• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Private Content
Relatório anual 2008_port
 

Relatório anual 2008_port

on

  • 2,118 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,118
Views on SlideShare
2,086
Embed Views
32

Actions

Likes
0
Downloads
31
Comments
0

2 Embeds 32

http://www.petrobras.com.br 28
http://petrobras.homolog.riweb.com.br 4

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Relatório anual 2008_port Relatório anual 2008_port Document Transcript

    • PrinciPAis indicAdores REsERvAs PROvAdAs dE óLEO, PROdUçÃO dE óLEO, LGN, CONdENsAdO LGN,CONdENsAdO E Gás NATURAL E Gás NATURAL (MIL BOED) CRITéRIO SPE (BILhõES DE BOE) 2.400 2.298 2.301 15,1 15,0 15,0 14,9 14,9 2.217 2.021 421 2,6 2,6 2,7 2,8 2,6 382 378 370 359 1.662 1.847 1.920 1.979 1.918 12,3 12,3 12,4 12,5 12,1 2004 2005 2006 2007 2008 2004 2005 2006 2007 2008 Óleo, LGN e Condensado Gás Natural Óleo, LGN e Condensado Gás Natural ENdIvIdAmENTO bRUTO LUCRO LÍqUIdO CONsOLIdAdO CONSOLIDADO (R$ BILhõES) R$ MILhõES 32.988 50,8 48,8 25.919 46,2 23.725 21.512 35,8 37,1 16.887 33,5 24,8 30,8 18,8 26,7 13,9 13,1 11,1 9,0 9,6 2004 2005 2006 2007 2008 Curto Prazo Endividamento Líquido 2004 2005 2006 2007 2008 Longo Prazo vALOR dE mERCAdO x vALOR PATRImONIAL ÍNdICE dE ENdIvIdAmENTO dA PETRObRAs (R$ BILhõES) 32% 28% 26% 430 24% 23% 23% 21% 19% 17% 230 224 16% 174 112 140 98 114 62 79 2004 2005 2006 2007 2008 2004 2005 2006 2007 2008 Endividamento Curto Prazo / Endividamento Total Valor de Mercado Valor Patrimonial Endividamento Líquido / Capitalização Líquida
    • REsUmO OPERACIONAL 2007 2008 RESERVAS PROVADAS - CRITéRIO SPE (bilhões de barris de óleo equivalente - boe) (1) (2) - BRASIL E EXTERIOR 15,0 15,1 Óleo e condensado (bilhões de barris) 12,4 12,5 Gás natural (bilhões de boe) 2,6 2,6 PRODUÇÃO MéDIA DIÁRIA (mil boe) - BRASIL E EXTERIOR 2.300 2.400 brasil Óleo e lGn (mil bpd) 1.792 1.855 Gás natural (mil boed) 273 321 exterior Óleo e lGn (mil bpd) 126 124 Gás natural (mil boed) 109 100 POÇOS PRODUTORES (óleo e gás natural) - EM 31 DE DEzEMBRO (1) 14.194 13.174 SONDAS DE PERFURAÇÃO - EM 31 DE DEzEMBRO 70 109 PLATAFORMAS EM PRODUÇÃO - EM 31 DE DEzEMBRO 109 112 DUTOS (km) - EM 31 DE DEzEMBRO 23.142 25.197 FROTA DE NAVIOS - EM 31 DE DEzEMBRO 154 189 operação própria 55 54 operação de terceiros 99 135 TERMINAIS - EM 31 DE DEzEMBRO (3) 46 46 REFINARIAS - EM 31 DE DEzEMBRO (1) (5) - BRASIL E EXTERIOR 15 15 capacidade nominal instalada (mil barris por dia - bpd) 2.167 2.223 Produção média diária de derivados (mil barris por dia - bpd) 2.046 1.970 brasil 1.795 1.787 exterior 251 183 IMPORTAÇÃO (mil barris por dia - bpd) 538 570 Óleo 390 373 derivados 148 197 EXPORTAÇÃO (mil barris por dia - bpd) 615 673 Óleo 353 439 derivados 262 234 COMERCIALIzAÇÃO DE DERIVADOS (mil barris por dia - bpd) brasil 1.725 1.748 VENDAS INTERNACIONAIS (mil barris por dia - bpd) Óleo, gás e derivados 586 552 ORIGEM DO GÁS NATURAL (milhões de m3 por dia) (4) 49 58 Gás nacional 23 29 Gás boliviano 26 29 DESTINO DO GÁS NATURAL (milhões de m3 por dia) (4) 49 58 distribuidoras 36 37 termelétricas 5 14 consumo interno 7 7 ENERGIA (1) número de usinas termelétricas (5) (6) 16 18 capacidade instalada (MW) (5) (6) 5.393 6.103 FERTILIzANTES (1) unidades de produção 3 3 REsUmO FINANCEIRO (R$ MILhõES) 2007 2008 receita operacional bruta 218.254 266.494 receita operacional líquida 170.578 215.118 lucro operacional 40.026 45.950 lucro/Ação (R$) 2,45 3,76 lucro líquido 21.512 32.988 ebitdA 50.156 57.170 dívida líquida 26.670 48.824 investimentos 45.285 53.349 Margem bruta 39% 34% Margem operacional 23% 21% Margem líquida 13% 15% (1) Inclui informações do exterior, correpondentes à parcela da Petrobras em empresas coligadas (2) Reservas provadas medidas de acordo com o critério SPE (Society of Petroleum Engineers) (3) Inclui apenas os terminais da Transpetro (4) Exclui queima, consumo próprio do E&P, liquefação e reinjeção (5) Inclui apenas os ativos com participação maior ou igual a 50% (6) Inclui apenas termelétricas movidas a gás natural
    • Perfil A Petrobras é uma sociedade anônima de capital aberto, com sede no Rio de Janeiro. Classificada como grau de investimento, tem ações e recibos negociados na Bovespa, NYSE, Latibex e BCBA. Atua de forma integrada e especializada nos seguintes segmen- tos da indústria de óleo, gás e energia: exploração e produção; refino, comercialização, transporte e petroquímica; distribuição de derivados; gás natural; biocombustíveis e energia elétrica. Criada em 1953, é hoje a 9ª maior companhia de petróleo do mundo com base no valor de mercado, conforme o ranking da consultoria PFC Energy. Líder do setor petrolífero brasileiro, a companhia está presente em 27 países, além do Brasil, e suas reservas totalizam 15,1 bilhões de boe segundo critério SPE. O Plano de Negócios 2009-2013 prevê investimentos de US$ 174,4 bilhões. Missão Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nos mercados nacional e internacional, fornecendo produtos e serviços adequados às necessidades dos clientes e contribuindo para o desenvolvimento do Brasil e dos países onde atua. Visão 2020 Seremos uma das cinco maiores empresas integradas de energia do mundo e a preferida pelos nossos públicos de interesse. Atributos dA Visão 2020 Nossa atuação se destacará por: > Forte presença internacional > Referência mundial em biocombustíveis > Excelência operacional, em gestão, eficiência energética, recursos humanos e tecnologia > Rentabilidade > Referência em responsabilidade social e ambiental > Comprometimento com o desenvolvimento sustentável
    • SuMáRIo Mensagem do presidente Camada pré-sal 2 4 6 Resultados e Gestão Análise do mercado de petróleo 8 Estratégia e desempenho empresarial 10 Desempenho das ações 18 Governança corporativa 22 Gerenciamento de riscos 27 Financiamentos 30 Recursos Humanos 33 38 Negócios Exploração e produção 40 Refino e comercialização 47 Petroquímica e fertilizantes 52 Transporte 55 Distribuição 58 Gás natural 60 Energia elétrica 64 Energias renováveis 67 Biocombustíveis 69 72 Internacional Atuação internacional 74 Expansão dos negócios 80 Desenvolvimento dos negócios 82 86 Ativos Intangíveis Ativos intangíveis 88 Capital de domínio tecnológico 90 Capital organizacional 93 Capital humano 95 Capital de relacionamento 97 100 Responsabilidade Social e Ambiental Gestão em responsabilidade social 102 Segurança, meio ambiente e saúde 105 Patrocínios 110 Administração 114 Glossário 116 Tabela de conversão 119
    • MENSAGEM Do PRESIDENTE a petrobras atravessou com tranquilidade o turbu- nossas reservas provadas de óleo, condensado e gás na- lento ano de 2008, venceu desafios tecnológicos e finan- tural, no Brasil e no exterior, atingiram 15,08 bilhões ceiros, e obteve resultados gratificantes, como as im- de boe em 31 de dezembro de 2008, segundo critério da portantes descobertas de petróleo na camada pré-sal e Society of Petroleum Engineers (SPE). Do total dessas o lucro líquido recorde de R$ 33 bilhões, 53,3% a mais do reservas, 93% estão em território brasileiro, onde o índi- que em 2007. ce de reposição foi de 123%, ou seja, agregamos a nossas A crise econômica internacional, que acarretou es- reservas 23% de petróleo a mais do que toda a produção cassez de crédito e forte instabilidade nas cotações do ao longo do ano. Os volumes apropriados não incluem petróleo no segundo semestre, não afetou nosso poten- as descobertas realizadas no pré-sal da Bacia de San- cial de investimento. Expandimos os recursos previstos tos, ainda em avaliação. no novo Plano de Negócios, mantendo metas agressivas. Os investimentos da Petrobras atingiram o marco Desta maneira, continuaremos bem posicionados, com histórico de R$ 53,3 bilhões, superando em 17,8% os va- reservas significativas de óleo e gás, e um expressivo vo- lores de 2007, com ênfase na ampliação da capacidade lume de produção para atender à demanda brasileira e futura de produção de petróleo e gás natural no País. mundial por petróleo. Do total investido, 49,1% concentraram-se na área de A eficácia das estratégias econômicas, financeiras e Exploração e Produção, cujos destaques foram as rele- operacionais adotadas ao longo dos anos faz da Petrobras vantes descobertas no pré-sal da Bacia de Santos, pro- uma empresa sólida, capaz de enfrentar o atual momento porcionando maior conhecimento da região. Em 2009, de incertezas no mercado mundial. Em 2008, incorpora- será realizado o primeiro teste de longa duração no mos relevantes medidas de controle de custos e mantive- campo de Tupi, e em 2010 será instalado um sistema pi- mos os princípios de disciplina de capital. Dessa forma, loto com capacidade para produzir até 100 mil bpd. São podemos assegurar a execução de nossos projetos e con- os primeiros passos que levarão à mudança de perfil da solidar as perspectivas de crescimento da companhia. produção da companhia, que passará de forma gradual O aumento dos preços médios de petróleo e deriva- do óleo predominantemente pesado da Bacia de Cam- dos no mercado internacional e de derivados no mercado pos para o óleo mais leve do pré-sal. Isso representa um doméstico, aliado ao crescimento no volume de vendas, notável ganho de valor para a companhia, pois o pe- elevou a receita operacional líquida a R$ 215,1 bilhões, tróleo leve é comercializado a preços mais altos que o ou seja, um aumento de 26,1% em relação a 2007. petróleo pesado. A produção de petróleo e gás natural no Brasil e no A manutenção de uma estrutura integrada faz par- exterior atingiu 2.400 mil boed, o que representa cresci- te da estratégia de longo prazo da Petrobras. Por isso, mento de 4,3% em relação ao ano anterior. Destacaram- investimos em todos os segmentos da cadeia de pe- se o início da produção de petróleo na camada pré-sal tróleo e gás para valorizar nossa produção. A área de na Bacia de Campos, no campo de Jubarte, e a produção Abastecimento recebeu 22,5% dos investimentos, des- de gás natural no País, que chegou a 51,1 milhões de tinados basicamente à adaptação de unidades de refino m3/dia, 17,8% acima do verificado em 2007. para processamento do óleo pesado nacional, aos pro- Mesmo com o continuado aumento da produção, gramas de qualidade dos derivados e à ampliação da 2 m e n s a g e m d o p r e s i d e nx o ei te
    • capacidade de refino. A companhia também consolidou sustentável, a Petrobras tem sua atuação balizada por sua presença na área petroquímica – segmento estraté- princípios de transparência e responsabilidade social A Petrobras gico para diversificar a oferta de produtos – por meio de e ambiental. O bom desempenho nessa área manteve novas incorporações. a companhia, pelo terceiro ano consecutivo, nos Dow obteve Os investimentos em Gás e Energia absorveram 13,5% Jones Sustainability Indexes (DJSI). resultados do total efetuado pela companhia, recursos direcionados Com o objetivo de elevar a liquidez de seus ativos gratificantes, principalmente à ampliação da malha de gasodutos e à mobiliários, a Petrobras realizou um desdobramento de construção dos terminais de regaseificação de GNL. Em ações e dos recibos negociados no mercado americano. como o 2008, batemos nosso recorde de geração de energia elé- No final de 2008, a base de acionistas da companhia se lucro líquido trica para o Sistema Integrado Nacional (SIN), gerando aproximou de 1 milhão de investidores, incluindo cotis- recorde de 2.025 MW médios no ano, 253% a mais do que em 2007. tas de fundos de investimentos e aplicadores de recur- Na Distribuição, mantivemos a liderança no mer- sos com o FGTS. R$ 33 bilhões, cado e ampliamos ainda mais nossa participação, que O Plano de Negócios 2009-2013 prevê investimentos 53,3% a mais chegou a 34,9% do mercado no final do ano. Além disso, de US$ 174,4 bilhões, um aumento de 55% em relação ao do que foi criada a Petrobras Biocombustível S.A., subsidiária anterior, e incorpora US$ 28 bilhões destinados a explo- integral da companhia, com o objetivo de desenvolver a ração e desenvolvimento das descobertas de petróleo em 2007 comercialização de etanol e a produção de biodiesel, e na camada pré-sal. Apesar da crise econômica interna- consolidar nossa atuação nesse segmento. cional e da instabilidade dos preços do petróleo, a Pe- Fortalecemos nossa presença internacional con- trobras mantém metas audaciosas de crescimento, pois cluindo a compra da Nansei Sekiyu Kabushiki Kaisha conta com uma carteira de projetos bem estruturados e (NSS), cujos principais ativos são uma refinaria e um de elevado retorno. terminal de produtos no Japão. Arrematamos 23 blocos Os recursos para a execução dos projetos estão as- na faixa norte-americana do Golfo do México e seremos segurados tanto pela geração própria de caixa, quanto operadores em 15 desses blocos. Também assinamos um por financiamentos. Qualificada como “grau de investi- acordo para a compra da participação da ExxonMobil mento” pelas agências de certificação de risco, a exce- na Esso Chile Petrolera, o que nos garante participa- lente perspectiva de crescimento garante à companhia ção num dos mais rentáveis mercados da América do acesso a diversas fontes de captação nos mercados de Sul. Com atuação em 27 países, a companhia destinou capital e bancário, além das agências de fomento, mes- 11,5% dos investimentos às atividades internacionais, a mo no atual cenário de escassez de crédito. maior parcela para exploração e produção. A Petrobras acredita estar no caminho certo para O compromisso da Petrobras com o desenvolvi- alcançar o que definiu como sua Visão 2020: ser uma mento tecnológico se reflete no volume de recursos das cinco maiores empresas integradas de energia do destinados às atividades de P&D, que em 2008 atingiu mundo e a preferida por seus públicos de interesse. ■ R$ 1,7 bilhão, mantendo o patamar de 2007. Os resulta- dos têm sido decisivos para nosso avanço no desenvol- José Sergio Gabrielli de Azevedo vimento de projetos para a exploração e produção de Presidente da Petrobras petróleo, principalmente para as recentes descobertas no pré-sal e para o aperfeiçoamento de nossa capacita- ção no refino de óleo pesado. Todas as nossas operações são pautadas pela preo- cupação com segurança, meio ambiente e saúde (SMS). Em 2008, foi evitada a emissão de 680 mil toneladas de dióxido de carbono. A partir de janeiro de 2009, a com- panhia coloca no mercado o Diesel S50, com menor teor de enxofre, seguindo cronograma acertado com o Mi- nistério Público. Comprometida com o desenvolvimento r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 3
    • CAMADA PRé-SAl 2008 janeiro encontrada nova jazida de gás natural e condensado no bloco bm-s-24 (Júpiter), na bacia de santos. maio comprovada presença de óleo leve no bloco bm-s-8 (bem-Te-Vi), na bacia de santos. Brasil junho encontrada jazida de óleo leve em outra região do bloco bm-s-9 (Guará), na bacia de santos. agosto comprovada presença de óleo leve em outra região do bloco bm-s-11 (Iara), na bacia de santos. setembro (dia 2) Petrobras inicia a produção do primeiro óleo da ca- mada pré-sal, no campo de Jubarte, no norte da bacia de campos (es). setembro (dia 24) confirmada a ocorrência de uma grande jazida de óleo leve e gás em Júpiter, com a conclusão de poço localizado a 290 km da costa do RJ e a 37 km a leste de Tupi, na bacia de santos. novembro concluída a perfuração de dois novos poços na seção pré-sal do litoral do espírito santo e comprovada expressiva descoberta de óleo leve no Parque das baleias. As descobertas foram feitas em reservatórios do pré-sal localizados abaixo dos campos de óleo pesado de baleia Franca, baleia Azul, Jubarte e cachalote. áreas do pré-sal já identificadas AcumulAções VOlume DIsTÂNcIA lÂmINA PROFuNDIDADe QuAlIDADe OPeRADOR PARceIROs RecuPeRÁVel DA cOsTA D'ÁGuA DO ReseRVATÓRIO DO ÓleO esTImADO (km) (m) (m) (bIlhãO bOe) Tupi BG Group (25%) 5-8 300 2.200 5.000 28 ºAPI Petrobras (65%) (BM-S-11) Petrogal (10%) Júpiter ASA 290 2.187 5.125 N/D Petrobras (80%) Petrogal (20%) (BM-S-24) Iara BG Group (25%) 3-4 230 2.230 5.600 30 ºAPI Petrobras (65%) (BM-S-11) Petrogal (10%) Carioca BG Group (30%) ASA 270 2.135 5.225 28 ºAPI Petrobras (45%) (BM-S-9) Repsol YPF Brasil (25%) Bem-Te-Vi BG Group (20%) ASA 250 2.144 6.002 N/D Petrobras (66%) (BM-S-8) Petrogal (14%) Guará BG Group (30%) ASA 310 2.141 5.000 28 ºAPI Petrobras (45%) (BM-S-9) Repsol YPF Brasil (25%) Parati BG Group (25%) ASA 230 2.038 6.075 N/D Petrobras (65%) (BM-S-10) Partex (10%) Caramba ASA 300 2.239 5.007 N/D Petrobras (80%) Petrogal (20%) (BM-S-21) Parque das Baleias 1,5 - 2 80 1.500 3.500 30 ºAPI Petrobras (100%) — (BC-60) Azulão Petrobras (20%) N/D 345 2.223 N/D N/D Esso (40%) (BM-S-22) Amerada (40%) AsA: A ser avaliado - N/D: Não disponível Florianópolis 4 c a m a d a p r é- sx o ei al
    • » Extensão com 800 quilômetros de extensão e 200 quilômetros de largura, a camada pré-sal se distribui pelas km bacias de santos, campos e espírito 0 80 santo e vai desde o litoral de santa Vitória catarina até o do espírito santo, a 20 Bacia do 0 cerca de 300 km da costa. Espírito Santo km Parque das Baleias Rio de Janeiro -100 m São Paulo -1000 m Bacia de Campos m 00 -20 Tupi Parati Iara Carioca Júpiter Bem-Te-Vi Guará m Caramba Azulão 00 -30 » Qualidade do óleo Bacia de Santos As jazidas do pré-sal contendo hidrocarbonetos leves podem mudar camada pré-sal campos de produção de óleo e gás o perfil das reservas da companhia, Áreas do pré-sal já identificadas blocos exploratórios que em sua maior parte é de petróleo Poços perfurados intermediário/pesado, reduzindo a importação de óleo leve e gás natural. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 5
    • esTRATéGIA ResulTADOs FINANcIAmeNTOs e RecuRsOs Ações meRcADO 6 eixo
    • ANÁlIse DesemPeNhO emP Res A RIA l RecuRsOs GesTãO G O V e RN A N ç A RIscOs resultados e gestão Apesar das mudanças no cenário econômico mundial, que causaram impactos diretos no preço do petróleo, a Petrobras registrou lucro líquido recorde na história da companhia. Foram R$ 33 bilhões em 2008, supe- rando em 53,3% o do ano anterior. A base acionária da Petrobras na Bovespa também cresceu 80%. A companhia não poupa esforços para manter os inves- timentos, tanto assim que o Plano de Negócios 2009-2013 prevê um volume de uS$ 174,4 bilhões para suas atividades no mercado brasileiro e internacional. Com mais investimentos, novas estratégias de atuação no mercado financeiro e boas práticas de governança corporativa e de recursos humanos, a companhia reafirma seu compromisso com o crescimento, a rentabilidade e a responsabi- lidade social e ambiental. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 7
    • análise do mercado de petróleo MuDANÇAS No CENáRIo MuNDIAl AFETAM MERCADo DE PETRÓlEo mudanças bruscas da economia mundial em 2008 afetaram o mercado de petróleo, com impactos diretos sobre a trajetória dos preços da commodity. A cotação do barril do brent variou de um pico de us$ 145,66 a um mínimo de us$ 34,04 em grande parte devido » às oscilações da demanda durante o ano. O valor médio do brent ficou em us$ 96,99 o barril, superando em 33,7% a cotação média de 2007. 8 r e s u lta d o s e g e s tão eix
    • Plataforma de produção P-52 O crescimento da demanda dos países asiáticos por de produção a partir de novembro. Nesse contexto, o óleos leves no primeiro semestre de 2008, em compara- nível médio dos estoques de petróleo aumentou em re- ção com o mesmo período do ano anterior, foi a princi- lação a 2007, gerando um superávit no balanço oferta- pal causa do rápido aumento de preços durante a pri- demanda mundial do produto em 2008. meira metade do ano. No entanto, a imediata redução Fatores de natureza geopolítica, como os problemas na procura dos países da Organização para Cooperação com as guerrilhas na Nigéria, as tensões na fronteira e Desenvolvimento Econômico (OCDE) no segundo se- Turquia-Iraque e a incursão russa na Geórgia, além da mestre de 2008, aliada às expectativas pessimistas so- questão nuclear do Irã, entre outras, parecem ter de- bre a evolução da demanda, resultou na queda do pata- sempenhado um papel secundário no mercado de pe- mar de preços a partir da segunda metade do ano. Nem tróleo em 2008, em face do cenário econômico. ■ a relativa estabilidade da procura não-OCDE, especial- mente China e Índia, se mostrou suficiente sequer para manter os preços entre US$ 80 e US$ 100 o barril, seme- o nível médio dos estoques lhante à faixa de valores observada no último trimestre de 2007 e no primeiro trimestre de 2008. de petróleo no mundo Do lado da oferta, a queda da produção não-Opep, aumentou em relação a puxada pela Rússia, México e Reino Unido, foi em parte 2007, gerando um superávit compensada pelos maiores volumes da Opep entre o se- gundo e o terceiro trimestres do ano, quando a Arábia no balanço oferta-demanda Saudita, atendendo aos pedidos da Agência Internacio- mundial do produto em 2008 nal de Energia, decidiu elevar sua produção em cerca de 300 mil bpd. Entretanto, o agravamento das condições macroeconômicas mundiais a partir de meados do ano, especialmente nos Estados Unidos e Europa, provocou uma queda na demanda da commodity, levando a Opep a anunciar um corte de 1,5 milhão de bpd em suas cotas r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 9
    • estratégia e desempenho empresarial INVESTIMENToS DE uS$ 174,4 BIlHÕES PARA o PERÍoDo 2009-2013 Três fatores de sustentabilidade balizam a estratégia corporativa da Petrobras: crescimento integrado, rentabilidade e responsabilidade social e ambiental. O comprometimento com o desenvolvimento sustentável » também norteia as metas de crescimento do Plano de Negócios 2009-2013, que prevê investimentos de us$ 174,4 bilhões. 10 r e s u lta d o s e g e s tão eix
    • plano de negócios 2009-2013 lucro líquido (us$ 174,4 bIlhões) (R$ mIlhões) e&P (104,6)* 32.988 59% RTc (43,4)** 25% 25.919 23.725 G&e (11,8) 21.512 7% corporativo (5,6) 16.887 3% Petroquímica (3,0) 2% Distribuição (2,8) 2% biocombustíveis (3,2) 2% * us$ 17,0 bIlhões em exPlORAçãO 2004 2005 2006 2007 2008 ** ReFINO, TRANsPORTe e cOmeRcIAlIZAçãO Deste total, US$ 158,2 bilhões estão relacionados a pro- a carga processada de petróleo no Brasil deverá atingir jetos no Brasil e US$ 16,2 bilhões às atividades no ex- 2.270 mil bpd em 2013. terior, com foco na América Latina, Estados Unidos e Os investimentos em Gás e Energia totalizarão Oeste da África. US$ 11,8 bilhões. Acompanhando a crescente produção Os investimentos se concentram no segmento de doméstica de gás natural, este montante permitirá a E&P, que receberá US$ 104,6 bilhões, incluindo Brasil ampliação da capacidade de escoamento, elevando as e exterior, 59% do total aprovado para o período. Deste vendas no mercado interno. montante, cerca de US$ 28 bilhões destinam-se ao de- O Plano estabelece que os projetos tenham conteúdo senvolvimento do pré-sal, cuja produção deverá atingir nacional de 64%, gerando encomendas de US$ 20 bi- a média de 219 mil bpd em 2013. O novo Plano incor- lhões por ano, em média, junto aos fornecedores brasi- pora esta nova fronteira exploratória, traçando metas leiros. Cerca de 1 milhão de postos de trabalho diretos e mais agressivas de crescimento de produção em rela- indiretos serão demandados no País. ção ao plano anterior. A produção total de óleo e gás natural deverá alcançar 3.655 mil boed em 2013, sendo recorde de vendas e lucro líquido 3.314 mil boed no Brasil. lucro recorde — O resultado da Petrobras em 2008 foi O segmento de Refino, Transporte e Comercializa- calculado considerando as mudanças nas práticas con- ção (RTC) contará com US$ 43,4 bilhões, o equivalente a tábeis brasileiras, por intermédio da Lei 11.638/07. 25% dos investimentos totais, mantendo-se a estratégia Reflexo do bom desempenho operacional, econô- de aumentar a capacidade de refino para acompanhar o mico e financeiro, o lucro líquido em 2008 alcançou crescimento da produção de petróleo. Os investimentos R$ 33 bilhões, recorde na história da companhia, supe- serão concentrados na melhoria da qualidade dos com- rando em 53,3% o do ano anterior. O lucro operacional bustíveis, na elevação do nível de processamento de consolidado atingiu R$ 46 bilhões, 14,8% acima do regis- óleo pesado e na expansão da capacidade. Com a entra- trado em 2007, influenciado pelo maior volume de pro- da em operação da Refinaria Abreu e Lima, em 2011, do dução e pelo aumento dos preços médios de realização Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), de petróleo e derivados nos mercados interno e externo. em 2012, e da 1ª Fase da Refinaria Premium I, em 2013, A não recorrência das despesas com repactuação do r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 11
    • esTRATéGIA e DesemPeNhO emPResARIAl plano de previdência, que haviam impactado o resulta- ebitda (R$ mIlhões) do de 2007, e ganho cambial sobre os ativos monetários líquidos em dólar também contribuíram para o aumen- to do lucro. 57.170 O crescimento no volume de vendas, de 5,5% no 50.864 50.156 mercado interno e de 2% no externo, aliado ao aumento 46.802 dos preços médios de petróleo e derivados, contribuiu para a elevação da receita operacional bruta consolida- 36.798 da, que atingiu R$ 266,5 bilhões, superando em 22,1% o valor de 2007. A receita operacional líquida, por sua vez, ficou em R$ 215,1 bilhões, 26,1% maior do que a do ano anterior. No mercado interno, a receita líquida cresceu 23%, atingindo R$ 126,9 bilhões, devido, basicamente, ao aumento de R$ 3,8 bilhões na receita com gás natural, R$ 2,9 bilhões com energia e R$ 17,3 bilhões na receita com derivados, sobretudo diesel, QAV, gasolina, óleo 2004 2005 2006 2007 2008 combustível e nafta. Diante da escalada das cotações internacionais – a média do preço do Brent aumentou 33,7% em re- lação a 2007, ficando em US$ 96,99 –, a companhia o crescimento no volume de vendas, reajustou em maio os preços da gasolina (10%) e do diesel (15%), inalterados desde setembro de 2005. Os de 5,5% no mercado interno e de 2% preços do óleo combustível, da nafta e do querosene no externo, contribuiu para a elevação da de aviação acompanharam as flutuações do merca- receita operacional bruta consolidada, do internacional e o preço médio dos derivados no mercado interno atingiu R$ 176,4, 13,5% superior à que superou em 22,1% o valor de 2007 média de 2007. ebitda — O EBITDA atingiu R$ 57,2 bilhões em 2008, 14% acima do verificado no ano anterior, assegurando, dessa forma, uma base sólida para o plano de investi- mentos da Petrobras. O ROCE subiu 1 ponto percentual, em decorrência do aumento no lucro operacional, su- perando o efeito do maior endividamento provocado pela desvalorização do real e pela obtenção de novos financiamentos. 12 r e s u lta d o s e g e s tão eix
