmas Trees un 141 117 132 114 200 244 948 Offshore Wellheads un 83 67 99 123 164 198 734 Dry Christmas Trees un 544 576 501 296 316 155 2.388 Onshore Wellheads un 550 580 503 296 333 181 2.443 Manifolds un 10 24 17 21 35 26 133 Umbilicals km 551 817 717 648 1.192 1.901 5.826 Tubing (Onshore) t 28.681 28.681 28.681 28.681 28.681 28.681 172.084 Tubing (Offshore) t 13.947 13.947 13.947 13.947 13.947 13.947 83.682 Flexible pipes km 769 1.409 1.493 812 1.637 2.416 8.536 Risers km 223 294 412 456 606 995 2.986 Turbines (Gas) un 41 38 18 12 16 26 151 Turbines (Steam) un 28 91 67 0 0 17 203 (**) This list does not exhaust all the equipment and materials required for 2011-2016 period.
    • EQUIPAMENTOS E MATERIAIS COM DEMANDA PARA 2012-2017 (**) This list does not exhaust all the equipment and materials required for 2011-2016 period.
    • ANÁLISE DA PERFORMANCE DOS SETORES DA INDÚSTRIACompetitividade SETORES Expansão da Tempo de Mudança de oferta Mudanças nos Atendimento à capacidade de atendimento à meios de produção 1.Telecomunicações na IO&G demanda produção demanda 2.Substações e transformadores 3.Geradores e motores 1 4.Painéis de distribuição elétrica 7 2 5.Automação 13 5 6.Tubos 8 3 High 7.Usinagem 14 8.Turbinas a vapor 6 4 15 9.Guinchos 10. Válvulas 11. Flanges e conectores 17 12. Aquecedores e trocadores de calor 19 10 13. Subsea - Equipamentos 9 14. Subsea – Umbilicais e linhas flexíveis Medium 18 16 15. Bombas 11 16. Compressores alternativos 20 12 17. Motores 18. Guindastes (Onshore) 19. Serviços de engenharia 20. Construção e montagem 21 21. Instrumentação e metrologia 22. Turbinas a gás Low 22 23. Compressores centrífugos 23 24. Motores elétricos (grande potência) 24 Grau de dependência da IO&G Capacidade de Legenda: Produção Baixo Médio Alto
    • Cadastro de Fornecedores de Bens e ServiçosPetrobras Conceitos e Requisitos Visão Geral
    • CADASTRO DE FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOSCadastro Corporativo O Cadastro Corporativo trata-se de uma base de dados de registro das empresas brasileiras e estrangeiras interessadas em participar Petrobras Procurement Manual (MPC) dos processos licitatórios da Petrobras. Item 4.1.6 (Approved by the Board of Directors) Com a realização do cadastro, as empresas tornam-se aptas a prestar a Petrobras serviços de alta complexibilidade ou fornecer bens de interesse da Cia.NOTA: para prestar serviço em território brasileiro, a empresa estrangeiradeverá apontar um filial ou subsidiária estabelecida no Brasil ou comprovarparceria com empresa brasileira.
    • CADASTRO DE FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOSCadastro Corporativo O processo de avaliação, sendo este parte do processo de registro da empresa, implica na inserção desta no Cadastro Corporativo da Petrobras. Com a obtenção do CRCC – Certificado de Registro e Classificação Cadastral, esta torna-se apta a ser convidada a participar dos processos licitatórios promovidos. O CRCC é válido por até um ano, devendo ser renovado de acordo com o Decreto nº 2.745/98, o qual aprova o Regulamento do Procedimento Licitatório Simplicado da Petrobras.
    • CADASTRO DE FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS Critérios gerais de Registro Requisitos: Legal Econômico Técnico Critérios Complementares de Registro Requisitos: Segurança, Meio ambiente e Saúde - SMS Gerencial
    • CADASTRO DE FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOSPetronect É o portal de Compras e Registro das empresas junto a Petrobras, o qual disponibiliza ferramentas para a aquisição de bens e contratação de serviços para a Petrobras e seus fornecedores. Nesta plataforma de negócios são realizadas as transações desde o envio de cotações e propostas até o gerenciamento de pedidos e contratações. http://www.petrobras.com.br/en/supplier-channel/ www.petronect.com.br
    • CADASTRO DE FORNECEDORES DE BENS ESERVIÇOS Etapas de Cadastramento Acesso ao Portal de Cadastro www.petronect.com.br Identificação: Identificação - Informações de contato; - Escopo do fornecimento; - Representante da empresa; Envio do Certificado Critérios: Questionário à empresa -Técnico; - Legal; - Econômico; - Gerencial; - SMS. Registro da Empresa Aprovação No Portal SAP
    • CADASTRO DE FORNECEDORES DE BENS ESERVIÇOS Requerimentos do Critério Legal Empresas Estrangeiras Prova de estar legalmente registrado em seu país de origem; Representante Legal no Brasil – a empresa precisa enviar um declaração inicial assindada por seu representante legal no Brasil (Procuração); Declaração de que a empresa não está em uma situação falimentar ou débito;
    • CADASTRO DE FORNECEDORES DE BENS ESERVIÇOS Requerimentos do Critério Legal Empresas Estrangeiras Carta Compromisso – Através deste documento a empresa formaliza sua intenção em ser inserida no Cadastro de Fornecedores da Petrobras; Indicação de um Representante Comercial (relacionado ao fornecedor).
