Edição 25 - Petrobras em Ações - n° 04/2007

432
-1

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
432
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Edição 25 - Petrobras em Ações - n° 04/2007

  1. 1. Relacionamento com Investidores • Ano VII • nº 25 Petrobras em Ações Petrobras em Ações Descoberta a nova fronteira DESTAQUES Tricampeã na Bovespa ■ A Petrobras recebeu, em dezembro, pela terceira vez consecutiva, na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), o troféu "Categoria petrolífera do Brasil Companhias Abertas – A Mais Negociada". A O prêmio é um reconhecimento à liquidez crescente Petrobras anunciou, em novembro, a descoberta da nova de suas ações e demonstra a permanente província petrolífera brasileira, equivalente às mais impor- busca da Companhia para ampliar sua base de tantes do mundo, que se estende pelas bacias do Espírito Santo, acionistas, que apresentou aumento de 52.385 novos participantes nos últimos dois anos. Campos e Santos, num local denominado pré-sal (explorado pela pri- Para isso, a Petrobras tem dispensado tratamento meira vez), com 800 km de extensão e 200 km de largura, em equânime a todos os seus investidores e realizado lâmina d’água entre 2 e 3 mil metros de profundidade. iniciativas voltadas ao acesso de pequenos e O volume descoberto somente na acumulação da área de Tupi, que médios investidores aos seus títulos de emissão. representa uma pequena parte da nova fronteira, poderá aumentar Valor de mercado da Petrobras em 50% as atuais reservas de petróleo e gás do país, que ■ A forte elevação dos preços internacionais do somam hoje 14 bilhões de barris. A área é operada pela Companhia, em petróleo e os desempenhos operacional e financeiro da Companhia favoreceram o bom desempenho sociedade com a empresa britânica BG e a portuguesa Galp Energia. O das ações da Petrobras nos primeiros nove meses óleo encontrado é leve (de alto valor comercial) e há grande quantidade de 2007. Seu valor de mercado atingiu a de gás natural associado. marca de R$ 285 bilhões ao término do terceiro trimestre deste ano, valor 50% superior ao Mais descobertas e novas áreas de exploração do mesmo período de 2006. As ações superaram o desempenho do Ibovespa no último trimestre. Também foram anunciadas no final de 2007 mais descobertas. Uma Em 12 de dezembro de 2007, o valor de mercado no campo de Xerelete, na Bacia de Campos, onde estudos indicam que alcançou R$ 410 bilhões. a área total pode atingir um volume de cerca de 1,4 bilhão de Recorde de vendas barris de óleo equivalente. Outra foi de gás e óleo leve em ■ Em agosto e setembro de 2007, a Petrobras Camarupim, na Bacia do Espírito Santo. bateu mais dois recordes de vendas. Em agosto, No contexto de expansão da sua atuação, a Petrobras conquistou o foram comercializados 57,4 milhões de barris, direito de exploração em novas áreas. Nos Estados Unidos, em leilão, recorde histórico no mercado brasileiro. Em setembro, as vendas alcançaram 54,5 milhões foram arrematados 26 blocos no Golfo do México, em parceria, com inves- de barris, recorde do mês, quando comparado timento de US$ 108,1 milhões. Esses novos blocos serão incorporados à com o mesmo período dos últimos cinco anos. carteira de projetos exploratórios da Companhia, totalizando 338 blocos, Os resultados demonstram o esforço integrado da Companhia para atender ao mercado brasileiro. dos quais 200 operados diretamente. No Brasil, adquiriu 27 blocos em leilão, sozinha ou em parceria, com investimento de R$ 309 milhões. Aquisição de biodiesel A Petrobras, assim, amplia seu portfólio em áreas ■ A Petrobras e sua subsidiária Refap S.A. de exploração e produção de modo a atingir os assinaram, em dezembro, contratos para aquisição de 380 milhões de litros de biodiesel de objetivos estabelecidos em seu Planejamento Estratégico. 