Análise Financeira e Demonstrações Contábeis 2010

5,295 views
5,164 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,295
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,965
Actions
Shares
0
Downloads
51
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Análise Financeira e Demonstrações Contábeis 2010

  1. 1. Análise Financeira eDemonstrações Contábeis
  2. 2. PerfilFundada em 1953, a Petrobras é uma sociedade anônima de capital aberto, comatividades em 30 países e em todos os continentes. Líder do setor petrolífero noBrasil, ocupa a terceira posição no mercado internacional das companhias deenergia, com base no valor de mercado, segundo o ranking da consultoria PFCEnergy. Atua nos segmentos de exploração e produção, refino, comercializaçãoe transporte de óleo e gás natural, petroquímica, distribuição de derivados,energia elétrica, biocombustíveis e outras fontes renováveis de energia.MissãoAtuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental,nos mercados nacional e internacional, fornecendo produtos e serviços ade-quados às necessidades dos clientes e contribuindo para o desenvolvimento doBrasil e dos países onde atua.Visão 2020Seremos uma das cinco maiores empresas integradas de energia do mundo ea preferida pelos nossos públicos de interesse.Atributos da Visão 2020Nossa atuação se destacará por:» Forte presença internacional» Referência mundial em biocombustíveis» Excelência operacional, em gestão, em eficiência energética, em recursos humanos e em tecnologia» Rentabilidade» Referência em responsabilidade social e ambiental» Comprometimento com o desenvolvimento sustentávelValores» Desenvolvimento sustentável» Integração» Resultados» Prontidão para mudanças» Empreendedorismo e inovação» Ética e transparência» Respeito à vida» Diversidade humana e cultural» Pessoas» Orgulho de ser Petrobras
  3. 3. Destaques DestAques DA ReceitA INVEStImENtOS R$ milhões OPeRAciOnAl líquiDA 2006 2007 2008 2009 2010 DOs PRinciPAis PRODutOs 4.181 (R$ mILhõES) 2006 15.314 7.161 7.030 33.686 Mercado interno Diesel 44.571 47.001 55.708 51.107 52.076 2007 18.418 9.632 6.574 10.661 45.285 Gasolina 17.993 17.550 19.593 18.866 21.795 Óleo combustível 3.823 4.146 5.162 3.464 4.378 2008 24.662 10.111 6.133 12.443 53.349 Nafta 8.290 8.658 8.886 5.926 7.732 GLP 5.744 5.890 6.567 6.422 6.826 2009 30.819 16.508 6.833 16.597 70.757 QAV 5.358 5.678 8.050 5.367 7.077 4.771 Gás natural 5.076 5.454 9.297 6.830 8.253 2010 32.426 28.007 11.207 76.411 exportação Petróleo 14.323 16.134 23.886 18.174 25.151 Derivados 10.299 12.018 11.989 9.084 8.687 Exploração & Produção Abastecimento Internacional OutrosPRODuçãO tOtAL mil boed LuCRO LíQuIDO R$ milhões2006 1.923 374 2.297 2006 25.9192007 1.920 381 2.301 2007 21.5122008 1.980 420 2.400 2008 32.9882009 2.113 413 2.526 2009 30.0512010 2.156 427 2.583 2010 35.189 Óleo e LGN Gás NaturalRESERVAS PROVADAS bilhões de boe 15,12006 11,5 15,02007 11,7 15,12008 11,2 14,92009 12,1 16,02010 12,7 SPE SEC
  4. 4. Sumário002 A nálise Financeira 004 Resumo Econômico-financeiro 062 Depósitos judiciais 005 Principais indicadores econômicos 062 Aquisições e vendas de ativos consolidados 066 Investimentos 005 Volume de Vendas 071 Imobilizado 006 Resultados Consolidados 073 Intangível 007 Resultado por Área de Negócio 075 Atividades de exploração e avaliação 008 DVA de reserva de petróleo e gás 009 Endividamento 078 Financiamentos 010 Obrigações contratuais 083 Arrendamentos mercantis 011 Ativos e Passivos sujeitos à 084 Provisões para