Your SlideShare is downloading. ×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Edição 40 - Petrobras em Ações - Novembro 2013

1,170
views

Published on

Published in: Investor Relations

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,170
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Novembro 2013 • nº 40 www.petrobras.com.br/ri Petrobras participa do consórcio vencedor do leilão de Libra — DESTAQUES Desinvestimentos As principais operações do Programa de Desinvestimentos (Prodesin) da Petrobras, realizadas entre setembro e outubro, foram: venda de participação em empresas no Uruguai, por US$ 17 milhões para a Shell, e alienação de 100% das ações da Petrobras Colômbia para a Perenco, no valor de US$ 380 milhões, mas continuaremos presentes nesse país através de ativos de exploração em terra e mar e de distribuição. O consórcio formado por Petrobras (40%), a empresa holandesa Shell (20%), a francesa Total (20%) e as chinesas CNPC (10%) e CNOOC (10%), foi o vencedor da 1ª Rodada de Licitação do Pré-Sal, realizada dia 21 de outubro, no Rio de Janeiro, pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O contrato será na modalidade de partilha de produção, de acordo com o novo modelo regulatório, e estabelece bônus de assinatura de R$ 15 bilhões a ser pago em parcela única, sendo R$ 6 bilhões a participação da Petrobras. Na proposta, o consórcio ofereceu 41,65% de excedente em óleo para a União. Está previsto também um percentual mínimo de conteúdo local de 37% na fase de exploração; 55% no desenvolvimento da produção prevista para iniciar até 2021 e 59% para os sistemas de produção que irão operar a partir de 2022. O bloco de Libra está localizado em águas ultraprofundas no pré-sal da Bacia de Santos, com 1.547,76 km2 de área e foi descoberto em 2010. A Petrobras acredita no sucesso exploratório do bloco, com base na expertise já desenvolvida e pelos projetos implementados na região, que hoje atingem produção total superior a 330 mil barris de petróleo por dia. Para nós, as estratégias na licitação foram bem sucedidas e consolidam o nosso compromisso de investir em áreas exploratórias no Brasil de forma a recompor o nosso portfólio, disponibilizando volumes de petróleo e gás natural necessários para a sustentabilidade da curva futura de produção. Além disso, entendemos que a integração das habilidades e experiências das empresas parceiras trarão contribuições importantes para alcançar resultados eficientes. Índice Dow Jones de Sustentabilidade Integramos pelo 8º ano consecutivo o Dow Jones Sustainability Index World, mais importante índice mundial de sustentabilidade, com nota máxima nos critérios Transparência e Liberações ao Meio Ambiente. Relatório de Tecnologia 2012 Prêmios Recebemos o Prêmio de Inovação Tecnológica, concedido pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), pelo desenvolvimento do Sistema de Separação Submarina Água-Óleo. O sistema permite separar água e óleo ainda no fundo do mar. Também fomos reconhecidos com o Troféu Transparência 2013, “Empresas de Capital Aberto”, promovido pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), em parceria com outras instituições. Além disso, a presidente Graça Foster ficou em primeiro lugar no ranking da revista Fortune 2013, como a executiva mais poderosa fora dos Estados Unidos. Francisco Stuckert/MME Encontra-se disponível em nosso website (www.petrobras.com.br/ri) o Relatório de Tecnologia 2012, em português e inglês. O documento fornece informações sobre a atuação e a estratégia corporativa da Petrobras voltada para pesquisa e desenvolvimento. Representantes do governo brasileiro e das empresas do consórcio vencedor do leilão de Libra