15 unidades produtoras, vencedoras dos leilões públicos realizados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Esta aquisição se refere à mistura de 2% de biodiesel no diesel a ser comercializado pelas distribuidoras de combustíveis no primeiro semestre de 2008, com início das entregas a partir de 1º de janeiro de 2008. Emissão de Global Notes ■ Em novembro, a Petrobras, por meio da subsidiária Petrobras International Finance Co. (PIFCo), concluiu a emissão de US$ 1 bilhão em títulos do tipo Global Notes no mercado internacional de capitais, com vencimento em 1º de março de 2018, no formato de dívida sênior Refino em Petrobras Evolução não subordinada sem garantia. Esta emissão está dois lados do renova em alinhada às estratégias de acessar o mercado de mundo ISE combustíveis capitais de longo prazo, refinanciar o pré-pagamento de dívidas antigas e reduzir seu custo de capital. PÁG. 3 PÁG. 4 PÁG. 4
  2. 2. LUCRATIVIDADE Resultados do terceiro trimestre de 2007 A receita operacional líquida da ção da Venezuela a partir de abril de nidades comerciais no exterior em ope- Petrobras apresentou elevação 2007. rações offshore. de 7% em relação a jan-set/ A carga processada pelas refinarias O saldo líquido entre exportações 2006. A geração de caixa operacional no exterior aumentou 93% em relação e importações de petróleo e derivados medida pelo EBITDA foi superior a a jan-set/2006, devido às operações da cresceu 10% no comparativo dos nove R$ 38 bilhões, o que garantiu os recur- refinaria de Pasadena (EUA) e à eleva- primeiros meses de 2007 e 2006. Nesse sos para significativa ampliação do ção da capacidade de refino na período, os investimentos alcançaram volume de investimentos. Esses investi- Argentina, compensando a venda das R$ 30,6 bilhões, representando um mentos, fundamentais para a amplia- refinarias da Bolívia, em junho de aumento de 35% sobre o mesmo perío- ção da produção de petróleo e gás, 2007. A produção total de derivados do do ano anterior. atingiram R$ 30,6 bilhões nos nove apresentou crescimento de 8% nos O lifting cost unitário no país, em primeiros meses de 2007, superando nove primeiros meses do ano, devido reais, com as participações governamen- em 35% o montante realizado no à elevação da produção internacional, tais, se reduziu em 7% devido aos efei- mesmo período de 2006. que subiu 147% neste mesmo perío- tos da apreciação do real. Sem as parti- O lucro líquido, inferior em 21% em do. A produção nacional ficou estável. cipações governamentais, aumentou relação ao mesmo período do ano O custo unitário do refino no país, em 7%, em decorrência da elevação de gas- anterior, reflete os gastos vinculados reais, aumentou 10% em relação ao tos operacionais em função do aqueci- com a repactuação das cláusulas do período de jan-set/2006, devido aos mento da indústria e do aumento da regulamento do Plano Petros e os efei- maiores gastos operacionais e ao maior força de trabalho para novos projetos. tos da apreciação do real sobre ativos número de paradas programadas. O endividamento total do Sistema líquidos em dólar. As vendas no mercado