    • volume de vendas totais volume de vendas de derivados (mIl bOeD) no mercado interno (mIl bPD) 1.748 1.725 1.677 3.374 1.644 1.637 3.239 3.052 2.808 2.711 2004 2005 2006 2007 2008 2004 2005 2006 2007 2008 vendas — As vendas totais da Petrobras, incluindo das vendas de gás não térmico para as distribuidoras no exportações, gás natural e vendas internacionais, atin- estado de São Paulo e ao aumento de 150% (8 milhões giram 3.374 mil boed, uma elevação de 4,2% em relação de m³/dia) das vendas para o mercado térmico. Essa a 2007. O volume de vendas no mercado interno, sem evolução da demanda foi motivada pela maior oferta incluir energia, subiu 5,5% em 2008. Esse resultado foi de gás, principalmente em função do incremento da impactado pela comercialização de derivados, que au- produção do campo de Manati, no litoral baiano, e da mentou 1,3% influenciado pelo crescimento do PIB, pelo entrada em operação dos gasodutos Cabiúnas-Vitória funcionamento das térmicas emergenciais a diesel e pelo e Vitória–Cacimbas. maior volume de produção e expansão da área plantada Além disso, a Resolução 8 de dezembro de 2007 do da safra de grãos e de cana-de-açúcar. Destacam-se, Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) per- ainda, as exportações recorde de óleo de 439 mil bpd, mitiu a geração de energia elétrica a partir de usinas 24,4% acima do volume registrado no ano anterior, fruto termelétricas para preservar os níveis de água dos re- do aumento de produção da companhia. servatórios das hidreléticas. Essa medida influenciou o A venda de gás natural no mercado interno cresceu volume de energia gerado pela Petrobras, que cresceu 20% em relação a 2007, atingindo 18.140 milhões de m3 253%, atingindo 2.025 MWmédios. Destacou-se, ainda, no ano, devido ao acréscimo de 8% (1 milhão de m³/dia) o início do suprimento do primeiro bloco de energia r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 13
    • esTRATéGIA e DesemPeNhO emPResARIAl (352 MWmédios) contratado nos leilões de energia no comercializaÇão no mercado interno ambiente regulado (UTE Leonel Brizola). investimentos — Em 2008, os investimentos da Pe- Óleo diesel trobras atingiram o marco histórico de R$ 53,3 bilhões, 35% 17,8% a mais do que em 2007. Este montante está ali- Gasolina nhado à estratégia da companhia de ampliar a atuação 15% nos mercados de petróleo, derivados, petroquímicos, Nafta gás e energia, biocombustível e distribuição, com des- 7% taque para a ampliação da capacidade futura de produ- Querosene ção de petróleo e gás natural no País. 3% Do total investido, 49,1% concentraram-se na área GlP de Exploração e Produção, com o objetivo de viabilizar 10% o crescimento da produção e reservas de petróleo e gás Óleo combustível natural, conforme estabelecido no Plano Estratégico 4% 2020. Os investimentos em Exploração no Brasil atin- Gás natural giram R$ 4,6 bilhões, contribuindo para a reposição 15% das reservas e para o conhecimento dos reservatórios Outros da camada pré-sal. Incluindo a área Internacional, os 11% investimentos consolidados da Petrobras em Explora- ção atingiram R$ 6,5 bilhões no ano. evoluÇão dos investimentos (R$ mIlhões) 26.196 20.812 17.248 15.507 12.914 11.999 10.537 7.222 7.161 6.574 6.133 4.817 4.515 3.777 3.348 3.214 3.154 2.674 2.331 1.670 1.223 1.241 905 905 875 642 558 624 532 495 2004 2005 2006 2007 2008 e&P Abastecimento Gás e energia Internacional Distribuição Outras 14 r e s u lta d o s e g e s tão eix
    • empregado trabalhando na produção do polo industrial de Guamaré Em 2008, os investimentos da Petrobras superaram em 17,8% o valor de 2007, alcançando um marco histórico de R$ 53,3 bilhões A área de Abastecimento recebeu 22,5% dos in- vestimentos, alocados principalmente em conversão, expansão da capacidade do refino e atendimento dos padrões de qualidade, em sintonia com o Plano. Na petroquímica, setor em que a Petrobras vem expan- dindo suas atividades no Brasil e na América do Sul, destaca-se a construção do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), com o objetivo estratégico de produzir grandes volumes de propeno, eteno e aromá- ticos a partir do petróleo pesado extraído da Bacia de Campos, o que permitirá reduzir a importação de deri- vados, como a nafta. Já a área de Gás e Energia respondeu por 13,5% do total dos investimentos, registrando um crescimento de 49,9% em relação a 2007. Esses recursos foram apli- cados principalmente na ampliação da malha de dutos, com destaque para os gasodutos Urucu-Coari-Manaus, Cabiúnas-Vitória e Cacimbas-Catu, e na construção dos terminais de regaseificação de GNL, em Pecém (Ceará), e na Baía de Guanabara (Rio de Janeiro), para dar suporte ao volume de vendas de gás natural e ener- gia elétrica fixado no Plano Estratégico. No ano de 2008, foi criada a Petrobras Biocom- bustível S.A., subsidiária integral da Petrobras, para o desenvolvimento da produção de etanol, biodiesel e de outros produtos e atividades correlatos, ampliando r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 15
    • esTRATéGIA e DesemPeNhO emPResARIAl seu compromisso com o desenvolvimento sustentável produtos e serviços de alta qualidade, proporcionando associado à responsabilidade ambiental e social e re- aumento de market share. forçando sua visão de empresa integrada de energia. Para a área internacional foram alocados 11,5% O objetivo da companhia é se tornar líder na produção dos recursos, voltados principalmente à ampliação nacional de biodiesel e ampliar a participação no negó- das atividades de refino e distribuição no exterior, cio de etanol, para atendimento ao mercado brasileiro, consolidando a presença da companhia no mercado visando também ao mercado internacional e levando internacional. A conclusão da compra de 87,5% das em conta a importância do biocombustível no cenário ações da refinaria Nansei Sekiyu, em Okinawa, no Ja- geopolítico no mundo. pão, que marca a entrada da companhia em refino na Com o objetivo de manter a liderança no mercado Ásia, foi uma importante contribuição para esse posi- brasileiro, fazendo da marca Petrobras a preferida dos cionamento estratégico. Seguindo a consolidação da consumidores, a companhia destinou 1,1% do total de presença da Petrobras no segmento de distribuição de investimentos à Distribuição, sendo a maior parcela combustíveis na América Latina, foi assinado o acor- aplicada nos projetos do mercado automotivo. Em li- do da compra da participação da ExxonMobil na Esso nha com o Plano Estratégico, os investimentos foram Chile Petrolera. ■ dirigidos à ampliação, modernização e manutenção da infraestrutura varejista de distribuição de derivados, de forma a assegurar melhor atendimento e entrega de O objetivo da companhia é se tornar líder na produção nacional de biodiesel e ampliar a participação no negócio de etanol, para atendimento ao mercado brasileiro RESPoNSABIlIDADE SoCIAl E AMBIENTAl A Petrobras mantém o compromisso de excelência em Responsabilidade social e Ambiental. mesmo diante do expres- sivo crescimento nas operações nos últimos anos, o volume de vazamento de óleo e derivados no meio ambiente foi de 436 m³ em 2008, um pouco superior ao observado em 2007 (386 m³). este volume está significativamente abaixo do limite máximo admissível, de 694 m³. A Taxa de Frequência de Acidentados com Afastamento, incluindo empregados próprios e contratados, caiu de 0,76, em 2007, para 0,59, em 2008. 16 r e s u lta d o s e g e s tão eix
    • Estratégia de Crescimento Integrado até 2020 ComPRomETImENTo Com o DESENVolVImENTo SuSTENTáVEl Crescimento Responsabilidade Rentabilidade Integrado Social e Ambiental Ampliar a atuação nos mercados-alvo de petróleo, derivados, petroquímico, gás e energia, biocombustíveis e distribuição, sendo referência mundial como uma empresa integrada de energia Aumentar produção expandir a atuação consolidar a liderança Atuar em petroquímica Atuar globalmente e reservas de petróleo integrada em refino, no mercado brasileiro de forma integrada no segmento de e gás, de forma comercialização, de gás natural, com com os demais negócios biocombustíveis, com sustentável, e ser logística e distribuição, atuação internacional, do sistema Petrobras participação relevante reconhecida pela com foco na bacia e ampliar o negócio nos negócios de excelência na atuação do Atlântico e de geração de energia biodiesel e de etanol em e&P, posicionando extremo Oriente elétrica no brasil a companhia entre as cinco maiores produtoras de petróleo do mundo excelência operacional, em gestão, eficiência energética, recursos humanos e tecnologia Downstream E&P Distribuição Gás e Energia Petroquímica Biocombustíveis (RTC) r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 17
    • desempenho das aÇões BASE ACIoNáRIA CRESCE 80% NA BoVESPA os mercados acionários mundiais caracterizaram-se pela incerteza e crescente aversão ao risco dos agentes econômicos ao longo de 2008. o acirramento da crise hipotecária norte-americana, os consequentes prejuízos registrados pelas instituições financeiras internacionais e as expectativas de menores taxas de expansão da » economia mundial contribuíram para o quadro de deterioração, em escala global, das expectativas de consumidores e investidores. 18 r e s u lta d o s e g e s tão eix
    • retornos anuais: retornos anuais: pbr e amex oil petrobras pn (petr4) e ibovespa suPONDO ReINVesTImeNTO De DIVIDeNDOs suPONDO ReINVesTImeNTO De DIVIDeNDOs 83,9% 131,4% 58,6% 6,4% 85,1% 7,6% 40,9% 5,4% 34,9% 6,0% 47,2% 50,5% 43,5% 37,8% 7,7% 30,7% 6,0% 7,1% 7,5% 39,5% 34,1% 123,8% 22,8% -46,1% 18,6% -56,0% 31,5% 53,2% 33,8% 27,2% 77,5% 44,5% 79,2% 2,2% 36,1% 1,5% -48,3% -57,5% -38,4% -35,0% 2004 2005 2006 2007 2008 2004 2005 2006 2007 2008 Retorno das ações (PeTR4) Retorno do Ibovespa* Retorno das ações (PbR) Retorno do Amex Oil* Dividendos Dividendos *INcluI DIVIDeNDOs PARA FINs De cOmPARAçãO *INcluI DIVIDeNDOs PARA FINs De cOmPARAçãO FONTe: blOOmbeRG FONTe: blOOmbeRG Para a Petrobras, uma das consequências do agrava- rendimento das aÇões da petrobras mento do quadro econômico e financeiro global foi a e ibovespa* (VARIAçãO ReAl AcumulADA) reversão da trajetória de alta do preço do barril de pe- tróleo, que seguiu a tendência das demais commodities. 1.047,9% Diante da previsão de menor crescimento mundial, o preço do óleo caiu no segundo semestre do ano, pas- sando de US$ 93,89 por barril, ao final de 2007, para 400,2% US$ 41,76 por barril, ao final de 2008, uma queda de 56%. 101,6% 88,6% 72,5% -52,0% -52,6% -46,1% O clima de incertezas conduziu a uma forte volatili- 21,8% dade nas bolsas de valores, e, apesar da previsão de que as economias dos países desenvolvidos seriam as mais 10 anos 5 anos 1 ano afetadas, os mercados acionários dos países emergentes estiveram expostos a um processo de realização de lu- Ibovespa Petrobras PN Petrobras ON cros. Após sucessivos ganhos anuais, a deterioração das *cOmO DeFlATOR FOI uTIlIZADO O IGP-DI FONTe: blOOmbeRG expectativas promoveu, em 2008, significativas quedas nos valores de mercado de companhias de diferentes segmentos, o que demonstrou ser um movimento de recuaram 48% no ano. Na Bolsa de Valores de Nova York caráter geral, não dirigido a um setor específico. (Nyse), onde se negociam os recibos ordinários (PBR) e Apesar dos bons resultados dos diferentes segmen- preferenciais (PBR/A), as perdas foram de 57%. Os dife- tos da companhia, das novidades positivas no campo renciais de perdas entre estes mercados estiveram atre- operacional, como as diversas descobertas de petróleo lados, fundamentalmente, ao comportamento da taxa e gás, da geração de caixa e do lucro recorde do ano, as de câmbio, que apresentou significativa desvalorização ações e recibos da Petrobras também foram alvo deste do real no ano. efeito de realização de ganhos nos mercados. As quedas de valores das ações e dos recibos foram As ações ordinárias (PETR3) e preferenciais (PETR4), acompanhadas pelo aumento dos volumes financei- negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), ros negociados tanto no mercado brasileiro como no r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 19
    • DesemPeNhO DAs Ações volume financeiro negociado na nyse (adrs) (méDIA DIÁRIA em 2008 - us$ mIlhões) 1.343,3 377,7 1.021,0 212,2 481,6 383,0 359,4 325,2 224,4 200,8 193,8 189,1 808,8 965,6 Petrobras Vale Nokia America bP bhP billiton suntech shell Total bradesco movil Power holdings ON PN FONTe: blOOmbeRG americano. Se em 2003 os volumes diários na Nyse e na ao final de 2008. Adicionando os cotistas de fundos de Bovespa atingiam cerca de US$ 60 milhões, em 2008 investimentos em ações da Petrobras (443.209), os apli- este valor se aproximou de US$ 2 bilhões. O acréscimo cadores de recursos com o FGTS (100.426) e os deten- do volume negociado na Nyse demonstra que a compa- tores de ADRs (cerca de 82 mil), o total de investidores nhia apresenta crescente e elevada liquidez no principal em ativos mobiliários atrelados à companhia chegou a mercado mundial, capacidade de captação de recursos quase 1 milhão ao término do ano. e potencial de valorização de seus ativos mobiliários Em 2008, a companhia distribuiu dividendos brutos em um quadro de instabilidade e restrição de crédito. de R$ 1,5360 por ação ordinária ou preferencial, referen- No ano, as ações e os recibos da Petrobras foram os tes ao exercício de 2007. No total, o volume financeiro mais negociados na Bovespa e na Nyse. alcançou R$ 6,7 bilhões. ■ ampliaÇão da base de acionistas Em 24 de março de 2008, foi aprovada, em Assembleia Geral Extraordinária, a proposta de desdobramento das ações representativas do capital social da Petrobras. Em 25 de abril, para cada ação foi concedida uma nova ação da mesma espécie. Mesma proporção de distribui- ção foi verificada para o caso dos recibos negociados no mercado americano (ADRs). Com o desdobramento dos recibos e das ações, foi mantida a relação de duas ações para cada recibo. Um dos principais objetivos deste desdobramento foi a elevação da liquidez destes ativos e da base de acio- nistas da Petrobras. Mesmo em ambiente de incerteza, a base acionária da companhia na Bovespa cresceu 80% no ano, passando de 190.952 acionistas em 2007 para 344.179 20 r e s u lta d o s e g e s tão eix
    • volume financeiro acionistas na bovespa negociado na bovespa (sem cONsIDeRAR cOTIsTAs DO FGTs (méDIA DIÁRIA em 2008 - R$ mIlhões) e DOs FIAs PeTRObRAs) 885 344.179 5): /9/20 0 m ento (1 esdobra de o d istas 579 % des acion + 167 novos 5.217 190.952 21 167.580 140.060 128.962 287 162 133 106 100 54 30 31 2004 2005 2006 2007 2008 31/8/2005 31/12/2005 31/12/2006 31/12/2007 31/12/2008 PeTR3 PeTR4 FONTe: blOOmbeRG FONTe: bOVesPA mesmo com um quadro de instabilidade e restrição ao crédito, as ações e os recibos da Petrobras foram os mais negociados na Bovespa e na Nyse em 2008 movimento da bolsa de Valores de são Paulo (bovespa) r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 21
    • governanÇa corporativa CREDIBIlIDADE E TRANSPARêNCIA A Petrobras adota as melhores práticas de governança corporativa e está plenamente capacitada para utilizar os mais avançados instrumentos de gestão empresarial. » Por ser uma companhia de capital aberto, está sujeita às regras da comissão de Valores mobiliários (cVm) e da bolsa de Valores de são Paulo (bovespa). 22 r e s u lta d o s e g e s tão eix
    • No exterior, a Petrobras cumpre as normas da Securities and Exchange Commission (SEC) e da New York Stock capital votante - aÇões ordinárias Exchange (Nyse), nos Estados Unidos; do Latibex da união Federal Bolsa de Madri, na Espanha; e da Bolsa de Comércio de 55,7% Buenos Aires e da Comisión Nacional de Valores (CNV), na Argentina. bNDesPar Além de aperfeiçoar de forma contínua as práticas 1,9% de governança corporativa, a companhia segue proce- dimentos de gestão compatíveis com as normas dos ADR Nível 3 mercados em que atua, garantindo a adoção de padrões 26,6% internacionais de transparência. Desta forma, reforça sua credibilidade junto ao mercado e aprimora o rela- FmP - FGTs Petrobras cionamento com seus públicos de interesse: acionistas, 3,7% investidores, clientes, fornecedores, empregados e so- ciedade, entre outros. estrangeiros (Resolução nº 2.689 c.m.N.) 3,6% Entre os instrumentos disponíveis para garantir a boa governança corporativa na companhia, destacam- Demais pessoas físicas e jurídicas se o Código de Boas Práticas e o Código de Ética. Para 8,5% evitar a ocorrência de conflitos de interesse, a Petrobras adota um Código de Boas Práticas, que trata de políticas internas como a Política de Divulgação de Informações sobre Ato ou Fato Relevante e a Política de Negociação com Valores Mobiliários, entre outras. Essas políticas capital não votante - aÇões preferenciais estão relacionadas ao uso de informações privilegiadas e de conduta dos administradores e funcionários da bNDesPar Administração Superior da Petrobras. 8,5% O Código de Ética, por sua vez, define com clareza os princípios éticos que norteiam as ações do Sistema ADR, Nível 3 e Regra 144-A Petrobras, que incluem: respeito à vida, integridade, 33,4% verdade, honestidade, justiça, equidade, lealdade ins- titucional, responsabilidade, mérito, transparência, estrangeiros (Resolução no 2.689 c.m.N.) legalidade e impessoalidade. Trata-se, portanto, de um 13,6% compromisso público da companhia de fazer valer es- ses princípios em práticas concretas. Demais pessoas físicas e jurídicas 37,5% A Comissão de Ética da Petrobras, designada pela Diretoria Executiva, tomou posse em 2008. É vinculada à r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 23
    • GOVeRNANçA cORPORATIVA Presidência e tem como finalidade promover a gestão da capital social ética na companhia, atuando como fórum para discus- são. A criação da Comissão atribui um caráter formal e união Federal oficial ao Sistema de Gestão da Ética na Petrobras. 32,2% Em 2008, a Comissão de Governança Corporativa bNDesPar prosseguiu com as atividades de acompanhamento e 7,6% monitoramento da legislação e demais regulamentações ADR (Ações ON) pertinentes, analisando a adequação e a aplicação dos 15,4% instrumentos de governança adotados na companhia. ADR (Ações PN) Em atendimento à SOX, a Petrobras informa em seu 14,1% relatório 20-F (Form 20-F, exigido pela SEC) que um dos FmP - FGTs Petrobras 2,1% nove membros do Conselho de Administração, eleitos na Assembleia Geral Ordinária de 4 de abril de 2008, é estrangeiros (Resolução nº 2.689 c.m.N.) 7,9% especialista financeiro. Demais pessoas físicas e jurídicas 20,7% controles internos A Petrobras concluiu a Certificação de Controles In- ternos de 2007, em atendimento à Seção 404 da Lei Sarbanes-Oxley. Os relatórios financeiros consolidados da Petrobras e PIFCo do exercício de 2007 foram cer- A Comissão de ética da Petrobras, tificados e arquivados em 2008, sem ressalvas dos au- ditores independentes, repetindo o êxito alcançado no designada pela Diretoria Executiva, tomou exercício de 2006. posse em 2008, com a finalidade de Com vistas ao processo de certificação de 2008, promover a gestão da ética na companhia, cuja finalização ocorrerá em 2009, a área de Controles Internos manteve o assessoramento aos gestores das atuando como fórum para discussão empresas do escopo da certificação, que concluíram, com sucesso, a autoavaliação dos controles internos. Os testes realizados pelas unidades de Auditoria Interna, vinculadas aos Conselhos de Administração, encon- tram-se em fase final. A companhia busca adotar as melhores práticas mundiais de controles internos, incluindo o gerencia- mento integrado dos controles em nível de entidade e de processos; a análise e revisão contínua do mapeamento de riscos nos processos; a extensão gradativa dos contro- les essenciais às unidades da companhia; e o desenvolvi- mento de programas contínuos de formação de gestores em conceitos e ferramentas padronizadas de mapeamen- to de processos e avaliação de seus riscos e controles. ■ 24 r e s u lta d o s e g e s tã o
    • ESTRuTuRA DE GoVERNANÇA CoRPoRATIVA Na estrutura de Governança corporativa estão o conselho de Administração e seus comitês, a Diretoria executiva, o conselho Fiscal, a Auditoria Interna, a Ouvidoria Geral, o comitê de Negócios e os comitês de Gestão. Conselho de Administração Órgão de natureza colegiada e com autonomia dentro de suas prerrogativas e responsabilidades, estabelecidas por lei e pelo estatuto social, tem como principais atribuições fixar as diretrizes estratégicas da companhia e supervisionar os atos de gestão da Diretoria exe- cutiva. O conselho tem nove integrantes, eleitos em Assembleia Geral Ordinária para mandatos de um ano, permitida a reeleição. sete representam o acionista controlador; um representa os acionistas minoritários titulares de ações ordinárias, e outro, os acionistas titulares de ações preferenciais. Diretoria Executiva exerce a gestão dos negócios, em sintonia com a missão, os objetivos, as estratégias e as diretrizes fixadas pelo conselho de Administra- ção. é composta pelo presidente e seis diretores eleitos pelo conselho para mandatos de três anos, permitida a reeleição, podendo ser destituídos a qualquer tempo. somente o presidente é membro do conselho de Administração, sem, no entanto, presidir o órgão. Conselho Fiscal Permanente e independente da Administração, como prevê a lei das sociedades Anônimas, é composto por cinco membros, com mandatos de um ano, permitida a reeleição. um deles representa os acionistas minoritários; outro, os acionistas titulares de ações preferenciais; e três atuam em nome da união – um deles indicado pelo ministro da Fazenda, como representante do Tesouro Nacional. cabe ao conselho Fiscal representar os acionistas em sua função fiscalizadora, acompanhando os atos dos administradores e verificando o cumprimento de seus deveres legais e estatutários, bem como defender os interesses da companhia e dos acionistas. Auditoria A Auditoria Interna planeja, executa e avalia as atividades de auditoria interna e atende às solicitações da Alta Administração e de órgãos externos de controle. A companhia se vale também de auditoria externa, escolhida pelo conselho de Administração, com restrição de prestação de serviços de consultoria. é obrigatório, a cada cinco anos, o rodízio entre empresas de auditoria. ouvidoria Geral Vinculada ao conselho de Administração, a Ouvidoria Geral planeja, orienta, coordena e avalia atividades que visem acolher opiniões, sugestões, críticas, reclamações e denúncias dos públicos de relacionamento da companhia, promovendo as apurações decorrentes e as providências a adotar. Atua como canal para recebimento e processamento de denúncias a respeito de questões contábeis, controles inter- nos e auditoria, incluindo a submissão confidencial e anônima por empregados, de modo a atender às exigências da lei sarbanes-Oxley. Comitês do Conselho de Administração são três comitês: Auditoria; meio Ambiente; e Remuneração e sucessão. seus integrantes pertencem ao conselho e o assessoram no cumprimento das responsabilidades de orientação e direção superior da companhia. Comitê de Auditoria Atendendo totalmente às exigências da lei sarbanes-Oxley, é composto por três membros independentes do conselho de Administração, sendo seu presidente um especialista financeiro – de acordo com as definições da securities and exchange commission (sec). Tem como função analisar questões relacionadas à integridade dos relatórios financeiros em us GAAP e à eficácia dos controles internos, e supervisionar os auditores externos e internos da Petrobras. Comitê de Negócios Fórum de integração, atua na promoção do alinhamento entre o desenvolvimento dos negócios, a gestão da companhia e as diretrizes do Plano estratégico, dando suporte ao processo decisório da Alta Administração. Comitês de Gestão Fóruns para amadurecimento e aprofundamento de temas a serem apresentados ao comitê de Negócios, com o qual trabalham de forma arti- culada. esta integração também existe entre os comitês de Gestão e em seu relacionamento com os comitês do conselho de Administração. A companhia conta atualmente com os seguintes comitês de Gestão: exploração e Produção; Abastecimento; Gás e energia; Recursos humanos; segurança, meio Ambiente e saúde; Análise de Organização e Gestão; Tecnologia da Informação; controles Internos; Riscos; Tecnologia Petrobras; Responsabilidade social e Ambiental; e marketing e marcas. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 25
    • GOVeRNANçA cORPORATIVA organização Geral da Petrobras Aprovado pelo conselho de Administração em outubro de 2000, o modelo de organização da Petrobras vem sendo aprimorado para se ajustar ao Plano estratégico. em 2008, foram promovidas mudanças na estrutura organizacional, que resultaram na implementação de novo modelo de organização e gestão em unidades da companhia e na criação da gerência executiva de Pré-sal na Área de Negócio exploração e Produção. Na Área Financeira, foi criado o centro de Operações Financeiras Petrobras, que passa a executar, de forma concentrada, transações financeiras, contábeis e tributárias. As atividades relacionadas a biocombustíveis foram transferidas para a nova subsidiária integral, Petrobras biocombustível s.A. Também se deu continuidade à transferência das atividades de telecomunicações para a Área de serviços, com a criação da gerência executiva de Tecnologia da Informação e Telecomunicações. Além disso, para unidades no exterior vinculadas à Área de Negócio Internacional, foram aprovados projetos de reestruturação. CA CF Conselho Conselho de Fiscal Administração Ouvidoria Geral Auditoria Interna Diretoria Presidente Executiva estratégia e Desempenho Desenvolvimento de empresarial sistemas de Gestão Novos Negócios Jurídico Recursos humanos secretaria Geral comunicação Institucional Gabinete do Presidente da Petrobras Exploração Financeira Gás e Energia Abastecimento Internacional Serviços e Produção segurança, meio corporativo corporativo corporativo corporativo corporativo Ambiente e saúde Planejamento logística e engenharia suporte Técnico Financeiro e Participações logística materiais de Produção aos Negócios Gestão de Riscos em Gás Natural Operações e Pesquisa e Desenvolvimento Finanças Participações serviços Refino Desenvolvimento de Negócios em energia (cenpes) Desenvolvimento Petroquímica contabilidade exploração cone sul engenharia energético e Fertilizantes Tecnologia da marketing e marketing e Américas, África Tributário Pré-sal Informação e comercialização comercialização e eurásia Telecomunicações Relacionamento serviços Norte-Nordeste com Investidores compartilhados sul-sudeste 26 r e s u lta d o s e g e s tão eix
    • gerenciamento de riscos CoNTRolE DE RISCoS AlINHADo ÀS METAS DE CRESCIMENTo os resultados da Petrobras são influenciados por variáveis de mercado, como o preço do petróleo e seus derivados, as taxas de juros interna e externa e taxas de câmbio, além de outras classes de riscos naturalmente relevantes » nos segmentos de negócio da companhia. o gerenciamento de riscos se faz de forma alinhada aos objetivos e metas corporativos. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 27