    • CADASTRO DE FORNECEDORES DE BENS ESERVIÇOS Requerimentos do Critério Legal Todos os documentos originais apresentados em Inglês, Espanhol ou Português não precisam ser submetidos a uma tradução juramentada Pública. Documentos que não forem redigidos em Inglês, Espanhol ou Português devem apresentar tradução em português por tradutor público juramentado no Brasil para que possa ter efetio legal, de acordo com as disposições da Lei 10.406/2002 - Artigo 224 (Código Civil Brasileiro). Dispensada a Legalização Consular dos documentos.
    • CADASTRO DE FORNECEDORES DE BENS ESERVIÇOSRequerimentos do Critério LegalEmpresas Brasileiras: Prova de estar legalmente constituída no Brasil Prova de estar deviadamente registrada junto aos órgãos governamentais de âmbitos Federal, Estadual e Distrital.
    • CADASTRO DE FORNECEDORES DE BENS ESERVIÇOS Requisitos do Critério Econômico Relatórios Anuais com Demonstrações Financeiras Auditadas ou Balanço Patrimonial e Demonstração dos Resultados As demonstrações contábil-financeiro de empresas estrangeiras, necessariamente, deverão ser apresentadas nos padrões IFRS ou USGAAP. Fórmulas de cálculo econômico e critérios de aceitação são públicos e estão disponíveis nas instruções do Portal
    • CADASTRO DE FORNECEDORES DE BENS ESERVIÇOSSaúde, Meio Ambiente e Segurança - SMS Prestadores de Serviços ISO-14001 and OHSAS-18001: Para Prestadores de Serviços este Critério é classificatório, porém há alguns requisitos mandatórios que têm que ser preenchidos. O fornecedor deve, ainda, estar de acordo com as leis e regulamentos de segurança ambiental do país Note: É aplicável apenas a prestadores de serviços com filial ou subsidiárias estabelecida no Brasil. Fornecedores de Bens Não é aplicado.
    • CADASTRO DE FORNECEDORES DE BENS ESERVIÇOSCritério Gerencial Fornecedores de Bens ISO-9001 - Certificação é obrigatória Prestadores de Serviço Deverá estar em conformidade com os requisitos da ISO-9001 (classificável de 0 a 10 pontos). Caso o fornecedor possua esta certificação, este terá uma maior qualificação.
    • CADASTRO DE FORNECEDORES DE BENS ESERVIÇOS RQT Categoria de Produtos (RQT – Requer Qualificação Técnica) São os equipamentos e materias os quais seu desempenho podem ameaçar a continuidade dos diversos processos da Petrobras, comprometer a segurança de seus funcionários, instalações e meio ambiente; bens em geral que, incluídos no processo industrial como matéria-prima, podem comprometer a qualidade do produto final da companhia. .
    • CADASTRO DE FORNECEDORES DE BENS ESERVIÇOSRequisitos do Critério Técnico para Materias e Equipamentos Dependendo do tipo de material ou equipamento, o fornecedor deve estar de acordo com os seguintes requisitos: Tradição de fornecimento (Atestados, contratos e notas fiscais) Instalações para Assistência Técnica (no caso de sistemas de automação, máquinas rotativas e etc.) Certificação obrigatória (API, ASME, ...) Outros requerimentos específicos
    • CADASTRO DE FORNECEDORES DE BENS ESERVIÇOS Requisitos do Critério Técnico para Prestadores de Serviços Dependendo da especificidade do serviço, o fornecedor deverá cumprir os seguintes requisitos: Tradição (Lista de serviços prestados - atestados, notas fiscais e contratos); Lista de equipamentos relativos aos serviços prestados; Currículos dos profissionais mais capacitados; Outros requisitos específicos.
    • CONCLUSÕES
    • Obrigado materiais.rel@petrobras.com.bratendi.fornecedores@petrobras.com.br