desmantelamento Variação Cambial de áreas (não circulante) 012 Patrimônio Líquido 084 Impostos, contribuições e 014 Demonstrações Contábeis 016 Balanço Patrimonial 090 098 participações Benefícios concedidos a empregados Participação dos empregados 018 Demonstração de Resultados e administradores 018 Demonstração dos Resultados 098 Patrimônio líquido Abrangentes 102 Receita de vendas 019 Demonstração do Valor Adicionado 102 Despesas por natureza 020 Demonstração das Mutações do 102 Outras despesas operacionais, Patrimônio Líquido líquidas 022 Demonstração dos Fluxos de Caixa 103 Resultado financeiro líquido 024 Demonstração da Segmentação 104 Processos judiciais e contingências de Negócios (consolidado) 112 Compromissos assumidos pelo 032 Balanço Social segmento de energia 112 Garantias aos contratos de concessão Notas Explicativas às para exploração de petróleo Demonstrações Contábeis 112 Instrumentos financeiros derivativos, 035 A Companhia e suas operações proteção patrimonial hedge e atividades 035 Base de apresentação das de gerenciamento de riscos demonstrações contábeis 122 Valor justo dos ativos e passivos 037 Adoção dos padrões internacionais financeiros de contabilidade 123 Seguros 044 Base de consolidação 123 Segurança, meio ambiente , eficiência 046 Sumário das principais políticas energética e saúde contábeis 124 Eventos subsequentes 051 Caixa e equivalentes de caixa 125 Relatório dos auditores independentes 051 Títulos e valores mobiliários sobre as demonstrações contábeis 052 Contas a receber 053 Estoques 126 Conselho de Administração 053 Contas petróleo e álcool – STN 127 Parecer do Conselho Fiscal 053 Partes relacionadas 128 Expediente
  5. 5. análisefinanceira
  6. 6. 1. rESumo ECoNômiCo-FiNANCEiro 2. PriNCiPAiS iNDiCADorES ECoNômiCoS CoNSoliDADoS ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAçõES CONTÁBEIS 2010 (1) r$ milhões ExErCíCio 2010 x 2009 (%) CoNSoliDADo PETrobrAS 2010 2009 2010 2009 2010 2009 indicadores Econômicos e Financeiros Receita de vendas 213.274 182.834 156.487 134.034 Petróleo Brent (US$/bbl) 79,47 61,51 29% Lucro antes do resultado financeiro, Dólar médio de venda (R$) 1,76 2,00 -12% 47.057 45.997 36.554 34.381 das participações e impostos Dólar final de venda (R$) 1,67 1,74 -4% Atividades próprias 34.981 30.116 27.997 22.107 indicadores de PreçosANáliSE FiNANCEirA Subsidiárias/Coligadas 208 (65) 7.039 7.852 Preço dos derivados no mercado interno (R$/bbl) 158,43 157,77 0% lucro líquido atribuível aos acionistas Preço médio de venda - Brasil 35.189 30.051 35.036 29.959 da Petrobras Petróleo (US$/bbl) (4) 74,66 54,22 38% Lucro líquido por ação (2) 3,57 3,43 3,52 3,42 Gás natural (US$/bbl) (5) 15,57 22,53 -31% Endividamento líquido (3) 62.067 73.416 10.541 26.790 Preço médio de venda - Internacional Ativo Total 519.970 350.419 466.655 318.997 Petróleo (US$/bbl) 66,42 53,58 24% Investimentos, imobilizado, intangível e diferido 374.815 241.122 319.013 191.452 Gás natural (US$/bbl) 14,15 12,65 12% Patrimônio Líquido 310.225 166.895 307.317 165.021 (4) Média das exportações e dos preços internos de transferência do E&P para o Abastecimento. (5) Preço interno de transferência do E&P para o Gás e energia. relação Capital Próprio / Capital de Terceiros (3) 67/33 52/48 73/27 55/45 ComPoSição Do EbiTDA CoNSoliDADo CoNTrolADorA 3. VolumE DE VENDAS 2010 2009 % 2010 2009 % Lucro antes do resultado financeiro, mil barris/dia 47.057 45.997 2 36.554 34.381 6 das participações e impostos ExErCíCio ∆% Participação de Empregados (1.691) (1.495) 13 (1.428) (1.270) 12 2010 2009 Depreciação/Amortização 14.881 14.457 3 10.813 10.380 4 Diesel 809 740 9% (-) Perda na recuperação de ativos 76 543 (86) (104) 550 (119) Gasolina 394 338 17% EbiTDA 60.323 59.502 1 45.835 44.041 4 Óleo combustível 100 101 -1% margem EbiTDA (%) 28 33 (5) 29 33 (4) Nafta 167 164 2% Endividamento líquido/EbiTDA 1,03 1,23 (0,20) 0,23 0,61 (0,38) GLP 218 210 4% EBITDA não é um indicador calculado de acordo com os princípios contábeis geralmente aceitos no Brasil, e possivelmente pode não servir de base de comparação com QAV 92 77 19% indicadores com o mesmo nome, apresentados por outras empresas. O EBITDA não deve ser considerado como um indicador substituto para medir lucro operacional, ou também como uma melhor forma de mensuração da liquidez e do fluxo de caixa das atividades operacionais. O EBITDA é uma informação adicional da capacidade de pagamento Outros 180 140 29% das dívidas, da manutenção de investimentos e da capacidade de cobrir necessidades de capital de giro. Total de derivados 1.960 1.770 11% (1) Os valores expressos em Reais foram apurados de acordo com os padrões internacionais de contabilidade (International Financial Reporting Standards – IFRS) emitidos Alcoóis, nitrogenados renováveis e outros 99 96 3% pelo International Accounting Standards Board – IASB. Para fins de comparabilidade, as informações de 2009, previamente divulgadas, encontram-se ajustadas aos IFRS. Gás natural 319 240 33% (2) Lucro líquido por ação calculado com base na média ponderada da quantidade de ações. (3) Inclui endividamento contraído através de arrendamentos mercantis financeiros e títulos públicos federais com vencimento superior a 90 dias. Total mercado interno 2.378 2.106 13% Exportação 698 707 -1% Vendas internacionais 593 541 10% Total mercado externo 1.291 1.248 3% Total geral 3.669 3.354 9% O volume de vendas no mercado interno foi 13% superior gasolina nos veículos flexfuel, além da redução da par- ao de 2009, destacando-se as vendas dos seguintes produtos: ticipação do álcool anidro na gasolina C, de 25% para Ք Óleo diesel (aumento de 9%) – por conta da recupe- 20% a partir de fev/2010. ração da atividade industrial, do aumento da safra de Ք QAV (aumento de 19%) – influenciado pela recuperação grãos e do consumo gerado pelos investimentos em econômica e melhor performance do mercado de aviação. obras de infraestrutura. Ք Gás natural (aumento de 33%) – refletindo a expansão Ք Gasolina (aumento de 17%) – reflexo da escassez de do consumo do setor industrial, recuperando-se da cri- álcool no mercado, no início de 2010, provocando forte se financeira mundial de 2009, além da maior participa- elevação nos preços do produto e a migração para a ção do gás no acionamento das usinas térmicas.004 005
  7. 7. 4. rESulTADoS CoNSoliDADoS 5. rESulTADo Por árEA DE NEgóCio ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAçõES CONTÁBEIS 2010 A Petrobras, suas Subsidiárias e Controladas apre- petróleo, derivados e gás e com participação gover- A Petrobras é uma companhia que opera de forma in- consideradas as transações realizadas com terceiros e as sentaram um lucro líquido consolidado de R$ 35.189 namental no país. tegrada, sendo que a maior parte da produção de petróleo transferências entre as áreas de negócio, sendo estas valo- milhões no exercício social findo em 31.12.2010, após a Ք Aumento nas despesas, destacando: e gás, oriunda da área de Exploração e Produção, é trans- radas por preços internos de