    • GeReNcIAmeNTO De RIscOs seguros de riscos de petróleo e riscos operacionais 70.000 0.30% 60.000 0.25% 50.000 0.20% 40.000 0.15% 30.000 0.10% 20.000 0.05% 10.000 0 0.00% 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Valor segurado us$ milhões Prêmio us$ mil Taxa% Toda a estrutura integrada de gestão de riscos – cons- derivativos, limitando seu uso apenas a operações de tituída por políticas e diretrizes provenientes de orien- proteção, sob rígido controle. tações dos altos executivos, pelo Comitê de Gestão de Riscos e por sistemas de identificação, quantificação, crédito resposta e controle de riscos – evolui continuamente, A companhia adota uma política de concessão e de re- seguindo as mais avançadas práticas de governança, na visão dos créditos de seus clientes, de acordo com os busca do equilíbrio entre o grau de tolerância a riscos e preceitos da Lei Sarbanes-Oxley (SOX). Os créditos são as metas de crescimento e expectativa de rentabilidade aprovados, após análise, conforme os níveis de compe- propostas no Plano de Negócios. tência, incluindo as Comissões de Crédito e os diretores financeiro e comercial da área de contato do cliente. riscos de mercado O controle da utilização do crédito pelos clientes, no Ao gerenciar os riscos do mercado de petróleo e seus de- País e no exterior, é feito de forma centralizada, contem- rivados a partir da avaliação periódica e sistemática da plando as subsidiárias Petrobras International Finance exposição líquida consolidada do risco de preço, a compa- Company (PifCo), Petrobras Finance Limited (PFL), Pe- nhia manteve a prática de limitar as operações com deri- trobras Singapore Private Limited (PSPL) e Petrobras vativos a transações específicas de curto prazo, de até seis International Braspetro B.V. (PIB BV), em Roterdã. meses. Assim, utiliza contratos futuros, swaps e opções Os processos de concessão e controle do crédito são para proteger o resultado de algumas operações físicas, aprimorados constantemente, para dar melhor supor- atendendo aos limites de uma diretriz específica para ges- te ao crescimento sustentável da atividade comercial, tão de riscos de commodities. Da mesma forma, em relação principalmente no exterior, possibilitando maior apro- às exposições relacionadas a taxas de câmbio e juros, são ximação com os clientes e a utilização do crédito como consideradas posições de caixa, dívida e transações co- instrumento comercial. merciais para quantificação da exposição líquida da com- Diante do cenário de crise mundial, a companhia panhia e eventual atuação no mercado de derivativos. está ainda mais cautelosa na concessão de crédito a A Petrobras adota uma política de gestão de ris- seus clientes, com o objetivo de manter a inadimplência cos restritiva quanto à utilização de instrumentos extremamente baixa. 28 r e s u lta d o s e g e s tão eix
    • A política da Petrobras em relação ao mercado de seguros estabelece a divulgação permanente das práticas de gestão de riscos e a comunicação ágil e transparente de informações relevantes sobre os sinistros seguros contratação de seguros, os ativos são avaliados a partir O prêmio final das principais apólices da Petrobras (ris- do custo de reposição. O limite máximo de indenização cos operacionais e riscos de petróleo), em termos absolu- (LMI) da apólice de riscos operacionais é de US$ 800 tos, aumentou 7% em 2008, totalizando US$ 27,9 milhões. milhões, considerando-se o dano máximo provável das Como o valor dos ativos segurados cresceu 28%, atin- instalações. O LMI da apólice de riscos de petróleo é de gindo US$ 61,3 bilhões, verificou-se uma redução relati- US$ 1,1 bilhão, o maior valor de reposição das platafor- va do prêmio, da ordem de 17%. mas da Petrobras. A política da Petrobras em relação ao mercado de A maior parte do risco da companhia está ressegu- seguros, tanto no Brasil quanto no exterior, estabele- rada no mercado internacional. As atividades no exte- ce a divulgação permanente das práticas de gestão de rior são seguradas ou resseguradas, em parte, pela Bear riscos e a comunicação ágil e transparente de informa- Insurance Co. Ltd., seguradora cativa da Petrobras, ções relevantes sobre os sinistros. com sede nas Bermudas. ■ A companhia assume parcela expressiva de seu ris- co, contratando franquias que podem chegar a US$ 50 milhões. A Petrobras não faz seguros de lucros cessan- tes, controle de poço e da malha de dutos no Brasil. As plataformas, refinarias e outras instalações são cobertas por apólices de riscos operacionais e riscos de petróleo. Os projetos e as instalações em construção com po- tencial de dano máximo provável superior a US$ 50 mi- lhões estão protegidos contra riscos de engenharia por seguro contratado pela companhia ou pelas empreitei- ras. A movimentação de cargas é coberta com apólices de transporte, enquanto as embarcações estão protegi- das por seguro de casco e máquinas. A responsabilidade civil e os riscos ambientais também são cobertos. Na r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 29
    • financiamentos PlANo DE CAPTAÇão é BEM-SuCEDIDo O ano de 2008 apresentou elevada volatilidade nos mercados financeiros, em especial no segundo semestre, quando os efeitos da crise iniciada no mercado de crédito imobiliário dos Estados unidos se alastraram para a economia mundial. Os reflexos da crise se intensificaram no setor financeiro e provocaram impactos na economia » real. Isso reduziu drasticamente as oportunidades de acesso ao mercado de crédito, elevando os custos de novas operações. 30 r e s u lta d o s e g e s tão eix
    • Mesmo assim, a Petrobras foi bem-sucedida na imple- Foram contratadas operações em real, totalizando um mentação de seu plano de captação em 2008 e manteve, valor correspondente a US$ 2,86 bilhões. No mercado ao longo do ano, a estratégia de buscar oportunidades bancário internacional foram contratadas linhas no para acessar o mercado quando a volatilidade e o custo valor de US$ 580 milhões. Em ambos os mercados, a estavam em níveis mais baixos. No mercado internacio- tônica das contratações foi atender aos objetivos estra- nal de capitais, a Petrobras International Finance Com- tégicos da Petrobras e prover o caixa com os recursos pany (PIFCo), subsidiária integral da Petrobras, reabriu necessários às atividades da companhia. A contratação em janeiro de 2008 seu título com cupom de 5,875% e desses recursos foi realizada com preços competitivos, vencimento em março de 2018. O montante desta rea- levando-se em conta as alterações de mercado decor- bertura foi de US$ 750 milhões, e o retorno oferecido ao rentes da crise internacional. investidor atingiu 5,860% ao ano. Esta emissão foi con- Nos financiamentos pelas Agências de Crédito à Ex- siderada um sucesso, atingindo o menor custo histórico portação (Export Credit Agencies – ECA), a Petrobras, de uma companhia brasileira no mercado de dívida em por intermédio da PNBV, captou US$ 1,5 bilhão. Desse to- dólares, sendo distribuída para mais de 60 investidores, tal, US$ 200 milhões foram financiados pelos bancos BNP a maioria dedicada ao mercado de renda fixa de empre- Paribas (França), Sumitomo (Japão) e BBVA (Espanha), sas com grau de investimento. com seguro de crédito da Sace, agência italiana; cerca de A companhia captou R$ 400 milhões no mercado US$ 800 milhões foram captados junto aos bancos japo- doméstico por meio de emissões privadas de Certifi- neses Sumitomo, Mizuho e Tokyo Mitsubishi, com seguro cados de Recebíveis Imobiliários (CRI), adquiridos em de crédito da Nexi, agência japonesa; e US$ 500 milhões sua totalidade por instituições financeiras. Estes re- foram financiados pela EDC, agência canadense. cursos foram destinados a dois projetos: extensão do Para amparar os negócios da companhia, foram dique seco, no Rio Grande do Sul, para possibilitar a contratadas garantias bancárias, nos mercados domés- construção e reparo de mais plataformas, e constru- tico e internacional, no montante de US$ 10,3 bilhões, ção da nova sede administrativa na cidade de Vitória. valor 52,1% acima do verificado no ano anterior. Mesmo diante de um mercado de capitais retraído, o custo destas captações revelou-se bastante atrativo, e financiamentos estruturados o prazo de pagamento foi de até 15 anos. Para a con- Na área de Gás e Energia, o Banco Nacional de Desenvol- clusão do prédio em Vitória ainda serão necessários vimento Econômico e Social (BNDES) desembolsou para o aproximadamente R$ 300 milhões, que a Petrobras projeto Gasene (gasoduto de interligação Sudeste-Nordes- pretende captar no mercado de capitais, a depender te) US$ 750 milhões, referentes à operação de repasse do das condições apresentadas. China Development Bank. Em fevereiro, os empréstimos- No mercado bancário, 2008 foi marcado pelo retor- ponte até então contratados com o BNDES foram quita- no consistente da Petrobras às captações no mercado dos com os recursos do financiamento de longo prazo doméstico, impulsionada pela restrição de crédito in- contratado em dezembro de 2007 com o mesmo banco. ternacional e pelas flexibilizações nos limites do siste- A Companhia Mexilhão do Brasil (CMB), sociedade ma bancário brasileiro para empréstimo à companhia. de propósito específico (SPE), assinou com o BNDES um r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 31
    • FINANcIAmeNTOs Obras de construção de trecho do gasoduto urucu-coari-manaus, na Amazônia contrato de financiamento no valor de R$ 528 milhões, Ao longo do ano, a Petrobras manteve a já desembolsados, destinado à construção da Platafor- ma de Mexilhão 1 (PMXL-1), a ser operada pela Petro- estratégia de buscar oportunidades para bras. O financiamento terá vigência durante a fase de acessar o mercado quando a volatilidade construção da plataforma, podendo ser substituído e o custo estavam em níveis mais baixos posteriormente por outro de longo prazo. Em relação ao Projeto Urucu-Coari-Manaus, o BNDES desembolsou, ao longo de 2008, R$ 1,03 bilhão, referen- te à linha de financiamento de longo prazo no valor de R$ 2,49 bilhões contratada em dezembro de 2007. Foram realizadas as etapas iniciais para a adequa- ção financeira de alguns projetos, visando estruturar futuras captações de recursos ao longo do exercício de 2009. Entre os projetos trabalhados para esta finalidade, encontram-se o Projeto Belém, Projeto CBIO Itarumã, a Central de Utilidades do Comperj e o Porto de Suape. ■ 32 r e s u lta d o s e g e s tão eix
    • recursos humanos CAPITAl HuMANo é ESTRATéGICo PARA A PETRoBRAS Os altos investimentos em desenvolvimento e treinamento, a entrada de novos empregados e a preocupação com a » sustentabilidade marcaram a atuação da área de Recursos humanos em 2008. O reconhecimento externo desse esforço transparece nas premiações recebidas. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 33
    • RecuRsOs humANOs efetivo sistema petrobras efetivo petrobras controladora exploração e Produção 23.033 74.240 68.931 Abastecimento 12.586 62.266 6.775 12.266 serviços 6.783 11.941 53.904 8.689 6.857 7.454 52.037 cedidos 6.166 7.197 5.939 7.007 2.262 corporativo 2.150 Pesquisa 2.012 Financeira 1.580 50.207 empregados em curso de Formação 40.541 39.091 55.199 47.955 1.419 Gás e energia 2004 2005 2006 2007 2008 905 Internacional Petrobras controladora controladoras e coligadas - 563 unidades no exterior brasil Pelo quarto ano consecutivo, a Petrobras foi eleita a “Em- presa dos Sonhos dos Jovens” em pesquisa espontânea efetivo petrobras exterior realizada pela Companhia de Talentos. Segundo a pes- Argentina quisa, os desejos e expectativas dos jovens são formados 4.812 por fatores como bons salários e benefícios, infraestru- bolívia tura de trabalho, crescimento profissional, boa imagem 456 no mercado, investimento em cursos e treinamento. A colômbia 319 Petrobras também recebeu o prêmio Top of Mind de RH uruguai 2008, na categoria Programa de Retenção de Talentos. 274 A premiação reconhece as empresas pela lembrança euA 251 da sociedade em determinado segmento. Pelo terceiro Paraguai ano consecutivo, a Petrobras foi benchmark no critério 226 “Desenvolvimento do Capital Humano”, dos Dow Jones Japão Sustainability Indexes (DJSI). 210 Venezuela 91 evoluÇão do efetivo Angola Para acompanhar o crescimento da companhia e aten- 41 der às metas do Plano de Negócios 2009-2013, a Petro- Nigéria 36 bras realizou três processos seletivos em 2008, regis- méxico trando em um deles o recorde de inscrições: 451.712 25 candidatos concorreram a 2.611 vagas no País inteiro. líbia A companhia encerrou o ano com efetivo de 55.199 em- 19 pregados, tendo sido admitidos 5.565 profissionais em Turquia 11 2008. Considerando-se toda a Petrobras, incluindo as chile empresas controladas e coligadas e as unidades no ex- 4 terior, o efetivo somou 74.240 empregados. 34 r e s u lta d o s e g e s tão eix
    • efetivo controladas usuários e beneficiários x custo líquido (petrobras) 832 102 599 578 510 469 424 271 263 255 249 237 4.402 6.930 121 117 112 111 107 2004 2005 2006 2007 2008 Total de usuários (em milhares - média mensal) Petrobras Distribuidora/liquigás Refap Total de beneficiários (em milhares) Transpetro Petroquisa custo líquido total Petrobras (em milhões) evoluÇão dos custos dos benefícios educacionais por modalidade (R$ mIlhões) 72,4 64,6 59,2 54,5 54,0 34,6 31,6 29,7 25,2 24,0 21,6 20,0 19,5 18,6 16,8 1,2 1,0 1,0 1,0 0,8 0,7 0,6 0,7 0,4 0,4 2004 2005 2006 2007 2008 ensino Fundamental ensino médio Pré-escolar Auxílio-Acompanhante Auxílio-creche assistência multidisciplinar tência Pré-Escolar, Ensino Fundamental e Ensino Médio. de saúde A companhia investiu R$ 130,6 milhões nesses benefí- Em 21 mil pontos de atendimento da Assistência Mul- cios, atendendo 29.880 filhos de 21.627 empregados. tidisciplinar de Saúde (AMS), foram atendidos 121 mil beneficiários, entre empregados, dependentes, apo- acordo coletivo sentados e pensionistas, totalizando um custo para a Após negociações com os sindicatos, a Petrobras fir- companhia de R$ 599 milhões em consultas, exames e mou o Acordo Coletivo de Trabalho 2008 referente internações em 2008. às cláusulas econômicas. As tabelas salariais foram corrigidas em 6,17% (IPCA), e a Remuneração Míni- benefícios educacionais ma por Nível e Regime, em 9,89%. Também foi paga Em 2008, a Petrobras reajustou a tabela de benefícios gratificação no valor de uma remuneração. Foram educacionais e fez revisões nos percentuais de reembolso mantidas as cláusulas sociais do Acordo Coletivo de aplicados na tabela do Auxílio-Ensino, que inclui Assis- Trabalho 2007, cuja validade é de dois anos. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 35
    • RecuRsOs humANOs política salarial ise e nce - petrobras controladora A Petrobras Além da remuneração fixa de seus empregados, com- posta por gastos com salários, vantagens, adicionais e realizou três 78% 78% encargos, a Petrobras considera também como custo de 77% 77% processos 73% 69% pessoal as despesas referentes aos benefícios de previ- 68% 68% 66% 66% seletivos dência complementar, Assistência Multidisciplinar de Saúde (AMS) e Auxílio Educacional. em 2008, O custo de pessoal em 2008 totalizou R$ 9,9 bilhões, registrando 14% acima do ano anterior. Além do reajuste salarial em um deles e da expansão de 10% do efetivo, também contribuiu para o aumento do custo de pessoal o crescimento ve- o recorde de getativo da folha de pagamento, decorrente de anuê- inscrições: nios e progressão dos empregados na carreira. Conside- 451.712 rando toda a Petrobras, com as empresas controladas e coligadas e as unidades no exterior, esse valor atingiu candidatos 2004 2005 2006 2007 2008 R$ 12,9 bilhões. Ise A Participação nos Lucros e Resultados relativa ao Nce exercício de 2007 foi distribuída a todos os empregados da Petrobras no País em duas parcelas, pagas em janei- ro e agosto de 2008, totalizando R$ 1 bilhão. econômica mundial e, na Petrobras, no contexto de intensificação das medidas de disciplina de capital. ambiência organizacional A Petrobras realiza anualmente uma pesquisa de desenvolvimento de Ambiência Organizacional, que possibilita aos em- recursos humanos pregados expressarem suas opiniões e expectativas Mais uma vez, o Desenvolvimento de Recursos Hu- em relação à companhia, indicando melhorias que manos balizou as ações de RH, levando a um investi- possam ser implementadas nas condições de trabalho mento de R$ 219,1 milhões, o que resultou em 190.923 e na relação empregado-empresa. Em 2008, a pesqui- participações do efetivo em cursos. O Homem-Hora sa indicou uma queda de três pontos percentuais no Treinado (HHT) médio anual por empregado em 2008 ISE (Índice de Satisfação do Empregado) da Petrobras foi de 103 horas, superior ao de empresas dos Estados Controladora, que caiu de 69% para 66% de favorabi- Unidos e Ásia, com 30 horas, da Europa, com 36, e do lidade. No caso do NCE (Nível de Comprometimento próprio Brasil, com 37,5, segundo estudos da American com a Empresa), foi registrada uma retração de qua- Society for Trainning and Development e da Associação tro pontos percentuais de favorabilidade, passando de Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento. 77% para 73%. A pesquisa foi aplicada em dezembro Grande parte dessas ações de desenvolvimento é de 2008 e janeiro de 2009, num cenário de incerteza realizada na Universidade Petrobras (UP). Em 2008, 36 r e s u lta d o s e g e s tão eix
    • Trabalhadores da Petrobras em frente à sede da companhia, no Rio de Janeiro foi inaugurado o novo prédio da UP no Rio de Janei- custo de pessoal - controladora (R$ mIlhões) ro, construído com base nos mais atuais conceitos de sustentabilidade. Esse prédio possui 107 salas de aula, incluindo nove laboratórios especiais e 25 de informáti- 9.945 ca, e ainda 35 cabines de educação à distância e 27 salas 8.717 de orientação pedagógica. Comprovando a excelência da Universidade Pe- 7.337 6.569 trobras, o Conselho Nacional de Educação aprovou o credenciamento especial do Sistema Educacional 5.206 Corporativo da Petrobras para a oferta de cursos de especialização, em nível de pós-graduação lato sensu, em Engenharia de Petróleo e Gás Natural, Geofísica do Petróleo e Gás Natural, e Processamento de Petróleo e Gás Natural. Com o credenciamento, a UP passa a ser reconhecida oficialmente pelo Ministério da Educação, e os diplomas emitidos para os três cursos passam a ter 2004 2005 2006 2007 2008 a mesma validade dos de qualquer universidade brasi- leira reconhecida pelo Governo Federal. Entre as iniciativas externas, o RH, em parceria com a Fundação Dom Cabral, desenvolveu e apresentou na Assembleia Geral da Globally Responsible Leadership Initiative Foundation uma metodologia para a forma- ção de líderes globalmente responsáveis, com base nos princípios do Pacto Global da ONU. ■ r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 37
    • petroquímica negócios exploração Distribuição fertilizantes energia 38 eixo
    • comercializ ação energia refino transporte proDução gás natural neGóCioS O ano de 2008 foi marcado pela atividade exploratória na camada pré-sal, construindo uma base para o aumento da produção de petróleo nas próximas décadas. Destaque para a importante descoberta na Bacia de Santos de uma acumulação de óleo leve e gás natural com volume recuperável estima- do entre 3 e 4 bilhões de barris de óleo equivalente na área conhecida como Iara. No segmento de gás natural, a ênfase ficou com o crescimento da produ- ção, que atingiu 51,1 milhões de m³/dia, 17,8% a mais do que no ano anterior. Os investimentos tiveram importante papel, beneficiando as unidades de refino, com a incorporação de novas tecnologias, e o segmento de biocombustíveis, área em que a companhia teve atuação fortalecida com a criação, em julho, da subsidiária integral Petrobras Biocombustível. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 39
    • exploração e produção DeScOBertaS garaNtem PrODuçãO futura o sucesso da atividade exploratória na seção pré-sal das bacias sedimentares brasileiras do sul e sudeste marcou o » ano de 2008. a partir desse sucesso a petrobras construirá os alicerces que sustentarão o crescimento da produção de petróleo nas próximas décadas. 40 n e G óei xo C oS
    • Na Bacia de Santos, em agosto, a companhia descobriu com BG Group (30%) e Repsol YPF (25%). Na mesma significativa acumulação de óleo leve e gás natural, com bacia, a companhia anunciou, em 2008, a descoberta volume recuperável estimado entre 3 e 4 bilhões de bar- de gás natural e condensado na área de Júpiter, loca- ris de óleo equivalente (boe) na área conhecida como lizada no bloco BM-S-24, operado pela Petrobras (80%) Iara (bloco original BM-S-11). Essa descoberta decorreu em parceria com a Galp Energia (20%). Além disso, o da perfuração do poço 1-RJS-656, a cerca de 230 km do consórcio formado pela Petrobras (66%), Shell (20%) e litoral da cidade do Rio de Janeiro, em lâmina d’água de Galp Energia (14%) comprovou a presença de petróleo 2.230 metros. A nova área soma-se à de Tupi, descoberta em reservatórios do pré-sal, no bloco BMS-8 (Bem-Te- em 2006 no mesmo bloco, com volume recuperável esti- Vi), em águas ultraprofundas na Bacia de Santos. mado entre 5 e 8 bilhões de boe, conforme anunciado em No litoral do Espírito Santo, ao norte da Bacia de novembro de 2007. A Petrobras detém 65% dessa conces- Campos, foram feitas duas descobertas importantes na são e está associada, na área, à BG Group e à Galp Ener- seção pré-sal do Parque das Baleias, nos campos de Ba- gia, que participam com 25% e 10%, respectivamente. leia Azul e Baleia Franca, com volume recuperável total Ainda na Bacia de Santos, a companhia identificou estimado entre 1,5 e 2 bilhões de boe (30 ºAPI). O volume a presença de petróleo leve (28 ºAPI) na área conhecida total de óleo estimado na área do Parque das Baleias, como Guará, na seção pré-sal. A jazida se localiza no incluindo os reservatórios acima e abaixo da camada de bloco BM-S-9, operado pela Petrobras (45%), em parceria sal, chega a aproximadamente 3,5 bilhões de boe. evolução da produção de óleo, lGn, CondenSado e GáS natural no BraSil (mil boeD) 5.097 4.137 1.177 3.314 797 2.513 634 2.176 2.065 2.055 1.958 463 1.790 1.758 1.752 321 1.568 273 277 274 250 252 265 232 3.340 2.680 1.684 1.500 1.540 1.336 2.050 3.920 1.855 1.493 1.792 1.778 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 meta meta projeção projeção 2009 2013 2015 2020 óleo, lgn e condensado gás natural r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 41
    • exploração e proDução ÍndiCe de SuCeSSo exploratório a produção de gás natural 55% 59% totalizou 50% 49% 44% 51,1 milhões 39% de m³/d, com 24% 23% um aumento de 17,8% 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 em relação a 2007 Em setembro, com o início do teste de longa duração do dos quais 37 aguardam avaliação. O índice de sucesso poço 1-ESS-103A, interligado à plataforma P-34, no campo de exploratório foi de 44%. Jubarte, no norte da Bacia de Campos, a companhia come- O custo médio de extração, sem participação go- çou a produzir na seção pré-sal do litoral do Espírito Santo. vernamental, foi de US$ 9,26 por boe, um acréscimo de novaS operaçÕeS — Ao longo do ano, duas novas 20,3% em relação ao ano anterior. Considerando as par- plataformas iniciaram suas atividades na Bacia de Cam- ticipações governamentais, o custo chegou a US$ 26,08 pos. Em abril, no campo de Badejo, começou a operar a por boe, 34,5% acima do verificado em 2007. Em reais, o plataforma FPSO Cidade do Rio das Ostras. Trata-se da custo médio de extração foi de R$ 17,08, 14,8% acima do primeira unidade projetada para produzir petróleo ex- registrado no ano anterior. Incluídas as participações trapesado, com capacidade de produção de 15 mil bpd governamentais, o custo foi de R$ 47,61, um aumento de e estocagem de até 200 mil barris de petróleo. Em no- 28,6% em relação a 2007. A diferença entre o custo em vembro, no campo de Marlim Leste, entrou em opera- dólar e em real decorreu da apreciação em 6% do real ção a plataforma P-53, com capacidade de produção de em relação à moeda norte-americana (dólar médio), em 180 mil bpd de óleo e 6 milhões de m³/d de gás natural. comparação com o período anterior. Em 2008, esses dois projetos, mais o aumento de pro- dução das plataformas instaladas em 2007 (FPSO Rio de produção de GáS natural Janeiro, Piranema, FPSO Cidade de Vitória, P-52 e P-54), A oferta de gás natural, no Brasil, registrou crescimento compensaram todo o declínio natural da produção e ainda expressivo. Isso se deveu, principalmente, à ampliação garantiram à companhia um aumento de 3,5% na produ- da capacidade do sistema de escoamento de gás e à en- ção de óleo e LGN, que alcançou a média de 1.855 mil bpd. trada em operação das plataformas P-52 e P-54 no cam- Durante o ano foram perfurados e concluídos 373 po de Roncador, no final de 2007, e dos novos sistemas poços para o desenvolvimento da produção, dos quais de produção instalados no campo de Peroá. 345 em terra e 28 no mar. Na área de exploração, foram A produção de gás natural totalizou 51,1 milhões perfurados 135 poços, sendo 88 em terra e 47 no mar, de m³/d, com um aumento de 17,8% em relação a 2007. 42 n e G óei xo C oS
    • Esse crescimento deverá manter-se em 2009 com o iní- produção de óleo, CondenSado e lGn no cio de operação das plataformas P-53, no final de 2008, BraSil - terra e Mar (lâmina D’água) (proDução total: 1.855 mil bpD) e P-51, no começo de 2009, além da continuidade na implementação de projetos do Plano de Antecipação da 11,7% Produção de Gás (Plangás). 14,7% deSCoBertaS de petróleo e GáS 10,7% Além das descobertas na seção pré-sal, a Petrobras obteve relevante sucesso na exploração em outras áreas no Brasil. O bloco BMS-40, em águas rasas na Bacia de San- tos, revelou uma acumulação de petróleo leve na área conhecida como Tiro. Teste realizado pela Petrobras — concessionária exclusiva do bloco — comprovou um 62,9% potencial de produção estimado em 12 mil bpd. Uma segunda descoberta de petróleo leve ocorreu no mes- terra 300 - 1.500 m 0 - 300 m > 1.500 m mo bloco, também em águas rasas, a 9,3 quilômetros de Tiro, na área de Sidon. Dados preliminares dessas duas áreas permitem estimar um volume recuperável de aproximadamente 150 milhões de boe neste bloco. Já na Bacia do Espírito Santo foi realizada mais produção de GáS natural no BraSil - terra e Mar (lâmina D’água) uma descoberta no campo de Golfinho, por meio (proDução total: 51.073 mil m3/Dia) do poço 4-GLF-23-ESS. As estimativas indicam um 9,9% potencial de 60 milhões de barris de petróleo recu- perável. E na parte sul da Bacia do Jequitinhonha, a perfuração do poço 1-BAS-147 comprovou a presença 32,7% de hidrocarbonetos em reservatórios arenosos acima da camada de sal e a cerca de 3.630 metros de pro- fundidade. O poço está na concessão BM-J-3, em que 30,5% a Petrobras (operadora) e a StatoilHydro são sócias, com 60% e 40%, respectivamente. Esse bloco está a 74 quilômetros da costa do estado da Bahia, em lâmina d’água de 2.354 metros. Esta descoberta abre grandes 26,9% perspectivas para essa bacia, onde a Petrobras possui mais duas concessões exploratórias, BM-J-4 e BM-J-5, terra 300 - 1.500 m 0 - 300 m > 1.500 m com 100% de participação. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 43