interno Petrobras foi 3% menor em relação a A produção de petróleo nacional foram superiores em 3% ao apurado 30-06-2007, em decorrência do pré- aumentou 2% em relação a jan-set/ em jan-set/2006. As vendas internacio- pagamento de dívidas e da apreciação 2006, devido à entrada em produção nais cresceram 33%, quando compa- do real. O endividamento líquido de plataformas que adicionaram cerca radas ao mesmo período do ano ante- aumentou em 12% devido à redução de 200 mil bbl/dia, superando o declí- rior, devido à inclusão das operações do caixa, em virtude dos maiores nio natural da produção. A produção da refinaria dos EUA e das distribuido- investimentos realizados, do pré-paga- internacional foi 16% menor nesse ras adquiridas da Shell no Paraguai, mento de dívidas e das aplicações rea- período, devido à exclusão da produ- Uruguai e Colômbia, e a novas oportu- lizadas em títulos de longo prazo. Variação Nominal das Ações Dados Econômico-Financeiros RESULTADOS & RETROSPECTIVA Jan-Set 437% (Ibovespa) Em R$ Milhões 2007 2006 Variação (%) 425% (Petrobras ON) 580 Vendas brutas 160.332 152.247 5 410% (Petrobras PN) 530 Vendas líquidas 125.161 117.198 7 480 Lucro bruto 49.716 49.016 1 430 Lucro operacional* 30.389 33.580 (10) 380 Lucro líquido 16.59 20.719 (21) 330 Lucro líquido por ação (R$) 3.75 4.72 (21) 280 Geração de caixa operacional 27.557 30.881 (11) Ebitda 38.243 40.639 (6) 230 Valor de mercado (controladora) 285.333 190.144 50 180 Total de investimentos 30.606 22.637 35 130 Endividamento líquido 24.533 19.619 25 80 Estrutura de capital – líquido Dez-02 Mar-03 Jun-03 Set-03 Dez-03 Mar-04 Jun-04 Set-04 Dez-04 Mar-05 Jun-05 Set-05 Dez-05 Mar-06 Jun-06 Set-06 Dez-06 Mar-07 Jun-07 Set-o7 (capital de terceiros/passivo total) 46% 45% 1 pp * Antes das receitas e despesas financeiras e da equivalência patrimonial. * Variação Real Acumulada Resultados Operacionais Jan-Set ■ Ibovespa ■ Petrobras PN Em mil barris de óleo equivalente/dia 2007 2006 Variação (%) ■ Petrobras ON Produção de petróleo, LGN e gás natural 2.306 2.285 1 400% 375,7% 367,3% 359,0% 350% 327,2% Produção de derivados 2.046 1.888 8 300% Exportação (Importação) líquida de 250% 209,3% 200% petróleo e derivados 89 81 10 150% 103,1% Capacidade de utilização das refinarias 100% 56,3% 50% 37,7% 44,9% – no Brasil 90% 90% – 0% Capacidade de utilização das refinarias – no exterior 85% 79% 6 pp 10 Anos 5 Anos 1 Ano Participação do óleo nacional na carga processada 78% 80% -2 p * Como deflator foi utilizado o IGP-DI
  3. 3. REFINO TECNOLOGIA Novas plataformas aumentam produção T eve pleno êxito a primeira fase de operação, encerrada no final de 2007, do Sistema de Bom- beio Centrífugo Submarino (BCSS), com tecnologia Petrobras, instalado na Bacia de Campos. O sistema aumenta a produtividade de campos produto- res e viabiliza a produção comercial de campos antes considerados inviáveis. Em outubro, a Petrobras iniciou a Em dois lados produção no campo de Piranema, em Sergipe. A nova plataforma é resul- do mundo tado de projeto conjunto da Compa- nhia com a empresa norueguesa E m novembro, a Petrobras com- Sevan Production, com investimen- prou 87,5% das ações da refi- to de R$ 2,4 bilhões. É uma unidade naria japonesa Nansei Sekiyu flutuante do tipo FPSO (que produz, Kabushiki Kaisha (NSS), pelo valor armazena e transfere petróleo) e aproximado de US$ 50 milhões. Além tem características técnicas inédi- A Sevan Piranema é a primeira da Petrobras, também são