transferência definidos entre eliminação das operações intercompanhias e a dedução ■ Vendas (R$ 1.285 milhões), por conta do maior vo- ferida para outras áreas da companhia. as áreas e com metodologias de apuração baseadas em pa- da participação dos acionistas não controladores, apre- lume de produtos vendidos e da cotação do frete Na apuração dos resultados, por área de negócio, são râmetros de mercado. sentando um aumento 17% em relação ao exercício ante- (R$ 543 milhões), o aumento dos gastos com pessoal e ExErCíCio rior (R$ 30.051 milhões). serviços de terceiros (R$ 244 milhões), com provisãoANáliSE FiNANCEirA rESulTADo Por árEA DE NEgóCio - r$ milhõES ∆% 2010 2009 Esse resultado foi impactado por: para créditos com liquidação duvidosa (R$ 137 mi- Exploração & Produção 29.691 19.289 54 Ք Aumento do lucro bruto em R$ 3.095 milhões, devido: lhões) e com depreciação (R$ 117 milhões), em razão Abastecimento 3.722 13.521 (72) ■ Maiores volumes vendidos no país (R$ 7.528 mi- da entrada em operação do trecho norte do Gasene; Gás & Energia 1.279 703 82 lhões), com destaque para o diesel, influenciado pela ■ Gerais e Administrativas (R$ 605 milhões), desta- Distribuição 1.268 1.247 2 recuperação da atividade industrial e da gasolina, cando os maiores gastos com pessoal (R$ 312 mi- Internacional 1.320 (115) (1.248) reflexo da escassez de álcool no mercado, favorecen- lhões), principalmente de reajuste salarial negociado Corporativo (1.141) (3.596) (68) do a migração para a gasolina nos veículos flexfuel no Acordo Coletivo de Trabalho 2010/2011; Eliminações (950) (998) (5) e da redução da participação do álcool anidro na Ք Melhor resultado financeiro líquido (R$ 2.725 milhões), lucro líquido atribuível aos acionistas da Petrobras 35.189 30.051 17 gasolina C. Além da valorização dos preços médios por conta da oscilação do câmbio sobre passivos líqui- das exportações (R$ 6.069 milhões). dos em Dólar em 2010, enquanto em 2009 ocorreram ■ Custos mais elevados (R$ 10.647 milhões), con- perdas cambiais apuradas sobre o saldo médio dos ati- Exploração e Produção Gás e Energia sequentes dos maiores gastos com importação de vos líquidos em Dólar, conforme quadro a seguir: O maior lucro líquido decorreu do aumento de pre- O maior lucro líquido decorreu dos seguintes fatores: ço do petróleo (38% em US$/bbl), e do incremento em Ք Elevação das vendas de gás natural, acompanhando o cres- ExErCíCio VAriAção % 2% na produção diária de óleo e LGN. Contribuiu, tam- cimento industrial e maior demanda por geração de energia; 2010 2009 2010 x 2009 bém, a redução das perdas e contingências com proces- Ք Maior receita fixa proveniente dos leilões de energia Despesas / Receitas Financeiras 1.228 38 1.190 3.132 sos judiciais (R$ 1.582 milhões), dos custos exploratórios (ambiente de contratação regulada) e aumento da recei- Variações Monetárias e Cambiais 1.335 (200) 1.535 768 (R$ 443 milhões), decorrentes de gastos com geologia, ta com geração termelétrica; resultado Financeiro líquido 2.563 (162) 2.725 1.682 geofísica e baixa de poços secos ou sem viabilidade eco- Ք Redução dos custos de aquisição/transferência do gás na- Em 2010: apreciação do Real frente ao Dólar em 4,3% sobre os passivos líquidos no período. nômica, e da redução/reversão das perdas estimadas na tural nacional, acompanhando o comportamento das refe- Em 2009: apreciação do Real frente ao Dólar em 25,5% sobre o saldo médio dos ativos líquidos no período. recuperação de ativos. rências internacionais e a apreciação do