    • exploração e proDução O DeSafIO DO PrÉ-SaL a seção pré-sal das bacias sedimentares do sudeste e sul estende-se, de forma heterogênea, do sul da bacia de santos ao norte da bacia de campos, numa área de aproximadamente 800 km de comprimento por 200 km de largura, em águas pro- fundas e ultraprofundas. o polo pré-sal da bacia de santos é composto pelas áreas remanescentes dos blocos bm-s-8, bm-s-9, bm-s-10, bm-s-11, bm-s-21, bm-s-22 e bm-s-24. esse polo se localiza a cerca de 300 km da costa do estado do rio de Janeiro e em torno de 350 km da costa do estado de são paulo, em lâminas d’água que variam de 1.900 a 2.400 metros. com exceção do bloco bm-s-24 (Júpiter), todos os demais possuem planos de avaliação aprovados pela anp. esses planos preveem a perfuração de 22 poços de avaliação na área nos próximos cinco anos, juntamente com a execução de sete testes de longa duração (tlD). ainda no pré-sal da bacia de santos, onde a petrobras possui cerca de 60% dos interesses econômicos, a expectativa é que a produção de petróleo atinja a marca de 1 milhão de bpd em 2017, apenas 12 anos após a descoberta de parati no bloco bm-s-10, em 2005. as descobertas na seção pré-sal no norte da bacia de campos (parque das baleias), onde a petrobras detém a totalidade dos interesses econômicos, confirmam o potencial de toda a extensão da seção pré-sal nas bacias do sul e sudeste do brasil. em função da magnitude e do impacto nos diversos negócios da companhia, o polo pré-sal da bacia de santos exigirá que a concepção das estratégias de desenvolvimento, assim como o planejamento e execução dos projetos sejam conduzidos de forma integrada, envolvendo as diversas áreas da companhia. para coordenar essa complexa rede de competências, a petrobras criou, em 2008, uma gerência executiva na área de explo- ração e produção dedicada ao planejamento e à definição da estratégia de desenvolvimento dessa nova fronteira exploratória. também foi elaborado o plano Diretor de Desenvolvimento integrado do polo pré-sal (plansal), para potencializar os benefícios de uma visão integrada e de planejamento de longo prazo. o principal objetivo do plansal é identificar e priorizar o conjunto de estratégias a serem implementadas nas áreas impacta- das, considerando o estágio inicial de conhecimento das características das acumulações de petróleo recém-descobertas e as condições da indústria do petróleo no brasil, principalmente nos aspectos regulatórios, mercadológicos e de suprimento de recursos críticos. Entre as oportunidades geradas pelo desenvolvimento da camada pré-sal destacam-se: › criação de conhecimentos, programas tecnológicos e parcerias com universidades e institutos de pesquisas, fortalecendo a integração com a comunidade técnica brasileira e internacional; › ampliação das oportunidades de emprego, com formação de mão-de-obra especializada; › novas soluções de unidades, sistemas e polos de produção (equipamentos e logística); › Desenvolvimento da indústria de base e expansão das empresas de engenharia, indústria naval e correlatas, e grandes equipamentos. 44 n e G óei xo C oS
    • plataforma de produção p-53, no campo de marlim leste áreaS MarÍtiMaS e terreStreS reServaS provadaS A Petrobras declarou à Agência Nacional do Petróleo, As reservas provadas de óleo, condensado e gás natural Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em 2008, a via- da Petrobras no Brasil atingiram 14,09 bilhões de boe bilidade comercial de 18 descobertas, das quais 17 em em 2008 pelo critério ANP/SPE, volume que correspon- terra e uma no mar. Todas as áreas em terra foram in- de a um aumento de 1,2% em relação ao ano anterior. corporadas a campos vizinhos, já em produção. Desses Foram apropriados 920 milhões de boe em reservas e campos, três se localizam na Bacia Potiguar, cinco em produzidos 747 milhões de boe, adicionando às reservas Sergipe-Alagoas, um no Recôncavo e seis no Espírito provadas da companhia 173 milhões de boe. Com essa Santo. Ainda em terra, foi declarada a comercialidade incorporação, o Índice de Reposição de Reservas (IRR) dos campos de Corruíra, na Bacia do Espírito Santo, e se manteve em 123%. Isso significa que para cada barril Mutum, na Bacia de Sergipe-Alagoas. No mar, foi decla- de óleo equivalente produzido no ano foi acrescentado rado comercial o campo de gás na área de Camarupim 1,23 barril às reservas. O indicador reserva/produção Norte, continuação do campo de Camarupim, na parte (R/P) caiu de 19,6 para 18,9 anos. norte da Bacia do Espírito Santo. novoS BloCoS exploratórioS evolução daS reServaS provadaS no BraSil Na décima rodada de licitações da ANP, em dezembro critério spe (bilhões De boe) de 2008, a Petrobras adquiriu 27 blocos exploratórios, o equivalente a 50% dos 54 blocos leiloados, somando 14,09 13,92 20,3 mil km2. Os bônus oferecidos pela companhia e 0,75 0,92 seus parceiros totalizaram R$ 56,7 milhões. Desse total, R$ 40 milhões correspondem à parcela da Petrobras. Dos 27 blocos adquiridos, a companhia é operadora em 22, sendo 5 em associações e 17 com direitos exclusivos. Nos outros 5 blocos a operação cabe a seus parceiros. O portfólio de concessões exploratórias da com- panhia, com as aquisições e as devoluções efetuadas em 2008, passou a contar com 265 blocos, somando 142,3 mil km². Além disso, outras 35 áreas em operação, 2007 2008 com 12,7 mil km², encontram-se em fase de avaliação de descobertas. A área exploratória atual da Petrobras reserva incorporação de reservas produção em 2008 em 2008 totaliza 155 mil km². r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 45
    • exploração e proDução reServaS provadaS de óleo, lGn e GáS natural no BraSil critério spe (bilhões De boe) 14,08 13,92 13,75 13,23 13,02 12,59 2,12 2,08 2,12 11,01 1,87 1,97 1,99 9,67 1,45 1,35 11,80 11,36 11,05 11,67 11,96 8,32 9,56 2001 2002 2003 10,6 2004 2005 2006 2007 2008 óleo, lgn e condensado gás natural Em 2008, as apropriações em campos existentes por › Campo de Frade — Entrará em produção o FPSO meio de projetos de aumento de recuperação foram, em de Frade, com capacidade de 100 mil bpd de óleo parte, responsáveis pelo aumento das reservas prova- e 2,5 milhões de m³/d de gás natural, operado pela das. Também contribuíram para esse resultado as des- Chevron, com participação da Petrobras de 30%; cobertas em blocos exploratórios incorporados a campos › Parque das Conchas (área integrada pelos campos de produção existentes. O pré-sal do Espírito Santo adi- Ostra, Argonauta e Abalone) — Está previsto o cionou 128 milhões de boe às reservas provadas. início da produção do FPSO Espírito Santo, com capacidade de 100 mil bpd de óleo e 1,4 milhão projetoS para o futuro de m³/d de gás natural, operado pela Shell, com As descobertas na camada pré-sal merecerão atenção participação da Petrobras de 35%. especial, a começar pelo teste de longa duração (TLD) A produção de gás natural também se expandirá com no campo de Tupi, em 2009. Nesse teste será usado o vários projetos de produção de gás não associado. Três navio FPSO BW Cidade de São Vicente, com capacidade desses projetos fazem parte do Plangás: o FPSO Cidade de produção de 30 mil bpd. de São Mateus, com capacidade de 10 milhões de m³/d, Em 2009, quatro novos sistemas deverão começar a no campo de Camarupim (Bacia do Espírito Santo); a produzir na Bacia de Campos: interligação de um poço do campo de Canapu ao FPSO › Campo de Marlim Sul, Módulo 2 — Está Cidade de Vitória (Bacia do Espírito Santo), com capaci- previsto o início das atividades da P-51, primeira dade de 2 milhões de m³/d; e a interligação de um poço plataforma integralmente construída no Brasil, de Lagosta à plataforma de Merluza (Bacia de Santos), com investimentos superiores a US$ 1 bilhão, com com 1,8 milhão de m³/d. capacidade para produzir 180 mil bpd de óleo e 6 Ainda em 2009, no campo de Manati, no estado da milhões de m³/d de gás natural; Bahia, a plataforma terá a capacidade de produção am- › Campo de Marlim Leste — Está programada a pliada para 8 milhões de m³/dia de gás natural. ■ entrada em operação do FPSO Cidade de Niterói, com capacidade para produzir 100 mil bpd de óleo e 3,5 milhões de m³/d de gás natural; 46 n e G óei xo C oS
    • refino e CoMerCialização avaNçOS tecNOLógIcOS ImPuLSIONam O refINO as 11 refinarias da Petrobras instaladas no País processaram 1.765 mil bpd de carga fresca e produziram 1.787 mil bpd » de derivados, em 2008, utilizando, em média, 90,9% da capacidade de refino. Do volume total do petróleo processado, 77,9% vieram dos campos brasileiros. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 47
    • refino e comercialização produção MenSal de dieSel eM 2008 produção, deManda e venda de (adiCional) (bpD De óleo Diesel) derivadoS (mil bpD) 40.354 1.947 39.353 36.909 1.895 1.821 1.755 1.766 27.480 1.795 1.787 1.764 1.735 1.696 1.748 1.725 1.677 14.704 1.637 1.644 2.862 2004 2005 2006 2007 2008 Julho agosto setembro outubro novembro Dezembro Demanda de derivados Volume de vendas produção de derivados de derivados Em julho, foi criado um programa para maximizar a refinarias Henrique Lage (Revap), Getúlio Vargas (Re- produção de óleo diesel a partir da otimização das con- par), Capuava (Recap) e Landulpho Alves (RLAM) – e da dições operacionais das refinarias. Com esse programa, gasolina, nas refinarias de Presidente Bernardes (RPBC), a Petrobras deixou de importar 4,9 milhões de barris Duque de Caxias (Reduc), Gabriel Passos (Regap), Lan- de diesel, o que significou uma economia da ordem de dulpho Alves (RLAM), Getúlio Vargas (Repar), Henrique US$ 457 milhões. Lage (Revap), Capuava (Recap) e Paulínia (Replan). A Petrobras vem investindo em novas unidades de Em 2008, foram concluídos os projetos nas refina- refino e em melhorias tecnológicas para converter o rias Gabriel Passos e Getúlio Vargas para adotar a tec- óleo pesado produzido no Brasil em derivados de maior nologia HBIO, que possibilita a inclusão de óleo vegetal valor. Esses investimentos se fazem mais prementes de- na corrente de diesel, resultando em produto de alta vido ao aumento da produção nacional com perfil de pureza. As refinarias Presidente Bernardes, Henrique óleo pesado. Em 2008, entrou em produção a unidade Lage, Duque de Caxias e Paulínia também estão adotan- de coqueamento retardado da Refinaria Duque de Ca- do o uso dessa tecnologia pioneira da Petrobras, que traz xias (Reduc). Em 2009, o mesmo ocorrerá na Refinaria avanços na qualidade do diesel e na proteção ambiental. Henrique Lage (Revap) e, em 2011, na Presidente Getú- Já a capacidade de produção de propeno, produto de lio Vargas (Repar). alto valor agregado, cresceu com a entrada em opera- Esses investimentos conferem maior flexibilidade à ção da unidade de propeno da Refinaria Henrique Lage companhia para definir a cesta de derivados a ser pro- e com os investimentos e otimizações de processo na duzida de acordo com a demanda e os preços de mer- Refinaria de Capuava, levando a Petrobras a disponibi- cado, podendo-se optar pelo uso de óleo importado – lizar ao mercado 335.921 toneladas. Somadas às 64.689 mais leve e que possibilita produzir derivados de maior toneladas produzidas pela Refap S.A., a oferta totalizou valor – ou pelo refino do óleo pesado nacional. 400.610 toneladas. As unidades de propeno das refina- A melhoria de qualidade dos produtos recebeu rias Gabriel Passos (Regap) e Paulínia (Replan), com iní- importantes investimentos em 2008. Estão em anda- cio de produção previsto para 2009, acrescentarão 370 mil mento projetos destinados à qualidade do diesel – nas toneladas anuais à capacidade instalada da Petrobras. 48 neGóCioS
    • em 2008, a petrobras comercializou 1.748 mil bpd de derivados de petróleo no mercado interno, um aumento de 1,3% em relação a 2007 novoS eMpreendiMentoS primeira fase prevista para 2013, e da segunda para 2015. Com previsão para operar a plena carga em 2011, a Re- A Premium II será construída no Ceará, no Complexo finaria do Nordeste (Refinaria Abreu e Lima), em Per- Industrial e Portuário de Pecém, com capacidade para nambuco, terá capacidade para processar até 230 mil processar 300 mil bpd, e início de operação da primeira barris de petróleo pesado e produzirá até 162 mil bpd de fase projetado para 2014, e da segunda para 2016. diesel, seu principal produto. A refinaria também pro- duzirá GLP, nafta petroquímica, óleo combustível para CoMerCialização navios e coque de petróleo. O aumento da produção nacional de petróleo, a plena Foram executadas 65% das obras de terraplana- utilização da estrutura logística no Brasil e no exte- gem, e o projeto executivo será concluído em 2009. Os rior e o aproveitamento de oportunidades comerciais procedimentos licitatórios para a construção das uni- externas permitiram à Petrobras alcançar, em 2008, dades de processamento e utilidades também deverão excelentes resultados na comercialização, tanto no ser concluídos em 2009, mantendo-se em andamento o mercado interno quanto no externo. processo de aquisição de equipamentos. MerCado interno — Em 2008, a Petrobras comercia- refinariaS preMiuM — A Petrobras construirá lizou no mercado interno 1.748 mil bpd de derivados de duas refinarias premium para produzir derivados de petróleo, um aumento de 1,3% em relação a 2007. A com- elevada qualidade e baixo teor de enxofre a partir do panhia bateu o recorde de vendas em outubro, mês em processamento de petróleo pesado e ácido. O perfil de que os efeitos da crise internacional sobre as vendas co- produção dessas refinarias volta-se basicamente para meçaram a ser sentidos, comercializando 1.779 mil bpd. o diesel, com produção também de GLP, nafta, óleo Os principais produtos em volume de vendas foram o combustível, asfalto e QAV. Parte do coque produzido óleo diesel, a gasolina, o GLP, a nafta, o óleo combustível e será consumida nas próprias unidades para geração o QAV. Este último registrou o maior crescimento percen- de hidrogênio e energia. tual de vendas (7,1%), devido ao bom desempenho da eco- A Refinaria Premium I será construída no Maranhão nomia nacional, à valorização média do real e ao aumento e processará 600 mil bpd, com entrada em operação da do número de voos, principalmente internacionais. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 49
    • refino e comercialização refinaria Duque de caxias (reduc), no rio de Janeiro a exportação de petróleo em 2008 atingiu a marca inédita de 439 mil bpd, registrando um aumento de 24,4% em relação a 2007 As vendas de diesel subiram 6,1%, superando o cres- cimento da economia brasileira. O suprimento para atender às termelétricas no início do ano, bem como o aumento do PIB, da safra de grãos e de cana-de-açúcar e do investimento em obras públicas foram os principais fatores que impulsionaram as vendas desse derivado. Já as vendas de gasolina cresceram 4,3%, refletindo o crescimento de quase 60% da frota de veículos flex-fuel, compensando, assim, a queda da frota exclusivamente a gasolina. Esse comportamento do mercado automo- bilístico, no entanto, contribuiu muito mais para a sig- nificativa elevação do consumo de álcool. Além disso, verificou-se forte expansão do consumo das famílias, refletindo um aumento da renda familiar. A comercialização de GLP subiu 3,4%, resultado atrelado ao crescimento demográfico, ao maior consu- mo das famílias e ao maior uso industrial. As vendas de óleo combustível (sem bunker) sofreram redução de 9,4%, afetadas basicamente pela substituição do produ- to por outros energéticos. As vendas de nafta registra- ram queda de 9%, devido, principalmente, às paradas das centrais petroquímicas ao longo do ano. exportaçÕeS x iMportaçÕeS — A exportação de petróleo em 2008 atingiu a marca inédita de 439 mil bpd, registrando um aumento de 24,4% em relação ao ano anterior; já a de derivados caiu 10,7%, ficando em 50 n e G óei xo C oS
    • 234 mil bpd. As importações de petróleo totalizaram exportação e iMportação de derivadoS 373 mil bpd, com redução de 4,4%, enquanto as de deri- (mil bpD) vados aumentaram 33,1%, atingindo 197 mil bpd. Ao longo do ano, a maior atividade econômica do País repercutiu nos níveis de comercialização exter- na de derivados. Apesar do contínuo investimento 262 241 246 234 no parque de refino e do incremento da produção, a 228 Petrobras manteve seu perfil de importadora de desti- lados médios (diesel e querosene de aviação) e expor- 197 tadora de gasolina. 148 Em relação ao diesel, a importação foi da ordem de 118 109 100 mil bpd, indicando um crescimento de 20,5% em 94 relação a 2007, tendo como principais fontes de supri- mento os produtores do Médio e Extremo Oriente. O QAV registrou o crescimento de importação mais ex- 2004 2005 2006 2007 2008 pressivo (92,9%), totalizando 26,5 mil bpd. Em relação às exportações, a gasolina se mantém importação exportação o produto mais representativo, contabilizando 40 mil bpd em 2008, com queda de 31,4% em relação a 2007. Esse comportamento das exportações de gasolina con- exportação e iMportação de petróleo (mil bpD) diz com o crescimento na demanda interna e também com as paradas programadas em algumas unidades das refinarias da Petrobras. As operações offshore com petróleo e derivados rea- lizadas integralmente no exterior alcançaram a média 450 de 552 mil bpd, 5,8% menor que a de 2007. Já a consoli- 390 439 370 dação das operações de bunker de baixo teor de enxo- 352 373 fre no noroeste da Europa elevou em 51% as vendas do 335 353 produto em 2008. novoS produtoS — A Petrobras lançou o Add 263 Cleaner, um óleo combustível com aditivos de ação 181 dispersante e detergente. Testes nos laboratórios de combustão do Instituto de Pesquisa Tecnológica (IPT) do estado de São Paulo indicaram uma redução de 68% 2004 2005 2006 2007 2008 na emissão de material particulado em comparação importação exportação com um óleo combustível comum. ■ r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 51
    • petroquÍMiCa e fertilizanteS acOrDOS e INcOrPOraçõeS SeLam aLIaNçaS » a petrobras consolidou sua presença na área petroquímica, segmento estratégico que diversifica o portfólio de produtos e valoriza o petróleo e o gás natural. 52 n e G óei xo C oS
    • Em junho de 2008, Petrobras, Petroquisa e Unipar reu- ativos petroquímicos resultantes do Acordo de Inves- niram sob a Quattor Participações (inicialmente deno- timento firmado em 30 de novembro de 2007 entre Pe- minada Sociedade Petroquímica do Sudeste) todos os trobras, Petroquisa, Odebrecht, Norquisa e Braskem e ativos objeto do acordo de investimentos: 75% do capital aditivado em 14 de maio de 2008. Nesta fase, Petrobras total da Rio Polímeros, 76,6% do capital total da Suzano e Petroquisa aportaram na Braskem, por meio de sua Petroquímica, 77,2% do capital total da Petroquímica subsidiária integral Grust Holdings S.A., suas partici- União, 99,9% do capital total da Polietilenos União, e pações em diversos ativos petroquímicos: 36,5% do ca- todos os bens, direitos e obrigações que se relacionam à pital total da Copesul; 40% do capital total da Ipiranga operação da Unipar Divisão Química (UDQ). Química S.A. (IQ) e Ipiranga Petroquímica S.A. (IPQ); A Quattor Participações passou a ser controlada e 40% do capital total da Petroquímica Paulínia S.A. pela Unipar, com 60% do capital votante e total da so- (PPSA). Com essas operações e o posterior cancelamen- ciedade. A participação da Petrobras na Quattor Parti- to das ações em tesouraria, a Petrobras, em conjunto cipações passou a ser de 40% do capital votante e total, com a Petroquisa, aumentou sua participação de 8,1% distribuídos entre Petrobras e Petroquisa em 31,9% e para 31% no capital votante da Braskem (6,8% para 8,1%, respectivamente. 23,8% no capital total). Ao longo de 2008, a Quattor Participações promo- Em linha com o Acordo de Investimentos e com veu Ofertas Públicas de Ações (OPAs) na Quattor Petro- a conclusão da primeira fase do processo de consoli- química (antes denominada Suzano Petroquímica) e dação, Petrobras, Petroquisa, Odebrecht e Norquisa na Petroquímica União, aumentando sua participação assinaram novo Acordo de Acionistas da Braskem, nessas empresas. Além disso, essas operações resulta- ampliando os padrões de governança e possibilitando ram na descontinuidade das Práticas de Governança maior participação da Petrobras no processo decisório, Corporativa Nível 2 da Bovespa na Quattor Petroquími- que passou a indicar três conselheiros para o Conselho ca e no cancelamento do registro de companhia aberta de Administração (CA) e representantes para todos os da Petroquímica União. comitês de assessoramento ao CA. No fim do ano, a Quattor Participações detinha 75% Em 30 de setembro, a Braskem concluiu uma im- do capital total da Rio Polímeros, 99,3% do capital total portante etapa do processo de consolidação do setor da Quattor Petroquímica, 99,2% do capital total da Pe- petroquímico brasileiro, com a incorporação da PPSA, troquímica União e 100% do capital total da Polietile- da IPQ e, indiretamente, da própria Copesul, incorpora- nos União, além de todos os bens, direitos e obrigações da pela IPQ em 11 de setembro. As incorporações pro- relacionados à operação da UDQ. movem a simplificação da estrutura societária, favore- ConSolidação de ativoS — Em 30 de maio, foi con- cem a ampliação da competitividade da companhia e cluída a primeira fase do processo de consolidação de fortalecem o setor petroquímico nacional. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 53
    • petroquímica e fertilizantes projetoS As negociações para o ingresso de outro parceiro neste O complexo CoMplexo petroquÍMiCo do rio de janeiro (CoMperj) empreendimento integrado estão em andamento. — Processará 150 mil bpd de petróleo para produção Coquepar — Em parceria com a Brazil Energy e a Uni- Petroquímico do de matérias-primas petroquímicas e derivados a partir metal, a Petrobras construirá duas unidades de calcina- rio de Janeiro de 2012. Além da unidade petroquímica básica (UPB), ção de coque de petróleo, uma no Rio de Janeiro e outra no processará da central de utilidades e das unidades de segunda Paraná, valorizando a produção de coque verde. A capaci- geração, o Comperj terá um centro de capacitação de dade total de produção será de 700 mil toneladas/ano. 150 mil bpd empresas e trabalhadores e uma central de escoamento de petróleo a de produtos líquidos para terminais de carregamento fertilizanteS partir de 2012 na Baía de Guanabara. As obras de terraplanagem es- Em 2008, a Petrobras manteve a liderança no mercado tão em andamento. nacional de ureia e amônia, com vendas da ordem de 650 CoMpanhia petroquÍMiCa de pernaMBuCo (petro- mil toneladas de ureia e 200 mil toneladas de amônia quÍMiCaSuape) — Em agosto, a Citene, sócia da Petro- produzidas em suas duas fábricas. A comercialização quisa no empreendimento, manifestou a intenção de se dos dois produtos gerou receita bruta acima de R$ 1 bi- retirar da sociedade. Para não comprometer a entrada lhão, superando os R$ 840 milhões verificados em 2007. em operação prevista para 2010, a Petroquisa adquiriu, A Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados da Bahia em setembro, a participação da Citene, tornando-se de- (Fafen-BA) produziu 300 mil toneladas de ureia, o maior tentora de 100% do capital. Em 2008, foram iniciadas as volume dos últimos nove anos. Já a produção da Fábrica fases de construção e montagem industrial. de Fertilizantes Nitrogenados de Sergipe (Fafen-SE) ul- CoMpanhia inteGrada têxtil de pernaMBuCo trapassou 400 mil toneladas de ureia. (Citepe) — A Petroquisa adquiriu a participação da Com relação a novos projetos, estão sendo desenvol- Citene, passando a deter a totalidade do capital no vidos estudos de viabilidade de uma planta industrial de empreendimento. As negociações dos principais ureia e amônia no País (UFN-3) e outra de ácido nítrico, equipamentos importados foram concluídas enquan- na Bahia. A UFN-3 terá capacidade anual de 1 milhão to prosseguem os serviços de terraplanagem. de toneladas de ureia e 760 mil toneladas de amônia, Com a aquisição pela Petroquisa da totalidade das usando gás como matéria-prima. Na Bahia, está pre- ações da Citene nas empresas PetroquímicaSuape e vista a produção de até 120 mil toneladas/ano de ácido Citepe, surgiu a oportunidade de integrar esses pro- nítrico, destinadas ao Polo Petroquímico de Camaçari, jetos e incorporar uma unidade de PET, grau garrafa. com investimentos da ordem de US$ 260 milhões. ■ centro de integração do comperj 54 n e G óei xo C oS
    • tranSporte eXPaNSãO Da frOta e Da maLHa De DutOS a petrobras atua no segmento de transporte e armazenamento de petróleo, derivados, álcool e gás natural por meio da subsidiária Petrobras Transporte » S.A. (Transpetro), que opera 7.033 km de oleodutos, 4.410 km de gasodutos e 46 terminais – 20 terrestres e 26 aquaviários –, além de 54 navios. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 55
    • transporte Em 2008, foram transportados por navio 59 milhões construção no Estaleiro Atlântico Sul, localizado em de toneladas de petróleo e derivados, 4,8% a menos do Pernambuco. Os próximos serão quatro navios de que em 2007. Além disso, a Transpetro movimentou por produtos, que começarão a ser montados em 2009 seus dutos 670 milhões de m³ de líquidos, volume seme- no Estaleiro Mauá, em Niterói, no estado do Rio de lhante ao de 2007, e uma média de 46 milhões de m³/dia Janeiro. O primeiro navio tem sua entrega prevista de gás natural, 31% superior à do ano anterior. para o ano de 2010. Outro passo importante foi dado em dezembro de novoS navioS 2008, com a realização da primeira sessão pública de A companhia prosseguiu com o Programa de Moder- licitação para a segunda fase do programa. Quatro es- nização e Expansão da Frota da Transpetro, que prevê taleiros apresentaram propostas técnicas e comerciais a construção de 49 navios petroleiros. Mantendo um para a construção de quatro navios Suezmax e três na- índice de nacionalização mínimo de 65% em todas as vios Aframax, além de três navios com capacidade de construções, o programa contribui para consolidar a carga de 45 mil toneladas de porte bruto e cinco navios indústria naval brasileira. com capacidade de carga de 30 mil toneladas de porte A primeira fase do programa está em anda- bruto, para transporte de produtos. O resultado da lici- mento. Dez navios Suezmax estão em processo de tação será divulgado em 2009. terminal da ilha d'água, na baía de guanabara, no rio de Janeiro 56 n e G óei xo C oS
    • cOrreDOr De eXPOrtaçãO De etaNOL a petrobras deu continuidade em 2008 ao projeto do corredor de exportação de etanol, um sistema de trans- porte dutoviário exclusivo para a exportação do biocombustível. com conclusão prevista para 2015 e investi- mento total superior a us$ 1 bilhão, o projeto ampliará para 13 milhões de m3/ano a capacidade de exportação do país, permitindo atender à crescente demanda do mercado externo pelo etanol brasileiro. além de adaptações e melhorias em instalações existentes, serão construídos dutos, terminais, centros coleto- res e estações intermediárias de bombeamento, que serão integrados aos modais rodoferroviário e aquaviário, incluindo a hidrovia tietê, em são paulo. até 2010, a petrobras pretende dobrar a capacidade de exportação de etanol do terminal aquaviário da baía de guanabara, no rio de Janeiro, com a ampliação das instalações da ilha d’água. as obras deverão ser iniciadas no primeiro semestre de 2009. a petrobras está construindo e ampliando as instalações no Terminal Aquaviário da Baía de Guanabara, no rio de Janeiro, para garantir o escoamento da produção de glp terMinaiS e dutoS Em 2008, a malha de gasodutos operados pela Como parte das iniciativas do Plano de Antecipação da Transpetro ganhou quase 800 km, sendo cerca de 600 Produção de Gás (Plangás), as unidades de Cabiúnas, no km no Sudeste e 200 km no Nordeste. Entre os novos Rio de Janeiro, e Cacimbas, no Espírito Santo, terão suas gasodutos, destacam-se o Gascav (Cabiúnas-Vitória), capacidades de processamento de gás natural incre- no Espírito Santo, com 302 km de extensão; o segundo mentadas. Para garantir o escoamento da produção de trecho do Campinas-Rio, com 254,5 km; o segundo tre- GLP, a Petrobras está construindo e ampliando instala- cho do Catu-Carmópolis, com 196 km; e o Açu-Serra do ções na Ilha Comprida e na Ilha Redonda, no Terminal Mel, no Rio Grande do Norte, com 33 km. Aquaviário da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. Além disso, também entrou em funcionamento a Já no Terminal de Guamaré, no Rio Grande do Nor- nova estação de bombeamento do oleoduto Osório- te, a infraestrutura marítima e terrestre será ampliada Canoas, no Rio Grande do Sul, aumentando a capaci- para permitir a movimentação de derivados da Refi- dade de escoamento da Refinaria Alberto Pasqualini naria Potiguar, que começa a ser montada em 2009. A (Refap). Ao todo, foram investidos cerca de R$ 250 mi- unidade produzirá diesel e gasolina a partir da mistura lhões no oleoduto. ■ de nafta e outros produtos intermediários. O projeto re- ceberá investimentos de R$ 340 milhões e tem entrada em operação prevista para 2010. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 57
