• Like

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Edição 23 - Petrobras em Ações - n° 02/2007

  • 369 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
369
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Relacionamento com Investidores • Ano VII • nº 23 / Julho 2007 Petrobras em Ações Petrobras em Ações Petrobras é a 7ª DESTAQUES companhia de petróleo ■ A Petrobras conquistou a 7ª posição no ranking Aquisição do como maior empresa de petróleo do mundo com ações negociadas em bolsas de valores. Esta classificação foi divulgada de acordo com a Grupo Ipiranga A publicação Petrolleum Intelligence Weekly (PIW). Petrobras, em conjunto com Ultrapar e Braskem, assinou contra- Esta é uma divulgação feita anualmente to para a aquisição da totalidade das ações detidas considerando as empresas maiores e mais importantes no mundo do petróleo. O ranking da pelos acionistas controladores do Grupo Ipiranga na Refinaria de PIW avalia as principais 50 empresas de petróleo Petróleo Ipiranga S.A. (RPI), Distribuidora de Produtos de Petróleo no mundo, compostas de 25 companhias estatais e Ipiranga S.A. (DPPI) e na Companhia Brasileira de Petróleo Ipiranga 25 privadas. Além disso, a Petrobras obteve a colocação de 8º lugar no ranking entre as estatais. (CBPI). Adicionalmente, serão feitas ofertas públicas para a aquisição das E na avaliação geral, em que foram avaliadas as ações ordinárias da RPI, DPPI, CBPI e Ipiranga Petroquímica S.A (IPQ) 125 maiores empresas desse segmento no mundo, detidas por minoritários (Tag-Along) e para o cancelamento de registro a Petrobras ficou na 14ª posição. de companhia aberta da Copesul – Companhia Petroquímica do Sul. Investment Grade pela S&P A Petrobras deterá os negócios de distribuição de combustíveis e lubri- ■ A Standard & Poor’s Ratings Services (S&P) ficantes localizados nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste e, em atribuiu à Petrobras, em janeiro, o rating grau de conjunto com a Braskem, os ativos petroquímicos, representados pela investimento “BBB” para crédito corporativo IPQ, Ipiranga Química S.A. e pela participação desta na Copesul, na pro- de longo prazo em moeda local e estrangeira, com perspectiva estável. De acordo com a S&P, porção de 60% para a Braskem e 40% para a Petrobras. os ratings independentes atribuídos à Petrobras Os ativos relacionados às operações de refino de petróleo deti- refletem o seu perfil de risco de negócios dos pela RPI serão compartilhados igualmente entre Petrobras, satisfatório, caracterizado pela qualidade de suas atividades de Exploração e Produção e uma Ultrapar e Braskem. A Ultrapar deterá os negócios de distribuição de posição dominante na indústria brasileira de combustíveis e lubrificantes localizados nas regiões Sul e Sudeste. hidrocarbonetos. Em outubro de 2005, a Em linha com o seu Plano Estratégico, a Petrobras vem inves- Companhia já tivera sua classificação de risco em moeda estrangeira elevada para Baa2 (grau tindo seletivamente no setor petroquímico brasileiro e do de investimento). Cone Sul, em projetos que agregam valor ao petróleo, ao gás natu- ral e a correntes de refino, atuando de forma integrada. A aquisição Troca do ADR Ratio desses ativos irá propiciar a valorização da carteira de participações em ■ Foi aprovada pelo Conselho de Administração petroquímica na medida em que contribui para a consolidação do Pólo a alteração da relação entre as ações de sua emissão e os American Depositary Receipts – ADRs Petroquímico do Sul. das atuais quatro ações para um ADR (4:1) para No setor de distribuição, a Petrobras pretende consolidar sua posi- duas ações para 1 um ADR (2:1). A alteração irá ção no setor, fortalecendo seu posicionamento nas regiões Norte, se tornar efetiva a partir de 02 de julho de 2007. Nordeste e Centro-Oeste. Atualmente a Companhia detém 33,8% O objetivo dessa alteração é facilitar ao pequeno investidor a compra de ADRs na Bolsa de Nova de market-share global na distribuição, com 6.200 postos York (NYSE), com conseqüente ampliação da base ativos no Brasil, além de mais de 1.000 postos no exterior. de acionistas, e aumentar a liquidez dos papéis. Para mais detalhes acesse o Fato Relevante “Aquisição do Grupo Demonstra também a confiança da Companhia em Ipiranga” e comunicados subseqüentes no website de Relacionamento seus resultados futuros. com Investidores da Petrobras, seção “Comunicados”. Pagamento de dividendos ■ Em 17 de maio foram pagos dividendos aos detentores de ações ordinárias e preferenciais, com data base de 02/04/2007, de acordo com o valor deliberado pela Assembléia Geral Ordinária em Petrobras A 8a Companhia Biodiesel B5 02/04/2007. Com a atualização pela SELIC, o total em mais respeitada em pago foi de R$ 0,3661 por ação, sujeito à incidência Portugal no mundo testes de imposto de renda à alíquota de 22,5% na parcela relativa à correção pela SELIC (R$ 0,0161), PÁG. 3 PÁG. 4 PÁG. 4 exceto no caso de acionistas imunes e isentos.