real frente ao dólar. Parte desses efeitos foi compensada por maiores custos Ք Estes fatores foram parcialmente compensados por Ք Efeito positivo na participação dos acionistas não con- Ք A provisão dos juros sobre o capital próprio no exercício com participações governamentais e pelas despesas com o maiores custos com importação de GNL e com despesas troladores (R$ 2.581 milhões) decorrente da oscilação de 2010 gerou um benefício fiscal de R$ 3.456 milhões encerramento do projeto estruturado Barracuda e Caratin- comerciais com navios regaseificadores. de câmbio sobre o endividamento das SPE, pelo exer- (R$ 2.446 milhões no exercício de 2009). ga (R$ 486 milhões). cício da opção de compra das ações de alguns projetos O spread entre o preço médio do petróleo nacional Distribuição estruturados, e pela revisão dos fluxos de recebimentos vendido/transferido e a cotação média do Brent reduziu O maior lucro líquido decorreu do aumento de 1% na futuros relativos às operações de leasing financeiro. de US$ 7,29/bbl em 2009, para US$ 4,81/bbl em 2010. margem de comercialização e de 8% no volume vendido, parcialmente compensados por maiores gastos com servi- Abastecimento ços e pessoal, em decorrência do acordo coletivo de traba- O menor lucro líquido decorreu do aumento dos cus- lho 2010/2011, e pelos gastos com equacionamento de débi- tos com aquisição/transferência de petróleo e importa- tos tributários de ICMS/RJ (R$ 110 milhões). ção de derivados (Brent - aumento de 29% em US$/bbl) A participação no mercado de distribuição de combus- e foi compensado, parcialmente, pelo crescimento do tíveis foi de 38,8% em 2010, enquanto em 2009 era de 38,6%. volume de derivados vendidos no mercado interno, com destaque para gasolina, diesel e QAV, pelo maior preço Internacional das exportações e, no mercado interno, dos derivados O aumento no resultado decorreu dos maiores preços diretamente indexados aos preços internacionais, ape- das commodities em 2010 e incremento no volume de ven- sar da redução nos preços do diesel (15%) e da gasolina das de petróleo, pelo início da produção de Akpo, na Nigé- (4,5%), em junho/2009. ria, em março/2009.006 007
  8. 8. 6. DVA 7. ENDiViDAmENTo ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAçõES CONTÁBEIS 2010 A distribuição do valor adicionado da Petrobras al- distribuiu R$ 139.234 milhões. A distribuição do valor O endividamento, referente a empréstimos e financia- cançou, em 2010, R$ 158.683 milhões, representando adicionado pode ser observada nos gráficos a seguir: mentos no país e no exterior, atingiu R$ 117.915 milhões, um aumento de 14% em relação ao ano anterior, quando conforme demonstrado a seguir: r$ milhões 2010 2009 ∆% VALOR DISTRIBUíDO EM 2010 VALOR DISTRIBUíDO EM 2009 Endividamento curto prazo 15.668 15.556 1 ANáliSE FiNANCEirA Endividamento longo prazo 102.247 86.894 18 Total (6) 117.915 102.450 15 Disponibilidades 30.323 29.034 4 Títulos públicos federais (vencimento superior a 90 dias) 25.525 Disponibilidades ajustadas 55.848 29.034 92 Endividamento líquido (7) 62.067 73.416 (15) Endividamento líquido/(Endividamento líquido+Patrimônio líquido) (6) 17% 31% (14) Passivo Total líquido (8) 464.122 321.385 44 Estrutura de capital (capital de terceiros líquido / passivo total líquido) 33% 48% (15) uS$ milhões 2010 2009 ∆% Endividamento curto prazo 9.403 8.934 5 Endividamento longo prazo 61.365 49.905 23 Total (6) 70.769 58.839 20 (6) Inclui arrendamentos mercantis financeiros (R$ 372 milhões em 31.12.2010 e R$ 739 