    • diStriBuição reSuLtaDO fINaNceIrO atINge recOrDe HIStórIcO A Petrobras Distribuidora registrou em 2008 o maior resultado financeiro de sua história. pela primeira vez, o lucro líquido ultrapassou a barreira de r$ 1 bilhão, atingindo r$ 1,3 bilhão, 57,1% acima do resultado obtido » no ano anterior, em consequência do constante aumento do volume de vendas e do contínuo esforço de manutenção do controle de custos. 58 n e G óei xo C oS
    • O mercado brasileiro de distribuição de combustíveis Fundamentado nos requisitos de qualidade da norma continuou em expansão, com crescimento de 8,9%, ín- ISO 9001:2000, este programa abrange desde a realiza- dice superior aos 8,2% verificados em 2007. Para esta ção de testes nos combustíveis em campo até a limpeza expansão contribuíram o crescimento econômico, a de tanques e filtros. Estudos realizados pela compa- ampliação da frota nacional, especificamente dos veí- nhia, comparando programas de qualidade desenvolvi- culos bicombustíveis (flex) e a maior quantidade de as- dos por outras empresas do mesmo segmento, indicam sentos ofertados pelas companhias aéreas. que o programa De Olho no Combustível é o mais com- Única companhia do setor com presença em todas pleto do mercado. as regiões do território brasileiro, com 5.998 postos Os investimentos da companhia somaram, em de serviço, a Petrobras Distribuidora teve participa- 2008, R$ 409,6 milhões, concentrados na distribuição ção expressiva no atendimento a esse crescimento do de derivados de petróleo, gás natural, álcool e biodie- mercado. Mais uma vez, registrou recorde de vendas, sel, principalmente no desenvolvimento e moderni- totalizando 37,8 milhões de m3 comercializados. Além zação da Rede de Postos de Serviço, no suporte aos disso, manteve a liderança no mercado, ampliando sua clientes comerciais e industriais, em operações de lo- participação e alcançando 34,9% de market share no fi- gística e em programas de Segurança, Meio Ambiente nal do ano (0,6 ponto percentual acima dos 34,3% de e Saúde. Destaca-se o início da construção do gasodu- dezembro de 2007). to para interiorização do gás natural no sul do estado Para construir um diferencial de qualidade e for- do Espírito Santo, que corresponderá a 60 km de rede talecer a marca junto ao mercado, a Petrobras Distri- de distribuição para fornecimento de gás natural na buidora manteve o foco no programa De Olho no Com- cidade de Cachoeiro de Itapemirim, com capacidade bustível e encerrou o ano com 5.434 postos certificados. para 600 mil m3/dia. ■ posto da petrobras Distribuidora r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 59
    • GáS natural aumeNtO Da Oferta De gáS NaturaL A Petrobras concluiu projetos importantes de infraestrutura, no que se refere tanto a gasodutos como a gás natural liquefeito (gnl), dando continuidade ao processo de » expansão da oferta de gás natural. a produção média da companhia, em 2008, atingiu 51,1 milhões de m3/dia, 17,8% a mais que em 2007. 60 n e G óei xo C oS
    • Excluindo o gás usado no processo de produção, injeção e perdas, a oferta total doméstica, considerando os par- Para atender à demanda, foram investidos ceiros, foi de 29 milhões de m3/dia. Pelo gasoduto Bolí- via-Brasil foi disponibilizada ao mercado brasileiro uma no ano r$ 6 bilhões em infraestrutura média de 29 milhões de m3/dia, um aumento de 12% em de transporte de gás natural, 71% a mais relação a 2007, com utilização de 100% da capacidade do do que em 2007 gasoduto praticamente o ano todo. A oferta total ao mer- cado brasileiro foi, em média, de 58 milhões de m3/dia. Para que essa movimentação fosse possível, foram investidos no ano R$ 6 bilhões em infraestrutura de transporte, 71% a mais do que em 2007. Além da expan- são da malha, destacam-se a construção dos terminais de importação de GNL e o Plano de Antecipação da Produção de Gás (Plangás), que deverá elevar a oferta doméstica da Região Sudeste para 55 milhões de m3/dia até dezembro de 2010. traNSPOrte a malha de gasodutos de transporte da companhia no país foi incrementada em 776 km, totalizando 6.933 km, com a entrada em operação dos seguintes dutos: › Cabiúnas (rj) - vitória (eS), trecho inicial do gasoduto sudeste-nordeste (gasene), com 303 km e capacidade de 20 milhões de m³/dia, permite o envio do gás natural produzido na bacia do espírito santo à região sudeste; › Catu (Ba) - itaporanga (Se), com 196 km e capacidade de 10 milhões de m³/dia, escoa o gás natural de manati e do gasene. com a conclusão do gasoduto e o aumento de produção de manati, o estado da bahia passa a ser exportador de gás natural para a região nordeste; › trecho taubaté-japeri do gasoduto Campinas-rio, com 255 km e capacidade de 8,6 milhões de m³/dia. a entrada em operação do taubaté-Japeri permite um aporte de até 1,6 milhão de m³/dia de gás ao mercado consumidor, ampliando a entrega dos volumes importados pelo gasoduto bolívia-brasil aos mercados do sudeste; › Ramal de gasoduto do terminal de GNL de Pecém, com 22 km e capacidade de 7 milhões de m³/dia. as obras do gasene, que interligam as malhas sudeste e nordeste, estão dentro do cronograma. o trecho cacimbas-catu, iniciado em 2008, de 954 km e capacidade de 20 milhões de m3/dia, começará a operar no início de 2010. na região norte, o gasoduto urucu-coari-manaus, com 660 km, deverá entrar em operação no segundo semestre de 2009. este empreendimento possibilitará o envio do gás de urucu para consumo em manaus com benefícios para o meio ambiente, devido à substituição do óleo combustível e do diesel consumidos nas usinas termelétricas. outros projetos iniciados em 2008: › Gasduc iii, de 183 km: aumenta a capacidade de transporte entre cabiúnas e rio de Janeiro (conclusão em 2009); › Caraguatatuba-taubaté, de 96 km: possibilita o escoamento da produção de mexilhão (conclusão em 2010); › paulínia-jacutinga, de 93 km: permite o fornecimento de gás natural ao sul do estado de minas gerais (conclusão em 2009); › japeri-reduc, de 45 km: permite o escoamento do gnl e gás natural para atendimento ao mercado termelétrico da região sudeste (conclusão em 2009). r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 61
    • gás natural GáS natural liquefeito usado, prioritariamente, para a geração de energia elé- O projeto GNL Petrobras dará maior flexibilidade e se- trica nas usinas Termoceará e Termofortaleza, no Cea- gurança à oferta de gás natural aos mercados térmico e rá, e Jesus Soares Pereira, no Rio Grande do Norte. não-térmico. O Brasil é pioneiro ao adotar o modelo de Para a regaseificação do GNL a Petrobras afretou transferência de GNL de um navio supridor para outro o navio Golar Spirit, que chegou ao Brasil em julho navio regaseificador por meio de braços criogênicos – de 2008, e o Golar Winter, em processo de conversão capazes de suportar temperaturas de cerca de 160 ºC em Cingapura, com previsão de chegada ao Brasil em negativos – instalados em um píer fixo. maio de 2009. No trajeto para o Brasil, o Golar Spirit Em agosto de 2008, foi inaugurado o primeiro ter- fez o primeiro carregamento de GNL em Trinidad & minal de regaseificação de GNL do País, no Porto de Pe- Tobago. A embarcação tem capacidade de regaseifi- cém, no Ceará, dando suporte também à atuação da Pe- cação de 7 milhões de m³/dia e de armazenamento trobras como agente no mercado internacional de GNL. de 129 mil m³ de GNL, o equivalente a 77 milhões de O terminal de Pecém tem capacidade para regaseificar m³ de gás natural. 7 milhões de m3/dia. O segundo terminal de regaseificação, com capaci- Para interligar o terminal de Pecém à malha de dade de 20 milhões de m3/dia, na Baía de Guanabara, transporte da Região Nordeste (Gasfor), foi construído deverá ser inaugurado no início de 2009. O ramal de ga- um ramal de gasoduto, com a mesma capacidade de soduto do terminal de GNL, com 15 km de extensão, foi 7 milhões de m³/dia. O gás processado em Pecém será concluído em 2008. terminal de pecém, no ceará, dará maior flexibilidade e segurança à oferta de gás natural 62 n e G óei xo C oS
    • CoMerCialização participação em 19 das 27 companhias estaduais distri- As negociações dos novos contratos de fornecimento de buidoras no Brasil, com percentuais entre 24% e 83%, e de- gás natural da Petrobras para as companhias distribui- tém o capital total de uma companhia no Espírito Santo. doras estaduais prosseguiram em 2008. Os novos con- Dos segmentos não termelétricos, destacou-se o de tratos foram assinados com oito distribuidoras: Algás, cogeração, com crescimento de 18% em relação a 2007. BR-ES, CEG, Ceg-Rio, Cegás, Copergás, Potigás e Sergas. O consumo dos setores residencial, comercial e indus- trial aumentou 9%, 4% e 2%, respectivamente, enquan- diStriBuição to o do segmento automotivo caiu 5%. Em 2008, as companhias distribuidoras venderam, em Já o consumo de gás para a geração de energia elétrica média, 50 milhões de m3/dia de gás natural, um acrés- subiu 150% em relação a 2007, observando-se uma elevada cimo de 20% em relação a 2007. A Petrobras mantém produção das termelétricas praticamente o ano todo. ■ Distribuição de Gás no Brasil gasap PETROBRAS 37,3% gasmar PETROBRAS 23,5% gás Do pará gaspisa PETROBRAS 37,25% cegás PETROBRAS 41,5% potigás PETROBRAS 83% pbgás PETROBRAS 41,5% copergás PETROBRAS 41,5% cigás algás PETROBRAS 41,5% rongás PETROBRAS 41,5% emsergás PETROBRAS 41,5% mtgás bahiagás PETROBRAS 41,5% goiasgás PETROBRAS 30,46% PETROBRAS 100% ceg rio PETROBRAS 37,4% msgás PETROBRAS 49% ceg cebgás PETROBRAS 32% gasmig PETROBRAS 40% compagas PETROBRAS 24,5% comgás scgás PETROBRAS 41% eni gás sulgás PETROBRAS 49% natural r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 63
    • enerGia elétriCa geraçãO De eNergIa eLÉtrIca creSce 253% A Petrobras bateu seu recorde de geração de energia elétrica para o sistema interligado nacional (sin) em » 2008, gerando 2.025 MW médios, em usinas termelétricas próprias e alugadas. o volume ficou 253% acima do registrado em 2007. 64 n e G óei xo C oS
    • Além da maior oferta e da ampliação da logística de gás energia elétrica a partir de gás natural e de óleo natural, também contribuíram para esse resultado as con- diesel. Essa flexibilidade permite aumentar a em 2008, os dições de armazenamento dos reservatórios das usinas hi- disponibilidade e a confiabilidade na geração de drelétricas e a implementação de regras de operação e de energia para o Sistema Interligado Nacional. investimentos remuneração diversificadas. Destacou-se, ainda, o bom de- na área de sempenho operacional das 17 usinas termelétricas (UTEs) partiCipação noS leilÕeS de energia elétrica que compõem o parque gerador termelétrico da Petrobras, enerGia nova totalizando a capacidade instalada de 5.443 MW. Em 2008, o Governo Federal realizou Leilões de Compra atingiram de Energia Nova para atendimento das distribuidoras r$ 664 milhões inveStiMentoS de energia elétrica do País, a partir de novas usinas Em 2008, os investimentos na área de energia elétrica termelétricas. No Leilão A-3, com entrega de energia a atingiram R$ 664 milhões, com destaque para os se- partir de 2011, a capacidade instalada total contratada guintes projetos: foi de 1.935 MW. A Petrobras fornecerá gás natural para › Em setembro, foi inaugurada a Usina Termelétrica empreendimentos vencedores que correspondem a 26% Jesus Soares Pereira (Termoaçu – RN), desta capacidade contratada, o equivalente a 504 MW. acrescentando 320 MW de capacidade instalada Já no Leilão A-5, com entrega de energia a partir de para atendimento à Região Nordeste; 2013, a capacidade total contratada foi de 5.566 MW. A › Foram concluídas as conversões para bicombustível companhia fornecerá gás natural para projetos vence- das UTEs Sepé Tiaraju (Canoas – RS), Termoceará dores que correspondem a 20% da capacidade contrata- (CE) e Barbosa Lima Sobrinho (RJ), aptas a gerar da, ou seja, 1.125 MW. ■ evolução da Geração terMelétriCa da parque terMelétriCo da petroBraS petroBraS (mw méDio) usina méDio/Dia (mw) Bahia 32 2.025 Juiz de fora 37 termocabo 49 Petrolina 128 rômulo almeida 138 Sepé tiaraju 161 celso furtado 191 Piratininga 200 termoceará 222 aureliano chaves 234 Luís carlos Prestes 262 574 Jesus Soares Pereira 320 425 343 331 Barbosa Lima Sobrinho 384 araucária 484 fernando gasparian 593 mário Lago 922 2004 2005 2006 2007 2008 governador Leonel Brizola 1.036 r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 65
    • energia elétrica INcOrPOraçãO De atIvOS os ativos de energia da petrobras Distribuidora foram transferidos para a área de gás e energia da petrobras. o parque gerador incorpora- do é composto por participações em 15 pequenas centrais hidrelétricas (pchs) e oito termelétricas a óleo. considerando-se os ativos em operação comercial e os que estão em fase de construção, esses empreendimentos totalizam uma capacidade instalada de 1.471 mw. Deste total, três termelétricas e nove pchs estão em operação. outras pchs e termelétricas a óleo têm previsão para começar a operar comercialmente em 2009. partiCipação da petroBraS eM eMpreendiMentoS de Geração situação tipo usina região estaDo capaciDaDe participação capaciDaDe atual instalaDa (mw) petrobras (%) petrobras (mw) São Joaquim eS 21 49 10,29 fumaça 4 eS 4,5 49 2,205 calheiros rJ 19 49 9,31 Santa fé Se rJ 30 49 14,7 funil mg 22,5 49 11,025 PcH carangola mg 15 49 7,35 Bonfante mg 19 49 9,31 em operação Irara gO 30 49 14,7 cO Jataí gO 30 49 14,7 total PcH 93,6 tambaqui am 83 30 24,9 ute Jaraqui N am 83 30 24,9 O.c. manauara am 85 52 44,2 total ute O.c. 94,0 total dos empreendimentos em operação 187,6 São Simão eS 27 49 13,23 São Pedro Se eS 30 49 14,7 monte Serrat rJ 25 49 12,25 PcH retiro velho cO gO 18 49 8,82 areia tO 11,4 14 1,596 N água Limpa tO 14 14 1,96 total PcH 52,6 em construção arembepe Ba 148 30 44,4 ute camaçari muricy I Ne Ba 148 49 72,52 O.c. Suape II Pe 350 20 70 total ute O.c. 186,9 Brentech cO gO 140 30 42 ute ceP Ne rN 118 20 23,6 O.D. total ute O.D. 65,6 total dos empreendimentos em construção 305,1 tOtaL Da caPacIDaDe INStaLaDa (mW) 1.471,4 total petroBraS 492,7 66 n e G óei xo C oS
    • enerGiaS renováveiS PrOJetOS amPLIam POteNcIaL De NOvaS fONteS De eNergIa a petrobras prevê investimento de US$ 669 milhões até » 2013 em projetos de energias renováveis, que incluem estudos e geração de energia elétrica por usinas eólicas, solares e pchs. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 67
    • energias renoVáVeis enerGia eóliCa com 1,8 mW A companhia desenvolveu projetos próprios em locais instalados, em que o Cenpes vem realizando a medição do poten- o primeiro cial eólico há anos. Algumas parcerias também foram firmadas com a intenção de participação, em 2009, do projeto de leilão específico de energia eólica que o Governo Fede- energia eólica ral está preparando. O primeiro projeto de energia eó- da Petrobras, lica da Petrobras, a Usina Eólica Piloto de Macau, com 1,8 MW instalados, completou cinco anos de operação, a usina eólica atingindo a marca de 24.500 MWh produzidos desde Piloto de macau, sua implantação, evitando a emissão de cerca de 6 mil completou toneladas de CO2 por ano para a atmosfera. cinco anos enerGia Solar de operação A Petrobras possui oito sistemas termossolares insta- lados em refinarias, fábricas de fertilizantes e no edi- fício sede da companhia, para aquecimento da água destinada a vestiários e refeitórios. Ao longo de 2008, esses sistemas, totalizando 2.180 m2 de coletores pla- nos fechados, evitaram a emissão de 309 toneladas de CO2 para a atmosfera. Também em 2008, em busca da conservação energética e contribuição para o meio ambiente, sem perder o foco no vetor econômico, tive- ram continuidade os trabalhos de prospecção, análises técnicas e financeiras, e elaboração de projetos básicos. Para 2009, espera-se a instalação de 4.648 m2 de cole- tores, em 14 Unidades de Negócio, passando a evitar a emissão de cerca de 968 toneladas de CO2 por ano para a atmosfera. pequenaS CentraiS hidrelétriCaS (pChS) Foram realizados estudos de otimização do projeto da PCH Pira, que prevê capacidade instalada de 19,5 MW e será construída pela Petrobras no Rio do Peixe, em Santa Catarina. O impacto ambiental será baixo, pois a área prevista para o seu reservatório é de 0,3 km2, consi- derada pequena mesmo quando comparada à de outras PCHs, que, na maioria dos casos, apresentam áreas de até 3 km2. Para 2009 serão desenvolvidos novos projetos de PCHs, visando ampliar a carteira de empreendimen- tos da companhia. ■ aerogeradores de usina eólica 68 n e G óei xo C oS
    • BioCoMBuStÍveiS BIODIeSeL e etaNOL receBem uS$ 2,8 BILHõeS em INveStImeNtOS o plano de negócios 2009-2013 dá ênfase ao segmento de biocombustíveis, prevendo investimentos de us$ 2,8 bilhões. Deste total, US$ 2,4 bilhões serão destinados » à produção de biodiesel e etanol, enquanto us$ 400 milhões serão voltados para infraestrutura, basicamente alcooldutos. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 69
    • biocombustíVeis além do benefício ambiental, a produção de biodiesel reduzirá a necessidade de importar óleo diesel, favorecendo o resultado da balança primeira usina de produção comercial de biodiesel, em candeias, na bahia comercial da companhia Do valor destinado à produção, 91% serão investidos no BiodieSel Brasil e 9% no exterior. A meta para 2013 é atingir uma Além do benefício ambiental, a produção de biodiesel re- produção de 706 mil m3 de biodiesel e 1,25 milhão de duzirá a necessidade de importar óleo diesel, o que favo- m3 de etanol. recerá o resultado da balança comercial da companhia. A Petrobras Biocombustível conta com três usinas que petroBraS BioCoMBuStÍvel produzem biodiesel nos municípios de Candeias (BA), Para fortalecer sua atuação no segmento de biocom- Quixadá (CE) e Montes Claros (MG), com capacidade bustíveis, a companhia criou em julho de 2008 a Petro- total de produção de 170 mil m3 por ano. Além dessas, bras Biocombustível, subsidiária integral que reúne as a Petrobras dispõe de duas usinas experimentais em atividades antes distribuídas em diversas áreas da Pe- Guamaré (RN), operadas pelo Cenpes, onde desenvolve trobras. O objetivo da nova subsidiária é desenvolver e tecnologia própria para produção de biodiesel. gerir projetos de produção de biodiesel e etanol. A Petrobras Biocombustível segue as diretrizes do A companhia prepara-se, desta forma, para atender Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel parte da demanda mundial crescente por biocombus- (PNPB), e as usinas de Candeias e Quixadá já possuem o tíveis. Menos poluentes, o biodiesel e o etanol contri- Selo Combustível Social, criado pelo Ministério do De- buem para a diversificação da matriz energética, com senvolvimento Agrário. A usina de Montes Claros de- impacto positivo sobre a redução do aquecimento glo- verá ser certificada em breve. A empresa está firmando bal, pois permitem diminuir o consumo de combustí- parcerias com entidades representativas de agricultores veis fósseis. A produção de biocombustíveis possibilita familiares para fornecimento de oleaginosas. A meta é ainda a geração de emprego e renda no campo, apro- trabalhar com 80 mil famílias nas regiões onde estão veitando as condições favoráveis do País, como clima, localizadas as usinas, com assinatura de contratos de água e uma grande fronteira agrícola a ser explorada, longo prazo, garantia de preços justos, distribuição de sem a necessidade de avançar sobre áreas florestais ou sementes e prestação de assistência técnica, além de reservas demarcadas. um programa inicial de correção de solo. 70 n e G óei xo C oS
    • As usinas de biodiesel da Petrobras Biocombustí- No início de 2009 a Petrobras realizará o primei- vel possuem sistemas de instrumentação e controle ro embarque de álcool anidro para a Costa Rica. Essa automatizados, além de flexibilidade no processamen- operação é resultado de um leilão internacional, que to de diversos tipos de óleos vegetais brutos e matérias- reuniu as maiores tradings do setor. Além deste volume primas alternativas, como gordura animal, óleos de pioneiro, está previsto outro leilão, para fornecimento frituras e gorduras residuais. de produto durante um ano. ■ etanol Para contribuir com a meta da Petrobras de expor- tar 4,2 milhões de m3 de etanol em 2013, o modelo de produção adotado pela Petrobras Biocombustível Usinas de Biodiesel da Petrobras considera parcerias com empresas estrangeiras e com produtores nacionais de etanol para a constru- ção de Complexos Bioenergéticos (CBio), que também quixadá produzirão energia elétrica aproveitando o bagaço da cana-de-açúcar. CE guamaré* RN A Petrobras intensificou suas operações de trading de etanol em 2008 para fortalecer relações de longo PB PI prazo com os clientes. O volume de etanol comerciali- PE zado superou 500 mil m3, com remessas de carga para AL Europa, Japão e, principalmente, Estados Unidos. A SE Petrobras America Inc. atuou diretamente na interna- ção, armazenagem e comercialização do álcool anidro BA no mercado norte-americano. Já a Petrobras Singapore candeias Private Limited fez o mesmo em relação ao álcool in- dustrial, destinado ao mercado asiático. Além do Terminal Marítimo da Ilha d’Água, na Re- montes claros gião Centro-Sul, a logística de exportações via portos de Santos e Paranaguá também foi amplamente utiliza- MG da devido ao grande volume concentrado no primeiro semestre. A contratação de tancagem na Coreia foi fun- damental para o aumento das exportações, atendendo não somente ao mercado coreano, como também ao japonês e ao australiano. Semiárido *Guamaré: usinas experimentais da Petrobras / Cenpes r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 71
    • Expansão interna amÉrica d o sul Europa nEgócios 72 eixo
    • amÉrica do nortE cional ásia dEsEnvolvimEnto atuação áfrica internaCional a petrobras realinhou, em 2008, sua estratégia de negócios no cenário internacional, em função dos desdobramentos da descoberta de petróleo na camada pré-sal. a companhia investiu r$ 6,1 bilhões no mercado externo, com ênfase na conquista de novos mercados, encerrando o ano com presença em 27 países além do Brasil. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 73
    • atuação internaCional rEalinhamEnto da atuação intErnacional a descoberta de petróleo na camada pré-sal » no Brasil gerou a necessidade de realinhar a estratégia de atuação internacional da Petrobras a partir de 2008. 74 i n t e r n a C i o nx o ei al
    • produção internaCional de óleo, lgn, Condensado e gás natural (mil Boed) 632 486 223 342 172 263 259 243 235 224 132 94 96 101 109 100 409 163 126 169 124 142 210 314 2004 2005 2006 2007 2008 meta Projeção Projeção 2013 2015 2020 Óleo, lGn e condensado Gás natural Nesse sentido, o foco passa a ser a conquista de mer- Custo unitário de extração cados, o crescimento em downstream, os negócios de internaCional da petroBras (us$/BBl) gás natural para complementar o mercado brasileiro, a gestão integrada dos recursos críticos em upstream e o alinhamento do portfólio aos segmentos nacionais, vi- 4,73 4,55 sando à geração de valor nos negócios da companhia. 4,17 No segmento de Exploração e Produção de petróleo 3,36 e gás, a companhia mantém ativos em 19 países: Esta- 2,90 dos Unidos, México, Angola, Nigéria, Tanzânia, Moçam- 2,60 bique, Senegal, Índia, Portugal, Irã, Paquistão, Líbia, Turquia, Bolívia, Colômbia, Equador, Peru, Venezuela e Argentina. No setor de Refino, atua na Argentina, Es- tados Unidos e Japão, e, no segmento de Distribuição, no Uruguai, Paraguai, Colômbia, Argentina e Chile. Na Argentina, a companhia também está presente nos se- 2004 2005 2006 2007 2008 meta 2013 tores de petroquímica e energia elétrica. A Petrobras mantém ainda um acordo de coopera- ção com Cuba em segmentos diversos da cadeia produ- tiva de petróleo, além de possuir escritórios de repre- sentação no Reino Unido, Japão, China e Cingapura. A produção no exterior em 2008 foi de 123,6 mil bpd de óleo e 17,1 milhões de m³/dia de gás natural – res- pectivamente, 6,3% e 25% da produção total da compa- nhia. No ano, os investimentos internacionais somaram R$ 6,1 bilhões, sendo 66% destinados à manutenção e ao r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 75
    • atuação internacional reservas provadas internaCionais de reservas provadas internaCionais óleo, lgn, Condensado e gás natural de gás natural por país critério sPe (mm Boe) critério sPe argentina 1.904 35,0% 1.872 1.681 Bolívia 53,4% 1.270 1.090 eua 865 891 992 4,4% 726 Peru 613 514 495 3,7% Venezuela 1.007 1.013 497 955 657 576 2,6% 2003 2004 2005 2006 2007 2008 nigéria 0,9% Óleo, lGn e condensado Gás natural desenvolvimento da produção de óleo e gás, e 20% des- reservas provadas internaCionais de óleo e Condensado por país tinados à exploração. Os segmentos de Refino e Petro- critério sPe química receberam 9%, enquanto aos de Gás e Energia e Distribuição couberam 5%. nigéria 25,5% volume de reservas argentina As reservas provadas internacionais passaram a 0,99 bi- 23,7% lhão de boe, volume 9% inferior ao de 2007, corresponden- Peru do a 7% das reservas totais da companhia, segundo o cri- 20,1% tério ANP/SPE. A redução se deve ao volume produzido no Venezuela ano (82 milhões de boe) e às alterações no Equador, com a 9,9% devolução do bloco 31 e a diminuição da participação no eua bloco 18, de 35% para 15%. Além disso, houve redução de 6,4% reservas da Nigéria, motivada por revisões técnicas. Bolívia Na área de gestão, a Petrobras deu continuidade ao 6,4% Programa de Processos de Integração Internacional colômbia (Proani). Destinado a implementar um modelo único 6,2% de gestão para facilitar a identificação de novas opor- equador tunidades de negócios, a troca de informações e o de- 1,3% senvolvimento profissional de funcionários no exterior, angola o programa teve sua implantação concluída com su- 0,5% cesso na Argentina. As próximas unidades a receberem o Proani serão as de Angola, Estados Unidos e Chile. 76 i n t e r n a C i o nx o ei al
    • Carga proCessada - internaCional (mil BPd) 484 483 467 186 172 126 103 100 2004 2005 2006 2007 2008 meta Projeção Projeção 2013 2015 2020 o novo Plano de negócios da companhia prevê um investimento para a Área Internacional de US$ 15,9 bilhões investimentos Custo operaCional do reFino Para o período compreendido entre 2009 a 2013, o internaCional da petroBras (us$/BBl) novo Plano de Negócios da companhia prevê um in- vestimento para a Área Internacional de US$ 15,9 bi- 5,34 lhões. O segmento de Exploração e Produção recebe- rá 79% dos recursos – a maior parte deles destinada 3,72 ao desenvolvimento e manutenção da produção dos 2,96 ativos nos Estados Unidos, Nigéria, Angola e Argen- tina. Os segmentos de Refino, Transporte, Comer- 1,73 cialização e Petroquímica ficarão com 7%, dos quais 1,30 1,09 aproximadamente 40% voltados para novos negócios. Já aos segmentos de Gás e Energia e Distribuição ca- berão 13% dos recursos, destinados principalmente a 2004 2005 2006 2007 2008 meta novos negócios. ■ 2013 r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 77