  • 2. LUCRATIVIDADE Resultados do 1º trimestre de 2007 A receita operacional líquida apresen- Esta ampliação da capacidade produtiva Os investimentos do Sistema Petrobras tou elevação de 8% quando com- foi em função do início de operação de atingiram o montante de R$ 8,3 bilhões, parada com o 1º trimestre de 2006, diversas plataformas, como P-50 (Campo 40% superior ao primeiro trimestre atingindo o valor de R$ 38,9 bilhões, devi- de Albacora Leste), FPSO-Capixaba (Golfi- de 2006, com destaque para o aumento do ao aumento no volume de vendas, nho), P-34 (Jubarte) e FPSO-Cidade do Rio da oferta de gás no mercado doméstico e influenciado em parte pela consolidação da de Janeiro (Espadarte). o fortalecimento do posicionamento inter- refinaria de Pasadena, no Texas. O lucro A produção total de derivados nacional da Petrobras, através de investi- operacional não acompanhou esta trajetó- aumentou 7%, influenciada pela eleva- mentos em sísmica (EUA e Turquia) e na ria dado o aumento do custo dos produtos ção significativa da carga processada no construção de dois navios-sonda. vendidos (influenciado pela realização de exterior, que cresceu 150% devido à O endividamento total da empresa estoques adquiridos a custo mais elevado) e consolidação das operações da Refinaria apresentou redução de 5% em função de ao incremento das despesas operacionais. de Pasadena. A carga processada no país amortização de dívida não renovada. Entre- O lucro líquido foi 38% menor que o apresentou queda de 2% devido às para- tanto, houve uma redução nas disponibili- alcançado no 1º trimestre de 2006 devi- das programadas para manutenção na dades, principalmente em função do paga- do, principalmente, ao desembolso relati- Replan (Paulínea-SP), maior refinaria do mento de juros sobre o capital aos acio- vo à repactuação do plano de pensão País, e Reman (Manaus-AM). nistas, no valor de R$ 6.361 milhões, ocasio- (Petros), no valor de R$ 1.050,00 milhões, No mercado externo, as exportações nando um aumento no endividamento e ao incremento das despesas financeiras cresceram 17% em volume. Este incre- líquido. A alavancagem financeira da com- líquidas, devido ao aumento da exposi- mento esteve relacionado ao aumento da panhia aumentou, no trimestre, de 16% ção cambial credora em moeda estran- produção e redução da participação do para 19% atendendo aos objetivos de oti- geira e a valorização do Real no trimestre, petróleo nacional na carga total processa- mização da estrutura de capital corporativa. tendo ocasionado um impacto negativo da. O volume de vendas internacio- Em função da redução dos preços no resultado de R$ 950 milhões. nais cresceu 53%, devido à inclusão das internacionais do petróleo, as ações da A produção de petróleo e LGN no país operações da Refinaria da Pasadena e às Petrobras apresentaram queda no 1º tri- alcançou a média de 1,8 milhão de bar- operações comerciais no exterior. Já o mestre de 2007, em linha com as princi- ris/dia, 83% oriundos da Bacia de Campos. volume de vendas no mercado interno foi pais companhias mundiais de petróleo. Este número representa incremento de, superior em 1% ao apurado no mesmo Apesar da queda verificada no perío- aproximadamente, 50 mil barris por dia período do ano passado, com destaque do, o valor de mercado da empresa ou 3% sobre o mesmo período de 2006. para óleo combustível, GLP