milhões em 31.12.2009). Governo 57% Governo 57% (7) Endividamento Total – Disponibilidades. (8) Passivo total líquido de caixa/aplicações financeiras. Valor retido 15% Valor retido 16% Pessoal 12% Pessoal 11% O endividamento líquido do Sistema Petrobras reduziu O nível de endividamento, medido através do índice da Terceiros 9% Terceiros 8% 15% em relação a 31.12.2009, em decorrência da capitaliza- dívida líquida/EBITDA reduziu de 1,23 em 31.12.2009 para ção realizada em setembro de 2010 que compensou as cap- 1,03 em 31.12.2010. A estrutura de capital está representada Acionistas 7% Acionistas 6% tações líquidas do exercício. por 33% de participação de capitais de terceiros. Minoritários 2%008 009
  9. 9. 8. obrigAçõES CoNTrATuAiS 9. ATiVoS E PASSiVoS SujEiToS à VAriAção CAmbiAl ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAçõES CONTÁBEIS 2010 r$ milhões A tabela a seguir resume nossas obrigações contratuais e os compromissos pendentes em 31.12.2010: ATiVo 31.12.2010 31.12.2009 PAgAmENToS Com VENCimENTo Por PEríoDo Circulante 13.065 5.581 2016 Em Disponibilidades 10.818 4.035 ToTAl 2011 2012-2015 DiANTE Outros ativos circulantes 2.247 1.546 obrigações contratuais Não Circulante 18.755 17.876 itens do balanço patrimonial: (9) Recursos aplicados no exterior via controladas, no ANáliSE FiNANCEirA Obrigações de dívida 107.160 5.109 26.902 75.149 segmento internacional, em equipamentos de E&P 17.351 16.759 para uso no Brasil e nas atividades comerciais Com transferência de benefícios, riscos e controles de bens 372 151 134 87 Total dos itens do balanço patrimonial 107.532 5.260 27.036 75.236 Outros Realizáveis a longo prazo 1.404 1.117 outros compromissos contratuais a longo prazo Total do Ativo 31.820 23.457 Gás natural ship or pay 9.903 1.058 4.366 4.479 Serviço de contrato 175.909 84.459 67.958 23.492 r$ milhões PASSiVo Contratos de fornecimento de gás natural 21.716 2.364 9.962 9.390 31.12.2010 31.12.2009 Sem transferência de benefícios, riscos e controles de bens 80.108 17.736 44.732 17.640 Circulante (11.562) (11.978) Compromissos de compra 30.611 11.460 9.772 9.379 Financiamentos (7.953) (10.303) Compromissos de compra internacionais 52.086 7.329 15.905 28.852 Fornecedores (3.286) (1.088) Total de outros compromissos a longo prazo 370.333 124.406 152.695 93.232 Outros passivos circulantes (323) (587) Total 477.865 129.666 179.731 168.468 Não Circulante (26.248) (15.203) (9) Não inclui obrigações com benefícios pós-emprego. Consulte nota explicativa nº 22 nas Demonstrações Contábeis. Financiamentos (26.208) (15.125) Outros exigíveis a longo prazo (40) (78) Total do Passivo (37.810) (27.181) Ativo (Passivo) Líquido em Reais (5.990) (3.724) (-) Empréstimos FINAME - em reais indexado ao dólar (103) (179) (-) Empréstimos BNDES - em reais indexado ao dólar (23.906) (25.368) Ativo (Passivo) líquido em reais (29.999) (29.271)010 011
  10. 10. 10. PATrimôNio líquiDo ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAçõES CONTÁBEIS 2010 c) Remuneração aos Acionistas Aos acionistas é garantido um dividendo e/ou juros so- No ano de 2010, a Companhia aprovou a distribuição Em 31 de dezembro de 2010, o Patrimônio Líquido da Oferta Pública de Ações (OPA), dos quais R$ 67.816 mi- bre o capital próprio de pelo menos 25% do lucro líquido do antecipada de juros sobre o capital próprio, no montante Petrobras (Controladora) atingiu o montante de R$ 307.317 lhões recebidos da União por meio de LFT foram utilizados exercício ajustado, calculado nos termos do artigo 