    • Atuação Internacional as atividades internacionais da Petrobras abrangem os segmentos de exploração e produção de petróleo e gás, refino, transporte, distribuição, comercialização, petroquímica e energia elétrica, além dos escritórios de representação. 78 i n t e r n a C i o nx o ei al
    • r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 79
    • expansão dos negóCios ampliação dE atividadEs no mErcado ExtErno em 2008, a Petrobras ampliou suas atividades internacionais. a companhia assinou acordo para aquisição dos ativos de distribuição da exxonmobil no chile por cerca de us$ 400 milhões e manteve » sua estratégia de expansão no Golfo do México, arrematando em leilão 23 novos blocos exploratórios, por us$ 179 milhões. 80 i n t e r n a C i o nx o ei al
    • estação de serviços da Petrobras no aeroporto internacional de Buenos aires, na argentina A companhia estabeleceu um acordo com a Cupet, em- presa estatal petrolífera de Cuba, prevendo cooperação foram assinados contratos para nos segmentos de exploração e produção, lubrificantes, refino, pesquisa, desenvolvimento e recursos humanos. a estruturação do projeto do Também foi estabelecida uma parceria com a em- navio-sonda petrobras 10.000 presa americana Oil Shale Exploration Company (Osec) e concluídas as negociações e a japonesa Mitsui para analisar a possibilidade de extração de óleo de rochas betuminosas geradoras, do projeto do navio-sonda no estado americano de Utah, aplicando a tecnologia petrobras ii 10.000 ® Petrosix , patenteada pela Petrobras. Em 2008, foram assinados os contratos entre Pe- trobras, Mitsui e Transocean para a estruturação do projeto do Navio-Sonda Petrobras 10.000. O navio, em construção no estaleiro Samsung, encontra-se em fase de testes. Também foram concluídas as negociações entre Petrobras, Mitsubishi e Schahin para o projeto do Navio-Sonda Petrobras II 10.000, em fase de construção e montagem no mesmo estaleiro. ■ r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 81
    • desenvolvimento dos negóCios novos nEgócios promovEm Expansão no ExtErior A Petrobras intensificou sua expansão internacional em termos geográficos e também diversificou negócios nos mercados em que já estava presente. a companhia » encerrou 2008 atuando em 27 países e ampliando a atuação nas américas do sul e do norte, na europa, na África e na Ásia. 82 i n t e r n a C i o nx o ei al
    • amériCa do sul argentina — Em 2008, a Petrobras obteve aprova- de US$ 400 milhões, os ativos da empresa no país. Com ção regulatória da operação de aquisição da empresa a operação, a companhia passará a atuar no segmento a produção Burlington Resources Argentina Holding Limited, por de Distribuição, com 233 postos de serviço, sendo 109 US$ 77,6 milhões, que detinha respectivamente 52,4% e próprios, entre outros ativos, além de comercializar na argentina 25,7% dos blocos de Parva Negra e Sierra Chata. Com a produtos de aviação em 11 aeroportos. A transação será chegou a operação, a companhia, que já operava ambos os ativos, concluída após a fase de integração dos sistemas opera- 51,7 mil bpd passou a deter 100% de participação em Parva Negra e cionais e de informação. 45,5% em Sierra Chata. ColômBia — A Petrobras está presente nos segmen- de óleo e A produção na Argentina atingiu 51,7 mil bpd de tos de E&P e Distribuição, com ativos que englobam 8,2 milhões óleo e 8,2 milhões de m³/dia de gás natural, totalizando 68 estações de serviço, uma base de armazenamento de m³/dia de 100 mil boe diários. Destacaram-se as regiões da Bacia e uma fábrica de lubrificantes em Puente Aranda, co- Austral, Medanito, Puesto Hernandez e Entre Lomas. mercializando o volume total de 491 mil m³ de com- gás natural, As reservas no país atingiram 290,6 milhões de boe. bustíveis. A produção no país em 2008 foi de 15,3 mil totalizando Além dos ativos de E&P, a Petrobras possui as refina- bpd de óleo e 24 mil m³ dia de gás natural, totalizando 100 mil boed rias Ricardo Eliçabe e San Lorenzo (com capacidade con- 15,5 mil boed. junta de 81 mil bpd), que em 2008 processaram 71,4 mil equador — Em outubro, foi assinado acordo que es- bpd, com um fator de utilização de 88%. A companhia tabelece o prazo de um ano para negociar a migração também detém 28,5% de participação na Refinaria Del dos contratos de concessão do campo unificado de Palo Norte (Refinor), via sua subsidiária Pesa. No setor de pe- Azul e do bloco 18, em que a Petrobras tem participa- troquímicos e fertilizantes, são quatro unidades: Puerto ção, para um novo modelo de contrato a ser apresenta- General San Martin, Zarate, Campana e Innova, esta úl- do pelo governo equatoriano. O bloco 18 teve produção tima produzindo estireno, poliestireno e etilbenzeno. média de 11,4 mil bpd. A Petrobras também possui uma termelétrica a gás Em 31 de dezembro, foi devolvido o bloco 31, se- natural (Genelba), uma hidrelétrica (Pichi Picu Leufu) e gundo as condições estabelecidas em acordo com o a Transportadora Gás Del Sur, com a maior rede de ga- governo. Os investimentos neste bloco somam cerca sodutos do país, além das participações na Edesur (dis- de US$ 200 milhões. Antecipando a dificuldade de tribuidora de energia em Buenos Aires) e na Companhia desenvolvimento do bloco, a companhia já havia feito Mega, que comercializa etano, propano, butano e gasoli- provisão para a baixa de ativos (write-off ) em 2007. na natural. Além disso, a companhia comercializa com- paraguai — A Petrobras manteve sua atuação no bustíveis e derivados em suas 651 estações de serviço. segmento de Distribuição, com 165 postos de gaso- Bolívia — A Petrobras manteve sua atuação nos lina e 55 lojas de conveniência em todo o território segmentos de exploração e produção de gás e energia, paraguaio. A companhia também tem ativos na co- concentrada nos campos de San Alberto e San An- mercialização de GLP, além de instalações para ar- tonio. A produção em 2008 foi de 8,4 mil bpd de óleo mazenamento e comercialização de combustíveis e e 7,8 milhões de m³/dia de gás natural, totalizando produtos de aviação nos aeroportos de Assunção e 54,5 mil boed, 10% a menos do que em 2007. Esta varia- Cidade Del Este. Em 2008, 344 mil m 3 de produtos fo- ção foi motivada pela execução das cláusulas contra- ram vendidos no país. tuais que estabelecem o repasse da produção, segundo peru — A companhia fez uma descoberta de gás os critérios acordados com a estatal boliviana, apenas e condensado no bloco 57, que explora em consórcio, a partir de setembro de 2007. Desta forma, os efeitos da detendo participação de 46,2%. Os testes de produção, queda de produção só foram sentidos integralmente em ainda em andamento, registram vazão de 1 milhão de 2008, já que de janeiro a agosto de 2007 foram mantidos m3/dia de gás e 198 m3/dia de condensado. Os dados os níveis de produção anteriores ao novo contrato. disponíveis são insuficientes para definir com exatidão Chile — Em agosto, a Petrobras assinou acordo os recursos descobertos, mas as dimensões do reserva- com a ExxonMobil para adquirir, em 2009, por cerca tório permitem acomodar volumes de cerca de 2 TCF r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 83
    • desenVolVimento dos neGÓcios refinaria de Pasadena, unidade da Petrobras america, nos estados unidos (56 bilhões de m3). A produção média no país em 2008 O destaque em 2008 foi a participação na desco- foi de 14,1 mil bpd de óleo e 336 mil m³/dia de gás natu- berta de hidrocarbonetos em águas ultraprofundas, ral, totalizando 16,1 mil boed. no poço Stones, operado pela Shell, do qual a compa- uruguai — Em 2008, foram comercializados 147,4 nhia detém 25%, em consórcio. O volume e a comer- mil m3/dia de gás natural e um total de 458 mil m3 de cialidade da descoberta serão avaliados com perfura- combustíveis. A companhia atua no segmento de gás ções adicionais. As perfurações iniciais demonstram natural por meio de duas concessionárias de distribui- o potencial deste reservatório, situado na área conhe- ção, nos mercados de Montevidéu e no interior do país, e cida como Walker Ridge Quadrant, onde a companhia também no segmento de distribuição de combustíveis, atualmente desenvolve a produção dos campos de com uma rede de 89 postos de gasolina e instalações Cascade e Chinook. para comercialização de produtos de aviação, maríti- A produção média da Petrobras no Golfo do México mos, petroquímicos e asfalto. foi de 4,6 mil boed, 60% menor do que a de 2007, em venezuela — Em 2008, a produção foi de 12,7 mil função de problemas de escoamento de produção no bpd de óleo pesado e 222 mil m3/dia de gás, totalizando campo de Coulumb e do declínio da produção no cam- 14,1 mil boed. Com atuação em quatro blocos, a compa- po de Cottonwood, além da temporada de furacões que nhia estuda ampliar suas atividades no país, analisan- paralisou temporariamente a produção da área. do a possibilidade de produzir petróleo extrapesado em No segundo ano de operação com a Petrobras Carabobo I, na faixa do Orinoco, em associação com a como sócia, a Refinaria de Pasadena (PRSI), no Texas, Petróleos de Venezuela (PDVSA). com capacidade de 100 mil bpd, processou 68,8 mil bpd, em razão de paradas não programadas. Em outu- amériCa do norte bro, a Câmara de Arbitragem, em processo internacio- estados unidos — A Petrobras tem participação em nal, proferiu sentença provisória considerando válida 259 blocos marítimos no setor americano do Golfo do a opção de venda dos 50% de participação da Astra Oil México, incluindo os 23 blocos arrematados no leilão Trading NV na PRSI à Petrobras America Inc., subsi- realizado em março, sendo a operadora de 161. A com- diária da companhia nos EUA. Sendo a sentença con- panhia detém ainda direitos exploratórios em áreas firmada, a companhia passará a deter 100% da PRSI e terrestres no Texas. suas afiliadas. 84 i n t e r n a C i o nx o ei al
    • méxiCo — A Petrobras manteve sua participação 6, com 100% de participação. Em ambos foi dada conti- em dois contratos de serviços múltiplos para a Pemex, nuidade ao programa exploratório, atendendo aos com- nos blocos Cuervito e Fronterizo. A produção média de promissos contratuais. gás natural atingiu cerca de 414 mil m3/dia. moçamBique — No bloco Zambezi Delta, em que a Petrobras possui 17% de participação, segue o crono- áFriCa grama exploratório, com a interpretação do levanta- nigéria — Os projetos de Agbami (bloco OML 127) e mento sísmico realizado em 2008. Akpo (bloco OML 130) – campos gigantes na Bacia do senegal — A companhia detém participação de Delta do Níger – constituem os principais investimen- 40% no bloco Rufisque Profond, em águas profundas, tos da Petrobras no país, além do bloco exploratório que se encontra em fase de avaliação exploratória. OPL 315, onde a companhia atua como operadora. Agbami, cujo pico de produção atingirá 250 mil ásia bpd no início de 2010, iniciou sua produção em julho de irã — A Petrobras cumpriu os compromissos contra- 2008. A Petrobras detém 13% de participação nos inves- tuais com a realização de levantamentos sísmicos e timentos do campo e participou ativamente de todas perfuração de dois poços. Em Taftan-1 a descoberta de as fases de desenvolvimento da produção. Em Agbami petróleo revelou-se subcomercial. está em operação o maior FPSO do mundo. turquia — Após a aquisição de dados sísmicos nos Akpo, que entra em produção em 2009, deverá atin- blocos Kirklarelli e Sinop, nas partes oeste e oriental do gir o pico de 185 mil bpd ainda este ano. A parcela da setor turco do Mar Negro, o ano de 2008 foi dedicado à Petrobras nos investimentos do bloco OML 130 é de continuidade das atividades exploratórias. 20%. Ainda neste bloco foram descobertas outras três paquistão — A companhia detém participação acumulações: Egina, Egina Sul e Preowei. O projeto de de 50% no bloco exploratório G, na Bacia dos Indus, desenvolvimento de Egina encontra-se em análise pelos no Oriente Médio, em parceria com a Oil and Gas órgãos de controle do governo nigeriano. Development Company Limited. O estudo de viabilida- No bloco OPL 315, no qual a companhia é operadora de técnica e econômica, em fase final, determinará a com 45% de participação, as atividades exploratórias es- opção de ingresso no próximo período exploratório. tão em andamento, e a perfuração do primeiro poço está Japão — Foi concluída a aquisição do controle da re- prevista para 2010. A Petrobras detém ainda 37,5% de par- finaria Nansei Sekiyu, em Okinawa, que tem capacida- ticipação no OPL 324, onde atua como operadora, tendo de para processar 100 mil bpd e armazenar 9,6 milhões concluído os trabalhos exploratórios e os compromissos de barris de derivados, além de oferecer apoio logístico contratuais, sem perspectiva de novas descobertas. (píeres e monobóia) para distribuição dos produtos da angola — Destacaram-se as descobertas de óleo companhia no mercado asiático. em N’Goma-1 e Sangos, confirmando o grande poten- índia — A companhia manteve a parceria com a cial do bloco 15/06, em que a companhia detém parti- estatal indiana Oil and Natural Gas Corporation, via cipação de 5%. contrato de exploração e produção em três blocos ex- O bloco 2 na Bacia do Baixo Congo, onde a Petrobras ploratórios na Bacia de Krishna Godavari, Mahanadi e detém 27,5% de participação, gerou uma produção mé- Cauvery, na costa leste do país. dia de 2,5 mil bpd em 2008. Nos demais blocos em que a Petrobras atua como operadora (6, 18 e 26) e participa de europa consórcio (34), continuam os trabalhos exploratórios. portugal — Foram realizados investimentos em sís- líBia — Na área 18 do setor líbio no Mar Mediter- micas, e os dados seguem em análise para decisão râneo, na qual é operadora com 70% de participação, a das atividades futuras. A companhia mantém um Petrobras manteve o programa exploratório, realizan- acordo que permite operar quatro blocos offshore na do levantamentos sísmicos e interpretação geológica. costa do país, na Bacia de Peniche, em parceria com tanzânia — O escritório local encontra-se em fase as companhias portuguesas Galp Energia SGPS e de abertura. A companhia está presente nos blocos 5 e Partex Oil and Gas. ■ r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 85
    • biocombustíveis mARcA investiDoRes ativos tecnoloGiA clientes 86 eixo
    • oRGAniZAcionAl cApitAl humAno intangíveis pRojetos foRneceDoRes RelAcionAmento atiVoS intanGÍVeiS o ano de 2008 foi particularmente positivo para os pro- cessos de pesquisa e desenvolvimento da petrobras. como resultado de grande investimento em novas tecnologias e ampliação de sua base de conhecimento, a companhia aumentou em 17% o número de patentes depositadas no país. sinal de esforço de seu capital humano, disposto a criar permanentemente melhorias para os processos produtivos. por isso a petrobras se preocupa tanto em valorizar seus empregados, oferecendo oportunidades de desenvolvimento e aprimoramento de competências. A companhia conquistou o título de melhor reputação no mundo no ramo de energia, em reconhecimento oferecido pela instituição Reputation institute, provando que transparência e diálogo aberto levam uma empresa a construir uma imagem sólida junto aos seus públicos de interesse. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 87
    • atiVoS intanGÍVeiS vAloR ReconheciDo A Petrobras valoriza seus ativos intangíveis, reconhecendo sua importância fundamental para o valor de mercado da » companhia e como diferencial competitivo. a estratégia de gestão de recursos intangíveis da Petrobras vem sendo sistematicamente reconhecida pelo mercado. 88 at i V o S i n ta n G Í e ie io V xS
    • Unidade piloto de biodiesel do Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes), no Rio de Janeiro os ativos intangíveis são classificados em capital de domínio tecnológico, organizacional, humano e de relacionamento Em 2008, a companhia ficou novamente entre as 49 fina- listas do Global Most Admired Knowledge Enterprises (Make), prêmio concedido pela instituição inglesa Know Network às empresas que se destacam pela inovação e pela aplicação e desenvolvimento do conhecimento em- presarial. A Petrobras foi a única finalista da América Latina. A instituição também classificou a companhia como a sexta entre as 18 maiores companhias do setor mundial de petróleo e gás natural. Na segunda edição do Prêmio Intangíveis Brasil, a Petrobras foi premiada, ficando em primeiro lugar no setor de Infraestrutura e na categoria Conhecimen- to Corporativo, e em segundo lugar no ranking das 50 melhores empresas em gestão de intangíveis no Bra- sil. Organizada pela revista Consumidor Moderno, em parceria com a consultoria DOM Strategy Partners, a premiação é concedida a empresas que geram valor a partir da gestão de seus ativos intangíveis. O modelo de capital intelectual da companhia clas- sifica os ativos intangíveis em capital de domínio tec- nológico, organizacional, humano e de relacionamen- to. Para aprimorar a gestão desses ativos, a Petrobras mantém um projeto em parceria com o Instituto de Energia da Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro para estabelecer diretrizes e parâmetros de valoração quantitativa e qualitativa de cada um, in- corporados a um sistema integrado de gestão. ■ r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 89
    • Capital de domÍnio teCnolóGiCo pesquisA e Desenvolvimento ApoiAm novos pRojetos O compromisso da companhia com o desenvolvimento » tecnológico se reflete no volume de recursos destinados às atividades de P&D, que em 2008 somaram R$ 1,7 bilhão, mantendo o patamar de 2007. 90 at i V o S i n ta n G Í e ie io V xS
    • A Petrobras é a empresa brasileira que mais gera pa- Além disso, em dezembro foi finalizada a mode- tentes no Brasil e no exterior, e detém o domínio de lagem integrada em 3D das bacias de Santos, Espírito inúmeras tecnologias. Em 2008, foram depositadas 72 Santo e Campos, que será fundamental na exploração patentes no País, 17% a mais que no ano anterior. O das reservas dessas áreas. portfólio de patentes abrange todas as áreas de atua- Na Bacia de Campos, entrou em operação o projeto ção da companhia. piloto de produção do reservatório de Siri, no campo O Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo de Badejo – um passo importante para consolidar a Américo Miguez de Mello (Cenpes) é o responsável pelo posição de liderança tecnológica da Petrobras na pro- desenvolvimento das tecnologias a serem incorporadas dução marítima de óleo extrapesado e viscoso. Outro nos processos produtivos da companhia, atendendo às destaque do ano foi a aplicação, na cabeça de um poço necessidades atuais e futuras da Petrobras. Para dar produtor no campo de Roncador, da tecnologia SGN suporte a estas atividades, o Cenpes conta com um (Sistema Gerador de Nitrogênio), que remove hidratos quadro técnico qualificado, formado por mais de 2 mil de gás de poços produtores submarinos, garantindo profissionais, 60% com nível de formação universitária, melhor escoamento do óleo e a continuidade operacio- sendo 58% com pós-graduação em nível de mestrado nal durante a extração. ou doutorado. Nos últimos anos, o Cenpes tem ampliado a inte- expanSÃo da CapaCidade ração com as comunidades acadêmica e científica do de proCeSSamento Brasil e do exterior, participando de redes de pesquisa Os projetos básicos de engenharia da Refinaria Abreu colaborativa e criando núcleos de competência em ins- e Lima foram concluídos, em 2008, incorporando tec- tituições nacionais, para atender às diversas vocações nologias desenvolvidas pelo Cenpes que aumentam a regionais. A rede de colaboração abrange uma centena capacidade de processamento de óleos extrapesados e de instituições de todas as regiões do País e mais de 70 viscosos. O avanço destas tecnologias permitiu o pro- empresas e instituições de Ciência & Tecnologia inter- cessamento em escala piloto de óleo 8 ºAPI, por meio de nacionais. A parceria envolve projetos multiclientes, Craqueamento Catalítico em Leito Fluidificado (Fluid pesquisas em sistema de cooperação, alianças estraté- Catalytic Cracking – FCC). gicas e intercâmbio tecnológico. Essa nova técnica de processamento de petróleos Com investimentos de cerca de R$ 400 milhões por não gera resíduos sólidos e é autossuficiente em ano, a parceria com instituições nacionais de Ciência consumo de energia, contribuindo para a susten- & Tecnologia tem sido fundamental para posicionar o tabilidade da atividade de refino. Outra tecnologia parque tecnológico brasileiro, que dá suporte à atuação com foco na sustentabilidade é a captura de CO2 em da companhia, em patamar semelhante ao dos mais unidades de coque, que foi desenvolvida em escala avançados do mundo. piloto e contribui para tornar o processamento ain- da mais limpo. proJetoS O Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro Foi concluída, em 2008, a caracterização geoquímica (Comperj) também teve seus projetos básicos de en- da Bacia do Espírito Santo, que, combinada com im- genharia concluídos. O destaque é para a unidade de portantes avanços tecnológicos, contribuirá para o de- FCC petroquímico, que emprega tecnologia inovadora senvolvimento da produção no pré-sal. Também foram desenvolvida pela Petrobras e patenteada em diversos realizados testes do sistema de ancoragem do FPSO que países, a ser aplicada em projetos futuros da compa- irá operar na área de Tupi. nhia nas áreas de refino e petroquímica. ■ r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 91
    • CaPital De Domínio teCnológiCo Cana-de-açúcar, uma das matérias-primas usadas pela Petrobras no desenvolvimento de biocombustíveis biocombustíveis em 2008, foi desenvolvido o processo de produção de querosene de aviação feito a partir de matérias-primas renováveis (BioQav). até dezembro de 2009, serão produzidos em escala piloto 50 m3 do novo combustível, para que seja realizado o primeiro teste de voo. a Petrobras também investe no desenvolvimento de biocombustíveis de segunda geração, usando bagaço e palha de cana- de-açúcar como matéria-prima, além de outros resíduos vegetais. em 2008, prosseguiram os testes em escala piloto para a produção de etanol a partir de bagaço-de-cana. Com base nas informações obtidas, será desenvolvido o projeto de uma unidade de produção em escala de demonstração, com conclusão prevista para 2009. 92 at i V o S i n ta n G Í e ie io V xS
    • Capital orGanizaCional melhoR ReputAção no RAmo De eneRGiA a marca Petrobras é um ativo estratégico da companhia, sendo uma das dez mais valiosas » no Brasil, segundo a consultoria Brand analytics. em 2008, seu valor cresceu 28,2% em relação a 2007, passando a R$ 2,8 bilhões. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 93
    • CaPital oRganizaCional Nos Dow Jones Sustainability Indexes (DJSI), pelo garantir à companhia um ganho financeiro inicial de segundo ano consecutivo a Petrobras foi conside- US$ 250 milhões por ano. rada benchmark em gestão de marcas, e, segundo o Em 2008, foi concluída a primeira fase do projeto de Reputation Institute, a companhia é a empresa de mapeamento dos macroprocessos da Cadeia de Valor energia de melhor reputação no mundo, além de ser da Petrobras. Já foram identificados os macroprocessos a empresa de melhor reputação no Brasil. relativos às áreas de negócio, gestão e suporte – os dois Este ano, a Petrobras concluiu o projeto de identifi- últimos já desdobrados até o segundo nível da Cadeia. cação das variáveis que compõem e constroem o valor Outro projeto concluído foi o de elaboração da Me- de sua marca, estabelecendo métricas para acompa- todologia Corporativa para Gestão de Processos, com a nhar sua evolução e gestão. Esta metodologia permi- participação de diversos segmentos da companhia, que tiu, por exemplo, estimar o retorno, em valor de marca, contribuirá para a integração das iniciativas e proces- dos investimentos feitos no patrocínio à Equipe AT&T sos da Petrobras. Williams de Fórmula 1, que se encerrou em 2008. Também foram criadas a Comissão de Organização A crescente internacionalização da companhia tor- e Gestão e a Subcomissão de Excelência Operacional, nou as marcas de produtos e serviços da Petrobras po- que funcionam como fóruns de otimização de pro- tencialmente globais. Dessa forma, o desenvolvimento cessos, aprofundamento, disseminação, integração e de marcas e o estabelecimento de cláusulas de proteção aperfeiçoamento das diversas iniciativas e práticas de passaram a considerar sua possível utilização em diver- organização e gestão na companhia. ■ sos mercados do mundo. Como reflexo de sua estratégia de proteção global de marcas e de desenvolvimento da propriedade inte- sede da Petrobras, no Rio de Janeiro lectual, a companhia recebeu o prêmio de melhor equi- pe de gestão de marcas da América Latina no World Trademark Review – Industry Awards e também foi nomeada membro dos Comitês de Trabalho da International Trademark Association. prÁtiCaS de GeStÃo Ao longo do ano, a Petrobras prosseguiu com a imple- mentação das metodologias internacionais Lean & Six Sigma (LSS), que visam aumentar o retorno financei- ro sobre os investimentos por meio da otimização de processos. Os projetos piloto, realizados na fábrica de fertilizantes nitrogenados da Bahia e na Universidade Petrobras, e em duas plataformas de produção e duas refinarias, capacitaram 169 pessoas. Os projetos vão 94 at i V o S i n ta n G Í e ie io V xS
    • Capital humano opoRtuniDADes pARA ApRimoRAR competÊnciAs A Petrobras considera seu capital humano um ativo essencial e proporciona a seus empregados oportunidades de desenvolver e aprimorar competências. em 2008, pelo » terceiro ano consecutivo, a companhia foi considerada benchmark no critério Desenvolvimento do Capital Humano dos Dow Jones sustainability indexes (DJsi). r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 95