  • 2. Lucro líquido da Petrobras nos primeiros nove meses de 2013 foi de R$ 17,3 bilhões Evolução das Ações (BM&F Bovespa): PETR3 e PETR4 (Índice 100 em 30/09/2003) 1.000 800 600 226,90% 142,18% 106,05% 400 200 0 Set-03 Set-05 Set-07 PETR3 Set-09 PETR4 Set-11 Set-13 IBOVESPA Variação Nominal das Ações (BM&F Bovespa) PETROBRAS ON (PETR3) PETROBRAS PN (PETR4) IBOVESPA Nos últimos 10 anos (30/09/03 a 30/09/13) 106,05% 142,18% 226,90% No último ano (30/09/12 a 30/09/13) -27,21% -17,93% -11,55% Período Resultados Operacionais Em mil barris de óleo equivalente/dia 3T 13 2T 13 Variação Produção total de petróleo, LGN e gás natural 2.522 2.555 -1% Produção de petróleo e LGN no Brasil 1.924 1.931 - Produção total de derivados 2.128 2.138 - Exportação líquida de petróleo e derivados -425 -349 22% Capacidade de utilização das refinarias - no Brasil 96% 99% -3% Participação do óleo nacional na carga processada 82% 79% 4% Variação Dados Econômico-Financeiros Em R$ Milhões 3T 13 2T 13 Vendas líquidas 77.700 73.627 6% Lucro bruto 16.585 18.708 -11% Lucro operacional * 5.494 11.107 -51% Lucro líquido 3.395 6.201 -45% Lucro líquido por ação (R$) 0,26 0,48 -46% EBITDA ajustado 13.091 18.091 -28% Valor de mercado (controladora) 229.078 200.864 14% Total de investimentos 25.150 3% Endividamento líquido 192.987 176.280 24.344 9% Dívida líquida/EBITDA ajustado 3,05 2,57 19% Dívida líquida/Capitalização líquida 36% 34% 6% * Lucro antes do resultado financeiro, das participações e impostos. N osso lucro líquido de janeiro a setembro foi 29% maior que em 2012 em função do aumento do resultado operacional e do menor impacto cambial em nosso resultado financeiro. O resultado operacional superior em 3% refletiu os ganhos com a venda de ativos e as menores baixas de poços secos e subcomerciais, que compensaram as perdas com a defasagem de preços. O Ebitda ajustado no período atingiu R$ 47,4 bilhões, 14% superior ao mesmo período de 2012. No terceiro trimestre, nosso lucro líquido foi de R$ 3,4 bilhões, 45% inferior ao do período anterior, refletindo o menor lucro operacional, parcialmente compensado pelo melhor resultado financeiro. O resultado operacional foi 51% menor, impactado pelo aumento das importações de derivados e pela maior defasagem no preço destes produtos, decorrente da depreciação cambial aliada ao aumento do preço internacional do petróleo. A produção de petróleo e gás natural totalizou 2,5 milhões boe/dia na média dos nove meses, 2% inferior ao mesmo período de 2012, em consequência do declínio natural dos campos, da maior concentração de paradas programadas em 2013 e da venda de ativos no exterior. No trimestre, a produção doméstica se manteve estável. Já a produção de derivados totalizou 2,1 milhões barris/dia no período, 7% superior ao mesmo período de 2012, com recordes mensais de processamento em julho e na produção de diesel e gasolina, em agosto. A demanda de diesel no terceiro trimestre também foi recorde. No terceiro trimestre deste ano, mantivemos o sucesso na elevação da eficiência operacional através do Programa de Aumento da Eficiência (Proef): ganho de 65 mil barris/dia. O Programa de Desinvestimentos (Prodesin) evoluiu com anúncio de operações no Brasil e exterior, totalizando US$ 4,8 bilhões no acumulado do ano, e o Programa de Otimização dos Custos Operacionais (Procop) teve resultados acima do previsto, com a realização de R$ 4,8 bilhões, 122% da meta anual. Os investimentos de janeiro a setembro totalizaram R$ 69,3 bilhões, sendo 55% em exploração e produção.