202 da de R$ 10.163 milhões, 41% superior ao montante do exer- milhões, correspondendo a R$ 23,56 por ação. para pagamento de parte da aquisição do direito de exercer Lei das Sociedades por Ações. cício de 2009: O valor de mercado da Companhia alcançou atividades de pesquisa e lavra de petróleo, de gás natural ExErCíCio R$ 380.247 milhões. e outros hidrocarbonetos fluidos localizados em blocos na 2010 2009 área do Pré-Sal (5 bilhões de barris), através do Contrato de a) Capitalização e cessão onerosa Cessão Onerosa, que totalizou R$ 74.808 milhões, registra- DATA DE DATA DE DATA DE DATA DEANáliSE FiNANCEirA r$ milhõES r$ milhõES AProVAção PAgAmENTo AProVAção PAgAmENTo A Companhia realizou, em 30 setembro de 2010, au- dos como ativo intangível. 1ª parcela de JCP 14.05.2010 31.05.2010 1.755 24.06.2009 30.11.2009 2.632 mento de capital em R$ 115.052 milhões, resultado da 2ª parcela de JCP 16.07.2010 31.08.2010 1.755 21.09.2009 21.12.2009 1.755 r$ milhões 3ª parcela de JCP 22.10.2010 30.11.2010 1.826 17.12.2009 29.12.2009 1.755 CAPiTAlizAção ATiVo iNTANgíVEl 4ª parcela de JCP 10.12.2010 30.12.2010 2.609 19.03.2010 30.04.2010 1.053 uNião DEmAiS ACioNiSTAS ToTAl CESSão oNEroSA 5ª parcela de JCP 25.02.2011 (10) 2.218 Caixa 12.274 34.962 47.236 6.992 10.163 7.195 Títulos - LFT 67.816 67.816 67.816 (10) Data a ser fixada em Assembleia Geral Ordinária. Total da Capitalização 80.090 34.962 115.052 74.808 O Conselho de Administração da Petrobras, com base pagos antecipadamente no montante de R$ 7.945 milhões, Subsequentemente, em 01 de outubro de 2010, o Con- b) Aumento do Capital Social em disposições estatutárias, está propondo à Assembleia sujeitos à retenção de imposto de renda na fonte de 15%, ex- selho de Administração aprovou a opção de lote suplemen- Está sendo proposta à Assembleia Geral Extraordinária, Geral Ordinária, a distribuição de um dividendo relativo ao ceto para acionistas imunes e isentos e corrigidas pela taxa tar à oferta realizada em setembro, que resultou na capta- a incorporação ao capital de parte de reservas de incentivos exercício de 2010, no montante de R$ 11.728 milhões, cor- SELIC desde as datas dos pagamentos até 31.12.2010. A par- ção de recursos adicionais de R$ 5.196 milhões. Após esta fiscais constituída em 2010, no montante de R$ 23 milhões, respondente a 35,50% do lucro básico para fins de dividen- cela final dos juros sobre o capital próprio juntamente com oferta global de ações o capital social passou a R$ 205.357 em atendimento ao artigo 35 parágrafo 1º, da Portaria nº do equivalente a R$ 1,03 por ação ordinária e preferencial. os dividendos, no valor de R$ 3.595 milhões, será disponi- milhões, representado por 7.442.454.142 ações ordinárias e 2.091/07 do Ministro do Estado da Integração Nacional, Nestes dividendos estão incluídos a parcela de juros bilizada na data que vier a ser fixada em AGO e terão seus 5.602.042.788 ações preferenciais. sem a emissão de novas ações. sobre capital próprio, no montante de R$ 10.163 milhões valores atualizados monetariamente, a partir de 31.12.2010 (equivalente a R$ 0,91 por ação ordinária e preferencial), até a data de início do pagamento, de acordo com a variação dos quais serão descontados os juros sobre o capital próprio da taxa SELIC.012 013
  11. 11. demonstraçõescontábeis