sócias as tas: casco redondo e maior versati- plataforma redonda do mundo, é um FPSO denominado monocoluna empresas Tonen General e Sumitomo. lidade e estabilidade, o que garante A refinaria tem capacidade para maior segurança nas operações. processar 100 mil bpd de petróleo A produção inicial é de 10 mil barris leve e produz derivados de alta qua- de óleo leve por dia e deverá chegar a produzir 180 mil barris por dia, pro- lidade. Tem ainda um terminal de 30 mil barris por dia em 2008. duzirá 460 mil barris por dia quando armazenagem de 9,6 milhões de bar- Em novembro, na Bacia de Cam- atingir seu ponto máximo. ris e três píeres para receber navios pos, foi inaugurada a plataforma A Petrobras assinou, em outubro, de até 97 mil deadweight tonnage FPSO Cidade de Vitória, com produ- contrato para a construção do casco (dwt). O terminal também auxiliará a ção de 20 mil barris por dia de óleo da plataforma P-55. O custo total comercialização de biocombustíveis leve. Em 2008, a produção deverá ser será de US$ 392,6 milhões. Foi no Japão e irá complementar o atual de 80 mil barris diários. A plataforma assinado ainda outro contrato de comércio de petróleo e derivados na P-52 iniciou testes de produção com construção da plataforma semi- região. O negócio – alinhado ao volume de 20 mil barris/dia e capaci- submersível P-56. O valor total será Planejamento Estratégico da Compa- dade total de 180 mil barris/dia, em de US$ 1 bilhão e 200 milhões. Essas nhia – é um marco importante para 2008. E a plataforma P-54 também duas novas plataformas serão insta- a Petrobras, que, pela primeira vez, começou a operar. Projetada para ladas na Bacia de Campos. entrará na Ásia em operações de refino. No Brasil, foram iniciadas, no Novos investimentos PETROQUÍMICA segundo semestre, as obras da Refina- E ria Abreu e Lima, em Pernambuco, ntre outubro e novembro, a Petrobras efetivou ações de incremento em projeto que marca a retomada, pela sua atuação no setor petroquímico. No final de outubro foi concluída a Petrobras, da expansão da indústria compra do controle acionário da Suzano Petroquímica, que permanecerá do refino no Brasil. O valor total do como pessoa jurídica distinta, mantendo suas operações, empregados e contra- investimento será de US$ 4,05 bi- tos e utilizará a marca Nova Petroquímica até a conclusão da integração. lhões e a inauguração está prevista Em novembro, a Petrobras e a Unipar (União de Indústrias Petroquímicas) para o segundo semestre de 2010. concluíram as negociações para formação de uma empresa – 60% Unipar e Milhares de empregos diretos e indi- 40% Petrobras – que será o segundo grande grupo petroquímico brasileiro. retos serão gerados durante as obras A Unipar é um dos mais tradicionais grupos empresariais do país, há mais de e com o início das operações. 35 anos no segmento. A nova unidade, que utilizará Também em novembro, a Petrobras assinou com o Grupo Odebrecht acor- petróleo pesado e terá capacidade do de investimentos que prevê ampliação de 6,8% para 25% da participação para processar 200 mil barris por dia, da Companhia no capital total da Braskem, consolidando o maior grupo será a primeira a processar 100% de petroquímico brasileiro. petróleo pesado e produzirá derivados Essas ações integram a estratégia da Petrobras, iniciada com a aquisição da com baixo teor de enxofre. Ipiranga, de reorganizar o setor petroquímico em empresas com capacidade competitiva para enfrentar a concorrência multinacional.