e QAV. atingiu a marca de R$ 215,6 bilhões. Variação Nominal das Ações Dados Econômico-Financeiros RESULTADOS & RETROSPECTIVA 1º Trimestre 382,7% (Ibovespa) Em R$ Milhões 2006 2005 Variação (%) 530 345,3% (Petrobras ON) Vendas brutas 50.127 46.7685 7 345,2% (Petrobras PN) 480 Vendas líquidas 38.894 35.886 8 430 Lucro bruto 15.265 16.242 (6) 380 Lucro operacional* 8.582 12.010 (29) Lucro líquido 4.131 6.675 (38) 330 Lucro líquido por ação (R$) 0,94 1,52 (38) 280 Geração de caixa operacional 7.493 10.162 (26) 230 Ebitda 10.993 14.113 (22) 180 Valor de mercado (controladora) 215.666 197.995 9 130 Total de investimentos 8.300 5.914 40 Endividamento líquido 23.955 21.516 11% 80 Estrutura de capital – líquido Jul-03 Jul-04 Jul-05 Jul-06 Jan-02 Set-03 Jan-04 Set-04 Jan-05 Set-05 Jan-06 Set-06 Jan-07 Fev-03 Jun-03 Fev-04 Jun-04 Fev-05 Jun-05 Fev-06 Jun-06 Jun-07 Abr-03 Fev-07 Abr-04 Abr-05 Abr-06 Abr-07 Dez-02 Mai-03 Out-03 Dez-03 Mai-04 Out-04 Dez-04 Mai-05 Mar-03 Out-05 Dez-05 Mai-06 Dez-06 Mai-07 Ag0-03 Mar-04 Out-06 Ag0-04 Mar-05 Nov-03 Ag0-05 Mar-06 Nov-04 Ag0-06 Nov-05 Nov-06 (capital de terceiros/passivo total) 46% 48% -2 pp * Antes das receitas e despesas financeiras e da equivalência patrimonial. Variação Real Acumulada* Resultados Operacionais 1º Trimestre ■ Ibovespa 300% 276,4% 263,8% ■ Petrobras PN Em mil barris de óleo equivalente/dia 2007 2006 Variação (%) 250% 229,7% 240,3% Produção de petróleo, LGN e gás natural 2,305 2,278 14 ■ Petrobras ON 200% 162,3% Produção de derivados 2,041 1,916 7 150% Exportação (Importação) líquida de petróleo e derivados 187 73 156 100% 71,5% 41,4% Capacidade de utilização das refinarias 50% – no Brasil 90% 91% -1 pp 10,9% 13,1% 0% Capacidade de utilização das refinarias -50% 10 Anos 5 Anos 1 Ano – no exterior 85% 80% 5 pp Participação do óleo nacional -100% na carga processada 77% 81% -4 pp * Como deflator foi utilizado o IGP-DI
  • 3. PETROBRAS NO PAC REVISÃO DE CRONOGRAMA Metas alinhadas A participação da Petrobras no objetivos incrementar as reservas Plano de Aceleração do Cresci- de petróleo e gás, expandir a infra- mento Brasil (PAC) envolve estrutura de transportes e distribui- 183 projetos e um investimento de ção, e intensificar as pesquisas, além R$ 171,7 bilhões até 2010, incluindo- do desenvolvimento de combustíveis se aí seus parceiros em programas de e fontes alternativas e renováveis de petróleo e gás, e combustíveis renová- energia. veis. Este total engloba os investimen- Entre os principais projetos estão tos anunciados no Plano de Negócios o Plangás (aumento da produção de 2007-2011 e projetos que tiveram iní- gás natural), a construção de gaso- cio antecipado. dutos e implementação de projetos Ancorado nos princípios de res- ponsabilidade sócio-ambiental e de gás natural. No setor petroquími- co, destaca-se o Complexo Petroquí- Nova estratégia rentabilidade, o Plano Estratégico ali- mico do Rio de Janeiro (Comperj) e, para novas nha-se ao PAC na coincidência de suas na área de Abastecimento, a constru- metas, como garantia de auto-suficiên- ção da refinaria Abreu Lima, em plataformas A cia sustentada do Brasil em petróleo, Pernambuco, e a ampliação e moder- Petrobras revisou a estratégia de com produção mínima 20% acima do nização do parque de refino. A área contratação de serviços de cons- consumo nacional, relação reserva/ de exploração e