    • CaPital hUmano Além de cursos, palestras e workshops de aperfeiçoa- temas Identificação de Especialistas Internos, Desen- mento e treinamento, a companhia promove a troca volvimento de Conhecimentos Futuros, Novos Paradig- de experiências entre seus funcionários, como parte mas na Inovação e Web 2.0. de sua estratégia de gestão do conhecimento. Em 2008, a Petrobras concluiu o Programa Corporativo de Ges- QualifiCaçÃo de mÃo-de-obra tão do Conhecimento, apresentado a todas as áreas da Em 2008, a Petrobras investiu cerca de R$ 55 milhões companhia na oficina “A Empresa que Aprende”, orga- no Plano Nacional de Qualificação Profissional do nizada pela Comissão de Gestão do Conhecimento. Prominp (Programa de Mobilização da Indústria Na- Elaborado com a participação de diversos grupos cional de Petróleo e Gás). de trabalho, o programa abrange os temas Estratégia Desde o seu inicio, mais de 32 mil alunos foram be- do Conhecimento, Redes e Comunidades, Aprendiza- neficiados pelo plano, que pretende capacitar, até 2010, gem Organizacional e Gestão do Conhecimento em 112 mil profissionais em 175 especialidades, do nível Projetos, e inclui ainda a metodologia de Diagnóstico básico ao superior. São oferecidos cursos gratuitos em e Planejamento de Gestão do Conhecimento. Aplicada mais de 80 instituições de ensino distribuídas por 17 com sucesso em projetos piloto na Área Internacional, estados, além de bolsas-auxílio para alunos desempre- a metodologia permitirá a cada unidade da companhia gados durante o curso. ■ realizar a Avaliação de Maturidade e Planejamento de sua Estratégia de Conhecimento. Outras iniciativas bem-sucedidas foram conti- nuadas e ampliadas, como o Programa de Educação A petrobras investiu cerca Intercultural, para preparação e aperfeiçoamento da de R$ 55 milhões no plano força de trabalho da Área Internacional; o Programa nacional de qualificação Desafios Petrobras, voltado à preservação e transmis- são de conhecimentos técnicos, culturais e de negócio; profissional do prominp e o Programa Comunidades de Prática, que promove a troca de experiências e conhecimentos técnicos na área de Exploração e Produção, envolvendo mais de 6 mil empregados. Também se destacaram os programas de Gestão do Conhecimento da Área de Abastecimento e Como a Organização Aprende, na área de Engenharia, baseado em lições aprendidas e boas práticas de gestão de projetos. Além disso, a Petrobras participou de quatro gru- pos de estudo internacionais sobre benchmarking de práticas de gestão do conhecimento, coordenados pelo American Productivity & Quality Center, com foco nos 96 at i V o S i n ta n G Í e ie io V xS
    • Capital de relaCionamento públicos De inteResse AvAliAm imAGem A Petrobras realiza regularmente pesquisas de opinião para monitorar a imagem e a reputação da companhia diante de seus diversos públicos de interesse. São avaliados » 18 indicadores, que abrangem gestão, competitividade, crescimento, atuação no exterior, visão de futuro, apoio social, ética e responsabilidade social e ambiental. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 97
    • CaPital De RelaCionamento Todas as informações são consolidadas no Sistema de com Clientes. Baseado em princípios de governança Monitoramento da Imagem Corporativa (Sismico) e corporativa como equidade, transparência e responsa- acompanhadas pela Administração da companhia, ser- bilidade pelos resultados, o modelo procura estimular vindo de base para o planejamento das diretrizes e ações a cultura pró-cliente na companhia e lhe confere uma de comunicação e práticas de gestão nas diversas áreas. identidade única no trato com o mercado, sem restrin- gir a atuação independente das unidades. relaCionamento Com inVeStidoreS A Petrobras mantém diversos canais de relaciona- O ano de 2008 foi marcado por um expressivo crescimen- mento. O principal é o Canal Cliente, área do site por onde to da base de acionistas, que chegou a quase 1 milhão de é possível fazer pedidos, agendar retiradas, gerar paga- investidores, 40% a mais do que em 2007. O desdobra- mentos e acompanhar on-line todo o processo comercial. mento das ações da companhia ocorrido no primeiro Lançado em 2000, o Canal tem mais de 6.700 usuários semestre do ano e as políticas de divulgação e comuni- cadastrados e funciona diariamente, 24 horas no ar. cação da Petrobras contribuíram para este aumento. Outra ferramenta de relacionamento é a Pesquisa de A companhia realizou mais de 500 reuniões e Satisfação de Clientes, aplicada pela companhia desde conference calls com investidores institucionais e partici- 1997, que mede o grau de satisfação quanto à qualidade pou de mais de 40 conferências e eventos no Brasil e exte- dos produtos, além de aferir os níveis de insatisfação e rior. Além de América do Norte e Europa, também pro- de fidelidade dos clientes. moveu roadshows na Ásia, Oriente Médio e Oceania. A Petrobras também recebe dúvidas, reclamações e No Brasil, foram organizadas mais de 20 visitas de sugestões por meio do seu Serviço de Atendimento ao investidores a unidades operacionais e instalações da Cliente (SAC), via e-mail e telefone, disponíveis também Petrobras. Foi mantido o programa de participação de em seu site. Em 2008, foram feitos cerca de 7.700 conta- investidores em etapas esportivas patrocinadas, espe- tos de clientes diretos pelo SAC. cialmente de Fórmula Truck, Stock Car e Fórmula 1. Além disso, cerca de 80 mil pessoas participaram de relaCionamento Com forneCedoreS palestras, encontros e chats, no Brasil e no exterior. Mais A Petrobras tem como diretriz priorizar o mercado na- de 16 mil acionistas foram atendidos por telefone, e cer- cional de bens e serviços sempre que este se mostrar ca de 5 mil cartas, faxes e e-mails foram respondidos. competitivo e autossustentável. Em 2008, 78% das aqui- Mantendo sua política de transparência, a compa- sições da companhia foram realizadas junto a fornece- nhia divulgou cerca de cem comunicados ao mercado, dores brasileiros – um aumento de oito pontos percen- informando sobre aquisições, descobertas, desdobra- tuais em relação a 2007. Apenas 19,4% dos bens e 22,5% mento de ações e outros temas de impacto direto sobre dos serviços foram adquiridos de fornecedores estran- as cotações de mercado. geiros. Ao todo, foram contratados US$ 45,2 bilhões – US$ 7 bilhões em bens e US$ 38,2 bilhões em serviços. relaCionamento Com ClienteS Mais 13 mil novos fornecedores ingressaram A relação da Petrobras com seus clientes segue as di- no Portal Petronect, o portal de compras eletrôni- retrizes estabelecidas no Modelo de Relacionamento cas da Petrobras, que passou a ter 57 mil registrados, 98 at i V o S i n ta n G Í e ie io V xS
    • a Petrobras estabelece parcerias para cooperação tecnológica e convênios envolvendo fornecedores, universidades e Centros de excelência incluindo fornecedores do Brasil, Argentina, Bolívia, Colômbia, Equador, Estados Unidos, Peru, Cingapura e Clientes Venezuela. Desde 2003, a companhia efetuou pelo Por- Comunidade acionistas tal 526 mil compras e contratações, 298 leilões diretos e 537 leilões reversos. Comunidade Para estimular o desenvolvimento de empresas Científica e acadêmica fornecedoras de novos materiais e serviços, a Petro- opinião Pública bras estabelece parcerias para cooperação tecnológica e convênios envolvendo fornecedores, universidades e SISMICO empregados Centros de Excelência. Ao final de 2008, havia 123 pro- jetos de desenvolvimento em andamento, totalizando Poder Público R$ 223 milhões. Fornecedores Procurando fortalecer o segmento de empresas de pequeno porte, a companhia mantém um convênio ongs sociais com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas imprensa Empresas (Sebrae), que incentiva a inserção competiti- ongs ambientais va e sustentável na cadeia produtiva de óleo e gás. Seis mil empresas de 11 estados já participaram das ações desenvolvidas. Além disso, a Petrobras mantém um cadastro cor- porativo de fornecedores de bens e serviços, que con- templa requisitos técnicos, econômicos, legais e ge- renciais, além de requisitos de SMS, específicos para fornecedores de serviços. Com cerca de 4.800 empresas, o cadastro serve de base para a seleção de fornecedores em licitações e contratações. As exigências para cadas- tramento ficam disponíveis no site da companhia. Para o fornecimento de bens, estão em vigor as Condições de Fornecimento de Materiais (CFM-2005), estabelecidas a partir da interação com associações de classe. Os padrões de contratação e as diretrizes con- tratuais da Petrobras constam do Manual de Procedi- mentos Contratuais (MPC). Os documentos também estão disponíveis no site da companhia. ■ r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 99
    • diversidade responsabili social e meio ambiente clima cidadania 100 eixo
    • patrocínios dade saúde ambiental Gestão sustentabilidade seGurança reSPonSaBiliDaDe SoCial e aMBiental Atenta ao seu compromisso com o desenvolvimento sustentável, a Petrobras investiu, em 2008, R$ 554,5 milhões em projetos voltados para as áreas social, ambiental, cultural e esporti- va. Prêmios internacionais reconheceram o posicionamento da companhia em defesa da redução das desigualdades sociais e na proteção e restau- ração do meio ambiente, além de reafirmarem a responsabilidade de atua- ção com transparência. O desempenho da Petrobras permitiu à companhia manter-se, pelo terceiro ano consecutivo, no mais importante índice mun- dial de sustentabilidade, os Dow Jones Sustainability Indexes (DJSI). Boas práticas em segurança, meio ambiente e saúde são o resultado de mais de R$ 4 bilhões destinados a essas áreas. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 101
    • GeStão eM reSPonSaBiliDaDe SoCial COMPROMISSO COM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL em 2008, a petrobras manteve sua atuação pautada por responsabilidade social e transparência, alinhada aos princípios do pacto Global da organização das nações unidas (onu). reafirmando seu compromisso com o desenvolvimento sustentável, a companhia desenvolveu e apoiou projetos de proteção ao meio ambiente e iniciativas » para redução das desigualdades sociais. Foram r$ 554,5 milhões investidos em 2.323 projetos sociais, ambientais, esportivos e culturais. 102 reSPonSaBiliDaDe SoCial e aMBienixo e ta l
    • O Comitê de Gestão de Responsabilidade Social, ligado primeira edição. A pesquisa teve o objetivo de levan- ao Comitê de Negócios e composto por gerentes execu- tar informações fundamentais para a elaboração de tivos de áreas e de subsidiárias da companhia, reforçou políticas, de ações afirmativas e de outras iniciativas seu papel de discutir questões sobre sustentabilidade para a promoção contínua da equidade e o combate e monitorar as atividades e iniciativas relacionadas à discriminação. ao tema. Entre os assuntos tratados em 2008 estão os desdobramentos da Política de Responsabilidade So- PolítiCa De reSPonSaBiliDaDe SoCial cial da Petrobras, lançada em 2007, e da inclusão do A Petrobras mantém uma Política de Responsabilidade tema como função corporativa no Plano Estratégico Social que reúne as diretrizes sobre atuação corpora- 2020. Também foram tratados o Censo para a Diver- tiva, gestão integrada, desenvolvimento sustentável, sidade Petrobras e as sistemáticas para investimentos direitos humanos, diversidade, princípios de trabalho, em projetos sociais e ambientais. investimento social sustentável e compromisso da for- O Censo obteve 62% de participação voluntá- ça de trabalho, além de expressar o conceito de respon- ria, um resultado considerado excelente para sua sabilidade social para a companhia. pesquisador observa tartaruga no projeto tamar r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 103
    • Gestão em responsabilidade social A companhia foi considerada uma das empresas de óleo e gás com alto nível de transparência quanto a seus rendimentos, segundo relatório da organização Transparência Internacional rePreSentaçõeS e reConheCiMentoS Extractive Industries Transparency Initiative (EITI), da internaCionaiS qual a Petrobras faz parte. Em 2008, a Petrobras participou dos principais fóruns A companhia esteve ainda nas reuniões do e debates internacionais sobre responsabilidade social. World Business Council for Sustainable Development A companhia foi convidada para o Fórum do Setor Pri- (WBCSD), realizadas na Suíça e na África do Sul, e nos vado sobre as Metas de Desenvolvimento do Milênio e debates da Partneering Against Corruption Initiative Sustentabilidade da Produção de Alimentos, organizado (PACI), promovidos pelo World Economic Forum, nos pela ONU, participando das mesas-redondas “Energia e Estados Unidos. Biocombustíveis” e “Pobreza e Fome”. Também esteve O desempenho da Petrobras permitiu à companhia presente nos debates da International Organization for manter-se, pelo terceiro ano consecutivo, nos Dow Jo- Standardization (ISO) sobre a elaboração da ISO 26000, nes Sustainability Indexes (DJSI), o mais importante norma internacional de responsabilidade social a ser índice mundial de sustentabilidade. lançada em 2010. Menor teor De enxoFre — A Petrobras foi a públi- Na primeira edição do prêmio GRI Readers’ Choice co reafirmar seu compromisso com a responsabilidade Awards, realizada em maio, o Balanço Social e Ambien- social e assegurar que em nenhum momento deixou tal 2006 da companhia foi eleito o melhor relatório nas de cumprir a legislação ambiental vigente no País, em categorias All Stakeholders (todos os públicos de inte- resposta a alegações de que estaria desrespeitando a resse) e Civil Society (sociedade civil). O prêmio consi- Resolução 315/2002 do Conselho Nacional do Meio Am- dera as opiniões dos leitores sobre relatórios de susten- biente (Conama). Além disso, comprometeu-se a forne- tabilidade de todo o mundo. Além disso, a Petrobras cer o Diesel S-50 (com menor teor de enxofre) a partir de participou das reuniões do Conselho de Stakeholders da janeiro de 2009, de acordo com o cronograma acertado Global Reporting Initiative (GRI), como membro repre- entre Ministério Público Federal, Instituto Brasileiro de sentante do setor empresarial. Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama), Agência Em abril, a companhia foi considerada uma das Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis empresas de óleo e gás com alto nível de transparência (ANP), fabricantes de veículos, fabricantes de motores, quanto a seus rendimentos, segundo relatório da or- Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Auto- ganização Transparência Internacional. O estudo ava- motores (Anfavea) e Companhia de Tecnologia de Sane- liou 42 companhias e destacou a participação de 17 na amento Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). ■ 104 reSPonSaBiliDaDe SoCial e aMBienixo e ta l
    • SeGurança, Meio aMBiente e SaúDe INVESTIMENTOS DE R$ 4,5 BILhõES NA ÁREA DE SMS o compromisso com segurança, meio ambiente e saúde (sms) faz parte do planejamento estratégico da Petrobras. em 2008, a companhia investiu r$ 2,4 bilhões em » segurança, r$ 1,7 bilhão em ações de proteção ao meio ambiente e r$ 365 milhões em saúde, totalizando r$ 4,5 bilhões. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 105
    • seGurança, meio ambiente e saúde tFCa CoMPoSto 1,04 0,97 0,77 0,76 média 2007 0,59 oGp 0,66 lma 0,49 2013 Com o objetivo de alcançar padrões internacionais de excelência em SMS, a Petrobras deu continuidade aos 2004 2005 2006 2007 2008 projetos Excelência em SMS e Mudança Climática, que reúnem as principais ações corporativas da companhia lma - limite máximo admissível oGp - international association oF oil & Gas producer na área e constam do Plano Estratégico 2020. Ao final do ano, 93% das unidades certificáveis no Brasil e no exterior estavam em conformidade com núMero De FataliDaDeS as normas ISO 14001 (relativa a meio ambiente) e BS 8800 ou OHSAS 18001 (relativas a segurança e saú- 18 16 de), recebendo as respectivas certificações, concedidas 15 15 15 15 14 14 por organismos nacionais e internacionais. Além disso, 52 unidades operacionais de Brasil, Argentina, Estados 9 Unidos, Peru e Equador passaram pelo processo inter- 8 no de avaliação da gestão, que mensura a aplicação das 4 práticas de SMS na companhia. 1 1 1 0 SeGurança oPeraCional 2004 2005 2006 2007* 2008* Mantendo a tendência dos anos anteriores e alcançando desempenho comparável ao das referências internacio- empregados totais contratados nais da indústria de petróleo e gás, a Petrobras registrou *os indicadores passaram a incluir as Fatalidades em acidentes de trânsito na área de distribuição em 2008 uma redução para 0,59 na Taxa de Frequência de Acidentados com Afastamento (TFCA), que corresponde ao número de acidentados com afastamento para cada taxa De aCiDentaDoS FataiS milhão de homens-horas de exposição ao risco, mesmo em um cenário de aumento da atividade operacional. 3,30 Já a Taxa de Acidentados Fatais (TAF), equivalente 2,81 ao número de fatalidades por 100 milhões de homens- média 3,00 2,40 2,28 2007 oGp horas de exposição ao risco, passou de 2,28 em 2007 1,61 para 2,40 em 2008. Ocorreram 18 fatalidades na força de trabalho, incluindo empregados próprios e terceiri- zados. Do total de casos, cinco estão relacionados a um acidente aéreo e quatro a acidentes de trânsito – uma acentuada redução em relação às nove fatalidades em 2004 2005 2006 2007* 2008* acidentes de trânsito registradas em 2007, como resul- *os indicadores passaram a incluir as Fatalidades em acidentes tado das diversas ações de prevenção feitas pela com- de trânsito na área de distribuição oGp - international association oF oil & Gas producer panhia nessa área. 106 r e S P o n S a B i l i D a D e S o C i a l e a M B i e n ta l
    • eMiSSão De GaSeS De eFeito eStuFa eMiSSão De óxiDo De enxoFre (Sox) (milhões de toneladas de co2 equivalente) (toneladas) 151,96 150,9 58,16 141,79 140,1 135,7 51,56 50,43 49,88 44,41 2004 2005 2006 2007 2008 2004 2005 2006 2007 2008 não inclui emissões de navios aFretados Meio aMBiente Em 2008, a companhia evitou a emissão de 680 mil As ações de responsabilidade ambiental tiveram como toneladas de dióxido de carbono (CO2), conforme re- foco o aumento da ecoeficiência de processos e produ- gistrou seu indicador Emissões Evitadas de Gases de tos, visando à redução do consumo de recursos natu- Efeito Estufa. A Petrobras pretende evitar a emissão de rais e dos impactos sobre o meio ambiente. 2,3 e 4,5 milhões de toneladas de CO2 em 2009 e 2013, eMiSSõeS atMoSFériCaS e MuDançaS CliMátiCaS — respectivamente. As metas traçadas pela companhia O principal objetivo de gestão da Petrobras quanto à permitem atenuar a curva de crescimento do volume mudança climática é reduzir a intensidade das emis- de emissões sem restringir a expansão dos negócios, sões de gases de efeito estufa (GEE) em seus processos considerando-se um cenário de business as usual (for- e produtos, de forma a alcançar os níveis considerados ma habitual de condução do negócio). de excelência na indústria de energia mundial, contri- reCurSoS híDriCoS e eFluenteS — A Petrobras tem buindo para a sustentabilidade do negócio e para a mi- em andamento mais de 70 projetos relacionados a siste- tigação da mudança climática global. mas de tratamento e distribuição de água, coleta e trata- A companhia monitora suas emissões atmos- mento de efluentes e reúso de água em diferentes áreas féricas por meio do Sistema de Gestão de Emissões e subsidiárias. Em 2008, a companhia captou 195,2 mi- Atmosféricas (Sigea), que faz o inventário das prin- lhões de m3 de água doce para uso em suas operações. cipais emissões, especialmente os GEE (dióxido de Destaque para a Refinaria de Capuava (Recap), em carbono, metano e óxido nitroso) e poluentes regula- São Paulo, a primeira da Petrobras com descarte zero de dos (monóxido de carbono, óxidos de enxofre e nitro- efluentes. A Estação de Reúso de Água inaugurada na gênio, compostos orgânicos voláteis e material par- refinaria em 2008 reduzirá a captação de água em cerca ticulado), mantendo um histórico atualizado desde de 0,7 milhão de m3 por ano. Além disso, os efluentes da 2002. O acompanhamento da evolução das emissões Estação poderão ser usados para fins industriais pela é fundamental para o planejamento dos esforços de Petrobras e por outras empresas da região. redução pela Petrobras, que priorizam a eficiência Os projetos nas refinarias Henrique Lage (Revap) e energética, a redução da queima do gás associado, Presidente Getúlio Vargas (Repar), com conclusão prevista o uso de fontes renováveis de energia e a pesquisa e para os anos de 2009 e 2011, respectivamente, permitirão desenvolvimento tecnológico. economia de mais de 7,6 milhões de m3 de água por ano. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 107
    • seGurança, meio ambiente e saúde embarcação do centro de defesa ambiental reSíDuoS — A Petrobras adota diversas medidas para até 2012 receberá cerca de R$ 500 milhões em investi- gestão e minimização de resíduos. Em 2008, estabeleceu mentos. Por meio do Ceap são estabelecidas parcerias um limite máximo admissível (LMA) para a geração de com universidades, instituições de pesquisa, órgãos resíduos sólidos perigosos em seus processos. O volume de governamentais e ONGs, com o objetivo de consolidar resíduos gerados foi de 233 mil toneladas, ficando abaixo informações e conhecimentos que ajudem a minimizar do LMA de 293 mil toneladas definido para o ano, mesmo o impacto das atividades da companhia sobre o ecos- com o aumento da produção de óleo cru e refinados. sistema da região amazônica. A companhia também investe no desenvolvimento atuação eM eMerGênCiaS — A política de atuação de tecnologias inovadoras para reaproveitamento e mini- em emergências conta com dez Centros de Defesa mização de resíduos, e tem buscado ampliar o percentu- Ambiental (CDAs) em operação permanente, equipa- al de reciclagem e reúso em suas unidades. Em 2008, 30% dos com embarcações especiais, recolhedores de óleo dos resíduos sólidos perigosos foram reaproveitados. e barreiras de contenção e absorção, além de profis- BioDiverSiDaDe — A Petrobras desenvolve inúmeras sionais capacitados. Treze bases avançadas dos CDAs iniciativas para a preservação e a recuperação da bio- dão cobertura a diversas regiões do País. A companhia diversidade. Em 2008, prosseguiu com o mapeamento também mantém em operação permanente três em- de regiões sensíveis, protegidas e vulneráveis em suas barcações para o combate a emergências na Baía de áreas de influência. Os dados mapeados alimentarão Guanabara, no litoral de São Paulo e na costa de Ser- um sistema de informações geográficas (SIG) que tam- gipe e Alagoas. bém abrigará outras informações sobre biodiversidade. Em 2008, a Petrobras promoveu sete simulados re- A base de dados ajudará a companhia a prevenir e solu- gionais, envolvendo a Marinha do Brasil, Defesa Civil, cionar eventuais impactos à biodiversidade do entorno Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, órgãos ambientais, de suas operações. prefeituras e comunidades locais, além de quatro exercí- Além disso, a companhia mantém o Centro de Exce- cios simulados de grande porte em unidades da Argenti- lência Ambiental da Petrobras na Amazônia (Ceap), que na, Colômbia, México e Uruguai. 108 r e S P o n S a B i l i D a D e S o C i a l e a M B i e n ta l
    • vazaMento De Petróleo e DerivaDoS PerCentual De teMPo PerDiDo (PtP) (m3) 2,57 2,48 lma 600 2,31 530 2013 2,19 2,06 436 lma 2,18 2013 386 293 269 2004 2005 2006 2007 2008 2004 2005 2006 2007 2008 lma - limite máximo admissível lma - limite máximo admissível vazaMento De Petróleo e DerivaDoS — O volume Em relação à HIV/Aids, a política da Petrobras tem de vazamentos em 2008 ficou 40% abaixo do limite como princípios a não-discriminação, a confidenciali- máximo admissível (LMA) estabelecido para o ano, dade, o aconselhamento e a adoção de medidas de as- mantendo-se em nível compatível com os referenciais sistência, educação para saúde e vigilância epidemioló- de excelência da indústria mundial de petróleo e gás. gica da doença. A companhia acompanha os resultados na área de SaúDe saúde por indicadores como o Percentual de Tempo A Petrobras desenvolve diversas ações para promover a Perdido (PTP), referente aos afastamentos de emprega- saúde e o bem-estar de seus funcionários, estimulando dos do trabalho por doenças ou acidentes. Em 2008, foi práticas organizacionais benéficas e a adoção de um es- registrado um PTP de 2,31%. ■ tilo de vida saudável. Em 2008, organizou uma série de iniciativas para a promoção da alimentação saudável, que se somaram às de estímulo à atividade física e de prevenção e controle do tabaco, álcool e outras drogas, A Petrobras desenvolve diversas ações já em andamento. para promover a saúde e o bem-estar Definidas com base no perfil epidemiológico dos de seus funcionários, estimulando práticas empregados, as ações incluíram avaliação nutricional periódica individual, educação alimentar para fun- organizacionais benéficas e a adoção cionários e familiares, e orientação sobre a composi- de um estilo de vida saudável ção nutricional das refeições servidas nas unidades, além de orientação sobre as exigências de controle higiênico-sanitário em instalações da companhia e de empresas prestadoras de serviço. Essas ações se estendem a todas as situações em que há alimenta- ção fornecida pela Petrobras, incluindo eventos inter- nos e externos. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 109
    • PatroCínioS PROJETOS CONTRIBUEM PARA DESENVOLVIMENTO SOCIAL E AMBIENTAL ProjetoS SoCiaiS os principais investimentos da companhia em projetos sociais concentram-se no programa desenvolvimento & cidadania petrobras, que tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento local, regional e nacional, promovendo inserção social digna e produtiva de pessoas que vivem em situação de desvantagem social. » em 2008, dos R$ 225 milhões investidos em projetos sociais, 95,7% foram destinados a iniciativas apoiadas pelo programa. 110 reSPonSaBiliDaDe SoCial e aMBienixo e ta l
    • O programa envolve projetos de longo prazo em todo o R$ 48,5 milhões a 268 projetos. As principais iniciati- País, considerando três linhas de ação: geração de ren- vas, em parceria com a Secretaria Especial de Direitos da e oportunidade de trabalho, educação para a quali- Humanos e conselhos municipais, estaduais e nacional ficação profissional e garantia dos direitos da criança e dos direitos da criança e do adolescente, visam atuar do adolescente. Uma das modalidades do Desenvolvi- nas seguintes áreas: trabalho infantil, exploração se- mento & Cidadania Petrobras é a seleção pública, que xual, violência doméstica, medidas socioeducativas e contemplou 72 novos projetos na edição 2007, cujos re- convivência familiar e comunitária, entre outras. sultados foram divulgados em maio de 2008. A Petrobras acompanha o desenvolvimento dos pro- ProjetoS aMBientaiS jetos apoiados por meio de um conjunto de indicadores A companhia investe em projetos ambientais e e metas de desempenho, que tornam possível monito- apoia iniciativas que visem à preservação ambiental e à rar e avaliar de forma integrada os resultados em todo difusão da consciência ecológica por meio do Programa o território nacional. Em 2008, foi estabelecida uma Petrobras Ambiental (PPA), colaborando para o desen- sistemática de investimentos sociais para a Petrobras volvimento de uma agenda ambiental brasileira. Em e elaborado um manual de boas práticas de gestão de 2008, foram investidos R$ 53 milhões em 173 projetos investimentos sociais, que considera as três dimensões em todo o País. da sustentabilidade – econômica, social e ambiental – e Em agosto, a Petrobras lançou a nova etapa do tem como referência as metodologias usadas pelo Pacto programa, que vai destinar, no período 2008-2012, Global da ONU, GRI, Agenda 21 e WBCSD. R$ 500 milhões a patrocínios e outras ações estraté- Os resultados parciais do Desenvolvimento & Cida- gicas, como o fortalecimento das organizações am- dania Petrobras contabilizam 520 mil pessoas atendidas bientais e de suas redes e a disseminação de infor- diretamente, 6.865 postos de trabalhos gerados por in- mações para o desenvolvimento sustentável. vestimento direto, elevação de 201% na renda média per O terceiro processo de seleção pública do PPA teve re- capita dos participantes dos projetos e 34% dos partici- sultados divulgados em dezembro. A seleção contemplou pantes de cursos profissionalizantes com certificados 47 iniciativas de todas as regiões do País, que receberão reconhecidos pelo Sistema Nacional de Certificação Pro- um total de R$ 60 milhões nos próximos dois anos. fissional. Além disso, 23% do público atendido está na O novo tema do PPA é “Água e clima: contribuições faixa de 15 a 29 anos, e 96% dos participantes dos projetos para o desenvolvimento sustentável”, ampliando a te- voltados à proteção de crianças e adolescentes tiveram o mática da fase anterior, que abrangia a água e sua bio- período total de atendimento concluído. As informações diversidade. O programa possui três linhas de atuação: foram obtidas junto a 295 projetos corporativos. gestão de corpos hídricos superficiais e subterrâneos; Outra ação da Petrobras no âmbito social é o repas- recuperação ou conservação de espécies e ambientes se de recursos ao Fundo para a Infância e a Adolescên- costeiros, marinhos e de água doce; e fixação de carbo- cia (FIA). Em 2008, foram destinados aproximadamente no e emissões evitadas. r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 111