  4. 4. PAINEL DE NOTÍCIAS SUSTENTABILIDADE Evolução em combustíveis A Petrobras iniciou nova etapa do proje- to de pesquisa do bioetanol, produzi- do a partir de resíduos agroindustriais. por ser o resíduo agroindustrial mais expressivo no país. Com o resultado dessa pesquisa, a Petrobras já fez o depósito de Assim, a Companhia entra na segunda dois pedidos de patentes – um deles é o geração de biocombustíveis, fica em posi- milésimo já depositado pela Companhia. ção de vanguarda e contribui para o forta- E até 2009, com investimento de lecimento da vocação natural do Brasil R$ 9 bilhões, a Petrobras fornecerá o die- para energias renováveis. sel com 50 ppm de enxofre para veículos Após a fase de laboratório, o projeto, pesados, que adotarão nova tecnologia desenvolvido em parceria com universida- para se adequar às exigências do des brasileiras, passará à fase de testes- Programa de Controle da Poluição do Ar piloto na única planta desse tipo no Brasil, por Veículos Automotores (Proconve), ins- no Rio de Janeiro. O sistema utiliza o baga- tituído pelo Conselho Nacional de Meio ço da cana-de-açúcar como base principal, Ambiente (Conama). Projeto Agricultura Familiar em faixas de dutos Excelência na Renovação no Amazônia ISE da Bovespa A Petrobras anunciou a implantação do Centro de Excelência Ambiental na Amazônia (Ceap), que contribuirá para A Petrobras conquistou, pelo segundo ano consecutivo, a renovação no Índice de Sustenta- reduzir os riscos das intervenções bilidade Empresarial (ISE) da Bolsa de da indústria do petróleo e Valores de São Paulo (Bovespa), por fomentará pesquisas. apresentar alto grau de comprometi- O investimento de R$ 500 milhões, Safra de prêmios até 2012, reforça o compromisso mento com a sustentabilidade e a responsabilidade social. As ações N o segundo semestre de 2007, a Petrobras conquistou diversas pre- miações, nacionais e internacionais, que de responsabilidade socioambiental necessário à atuação sustentável na região. Também foi inaugurado ordinárias e preferenciais da Compa- nhia terão, respectivamente, os reconheceram a sua atuação e seu pro- um Centro de Defesa Ambiental pesos de 11,12% e 13,88%, totali- cesso de governança. A área de Inves- (CDA–Sul), em Itajaí (SC). zando 25%, o maior peso individual tidores venceu dois prêmios regionais no ISE. A Companhia também foi Aberje, o mais importante da comunica- renovada no Índice Mundial Dow ção empresarial brasileira, com projetos Jones de Sustentabilidade (DJSI), o de relacionamento com investidores. Exportações para mais importante do mundo na área. Por meio da área de Abastecimento, a Companhia conquistou pela primeira Europa e Ásia Essas renovações representam vez o Prêmio Nacional da Qualidade uma grande conquista e são resulta- A Petrobras exportou 9 milhões do do empenho da Petrobras em 2007 (PNQ), o principal no Brasil volta- de litros de etanol para o mercado do às organizações que atingiram a europeu, em novembro, pelo alcançar seus objetivos estratégicos excelência em suas práticas de gestão e porto de Suape, em Pernambuco. de crescer com rentabilidade e res- resultados. O produto foi adquirido de um ponsabilidade social e ambiental. A Universidade Petrobras venceu o pool de usinas da região. Essa foi a prêmio Corporate University Best in Class primeira operação do tipo feita 2007, nos Estados Unidos, que destaca pela Companhia, que, em as melhores universidades corporativas dezembro, também assinou do mundo. Também nos EUA, a Compa- memorando de entendimentos nhia recebeu o prêmio Carolita Kallaur, com a Samsung Corp. para pelo seu (e de suas contratadas) elevado estudos para a produção de nível de desempenho em segurança ope- etanol. O objetivo é atender a racional em instalações marítimas. futura demanda do mercado da E o Prêmio Ibero-Americano da Coréia do Sul, que, devido ao seu Qualidade, na Colômbia, fez da Compa- compromisso com o Protocolo de nhia a primeira do setor petrolífero Quioto, introduzirá o etanol em naquele país a obter este reconhecimen- sua matriz energética em 2009. to internacional. Informativo publicado pela Gerência de Relacionamento com Investidores da Petrobras • Gerente executivo: Theodore Helms • Editor e jornalista responsável: Cláudio Paula (RJ-21059-JP) • Redação: Orlando Gonçalves Jr. • Colaboração: Ana Paula Carvalho e Fábio Rocha • Contato: Suporte ao Acionista Tels.: (21) 3224-1540/4914 e 0800 282 1540 • Fax: (21) 2262-3678 • Endereço: Av. República do Chile, 65 / Sala 2202-B • Centro – Rio de Janeiro – RJ – 20031-912 • E-mail: acionistas@petrobras.com.br • Projeto gráfico e diagramação: Estúdio Matiz Visite nosso site www.petrobras.com.br/ri

×