produção tem uma trução para a P-55 e a P-57, produção mínima de 15 anos e au- carteira de projetos envolvendo ambas para a Bacia de Campos. Os pro- mento da produção de óleos leves. O investimentos de R$ 81 milhões, até cessos de contratação dos módulos de planejamento prevê também a am- 2010, enquanto a frota de petroleiros geração de energia e compressão de gás pliação e modernização do parque de será renovada com a contratação de das duas plataformas foram cancelados refino, elevando a participação de óleo 42 unidades em estaleiros nacionais. por preços excessivos. Assim, os projetos nacional na carga processada e melho- Paralelamente, a Petrobras desenvol- estão sendo otimizados de forma a se rando a qualidade dos derivados. ve um programa de biocombustíveis, obter melhores condições comerciais. As A ampla carteira de projetos do com o desenvolvimento de projetos e especificações técnicas estão em fase de Plano de Negócios tem ainda como tecnologia para biodiesel e etanol. revisão para que uma nova concorrência possa ocorrer. Da mesma forma, prevê a maximização das condições de forneci- mento do mercado nacional assim como Petrobras explorará NOVAS FRONTEIRAS critérios como competitividade em prazo, custo e qualidade. no mar de Portugal A P-55 será uma unidade do tipo semi-submersível, com capacidade de A Petrobras assinou com as empresas portuguesas Galp Energia e produção de 180 mil bpd, 4,5 milhões Partex acordo para exploração e produção de petróleo em quatro m3/dia de gás natural, em profundida- blocos na Bacia de Lusitaniana, situada ao norte de Lisboa. Esta será a de de 1.795 m, no Campo de Roncador, primeira vez que as atividades de exploração e produção na costa portuguesa na Bacia de Campos. A P-57 será uma serão realizadas. unidade de produção do tipo FPSO A participação da Petrobras nesse acordo é bastante significativa, pois (Floating, Production, Storage and inaugura uma nova fronteira exploratória. Além disso, será a Offloading), com capacidade de produ- operadora, com 50% de participação, ficando a Galp Energia com ção de até 180 mil bpd e 2 m3/dia de 30% e a Partex com 20%. Os blocos denominados Camarão, gás natural, a ser instalada no Campo Amêijoa, Mexilhão e Ostra estão situados em profundidades entre de Jubarte, no Espírito Santo, a 1.246 m 200 e 3.000 metros, em uma área total de exploração de 12 mil de profundidade. quilômetros quadrados. De modo a compensar o possível O contrato prevê um período de oito anos para a atraso no programa de produção de exploração. Na primeira etapa, os investimentos serão na petróleo, a Petrobras decidiu antecipar ordem de US$ 20 a 30 milhões. Entretanto, os recursos a construção da plataforma P-56, a alocados poderão ser maiores, dependendo qual está destinada a operar no Campo das avaliações técnicas de acordo com os de Marlim Sul, na Bacia de Campos. estudos realizados. Esse acordo está dentro A Petrobras vem negociando com o con- da estratégia da Petrobras de ampliação sórcio construtor, a fim de otimizar os pra- de suas atividades exploratórias em zos e permitir a antecipação de sua ope- águas profundas internacionais, ração. Esta plataforma terá capacidade de isto decorrente de sua reconhecida produção de 100 mil bpd e 6 milhões capacidade tecnológica neste m3/dia de gás natural. E será instalada segmento. em uma profundidade de 1.700 m.