  12. 12. balanço Patrimonial ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAçõES CONTÁBEIS 2010 Em 31 de dezembro de 2010 e 2009 e 1º de janeiro de 2009 (Em milhões de reais)DEmoNSTrAçõES CoNTábEiS CoNSoliDADo CoNTrolADorA CoNSoliDADo CoNTrolADorA ATiVo NoTA PASSiVo NoTA 2010 2009 01.01.2009 2010 2009 01.01.2009 2010 2009 01.01.2009 2010 2009 01.01.2009 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 6 30.323 29.034 16.099 19.995 16.798 11.268 Financiamentos 18 15.492 15.166 13.640 1.506 3.123 2.506 Títulos e valores mobiliários 7 26.017 124 289 33.731 1.718 Arrendamentos mercantins financeiros 19.1 176 390 585 3.149 3.557 5.053 Contas a receber, líquidas 8.1 17.334 14.062 14.969 16.178 12.844 17.370 Fornecedores 17.044 17.082 17.168 9.567 9.670 10.187 Dividendos a receber 11.1 251 18 20 1.523 780 988 Impostos, contribuições e participações 21.2 10.250 10.590 8.555 7.837 8.268 6.468 Estoques 9 19.816 19.448 18.391 15.199 14.437 12.429 Dividendos propostos 24.5 3.595 2.333 9.915 3.595 2.333 9.915 Impostos, contribuições e participações 21.1 8.935 7.023 7.871 5.911 4.049 5.183 Salários, férias e encargos 2.606 2.304 2.027 2.174 1.907 1.561 Adiantamento a fornecedores 1.310 1.981 1.594 1.048 1.750 1.419 Participação de empregados e administradores 23 1.691 1.495 1.345 1.428 1.270 1.138 Outros ativos circulantes 2.699 2.684 2.815 1.673 1.700 1.510 Planos de pensão e saúde 22 1.303 1.208 1.152 1.209 1.123 1.072 106.685 74.374 62.048 95.258 54.076 50.167 Subsidiárias, controladas e coligadas 149 128 147 30.113 46.167 67.610 Outras contas e despesas a pagar 4.528 4.465 3.774 1.863 1.656 2.119 56.834 55.161 58.308 62.441 79.074 107.629 Não circulante realizável a longo prazo Não Circulante Contas a receber, líquidas 8.1 4.956 3.288 1.331 29.760 49.742 91.626 Financiamentos 18 102.051 86.545 51.162 36.430 26.004 11.457 Conta petróleo e álcool - STN 10 822 817 810 822 817 810 Arrendamentos mercantins financeiros 19.1 196 349 805 14.976 10.904 12.702 Títulos e valores mobiliários 7 5.208 4.639 4.066 4.749 4.180 3.598 Impostos e contribuição social diferidos 21.3 26.161 20.458 17.642 21.808 16.855 14.892 Depósitos judiciais 12 2.807 1.989 1.853 2.426 1.691 1.542 Planos de pensão e saúde 22 15.278 14.164 13.200 14.162 13.147 12.229 Impostos e contribuição social diferidos 21.3 17.211 16.231 13.010 11.790 11.640 8.045 Provisão para processos judiciais 29 1.372 865 890 425 198 203 Adiantamento a fornecedores 4.976 5.365 5.444 964 1.900 2.209 Provisão para desmantelamento de áreas 20 6.505 4.791 5.417 6.072 4.419 4.811 Outros ativos realizáveis a longo prazo 2.490 2.594 2.659 1.873 3.499 3.057 Subsidiárias, controladas e coligadas 179 52 49 404 905 1.101 38.470 34.923 29.173 52.384 73.469 110.887 Outras contas e despesas a pagar 1.169 1.139 1.960 2.620 2.471 525 152.911 128.363 91.125 96.897 74.903 57.920 investimentos 14 8.879 5.772 5.768 50.955 38.318 24.670 imobilizado 15 282.838 227.079 185.694 189.775 149.447 117.714 intangível 16 83.098 8.271 9.592 78.042 3.216 3.233 Patrimônio líquido 24 Diferido 241 472 604 Capital social realizado 205.357 78.967 78.967 205.357 78.967 78.967 413.285 276.045 230.227 371.397 264.922 257.108 Contribuição adicional de capital (6) 1.423 (6) 1.423 Reservas de capital 515 515 515 515 Reservas de lucros 101.325 83.479 61.614 101.876 84.183 62.552 Ajustes de avaliação patrimonial 90 (67) (308) 90 (67) (308) 306.766 164.317 140.788 307.317 165.021 141.726 Participação dos acionistas não controladores 3.459 2.578 2.054 310.225 166.895 142.842 307.317 165.021 141.726 519.970 350.419 292.275 466.655 318.998 307.275 519.970 350.419 292.275 466.655 318.998 307.275 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis.016 017

×