    • patrocínios PatroCínio Cultural A política de patrocínio cultural da Petrobras se alinha ao Planejamento Estratégico da companhia, que, ao PROGRAMA DE OLhO lado da rentabilidade, ressalta seu compromisso com a NO AMBIENTE responsabilidade social e com o crescimento do País. A companhia se empenha em defender e valorizar a cultu- o programa de olho no ambiente foi criado em 2004 com o ra brasileira por meio de uma política de patrocínios de objetivo de contribuir com o desenvolvimento sustentável em alcance social, articulada com as políticas públicas para comunidades de baixo índice de inclusão social em áreas de o setor e focada na afirmação da identidade brasileira. influência das unidades da petrobras, estreitando o relaciona- Ao longo do ano, a Petrobras destinou R$ 206,8 milhões para a cultura e patrocinou cerca de mil projetos. Por meio mento da companhia com as comunidades envolvidas e siste- de seleções públicas e escolha direta, as ações apoiadas pela matizando um processo de diálogo permanente. companhia visam contribuir para o fortalecimento das a metodologia do programa fortalece os processos naturais co- oportunidades de criação, produção, difusão e fruição da munitários. em 2008, o de olho no ambiente alcançou 352 cultura brasileira. Além disso, a Petrobras patrocina proje- agendas comunitárias, em 144 municípios brasileiros. os pro- tos que buscam contribuir para a permanente construção dutos gerados colaboram para a identificação de oportunida- da memória cultural brasileira, consolidando o trabalho de des de atuação para o programa desenvolvimento & cidadania resgate, recuperação, organização e registro do acervo ma- petrobras e o programa petrobras ambiental. terial e imaterial da nossa cultura, priorizando aqueles em situação de risco, ampliando o acesso a esses acervos. Em 2008, a companhia lançou a quinta edição do Programa Petrobras Cultural (PPC), que destinou R$ 42 milhões para seleções públicas de projetos. Por in- termédio do programa, a Petrobras patrocina projetos de interesse público e proporciona o acesso democráti- co aos recursos. O PPC é a principal ação da companhia O Programa Petrobras Cultural (PPC) na área cultural e o que mais destina verba a projetos é a principal ação da companhia na área culturais dentre os programas de patrocínio à cultura cultural e o que mais destina verba a lançados no País. Os processos são transparentes e am- plamente divulgados em todo o Brasil. projetos neste setor dentre os programas O PPC é formado pelas linhas de atuação "Produ- de patrocínio lançados no País ção e Difusão", "Preservação e Memória" e "Formação e Educação para as Artes". Nestes três segmentos são patrocinados projetos que abrangem cinema, literatu- ra, artes cênicas, cultura digital, música, artes visuais e patrimônio imaterial. Os projetos de Patrimônio Edi- ficado são patrocinados mediante convite pela compa- nhia, que, prioritariamente, atende a ações de restauro de bens tombados e de notória importância para a his- tória, a arquitetura e a cultura brasileira, observando- se ainda a urgência da ação de restauro em questão. 112 reSPonSaBiliDaDe SoCial e aMBienixo e ta l
    • equipe petrobras lubrax para o rally dakar 2008, um dos patrocínios do programa petrobras esporte motor PatroCínio eSPortivo os benefícios da Lei Federal de Incentivo ao Esporte, A Petrobras é uma das maiores incentivadoras do es- patrocinando a preparação da Delegação Brasileira porte no Brasil. Em pesquisa realizada pela consul- para os Jogos de Pequim em 2008. toria internacional Market Analysis, a marca Petro- No Programa Petrobras Esporte Motor, a companhia bras é apontada como a mais associada ao esporte atua com foco na cooperação tecnológica, utilizando as nacional. Em 2008, a companhia investiu cerca de pistas de competição para pesquisa e desenvolvimento R$ 61,4 milhões em projetos de todo o País, por meio de seus produtos, sob as condições mais rigorosas. Um dos programas Petrobras Esporte Motor e Petrobras exemplo significativo foi a parceria técnica com a equipe Esporte de Rendimento. Williams de Fórmula 1, encerrada no final de 2008. O re- No Programa Petrobras Esporte de Rendimento, a sultado foi o desenvolvimento da Gasolina Podium, con- companhia apoia o handebol, o surfe e o tênis, além siderada atualmente o melhor combustível disponível do futebol, com o patrocínio ao Clube de Regatas do no mercado brasileiro, representando a seriedade e o alto Flamengo, time com o maior número de torcedores no nível de comprometimento da Petrobras com o setor. ■ País. Também incentiva o olimpismo brasileiro, com o patrocínio oficial ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB). Além disso, foi uma das primeiras empresas a utilizar r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 113
    • ADMINISTRAÇÃO Diretoria Executiva Presidente Diretor Financeiro e de Diretora de Gás e Energia José sergio Gabrielli de azevedo Relações com Investidores maria das Graças silva Foster almir Guilherme barbassa área CorPorativa Diretoria FinanCeira Diretoria De Ouvidoria Geral Financeiro Corporativo GáS e enerGia maria augusta carneiro ribeiro daniel lima de oliveira Gás e Energia Corporativo Auditoria Interna Planejamento Financeiro luciana bastos de Freitas Gerson luiz Gonçalves e Gestão de Riscos rachid Jorge José nahas neto Logística e Participações Secretaria Geral da Petrobras hélio shiguenobu Fujikawa Finanças em Gás Natural pedro augusto bonésio andré lima cordeiro Gabinete do Presidente armando ramos tripodi Contabilidade Operações e Participações marcos antonio silva menezes em Energia Estratégia e Desempenho José alcides santoro martins Empresarial Tributário celso Fernando lucchesi maria alice Ferreira Desenvolvimento Energético deschamps cavalcanti mozart schmitt de queiroz Desenvolvimento de Sistemas de Gestão Relacionamento Marketing e Comercialização Washington luiz Faria salles com Investidores antônio eduardo monteiro theodore helms de castro Novos Negócios rogério Gonçalves mattos Comunicação Institucional Wilson santarosa Jurídico nilton antonio de almeida maia Recursos Humanos diego hernandes 114 a D M i n i S t r a çx o ei ã
    • Conselho Fiscal Conselho de Administração Titulares Suplentes Presidente José sergio Gabrielli de azevedo marcus pereira aucélio eduardo coutinho Guerra dilma vana rousseff Francisco roberto de alburquerque césar acosta rech edson Freitas de oliveira Fábio colletti barbosa túlio luiz Zamin ricardo de paula monteiro Conselheiros Jorge Gerdau Johannpeter nelson rocha augusto maria auxiliadora alves da silva silas rondeau cavalcante silva luciano Galvão coutinho maria lúcia de oliveira Falcón celso barreto neto Guido mantega sérgio Franklin quintella Diretor de Exploração Diretor de Abastecimento Diretor Internacional Diretor de Serviços e Produção paulo roberto costa Jorge luiz Zelada renato de souza duque Guilherme de oliveira estrella Diretoria De Diretoria De Diretoria Diretoria De ServiçoS exPloração aBaSteCiMento internaCional Segurança, Meio Ambiente e ProDução Abastecimento Corporativo Internacional Corporativo e Saúde venina velosa da Fonseca alexandre penna rodrigues ricardo santos azevedo E&P Corporativo Francisco nepomuceno Filho Logística Suporte Técnico aos Negócios Materiais carlos eduardo sadenberg carlos alberto pereira marco aurélio da rosa ramos Engenharia de Produção solange da silva Guedes bellot de oliveira Pesquisa e Desenvolvimento Refino Desenvolvimento de Negócios (Cenpes) Serviços carlos tadeu da costa Fraga erardo Gomes barbosa Filho José carlos cosenza ricardo abi ramia da silva Petroquímica e Fertilizantes Cone Sul Engenharia Exploração pedro José barusco Filho mario carminatti paulo cézar amaro aquino José Fernando de Freitas Marketing e Comercialização Américas, África e Eurásia Tecnologia da Informação Pré-Sal e Telecomunicações José miranda Formigli Filho José raimundo brandão pereira samir passos awad José carlos da Fonseca Norte-Nordeste Serviços Compartilhados christovam penteado sanches antônio sérgio oliveira santana Sul-Sudeste José antônio de Figueiredo r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 115
    • GLOSSÁRIO aDr - aMeriCan DePoSitary reCeiPtS — Certificados CaMPo — Área produtora de petróleo ou gás natural a negociáveis nos Estados Unidos e que representam partir de um reservatório contínuo ou de mais de um uma ou mais ações de uma companhia estrangeira. reservatório, a profundidades variáveis, abrangendo Um banco depositário norte-americano emite os ADRs instalações e equipamentos destinados à produção. contra o depósito das ações subjacentes, mantidas por CaPaCiDaDe inStalaDa — Capacidade de processamen- um custodiante no país de origem das ações. No caso to da unidade, autorizada pela ANP. das ações da Petrobras, em 2007 foi alterada a relação entre ações e ADRs e cada ADR passou a representar CarGa FreSCa ProCeSSaDa — Total de petróleo cru pro- duas ações subjacentes. cessado nas plantas de destilação. aFraMax — Navio petroleiro com dimensões que per- CarGa (total) ProCeSSaDa — Total de petróleo cru, mitem a operação usual em portos comerciais. A ca- somado às correntes de reprocessamento e derivados pacidade de carga pode variar entre 100 mil e 120 mil intermediários, processado nas plantas de destilação. toneladas de porte bruto. CertiFiCaDoS De reCeBíveiS iMoBiliárioS (Cri) — Títulos aGênCia naCional Do Petróleo, GáS natural e BioCoM- de renda fixa lastreados em créditos imobiliários – flu- BuStíveiS (anP) — Órgão regulador do setor de petróleo xo de pagamentos de contraprestações de aquisição de e gás natural no Brasil. bens imóveis, ou de aluguéis – emitidos por sociedades securitizadoras. A remuneração dos CRIs é isenta de BioDieSel — Combustível alternativo ao diesel, renová- imposto de renda para investidores pessoas físicas. vel e biodegradável, obtido a partir da reação química de óleos, de origem animal ou vegetal, com álcool, na CeSta De reFerênCia Da oPeP — Saharan Blend (Argé- presença de um catalisador (reação conhecida como lia), Minas (Indonésia), Bonny Light (Nigéria), Arab Light transesterificação). Pode ser obtido também pelos pro- (Arábia Saudita), Dukhan (Catar), BCF-17 (Venezuela), cessos de craqueamento e esterificação. Iranian Heavy, Kuwait Crude, Es Sider (Líbia), Murban (Emirados Árabes Unidos) e Basrah (Iraque). BloCo — Pequena parte de uma bacia sedimentar onde são desenvolvidas atividades de exploração e produção CoGeração — Geração simultânea de eletricidade e de petróleo e gás natural. energia térmica (calor/vapor de processo), por meio do uso sequencial e eficiente de quantidades de energia de Br GaaP — Sigla da expressão Generally Accepted uma mesma fonte. Aumenta a eficiência térmica do sis- Accounting Principles in Brazil (princípios contábeis tema termodinâmico como um todo. geralmente aceitos no Brasil). ConDenSaDo — Líquido do gás natural, obtido no proces- Brent — Mistura de petróleos produzidos no Mar do so de separação normal de campo, que é mantido na fase Norte, oriundos dos sistemas petrolíferos Brent e Ninian, líquida em condições normais de pressão e temperatura. com grau API de 39,4 e teor de enxofre de 0,34%. ConFerenCe Call — Conferência telefônica com analis- Bunker — Combustível para abastecer navios. tas, investidores institucionais e investidores individuais 116 G l o S S e ir io á x
    • no período em que a companhia reporta seus resulta- GáS natural — Todo hidrocarboneto ou mistura de dos financeiros do trimestre mais recente. Inclui infor- hidrocarbonetos que permaneça em estado gasoso em mações relacionadas à visão de futuro da empresa. condições atmosféricas normais, extraído diretamente a partir de reservatórios petrolíferos ou gaseíferos, in- CoqueaMento retarDaDo — Forma mais severa de cra- cluindo gases úmidos, secos, residuais e gases raros. queamento térmico, transforma resíduo de vácuo em produtos mais leves, produzindo, adicionalmente, coque. GáS natural aSSoCiaDo — Gás natural produzido jun- tamente com o óleo. As jazidas de petróleo geralmente Derivativo — Contrato ou título cujo valor está rela- são compostas de três fases: óleo, gás e água. No caso cionado aos movimentos de preço de um título, instru- em questão, o gás é obtido após processo de separação mento ou índice subjacente. Pode ser utilizado como física da fração líquida do petróleo. Há também o gás instrumento de hedge. não associado, produzido a partir de jazidas puramente Doença Do traBalho — Doença adquirida ou desenca- de gás. Nesse caso, não há necessidade de separação fí- deada em função de condições especiais em que o traba- sica durante sua produção. Em ambos os casos, porém, lho é realizado e que com ele se relaciona diretamente. depois de produzido e/ou separado, o gás é processado antes de ser colocado à venda, de modo a atingir os pa- Dow joneS SuStainaBility inDexeS (DjSi) — Refletem o drões de qualidade exigidos. retorno de uma carteira teórica composta pelas ações de empresas listadas na Bolsa de Valores de Nova York GáS natural liqueFeito (Gnl) — Gás natural resfriado com os melhores desempenhos em todas as dimensões a temperaturas inferiores a -160 ºC para transferência e que medem sustentabilidade empresarial. Considera- estocagem como líquido. dos os mais importantes índices de sustentabilidade GaSolina natural — Líquido do gás natural, cuja pres- no mundo, servem como parâmetro para análise dos são de vapor é um meio-termo entre a do condensado e investidores sócio e ambientalmente responsáveis. a do gás liquefeito de petróleo, obtido por um processo eBitDa (earninGS BeFore intereSt, taxeS, DePreCiation de compressão, destilação e absorção. & aMortization exPenSeS) — Resultado antes de juros, Governança CorPorativa — Relação entre agentes impostos, depreciação e despesas de amortização. econômicos (acionistas, executivos, conselheiros) com e&P — Exploração e produção de petróleo e gás natural. capacidade de influenciar/determinar a direção e o desempenho das corporações. A boa governança cor- eteno ou etileno — Produto petroquímico básico da porativa garante, aos sócios, equidade, transparência e família das olefinas leves (C2H4) produzido a partir da responsabilidade pelos resultados. nafta ou etano. Grau aPi Do aMeriCan PetroleuM inStitute (ºaPi) — Flex-Fuel — Automóveis ou utilitários leves, que ope- Forma de expressar a densidade relativa de um óleo ou ram com gasolina, álcool ou quaisquer misturas destes derivado. A escala API, medida em graus, varia inversa- combustíveis. O usuário escolhe o combustível na hora mente à densidade relativa, isto é, quanto maior a den- de abastecer, considerando a disponibilidade e o custo sidade relativa, menor o grau API. O grau API é maior do combustível ou o desempenho do veículo. quando o petróleo é mais leve. Petróleos com grau API FPSo FloatinG, ProDuCtion, StoraGe & oFFloaDinG — maior que 31 são considerados leves; entre 22 e 31 graus Unidade flutuante de produção, armazenamento e trans- API, são médios; abaixo de 22 graus API, são pesados; ferência de petróleo construída a partir de um navio. com grau API igual ou inferior a 10, são petróleos ex- trapesados. Quanto maior o grau API, maior o valor do GáS liqueFeito De Petróleo (GlP) — Mistura de hidro- petróleo no mercado. carbonetos com alta pressão de vapor, obtida do gás na- tural em unidades de processo especiais, que é mantida Grau De inveStiMento — Nível de classificação de ris- na fase líquida em condições especiais de armazena- co a partir do qual a empresa é considerada de baixo mento na superfície. risco e, portanto, seus valores mobiliários podem ser r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 117
    • adquiridos por investidores mais conservadores. Tam- Management Systems que especifica os requisitos de bém se utiliza o termo Investment Grade. sistemas de gestão da saúde e segurança ocupacionais, visando, inclusive, à certificação desses sistemas. heDGe — Posição ou combinação de posições financei- ras que contribuem para reduzir algum tipo de risco. óleo — Porção do petróleo existente na fase líquida nas condições originais do reservatório e que permanece líqui- iBoveSPa - ínDiCe BoveSPa — Indicador de variação de da nas condições de pressão e temperatura de superfície. preços de uma carteira teórica de ações definida perio- dicamente pela Bolsa de Valores de São Paulo. óleo CoMBuStível — Frações mais pesadas da desti- lação atmosférica do petróleo. Largamente utilizado ínDiCe De rePoSição De reServa (irr) —Relação entre como combustível industrial em caldeiras, fornos, etc. o volume de reservas incorporadas no ano e o volume total produzido no mesmo ano. onShore — Localizado ou operado em terra. ínDiCe De SuCeSSo exPloratório — Número de poços oPeP - orGanização DoS PaíSeS exPortaDoreS De Petró- exploratórios com presença de óleo e/ou gás comerciais leo — Argélia, Indonésia, Irã, Iraque, Kuwait, Nigéria, em relação ao número total de poços exploratórios per- Catar, Arábia Saudita, Emirados Árabes e Venezuela. furados e avaliados, no ano em curso. Petróleo — Todo e qualquer hidrocarboneto líquido em inveStMent GraDe — Vide Grau de Investimento. seu estado natural, a exemplo do óleo cru e condensado. iSo 14001 — Norma internacional, elaborada e gerenciada Petróleo Cru (ou óleo Cru) — Aquele que entra pela pela International Organization for Standardization, que primeira vez numa planta de processo. especifica os requisitos de sistemas de gestão ambiental, Polietileno — Produto petroquímico utilizado na pro- visando, inclusive, à certificação desses sistemas. dução de tonéis, vasos, embalagens para filmes, plásticos líquiDo De GáS natural (lGn) — Parte do gás natural para embrulhar roupas e materiais de pequeno peso. que se encontra na fase líquida em determinada condi- PoliProPileno — Produto petroquímico com aplicações ção de pressão e temperatura na superfície, obtida nos semelhantes às do polietileno de alta densidade: filmes, processos de separação de campo, em unidades de pro- caixas para bebidas, embalagens, etc. cessamento de gás natural ou em operações de transfe- rência em gasodutos. ProPeno ou ProPileno — Petroquímico básico produzi- do a partir da nafta ou propano que serve de matéria- MarGeM Bruta — Lucro bruto ÷ receita líquida. prima para a produção de polipropileno. MarGeM líquiDa — Lucro líquido ÷ receita líquida. reServa — Recursos descobertos de petróleo e/ou gás MarGeM oPeraCional — Lucro operacional ÷ receita natural comercialmente recuperáveis a partir de deter- líquida. minada data. Market Share — Fatia ou participação no mercado. reServa ProvaDa — Reservas de petróleo e/ou gás na- tural que, com base na análise de dados geológicos e de naFta — Derivado de petróleo utilizado principalmente engenharia, se estima recuperar comercialmente de re- como matéria-prima da indústria petroquímica na servatórios descobertos e avaliados, com elevado grau produção de eteno e propeno, além de outras frações de certeza e cuja estimativa considere as condições eco- líquidas, como benzeno, tolueno e xilenos. nômicas vigentes, os métodos operacionais usualmente novaS FronteiraS — Áreas de bacias ou bacias ainda viáveis e os regulamentos instituídos pelas legislações pouco exploradas. petrolífera e tributária brasileiras. oFFShore — Localizado ou operado no mar. roCe (return over CaPital eMPloyeD) — Retorno so- bre o capital empregado, obtido com a fórmula: lucro ohSaS 18001 — Norma elaborada e gerenciada pela BSI líquido - resultado financeiro (líquido de IR e CSSL) / 118 G l o S S e ir io á x
    • empréstimos e financiamentos médios + patrimônio líquido médio - aplicações financeiras. taBela De ConverSão m3 SeC - SeCuritieS anD exChanGe CoMMiSSion — Órgão Metros cúbicos (m3) em barris (b): b= 0,158984 regulador e fiscalizador do mercado de capitais norte- americano, equivalente, no Brasil, à Comissão de Valo- Barris (b) em metros cúbicos (m3): m3 = b x 0,158984 res Mobiliários (CVM). Metros cúbicos (m3) em toneladas (t): t = m3 x D SPe — Society of Petroleum Engineers. t SuezMax — Navio petroleiro com dimensões máximas Toneladas (t) em metros cúbicos (m3): m3 = D que permitam a passagem pelo Canal de Suez. A capa- Barris (b) em toneladas (t): t = b x 0,158984 x D cidade de carga varia entre 150 mil e 175 mil toneladas de porte bruto. t Toneladas (t) em barris (b): b= D x 0,158984 SwaP — Contrato de troca de fluxos de pagamentos entre M onde D = densidade; duas partes. Um tipo tradicional de swap de petróleo con- D= V M = massa e V = volume siste em contrato no qual uma parte compra por determi- nado preço fixo e vende pela cotação futura flutuante. 1 m3 = 1.000 litros = 6,28994113 b uS GaaP — Sigla da expressão Generally Accepted Ac- 1 b = 158,984 litros = 0,158984 m3 counting Principles in the United States (princípios con- 1 m3 de gás natural = 0,0063 barris de óleo equivalente tábeis geralmente aceitos nos Estados Unidos). valor De MerCaDo — Valor da companhia medido pelo preço das suas ações no mercado, segundo a fórmula: (preço da ação x número de ações). valor PatriMonial — Valor do patrimônio líquido da companhia. volatiliDaDe — Medida estatística da tendência de variação de um preço ou taxa no tempo. Normalmen- te medida por meio da variância ou do desvio padrão, quanto maior a volatilidade da cotação, maior sua va- riação em torno de um valor médio. voluMe reCuPerável — Volume de petróleo, expresso nas condições básicas, que poderá ser obtido como re- sultado da produção de um reservatório, desde as con- dições iniciais até o seu abandono, por meio da melhor alternativa apontada pelos estudos técnico-econômicos realizados até a época da avaliação. Fórmula: volume recuperável = volume original x fator de recuperação. ■ r e l at ó r i o a n u a l 2 0 0 8 119
    • EXPEDIENTE Relacionamento com Investidores e Comunicação Institucional coordenação Geral, produção, redação e edição Cuca Design projeto Gráfico e diagramação Tapioca Comunicação produção editorial e edição Fani Knoploch revisão Pancrom impressão Fotografias banco de imagens petrobras página 9: Felipe Goifman página 15: bruno veiga página 21: rogério reis página 32: antonio iaccovazo página 37: Geraldo Falcão página 45: andré valentim página 50: Geraldo Falcão página 54: bruno veiga página 56: thelma vidales página 59: rogério reis página 62: Geraldo Falcão página 68: Getty images / arquivo petrobras página 70: Juarez cavalcanti página 81: banco de imagens petrobras página 84: Geraldo Falcão página 89: rogério reis página 92: rogério reis página 94: Geraldo Falcão página 103: arquivo do projeto tamar página 108: Geraldo Falcão página 113: andré valentim página 114: rogério reis e Geraldo Falcão página 115: rogério reis e Geraldo Falcão 120 exPeDiente
    • O Relatório Anual Petrobras 2008 foi impresso em papel Reciclato, da Suzano (100% de papel reciclado de aparas, sendo 35% pós-consumo e 65% pré-consumo), com tintas feitas com matérias-primas renováveis, à base de óleos vegetais e pigmentos isentos de metais pesados, sob a norma ISO 18.000.
    • endereÇos Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras Avenida República do Chile, nº 65, Centro CEP 20031-912 - Rio de Janeiro, RJ Tel: 55 (21) 3224-4477 Representações no Brasil JAPÃO Petrobras Tokyo Office bRAsÍLIA Tokyo Ginko Kyokai Building, Setor de Autarquias Norte, SAN 5th Floor #505 Quadra 1, Bloco D 3-1 Marunouchi 1-Chome, Edifício Petrobras, 2º andar Chiyoda-ku, Tokyo - 100-0005, Japan CEP 70040-901 - Brasília, DF Tel.: 81 (3) 5208-5285 Tel.: 55 (61) 3429-7131 Fax: 81 (3) 5208-5288 Fax: 55 (61) 3226-6341 CHINA sÃO PAULO Petrobras Beijing Representative Office Avenida Paulista, nº 901 China World Trade Center Tower 1, 11º andar, Cerqueira César Units 1221-1225 CEP 01311-100 - São Paulo, SP Nº 1, Jian Guo Men Wai Avenue, Tel.: 55 (11) 3523-6501 Chao Yang District, Fax: 55 (11) 3523-6488 Beijing - 100004, P.R.China. Tel.: 86 (10) 6505-9838 Fax: 86 (10) 6505-9850 sALvAdOR Avenida Antônio Carlos Magalhães, nº 1113 Sala 112, Pituba - CEP 41825-903 - Salvador, BA CINGAPURA Tel.: 55 (71) 3350-3700 Petrobras Singapore Private Limited Fax: 55 (71) 3350-3080 435 Orchard Road # 19-05/06 Wism Wisma Atra Singapore - 238877 Tel.: 65 6550-5080 Representações no Exterior Fax: 65 6734-9081 EsTAdOs UNIdOs Petrobras NY Office INGLATERRA 570, Lexington Avenue, 43rd Floor Petrobras Europe Limited 10022-6837 - New York, NY, USA 20, North Audley Street - 4th floor Tel.: 1 (212) 829-1517 London W1K 6WL - England Fax.: 1 (212) 832-5300 Tel.: 44 (20) 307-30760 Fax: 44 (20) 7467-4771
    • Atendimento aos Acionistas Bancos Depositários PETRObRAs bANCO dO bRAsIL s.A. suporte ao Acionista Atendimento ao Acionista Av. República do Chile, 65 - Sala 2202-B Regiões Metropolitanas e Capitais: 4004-0001 CEP 20031-912 - Centro, Rio de Janeiro, RJ Demais Localidades: 0800 729 9001 Tel.: 55 (21) 3224-1524 / 1550 0800 282 1540 diretoria de mercado de Capitais Fax: 55 (21) 2262-3678 Núcleo de Escrituração de Ativos acionistas@petrobras.com.br Rua Lélio Gama, 105 - 38º andar CEP 20031-201 - Centro, Rio de Janeiro, RJ aescriturais@bb.com.br Atendimento aos Investidores Obs.: O atendimento aos acionistas é realizado por toda a rede de agências do banco. PETRObRAs Gerência de Relacionamento AdR com Investidores JP morgan Chase bank, NA Av. República do Chile, 65 - Sala 2202-B PO BOX 358408 CEP 20031-912 - Centro, Rio de Janeiro, RJ Pittsburgh, PA - 15252-8408 Tel.: 55 (21) 3224-1510 / 9947 Tel.: 1 (201) 680-6630 Fax: 55 (21) 3224-6055 Fax: 1 (212) 623-0079 petroinvest@petrobras.com.br adr@jpmorgan.com http://www.adr.com departamento de Relacionamento para a América Latina Av. Brigadeiro Faria Lima, 3729 - 14º andar 04538 - São Paulo, SP - Tel.: 55 (11) 3048-3507 Internet www.petrobras.com.br é o endereço da Petrobras na internet. No site, estão disponíveis informações gerais sobre a companhia, incluindo uma sala específica de relações com investidores, com notas sobre os resultados, demonstrativos contábeis (padrões brasileiro e norte-americano), relatórios anuais, áudio e transcrição de apresentações a investidores, estatuto social, cotações das ações, informações aos acionistas etc. Assembleia Geral Ordinária As Assembleias Gerais Ordinárias (AGO) são realizadas nos quatro primeiros meses seguintes ao término do exercício social, conforme artigo 39 do Estatuto, na sede da companhia, localizada à Avenida República do Chile, 65, Centro, Rio de Janeiro.