  • 4. PAINEL DE NOTÍCIAS Trabalho de Petrobras lança MEIO AMBIENTE Relações com Investidores é seu Relatório premiado Anual 2006 A publicação americana Investor A Petrobras Relations Magazine conferiu à Petrobras lançou em junho o prêmio de Melhor Programa de seu Relatório Anual Relações com Investidores para e Balanço Investidores Individuais. Esta pre- Social e miação reflete o reconhecimento do Ambiental mercado em relação ao trabalho reali- referentes a 2006. zado e à transparência praticada pela Reconhecido pela sua excelência, o Biodiesel B5 em Petrobras junto a seus investidores e seus públicos de relacionamento. Relatório Anual da testes na Bahia Petrobras já ganhou diversos prêmios A Assim como reflete o processo de Petrobras avança no projeto de nacionais e internacionais, entre eles o governança corporativa adequado às desenvolvimento de biocom- Prêmio Abrasca de melhor Relatório suas atividades em geral e à constan- Anual, o prêmio mundial OAR1, bustíveis e já iniciou os testes com o te preocupação com responsabilidade de melhor relatório anual on-line e o Biodiesel B5, óleo diesel convencio- social e ambiental. Esta premiação é prêmio concedido pela revista nal com 5% de biodiesel em sua baseada em pesquisa realizada pelo americana Investor Relations Magazine. composição. Instituto Brasileiro de Economia, da Disponível nas versões impressa e on- Fundação Getúlio Vargas – FGV, A proposta da Petrobras é comer- line, e em 3 idiomas (português, inglês junto a 200 analistas e investidores. e espanhol) o Relatório Anual é uma cializar o Biodiesel B5 em 2008, ante- importante fonte de divulgação das cipando-se à obrigatoriedade deste atividades da Companhia e é destinado percentual, a partir de 2013, fixado em a todos os públicos de relacionamento lei. A Petrobras já vende em 4 mil pos- (acionistas, investidores, clientes, tos de sua rede o biodiesel B2, óleo fornecedores, bibliotecas, estudantes, diesel com 2% de biodiesel, índice e a sociedade em geral). obrigatório a partir de 2008. Veja o Relatório Anual 2006 da Petrobras no website, ou, se precisar, Dois veículos usarão biodiesel de solicite a versão impressa pelo e-mail soja, outros dois de mamona e mais acionistas@petrobras.com.br ou pelo dois serão abastecidos com diesel con- telefone 0800 282 1540. vencional. Desta forma poderão ser avaliados o desempenho, a emissão de poluentes e o desgaste de cada um Petrobras é oitava desses motores em comparação ao empresa mais respeitada diesel convencional. no mundo A Petrobras prevê em seu Plano de Verana A Petrobras passou do 83º para o Negócios 2007-2011 um investimento 8º lugar no ranking das empresas mais de US$ 700 milhões em energias reno- D esenvolvido especialmente respeitadas no mundo, segundo a pesquisa váveis, iniciativa que ajudará a reduzir para o mercado náutico de lazer, divulgada pelo Reputation Institute (RI). a dependência do diesel importado, a a Petrobras lançou, em abril, O ranking relaciona as 600 maiores 8 empresas do mundo. contribuindo para a criação de novas o diesel Verana, com características A pesquisa divulgada aponta o quanto tecnologias, além de incentivar a gera- que proporcionam melhor a Petrobras cresceu em reputação, algo ção de emprego e renda para o agro- desempenho e maior durabilidade muito relevante se comparado entre as negócio. Os três primeiros projetos de dos motores. oito primeiras empresas do ranking. Trata-se de um combustível mais produção industrial de biodiesel estão A Petrobras avançou 75 posições e puro, com reduzida emissão de conquistou a melhor posição entre as sendo desenvolvidos em Candeias partículas e de fumaça, e com teor empresas de energia. Em termos de (BA), Montes Claros (MG) e Quixadá de enxofre 98% menor do que o empresas nacionais, a Petrobras também foi (CE) a partir de vários óleos vegetais e óleo diesel marítimo. Inicialmente a melhor colocada, ficando em primeiro gordura animal. O investimento total está disponível nos pólos náuticos de lugar. À frente da Petrobras, no ranking nas três unidades será de R$ 227 mi- Angra dos Reis, Paraty, Ubatuba, internacional, estão: Lego (Dinamarca), IKEA (Suécia), Barilla (Itália), Mercadona lhões e cada uma delas terá capacida- Guarujá e Ilhabela, além de postos (Espanha), AP Moller-Maersk (Dinamarca), de para produzir 57 milhões de litros náuticos Petrobras. Toyota (Japão) e Ferrero (Itália). anualmente. Informativo publicado pela Gerência de Relacionamento com Investidores da Petrobras • Gerente Executivo: Raul Campos • Coordenador: Marcos Vinícius Guimarães • Editor e jornalista responsável: Cláudio Paula (RJ-21059-JP) • Colaboração: Tereza Lobo • Contato: Suporte ao Acionista Tel.: (21) 3224-1540/4914 • Fax: (21) 2262-3678 • 0800 282-1540 • Av. República do Chile, 65 / 2202-A • Centro – Rio de Janeiro – RJ – 20031-912 • E-mail: acionistas@petrobras.com.br • Projeto Gráfico e Diagramação: Estúdio Matiz Visite nosso site www.petrobras.com.br/ri