  • 3. Plataforma P-55 entrará em operação em dezembro — N Plataforma P-55 o dia 6 de outubro, a plataforma P-55 deixou o Estaleiro Rio Grande 1 (ERG-1), no Rio Grande do Sul, rumo ao Campo de Roncador, na Bacia de Campos. Ela é uma das unidades que iniciarão as atividades ainda em 2013, contribuindo para o aumento sustentado da produção de petróleo nos próximos anos. Com 52 mil toneladas, 10 mil m² de área e 43 metros de altura, é a maior plataforma semissubmersível construída no Brasil e uma das maiores do mundo. Gerou 5 mil empregos diretos e 15 mil indiretos durante a obra, com índice de 79% de conteúdo nacional. O casco foi preparado no Estaleiro Atlântico Sul, em Pernambuco, de onde seguiu para o ERG-1, onde foram feitas as instalações do convés. A operação que acoplou o convés e o casco, chamada de deckmating, foi desafiadora, levando-se em conta o peso da estrutura (17 mil toneladas) e a altura a que foi levantada (47,2 metros). A plataforma tem capacidade para produzir 180 mil barris de petróleo e 4 milhões de m³ de gás por dia e ficará ancorada a uma profundidade de 1.800 metros, ligada a 17 poços. A unidade será operada por uma tripulação de 100 pessoas. Unidade de Manutenção e Segurança na Bacia de Campos C olocamos em operação, no mês de agosto, mais uma Unidade de Manutenção e Segurança (UMS) para prolongar a vida útil das plataformas de produção, garantindo a integridade de suas instalações marítimas, a segurança da força de trabalho e o aumento da eficiência operacional. A UMS Cidade de Carapebus atuará junto às unidades da Bacia de Campos nos próximo cinco anos. É equipada com sistema de posicionamento dinâmico e pode ser conectada a qualquer tipo de plataforma. O comprimento total da embarcação é de 180 metros e pode alojar 533 profissionais. Conclusão do terceiro poço de Júpiter F oi concluída a perfuração do poço Bracuhy, localizado no bloco BM-S-24, no pré-sal da Bacia de Santos. Este é o terceiro poço perfurado na área de Júpiter, que comprovou a existência de óleo, gás e condensado, a partir de 5.322 metros de profundidade. Está previsto um teste de formação para verificar as características e a produtividade dos reservatórios. Ampliação da produção terrestre no Nordeste E stamos investindo na região Nordeste, em dois projetos estratégicos, para aumentar a produção de petróleo e garantir o escoamento do óleo produzido nos campos terrestres do Rio Grande do Norte. Um dos projetos é para a ampliação do sistema de injeção de água no campo de Canto do Amaro, em Mossoró (RN) – um dos maiores do país. O outro projeto facilitará o escoamento da produção, interligando este campo a uma unidade de processamento em Guamaré, através de um oleoduto de 100km de extensão. A operação está programada para iniciar em agosto de 2014.
  • 4. ESPECIAL Petrobras comemora 60 anos — A Petrobras completou 60 anos de história no dia 3 de outubro. Em ritmo de crescimento, nossa meta é dobrar a atual produção de petróleo até 2020, chegando a 4,2 milhões de barris/dia. Novas plataformas iniciaram operação e outras estão em construção, além de novas refinarias. Ao ser criada, em 1953, a companhia tinha produção de 2.700 barris de petróleo/dia, 170 milhões de barris de petróleo em reservas e uma refinaria. Hoje, no Brasil, são produzidos 2 milhões de barris diários, são 15,7 bilhões de barris de óleo equivalente de reservas provadas e 12 refinarias. “Gente é o Que Inspira a Gente” foi o tema da campanha publicitária lançada para comemorar os 60 anos. O objetivo foi inspirar o público, que também é nossa fonte de inspiração. A campanha teve anúncios em TV, rádios, jornais e revistas que mostraram as conquistas recentes e os objetivos para os próximos anos. Foram criados ainda ambientes virtuais (no Facebook e Instagram), que reuniram conteúdos que podiam ser compartilhados, como fotos e textos. No mês de aniversário, a nossa página no Facebook passou da marca de um milhão de fãs. Também foi lançada a Missão Netuno, que levou em um submarino a bandeira do Brasil e uma cápsula com mensagens dos brasileiros até a região do pré-sal, localizada a mais de 2 mil metros de profundidade e a 300 quilômetros da costa. Mais de 55 mil pessoas enviaram mensagens. Daqui a dez anos, essas mensagens serão resgatadas. O Congresso Nacional brasileiro também prestou homenagem, numa sessão solene. Participaram os presidentes do Senado, da Câmara dos Deputados e da Petrobras, ministros de estado e outras autoridades. Nos pronunciamentos, foi destacada a trajetória da companhia e a sua contribuição para o desenvolvimento do país. Um selo comemorativo também foi lançado, em parceria com os Correios. #meinspira Peças da campanha publicitária dos 60 anos e o selo postal comemorativo Sessão solene no Congresso Nacional Informativo publicado pela Gerência Executiva de Relacionamento com Investidores da Petrobras • Gerente executivo: Theodore Helms • Jornalista responsável: Orlando Gonçalves Jr. MTb-MA 993 • Colaboração: Izabel Ramos, Fernanda Bianchini, Daniela Ultra, José Roberto Darbilly e Luan Barbosa (estagiário) • Projeto gráfico e diagramação: Estúdio Matiz. Atendimento ao Acionista: Av. República do Chile, 65/Sala 1002 – Centro • Rio de Janeiro – RJ – Brasil • CEP 20031-912 Telefones: 0800 282 1540 e (21) 3224-1540 • Fax: (21) 2262-3678 • E-mail: acionistas@petrobras.com.br • Site: www.petrobras.com.br/ri